SlideShare uma empresa Scribd logo
Localização dos sensores do Sistema de Controle do
Motor
1. Unidade injetora
2. Sensor de pressão, ar de admissão
3. Sensor de temperatura, ar de admissão
4. Sensor do volante do motor
5. Sensor de temperatura, líquido de arrefecimento
6. Sensor da árvore de comando de válvulas
Códigos de informação
Observar a diferença entre Códigos de falha e Códigos de informação.
Os códigos de informação são fornecidos quando o botão de diagnóstico no painel de
instrumentos é pressionado e uma determinada função está ativa, por exemplo, piloto
automático na posição ON ou o pedal da embreagem pressionado.
Assim que o pedal for liberado, o código de informação desaparece.
Um código de informação não indica uma falha, apenas mostra que um sinal est á ativo.
Uma exceção é o código de informação 41 que, além de teste de freio não realizado também
indica contato do interruptor danificado, pedal do freio.
Se, após realizar o teste de freio, o código de informação 41 estiver ativo, mantendo o pedal de
freio pressionado, será possível ler que contato de freio está ativo.
(Ver códigos de informação 42 e 43).
Observar que o piloto automático não funciona antes que o teste de freio tenha sido realizado.
Códigos de informação
41 Teste de freio não realizado ou contato do interruptor danificado, pedal de freio
42 Sinal da luz de freio ativo
43 Contato do interruptor, pedal de freio ativo
44 Contato da marcha lenta do pedal do acelerador ativo (pedal do acelerador pressionado)
45 Contato do interruptor do pedal da embreagem ativo (pedal de embreagem pressionado)
46 Sinal do freio de estacionamento ativo
Seletor de marchas na posição neutra (veículos com Geartronic)
47 Sinal de segurança ativo
51 Piloto automático na posição ON
52 Piloto automático, posição SET ativada
53 Piloto automático na posição ONcom RESUME ativado
61 Sinal do ABS, freio motor ativo
62 Comunicação com Geartronic
63 Sinal do VPS ativo (unidade de controle na posição de programação)
MID 128, Unidade de controle do motor, códigos de
falha
Localização dos sensores do Sistema de Controle do Motor
Códigos de informação
ID
no.:
Um único número para cada código de falha.
MID: Message Identification Description (Identifica o grupo função).
PID: Parameter Identification Description (Identifica o componente)
SID: Subsystem Identification Description (Identifica o subcomponente em um grupo
função).
FMI: Failure Mode Identifier (identifica o tipo de falha)
Designações de acordo
com
padrão SAE
ID
no.
MID PID SID FMI Códigos
passageiros
Descrição e comentários do
código de falha
101 128 91 **** 3 11 Sensor do pedal do acelerador
(7065), tensão de saída muito alta.
Códigos de falha 11 e 12 - Sensor do
pedal do acelerador e contato da
marcha lenta
102 128 91 **** 4 11 Sensor do pedal do acelerador
(7065), tensão de saída muito baixa.
Códigos de falha 11 e 12 - Sensor do
pedal do acelerador e contato da
marcha lenta
103 128 91 **** 11 11+12 Contato da marcha lenta (7065)
aberto durante a aceleração.
O código de falha é ativado quando a
falha é encontrada e o motor está
funcionando.
Códigos de falha 11 e 12 - Sensor do
pedal do acelerador e contato da
marcha lenta
104 128 91 **** 12 12 Contato da marcha lenta (7065)
fechado quando na posição de
marcha lenta.
Códigos de falha 11 e 12 - Sensor do
pedal do acelerador e contato da
marcha lenta
106 128 84 **** 3 13 Sinal de velocidade (7052)
700/701/702, tensão de saída muito
alta.
Código de falha 13 - Sinal de
velocidade
Designações de acordo
com
padrão SAE
ID
no.
MID PID SID FMI Códigos
passageiros
Descrição e comentários do
código de falha
107 128 84 **** 4 13 Sinal de velocidade (7052)
700/701/702, tensão de saída muito
baixa.
Código de falha 13 - Sinal de
velocidade
108 128 84 **** 5 13 Sinal de velocidade (7052)
700/701/702, não conectado.
Código de falha 13 - Sinal de
velocidade
109 128 84 **** 8 13 Sinal de velocidade (7052)
700/701/702, interferência de alta
freqüência.
Código de falha 13 - Sinal de
velocidade
128 128 **** 251 11 14 Unidade de controle (9070),
alimentação de tensão contínua.
Código de falha 14 ± Relé de
alimentação, unidade de controle
126 128 **** 254 11 21 Unidade de controle (9070), falha de
hardware.
Código de falha 21 ± Unidade de
controle, falha interna
127 128 **** 253 11 22 Unidade de controle (9070), falha de
software.
Código de falha 22 ± Unidade de
controle, falha de programação
129 128 110 **** 0 Temperatura do líquido de
arrefecimento (756B), acima de
103°C.
130 128 110 **** 5 23 Sensor de temperatura do líquido de
arrefecimento (756B), tensão de
saída muito alta.
Código de falha 23 ± Sensor de
temperatura, líquido de
arrefecimento
131 128 110 **** 4 23 Sensor de temperatura do líquido de
arrefecimento (756B), tensão de
saída muito baixa.
Código de falha 23 ± Sensor de
temperatura, líquido de
arrefecimento
133 128 105 **** 0 Temperatura do ar de carga (7067).
134 128 105 **** 5 24 Sensor de temperatura do ar de
carga (7067), tensão de saída muito
Designações de acordo
com
padrão SAE
ID
no.
MID PID SID FMI Códigos
passageiros
Descrição e comentários do
código de falha
alta.
Código de falha 24 ± Sensor de
temperatura, ar de admissão
135 128 105 **** 4 24 Sensor de temperatura do ar de
carga (7067), tensão de saída muito
baixa.
Código de falha 24 ± Sensor de
temperatura, ar de admissão
137 128 106 **** 3 25 Sensor de pressão do ar de carga
(7066), tensão de saída muito alta.
Código de falha 25 ± Sensor de
pressão, ar de admissão
138 128 106 **** 4 25 Sensor de pressão do ar de carga
(7066), tensão de saída muito baixa.
Código de falha 25 ± Sensor de
pressão, ar de admissão
140 128 106 **** 11 25 Sensor de pressão do ar de carga
(7066), tensão de alimentação
incorreta.
Código de falha 25 ± Sensor de
pressão, ar de admissão
112 128 **** 21 2 26 Sensor da árvore de comando de
válvulas (753B), faltando o sinal.
O código de falha é ativado quando a
falha é encontrada e o motor está
funcionando.
Código de falha 26 ± Sensor da
árvore de comando de válvulas
144 128 **** 21 8 26 Sensor da árvore de comando de
válvulas (753B), interferência de alta
freqüência
O código de falha é ativado quando a
falha é encontrada e o motor está
funcionando.
Código de falha 26 ± Sensor da
árvore de comando de válvulas
111 128 **** 21+22 11 26+27 Sensor do volante do motor (736A),
falha de sincronização.
O código de falha é ativado quando a
falha é encontrada e o motor está
funcionando.
Código de falha 26 ± Sensor da
árvore de comando de válvulas
Código de falha 27 ± Sensor do
volante do motor
113 128 **** 21+22 11 26+27 Sensor da árvore de comando de
Designações de acordo
com
padrão SAE
ID
no.
MID PID SID FMI Códigos
passageiros
Descrição e comentários do
código de falha
válvulas (753B), falha de
sincronização.
O código de falha é ativado quando a
falha é encontrada e o motor está
funcionando.
Código de falha 26 ± Sensor da
árvore de comando de válvulas
Código de falha 27 ± Sensor do
volante do motor
110 128 **** 22 2 27 Sensor do volante do motor (753A),
faltando o sinal.
O código de falha é ativado quando a
falha é encontrada e o motor está
funcionando.
Código de falha 27 ± Sensor do
volante do motor
114 128 **** 1 6 31 Unidade injetora, cilindro 1(6072),
falha elétrica.
O código de falha é ativado quando a
falha é encontrada e o motor está
funcionando.
Códigos de falha 31-36, unidade
injetora
115 128 **** 1 7 31 Unidade injetora, cilindro 1(6072),
falha de balanceamento dos
cilindros.
Códigos de falha 31-36, unidade
injetora
116 128 **** 2 6
32
Unidade injetora, cilindro 2(6072),
falha elétrica.
O código de falha é ativado quando a
falha é encontrada e o motor está
funcionando.
Códigos de falha 31-36, unidade
injetora
117 128 **** 2 7 32 Unidade injetora, cilindro 2(6072),
falha de balanceamento dos
cilindros.
Códigos de falha 31-36, unidade
injetora
118 128 **** 3 6 33 Unidade injetora, cilindro 3(6072),
falha elétrica.
O código de falha é ativado quando a
falha é encontrada e o motor está
funcionando.
Códigos de falha 31-36, unidade
injetora
Designações de acordo
com
padrão SAE
ID
no.
MID PID SID FMI Códigos
passageiros
Descrição e comentários do
código de falha
119 128 **** 3 7 33 Unidade injetora, cilindro 3(6072),
falha de balanceamento dos
cilindros.
Códigos de falha 31-36, unidade
injetora
120 128 **** 4 6 34 Unidade injetora, cilindro 4(6072),
falha elétrica.
O código de falha é ativado quando a
falha é encontrada e o motor está
funcionando.
Códigos de falha 31-36, unidade
injetora
121 128 **** 4 7 34 Unidade injetora, cilindro 4(6072),
falha de balanceamento dos
cilindros.
Códigos de falha 31-36, unidade
injetora
122 128 **** 5 6 35 Unidade injetora, cilindro 5(6072),
falha elétrica.
O código de falha é ativado quando a
falha é encontrada e o motor está
funcionando.
Códigos de falha 31-36, unidade
injetora
123 128 **** 5 7 35 Unidade injetora, cilindro 5(6072),
falha de balanceamento dos
cilindros.
Códigos de falha 31-36, unidade
injetora
124 128 **** 6 6 36 Unidade injetora, cilindro 6(6072),
falha elétrica.
O código de falha é ativado quando a
falha é encontrada e o motor está
funcionando.
Códigos de falha 31-36, unidade
injetora
125 128 **** 6 7 36 Unidade injetora, cilindro 6(6072),
falha de balanceamento dos
cilindros.
Códigos de falha 31-36, unidade
injetora
Códigos de falha 11 e 12 - Sensor do pedal do
acelerador e contato da marcha lenta
Interruptor de posição da marcha
lenta.....
= Contato da marcha lenta, pedal do acelerador
Interruptor de posição da marcha
lenta GT.....
= Contato da marcha lenta, pedal do
acelerador, Geartronic
Interruptor "Kick-down" GT..... = Contato "Kick-down", Geartronic
Padrão..... = Caixas de mudanças manual
O diagrama na esquerda mostra a faixa normal de tensão e a posição correta de ativação para
o contato da marcha lenta em um veículo com uma caixa de mudanças manual.
Quando o pedal do acelerador está na posição de marcha lenta, a tensão do sensor do pedal
do acelerador não deve exceder 0,65 V, para que as condições para frenagem com freio motor
sejam cumpridas. Mesmo a 0,66 V há um risco de o freio motor não ser ativado.
O diagrama na direita mostra a faixa normal de tensão e a posição correta de ativação para o
contato da marcha lenta em um veículo com uma caixa de mudanças Geartronic.
Veículos com caixas de mudanças Geartronic têm também dois contatos extras, um contato da
marcha lenta e um contato do "kick-down".
Comentários sobre o código de falha 11, Sensor do pedal
do acelerador
Observar que o pedal do acelerador controla outras funções que podem parar de funcionar
mesmo que o pedal do acelerador não gere um código de falha.
Por exemplo, as funções do ATR e do VEB, e também a regulagem do regulador de potência
de saída são interrompidas se o pedal do acelerador não retornar para a sua posição correta
de marcha lenta. As funções do ATR e do VEB não podem, desta forma, operar e a regulagem
da potência de saída pode tornar-se instável próxima da marcha lenta.
Quando o pedal do acelerador não retorna para a sua posição de marcha lenta, isto é
considerado pela unidade de controle visto que a aceleração e o motor são controlados através
do diagrama do pedal do acelerador.
Interruptor de posição da marcha
lenta.....
= Contato da marcha lenta, pedal do
acelerador
O diagrama da esquerda mostra os níveis de tensão que geram o código de falha11.
O código de falha é gerado tanto para uma tensão muito alta quanto para uma tensão muito
baixa.
O diagrama na direita mostra o tamanho da janela dentro da qual o contato da marcha lenta
será ativado normalmente.
Se o contato for ativado na faixa baixa ou não ativado na faixa alta será gerado o código de
falha 12.
Se o código de falha for registrado, a unidade de controle não realizará a verificação do
componente a não ser que o motor seja reiniciado.
OK..... = Correto Marcha
lenta.....
= Marcha
lenta
Limp
home.....
= Regulagem de
emergência
Os diagramas 1-5 mostram algumas situações possíveis e quais os códigos de falha que são
registrados.
Diagrama 1.
O pedal do acelerador e a função do contato da marcha lenta sem falhas.
Nenhum código de falha é registrado já que os pré-requisitos foram satisfeitos e o motor
funciona normalmente quando em marcha lenta e quando utiliza o acelerador.
Diagrama 2.
O diagrama mostra a situação quando o interruptor da marcha lenta está sempre aberto e
indica a posição de marcha lenta independentemente da posiçãodo pedal do acelerador. O
pedal do acelerador funciona corretamente e fornece o valor correto.
Nesta situação, onde o interruptor da marcha lenta e o sensor do pedal do acelerador fornecem
valores diferentes, a unidade de controle seleciona sempre o valormais baixo. Neste caso, a
unidade de controle seleciona a informação do interruptor da marcha lenta, o que significa que
o motor pode somente funcionar em marcha lenta.
O código de falha 12 será registrado já que o interruptor da marcha lenta não atinge a sua
janela.
O código de falha 11 também será registrado, já que a unidade de controle não pode
determinar com certeza se o interruptor da marcha lenta ou o sensor do pedal do acelerador
está incorreto.
Diagrama 3.
O diagrama mostra a situação onde o interruptor da marcha lenta está sempre fechado. O
motor funciona normalmente, mas o código de falha 12 será registrado já que o interruptor da
marcha lenta não atinge a sua janela.
Diagrama 4.
Esta é a situação onde o sensor do pedal do acelerador parou defuncionar e indica posição de
marcha lenta independentemente da posição do pedal.
O interruptor da marcha lenta fornece valores corretos, mas como na situação em 2, a unidade
de controle selecionará o valor mais baixo, que é o valor do sensor do pedal do acelerador.
O motor pode funcionar somente em marcha lenta e o código de falha12 é registrado já que o
interruptor da marcha lenta está fechado abaixo de sua janela.
Diagrama 5.
Neste caso, o sensor do pedal do acelerador está danificado mas o interruptorda marcha lenta
fornece valores corretos.
A unidade de controle, nesta situação, permite que o veículo funcione utilizando a regulagem
de emergência limp home.
Através disto significa que quando a unidade de controle receber um sinal do interruptor da
marcha lenta que o pedal do acelerador está sendo pressionado, a mesma gera o mesmo valor
que para a aceleração de 70%, até que o pedal seja completamente liberado para a posição de
marcha lenta.
O código de falha 11 será registrado já que o sinal de saída do sensor do pedal do acelerador
encontra-se fora do valor permitido.
Combustível..... =
O diagrama mostra o gráfico do pedal do acelerador.
As várias % dos valores mostram o sinal elétrico de saída do sensor quando o pedal do
acelerador é pressionado.
As linhas angulares no diagrama mostram como o motor reage quando a carga muda para uma
determinada posição do pedal do acelerador.
Quando a carga do motor aumenta, a rotação do motor diminui. Quando a rotação do motor
