SlideShare uma empresa Scribd logo
AGRISSÊNIOR
NOTICIAS
Pasquim informativo e virtual.
Opiniões, humor e mensagens
EDITORES: Luiz Ferreira da Silva
(luizferreira1937@gmail.com) e
Jefferson Dias (jeffcdiass@gmail.com)
Edição 594 – ANO XIII Nº 13 – 18 de outubro de 2016
CONTROLAR O SISTEMA FINANCEIRO
PARA EVITAR A DÉBÂCLE ECONÔMICA NO BRASIL
Fernando Alcoforado
O Dr. Alcoforado, neste artigo, contraria a
estratégia atual do governo que foca na
redução de gastos públicos. Quem estaria
com a razão?
Leiam o que ele diz:
Qualquer pessoa entendida em economia
sabe que em um quadro de estagnação
econômica que afeta o Brasil no momento, o
crescimento econômico só se realiza desde
que o governo eleve seus gastos para
compensar a queda do consumo e do
investimento. Quem formulou este
ensinamento foi o grande economista John
Maynard Keynes em meados do século XX. A
tese defendida pelo governo de que precisa
primeiro reduzir o gasto do governo para
depois promover o crescimento econômico é
totalmente irracional sob a ótica Keynesiana.
Além disso, faz chantagem com a população
ao afirmar que a alternativa é o corte de
gastos do governo ou o aumento de
impostos. Trata-se de um fato lamentável o
governo Michel Temer pretender solucionar a
crise econômica do Brasil que se agrava a
cada dia com a adoção do ajuste fiscal que
reduz o gasto público e tende a aprofundar o
processo de estagnação econômica do País.
Para combater a estagnação econômica, o
governo federal deveria: 1) elevar o gasto
público renegociando com o sistema
financeiro a redução dos encargos com o
pagamento dos juros da dívida pública
visando seu alongamento no tempo; 2) reduzir
drasticamente as taxas de juros Selic e
aquelas praticadas pelos bancos para
incentivar o investimento privado; 3) incentivar
a atividade produtiva para combater a inflação
e, quando não for possível, promover a
importação de produtos para baixar os preços
internamente; e, 4) incentivar as exportações
para promover o crescimento econômico
instituindo o câmbio fixo em substituição ao
câmbio flutuante.
Todo este conjunto de medidas só terá êxito
se houver, entre outras medidas, o efetivo
controle pelo governo dos movimentos de
capital no Brasil cuja liberalização aconteceu
desde 1990 durante o governo Fernando
Collor quando foi introduzido o modelo
neoliberal na economia brasileira. A
liberalização do fluxo de capitais na economia
brasileira está no cerne da grave crise que
afeta o Brasil no momento. Encarado como
dogma pelos adoradores do deus-mercado, o
livre fluxo de capitais compõe o tripé da
política macroeconômica neoliberal adotada
no Brasil junto com os juros estratosféricos e
o elevado superávit primário. Através deste
mecanismo, o Brasil foi colonizado e se
transformou em uma máquina de
transferência de riqueza do setor produtivo
para a oligarquia financeira nacional e
internacional como vem acontecendo desde a
década de 1990.
Pode-se afirmar que a livre de circulação de
capitais é o nó que une o crescimento
desmesurado da dívida pública, a expansão
vertiginosa das taxas de juros e a
transferência da riqueza nacional com o
superávit primário no Brasil. Pressionado pela
brutal dívida pública que alcança R$ 4,5
trilhões, o governo brasileiro é forçado a
manter os juros extremamente elevados
(14,5% ao ano) para atrair novos capitais que
permitam o precário funcionamento da
economia. Ao mesmo tempo, ela ajuda a
entender a existência do superávit primário
que tem como principal objetivo assegurar o
pagamento dos juros aos credores da dívida
pública. Este arrocho fiscal é exigido pelos
credores para dar tranquilidade ao deus-
mercado e para atrair novos capitais externos.
O resultado deste modelo nefasto é
conhecido pelos brasileiros: a economia fica
estagnada, o desemprego bate recorde, a
renda despenca e o Estado tem fragilizada a
sua capacidade de investimentos na
infraestrutura econômica e social. Na outra
ponta, o dinheiro flui livremente para os ricos
banqueiros.
Esse mecanismo, tão idolatrado pelos
neoliberais, ainda tem outros efeitos
perversos. Faz com que o risco de abruptas
crises cambiais se torne permanente, já que a
qualquer momento os investidores externos
podem deixar o país – e este perigo é
instantâneo, on-line. Esta ameaça reforça
ainda mais o poder do capital financeiro, que
a usa como forma de chantagem contra o
governo brasileiro. O Estado brasileiro vira
refém, sendo forçado a fazer sempre mais
concessões – reformas liberalizantes,
autonomia do BC, etc. como veem ocorrendo
no Brasil desde a década de 1990. O modelo
econômico neoliberal que impera no Brasil,
ancorado no superávit primário, na meta de
inflação e no câmbio flutuante, restringe o raio
de manobra das políticas domésticas voltadas
para o desenvolvimento do País. É este
mecanismo que precisa ser barrado para
evitar um futuro catastrófico para o Brasil.
Outro efeito pernicioso do livre fluxo de capital
diz respeito ao incentivo às atividades ilícitas.
Aproveitando-se da liberalização financeira,
da ausência de regulamentação e controle,
grande parte das atividades ilegais que
degradam o planeta, como a corrupção, o
tráfico de drogas, armas, e órgãos do corpo
humano e o crime organizado, encontram o
ambiente ideal para a sua valorização e
legalização. Um fato é evidente: vivemos sob
a ditadura das finanças. A fração hegemônica
do capital, a oligarquia financeira, manda e
desmanda no Brasil e no mundo, manipula
governos, arruína as economias nacionais e
legaliza operações ilícitas. A movimentação
financeira é frenética, sem qualquer controle.
A ditadura das finanças reina absoluta. A
oligarquia financeira torna-se a fração
hegemônica da burguesia.
Diante do risco de ter que se submeterem à
ditadura do capital financeiro, várias nações
passaram a procurar caminhos alternativos.
Os chamados “países em desenvolvimento”
da Ásia, após o vendaval financeiro e cambial
de 1997, buscaram superar sua
vulnerabilidade externa. Através de diversos
mecanismos, muitos países voltaram a adotar
medidas para disciplinar a entrada e a saída
de capitais. No geral, eles hoje obtêm maior
sucesso econômico e maior estabilidade do
que os que aplicam o modelo neoliberal como
o Brasil. Este é o caso da China, onde as
transações de capitais dependem de
autorização do Estado, as operações
financeiras com o exterior, de entrada ou de
saída, são autorizadas pelo governo. Outro
exemplo é o da Índia, onde predomina o uso
de restrições de natureza quantitativa e
administrativa às transações de capitais.
China e Índia, que nunca abandonaram o
controle sobre os capitais, são hoje sinônimos
de crescimento econômico continuado.
Diferentemente da China e da Índia, o Brasil é
um país altamente vulnerável. Para manter o
frágil funcionamento da economia, o governo
brasileiro depende do ingresso anual de
capitais do mercado externo ampliando sua
dependência. Essa situação de dependência,
uma triste marca da história nacional, chegou
às raias do absurdo durante o governo FHC
que escancarou a orgia financeira no Brasil.
Os governos de Lula e de Dilma Rousseff
mantiveram intacta esta dependência do
Brasil dela acarretando taxas reais de juros
extremamente elevadas que prejudicam o
setor produtivo nacional, o superávit fiscal
continua extremamente elevado que
beneficiam os credores da dívida pública e o
livre fluxo de capitais que continua a gerar
