SlideShare uma empresa Scribd logo
PROVA CISCO
ADS
CAPÍTULO 6 CISCO
Professor: Wellington Pinto de Oliveira
1
PROVA CISCO CAP 6
1 Analise a imagem. Qual prefixo de rede trabalhará com o esquema de endereçamento IP exibido na
imagem.
a) /24
b) /16
c) /20
d) /27
e) /25
f) /28
2 Quais endereços de sub-rede IPv4 representam endereços de host válidos? (Escolha três.)
a) 172.16.4.127 /26
b) 172.16.4.155 /26
c) 172.16.4.193 /26
d) 172.16.4.95 /27
e) 172.16.4.159 /27
f) 172.16.4.207 /27
3 Quais sentenças são verdadeiras sobre endereçamento IP? (Escolha duas.)
a) NAT traduz endereços públicos para endereços privados destinados à Internet.
b) Somente uma empresa tem permissão para usar um endereço de rede privado.
c) Endereços privados são bloqueados na Internet pelo roteador.
d) A rede 172.32.0.0 é parte dos endereços privados.
e) O endereço IP 127.0.0.1 pode ser usado por um host para direcionar o tráfego para si mesmo.
4 Quais processos os roteadores usam para determinar o endereço de rede de sub-rede, baseando-se em
um dado endereço IP e máscara de sub-rede?
a) soma binária
b) processo de AND hexadecimal
c) divisão binária
d) multiplicação binária
e) processo de AND binário
5 Analise a imagem. O Host A está conectado à LAN, mas não obtem acesso a quaisquer recursos na
Internet. A configuração do host é exibida na imagem. Qual seria a causa do problema?
PROVA CISCO
ADS
CAPÍTULO 6 CISCO
Professor: Wellington Pinto de Oliveira
2
a) A máscara de sub-rede do host está incorreta.
b) O gateway padrão é um endereço de rede.
c) O gateway padrão é o endereço de broadcast.
d) O gateway padrão está em uma sub-rede diferente do host.
6 Qual mascara de sub-rede um administrador de rede atribuiria ao endereço de rede 172.30.1.0 se fosse
possível ter até 254 hosts?
a) 255.255.0.0
b) 255.255.255.0
c) 255.255.254.0
d) 255.255.248.0
7 Quais endereços IP são privados? (Escolha três.)
a) 172.168.33.1
b) 10.35.66.70
c) 192.168.99.5
d) 172.18.88.90
e) 192.33.55.89
f) 172.35.16.5
7 Quais endereços IP são privados? (Escolha três.)
a) 172.168.33.1
b) 10.35.66.70
c) 192.168.99.5
d) 172.18.88.90
e) 192.33.55.89
f) 172.35.16.5
8 Dado o endereço IP e máscara de sub-rede 172.16.134.64 255.255.255.224, qual dos seguintes
descreveria este endereço?
a) Este é um endereço de host.
b) Este é um endereço de broadcast.
c) Este é um endereço de rede.
d) Este não é um endereço válido.
9 Uma interface de roteador recebeu o endereço IP 172.16.192.166 com a máscara 255.255.255.248. A
qual sub-rede o endereço IP pertence?
a) 172.16.0.0
b) 172.16.192.0
c) 172.16.192.128
d) 172.16.192.160
e) 172.16.192.168
PROVA CISCO
ADS
CAPÍTULO 6 CISCO
Professor: Wellington Pinto de Oliveira
3
f) 172.16.192.176
10 Analise a imagem. O administrador de rede atribuiu às redes interconectadas em LBMISS o intervalo de
endereço 192.168.10.0. Esse intervalo de endereços foi subdividido usando a mascára /29. Visando
atender o novo prédio, o técnico decidiu usar a quinta sub-rede para configurar a nova rede (a sub-rede
zero é a primeira). Por políticas da empresa, a interface do roteador sempre recebe o primeiro endereço de
host válido e o servidor recebe o último endereço. Qual configuração poderia ser usada no servidor para
permitir sua conectividade à rede?
