SlideShare uma empresa Scribd logo
Financiamento da Ação Inovadora
            Manaus – 04/11/2009
Tema 1
     Como acessar recursos ?
Organizando a ação inovadora !
O que é inovação ?


Entendendo a ação
    inovadora
Inovação é ...

Inovações Tecnológicas em Produtos e Processos (TPP)
compreendem as implantações de produtos e processos
tecnologicamente novos e substanciais melhorias
tecnológicas em produtos e processos.

Uma inovação TPP é considerada implantada se tiver sido
introduzida no mercado (inovação de produto) ou usada
no processo de produção (inovação de processo).

                    Manual de Oslo – 2ª. Edição – 1997


             NOVO
             SIGNIFICATIVAMENTE MELHORADO
             EM USO
Inovação é ...


A “introdução de novidade ou aperfeiçoamento no
ambiente produtivo ou social que resulte em novos
produtos, processos ou serviços.” (Lei 10.973/04)




             VOLTADO PARA O MERCADO
             VOLTADO PARA O SOCIAL
Inovação é ...

Inovação é qualquer coisa diferente de “mais do mesmo”
que é disponibilizada no mercado, aplicada na
organização ou transferida para a sociedade.



Inovação é a exploraçao com sucesso de novas ideias,
obtidas a partir de conhecimentos das mais diversas
fontes.




             “MAIS DO MESMO” É PRODUÇÃO
             “DIFERENTE” É INOVAÇÃO
Inovação é ...

Inovação pode ser “muita coisa” e é natural que haja
muitos caminhos para torná-la realidade.
Inovação é ...

O certo é que não podemos ignorá-la, senão ....




               Reproduzido de uma apresentação de Robert
               Binder (Fundo Criatec) de 04/08/09, intitulada
               “O caminho da pesquisa para o mercado”
Organizando a ação inovadora

(a) Elimine preconceitos




                             Campanha “Faça Diferente”
                             SEBRAE/2009
Organizando a ação inovadora

(b) Tenha por base um projeto ou plano de negócios.
Organizando a ação inovadora

(c) Organize o seu projeto em subprojetos
      (P&D, Gestão, Produção e Mercado)
      (certamente você vai ter um projeto em cada quadrante)
Organizando a ação inovadora

(d) Posicione seus projetos dentro dos quadrantes
       (o ideal é que você tenha um projeto em cada quadrante)



        Foco no                               Foco na
      Crescimento                             Margem



                    Amadure-   Vaca
                                                         Obsolescência
                    cimento    Leiteira



                                                          “Destruição
                    Novo       Conceito                    Criativa”
                    Negócio    (E se?...)
       Foco no                               Foco na
       Negócio                              tecnologia
Organizando a ação inovadora

(e) Junte tudo e você tem um portfolio de projetos
       (existem várias técnicas de gestão de portfolio de projetos)




                                  Gestão




                       Produção   Mercado




                        CULTURA DE
                        PROJETOS                 Fonte A     Fonte B
Financiando a ação inovadora

     CNPq
                         Gestão
                                      Recursos
                                      Próprios
    FINEP

                                        Capital
              Produção   Mercado     Empreendedor
     BASA




    SUFRAMA    FAPEAM     BNDES



                                       Fonte A      Fonte B



Em torno do seu projeto circulam várias fontes de
recursos
       (cada vez mais recursos, porém cada vez mais exigentes)
Financiando a ação inovadora

     CNPq
                         Gestão
                                   Recursos
                                   Próprios
     FINEP

                                      Capital
              Produção   Mercado   Empreendedor
      BASA




    SUFRAMA   FAPEAM     BNDES



                                    Fonte A             Fonte B


    ESTRATÉGIA DE
    CAPTAÇÃO                                  Projeto




Cada fonte de recursos têm sua “vocação” e suas regras de
acesso. Estratégia de captação é a adequação das demandas
de recursos às “vocações” e regras das fontes disponíveis.
Ação Inovadora
Em resumo :

UMA CULTURA DE PROJETOS É FUNDAMENTAL PARA QUE A
GESTÃO DA INOVAÇÃO POSSA SER FEITA ATRAVÉS DO
GERENCIAMENTO DE UM PORTIFÓLIO DE PROJETOS

UM BOM PROJETO OU PLANO DE NEGÓCIOS NÃO NASCE
FRUTO DE UMA OFERTA DE RECURSOS, MAS TEM COMO UM
DE SEUS COMPONENTES CRUCIAIS A ESTRATÉGIA DE
CAPTAÇÃO DE RECURSOS EM DIVERSAS FONTES,
ACENTUANDO SUA ADERÊNCIA À VOCAÇÃO E REGRAS DE
ACESSO DE CADA UMA DELAS



              CULTURA DE PROJETOS
              ESTRATÉGIA DE CAPTAÇÃO
Tema 2
         Um bom projeto :
não saia de casa sem ele !
Às vezes, inovação é desejo

Por que inovar ? (oportunidades)


• Desejo de não competir somente no mercado de produtos
  commodities
• Busca de vantagem competitiva sustentável
• Busca de uma nova plataforma de crescimento para atingir
  objetivos de receita de longo prazo
• Desejo de aumento de market share
• Busca de nova missão e visão empresariais
• Busca de mercado externo


                              CORAL, OGLIARI e ABREU (orgs.),
           Gestão Integrada da Inovação, 2008 – cap. 2 – pg. 15
Às vezes, inovação é necessidade


Por que inovar ? (ameaças)


• Mudanças nas necessidades e desejos dos clientes
• Mudanças nas condições dos parceiros e fornecedores
• Mudanças no estado-da-técnica (avanços tecnológicos)
• Produtos em fase final do ciclo de vida
• Mudanças no patamar de competitividade (concorrência)




                               CORAL, OGLIARI e ABREU (orgs.),
            Gestão Integrada da Inovação, 2008 – cap. 2 – pg. 16
Apresentação Finep Manaus 20091104
Seja lá quem você for, empresa ou
instituição, INOVE!


Receita para um período de crise :


1º. No curtíssimo prazo, fazer mais com menos
2º. No muito curto prazo, inovar e fazer diferente o que já é
feito agora
3º. No curto prazo, inovar de forma radical e fazer outras
coisas, que não são feitas hoje, de forma que talvez já
façamos e de outras que nem imaginamos


      Silvio Meira – blog “dia a dia, bit a bit” – post de 01/04/09
Plano de Negócios

Apesar de mais complexo para ser feito, há vasta literatura e
inúmeras ferramentas para construir planos de negócio.

Escolha a sua, pois o importante não é a ferramenta, mas a
ideia.




                (a ordem apresentada não representa preferência)
           (os exemplos apresentados não representam recomendação)
Projeto


Um projeto é uma atividade temporária destinada a criar um
produto, serviço ou resultado único.

