SlideShare uma empresa Scribd logo
Saúde do idoso: Queda
Definição - Queda
   “Um evento não intencional que tem
    como resultado a mudança da
    posição do indivíduo para um nível
    mais baixo, em relação a sua posição
    inicial.” Congresso Paulista de Geriatria e
    Gerontologia 1998
Definição - Idoso
   “pessoas com idade igual ou superior
    a 60 (sessenta) anos.”Lei 10.741, de 1º de
    outubro de 2003
Dados
   População Estimada       19 milhões (10% da
    população)

   2016 representará 15% da população;

   2025: 6º lugar no ranking mundial.

   Gastos com fraturas em idosos
    ◦ 2009   R$ 81 milhões

    ◦ Internações e medicamentos
Queda
   Fato comum;

   Infância;
Incidência de quedas
   Variável

 65 – 74 anos 32%
 75 – 84 anos 35%
 85 anos 51%


   Mulheres x homens
EQUILÍBRIO
Fisiologia
   Sistema Vestibular

   Sistema somatossensorial

   Sistema Visual
SISTEMA VESTIBULAR
Queda do idoso
Sistema Visual
Queda do idoso
SISTEMA VISUAL
Queda do idoso
Queda do idoso
SISTEMA
SOMATOSSENSORIAL
Queda do idoso
Fatores de Risco
   Extrínsecos: condições do ambiente
    que facilitam a queda

   Intrínsecos: quando o problema é
    inerente à saúde do indivíduo

   Medicamentos
Acentuação doenças crônicas
   Doenças cardíacas

   Doenças pulmonares

   Doenças Neurológicas

   Doenças Geniturinária

   Osteoporose

   Artrose

   Labirintite
   Diminuição da visão

   Diminuição da audição

   Sedentarismo

   Distúrbios músculoesqueléticos

   Alterações na postura

   Alterações de equilíbrio e locomoção

   Deformidade nos pés
Medicamentos
 Antidepressivos
 Ansiolíticos
 Hipnóticos
 Antipsicóticos
 Anticolinérgicos
 Antihipertensivos
 Diuréticos
 Antiarritmicos Hipoglicemiantes
 AINEs
Queda
   30% idosos cai uma vez ao ano.

   Ciclo vicioso

   Institucionalizados x comunidade
ABORDAGEM CLÍNICA DO PACIENTE QUE
SOFREU A QUEDA


1.   História da queda
2.   Avaliação Etiológica
3.   Avaliação Ambiental
4.   Avaliação Funcional
História da queda
 Quantas vezes houve quedas no
  último ano?
 Houve alguma consequência?
 Houve necessidade de procurar um
  médico?
 Teve AVDs restringidas?
 Motivo?


   Intervenção fisioterapêutica
Etiológica
   Sistema visual – Tabela Snellen
    ◦ Campos periféricos
    ◦ Profundidade
   Sistema Vestibular

   Somatossensorial: propriocepção
Queda do idoso
Etiológica
   Avaliação de FM

   Avaliação da ADM

   Flexibilidade
Ambiental

   Avaliação do ambiente no qual vive o
    idoso
Avaliação Funcional
   Timed up and go test

   Berg Balance

   SPPB
Consequências Físicas
 Lesões teciduais;
 Fraturas;
 Hospitalização;
 Imobilização e problemas
  respiratórios;
 Lesão Neurológica;
 Nível de atividade física reduzido;
Queda do idoso
Consequências Funcionais
   Limitações

   Abandono de certas atividades

   Modificação de hábitos e estilo de
    vida

   Dependência
Consequências Funcionais
   Perda da Independência – 32% a 50%
    dos idosos

   Mudança de comportamento – Entre
    9,5% a 35% dos idosos

   Consequências
Consequências Psicossociais
 Medo
 Sensação de impotência
 Desgaste emocional
 Depressão
 Diminuição da autoestima
 Vergonha
 Menos otimismo com relação ao
  futuro
Síndrome Pós Queda
MEDIDAS PREVENTIVAS
INTERVENÇÃO
   Prática de Atividade Física

   Mudança de comportamento de risco

   Alteração de medicamentos

   Tratamento de osteoporose –Dieta/ exposição ao
    sol

   Doenças pré existentes
                       (Relatório de prevenção à quedas na
    velhice,2007)
Alterações do Ambiente




     vídeo
Queda do idoso
CAMPANHAS


          CAMPANHA Dia Mundial da Prevenção da Queda do
          Idoso 23/06/2009




    Protocolo de investigação e intervenção de práticas locais
    HelpeAge Internacional( rede internacional par idosos
    reivindicar seus direitos)- Fisioterapia UNICID- Hospital
    das Clínicas.
FISIOTERAPIA NA
    PREVENÇÃO DE QUEDAS EM
    IDOSOS.
      Programa em grupo de Idosos-
       Lúdica socialização.
     Objetivos
      Manter e ganhar FM/Flexibilidade/
      Manter Equilíbrio Estático/Dinâmico
      Prevenir osteoporose.