diminui, a unidade de controle aumentará a quantidade de combustível de modo que
acompanhe a linha angular que corresponde ao sinal de saída do pedal do acelerador.
No diagrama, os seguintes limites são registrados:
y Marcha lenta (limite esquerdo)
y Torque máximo (limite superior)
y Rotação máxima do motor (limite direito)
y Rotação mínima do motor (limite inferior)
Quando a unidade de controle utiliza a regulagem de emergência, porque o pedal do
acelerador está danificado, é utilizado o mesmo valor que para a posição de 70% do pedal do
acelerador. Isso é fornecido se o sensor da marcha lenta estiver correto e se o pedal do
acelerador estiver pressionado.
O aumento da aceleração de 0% a 70% leva aproximadamente 1 segundo.
A razão da escolha de 70% é para garantir que o torque máximo do motor possa ser obtido.
Quando o pedal do acelerador é liberado, a aceleração retorna a 0%.
Nota! Observar que com a unidade de controle na posição de emergência (aceleração de
70%), o motor descarregado atingirá aproximadamente 1900 rpm quando o pedal do
acelerador for pressionado.
Combustível..... =
O diagrama mostra o gráfico do pedal do acelerador para unidades de controle a partir do e
incluindo o P/N 8148335.
A unidade de controle foi introduzida em 1994.
Como pode ser visto no diagrama, a linha limite da rotação máxima do motor diminui para 1600
rpm quando a unidade de controle utiliza a regulagem de emergência.
A linha anteriormente utilizada de 70% não é mais utilizada, e a unidade de controle tentará
fornecer 100%, mas naturalmente será parada pelo novo limite de rotação máxima do motor.
Código de falha 13 - Sinal de velocidade
A unidade de controle pode controlar o sinal de velocidade do tacógrafo de duas maneiras
diferentes:
y Controle do nível de tensão
y Controle da freqüência
Nota! Mesmo se o código de falha foi registrado, a unidade de controle continuará a verificar
constantemente o sinal de velocidade. Se o sinal voltar ao normal, a unidade de controle o
utilizará novamente.
Controle do nível de tensão
O tacógrafo envia um sinal para a unidade de controle. O sinal é na forma de uma onda
quadrada (um trem de pulso) com um nível alto de aproximadamente 8 V e com um nível baixo
de aproximadamente 0,5 V.
Quando o veículo está parado, o sinal pode ser tanto alto quanto baixo dependendo da posição
do sensor na roda dentada no eixo de saída da transmissão.
Na posição de repouso, a unidade de controle começa a diagnosticar os níveis de tensão do
sinal de velocidade.
Durante este diagnóstico, a unidade de controle pode avaliar se há uma interrupção ou curto-
circuito na conexão à massa ou a B+.
O diagnóstico fornece duas alternativas:
Alternativa 1. Sinal sem falha
O sinal varia em torno de 8 V ou em torno de 0.5 V.
Com relação à forma do sinal durante a medição com um osciloscópio:
O nível normal da velocidade pretendida; poderá ser vista uma amostra da corrente de
alimentação de aproximadamente 2 mA que a unidade de controle injeta nos cabos.
Com um tacógrafo motômetro esta será de aproximadamente1,2 V. A corrente de alimentação
é conectada durante 400 ms a cada 800 ms.
Isto significa que uma onda quadrada sobreposta será observada no sinal do tacógrafo.
Alternativa 2. Código de falha 13
y O nível de tensão do sinal é de 24 V.
Indica um curto-circuito à B+..
y O nível de tensão do sinal é de 0 V.
Indica um curto-circuito à massa.
y O sinal é idêntico ao sinal do circuito de alimentação.
Indica uma interrupção.
Verificação da freqüência
O sinal de velocidade do tacógrafo é utilizado após ter sido dividido por 8, o que significa uma
filtragem segura do sinal. Se ocorrer uma interferência de sinal, na forma de um ou dois picos
de tensão, o valor da velocidade calculada não será afetado em um grau muito alto.
Para que o código de falha 13 seja registrado, a velocidade deverá ultrapassar 460 km/h com
um fator K de 6250, ou ultrapassar 230 km/h com um fator K de 12500.
Nota! Mesmo se o código de falha foi registrado, a unidade de controle continuará a verificar
constantemente o sinal de velocidade. Se o sinal voltar ao normal, a unidade de controle o
utilizará novamente.
Comentários sobre o código de falha 13, sinal de
velocidade
Já que o sinal de velocidade é obtido a partir da saída temporária do tacógrafo, poderá haver
uma falha no tacógrafo.
Um velocímetro correto não é garantia de que a unidade de controle recebe o sinal de entrada
correto.
Se o velocímetro não apresentar uma leitura, o piloto automático também não deverá
funcionar.
Nota! Certificar-se de que os discos de registro do tacógrafo não estão inseridos de modo
incorreto!
Código de falha 14 ± Relé de alimentação, unidade de
controle
ECU (Unidade de Controle Eletrônica).....
Ligado = Direto.....
Desligado = Atraso.....
Quando a chave de partida (150) é girada para a posição de condução, a unidade de controle
faz a conexão à massa do relé de alimentação principal (379) para ativar a corrente da unidade
de controle. Isto ocorre sem atraso.
Quando a chave de partida é girada para posição Off, o circuito de aterramento do relé de
alimentação na unidade de controle interrompe o circuito de aterramento do relé de
alimentação principal, porém com um breve atraso.
O atraso ocorre para que a unidade de controle tenha tempo de realizar determinadas
operações antes de ser desligada.
O código de falha 14 é registrado se a unidade de controle receber tensão do relé de
alimentação principal mesmo que a tensão da chave de partida seja interrompida.
Apesar disso, o motor será desligado, mas o código ativo não poderá ser visto.
Isto pode ocorrer se o relé de alimentação principal sofrer um emperramento e não puder
retornar para a posição de repouso, ou se houver um curto-circuito na instalação elétrica entre
o relé e a unidade de controle.
Código de falha 21 ± Unidade de controle, falha interna
Controle..... = Operação..... = Partida..... =
No programa da unidade de controle há uma série de funções de controle diferentes que
supervisionam o funcionamento do programa.
Este poderá funcionar, por exemplo, de tal maneira que um número de controle passe através
das várias operações do programa.
Quando todas as operações forem realizadas, o número é verificado.
Se o número não foi alterado, está tudo em ordem.
Se o número foi alterado durante o seu caminho dentro do programa, há uma falha no
hardware ou no software e o funcionamento do programa é interrompido.
A unidade de controle tenta reconfigurar-se e reinicia automaticamente a operação do
programa.
Nota! Isto se constitui em uma falha grave e se o código de falha 21 for registrado, a unidade
de controle deve ser substituída.
Código de falha 22 ± Unidade de controle, falha de
programação
Uma verificação numérica é realizada quando, por exemplo, o programa do VSP é utilizado
para alterar determinados parâmetros do cliente.
Esta é uma maneira rápida e simples da unidade de controle testar se qualquer um dos
números na numeração programada está incorreto.
O exemplo no diagrama mostra a contagem do número 1, que é somado em cadafileira.
A soma de cada fileira é então totalizada para formar uma soma de verificação, neste caso 81.
Esta soma de verificação é comparada com a soma de verificação calculada antecipadamente.
Se qualquer número dentro da numeração programada estiver incorreto, este poderá ser
apresentado quando a soma de verificação dos números programados não estiver de acordo
com a soma de verificação calculada.
Se a falha aparecer na programação do VPS, a razão pode ser um problema de comunicação
entre o computador e a unidade de controle.
Verificar as conexões e tentar novamente.
Nota! Se o código de falha 22 for registrado sem que qualquer tipo de programação seja
realizada, a falha é grave e a unidade de controle deve ser substituída
Código de falha 23 ± Sensor de temperatura, líquido de
arrefecimento
A verificação do sensor de temperatura do líquido de arrefecimento é realizada para observar
se os valores estão fora da faixa normal de trabalho. Se for este o caso, será registrado o
código de falha 23.
A faixa normal de trabalho do sensor está entre -40°C e +150°C. O diagrama mostra quais as
tensões que registram o código de falha 23.
Nota! Mesmo se o código de falha foi registrado, a unidade de controle continuará a verificar
constantemente o sinal do sensor. Se o sinal voltar ao normal, a unidade de controle o utilizará
novamente.
Nota! O motor possui dois sensores para as temperaturas do líquido de arrefecimento.
O sensor (756B) que fornece os sinais para a unidade de controle está instalado no lado
esquerdo do cabeçote.
O sensor (756) do indicador de temperatura no painel de instrumentos está localizado no
alojamento do termostato. A sua única tarefa é fornecer sinais para o indicador de temperatura.
O efeito da temperatura do líquido de arrefecimento
A temperatura do líquido de arrefecimento pode, em alguns casos, afetar a quantidade de
combustível injetado.
No diagrama, são apresentados quatro casos diferentes.
A Temperaturas normais.
Em temperaturas normais, não ocorre mudança na quantidade decombustível.
B Baixas temperaturas.
Em temperaturas muito baixas, ocorre uma certa redução na quantidade de combustível. A
redução é realizada para compensar o teor maior de energia do combustível frio por volume
de unidade.
C Altas temperaturas.
Em temperaturas acima de +103 °C, ocorrem dois fatos:
1. A lâmpada de advertência para alta temperatura do líquido de arrefecimento é
ativada.
Nota! A advertência é encontrada somente nos caminhões FH uma vez que a
lâmpada é controlada pelo sensor de temperatura 756B através da unidade de
controle.
Nos caminhões FL, a lâmpada de advertência está conectada ao sensor de
temperatura 756 e não está conectada através da unidade de controle.
2. A unidade de controle reduz a quantidade de combustível injetada. Isto ocorre
passo a passo até que em +107 °C atinja o seu mínimo de aproximadamente 50%.
Esta redução acontece para proteger o motor de superaquecimento. Isto é gravado
como um código de falha na unidade de controle, porém só pode ser lido com um
computador de diagnóstico.
D Temperaturas incorretas
Se o sensor de temperatura apresentar valores que estejam fora da temperatura normal de
trabalho, será registrado o código de falha 23 e, ao mesmo tempo, a unidade de controle
reduzirá a quantidade de combustível em aproximadamente 10%.
Comentários sobre o código de falha 23
Observar que os caminhões FL não possuem controles para a lâmpada de advertência de alta
temperatura do líquido de arrefecimento!
A lâmpada não está sincronizada com a redução da quantidade de combustível através da
unidade de controle, o que significa que o motor pode reduzir a quantidade de combustível em
aproximadamente 50% sem obter qualquer indicação.
A seguir, há uma lista de exemplos que podem provocar altas temperaturas do líquido de
arrefecimento sem registrar um código de falha:
y Sensor incorreto (mas que ainda se encontra dentro da faixa normal de trabalho).
y Nível baixo do líquido de arrefecimento.
y Líquido de arrefecimento com impurezas.
y Obstrução externa ou interna do sistema de arrefecimento.
y Falha no termostato (ou termostato incorreto).
y Capacidade insuficiente do ventilador (ventilador incorreto ou danificado).
y Falha na bomba do líquido de arrefecimento.
Código de falha 24 ± Sensor de temperatura, ar de
admissão
A verificação do sensor de temperatura do ar de admissão é realizada para observar se os
seus valores estão fora da faixa normal de trabalho. Se for este o caso, será registrado o
código de falha 24.
A faixa normal de trabalho do sensor está entre -40°C e +150°C. O diagrama mostra quais as
tensões que registram o código de falha 24.
Nota! Mesmo se o código de falha foi registrado, a unidade de controle continuará a verificar
constantemente o sinal do sensor. Se o sinal voltar ao normal, a unidade de controle o utilizará
novamente.
Comentários sobre o código de falha 24
Observar que a lâmpada CHECK ENGINE não acende na temperatura de 91°C, como está
incorretamente especificado na Informação de Serviço
Sistema de controle do motor D12A.
Temperaturas do ar de admissão abaixo de +150°C não geram qualquer indicação, mesmo se
estiverem anormalmente altas.
A seguir, há uma lista de exemplos que podem provocar altas temperaturas do ar de admissão:
y Intercooler obstruído.
y Regulador AT emperrado.
y Pressão dos gases de escape muito alta durante a frenagem usando o freio motor.
Código de falha 24 ± Sensor de temperatura, ar de
admissão
A verificação do sensor de temperatura do ar de admissão é realizada para observar se os
seus valores estão fora da faixa normal de trabalho. Se for este o caso, será registrado o
código de falha 24.
A faixa normal de trabalho do sensor está entre -40°C e +150°C. O diagrama mostra quais as
tensões que registram o código de falha 24.
Nota! Mesmo se o código de falha foi registrado, a unidade de controle continuará a verificar
constantemente o sinal do sensor. Se o sinal voltar ao normal, a unidade de controle o utilizará
novamente.
Comentários sobre o código de falha 24
Observar que a lâmpada CHECK ENGINE não acende na temperatura de 91°C, como está
incorretamente especificado na Informação de Serviço
Sistema de controle do motor D12A.
Temperaturas do ar de admissão abaixo de +150°C não geram qualquer indicação, mesmo se
estiverem anormalmente altas.
A seguir, há uma lista de exemplos que podem provocar altas temperaturas do ar de admissão:
y Intercooler obstruído.
y Regulador AT emperrado.
y Pressão dos gases de escape muito alta durante a frenagem usando o freio motor.
Código de falha 25 ± Sensor de pressão, ar de
admissão
A unidade de controle pode verificar o sinal do sensor de pressão do ar de admissão de duas
maneiras diferentes:
y Verificação da tensão do sinal
y Verificação do sinal de alimentação
Nota! Se o código de falha 25 for registrado, a potência do motor será reduzida em
aproximadamente 40%.
Mesmo se o código de falha foi registrado, a unidade de controle continuará a verificar
constantemente o sinal do sensor. Se o sinal voltar ao normal, a unidade de controle o utilizará
novamente.
Verificação da tensão do sinal
A verificação do sinal do sensor é realizada para observar se os seus valores estão fora da
faixa normal de trabalho. Se for este o caso, será registrado o código de falha25.
A faixa normal de trabalho do sensor está entre 48 kPa e 270 kPa. O diagrama mostra em
quais tensões que o código de falha 25 é registrado.
A unidade de controle realiza esta verificação contanto que a rotação do motor esteja abaixo de
1000 rpm.
Verificação da tensão de alimentação
A unidade de controle pode até verificar a tensão de alimentação do sensor de pressão do ar
de carga. Se a tensão estiver fora dos valores limites como mostrado no diagrama, será
registrado o código de falha 25.
Comentários sobre o código de falha 25
