SlideShare uma empresa Scribd logo
A Formação do Reino de PortugalA Formação do Reino de Portugal
A luta pela independência
O Condado Portucalense
Durante a Reconquista
Cristã da Península
Ibérica...
...quando os reis
cristãos tinham
dificuldades em vencer
os Muçulmanos,
pediam auxílio aos
outros reinos cristãos
da Europa...
A luta pela independência
Em 1086...
Uma investida dos Muçulmanos pôs em perigo o REINO DE
LEÃO e CASTELA.
Para travar esta investida, chegaram vários cavaleiros
franceses, entre os quais se destacaram dois nobres da
família do duque da Borgonha:
D. Raimundo
D. Henrique
 Formação reino--portugal.ppt_
Como recompensa pelos serviços prestados...
D. Afonso VI, rei de Leão e Castela, concedeu:
A D. Henrique
A D. Raimundo
O governo da Galiza
E a sua filha D.Urraca
O governo do
Condado
Portucalense
E a sua filha D.Teresa
...tinha a seu cargo o governo e defesa do Condado Portucalense...
D. Afonso VI
...mas o seu legítimo rei continuava a ser o rei de Leão e Castela...
Por essa razão...
...D. Henrique estava na dependência de
D. Afonso VI...
Quando, em 1112, D. Henrique
morreu...
...o seu filho, D. Afonso Henriques, ainda
não tinha 4 anos de idade.
Por isso...
...ficou a governar o Condado
Portucalense...
D. Teresa, sua mãe.
...e tinha de lhe prestar
obediência
lealdade
e auxílio militar.
Em 1125, ao completar 16 anos...
O jovem Afonso Henriques armou-se a si próprio cavaleiro,
como só o faziam os reis...
Por esta altura...
D. Teresa ... Mantinha uma ligação
amorosa com um
fidalgo galego...
...o conde Fernão
Peres de Trava
Esta ligação prejudicava o desejo de independência do Condado Portucalense.
 Apoiado pelos nobres portucalenses...
velhos companheiros de armas de seu pai...
 D. Afonso Henriques revoltou-se contra a mãe.
O confronto
entre
Os partidários de D. Afonso Henriques
E os de D. Teresa
Deu-se na...
Batalha de S. Mamede
perto de Guimarães
em 24 de junho de 1128
Nesta batalha, D. Teresa sai derrotada.
D. Teresa acabou por se refugiar na Galiza, onde morreu dois anos depois.
A partir de 1128, D. Afonso Henriques, ainda muito novo, passou a governar o
Condado Portucalense.
 Formação reino--portugal.ppt_
D. Afonso Henriques tinha dois objetivos...
Lutar contra
D. Afonso VII
Para conseguir a
independência do
Condado Portucalense
Lutar contra
os Muçulmanos
Para aumentar o
território para sul
 Formação reino--portugal.ppt_
1130 D. Afonso Henriques invade a Galiza.
D. Afonso Henriques invade
novamente a Galiza.
D. Afonso Henriques vence forças
galegas em Cerneja (Galiza).
D. Afonso Henriques vence um
exército muçulmano em Ourique.
Os cavaleiros de D. Afonso
Henriques vencem os de D. Afonso
VII num torneio, em Arcos de
Valdevez (Minho).
1135
1136
1139
1140
As vitórias dos portugueses em:
 Cerneja
 e em Arcos de Valdevez
...obrigaram D. Afonso VII...
...a fazer um acordo de paz com D. Afonso
Henriques...
Tratado de Zamora
...assinado em 5 de outubro de 1143
E o que é que ficou estabelecido neste tratado?
 Afonso VII reconhece a independência do Condado
Portucalense...
 O Condado Portucalense passou, então, a chamar-
se REINO DE PORTUGAL
 E D. Afonso Henriques foi o seu primeiro rei.
Por esta altura...
...o rei era a autoridade máxima do Reino...
...e era ao Rei que competia governar o País.
Era o Rei quem...
Fazia as leis Administrava
o Reino
Aplicava a
justiça
Decidia da
paz e da
guerra
Chefiava os
exércitos
A partir de 1143, e até 1910...
Portugal foi uma monarquia
porque à frente do governo do Reino estava um monarca - rei ou rainha.
A monarquia portuguesa era “hereditária”.
Quando o monarca morria...
...Sucedia-lhe o filho mais velho (o príncipe herdeiro).
Nesta época...
...o Papa, chefe supremo da Igreja Católica, tinha
muitos poderes.
Todos os reis e imperadores cristãos lhe deviam total...
 obediência
 e fidelidade
Quando se formava um novo reino cristão...
...era necessário que o Papa:
 reconhecesse a sua independência
 e confirmasse o título de rei ao seu primeiro monarca.
Para provar que era um bom rei cristão...
D. Afonso Henriques
 mandou reconstruir sés e igrejas
 e deu algumas propriedades e regalias aos mosteiros
Apesar de todos os serviços prestados à Igreja...
...Só em 1179...
...é que o Papa Alexandre III reconheceu D. Afonso
Henriques como rei de Portugal.
Selo de D. Afonso Henriques com a
palavra “Portugal”, no centro, e o
título “Afonso rei”.
 Formação reino--portugal.ppt_
A conquista da linha do Tejo
A reconquista portuguesa fez-se
aos avanços e recuos.
Algumas povoações foram
várias vezes conquistadas
e perdidas...
Até ser possível aos Portugueses
ocupá-las definitivamente.
Em 1143...
Feita a paz com o rei de Leão e
Castela...
...instalou-se com a sua corte na cidade
de Coimbra.
Em 1145...
...conquistou definitivamente Leiria.
Essa conquista garatiu:
 a segurança de Coimbra
 e permitiu que os cavaleiros portugueses
se deslocassem com segurança para
atacar Santarém e Lisboa.
...que eram ricas e poderosas
cidades mouras da Linha do
Tejo.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A historia de portugal
A historia de portugalA historia de portugal
A historia de portugal
gracindacasais
 
