SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 2
Baixar para ler offline
Introdução
Cada organismo possui um património genético que o torna único: o seu DNA. Esta molécula
biológica é o suporte da informação genética que coordena todas as atividades celulares e é
transmitida a todas as células-filhas. Desta forma, a molécula de DNA (ácido
desoxirribonucleico), pode ser comparada a uma longa escada de corda enrolada em torno de
um eixo imaginário, isto é, formada por uma dupla hélice. As "cordas" das escadas são
formadas pela alternância regular da desoxirribose e de um grupo fosfato. As duas longas fitas
de DNA enrolam-se, estando nucleótidos presentes em ambas as fitas da dupla hélice. Os
"degraus" são formados por um par de bases azotadas, com quatro variantes possíveis (A-T, T-
A, G-C, C-G) que se ligam entre si através de pontes de hidrogénio. Estas bases pertencem a
duas famílias moleculares - a adenina (A) e a guanina (G) são as bases púricas, a citosina (C) e a
timina (T) são bases pirimídicas.
O DNA controla toda as funções possíveis das células e é essencial para a existência da vida,
fornecendo instruções para milhões de processos celulares. E para estudar como estas
instruções chegam às células é necessário isolar o DNA e estudar as suas interações com as
proteínas e com o RNA. Neste trabalho laboratorial tínhamos como objetivo separar o DNA
dos outros constituintes celulares do quivi, de modo a conseguir observar "novelos" de DNA,
que são bem visíveis a olho nu. Com isso ficou-se a conhecer técnicas de extração de DNA das
células e compreender o processo necessário para o fazer.
Procedimento
1. Descascou-se e cortou-se o quivi em pequenos fragmentos e colocou-se no almofariz.
2. Deitou-se o sal e o detergente num gobelé com água destilada, e de seguida agitou-se
suavemente a mistura.
3. Colocou-se a mistura obtida no almofariz e triturou-se.
4. Filtrou-se o produto obtido através de papel de filtro, e depois por algodão hidrófilo.
5. Fez-se escorrer lentamente o álcool refrigerado em quantidade aproximadamente igual à do
filtrado ao longo da parede da proveta. Esperou-se algum tempo e procurou-se observar a
formação de duas fases: a alcoólica (superior) e a aquosa (inferior).
Discussão
Para extrair e visualizar o DNA, são necessários vários componentes - entre eles o sal, o
detergente e o álcool refrigerado - cada um deles utilizado para um fim específico. Também se
utiliza o almofariz e filtra-se com o papel de filtro seguido do algodão hidrófilo, que têm todos
também um papel importante nesta atividade laboratorial.
O almofariz serviu para esmagar o quivi e assim conseguir romper as paredes celulares e as
membranas citoplasmáticas, libertando o conteúdo celular, mas sem conseguir romper os
núcleos celulares (que é onde se localiza o DNA) por serem demasiado pequenos.
O sal é utilizado para ajudar a manter as proteínas dissolvidas no líquido extraído, impedindo
que elas precipitem com o DNA. Este também dá um ambiente favorável ao DNA. O grupo
fosfato, um dos componentes do DNA, apresenta elevado número de cargas negativas, o que
significa que estas cargas têm tendência para se repelirem entre elas. O sal irá contribuir com
iões positivos (Na+) que neutralizam a carga negativa impedindo que haja repulsão elétrica
entre as moléculas de DNA, estabilizando-as, e assim permitindo a sua agregação de modo a
formar filamentos mais espessos e compridos que são visíveis mais facilmente.
O detergente tem como principal função dissolver as gorduras, logo irá também dissolver as
membranas nucleares, que são constituídas pela camada fosfolipídica, tornando-se então
possível obter o DNA (que se encontra no núcleo).
De seguida filtra-se a mistura de quivi, detergente, sal e água destilada com papel de filtro e
algodão hidrófilo, com esta filtração sucessiva é possível separar as paredes celulares e as
membranas citoplasmáticas do restante conteúdo celular, nomeadamente dos núcleos.
Seguido da filtração, foi utilizado o álcool refrigerado, possibilitando assim a separação do
DNA, e desta forma estas moléculas dos filamentos de DNA ascendem para fase alcoólica e
surgem mais próximas da superfície. Isto acontece porque o DNA é menos denso que a água e
que a mistura, e o álcool é menos denso que a água, fazendo assim com que o DNA se mova
lentamente para a superfície, em direção ao álcool, e assim deixando aparecer os pequenos
filamentos. Foi utilizado o álcool refrigerado porque quanto mais gelado o álcool estiver,
menos solúvel vai estar o DNA.
Depois deste processo conseguimos visualizar a olho nu milhões de cadeias de moléculas de
DNA aglomeradas, o que só é possível quando vistas desta maneira, porque moléculas
individuais possuem um tamanho microscópico.
Conclusão
Este trabalho laboratorial teve como objetivo extrair o DNA de um quivi a partir de alguns
processos, que resultaram com sucesso.
Depois de seguir o procedimento experimental, conseguiu-se obter o DNA do quivi num tubo
de ensaio sobre a forma de um "novelo" a olho nu, enquanto estava suspenso em álcool. Com
isto pôde-se concluir que a molécula de DNA é pouco solúvel, pouco densa e que as suas
ligações de pontes de hidrogénio são fracas energeticamente.
No fim da atividade o objetivo principal pretendido foi cumprido, isto é, extrair e visualizar
moléculas de DNA a olho nu, e ficar a conhecer processos para o fazer.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Relatório Atividades Laboratoriais 1.1, 1.2, 1.3, 1.4 11º
Relatório Atividades Laboratoriais 1.1, 1.2, 1.3, 1.4 11ºRelatório Atividades Laboratoriais 1.1, 1.2, 1.3, 1.4 11º
Relatório Atividades Laboratoriais 1.1, 1.2, 1.3, 1.4 11ºRicardo Dias
 