(Relatório de prevenção à quedas na
velhice,2007)
Condutas
 Atividades aeróbicas com intensidade
  moderada- controle de
  peso/Osteoporose

   Exercícios resistidos com aumento
    progressivo da intensidade 3x (8-12)

   Exercícios para a flexibilidade 30
    segundos de 3 a 4 repetições.
              (Relatório de prevenção à quedas na
              velhice,2007)
   Exercícios que treinem o equilíbrio



   Mobilidade Postural




           (Relatório de prevenção à quedas na velhice,2007
   Exercícios multissensoriais-Circuito
    que alterne a velocidade do
    deambular/alterne os braços.



   Medicina integrativa -Liang Gong.




          (Relatório de prevenção à quedas na velhice,2007)
FISIOTERAPIA NA FRATURA
   Fratura de Colles-



   Mulheres > 50 (osteoporose)
   Fratura Epífise proximal do fêmur.

   Prótese cimentada.

   Contra indicações.
ARTIGO

 Avaliação da capacidade
 física e quedas em idosos
 ativos e sedentários da
 comunidade*

Rev Bras Clin Med. São Paulo, 2010 set-out;8(5):392-8
 Objetivo do trabalho foi analisar a probabilidade
  de ocorrência de quedas em idosos sedentários e
  ativos, por meio do teste de SPPB.

(Short Physical Performance Battery (SPPB), que avalia por
  meio de escore de tempo o equilíbrio, a velocidade da
  marcha e a força de membros inferiores) e avaliação ampla
  geriátrica)
Métodos
 Estudo de corte transversal
 32 idosos > 60 anos ÷ em 2 grupos ATIVOS e
  SEDENTÁRIOS

Grupo ATIVOS (A)-12F / 3M (60-85anos)

-FM/Alongamento/Treino de Marcha/Treino de equilíbrio/
  Atividades cognitivas e vestibulares e dança sênior.- 1
  vez na semana-2hrs-(Alunos do 4 ano de fisioterapia )
-
Ginastica, Taichi Chuan,remo, canoagem, surf,
  hidroginástica,caminhadas, bicicleta,alongamento e
  fortalecimento- 1 a 5X(média 2,8/ semana)
   GRUPO (S sedentários)

   15 idosos-12F/ 3M( 60-84 anos)

   Triagem aleatória- VII- Feira da Saúde-23
    e 24 outubro de 2009.

   Critérios de inclusão- atividades regulares
    e sedentários

   Exclusão-Incapacidade física em realizar
    o teste(Equilibrio/Velocidade/Marcha e FM
    MMII)
TESTE DE EQUILÍBRIO

Teste de Equilíbrio.      Pontuação.
Pés juntos olhando para   1 ponto
frente 10 s
Não realiza               O
Semi Tandem               1 ponto
Não realiza               O
Tandem permanece- 10 s    2 pontos
                3 a 9,9   1 ponto
s
TOTAL                     4 Pontos
Teste de Velocidade da Marcha
Pcte deambula = 4 metros

 Tempo de caminhada          Pontos
 < tempo de caminhada- 4,8   4 Pontos
 s
 4,82-6,0 s                  3 Pontos
 6,21-8,70 s                 2 Pontos
 >8,71- s                    1 Ponto
 Não Realiza                 0
 Total Máximo                4 Pontos
Teste de FM do MMII
Teste de FM dos MMII
Sentar e levantar 5 X sem apoio dos
 MMSS
    Tempo de se levantar       Pontos
    11,19 s                    4 Pontos
    11,20-13,69 s              3 Pontos
    13,70 s-16,69s             2 Pontos
    >16,70                     1 Ponto
    Se não realizou ou > 60s   0
    Total Máximo               = 4 Pontos
Questionário de avaliação geriátrica:
 Nome
 Queixa principal
 Déficit visual e auditivo
 Práticas de atividades físicas
 Ocorrência de quedas nos últimos 6 meses
 Intensidade do medo de cair
 Quedas-fraturas
 Tendência a quedas
SPPB= Teste equilíbrio + Velocidade da
 Marcha +FM MMII= 12 pontos

 PONTOS          DESEMPENHO
 0-3             INCAPACIDADE
 4-6             BAIXO DESEMPENHO
 7-9             MODERADO
 10-12           BOM DESEMPENHO
RESULTADOS




S 33%) (A 20%), relatou mais déficit visual (S 73%) (A 66%), medo de cair (S 73%) (A
46%), tendência às quedas (S 40%) (A 13%) e fraturas decorrentes de quedas (S 26%
- A 13%). Em relação ao déficit auditivo, os dois grupos relataram a mesma frequência
(S 33% - A 33%)
RESULTADOS: TESTE DE
EQUILIBRIO.