alegria aos banqueiros. Esta situação é
mantida, também, pelo governo Michel Temer
com sua política econômica recessiva que
ameaça levar o Brasil à bancarrota.
É importante observar que a entrada de
capital estrangeiro acarreta inúmeros
malefícios colaterais. Um deles é a
valorização cambial que prejudica a
competitividade dos exportadores nacionais.
É exatamente esta preocupação que fez com
que a China adotasse uma cautelosa gestão
cambial optando pelo câmbio fixo ao invés do
câmbio flutuante em vigor no Brasil. Diante
dos males proporcionados pela liberalização
do fluxo de capitais, torna-se uma exigência o
controle de capitais que pode ser realizado
com a tributação sobre a entrada de capital
estrangeiro. Pode também limitar a
volatilidade dos fluxos exigindo que
determinada porcentagem do investimento
estrangeiro fique retida em reserva por
determinado número de dias junto ao Banco
Central. Este tipo de controle, denominado
política “lock-in”, evita a saída repentina de
capital.
Pode-se afirmar que o controle de capitais
pode ser peça importante para uma estratégia
de crescimento e desenvolvimento econômico
sustentado, principalmente em economias
marcadas pela instabilidade macroeconômica
como a do Brasil. Tais controles selecionam
os fluxos de capital, confinando os capitais
especulativos a volumes administráveis e
isolando a economia, em algum grau, dos
choques externos. Assim, os controles de
capitais atuam no sentido de reduzir a
volatilidade das taxas de câmbio e de juros,
ajudando a estimular as decisões de
investimento na economia.
NOVA OBRA LITERÁRIA DO AMAURI,
O VON STEISLOFF
Assim, assina os seus livros, o colega Amauri Rodrigues (UFRRJ/ENA-1957). Leio sempre
suas obras, pela leitura fácil, instigante e rica em emoções. Este, fantástico! Vale a pena
adquirir através do próprio autor (steisloff@gmail.com)
.
O QUE ACONTECERIA NO BRASIL?
China aprova Lei que dá Pena de Morte para Políticos Corruptos.
O Tribunal Popular Supremo da China e os
Promotores Estaduais aprovaram uma lei que
dá Pena de Morte para os líderes corruptos
que paguem ou recebam subornos superiores
à de US$463.000 Dólares. Já para valores
inferiores as sanções serão outras.
Esta medida passou a ter efeitos a partir da
data da sua publicação, em Junho de 2016. E
faz parte de uma revisão do Código Penal de
2015, onde os valores exatos não eram
estipulados para justificar ou não a aplicação
da pena de morte.
Mas se os acusados confessarem os crimes
ou devolver o dinheiro desviado, a pena de
morte será suspensa, na verdade, isso
significa uma comutação à prisão perpétua, o
que é habitual para casos de corrupção no
país.
Além disso, os colegas ou subordinados
destes podem ser também julgados por
cumplicidade se não denunciar a corrupção
dos colegas próximos, mesmo se eles forem
parte de sua família. (Enviada por Odoaldo
Passos).
“FITOTELEPATIA”
Luiz Ferreira da Silva
Neste final de semana, a família comemorou,
em uma pousada em Japaratinga/Al, os 50
anos de nosso segundo rebento (Ana
Luiza).No ano anterior, fora do primogênito
(Luiz). Damos (Eu e Airma) muito valor a este
acontecimento, pois se ter um filho com 50
anos é uma dádiva; um objetivo alcançado.
Mas quero registrar outro acontecido. É sobre
os belos coqueirais da região. Da minha rede,
depois do café da manhã, me chamou a
atenção esses coqueiros de uns 30 metros
com uma copa de verde escuro e muitos
cachos de coco nos seus mais de 80 anos,
bem próximos ao belíssimo mar de
Japaratinga.
Não me contive, saí do meu conforto e fui até
lá e lhe fiz algumas perguntas respondidas
prontamente:
1. Eu resisto aos ventos e chuvas e não
CAIO, pois como não disponho de pivotante
emito um entrelaçado de raízes suberosas por
uma área muito grande. Também não
produzo galhos para não pesar o meu tronco
relativamente pouco espesso. A minha copa é
em forma de “X” com uma distribuição
epicêntrica que facilita o equilíbrio.
2. Continuo produzindo cachos porque
disponho minhas folhas de modo a que todas
elas recebam igual energia vinda do sol no
processo de maximizar o CHO.
3. Não tenho doenças e nem os insetos me
atacam pelo auxílio que recebo do vento
salitrado do mar que funciona como
inseticidas e fungicidas naturais.
4. As minhas folhas para baixo servem
também para segurar os cachos pesados. Os
ignorantes das cidades podam e os frutos
caem.
Agradeci a aula e retornei à minha
insignificância, usufruindo do conforto da
rede.
PENSAMENTOS DE RUBEM ALVES
“Se fosse ensinar a uma criança a beleza da
música não começaria com partituras, notas e
pautas. Ouviríamos juntos as melodias mais
gostosas e lhe contaria sobre os instrumentos
que fazem a música.
Aí, encantada com a beleza da música, ela
mesma me pediria que lhe ensinasse o
mistério daquelas bolinhas pretas escritas
sobre cinco linhas. Porque as bolinhas pretas
e as cinco linhas são apenas ferramentas
para a produção da beleza musical. A
experiência da beleza tem de vir antes....”
“A celebração de mais um ano de vida é a
celebração de um desfazer, um tempo que
deixou de ser, não mais existe. Fósforo que
foi riscado. Nunca mais acenderá. Daí a
profunda sabedoria do ritual de soprar as
velas em festa de aniversário. Se uma vela
acesa é símbolo de vida, uma vez apagada
ela se torna símbolo de morte..”
A POESIA DA SEMANA
A MORTE NÃO É NADA
Santo Agostinho
A morte não é nada.
Eu somente passei
para o outro lado do Caminho.
Eu sou eu, vocês são vocês.
O que eu era para vocês,
eu continuarei sendo.
Me deem o nome
que vocês sempre me deram,
falem comigo
como vocês sempre fizeram.
Vocês continuam vivendo
no mundo das criaturas,
eu estou vivendo
no mundo do Criador.
Não utilizem um tom solene
ou triste, continuem a rir
daquilo que nos fazia rir juntos.
Rezem, sorriam, pensem em mim.
Rezem por mim.
Que meu nome seja pronunciado
como sempre foi,
sem ênfase de nenhum tipo.
Sem nenhum traço de sombra
ou tristeza.
A vida significa tudo
o que ela sempre significou,
o fio não foi cortado.
Porque eu estaria fora
de seus pensamentos,
agora que estou apenas fora
de suas vistas?
Eu não estou longe,
apenas estou
do outro lado do Caminho...
Você que aí ficou, siga em frente,
a vida continua, linda e bela
como sempre foi.
A PIADA DA SEMANA
O MENINO E A MENINA - CURIOSIDADES DIFERENTES .
O MENINO
Um menino pergunta para o seu pai "Papai,
quantos tipos de peitos existem?".
O pai, surpreso, responde "Bem, filho, há três
tipos de peitos:
- Aos vinte anos os peitos de uma mulher são
como melões, redondos e firmes.
- Dos trinta aos quarenta eles são como
pêras, ainda agradáveis mas um pouco
caídos.
- Depois dos cinqüenta, eles ficam como
cebolas".
- "Cebolas?".
- "Sim, você olha para eles e chora..."
REVANCHE - A MENINA
Uma menina pergunta para a sua mãe " Mãe,
quantos tipos de pênis existem?".
A mãe, surpresa, responde " Bem, filha, um
homem, passa por três fases.
- Aos vinte anos, o pênis de um homem é
duro e ereto como um carvalho.
- Dos trinta aos quarenta é como um
salgueiro, flexível mas seguro.
- Aos cinqüenta ele fica como uma árvore de
Natal."
- "Uma árvore de Natal?"
- "Sim, seca e com umas bolas penduradas
para decoração".
oOo
Acessar: www.r2cpress.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O medo venceu a esperança
O medo venceu a esperançaO medo venceu a esperança
O medo venceu a esperança
Fernando Alcoforado
 