Com exceção das falhas simplesmente elétricas, os problemas sem registro de códigos de
falha podem ser:
y Corrosão nas conexões da instalação elétrica no sensor.
y Falhas nos componentes que não podem ser identificadas por qualquer outro método a
não ser através da comparação com valores em vigor e aceitáveis.
y Sinal de saída com falhas do sensor de pressão, (mas que ainda está dentro da faixa
normal de trabalho).
O sinal de saída do sensor produz um valor muito baixo em altas pressões do ar de
admissão.
Código de falha 26 ± Sensor da árvore de comando de
válvulas
A unidade de controle pode verificar o sinal do sensor da árvore de comando de válvulas de
três maneiras diferentes:
y Sincronização
y Intensidade do sinal
y Interferência de freqüência
Quando o código de falha 26 for registrado, a unidade de controle tentará utilizar o sinal do
sensor da árvore de comando de válvulas quatro vezes. Se a iniciativa não for bem sucedida, a
unidade de controle não utilizará ou verificará o sinal até a próxima partida do motor.
Sincronização
A unidade de controle verifica se os pulsos de sincronização que representam os seis cilindros
estão sempre dentro da janela que é gerada pelo sinal do sensor dos dentes do volante do
motor.
Se um sinal da árvore de comando de válvulas estiver fora desta janela, são registrados os
códigos de falha 26 e 27.
Tanto o código de falha 26 do sinal do sensor da árvore de comando de válvulas quanto o
código de falha 27 do sinal do sensor do volante do motor são registrados já que a unidade de
controle não pode determinar com certeza quais os sinais que não estão sincronizados.
Para evitar que o pulso de identificação do cilindro 1 seja interpretado com uma falha de
sincronização, qualquer possível falha de sincronização deve ocorrer mais de 12 vezes de uma
só vez antes que os códigos de falha 26 e 27 sejam registrados.
Intensidade do sinal
Se estiver faltando o sinal do sensor da árvore de comando de válvulas, é registrado o código
de falha 26.
Interferência de alta freqüência
A verificação de interferência de alta freqüência pela unidade de controle é realizada fazendo-
se a medição da distância entre os dentes da roda dentada da árvore de comando de válvulas.
T1 é a distância entre os dentes de dois cilindros.
T2 é a distância entre o dente de um cilindro e o dente de identificação do cilindro 1.
T3 é a distância entre o dente de identificação do cilindro 1 e um dente comum do cilindro 1.
A distância T1 é utilizada para calcular a rotação do motor.
(Em operação normal, o sinal do sensor do volante do motor é utilizado como um sinal de
rotação do motor, mas o sinal do sensor da árvore de comando de válvulas pode ser utilizado
como reserva se o sinal do volante do motor faltar.)
Se a distância T1 indicar que a rotação do motor está acima de 4000 rpm, é registrado o código
de falha 26.
Observar que são necessárias pelo menos 7 indicações de uma só vez para que o código de
falha seja registrado.
Comentários sobre o código de falha 26
Quando os códigos de falha 26 e 27 são registrados devido a uma falha de sincronização, a
causa provável é o fato do sinal do sensor da árvore de comando de válvulas não estar dentro
do seu intervalo do dente do sinal do volante do motor ou que a intensidade do sinal é muito
grande ou muito fraca.
A seguir, há uma lista de algumas causas prováveis:
y Regulagem incorreta da distância entre o sensor da árvore de comando de válvulas e a
roda dentada da árvore de comando de válvulas.
y Regulagem incorreta da distância entre o sensor do volante domotor e o volante do
motor.
y Regulagem incorreta da engrenagem intermediária na transmissão do motor.
y Árvore de comando de válvulas engatada incorretamente.
y A roda dentada da árvore de comando de válvulas foi instalada com a folga do furo no
sentido incorreto.
y Os danos no contorno do volante do motor podem, em casos desfavoráveis, gerar
sinais que a unidade de controle considera como um dente extra.
Código de falha 27 ± Sensor do volante do motor
A unidade de controle pode verificar o sinal do sensor do volante do motor através da medição
da intensidade do sinal.
Se estiver faltando o sinal, será registrado o código de falha 27.
Quando o código de falha 27 for registrado, a unidade de controle tentará utilizar o sinal do
sensor do volante do motor diversas vezes. Se a iniciativa não for bem sucedida, a unidade de
controle não utilizará ou verificará o sinal até a próxima partida do motor.
A razão pela qual o código de falha 26 também é registrado quando o sinal do sensor do
volante do motor é interrompido ou sofre interferência é que a unidade de controle considera
que o sinal do sensor da árvore de comando de válvulas não está sincronizado, já que o pulso
de sincronização da árvore de comando de válvulas vem antes que os pulsos de todos os 18
dentes do volante do motor tenham tido tempo de passar.
Ver Comentários sobre o código de falha 26.
Partida do motor
Os diagramas apresentam as diversas possibilidades do que pode ocorrer durante a partida do
motor.
A Partida normal
Os sensores da árvore de comando de válvulas e do volante do motor funcioname
apresentam sinais corretos.
O ciclo de partida ocorre como mostrado no Diagrama A.
O motor de partida gira a árvore de manivelas até que a unidade de controle identifique o
cilindro 1.
Ocorre a injeção de combustível e é dada a partida no motor.
B Partida sem o sinal do sensor da árvore de comando de válvulas.
Quando a unidade de controle percebe que está faltando o sinal do sensor da árvore de
comando de válvulas, esta tenta dar a partida no motor sem o sinal do sensor.
A unidade de controle supõe a seqüência de injeção e ao mesmo tempo em que ocorre a
injeção de combustível a mesma verifica se a rotação do motor aumenta.
O motor utilizará a mesma seqüência de injeção por no máximo 8 rotações do motor. Se a
rotação do motor se mantiver inalterada, a suposição estava incorreta e a unidade de
controle tenta novamente com uma nova seqüência de injeção.
Após várias suposições, a unidade de controle encontra a seqüência correta e é dada a
partida no motor.
C Partida sem o sinal do sensor do volante do motor
Quando a unidade de controle percebe que está faltando o sinal do sensor do volante do
motor, esta tenta dar a partida no motor sem o sinal do sensor.
A injeção de combustível será verificada através do sinal do sensor da árvore de comando
de válvulas.
O tempo de injeção não é tão preciso quanto no modo normal.
Nota! A unidade de controle tentará, nas alternativas B e C mais uma vez regular o motor como
na alternativa A, em determinados casos pode parecer que o motor apresenta uma falha de
ignição.
Códigos de falha 31-36, unidade injetora
A unidade de controle pode verificar a unidade injetora de duas maneiras diferentes:
y Verificação eletrônica
y Balanceamento dos cilindros
Verificação eletrônica
ECU (Unidade de Controle Eletrônica)..... Cyl..... = Cilindro
A unidade de controle verifica a unidade injetora com o auxílio de oito transistores.
Dois transistores verificam a tensão de alimentação para cada grupo de três unidades injetoras.
Seis transistores são responsáveis pela conexão à massa de cada unidade injetora respectiva.
O diagrama à esquerda mostra o diagrama de circuito para os primeiros três cilindros.
Quando a unidade de controle ativa a válvula de combustível da unidade injetora no cilindro 1,
T+ e T1 são ativados ao mesmo tempo e o circuito é então conectado à massa através de T1.
O gráfico superior no diagrama do lado direito mostra a tensão e o gráfico inferior, a
intensidade da corrente através da bobina da válvula de combustível.
A variação na tensão para -90 V ocorre devido à auto-indução na bobina da válvula de
combustível.
Em -90 V, os diodos limitarão a tensão retornando a corrente para T+.
A unidade de controle pode medir o consumo da corrente das unidades injetoras durante a
operação e, conseqüentemente, observar se alguma válvula de combustível ou circuito da
instalação elétrica apresenta uma falha elétrica.
Esta verificação só pode ser realizada com o motor em funcionamento.
Exemplo 1 Diagrama superior esquerdo
(Consumo de corrente muito baixo)
Para uma interrupção em alguma válvula de combustível, a unidade de controle registrará o
código de falha para o cilindro. Neste caso, código de falha 32. A unidade de controle não
tentará utilizar o cilindro 2 quando o código de falha for registrado.
Os outros dois cilindros no mesmo bloco continuarão a funcionar normalmente.
Exemplo 2 Diagrama inferior esquerdo
(Consumo de corrente muito alto)
Se a instalação elétrica de alimentação para as três unidades injetoras em um bloco apresentar
um curto-circuito à massa, a unidade de controle registrará códigos de falha em todos os três
cilindros. Neste caso, os códigos de falha 31, 32 e 33. A unidade de controle não tentará utilizar
os cilindros quando os códigos de falha forem registrados.
Exemplo 3 Diagrama superior direito
(Consumo de corrente muito alto)
Para um curto-circuito em alguma bobina das válvulas de combustível, a unidade de controle
registrará o código de falha para o cilindro.
Neste caso, código de falha 33. A unidade de controle não tentará utilizar o cilindro 3 já que o
código de falha foi registrado.
Os outros dois cilindros no mesmo bloco continuarão a funcionar normalmente.
Exemplo 4 Diagrama inferior direito
(Consumo de corrente muito alto)
Se alguma instalação elétrica para os transistores de aterramento (T1, T2, T3) estiver em curto-
circuito à massa, a unidade de controle registrará códigos de falha para todos os três cilindros.
Neste caso, os códigos de falha 31, 32 e 33. A unidade de controle não tentará utilizar os
cilindros quando os códigos de falha forem registrados.
Quando os códigos de falha forem registrados, a unidade de controle não verificará as
unidades injetoras até que tenha novamente sido dada a partida no motor.
Balanceamento dos cilindros
Rotação do volante do motor..... Tempo de injeção.....
O balanceamento dos cilindros é um método que a unidade de controle utiliza para
proporcionar uma marcha lenta uniforme ao motor.
No balanceamento dos cilindros, a unidade de controle mede a rotação do volante do motor
para conferir se todos os cilindros fornecem a mesma aceleração ao volante do motor.
Se a aceleração não for uniforme, a unidade de controle compensará cada cilindro respectivo,
aumentando ou diminuindo a quantidade de combustível para o mesmo.Este procedimento é
realizado aumentando-se ou diminuindo-se o tempo de injeção. O balanceamento da
quantidade de combustível para que todos os cilindros gerem amesma aceleração, resulta em
uma marcha lenta uniforme e regular.
O balanceamento dos cilindros somente pode ser realizado quando o motor apresentar uma
temperatura operacional e estiver funcionando em marcha lenta.
Quando a rotação do motor for aumentada acima da marcha lenta, todos os cilindros recebem
uma quantidade de combustível não balanceada. Quando o motor retorna à marcha lenta, é
injetada a quantidade de combustível balanceada.
Os valores do balanceamento dos cilindros são gravados, porém regulados cada vez que o
motor estiver em uma temperatura operacional e em marcha lenta.
Observar que os valores de balanceamento dos cilindros são configurados em zero quando os
códigos de falha da unidade de controle são apagados.
Um novo balanceamento dos cilindros exige de 4 a 10 minutos de funcionamento em marcha
lenta com o motor em temperatura operacional.
A quantidade de combustível para o balanceamento dos cilindros possui um limite superior.
Quando esta quantidade em algum cilindro não for mais suficiente para compensar o cilindro, é
registrado o código de falha.
No diagrama principal inferior, o cilindro 2 atingiu o seu limite superior e o código de falha 32 foi
registrado.
Nota! Lembrar que é o tempo de injeção que fornece os valores durante o balanceamento dos
cilindros.
Se todas as unidades injetoras estiverem sem defeito, o tempo em relação à quantidade de
combustível é praticamente o mesmo para todos os seis cilindros.
Deste modo, os valores do balanceamento dos cilindros podem dar a impressão de que se um
cilindro específico possui uma queda na potência, esta pode então ser compensada com uma
quantidade maior de combustível.
Se, por outro lado, uma unidade injetora apresentar uma falha mecânica ou desgasteanormal,
que resulte no aumento do tempo além do normal para fornecer uma determinada quantidade
de combustível, isto indica que a unidade injetora e não o cilindro que é compensado.
Uma unidade injetora pode registrar códigos de falha por dois motivos:
1. A unidade injetora não consegue injetar uma quantidade suficiente de combustível.
2. A energia da quantidade de combustível não é utilizada no cilindro.
Comentários sobre os códigos de falha 31 - 36
Os códigos de falha podem ser registrados ou por falhas elétricas ou quando o limite superior
de compensação para o balanceamento de algum cilindro for ultrapassado.
Para determinar se um código de falha foi registrado devido a uma falha elétrica ou
balanceamento dos cilindros, o código de falha pode ser apagado edada a partida no motor
novamente.
Nota! Observar sempre os códigos de falha atuais antes de apagá-los!
Se o código de falha for registrado novamente dentro de alguns segundos, a falha é, muito
provavelmente, elétrica já que um código de falha provocadopor balanceamento dos cilindros
necessita entre 4 e 10 minutos para ser registrado.
Nota! Lembrar que um contato defeituoso em uma junta ou conexão para uma válvula de
combustível da unidade injetora, por exemplo, pode gerar um código de falha que não ocorre
logo após a partida do motor.
O código de falha é registrado quando ocorre uma interferência e pode, portanto, ser mal
interpretado como sendo registrado por balanceamento dos cilindros.
Quando os códigos de falha são registrados por balanceamento doscilindros, significa que um
cilindro fornece uma potência menor que a dos outros.
A causa da perda de potência nunca pode ser obtida através da leitura do código de falha.
A seguir, há uma lista de algumas causas possíveis:
y Ar no sistema de combustível.
y Nenhuma pré-tensão ou uma pré-tensão muito pequena da unidade injetora.
y Desgaste anormal ou unidade injetora danificada.
y Válvulas com regulagem incorreta e/ou com vazamento.
y Balancim do VEB danificado.
y Quebra do anel de pistão.
y Leve emperramento do cilindro.
y Gases de combustão que entram no canal de combustível do cabeçote.
Danos no volante do motor podem, em alguns casos, provocar os códigos de falha31-36.
Estes danos podem ser aos intervalos dos dentes danificados, nos quaisas bordas não se
encontram em um ângulo de 90° em relação ao contorno.
Uma folga muito grande na transmissão do motor (engrenagem intermediária regulada
incorretamente) pode levar alguns dos códigos de falha31-36 a serem registrados.
Codigos de falhas volvo fh12 d12 a

