SlideShare uma empresa Scribd logo
Washington Franco Mathias
        José Maria Gomes


Matemática
 Financeira
        Com + de 600 exercícios
          resolvidos e propostos


                        5ª Edição
Capítulo 5


          RENDAS CERTAS
               OU
            ANUIDADES
Mathias
Gomes
Rendas Certas ou
          Anuidades
           Definições:    Dada uma série de capitais, referidos às
           suas respectivas datas:

                              R1             n1
                              R2            n2
                              ...           ...
                              Rm            nm


                   Estes capitais, referidos a uma dada taxa de ju-
           ros “i” caracterizam uma anuidade ou renda certa.
           VALORES = Termos da anuidade;
           PERÍODO = Intervalo de tempo entre dois termos;
           DURAÇÃO DA ANUIDADE = Soma dos períodos.
Mathias
Gomes
Valor Atual e Montante de
          uma Anuidade

          Valor Atual: é a soma dos valores atuais dos
          seus termos, na mesma data focal e à mesma
          taxa de juros “i”.


          Montante: é a soma dos montantes dos seus ter-
          mos, considerada uma dada taxa de juros “i” e
          uma data focal.



Mathias
Gomes
Classificação das
          Anuidades
          QUANTO AO PRAZO:

          • Temporárias: quando a duração for limitada.
          • Perpétuas: quando a duração for ilimitada.
           QUANTO AO VALOR DOS TERMOS:

           • Constante: quando todos os termos são iguais.
           • Variável: quando os termos não são iguais entre
           si.


Mathias
Gomes
Classificação das
          Anuidades
          QUANTO À FORMA DE PAGAMENTO OU DE
          RECEBIMENTO:

          • Imediatas: quando os termos são exigíveis a
          partir do primeiro período.
           -> Postecipadas ou Vencidas: se os termos são
          exigíveis no fim dos períodos.
           -> Antecipadas: se os termos são exigíveis no
          início dos períodos.


Mathias
Gomes
Classificação das
          Anuidades
          QUANTO À FORMA DE PAGAMENTO OU DE
          RECEBIMENTO:

          • Diferidas: quando os termos forem exigíveis a
          partir de uma data que não seja o primeiro perío-
          do.
           -> Postecipadas ou Vencidas: se os termos são
          exigíveis no fim dos períodos.
           -> Antecipadas: se os termos são exigíveis no
          início dos períodos.


Mathias
Gomes
Classificação das
          Anuidades
          QUANTO À PERIODICIDADE:


          • Periódicas: se todos os períodos são iguais.

          • Não-periódicas: se os períodos não são i-
          guais entre si.



Mathias
Gomes
Modelo Básico de Anuidade

           São as anuidades que são:

           • Temporárias;
           • Constantes;
           • Imediatas e Postecipadas;
           • Periódicas;
           • A taxa de juros “i” está referida ao mesmo pe-
           ríodo dos termos.




Mathias
Gomes
Valor Atual do Modelo
          Básico
           P = principal           P
           n = número de termos
                                                                 R
           R = termos                            R       R
           i = taxa de juros           0     1       2       n




                              P = R.a¬
                                       n i




          Diz-se que o principal vai ser pago em “n” par-
          celas (prestações) iguais a “R”.

Mathias
Gomes
Valor Atual do Modelo
      Básico                                                   EXEMPLO



          a¬ = lê-se “a, n, cantoneira, i” ou “a, n, i”.
             n   i



          O cálculo de   a¬n   i
                                   é feito do seguinte modo:

                                (1+ i)n −1
                           a¬ =
                            n i  i(1+ i)n

