SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 3
Baixar para ler offline
1
CONTROLAR O SISTEMA FINANCEIRO PARA EVITAR A DÉBÂCLE
ECONÔMICA NO BRASIL
Fernando Alcoforado*
Qualquer pessoa entendida em economia sabe que em um quadro de estagnação
econômica que afeta o Brasil no momento, o crescimento econômico só se realiza desde
que o governo eleve seus gastos para compensar a queda do consumo e do investimento.
Quem formulou este ensinamento foi o grande economista John Maynard Keynes em
meados do século XX. A tese defendida pelo governo Michel Temer de que precisa
primeiro reduzir o gasto do governo para depois promover o crescimento econômico é
totalmente irracional sob a ótica Keynesiana. Além disso, faz chantagem com a
população ao afirmar que a alternativa é o corte de gastos do governo ou o aumento de
impostos. Trata-se de um fato lamentável o governo Michel Temer pretender solucionar
a crise econômica do Brasil que se agrava a cada dia com a adoção do ajuste fiscal que
reduz o gasto público e tende a aprofundar o processo de estagnação econômica do País.
Para combater a estagnação econômica, o governo federal deveria: 1) elevar o gasto
público renegociando com o sistema financeiro a redução dos encargos com o
pagamento dos juros da dívida pública visando seu alongamento no tempo; 2) reduzir
drasticamente as taxas de juros Selic e aquelas praticadas pelos bancos para incentivar o
investimento privado; 3) incentivar a atividade produtiva para combater a inflação e,
quando não for possível, promover a importação de produtos para baixar os preços
internamente; e, 4) incentivar as exportações para promover o crescimento econômico
instituindo o câmbio fixo em substituição ao câmbio flutuante.
Todo este conjunto de medidas só terá êxito se houver, entre outras medidas, o efetivo
controle pelo governo dos movimentos de capital no Brasil cuja liberalização aconteceu
desde 1990 durante o governo Fernando Collor quando foi introduzido o modelo
neoliberal na economia brasileira. A liberalização do fluxo de capitais na economia
brasileira está no cerne da grave crise que afeta o Brasil no momento. Encarado como
dogma pelos adoradores do deus-mercado, o livre fluxo de capitais compõe o tripé da
política macroeconômica neoliberal adotada no Brasil – junto com os juros
estratosféricos e o elevado superávit primário. Através deste mecanismo, o Brasil foi
colonizado e se transformou em uma máquina de transferência de riqueza do setor
produtivo para a oligarquia financeira nacional e internacional como vem acontecendo
desde a década de 1990.
Pode-se afirmar que a livre de circulação de capitais é o nó que une o crescimento
desmesurado da dívida pública, a expansão vertiginosa das taxas de juros e a
transferência da riqueza nacional com o superávit primário no Brasil. Pressionado pela
brutal dívida pública que alcança R$ 4,5 trilhões, o governo brasileiro é forçado a
manter os juros extremamente elevados (14,5% ao ano) para atrair novos capitais que
permitam o precário funcionamento da economia. Ao mesmo tempo, ela ajuda a
entender a existência do superávit primário que tem como principal objetivo assegurar o
pagamento dos juros aos credores da dívida pública. Este arrocho fiscal é exigido pelos
credores para dar tranquilidade ao deus-mercado e para atrair novos capitais externos. O
resultado deste modelo nefasto é conhecido pelos brasileiros: a economia fica
estagnada, o desemprego bate recorde, a renda despenca e o Estado tem fragilizada a
2
sua capacidade de investimentos na infraestrutura econômica e social. Na outra ponta, o
dinheiro flui livremente para os ricos banqueiros.
Esse mecanismo, tão idolatrado pelos neoliberais, ainda tem outros efeitos perversos.
Faz com que o risco de abruptas crises cambiais se torne permanente, já que a qualquer
momento os investidores externos podem deixar o país – e este perigo é instantâneo, on-
line. Esta ameaça reforça ainda mais o poder do capital financeiro, que a usa como
forma de chantagem contra o governo brasileiro. O Estado brasileiro vira refém, sendo
forçado a fazer sempre mais concessões – reformas liberalizantes, autonomia do BC,
etc. como veem ocorrendo no Brasil desde a década de 1990. O modelo econômico
neoliberal que impera no Brasil, ancorado no superávit primário, na meta de inflação e
no câmbio flutuante, restringe o raio de manobra das políticas domésticas voltadas para
o desenvolvimento do País. É este mecanismo que precisa ser barrado para evitar um
futuro catastrófico para o Brasil.
Outro efeito pernicioso do livre fluxo de capital diz respeito ao incentivo às atividades
ilícitas. Aproveitando-se da liberalização financeira, da ausência de regulamentação e
controle, grande parte das atividades ilegais que degradam o planeta, como a corrupção,
o tráfico de drogas, armas, e órgãos do corpo humano e o crime organizado, encontram
o ambiente ideal para a sua valorização e legalização. Um fato é evidente: vivemos sob
a ditadura das finanças. A fração hegemônica do capital, a oligarquia financeira, manda
e desmanda no Brasil e no mundo, manipula governos, arruína as economias nacionais e
legaliza operações ilícitas. A movimentação financeira é frenética, sem qualquer
