SlideShare uma empresa Scribd logo
IHC




Antecipação
Objetivos

• Usar uma variedade de técnicas para
  antecipar;
• Entender o papel do cenário na antecipação.
Antecipação

• A antecipação é fundamental para que um
  design centrado no humano seja efetivo, pois
  permite ao design:
   • Ver as coisas a partir da perspectiva de outra
     pessoa;
   • Explorar conceitos e idéias de design com
     outros.
Técnicas de Antecipação

• Para contrução da antecipação exige-se
  técnicas e exitem várias tecnicas.
• O Design deve encontrar as principais técnicas
  baseando-se em características dos projetos.
Processo de Antecipação

1. Examine os requisitos e os cenários;
2. Crie representações das suas idéias de
   design (cenários, storyboards);
3. Se produto é novo experimente metáforas;
4. Sempre que possível explore idéias de design
   com pessoas que usarão o sistema;
5. Se os recursos permitirem, explore e
   documente detalhadamente decisões de
   design;
Processo de Antecipação

6. Reconsidere os requisitos à luz do design que
   está sendo desenvolvido e faça uma análise
   complementar em que falhas nao tenham sido
   descobertas nas informações preliminares;
7. Vale dizer que deve-se fazer análises de
   reclamações (cap 3).
Técnicas Básicas

• Existem técnicas para trazer à vida idéias
  abstratas.
   • Esboço e instantâneos;
  • Storyboards;
  • Mood boards;
  • Mapa navegacional.
Esboços e Instantâneos

• Com esboços uma ideía ou pensamento pode
  ser rapidamente visualizado em algo mais
  concreto.
• Represente as idéias em mapas de conceitos,
  mentais, navagador hiperbólico, arvore de
  cones, fluxogramas, etc..
Esboço Instantâneo
Esboço Instantâneo
Storyboards

• Usar uma estrutura simples no estilo de
  desenho animado, em que momentos-chave
  da experiência interativa são representados.
• Storyboard é útil para representar um cenário
  concreto.
Storyboard
Mood Board

• Reúne-se estímulos visuais que possam captar
  algo de como você se sente sobre o design.
• Uma boa usabilidade desta técnica é permitir
  que o cliente crie o Mood board, isso vai lhe
  dar percepção para a estética provável do
  produto final.
Mapas de Navegação

• Os mapas de navegação enfocam como as
  pessoas se movimentam pelo site ou
  aplicação.
• O objetivo é focalizar na experiência que as
  pessoas terão com a aplicação.
Interação Humano Computador Capítulo 8 - Antecipação
Mapas de Navegação
Protótipo

• Um protótipo é uma representação ou
  implementação concreta, porém parcial, do
  design.
• Protótipos são extensivamente usados na
  maior parte dos domínios de design e
  construção.
Protótipo hi-fi

• Os protótipos hi-fi são semelhantes ao produto
  final esperado, em termos de aparência e
  sensação.
Protótipo hi-fi

• Características:
  • Útil para avaliações detalhadas dos
    principais elementos de design;
  • Constitui um estágio fundamental para
    aceitação do cliente;
  • Desenvolvido quando o projeto já está em
    estágio avançado.
Interação Humano Computador Capítulo 8 - Antecipação
Protótipos lo-fi

• Os protótipos lo-fi (protótipos em papel) tem as
  seguintes características:
  • são mais focados nas idéias amplas e
    fundamentais do design;
  • são feitos para serem produzidos rapidamente e
    descartados com a mesma velocidade;
  • captura facilmente as idéias iniciais do design e
    devem auxiliar o processo de gerar e avaliar muitas
    soluções possíveis.
Protótipos lo-fi
Importância do lo-fi

• Protótipos em papel são amplamente usados
  na prática, uma pesquisa com 172 profissionais
  de usabilidade conduzida em 2002 perguntava
  até que ponto eles consideravam essa técnica
  em seus trabalhos.
Protótipos em Vídeo

• Há mais de vinte anos pesquisadores vem
  destacando o potencial dos vídeos como
  ferramenta no processo de design participativo.
• O método criado por Vertelney (1989) implica a
  criação de uma maqueta física do produto; um
  vídeo, então é feito com um ator interagindo
  com o modelo, como se ele fosse totalmente
  funcional.
Antecipação na prática

• Para colocar o protótipo em uso, os designers
  acompanham as pessoas que usarão o
  sistema final, para fazer com que o protótipo
  'funcione' se ele for uma versão lo-fi.
• Um design pode fazer o papel do computador e
  interagir com o usuário. Tudo deve ser anotado
  e de preferência filmado.
Antecipação na prática

• O design pode levar o usuario pelo cenário e
  propor contextos e entender como o usuário
  interage com o sistema.
• Outra forma é criar um vídeo e demonstrar as
  funcionalidades, ao apresentar pode-se
  entender o usuário.
Trade-offs em prototipação

• A quem o protótipo se destina?
• O que o desinger está tentando conseguir com
  o protótipo?
• Em que estágio o projeto está e qual é o
  contexto para o uso do protótipo?
• Que tecnología (lo-fi ou hi-fi) são adequadas?
Trade-offs em prototipação