„Temporária‟ significa que cada projeto terá um começo, meio e
fim definidos e não sobreviverá por tempo indeterminado.
„Único‟ indica que não se trata de uma atividade repetitiva ou
de produção em série.

Para uma agência de fomento, projeto é o conjunto de
informações que definem a alocação de recursos para uma
atividade ou empreendimento, o que permite a avaliação da
conveniência da participação financeira da agência nessas
atividades.


                                WEISZ, Joel. Projetos de Inovação Tecnológica
                              disponível para download no site do IEL Nacional
Antes de começar :
Perguntas e respostas obrigatórias (1)
Antes de começar :
Perguntas e respostas obrigatórias (2)
Antes de começar :
Perguntas e respostas obrigatórias (3)
Descrição da inovação:
Especificação tecnológica ou técnico-científica a ser
utilizada/aplicada, caracterizando sua inovação (um ou mais
requisitos):

•   Introdução   de   um novo bem ou valor;
•   Introdução   de   um novo método ou processo de produção;
•   Introdução   de   nova forma de organização empresarial;
•   Introdução   de   nova fonte de matéria-prima;
•   Introdução   ou   abertura de novo mercado;

    (ou incremento com diferencial mercadológico)

•   Inovação Social – introdução de novos benefícios ou
    novas formas de interação/inclusão social;

Melhoria das condições de renda, trabalho e emprego deve
ser um referencial para qualquer projeto de inovação.

                           (Adaptado de folhetos do NAI – IEL/MG)
Conhecimento envolvido na inovação:
•   Em que tipo de conhecimento é baseada a inovação
    (científico, de mercado, etc...)?
•   Quantas pessoas detêm este conhecimento na empresa?
•   Que potencial ou capacitação diferencia o conhecimento de
    outros?
•   Este conhecimento é suficiente para gerar uma barreira de
    entrada?




Barreiras de Entrada:
•   Existe barreira de entrada para que outras empresas possam
    fazer a mesma inovação? (propriedade intelectual, patente,
    domínio do conhecimento, antecipação no mercado, etc...).


                          (Adaptado de folhetos do NAI – IEL/MG)
Crescimento da Empresa:
•   Esta inovação causará o aumento da produtividade da empresa?
•   Esta inovação abre novos segmentos de mercado?
•   O crescimento baseado na inovação se dará por aumento no
    faturamento (mais venda), no rendimento (ganho na margem;
    maior lucro; agregando valor ao produto), ou em ambos ?




Sustentabilidade:
•   A implantação do projeto implicará em melhoria das condições
    de emprego e renda na empresa, em sua cadeia de fornecedores
    e nas condições sociais de seu entorno?
•   A implantação do projeto prevê tratamento adequado para seus
    resíduos pré e pós-podução?
•   A implantação do projeto implicará em melhorias das condições
    do meio-ambiente afetado quando de sua operação?

                         (Adaptado de folhetos do NAI – IEL/MG)
Tema 3
Estratégia de captação :
     5 Erros recorrentes
(1)     Ainda estar com a pergunta :
        Qual é a minha estratégia ?
Estratégias Tecnológicas coexistem numa mesma
empresa em diferentes segmentos de atuação, ou se
sucedem dentro dela ao longo do tempo.


Estratégias tecnológicas definem o tipo de fonte e de
recurso que se precisa captar.


Ofensiva             (desenvolve)‫‏‬
Defensiva            (aprimora ou adquire)‫‏‬
Imitativa            (copia com custo menor)‫‏‬
Dependente           (depende de um líder para inovar)‫‏‬
Tradicional          (apenas incremental)‫‏‬
Oportunista          (janela de oportunidade)‫‏‬
(2) Não participar da articulação
   sistêmica da inovação ao seu redor
                         Contexto econômico
                            e regulatório
   Sistema                                                             Condições de
 educacional                                                             mercado
                                 Empresas


        Sistema Tecnológico                        Sistema Científico


                         Instituições de apoio



                    Sistema local de inovação
                  Sistema nacional de inovação

                  Fonte : VIOTTI – Fundamento e Evolução dos Indicadores de C,,T&I, 2003 – pg. 51
(3)    Ignorar a gestão da inovação

Por que gerenciar inovação ?


Pelo mesmo motivo pelo qual se gerenciam outros ativos
(caixa, estoque, RH, etc)


• Redução de incertezas nas decisões sobre inovar (ou
não) e como fazê-lo
• Minimização dos recursos investidos (tempo, gente, R$)
• Maximização do retorno (R$)
• Melhor estratégia de captação de recursos
• Menor custo ponderado do capital
Gestão da Inovação

Há cada vez mais literatura sobre práticas e ferramentas de
gestão da inovação.

Mais uma vez, o importante não é a ferramenta, mas a
conscientização.




                (a ordem apresentada não representa preferência)
           (os exemplos apresentados não representam recomendação)
(4) Ter uma estratégia de
   captação inconsistente ... (ou)

    CNPq
                            Gestão
                                        Recursos
                                        Próprios
    FINEP

                                          Capital
              Produção      Mercado    Empreendedor
   FAPEAM




SUFRAMA     BASA         BNDES



                                      Fonte A                Fonte B




                                                   Projeto
... Escolher o instrumento errado
(considere também o tempo e o custo ponderado do capital)
Apresentação Finep Manaus 20091104
Slide 38
Slide 39
(5) O desrespeito ao tempo

Deve haver tempo suficiente para:


• conceber o projeto
• buscar parcerias (tecnológicas, gerenciais e de mercado)
• conciliar as visões das equipes envolvidas

     Oportunidades de captação

• redigir o(s) projeto(s)
• revisar o(s) projeto(s)


Preferencialmente, apenas as 2 últimas etapas deverão
ser deixadas para o momento em que o Edital se torna
disponível, pois aí fica mais fácil priorizar na redação do
projeto os elementos valorizados no Edital.
Tema 4
Redação de projetos :
   Erros recorrentes
Sobre a Parte Descritiva do
Projeto
Tenha cuidado com a escolha da linguagem adequada
e com a construção do texto. Lembre-se que o texto
escrito é, muitas vezes, a única forma da qual você
dispõe para apresentar o seu projeto.

Tenha esmero no uso do idioma, sem ser hermético.

Demonstre seu conhecimento técnico, mas considere
que o avaliador pode não ter a mesma profundidade
que você na tecnologia específica abordada no projeto.

Tente usar todo o espaço disponível para o texto, sem
ser prolixo.
Sobre a Parte Descritiva do
Projeto
Tenha em mente que o avaliador vai trabalhar
estritamente sobre os critérios de avaliação do
instrumento.

Deixe claramente identificados em seu projeto as
partes que servirão para o julgamento de valor do
avaliador.




