SlideShare uma empresa Scribd logo
Juros Simples

Juros simples é o acréscimo percentual que normalmente é cobrado quando uma
dívida não foi pago na data do vencimento.
Financiamento de casa própria
A casa própria é o sonho de muitas famílias, mas financiar um imóvel não é tarefa
simples, tampouco cotidiana. Para ajudar as pessoas que estão à procura da melhor
maneira de financiar o sonho da casa própria, a Associação Brasileira de Defesa do
Consumidor (Pro Teste) analisou três tipos de financiamentos nos bancos: o de imóveis
que custam de R$100 a R$150 mil, outro entre R$150 e R$350 mil e um terceiro para
imóveis acima de R$350 mil.




www.siteadministravel.com.br


Existem atualmente três sistemas de financiamento imobiliário: o SFH (Sistema
Financeiro de Habitação), o SFI (Sistema Financeiro Imobiliário) e a CH (Carteira
Hipotecária). O SFH foi criado pelo Conselho Monetário para estimular a compra de
imóvel por cidadãos comuns, por isso, permite a utilização do FGTS e estabelece um
teto para a cobrança de juros (8% a 12%), para os valores financiados (80% de imóveis
até R$350 mil) e para os prazos de financiamento.
O SFI dá mais liberdade às instituições para a fixação de taxas e valores, uma vez que
utiliza recursos do próprio banco. Cada instituição define seu limite para o valor do
imóvel, o máximo financiável, a taxa de juros e o prazo para o pagamento. Segundo o
levantamento realizado pela Pro Teste, as taxas de juros cobradas pelas instituições
nesse sistema variam de 11,9% a 14%. Financiamentos pelo SFI permitem utilização do
FGTS quando o imóvel não ultrapassar o valor de R$350 mil.
www.ibedec.org.br


Juros simples são os juros cobrados no ato do pagamento e é proporcional ao
capital (C= valor do empréstimo), taxa percentual (i= índice) cobrada e tempo (t)
em que ficará devendo.
J = C. i. t


Montante é o saldo final, incluindo o juro e capital.
M = C + J = C + C.i.t , colocando C em evidância:
M = C(1 + i.t)
A cobrança de juros simples é o praticado em pequeno comércio ou empréstimo
contraído entre as pessoas comuns, quando o devedor paga no pré dia determinado.


Juros Composto é o juro simples sobre juros simples.
Em juros compostos, o montante anterior vai se tornando o novo capital, de modo
que o crescimento torna-se muito maior após certo tempo.




/blog.estadao.com.br


M= C(1 + i)t
Onde M = montante (C + J), i = taxa percentual e t = tempo.
A grande parte das transações financeiras feitas com Instituições Financeiras
(administrador legal de dinheiro dos outros) é calculada através de juros
compostos.
Caderneta de Poupança
Da mesma forma que devemos pagar certo juro pelo empréstimo contraído, se
guardarmos o excedente do dinheiro (Capital) em uma Caderneta de Poupança,
recebemos juros sobre o valor aplicado.
A caderneta de poupança é um dos investimentos mais populares do país, que conta
com simplicidade e baixo risco. Além disso, é garantida pelo governo e suas regras
de funcionamento são reguladas pelo Banco Central. A remuneração da caderneta
de poupança é de 0,5% ao mês (6,17% a.a.), mais a variação da TR.
A caderneta de Poupança é isenta de imposto de renda (por enquanto) e de
IOF(imposto sobre operações financeiras), o que torna mais atraente em certas
ocasiões, do que outros tipos de aplicações.


                                   Outros investimentos
CDB ou Certificado de depósito bancário

Os CDB consistem em um depósito a prazo predeterminado e rentabilidade pré ou
pós-fixada. Isto determina dois tipos, portanto de CDB. Os pré-fixados têm a sua
rentabilidade expressas unicamente nas taxas de juros, sempre referidas ao ano. Os pós-
fixados são atrelados à TR (ou IGPM), que é mensal e usada como correção, acrescida
de uma taxa de juros que se refere ao ano e com prazo mínimo de um mês.

Esses papéis podem ter ou não deságio (pagar menos do que vale, no ato da compra
desses títulos) na sua emissão.

Na aplicação em títulos como CDB e rendas fixas, é cobrada IOF sobre o
rendimento do título, que varia de 96% e vai decrescendo até 1% para prazos
superiores a 30 dias e imposto de renda de 20% sobre o que restou do rendimento.




Fundo de Renda Fixa

É também um tipo de empréstimo que você fará aos administradores, que agora pode
ser banco, instituições financeiras ou governo.
Nesse caso, os administradores juntam o dinheiro de pequenos aplicadores para aplicar
em títulos públicos ou privados.
O risco de perda nas aplicações como CDB e Renda Fixa, é pequeno.