a) Endereço de IP: 192.168.10.38 máscara de sub-rede: 255.255.255.240 gateway padrão:
192.168.10.39
b) Endereço de IP: 192.168.10.38 máscara de sub-rede: 255.255.255.240 gateway padrão:
192.168.10.33
c) Endereço de IP: 192.168.10.38 máscara de sub-rede: 255.255.255.248 gateway padrão:
192.168.10.33
d) Endereço de IP: 192.168.10.39 máscara de sub-rede: 255.255.255.248 gateway padrão:
192.168.10.31
e) Endereço de IP: 192.168.10.254 máscara de sub-rede: 255.255.255.0 gateway padrão:
192.168.10.1
11 A quais dos seguintes dispositivos de rede devem ser associados endereços IP estáticos? (Escolha
três.)
a) estações de trabalho de rede local
b) servidores
c) impressoras da rede
d) roteadores
e) estações de trabalho remotas
f) laptops
12 Quais dos seguintes são características do IPv6? (Escolha três.)
a) maior espaço de endereço
b) protocolos de roteamento mais rápidos
c) tipos de dados e classes de serviço
d) autenticação e criptografia
e) convenções de nomes de host melhoradas
f) mesmo esquema de endereçamento que o IPv4
13 Qual foi o principal motivo para o desenvolvimento do IPv6?
a) segurança
b) simplificação do formato do cabeçalho
c) capacidades de endereçamento expandidas
d) simplificação do endereçamento
14 O que acontecerá se um roteador receber um pacote ICMP que tem um valor TTL igual a 1 e o host de
destino estiver a vários saltos de distância? (Escolha duas.)
a) O roteador descartará o pacote.
PROVA CISCO
ADS
CAPÍTULO 6 CISCO
Professor: Wellington Pinto de Oliveira
4
b) O roteador decrementará o valor TTL e encaminhará o pacote ao próximo roteador no caminho do
host de destino.
c) O roteador enviará uma mensagem de tempo excedido ao host de origem.
d) O roteador incrementará o valor TTL e encaminhará o pacote ao próximo roteador no caminho do
host de destino.
e) O roteador enviará uma mensagem de redirecionamento ICMP ao host de origem.
15 Analise a imagem. Um administrador de rede descobre que o host A está tendo problemas com a
conectividade à Internet, mas o cluster de servidores possui total conectividade. Além disso, o host A
possui total conectividade ao cluster de servidores. Qual é uma causa possível deste problema?
a) O roteador possui um gateway incorreto.
b) O Host A possui um endereço de rede já atribuído (overlapping).
c) O Host A possui um gateway padrão configurado incorretamente.
d) O Host A possui uma máscara de sub-rede incorreta.
e) O NAT é requerido para a rede do host A.
16 Quais das sentenças são verdadeiras sobre a porção de rede de um endereço IPv4? (Escolha três.)
a) identifica um dispositivo individual
b) é idêntica para todos os hosts em um domínio de broadcast
c) é alterada à medida que o pacote é enviado
d) varia em tamanho
e) é usada para enviar pacotes
f) usa endereçamento básico
17 Como é chamado um grupo de hosts que possui padrões idênticos nos bits mais significativos de seus
endereços?
a) uma internet
b) uma rede
c) um octeto
d) um radix
18 Qual é o endereço de rede do host 172.25.67.99 /23 em binário?
a) 10101100. 00011001.01000011.00000000
b) 10101100. 00011001.01000011.11111111
c) 10101100. 00011001.01000010.00000000
d) 10101100. 00011001.01000010.01100011
e) 10101100. 00010001.01000011. 01100010
f) 10101100. 00011001.00000000.00000000