Resumos de Português: Camões lírico
Resumos de Português: Camões líricoResumos de Português: Camões lírico
Resumos de Português: Camões líricoRaffaella Ergün
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesPaula Oliveira Cruz
 
Biologia 11 ciclos de vida
Biologia 11   ciclos de vidaBiologia 11   ciclos de vida
Biologia 11 ciclos de vidaNuno Correia
 
Relatorio ciclos de vida 11 ano
Relatorio ciclos de vida 11 anoRelatorio ciclos de vida 11 ano
Relatorio ciclos de vida 11 anoMara Ferreira
 
O artigo de apreciação crítica
O artigo de apreciação críticaO artigo de apreciação crítica
O artigo de apreciação críticaFernanda Monteiro
 
Biologia 10º Ano - Obtenção de Matéria (Unidade 1)
Biologia 10º Ano - Obtenção de Matéria (Unidade 1)Biologia 10º Ano - Obtenção de Matéria (Unidade 1)
Biologia 10º Ano - Obtenção de Matéria (Unidade 1)InesTeixeiraDuarte
 
Gil vicente, farsa de inês pereira
Gil vicente, farsa de inês pereiraGil vicente, farsa de inês pereira
Gil vicente, farsa de inês pereiraDavid Caçador
 
Valor modal das frases
Valor modal das frasesValor modal das frases
Valor modal das frasesnando_reis
 
Amor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo Branco
Amor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo BrancoAmor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo Branco
Amor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo BrancoLurdes Augusto
 
Teste avaliação Biologia Geologia 11º cc
Teste avaliação Biologia Geologia 11º ccTeste avaliação Biologia Geologia 11º cc
Teste avaliação Biologia Geologia 11º ccJosé Luís Alves
 
Lírica de Luís de Camões
Lírica de Luís de Camões Lírica de Luís de Camões
Lírica de Luís de Camões Lurdes Augusto
 
Cap v repreensões particular
Cap v repreensões particularCap v repreensões particular
Cap v repreensões particularHelena Coutinho
 
Cap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geralCap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geralHelena Coutinho
 
Os Lusíadas - Reflexões do Poeta
Os Lusíadas - Reflexões do PoetaOs Lusíadas - Reflexões do Poeta
Os Lusíadas - Reflexões do PoetaDina Baptista
 