A história de portugal
A história de portugalA história de portugal
A história de portugal
telmascapelo
 
O império português e a concorrência internacional
O império português e a concorrência internacionalO império português e a concorrência internacional
O império português e a concorrência internacional
Lucilia Fonseca
 
Condado portucalense
Condado portucalenseCondado portucalense
Condado portucalense
Luisa Jesus
 
Portugal no contexto europeu do Século XII a XIV
Portugal no contexto europeu do Século XII a XIVPortugal no contexto europeu do Século XII a XIV
Portugal no contexto europeu do Século XII a XIV
Carlos Vieira
 
História de portugal
História de portugalHistória de portugal
História de portugal
ana2643232
 
Reconquista Cristã
Reconquista CristãReconquista Cristã
Reconquista Cristã
rvanessarebelo
 
Sociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIV
Sociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIVSociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIV
Sociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIV
Catarina Castro
 
Descoberta e exploração da Costa Africana
Descoberta e exploração da Costa AfricanaDescoberta e exploração da Costa Africana
Descoberta e exploração da Costa Africana
Maria Gomes
 
Muçulmanos
Muçulmanos Muçulmanos
Muçulmanos
armindabeatriz
 
A Expansão marítima
A Expansão marítimaA Expansão marítima
A Expansão marítima
cattonia
 
Portugal no contexto europeu do Século XII a XIV
Portugal no contexto europeu do Século XII a XIVPortugal no contexto europeu do Século XII a XIV
Portugal no contexto europeu do Século XII a XIV
Carlos Vieira
 
O império português e a concorrência internacional
O império português e a concorrência internacionalO império português e a concorrência internacional
O império português e a concorrência internacional
cattonia
 
O espaço português 1
O espaço português 1O espaço português 1
O espaço português 1
Vítor Santos
 
Formaçaõ de portugal
Formaçaõ de portugalFormaçaõ de portugal
Formaçaõ de portugal
Maria José Oliveira
 
As comunidades agropastoris- 5ºano- Prof .Alice
As comunidades agropastoris- 5ºano- Prof .AliceAs comunidades agropastoris- 5ºano- Prof .Alice
As comunidades agropastoris- 5ºano- Prof .Alice
alicebernardo
 
Reis de portugal 2ª Dinastia
Reis de portugal 2ª DinastiaReis de portugal 2ª Dinastia
Reis de portugal 2ª Dinastia
khistoria
 
formação de portugal
formação de portugalformação de portugal
formação de portugal
Carla Gonçalves
 