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

OSPF External Route Summarization
OSPF External Route Summarization OSPF External Route Summarization
OSPF External Route Summarization
NetProtocol Xpert
 
PROJETO DE REDE
PROJETO DE REDEPROJETO DE REDE
PROJETO DE REDE
WELLINGTON MARTINS
 
WANs e Roteadores Cap. 1 - CCNA 3.1 Wellington Pinto de Oliveira
WANs e Roteadores Cap. 1 - CCNA 3.1 Wellington Pinto de OliveiraWANs e Roteadores Cap. 1 - CCNA 3.1 Wellington Pinto de Oliveira
WANs e Roteadores Cap. 1 - CCNA 3.1 Wellington Pinto de Oliveira
Wellington Oliveira
 
Apresentação sobre Zabbix na iDEZ 2012
Apresentação sobre Zabbix na iDEZ 2012Apresentação sobre Zabbix na iDEZ 2012
Apresentação sobre Zabbix na iDEZ 2012
Aécio Pires
 
Analista de Segurança em Redes.pdf
Analista de Segurança em Redes.pdfAnalista de Segurança em Redes.pdf
Analista de Segurança em Redes.pdf
Os Fantasmas !
 
Deploying Carrier Ethernet features on ASR 9000
Deploying Carrier Ethernet features on ASR 9000Deploying Carrier Ethernet features on ASR 9000
Deploying Carrier Ethernet features on ASR 9000
Vinod Kumar Balasubramanyam
 
Endereçamento IPV4
Endereçamento IPV4Endereçamento IPV4
Projeto de rede lan house - tópicos
Projeto de rede lan house -  tópicosProjeto de rede lan house -  tópicos
Projeto de rede lan house - tópicos
Carlos Veiga
 
Topologias de rede
Topologias de redeTopologias de rede
Topologias de rede
Susana Oliveira
 
Nat pat
Nat patNat pat
Redes 6 equipamentos ativos da rede
Redes 6 equipamentos ativos da redeRedes 6 equipamentos ativos da rede
Redes 6 equipamentos ativos da rede
Mauro Pereira
 
BGP - Border Gateway Protocol v3.0
BGP - Border Gateway Protocol v3.0BGP - Border Gateway Protocol v3.0
BGP - Border Gateway Protocol v3.0
Gianpietro Lavado
 
Serviços de Redes.pdf
Serviços de Redes.pdfServiços de Redes.pdf
Serviços de Redes.pdf
Os Fantasmas !
 
CCNA - Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP
CCNA - Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IPCCNA - Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP
CCNA - Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP
Wellington Oliveira
 
Projeto de redes
Projeto de redesProjeto de redes
Projeto de redes
Marilene de Melo
 
Atividade acl extendida
Atividade acl extendidaAtividade acl extendida
Atividade acl extendida
Arlimar Jacinto
 
Monitoramento rede
Monitoramento redeMonitoramento rede
Monitoramento rede
André Déo
 
Chapter 17 : static routing
Chapter 17 : static routingChapter 17 : static routing
Chapter 17 : static routing
teknetir
 
Cisco CCNP Data Center
Cisco CCNP Data CenterCisco CCNP Data Center
Cisco CCNP Data Center
E.S.G. JR. Consulting, Inc.
 
Protocolo TCP/IP
Protocolo TCP/IPProtocolo TCP/IP
Protocolo TCP/IP
Fernando Costa
 

Mais procurados (20)

OSPF External Route Summarization
OSPF External Route Summarization OSPF External Route Summarization
OSPF External Route Summarization
 
PROJETO DE REDE
PROJETO DE REDEPROJETO DE REDE
PROJETO DE REDE
 
WANs e Roteadores Cap. 1 - CCNA 3.1 Wellington Pinto de Oliveira
WANs e Roteadores Cap. 1 - CCNA 3.1 Wellington Pinto de OliveiraWANs e Roteadores Cap. 1 - CCNA 3.1 Wellington Pinto de Oliveira
WANs e Roteadores Cap. 1 - CCNA 3.1 Wellington Pinto de Oliveira
 
Apresentação sobre Zabbix na iDEZ 2012
Apresentação sobre Zabbix na iDEZ 2012Apresentação sobre Zabbix na iDEZ 2012
Apresentação sobre Zabbix na iDEZ 2012
 
Analista de Segurança em Redes.pdf
Analista de Segurança em Redes.pdfAnalista de Segurança em Redes.pdf
Analista de Segurança em Redes.pdf
 
Deploying Carrier Ethernet features on ASR 9000
Deploying Carrier Ethernet features on ASR 9000Deploying Carrier Ethernet features on ASR 9000
Deploying Carrier Ethernet features on ASR 9000
 
Endereçamento IPV4
Endereçamento IPV4Endereçamento IPV4
Endereçamento IPV4
 
Projeto de rede lan house - tópicos
Projeto de rede lan house -  tópicosProjeto de rede lan house -  tópicos
Projeto de rede lan house - tópicos
 
Topologias de rede
Topologias de redeTopologias de rede
Topologias de rede
 
Nat pat
Nat patNat pat
Nat pat
 
Redes 6 equipamentos ativos da rede
Redes 6 equipamentos ativos da redeRedes 6 equipamentos ativos da rede
Redes 6 equipamentos ativos da rede
 
BGP - Border Gateway Protocol v3.0
BGP - Border Gateway Protocol v3.0BGP - Border Gateway Protocol v3.0
BGP - Border Gateway Protocol v3.0
 
Serviços de Redes.pdf
Serviços de Redes.pdfServiços de Redes.pdf
Serviços de Redes.pdf
 
CCNA - Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP
CCNA - Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IPCCNA - Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP
CCNA - Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP
 
Projeto de redes
Projeto de redesProjeto de redes
Projeto de redes
 
Atividade acl extendida
Atividade acl extendidaAtividade acl extendida
Atividade acl extendida
 
Monitoramento rede
Monitoramento redeMonitoramento rede
Monitoramento rede
 
Chapter 17 : static routing
Chapter 17 : static routingChapter 17 : static routing
Chapter 17 : static routing
 
Cisco CCNP Data Center
Cisco CCNP Data CenterCisco CCNP Data Center
Cisco CCNP Data Center
 