          Esta fórmula encontra-se tabelada para diversos
          valores de “n” e de “i” (veja tabelas no fim do li-
          vro).
Mathias
Gomes
Exemplo
          I) João compra um carro, que irá pagar em 4 prestações men-
          sais de $ 2.626,24, sem entrada. As prestações serão pagas a
          partir do mês seguinte ao da compra e o vendedor afirmou es-
          tar cobrando uma taxa de juros compostos de 2% a.m. Pergun-
          ta-se o preço do carro à vista.
          Resolução:           (1+ i)n −1
                        a¬ =
                         n i
                               i(1+ i)n
          onde: n = 4 meses
                i = 2% a.m.
                             (1,02) − 1
                                     4

                      a¬ i=
                       n                4
                                          ≅ 3,807729
                            0,02.(1,02)
          Portanto, como R = 2.626,24:
                         P = 2.626,24 x 3,807729 = 10.000,00
Mathias
Gomes
Exemplo
          II) Um televisor em cores custa $ 5.000,00 a vista, mas pode
          ser financiado sem entrada em 10 prestações mensais à taxa
          de 3% a.m. Calcular a prestação a ser paga pelo comprador.
          Resolução:       P
                       R=
                          a¬ i
                            n

          onde: P = 5.000,00
                 n = 10 m.
                 i = 3% a.m.
                 Procurando numa tabela ou calculando diretamente,
          tem-se:
                            a 10 3 ≅ 8 , 530203
                              ¬
                                    5 . 000 , 00
                            R =                  = $ 586 ,15
                                    8 , 530203
Mathias
Gomes
Exemplo
             Portanto, o comprador deverá pagar uma prestação men-
      sal de $ 586,15, por 10 meses.

      III) Uma aparelhagem de som estereofônico está anunciada nas
      seguintes condições: $ 1.500,00 de entrada e 3 prestações men-
      sais iguais de $ 1.225,48. Sabendo-se que o juro cobrado nas lo-
      jas de som é de 2,5% a.m., calcular o preço a vista.

      Resolução: Chamando a entrada de E e as prestações de R, te-
      mos:


                     P
                         E   {       R       R       R

                             0   1       2       3

Mathias
Gomes
Exemplo
          Portanto, o principal (P), que é o valor atual das prestações na
          data zero somado à entrada (E), pode ser expresso do seguinte
          modo:

                         P = E + Ra¬        3 2,5

          onde: E = 1.500,00
                R = 1.225,48
                 a ¬ 2,5≅ 2 , 856024
                   3

          Logo: P = 1.500,00 + 1.225,48 x 2,856024
                P = 1.500,00 + 3.500,00
                P = $ 5.000,00

          Portanto, o preço à vista nas condições dadas é de $ 5.000,00.
Mathias
Gomes
Exemplo
          V) Um tapete persa é vendido por $ 15.000,00 à vista. Pode ser
          adquirido também em prestações mensais de $ 885,71, a juros
          de 3% a.m. Sabendo que as prestações vencem a partir do mês
          seguinte ao da compra, pede-se para calcular o número de pres-
          tações.

          Resolução: P = R .a ¬ i
                              n
                        15 . 000 = 885 , 71 .a ¬ 3
                                                n
                               15 . 000
                        a ¬3 =
                          n             = 16 ,935566
                               885 , 71
          Temos que: 16 ,935566 = 1 − (1, 03 ) − n
                                      0 , 03
                        1 − (1, 03 ) − n = 0 ,508067
                        (1, 03 ) − n = 0 , 491933
Mathias
Gomes
Exemplo
          Extraindo o logaritmo dos dois membros, tem-se:

                    −n log(1, 03) = log(0, 491933)
                        log(0, 491933)
                    n=−
                           log(1, 03)
                        −0,308094
                    n=−           ≅ 24 meses
                        0, 012837




Mathias
Gomes
Montante do Modelo
          Básico                                                     EXEMPLO



           S = montante                                              S
           n = número de termos
                                                                     R
           R = termos                          R       R
           i = taxa de juros         0     1       2       n-1   n




                              S = R.s¬ i
                                     n



           Diz-se que “s” é o resultado de um processo de
           capitalização (aplicação) de “n” parcelas iguais a
           “R”.

Mathias
Gomes
Exemplo
          I) Uma pessoa deposita $ 1.000,00 mensalmente. Sabendo-se
          que ela está ganhando 2% a.m., quanto possuirá em 2 anos ?