Descoberta colonização Arquipélagos Atlânticos
Descoberta colonização Arquipélagos AtlânticosDescoberta colonização Arquipélagos Atlânticos
Descoberta colonização Arquipélagos Atlânticos
Susana Simões
 
Sociedade nos séculos XIII e XIV
Sociedade nos séculos XIII e XIVSociedade nos séculos XIII e XIV
Sociedade nos séculos XIII e XIV
Cátia Botelho
 

Mais procurados (20)

A historia de portugal
A historia de portugalA historia de portugal
A historia de portugal
 
A história de portugal
A história de portugalA história de portugal
A história de portugal
 
O império português e a concorrência internacional
O império português e a concorrência internacionalO império português e a concorrência internacional
O império português e a concorrência internacional
 
Condado portucalense
Condado portucalenseCondado portucalense
Condado portucalense
 
Portugal no contexto europeu do Século XII a XIV
Portugal no contexto europeu do Século XII a XIVPortugal no contexto europeu do Século XII a XIV
Portugal no contexto europeu do Século XII a XIV
 
História de portugal
História de portugalHistória de portugal
História de portugal
 
Reconquista Cristã
Reconquista CristãReconquista Cristã
Reconquista Cristã
 
Sociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIV
Sociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIVSociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIV
Sociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIV
 
Descoberta e exploração da Costa Africana
Descoberta e exploração da Costa AfricanaDescoberta e exploração da Costa Africana
Descoberta e exploração da Costa Africana
 
Muçulmanos
Muçulmanos Muçulmanos
Muçulmanos
 
A Expansão marítima
A Expansão marítimaA Expansão marítima
A Expansão marítima
 
Portugal no contexto europeu do Século XII a XIV
Portugal no contexto europeu do Século XII a XIVPortugal no contexto europeu do Século XII a XIV
Portugal no contexto europeu do Século XII a XIV
 
O império português e a concorrência internacional
O império português e a concorrência internacionalO império português e a concorrência internacional
O império português e a concorrência internacional
 
O espaço português 1
O espaço português 1O espaço português 1
O espaço português 1
 
Formaçaõ de portugal
Formaçaõ de portugalFormaçaõ de portugal
Formaçaõ de portugal
 
As comunidades agropastoris- 5ºano- Prof .Alice
As comunidades agropastoris- 5ºano- Prof .AliceAs comunidades agropastoris- 5ºano- Prof .Alice
As comunidades agropastoris- 5ºano- Prof .Alice
 
Reis de portugal 2ª Dinastia
Reis de portugal 2ª DinastiaReis de portugal 2ª Dinastia
Reis de portugal 2ª Dinastia
 
formação de portugal
formação de portugalformação de portugal
formação de portugal
 
Descoberta colonização Arquipélagos Atlânticos
Descoberta colonização Arquipélagos AtlânticosDescoberta colonização Arquipélagos Atlânticos
Descoberta colonização Arquipélagos Atlânticos
 
Sociedade nos séculos XIII e XIV
Sociedade nos séculos XIII e XIVSociedade nos séculos XIII e XIV
Sociedade nos séculos XIII e XIV
 

Destaque

A Formação do Reino de Portugal
A Formação do Reino de PortugalA Formação do Reino de Portugal
A Formação do Reino de Portugal
HistN
 
Osdescobrimentosportugueses parteii-130426164154-phpapp01
Osdescobrimentosportugueses parteii-130426164154-phpapp01Osdescobrimentosportugueses parteii-130426164154-phpapp01
Osdescobrimentosportugueses parteii-130426164154-phpapp01
beatriz9911
 
Expansão Marítima Europeia
Expansão Marítima EuropeiaExpansão Marítima Europeia
Expansão Marítima Europeia
victorjunio82
 
A Expansão Marítima Europeia nos séculos XV e XVII
A Expansão Marítima Europeia nos séculos XV e XVIIA Expansão Marítima Europeia nos séculos XV e XVII
A Expansão Marítima Europeia nos séculos XV e XVII
Niela Tuani
 
1ª dinastia
1ª dinastia1ª dinastia
Reis da 1ª e 2ª dinastia
  Reis da 1ª e 2ª dinastia  Reis da 1ª e 2ª dinastia
Reis da 1ª e 2ª dinastia
Ministério da Educação
 
