SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 7
FILOSOFIA 11.º ano 
FILOSOFIA 11.º ano 
Luís Rodrigues 
LÓGICA ARISTOTÉLICA 
As figuras do silogismo categórico
A formação das figuras 
As figuras do silogismo são determinadas pela posição 
ocupada pelo termo médio, como sujeito ou como predicado, 
nas duas premissas. Contam-se quatro figuras do silogismo 
categórico. 
O termo médio pode ocupar as seguintes posições: 
1. Sujeito na premissa maior e predicado na menor; 
2. Predicado nas duas; 
3. Sujeito nas duas; 
4. Predicado na premissa maior e sujeito na menor. 
. 
As figuras do silogismo categórico 
FILOSOFIA 11.º ano
As figuras do silogismo categórico 
A PRIMEIRA FIGURA 
Todas as mulheres são belas. 
As portuguesas são mulheres. 
Logo, as portuguesas são belas. 
Forma lógica 
M --------- P 
S ---------M 
S --------- P 
O termo médio mulheres é sujeito na premissa maior e predicado na premissa menor. 
FILOSOFIA 11.º ano
As figuras do silogismo categórico 
A SEGUNDA FIGURA 
Todos os filósofos são pensadores. 
Nenhum castor é pensador. 
Logo, nenhum castor é filósofo. 
Forma lógica 
P --------- M 
S ---------M 
S --------- P 
O termo médio pensador é predicado na premissa maior e predicado na premissa 
menor. 
FILOSOFIA 11.º ano
As figuras do silogismo categórico 
A TERCEIRA FIGURA 
Todos os portugueses são europeus. 
Todos os portugueses são ibéricos 
Logo, alguns ibéricos são europeus. 
Forma lógica 
M --------- P 
M --------- S 
S --------- P 
O termo médio portugueses é sujeito em ambas as premissas. 
FILOSOFIA 11.º ano
As figuras do silogismo categórico 
A QUARTA FIGURA 
Nenhum morcego é ave. 
Algumas aves são mamíferos. 
Logo, alguns mamíferos não são morcegos. 
Forma lógica 
P ---------M 
M --------- S 
S --------- P 
O termo médio aves é predicado na premissa maior e sujeito na premissa menor. 
FILOSOFIA 11.º ano
FIGURAS DO SILOGISMO CATEGÓRICO 
1.ª Figura 
O termo médio é sujeito 
na premissa maior e 
predicado na menor. 
2.ª Figura 
O termo médio é 
predicado em ambas 
as premissas. 
3.ª Figura 
O termo médio é 
sujeito em ambas as 
premissas. 
4.ª Figura 
O termo médio é 
predicado na 
premissa maior e 
sujeito na menor. 
M – P 
S – M 
_____ 
S – P 
Todos os homens são 
mortais. 
Os portugueses são 
homens. 
Logo, os portugueses 
são mortais 
P – M 
S – M 
_____ 
S – P 
Todos os peixes 
respiram por guelras. 
Nenhuma baleia 
respira por guelras. 
Logo, nenhuma baleia 
é peixe. 
M – P 
M – S 
_____ 
S – P 
Todos os comunistas 
são de esquerda. 
Todos os comunistas 
são pessoas honestas. 
Logo, algumas pessoas 
honestas são de 
esquerda. 
P – M 
M – S 
_______ 
S – P 
Nenhum nazi é 
comunista. 
Alguns comunistas 
são políticos. 
Logo, alguns 
políticos não são 
nazis. 
As figuras do silogismo categórico 
FILOSOFIA 11.º ano

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Direito natural x direito positivo
Direito natural x direito positivoDireito natural x direito positivo
Direito natural x direito positivoLeonardo Leitão
 
Argumentação e lógica formal
Argumentação e lógica formalArgumentação e lógica formal
Argumentação e lógica formalJoaquim Melro
 
1 argumentação e lógica - inferências válidas
1   argumentação e lógica - inferências válidas1   argumentação e lógica - inferências válidas
1 argumentação e lógica - inferências válidasVarandas Jota
 
A estrutura da preposição categórica
A estrutura da preposição categóricaA estrutura da preposição categórica
A estrutura da preposição categóricaLuis De Sousa Rodrigues
 
Questões com gabarito código de defesa do consumidor
Questões com gabarito   código de defesa do consumidorQuestões com gabarito   código de defesa do consumidor
Questões com gabarito código de defesa do consumidorRBXJURIDICO
 
Plano de ensino i.c silma
Plano de ensino i.c   silmaPlano de ensino i.c   silma
Plano de ensino i.c silmaSilma Santiago
 