!. Um capital é aplicado, a juros simples, durante 5 meses, a taxa de 1% a.
m, gerou nesse período, um montante de R$ 1260,00. Qual foi o valor do
capital aplicado?

Resolução:
M = 1260,00
T = 5m
i = 1%a.m
C =?
                                    1                   105
M = C(1 + i.t)→ 1260 = C (1 +          .5) → 1260 = C (
                                   100                  100)
        100
1260.       = C= 1200
        105
2. Um capital é aplicado, a juros simples, à taxa de 16% a.a. Durante quanto
tempo, no mínimo, deve ser aplicado, para que seja possível resgatar o quádruplo
do que foi aplicado?
Resolução:
i = 16% a.a
t =?
M = 4.C
C=C
                                 16         4C     16t
                   4C = C (1 +       .t ) →    =1+     ( simplificando...)
M = C(1 + i.t) →                 100        C      100


     300
t=       → t = 18,75anos
     16
3. (UF.Juiz de Fora) O preço à vista de uma mercadoria é de R$ 1300,00. O comprador pode
pagar 20% de entrada no ato da compra e o restante em uma única parcela de R$ 1133,60,
vencível em 3 meses. Admitindo-se o regime de juros simples comerciais, qual é a taxa de
juros anual cobrada a vendas à prazo?
Resolução:
O juro sempre é cobrado sobre o saldo devedor, como o cliente vai pagar 20%, deve 80%
de1300 reais.
C = 80% de 1300 = 0,8 . 1300 = 1040,00
M = 1133,60
T = 3m
I=?
M = C(1 + i.t) → 1133,60 = 1040(1 + i.3)
1133,60                            0,09
        = 1 + 3i → 1,09 − 1 = 3i →      = i → 0,03 = 3% a.m
 1040                                3
Resposta: 3% a.m
                                                 Lembre-se:
                                                 O tempo t e a taxa i precisam estar com as
                                                 unidades coerentes.
                                                 Não deve usar t em meses e taxa anual, por
                                                 exemplo.
                                                 Faça aconversão 1 ano = 12meses, ou 1
                                                 mês = 30 dias.
                                                 O tempo pode ser diferenciado em prazo
                                                 comercial: 1ano=360 dias e 1 mês = 30 dias
                                                 Prazo exato: 1 ano = 365 dias ou 366
                                                 dias(ano bissexto) e 1mês pode variar.
                                                 *** Rendimento é mesmo que
                                                 JUROS



      1. Durante quanto tempo deve ser aplicado um capital para que o seu valor dobre, no
         sistemas de juros simples, à taxa de 2% a.m?
      2. Um capital aplicado a juros simples rendeu, à taxa de 25% ao ano, juros de R$ 110,00,
         depois de 24 meses. Qual foi esse capital?
      3. (FGV-SP adaptado) Um investidor norte americano traz U$ 50 000,00, faz a conversão
         para reais, aplica esse dinheiro por 1 ano à taxa de 18% a.a e no resgate, converte
         para dólares e envia-os para EUA. No dia da aplicação o dólar valia R$ 1,89 e no dia
         do resgate valia R$ 2,30. Qual foi o valor do resgate total desse aplicador em reais? E
         em dólares?
      4. No exercício anterior, se no dia da aplicação U$ 1,00 = R$ 2,30 e no dia do resgate
         fosse U$1,00 = R$1,89?
      5. (FGV-SP) Carlos adquiriu um aparelho de TV em cores pagando uma entrada de R$
         200,00 mais uma parcela de R$ 450,00 dois meses após a compra. Sabendo-se que o
preço á vista do aparelho é de R$ 600,00, qual a taxa mensal de juros simples do
      financiamento?
Re: 1.) 50meses             2)R$ 220,00         3) R$ 111.510,00 reais e 48.482,60 dóalres
4).135.700reais e 71.798,94 dólares        5) 6,25%a.m.




1. Um pequeno poupador abriu uma caderneta de poupança com R$ 100,00.
      Supondo rendimento constante de 2% a.m, determine o tempo necessário ara
      esse poupador resgatar R$ 200,00.
Resolução:
M = 200
C= 100,00
I= 2%a.m
T= ?
                                    2 t
M = C (1 + i ) t → 200 = 100(1 +       )
                                   100
200 102 t
   =(   ) → 2 = 1,02 t → log 1, 02 = t = 35meses
                             2