GRUPOS          PONTOS

S 60% - A 80%   4

S 20% -A 13%    3

S 13%- A 6%     2

S 1%            1
Queda do idoso
Velocidade da Marcha




 GRUPOS             PONTOS
 S 60%- A86%        4
 S6% -A 13%         3
 S 41% - 2 pontos   2
Teste para FM




 GRUPOS         PONTOS
 A- 46%         4
 S 20%- A13%    3
 S 33%-A 20%-   2
 S 46% -A 20%   1
GRUPOS        PONTUAÇÃO   DESEMPENHO

A 73%-40%     12          BOM DESEMPENHO
A 13%         11
A 20%         10
S 40% -6%     9           MODERADO
     20%      8           DESEMPENHO
      6%      7
A 26% -13%    9
      6%      8
      6%      7
S 26% - 13%   6           BAIXO DESEMPENHO
     13%      5


GRUPO S -TER MAIS
IDADE.
TOTAL
CONCLUSÃO
�����������������
 �����������������
 �����������������
 �����������������
 �����������������
 �����������������
 ����� A prática regular de
 exercícios físicos influencia
 positivamente na prevenção de
 quedas, funcionalidade e,
 consequentemente, em melhor
Obrigado!
Queda do idoso
Referências Bibliográficas:
   1. Ribeiro PA, Souza RE, Atie S, Souza CA,Schilithz AO. A
    influência das quedas. Ciência e Saúde.Rio de Janeiro;2008;
    13(4):1265-1273.
   2. Wieczorek SA. Equilíbrio entre adultos e idosos: relação
    entre tempo de movimento e acurácia durante movimentos
    voluntários na postura em pé. [Dissertação]. São Paulo (SP):
    Universidade de São Paulo Escola de Educação Física e
    Esporte; 2009
   3. Ribeiro PA. Repercussões das quedas na qualidade de
    vida de mulheres idosas:[Dissertação]. Rio de Janeiro (RJ):
    Instituto Fernandes Figueira, Fundação Oswaldo Cruz; 2006.
    4. IBGE Síntese de indicadores sociais 2008. Disponível em
    http://www.ibge.gov.br; acessado em novembro de 2012.
   5. Netto PM, Filho CTE. Geriatria Fundamento Clínico e
    Terapêutico. 2 ed. São Paulo: Athenas; 2005.
   6. Portal da saúde. [homepage onde internet].São
    Paulo:Portal da saúde,[Updated 10 novembro 2012;citado 15
    novembro 2012].Disponivel em:
    http://portal.saude.gov.br/portal/saude/visualizar_texto.cfm?id
    txt=33674&janela=1 acessado em 10/11/2012
   7. Valentim VCF, Fonseca RCM, Santos OM, Santos OMB.
    Avaliação do equilíbrio postural e dos fatores relacionados às
    quedas em idosos de instituição de longa permanência.
    Estudos Interdisciplinares sobre o envelhecimento.
    2009;14(1):207-224
   8. Fabricio CCS,Rodrigues PAR, Júnior CLM.Causas e
    consequências de quedas de idosos em hospital publico.Rev
    saúde pública.2004;38(1):93-9
   9. Relatorio Global da OMS sobre prevenção de quedas do
    idoso.São Paulo:SES/SP, 2010
   10. Casa segura. [homepage onde internet].São Paulo:Casa
    segura,[Updated 10 novembro 2012;citado 15 novembro
    2012]. Disponivel em: http://www.casasegura-
    arquitetura.blogspot.com.br/ acessado em:10/11/2012.
   11. Vigilância e prevenção de quedas em idosos . Editores:
    Marilia C. P. Louvison e Tereza Etsuko da Costa Rosa -- São
    Paulo: SES/SP, 2010.
   12. Aveiro CM, Aciole GG, Driusso P, Oishi J.Perspectivas da
    participação do fisioterapeuta no Programa Saúde da Família
    na atenção à saúde do idoso. Ciência e saúde coletiva.Rio
    de Janeiro;2011; 16(Sup 1):1467-1478.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Conceitos++básico geriatria
Conceitos++básico geriatriaConceitos++básico geriatria
Conceitos++básico geriatria
Madaisa Sousa
 
QUALIDADE DE VIDA geriatria e gerontologia
 QUALIDADE DE VIDA geriatria e gerontologia  QUALIDADE DE VIDA geriatria e gerontologia
QUALIDADE DE VIDA geriatria e gerontologia
Stefane Rayane
 
Demências
DemênciasDemências
Demências
Inaiara Bragante
 
Aula 2 cuidados de saúde do idoso (2)
Aula 2   cuidados de saúde do idoso (2)Aula 2   cuidados de saúde do idoso (2)
Aula 2 cuidados de saúde do idoso (2)
Tania Jesus
 
Conceitos Básicos
Conceitos BásicosConceitos Básicos
Conceitos Básicos
agemais
 
Atenção à Saúde do Idoso
Atenção à Saúde do Idoso Atenção à Saúde do Idoso
Saúde do Idoso
Saúde do IdosoSaúde do Idoso
Saúde do Idoso
Ana Hollanders
 
Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.
Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.
Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.
luzienne moraes
 
