SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13
A Bandeira Portuguesa ao longo dos séculos Lúcia Jorge
Bandeiras da monarquia O escudo do Condado Portucalense era o do conde D. Henrique, o qual consistia numa simples cruz azul sobre fundo de prata (idêntico, curiosamente, ao brasão da cidade portuária de Marselha). 1095 a 1139–1143
D. Sancho I (1185-1211),D. Afonso II (1211-1223), D. Sancho III (1223-1248) Nesta época, as armas reais eram representadas por cinco escudetes de azul em campo de prata, dispostos em cruz, os dos flancos deitados e apontados ao centro. Cada escudete era semeado com um número elevado e indeterminado de besantes de prata. Sobre a origem e simbolismo destes escudetes existem muitas teorias. Segundo as duas mais conhecidas, os escudetes aludem às cinco feridas recebidas por D. Afonso Henriques na Batalha de Ourique ou às cinco chagas de Cristo. 1139 – 1143 a 1185
D. Afonso III (1248-1279),D. Dinis (1279-1325), D. Afonso IV (1325-1357), D. Pedro (1357-1367), D. Fernando (1367-1383) Com D. Afonso III as armas do reino receberam uma bordadura de vermelho, semeada com um número indeterminado de castelos de ouro, escolhida em lembrança do avô, D. Afonso III de Castela. A tendência de fixação de números, frequente em heráldica, levou a uma estabilização do número de besantes dos escudetes em cinco, dispostos dois, um, dois.
D. João I (1385-1432),D. Duarte (1433-1438), D. Afonso V (1438-1481) As armas reais, durante este período, eram de prata, com cinco escudetes de azul dispostos em cruz, os dos flancos deitados e apontados ao do centro. O semeado de besantes no escudo fixou-se definitivamente no número de cinco, dispostos em aspa. É desta época que se conhecem as primeiras referências designando os escudetes por «quinas». Tinha também uma bordadura de vermelho semeado de castelos de ouro e sobre ela as pontas da cruz verde floretada da Ordem de Avis.
D. João II (1481-1495) D. João II mandou que fossem retirados das armas reais os remares de flor-de-lis e que se colocassem verticalmente as quinas laterais no escudo. A bordadura de vermelho manteve-se semeada de castelos de ouro, embora a tendência do seu número fosse de sete ou oito nas bandeiras usadas na época
D. Manuel I (1495-1521),D. João III (1521-1557) No reinado de D. Manuel I, as armas reais foram fixadas em fundo branco. Tinham ao centro o escudo português com uma bordadura de vermelho carregada de sete ou oito castelos de ouro e sobre ele foi colocada uma coroa real aberta. A forma do escudo diferiu nos dois reinados. Enquanto D. Manuel predominava o escudo rectangular com a parte inferior terminado em cunha, no reinado de D. João III acentuou - se a forma rectangular com o fundo redondo - o chamado escudo português. O mesmo aconteceu quanto às quinas que acompanharam aquelas formas.
D. Sebastião (1557-1578),D. Henrique (1578-1580), Governo dos Filipes (1580-1640) No final do reinado de D. Sebastião a coroa que figurava sobre o escudo foi substituída por uma coroa real fechada. Nas bandeiras desta época figuravam inicialmente coroas fechadas dispondo de um ou de três arcos à vista. Mais tarde passaram a ter os cinco arcos à vista, os quais se conservavam até ao fim da monarquia. O aparecimento da coroa fechada relacionava-se com o reforço de autoridade do poder real. Durante o Governo dos reis espanhóis, o escudo português não sofreu alteração, uma vez que as armas dos dois países se mantiveram sempre separadas
D. João IV (1640-1656),D. Afonso VI (1656-1683), D. Pedro II (1683-1706), D. João V (1706-1750), D. José (1750-1777), D. Maria I (1777-1816), D. Pedro IV (1826), Regências (1826-1828), D. Miguel I (1828-1834) Na aclamação de D. João IV, a bandeira branca com o escudo nacional, encimado pela coroa real fechada com os cinco arcos em vista, constituiu o símbolo da Restauração. Embora neste período a bandeira não tenha sofrido alterações significativas, no reinado de D. João V, o escudo foi modificado com uma fantasia ao gosto da época, terminando o bordo inferior em bico de arco contracurvado e a coroa passou a conter um barrete vermelho ou púrpura.
D. João VI (1816-1826) No reinado de D. João VI foi colocada por detrás do escudo uma esfera armilar de ouro em campo azul, simbolizando o reino do Brasil, e sobre ela figurava uma coroa real fechada. Após a morte do Rei a esfera armilar foi retirada das armas, remetendo-se o símbolo real à expressão anterior, em que algumas das versões usaram um escudo elíptico, com o eixo maior na vertical.
D. Maria II (1834-1853),Regência (1853-1855), D. Pedro V (1855-1861), D. Luís (1861-1889), D. Carlos (1889-1908), D. Manuel II (1908-1910) O decreto da Regência em nome de D. Maria II, de 18 de Outubro de 1830, determinou que a Bandeira Nacional passasse a ser bipartida verticalmente em branco e azul, ficando o azul junto da haste e as Armas Reais colocadas no centro, assentando metade sobre cada uma das cores.
Bandeira da República  Desde 1910
Regime Republicano (desde 1910) Após a instauração do regime republicano, um decreto da Assembleia Nacional constituinte datado de 19 de Junho de 1911, Publicado no Diário do Governo nº141, do mesmo ano, aprovou a Bandeira Nacional que substituiu a Bandeira da Monarquia Constitucional. Este decreto teve a sua regulamentação adequada, publicada no diário do Governo n.º 150 (decreto de 30 de Junho). A Bandeira Nacional é bipartida verticalmente em duas cores fundamentais, verde escuro e escarlate, ficando o verde do lado da tralha. Ao centro, e sobreposto à união das cores, tem o escudo das armas nacionais, orlado de branco e assentado sobre a esfera armilar manuelina, em amarelo e avivada de negro. O comprimento da bandeira é de vez e meia a altura da tralha. A divisória entre as duas cores fundamentais deve ser feita de modo que fiquem dois quintos do comprimento total ocupados pelo verde e os três quintos restantes pelo vermelho. O emblema central ocupa metade da altura da tralha, ficando equidistante das orlas superior e inferior.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Afonso Henriques, o Conquistador
Afonso Henriques, o ConquistadorAfonso Henriques, o Conquistador
Afonso Henriques, o ConquistadorJorge Almeida
 