          Resolução:

                            S = R .S ¬ i
                                      n



          onde:         R =1.000,00
                       S 24 2= 30 , 421862
                         ¬

          Portanto:     S = 1.000,00 x 30,421862
                        S = $ 30.421,86

          Logo, após 2 anos, a pessoa possuirá $ 30.421,86.
Mathias
Gomes
Montante do Modelo
          Básico                                            EXEMPLO




           s¬ = lê-se “s, n, cantoneira, i” ou “s, n, i”.
             n   i



          O cálculo de s¬ é feito do seguinte modo:
                          n   i



                                (1+ i)n −1
                           s¬ =
                            n i
                                     i

          Esta fórmula encontra-se tabelada para diversos
          valores de “n” e de “i” (ver tabelas no fim do li-
          vro).
Mathias
Gomes
Exemplo
          II) Uma pessoa deseja comprar um carro por $ 40.000,00 à vis-
          ta, daqui a 12 meses. Admitindo-se que ela vá poupar uma cer-
          ta quantia mensal que será aplicada em letras de câmbio ren-
          dendo 2,2% a.m. de juros compostos, determinar quanto deve
          ser poupado mensalmente.

          Resolução: Neste caso, o montante é dado:
                     S = 40.000,00

                 Como a taxa de 2,2% não se encontra tabelada, faze-
          mos o cálculo diretamente:
                               (1, 022 ) 12 − 1 1, 298407 − 1
                        ¬=
                       S12 2,2                  =
                                    0 , 022           0 , 022
                               0 , 298407
                            =                 = 13 ,563955
                                   0 , 022
Mathias
Gomes
Exemplo
          Temos:
                            S
                       R=
                             ¬
                           S 12 2,2
                              40 . 000
                       R=                 2 . 948 ,99
                           13 ,563955
                       ∴ R = $ 2 . 949 , 00

                  Então, se a pessoa poupar $ 2.949,00 por mês e fizer a
          aplicação a 2,2% a.m. por 12 meses poderá comprar o carro
          pretendido.




Mathias
Gomes
Relação entre o Valor Atual e o
          Montante do Modelo Básico
                                                          EXEMPLO


            A relação é:


                              S =P(1+i)n

             E a relação entre os fatores é a seguinte:


                             s¬ = (1+ i)n .a¬
                              n i           n   i




Mathias
Gomes
Exemplo
          Uma pessoa possui $ 30.000,00, que pode aplicar do seguinte
          modo:
          a) no banco A, que paga um juro de 3% a.m. ao fim de cada
          mês, devolvendo o capital no fim do 12º mês;
          B) no banco B, que devolve $ 42.000,00 no fim do 12º mês.
          Pede-se determinar a melhor aplicação.

          Resolução: A melhor aplicação será aquela que conduzir ao
          maior montante na data focal 12:

                 Banco A: A aplicação de $ 30.000,00 a um juro de 3%
          a.m. produz uma renda mensal de $ 900,00. Portanto, o mon-
          tante na data focal 12 é:



Mathias
Gomes
Exemplo
                SA = 30.000 + 900,00.S¬ 3
                                       12

                SA = 30.000 + 900,00 x14,192030
                SA = 30.000 + 12.772,83
                SA = $42.772,83
          Note-se que pela fórmula este resultado pode ser obtido dire-
          tamente:

                S = P (1 + i ) n
                SA = 30.000.(1,03)12
                SA = 30.000 x1,425761
                SA = $42.772,83

Mathias
Gomes
Exemplo
          Já sabemos que o Banco B devolve:

                       SB = $ 42.000,00

          Logo, concluímos que é melhor aplicar no Banco A, ganhando
          um adicional de $ 772,83.