Protocolo TCP/IP
Protocolo TCP/IPProtocolo TCP/IP
Protocolo TCP/IP
 

Semelhante a Questões Cisco CCNA Cap 6

Atividade fundamentos-de-redes
Atividade fundamentos-de-redesAtividade fundamentos-de-redes
Atividade fundamentos-de-redes
Arlimar Jacinto
 
Cap.3 roteamento ip
Cap.3 roteamento ipCap.3 roteamento ip
Cap.3 roteamento ip
Portal_do_Estudante_Redes
 
Cap.3 endere%e7amento ip
Cap.3  endere%e7amento ipCap.3  endere%e7amento ip
Cap.3 endere%e7amento ip
Portal_do_Estudante_Redes
 
Enderecamento IP - sub-redes v1.1 com sumarizacao.pdf
Enderecamento IP - sub-redes v1.1 com sumarizacao.pdfEnderecamento IP - sub-redes v1.1 com sumarizacao.pdf
Enderecamento IP - sub-redes v1.1 com sumarizacao.pdf
Agostinho9
 
Endereços de rede i pv4
Endereços de rede i pv4Endereços de rede i pv4
Endereços de rede i pv4
Luciano Rodrigues da Silva
 
Enderecamento Ip
Enderecamento IpEnderecamento Ip
Enderecamento Ip
lol
 
TcpiP
TcpiPTcpiP
Subnetting
SubnettingSubnetting
Subnetting
escolaporto
 
Subnetting
SubnettingSubnetting
Subnetting
redesteste
 
Enderecamento ip
Enderecamento ipEnderecamento ip
Enderecamento ip
redesteste
 
Enderecamento ip
Enderecamento ipEnderecamento ip
Enderecamento ip
escolaporto
 
Rct 17 - camada de rede - endereçamento ip
Rct   17 - camada de rede - endereçamento ipRct   17 - camada de rede - endereçamento ip
Rct 17 - camada de rede - endereçamento ip
Universal.org.mx
 
Endereço IP 1A REDES
Endereço IP 1A REDESEndereço IP 1A REDES
Endereço IP 1A REDES
Mateus Cardoso
 
Endereçamento IP.pptx
Endereçamento IP.pptxEndereçamento IP.pptx
Endereçamento IP.pptx
JeanCarlos536293
 
Ficha de trabalho_5
Ficha de trabalho_5Ficha de trabalho_5
Ficha de trabalho_5
JessicaDuarteAgostinho
 
Apostila enderecos ip rede
Apostila enderecos ip redeApostila enderecos ip rede
Apostila enderecos ip rede
Claudeci Aparecido da Silva
 
Apostila sub-redes
Apostila   sub-redesApostila   sub-redes
Apostila sub-redes
redesinforma
 
3. apostila sub-redes
3. apostila   sub-redes3. apostila   sub-redes
3. apostila sub-redes
Clebio Salarolli
 
Endereçamento IP - Uma abordagem inicial
Endereçamento IP - Uma abordagem inicialEndereçamento IP - Uma abordagem inicial
Endereçamento IP - Uma abordagem inicial
Fellipe Castro
 
Máscaras de sub
Máscaras de subMáscaras de sub
Máscaras de sub
Geomar matias
 

Semelhante a Questões Cisco CCNA Cap 6 (20)

Atividade fundamentos-de-redes
Atividade fundamentos-de-redesAtividade fundamentos-de-redes
Atividade fundamentos-de-redes
 
Cap.3 roteamento ip
Cap.3 roteamento ipCap.3 roteamento ip
Cap.3 roteamento ip
 
Cap.3 endere%e7amento ip
Cap.3  endere%e7amento ipCap.3  endere%e7amento ip
Cap.3 endere%e7amento ip
 
Enderecamento IP - sub-redes v1.1 com sumarizacao.pdf
Enderecamento IP - sub-redes v1.1 com sumarizacao.pdfEnderecamento IP - sub-redes v1.1 com sumarizacao.pdf
Enderecamento IP - sub-redes v1.1 com sumarizacao.pdf
 
Endereços de rede i pv4
Endereços de rede i pv4Endereços de rede i pv4
Endereços de rede i pv4
 
Enderecamento Ip
Enderecamento IpEnderecamento Ip
Enderecamento Ip
 
TcpiP
TcpiPTcpiP
TcpiP
 
Subnetting
SubnettingSubnetting
Subnetting
 
Subnetting
SubnettingSubnetting
Subnetting
 
Enderecamento ip
Enderecamento ipEnderecamento ip
Enderecamento ip
 
Enderecamento ip
Enderecamento ipEnderecamento ip
Enderecamento ip
 
Rct 17 - camada de rede - endereçamento ip
Rct   17 - camada de rede - endereçamento ipRct   17 - camada de rede - endereçamento ip
Rct 17 - camada de rede - endereçamento ip
 