Tenha uma frase em seu projeto que seja algo como :
“A aderência desta proposta ao objetivo desta
chamada pública é caracterizada por ...”
Sobre a Parte Descritiva do
Projeto
É essencial compreender que o projeto é um único
documento, dividido em partes que devem apresentar
coerência interna.

Sendo assim, o objetivo pretendido deve estar
espelhado em cada passo do cronograma. O
cronograma, por sua vez, deve prever as atividades
em sincronia com a disponibilização dos recursos
(desembolsos) e assim por diante.
Sobre a etapa de
pré-qualificação

Erros são bastante comuns, decorrentes de
desatenção ou de descuidos, especialmente quando
a elaboração do projeto se dá de forma apressada:

  Falta de documentos exigidos na etapa de
  submissão de propostas
  Falta de via impressa do projeto ou de assinaturas,
  quando é exigido o envio de versão impressa
  Falhas na relação de itens solicitada
  Preenchimento incorreto ou incompleto do
  formulário de apresentação de propostas
Sobre a etapa de
pré-qualificação

  Descumprimento de prazos
  Descumprimento de limites mínimo e máximo de
  valor solicitado de apoio ou aportado como
  contrapartida
  Inelegibilidade de membro do consórcio executor
  Total falta de aderência aos objetivos do
  instrumento ao qual está concorrendo


Caso o seu projeto apresente os erros apontados até
aqui, ele será desconsiderado sem ser avaliado. Isso
quer dizer que os avaliadores não levarão em conta
o mérito da proposta.
Sobre a etapa de
avaliação de mérito

Por mais bem escrito ou nobre que seja seu projeto,
ele receberá uma avaliação de mérito severa se não
contiver elementos de inovação.
Sobre a etapa de
avaliação de mérito

Falhas na concepção da estrutura do projeto também
provocam avaliação de mérito severa. Seu projeto,
além de inovador, tem que ser viável enquanto
projeto.

   Falta de clareza quanto aos objetivos e
   metodologia
   Mecanismos de coordenação mal definidos
   Cronograma inadequado
   Perfil da equipe executora (tanto nos papéis
   técnicos   quanto   nos   papéis    gerenciais)
   inadequado às demandas do projeto
Grato por seu tempo !
Grato por sua atenção !




                                  Alexandre Cabral
      DPRO – Departamento de Promoção Institucional
                                acabral@finep.gov.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Roadmapping continuos innovation
Roadmapping continuos innovationRoadmapping continuos innovation
Roadmapping continuos innovation
Marco Oliveira
 
P&D na Indústria de Frangos - UNOCHAPECÓ - 27 de maio de 2011
P&D na Indústria de Frangos - UNOCHAPECÓ - 27 de maio de 2011 P&D na Indústria de Frangos - UNOCHAPECÓ - 27 de maio de 2011
P&D na Indústria de Frangos - UNOCHAPECÓ - 27 de maio de 2011
Ioanis Sarantopoulos
 
O Papel do Venture Capital em um ambiente de Open Innovation Palestra FGV Jun...
O Papel do Venture Capital em um ambiente de Open Innovation Palestra FGV Jun...O Papel do Venture Capital em um ambiente de Open Innovation Palestra FGV Jun...
O Papel do Venture Capital em um ambiente de Open Innovation Palestra FGV Jun...
Allagi Open Innovation Services
 
Travelling
TravellingTravelling
Travelling
Advank
 
Ferramentas de inovação aberta
Ferramentas de inovação abertaFerramentas de inovação aberta
Ferramentas de inovação aberta
Inventta
 
Inovação Radical e Open Innovation Palestra FGV Junho08 Bruno Rondani Allagi ...
Inovação Radical e Open Innovation Palestra FGV Junho08 Bruno Rondani Allagi ...Inovação Radical e Open Innovation Palestra FGV Junho08 Bruno Rondani Allagi ...
Inovação Radical e Open Innovation Palestra FGV Junho08 Bruno Rondani Allagi ...
Allagi Open Innovation Services
 
Palestra Open Innovation - Allagi - Maio 2008 - Inovação Aberta no Brasil
Palestra Open Innovation - Allagi - Maio 2008 - Inovação Aberta no BrasilPalestra Open Innovation - Allagi - Maio 2008 - Inovação Aberta no Brasil
Palestra Open Innovation - Allagi - Maio 2008 - Inovação Aberta no Brasil
Allagi Open Innovation Services
 
Innovatrix como capacitação
Innovatrix como capacitaçãoInnovatrix como capacitação
Innovatrix como capacitação
Tiago Carvalho
 
FIA - Formação de Recursos Humanos para Inovação - Eduardo Vasconcellos - Ope...
FIA - Formação de Recursos Humanos para Inovação - Eduardo Vasconcellos - Ope...FIA - Formação de Recursos Humanos para Inovação - Eduardo Vasconcellos - Ope...
FIA - Formação de Recursos Humanos para Inovação - Eduardo Vasconcellos - Ope...
Allagi Open Innovation Services
 
Aula Incentivos à Inovação USP EACH Dez 2009 Eduardo Grizendi V 1
Aula Incentivos à Inovação USP EACH  Dez 2009 Eduardo Grizendi V 1Aula Incentivos à Inovação USP EACH  Dez 2009 Eduardo Grizendi V 1
Aula Incentivos à Inovação USP EACH Dez 2009 Eduardo Grizendi V 1
guest138f4310
 
Inovação Aberta
Inovação AbertaInovação Aberta
Inovação Aberta
Renato Lacerda
 
Fundamentos da inovação
Fundamentos da inovaçãoFundamentos da inovação
Fundamentos da inovação
innoscience_
 
[E-book] Como transformar ideias em resultados
[E-book] Como transformar ideias em resultados[E-book] Como transformar ideias em resultados
[E-book] Como transformar ideias em resultados
Ninho Desenvolvimento Empresarial
 
Benefícios da inovação aberta
Benefícios da inovação abertaBenefícios da inovação aberta
Benefícios da inovação aberta
Eduardo Fagundes
 
Open Innovation X Fisicos V2
Open Innovation X Fisicos V2Open Innovation X Fisicos V2
Open Innovation X Fisicos V2
Arlima
 
Palestra seminário open innovation porto alegre v. 1.0
Palestra seminário open innovation porto alegre v. 1.0Palestra seminário open innovation porto alegre v. 1.0
Palestra seminário open innovation porto alegre v. 1.0
Eduardo Grizendi
 
Casos de Open Innovation
Casos de Open InnovationCasos de Open Innovation
Casos de Open Innovation
Allagi Open Innovation Services
 
Apresentação sobre Gestão da Inovação e da Criatividade
Apresentação sobre Gestão da Inovação e da CriatividadeApresentação sobre Gestão da Inovação e da Criatividade
Apresentação sobre Gestão da Inovação e da Criatividade
Levi Tancredo
 