Mathias
Gomes

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Desconto composto concurso ueg
Desconto composto   concurso uegDesconto composto   concurso ueg
Desconto composto concurso ueg
Washington Soares Alves
 
Matematica financeira regular 5
Matematica financeira regular 5Matematica financeira regular 5
Matematica financeira regular 5
J M
 
Matematica slides descontos
Matematica slides descontosMatematica slides descontos
Matematica slides descontos
gabaritocontabil
 
Matematica financeira aula 02
Matematica financeira   aula 02Matematica financeira   aula 02
Matematica financeira aula 02
AllangCruz
 
Matemática financeira
Matemática financeiraMatemática financeira
Matemática financeira
Leandro Rios Leão
 
Matematica financeira regular 4
Matematica financeira regular 4Matematica financeira regular 4
Matematica financeira regular 4
J M
 
Matemática Financeira - Descontos
Matemática Financeira - DescontosMatemática Financeira - Descontos
Matemática Financeira - Descontos
guest20a5fb
 
Matematica financeira aula 06
Matematica financeira   aula 06Matematica financeira   aula 06
Matematica financeira aula 06
AllangCruz
 
Matemática Financeira - Empréstimos
Matemática Financeira - EmpréstimosMatemática Financeira - Empréstimos
Matemática Financeira - Empréstimos
guest20a5fb
 
Apostila matematica financéira
Apostila matematica financéiraApostila matematica financéira
Apostila matematica financéira
jefdan
 
Matematica financeira aula 03
Matematica financeira   aula 03Matematica financeira   aula 03
Matematica financeira aula 03
AllangCruz
 
Matematica financeira aula 04
Matematica financeira   aula 04Matematica financeira   aula 04
Matematica financeira aula 04
AllangCruz
 
Matemática Financeira - Desconto Simples
Matemática Financeira - Desconto SimplesMatemática Financeira - Desconto Simples
Matemática Financeira - Desconto Simples
elliando dias
 
Matematica financeira regular 3
Matematica financeira regular 3Matematica financeira regular 3
Matematica financeira regular 3
J M
 
Sistema de Amortização Constante (SAC)--Matemática Financeira_un6_Edit.pdf
Sistema de Amortização Constante (SAC)--Matemática Financeira_un6_Edit.pdfSistema de Amortização Constante (SAC)--Matemática Financeira_un6_Edit.pdf
Sistema de Amortização Constante (SAC)--Matemática Financeira_un6_Edit.pdf
Luiz Avelar
 

Mais procurados (15)

Desconto composto concurso ueg
Desconto composto   concurso uegDesconto composto   concurso ueg
Desconto composto concurso ueg
 
Matematica financeira regular 5
Matematica financeira regular 5Matematica financeira regular 5
Matematica financeira regular 5
 
Matematica slides descontos
Matematica slides descontosMatematica slides descontos
Matematica slides descontos
 
Matematica financeira aula 02
Matematica financeira   aula 02Matematica financeira   aula 02
Matematica financeira aula 02
 
Matemática financeira
Matemática financeiraMatemática financeira
Matemática financeira
 
Matematica financeira regular 4
Matematica financeira regular 4Matematica financeira regular 4
Matematica financeira regular 4
 
Matemática Financeira - Descontos
Matemática Financeira - DescontosMatemática Financeira - Descontos
Matemática Financeira - Descontos
 
Matematica financeira aula 06
Matematica financeira   aula 06Matematica financeira   aula 06
Matematica financeira aula 06
 
Matemática Financeira - Empréstimos
Matemática Financeira - EmpréstimosMatemática Financeira - Empréstimos
Matemática Financeira - Empréstimos
 
Apostila matematica financéira
Apostila matematica financéiraApostila matematica financéira
Apostila matematica financéira
 
Matematica financeira aula 03
Matematica financeira   aula 03Matematica financeira   aula 03
Matematica financeira aula 03
 
Matematica financeira aula 04
Matematica financeira   aula 04Matematica financeira   aula 04
Matematica financeira aula 04
 
Matemática Financeira - Desconto Simples
Matemática Financeira - Desconto SimplesMatemática Financeira - Desconto Simples
Matemática Financeira - Desconto Simples
 
Matematica financeira regular 3
Matematica financeira regular 3Matematica financeira regular 3
Matematica financeira regular 3
 
Sistema de Amortização Constante (SAC)--Matemática Financeira_un6_Edit.pdf
Sistema de Amortização Constante (SAC)--Matemática Financeira_un6_Edit.pdfSistema de Amortização Constante (SAC)--Matemática Financeira_un6_Edit.pdf
Sistema de Amortização Constante (SAC)--Matemática Financeira_un6_Edit.pdf
 