• Rosson e Carroll (2002) destacam alguns
  desses tarde-offs:
  • gráfico de alta qualidade e animação podem ser
    usados para criar protótipos convincentes e
    estimulantes, mas podem levar ao compromisso
    prematuro com alguma decisão de design;
  • protótipos detalhados com finalidades específicas
    sobre design, mais construir um protótipo
    significativo para cada problema é caro;
Trade-offs em prototipação

• Protótipos realistas aumentam a validade dos
  dados de teste de usuário, mas podem atrasar os
  testes ou exibir a construção de protótipos
  evolutivos;
• o refinamento interativo de uma implementação
  permite testes e retorno contínuos, mais pode
  desestimular a avaliação de transformações
  radicais.
Apresentando Design

• Apresentar é uma habilidade importantíssima,
  muitas idéias são boas mas se não
  apresentadas de forma correta podem gerar
  conflitos.
• A apresentação do protótipo deve ter o foco do
  ponto do projeto em que está, se é uma
  discussão de idéias logo o protótipo tem que
  ser preparado e apresentado para tal
  discussão.
Referência

• BENYON, David. Interação Humano-
  Computador. 2. ed. São Paulo: Pearson, 2011.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula4 levantamento requisitos
Aula4 levantamento requisitosAula4 levantamento requisitos
Aula4 levantamento requisitos
Computação Depressão
 
Conceitos básicos de usabilidade e acessibilidade
Conceitos básicos de usabilidade e acessibilidadeConceitos básicos de usabilidade e acessibilidade
Conceitos básicos de usabilidade e acessibilidade
Nécio de Lima Veras
 
Interação Homem Computador Aula 02
Interação Homem Computador Aula 02Interação Homem Computador Aula 02
Interação Homem Computador Aula 02
igoroliveiracosta
 
Informática aplicada a educação
Informática aplicada a educaçãoInformática aplicada a educação
Informática aplicada a educação
Naysa Taboada
 
Interação Humano-Computador - Design para Experiência
Interação Humano-Computador - Design para ExperiênciaInteração Humano-Computador - Design para Experiência
Interação Humano-Computador - Design para Experiência
Wellington Oliveira
 
Questões de hardware
Questões de hardwareQuestões de hardware
Questões de hardware
Daniele Costa
 
Aps lista de exercícios
Aps lista de exercíciosAps lista de exercícios
Aps lista de exercícios
Guilherme
 
Sistemas Multimídia - Aula 04 - O Que é Multimídia (Ambientes Multimídia e Pr...
Sistemas Multimídia - Aula 04 - O Que é Multimídia (Ambientes Multimídia e Pr...Sistemas Multimídia - Aula 04 - O Que é Multimídia (Ambientes Multimídia e Pr...
Sistemas Multimídia - Aula 04 - O Que é Multimídia (Ambientes Multimídia e Pr...
Leinylson Fontinele
 
UX UI para Programadores
UX UI para Programadores UX UI para Programadores
UX UI para Programadores
Monica Mesquita
 
Interação Humano Computador Capítulo 11 - Análise de Atividades
Interação Humano Computador Capítulo 11 - Análise de AtividadesInteração Humano Computador Capítulo 11 - Análise de Atividades
Interação Humano Computador Capítulo 11 - Análise de Atividades
Wellington Oliveira
 
Processos de desenvolvimento de software técnicas de 4ª geração
Processos de desenvolvimento de software   técnicas de 4ª geraçãoProcessos de desenvolvimento de software   técnicas de 4ª geração
Processos de desenvolvimento de software técnicas de 4ª geração
Rafael Augusto
 
Aula: Evolução das interfaces
Aula: Evolução das interfacesAula: Evolução das interfaces
Aula: Evolução das interfaces
Janynne Gomes
 
Aula 02.1 - Terminologia da informática e sistemas de informação- os elemento...
Aula 02.1 - Terminologia da informática e sistemas de informação- os elemento...Aula 02.1 - Terminologia da informática e sistemas de informação- os elemento...
Aula 02.1 - Terminologia da informática e sistemas de informação- os elemento...
Messias Batista
 
Desenvolvimento de Sistemas Web - Conceitos Básicos
Desenvolvimento de Sistemas Web - Conceitos BásicosDesenvolvimento de Sistemas Web - Conceitos Básicos
Desenvolvimento de Sistemas Web - Conceitos Básicos
Fabio Moura Pereira
 
Instalação de Servidor de Arquivo
Instalação de Servidor de ArquivoInstalação de Servidor de Arquivo
Instalação de Servidor de Arquivo
Joeldson Costa Damasceno
 
Aula - Acessibilidade na Web
Aula - Acessibilidade na WebAula - Acessibilidade na Web
Aula - Acessibilidade na Web
Humberto Lidio Antonelli
 
1.Introdução Banco de Dados
1.Introdução Banco de Dados1.Introdução Banco de Dados
1.Introdução Banco de Dados
vini_campos
 
Arquitetura da informação
Arquitetura da informaçãoArquitetura da informação
Arquitetura da informação
Cristiane Mendes
 