1 unicamp ppt completo
1 unicamp  ppt completo1 unicamp  ppt completo
1 unicamp ppt completo
kleber.torres
 
Inovação, Projetos e Portfólio: Integração para Resultados Promissores
Inovação, Projetos e Portfólio: Integração para Resultados PromissoresInovação, Projetos e Portfólio: Integração para Resultados Promissores
Inovação, Projetos e Portfólio: Integração para Resultados Promissores
Jose Ignacio Jaeger Neto, PMP, MSc
 

Mais procurados (20)

Roadmapping continuos innovation
Roadmapping continuos innovationRoadmapping continuos innovation
Roadmapping continuos innovation
 
P&D na Indústria de Frangos - UNOCHAPECÓ - 27 de maio de 2011
P&D na Indústria de Frangos - UNOCHAPECÓ - 27 de maio de 2011 P&D na Indústria de Frangos - UNOCHAPECÓ - 27 de maio de 2011
P&D na Indústria de Frangos - UNOCHAPECÓ - 27 de maio de 2011
 
O Papel do Venture Capital em um ambiente de Open Innovation Palestra FGV Jun...
O Papel do Venture Capital em um ambiente de Open Innovation Palestra FGV Jun...O Papel do Venture Capital em um ambiente de Open Innovation Palestra FGV Jun...
O Papel do Venture Capital em um ambiente de Open Innovation Palestra FGV Jun...
 
Travelling
TravellingTravelling
Travelling
 
Ferramentas de inovação aberta
Ferramentas de inovação abertaFerramentas de inovação aberta
Ferramentas de inovação aberta
 
Inovação Radical e Open Innovation Palestra FGV Junho08 Bruno Rondani Allagi ...
Inovação Radical e Open Innovation Palestra FGV Junho08 Bruno Rondani Allagi ...Inovação Radical e Open Innovation Palestra FGV Junho08 Bruno Rondani Allagi ...
Inovação Radical e Open Innovation Palestra FGV Junho08 Bruno Rondani Allagi ...
 
Palestra Open Innovation - Allagi - Maio 2008 - Inovação Aberta no Brasil
Palestra Open Innovation - Allagi - Maio 2008 - Inovação Aberta no BrasilPalestra Open Innovation - Allagi - Maio 2008 - Inovação Aberta no Brasil
Palestra Open Innovation - Allagi - Maio 2008 - Inovação Aberta no Brasil
 
Innovatrix como capacitação
Innovatrix como capacitaçãoInnovatrix como capacitação
Innovatrix como capacitação
 
FIA - Formação de Recursos Humanos para Inovação - Eduardo Vasconcellos - Ope...
FIA - Formação de Recursos Humanos para Inovação - Eduardo Vasconcellos - Ope...FIA - Formação de Recursos Humanos para Inovação - Eduardo Vasconcellos - Ope...
FIA - Formação de Recursos Humanos para Inovação - Eduardo Vasconcellos - Ope...
 
Aula Incentivos à Inovação USP EACH Dez 2009 Eduardo Grizendi V 1
Aula Incentivos à Inovação USP EACH  Dez 2009 Eduardo Grizendi V 1Aula Incentivos à Inovação USP EACH  Dez 2009 Eduardo Grizendi V 1
Aula Incentivos à Inovação USP EACH Dez 2009 Eduardo Grizendi V 1
 
Inovação Aberta
Inovação AbertaInovação Aberta
Inovação Aberta
 
Fundamentos da inovação
Fundamentos da inovaçãoFundamentos da inovação
Fundamentos da inovação
 
[E-book] Como transformar ideias em resultados
[E-book] Como transformar ideias em resultados[E-book] Como transformar ideias em resultados
[E-book] Como transformar ideias em resultados
 
Benefícios da inovação aberta
Benefícios da inovação abertaBenefícios da inovação aberta
Benefícios da inovação aberta
 
Open Innovation X Fisicos V2
Open Innovation X Fisicos V2Open Innovation X Fisicos V2
Open Innovation X Fisicos V2
 
Palestra seminário open innovation porto alegre v. 1.0
Palestra seminário open innovation porto alegre v. 1.0Palestra seminário open innovation porto alegre v. 1.0
Palestra seminário open innovation porto alegre v. 1.0
 
Casos de Open Innovation
Casos de Open InnovationCasos de Open Innovation
Casos de Open Innovation
 
Apresentação sobre Gestão da Inovação e da Criatividade
Apresentação sobre Gestão da Inovação e da CriatividadeApresentação sobre Gestão da Inovação e da Criatividade
Apresentação sobre Gestão da Inovação e da Criatividade
 
1 unicamp ppt completo
1 unicamp  ppt completo1 unicamp  ppt completo
1 unicamp ppt completo
 
Inovação, Projetos e Portfólio: Integração para Resultados Promissores
Inovação, Projetos e Portfólio: Integração para Resultados PromissoresInovação, Projetos e Portfólio: Integração para Resultados Promissores
Inovação, Projetos e Portfólio: Integração para Resultados Promissores
 

Destaque

Ejemplo Presentacion
Ejemplo PresentacionEjemplo Presentacion
Ejemplo Presentacion
guest51090a0
 
No a la violencia de genero
No a la violencia de generoNo a la violencia de genero
No a la violencia de genero
capiarrayanes
 
4oC #40 Ugalde Garcia Fernanda
4oC #40 Ugalde Garcia Fernanda4oC #40 Ugalde Garcia Fernanda
4oC #40 Ugalde Garcia Fernanda
frezita
 
GRUPOE_APLICINFO_09
GRUPOE_APLICINFO_09GRUPOE_APLICINFO_09
GRUPOE_APLICINFO_09
edmudvayne
 
01 Amistad
01 Amistad01 Amistad
01 Amistad
Jose Flores Fabara
 
Sistema Dfv
Sistema DfvSistema Dfv
Sistema Dfv
muestraempresarial2
 
02 esp domingo
02 esp domingo02 esp domingo
02 esp domingo
Dr. Gustavo Piñeiro
 
El Aprendizaje Basado En
El Aprendizaje Basado EnEl Aprendizaje Basado En
El Aprendizaje Basado En
guest82d8bc
 
Ingeniería en Sistemas
Ingeniería en SistemasIngeniería en Sistemas
Ingeniería en Sistemas
Mauro Parra-Miranda
 
Proyecto Malla
Proyecto MallaProyecto Malla
Proyecto Malla
laura vargas
 
Hojas De Vida
Hojas De VidaHojas De Vida
Hojas De Vida
Jeison Hurtado
 
9 D Julian Hurtado[1]
9 D Julian Hurtado[1]9 D Julian Hurtado[1]
9 D Julian Hurtado[1]
Jeison Hurtado
 

Destaque (20)