100 100

2. O capital de R$ 2000,00 aplicado a juros compostos, rendeu, após 4 meses, juros
de R$ 165,00. Qual foi a taxa de juros?
C= 2000,00
T = 4meses
J = 165,00
I=?
M = 2000,00+ 165,00 = 2165,00
                                       i 4
M = C (1 + i ) t → 2165 = 2000(1 +        )
                                      100
2165            i 4                      i 
       = (1 +      ) → 4 1,0825 = 4 1 +    
2000           100                    100 
             i                    i
1,02 = 1 +       → 1,02 − 1,00 =     → 0,02.100 = i = 2%
           100                   100
3.(UF-MG) Um televisor estava anunciado por R$ 5000,00 para pagamento à
vista ou em três prestações iguais mensais de R$ 1850,00 cada, a primeira delas
a ser paga um mês após a compra. Paulo, em vez de pagar á vista, resolveu
depositar no dia da compra, os R$ 5000,00 numa caderneta de poupança, que
lhe rendeu 2% a.m nos próximos 3 meses. Dese modo, ele esperava liquidar a
dívida, fazendo retiradas mensais de 1850,00 daquela poupança nas datas de
vencimento de cada prestação. Mostre se a opção do Paulo foi boa.
Resolução:
Na parte de aplicação, como a retirada será mensal, devemos calcular todos os
meses, por isso podemos considerar como juros simples para cada mês..
1° mês: M1 = 5000(1+ 0,02.1) = 5100
Com a retirada de 1850:
5100-1850 = 3250
2° mês: M2 = 3250(1 + 0,02.1) = 3315,00
Retirando 3315,00 – 1850 = 1465,00
3° mês: M = 1465(1+ 0,02.1) = 1494,30
Pagando a última prestação: 1494,30- 1850 = -355,7
A opção não foi boa porque a taxa de juros da poupança é muito menor que a
cobrada pela loja.




1. Qual deverá ser o montante produzido pelo capital de R$ 20 000,00, aplicado a
   juros compostos, à taxa de 20% a.a, durante 1 trimestre?
2. Uma pessoa deseja aplicar R$ 10500,00 a juros com,postos e no fim de 4 meses
   obter 12 750,00. Qual deve ser a taxa de aplicação?
3. Após quanto tempo, à taxa de 4% a.m, a aplicação de R$ 1380,00 renderá juros
   de R$ 170,00, no sistema de juros compostos?
4. Uma loja de eletrodomésticos oferece ao cliente duas opções de pagamento:
a) à vista com 25% de desconto;
b) em 2 prestações mensais iguais, sem desconto, com a primeira prestação sendo
   paga no ato da compra.
Qual das duas opções é melhor?
Qual a taxa de juros embutidos nas vendas a prazo?
5. Uma pessoa vai fazer uma compra no valor de R$ 4000,00 usando o que tem na
   caderneta de poupança, que está rendendo 1% a.m. Ela quer saber, do ponto de
   vista financeiro, qual plano de pagamento é mais vantajoso:
a) pagar à vista;
b) pagar em 2 prestações, deR4 200,5,00 cada.
6. Todo o início do ano, o brasileiro que possui automóveis deve pagar o IPVA,
   imposto sobre a Propriedade dos Veículos Automotores. Para o pagamento do
   IPVA de 2003, o governo ofereceu as seguintes condições:
a) pagamento em cota única com desconto de 3,5% para pagar até o dia 15 de
   fevereiro de 2003;
b) cota única sem desconto, vencível em 15 de fevereiro.
c) em 3 parcelas iguais, cada uma equivalente a 1/3 do imposto devido, nas datas
   de 15 de janeiro, 15 de fevereiro e 15 de março.
Supondo que uma pessoa precisou pagar um IPVA de R$ 900,00 e possuía no dia 15
de janeiro de 2003, o dinheiro suficiente para escolher qualquer uma das opções, e
que esses recursos poderia ser aplicados em fundos de renda fixa, com remuneração
média de 1,2% a.m. Qual das três opções é melhor?




Respostas:
1) 21.016,76
2 4,97%
3.) 2,96
4. a 1º opção, taxa é de 100%
5-)o segundo
6- )a primeira
Juros simplesecomposta

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Matemática financeira pronatec aula 2
Matemática financeira pronatec   aula 2Matemática financeira pronatec   aula 2
Matemática financeira pronatec aula 2
Augusto Junior
 
Apostila matemática financeira
Apostila matemática financeiraApostila matemática financeira
Apostila matemática financeira
Wstallony Gomes
 
Apostila de matemática financeira
Apostila de matemática financeiraApostila de matemática financeira
Apostila de matemática financeira
Adriana Alves
 
Apostila matematica financéira
Apostila matematica financéiraApostila matematica financéira
Apostila matematica financéira
jefdan
 
Apostila matematica financeira
Apostila matematica financeiraApostila matematica financeira
Apostila matematica financeira
bloguerreiro
 
Apostila matemática financeira
Apostila matemática financeiraApostila matemática financeira
Apostila matemática financeira
Gibran Bortoletto Sproger
 
Simulado matemática financeira
Simulado matemática financeiraSimulado matemática financeira
Simulado matemática financeira
Felipe Couto
 
Matemática Financeira 02
Matemática Financeira 02Matemática Financeira 02
Matemática Financeira 02
Carol Salvato
 