Mapas de site, Fluxos de Tarefa, Wireframe e Prototipagem
Mapas de site,  Fluxos de Tarefa,  Wireframe e PrototipagemMapas de site,  Fluxos de Tarefa,  Wireframe e Prototipagem
Mapas de site, Fluxos de Tarefa, Wireframe e Prototipagem
Ros Galabo, PhD
 
Usabilidade - Metas, Principios e Heuristicas
Usabilidade -  Metas, Principios e HeuristicasUsabilidade -  Metas, Principios e Heuristicas
Usabilidade - Metas, Principios e Heuristicas
Lidiane Dos Santos Carvalho
 

Mais procurados (20)

Aula4 levantamento requisitos
Aula4 levantamento requisitosAula4 levantamento requisitos
Aula4 levantamento requisitos
 
Conceitos básicos de usabilidade e acessibilidade
Conceitos básicos de usabilidade e acessibilidadeConceitos básicos de usabilidade e acessibilidade
Conceitos básicos de usabilidade e acessibilidade
 
Interação Homem Computador Aula 02
Interação Homem Computador Aula 02Interação Homem Computador Aula 02
Interação Homem Computador Aula 02
 
Informática aplicada a educação
Informática aplicada a educaçãoInformática aplicada a educação
Informática aplicada a educação
 
Interação Humano-Computador - Design para Experiência
Interação Humano-Computador - Design para ExperiênciaInteração Humano-Computador - Design para Experiência
Interação Humano-Computador - Design para Experiência
 
Questões de hardware
Questões de hardwareQuestões de hardware
Questões de hardware
 
Aps lista de exercícios
Aps lista de exercíciosAps lista de exercícios
Aps lista de exercícios
 
Sistemas Multimídia - Aula 04 - O Que é Multimídia (Ambientes Multimídia e Pr...
Sistemas Multimídia - Aula 04 - O Que é Multimídia (Ambientes Multimídia e Pr...Sistemas Multimídia - Aula 04 - O Que é Multimídia (Ambientes Multimídia e Pr...
Sistemas Multimídia - Aula 04 - O Que é Multimídia (Ambientes Multimídia e Pr...
 
UX UI para Programadores
UX UI para Programadores UX UI para Programadores
UX UI para Programadores
 
Interação Humano Computador Capítulo 11 - Análise de Atividades
Interação Humano Computador Capítulo 11 - Análise de AtividadesInteração Humano Computador Capítulo 11 - Análise de Atividades
Interação Humano Computador Capítulo 11 - Análise de Atividades
 
Processos de desenvolvimento de software técnicas de 4ª geração
Processos de desenvolvimento de software   técnicas de 4ª geraçãoProcessos de desenvolvimento de software   técnicas de 4ª geração
Processos de desenvolvimento de software técnicas de 4ª geração
 
Aula: Evolução das interfaces
Aula: Evolução das interfacesAula: Evolução das interfaces
Aula: Evolução das interfaces
 
Aula 02.1 - Terminologia da informática e sistemas de informação- os elemento...
Aula 02.1 - Terminologia da informática e sistemas de informação- os elemento...Aula 02.1 - Terminologia da informática e sistemas de informação- os elemento...
Aula 02.1 - Terminologia da informática e sistemas de informação- os elemento...
 
Desenvolvimento de Sistemas Web - Conceitos Básicos
Desenvolvimento de Sistemas Web - Conceitos BásicosDesenvolvimento de Sistemas Web - Conceitos Básicos
Desenvolvimento de Sistemas Web - Conceitos Básicos
 
Instalação de Servidor de Arquivo
Instalação de Servidor de ArquivoInstalação de Servidor de Arquivo
Instalação de Servidor de Arquivo
 
Aula - Acessibilidade na Web
Aula - Acessibilidade na WebAula - Acessibilidade na Web
Aula - Acessibilidade na Web
 
1.Introdução Banco de Dados
1.Introdução Banco de Dados1.Introdução Banco de Dados
1.Introdução Banco de Dados
 
Arquitetura da informação
Arquitetura da informaçãoArquitetura da informação
Arquitetura da informação
 
Mapas de site, Fluxos de Tarefa, Wireframe e Prototipagem
Mapas de site,  Fluxos de Tarefa,  Wireframe e PrototipagemMapas de site,  Fluxos de Tarefa,  Wireframe e Prototipagem
Mapas de site, Fluxos de Tarefa, Wireframe e Prototipagem
 
Usabilidade - Metas, Principios e Heuristicas
Usabilidade -  Metas, Principios e HeuristicasUsabilidade -  Metas, Principios e Heuristicas
Usabilidade - Metas, Principios e Heuristicas
 

Destaque

IHC - Trabalho de Prototipação - Eduardo Bertolucci e Colegas e Classe - UNOP...
IHC - Trabalho de Prototipação - Eduardo Bertolucci e Colegas e Classe - UNOP...IHC - Trabalho de Prototipação - Eduardo Bertolucci e Colegas e Classe - UNOP...
IHC - Trabalho de Prototipação - Eduardo Bertolucci e Colegas e Classe - UNOP...
Eduardo Bertolucci
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Interface Homem Computador
Interface Homem ComputadorInterface Homem Computador
Interface Homem Computador
Duílio Andrade
 