Principais Sindromes Geriatricas
Principais Sindromes GeriatricasPrincipais Sindromes Geriatricas
Principais Sindromes Geriatricas
João Paulo França
 
Saúde do idoso
 Saúde do idoso Saúde do idoso
Saúde do idoso
Marcos Figueiredo
 
Promoção a-saúde-do-idoso
Promoção a-saúde-do-idosoPromoção a-saúde-do-idoso
Promoção a-saúde-do-idoso
Joice Lins
 
Prevenção de Acidentes Com Idosos
Prevenção de Acidentes Com IdososPrevenção de Acidentes Com Idosos
Prevenção de Acidentes Com Idosos
Carlos Lima
 
Aula saude do idoso
Aula saude do idosoAula saude do idoso
Aula saude do idoso
morgausesp
 
Saude do idoso
Saude do idosoSaude do idoso
Saude do idoso
Natha Fisioterapia
 
Alteracoes fisiologicas e anatomicas do idoso
 Alteracoes fisiologicas e anatomicas do idoso Alteracoes fisiologicas e anatomicas do idoso
Alteracoes fisiologicas e anatomicas do idoso
Keylla Tayne
 
Saude+do+idoso
Saude+do+idosoSaude+do+idoso
Saude+do+idoso
Karolina Peixoto
 
Osteoporose 2019
Osteoporose 2019Osteoporose 2019
Osteoporose 2019
Paulo Alambert
 
Cuidador de Idoso
Cuidador de Idoso Cuidador de Idoso
Cuidador de Idoso
Ana Hollanders
 
Velhice e Envelhecimento - Profa. Rilva Muñoz / GESME
Velhice e Envelhecimento - Profa. Rilva Muñoz / GESMEVelhice e Envelhecimento - Profa. Rilva Muñoz / GESME
Velhice e Envelhecimento - Profa. Rilva Muñoz / GESME
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
"Atenção à Saúde do Idoso: Exame Físico"
"Atenção à Saúde do Idoso: Exame Físico""Atenção à Saúde do Idoso: Exame Físico"
"Atenção à Saúde do Idoso: Exame Físico"
Tainá Martins
 

Mais procurados (20)

Conceitos++básico geriatria
Conceitos++básico geriatriaConceitos++básico geriatria
Conceitos++básico geriatria
 
QUALIDADE DE VIDA geriatria e gerontologia
 QUALIDADE DE VIDA geriatria e gerontologia  QUALIDADE DE VIDA geriatria e gerontologia
QUALIDADE DE VIDA geriatria e gerontologia
 
Demências
DemênciasDemências
Demências
 
Aula 2 cuidados de saúde do idoso (2)
Aula 2   cuidados de saúde do idoso (2)Aula 2   cuidados de saúde do idoso (2)
Aula 2 cuidados de saúde do idoso (2)
 
Conceitos Básicos
Conceitos BásicosConceitos Básicos
Conceitos Básicos
 
Atenção à Saúde do Idoso
Atenção à Saúde do Idoso Atenção à Saúde do Idoso
Atenção à Saúde do Idoso
 
Saúde do Idoso
Saúde do IdosoSaúde do Idoso
Saúde do Idoso
 
Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.
Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.
Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.
 
Principais Sindromes Geriatricas
Principais Sindromes GeriatricasPrincipais Sindromes Geriatricas
Principais Sindromes Geriatricas
 
Saúde do idoso
 Saúde do idoso Saúde do idoso
Saúde do idoso
 
Promoção a-saúde-do-idoso
Promoção a-saúde-do-idosoPromoção a-saúde-do-idoso
Promoção a-saúde-do-idoso
 
Prevenção de Acidentes Com Idosos
Prevenção de Acidentes Com IdososPrevenção de Acidentes Com Idosos
Prevenção de Acidentes Com Idosos
 
Aula saude do idoso
Aula saude do idosoAula saude do idoso
Aula saude do idoso
 
Saude do idoso
Saude do idosoSaude do idoso
Saude do idoso
 
Alteracoes fisiologicas e anatomicas do idoso
 Alteracoes fisiologicas e anatomicas do idoso Alteracoes fisiologicas e anatomicas do idoso
Alteracoes fisiologicas e anatomicas do idoso
 
Saude+do+idoso
Saude+do+idosoSaude+do+idoso
Saude+do+idoso
 
Osteoporose 2019
Osteoporose 2019Osteoporose 2019
Osteoporose 2019
 
Cuidador de Idoso
Cuidador de Idoso Cuidador de Idoso
Cuidador de Idoso
 
Velhice e Envelhecimento - Profa. Rilva Muñoz / GESME
Velhice e Envelhecimento - Profa. Rilva Muñoz / GESMEVelhice e Envelhecimento - Profa. Rilva Muñoz / GESME
Velhice e Envelhecimento - Profa. Rilva Muñoz / GESME
 
"Atenção à Saúde do Idoso: Exame Físico"
"Atenção à Saúde do Idoso: Exame Físico""Atenção à Saúde do Idoso: Exame Físico"
"Atenção à Saúde do Idoso: Exame Físico"
 