Ejemplo Presentacion
Ejemplo PresentacionEjemplo Presentacion
Ejemplo Presentacion
 
No a la violencia de genero
No a la violencia de generoNo a la violencia de genero
No a la violencia de genero
 
30805
3080530805
30805
 
31102
3110231102
31102
 
4oC #40 Ugalde Garcia Fernanda
4oC #40 Ugalde Garcia Fernanda4oC #40 Ugalde Garcia Fernanda
4oC #40 Ugalde Garcia Fernanda
 
GRUPOE_APLICINFO_09
GRUPOE_APLICINFO_09GRUPOE_APLICINFO_09
GRUPOE_APLICINFO_09
 
01 Amistad
01 Amistad01 Amistad
01 Amistad
 
35731
3573135731
35731
 
Sistema Dfv
Sistema DfvSistema Dfv
Sistema Dfv
 
30778
3077830778
30778
 
31849
3184931849
31849
 
02 esp domingo
02 esp domingo02 esp domingo
02 esp domingo
 
El Aprendizaje Basado En
El Aprendizaje Basado EnEl Aprendizaje Basado En
El Aprendizaje Basado En
 
31087
3108731087
31087
 
Ingeniería en Sistemas
Ingeniería en SistemasIngeniería en Sistemas
Ingeniería en Sistemas
 
Proyecto Malla
Proyecto MallaProyecto Malla
Proyecto Malla
 
Hojas De Vida
Hojas De VidaHojas De Vida
Hojas De Vida
 
11647
1164711647
11647
 
30802
3080230802
30802
 
9 D Julian Hurtado[1]
9 D Julian Hurtado[1]9 D Julian Hurtado[1]
9 D Julian Hurtado[1]
 

Semelhante a Apresentação Finep Manaus 20091104

Cap2 ecossistema de inovacao v14.09
Cap2 ecossistema de inovacao v14.09Cap2 ecossistema de inovacao v14.09
Cap2 ecossistema de inovacao v14.09
Juliana Paiva
 
Gestão da inovação nas empresas
Gestão da inovação nas empresasGestão da inovação nas empresas
Gestão da inovação nas empresas
Universidade de Pernambuco
 
1 Gestao Design Oficial
1  Gestao  Design  Oficial1  Gestao  Design  Oficial
1 Gestao Design Oficial
Red Latinoamericana de Diseño
 
Brasoftware palestra 05_07_ppt
Brasoftware palestra 05_07_pptBrasoftware palestra 05_07_ppt
Brasoftware palestra 05_07_ppt
kleber.torres
 
Fundação CERTI - Programa Sinapse da Inovação - Alexandre Ueno - Open Innovat...
Fundação CERTI - Programa Sinapse da Inovação - Alexandre Ueno - Open Innovat...Fundação CERTI - Programa Sinapse da Inovação - Alexandre Ueno - Open Innovat...
Fundação CERTI - Programa Sinapse da Inovação - Alexandre Ueno - Open Innovat...
Allagi Open Innovation Services
 
Cietec
CietecCietec
Cietec
Startupi
 
Palestra Empreendedorismo e Inovação_FBV
Palestra Empreendedorismo e Inovação_FBVPalestra Empreendedorismo e Inovação_FBV
Palestra Empreendedorismo e Inovação_FBV
Vítor Andrade
 
Interação Universidade-Empresa em Projetos de Inovação Tecnológica
Interação Universidade-Empresa em Projetos de Inovação TecnológicaInteração Universidade-Empresa em Projetos de Inovação Tecnológica
Interação Universidade-Empresa em Projetos de Inovação Tecnológica
Portal Inovação UFMS
 
Beta Ois 2009 Ponta Grossa
Beta Ois 2009 Ponta GrossaBeta Ois 2009 Ponta Grossa
Beta Ois 2009 Ponta Grossa
kleber.torres
 
Beta Ois 2009 Ponta Grossa
Beta Ois 2009 Ponta GrossaBeta Ois 2009 Ponta Grossa
Beta Ois 2009 Ponta Grossa
kleber.torres
 
Pontagrossa out/2009
Pontagrossa out/2009Pontagrossa out/2009
Pontagrossa out/2009
kleber.torres
 
STARTUP 3º PRAT EMP emcomercio emoprendendo
STARTUP 3º PRAT EMP emcomercio  emoprendendoSTARTUP 3º PRAT EMP emcomercio  emoprendendo
STARTUP 3º PRAT EMP emcomercio emoprendendo
HenriqueLuciano2
 
Barreiras inovacao
Barreiras inovacaoBarreiras inovacao
Barreiras inovacao
James Wright
 
Gestao do conhecimento, inteligência competitiva e inovação
Gestao do conhecimento, inteligência competitiva e inovaçãoGestao do conhecimento, inteligência competitiva e inovação
Gestao do conhecimento, inteligência competitiva e inovação
Documentar Tecnologia e Informação
 
Gestão do Conhecimento; Inteligência; Competitividade; Inovação
Gestão do Conhecimento; Inteligência; Competitividade; InovaçãoGestão do Conhecimento; Inteligência; Competitividade; Inovação
Gestão do Conhecimento; Inteligência; Competitividade; Inovação
Deomari Fragoso
 
Superando os mitos da crise e inovando em tempos difíceis
Superando os mitos da crise e inovando em tempos difíceisSuperando os mitos da crise e inovando em tempos difíceis
Superando os mitos da crise e inovando em tempos difíceis
Innoscience Consultoria em Gestão da Inovação
 
Inovação: Conceitos, gestão, parcerias e oportunidades para a indústria
Inovação: Conceitos, gestão, parcerias e oportunidades para a indústriaInovação: Conceitos, gestão, parcerias e oportunidades para a indústria
Inovação: Conceitos, gestão, parcerias e oportunidades para a indústria
Fabricio Martins
 
Embrapa: Empreededorismo e Inovação
Embrapa: Empreededorismo e InovaçãoEmbrapa: Empreededorismo e Inovação
Embrapa: Empreededorismo e Inovação
BRAIN Brasil Inovação
 
Potencial de Inovação de Portfólio
Potencial de Inovação de PortfólioPotencial de Inovação de Portfólio
Potencial de Inovação de Portfólio
Jose Ignacio Jaeger Neto, PMP, MSc
 
Open Innovation: Fontes de Inovação, Fontes de Financiamento e Caminhos para ...
Open Innovation: Fontes de Inovação, Fontes de Financiamento e Caminhos para ...Open Innovation: Fontes de Inovação, Fontes de Financiamento e Caminhos para ...
Open Innovation: Fontes de Inovação, Fontes de Financiamento e Caminhos para ...
Allagi Open Innovation Services
 

Semelhante a Apresentação Finep Manaus 20091104 (20)

Cap2 ecossistema de inovacao v14.09
Cap2 ecossistema de inovacao v14.09Cap2 ecossistema de inovacao v14.09
Cap2 ecossistema de inovacao v14.09
 
Gestão da inovação nas empresas
Gestão da inovação nas empresasGestão da inovação nas empresas
Gestão da inovação nas empresas
 
1 Gestao Design Oficial
1  Gestao  Design  Oficial1  Gestao  Design  Oficial
1 Gestao Design Oficial
 
Brasoftware palestra 05_07_ppt
Brasoftware palestra 05_07_pptBrasoftware palestra 05_07_ppt
Brasoftware palestra 05_07_ppt
 
Fundação CERTI - Programa Sinapse da Inovação - Alexandre Ueno - Open Innovat...
Fundação CERTI - Programa Sinapse da Inovação - Alexandre Ueno - Open Innovat...Fundação CERTI - Programa Sinapse da Inovação - Alexandre Ueno - Open Innovat...
Fundação CERTI - Programa Sinapse da Inovação - Alexandre Ueno - Open Innovat...
 