Design De Interfaces
Design De InterfacesDesign De Interfaces
Design De Interfaces
Bruno Brant
 
Modelo capa
Modelo capaModelo capa
Modelo capa
guestf155a16b
 
Usabilidade 7-8 - Teste de Usabilidade
Usabilidade 7-8 - Teste de UsabilidadeUsabilidade 7-8 - Teste de Usabilidade
Usabilidade 7-8 - Teste de Usabilidade
Marcello Cardoso
 
Como fazer testes de usabilidade
Como fazer testes de usabilidadeComo fazer testes de usabilidade
Como fazer testes de usabilidade
UTFPR
 

Destaque (7)

IHC - Trabalho de Prototipação - Eduardo Bertolucci e Colegas e Classe - UNOP...
IHC - Trabalho de Prototipação - Eduardo Bertolucci e Colegas e Classe - UNOP...IHC - Trabalho de Prototipação - Eduardo Bertolucci e Colegas e Classe - UNOP...
IHC - Trabalho de Prototipação - Eduardo Bertolucci e Colegas e Classe - UNOP...
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
Interface Homem Computador
Interface Homem ComputadorInterface Homem Computador
Interface Homem Computador
 
Design De Interfaces
Design De InterfacesDesign De Interfaces
Design De Interfaces
 
Modelo capa
Modelo capaModelo capa
Modelo capa
 
Usabilidade 7-8 - Teste de Usabilidade
Usabilidade 7-8 - Teste de UsabilidadeUsabilidade 7-8 - Teste de Usabilidade
Usabilidade 7-8 - Teste de Usabilidade
 
Como fazer testes de usabilidade
Como fazer testes de usabilidadeComo fazer testes de usabilidade
Como fazer testes de usabilidade
 

Semelhante a Interação Humano Computador Capítulo 8 - Antecipação

Interação Humano Computador Plataforma Mobile - Wellington Pinto de Oliveira
Interação Humano Computador Plataforma Mobile - Wellington Pinto de OliveiraInteração Humano Computador Plataforma Mobile - Wellington Pinto de Oliveira
Interação Humano Computador Plataforma Mobile - Wellington Pinto de Oliveira
Wellington Oliveira
 
Técnicas de Análise e Design de Interfaces.pptx
Técnicas de Análise e Design de Interfaces.pptxTécnicas de Análise e Design de Interfaces.pptx
Técnicas de Análise e Design de Interfaces.pptx
franmafesoni
 
Design Centrado no Usuário
Design Centrado no UsuárioDesign Centrado no Usuário
Design Centrado no Usuário
Davi Busanello
 
Workshop Design Thinking
Workshop Design ThinkingWorkshop Design Thinking
Workshop Design Thinking
Renato Angelo Poulicer
 
Métodos de Design: Uma abordagem para estudos de viabilidade em projetos de s...
Métodos de Design: Uma abordagem para estudos de viabilidade em projetos de s...Métodos de Design: Uma abordagem para estudos de viabilidade em projetos de s...
Métodos de Design: Uma abordagem para estudos de viabilidade em projetos de s...
Alessandro Lima
 
User Experience Boot Camp
User Experience Boot CampUser Experience Boot Camp
User Experience Boot Camp
UTFPR
 
Prototipe mais, (re)trabalhe menos
Prototipe mais, (re)trabalhe menosPrototipe mais, (re)trabalhe menos
Prototipe mais, (re)trabalhe menos
Carlos Rosemberg
 
Técnicas de Prototipação para Smartphones no Apoio à Avaliação de Interfaces ...
Técnicas de Prototipação para Smartphones no Apoio à Avaliação de Interfaces ...Técnicas de Prototipação para Smartphones no Apoio à Avaliação de Interfaces ...
Técnicas de Prototipação para Smartphones no Apoio à Avaliação de Interfaces ...
Talita Pagani
 
Prototipagem e MVP para startups
Prototipagem e MVP para startupsPrototipagem e MVP para startups
Prototipagem e MVP para startups
Jennifer Payne
 
Prototipagem - Validação de ideias através de Design Thinking
Prototipagem - Validação de ideias através de Design ThinkingPrototipagem - Validação de ideias através de Design Thinking
Prototipagem - Validação de ideias através de Design Thinking
Jefferson Affonso - PMP®, ITIL®, MCTS®, MBA
 
Design Centrado no Usuário
Design Centrado no UsuárioDesign Centrado no Usuário
Design Centrado no Usuário
Guilherme Marques
 
Prototipagem em Papel - Oficina
Prototipagem em Papel - OficinaPrototipagem em Papel - Oficina
Prototipagem em Papel - Oficina
Ltia Unesp
 
Design thinking E-info
Design thinking E-infoDesign thinking E-info
Design thinking E-info
Débora Brauhardt
 
Design Thinking e Desenvolvimento Ágil: Desenvolvimento centrado em pessoas
Design Thinking e Desenvolvimento Ágil: Desenvolvimento centrado em pessoasDesign Thinking e Desenvolvimento Ágil: Desenvolvimento centrado em pessoas
Design Thinking e Desenvolvimento Ágil: Desenvolvimento centrado em pessoas
Bruno Eugênio
 