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Componentes Elétricos Motor Scania
Componentes Elétricos Motor Scania Componentes Elétricos Motor Scania
Componentes Elétricos Motor Scania
Luiz Antonio da Silva
 
Manual falhas diesel (1)
Manual falhas   diesel (1)Manual falhas   diesel (1)
Manual falhas diesel (1)
Jorge Alberto
 
Sistema elétrico constelation
Sistema elétrico constelationSistema elétrico constelation
Sistema elétrico constelation
ANDRE APARECIDO VENEZIAN
 
Iveco
IvecoIveco
188051609 manual-tecnico-motor-scania
188051609 manual-tecnico-motor-scania188051609 manual-tecnico-motor-scania
188051609 manual-tecnico-motor-scania
deltatecnologia
 
Manual de diagnosticoacteon
Manual de diagnosticoacteonManual de diagnosticoacteon
Manual de diagnosticoacteon
Geraldo Sebastian
 
3.0 denso i art-euro 6_2013 a 2015
3.0 denso i art-euro 6_2013 a 20153.0 denso i art-euro 6_2013 a 2015
3.0 denso i art-euro 6_2013 a 2015
Geraldo Sebastian
 
Auto mecânica 3 irmãos codigo de falhas i-shift
Auto mecânica 3 irmãos  codigo de falhas i-shiftAuto mecânica 3 irmãos  codigo de falhas i-shift
Auto mecânica 3 irmãos codigo de falhas i-shift
fsou
 
Apostila arquivo carro pinagem nacional
Apostila arquivo carro pinagem nacionalApostila arquivo carro pinagem nacional
Apostila arquivo carro pinagem nacional
LucianoFreitas58
 
Diagrama do motor isb
Diagrama do motor isbDiagrama do motor isb
Diagrama do motor isb
andersonbarbosa151
 
Manual de manutenção de caminhões eletrônicos
Manual de manutenção de caminhões eletrônicosManual de manutenção de caminhões eletrônicos
Manual de manutenção de caminhões eletrônicos
Marcelo Auler
 
ecus varias reparacion.pdf
ecus varias reparacion.pdfecus varias reparacion.pdf
ecus varias reparacion.pdf
MarioDelPupPalazon
 
Diag falhaseletronicas-140824113202-phpapp02 (1)
Diag falhaseletronicas-140824113202-phpapp02 (1)Diag falhaseletronicas-140824113202-phpapp02 (1)
Diag falhaseletronicas-140824113202-phpapp02 (1)
Ruberli de Lima
 
Motor Scania DC 12
Motor Scania DC 12 Motor Scania DC 12
Motor Scania DC 12
Luiz Antonio da Silva
 
Esquema elétrico renault master 2.5
Esquema elétrico renault master 2.5Esquema elétrico renault master 2.5
Esquema elétrico renault master 2.5
Junior Iung
 
Motor Scania Dc 12
Motor Scania Dc 12 Motor Scania Dc 12
Motor Scania Dc 12
Luiz Antonio da Silva
 
Manualdeesquemaeltricoscania 140115191538-phpapp01 (1)
Manualdeesquemaeltricoscania 140115191538-phpapp01 (1)Manualdeesquemaeltricoscania 140115191538-phpapp01 (1)
Manualdeesquemaeltricoscania 140115191538-phpapp01 (1)
Angelo Silva
 
Regulagem de Valvulas e Unid. Injet Motor Scania
Regulagem de Valvulas e Unid. Injet  Motor ScaniaRegulagem de Valvulas e Unid. Injet  Motor Scania
Regulagem de Valvulas e Unid. Injet Motor Scania
Luiz Antonio da Silva
 
Iveco euro 3 bosch ms6
Iveco euro 3 bosch ms6Iveco euro 3 bosch ms6
Iveco euro 3 bosch ms6
Geraldo Sebastian
 
Doc motor volvo fh d13 c 3
Doc motor volvo fh d13 c 3Doc motor volvo fh d13 c 3
Doc motor volvo fh d13 c 3
Edevaldo Santana de Souza
 

Mais procurados (20)

Componentes Elétricos Motor Scania
Componentes Elétricos Motor Scania Componentes Elétricos Motor Scania
Componentes Elétricos Motor Scania
 
Manual falhas diesel (1)
Manual falhas   diesel (1)Manual falhas   diesel (1)
Manual falhas diesel (1)
 
Sistema elétrico constelation
Sistema elétrico constelationSistema elétrico constelation
Sistema elétrico constelation
 
Iveco
IvecoIveco
Iveco
 
188051609 manual-tecnico-motor-scania
188051609 manual-tecnico-motor-scania188051609 manual-tecnico-motor-scania
188051609 manual-tecnico-motor-scania
 
Manual de diagnosticoacteon
Manual de diagnosticoacteonManual de diagnosticoacteon
Manual de diagnosticoacteon
 
3.0 denso i art-euro 6_2013 a 2015
3.0 denso i art-euro 6_2013 a 20153.0 denso i art-euro 6_2013 a 2015
3.0 denso i art-euro 6_2013 a 2015
 
Auto mecânica 3 irmãos codigo de falhas i-shift
Auto mecânica 3 irmãos  codigo de falhas i-shiftAuto mecânica 3 irmãos  codigo de falhas i-shift
Auto mecânica 3 irmãos codigo de falhas i-shift
 
Apostila arquivo carro pinagem nacional
Apostila arquivo carro pinagem nacionalApostila arquivo carro pinagem nacional
Apostila arquivo carro pinagem nacional
 
Diagrama do motor isb
Diagrama do motor isbDiagrama do motor isb
Diagrama do motor isb
 
Manual de manutenção de caminhões eletrônicos
Manual de manutenção de caminhões eletrônicosManual de manutenção de caminhões eletrônicos
Manual de manutenção de caminhões eletrônicos
 
ecus varias reparacion.pdf
ecus varias reparacion.pdfecus varias reparacion.pdf
ecus varias reparacion.pdf
 
Diag falhaseletronicas-140824113202-phpapp02 (1)
Diag falhaseletronicas-140824113202-phpapp02 (1)Diag falhaseletronicas-140824113202-phpapp02 (1)
Diag falhaseletronicas-140824113202-phpapp02 (1)
 
Motor Scania DC 12
Motor Scania DC 12 Motor Scania DC 12
Motor Scania DC 12
 
Esquema elétrico renault master 2.5
Esquema elétrico renault master 2.5Esquema elétrico renault master 2.5
Esquema elétrico renault master 2.5
 
Motor Scania Dc 12
Motor Scania Dc 12 Motor Scania Dc 12
Motor Scania Dc 12
 
Manualdeesquemaeltricoscania 140115191538-phpapp01 (1)
Manualdeesquemaeltricoscania 140115191538-phpapp01 (1)Manualdeesquemaeltricoscania 140115191538-phpapp01 (1)
Manualdeesquemaeltricoscania 140115191538-phpapp01 (1)
 
Regulagem de Valvulas e Unid. Injet Motor Scania
Regulagem de Valvulas e Unid. Injet  Motor ScaniaRegulagem de Valvulas e Unid. Injet  Motor Scania
Regulagem de Valvulas e Unid. Injet Motor Scania
 
Iveco euro 3 bosch ms6
Iveco euro 3 bosch ms6Iveco euro 3 bosch ms6
Iveco euro 3 bosch ms6
 
Doc motor volvo fh d13 c 3
Doc motor volvo fh d13 c 3Doc motor volvo fh d13 c 3
Doc motor volvo fh d13 c 3
 

Destaque

Volvo wiring diagram fh
Volvo wiring diagram fhVolvo wiring diagram fh
Volvo wiring diagram fh
Sergio Andres Aburto
 
233399847 manual-instrumentos-construccion-funcion-camiones-fm-fh-volvo
233399847 manual-instrumentos-construccion-funcion-camiones-fm-fh-volvo233399847 manual-instrumentos-construccion-funcion-camiones-fm-fh-volvo
233399847 manual-instrumentos-construccion-funcion-camiones-fm-fh-volvo
coaquiravolvotrucks
 
Volvo manual
Volvo manualVolvo manual
Volvo manual
luis Esquivel
 
Manual conductores-camiones-fh-fm-volvo
Manual conductores-camiones-fh-fm-volvoManual conductores-camiones-fh-fm-volvo
Manual conductores-camiones-fh-fm-volvo
luis Esquivel
 
esquema-eletrico-fh-d13 a
esquema-eletrico-fh-d13 aesquema-eletrico-fh-d13 a
esquema-eletrico-fh-d13 a
Edivaldo Veronese
 
volvo wiring diagram vm
volvo wiring diagram vmvolvo wiring diagram vm
volvo wiring diagram vm
Sergio Andres Aburto
 
Manual camiones-volvo-motor-d12d
Manual camiones-volvo-motor-d12dManual camiones-volvo-motor-d12d
Manual camiones-volvo-motor-d12d
CENTRAL PERU S.A.
 
Esq electrico-fm-fh-version-2
Esq electrico-fm-fh-version-2Esq electrico-fm-fh-version-2
Esq electrico-fm-fh-version-2
Wilfredo Avelardo Lazo
 
Wiring diagram fm (euro5)
Wiring diagram fm (euro5)Wiring diagram fm (euro5)
Wiring diagram fm (euro5)
Oleg Kur'yan
 
manuais serviço caminhões VW
manuais serviço caminhões VWmanuais serviço caminhões VW
manuais serviço caminhões VW
Mauro Reis
 
Fuel d13
Fuel d13Fuel d13
Fuel d13
Eduardo Herrera
 
Manual de servicio camiones volvo
Manual de servicio camiones volvo Manual de servicio camiones volvo
Manual de servicio camiones volvo
Ruben Antonio Huaranca Cruz
 
Tabela de Códigos de Falhas OBD2 P0001 A P18273
Tabela de Códigos de Falhas OBD2 P0001 A P18273Tabela de Códigos de Falhas OBD2 P0001 A P18273
Tabela de Códigos de Falhas OBD2 P0001 A P18273
Geraldo Sebastian
 
Capacitación san martin volvo alpamarca
Capacitación san martin volvo alpamarcaCapacitación san martin volvo alpamarca
Capacitación san martin volvo alpamarca
CarlosXXXIII
 
78791852 sistema-de-combustivel-volvo-fh12-d12 a-1
78791852 sistema-de-combustivel-volvo-fh12-d12 a-178791852 sistema-de-combustivel-volvo-fh12-d12 a-1
78791852 sistema-de-combustivel-volvo-fh12-d12 a-1
Luis Xavier de Oliveira
 
Constellation com motor 9.3 mwm
Constellation com motor 9.3 mwmConstellation com motor 9.3 mwm
Constellation com motor 9.3 mwm
Junior Iung
 
Motor Scania Dc 16
Motor Scania Dc 16 Motor Scania Dc 16
Motor Scania Dc 16
Luiz Antonio da Silva
 
Volvo manual
Volvo manualVolvo manual
Volvo manual
luis Esquivel
 
17071 02 b13 r d13c chn 125761-132856
17071 02 b13 r d13c chn 125761-13285617071 02 b13 r d13c chn 125761-132856
17071 02 b13 r d13c chn 125761-132856
marco
 

Destaque (19)

Volvo wiring diagram fh
Volvo wiring diagram fhVolvo wiring diagram fh
Volvo wiring diagram fh
 
233399847 manual-instrumentos-construccion-funcion-camiones-fm-fh-volvo
233399847 manual-instrumentos-construccion-funcion-camiones-fm-fh-volvo233399847 manual-instrumentos-construccion-funcion-camiones-fm-fh-volvo
233399847 manual-instrumentos-construccion-funcion-camiones-fm-fh-volvo
 