Guião stc7 e clc7 dr3(proposta)
Guião stc7 e  clc7 dr3(proposta)Guião stc7 e  clc7 dr3(proposta)
Guião stc7 e clc7 dr3(proposta)Belmira Lourenço
 
Os órgãos de soberania da república portuguesa
Os órgãos de soberania da república portuguesaOs órgãos de soberania da república portuguesa
Os órgãos de soberania da república portuguesaJonathan Vieira
 
Reconquista Cristã (Resumo)
Reconquista Cristã (Resumo)Reconquista Cristã (Resumo)
Reconquista Cristã (Resumo)mari_punk
 
Reis de Portugal 4ª Dinastia
Reis de Portugal 4ª DinastiaReis de Portugal 4ª Dinastia
Reis de Portugal 4ª Dinastiakhistoria
 
Reconquista Cristã
Reconquista CristãReconquista Cristã
Reconquista Cristãcattonia
 
1 portugal o território e os símbolos
1 portugal   o território e os símbolos1 portugal   o território e os símbolos
1 portugal o território e os símbolostiagocanhota
 
Implantação da República
Implantação da RepúblicaImplantação da República
Implantação da RepúblicaMichele Pó
 
A Formação do Reino de Portugal
A Formação do Reino de PortugalA Formação do Reino de Portugal
A Formação do Reino de PortugalHistN
 
Sociedade Antigo Regime
Sociedade Antigo RegimeSociedade Antigo Regime
Sociedade Antigo RegimeIsabel Ribeiro
 
Formação de Portugal
Formação de PortugalFormação de Portugal
Formação de PortugalIsabel Alves
 
Area de integraçao modulo 4
Area de integraçao modulo 4Area de integraçao modulo 4
Area de integraçao modulo 4Rubenterencio
 
A guerra civil entre d. pedro e d. miguel compatível
A guerra civil entre d. pedro e d. miguel   compatívelA guerra civil entre d. pedro e d. miguel   compatível
A guerra civil entre d. pedro e d. miguel compatívelAnabela Sobral
 
O Dia 25 de Abril de 1974
O Dia 25 de Abril de 1974O Dia 25 de Abril de 1974
O Dia 25 de Abril de 1974diuguitofelgas
 

Mais procurados (20)