controle. A ditadura das finanças reina absoluta. A oligarquia financeira torna-se a
fração hegemônica da burguesia.
Diante do risco de ter que se submeterem à ditadura do capital financeiro, várias nações
passaram a procurar caminhos alternativos. Os chamados “países em desenvolvimento”
da Ásia, após o vendaval financeiro e cambial de 1997, buscaram superar sua
vulnerabilidade externa. Através de diversos mecanismos, muitos países voltaram a
adotar medidas para disciplinar a entrada e a saída de capitais. No geral, eles hoje obtêm
maior sucesso econômico e maior estabilidade do que os que aplicam o modelo
neoliberal como o Brasil. Este é o caso da China, onde as transações de capitais
dependem de autorização do Estado, as operações financeiras com o exterior, de entrada
ou de saída, são autorizadas pelo governo. Outro exemplo é o da Índia, onde predomina
o uso de restrições de natureza quantitativa e administrativa às transações de capitais.
China e Índia, que nunca abandonaram o controle sobre os capitais, são hoje sinônimos
de crescimento econômico continuado.
Diferentemente da China e da Índia, o Brasil é um país altamente vulnerável. Para
manter o frágil funcionamento da economia, o governo brasileiro depende do ingresso
anual de capitais do mercado externo ampliando sua dependência. Essa situação de
dependência, uma triste marca da história nacional, chegou às raias do absurdo durante
o governo FHC que escancarou a orgia financeira no Brasil. Os governos de Lula e de
Dilma Rousseff mantiveram intacta esta dependência do Brasil dela acarretando taxas
reais de juros extremamente elevadas que prejudicam o setor produtivo nacional, o
superávit fiscal continua extremamente elevado que beneficiam os credores da dívida
pública e o livre fluxo de capitais que continua a gerar alegria aos banqueiros. Esta
situação é mantida, também, pelo governo Michel Temer com sua política econômica
recessiva que ameaça levar o Brasil à bancarrota.
3
É importante observar que a entrada de capital estrangeiro acarreta inúmeros malefícios
colaterais. Um deles é a valorização cambial que prejudica a competitividade dos
exportadores nacionais. É exatamente esta preocupação que fez com que a China
adotasse uma cautelosa gestão cambial optando pelo câmbio fixo ao invés do câmbio
flutuante em vigor no Brasil. Diante dos males proporcionados pela liberalização do
fluxo de capitais, torna-se uma exigência o controle de capitais que pode ser realizado
com a tributação sobre a entrada de capital estrangeiro. Pode também limitar a
volatilidade dos fluxos exigindo que determinada porcentagem do investimento
estrangeiro fique retida em reserva por determinado número de dias junto ao Banco
Central. Este tipo de controle, denominado política “lock-in”, evita a saída repentina de
capital.
Pode-se afirmar que o controle de capitais pode ser peça importante para uma estratégia
de crescimento e desenvolvimento econômico sustentado, principalmente em economias
marcadas pela instabilidade macroeconômica como a do Brasil. Tais controles
selecionam os fluxos de capital, confinando os capitais especulativos a volumes
administráveis e isolando a economia, em algum grau, dos choques externos. Assim, os
controles de capitais atuam no sentido de reduzir a volatilidade das taxas de câmbio e de
juros, ajudando a estimular as decisões de investimento na economia.
*Fernando Alcoforado, 76, membro da Academia Baiana de Educação, engenheiro e doutor em
Planejamento Territorial e Desenvolvimento Regional pela Universidade de Barcelona, professor
universitário e consultor nas áreas de planejamento estratégico, planejamento empresarial, planejamento
regional e planejamento de sistemas energéticos, é autor dos livros Globalização (Editora Nobel, São
Paulo, 1997), De Collor a FHC- O Brasil e a Nova (Des)ordem Mundial (Editora Nobel, São Paulo,
1998), Um Projeto para o Brasil (Editora Nobel, São Paulo, 2000), Os condicionantes do
desenvolvimento do Estado da Bahia (Tese de doutorado. Universidade de
Barcelona,http://www.tesisenred.net/handle/10803/1944, 2003), Globalização e Desenvolvimento
(Editora Nobel, São Paulo, 2006), Bahia- Desenvolvimento do Século XVI ao Século XX e Objetivos
Estratégicos na Era Contemporânea (EGBA, Salvador, 2008), The Necessary Conditions of the
Economic and Social Development- The Case of the State of Bahia (VDM Verlag Dr. Müller
Aktiengesellschaft & Co. KG, Saarbrücken, Germany, 2010), Aquecimento Global e Catástrofe
Planetária (P&A Gráfica e Editora, Salvador, 2010), Amazônia Sustentável- Para o progresso do Brasil e
combate ao aquecimento global (Viena- Editora e Gráfica, Santa Cruz do Rio Pardo, São Paulo, 2011),
Os Fatores Condicionantes do Desenvolvimento Econômico e Social (Editora CRV, Curitiba, 2012),
Energia no Mundo e no Brasil- Energia e Mudança Climática Catastrófica no Século XXI (Editora CRV,
Curitiba, 2015) e As Grandes Revoluções Científicas, Econômicas e Sociais que Mudaram o Mundo
(Editora CRV, Curitiba, 2016). Possui blog na Internet (http://fernando.alcoforado.zip.net). E-mail:
falcoforado@uol.com.br.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Luis Fernando Paula
Luis Fernando PaulaLuis Fernando Paula
Luis Fernando PaulaLuis Nassif
 