Volvo manual
Volvo manualVolvo manual
Volvo manual
 
Manual conductores-camiones-fh-fm-volvo
Manual conductores-camiones-fh-fm-volvoManual conductores-camiones-fh-fm-volvo
Manual conductores-camiones-fh-fm-volvo
 
esquema-eletrico-fh-d13 a
esquema-eletrico-fh-d13 aesquema-eletrico-fh-d13 a
esquema-eletrico-fh-d13 a
 
volvo wiring diagram vm
volvo wiring diagram vmvolvo wiring diagram vm
volvo wiring diagram vm
 
Manual camiones-volvo-motor-d12d
Manual camiones-volvo-motor-d12dManual camiones-volvo-motor-d12d
Manual camiones-volvo-motor-d12d
 
Esq electrico-fm-fh-version-2
Esq electrico-fm-fh-version-2Esq electrico-fm-fh-version-2
Esq electrico-fm-fh-version-2
 
Wiring diagram fm (euro5)
Wiring diagram fm (euro5)Wiring diagram fm (euro5)
Wiring diagram fm (euro5)
 
manuais serviço caminhões VW
manuais serviço caminhões VWmanuais serviço caminhões VW
manuais serviço caminhões VW
 
Fuel d13
Fuel d13Fuel d13
Fuel d13
 
Manual de servicio camiones volvo
Manual de servicio camiones volvo Manual de servicio camiones volvo
Manual de servicio camiones volvo
 
Tabela de Códigos de Falhas OBD2 P0001 A P18273
Tabela de Códigos de Falhas OBD2 P0001 A P18273Tabela de Códigos de Falhas OBD2 P0001 A P18273
Tabela de Códigos de Falhas OBD2 P0001 A P18273
 
Capacitación san martin volvo alpamarca
Capacitación san martin volvo alpamarcaCapacitación san martin volvo alpamarca
Capacitación san martin volvo alpamarca
 
78791852 sistema-de-combustivel-volvo-fh12-d12 a-1
78791852 sistema-de-combustivel-volvo-fh12-d12 a-178791852 sistema-de-combustivel-volvo-fh12-d12 a-1
78791852 sistema-de-combustivel-volvo-fh12-d12 a-1
 
Constellation com motor 9.3 mwm
Constellation com motor 9.3 mwmConstellation com motor 9.3 mwm
Constellation com motor 9.3 mwm
 
Motor Scania Dc 16
Motor Scania Dc 16 Motor Scania Dc 16
Motor Scania Dc 16
 
Volvo manual
Volvo manualVolvo manual
Volvo manual
 
17071 02 b13 r d13c chn 125761-132856
17071 02 b13 r d13c chn 125761-13285617071 02 b13 r d13c chn 125761-132856
17071 02 b13 r d13c chn 125761-132856
 

Semelhante a Codigos de falhas volvo fh12 d12 a

280212888-Codigo-Falha-Mid-Cid-Fmi-Portugues.pdf
280212888-Codigo-Falha-Mid-Cid-Fmi-Portugues.pdf280212888-Codigo-Falha-Mid-Cid-Fmi-Portugues.pdf
280212888-Codigo-Falha-Mid-Cid-Fmi-Portugues.pdf
Eguima Guima
 
Manaul de serviço ms cbx250 (2006) 00 x6b-kpf-003 01. informações
Manaul de serviço ms cbx250 (2006)   00 x6b-kpf-003 01. informaçõesManaul de serviço ms cbx250 (2006)   00 x6b-kpf-003 01. informações
Manaul de serviço ms cbx250 (2006) 00 x6b-kpf-003 01. informações
Thiago Huari
 
[Chevrolet] inyeccion electronica_chevrolet_corsa
[Chevrolet] inyeccion electronica_chevrolet_corsa[Chevrolet] inyeccion electronica_chevrolet_corsa
[Chevrolet] inyeccion electronica_chevrolet_corsa
VicenteAlvarez32
 
Manaul de serviço cbr600 f(3) (2001~) combust
Manaul de serviço cbr600 f(3) (2001~) combustManaul de serviço cbr600 f(3) (2001~) combust
Manaul de serviço cbr600 f(3) (2001~) combust
Thiago Huari
 
Módulos Injeção eletrônica e Chaves codificadas conserto reparo manutenção re...
Módulos Injeção eletrônica e Chaves codificadas conserto reparo manutenção re...Módulos Injeção eletrônica e Chaves codificadas conserto reparo manutenção re...
Módulos Injeção eletrônica e Chaves codificadas conserto reparo manutenção re...
Luciano Freitas
 
Modulos injeção eletrônica chaves codificas conserto reparo reprogramação ...
Modulos injeção eletrônica  chaves codificas conserto reparo reprogramação   ...Modulos injeção eletrônica  chaves codificas conserto reparo reprogramação   ...
Modulos injeção eletrônica chaves codificas conserto reparo reprogramação ...
VASCOIA
 
Conserto Módulos injeção eletrônica reparo manutenção chaves codificadas repr...
Conserto Módulos injeção eletrônica reparo manutenção chaves codificadas repr...Conserto Módulos injeção eletrônica reparo manutenção chaves codificadas repr...
Conserto Módulos injeção eletrônica reparo manutenção chaves codificadas repr...
lucianoesdras
 
Manual de serviço ms biz125 + (6) suplemento 00 x6b-kss-002
Manual de serviço ms biz125 + (6) suplemento   00 x6b-kss-002Manual de serviço ms biz125 + (6) suplemento   00 x6b-kss-002
Manual de serviço ms biz125 + (6) suplemento 00 x6b-kss-002
Thiago Huari
 
Manual de serviço nx200 xr suplemen
Manual de serviço nx200 xr suplemenManual de serviço nx200 xr suplemen
Manual de serviço nx200 xr suplemen
Thiago Huari
 
Manual de serviço xr200 r nx200 cbx200s mskbb931p suplemen
Manual de serviço xr200 r nx200 cbx200s   mskbb931p suplemenManual de serviço xr200 r nx200 cbx200s   mskbb931p suplemen
Manual de serviço xr200 r nx200 cbx200s mskbb931p suplemen
Thiago Huari
 
Manual fic eec iv cfi-monoponto
Manual fic eec iv cfi-monopontoManual fic eec iv cfi-monoponto
Manual fic eec iv cfi-monoponto
Alcindo Moreira
 
SIMBOLOGIA
SIMBOLOGIASIMBOLOGIA
SIMBOLOGIA
Shirley Suene
 
Fire
FireFire
Fiat code
Fiat    codeFiat    code
Fiat code
ALJ JAPPE
 
Texte injeção omega 41
Texte injeção omega 41Texte injeção omega 41
Texte injeção omega 41
José Silva
 
381743680-CAT-Codigos-de-Falha-Atual.pdf
381743680-CAT-Codigos-de-Falha-Atual.pdf381743680-CAT-Codigos-de-Falha-Atual.pdf
381743680-CAT-Codigos-de-Falha-Atual.pdf
Eguima Guima
 
1.13.01.201 rad-703 ver1.03-manual-falhas
1.13.01.201 rad-703 ver1.03-manual-falhas1.13.01.201 rad-703 ver1.03-manual-falhas
1.13.01.201 rad-703 ver1.03-manual-falhas
Jb Mecanica
 
Manaul de serviço cbr900 rr fireblade_(3)_(2002~) sistema_combustivel
Manaul de serviço cbr900 rr fireblade_(3)_(2002~) sistema_combustivelManaul de serviço cbr900 rr fireblade_(3)_(2002~) sistema_combustivel
Manaul de serviço cbr900 rr fireblade_(3)_(2002~) sistema_combustivel
Thiago Huari
 
gerenciamento-motor-327-apostila-novo-uno
gerenciamento-motor-327-apostila-novo-unogerenciamento-motor-327-apostila-novo-uno
gerenciamento-motor-327-apostila-novo-uno
Ricardo Akerman
 
Manaul de serviço cbr900 rr fireblade_(3)_(2002~) informacoes_gerais
Manaul de serviço cbr900 rr fireblade_(3)_(2002~) informacoes_geraisManaul de serviço cbr900 rr fireblade_(3)_(2002~) informacoes_gerais
Manaul de serviço cbr900 rr fireblade_(3)_(2002~) informacoes_gerais
Thiago Huari
 

Semelhante a Codigos de falhas volvo fh12 d12 a (20)

280212888-Codigo-Falha-Mid-Cid-Fmi-Portugues.pdf
280212888-Codigo-Falha-Mid-Cid-Fmi-Portugues.pdf280212888-Codigo-Falha-Mid-Cid-Fmi-Portugues.pdf
280212888-Codigo-Falha-Mid-Cid-Fmi-Portugues.pdf
 
Manaul de serviço ms cbx250 (2006) 00 x6b-kpf-003 01. informações
Manaul de serviço ms cbx250 (2006)   00 x6b-kpf-003 01. informaçõesManaul de serviço ms cbx250 (2006)   00 x6b-kpf-003 01. informações
Manaul de serviço ms cbx250 (2006) 00 x6b-kpf-003 01. informações
 
[Chevrolet] inyeccion electronica_chevrolet_corsa
[Chevrolet] inyeccion electronica_chevrolet_corsa[Chevrolet] inyeccion electronica_chevrolet_corsa
[Chevrolet] inyeccion electronica_chevrolet_corsa
 
Manaul de serviço cbr600 f(3) (2001~) combust
Manaul de serviço cbr600 f(3) (2001~) combustManaul de serviço cbr600 f(3) (2001~) combust
Manaul de serviço cbr600 f(3) (2001~) combust
 
Módulos Injeção eletrônica e Chaves codificadas conserto reparo manutenção re...
Módulos Injeção eletrônica e Chaves codificadas conserto reparo manutenção re...Módulos Injeção eletrônica e Chaves codificadas conserto reparo manutenção re...
Módulos Injeção eletrônica e Chaves codificadas conserto reparo manutenção re...
 
Modulos injeção eletrônica chaves codificas conserto reparo reprogramação ...
Modulos injeção eletrônica  chaves codificas conserto reparo reprogramação   ...Modulos injeção eletrônica  chaves codificas conserto reparo reprogramação   ...
Modulos injeção eletrônica chaves codificas conserto reparo reprogramação ...
 
Conserto Módulos injeção eletrônica reparo manutenção chaves codificadas repr...
Conserto Módulos injeção eletrônica reparo manutenção chaves codificadas repr...Conserto Módulos injeção eletrônica reparo manutenção chaves codificadas repr...
Conserto Módulos injeção eletrônica reparo manutenção chaves codificadas repr...
 
Manual de serviço ms biz125 + (6) suplemento 00 x6b-kss-002
Manual de serviço ms biz125 + (6) suplemento   00 x6b-kss-002Manual de serviço ms biz125 + (6) suplemento   00 x6b-kss-002
Manual de serviço ms biz125 + (6) suplemento 00 x6b-kss-002
 
Manual de serviço nx200 xr suplemen
Manual de serviço nx200 xr suplemenManual de serviço nx200 xr suplemen
Manual de serviço nx200 xr suplemen
 
Manual de serviço xr200 r nx200 cbx200s mskbb931p suplemen
Manual de serviço xr200 r nx200 cbx200s   mskbb931p suplemenManual de serviço xr200 r nx200 cbx200s   mskbb931p suplemen
Manual de serviço xr200 r nx200 cbx200s mskbb931p suplemen
 
Manual fic eec iv cfi-monoponto
Manual fic eec iv cfi-monopontoManual fic eec iv cfi-monoponto
Manual fic eec iv cfi-monoponto
 
SIMBOLOGIA
SIMBOLOGIASIMBOLOGIA
SIMBOLOGIA
 
Fire
FireFire
Fire
 
Fiat code
Fiat    codeFiat    code
Fiat code
 
Texte injeção omega 41
Texte injeção omega 41Texte injeção omega 41
Texte injeção omega 41
 
381743680-CAT-Codigos-de-Falha-Atual.pdf
381743680-CAT-Codigos-de-Falha-Atual.pdf381743680-CAT-Codigos-de-Falha-Atual.pdf
381743680-CAT-Codigos-de-Falha-Atual.pdf
 
1.13.01.201 rad-703 ver1.03-manual-falhas
1.13.01.201 rad-703 ver1.03-manual-falhas1.13.01.201 rad-703 ver1.03-manual-falhas
1.13.01.201 rad-703 ver1.03-manual-falhas
 
Manaul de serviço cbr900 rr fireblade_(3)_(2002~) sistema_combustivel
Manaul de serviço cbr900 rr fireblade_(3)_(2002~) sistema_combustivelManaul de serviço cbr900 rr fireblade_(3)_(2002~) sistema_combustivel
Manaul de serviço cbr900 rr fireblade_(3)_(2002~) sistema_combustivel
 
gerenciamento-motor-327-apostila-novo-uno
gerenciamento-motor-327-apostila-novo-unogerenciamento-motor-327-apostila-novo-uno
gerenciamento-motor-327-apostila-novo-uno
 
Manaul de serviço cbr900 rr fireblade_(3)_(2002~) informacoes_gerais
Manaul de serviço cbr900 rr fireblade_(3)_(2002~) informacoes_geraisManaul de serviço cbr900 rr fireblade_(3)_(2002~) informacoes_gerais
Manaul de serviço cbr900 rr fireblade_(3)_(2002~) informacoes_gerais
 