STC 6
STC 6STC 6
STC 6
 
Trabalho 25 de abril 2
Trabalho 25 de abril   2 Trabalho 25 de abril   2
Trabalho 25 de abril 2
 
Afonso Henriques, o Conquistador
Afonso Henriques, o ConquistadorAfonso Henriques, o Conquistador
Afonso Henriques, o Conquistador
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Regeneração
RegeneraçãoRegeneração
Regeneração
 
Guião stc7 e clc7 dr3(proposta)
Guião stc7 e  clc7 dr3(proposta)Guião stc7 e  clc7 dr3(proposta)
Guião stc7 e clc7 dr3(proposta)
 
Formaçaõ de portugal
Formaçaõ de portugalFormaçaõ de portugal
Formaçaõ de portugal
 
Os órgãos de soberania da república portuguesa
Os órgãos de soberania da república portuguesaOs órgãos de soberania da república portuguesa
Os órgãos de soberania da república portuguesa
 
Reconquista Cristã (Resumo)
Reconquista Cristã (Resumo)Reconquista Cristã (Resumo)
Reconquista Cristã (Resumo)
 
Reis de Portugal 4ª Dinastia
Reis de Portugal 4ª DinastiaReis de Portugal 4ª Dinastia
Reis de Portugal 4ª Dinastia
 
Reconquista Cristã
Reconquista CristãReconquista Cristã
Reconquista Cristã
 
1 portugal o território e os símbolos
1 portugal   o território e os símbolos1 portugal   o território e os símbolos
1 portugal o território e os símbolos
 
Implantação da República
Implantação da RepúblicaImplantação da República
Implantação da República
 
A Formação do Reino de Portugal
A Formação do Reino de PortugalA Formação do Reino de Portugal
A Formação do Reino de Portugal
 
D Afonso Henriques
D Afonso Henriques   D Afonso Henriques
D Afonso Henriques
 
Sociedade Antigo Regime
Sociedade Antigo RegimeSociedade Antigo Regime
Sociedade Antigo Regime
 
Formação de Portugal
Formação de PortugalFormação de Portugal
Formação de Portugal
 
Area de integraçao modulo 4
Area de integraçao modulo 4Area de integraçao modulo 4
Area de integraçao modulo 4
 
A guerra civil entre d. pedro e d. miguel compatível
A guerra civil entre d. pedro e d. miguel   compatívelA guerra civil entre d. pedro e d. miguel   compatível
A guerra civil entre d. pedro e d. miguel compatível
 
O Dia 25 de Abril de 1974
O Dia 25 de Abril de 1974O Dia 25 de Abril de 1974
O Dia 25 de Abril de 1974
 

Semelhante a Bandeira portuguesa - Lúcia Jorge - 2010

Bandeiranacional 090812181700-phpapp02
Bandeiranacional 090812181700-phpapp02Bandeiranacional 090812181700-phpapp02
Bandeiranacional 090812181700-phpapp02becastanheiradepera
 
Símbolos nacionais e das foraçs armadas
Símbolos nacionais e das foraçs armadasSímbolos nacionais e das foraçs armadas
Símbolos nacionais e das foraçs armadasElsa Fernandes
 
Eubiose 19 fev-2013 leitura sobre as armas de portugal - prenuncio do novo pr...
Eubiose 19 fev-2013 leitura sobre as armas de portugal - prenuncio do novo pr...Eubiose 19 fev-2013 leitura sobre as armas de portugal - prenuncio do novo pr...
Eubiose 19 fev-2013 leitura sobre as armas de portugal - prenuncio do novo pr...Numeric Contadores
 
1294586040 a bandeira_e_o_hinoaaa
1294586040 a bandeira_e_o_hinoaaa1294586040 a bandeira_e_o_hinoaaa
1294586040 a bandeira_e_o_hinoaaaPelo Siro
 
A evolução da bandeira portuguesa
A evolução da bandeira portuguesaA evolução da bandeira portuguesa
A evolução da bandeira portuguesaLídia Mendes
 
República
RepúblicaRepública
RepúblicaBE ESGN
 
5 de outubro de 1919 implantação da república
5 de outubro de 1919   implantação da república5 de outubro de 1919   implantação da república
5 de outubro de 1919 implantação da repúblicaJorge Silva
 
A bandeira ao_longo_dos_seculos
A bandeira ao_longo_dos_seculosA bandeira ao_longo_dos_seculos
A bandeira ao_longo_dos_seculosInês de Castro
 