Cc apostila -mat. fin. - fesp
Cc   apostila -mat. fin. - fespCc   apostila -mat. fin. - fesp
Cc apostila -mat. fin. - fesp
Paulo Franca
 
Mat Financeira
Mat FinanceiraMat Financeira
Mat Financeira
Carlos Castro
 
Matematica Financeira
Matematica FinanceiraMatematica Financeira
Matematica Financeira
Superprovas Software
 
Caderno - Matemática Financeira
Caderno - Matemática FinanceiraCaderno - Matemática Financeira
Caderno - Matemática Financeira
Cadernos PPT
 
Apostila de-matematica-financeira-completissima
Apostila de-matematica-financeira-completissimaApostila de-matematica-financeira-completissima
Apostila de-matematica-financeira-completissima
Adm Nadir Prado - Buscando Recolocação Profissional
 
Matemática Financeira - Equivalência de Capitais
Matemática Financeira - Equivalência de CapitaisMatemática Financeira - Equivalência de Capitais
Matemática Financeira - Equivalência de Capitais
guest20a5fb
 
Matemática Financeira 2012_02
Matemática Financeira 2012_02Matemática Financeira 2012_02
Matemática Financeira 2012_02
Milton Henrique do Couto Neto
 
MATEMÁTICA FINANCEIRA - REGRA DE TRÊS SIMPLES / JUROS SIMPLES
MATEMÁTICA FINANCEIRA - REGRA DE TRÊS SIMPLES / JUROS SIMPLESMATEMÁTICA FINANCEIRA - REGRA DE TRÊS SIMPLES / JUROS SIMPLES
MATEMÁTICA FINANCEIRA - REGRA DE TRÊS SIMPLES / JUROS SIMPLES
Tulipa Zoá
 
Matemática Financeira - Juros Simples
Matemática Financeira - Juros SimplesMatemática Financeira - Juros Simples
Matemática Financeira - Juros Simples
guest20a5fb
 
MATEMATICA .:. FINANCEIRA .:. www.tc58n.wordpress.com
MATEMATICA .:. FINANCEIRA .:. www.tc58n.wordpress.comMATEMATICA .:. FINANCEIRA .:. www.tc58n.wordpress.com
MATEMATICA .:. FINANCEIRA .:. www.tc58n.wordpress.com
Claudio Parra
 
Matemática Financeira - Modelos Genéricos de Anuidades
Matemática Financeira - Modelos Genéricos de AnuidadesMatemática Financeira - Modelos Genéricos de Anuidades
Matemática Financeira - Modelos Genéricos de Anuidades
guest20a5fb
 

Mais procurados (19)

Matemática financeira pronatec aula 2
Matemática financeira pronatec   aula 2Matemática financeira pronatec   aula 2
Matemática financeira pronatec aula 2
 
Apostila matemática financeira
Apostila matemática financeiraApostila matemática financeira
Apostila matemática financeira
 
Apostila de matemática financeira
Apostila de matemática financeiraApostila de matemática financeira
Apostila de matemática financeira
 
Apostila matematica financéira
Apostila matematica financéiraApostila matematica financéira
Apostila matematica financéira
 
Apostila matematica financeira
Apostila matematica financeiraApostila matematica financeira
Apostila matematica financeira
 
Apostila matemática financeira
Apostila matemática financeiraApostila matemática financeira
Apostila matemática financeira
 
Simulado matemática financeira
Simulado matemática financeiraSimulado matemática financeira
Simulado matemática financeira
 
Matemática Financeira 02
Matemática Financeira 02Matemática Financeira 02
Matemática Financeira 02
 
Cc apostila -mat. fin. - fesp
Cc   apostila -mat. fin. - fespCc   apostila -mat. fin. - fesp
Cc apostila -mat. fin. - fesp
 
Mat Financeira
Mat FinanceiraMat Financeira
Mat Financeira
 
Matematica Financeira
Matematica FinanceiraMatematica Financeira
Matematica Financeira
 
Caderno - Matemática Financeira
Caderno - Matemática FinanceiraCaderno - Matemática Financeira
Caderno - Matemática Financeira
 
Apostila de-matematica-financeira-completissima
Apostila de-matematica-financeira-completissimaApostila de-matematica-financeira-completissima
Apostila de-matematica-financeira-completissima
 
Matemática Financeira - Equivalência de Capitais
Matemática Financeira - Equivalência de CapitaisMatemática Financeira - Equivalência de Capitais
Matemática Financeira - Equivalência de Capitais
 
Matemática Financeira 2012_02
Matemática Financeira 2012_02Matemática Financeira 2012_02
Matemática Financeira 2012_02
 