Codigos de falhas volvo fh12 d12 a

  • 1. Localização dos sensores do Sistema de Controle do Motor 1. Unidade injetora 2. Sensor de pressão, ar de admissão 3. Sensor de temperatura, ar de admissão 4. Sensor do volante do motor 5. Sensor de temperatura, líquido de arrefecimento 6. Sensor da árvore de comando de válvulas
  • 2. Códigos de informação Observar a diferença entre Códigos de falha e Códigos de informação. Os códigos de informação são fornecidos quando o botão de diagnóstico no painel de instrumentos é pressionado e uma determinada função está ativa, por exemplo, piloto automático na posição ON ou o pedal da embreagem pressionado. Assim que o pedal for liberado, o código de informação desaparece. Um código de informação não indica uma falha, apenas mostra que um sinal est á ativo. Uma exceção é o código de informação 41 que, além de teste de freio não realizado também indica contato do interruptor danificado, pedal do freio. Se, após realizar o teste de freio, o código de informação 41 estiver ativo, mantendo o pedal de freio pressionado, será possível ler que contato de freio está ativo. (Ver códigos de informação 42 e 43). Observar que o piloto automático não funciona antes que o teste de freio tenha sido realizado. Códigos de informação 41 Teste de freio não realizado ou contato do interruptor danificado, pedal de freio 42 Sinal da luz de freio ativo 43 Contato do interruptor, pedal de freio ativo 44 Contato da marcha lenta do pedal do acelerador ativo (pedal do acelerador pressionado) 45 Contato do interruptor do pedal da embreagem ativo (pedal de embreagem pressionado) 46 Sinal do freio de estacionamento ativo Seletor de marchas na posição neutra (veículos com Geartronic) 47 Sinal de segurança ativo 51 Piloto automático na posição ON 52 Piloto automático, posição SET ativada 53 Piloto automático na posição ONcom RESUME ativado 61 Sinal do ABS, freio motor ativo 62 Comunicação com Geartronic 63 Sinal do VPS ativo (unidade de controle na posição de programação)
  • 3. MID 128, Unidade de controle do motor, códigos de falha Localização dos sensores do Sistema de Controle do Motor Códigos de informação ID no.: Um único número para cada código de falha. MID: Message Identification Description (Identifica o grupo função). PID: Parameter Identification Description (Identifica o componente) SID: Subsystem Identification Description (Identifica o subcomponente em um grupo função). FMI: Failure Mode Identifier (identifica o tipo de falha) Designações de acordo com padrão SAE ID no. MID PID SID FMI Códigos passageiros Descrição e comentários do código de falha 101 128 91 **** 3 11 Sensor do pedal do acelerador (7065), tensão de saída muito alta. Códigos de falha 11 e 12 - Sensor do pedal do acelerador e contato da marcha lenta 102 128 91 **** 4 11 Sensor do pedal do acelerador (7065), tensão de saída muito baixa. Códigos de falha 11 e 12 - Sensor do pedal do acelerador e contato da marcha lenta 103 128 91 **** 11 11+12 Contato da marcha lenta (7065) aberto durante a aceleração. O código de falha é ativado quando a falha é encontrada e o motor está funcionando. Códigos de falha 11 e 12 - Sensor do pedal do acelerador e contato da marcha lenta 104 128 91 **** 12 12 Contato da marcha lenta (7065) fechado quando na posição de marcha lenta. Códigos de falha 11 e 12 - Sensor do pedal do acelerador e contato da marcha lenta 106 128 84 **** 3 13 Sinal de velocidade (7052) 700/701/702, tensão de saída muito alta. Código de falha 13 - Sinal de velocidade
  • 4. Designações de acordo com padrão SAE ID no. MID PID SID FMI Códigos passageiros Descrição e comentários do código de falha 107 128 84 **** 4 13 Sinal de velocidade (7052) 700/701/702, tensão de saída muito baixa. Código de falha 13 - Sinal de velocidade 108 128 84 **** 5 13 Sinal de velocidade (7052) 700/701/702, não conectado. Código de falha 13 - Sinal de velocidade 109 128 84 **** 8 13 Sinal de velocidade (7052) 700/701/702, interferência de alta freqüência. Código de falha 13 - Sinal de velocidade 128 128 **** 251 11 14 Unidade de controle (9070), alimentação de tensão contínua. Código de falha 14 ± Relé de alimentação, unidade de controle 126 128 **** 254 11 21 Unidade de controle (9070), falha de hardware. Código de falha 21 ± Unidade de controle, falha interna 127 128 **** 253 11 22 Unidade de controle (9070), falha de software. Código de falha 22 ± Unidade de controle, falha de programação 129 128 110 **** 0 Temperatura do líquido de arrefecimento (756B), acima de 103°C. 130 128 110 **** 5 23 Sensor de temperatura do líquido de arrefecimento (756B), tensão de saída muito alta. Código de falha 23 ± Sensor de temperatura, líquido de arrefecimento 131 128 110 **** 4 23 Sensor de temperatura do líquido de arrefecimento (756B), tensão de saída muito baixa. Código de falha 23 ± Sensor de temperatura, líquido de arrefecimento 133 128 105 **** 0 Temperatura do ar de carga (7067). 134 128 105 **** 5 24 Sensor de temperatura do ar de carga (7067), tensão de saída muito
  • 5. Designações de acordo com padrão SAE ID no. MID PID SID FMI Códigos passageiros Descrição e comentários do código de falha alta. Código de falha 24 ± Sensor de temperatura, ar de admissão 135 128 105 **** 4 24 Sensor de temperatura do ar de carga (7067), tensão de saída muito baixa. Código de falha 24 ± Sensor de temperatura, ar de admissão 137 128 106 **** 3 25 Sensor de pressão do ar de carga (7066), tensão de saída muito alta. Código de falha 25 ± Sensor de pressão, ar de admissão 138 128 106 **** 4 25 Sensor de pressão do ar de carga (7066), tensão de saída muito baixa. Código de falha 25 ± Sensor de pressão, ar de admissão 140 128 106 **** 11 25 Sensor de pressão do ar de carga (7066), tensão de alimentação incorreta. Código de falha 25 ± Sensor de pressão, ar de admissão 112 128 **** 21 2 26 Sensor da árvore de comando de válvulas (753B), faltando o sinal. O código de falha é ativado quando a falha é encontrada e o motor está funcionando. Código de falha 26 ± Sensor da árvore de comando de válvulas 144 128 **** 21 8 26 Sensor da árvore de comando de válvulas (753B), interferência de alta freqüência O código de falha é ativado quando a falha é encontrada e o motor está funcionando. Código de falha 26 ± Sensor da árvore de comando de válvulas 111 128 **** 21+22 11 26+27 Sensor do volante do motor (736A), falha de sincronização. O código de falha é ativado quando a falha é encontrada e o motor está funcionando. Código de falha 26 ± Sensor da árvore de comando de válvulas Código de falha 27 ± Sensor do volante do motor 113 128 **** 21+22 11 26+27 Sensor da árvore de comando de
  • 6. Designações de acordo com padrão SAE ID no. MID PID SID FMI Códigos passageiros Descrição e comentários do código de falha válvulas (753B), falha de sincronização. O código de falha é ativado quando a falha é encontrada e o motor está funcionando. Código de falha 26 ± Sensor da árvore de comando de válvulas Código de falha 27 ± Sensor do volante do motor 110 128 **** 22 2 27 Sensor do volante do motor (753A), faltando o sinal. O código de falha é ativado quando a falha é encontrada e o motor está funcionando. Código de falha 27 ± Sensor do volante do motor 114 128 **** 1 6 31 Unidade injetora, cilindro 1(6072), falha elétrica. O código de falha é ativado quando a falha é encontrada e o motor está funcionando. Códigos de falha 31-36, unidade injetora 115 128 **** 1 7 31 Unidade injetora, cilindro 1(6072), falha de balanceamento dos cilindros. Códigos de falha 31-36, unidade injetora 116 128 **** 2 6 32 Unidade injetora, cilindro 2(6072), falha elétrica. O código de falha é ativado quando a falha é encontrada e o motor está funcionando. Códigos de falha 31-36, unidade injetora 117 128 **** 2 7 32 Unidade injetora, cilindro 2(6072), falha de balanceamento dos cilindros. Códigos de falha 31-36, unidade injetora 118 128 **** 3 6 33 Unidade injetora, cilindro 3(6072), falha elétrica. O código de falha é ativado quando a falha é encontrada e o motor está funcionando. Códigos de falha 31-36, unidade injetora
  • 7. Designações de acordo com padrão SAE ID no. MID PID SID FMI Códigos passageiros Descrição e comentários do código de falha 119 128 **** 3 7 33 Unidade injetora, cilindro 3(6072), falha de balanceamento dos cilindros. Códigos de falha 31-36, unidade injetora 120 128 **** 4 6 34 Unidade injetora, cilindro 4(6072), falha elétrica. O código de falha é ativado quando a falha é encontrada e o motor está funcionando. Códigos de falha 31-36, unidade injetora 121 128 **** 4 7 34 Unidade injetora, cilindro 4(6072), falha de balanceamento dos cilindros. Códigos de falha 31-36, unidade injetora 122 128 **** 5 6 35 Unidade injetora, cilindro 5(6072), falha elétrica. O código de falha é ativado quando a falha é encontrada e o motor está funcionando. Códigos de falha 31-36, unidade injetora 123 128 **** 5 7 35 Unidade injetora, cilindro 5(6072), falha de balanceamento dos cilindros. Códigos de falha 31-36, unidade injetora 124 128 **** 6 6 36 Unidade injetora, cilindro 6(6072), falha elétrica. O código de falha é ativado quando a falha é encontrada e o motor está funcionando. Códigos de falha 31-36, unidade injetora 125 128 **** 6 7 36 Unidade injetora, cilindro 6(6072), falha de balanceamento dos cilindros. Códigos de falha 31-36, unidade injetora
  • 8. Códigos de falha 11 e 12 - Sensor do pedal do acelerador e contato da marcha lenta Interruptor de posição da marcha lenta..... = Contato da marcha lenta, pedal do acelerador Interruptor de posição da marcha lenta GT..... = Contato da marcha lenta, pedal do acelerador, Geartronic Interruptor "Kick-down" GT..... = Contato "Kick-down", Geartronic Padrão..... = Caixas de mudanças manual O diagrama na esquerda mostra a faixa normal de tensão e a posição correta de ativação para o contato da marcha lenta em um veículo com uma caixa de mudanças manual. Quando o pedal do acelerador está na posição de marcha lenta, a tensão do sensor do pedal do acelerador não deve exceder 0,65 V, para que as condições para frenagem com freio motor sejam cumpridas. Mesmo a 0,66 V há um risco de o freio motor não ser ativado. O diagrama na direita mostra a faixa normal de tensão e a posição correta de ativação para o contato da marcha lenta em um veículo com uma caixa de mudanças Geartronic. Veículos com caixas de mudanças Geartronic têm também dois contatos extras, um contato da marcha lenta e um contato do "kick-down".
  • 9. Comentários sobre o código de falha 11, Sensor do pedal do acelerador Observar que o pedal do acelerador controla outras funções que podem parar de funcionar mesmo que o pedal do acelerador não gere um código de falha. Por exemplo, as funções do ATR e do VEB, e também a regulagem do regulador de potência de saída são interrompidas se o pedal do acelerador não retornar para a sua posição correta de marcha lenta. As funções do ATR e do VEB não podem, desta forma, operar e a regulagem da potência de saída pode tornar-se instável próxima da marcha lenta. Quando o pedal do acelerador não retorna para a sua posição de marcha lenta, isto é considerado pela unidade de controle visto que a aceleração e o motor são controlados através do diagrama do pedal do acelerador. Interruptor de posição da marcha lenta..... = Contato da marcha lenta, pedal do acelerador O diagrama da esquerda mostra os níveis de tensão que geram o código de falha11. O código de falha é gerado tanto para uma tensão muito alta quanto para uma tensão muito baixa. O diagrama na direita mostra o tamanho da janela dentro da qual o contato da marcha lenta será ativado normalmente. Se o contato for ativado na faixa baixa ou não ativado na faixa alta será gerado o código de falha 12. Se o código de falha for registrado, a unidade de controle não realizará a verificação do componente a não ser que o motor seja reiniciado.
  • 10. OK..... = Correto Marcha lenta..... = Marcha lenta Limp home..... = Regulagem de emergência Os diagramas 1-5 mostram algumas situações possíveis e quais os códigos de falha que são registrados. Diagrama 1. O pedal do acelerador e a função do contato da marcha lenta sem falhas. Nenhum código de falha é registrado já que os pré-requisitos foram satisfeitos e o motor funciona normalmente quando em marcha lenta e quando utiliza o acelerador. Diagrama 2. O diagrama mostra a situação quando o interruptor da marcha lenta está sempre aberto e indica a posição de marcha lenta independentemente da posiçãodo pedal do acelerador. O pedal do acelerador funciona corretamente e fornece o valor correto. Nesta situação, onde o interruptor da marcha lenta e o sensor do pedal do acelerador fornecem valores diferentes, a unidade de controle seleciona sempre o valormais baixo. Neste caso, a unidade de controle seleciona a informação do interruptor da marcha lenta, o que significa que o motor pode somente funcionar em marcha lenta. O código de falha 12 será registrado já que o interruptor da marcha lenta não atinge a sua janela. O código de falha 11 também será registrado, já que a unidade de controle não pode determinar com certeza se o interruptor da marcha lenta ou o sensor do pedal do acelerador está incorreto. Diagrama 3. O diagrama mostra a situação onde o interruptor da marcha lenta está sempre fechado. O
  • 11. motor funciona normalmente, mas o código de falha 12 será registrado já que o interruptor da marcha lenta não atinge a sua janela. Diagrama 4. Esta é a situação onde o sensor do pedal do acelerador parou defuncionar e indica posição de marcha lenta independentemente da posição do pedal. O interruptor da marcha lenta fornece valores corretos, mas como na situação em 2, a unidade de controle selecionará o valor mais baixo, que é o valor do sensor do pedal do acelerador. O motor pode funcionar somente em marcha lenta e o código de falha12 é registrado já que o interruptor da marcha lenta está fechado abaixo de sua janela. Diagrama 5. Neste caso, o sensor do pedal do acelerador está danificado mas o interruptorda marcha lenta fornece valores corretos. A unidade de controle, nesta situação, permite que o veículo funcione utilizando a regulagem de emergência limp home. Através disto significa que quando a unidade de controle receber um sinal do interruptor da marcha lenta que o pedal do acelerador está sendo pressionado, a mesma gera o mesmo valor que para a aceleração de 70%, até que o pedal seja completamente liberado para a posição de marcha lenta. O código de falha 11 será registrado já que o sinal de saída do sensor do pedal do acelerador encontra-se fora do valor permitido.