Portugal ..
Portugal ..Portugal ..
Portugal ..rosaband
 
Implantação da República
Implantação da RepúblicaImplantação da República
Implantação da RepúblicaHelena
 
5 de Outubro de 1910 - Implantação da República
5 de Outubro de 1910 - Implantação da República5 de Outubro de 1910 - Implantação da República
5 de Outubro de 1910 - Implantação da RepúblicaShadowProPT
 
Evolução Da Bandeira De Portugal Tiago Pereira 6 A
Evolução Da Bandeira De Portugal Tiago Pereira 6 AEvolução Da Bandeira De Portugal Tiago Pereira 6 A
Evolução Da Bandeira De Portugal Tiago Pereira 6 Aricardocostacruz
 
F:\EvoluçãO Da Bandeira De Portugal Tiago Pereira 6 A
F:\EvoluçãO Da Bandeira De Portugal Tiago Pereira 6 AF:\EvoluçãO Da Bandeira De Portugal Tiago Pereira 6 A
F:\EvoluçãO Da Bandeira De Portugal Tiago Pereira 6 AEscola ribamar
 

Semelhante a Bandeira portuguesa - Lúcia Jorge - 2010 (20)

Bandeiranacional 090812181700-phpapp02
Bandeiranacional 090812181700-phpapp02Bandeiranacional 090812181700-phpapp02
Bandeiranacional 090812181700-phpapp02
 
Bandeiras nacionais
Bandeiras nacionaisBandeiras nacionais
Bandeiras nacionais
 
Bandeiras nacionais
Bandeiras nacionaisBandeiras nacionais
Bandeiras nacionais
 
5 de outubro de 1910
5 de outubro de 19105 de outubro de 1910
5 de outubro de 1910
 
Símbolos nacionais e das foraçs armadas
Símbolos nacionais e das foraçs armadasSímbolos nacionais e das foraçs armadas
Símbolos nacionais e das foraçs armadas
 
Eubiose 19 fev-2013 leitura sobre as armas de portugal - prenuncio do novo pr...
Eubiose 19 fev-2013 leitura sobre as armas de portugal - prenuncio do novo pr...Eubiose 19 fev-2013 leitura sobre as armas de portugal - prenuncio do novo pr...
Eubiose 19 fev-2013 leitura sobre as armas de portugal - prenuncio do novo pr...
 
1294586040 a bandeira_e_o_hinoaaa
1294586040 a bandeira_e_o_hinoaaa1294586040 a bandeira_e_o_hinoaaa
1294586040 a bandeira_e_o_hinoaaa
 
1030
10301030
1030
 
A evolução da bandeira portuguesa
A evolução da bandeira portuguesaA evolução da bandeira portuguesa
A evolução da bandeira portuguesa
 
República
RepúblicaRepública
República
 
Portugal simbolos pátrios
Portugal simbolos pátriosPortugal simbolos pátrios
Portugal simbolos pátrios
 
5 de outubro de 1919 implantação da república
5 de outubro de 1919   implantação da república5 de outubro de 1919   implantação da república
5 de outubro de 1919 implantação da república
 
A bandeira ao_longo_dos_seculos
A bandeira ao_longo_dos_seculosA bandeira ao_longo_dos_seculos
A bandeira ao_longo_dos_seculos
 
Portugal ..
Portugal ..Portugal ..
Portugal ..
 
Implantação da República
Implantação da RepúblicaImplantação da República
Implantação da República
 
5deoutubro.ppt
5deoutubro.ppt5deoutubro.ppt
5deoutubro.ppt
 
5deoutubro
5deoutubro5deoutubro
5deoutubro
 
5 de Outubro de 1910 - Implantação da República
5 de Outubro de 1910 - Implantação da República5 de Outubro de 1910 - Implantação da República
5 de Outubro de 1910 - Implantação da República
 
Evolução Da Bandeira De Portugal Tiago Pereira 6 A
Evolução Da Bandeira De Portugal Tiago Pereira 6 AEvolução Da Bandeira De Portugal Tiago Pereira 6 A
Evolução Da Bandeira De Portugal Tiago Pereira 6 A
 
F:\EvoluçãO Da Bandeira De Portugal Tiago Pereira 6 A
F:\EvoluçãO Da Bandeira De Portugal Tiago Pereira 6 AF:\EvoluçãO Da Bandeira De Portugal Tiago Pereira 6 A
F:\EvoluçãO Da Bandeira De Portugal Tiago Pereira 6 A
 