Brasil economia e população observações de texto
Brasil  economia e população  observações de textoBrasil  economia e população  observações de texto
Brasil economia e população observações de textoSalageo Cristina
 
Economia brasileira década de 1980 2014
Economia brasileira década de 1980 2014Economia brasileira década de 1980 2014
Economia brasileira década de 1980 2014Dani Andrade
 
Macroeconomia -aula 1
Macroeconomia -aula  1Macroeconomia -aula  1
Macroeconomia -aula 1Na Silva
 
áSia mostra ao brasil os caminhos do desenvolvimento
áSia mostra ao brasil os caminhos do desenvolvimentoáSia mostra ao brasil os caminhos do desenvolvimento
áSia mostra ao brasil os caminhos do desenvolvimentoFernando Alcoforado
 
Introdução à economia para gestão 4a parte macroeconomia
Introdução à economia para gestão 4a parte macroeconomiaIntrodução à economia para gestão 4a parte macroeconomia
Introdução à economia para gestão 4a parte macroeconomiaJoão Cláudio Arroyo
 
Política fiscal e monetária
Política fiscal e monetáriaPolítica fiscal e monetária
Política fiscal e monetáriaUsuarioManeiro
 
Aula de macroeconomia
Aula de macroeconomiaAula de macroeconomia
Aula de macroeconomiaAmanda Pontar
 
Escorcha financeira inviabiliza a recuperação econômica do brasil
Escorcha financeira inviabiliza a recuperação econômica do brasilEscorcha financeira inviabiliza a recuperação econômica do brasil
Escorcha financeira inviabiliza a recuperação econômica do brasilFernando Alcoforado
 
Aula 1 - Introdução as Relações Internacionais
Aula 1 - Introdução as Relações InternacionaisAula 1 - Introdução as Relações Internacionais
Aula 1 - Introdução as Relações InternacionaisSergio Santos
 
Tequila ou Tortilha? Notas sobre a Economia Brasileira nos Noventa
Tequila ou Tortilha? Notas sobre a Economia Brasileira nos NoventaTequila ou Tortilha? Notas sobre a Economia Brasileira nos Noventa
Tequila ou Tortilha? Notas sobre a Economia Brasileira nos NoventaGrupo de Economia Política IE-UFRJ
 
Relações económicas com resto do mundo.
Relações económicas com resto do mundo.Relações económicas com resto do mundo.
Relações económicas com resto do mundo.Susana Santos
 
Economia brasileira em perspectiva 30.12.2014
Economia brasileira em perspectiva   30.12.2014Economia brasileira em perspectiva   30.12.2014
Economia brasileira em perspectiva 30.12.2014DenizecomZ
 
Trabalho variaveis macroeconomicas
Trabalho variaveis macroeconomicasTrabalho variaveis macroeconomicas
Trabalho variaveis macroeconomicasLowrrayny Franchesca
 
Saldo da balança de pagamentos portuguesa
Saldo da balança de pagamentos portuguesaSaldo da balança de pagamentos portuguesa
Saldo da balança de pagamentos portuguesaRaffaella Ergün
 