Agile User Experience
Agile User ExperienceAgile User Experience
Agile User Experience
Lógica Digital
 
Técnica de prototipação - Aula 2
Técnica de prototipação - Aula 2Técnica de prototipação - Aula 2
Técnica de prototipação - Aula 2
Guilherme Torres
 
Processo de Desenvolvimento de Software - Prototipação
Processo de Desenvolvimento de Software - PrototipaçãoProcesso de Desenvolvimento de Software - Prototipação
Processo de Desenvolvimento de Software - Prototipação
Natanael Simões
 
Prototipando a Experiência do Usuário em Vídeo
Prototipando a Experiência do Usuário em VídeoPrototipando a Experiência do Usuário em Vídeo
Prototipando a Experiência do Usuário em Vídeo
Ingrid Castro
 
Prototipação de software
Prototipação de softwarePrototipação de software
Prototipação de software
Marcio Costa
 
Arquitetura de Informação em 7 etapas
Arquitetura de Informação em 7 etapasArquitetura de Informação em 7 etapas
Arquitetura de Informação em 7 etapas
André Silveira
 

Semelhante a Interação Humano Computador Capítulo 8 - Antecipação (20)

Interação Humano Computador Plataforma Mobile - Wellington Pinto de Oliveira
Interação Humano Computador Plataforma Mobile - Wellington Pinto de OliveiraInteração Humano Computador Plataforma Mobile - Wellington Pinto de Oliveira
Interação Humano Computador Plataforma Mobile - Wellington Pinto de Oliveira
 
Técnicas de Análise e Design de Interfaces.pptx
Técnicas de Análise e Design de Interfaces.pptxTécnicas de Análise e Design de Interfaces.pptx
Técnicas de Análise e Design de Interfaces.pptx
 
Design Centrado no Usuário
Design Centrado no UsuárioDesign Centrado no Usuário
Design Centrado no Usuário
 
Workshop Design Thinking
Workshop Design ThinkingWorkshop Design Thinking
Workshop Design Thinking
 
Métodos de Design: Uma abordagem para estudos de viabilidade em projetos de s...
Métodos de Design: Uma abordagem para estudos de viabilidade em projetos de s...Métodos de Design: Uma abordagem para estudos de viabilidade em projetos de s...
Métodos de Design: Uma abordagem para estudos de viabilidade em projetos de s...
 
User Experience Boot Camp
User Experience Boot CampUser Experience Boot Camp
User Experience Boot Camp
 
Prototipe mais, (re)trabalhe menos
Prototipe mais, (re)trabalhe menosPrototipe mais, (re)trabalhe menos
Prototipe mais, (re)trabalhe menos
 
Técnicas de Prototipação para Smartphones no Apoio à Avaliação de Interfaces ...
Técnicas de Prototipação para Smartphones no Apoio à Avaliação de Interfaces ...Técnicas de Prototipação para Smartphones no Apoio à Avaliação de Interfaces ...
Técnicas de Prototipação para Smartphones no Apoio à Avaliação de Interfaces ...
 
Prototipagem e MVP para startups
Prototipagem e MVP para startupsPrototipagem e MVP para startups
Prototipagem e MVP para startups
 
Prototipagem - Validação de ideias através de Design Thinking
Prototipagem - Validação de ideias através de Design ThinkingPrototipagem - Validação de ideias através de Design Thinking
Prototipagem - Validação de ideias através de Design Thinking
 
Design Centrado no Usuário
Design Centrado no UsuárioDesign Centrado no Usuário
Design Centrado no Usuário
 
Prototipagem em Papel - Oficina
Prototipagem em Papel - OficinaPrototipagem em Papel - Oficina
Prototipagem em Papel - Oficina
 
Design thinking E-info
Design thinking E-infoDesign thinking E-info
Design thinking E-info
 
Design Thinking e Desenvolvimento Ágil: Desenvolvimento centrado em pessoas
Design Thinking e Desenvolvimento Ágil: Desenvolvimento centrado em pessoasDesign Thinking e Desenvolvimento Ágil: Desenvolvimento centrado em pessoas
Design Thinking e Desenvolvimento Ágil: Desenvolvimento centrado em pessoas
 
Agile User Experience
Agile User ExperienceAgile User Experience
Agile User Experience
 
Técnica de prototipação - Aula 2
Técnica de prototipação - Aula 2Técnica de prototipação - Aula 2
Técnica de prototipação - Aula 2
 
Processo de Desenvolvimento de Software - Prototipação
Processo de Desenvolvimento de Software - PrototipaçãoProcesso de Desenvolvimento de Software - Prototipação
Processo de Desenvolvimento de Software - Prototipação
 
Prototipando a Experiência do Usuário em Vídeo
Prototipando a Experiência do Usuário em VídeoPrototipando a Experiência do Usuário em Vídeo
Prototipando a Experiência do Usuário em Vídeo
 
Prototipação de software
Prototipação de softwarePrototipação de software
Prototipação de software
 