Fe&razão
Fe&razãoFe&razão
Fe&razão
Guilherme Marin
 
154 ab reconquista e formação de espanha e portugal
154 ab reconquista e formação de espanha e portugal154 ab reconquista e formação de espanha e portugal
154 ab reconquista e formação de espanha e portugal
cristianoperinpissolato
 
Expansão Marítima Européia
Expansão Marítima EuropéiaExpansão Marítima Européia
Expansão Marítima Européia
Ana Alice Monteiro Alencar
 
Expansão marítima europeia
Expansão marítima europeiaExpansão marítima europeia
Expansão marítima europeia
Elton Zanoni
 
História de portugal 1
História de portugal 1História de portugal 1
História de portugal 1
bibbaixo
 
A FormaçãO De Portugal
A FormaçãO De PortugalA FormaçãO De Portugal
A FormaçãO De Portugal
Sílvia Mendonça
 
A Reconquista e a Formação de Portugal
A Reconquista e a Formação de PortugalA Reconquista e a Formação de Portugal
A Reconquista e a Formação de Portugal
Nelson Faustino
 
Expansão marítima européia
Expansão marítima européiaExpansão marítima européia
Expansão marítima européia
PROFºWILTONREIS
 
Uma viagem ao tempo dos castelos
Uma viagem ao tempo dos castelosUma viagem ao tempo dos castelos
Uma viagem ao tempo dos castelos
EDP28
 
Expansão marítima europeia
Expansão marítima europeiaExpansão marítima europeia
Expansão marítima europeia
robson30
 
A prioridade portuguesa na expansão
A prioridade portuguesa na expansãoA prioridade portuguesa na expansão
A prioridade portuguesa na expansão
Maria Gomes
 
[E1] Portugal: pioneiro na expansão europeia.
[E1] Portugal: pioneiro na expansão europeia.[E1] Portugal: pioneiro na expansão europeia.
[E1] Portugal: pioneiro na expansão europeia.
khistoria
 
Biografia de d. afonso henriques
Biografia de d. afonso henriquesBiografia de d. afonso henriques
Biografia de d. afonso henriques
20014
 
Formação de portugal 4º ano
Formação de portugal   4º anoFormação de portugal   4º ano
Formação de portugal 4º ano
telmascapelo
 

Destaque (20)

A Formação do Reino de Portugal
A Formação do Reino de PortugalA Formação do Reino de Portugal
A Formação do Reino de Portugal
 
Osdescobrimentosportugueses parteii-130426164154-phpapp01
Osdescobrimentosportugueses parteii-130426164154-phpapp01Osdescobrimentosportugueses parteii-130426164154-phpapp01
Osdescobrimentosportugueses parteii-130426164154-phpapp01
 
Expansão Marítima Europeia
Expansão Marítima EuropeiaExpansão Marítima Europeia
Expansão Marítima Europeia
 
A Expansão Marítima Europeia nos séculos XV e XVII
A Expansão Marítima Europeia nos séculos XV e XVIIA Expansão Marítima Europeia nos séculos XV e XVII
A Expansão Marítima Europeia nos séculos XV e XVII
 
1ª dinastia
1ª dinastia1ª dinastia
1ª dinastia
 
Reis da 1ª e 2ª dinastia
  Reis da 1ª e 2ª dinastia  Reis da 1ª e 2ª dinastia
Reis da 1ª e 2ª dinastia
 
Fe&razão
Fe&razãoFe&razão
Fe&razão
 
154 ab reconquista e formação de espanha e portugal
154 ab reconquista e formação de espanha e portugal154 ab reconquista e formação de espanha e portugal
154 ab reconquista e formação de espanha e portugal
 
Expansão Marítima Européia
Expansão Marítima EuropéiaExpansão Marítima Européia
Expansão Marítima Européia
 
Expansão marítima europeia
Expansão marítima europeiaExpansão marítima europeia
Expansão marítima europeia
 
História de portugal 1
História de portugal 1História de portugal 1
História de portugal 1
 
A FormaçãO De Portugal
A FormaçãO De PortugalA FormaçãO De Portugal
A FormaçãO De Portugal
 
A Reconquista e a Formação de Portugal
A Reconquista e a Formação de PortugalA Reconquista e a Formação de Portugal
A Reconquista e a Formação de Portugal
 