Programa de governo de Dilma Rousseff (PT)
Programa de governo de Dilma Rousseff (PT)Programa de governo de Dilma Rousseff (PT)
Programa de governo de Dilma Rousseff (PT)
Portal Canal Rural
 
Recessão versus estabilidade econômica
Recessão versus estabilidade econômicaRecessão versus estabilidade econômica
Recessão versus estabilidade econômica
CIRINEU COSTA
 
Boletim 34 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 34 - Grupo de conjuntura econômica da UFESBoletim 34 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 34 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
economiaufes
 
Brasil Outlook 2015
Brasil Outlook 2015Brasil Outlook 2015
Brasil Outlook 2015
Adeodato Volpi Netto, CM&AA
 
O indiscreto ódio da burguesia
O indiscreto ódio da burguesiaO indiscreto ódio da burguesia
O indiscreto ódio da burguesia
Miguel Rosario
 
Governo Lula-Dilma: Uma análise Econômica do período
Governo Lula-Dilma: Uma análise Econômica do períodoGoverno Lula-Dilma: Uma análise Econômica do período
Governo Lula-Dilma: Uma análise Econômica do período
Manoel Romão
 
A economia política do governo lula
A economia política do governo lulaA economia política do governo lula
A economia política do governo lula
Gisele Spinosa
 
Novos ventos de esquerda ou ar quente de uma nova direita
Novos ventos de esquerda ou ar quente de uma nova direitaNovos ventos de esquerda ou ar quente de uma nova direita
Novos ventos de esquerda ou ar quente de uma nova direita
Lucas Barbosa Pelissari
 
514 an 10_março_2015.ok
514 an 10_março_2015.ok514 an 10_março_2015.ok
514 an 10_março_2015.ok
Roberto Rabat Chame
 
Marcondes Neto no Brasil Econômico - 02/07/2015 - P. 31
Marcondes Neto no Brasil Econômico - 02/07/2015 - P. 31Marcondes Neto no Brasil Econômico - 02/07/2015 - P. 31
Marcondes Neto no Brasil Econômico - 02/07/2015 - P. 31
Manoel Marcondes Neto
 
Resumo. o ajuste fiscal do governo dilma rousseff 2015
Resumo. o ajuste fiscal do governo dilma rousseff 2015Resumo. o ajuste fiscal do governo dilma rousseff 2015
Resumo. o ajuste fiscal do governo dilma rousseff 2015
Enio Economia & Finanças
 
Urge a construção de uma nova alternativa de poder no brasil
Urge a construção de uma nova alternativa de poder no brasilUrge a construção de uma nova alternativa de poder no brasil
Urge a construção de uma nova alternativa de poder no brasil
Fernando Alcoforado
 
Estudo: A Era Lula
Estudo: A Era LulaEstudo: A Era Lula
Estudo: A Era Lula
Miti Inteligência
 
Documento critico-ao-primeiro-ano-do-governo-dilma1
Documento critico-ao-primeiro-ano-do-governo-dilma1Documento critico-ao-primeiro-ano-do-governo-dilma1
Documento critico-ao-primeiro-ano-do-governo-dilma1
Jamildo Melo
 
Breve comparação entre Lula, FHC, Dilma e Serra
Breve comparação entre Lula, FHC, Dilma e SerraBreve comparação entre Lula, FHC, Dilma e Serra
Breve comparação entre Lula, FHC, Dilma e Serra
Victor Marcelino
 
Boletim 45 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 45 - Grupo de conjuntura econômica da UFESBoletim 45 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 45 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
economiaufes
 
B8 ooi outubro 2015 impressão (1)
B8 ooi outubro 2015 impressão (1)B8 ooi outubro 2015 impressão (1)
B8 ooi outubro 2015 impressão (1)
comiteiv
 
Comércio exterior e transição da economia ( Governo Lula)
Comércio exterior e transição da economia ( Governo Lula)Comércio exterior e transição da economia ( Governo Lula)
Comércio exterior e transição da economia ( Governo Lula)
Pâmela Nogueira da Silva
 
Tese luta educadora por novos junhos e lições da greve
Tese luta educadora por novos junhos e lições da greveTese luta educadora por novos junhos e lições da greve
Tese luta educadora por novos junhos e lições da greve
Marco Vinícius Moreira Lamarão'
 

Mais procurados (20)

O medo venceu a esperança
O medo venceu a esperançaO medo venceu a esperança
O medo venceu a esperança
 
Programa de governo de Dilma Rousseff (PT)
Programa de governo de Dilma Rousseff (PT)Programa de governo de Dilma Rousseff (PT)
Programa de governo de Dilma Rousseff (PT)
 
Recessão versus estabilidade econômica
Recessão versus estabilidade econômicaRecessão versus estabilidade econômica
Recessão versus estabilidade econômica
 
Boletim 34 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 34 - Grupo de conjuntura econômica da UFESBoletim 34 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 34 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
 
Brasil Outlook 2015
Brasil Outlook 2015Brasil Outlook 2015
Brasil Outlook 2015
 
O indiscreto ódio da burguesia
O indiscreto ódio da burguesiaO indiscreto ódio da burguesia
O indiscreto ódio da burguesia
 
Governo Lula-Dilma: Uma análise Econômica do período
Governo Lula-Dilma: Uma análise Econômica do períodoGoverno Lula-Dilma: Uma análise Econômica do período
Governo Lula-Dilma: Uma análise Econômica do período
 
A economia política do governo lula
A economia política do governo lulaA economia política do governo lula
A economia política do governo lula
 
Novos ventos de esquerda ou ar quente de uma nova direita
Novos ventos de esquerda ou ar quente de uma nova direitaNovos ventos de esquerda ou ar quente de uma nova direita
Novos ventos de esquerda ou ar quente de uma nova direita
 
514 an 10_março_2015.ok
514 an 10_março_2015.ok514 an 10_março_2015.ok
514 an 10_março_2015.ok
 
Marcondes Neto no Brasil Econômico - 02/07/2015 - P. 31
Marcondes Neto no Brasil Econômico - 02/07/2015 - P. 31Marcondes Neto no Brasil Econômico - 02/07/2015 - P. 31
Marcondes Neto no Brasil Econômico - 02/07/2015 - P. 31
 
Resumo. o ajuste fiscal do governo dilma rousseff 2015
Resumo. o ajuste fiscal do governo dilma rousseff 2015Resumo. o ajuste fiscal do governo dilma rousseff 2015
Resumo. o ajuste fiscal do governo dilma rousseff 2015
 
Urge a construção de uma nova alternativa de poder no brasil
Urge a construção de uma nova alternativa de poder no brasilUrge a construção de uma nova alternativa de poder no brasil
Urge a construção de uma nova alternativa de poder no brasil
 