Arquitetura de Informação em 7 etapas
Arquitetura de Informação em 7 etapasArquitetura de Informação em 7 etapas
Arquitetura de Informação em 7 etapas
 

Mais de Wellington Oliveira

Usuário LInux
Usuário LInuxUsuário LInux
Usuário LInux
Wellington Oliveira
 
Configuração de Interface de Rede no Linux por comandos
Configuração de Interface de Rede no Linux por comandosConfiguração de Interface de Rede no Linux por comandos
Configuração de Interface de Rede no Linux por comandos
Wellington Oliveira
 
CISCO CCNA WANs Prática ACL _ Lista de controle de acesso
CISCO CCNA WANs Prática ACL _ Lista de controle de acessoCISCO CCNA WANs Prática ACL _ Lista de controle de acesso
CISCO CCNA WANs Prática ACL _ Lista de controle de acesso
Wellington Oliveira
 
WANs e Roteadores Cap. 11 - Lista de Controle de Acesso
WANs e Roteadores Cap. 11 - Lista de Controle de AcessoWANs e Roteadores Cap. 11 - Lista de Controle de Acesso
WANs e Roteadores Cap. 11 - Lista de Controle de Acesso
Wellington Oliveira
 
LInux - Iinit e systemd
LInux - Iinit e systemdLInux - Iinit e systemd
LInux - Iinit e systemd
Wellington Oliveira
 
CCNA - Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP
CCNA - Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IPCCNA - Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP
CCNA - Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP
Wellington Oliveira
 
Prática Laboratório CISCO - ACLs
Prática Laboratório CISCO - ACLsPrática Laboratório CISCO - ACLs
Prática Laboratório CISCO - ACLs
Wellington Oliveira
 
Prática Laboratório CISCO - Balanceador
Prática Laboratório CISCO - BalanceadorPrática Laboratório CISCO - Balanceador
Prática Laboratório CISCO - Balanceador
Wellington Oliveira
 
Prática Laboratório CISCO - NAT
Prática Laboratório CISCO - NATPrática Laboratório CISCO - NAT
Prática Laboratório CISCO - NAT
Wellington Oliveira
 
Questões Cisco CCNA Cap 6
Questões Cisco CCNA Cap 6Questões Cisco CCNA Cap 6
Questões Cisco CCNA Cap 6
Wellington Oliveira
 
Método AHP em Processo Decisório
Método AHP em Processo DecisórioMétodo AHP em Processo Decisório
Método AHP em Processo Decisório
Wellington Oliveira
 
Processo Decisório - Introdução
Processo Decisório - IntroduçãoProcesso Decisório - Introdução
Processo Decisório - Introdução
Wellington Oliveira
 
Memória Interna - Arquitetura e Organização de Computadores
Memória Interna - Arquitetura e Organização de ComputadoresMemória Interna - Arquitetura e Organização de Computadores
Memória Interna - Arquitetura e Organização de Computadores
Wellington Oliveira
 
Introdução - Arquitetura e Organização de Computadores
Introdução - Arquitetura e Organização de ComputadoresIntrodução - Arquitetura e Organização de Computadores
Introdução - Arquitetura e Organização de Computadores
Wellington Oliveira
 
Evolução e Desempenho de Computadores - Arquitetura e Organização de Computad...
Evolução e Desempenho de Computadores - Arquitetura e Organização de Computad...Evolução e Desempenho de Computadores - Arquitetura e Organização de Computad...
Evolução e Desempenho de Computadores - Arquitetura e Organização de Computad...
Wellington Oliveira
 
Barramento do Sistema - Arquitetura e Organização de Computadores
Barramento do Sistema - Arquitetura e Organização de ComputadoresBarramento do Sistema - Arquitetura e Organização de Computadores
Barramento do Sistema - Arquitetura e Organização de Computadores
Wellington Oliveira
 
Redes Teórico - Capítulo 02 Tanenbaum
Redes Teórico - Capítulo 02 TanenbaumRedes Teórico - Capítulo 02 Tanenbaum
Redes Teórico - Capítulo 02 Tanenbaum
Wellington Oliveira
 
Lógica e Algoritmos (pseudocódigo e C++) A lógica
Lógica e Algoritmos (pseudocódigo e C++) A lógicaLógica e Algoritmos (pseudocódigo e C++) A lógica
Lógica e Algoritmos (pseudocódigo e C++) A lógica
Wellington Oliveira
 
Sistemas Operacionais Modernos - Gerenciamento de Memória
Sistemas Operacionais Modernos - Gerenciamento de MemóriaSistemas Operacionais Modernos - Gerenciamento de Memória
Sistemas Operacionais Modernos - Gerenciamento de Memória
Wellington Oliveira
 
Sistemas Operacionais Modernos Capítulo 3 Deadlock
Sistemas Operacionais Modernos Capítulo 3 DeadlockSistemas Operacionais Modernos Capítulo 3 Deadlock
Sistemas Operacionais Modernos Capítulo 3 Deadlock
Wellington Oliveira
 

Mais de Wellington Oliveira (20)