Mais procurados (20)

Relatório Atividades Laboratoriais 1.1, 1.2, 1.3, 1.4 11º
Relatório Atividades Laboratoriais 1.1, 1.2, 1.3, 1.4 11ºRelatório Atividades Laboratoriais 1.1, 1.2, 1.3, 1.4 11º
Relatório Atividades Laboratoriais 1.1, 1.2, 1.3, 1.4 11º
 
Abertura e fecho dos estomas
Abertura e fecho dos estomasAbertura e fecho dos estomas
Abertura e fecho dos estomas
 
Resumos de Português: Camões lírico
Resumos de Português: Camões líricoResumos de Português: Camões lírico
Resumos de Português: Camões lírico
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
 
Biologia 11 ciclos de vida
Biologia 11   ciclos de vidaBiologia 11   ciclos de vida
Biologia 11 ciclos de vida
 
Relatorio ciclos de vida 11 ano
Relatorio ciclos de vida 11 anoRelatorio ciclos de vida 11 ano
Relatorio ciclos de vida 11 ano
 
O artigo de apreciação crítica
O artigo de apreciação críticaO artigo de apreciação crítica
O artigo de apreciação crítica
 
Biologia 10º Ano - Obtenção de Matéria (Unidade 1)
Biologia 10º Ano - Obtenção de Matéria (Unidade 1)Biologia 10º Ano - Obtenção de Matéria (Unidade 1)
Biologia 10º Ano - Obtenção de Matéria (Unidade 1)
 
Gil vicente, farsa de inês pereira
Gil vicente, farsa de inês pereiraGil vicente, farsa de inês pereira
Gil vicente, farsa de inês pereira
 
Canto v 92_100
Canto v 92_100Canto v 92_100
Canto v 92_100
 
Valor modal das frases
Valor modal das frasesValor modal das frases
Valor modal das frases
 
EXERCÍCIOS DE EXAMES
EXERCÍCIOS DE EXAMESEXERCÍCIOS DE EXAMES
EXERCÍCIOS DE EXAMES
 
Amor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo Branco
Amor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo BrancoAmor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo Branco
Amor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo Branco
 
Teste avaliação Biologia Geologia 11º cc
Teste avaliação Biologia Geologia 11º ccTeste avaliação Biologia Geologia 11º cc
Teste avaliação Biologia Geologia 11º cc
 
Frei Luís de Sousa
Frei Luís de Sousa  Frei Luís de Sousa
Frei Luís de Sousa
 
Lírica de Luís de Camões
Lírica de Luís de Camões Lírica de Luís de Camões
Lírica de Luís de Camões
 
Cap v repreensões particular
Cap v repreensões particularCap v repreensões particular
Cap v repreensões particular
 
Cap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geralCap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geral
 
Os Lusíadas - Reflexões do Poeta
Os Lusíadas - Reflexões do PoetaOs Lusíadas - Reflexões do Poeta
Os Lusíadas - Reflexões do Poeta
 
Frei luís de sousa
Frei luís de sousaFrei luís de sousa
Frei luís de sousa
 

Destaque

Bg 11 experiências de frederick griffith
Bg 11   experiências de frederick griffithBg 11   experiências de frederick griffith
Bg 11 experiências de frederick griffithNuno Correia
 
Relatorio sobre extração de fungos
Relatorio sobre extração de fungosRelatorio sobre extração de fungos
Relatorio sobre extração de fungosAna Gab
 
Biologia 11 exercícios
Biologia 11   exercíciosBiologia 11   exercícios
Biologia 11 exercíciosNuno Correia
 
Bg 11 reprodução assexuada
Bg 11   reprodução assexuadaBg 11   reprodução assexuada
Bg 11 reprodução assexuadaNuno Correia
 
Biologia 11 reprodução assexuada
Biologia 11   reprodução assexuadaBiologia 11   reprodução assexuada
Biologia 11 reprodução assexuadaNuno Correia
 

Destaque (8)