Semelhante a Queda do idoso

quedadoidoso-121123073639-phpapp02.pdf
quedadoidoso-121123073639-phpapp02.pdfquedadoidoso-121123073639-phpapp02.pdf
quedadoidoso-121123073639-phpapp02.pdf
DeividSergio
 
Promoção do envelhecimento saudável
Promoção do envelhecimento saudávelPromoção do envelhecimento saudável
Promoção do envelhecimento saudável
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Artigo atividade física e envelhecimento
Artigo atividade física e envelhecimentoArtigo atividade física e envelhecimento
Artigo atividade física e envelhecimento
Evitom de Sousa
 
64068316 atividade-fisica-e-terceira-idade
64068316 atividade-fisica-e-terceira-idade64068316 atividade-fisica-e-terceira-idade
64068316 atividade-fisica-e-terceira-idade
Lari Jacovenco
 
Avaliação da capacidade funcional em idosos com fatores de risco
Avaliação da capacidade funcional em idosos com fatores de riscoAvaliação da capacidade funcional em idosos com fatores de risco
Avaliação da capacidade funcional em idosos com fatores de risco
Faculdade Anglo-Americano
 
Avaliação da capacidade funcional em idosos com fatores de risco
Avaliação da capacidade funcional em idosos com fatores de riscoAvaliação da capacidade funcional em idosos com fatores de risco
Avaliação da capacidade funcional em idosos com fatores de risco
Faculdade Anglo-Americano
 
Prevenção em saúde na Geriatria
Prevenção em saúde na GeriatriaPrevenção em saúde na Geriatria
Prevenção em saúde na Geriatria
uhgeri
 
Atividades de dança, marcha e equilíbrio de
Atividades de dança, marcha e equilíbrio deAtividades de dança, marcha e equilíbrio de
Atividades de dança, marcha e equilíbrio de
ProfessorMarceloBorges
 
Edição 13
Edição 13Edição 13
Edição 13
gimenezeassociados
 
Sedentarismo
SedentarismoSedentarismo
Gigantes Da Geriatria
Gigantes Da GeriatriaGigantes Da Geriatria
Gigantes Da Geriatria
Márcio Borges
 
V15n1a05
V15n1a05V15n1a05
V15n1a05
Jhonnzimmer
 
Relatório tcc lourdes_valdete_normalizado
Relatório tcc lourdes_valdete_normalizadoRelatório tcc lourdes_valdete_normalizado
Relatório tcc lourdes_valdete_normalizado
Lourdes Piedade
 
Artigo revista de terapia manual
Artigo revista de terapia manualArtigo revista de terapia manual
Artigo revista de terapia manual
Aline Abreu Lando
 
Sarcopenia
SarcopeniaSarcopenia
Sarcopenia
Angela Dias
 
Envelhecimento folhetos
Envelhecimento folhetosEnvelhecimento folhetos
Envelhecimento folhetos
Fernanda Carvalho
 
Espondilolise e espondilolistese
Espondilolise e espondilolisteseEspondilolise e espondilolistese
Espondilolise e espondilolistese
adrianomedico
 
Revista Colégio OPET - Número 8
Revista Colégio OPET - Número 8Revista Colégio OPET - Número 8
Revista Colégio OPET - Número 8
Patricia Hoça
 
Por que os exercícios físicos são grandes aliados da nossa saúde?
Por que os exercícios físicos são grandes aliados da nossa saúde?Por que os exercícios físicos são grandes aliados da nossa saúde?
Por que os exercícios físicos são grandes aliados da nossa saúde?
Hospital Israelita Albert Einstein
 
Atividade Física Conceitos e Atitudes
Atividade Física Conceitos e AtitudesAtividade Física Conceitos e Atitudes
Atividade Física Conceitos e Atitudes
Brustolin
 

Semelhante a Queda do idoso (20)

quedadoidoso-121123073639-phpapp02.pdf
quedadoidoso-121123073639-phpapp02.pdfquedadoidoso-121123073639-phpapp02.pdf
quedadoidoso-121123073639-phpapp02.pdf
 
Promoção do envelhecimento saudável
Promoção do envelhecimento saudávelPromoção do envelhecimento saudável
Promoção do envelhecimento saudável
 
Artigo atividade física e envelhecimento
Artigo atividade física e envelhecimentoArtigo atividade física e envelhecimento
Artigo atividade física e envelhecimento
 
64068316 atividade-fisica-e-terceira-idade
64068316 atividade-fisica-e-terceira-idade64068316 atividade-fisica-e-terceira-idade
64068316 atividade-fisica-e-terceira-idade
 
Avaliação da capacidade funcional em idosos com fatores de risco
Avaliação da capacidade funcional em idosos com fatores de riscoAvaliação da capacidade funcional em idosos com fatores de risco
Avaliação da capacidade funcional em idosos com fatores de risco
 