Listas das falácias informais
Listas das falácias informaisListas das falácias informais
Listas das falácias informaisIsabel Moura
 
A falácia da petição de princípio
A falácia da petição de princípioA falácia da petição de princípio
A falácia da petição de princípioLuis De Sousa Rodrigues
 
A ciência na história/ As ciências da Natureza/ As ciências humanas
A ciência na história/ As ciências da Natureza/ As ciências humanasA ciência na história/ As ciências da Natureza/ As ciências humanas
A ciência na história/ As ciências da Natureza/ As ciências humanasLuciana Mara Silveira
 
falácias informais
falácias informaisfalácias informais
falácias informaisIsabel Moura
 
Falácias Informais - Filosofia
Falácias Informais - FilosofiaFalácias Informais - Filosofia
Falácias Informais - FilosofiaFernanda Clara
 
A classificação das proposições categóricas
A classificação das proposições categóricasA classificação das proposições categóricas
A classificação das proposições categóricasLuis De Sousa Rodrigues
 
Juízo de fato e Juízo de valor
Juízo de fato e Juízo de valorJuízo de fato e Juízo de valor
Juízo de fato e Juízo de valorDanilo Pires
 
A importância da argumentação
A importância da argumentaçãoA importância da argumentação
A importância da argumentaçãoPaulo Gomes
 
70 questões discursivas prontas de direito do trabalho parte geral
70 questões discursivas prontas de direito do trabalho parte geral70 questões discursivas prontas de direito do trabalho parte geral
70 questões discursivas prontas de direito do trabalho parte geralEsdrasArthurPessoa
 

Mais procurados (20)

Direito natural x direito positivo
Direito natural x direito positivoDireito natural x direito positivo
Direito natural x direito positivo
 
Argumentação e lógica formal
Argumentação e lógica formalArgumentação e lógica formal
Argumentação e lógica formal
 
1 argumentação e lógica - inferências válidas
1   argumentação e lógica - inferências válidas1   argumentação e lógica - inferências válidas
1 argumentação e lógica - inferências válidas
 
A estrutura da preposição categórica
A estrutura da preposição categóricaA estrutura da preposição categórica
A estrutura da preposição categórica
 
Questões com gabarito código de defesa do consumidor
Questões com gabarito   código de defesa do consumidorQuestões com gabarito   código de defesa do consumidor
Questões com gabarito código de defesa do consumidor
 
Prova do sesi
Prova do sesiProva do sesi
Prova do sesi
 
Plano de ensino i.c silma
Plano de ensino i.c   silmaPlano de ensino i.c   silma
Plano de ensino i.c silma
 
Listas das falácias informais
Listas das falácias informaisListas das falácias informais
Listas das falácias informais
 
A falácia da petição de princípio
A falácia da petição de princípioA falácia da petição de princípio
A falácia da petição de princípio
 
A ciência na história/ As ciências da Natureza/ As ciências humanas
A ciência na história/ As ciências da Natureza/ As ciências humanasA ciência na história/ As ciências da Natureza/ As ciências humanas
A ciência na história/ As ciências da Natureza/ As ciências humanas
 
Introdução à Lógica
Introdução à LógicaIntrodução à Lógica
Introdução à Lógica
 
Logica informal
Logica informalLogica informal
Logica informal
 
Lógica filosófica
Lógica filosóficaLógica filosófica
Lógica filosófica
 
falácias informais
falácias informaisfalácias informais
falácias informais
 
Falácias Informais - Filosofia
Falácias Informais - FilosofiaFalácias Informais - Filosofia
Falácias Informais - Filosofia
 
Falácias
FaláciasFalácias
Falácias
 
A classificação das proposições categóricas
A classificação das proposições categóricasA classificação das proposições categóricas
A classificação das proposições categóricas
 
Juízo de fato e Juízo de valor
Juízo de fato e Juízo de valorJuízo de fato e Juízo de valor
Juízo de fato e Juízo de valor
 
A importância da argumentação
A importância da argumentaçãoA importância da argumentação
A importância da argumentação
 
70 questões discursivas prontas de direito do trabalho parte geral
70 questões discursivas prontas de direito do trabalho parte geral70 questões discursivas prontas de direito do trabalho parte geral
70 questões discursivas prontas de direito do trabalho parte geral
 

Mais de Luis De Sousa Rodrigues (20)

O essencial para os exames de filosofia
O essencial para os exames de filosofiaO essencial para os exames de filosofia
O essencial para os exames de filosofia
 
Unidade funcional do cérebro
Unidade funcional do cérebroUnidade funcional do cérebro
Unidade funcional do cérebro
 