Semelhante a Cap5

Cap3
Cap3Cap3
Cap6
Cap6Cap6
Matemática Financeira - Modelos Genéricos de Anuidades
Matemática Financeira - Modelos Genéricos de AnuidadesMatemática Financeira - Modelos Genéricos de Anuidades
Matemática Financeira - Modelos Genéricos de Anuidades
Leidson Rangel
 
Matematica financeira
Matematica financeiraMatematica financeira
Matematica financeira
Girlene Medeiros
 
Cap1
Cap1Cap1
Matemática Financeira - Juros Simples
Matemática Financeira - Juros SimplesMatemática Financeira - Juros Simples
Matemática Financeira - Juros Simples
Leidson Rangel
 
MATEMÁTICA FINANCEIRA - REGRA DE TRÊS SIMPLES / JUROS SIMPLES
MATEMÁTICA FINANCEIRA - REGRA DE TRÊS SIMPLES / JUROS SIMPLESMATEMÁTICA FINANCEIRA - REGRA DE TRÊS SIMPLES / JUROS SIMPLES
MATEMÁTICA FINANCEIRA - REGRA DE TRÊS SIMPLES / JUROS SIMPLES
Tulipa Zoá
 
Apostila mat financ_aplicada
Apostila mat financ_aplicadaApostila mat financ_aplicada
Apostila mat financ_aplicada
Leandro Goiano
 
Prestação
PrestaçãoPrestação
Prestação
matematicanoalvo
 
Apostila de matemática financeira
Apostila de matemática financeiraApostila de matemática financeira
Apostila de matemática financeira
Adriana Alves
 
Matemática Financeira - Equivalência de Capitais
Matemática Financeira - Equivalência de CapitaisMatemática Financeira - Equivalência de Capitais
Matemática Financeira - Equivalência de Capitais
Leidson Rangel
 
Cap4
Cap4Cap4
Matemática Financeira - Equivalência de Capitais
Matemática Financeira - Equivalência de CapitaisMatemática Financeira - Equivalência de Capitais
Matemática Financeira - Equivalência de Capitais
guest20a5fb
 
Matematica financeira regular 10
Matematica financeira regular 10Matematica financeira regular 10
Matematica financeira regular 10
J M
 
apresentação serie de pagamentos aula 4.pptx
apresentação serie de pagamentos aula 4.pptxapresentação serie de pagamentos aula 4.pptx
apresentação serie de pagamentos aula 4.pptx
VladiaArruda
 
Matematica financeira regular 2
Matematica financeira regular 2Matematica financeira regular 2
Matematica financeira regular 2
J M
 
Aula 9
Aula 9Aula 9
Matematica financeira regular 7
Matematica financeira regular 7Matematica financeira regular 7
Matematica financeira regular 7
J M
 
Apostila de matemática financeira
Apostila de matemática financeiraApostila de matemática financeira
Apostila de matemática financeira
Adm Nadir Prado - Buscando Recolocação Profissional
 
Juros simplesecomposta
Juros simplesecompostaJuros simplesecomposta
Juros simplesecomposta
Hermes de Oliveira
 

Semelhante a Cap5 (20)

Cap3
Cap3Cap3
Cap3
 
Cap6
Cap6Cap6
Cap6
 
Matemática Financeira - Modelos Genéricos de Anuidades
Matemática Financeira - Modelos Genéricos de AnuidadesMatemática Financeira - Modelos Genéricos de Anuidades
Matemática Financeira - Modelos Genéricos de Anuidades
 
Matematica financeira
Matematica financeiraMatematica financeira
Matematica financeira
 
Cap1
Cap1Cap1
Cap1
 
Matemática Financeira - Juros Simples
Matemática Financeira - Juros SimplesMatemática Financeira - Juros Simples
Matemática Financeira - Juros Simples
 