Mais de Alexandra Tenente

Consumo de álcool nos adolescentes - Trabalho de grupo
Consumo de álcool nos adolescentes - Trabalho de grupoConsumo de álcool nos adolescentes - Trabalho de grupo
Consumo de álcool nos adolescentes - Trabalho de grupoAlexandra Tenente
 
Postais para o Dia da Mulher
Postais para o Dia da MulherPostais para o Dia da Mulher
Postais para o Dia da MulherAlexandra Tenente
 
Cabeçalho e rodapé - não é da minha autoria
Cabeçalho e rodapé - não é da minha autoriaCabeçalho e rodapé - não é da minha autoria
Cabeçalho e rodapé - não é da minha autoriaAlexandra Tenente
 
Municípios e freguesias da Madeira
Municípios e freguesias da MadeiraMunicípios e freguesias da Madeira
Municípios e freguesias da MadeiraAlexandra Tenente
 
Registo do comportamento dos alunos
Registo do comportamento dos alunosRegisto do comportamento dos alunos
Registo do comportamento dos alunosAlexandra Tenente
 
Materiais didácticos de Matemática para o 1º ciclo do Ensino Básico
Materiais didácticos de Matemática para o 1º ciclo do Ensino BásicoMateriais didácticos de Matemática para o 1º ciclo do Ensino Básico
Materiais didácticos de Matemática para o 1º ciclo do Ensino BásicoAlexandra Tenente
 
Algumas monarquias actuais - 2010 - Lúcia Jorge
Algumas monarquias actuais - 2010 - Lúcia JorgeAlgumas monarquias actuais - 2010 - Lúcia Jorge
Algumas monarquias actuais - 2010 - Lúcia JorgeAlexandra Tenente
 
Aspectos da costa - Lúcia Jorge - 2010
Aspectos da costa - Lúcia Jorge - 2010Aspectos da costa - Lúcia Jorge - 2010
Aspectos da costa - Lúcia Jorge - 2010Alexandra Tenente
 
Faróis da Madeira - Lúcia Jorge - 2010
Faróis da Madeira - Lúcia Jorge - 2010Faróis da Madeira - Lúcia Jorge - 2010
Faróis da Madeira - Lúcia Jorge - 2010Alexandra Tenente
 

Mais de Alexandra Tenente (19)

Consumo de álcool nos adolescentes - Trabalho de grupo
Consumo de álcool nos adolescentes - Trabalho de grupoConsumo de álcool nos adolescentes - Trabalho de grupo
Consumo de álcool nos adolescentes - Trabalho de grupo
 
Postais para o Dia da Mulher
Postais para o Dia da MulherPostais para o Dia da Mulher
Postais para o Dia da Mulher
 
Cabeçalho e rodapé - não é da minha autoria
Cabeçalho e rodapé - não é da minha autoriaCabeçalho e rodapé - não é da minha autoria
Cabeçalho e rodapé - não é da minha autoria
 
Ilusões de óptica
Ilusões de ópticaIlusões de óptica
Ilusões de óptica
 
Capitais mundiais
Capitais mundiaisCapitais mundiais
Capitais mundiais
 
Principais rios de Portugal
Principais rios de PortugalPrincipais rios de Portugal
Principais rios de Portugal
 
Arquipélago dos Açores
Arquipélago dos AçoresArquipélago dos Açores
Arquipélago dos Açores
 
Algumas levadas da Madeira
Algumas levadas da MadeiraAlgumas levadas da Madeira
Algumas levadas da Madeira
 
Algumas Ribeiras da Madeira
Algumas Ribeiras da MadeiraAlgumas Ribeiras da Madeira
Algumas Ribeiras da Madeira
 
Arquipélago da Madeira
Arquipélago da MadeiraArquipélago da Madeira
Arquipélago da Madeira
 
Municípios e freguesias da Madeira
Municípios e freguesias da MadeiraMunicípios e freguesias da Madeira
Municípios e freguesias da Madeira
 
Registo do comportamento dos alunos
Registo do comportamento dos alunosRegisto do comportamento dos alunos
Registo do comportamento dos alunos
 
Materiais didácticos de Matemática para o 1º ciclo do Ensino Básico
Materiais didácticos de Matemática para o 1º ciclo do Ensino BásicoMateriais didácticos de Matemática para o 1º ciclo do Ensino Básico
Materiais didácticos de Matemática para o 1º ciclo do Ensino Básico
 