Cietec
CietecCietec
Cietec
 
Palestra Empreendedorismo e Inovação_FBV
Palestra Empreendedorismo e Inovação_FBVPalestra Empreendedorismo e Inovação_FBV
Palestra Empreendedorismo e Inovação_FBV
 
Interação Universidade-Empresa em Projetos de Inovação Tecnológica
Interação Universidade-Empresa em Projetos de Inovação TecnológicaInteração Universidade-Empresa em Projetos de Inovação Tecnológica
Interação Universidade-Empresa em Projetos de Inovação Tecnológica
 
Beta Ois 2009 Ponta Grossa
Beta Ois 2009 Ponta GrossaBeta Ois 2009 Ponta Grossa
Beta Ois 2009 Ponta Grossa
 
Beta Ois 2009 Ponta Grossa
Beta Ois 2009 Ponta GrossaBeta Ois 2009 Ponta Grossa
Beta Ois 2009 Ponta Grossa
 
Pontagrossa out/2009
Pontagrossa out/2009Pontagrossa out/2009
Pontagrossa out/2009
 
STARTUP 3º PRAT EMP emcomercio emoprendendo
STARTUP 3º PRAT EMP emcomercio  emoprendendoSTARTUP 3º PRAT EMP emcomercio  emoprendendo
STARTUP 3º PRAT EMP emcomercio emoprendendo
 
Barreiras inovacao
Barreiras inovacaoBarreiras inovacao
Barreiras inovacao
 
Gestao do conhecimento, inteligência competitiva e inovação
Gestao do conhecimento, inteligência competitiva e inovaçãoGestao do conhecimento, inteligência competitiva e inovação
Gestao do conhecimento, inteligência competitiva e inovação
 
Gestão do Conhecimento; Inteligência; Competitividade; Inovação
Gestão do Conhecimento; Inteligência; Competitividade; InovaçãoGestão do Conhecimento; Inteligência; Competitividade; Inovação
Gestão do Conhecimento; Inteligência; Competitividade; Inovação
 
Superando os mitos da crise e inovando em tempos difíceis
Superando os mitos da crise e inovando em tempos difíceisSuperando os mitos da crise e inovando em tempos difíceis
Superando os mitos da crise e inovando em tempos difíceis
 
Inovação: Conceitos, gestão, parcerias e oportunidades para a indústria
Inovação: Conceitos, gestão, parcerias e oportunidades para a indústriaInovação: Conceitos, gestão, parcerias e oportunidades para a indústria
Inovação: Conceitos, gestão, parcerias e oportunidades para a indústria
 
Embrapa: Empreededorismo e Inovação
Embrapa: Empreededorismo e InovaçãoEmbrapa: Empreededorismo e Inovação
Embrapa: Empreededorismo e Inovação
 
Potencial de Inovação de Portfólio
Potencial de Inovação de PortfólioPotencial de Inovação de Portfólio
Potencial de Inovação de Portfólio
 
Open Innovation: Fontes de Inovação, Fontes de Financiamento e Caminhos para ...
Open Innovation: Fontes de Inovação, Fontes de Financiamento e Caminhos para ...Open Innovation: Fontes de Inovação, Fontes de Financiamento e Caminhos para ...
Open Innovation: Fontes de Inovação, Fontes de Financiamento e Caminhos para ...
 

Último

Aula combustiveis mais utilizados na indústria
Aula combustiveis mais utilizados na indústriaAula combustiveis mais utilizados na indústria
Aula combustiveis mais utilizados na indústria
zetec10
 
Apresentação sobre Deep Web e anonimização
Apresentação sobre Deep Web e anonimizaçãoApresentação sobre Deep Web e anonimização
Apresentação sobre Deep Web e anonimização
snerdct
 
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de DevOps/CLoud
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de   DevOps/CLoudFerramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de   DevOps/CLoud
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de DevOps/CLoud
Ismael Ash
 
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWSSubindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
Ismael Ash
 
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
Faga1939
 
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docxse38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
ronaldos10
 

Último (6)

Aula combustiveis mais utilizados na indústria
Aula combustiveis mais utilizados na indústriaAula combustiveis mais utilizados na indústria
Aula combustiveis mais utilizados na indústria
 
Apresentação sobre Deep Web e anonimização
Apresentação sobre Deep Web e anonimizaçãoApresentação sobre Deep Web e anonimização
Apresentação sobre Deep Web e anonimização
 
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de DevOps/CLoud
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de   DevOps/CLoudFerramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de   DevOps/CLoud
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de DevOps/CLoud
 
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWSSubindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
 
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
 
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docxse38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
 