Avaliação da capacidade funcional em idosos com fatores de risco
Avaliação da capacidade funcional em idosos com fatores de riscoAvaliação da capacidade funcional em idosos com fatores de risco
Avaliação da capacidade funcional em idosos com fatores de risco
 
Prevenção em saúde na Geriatria
Prevenção em saúde na GeriatriaPrevenção em saúde na Geriatria
Prevenção em saúde na Geriatria
 
Atividades de dança, marcha e equilíbrio de
Atividades de dança, marcha e equilíbrio deAtividades de dança, marcha e equilíbrio de
Atividades de dança, marcha e equilíbrio de
 
Edição 13
Edição 13Edição 13
Edição 13
 
Sedentarismo
SedentarismoSedentarismo
Sedentarismo
 
Gigantes Da Geriatria
Gigantes Da GeriatriaGigantes Da Geriatria
Gigantes Da Geriatria
 
V15n1a05
V15n1a05V15n1a05
V15n1a05
 
Relatório tcc lourdes_valdete_normalizado
Relatório tcc lourdes_valdete_normalizadoRelatório tcc lourdes_valdete_normalizado
Relatório tcc lourdes_valdete_normalizado
 
Artigo revista de terapia manual
Artigo revista de terapia manualArtigo revista de terapia manual
Artigo revista de terapia manual
 
Sarcopenia
SarcopeniaSarcopenia
Sarcopenia
 
Envelhecimento folhetos
Envelhecimento folhetosEnvelhecimento folhetos
Envelhecimento folhetos
 
Espondilolise e espondilolistese
Espondilolise e espondilolisteseEspondilolise e espondilolistese
Espondilolise e espondilolistese
 
Revista Colégio OPET - Número 8
Revista Colégio OPET - Número 8Revista Colégio OPET - Número 8
Revista Colégio OPET - Número 8
 
Por que os exercícios físicos são grandes aliados da nossa saúde?
Por que os exercícios físicos são grandes aliados da nossa saúde?Por que os exercícios físicos são grandes aliados da nossa saúde?
Por que os exercícios físicos são grandes aliados da nossa saúde?
 
Atividade Física Conceitos e Atitudes
Atividade Física Conceitos e AtitudesAtividade Física Conceitos e Atitudes
Atividade Física Conceitos e Atitudes
 