Expansão marítima européia
Expansão marítima européiaExpansão marítima européia
Expansão marítima européia
 
Uma viagem ao tempo dos castelos
Uma viagem ao tempo dos castelosUma viagem ao tempo dos castelos
Uma viagem ao tempo dos castelos
 
Expansão marítima europeia
Expansão marítima europeiaExpansão marítima europeia
Expansão marítima europeia
 
A prioridade portuguesa na expansão
A prioridade portuguesa na expansãoA prioridade portuguesa na expansão
A prioridade portuguesa na expansão
 
[E1] Portugal: pioneiro na expansão europeia.
[E1] Portugal: pioneiro na expansão europeia.[E1] Portugal: pioneiro na expansão europeia.
[E1] Portugal: pioneiro na expansão europeia.
 
Biografia de d. afonso henriques
Biografia de d. afonso henriquesBiografia de d. afonso henriques
Biografia de d. afonso henriques
 
Formação de portugal 4º ano
Formação de portugal   4º anoFormação de portugal   4º ano
Formação de portugal 4º ano
 

Semelhante a Formação reino--portugal.ppt_

D. Afonso Henriques
D. Afonso HenriquesD. Afonso Henriques
D. Afonso Henriques
Maria Gomes
 
A Reconquista Cristã
A Reconquista Cristã A Reconquista Cristã
A Reconquista Cristã
DinisStudios
 
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
Daniel Leitão
 
As dinastias em portugal e estilos arquitetonicos
As dinastias em portugal  e estilos arquitetonicosAs dinastias em portugal  e estilos arquitetonicos
As dinastias em portugal e estilos arquitetonicos
SoniaCabeleira
 
1.ª Dinastia
1.ª Dinastia1.ª Dinastia
1.ª Dinastia
Helena Rocha
 
A FormaçãO De Portugal
A FormaçãO De PortugalA FormaçãO De Portugal
A FormaçãO De Portugal
Sílvia Mendonça
 
A FormaçãO De Portugal
A FormaçãO De PortugalA FormaçãO De Portugal
A FormaçãO De Portugal
Sílvia Mendonça
 
A FormaçãO De Portugal Trabalh O Ja Feit O
A FormaçãO De Portugal Trabalh O Ja Feit OA FormaçãO De Portugal Trabalh O Ja Feit O
A FormaçãO De Portugal Trabalh O Ja Feit O
Sílvia Mendonça
 
A formação do Condado Portucalense.pptx
A formação do Condado Portucalense.pptxA formação do Condado Portucalense.pptx
A formação do Condado Portucalense.pptx
Mariana Neves
 
A formação de portugal
A formação de portugalA formação de portugal
A formação de portugal
andrepaiva7a
 
Afonsohenriques 110706071735-phpapp01
Afonsohenriques 110706071735-phpapp01Afonsohenriques 110706071735-phpapp01
Afonsohenriques 110706071735-phpapp01
Parede, Lisboa, Portugal
 
Reis 5º Ano
Reis 5º AnoReis 5º Ano
Reis 5º Ano
guest68d518
 
A+história+de+portugal
A+história+de+portugalA+história+de+portugal
A+história+de+portugal
belinhas
 
hp_6_7.pdf
hp_6_7.pdfhp_6_7.pdf
hp_6_7.pdf
Daniel Pires
 
4 aformaodoreinodeportugal
4 aformaodoreinodeportugal4 aformaodoreinodeportugal
4 aformaodoreinodeportugal
R C
 
Eubiose 2 mar-2013 portugal a primeira nação templaria
Eubiose 2 mar-2013 portugal a primeira nação templariaEubiose 2 mar-2013 portugal a primeira nação templaria
Eubiose 2 mar-2013 portugal a primeira nação templaria
Numeric Contadores
 
A formação de portugal
A formação de portugalA formação de portugal
A formação de portugal
andrepaiva7a
 
re82121_euvez5_pp_formacao_reino.pdf
re82121_euvez5_pp_formacao_reino.pdfre82121_euvez5_pp_formacao_reino.pdf
re82121_euvez5_pp_formacao_reino.pdf
ngelaMendes10
 
2ª dinastia trabalho marco2012
2ª dinastia   trabalho marco20122ª dinastia   trabalho marco2012
2ª dinastia trabalho marco2012
Ministério da Educação
 