  • 12. Combustível..... = O diagrama mostra o gráfico do pedal do acelerador. As várias % dos valores mostram o sinal elétrico de saída do sensor quando o pedal do acelerador é pressionado. As linhas angulares no diagrama mostram como o motor reage quando a carga muda para uma determinada posição do pedal do acelerador. Quando a carga do motor aumenta, a rotação do motor diminui. Quando a rotação do motor diminui, a unidade de controle aumentará a quantidade de combustível de modo que acompanhe a linha angular que corresponde ao sinal de saída do pedal do acelerador. No diagrama, os seguintes limites são registrados: y Marcha lenta (limite esquerdo) y Torque máximo (limite superior) y Rotação máxima do motor (limite direito) y Rotação mínima do motor (limite inferior) Quando a unidade de controle utiliza a regulagem de emergência, porque o pedal do acelerador está danificado, é utilizado o mesmo valor que para a posição de 70% do pedal do acelerador. Isso é fornecido se o sensor da marcha lenta estiver correto e se o pedal do acelerador estiver pressionado. O aumento da aceleração de 0% a 70% leva aproximadamente 1 segundo. A razão da escolha de 70% é para garantir que o torque máximo do motor possa ser obtido. Quando o pedal do acelerador é liberado, a aceleração retorna a 0%. Nota! Observar que com a unidade de controle na posição de emergência (aceleração de 70%), o motor descarregado atingirá aproximadamente 1900 rpm quando o pedal do acelerador for pressionado.
  • 13. Combustível..... = O diagrama mostra o gráfico do pedal do acelerador para unidades de controle a partir do e incluindo o P/N 8148335. A unidade de controle foi introduzida em 1994. Como pode ser visto no diagrama, a linha limite da rotação máxima do motor diminui para 1600 rpm quando a unidade de controle utiliza a regulagem de emergência. A linha anteriormente utilizada de 70% não é mais utilizada, e a unidade de controle tentará fornecer 100%, mas naturalmente será parada pelo novo limite de rotação máxima do motor.
  • 14. Código de falha 13 - Sinal de velocidade A unidade de controle pode controlar o sinal de velocidade do tacógrafo de duas maneiras diferentes: y Controle do nível de tensão y Controle da freqüência Nota! Mesmo se o código de falha foi registrado, a unidade de controle continuará a verificar constantemente o sinal de velocidade. Se o sinal voltar ao normal, a unidade de controle o utilizará novamente. Controle do nível de tensão O tacógrafo envia um sinal para a unidade de controle. O sinal é na forma de uma onda quadrada (um trem de pulso) com um nível alto de aproximadamente 8 V e com um nível baixo de aproximadamente 0,5 V. Quando o veículo está parado, o sinal pode ser tanto alto quanto baixo dependendo da posição do sensor na roda dentada no eixo de saída da transmissão.
  • 15. Na posição de repouso, a unidade de controle começa a diagnosticar os níveis de tensão do sinal de velocidade. Durante este diagnóstico, a unidade de controle pode avaliar se há uma interrupção ou curto- circuito na conexão à massa ou a B+. O diagnóstico fornece duas alternativas: Alternativa 1. Sinal sem falha O sinal varia em torno de 8 V ou em torno de 0.5 V. Com relação à forma do sinal durante a medição com um osciloscópio: O nível normal da velocidade pretendida; poderá ser vista uma amostra da corrente de alimentação de aproximadamente 2 mA que a unidade de controle injeta nos cabos. Com um tacógrafo motômetro esta será de aproximadamente1,2 V. A corrente de alimentação é conectada durante 400 ms a cada 800 ms. Isto significa que uma onda quadrada sobreposta será observada no sinal do tacógrafo. Alternativa 2. Código de falha 13 y O nível de tensão do sinal é de 24 V. Indica um curto-circuito à B+.. y O nível de tensão do sinal é de 0 V. Indica um curto-circuito à massa. y O sinal é idêntico ao sinal do circuito de alimentação. Indica uma interrupção. Verificação da freqüência
  • 16. O sinal de velocidade do tacógrafo é utilizado após ter sido dividido por 8, o que significa uma filtragem segura do sinal. Se ocorrer uma interferência de sinal, na forma de um ou dois picos de tensão, o valor da velocidade calculada não será afetado em um grau muito alto. Para que o código de falha 13 seja registrado, a velocidade deverá ultrapassar 460 km/h com um fator K de 6250, ou ultrapassar 230 km/h com um fator K de 12500. Nota! Mesmo se o código de falha foi registrado, a unidade de controle continuará a verificar constantemente o sinal de velocidade. Se o sinal voltar ao normal, a unidade de controle o utilizará novamente. Comentários sobre o código de falha 13, sinal de velocidade Já que o sinal de velocidade é obtido a partir da saída temporária do tacógrafo, poderá haver uma falha no tacógrafo. Um velocímetro correto não é garantia de que a unidade de controle recebe o sinal de entrada correto. Se o velocímetro não apresentar uma leitura, o piloto automático também não deverá funcionar. Nota! Certificar-se de que os discos de registro do tacógrafo não estão inseridos de modo incorreto!
  • 17. Código de falha 14 ± Relé de alimentação, unidade de controle ECU (Unidade de Controle Eletrônica)..... Ligado = Direto..... Desligado = Atraso..... Quando a chave de partida (150) é girada para a posição de condução, a unidade de controle faz a conexão à massa do relé de alimentação principal (379) para ativar a corrente da unidade de controle. Isto ocorre sem atraso. Quando a chave de partida é girada para posição Off, o circuito de aterramento do relé de alimentação na unidade de controle interrompe o circuito de aterramento do relé de alimentação principal, porém com um breve atraso. O atraso ocorre para que a unidade de controle tenha tempo de realizar determinadas operações antes de ser desligada.
  • 18. O código de falha 14 é registrado se a unidade de controle receber tensão do relé de alimentação principal mesmo que a tensão da chave de partida seja interrompida. Apesar disso, o motor será desligado, mas o código ativo não poderá ser visto. Isto pode ocorrer se o relé de alimentação principal sofrer um emperramento e não puder retornar para a posição de repouso, ou se houver um curto-circuito na instalação elétrica entre o relé e a unidade de controle.
  • 19. Código de falha 21 ± Unidade de controle, falha interna Controle..... = Operação..... = Partida..... = No programa da unidade de controle há uma série de funções de controle diferentes que supervisionam o funcionamento do programa. Este poderá funcionar, por exemplo, de tal maneira que um número de controle passe através das várias operações do programa. Quando todas as operações forem realizadas, o número é verificado. Se o número não foi alterado, está tudo em ordem. Se o número foi alterado durante o seu caminho dentro do programa, há uma falha no hardware ou no software e o funcionamento do programa é interrompido. A unidade de controle tenta reconfigurar-se e reinicia automaticamente a operação do programa. Nota! Isto se constitui em uma falha grave e se o código de falha 21 for registrado, a unidade de controle deve ser substituída.
  • 20. Código de falha 22 ± Unidade de controle, falha de programação Uma verificação numérica é realizada quando, por exemplo, o programa do VSP é utilizado para alterar determinados parâmetros do cliente. Esta é uma maneira rápida e simples da unidade de controle testar se qualquer um dos números na numeração programada está incorreto. O exemplo no diagrama mostra a contagem do número 1, que é somado em cadafileira. A soma de cada fileira é então totalizada para formar uma soma de verificação, neste caso 81. Esta soma de verificação é comparada com a soma de verificação calculada antecipadamente. Se qualquer número dentro da numeração programada estiver incorreto, este poderá ser apresentado quando a soma de verificação dos números programados não estiver de acordo com a soma de verificação calculada. Se a falha aparecer na programação do VPS, a razão pode ser um problema de comunicação entre o computador e a unidade de controle. Verificar as conexões e tentar novamente. Nota! Se o código de falha 22 for registrado sem que qualquer tipo de programação seja realizada, a falha é grave e a unidade de controle deve ser substituída
  • 21. Código de falha 23 ± Sensor de temperatura, líquido de arrefecimento A verificação do sensor de temperatura do líquido de arrefecimento é realizada para observar se os valores estão fora da faixa normal de trabalho. Se for este o caso, será registrado o código de falha 23. A faixa normal de trabalho do sensor está entre -40°C e +150°C. O diagrama mostra quais as tensões que registram o código de falha 23. Nota! Mesmo se o código de falha foi registrado, a unidade de controle continuará a verificar constantemente o sinal do sensor. Se o sinal voltar ao normal, a unidade de controle o utilizará novamente. Nota! O motor possui dois sensores para as temperaturas do líquido de arrefecimento. O sensor (756B) que fornece os sinais para a unidade de controle está instalado no lado esquerdo do cabeçote. O sensor (756) do indicador de temperatura no painel de instrumentos está localizado no alojamento do termostato. A sua única tarefa é fornecer sinais para o indicador de temperatura.
  • 22. O efeito da temperatura do líquido de arrefecimento A temperatura do líquido de arrefecimento pode, em alguns casos, afetar a quantidade de combustível injetado. No diagrama, são apresentados quatro casos diferentes. A Temperaturas normais. Em temperaturas normais, não ocorre mudança na quantidade decombustível. B Baixas temperaturas. Em temperaturas muito baixas, ocorre uma certa redução na quantidade de combustível. A redução é realizada para compensar o teor maior de energia do combustível frio por volume de unidade. C Altas temperaturas. Em temperaturas acima de +103 °C, ocorrem dois fatos: 1. A lâmpada de advertência para alta temperatura do líquido de arrefecimento é ativada. Nota! A advertência é encontrada somente nos caminhões FH uma vez que a lâmpada é controlada pelo sensor de temperatura 756B através da unidade de controle. Nos caminhões FL, a lâmpada de advertência está conectada ao sensor de
  • 23. temperatura 756 e não está conectada através da unidade de controle. 2. A unidade de controle reduz a quantidade de combustível injetada. Isto ocorre passo a passo até que em +107 °C atinja o seu mínimo de aproximadamente 50%. Esta redução acontece para proteger o motor de superaquecimento. Isto é gravado como um código de falha na unidade de controle, porém só pode ser lido com um computador de diagnóstico. D Temperaturas incorretas Se o sensor de temperatura apresentar valores que estejam fora da temperatura normal de trabalho, será registrado o código de falha 23 e, ao mesmo tempo, a unidade de controle reduzirá a quantidade de combustível em aproximadamente 10%. Comentários sobre o código de falha 23 Observar que os caminhões FL não possuem controles para a lâmpada de advertência de alta temperatura do líquido de arrefecimento! A lâmpada não está sincronizada com a redução da quantidade de combustível através da unidade de controle, o que significa que o motor pode reduzir a quantidade de combustível em aproximadamente 50% sem obter qualquer indicação. A seguir, há uma lista de exemplos que podem provocar altas temperaturas do líquido de arrefecimento sem registrar um código de falha: y Sensor incorreto (mas que ainda se encontra dentro da faixa normal de trabalho). y Nível baixo do líquido de arrefecimento. y Líquido de arrefecimento com impurezas. y Obstrução externa ou interna do sistema de arrefecimento. y Falha no termostato (ou termostato incorreto). y Capacidade insuficiente do ventilador (ventilador incorreto ou danificado). y Falha na bomba do líquido de arrefecimento.
  • 24. Código de falha 24 ± Sensor de temperatura, ar de admissão A verificação do sensor de temperatura do ar de admissão é realizada para observar se os seus valores estão fora da faixa normal de trabalho. Se for este o caso, será registrado o código de falha 24. A faixa normal de trabalho do sensor está entre -40°C e +150°C. O diagrama mostra quais as tensões que registram o código de falha 24. Nota! Mesmo se o código de falha foi registrado, a unidade de controle continuará a verificar constantemente o sinal do sensor. Se o sinal voltar ao normal, a unidade de controle o utilizará novamente. Comentários sobre o código de falha 24 Observar que a lâmpada CHECK ENGINE não acende na temperatura de 91°C, como está incorretamente especificado na Informação de Serviço Sistema de controle do motor D12A. Temperaturas do ar de admissão abaixo de +150°C não geram qualquer indicação, mesmo se estiverem anormalmente altas.
  • 25. A seguir, há uma lista de exemplos que podem provocar altas temperaturas do ar de admissão: y Intercooler obstruído. y Regulador AT emperrado. y Pressão dos gases de escape muito alta durante a frenagem usando o freio motor.
  • 26. Código de falha 24 ± Sensor de temperatura, ar de admissão A verificação do sensor de temperatura do ar de admissão é realizada para observar se os seus valores estão fora da faixa normal de trabalho. Se for este o caso, será registrado o código de falha 24. A faixa normal de trabalho do sensor está entre -40°C e +150°C. O diagrama mostra quais as tensões que registram o código de falha 24. Nota! Mesmo se o código de falha foi registrado, a unidade de controle continuará a verificar constantemente o sinal do sensor. Se o sinal voltar ao normal, a unidade de controle o utilizará novamente. Comentários sobre o código de falha 24 Observar que a lâmpada CHECK ENGINE não acende na temperatura de 91°C, como está incorretamente especificado na Informação de Serviço Sistema de controle do motor D12A. Temperaturas do ar de admissão abaixo de +150°C não geram qualquer indicação, mesmo se estiverem anormalmente altas.
  • 27. A seguir, há uma lista de exemplos que podem provocar altas temperaturas do ar de admissão: y Intercooler obstruído. y Regulador AT emperrado. y Pressão dos gases de escape muito alta durante a frenagem usando o freio motor.
  • 28. Código de falha 25 ± Sensor de pressão, ar de admissão A unidade de controle pode verificar o sinal do sensor de pressão do ar de admissão de duas maneiras diferentes: y Verificação da tensão do sinal y Verificação do sinal de alimentação Nota! Se o código de falha 25 for registrado, a potência do motor será reduzida em aproximadamente 40%. Mesmo se o código de falha foi registrado, a unidade de controle continuará a verificar constantemente o sinal do sensor. Se o sinal voltar ao normal, a unidade de controle o utilizará novamente. Verificação da tensão do sinal A verificação do sinal do sensor é realizada para observar se os seus valores estão fora da faixa normal de trabalho. Se for este o caso, será registrado o código de falha25. A faixa normal de trabalho do sensor está entre 48 kPa e 270 kPa. O diagrama mostra em quais tensões que o código de falha 25 é registrado. A unidade de controle realiza esta verificação contanto que a rotação do motor esteja abaixo de 1000 rpm. Verificação da tensão de alimentação