Estudo: A Era Lula
Estudo: A Era LulaEstudo: A Era Lula
Estudo: A Era Lula
 
Documento critico-ao-primeiro-ano-do-governo-dilma1
Documento critico-ao-primeiro-ano-do-governo-dilma1Documento critico-ao-primeiro-ano-do-governo-dilma1
Documento critico-ao-primeiro-ano-do-governo-dilma1
 
Breve comparação entre Lula, FHC, Dilma e Serra
Breve comparação entre Lula, FHC, Dilma e SerraBreve comparação entre Lula, FHC, Dilma e Serra
Breve comparação entre Lula, FHC, Dilma e Serra
 
Boletim 45 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 45 - Grupo de conjuntura econômica da UFESBoletim 45 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 45 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
 
B8 ooi outubro 2015 impressão (1)
B8 ooi outubro 2015 impressão (1)B8 ooi outubro 2015 impressão (1)
B8 ooi outubro 2015 impressão (1)
 
Comércio exterior e transição da economia ( Governo Lula)
Comércio exterior e transição da economia ( Governo Lula)Comércio exterior e transição da economia ( Governo Lula)
Comércio exterior e transição da economia ( Governo Lula)
 
Tese luta educadora por novos junhos e lições da greve
Tese luta educadora por novos junhos e lições da greveTese luta educadora por novos junhos e lições da greve
Tese luta educadora por novos junhos e lições da greve
 

Destaque

595 an 25 outubro_2016.ok
595 an  25 outubro_2016.ok595 an  25 outubro_2016.ok
595 an 25 outubro_2016.ok
Roberto Rabat Chame
 
ILHÉUS - Dia do radialista, uma homengaem do stert ilhéus
ILHÉUS - Dia do radialista, uma homengaem do stert ilhéusILHÉUS - Dia do radialista, uma homengaem do stert ilhéus
ILHÉUS - Dia do radialista, uma homengaem do stert ilhéus
Roberto Rabat Chame
 
AGRISSENIOR NOTÍCIAS Nº 596 an 02 novembro_2016.ok
AGRISSENIOR NOTÍCIAS Nº 596 an  02 novembro_2016.okAGRISSENIOR NOTÍCIAS Nº 596 an  02 novembro_2016.ok
AGRISSENIOR NOTÍCIAS Nº 596 an 02 novembro_2016.ok
Roberto Rabat Chame
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 598 an 16 novembro_2016.ok
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 598 an 16 novembro_2016.okAGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 598 an 16 novembro_2016.ok
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 598 an 16 novembro_2016.ok
Roberto Rabat Chame
 
Coral da ceplac
Coral da ceplacCoral da ceplac
Coral da ceplac
Roberto Rabat Chame
 
Agrissênior Notícias - Nº 597 an 09 novembro_2016.ok
Agrissênior Notícias - Nº 597 an 09 novembro_2016.okAgrissênior Notícias - Nº 597 an 09 novembro_2016.ok
Agrissênior Notícias - Nº 597 an 09 novembro_2016.ok
Roberto Rabat Chame
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 599 an 23 novembro_2016.
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 599 an 23 novembro_2016.AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 599 an 23 novembro_2016.
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 599 an 23 novembro_2016.
Roberto Rabat Chame
 

Destaque (7)

595 an 25 outubro_2016.ok
595 an  25 outubro_2016.ok595 an  25 outubro_2016.ok
595 an 25 outubro_2016.ok
 
ILHÉUS - Dia do radialista, uma homengaem do stert ilhéus
ILHÉUS - Dia do radialista, uma homengaem do stert ilhéusILHÉUS - Dia do radialista, uma homengaem do stert ilhéus
ILHÉUS - Dia do radialista, uma homengaem do stert ilhéus
 
AGRISSENIOR NOTÍCIAS Nº 596 an 02 novembro_2016.ok
AGRISSENIOR NOTÍCIAS Nº 596 an  02 novembro_2016.okAGRISSENIOR NOTÍCIAS Nº 596 an  02 novembro_2016.ok
AGRISSENIOR NOTÍCIAS Nº 596 an 02 novembro_2016.ok
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 598 an 16 novembro_2016.ok
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 598 an 16 novembro_2016.okAGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 598 an 16 novembro_2016.ok
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 598 an 16 novembro_2016.ok
 
Coral da ceplac
Coral da ceplacCoral da ceplac
Coral da ceplac
 
Agrissênior Notícias - Nº 597 an 09 novembro_2016.ok
Agrissênior Notícias - Nº 597 an 09 novembro_2016.okAgrissênior Notícias - Nº 597 an 09 novembro_2016.ok
Agrissênior Notícias - Nº 597 an 09 novembro_2016.ok
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 599 an 23 novembro_2016.
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 599 an 23 novembro_2016.AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 599 an 23 novembro_2016.
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 599 an 23 novembro_2016.
 

Semelhante a AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 594 an 18 outubro_2016.ok

Controlar o sistema financeiro para evitar a débâcle econômica no brasil
Controlar o sistema financeiro para evitar a débâcle econômica no brasilControlar o sistema financeiro para evitar a débâcle econômica no brasil
Controlar o sistema financeiro para evitar a débâcle econômica no brasil
Fernando Alcoforado
 
Escorcha financeira inviabiliza a recuperação econômica do brasil
Escorcha financeira inviabiliza a recuperação econômica do brasilEscorcha financeira inviabiliza a recuperação econômica do brasil
Escorcha financeira inviabiliza a recuperação econômica do brasil
Fernando Alcoforado
 
Os nefastos efeitos do neoliberalismo sobre o brasil e como superá los
Os nefastos efeitos do neoliberalismo sobre o brasil e como superá losOs nefastos efeitos do neoliberalismo sobre o brasil e como superá los
Os nefastos efeitos do neoliberalismo sobre o brasil e como superá los
Fernando Alcoforado
 
Como mudar os rumos da economia do brasil
Como mudar os rumos da economia do brasilComo mudar os rumos da economia do brasil
Como mudar os rumos da economia do brasil
Fernando Alcoforado
 
O presidente que o brasil precisa
O presidente que o brasil precisaO presidente que o brasil precisa
O presidente que o brasil precisa
Fernando Alcoforado
 
Faculdade de Direito do recife : Os impactos da dívida pública na economia e ...
Faculdade de Direito do recife : Os impactos da dívida pública na economia e ...Faculdade de Direito do recife : Os impactos da dívida pública na economia e ...
Faculdade de Direito do recife : Os impactos da dívida pública na economia e ...
Paulo Rubem Santiago Ferreira
 
Governabilidade e economia ameaçadas no brasil
Governabilidade e economia ameaçadas no brasilGovernabilidade e economia ameaçadas no brasil
Governabilidade e economia ameaçadas no brasil
Fernando Alcoforado
 
Banco central autônomo um cheque em branco!
Banco central autônomo  um cheque em branco!Banco central autônomo  um cheque em branco!
Banco central autônomo um cheque em branco!
Francisco De Assis
 
SLIDES DE MACROECONOMIA (AULA 2)
SLIDES DE MACROECONOMIA (AULA 2) SLIDES DE MACROECONOMIA (AULA 2)
SLIDES DE MACROECONOMIA (AULA 2)
Kelly Ariane Buás Bráz
 
Agrissênior Notícias Nº 576 an 14 junho_2016.ok
Agrissênior Notícias Nº 576 an  14 junho_2016.okAgrissênior Notícias Nº 576 an  14 junho_2016.ok
Agrissênior Notícias Nº 576 an 14 junho_2016.ok
Roberto Rabat Chame
 