Semelhante a Formação reino--portugal.ppt_ (20)

D. Afonso Henriques
D. Afonso HenriquesD. Afonso Henriques
D. Afonso Henriques
 
A Reconquista Cristã
A Reconquista Cristã A Reconquista Cristã
A Reconquista Cristã
 
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
 
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
 
As dinastias em portugal e estilos arquitetonicos
As dinastias em portugal  e estilos arquitetonicosAs dinastias em portugal  e estilos arquitetonicos
As dinastias em portugal e estilos arquitetonicos
 
1.ª Dinastia
1.ª Dinastia1.ª Dinastia
1.ª Dinastia
 
A FormaçãO De Portugal
A FormaçãO De PortugalA FormaçãO De Portugal
A FormaçãO De Portugal
 
A FormaçãO De Portugal
A FormaçãO De PortugalA FormaçãO De Portugal
A FormaçãO De Portugal
 
A FormaçãO De Portugal Trabalh O Ja Feit O
A FormaçãO De Portugal Trabalh O Ja Feit OA FormaçãO De Portugal Trabalh O Ja Feit O
A FormaçãO De Portugal Trabalh O Ja Feit O
 
A formação do Condado Portucalense.pptx
A formação do Condado Portucalense.pptxA formação do Condado Portucalense.pptx
A formação do Condado Portucalense.pptx
 
A formação de portugal
A formação de portugalA formação de portugal
A formação de portugal
 
Afonsohenriques 110706071735-phpapp01
Afonsohenriques 110706071735-phpapp01Afonsohenriques 110706071735-phpapp01
Afonsohenriques 110706071735-phpapp01
 
Reis 5º Ano
Reis 5º AnoReis 5º Ano
Reis 5º Ano
 
A+história+de+portugal
A+história+de+portugalA+história+de+portugal
A+história+de+portugal
 
hp_6_7.pdf
hp_6_7.pdfhp_6_7.pdf
hp_6_7.pdf
 
4 aformaodoreinodeportugal
4 aformaodoreinodeportugal4 aformaodoreinodeportugal
4 aformaodoreinodeportugal
 
Eubiose 2 mar-2013 portugal a primeira nação templaria
Eubiose 2 mar-2013 portugal a primeira nação templariaEubiose 2 mar-2013 portugal a primeira nação templaria
Eubiose 2 mar-2013 portugal a primeira nação templaria
 
A formação de portugal
A formação de portugalA formação de portugal
A formação de portugal
 
re82121_euvez5_pp_formacao_reino.pdf
re82121_euvez5_pp_formacao_reino.pdfre82121_euvez5_pp_formacao_reino.pdf
re82121_euvez5_pp_formacao_reino.pdf
 
2ª dinastia trabalho marco2012
2ª dinastia   trabalho marco20122ª dinastia   trabalho marco2012
2ª dinastia trabalho marco2012
 