Tipos de vinculação
Tipos de vinculaçãoTipos de vinculação
Tipos de vinculação
 
Tipos de aprendizagem
Tipos de aprendizagemTipos de aprendizagem
Tipos de aprendizagem
 
Teorias sobre as emoções
Teorias sobre as emoçõesTeorias sobre as emoções
Teorias sobre as emoções
 
Relações precoces
Relações precocesRelações precoces
Relações precoces
 
Raízes da vinculação
Raízes da vinculaçãoRaízes da vinculação
Raízes da vinculação
 
Processos conativos
Processos conativosProcessos conativos
Processos conativos
 
Perturbações da vinculação
Perturbações da vinculaçãoPerturbações da vinculação
Perturbações da vinculação
 
Perceção e gestalt
Perceção e gestaltPerceção e gestalt
Perceção e gestalt
 
Os processos emocionais
Os processos emocionaisOs processos emocionais
Os processos emocionais
 
Os grupos
Os gruposOs grupos
Os grupos
 
O sistema nervoso
O sistema nervosoO sistema nervoso
O sistema nervoso
 
O que nos torna humanos
O que nos torna humanosO que nos torna humanos
O que nos torna humanos
 
Maslow e a motivação
Maslow e a motivaçãoMaslow e a motivação
Maslow e a motivação
 
Lateralidade cerebral
Lateralidade cerebralLateralidade cerebral
Lateralidade cerebral
 
Freud 9
Freud 9Freud 9
Freud 9
 
Freud 8
Freud 8Freud 8
Freud 8
 
Freud 7
Freud 7Freud 7
Freud 7
 
Freud 6
Freud 6Freud 6
Freud 6
 

As figuras do silogismo categórico

  • 1. FILOSOFIA 11.º ano FILOSOFIA 11.º ano Luís Rodrigues LÓGICA ARISTOTÉLICA As figuras do silogismo categórico
  • 2. A formação das figuras As figuras do silogismo são determinadas pela posição ocupada pelo termo médio, como sujeito ou como predicado, nas duas premissas. Contam-se quatro figuras do silogismo categórico. O termo médio pode ocupar as seguintes posições: 1. Sujeito na premissa maior e predicado na menor; 2. Predicado nas duas; 3. Sujeito nas duas; 4. Predicado na premissa maior e sujeito na menor. . As figuras do silogismo categórico FILOSOFIA 11.º ano
  • 3. As figuras do silogismo categórico A PRIMEIRA FIGURA Todas as mulheres são belas. As portuguesas são mulheres. Logo, as portuguesas são belas. Forma lógica M --------- P S ---------M S --------- P O termo médio mulheres é sujeito na premissa maior e predicado na premissa menor. FILOSOFIA 11.º ano
  • 4. As figuras do silogismo categórico A SEGUNDA FIGURA Todos os filósofos são pensadores. Nenhum castor é pensador. Logo, nenhum castor é filósofo. Forma lógica P --------- M S ---------M S --------- P O termo médio pensador é predicado na premissa maior e predicado na premissa menor. FILOSOFIA 11.º ano
  • 5. As figuras do silogismo categórico A TERCEIRA FIGURA Todos os portugueses são europeus. Todos os portugueses são ibéricos Logo, alguns ibéricos são europeus. Forma lógica M --------- P M --------- S S --------- P O termo médio portugueses é sujeito em ambas as premissas. FILOSOFIA 11.º ano
  • 6. As figuras do silogismo categórico A QUARTA FIGURA Nenhum morcego é ave. Algumas aves são mamíferos. Logo, alguns mamíferos não são morcegos. Forma lógica P ---------M M --------- S S --------- P O termo médio aves é predicado na premissa maior e sujeito na premissa menor. FILOSOFIA 11.º ano
  • 7. FIGURAS DO SILOGISMO CATEGÓRICO 1.ª Figura O termo médio é sujeito na premissa maior e predicado na menor. 2.ª Figura O termo médio é predicado em ambas as premissas. 3.ª Figura O termo médio é sujeito em ambas as premissas. 4.ª Figura O termo médio é predicado na premissa maior e sujeito na menor. M – P S – M _____ S – P Todos os homens são mortais. Os portugueses são homens. Logo, os portugueses são mortais P – M S – M _____ S – P Todos os peixes respiram por guelras. Nenhuma baleia respira por guelras. Logo, nenhuma baleia é peixe. M – P M – S _____ S – P Todos os comunistas são de esquerda. Todos os comunistas são pessoas honestas. Logo, algumas pessoas honestas são de esquerda. P – M M – S _______ S – P Nenhum nazi é comunista. Alguns comunistas são políticos. Logo, alguns políticos não são nazis. As figuras do silogismo categórico FILOSOFIA 11.º ano