16.09 perdemos-ideia-de-nacao
16.09 perdemos-ideia-de-nacao16.09 perdemos-ideia-de-nacao
16.09 perdemos-ideia-de-nacao
Carlos Eduardo
 
Conluio do governo dilma roussef com setores conservadores do brasil para evi...
Conluio do governo dilma roussef com setores conservadores do brasil para evi...Conluio do governo dilma roussef com setores conservadores do brasil para evi...
Conluio do governo dilma roussef com setores conservadores do brasil para evi...
Fernando Alcoforado
 
Brasil diante de um trágico futuro
Brasil diante de um trágico futuroBrasil diante de um trágico futuro
Brasil diante de um trágico futuro
Fernando Alcoforado
 
Como inventar um novo brasil
Como inventar um novo brasilComo inventar um novo brasil
Como inventar um novo brasil
Fernando Alcoforado
 
A falência dos sistemas político e econômico do brasil
A falência dos sistemas político e econômico do brasilA falência dos sistemas político e econômico do brasil
A falência dos sistemas político e econômico do brasil
Fernando Alcoforado
 
Em defesa de um novo modelo econômico nacional desenvolvimentista para supera...
Em defesa de um novo modelo econômico nacional desenvolvimentista para supera...Em defesa de um novo modelo econômico nacional desenvolvimentista para supera...
Em defesa de um novo modelo econômico nacional desenvolvimentista para supera...
Fernando Alcoforado
 
União dos Povos da Europa ou o nacionalismo à solta
União dos Povos da Europa ou o nacionalismo à soltaUnião dos Povos da Europa ou o nacionalismo à solta
União dos Povos da Europa ou o nacionalismo à solta
GRAZIA TANTA
 
5º Congresso: PT divulga a Carta de Salvador
5º Congresso: PT divulga a Carta de Salvador5º Congresso: PT divulga a Carta de Salvador
5º Congresso: PT divulga a Carta de Salvador
Conversa Afiada
 
Futuros cenários para o brasil
Futuros cenários para o brasilFuturos cenários para o brasil
Futuros cenários para o brasil
Fernando Alcoforado
 
Futuro em debate- CREA BAHIA
Futuro em debate- CREA BAHIAFuturo em debate- CREA BAHIA
Futuro em debate- CREA BAHIA
Fernando Alcoforado
 

Semelhante a AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 594 an 18 outubro_2016.ok (20)

Controlar o sistema financeiro para evitar a débâcle econômica no brasil
Controlar o sistema financeiro para evitar a débâcle econômica no brasilControlar o sistema financeiro para evitar a débâcle econômica no brasil
Controlar o sistema financeiro para evitar a débâcle econômica no brasil
 
Escorcha financeira inviabiliza a recuperação econômica do brasil
Escorcha financeira inviabiliza a recuperação econômica do brasilEscorcha financeira inviabiliza a recuperação econômica do brasil
Escorcha financeira inviabiliza a recuperação econômica do brasil
 
Os nefastos efeitos do neoliberalismo sobre o brasil e como superá los
Os nefastos efeitos do neoliberalismo sobre o brasil e como superá losOs nefastos efeitos do neoliberalismo sobre o brasil e como superá los
Os nefastos efeitos do neoliberalismo sobre o brasil e como superá los
 
Como mudar os rumos da economia do brasil
Como mudar os rumos da economia do brasilComo mudar os rumos da economia do brasil
Como mudar os rumos da economia do brasil
 
O presidente que o brasil precisa
O presidente que o brasil precisaO presidente que o brasil precisa
O presidente que o brasil precisa
 
Faculdade de Direito do recife : Os impactos da dívida pública na economia e ...
Faculdade de Direito do recife : Os impactos da dívida pública na economia e ...Faculdade de Direito do recife : Os impactos da dívida pública na economia e ...
Faculdade de Direito do recife : Os impactos da dívida pública na economia e ...
 
Governabilidade e economia ameaçadas no brasil
Governabilidade e economia ameaçadas no brasilGovernabilidade e economia ameaçadas no brasil
Governabilidade e economia ameaçadas no brasil
 
Banco central autônomo um cheque em branco!
Banco central autônomo  um cheque em branco!Banco central autônomo  um cheque em branco!
Banco central autônomo um cheque em branco!
 
SLIDES DE MACROECONOMIA (AULA 2)
SLIDES DE MACROECONOMIA (AULA 2) SLIDES DE MACROECONOMIA (AULA 2)
SLIDES DE MACROECONOMIA (AULA 2)
 
Agrissênior Notícias Nº 576 an 14 junho_2016.ok
Agrissênior Notícias Nº 576 an  14 junho_2016.okAgrissênior Notícias Nº 576 an  14 junho_2016.ok
Agrissênior Notícias Nº 576 an 14 junho_2016.ok
 
16.09 perdemos-ideia-de-nacao
16.09 perdemos-ideia-de-nacao16.09 perdemos-ideia-de-nacao
16.09 perdemos-ideia-de-nacao
 
Conluio do governo dilma roussef com setores conservadores do brasil para evi...
Conluio do governo dilma roussef com setores conservadores do brasil para evi...Conluio do governo dilma roussef com setores conservadores do brasil para evi...
Conluio do governo dilma roussef com setores conservadores do brasil para evi...
 
Brasil diante de um trágico futuro
Brasil diante de um trágico futuroBrasil diante de um trágico futuro
Brasil diante de um trágico futuro
 
Como inventar um novo brasil
Como inventar um novo brasilComo inventar um novo brasil
Como inventar um novo brasil
 
A falência dos sistemas político e econômico do brasil
A falência dos sistemas político e econômico do brasilA falência dos sistemas político e econômico do brasil
A falência dos sistemas político e econômico do brasil
 
Em defesa de um novo modelo econômico nacional desenvolvimentista para supera...
Em defesa de um novo modelo econômico nacional desenvolvimentista para supera...Em defesa de um novo modelo econômico nacional desenvolvimentista para supera...
Em defesa de um novo modelo econômico nacional desenvolvimentista para supera...
 
União dos Povos da Europa ou o nacionalismo à solta
União dos Povos da Europa ou o nacionalismo à soltaUnião dos Povos da Europa ou o nacionalismo à solta
União dos Povos da Europa ou o nacionalismo à solta
 
5º Congresso: PT divulga a Carta de Salvador
5º Congresso: PT divulga a Carta de Salvador5º Congresso: PT divulga a Carta de Salvador
5º Congresso: PT divulga a Carta de Salvador
 
Futuros cenários para o brasil
Futuros cenários para o brasilFuturos cenários para o brasil
Futuros cenários para o brasil
 
Futuro em debate- CREA BAHIA
Futuro em debate- CREA BAHIAFuturo em debate- CREA BAHIA
Futuro em debate- CREA BAHIA
 

Mais de Roberto Rabat Chame

AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 635 an 29 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 635 an 29 agosto_2017AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 635 an 29 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 635 an 29 agosto_2017
Roberto Rabat Chame
 
Caso SAMU - médico plantão - Dr Marcus Pinto
Caso SAMU - médico plantão - Dr Marcus PintoCaso SAMU - médico plantão - Dr Marcus Pinto
Caso SAMU - médico plantão - Dr Marcus Pinto
Roberto Rabat Chame
 
Simpósio Espírita 25º em Juazeiro
Simpósio Espírita 25º em JuazeiroSimpósio Espírita 25º em Juazeiro
Simpósio Espírita 25º em Juazeiro
Roberto Rabat Chame
 