MATEMÁTICA FINANCEIRA - REGRA DE TRÊS SIMPLES / JUROS SIMPLES
MATEMÁTICA FINANCEIRA - REGRA DE TRÊS SIMPLES / JUROS SIMPLESMATEMÁTICA FINANCEIRA - REGRA DE TRÊS SIMPLES / JUROS SIMPLES
MATEMÁTICA FINANCEIRA - REGRA DE TRÊS SIMPLES / JUROS SIMPLES
 
Matemática Financeira - Juros Simples
Matemática Financeira - Juros SimplesMatemática Financeira - Juros Simples
Matemática Financeira - Juros Simples
 
MATEMATICA .:. FINANCEIRA .:. www.tc58n.wordpress.com
MATEMATICA .:. FINANCEIRA .:. www.tc58n.wordpress.comMATEMATICA .:. FINANCEIRA .:. www.tc58n.wordpress.com
MATEMATICA .:. FINANCEIRA .:. www.tc58n.wordpress.com
 
Matemática Financeira - Modelos Genéricos de Anuidades
Matemática Financeira - Modelos Genéricos de AnuidadesMatemática Financeira - Modelos Genéricos de Anuidades
Matemática Financeira - Modelos Genéricos de Anuidades
 

Semelhante a Juros simplesecomposta

Apostila mat financ_aplicada
Apostila mat financ_aplicadaApostila mat financ_aplicada
Apostila mat financ_aplicada
Leandro Goiano
 
Matemática financeira
Matemática financeiraMatemática financeira
Matemática financeira
Leandro Rios Leão
 
juros compostos.pptttttttttttttttttttttt
juros compostos.ppttttttttttttttttttttttjuros compostos.pptttttttttttttttttttttt
juros compostos.pptttttttttttttttttttttt
PedroSouza907373
 
Juros
JurosJuros
Juros Simples
Juros SimplesJuros Simples
Juros Simples
lucasjatem
 
Matematica financeira
Matematica financeiraMatematica financeira
Matematica financeira
Avinner Liberato
 
PITSTOP - Juros e Tesouraria - final 2023-08-08
PITSTOP - Juros e Tesouraria - final 2023-08-08PITSTOP - Juros e Tesouraria - final 2023-08-08
PITSTOP - Juros e Tesouraria - final 2023-08-08
MarianaTakitane1
 
Bizcool matemática financeira
Bizcool   matemática financeiraBizcool   matemática financeira
Bizcool matemática financeira
Bizcool | Escola Aceleradora
 
Aula 03 matemática financeira
Aula 03 matemática financeiraAula 03 matemática financeira
Aula 03 matemática financeira
Cláudio Pina - VENTURA Business Management
 
06 jurossimplesecompostos
06 jurossimplesecompostos06 jurossimplesecompostos
06 jurossimplesecompostos
Ricardo Colosimo
 
Gestâo financeira
Gestâo financeiraGestâo financeira
Gestâo financeira
UNIMETRO
 
CAPITAL MONTANTE E JUROS.pptx
CAPITAL MONTANTE E JUROS.pptxCAPITAL MONTANTE E JUROS.pptx
CAPITAL MONTANTE E JUROS.pptx
EJZAGO1
 
AULA 1 - MATEMÁTICA FINANCEIRA
AULA 1 - MATEMÁTICA FINANCEIRAAULA 1 - MATEMÁTICA FINANCEIRA
AULA 1 - MATEMÁTICA FINANCEIRA
Otávio Sales
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
Cleber Renan
 
Juros
JurosJuros
Evp simulado 01_resolucoes
Evp simulado 01_resolucoesEvp simulado 01_resolucoes
Evp simulado 01_resolucoes
contacontabil
 
Juros simples1345 educação financeira
Juros simples1345 educação financeiraJuros simples1345 educação financeira
Juros simples1345 educação financeira
Raquelalynedrumond
 
Mat juros simples
Mat juros simplesMat juros simples
Mat juros simples
trigono_metria
 
Apostila de MAtemática Financeira
Apostila de MAtemática FinanceiraApostila de MAtemática Financeira
Apostila de MAtemática Financeira
Giselle Onuki
 
Aula 5 juros
Aula 5   jurosAula 5   juros
Aula 5 juros
Vicente Lopes da Luz
 

Semelhante a Juros simplesecomposta (20)

Apostila mat financ_aplicada
Apostila mat financ_aplicadaApostila mat financ_aplicada
Apostila mat financ_aplicada
 
Matemática financeira
Matemática financeiraMatemática financeira
Matemática financeira
 
juros compostos.pptttttttttttttttttttttt
juros compostos.ppttttttttttttttttttttttjuros compostos.pptttttttttttttttttttttt
juros compostos.pptttttttttttttttttttttt
 
Juros
JurosJuros
Juros
 
Juros Simples
Juros SimplesJuros Simples
Juros Simples
 
Matematica financeira
Matematica financeiraMatematica financeira
Matematica financeira
 