Último

Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 

Formação reino--portugal.ppt_

  • 1. A Formação do Reino de PortugalA Formação do Reino de Portugal
  • 2. A luta pela independência O Condado Portucalense Durante a Reconquista Cristã da Península Ibérica... ...quando os reis cristãos tinham dificuldades em vencer os Muçulmanos, pediam auxílio aos outros reinos cristãos da Europa...
  • 3. A luta pela independência Em 1086... Uma investida dos Muçulmanos pôs em perigo o REINO DE LEÃO e CASTELA. Para travar esta investida, chegaram vários cavaleiros franceses, entre os quais se destacaram dois nobres da família do duque da Borgonha: D. Raimundo D. Henrique
  • 5. Como recompensa pelos serviços prestados... D. Afonso VI, rei de Leão e Castela, concedeu: A D. Henrique A D. Raimundo O governo da Galiza E a sua filha D.Urraca O governo do Condado Portucalense E a sua filha D.Teresa
  • 6. ...tinha a seu cargo o governo e defesa do Condado Portucalense... D. Afonso VI ...mas o seu legítimo rei continuava a ser o rei de Leão e Castela... Por essa razão... ...D. Henrique estava na dependência de D. Afonso VI... Quando, em 1112, D. Henrique morreu... ...o seu filho, D. Afonso Henriques, ainda não tinha 4 anos de idade. Por isso... ...ficou a governar o Condado Portucalense... D. Teresa, sua mãe. ...e tinha de lhe prestar obediência lealdade e auxílio militar.
  • 7. Em 1125, ao completar 16 anos... O jovem Afonso Henriques armou-se a si próprio cavaleiro, como só o faziam os reis... Por esta altura... D. Teresa ... Mantinha uma ligação amorosa com um fidalgo galego... ...o conde Fernão Peres de Trava Esta ligação prejudicava o desejo de independência do Condado Portucalense.  Apoiado pelos nobres portucalenses... velhos companheiros de armas de seu pai...  D. Afonso Henriques revoltou-se contra a mãe.
  • 8. O confronto entre Os partidários de D. Afonso Henriques E os de D. Teresa Deu-se na... Batalha de S. Mamede perto de Guimarães em 24 de junho de 1128
  • 9. Nesta batalha, D. Teresa sai derrotada. D. Teresa acabou por se refugiar na Galiza, onde morreu dois anos depois. A partir de 1128, D. Afonso Henriques, ainda muito novo, passou a governar o Condado Portucalense.
  • 11. D. Afonso Henriques tinha dois objetivos... Lutar contra D. Afonso VII Para conseguir a independência do Condado Portucalense Lutar contra os Muçulmanos Para aumentar o território para sul
  • 13. 1130 D. Afonso Henriques invade a Galiza. D. Afonso Henriques invade novamente a Galiza. D. Afonso Henriques vence forças galegas em Cerneja (Galiza). D. Afonso Henriques vence um exército muçulmano em Ourique. Os cavaleiros de D. Afonso Henriques vencem os de D. Afonso VII num torneio, em Arcos de Valdevez (Minho). 1135 1136 1139 1140 As vitórias dos portugueses em:  Cerneja  e em Arcos de Valdevez ...obrigaram D. Afonso VII... ...a fazer um acordo de paz com D. Afonso Henriques... Tratado de Zamora ...assinado em 5 de outubro de 1143 E o que é que ficou estabelecido neste tratado?  Afonso VII reconhece a independência do Condado Portucalense...  O Condado Portucalense passou, então, a chamar- se REINO DE PORTUGAL  E D. Afonso Henriques foi o seu primeiro rei.
  • 14. Por esta altura... ...o rei era a autoridade máxima do Reino... ...e era ao Rei que competia governar o País. Era o Rei quem... Fazia as leis Administrava o Reino Aplicava a justiça Decidia da paz e da guerra Chefiava os exércitos A partir de 1143, e até 1910... Portugal foi uma monarquia porque à frente do governo do Reino estava um monarca - rei ou rainha. A monarquia portuguesa era “hereditária”. Quando o monarca morria... ...Sucedia-lhe o filho mais velho (o príncipe herdeiro).
  • 15. Nesta época... ...o Papa, chefe supremo da Igreja Católica, tinha muitos poderes. Todos os reis e imperadores cristãos lhe deviam total...  obediência  e fidelidade Quando se formava um novo reino cristão... ...era necessário que o Papa:  reconhecesse a sua independência  e confirmasse o título de rei ao seu primeiro monarca.
  • 16. Para provar que era um bom rei cristão... D. Afonso Henriques  mandou reconstruir sés e igrejas  e deu algumas propriedades e regalias aos mosteiros Apesar de todos os serviços prestados à Igreja... ...Só em 1179... ...é que o Papa Alexandre III reconheceu D. Afonso Henriques como rei de Portugal. Selo de D. Afonso Henriques com a palavra “Portugal”, no centro, e o título “Afonso rei”.
  • 18. A conquista da linha do Tejo A reconquista portuguesa fez-se aos avanços e recuos. Algumas povoações foram várias vezes conquistadas e perdidas... Até ser possível aos Portugueses ocupá-las definitivamente. Em 1143... Feita a paz com o rei de Leão e Castela... ...instalou-se com a sua corte na cidade de Coimbra. Em 1145... ...conquistou definitivamente Leiria. Essa conquista garatiu:  a segurança de Coimbra  e permitiu que os cavaleiros portugueses se deslocassem com segurança para atacar Santarém e Lisboa. ...que eram ricas e poderosas cidades mouras da Linha do Tejo.