BAHIA / PODEROSA ASSEMBLEIA ESTADUAL LEGISLATIVA (PAEL) Sessão Ordinária
BAHIA / PODEROSA ASSEMBLEIA ESTADUAL LEGISLATIVA (PAEL) Sessão OrdináriaBAHIA / PODEROSA ASSEMBLEIA ESTADUAL LEGISLATIVA (PAEL) Sessão Ordinária
BAHIA / PODEROSA ASSEMBLEIA ESTADUAL LEGISLATIVA (PAEL) Sessão Ordinária
Roberto Rabat Chame
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - 634 an 22 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - 634 an 22 agosto_2017AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - 634 an 22 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - 634 an 22 agosto_2017
Roberto Rabat Chame
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 633 an 15 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 633 an 15 agosto_2017AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 633 an 15 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 633 an 15 agosto_2017
Roberto Rabat Chame
 
Projeto de Lei Câmara Dia do Maçom
Projeto de Lei Câmara Dia do MaçomProjeto de Lei Câmara Dia do Maçom
Projeto de Lei Câmara Dia do Maçom
Roberto Rabat Chame
 
Manifesto CGTB
Manifesto CGTBManifesto CGTB
Manifesto CGTB
Roberto Rabat Chame
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 632 an 08 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 632 an 08 agosto_2017AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 632 an 08 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 632 an 08 agosto_2017
Roberto Rabat Chame
 
DETRAN-BAHIA _ Notificação Suspensão do Direito de Dirigir
DETRAN-BAHIA _ Notificação Suspensão do Direito de DirigirDETRAN-BAHIA _ Notificação Suspensão do Direito de Dirigir
DETRAN-BAHIA _ Notificação Suspensão do Direito de Dirigir
Roberto Rabat Chame
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº631 an 01 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº631 an 01 agosto_2017AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº631 an 01 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº631 an 01 agosto_2017
Roberto Rabat Chame
 
37 CIPM
37 CIPM37 CIPM
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 630 an 25 julho_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 630 an 25 julho_2017AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 630 an 25 julho_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 630 an 25 julho_2017
Roberto Rabat Chame
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 629 an 18 julho_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 629 an 18 julho_2017AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 629 an 18 julho_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 629 an 18 julho_2017
Roberto Rabat Chame
 
Hospital são josé nota de esclarecimento em 11.07.2017
Hospital são josé   nota de esclarecimento em 11.07.2017Hospital são josé   nota de esclarecimento em 11.07.2017
Hospital são josé nota de esclarecimento em 11.07.2017
Roberto Rabat Chame
 
SALVADOR / 37ªCIPM Queda de criminalidade
SALVADOR / 37ªCIPM Queda de criminalidadeSALVADOR / 37ªCIPM Queda de criminalidade
SALVADOR / 37ªCIPM Queda de criminalidade
Roberto Rabat Chame
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 628 an 11 julho_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 628 an 11 julho_2017AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 628 an 11 julho_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 628 an 11 julho_2017
Roberto Rabat Chame
 
Governador da bahia lanca programa bahia produtiva na ceplac
Governador da bahia lanca programa bahia produtiva na ceplacGovernador da bahia lanca programa bahia produtiva na ceplac
Governador da bahia lanca programa bahia produtiva na ceplac
Roberto Rabat Chame
 
O Dois de Julho
O Dois de JulhoO Dois de Julho
O Dois de Julho
Roberto Rabat Chame
 
Baile da Saudade / Loja Maçônica Segredo, Força e União de Juazeiro Ba
Baile da Saudade /  Loja Maçônica Segredo, Força e União de Juazeiro BaBaile da Saudade /  Loja Maçônica Segredo, Força e União de Juazeiro Ba
Baile da Saudade / Loja Maçônica Segredo, Força e União de Juazeiro Ba
Roberto Rabat Chame
 

Mais de Roberto Rabat Chame (20)

AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 635 an 29 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 635 an 29 agosto_2017AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 635 an 29 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 635 an 29 agosto_2017
 
Caso SAMU - médico plantão - Dr Marcus Pinto
Caso SAMU - médico plantão - Dr Marcus PintoCaso SAMU - médico plantão - Dr Marcus Pinto
Caso SAMU - médico plantão - Dr Marcus Pinto
 
Simpósio Espírita 25º em Juazeiro
Simpósio Espírita 25º em JuazeiroSimpósio Espírita 25º em Juazeiro
Simpósio Espírita 25º em Juazeiro
 
BAHIA / PODEROSA ASSEMBLEIA ESTADUAL LEGISLATIVA (PAEL) Sessão Ordinária
BAHIA / PODEROSA ASSEMBLEIA ESTADUAL LEGISLATIVA (PAEL) Sessão OrdináriaBAHIA / PODEROSA ASSEMBLEIA ESTADUAL LEGISLATIVA (PAEL) Sessão Ordinária
BAHIA / PODEROSA ASSEMBLEIA ESTADUAL LEGISLATIVA (PAEL) Sessão Ordinária
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - 634 an 22 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - 634 an 22 agosto_2017AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - 634 an 22 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - 634 an 22 agosto_2017
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 633 an 15 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 633 an 15 agosto_2017AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 633 an 15 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 633 an 15 agosto_2017
 
Projeto de Lei Câmara Dia do Maçom
Projeto de Lei Câmara Dia do MaçomProjeto de Lei Câmara Dia do Maçom
Projeto de Lei Câmara Dia do Maçom
 
Manifesto CGTB
Manifesto CGTBManifesto CGTB
Manifesto CGTB
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 632 an 08 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 632 an 08 agosto_2017AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 632 an 08 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 632 an 08 agosto_2017
 
DETRAN-BAHIA _ Notificação Suspensão do Direito de Dirigir
DETRAN-BAHIA _ Notificação Suspensão do Direito de DirigirDETRAN-BAHIA _ Notificação Suspensão do Direito de Dirigir
DETRAN-BAHIA _ Notificação Suspensão do Direito de Dirigir
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº631 an 01 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº631 an 01 agosto_2017AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº631 an 01 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº631 an 01 agosto_2017
 
37 CIPM
37 CIPM37 CIPM
37 CIPM
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 630 an 25 julho_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 630 an 25 julho_2017AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 630 an 25 julho_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 630 an 25 julho_2017
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 629 an 18 julho_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 629 an 18 julho_2017AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 629 an 18 julho_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 629 an 18 julho_2017
 
Hospital são josé nota de esclarecimento em 11.07.2017
Hospital são josé   nota de esclarecimento em 11.07.2017Hospital são josé   nota de esclarecimento em 11.07.2017
Hospital são josé nota de esclarecimento em 11.07.2017
 
SALVADOR / 37ªCIPM Queda de criminalidade
SALVADOR / 37ªCIPM Queda de criminalidadeSALVADOR / 37ªCIPM Queda de criminalidade
SALVADOR / 37ªCIPM Queda de criminalidade
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 628 an 11 julho_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 628 an 11 julho_2017AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 628 an 11 julho_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 628 an 11 julho_2017
 
Governador da bahia lanca programa bahia produtiva na ceplac
Governador da bahia lanca programa bahia produtiva na ceplacGovernador da bahia lanca programa bahia produtiva na ceplac
Governador da bahia lanca programa bahia produtiva na ceplac
 