Bg 11 experiências de frederick griffith
Bg 11   experiências de frederick griffithBg 11   experiências de frederick griffith
Bg 11 experiências de frederick griffith
 
Os fungos
Os fungosOs fungos
Os fungos
 
Relatorio sobre extração de fungos
Relatorio sobre extração de fungosRelatorio sobre extração de fungos
Relatorio sobre extração de fungos
 
4 reprodução assexuada
4 reprodução assexuada4 reprodução assexuada
4 reprodução assexuada
 
Biologia 11 exercícios
Biologia 11   exercíciosBiologia 11   exercícios
Biologia 11 exercícios
 
bolores 11 ano
bolores 11 anobolores 11 ano
bolores 11 ano
 
Bg 11 reprodução assexuada
Bg 11   reprodução assexuadaBg 11   reprodução assexuada
Bg 11 reprodução assexuada
 
Biologia 11 reprodução assexuada
Biologia 11   reprodução assexuadaBiologia 11   reprodução assexuada
Biologia 11 reprodução assexuada
 

Semelhante a Extração do ADN / DNA do kiwi - Relatório biologia 11º

1ª atividade laboratorial_bio_11ºb_nº10
1ª atividade laboratorial_bio_11ºb_nº101ª atividade laboratorial_bio_11ºb_nº10
1ª atividade laboratorial_bio_11ºb_nº10João Loureiro
 
Extração dna conclusões
Extração dna conclusõesExtração dna conclusões
Extração dna conclusõesAnaBarroso39
 
Codigo genetico, controle das atividades celulares
Codigo genetico, controle das atividades celularesCodigo genetico, controle das atividades celulares
Codigo genetico, controle das atividades celularesGeraldo Ferigato
 
(1) crescimento, renovação celular e reprodução
(1) crescimento, renovação celular e reprodução(1) crescimento, renovação celular e reprodução
(1) crescimento, renovação celular e reproduçãoHugo Martins
 
Ácidos Nucleicos
Ácidos NucleicosÁcidos Nucleicos
Ácidos NucleicosURCA
 
Kits de Extração / Purificação de DNA/RNA - HiMedia
Kits de Extração / Purificação de DNA/RNA - HiMediaKits de Extração / Purificação de DNA/RNA - HiMedia
Kits de Extração / Purificação de DNA/RNA - HiMediaHimediaBrasil
 
Ácidos Nucléicos
Ácidos NucléicosÁcidos Nucléicos
Ácidos NucléicosBIOGERALDO
 
Relatorio dna final. Classificação de Bom
Relatorio dna final. Classificação de BomRelatorio dna final. Classificação de Bom
Relatorio dna final. Classificação de BomFrancisca Ribeiro
 
25268324 resumos-de-biologia-de-11âº-ano
25268324 resumos-de-biologia-de-11âº-ano25268324 resumos-de-biologia-de-11âº-ano
25268324 resumos-de-biologia-de-11âº-anoRita_Brito
 
grandes temas em biologia_aula_06_volume01
grandes temas em biologia_aula_06_volume01grandes temas em biologia_aula_06_volume01
grandes temas em biologia_aula_06_volume01Adila Trubat
 
B6 - Obtenção de matéria (parte II)
B6 - Obtenção de matéria (parte II)B6 - Obtenção de matéria (parte II)
B6 - Obtenção de matéria (parte II)Isaura Mourão
 
Ácidos Nucleicos - resumão
Ácidos Nucleicos -   resumãoÁcidos Nucleicos -   resumão
Ácidos Nucleicos - resumãoMagali Feldmann
 
Ppt 8 Aula PráTica
Ppt 8   Aula PráTicaPpt 8   Aula PráTica
Ppt 8 Aula PráTicaNuno Correia
 

Semelhante a Extração do ADN / DNA do kiwi - Relatório biologia 11º (20)

1ª atividade laboratorial_bio_11ºb_nº10
1ª atividade laboratorial_bio_11ºb_nº101ª atividade laboratorial_bio_11ºb_nº10
1ª atividade laboratorial_bio_11ºb_nº10
 