PITSTOP - Juros e Tesouraria - final 2023-08-08
PITSTOP - Juros e Tesouraria - final 2023-08-08PITSTOP - Juros e Tesouraria - final 2023-08-08
PITSTOP - Juros e Tesouraria - final 2023-08-08
 
Bizcool matemática financeira
Bizcool   matemática financeiraBizcool   matemática financeira
Bizcool matemática financeira
 
Aula 03 matemática financeira
Aula 03 matemática financeiraAula 03 matemática financeira
Aula 03 matemática financeira
 
06 jurossimplesecompostos
06 jurossimplesecompostos06 jurossimplesecompostos
06 jurossimplesecompostos
 
Gestâo financeira
Gestâo financeiraGestâo financeira
Gestâo financeira
 
CAPITAL MONTANTE E JUROS.pptx
CAPITAL MONTANTE E JUROS.pptxCAPITAL MONTANTE E JUROS.pptx
CAPITAL MONTANTE E JUROS.pptx
 
AULA 1 - MATEMÁTICA FINANCEIRA
AULA 1 - MATEMÁTICA FINANCEIRAAULA 1 - MATEMÁTICA FINANCEIRA
AULA 1 - MATEMÁTICA FINANCEIRA
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
Juros
JurosJuros
Juros
 
Evp simulado 01_resolucoes
Evp simulado 01_resolucoesEvp simulado 01_resolucoes
Evp simulado 01_resolucoes
 
Juros simples1345 educação financeira
Juros simples1345 educação financeiraJuros simples1345 educação financeira
Juros simples1345 educação financeira
 
Mat juros simples
Mat juros simplesMat juros simples
Mat juros simples
 
Apostila de MAtemática Financeira
Apostila de MAtemática FinanceiraApostila de MAtemática Financeira
Apostila de MAtemática Financeira
 