Endereço IP 1A REDES
Endereço IP 1A REDESEndereço IP 1A REDES
Endereço IP 1A REDES
 
Endereçamento IP.pptx
Endereçamento IP.pptxEndereçamento IP.pptx
Endereçamento IP.pptx
 
Ficha de trabalho_5
Ficha de trabalho_5Ficha de trabalho_5
Ficha de trabalho_5
 
Apostila enderecos ip rede
Apostila enderecos ip redeApostila enderecos ip rede
Apostila enderecos ip rede
 
Apostila sub-redes
Apostila   sub-redesApostila   sub-redes
Apostila sub-redes
 
3. apostila sub-redes
3. apostila   sub-redes3. apostila   sub-redes
3. apostila sub-redes
 
Endereçamento IP - Uma abordagem inicial
Endereçamento IP - Uma abordagem inicialEndereçamento IP - Uma abordagem inicial
Endereçamento IP - Uma abordagem inicial
 
Máscaras de sub
Máscaras de subMáscaras de sub
Máscaras de sub
 

Mais de Wellington Oliveira

Usuário LInux
Usuário LInuxUsuário LInux
Usuário LInux
Wellington Oliveira
 
Configuração de Interface de Rede no Linux por comandos
Configuração de Interface de Rede no Linux por comandosConfiguração de Interface de Rede no Linux por comandos
Configuração de Interface de Rede no Linux por comandos
Wellington Oliveira
 
CISCO CCNA WANs Prática ACL _ Lista de controle de acesso
CISCO CCNA WANs Prática ACL _ Lista de controle de acessoCISCO CCNA WANs Prática ACL _ Lista de controle de acesso
CISCO CCNA WANs Prática ACL _ Lista de controle de acesso
Wellington Oliveira
 
WANs e Roteadores Cap. 11 - Lista de Controle de Acesso
WANs e Roteadores Cap. 11 - Lista de Controle de AcessoWANs e Roteadores Cap. 11 - Lista de Controle de Acesso
WANs e Roteadores Cap. 11 - Lista de Controle de Acesso
Wellington Oliveira
 
LInux - Iinit e systemd
LInux - Iinit e systemdLInux - Iinit e systemd
LInux - Iinit e systemd
Wellington Oliveira
 
Prática Laboratório CISCO - Balanceador
Prática Laboratório CISCO - BalanceadorPrática Laboratório CISCO - Balanceador
Prática Laboratório CISCO - Balanceador
Wellington Oliveira
 
Método AHP em Processo Decisório
Método AHP em Processo DecisórioMétodo AHP em Processo Decisório
Método AHP em Processo Decisório
Wellington Oliveira
 
Processo Decisório - Introdução
Processo Decisório - IntroduçãoProcesso Decisório - Introdução
Processo Decisório - Introdução
Wellington Oliveira
 
Memória Interna - Arquitetura e Organização de Computadores
Memória Interna - Arquitetura e Organização de ComputadoresMemória Interna - Arquitetura e Organização de Computadores
Memória Interna - Arquitetura e Organização de Computadores
Wellington Oliveira
 
Introdução - Arquitetura e Organização de Computadores
Introdução - Arquitetura e Organização de ComputadoresIntrodução - Arquitetura e Organização de Computadores
Introdução - Arquitetura e Organização de Computadores
Wellington Oliveira
 
Evolução e Desempenho de Computadores - Arquitetura e Organização de Computad...
Evolução e Desempenho de Computadores - Arquitetura e Organização de Computad...Evolução e Desempenho de Computadores - Arquitetura e Organização de Computad...
Evolução e Desempenho de Computadores - Arquitetura e Organização de Computad...
Wellington Oliveira
 
Barramento do Sistema - Arquitetura e Organização de Computadores
Barramento do Sistema - Arquitetura e Organização de ComputadoresBarramento do Sistema - Arquitetura e Organização de Computadores
Barramento do Sistema - Arquitetura e Organização de Computadores
Wellington Oliveira
 
Redes Teórico - Capítulo 02 Tanenbaum
Redes Teórico - Capítulo 02 TanenbaumRedes Teórico - Capítulo 02 Tanenbaum
Redes Teórico - Capítulo 02 Tanenbaum
Wellington Oliveira
 
Lógica e Algoritmos (pseudocódigo e C++) A lógica
Lógica e Algoritmos (pseudocódigo e C++) A lógicaLógica e Algoritmos (pseudocódigo e C++) A lógica
Lógica e Algoritmos (pseudocódigo e C++) A lógica
Wellington Oliveira
 