Poster dna 11
Poster dna 11Poster dna 11
Poster dna 11
 
Extração dna conclusões
Extração dna conclusõesExtração dna conclusões
Extração dna conclusões
 
Codigo genetico, controle das atividades celulares
Codigo genetico, controle das atividades celularesCodigo genetico, controle das atividades celulares
Codigo genetico, controle das atividades celulares
 
(1) crescimento, renovação celular e reprodução
(1) crescimento, renovação celular e reprodução(1) crescimento, renovação celular e reprodução
(1) crescimento, renovação celular e reprodução
 
Dna da banana[1]
Dna da banana[1]Dna da banana[1]
Dna da banana[1]
 
Extracção do DNA
Extracção do DNAExtracção do DNA
Extracção do DNA
 
Extração do dna da banana
Extração do dna da bananaExtração do dna da banana
Extração do dna da banana
 
Ácidos Nucleicos
Ácidos NucleicosÁcidos Nucleicos
Ácidos Nucleicos
 
Kits de Extração / Purificação de DNA/RNA - HiMedia
Kits de Extração / Purificação de DNA/RNA - HiMediaKits de Extração / Purificação de DNA/RNA - HiMedia
Kits de Extração / Purificação de DNA/RNA - HiMedia
 
Ácidos Nucléicos
Ácidos NucléicosÁcidos Nucléicos
Ácidos Nucléicos
 
Relatorio dna final. Classificação de Bom
Relatorio dna final. Classificação de BomRelatorio dna final. Classificação de Bom
Relatorio dna final. Classificação de Bom
 
Biologia molecular
Biologia molecularBiologia molecular
Biologia molecular
 
25268324 resumos-de-biologia-de-11âº-ano
25268324 resumos-de-biologia-de-11âº-ano25268324 resumos-de-biologia-de-11âº-ano
25268324 resumos-de-biologia-de-11âº-ano
 
Dna.ppt
Dna.pptDna.ppt
Dna.ppt
 
grandes temas em biologia_aula_06_volume01
grandes temas em biologia_aula_06_volume01grandes temas em biologia_aula_06_volume01
grandes temas em biologia_aula_06_volume01
 
B6 - Obtenção de matéria (parte II)
B6 - Obtenção de matéria (parte II)B6 - Obtenção de matéria (parte II)
B6 - Obtenção de matéria (parte II)
 
Ácidos Nucleicos - resumão
Ácidos Nucleicos -   resumãoÁcidos Nucleicos -   resumão
Ácidos Nucleicos - resumão
 