Aula 5 juros
Aula 5   jurosAula 5   juros
Aula 5 juros
 

Juros simplesecomposta

  • 1. Juros Simples Juros simples é o acréscimo percentual que normalmente é cobrado quando uma dívida não foi pago na data do vencimento. Financiamento de casa própria A casa própria é o sonho de muitas famílias, mas financiar um imóvel não é tarefa simples, tampouco cotidiana. Para ajudar as pessoas que estão à procura da melhor maneira de financiar o sonho da casa própria, a Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Pro Teste) analisou três tipos de financiamentos nos bancos: o de imóveis que custam de R$100 a R$150 mil, outro entre R$150 e R$350 mil e um terceiro para imóveis acima de R$350 mil. www.siteadministravel.com.br Existem atualmente três sistemas de financiamento imobiliário: o SFH (Sistema Financeiro de Habitação), o SFI (Sistema Financeiro Imobiliário) e a CH (Carteira Hipotecária). O SFH foi criado pelo Conselho Monetário para estimular a compra de imóvel por cidadãos comuns, por isso, permite a utilização do FGTS e estabelece um teto para a cobrança de juros (8% a 12%), para os valores financiados (80% de imóveis até R$350 mil) e para os prazos de financiamento. O SFI dá mais liberdade às instituições para a fixação de taxas e valores, uma vez que utiliza recursos do próprio banco. Cada instituição define seu limite para o valor do imóvel, o máximo financiável, a taxa de juros e o prazo para o pagamento. Segundo o levantamento realizado pela Pro Teste, as taxas de juros cobradas pelas instituições
  • 2. nesse sistema variam de 11,9% a 14%. Financiamentos pelo SFI permitem utilização do FGTS quando o imóvel não ultrapassar o valor de R$350 mil. www.ibedec.org.br Juros simples são os juros cobrados no ato do pagamento e é proporcional ao capital (C= valor do empréstimo), taxa percentual (i= índice) cobrada e tempo (t) em que ficará devendo. J = C. i. t Montante é o saldo final, incluindo o juro e capital. M = C + J = C + C.i.t , colocando C em evidância: M = C(1 + i.t) A cobrança de juros simples é o praticado em pequeno comércio ou empréstimo contraído entre as pessoas comuns, quando o devedor paga no pré dia determinado. Juros Composto é o juro simples sobre juros simples. Em juros compostos, o montante anterior vai se tornando o novo capital, de modo que o crescimento torna-se muito maior após certo tempo. /blog.estadao.com.br M= C(1 + i)t Onde M = montante (C + J), i = taxa percentual e t = tempo. A grande parte das transações financeiras feitas com Instituições Financeiras (administrador legal de dinheiro dos outros) é calculada através de juros compostos.
  • 3. Caderneta de Poupança Da mesma forma que devemos pagar certo juro pelo empréstimo contraído, se guardarmos o excedente do dinheiro (Capital) em uma Caderneta de Poupança, recebemos juros sobre o valor aplicado. A caderneta de poupança é um dos investimentos mais populares do país, que conta com simplicidade e baixo risco. Além disso, é garantida pelo governo e suas regras de funcionamento são reguladas pelo Banco Central. A remuneração da caderneta de poupança é de 0,5% ao mês (6,17% a.a.), mais a variação da TR. A caderneta de Poupança é isenta de imposto de renda (por enquanto) e de IOF(imposto sobre operações financeiras), o que torna mais atraente em certas ocasiões, do que outros tipos de aplicações. Outros investimentos CDB ou Certificado de depósito bancário Os CDB consistem em um depósito a prazo predeterminado e rentabilidade pré ou pós-fixada. Isto determina dois tipos, portanto de CDB. Os pré-fixados têm a sua rentabilidade expressas unicamente nas taxas de juros, sempre referidas ao ano. Os pós- fixados são atrelados à TR (ou IGPM), que é mensal e usada como correção, acrescida de uma taxa de juros que se refere ao ano e com prazo mínimo de um mês. Esses papéis podem ter ou não deságio (pagar menos do que vale, no ato da compra desses títulos) na sua emissão. Na aplicação em títulos como CDB e rendas fixas, é cobrada IOF sobre o rendimento do título, que varia de 96% e vai decrescendo até 1% para prazos superiores a 30 dias e imposto de renda de 20% sobre o que restou do rendimento. Fundo de Renda Fixa É também um tipo de empréstimo que você fará aos administradores, que agora pode ser banco, instituições financeiras ou governo. Nesse caso, os administradores juntam o dinheiro de pequenos aplicadores para aplicar em títulos públicos ou privados.
  • 4. O risco de perda nas aplicações como CDB e Renda Fixa, é pequeno. !. Um capital é aplicado, a juros simples, durante 5 meses, a taxa de 1% a. m, gerou nesse período, um montante de R$ 1260,00. Qual foi o valor do capital aplicado? Resolução: M = 1260,00 T = 5m i = 1%a.m C =? 1 105 M = C(1 + i.t)→ 1260 = C (1 + .5) → 1260 = C ( 100 100) 100 1260. = C= 1200 105 2. Um capital é aplicado, a juros simples, à taxa de 16% a.a. Durante quanto tempo, no mínimo, deve ser aplicado, para que seja possível resgatar o quádruplo do que foi aplicado? Resolução: i = 16% a.a t =? M = 4.C C=C 16 4C 16t 4C = C (1 + .t ) → =1+ ( simplificando...) M = C(1 + i.t) → 100 C 100 300 t= → t = 18,75anos 16 3. (UF.Juiz de Fora) O preço à vista de uma mercadoria é de R$ 1300,00. O comprador pode pagar 20% de entrada no ato da compra e o restante em uma única parcela de R$ 1133,60, vencível em 3 meses. Admitindo-se o regime de juros simples comerciais, qual é a taxa de juros anual cobrada a vendas à prazo? Resolução:
  • 5. O juro sempre é cobrado sobre o saldo devedor, como o cliente vai pagar 20%, deve 80% de1300 reais. C = 80% de 1300 = 0,8 . 1300 = 1040,00 M = 1133,60 T = 3m I=? M = C(1 + i.t) → 1133,60 = 1040(1 + i.3) 1133,60 0,09 = 1 + 3i → 1,09 − 1 = 3i → = i → 0,03 = 3% a.m 1040 3 Resposta: 3% a.m Lembre-se: O tempo t e a taxa i precisam estar com as unidades coerentes. Não deve usar t em meses e taxa anual, por exemplo. Faça aconversão 1 ano = 12meses, ou 1 mês = 30 dias. O tempo pode ser diferenciado em prazo comercial: 1ano=360 dias e 1 mês = 30 dias Prazo exato: 1 ano = 365 dias ou 366 dias(ano bissexto) e 1mês pode variar. *** Rendimento é mesmo que JUROS 1. Durante quanto tempo deve ser aplicado um capital para que o seu valor dobre, no sistemas de juros simples, à taxa de 2% a.m? 2. Um capital aplicado a juros simples rendeu, à taxa de 25% ao ano, juros de R$ 110,00, depois de 24 meses. Qual foi esse capital? 3. (FGV-SP adaptado) Um investidor norte americano traz U$ 50 000,00, faz a conversão para reais, aplica esse dinheiro por 1 ano à taxa de 18% a.a e no resgate, converte para dólares e envia-os para EUA. No dia da aplicação o dólar valia R$ 1,89 e no dia do resgate valia R$ 2,30. Qual foi o valor do resgate total desse aplicador em reais? E em dólares? 4. No exercício anterior, se no dia da aplicação U$ 1,00 = R$ 2,30 e no dia do resgate fosse U$1,00 = R$1,89? 5. (FGV-SP) Carlos adquiriu um aparelho de TV em cores pagando uma entrada de R$ 200,00 mais uma parcela de R$ 450,00 dois meses após a compra. Sabendo-se que o
  • 6. preço á vista do aparelho é de R$ 600,00, qual a taxa mensal de juros simples do financiamento? Re: 1.) 50meses 2)R$ 220,00 3) R$ 111.510,00 reais e 48.482,60 dóalres 4).135.700reais e 71.798,94 dólares 5) 6,25%a.m. 1. Um pequeno poupador abriu uma caderneta de poupança com R$ 100,00. Supondo rendimento constante de 2% a.m, determine o tempo necessário ara esse poupador resgatar R$ 200,00. Resolução: M = 200 C= 100,00 I= 2%a.m T= ? 2 t M = C (1 + i ) t → 200 = 100(1 + ) 100 200 102 t =( ) → 2 = 1,02 t → log 1, 02 = t = 35meses 2 100 100 2. O capital de R$ 2000,00 aplicado a juros compostos, rendeu, após 4 meses, juros de R$ 165,00. Qual foi a taxa de juros? C= 2000,00 T = 4meses J = 165,00 I=? M = 2000,00+ 165,00 = 2165,00 i 4 M = C (1 + i ) t → 2165 = 2000(1 + ) 100 2165 i 4  i  = (1 + ) → 4 1,0825 = 4 1 +  2000 100  100  i i 1,02 = 1 + → 1,02 − 1,00 = → 0,02.100 = i = 2% 100 100 3.(UF-MG) Um televisor estava anunciado por R$ 5000,00 para pagamento à vista ou em três prestações iguais mensais de R$ 1850,00 cada, a primeira delas a ser paga um mês após a compra. Paulo, em vez de pagar á vista, resolveu depositar no dia da compra, os R$ 5000,00 numa caderneta de poupança, que lhe rendeu 2% a.m nos próximos 3 meses. Dese modo, ele esperava liquidar a
  • 7. dívida, fazendo retiradas mensais de 1850,00 daquela poupança nas datas de vencimento de cada prestação. Mostre se a opção do Paulo foi boa. Resolução: Na parte de aplicação, como a retirada será mensal, devemos calcular todos os meses, por isso podemos considerar como juros simples para cada mês.. 1° mês: M1 = 5000(1+ 0,02.1) = 5100 Com a retirada de 1850: 5100-1850 = 3250 2° mês: M2 = 3250(1 + 0,02.1) = 3315,00 Retirando 3315,00 – 1850 = 1465,00 3° mês: M = 1465(1+ 0,02.1) = 1494,30 Pagando a última prestação: 1494,30- 1850 = -355,7 A opção não foi boa porque a taxa de juros da poupança é muito menor que a cobrada pela loja. 1. Qual deverá ser o montante produzido pelo capital de R$ 20 000,00, aplicado a juros compostos, à taxa de 20% a.a, durante 1 trimestre? 2. Uma pessoa deseja aplicar R$ 10500,00 a juros com,postos e no fim de 4 meses obter 12 750,00. Qual deve ser a taxa de aplicação? 3. Após quanto tempo, à taxa de 4% a.m, a aplicação de R$ 1380,00 renderá juros de R$ 170,00, no sistema de juros compostos? 4. Uma loja de eletrodomésticos oferece ao cliente duas opções de pagamento: a) à vista com 25% de desconto; b) em 2 prestações mensais iguais, sem desconto, com a primeira prestação sendo paga no ato da compra.
  • 8. Qual das duas opções é melhor? Qual a taxa de juros embutidos nas vendas a prazo? 5. Uma pessoa vai fazer uma compra no valor de R$ 4000,00 usando o que tem na caderneta de poupança, que está rendendo 1% a.m. Ela quer saber, do ponto de vista financeiro, qual plano de pagamento é mais vantajoso: a) pagar à vista; b) pagar em 2 prestações, deR4 200,5,00 cada. 6. Todo o início do ano, o brasileiro que possui automóveis deve pagar o IPVA, imposto sobre a Propriedade dos Veículos Automotores. Para o pagamento do IPVA de 2003, o governo ofereceu as seguintes condições: a) pagamento em cota única com desconto de 3,5% para pagar até o dia 15 de fevereiro de 2003; b) cota única sem desconto, vencível em 15 de fevereiro. c) em 3 parcelas iguais, cada uma equivalente a 1/3 do imposto devido, nas datas de 15 de janeiro, 15 de fevereiro e 15 de março. Supondo que uma pessoa precisou pagar um IPVA de R$ 900,00 e possuía no dia 15 de janeiro de 2003, o dinheiro suficiente para escolher qualquer uma das opções, e que esses recursos poderia ser aplicados em fundos de renda fixa, com remuneração média de 1,2% a.m. Qual das três opções é melhor? Respostas: 1) 21.016,76 2 4,97% 3.) 2,96 4. a 1º opção, taxa é de 100% 5-)o segundo 6- )a primeira