Sistemas Operacionais Modernos - Gerenciamento de Memória
Sistemas Operacionais Modernos - Gerenciamento de MemóriaSistemas Operacionais Modernos - Gerenciamento de Memória
Sistemas Operacionais Modernos - Gerenciamento de Memória
Wellington Oliveira
 
Sistemas Operacionais Modernos Capítulo 3 Deadlock
Sistemas Operacionais Modernos Capítulo 3 DeadlockSistemas Operacionais Modernos Capítulo 3 Deadlock
Sistemas Operacionais Modernos Capítulo 3 Deadlock
Wellington Oliveira
 
Sistemas Operacionais Processos e Threads - Wellington Pinto de Oliveira
Sistemas Operacionais Processos e Threads - Wellington Pinto de OliveiraSistemas Operacionais Processos e Threads - Wellington Pinto de Oliveira
Sistemas Operacionais Processos e Threads - Wellington Pinto de Oliveira
Wellington Oliveira
 
Introdução ao PHP Parte 1
Introdução ao PHP Parte 1Introdução ao PHP Parte 1
Introdução ao PHP Parte 1
Wellington Oliveira
 
Introdução ao PHP Parte 2
Introdução ao PHP Parte 2Introdução ao PHP Parte 2
Introdução ao PHP Parte 2
Wellington Oliveira
 
Curso PHP: Básico JavaScript
Curso PHP: Básico JavaScriptCurso PHP: Básico JavaScript
Curso PHP: Básico JavaScript
Wellington Oliveira
 

Mais de Wellington Oliveira (20)

Usuário LInux
Usuário LInuxUsuário LInux
Usuário LInux
 
Configuração de Interface de Rede no Linux por comandos
Configuração de Interface de Rede no Linux por comandosConfiguração de Interface de Rede no Linux por comandos
Configuração de Interface de Rede no Linux por comandos
 
CISCO CCNA WANs Prática ACL _ Lista de controle de acesso
CISCO CCNA WANs Prática ACL _ Lista de controle de acessoCISCO CCNA WANs Prática ACL _ Lista de controle de acesso
CISCO CCNA WANs Prática ACL _ Lista de controle de acesso
 
WANs e Roteadores Cap. 11 - Lista de Controle de Acesso
WANs e Roteadores Cap. 11 - Lista de Controle de AcessoWANs e Roteadores Cap. 11 - Lista de Controle de Acesso
WANs e Roteadores Cap. 11 - Lista de Controle de Acesso
 
LInux - Iinit e systemd
LInux - Iinit e systemdLInux - Iinit e systemd
LInux - Iinit e systemd
 
Prática Laboratório CISCO - Balanceador
Prática Laboratório CISCO - BalanceadorPrática Laboratório CISCO - Balanceador
Prática Laboratório CISCO - Balanceador
 
Método AHP em Processo Decisório
Método AHP em Processo DecisórioMétodo AHP em Processo Decisório
Método AHP em Processo Decisório
 
Processo Decisório - Introdução
Processo Decisório - IntroduçãoProcesso Decisório - Introdução
Processo Decisório - Introdução
 
Memória Interna - Arquitetura e Organização de Computadores
Memória Interna - Arquitetura e Organização de ComputadoresMemória Interna - Arquitetura e Organização de Computadores
Memória Interna - Arquitetura e Organização de Computadores
 
Introdução - Arquitetura e Organização de Computadores
Introdução - Arquitetura e Organização de ComputadoresIntrodução - Arquitetura e Organização de Computadores
Introdução - Arquitetura e Organização de Computadores
 
Evolução e Desempenho de Computadores - Arquitetura e Organização de Computad...
Evolução e Desempenho de Computadores - Arquitetura e Organização de Computad...Evolução e Desempenho de Computadores - Arquitetura e Organização de Computad...
Evolução e Desempenho de Computadores - Arquitetura e Organização de Computad...
 
Barramento do Sistema - Arquitetura e Organização de Computadores
Barramento do Sistema - Arquitetura e Organização de ComputadoresBarramento do Sistema - Arquitetura e Organização de Computadores
Barramento do Sistema - Arquitetura e Organização de Computadores
 
Redes Teórico - Capítulo 02 Tanenbaum
Redes Teórico - Capítulo 02 TanenbaumRedes Teórico - Capítulo 02 Tanenbaum
Redes Teórico - Capítulo 02 Tanenbaum
 
Lógica e Algoritmos (pseudocódigo e C++) A lógica
Lógica e Algoritmos (pseudocódigo e C++) A lógicaLógica e Algoritmos (pseudocódigo e C++) A lógica
Lógica e Algoritmos (pseudocódigo e C++) A lógica
 