MATEMÁTICA FINANCEIRA - REGRA DE TRÊS SIMPLES / JUROS SIMPLES
MATEMÁTICA FINANCEIRA - REGRA DE TRÊS SIMPLES / JUROS SIMPLESMATEMÁTICA FINANCEIRA - REGRA DE TRÊS SIMPLES / JUROS SIMPLES
MATEMÁTICA FINANCEIRA - REGRA DE TRÊS SIMPLES / JUROS SIMPLES
 
Apostila mat financ_aplicada
Apostila mat financ_aplicadaApostila mat financ_aplicada
Apostila mat financ_aplicada
 
Prestação
PrestaçãoPrestação
Prestação
 
Apostila de matemática financeira
Apostila de matemática financeiraApostila de matemática financeira
Apostila de matemática financeira
 
Matemática Financeira - Equivalência de Capitais
Matemática Financeira - Equivalência de CapitaisMatemática Financeira - Equivalência de Capitais
Matemática Financeira - Equivalência de Capitais
 
Cap4
Cap4Cap4
Cap4
 
Matemática Financeira - Equivalência de Capitais
Matemática Financeira - Equivalência de CapitaisMatemática Financeira - Equivalência de Capitais
Matemática Financeira - Equivalência de Capitais
 
Matematica financeira regular 10
Matematica financeira regular 10Matematica financeira regular 10
Matematica financeira regular 10
 
apresentação serie de pagamentos aula 4.pptx
apresentação serie de pagamentos aula 4.pptxapresentação serie de pagamentos aula 4.pptx
apresentação serie de pagamentos aula 4.pptx
 
Matematica financeira regular 2
Matematica financeira regular 2Matematica financeira regular 2
Matematica financeira regular 2
 
Aula 9
Aula 9Aula 9
Aula 9
 
Matematica financeira regular 7
Matematica financeira regular 7Matematica financeira regular 7
Matematica financeira regular 7
 
Apostila de matemática financeira
Apostila de matemática financeiraApostila de matemática financeira
Apostila de matemática financeira
 
Juros simplesecomposta
Juros simplesecompostaJuros simplesecomposta
Juros simplesecomposta
 