Navegadores portugueses
Navegadores portuguesesNavegadores portugueses
Navegadores portugueses
 
Reis de portugal
Reis de portugalReis de portugal
Reis de portugal
 
Presidentes portugueses
Presidentes portuguesesPresidentes portugueses
Presidentes portugueses
 
Algumas monarquias actuais - 2010 - Lúcia Jorge
Algumas monarquias actuais - 2010 - Lúcia JorgeAlgumas monarquias actuais - 2010 - Lúcia Jorge
Algumas monarquias actuais - 2010 - Lúcia Jorge
 
Aspectos da costa - Lúcia Jorge - 2010
Aspectos da costa - Lúcia Jorge - 2010Aspectos da costa - Lúcia Jorge - 2010
Aspectos da costa - Lúcia Jorge - 2010
 
Faróis da Madeira - Lúcia Jorge - 2010
Faróis da Madeira - Lúcia Jorge - 2010Faróis da Madeira - Lúcia Jorge - 2010
Faróis da Madeira - Lúcia Jorge - 2010
 

Último

ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da provaESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da provaANNAPAULAAIRESDESOUZ
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptxnelsontobontrujillo
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024azulassessoria9
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdfCarinaSofiaDiasBoteq
 
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptxProva nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptxLucasFCapistrano
 
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestre
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestreFilosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestre
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestreLeandroLima265595
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEblogdoelvis
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Centro Jacques Delors
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresAna Isabel Correia
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................mariagrave
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024azulassessoria9
 
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaApresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaCentro Jacques Delors
 
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdf
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdfVIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdf
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdfbragamoysesaline
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Centro Jacques Delors
 
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºanoCATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºanomarla71199
 
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfMESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfprofesfrancleite
 

Último (20)

ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da provaESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptxProva nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
 
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestre
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestreFilosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestre
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestre
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Novena de Pentecostes com textos de São João Eudes
Novena de Pentecostes com textos de São João EudesNovena de Pentecostes com textos de São João Eudes
Novena de Pentecostes com textos de São João Eudes
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaApresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
 
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdf
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdfVIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdf
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdf
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
 
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºanoCATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
 
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfMESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
 