Sistemas Operacionais Modernos - Gerenciamento de Memória
Sistemas Operacionais Modernos - Gerenciamento de MemóriaSistemas Operacionais Modernos - Gerenciamento de Memória
Sistemas Operacionais Modernos - Gerenciamento de Memória
 
Sistemas Operacionais Modernos Capítulo 3 Deadlock
Sistemas Operacionais Modernos Capítulo 3 DeadlockSistemas Operacionais Modernos Capítulo 3 Deadlock
Sistemas Operacionais Modernos Capítulo 3 Deadlock
 
Sistemas Operacionais Processos e Threads - Wellington Pinto de Oliveira
Sistemas Operacionais Processos e Threads - Wellington Pinto de OliveiraSistemas Operacionais Processos e Threads - Wellington Pinto de Oliveira
Sistemas Operacionais Processos e Threads - Wellington Pinto de Oliveira
 
Introdução ao PHP Parte 1
Introdução ao PHP Parte 1Introdução ao PHP Parte 1
Introdução ao PHP Parte 1
 
Introdução ao PHP Parte 2
Introdução ao PHP Parte 2Introdução ao PHP Parte 2
Introdução ao PHP Parte 2
 
Curso PHP: Básico JavaScript
Curso PHP: Básico JavaScriptCurso PHP: Básico JavaScript
Curso PHP: Básico JavaScript
 

Último

Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
mozalgebrista
 
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
Faga1939
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Manejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhasManejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhas
Geagra UFG
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Texto e atividade -  Fontes alternativas de energiaTexto e atividade -  Fontes alternativas de energia
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Mary Alvarenga
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
 
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Manejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhasManejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhas
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Texto e atividade -  Fontes alternativas de energiaTexto e atividade -  Fontes alternativas de energia
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
 