Cap5

  • 1. Washington Franco Mathias José Maria Gomes Matemática Financeira Com + de 600 exercícios resolvidos e propostos 5ª Edição
  • 2. Capítulo 5 RENDAS CERTAS OU ANUIDADES Mathias Gomes
  • 3. Rendas Certas ou Anuidades Definições: Dada uma série de capitais, referidos às suas respectivas datas: R1 n1 R2 n2 ... ... Rm nm Estes capitais, referidos a uma dada taxa de ju- ros “i” caracterizam uma anuidade ou renda certa. VALORES = Termos da anuidade; PERÍODO = Intervalo de tempo entre dois termos; DURAÇÃO DA ANUIDADE = Soma dos períodos. Mathias Gomes
  • 4. Valor Atual e Montante de uma Anuidade Valor Atual: é a soma dos valores atuais dos seus termos, na mesma data focal e à mesma taxa de juros “i”. Montante: é a soma dos montantes dos seus ter- mos, considerada uma dada taxa de juros “i” e uma data focal. Mathias Gomes
  • 5. Classificação das Anuidades QUANTO AO PRAZO: • Temporárias: quando a duração for limitada. • Perpétuas: quando a duração for ilimitada. QUANTO AO VALOR DOS TERMOS: • Constante: quando todos os termos são iguais. • Variável: quando os termos não são iguais entre si. Mathias Gomes
  • 6. Classificação das Anuidades QUANTO À FORMA DE PAGAMENTO OU DE RECEBIMENTO: • Imediatas: quando os termos são exigíveis a partir do primeiro período. -> Postecipadas ou Vencidas: se os termos são exigíveis no fim dos períodos. -> Antecipadas: se os termos são exigíveis no início dos períodos. Mathias Gomes
  • 7. Classificação das Anuidades QUANTO À FORMA DE PAGAMENTO OU DE RECEBIMENTO: • Diferidas: quando os termos forem exigíveis a partir de uma data que não seja o primeiro perío- do. -> Postecipadas ou Vencidas: se os termos são exigíveis no fim dos períodos. -> Antecipadas: se os termos são exigíveis no início dos períodos. Mathias Gomes
  • 8. Classificação das Anuidades QUANTO À PERIODICIDADE: • Periódicas: se todos os períodos são iguais. • Não-periódicas: se os períodos não são i- guais entre si. Mathias Gomes
  • 9. Modelo Básico de Anuidade São as anuidades que são: • Temporárias; • Constantes; • Imediatas e Postecipadas; • Periódicas; • A taxa de juros “i” está referida ao mesmo pe- ríodo dos termos. Mathias Gomes
  • 10. Valor Atual do Modelo Básico P = principal P n = número de termos R R = termos R R i = taxa de juros 0 1 2 n P = R.a¬ n i Diz-se que o principal vai ser pago em “n” par- celas (prestações) iguais a “R”. Mathias Gomes
  • 11. Valor Atual do Modelo Básico EXEMPLO a¬ = lê-se “a, n, cantoneira, i” ou “a, n, i”. n i O cálculo de a¬n i é feito do seguinte modo: (1+ i)n −1 a¬ = n i i(1+ i)n Esta fórmula encontra-se tabelada para diversos valores de “n” e de “i” (veja tabelas no fim do li- vro). Mathias Gomes
  • 12. Exemplo I) João compra um carro, que irá pagar em 4 prestações men- sais de $ 2.626,24, sem entrada. As prestações serão pagas a partir do mês seguinte ao da compra e o vendedor afirmou es- tar cobrando uma taxa de juros compostos de 2% a.m. Pergun- ta-se o preço do carro à vista. Resolução: (1+ i)n −1 a¬ = n i i(1+ i)n onde: n = 4 meses i = 2% a.m. (1,02) − 1 4 a¬ i= n 4 ≅ 3,807729 0,02.(1,02) Portanto, como R = 2.626,24: P = 2.626,24 x 3,807729 = 10.000,00 Mathias Gomes
  • 13. Exemplo II) Um televisor em cores custa $ 5.000,00 a vista, mas pode ser financiado sem entrada em 10 prestações mensais à taxa de 3% a.m. Calcular a prestação a ser paga pelo comprador. Resolução: P R= a¬ i n onde: P = 5.000,00 n = 10 m. i = 3% a.m. Procurando numa tabela ou calculando diretamente, tem-se: a 10 3 ≅ 8 , 530203 ¬ 5 . 000 , 00 R = = $ 586 ,15 8 , 530203 Mathias Gomes
  • 14. Exemplo Portanto, o comprador deverá pagar uma prestação men- sal de $ 586,15, por 10 meses. III) Uma aparelhagem de som estereofônico está anunciada nas seguintes condições: $ 1.500,00 de entrada e 3 prestações men- sais iguais de $ 1.225,48. Sabendo-se que o juro cobrado nas lo- jas de som é de 2,5% a.m., calcular o preço a vista. Resolução: Chamando a entrada de E e as prestações de R, te- mos: P E { R R R 0 1 2 3 Mathias Gomes