Bandeira portuguesa - Lúcia Jorge - 2010

  • 1. A Bandeira Portuguesa ao longo dos séculos Lúcia Jorge
  • 2. Bandeiras da monarquia O escudo do Condado Portucalense era o do conde D. Henrique, o qual consistia numa simples cruz azul sobre fundo de prata (idêntico, curiosamente, ao brasão da cidade portuária de Marselha). 1095 a 1139–1143
  • 3. D. Sancho I (1185-1211),D. Afonso II (1211-1223), D. Sancho III (1223-1248) Nesta época, as armas reais eram representadas por cinco escudetes de azul em campo de prata, dispostos em cruz, os dos flancos deitados e apontados ao centro. Cada escudete era semeado com um número elevado e indeterminado de besantes de prata. Sobre a origem e simbolismo destes escudetes existem muitas teorias. Segundo as duas mais conhecidas, os escudetes aludem às cinco feridas recebidas por D. Afonso Henriques na Batalha de Ourique ou às cinco chagas de Cristo. 1139 – 1143 a 1185
  • 4. D. Afonso III (1248-1279),D. Dinis (1279-1325), D. Afonso IV (1325-1357), D. Pedro (1357-1367), D. Fernando (1367-1383) Com D. Afonso III as armas do reino receberam uma bordadura de vermelho, semeada com um número indeterminado de castelos de ouro, escolhida em lembrança do avô, D. Afonso III de Castela. A tendência de fixação de números, frequente em heráldica, levou a uma estabilização do número de besantes dos escudetes em cinco, dispostos dois, um, dois.
  • 5. D. João I (1385-1432),D. Duarte (1433-1438), D. Afonso V (1438-1481) As armas reais, durante este período, eram de prata, com cinco escudetes de azul dispostos em cruz, os dos flancos deitados e apontados ao do centro. O semeado de besantes no escudo fixou-se definitivamente no número de cinco, dispostos em aspa. É desta época que se conhecem as primeiras referências designando os escudetes por «quinas». Tinha também uma bordadura de vermelho semeado de castelos de ouro e sobre ela as pontas da cruz verde floretada da Ordem de Avis.
  • 6. D. João II (1481-1495) D. João II mandou que fossem retirados das armas reais os remares de flor-de-lis e que se colocassem verticalmente as quinas laterais no escudo. A bordadura de vermelho manteve-se semeada de castelos de ouro, embora a tendência do seu número fosse de sete ou oito nas bandeiras usadas na época
  • 7. D. Manuel I (1495-1521),D. João III (1521-1557) No reinado de D. Manuel I, as armas reais foram fixadas em fundo branco. Tinham ao centro o escudo português com uma bordadura de vermelho carregada de sete ou oito castelos de ouro e sobre ele foi colocada uma coroa real aberta. A forma do escudo diferiu nos dois reinados. Enquanto D. Manuel predominava o escudo rectangular com a parte inferior terminado em cunha, no reinado de D. João III acentuou - se a forma rectangular com o fundo redondo - o chamado escudo português. O mesmo aconteceu quanto às quinas que acompanharam aquelas formas.
  • 8. D. Sebastião (1557-1578),D. Henrique (1578-1580), Governo dos Filipes (1580-1640) No final do reinado de D. Sebastião a coroa que figurava sobre o escudo foi substituída por uma coroa real fechada. Nas bandeiras desta época figuravam inicialmente coroas fechadas dispondo de um ou de três arcos à vista. Mais tarde passaram a ter os cinco arcos à vista, os quais se conservavam até ao fim da monarquia. O aparecimento da coroa fechada relacionava-se com o reforço de autoridade do poder real. Durante o Governo dos reis espanhóis, o escudo português não sofreu alteração, uma vez que as armas dos dois países se mantiveram sempre separadas
  • 9. D. João IV (1640-1656),D. Afonso VI (1656-1683), D. Pedro II (1683-1706), D. João V (1706-1750), D. José (1750-1777), D. Maria I (1777-1816), D. Pedro IV (1826), Regências (1826-1828), D. Miguel I (1828-1834) Na aclamação de D. João IV, a bandeira branca com o escudo nacional, encimado pela coroa real fechada com os cinco arcos em vista, constituiu o símbolo da Restauração. Embora neste período a bandeira não tenha sofrido alterações significativas, no reinado de D. João V, o escudo foi modificado com uma fantasia ao gosto da época, terminando o bordo inferior em bico de arco contracurvado e a coroa passou a conter um barrete vermelho ou púrpura.
  • 10. D. João VI (1816-1826) No reinado de D. João VI foi colocada por detrás do escudo uma esfera armilar de ouro em campo azul, simbolizando o reino do Brasil, e sobre ela figurava uma coroa real fechada. Após a morte do Rei a esfera armilar foi retirada das armas, remetendo-se o símbolo real à expressão anterior, em que algumas das versões usaram um escudo elíptico, com o eixo maior na vertical.
  • 11. D. Maria II (1834-1853),Regência (1853-1855), D. Pedro V (1855-1861), D. Luís (1861-1889), D. Carlos (1889-1908), D. Manuel II (1908-1910) O decreto da Regência em nome de D. Maria II, de 18 de Outubro de 1830, determinou que a Bandeira Nacional passasse a ser bipartida verticalmente em branco e azul, ficando o azul junto da haste e as Armas Reais colocadas no centro, assentando metade sobre cada uma das cores.
  • 13. Regime Republicano (desde 1910) Após a instauração do regime republicano, um decreto da Assembleia Nacional constituinte datado de 19 de Junho de 1911, Publicado no Diário do Governo nº141, do mesmo ano, aprovou a Bandeira Nacional que substituiu a Bandeira da Monarquia Constitucional. Este decreto teve a sua regulamentação adequada, publicada no diário do Governo n.º 150 (decreto de 30 de Junho). A Bandeira Nacional é bipartida verticalmente em duas cores fundamentais, verde escuro e escarlate, ficando o verde do lado da tralha. Ao centro, e sobreposto à união das cores, tem o escudo das armas nacionais, orlado de branco e assentado sobre a esfera armilar manuelina, em amarelo e avivada de negro. O comprimento da bandeira é de vez e meia a altura da tralha. A divisória entre as duas cores fundamentais deve ser feita de modo que fiquem dois quintos do comprimento total ocupados pelo verde e os três quintos restantes pelo vermelho. O emblema central ocupa metade da altura da tralha, ficando equidistante das orlas superior e inferior.