Apresentação Finep Manaus 20091104

  • 1. Financiamento da Ação Inovadora Manaus – 04/11/2009
  • 2. Tema 1 Como acessar recursos ? Organizando a ação inovadora !
  • 3. O que é inovação ? Entendendo a ação inovadora
  • 4. Inovação é ... Inovações Tecnológicas em Produtos e Processos (TPP) compreendem as implantações de produtos e processos tecnologicamente novos e substanciais melhorias tecnológicas em produtos e processos. Uma inovação TPP é considerada implantada se tiver sido introduzida no mercado (inovação de produto) ou usada no processo de produção (inovação de processo). Manual de Oslo – 2ª. Edição – 1997 NOVO SIGNIFICATIVAMENTE MELHORADO EM USO
  • 5. Inovação é ... A “introdução de novidade ou aperfeiçoamento no ambiente produtivo ou social que resulte em novos produtos, processos ou serviços.” (Lei 10.973/04) VOLTADO PARA O MERCADO VOLTADO PARA O SOCIAL
  • 6. Inovação é ... Inovação é qualquer coisa diferente de “mais do mesmo” que é disponibilizada no mercado, aplicada na organização ou transferida para a sociedade. Inovação é a exploraçao com sucesso de novas ideias, obtidas a partir de conhecimentos das mais diversas fontes. “MAIS DO MESMO” É PRODUÇÃO “DIFERENTE” É INOVAÇÃO
  • 7. Inovação é ... Inovação pode ser “muita coisa” e é natural que haja muitos caminhos para torná-la realidade.
  • 8. Inovação é ... O certo é que não podemos ignorá-la, senão .... Reproduzido de uma apresentação de Robert Binder (Fundo Criatec) de 04/08/09, intitulada “O caminho da pesquisa para o mercado”
  • 9. Organizando a ação inovadora (a) Elimine preconceitos Campanha “Faça Diferente” SEBRAE/2009
  • 10. Organizando a ação inovadora (b) Tenha por base um projeto ou plano de negócios.
  • 11. Organizando a ação inovadora (c) Organize o seu projeto em subprojetos (P&D, Gestão, Produção e Mercado) (certamente você vai ter um projeto em cada quadrante)
  • 12. Organizando a ação inovadora (d) Posicione seus projetos dentro dos quadrantes (o ideal é que você tenha um projeto em cada quadrante) Foco no Foco na Crescimento Margem Amadure- Vaca Obsolescência cimento Leiteira “Destruição Novo Conceito Criativa” Negócio (E se?...) Foco no Foco na Negócio tecnologia
  • 13. Organizando a ação inovadora (e) Junte tudo e você tem um portfolio de projetos (existem várias técnicas de gestão de portfolio de projetos) Gestão Produção Mercado CULTURA DE PROJETOS Fonte A Fonte B
  • 14. Financiando a ação inovadora CNPq Gestão Recursos Próprios FINEP Capital Produção Mercado Empreendedor BASA SUFRAMA FAPEAM BNDES Fonte A Fonte B Em torno do seu projeto circulam várias fontes de recursos (cada vez mais recursos, porém cada vez mais exigentes)
  • 15. Financiando a ação inovadora CNPq Gestão Recursos Próprios FINEP Capital Produção Mercado Empreendedor BASA SUFRAMA FAPEAM BNDES Fonte A Fonte B ESTRATÉGIA DE CAPTAÇÃO Projeto Cada fonte de recursos têm sua “vocação” e suas regras de acesso. Estratégia de captação é a adequação das demandas de recursos às “vocações” e regras das fontes disponíveis.
  • 16. Ação Inovadora Em resumo : UMA CULTURA DE PROJETOS É FUNDAMENTAL PARA QUE A GESTÃO DA INOVAÇÃO POSSA SER FEITA ATRAVÉS DO GERENCIAMENTO DE UM PORTIFÓLIO DE PROJETOS UM BOM PROJETO OU PLANO DE NEGÓCIOS NÃO NASCE FRUTO DE UMA OFERTA DE RECURSOS, MAS TEM COMO UM DE SEUS COMPONENTES CRUCIAIS A ESTRATÉGIA DE CAPTAÇÃO DE RECURSOS EM DIVERSAS FONTES, ACENTUANDO SUA ADERÊNCIA À VOCAÇÃO E REGRAS DE ACESSO DE CADA UMA DELAS CULTURA DE PROJETOS ESTRATÉGIA DE CAPTAÇÃO
  • 17. Tema 2 Um bom projeto : não saia de casa sem ele !
  • 18. Às vezes, inovação é desejo Por que inovar ? (oportunidades) • Desejo de não competir somente no mercado de produtos commodities • Busca de vantagem competitiva sustentável • Busca de uma nova plataforma de crescimento para atingir objetivos de receita de longo prazo • Desejo de aumento de market share • Busca de nova missão e visão empresariais • Busca de mercado externo CORAL, OGLIARI e ABREU (orgs.), Gestão Integrada da Inovação, 2008 – cap. 2 – pg. 15
  • 19. Às vezes, inovação é necessidade Por que inovar ? (ameaças) • Mudanças nas necessidades e desejos dos clientes • Mudanças nas condições dos parceiros e fornecedores • Mudanças no estado-da-técnica (avanços tecnológicos) • Produtos em fase final do ciclo de vida • Mudanças no patamar de competitividade (concorrência) CORAL, OGLIARI e ABREU (orgs.), Gestão Integrada da Inovação, 2008 – cap. 2 – pg. 16
  • 21. Seja lá quem você for, empresa ou instituição, INOVE! Receita para um período de crise : 1º. No curtíssimo prazo, fazer mais com menos 2º. No muito curto prazo, inovar e fazer diferente o que já é feito agora 3º. No curto prazo, inovar de forma radical e fazer outras coisas, que não são feitas hoje, de forma que talvez já façamos e de outras que nem imaginamos Silvio Meira – blog “dia a dia, bit a bit” – post de 01/04/09
  • 22. Plano de Negócios Apesar de mais complexo para ser feito, há vasta literatura e inúmeras ferramentas para construir planos de negócio. Escolha a sua, pois o importante não é a ferramenta, mas a ideia. (a ordem apresentada não representa preferência) (os exemplos apresentados não representam recomendação)
  • 23. Projeto Um projeto é uma atividade temporária destinada a criar um produto, serviço ou resultado único. „Temporária‟ significa que cada projeto terá um começo, meio e fim definidos e não sobreviverá por tempo indeterminado. „Único‟ indica que não se trata de uma atividade repetitiva ou de produção em série. Para uma agência de fomento, projeto é o conjunto de informações que definem a alocação de recursos para uma atividade ou empreendimento, o que permite a avaliação da conveniência da participação financeira da agência nessas atividades. WEISZ, Joel. Projetos de Inovação Tecnológica disponível para download no site do IEL Nacional
  • 24. Antes de começar : Perguntas e respostas obrigatórias (1)
  • 25. Antes de começar : Perguntas e respostas obrigatórias (2)
  • 26. Antes de começar : Perguntas e respostas obrigatórias (3)
  • 27. Descrição da inovação: Especificação tecnológica ou técnico-científica a ser utilizada/aplicada, caracterizando sua inovação (um ou mais requisitos): • Introdução de um novo bem ou valor; • Introdução de um novo método ou processo de produção; • Introdução de nova forma de organização empresarial; • Introdução de nova fonte de matéria-prima; • Introdução ou abertura de novo mercado; (ou incremento com diferencial mercadológico) • Inovação Social – introdução de novos benefícios ou novas formas de interação/inclusão social; Melhoria das condições de renda, trabalho e emprego deve ser um referencial para qualquer projeto de inovação. (Adaptado de folhetos do NAI – IEL/MG)