Usuário LInux
Usuário LInuxUsuário LInux
Usuário LInux
 
Configuração de Interface de Rede no Linux por comandos
Configuração de Interface de Rede no Linux por comandosConfiguração de Interface de Rede no Linux por comandos
Configuração de Interface de Rede no Linux por comandos
 
CISCO CCNA WANs Prática ACL _ Lista de controle de acesso
CISCO CCNA WANs Prática ACL _ Lista de controle de acessoCISCO CCNA WANs Prática ACL _ Lista de controle de acesso
CISCO CCNA WANs Prática ACL _ Lista de controle de acesso
 
WANs e Roteadores Cap. 11 - Lista de Controle de Acesso
WANs e Roteadores Cap. 11 - Lista de Controle de AcessoWANs e Roteadores Cap. 11 - Lista de Controle de Acesso
WANs e Roteadores Cap. 11 - Lista de Controle de Acesso
 
LInux - Iinit e systemd
LInux - Iinit e systemdLInux - Iinit e systemd
LInux - Iinit e systemd
 
CCNA - Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP
CCNA - Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IPCCNA - Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP
CCNA - Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP
 
Prática Laboratório CISCO - ACLs
Prática Laboratório CISCO - ACLsPrática Laboratório CISCO - ACLs
Prática Laboratório CISCO - ACLs
 
Prática Laboratório CISCO - Balanceador
Prática Laboratório CISCO - BalanceadorPrática Laboratório CISCO - Balanceador
Prática Laboratório CISCO - Balanceador
 
Prática Laboratório CISCO - NAT
Prática Laboratório CISCO - NATPrática Laboratório CISCO - NAT
Prática Laboratório CISCO - NAT
 
Questões Cisco CCNA Cap 6
Questões Cisco CCNA Cap 6Questões Cisco CCNA Cap 6
Questões Cisco CCNA Cap 6
 
Método AHP em Processo Decisório
Método AHP em Processo DecisórioMétodo AHP em Processo Decisório
Método AHP em Processo Decisório
 
Processo Decisório - Introdução
Processo Decisório - IntroduçãoProcesso Decisório - Introdução
Processo Decisório - Introdução
 
Memória Interna - Arquitetura e Organização de Computadores
Memória Interna - Arquitetura e Organização de ComputadoresMemória Interna - Arquitetura e Organização de Computadores
Memória Interna - Arquitetura e Organização de Computadores
 
Introdução - Arquitetura e Organização de Computadores
Introdução - Arquitetura e Organização de ComputadoresIntrodução - Arquitetura e Organização de Computadores
Introdução - Arquitetura e Organização de Computadores
 
Evolução e Desempenho de Computadores - Arquitetura e Organização de Computad...
Evolução e Desempenho de Computadores - Arquitetura e Organização de Computad...Evolução e Desempenho de Computadores - Arquitetura e Organização de Computad...
Evolução e Desempenho de Computadores - Arquitetura e Organização de Computad...
 
Barramento do Sistema - Arquitetura e Organização de Computadores
Barramento do Sistema - Arquitetura e Organização de ComputadoresBarramento do Sistema - Arquitetura e Organização de Computadores
Barramento do Sistema - Arquitetura e Organização de Computadores
 
Redes Teórico - Capítulo 02 Tanenbaum
Redes Teórico - Capítulo 02 TanenbaumRedes Teórico - Capítulo 02 Tanenbaum
Redes Teórico - Capítulo 02 Tanenbaum
 
Lógica e Algoritmos (pseudocódigo e C++) A lógica
Lógica e Algoritmos (pseudocódigo e C++) A lógicaLógica e Algoritmos (pseudocódigo e C++) A lógica
Lógica e Algoritmos (pseudocódigo e C++) A lógica
 
Sistemas Operacionais Modernos - Gerenciamento de Memória
Sistemas Operacionais Modernos - Gerenciamento de MemóriaSistemas Operacionais Modernos - Gerenciamento de Memória
Sistemas Operacionais Modernos - Gerenciamento de Memória
 
Sistemas Operacionais Modernos Capítulo 3 Deadlock
Sistemas Operacionais Modernos Capítulo 3 DeadlockSistemas Operacionais Modernos Capítulo 3 Deadlock
Sistemas Operacionais Modernos Capítulo 3 Deadlock
 

Último

PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
EsterGabriiela1
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsxGuerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
responder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdfresponder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdf
marcos oliveira
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 

Último (20)

PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsxGuerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
responder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdfresponder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdf
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 