Ppt 8 Aula PráTica
Ppt 8   Aula PráTicaPpt 8   Aula PráTica
Ppt 8 Aula PráTica
 
Núcleo
NúcleoNúcleo
Núcleo
 

Extração do ADN / DNA do kiwi - Relatório biologia 11º

  • 1. Introdução Cada organismo possui um património genético que o torna único: o seu DNA. Esta molécula biológica é o suporte da informação genética que coordena todas as atividades celulares e é transmitida a todas as células-filhas. Desta forma, a molécula de DNA (ácido desoxirribonucleico), pode ser comparada a uma longa escada de corda enrolada em torno de um eixo imaginário, isto é, formada por uma dupla hélice. As "cordas" das escadas são formadas pela alternância regular da desoxirribose e de um grupo fosfato. As duas longas fitas de DNA enrolam-se, estando nucleótidos presentes em ambas as fitas da dupla hélice. Os "degraus" são formados por um par de bases azotadas, com quatro variantes possíveis (A-T, T- A, G-C, C-G) que se ligam entre si através de pontes de hidrogénio. Estas bases pertencem a duas famílias moleculares - a adenina (A) e a guanina (G) são as bases púricas, a citosina (C) e a timina (T) são bases pirimídicas. O DNA controla toda as funções possíveis das células e é essencial para a existência da vida, fornecendo instruções para milhões de processos celulares. E para estudar como estas instruções chegam às células é necessário isolar o DNA e estudar as suas interações com as proteínas e com o RNA. Neste trabalho laboratorial tínhamos como objetivo separar o DNA dos outros constituintes celulares do quivi, de modo a conseguir observar "novelos" de DNA, que são bem visíveis a olho nu. Com isso ficou-se a conhecer técnicas de extração de DNA das células e compreender o processo necessário para o fazer. Procedimento 1. Descascou-se e cortou-se o quivi em pequenos fragmentos e colocou-se no almofariz. 2. Deitou-se o sal e o detergente num gobelé com água destilada, e de seguida agitou-se suavemente a mistura. 3. Colocou-se a mistura obtida no almofariz e triturou-se. 4. Filtrou-se o produto obtido através de papel de filtro, e depois por algodão hidrófilo. 5. Fez-se escorrer lentamente o álcool refrigerado em quantidade aproximadamente igual à do filtrado ao longo da parede da proveta. Esperou-se algum tempo e procurou-se observar a formação de duas fases: a alcoólica (superior) e a aquosa (inferior). Discussão Para extrair e visualizar o DNA, são necessários vários componentes - entre eles o sal, o detergente e o álcool refrigerado - cada um deles utilizado para um fim específico. Também se utiliza o almofariz e filtra-se com o papel de filtro seguido do algodão hidrófilo, que têm todos também um papel importante nesta atividade laboratorial. O almofariz serviu para esmagar o quivi e assim conseguir romper as paredes celulares e as membranas citoplasmáticas, libertando o conteúdo celular, mas sem conseguir romper os núcleos celulares (que é onde se localiza o DNA) por serem demasiado pequenos. O sal é utilizado para ajudar a manter as proteínas dissolvidas no líquido extraído, impedindo que elas precipitem com o DNA. Este também dá um ambiente favorável ao DNA. O grupo fosfato, um dos componentes do DNA, apresenta elevado número de cargas negativas, o que significa que estas cargas têm tendência para se repelirem entre elas. O sal irá contribuir com iões positivos (Na+) que neutralizam a carga negativa impedindo que haja repulsão elétrica
  • 2. entre as moléculas de DNA, estabilizando-as, e assim permitindo a sua agregação de modo a formar filamentos mais espessos e compridos que são visíveis mais facilmente. O detergente tem como principal função dissolver as gorduras, logo irá também dissolver as membranas nucleares, que são constituídas pela camada fosfolipídica, tornando-se então possível obter o DNA (que se encontra no núcleo). De seguida filtra-se a mistura de quivi, detergente, sal e água destilada com papel de filtro e algodão hidrófilo, com esta filtração sucessiva é possível separar as paredes celulares e as membranas citoplasmáticas do restante conteúdo celular, nomeadamente dos núcleos. Seguido da filtração, foi utilizado o álcool refrigerado, possibilitando assim a separação do DNA, e desta forma estas moléculas dos filamentos de DNA ascendem para fase alcoólica e surgem mais próximas da superfície. Isto acontece porque o DNA é menos denso que a água e que a mistura, e o álcool é menos denso que a água, fazendo assim com que o DNA se mova lentamente para a superfície, em direção ao álcool, e assim deixando aparecer os pequenos filamentos. Foi utilizado o álcool refrigerado porque quanto mais gelado o álcool estiver, menos solúvel vai estar o DNA. Depois deste processo conseguimos visualizar a olho nu milhões de cadeias de moléculas de DNA aglomeradas, o que só é possível quando vistas desta maneira, porque moléculas individuais possuem um tamanho microscópico. Conclusão Este trabalho laboratorial teve como objetivo extrair o DNA de um quivi a partir de alguns processos, que resultaram com sucesso. Depois de seguir o procedimento experimental, conseguiu-se obter o DNA do quivi num tubo de ensaio sobre a forma de um "novelo" a olho nu, enquanto estava suspenso em álcool. Com isto pôde-se concluir que a molécula de DNA é pouco solúvel, pouco densa e que as suas ligações de pontes de hidrogénio são fracas energeticamente. No fim da atividade o objetivo principal pretendido foi cumprido, isto é, extrair e visualizar moléculas de DNA a olho nu, e ficar a conhecer processos para o fazer.