  • 28. Conhecimento envolvido na inovação: • Em que tipo de conhecimento é baseada a inovação (científico, de mercado, etc...)? • Quantas pessoas detêm este conhecimento na empresa? • Que potencial ou capacitação diferencia o conhecimento de outros? • Este conhecimento é suficiente para gerar uma barreira de entrada? Barreiras de Entrada: • Existe barreira de entrada para que outras empresas possam fazer a mesma inovação? (propriedade intelectual, patente, domínio do conhecimento, antecipação no mercado, etc...). (Adaptado de folhetos do NAI – IEL/MG)
  • 29. Crescimento da Empresa: • Esta inovação causará o aumento da produtividade da empresa? • Esta inovação abre novos segmentos de mercado? • O crescimento baseado na inovação se dará por aumento no faturamento (mais venda), no rendimento (ganho na margem; maior lucro; agregando valor ao produto), ou em ambos ? Sustentabilidade: • A implantação do projeto implicará em melhoria das condições de emprego e renda na empresa, em sua cadeia de fornecedores e nas condições sociais de seu entorno? • A implantação do projeto prevê tratamento adequado para seus resíduos pré e pós-podução? • A implantação do projeto implicará em melhorias das condições do meio-ambiente afetado quando de sua operação? (Adaptado de folhetos do NAI – IEL/MG)
  • 30. Tema 3 Estratégia de captação : 5 Erros recorrentes
  • 31. (1) Ainda estar com a pergunta : Qual é a minha estratégia ? Estratégias Tecnológicas coexistem numa mesma empresa em diferentes segmentos de atuação, ou se sucedem dentro dela ao longo do tempo. Estratégias tecnológicas definem o tipo de fonte e de recurso que se precisa captar. Ofensiva (desenvolve)‫‏‬ Defensiva (aprimora ou adquire)‫‏‬ Imitativa (copia com custo menor)‫‏‬ Dependente (depende de um líder para inovar)‫‏‬ Tradicional (apenas incremental)‫‏‬ Oportunista (janela de oportunidade)‫‏‬
  • 32. (2) Não participar da articulação sistêmica da inovação ao seu redor Contexto econômico e regulatório Sistema Condições de educacional mercado Empresas Sistema Tecnológico Sistema Científico Instituições de apoio Sistema local de inovação Sistema nacional de inovação Fonte : VIOTTI – Fundamento e Evolução dos Indicadores de C,,T&I, 2003 – pg. 51
  • 33. (3) Ignorar a gestão da inovação Por que gerenciar inovação ? Pelo mesmo motivo pelo qual se gerenciam outros ativos (caixa, estoque, RH, etc) • Redução de incertezas nas decisões sobre inovar (ou não) e como fazê-lo • Minimização dos recursos investidos (tempo, gente, R$) • Maximização do retorno (R$) • Melhor estratégia de captação de recursos • Menor custo ponderado do capital
  • 34. Gestão da Inovação Há cada vez mais literatura sobre práticas e ferramentas de gestão da inovação. Mais uma vez, o importante não é a ferramenta, mas a conscientização. (a ordem apresentada não representa preferência) (os exemplos apresentados não representam recomendação)
  • 35. (4) Ter uma estratégia de captação inconsistente ... (ou) CNPq Gestão Recursos Próprios FINEP Capital Produção Mercado Empreendedor FAPEAM SUFRAMA BASA BNDES Fonte A Fonte B Projeto
  • 36. ... Escolher o instrumento errado (considere também o tempo e o custo ponderado do capital)
  • 40. (5) O desrespeito ao tempo Deve haver tempo suficiente para: • conceber o projeto • buscar parcerias (tecnológicas, gerenciais e de mercado) • conciliar as visões das equipes envolvidas Oportunidades de captação • redigir o(s) projeto(s) • revisar o(s) projeto(s) Preferencialmente, apenas as 2 últimas etapas deverão ser deixadas para o momento em que o Edital se torna disponível, pois aí fica mais fácil priorizar na redação do projeto os elementos valorizados no Edital.
  • 41. Tema 4 Redação de projetos : Erros recorrentes
  • 42. Sobre a Parte Descritiva do Projeto Tenha cuidado com a escolha da linguagem adequada e com a construção do texto. Lembre-se que o texto escrito é, muitas vezes, a única forma da qual você dispõe para apresentar o seu projeto. Tenha esmero no uso do idioma, sem ser hermético. Demonstre seu conhecimento técnico, mas considere que o avaliador pode não ter a mesma profundidade que você na tecnologia específica abordada no projeto. Tente usar todo o espaço disponível para o texto, sem ser prolixo.
  • 43. Sobre a Parte Descritiva do Projeto Tenha em mente que o avaliador vai trabalhar estritamente sobre os critérios de avaliação do instrumento. Deixe claramente identificados em seu projeto as partes que servirão para o julgamento de valor do avaliador. Tenha uma frase em seu projeto que seja algo como : “A aderência desta proposta ao objetivo desta chamada pública é caracterizada por ...”
  • 44. Sobre a Parte Descritiva do Projeto É essencial compreender que o projeto é um único documento, dividido em partes que devem apresentar coerência interna. Sendo assim, o objetivo pretendido deve estar espelhado em cada passo do cronograma. O cronograma, por sua vez, deve prever as atividades em sincronia com a disponibilização dos recursos (desembolsos) e assim por diante.
  • 45. Sobre a etapa de pré-qualificação Erros são bastante comuns, decorrentes de desatenção ou de descuidos, especialmente quando a elaboração do projeto se dá de forma apressada: Falta de documentos exigidos na etapa de submissão de propostas Falta de via impressa do projeto ou de assinaturas, quando é exigido o envio de versão impressa Falhas na relação de itens solicitada Preenchimento incorreto ou incompleto do formulário de apresentação de propostas
  • 46. Sobre a etapa de pré-qualificação Descumprimento de prazos Descumprimento de limites mínimo e máximo de valor solicitado de apoio ou aportado como contrapartida Inelegibilidade de membro do consórcio executor Total falta de aderência aos objetivos do instrumento ao qual está concorrendo Caso o seu projeto apresente os erros apontados até aqui, ele será desconsiderado sem ser avaliado. Isso quer dizer que os avaliadores não levarão em conta o mérito da proposta.
  • 47. Sobre a etapa de avaliação de mérito Por mais bem escrito ou nobre que seja seu projeto, ele receberá uma avaliação de mérito severa se não contiver elementos de inovação.
  • 48. Sobre a etapa de avaliação de mérito Falhas na concepção da estrutura do projeto também provocam avaliação de mérito severa. Seu projeto, além de inovador, tem que ser viável enquanto projeto. Falta de clareza quanto aos objetivos e metodologia Mecanismos de coordenação mal definidos Cronograma inadequado Perfil da equipe executora (tanto nos papéis técnicos quanto nos papéis gerenciais) inadequado às demandas do projeto
  • 49. Grato por seu tempo ! Grato por sua atenção ! Alexandre Cabral DPRO – Departamento de Promoção Institucional acabral@finep.gov.br