Queda do idoso

  • 2. Definição - Queda  “Um evento não intencional que tem como resultado a mudança da posição do indivíduo para um nível mais baixo, em relação a sua posição inicial.” Congresso Paulista de Geriatria e Gerontologia 1998
  • 3. Definição - Idoso  “pessoas com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos.”Lei 10.741, de 1º de outubro de 2003
  • 4. Dados  População Estimada 19 milhões (10% da população)  2016 representará 15% da população;  2025: 6º lugar no ranking mundial.  Gastos com fraturas em idosos ◦ 2009 R$ 81 milhões ◦ Internações e medicamentos
  • 5. Queda  Fato comum;  Infância;
  • 6. Incidência de quedas  Variável  65 – 74 anos 32%  75 – 84 anos 35%  85 anos 51%  Mulheres x homens
  • 8. Fisiologia  Sistema Vestibular  Sistema somatossensorial  Sistema Visual
  • 18. Fatores de Risco  Extrínsecos: condições do ambiente que facilitam a queda  Intrínsecos: quando o problema é inerente à saúde do indivíduo  Medicamentos
  • 19. Acentuação doenças crônicas  Doenças cardíacas  Doenças pulmonares  Doenças Neurológicas  Doenças Geniturinária  Osteoporose  Artrose  Labirintite
  • 20. Diminuição da visão  Diminuição da audição  Sedentarismo  Distúrbios músculoesqueléticos  Alterações na postura  Alterações de equilíbrio e locomoção  Deformidade nos pés
  • 21. Medicamentos  Antidepressivos  Ansiolíticos  Hipnóticos  Antipsicóticos  Anticolinérgicos  Antihipertensivos  Diuréticos  Antiarritmicos Hipoglicemiantes  AINEs
  • 22. Queda  30% idosos cai uma vez ao ano.  Ciclo vicioso  Institucionalizados x comunidade
  • 23. ABORDAGEM CLÍNICA DO PACIENTE QUE SOFREU A QUEDA 1. História da queda 2. Avaliação Etiológica 3. Avaliação Ambiental 4. Avaliação Funcional
  • 24. História da queda  Quantas vezes houve quedas no último ano?  Houve alguma consequência?  Houve necessidade de procurar um médico?  Teve AVDs restringidas?  Motivo?  Intervenção fisioterapêutica
  • 25. Etiológica  Sistema visual – Tabela Snellen ◦ Campos periféricos ◦ Profundidade  Sistema Vestibular  Somatossensorial: propriocepção
  • 27. Etiológica  Avaliação de FM  Avaliação da ADM  Flexibilidade
  • 28. Ambiental  Avaliação do ambiente no qual vive o idoso
  • 29. Avaliação Funcional  Timed up and go test  Berg Balance  SPPB
  • 30. Consequências Físicas  Lesões teciduais;  Fraturas;  Hospitalização;  Imobilização e problemas respiratórios;  Lesão Neurológica;  Nível de atividade física reduzido;
  • 32. Consequências Funcionais  Limitações  Abandono de certas atividades  Modificação de hábitos e estilo de vida  Dependência
  • 33. Consequências Funcionais  Perda da Independência – 32% a 50% dos idosos  Mudança de comportamento – Entre 9,5% a 35% dos idosos  Consequências
  • 34. Consequências Psicossociais  Medo  Sensação de impotência  Desgaste emocional  Depressão  Diminuição da autoestima  Vergonha  Menos otimismo com relação ao futuro
  • 37. INTERVENÇÃO  Prática de Atividade Física  Mudança de comportamento de risco  Alteração de medicamentos  Tratamento de osteoporose –Dieta/ exposição ao sol  Doenças pré existentes (Relatório de prevenção à quedas na velhice,2007)
  • 40. CAMPANHAS CAMPANHA Dia Mundial da Prevenção da Queda do Idoso 23/06/2009 Protocolo de investigação e intervenção de práticas locais HelpeAge Internacional( rede internacional par idosos reivindicar seus direitos)- Fisioterapia UNICID- Hospital das Clínicas.
  • 41. FISIOTERAPIA NA PREVENÇÃO DE QUEDAS EM IDOSOS.  Programa em grupo de Idosos- Lúdica socialização. Objetivos  Manter e ganhar FM/Flexibilidade/  Manter Equilíbrio Estático/Dinâmico  Prevenir osteoporose. (Relatório de prevenção à quedas na velhice,2007)
  • 42. Condutas  Atividades aeróbicas com intensidade moderada- controle de peso/Osteoporose  Exercícios resistidos com aumento progressivo da intensidade 3x (8-12)  Exercícios para a flexibilidade 30 segundos de 3 a 4 repetições. (Relatório de prevenção à quedas na velhice,2007)
  • 43. Exercícios que treinem o equilíbrio  Mobilidade Postural (Relatório de prevenção à quedas na velhice,2007
  • 44. Exercícios multissensoriais-Circuito que alterne a velocidade do deambular/alterne os braços.  Medicina integrativa -Liang Gong. (Relatório de prevenção à quedas na velhice,2007)
  • 45. FISIOTERAPIA NA FRATURA  Fratura de Colles-  Mulheres > 50 (osteoporose)
  • 46. Fratura Epífise proximal do fêmur.  Prótese cimentada.  Contra indicações.
  • 47. ARTIGO Avaliação da capacidade física e quedas em idosos ativos e sedentários da comunidade* Rev Bras Clin Med. São Paulo, 2010 set-out;8(5):392-8
  • 48.  Objetivo do trabalho foi analisar a probabilidade de ocorrência de quedas em idosos sedentários e ativos, por meio do teste de SPPB. (Short Physical Performance Battery (SPPB), que avalia por meio de escore de tempo o equilíbrio, a velocidade da marcha e a força de membros inferiores) e avaliação ampla geriátrica)