  • 15. Exemplo Portanto, o principal (P), que é o valor atual das prestações na data zero somado à entrada (E), pode ser expresso do seguinte modo: P = E + Ra¬ 3 2,5 onde: E = 1.500,00 R = 1.225,48 a ¬ 2,5≅ 2 , 856024 3 Logo: P = 1.500,00 + 1.225,48 x 2,856024 P = 1.500,00 + 3.500,00 P = $ 5.000,00 Portanto, o preço à vista nas condições dadas é de $ 5.000,00. Mathias Gomes
  • 16. Exemplo V) Um tapete persa é vendido por $ 15.000,00 à vista. Pode ser adquirido também em prestações mensais de $ 885,71, a juros de 3% a.m. Sabendo que as prestações vencem a partir do mês seguinte ao da compra, pede-se para calcular o número de pres- tações. Resolução: P = R .a ¬ i n 15 . 000 = 885 , 71 .a ¬ 3 n 15 . 000 a ¬3 = n = 16 ,935566 885 , 71 Temos que: 16 ,935566 = 1 − (1, 03 ) − n 0 , 03 1 − (1, 03 ) − n = 0 ,508067 (1, 03 ) − n = 0 , 491933 Mathias Gomes
  • 17. Exemplo Extraindo o logaritmo dos dois membros, tem-se: −n log(1, 03) = log(0, 491933) log(0, 491933) n=− log(1, 03) −0,308094 n=− ≅ 24 meses 0, 012837 Mathias Gomes
  • 18. Montante do Modelo Básico EXEMPLO S = montante S n = número de termos R R = termos R R i = taxa de juros 0 1 2 n-1 n S = R.s¬ i n Diz-se que “s” é o resultado de um processo de capitalização (aplicação) de “n” parcelas iguais a “R”. Mathias Gomes
  • 19. Exemplo I) Uma pessoa deposita $ 1.000,00 mensalmente. Sabendo-se que ela está ganhando 2% a.m., quanto possuirá em 2 anos ? Resolução: S = R .S ¬ i n onde: R =1.000,00 S 24 2= 30 , 421862 ¬ Portanto: S = 1.000,00 x 30,421862 S = $ 30.421,86 Logo, após 2 anos, a pessoa possuirá $ 30.421,86. Mathias Gomes
  • 20. Montante do Modelo Básico EXEMPLO s¬ = lê-se “s, n, cantoneira, i” ou “s, n, i”. n i O cálculo de s¬ é feito do seguinte modo: n i (1+ i)n −1 s¬ = n i i Esta fórmula encontra-se tabelada para diversos valores de “n” e de “i” (ver tabelas no fim do li- vro). Mathias Gomes
  • 21. Exemplo II) Uma pessoa deseja comprar um carro por $ 40.000,00 à vis- ta, daqui a 12 meses. Admitindo-se que ela vá poupar uma cer- ta quantia mensal que será aplicada em letras de câmbio ren- dendo 2,2% a.m. de juros compostos, determinar quanto deve ser poupado mensalmente. Resolução: Neste caso, o montante é dado: S = 40.000,00 Como a taxa de 2,2% não se encontra tabelada, faze- mos o cálculo diretamente: (1, 022 ) 12 − 1 1, 298407 − 1 ¬= S12 2,2 = 0 , 022 0 , 022 0 , 298407 = = 13 ,563955 0 , 022 Mathias Gomes
  • 22. Exemplo Temos: S R= ¬ S 12 2,2 40 . 000 R= 2 . 948 ,99 13 ,563955 ∴ R = $ 2 . 949 , 00 Então, se a pessoa poupar $ 2.949,00 por mês e fizer a aplicação a 2,2% a.m. por 12 meses poderá comprar o carro pretendido. Mathias Gomes
  • 23. Relação entre o Valor Atual e o Montante do Modelo Básico EXEMPLO A relação é: S =P(1+i)n E a relação entre os fatores é a seguinte: s¬ = (1+ i)n .a¬ n i n i Mathias Gomes
  • 24. Exemplo Uma pessoa possui $ 30.000,00, que pode aplicar do seguinte modo: a) no banco A, que paga um juro de 3% a.m. ao fim de cada mês, devolvendo o capital no fim do 12º mês; B) no banco B, que devolve $ 42.000,00 no fim do 12º mês. Pede-se determinar a melhor aplicação. Resolução: A melhor aplicação será aquela que conduzir ao maior montante na data focal 12: Banco A: A aplicação de $ 30.000,00 a um juro de 3% a.m. produz uma renda mensal de $ 900,00. Portanto, o mon- tante na data focal 12 é: Mathias Gomes
  • 25. Exemplo SA = 30.000 + 900,00.S¬ 3 12 SA = 30.000 + 900,00 x14,192030 SA = 30.000 + 12.772,83 SA = $42.772,83 Note-se que pela fórmula este resultado pode ser obtido dire- tamente: S = P (1 + i ) n SA = 30.000.(1,03)12 SA = 30.000 x1,425761 SA = $42.772,83 Mathias Gomes
  • 26. Exemplo Já sabemos que o Banco B devolve: SB = $ 42.000,00 Logo, concluímos que é melhor aplicar no Banco A, ganhando um adicional de $ 772,83. Mathias Gomes