Interação Humano Computador Capítulo 8 - Antecipação

  • 2. Objetivos • Usar uma variedade de técnicas para antecipar; • Entender o papel do cenário na antecipação.
  • 3. Antecipação • A antecipação é fundamental para que um design centrado no humano seja efetivo, pois permite ao design: • Ver as coisas a partir da perspectiva de outra pessoa; • Explorar conceitos e idéias de design com outros.
  • 4. Técnicas de Antecipação • Para contrução da antecipação exige-se técnicas e exitem várias tecnicas. • O Design deve encontrar as principais técnicas baseando-se em características dos projetos.
  • 5. Processo de Antecipação 1. Examine os requisitos e os cenários; 2. Crie representações das suas idéias de design (cenários, storyboards); 3. Se produto é novo experimente metáforas; 4. Sempre que possível explore idéias de design com pessoas que usarão o sistema; 5. Se os recursos permitirem, explore e documente detalhadamente decisões de design;
  • 6. Processo de Antecipação 6. Reconsidere os requisitos à luz do design que está sendo desenvolvido e faça uma análise complementar em que falhas nao tenham sido descobertas nas informações preliminares; 7. Vale dizer que deve-se fazer análises de reclamações (cap 3).
  • 7. Técnicas Básicas • Existem técnicas para trazer à vida idéias abstratas. • Esboço e instantâneos; • Storyboards; • Mood boards; • Mapa navegacional.
  • 8. Esboços e Instantâneos • Com esboços uma ideía ou pensamento pode ser rapidamente visualizado em algo mais concreto. • Represente as idéias em mapas de conceitos, mentais, navagador hiperbólico, arvore de cones, fluxogramas, etc..
  • 11. Storyboards • Usar uma estrutura simples no estilo de desenho animado, em que momentos-chave da experiência interativa são representados. • Storyboard é útil para representar um cenário concreto.
  • 13. Mood Board • Reúne-se estímulos visuais que possam captar algo de como você se sente sobre o design. • Uma boa usabilidade desta técnica é permitir que o cliente crie o Mood board, isso vai lhe dar percepção para a estética provável do produto final.
  • 14. Mapas de Navegação • Os mapas de navegação enfocam como as pessoas se movimentam pelo site ou aplicação. • O objetivo é focalizar na experiência que as pessoas terão com a aplicação.
  • 17. Protótipo • Um protótipo é uma representação ou implementação concreta, porém parcial, do design. • Protótipos são extensivamente usados na maior parte dos domínios de design e construção.
  • 18. Protótipo hi-fi • Os protótipos hi-fi são semelhantes ao produto final esperado, em termos de aparência e sensação.
  • 19. Protótipo hi-fi • Características: • Útil para avaliações detalhadas dos principais elementos de design; • Constitui um estágio fundamental para aceitação do cliente; • Desenvolvido quando o projeto já está em estágio avançado.
  • 21. Protótipos lo-fi • Os protótipos lo-fi (protótipos em papel) tem as seguintes características: • são mais focados nas idéias amplas e fundamentais do design; • são feitos para serem produzidos rapidamente e descartados com a mesma velocidade; • captura facilmente as idéias iniciais do design e devem auxiliar o processo de gerar e avaliar muitas soluções possíveis.
  • 23. Importância do lo-fi • Protótipos em papel são amplamente usados na prática, uma pesquisa com 172 profissionais de usabilidade conduzida em 2002 perguntava até que ponto eles consideravam essa técnica em seus trabalhos.
  • 24. Protótipos em Vídeo • Há mais de vinte anos pesquisadores vem destacando o potencial dos vídeos como ferramenta no processo de design participativo. • O método criado por Vertelney (1989) implica a criação de uma maqueta física do produto; um vídeo, então é feito com um ator interagindo com o modelo, como se ele fosse totalmente funcional.
  • 25. Antecipação na prática • Para colocar o protótipo em uso, os designers acompanham as pessoas que usarão o sistema final, para fazer com que o protótipo 'funcione' se ele for uma versão lo-fi. • Um design pode fazer o papel do computador e interagir com o usuário. Tudo deve ser anotado e de preferência filmado.
  • 26. Antecipação na prática • O design pode levar o usuario pelo cenário e propor contextos e entender como o usuário interage com o sistema. • Outra forma é criar um vídeo e demonstrar as funcionalidades, ao apresentar pode-se entender o usuário.
  • 27. Trade-offs em prototipação • A quem o protótipo se destina? • O que o desinger está tentando conseguir com o protótipo? • Em que estágio o projeto está e qual é o contexto para o uso do protótipo? • Que tecnología (lo-fi ou hi-fi) são adequadas?
  • 28. Trade-offs em prototipação • Rosson e Carroll (2002) destacam alguns desses tarde-offs: • gráfico de alta qualidade e animação podem ser usados para criar protótipos convincentes e estimulantes, mas podem levar ao compromisso prematuro com alguma decisão de design; • protótipos detalhados com finalidades específicas sobre design, mais construir um protótipo significativo para cada problema é caro;
  • 29. Trade-offs em prototipação • Protótipos realistas aumentam a validade dos dados de teste de usuário, mas podem atrasar os testes ou exibir a construção de protótipos evolutivos; • o refinamento interativo de uma implementação permite testes e retorno contínuos, mais pode desestimular a avaliação de transformações radicais.
  • 30. Apresentando Design • Apresentar é uma habilidade importantíssima, muitas idéias são boas mas se não apresentadas de forma correta podem gerar conflitos. • A apresentação do protótipo deve ter o foco do ponto do projeto em que está, se é uma discussão de idéias logo o protótipo tem que ser preparado e apresentado para tal discussão.
  • 31. Referência • BENYON, David. Interação Humano- Computador. 2. ed. São Paulo: Pearson, 2011.