O Dois de Julho
O Dois de JulhoO Dois de Julho
O Dois de Julho
 
Baile da Saudade / Loja Maçônica Segredo, Força e União de Juazeiro Ba
Baile da Saudade /  Loja Maçônica Segredo, Força e União de Juazeiro BaBaile da Saudade /  Loja Maçônica Segredo, Força e União de Juazeiro Ba
Baile da Saudade / Loja Maçônica Segredo, Força e União de Juazeiro Ba
 

AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 594 an 18 outubro_2016.ok

  • 1. AGRISSÊNIOR NOTICIAS Pasquim informativo e virtual. Opiniões, humor e mensagens EDITORES: Luiz Ferreira da Silva (luizferreira1937@gmail.com) e Jefferson Dias (jeffcdiass@gmail.com) Edição 594 – ANO XIII Nº 13 – 18 de outubro de 2016 CONTROLAR O SISTEMA FINANCEIRO PARA EVITAR A DÉBÂCLE ECONÔMICA NO BRASIL Fernando Alcoforado O Dr. Alcoforado, neste artigo, contraria a estratégia atual do governo que foca na redução de gastos públicos. Quem estaria com a razão? Leiam o que ele diz: Qualquer pessoa entendida em economia sabe que em um quadro de estagnação econômica que afeta o Brasil no momento, o crescimento econômico só se realiza desde que o governo eleve seus gastos para compensar a queda do consumo e do investimento. Quem formulou este ensinamento foi o grande economista John Maynard Keynes em meados do século XX. A tese defendida pelo governo de que precisa primeiro reduzir o gasto do governo para depois promover o crescimento econômico é totalmente irracional sob a ótica Keynesiana. Além disso, faz chantagem com a população ao afirmar que a alternativa é o corte de gastos do governo ou o aumento de impostos. Trata-se de um fato lamentável o governo Michel Temer pretender solucionar a crise econômica do Brasil que se agrava a cada dia com a adoção do ajuste fiscal que reduz o gasto público e tende a aprofundar o processo de estagnação econômica do País. Para combater a estagnação econômica, o governo federal deveria: 1) elevar o gasto público renegociando com o sistema financeiro a redução dos encargos com o pagamento dos juros da dívida pública visando seu alongamento no tempo; 2) reduzir drasticamente as taxas de juros Selic e aquelas praticadas pelos bancos para incentivar o investimento privado; 3) incentivar a atividade produtiva para combater a inflação e, quando não for possível, promover a importação de produtos para baixar os preços internamente; e, 4) incentivar as exportações para promover o crescimento econômico instituindo o câmbio fixo em substituição ao câmbio flutuante. Todo este conjunto de medidas só terá êxito se houver, entre outras medidas, o efetivo controle pelo governo dos movimentos de capital no Brasil cuja liberalização aconteceu desde 1990 durante o governo Fernando Collor quando foi introduzido o modelo neoliberal na economia brasileira. A liberalização do fluxo de capitais na economia brasileira está no cerne da grave crise que afeta o Brasil no momento. Encarado como dogma pelos adoradores do deus-mercado, o livre fluxo de capitais compõe o tripé da política macroeconômica neoliberal adotada no Brasil junto com os juros estratosféricos e o elevado superávit primário. Através deste mecanismo, o Brasil foi colonizado e se transformou em uma máquina de transferência de riqueza do setor produtivo para a oligarquia financeira nacional e internacional como vem acontecendo desde a década de 1990. Pode-se afirmar que a livre de circulação de capitais é o nó que une o crescimento
  • 2. desmesurado da dívida pública, a expansão vertiginosa das taxas de juros e a transferência da riqueza nacional com o superávit primário no Brasil. Pressionado pela brutal dívida pública que alcança R$ 4,5 trilhões, o governo brasileiro é forçado a manter os juros extremamente elevados (14,5% ao ano) para atrair novos capitais que permitam o precário funcionamento da economia. Ao mesmo tempo, ela ajuda a entender a existência do superávit primário que tem como principal objetivo assegurar o pagamento dos juros aos credores da dívida pública. Este arrocho fiscal é exigido pelos credores para dar tranquilidade ao deus- mercado e para atrair novos capitais externos. O resultado deste modelo nefasto é conhecido pelos brasileiros: a economia fica estagnada, o desemprego bate recorde, a renda despenca e o Estado tem fragilizada a sua capacidade de investimentos na infraestrutura econômica e social. Na outra ponta, o dinheiro flui livremente para os ricos banqueiros. Esse mecanismo, tão idolatrado pelos neoliberais, ainda tem outros efeitos perversos. Faz com que o risco de abruptas crises cambiais se torne permanente, já que a qualquer momento os investidores externos podem deixar o país – e este perigo é instantâneo, on-line. Esta ameaça reforça ainda mais o poder do capital financeiro, que a usa como forma de chantagem contra o governo brasileiro. O Estado brasileiro vira refém, sendo forçado a fazer sempre mais concessões – reformas liberalizantes, autonomia do BC, etc. como veem ocorrendo no Brasil desde a década de 1990. O modelo econômico neoliberal que impera no Brasil, ancorado no superávit primário, na meta de inflação e no câmbio flutuante, restringe o raio de manobra das políticas domésticas voltadas para o desenvolvimento do País. É este mecanismo que precisa ser barrado para evitar um futuro catastrófico para o Brasil. Outro efeito pernicioso do livre fluxo de capital diz respeito ao incentivo às atividades ilícitas. Aproveitando-se da liberalização financeira, da ausência de regulamentação e controle, grande parte das atividades ilegais que degradam o planeta, como a corrupção, o tráfico de drogas, armas, e órgãos do corpo humano e o crime organizado, encontram o ambiente ideal para a sua valorização e legalização. Um fato é evidente: vivemos sob a ditadura das finanças. A fração hegemônica do capital, a oligarquia financeira, manda e desmanda no Brasil e no mundo, manipula governos, arruína as economias nacionais e legaliza operações ilícitas. A movimentação financeira é frenética, sem qualquer controle. A ditadura das finanças reina absoluta. A oligarquia financeira torna-se a fração hegemônica da burguesia. Diante do risco de ter que se submeterem à ditadura do capital financeiro, várias nações passaram a procurar caminhos alternativos. Os chamados “países em desenvolvimento” da Ásia, após o vendaval financeiro e cambial de 1997, buscaram superar sua vulnerabilidade externa. Através de diversos mecanismos, muitos países voltaram a adotar medidas para disciplinar a entrada e a saída de capitais. No geral, eles hoje obtêm maior sucesso econômico e maior estabilidade do que os que aplicam o modelo neoliberal como o Brasil. Este é o caso da China, onde as transações de capitais dependem de autorização do Estado, as operações financeiras com o exterior, de entrada ou de saída, são autorizadas pelo governo. Outro exemplo é o da Índia, onde predomina o uso de restrições de natureza quantitativa e administrativa às transações de capitais. China e Índia, que nunca abandonaram o controle sobre os capitais, são hoje sinônimos de crescimento econômico continuado. Diferentemente da China e da Índia, o Brasil é um país altamente vulnerável. Para manter o frágil funcionamento da economia, o governo brasileiro depende do ingresso anual de capitais do mercado externo ampliando sua dependência. Essa situação de dependência, uma triste marca da história nacional, chegou às raias do absurdo durante o governo FHC que escancarou a orgia financeira no Brasil. Os governos de Lula e de Dilma Rousseff mantiveram intacta esta dependência do Brasil dela acarretando taxas reais de juros extremamente elevadas que prejudicam o setor produtivo nacional, o superávit fiscal continua extremamente elevado que beneficiam os credores da dívida pública e o livre fluxo de capitais que continua a gerar