  • 29. A unidade de controle pode até verificar a tensão de alimentação do sensor de pressão do ar de carga. Se a tensão estiver fora dos valores limites como mostrado no diagrama, será registrado o código de falha 25. Comentários sobre o código de falha 25 Com exceção das falhas simplesmente elétricas, os problemas sem registro de códigos de falha podem ser: y Corrosão nas conexões da instalação elétrica no sensor. y Falhas nos componentes que não podem ser identificadas por qualquer outro método a não ser através da comparação com valores em vigor e aceitáveis. y Sinal de saída com falhas do sensor de pressão, (mas que ainda está dentro da faixa normal de trabalho). O sinal de saída do sensor produz um valor muito baixo em altas pressões do ar de admissão.
  • 30. Código de falha 26 ± Sensor da árvore de comando de válvulas A unidade de controle pode verificar o sinal do sensor da árvore de comando de válvulas de três maneiras diferentes: y Sincronização y Intensidade do sinal y Interferência de freqüência Quando o código de falha 26 for registrado, a unidade de controle tentará utilizar o sinal do sensor da árvore de comando de válvulas quatro vezes. Se a iniciativa não for bem sucedida, a unidade de controle não utilizará ou verificará o sinal até a próxima partida do motor. Sincronização A unidade de controle verifica se os pulsos de sincronização que representam os seis cilindros estão sempre dentro da janela que é gerada pelo sinal do sensor dos dentes do volante do motor.
  • 31. Se um sinal da árvore de comando de válvulas estiver fora desta janela, são registrados os códigos de falha 26 e 27. Tanto o código de falha 26 do sinal do sensor da árvore de comando de válvulas quanto o código de falha 27 do sinal do sensor do volante do motor são registrados já que a unidade de controle não pode determinar com certeza quais os sinais que não estão sincronizados. Para evitar que o pulso de identificação do cilindro 1 seja interpretado com uma falha de sincronização, qualquer possível falha de sincronização deve ocorrer mais de 12 vezes de uma só vez antes que os códigos de falha 26 e 27 sejam registrados. Intensidade do sinal Se estiver faltando o sinal do sensor da árvore de comando de válvulas, é registrado o código de falha 26. Interferência de alta freqüência
  • 32. A verificação de interferência de alta freqüência pela unidade de controle é realizada fazendo- se a medição da distância entre os dentes da roda dentada da árvore de comando de válvulas. T1 é a distância entre os dentes de dois cilindros. T2 é a distância entre o dente de um cilindro e o dente de identificação do cilindro 1. T3 é a distância entre o dente de identificação do cilindro 1 e um dente comum do cilindro 1. A distância T1 é utilizada para calcular a rotação do motor. (Em operação normal, o sinal do sensor do volante do motor é utilizado como um sinal de rotação do motor, mas o sinal do sensor da árvore de comando de válvulas pode ser utilizado como reserva se o sinal do volante do motor faltar.) Se a distância T1 indicar que a rotação do motor está acima de 4000 rpm, é registrado o código de falha 26. Observar que são necessárias pelo menos 7 indicações de uma só vez para que o código de falha seja registrado. Comentários sobre o código de falha 26 Quando os códigos de falha 26 e 27 são registrados devido a uma falha de sincronização, a causa provável é o fato do sinal do sensor da árvore de comando de válvulas não estar dentro do seu intervalo do dente do sinal do volante do motor ou que a intensidade do sinal é muito grande ou muito fraca. A seguir, há uma lista de algumas causas prováveis:
  • 33. y Regulagem incorreta da distância entre o sensor da árvore de comando de válvulas e a roda dentada da árvore de comando de válvulas. y Regulagem incorreta da distância entre o sensor do volante domotor e o volante do motor. y Regulagem incorreta da engrenagem intermediária na transmissão do motor. y Árvore de comando de válvulas engatada incorretamente. y A roda dentada da árvore de comando de válvulas foi instalada com a folga do furo no sentido incorreto. y Os danos no contorno do volante do motor podem, em casos desfavoráveis, gerar sinais que a unidade de controle considera como um dente extra.
  • 34. Código de falha 27 ± Sensor do volante do motor A unidade de controle pode verificar o sinal do sensor do volante do motor através da medição da intensidade do sinal. Se estiver faltando o sinal, será registrado o código de falha 27. Quando o código de falha 27 for registrado, a unidade de controle tentará utilizar o sinal do sensor do volante do motor diversas vezes. Se a iniciativa não for bem sucedida, a unidade de controle não utilizará ou verificará o sinal até a próxima partida do motor. A razão pela qual o código de falha 26 também é registrado quando o sinal do sensor do volante do motor é interrompido ou sofre interferência é que a unidade de controle considera que o sinal do sensor da árvore de comando de válvulas não está sincronizado, já que o pulso de sincronização da árvore de comando de válvulas vem antes que os pulsos de todos os 18 dentes do volante do motor tenham tido tempo de passar. Ver Comentários sobre o código de falha 26. Partida do motor
  • 35. Os diagramas apresentam as diversas possibilidades do que pode ocorrer durante a partida do motor. A Partida normal Os sensores da árvore de comando de válvulas e do volante do motor funcioname apresentam sinais corretos. O ciclo de partida ocorre como mostrado no Diagrama A. O motor de partida gira a árvore de manivelas até que a unidade de controle identifique o cilindro 1. Ocorre a injeção de combustível e é dada a partida no motor. B Partida sem o sinal do sensor da árvore de comando de válvulas. Quando a unidade de controle percebe que está faltando o sinal do sensor da árvore de comando de válvulas, esta tenta dar a partida no motor sem o sinal do sensor. A unidade de controle supõe a seqüência de injeção e ao mesmo tempo em que ocorre a injeção de combustível a mesma verifica se a rotação do motor aumenta. O motor utilizará a mesma seqüência de injeção por no máximo 8 rotações do motor. Se a rotação do motor se mantiver inalterada, a suposição estava incorreta e a unidade de controle tenta novamente com uma nova seqüência de injeção. Após várias suposições, a unidade de controle encontra a seqüência correta e é dada a partida no motor. C Partida sem o sinal do sensor do volante do motor Quando a unidade de controle percebe que está faltando o sinal do sensor do volante do
  • 36. motor, esta tenta dar a partida no motor sem o sinal do sensor. A injeção de combustível será verificada através do sinal do sensor da árvore de comando de válvulas. O tempo de injeção não é tão preciso quanto no modo normal. Nota! A unidade de controle tentará, nas alternativas B e C mais uma vez regular o motor como na alternativa A, em determinados casos pode parecer que o motor apresenta uma falha de ignição.
  • 37. Códigos de falha 31-36, unidade injetora A unidade de controle pode verificar a unidade injetora de duas maneiras diferentes: y Verificação eletrônica y Balanceamento dos cilindros Verificação eletrônica ECU (Unidade de Controle Eletrônica)..... Cyl..... = Cilindro A unidade de controle verifica a unidade injetora com o auxílio de oito transistores. Dois transistores verificam a tensão de alimentação para cada grupo de três unidades injetoras. Seis transistores são responsáveis pela conexão à massa de cada unidade injetora respectiva. O diagrama à esquerda mostra o diagrama de circuito para os primeiros três cilindros. Quando a unidade de controle ativa a válvula de combustível da unidade injetora no cilindro 1, T+ e T1 são ativados ao mesmo tempo e o circuito é então conectado à massa através de T1. O gráfico superior no diagrama do lado direito mostra a tensão e o gráfico inferior, a intensidade da corrente através da bobina da válvula de combustível. A variação na tensão para -90 V ocorre devido à auto-indução na bobina da válvula de combustível. Em -90 V, os diodos limitarão a tensão retornando a corrente para T+.
  • 38. A unidade de controle pode medir o consumo da corrente das unidades injetoras durante a operação e, conseqüentemente, observar se alguma válvula de combustível ou circuito da instalação elétrica apresenta uma falha elétrica. Esta verificação só pode ser realizada com o motor em funcionamento. Exemplo 1 Diagrama superior esquerdo (Consumo de corrente muito baixo) Para uma interrupção em alguma válvula de combustível, a unidade de controle registrará o código de falha para o cilindro. Neste caso, código de falha 32. A unidade de controle não tentará utilizar o cilindro 2 quando o código de falha for registrado. Os outros dois cilindros no mesmo bloco continuarão a funcionar normalmente. Exemplo 2 Diagrama inferior esquerdo (Consumo de corrente muito alto) Se a instalação elétrica de alimentação para as três unidades injetoras em um bloco apresentar um curto-circuito à massa, a unidade de controle registrará códigos de falha em todos os três cilindros. Neste caso, os códigos de falha 31, 32 e 33. A unidade de controle não tentará utilizar os cilindros quando os códigos de falha forem registrados. Exemplo 3 Diagrama superior direito (Consumo de corrente muito alto)
  • 39. Para um curto-circuito em alguma bobina das válvulas de combustível, a unidade de controle registrará o código de falha para o cilindro. Neste caso, código de falha 33. A unidade de controle não tentará utilizar o cilindro 3 já que o código de falha foi registrado. Os outros dois cilindros no mesmo bloco continuarão a funcionar normalmente. Exemplo 4 Diagrama inferior direito (Consumo de corrente muito alto) Se alguma instalação elétrica para os transistores de aterramento (T1, T2, T3) estiver em curto- circuito à massa, a unidade de controle registrará códigos de falha para todos os três cilindros. Neste caso, os códigos de falha 31, 32 e 33. A unidade de controle não tentará utilizar os cilindros quando os códigos de falha forem registrados. Quando os códigos de falha forem registrados, a unidade de controle não verificará as unidades injetoras até que tenha novamente sido dada a partida no motor. Balanceamento dos cilindros Rotação do volante do motor..... Tempo de injeção.....
  • 40. O balanceamento dos cilindros é um método que a unidade de controle utiliza para proporcionar uma marcha lenta uniforme ao motor. No balanceamento dos cilindros, a unidade de controle mede a rotação do volante do motor para conferir se todos os cilindros fornecem a mesma aceleração ao volante do motor. Se a aceleração não for uniforme, a unidade de controle compensará cada cilindro respectivo, aumentando ou diminuindo a quantidade de combustível para o mesmo.Este procedimento é realizado aumentando-se ou diminuindo-se o tempo de injeção. O balanceamento da quantidade de combustível para que todos os cilindros gerem amesma aceleração, resulta em uma marcha lenta uniforme e regular. O balanceamento dos cilindros somente pode ser realizado quando o motor apresentar uma temperatura operacional e estiver funcionando em marcha lenta. Quando a rotação do motor for aumentada acima da marcha lenta, todos os cilindros recebem uma quantidade de combustível não balanceada. Quando o motor retorna à marcha lenta, é injetada a quantidade de combustível balanceada. Os valores do balanceamento dos cilindros são gravados, porém regulados cada vez que o motor estiver em uma temperatura operacional e em marcha lenta. Observar que os valores de balanceamento dos cilindros são configurados em zero quando os códigos de falha da unidade de controle são apagados. Um novo balanceamento dos cilindros exige de 4 a 10 minutos de funcionamento em marcha lenta com o motor em temperatura operacional.
  • 41. A quantidade de combustível para o balanceamento dos cilindros possui um limite superior. Quando esta quantidade em algum cilindro não for mais suficiente para compensar o cilindro, é registrado o código de falha. No diagrama principal inferior, o cilindro 2 atingiu o seu limite superior e o código de falha 32 foi registrado. Nota! Lembrar que é o tempo de injeção que fornece os valores durante o balanceamento dos cilindros. Se todas as unidades injetoras estiverem sem defeito, o tempo em relação à quantidade de combustível é praticamente o mesmo para todos os seis cilindros. Deste modo, os valores do balanceamento dos cilindros podem dar a impressão de que se um cilindro específico possui uma queda na potência, esta pode então ser compensada com uma quantidade maior de combustível. Se, por outro lado, uma unidade injetora apresentar uma falha mecânica ou desgasteanormal, que resulte no aumento do tempo além do normal para fornecer uma determinada quantidade de combustível, isto indica que a unidade injetora e não o cilindro que é compensado. Uma unidade injetora pode registrar códigos de falha por dois motivos: 1. A unidade injetora não consegue injetar uma quantidade suficiente de combustível. 2. A energia da quantidade de combustível não é utilizada no cilindro.
  • 42. Comentários sobre os códigos de falha 31 - 36 Os códigos de falha podem ser registrados ou por falhas elétricas ou quando o limite superior de compensação para o balanceamento de algum cilindro for ultrapassado. Para determinar se um código de falha foi registrado devido a uma falha elétrica ou balanceamento dos cilindros, o código de falha pode ser apagado edada a partida no motor novamente. Nota! Observar sempre os códigos de falha atuais antes de apagá-los! Se o código de falha for registrado novamente dentro de alguns segundos, a falha é, muito provavelmente, elétrica já que um código de falha provocadopor balanceamento dos cilindros necessita entre 4 e 10 minutos para ser registrado. Nota! Lembrar que um contato defeituoso em uma junta ou conexão para uma válvula de combustível da unidade injetora, por exemplo, pode gerar um código de falha que não ocorre logo após a partida do motor. O código de falha é registrado quando ocorre uma interferência e pode, portanto, ser mal interpretado como sendo registrado por balanceamento dos cilindros. Quando os códigos de falha são registrados por balanceamento doscilindros, significa que um cilindro fornece uma potência menor que a dos outros. A causa da perda de potência nunca pode ser obtida através da leitura do código de falha. A seguir, há uma lista de algumas causas possíveis: y Ar no sistema de combustível. y Nenhuma pré-tensão ou uma pré-tensão muito pequena da unidade injetora. y Desgaste anormal ou unidade injetora danificada. y Válvulas com regulagem incorreta e/ou com vazamento. y Balancim do VEB danificado. y Quebra do anel de pistão. y Leve emperramento do cilindro. y Gases de combustão que entram no canal de combustível do cabeçote. Danos no volante do motor podem, em alguns casos, provocar os códigos de falha31-36. Estes danos podem ser aos intervalos dos dentes danificados, nos quaisas bordas não se encontram em um ângulo de 90° em relação ao contorno. Uma folga muito grande na transmissão do motor (engrenagem intermediária regulada incorretamente) pode levar alguns dos códigos de falha31-36 a serem registrados.