  • 49. Métodos  Estudo de corte transversal  32 idosos > 60 anos ÷ em 2 grupos ATIVOS e SEDENTÁRIOS Grupo ATIVOS (A)-12F / 3M (60-85anos) -FM/Alongamento/Treino de Marcha/Treino de equilíbrio/ Atividades cognitivas e vestibulares e dança sênior.- 1 vez na semana-2hrs-(Alunos do 4 ano de fisioterapia ) - Ginastica, Taichi Chuan,remo, canoagem, surf, hidroginástica,caminhadas, bicicleta,alongamento e fortalecimento- 1 a 5X(média 2,8/ semana)
  • 50. GRUPO (S sedentários)  15 idosos-12F/ 3M( 60-84 anos)  Triagem aleatória- VII- Feira da Saúde-23 e 24 outubro de 2009.  Critérios de inclusão- atividades regulares e sedentários  Exclusão-Incapacidade física em realizar o teste(Equilibrio/Velocidade/Marcha e FM MMII)
  • 51. TESTE DE EQUILÍBRIO Teste de Equilíbrio. Pontuação. Pés juntos olhando para 1 ponto frente 10 s Não realiza O Semi Tandem 1 ponto Não realiza O Tandem permanece- 10 s 2 pontos 3 a 9,9 1 ponto s TOTAL 4 Pontos
  • 52. Teste de Velocidade da Marcha Pcte deambula = 4 metros Tempo de caminhada Pontos < tempo de caminhada- 4,8 4 Pontos s 4,82-6,0 s 3 Pontos 6,21-8,70 s 2 Pontos >8,71- s 1 Ponto Não Realiza 0 Total Máximo 4 Pontos
  • 53. Teste de FM do MMII Teste de FM dos MMII Sentar e levantar 5 X sem apoio dos MMSS Tempo de se levantar Pontos 11,19 s 4 Pontos 11,20-13,69 s 3 Pontos 13,70 s-16,69s 2 Pontos >16,70 1 Ponto Se não realizou ou > 60s 0 Total Máximo = 4 Pontos
  • 54. Questionário de avaliação geriátrica:  Nome  Queixa principal  Déficit visual e auditivo  Práticas de atividades físicas  Ocorrência de quedas nos últimos 6 meses  Intensidade do medo de cair  Quedas-fraturas  Tendência a quedas
  • 55. SPPB= Teste equilíbrio + Velocidade da Marcha +FM MMII= 12 pontos PONTOS DESEMPENHO 0-3 INCAPACIDADE 4-6 BAIXO DESEMPENHO 7-9 MODERADO 10-12 BOM DESEMPENHO
  • 56. RESULTADOS S 33%) (A 20%), relatou mais déficit visual (S 73%) (A 66%), medo de cair (S 73%) (A 46%), tendência às quedas (S 40%) (A 13%) e fraturas decorrentes de quedas (S 26% - A 13%). Em relação ao déficit auditivo, os dois grupos relataram a mesma frequência (S 33% - A 33%)
  • 57. RESULTADOS: TESTE DE EQUILIBRIO. GRUPOS PONTOS S 60% - A 80% 4 S 20% -A 13% 3 S 13%- A 6% 2 S 1% 1
  • 59. Velocidade da Marcha GRUPOS PONTOS S 60%- A86% 4 S6% -A 13% 3 S 41% - 2 pontos 2
  • 60. Teste para FM GRUPOS PONTOS A- 46% 4 S 20%- A13% 3 S 33%-A 20%- 2 S 46% -A 20% 1
  • 61. GRUPOS PONTUAÇÃO DESEMPENHO A 73%-40% 12 BOM DESEMPENHO A 13% 11 A 20% 10 S 40% -6% 9 MODERADO 20% 8 DESEMPENHO 6% 7 A 26% -13% 9 6% 8 6% 7 S 26% - 13% 6 BAIXO DESEMPENHO 13% 5 GRUPO S -TER MAIS IDADE.
  • 62. TOTAL
  • 63. CONCLUSÃO ����������������� ����������������� ����������������� ����������������� ����������������� ����������������� ����� A prática regular de exercícios físicos influencia positivamente na prevenção de quedas, funcionalidade e, consequentemente, em melhor
  • 66. Referências Bibliográficas:  1. Ribeiro PA, Souza RE, Atie S, Souza CA,Schilithz AO. A influência das quedas. Ciência e Saúde.Rio de Janeiro;2008; 13(4):1265-1273.  2. Wieczorek SA. Equilíbrio entre adultos e idosos: relação entre tempo de movimento e acurácia durante movimentos voluntários na postura em pé. [Dissertação]. São Paulo (SP): Universidade de São Paulo Escola de Educação Física e Esporte; 2009  3. Ribeiro PA. Repercussões das quedas na qualidade de vida de mulheres idosas:[Dissertação]. Rio de Janeiro (RJ): Instituto Fernandes Figueira, Fundação Oswaldo Cruz; 2006.  4. IBGE Síntese de indicadores sociais 2008. Disponível em http://www.ibge.gov.br; acessado em novembro de 2012.  5. Netto PM, Filho CTE. Geriatria Fundamento Clínico e Terapêutico. 2 ed. São Paulo: Athenas; 2005.  6. Portal da saúde. [homepage onde internet].São Paulo:Portal da saúde,[Updated 10 novembro 2012;citado 15 novembro 2012].Disponivel em: http://portal.saude.gov.br/portal/saude/visualizar_texto.cfm?id txt=33674&janela=1 acessado em 10/11/2012
  • 67. 7. Valentim VCF, Fonseca RCM, Santos OM, Santos OMB. Avaliação do equilíbrio postural e dos fatores relacionados às quedas em idosos de instituição de longa permanência. Estudos Interdisciplinares sobre o envelhecimento. 2009;14(1):207-224  8. Fabricio CCS,Rodrigues PAR, Júnior CLM.Causas e consequências de quedas de idosos em hospital publico.Rev saúde pública.2004;38(1):93-9  9. Relatorio Global da OMS sobre prevenção de quedas do idoso.São Paulo:SES/SP, 2010  10. Casa segura. [homepage onde internet].São Paulo:Casa segura,[Updated 10 novembro 2012;citado 15 novembro 2012]. Disponivel em: http://www.casasegura- arquitetura.blogspot.com.br/ acessado em:10/11/2012.  11. Vigilância e prevenção de quedas em idosos . Editores: Marilia C. P. Louvison e Tereza Etsuko da Costa Rosa -- São Paulo: SES/SP, 2010.  12. Aveiro CM, Aciole GG, Driusso P, Oishi J.Perspectivas da participação do fisioterapeuta no Programa Saúde da Família na atenção à saúde do idoso. Ciência e saúde coletiva.Rio de Janeiro;2011; 16(Sup 1):1467-1478.