  • 3. alegria aos banqueiros. Esta situação é mantida, também, pelo governo Michel Temer com sua política econômica recessiva que ameaça levar o Brasil à bancarrota. É importante observar que a entrada de capital estrangeiro acarreta inúmeros malefícios colaterais. Um deles é a valorização cambial que prejudica a competitividade dos exportadores nacionais. É exatamente esta preocupação que fez com que a China adotasse uma cautelosa gestão cambial optando pelo câmbio fixo ao invés do câmbio flutuante em vigor no Brasil. Diante dos males proporcionados pela liberalização do fluxo de capitais, torna-se uma exigência o controle de capitais que pode ser realizado com a tributação sobre a entrada de capital estrangeiro. Pode também limitar a volatilidade dos fluxos exigindo que determinada porcentagem do investimento estrangeiro fique retida em reserva por determinado número de dias junto ao Banco Central. Este tipo de controle, denominado política “lock-in”, evita a saída repentina de capital. Pode-se afirmar que o controle de capitais pode ser peça importante para uma estratégia de crescimento e desenvolvimento econômico sustentado, principalmente em economias marcadas pela instabilidade macroeconômica como a do Brasil. Tais controles selecionam os fluxos de capital, confinando os capitais especulativos a volumes administráveis e isolando a economia, em algum grau, dos choques externos. Assim, os controles de capitais atuam no sentido de reduzir a volatilidade das taxas de câmbio e de juros, ajudando a estimular as decisões de investimento na economia. NOVA OBRA LITERÁRIA DO AMAURI, O VON STEISLOFF Assim, assina os seus livros, o colega Amauri Rodrigues (UFRRJ/ENA-1957). Leio sempre suas obras, pela leitura fácil, instigante e rica em emoções. Este, fantástico! Vale a pena adquirir através do próprio autor (steisloff@gmail.com) . O QUE ACONTECERIA NO BRASIL? China aprova Lei que dá Pena de Morte para Políticos Corruptos. O Tribunal Popular Supremo da China e os Promotores Estaduais aprovaram uma lei que dá Pena de Morte para os líderes corruptos que paguem ou recebam subornos superiores à de US$463.000 Dólares. Já para valores inferiores as sanções serão outras. Esta medida passou a ter efeitos a partir da data da sua publicação, em Junho de 2016. E faz parte de uma revisão do Código Penal de 2015, onde os valores exatos não eram estipulados para justificar ou não a aplicação da pena de morte. Mas se os acusados confessarem os crimes ou devolver o dinheiro desviado, a pena de morte será suspensa, na verdade, isso significa uma comutação à prisão perpétua, o
  • 4. que é habitual para casos de corrupção no país. Além disso, os colegas ou subordinados destes podem ser também julgados por cumplicidade se não denunciar a corrupção dos colegas próximos, mesmo se eles forem parte de sua família. (Enviada por Odoaldo Passos). “FITOTELEPATIA” Luiz Ferreira da Silva Neste final de semana, a família comemorou, em uma pousada em Japaratinga/Al, os 50 anos de nosso segundo rebento (Ana Luiza).No ano anterior, fora do primogênito (Luiz). Damos (Eu e Airma) muito valor a este acontecimento, pois se ter um filho com 50 anos é uma dádiva; um objetivo alcançado. Mas quero registrar outro acontecido. É sobre os belos coqueirais da região. Da minha rede, depois do café da manhã, me chamou a atenção esses coqueiros de uns 30 metros com uma copa de verde escuro e muitos cachos de coco nos seus mais de 80 anos, bem próximos ao belíssimo mar de Japaratinga. Não me contive, saí do meu conforto e fui até lá e lhe fiz algumas perguntas respondidas prontamente: 1. Eu resisto aos ventos e chuvas e não CAIO, pois como não disponho de pivotante emito um entrelaçado de raízes suberosas por uma área muito grande. Também não produzo galhos para não pesar o meu tronco relativamente pouco espesso. A minha copa é em forma de “X” com uma distribuição epicêntrica que facilita o equilíbrio. 2. Continuo produzindo cachos porque disponho minhas folhas de modo a que todas elas recebam igual energia vinda do sol no processo de maximizar o CHO. 3. Não tenho doenças e nem os insetos me atacam pelo auxílio que recebo do vento salitrado do mar que funciona como inseticidas e fungicidas naturais. 4. As minhas folhas para baixo servem também para segurar os cachos pesados. Os ignorantes das cidades podam e os frutos caem. Agradeci a aula e retornei à minha insignificância, usufruindo do conforto da rede. PENSAMENTOS DE RUBEM ALVES “Se fosse ensinar a uma criança a beleza da música não começaria com partituras, notas e pautas. Ouviríamos juntos as melodias mais gostosas e lhe contaria sobre os instrumentos que fazem a música. Aí, encantada com a beleza da música, ela mesma me pediria que lhe ensinasse o mistério daquelas bolinhas pretas escritas sobre cinco linhas. Porque as bolinhas pretas e as cinco linhas são apenas ferramentas para a produção da beleza musical. A experiência da beleza tem de vir antes....” “A celebração de mais um ano de vida é a celebração de um desfazer, um tempo que deixou de ser, não mais existe. Fósforo que foi riscado. Nunca mais acenderá. Daí a profunda sabedoria do ritual de soprar as velas em festa de aniversário. Se uma vela acesa é símbolo de vida, uma vez apagada ela se torna símbolo de morte..”
  • 5. A POESIA DA SEMANA A MORTE NÃO É NADA Santo Agostinho A morte não é nada. Eu somente passei para o outro lado do Caminho. Eu sou eu, vocês são vocês. O que eu era para vocês, eu continuarei sendo. Me deem o nome que vocês sempre me deram, falem comigo como vocês sempre fizeram. Vocês continuam vivendo no mundo das criaturas, eu estou vivendo no mundo do Criador. Não utilizem um tom solene ou triste, continuem a rir daquilo que nos fazia rir juntos. Rezem, sorriam, pensem em mim. Rezem por mim. Que meu nome seja pronunciado como sempre foi, sem ênfase de nenhum tipo. Sem nenhum traço de sombra ou tristeza. A vida significa tudo o que ela sempre significou, o fio não foi cortado. Porque eu estaria fora de seus pensamentos, agora que estou apenas fora de suas vistas? Eu não estou longe, apenas estou do outro lado do Caminho... Você que aí ficou, siga em frente, a vida continua, linda e bela como sempre foi. A PIADA DA SEMANA O MENINO E A MENINA - CURIOSIDADES DIFERENTES . O MENINO Um menino pergunta para o seu pai "Papai, quantos tipos de peitos existem?". O pai, surpreso, responde "Bem, filho, há três tipos de peitos: - Aos vinte anos os peitos de uma mulher são como melões, redondos e firmes. - Dos trinta aos quarenta eles são como pêras, ainda agradáveis mas um pouco caídos. - Depois dos cinqüenta, eles ficam como cebolas". - "Cebolas?". - "Sim, você olha para eles e chora..." REVANCHE - A MENINA Uma menina pergunta para a sua mãe " Mãe, quantos tipos de pênis existem?". A mãe, surpresa, responde " Bem, filha, um homem, passa por três fases. - Aos vinte anos, o pênis de um homem é duro e ereto como um carvalho. - Dos trinta aos quarenta é como um salgueiro, flexível mas seguro. - Aos cinqüenta ele fica como uma árvore de Natal." - "Uma árvore de Natal?" - "Sim, seca e com umas bolas penduradas para decoração". oOo Acessar: www.r2cpress.com.br