Questões Cisco CCNA Cap 6

  • 1. PROVA CISCO ADS CAPÍTULO 6 CISCO Professor: Wellington Pinto de Oliveira 1 PROVA CISCO CAP 6 1 Analise a imagem. Qual prefixo de rede trabalhará com o esquema de endereçamento IP exibido na imagem. a) /24 b) /16 c) /20 d) /27 e) /25 f) /28 2 Quais endereços de sub-rede IPv4 representam endereços de host válidos? (Escolha três.) a) 172.16.4.127 /26 b) 172.16.4.155 /26 c) 172.16.4.193 /26 d) 172.16.4.95 /27 e) 172.16.4.159 /27 f) 172.16.4.207 /27 3 Quais sentenças são verdadeiras sobre endereçamento IP? (Escolha duas.) a) NAT traduz endereços públicos para endereços privados destinados à Internet. b) Somente uma empresa tem permissão para usar um endereço de rede privado. c) Endereços privados são bloqueados na Internet pelo roteador. d) A rede 172.32.0.0 é parte dos endereços privados. e) O endereço IP 127.0.0.1 pode ser usado por um host para direcionar o tráfego para si mesmo. 4 Quais processos os roteadores usam para determinar o endereço de rede de sub-rede, baseando-se em um dado endereço IP e máscara de sub-rede? a) soma binária b) processo de AND hexadecimal c) divisão binária d) multiplicação binária e) processo de AND binário 5 Analise a imagem. O Host A está conectado à LAN, mas não obtem acesso a quaisquer recursos na Internet. A configuração do host é exibida na imagem. Qual seria a causa do problema?
  • 2. PROVA CISCO ADS CAPÍTULO 6 CISCO Professor: Wellington Pinto de Oliveira 2 a) A máscara de sub-rede do host está incorreta. b) O gateway padrão é um endereço de rede. c) O gateway padrão é o endereço de broadcast. d) O gateway padrão está em uma sub-rede diferente do host. 6 Qual mascara de sub-rede um administrador de rede atribuiria ao endereço de rede 172.30.1.0 se fosse possível ter até 254 hosts? a) 255.255.0.0 b) 255.255.255.0 c) 255.255.254.0 d) 255.255.248.0 7 Quais endereços IP são privados? (Escolha três.) a) 172.168.33.1 b) 10.35.66.70 c) 192.168.99.5 d) 172.18.88.90 e) 192.33.55.89 f) 172.35.16.5 7 Quais endereços IP são privados? (Escolha três.) a) 172.168.33.1 b) 10.35.66.70 c) 192.168.99.5 d) 172.18.88.90 e) 192.33.55.89 f) 172.35.16.5 8 Dado o endereço IP e máscara de sub-rede 172.16.134.64 255.255.255.224, qual dos seguintes descreveria este endereço? a) Este é um endereço de host. b) Este é um endereço de broadcast. c) Este é um endereço de rede. d) Este não é um endereço válido. 9 Uma interface de roteador recebeu o endereço IP 172.16.192.166 com a máscara 255.255.255.248. A qual sub-rede o endereço IP pertence? a) 172.16.0.0 b) 172.16.192.0 c) 172.16.192.128 d) 172.16.192.160 e) 172.16.192.168
  • 3. PROVA CISCO ADS CAPÍTULO 6 CISCO Professor: Wellington Pinto de Oliveira 3 f) 172.16.192.176 10 Analise a imagem. O administrador de rede atribuiu às redes interconectadas em LBMISS o intervalo de endereço 192.168.10.0. Esse intervalo de endereços foi subdividido usando a mascára /29. Visando atender o novo prédio, o técnico decidiu usar a quinta sub-rede para configurar a nova rede (a sub-rede zero é a primeira). Por políticas da empresa, a interface do roteador sempre recebe o primeiro endereço de host válido e o servidor recebe o último endereço. Qual configuração poderia ser usada no servidor para permitir sua conectividade à rede? a) Endereço de IP: 192.168.10.38 máscara de sub-rede: 255.255.255.240 gateway padrão: 192.168.10.39 b) Endereço de IP: 192.168.10.38 máscara de sub-rede: 255.255.255.240 gateway padrão: 192.168.10.33 c) Endereço de IP: 192.168.10.38 máscara de sub-rede: 255.255.255.248 gateway padrão: 192.168.10.33 d) Endereço de IP: 192.168.10.39 máscara de sub-rede: 255.255.255.248 gateway padrão: 192.168.10.31 e) Endereço de IP: 192.168.10.254 máscara de sub-rede: 255.255.255.0 gateway padrão: 192.168.10.1 11 A quais dos seguintes dispositivos de rede devem ser associados endereços IP estáticos? (Escolha três.) a) estações de trabalho de rede local b) servidores c) impressoras da rede d) roteadores e) estações de trabalho remotas f) laptops 12 Quais dos seguintes são características do IPv6? (Escolha três.) a) maior espaço de endereço b) protocolos de roteamento mais rápidos c) tipos de dados e classes de serviço d) autenticação e criptografia e) convenções de nomes de host melhoradas f) mesmo esquema de endereçamento que o IPv4 13 Qual foi o principal motivo para o desenvolvimento do IPv6? a) segurança b) simplificação do formato do cabeçalho c) capacidades de endereçamento expandidas d) simplificação do endereçamento 14 O que acontecerá se um roteador receber um pacote ICMP que tem um valor TTL igual a 1 e o host de destino estiver a vários saltos de distância? (Escolha duas.) a) O roteador descartará o pacote.
  • 4. PROVA CISCO ADS CAPÍTULO 6 CISCO Professor: Wellington Pinto de Oliveira 4 b) O roteador decrementará o valor TTL e encaminhará o pacote ao próximo roteador no caminho do host de destino. c) O roteador enviará uma mensagem de tempo excedido ao host de origem. d) O roteador incrementará o valor TTL e encaminhará o pacote ao próximo roteador no caminho do host de destino. e) O roteador enviará uma mensagem de redirecionamento ICMP ao host de origem. 15 Analise a imagem. Um administrador de rede descobre que o host A está tendo problemas com a conectividade à Internet, mas o cluster de servidores possui total conectividade. Além disso, o host A possui total conectividade ao cluster de servidores. Qual é uma causa possível deste problema? a) O roteador possui um gateway incorreto. b) O Host A possui um endereço de rede já atribuído (overlapping). c) O Host A possui um gateway padrão configurado incorretamente. d) O Host A possui uma máscara de sub-rede incorreta. e) O NAT é requerido para a rede do host A. 16 Quais das sentenças são verdadeiras sobre a porção de rede de um endereço IPv4? (Escolha três.) a) identifica um dispositivo individual b) é idêntica para todos os hosts em um domínio de broadcast c) é alterada à medida que o pacote é enviado d) varia em tamanho e) é usada para enviar pacotes f) usa endereçamento básico 17 Como é chamado um grupo de hosts que possui padrões idênticos nos bits mais significativos de seus endereços? a) uma internet b) uma rede c) um octeto d) um radix 18 Qual é o endereço de rede do host 172.25.67.99 /23 em binário? a) 10101100. 00011001.01000011.00000000 b) 10101100. 00011001.01000011.11111111 c) 10101100. 00011001.01000010.00000000 d) 10101100. 00011001.01000010.01100011 e) 10101100. 00010001.01000011. 01100010 f) 10101100. 00011001.00000000.00000000