Grupo 3 apresentacão junta
Grupo 3 apresentacão juntaGrupo 3 apresentacão junta
Grupo 3 apresentacão juntajulianazaponi
 
Aulas De FinançAs PúBlicas I,Ii E Iii Capitulos
Aulas De FinançAs PúBlicas I,Ii E Iii CapitulosAulas De FinançAs PúBlicas I,Ii E Iii Capitulos
Aulas De FinançAs PúBlicas I,Ii E Iii CapitulosNgouabi Salvador
 
O Plano Real
O Plano RealO Plano Real
O Plano Realecsette
 
O Que é a Macroeconomia?
O Que é a Macroeconomia?O Que é a Macroeconomia?
O Que é a Macroeconomia?elliando dias
 

Mais procurados (20)

Luis Fernando Paula
Luis Fernando PaulaLuis Fernando Paula
Luis Fernando Paula
 
Brasil economia e população observações de texto
Brasil  economia e população  observações de textoBrasil  economia e população  observações de texto
Brasil economia e população observações de texto
 
Economia brasileira década de 1980 2014
Economia brasileira década de 1980 2014Economia brasileira década de 1980 2014
Economia brasileira década de 1980 2014
 
Macroeconomia -aula 1
Macroeconomia -aula  1Macroeconomia -aula  1
Macroeconomia -aula 1
 
áSia mostra ao brasil os caminhos do desenvolvimento
áSia mostra ao brasil os caminhos do desenvolvimentoáSia mostra ao brasil os caminhos do desenvolvimento
áSia mostra ao brasil os caminhos do desenvolvimento
 
Introdução à economia para gestão 4a parte macroeconomia
Introdução à economia para gestão 4a parte macroeconomiaIntrodução à economia para gestão 4a parte macroeconomia
Introdução à economia para gestão 4a parte macroeconomia
 
Política fiscal e monetária
Política fiscal e monetáriaPolítica fiscal e monetária
Política fiscal e monetária
 
Aula de macroeconomia
Aula de macroeconomiaAula de macroeconomia
Aula de macroeconomia
 
Escorcha financeira inviabiliza a recuperação econômica do brasil
Escorcha financeira inviabiliza a recuperação econômica do brasilEscorcha financeira inviabiliza a recuperação econômica do brasil
Escorcha financeira inviabiliza a recuperação econômica do brasil
 
Aula 1 - Introdução as Relações Internacionais
Aula 1 - Introdução as Relações InternacionaisAula 1 - Introdução as Relações Internacionais
Aula 1 - Introdução as Relações Internacionais
 
Tequila ou Tortilha? Notas sobre a Economia Brasileira nos Noventa
Tequila ou Tortilha? Notas sobre a Economia Brasileira nos NoventaTequila ou Tortilha? Notas sobre a Economia Brasileira nos Noventa
Tequila ou Tortilha? Notas sobre a Economia Brasileira nos Noventa
 
Relações económicas com resto do mundo.
Relações económicas com resto do mundo.Relações económicas com resto do mundo.
Relações económicas com resto do mundo.
 
Economia brasileira em perspectiva 30.12.2014
Economia brasileira em perspectiva   30.12.2014Economia brasileira em perspectiva   30.12.2014
Economia brasileira em perspectiva 30.12.2014
 
Trabalho variaveis macroeconomicas
Trabalho variaveis macroeconomicasTrabalho variaveis macroeconomicas
Trabalho variaveis macroeconomicas
 
Saldo da balança de pagamentos portuguesa
Saldo da balança de pagamentos portuguesaSaldo da balança de pagamentos portuguesa
Saldo da balança de pagamentos portuguesa
 
Grupo 3 apresentacão junta
Grupo 3 apresentacão juntaGrupo 3 apresentacão junta
Grupo 3 apresentacão junta
 
Aulas De FinançAs PúBlicas I,Ii E Iii Capitulos
Aulas De FinançAs PúBlicas I,Ii E Iii CapitulosAulas De FinançAs PúBlicas I,Ii E Iii Capitulos
Aulas De FinançAs PúBlicas I,Ii E Iii Capitulos
 
O Plano Real
O Plano RealO Plano Real
O Plano Real
 
O Que é a Macroeconomia?
O Que é a Macroeconomia?O Que é a Macroeconomia?
O Que é a Macroeconomia?
 
nnnnEmergentes
nnnnEmergentesnnnnEmergentes
nnnnEmergentes
 

Destaque

Destaque (16)

الخرائط الذهنية Mind map
الخرائط الذهنية Mind mapالخرائط الذهنية Mind map
الخرائط الذهنية Mind map
 
Bryan45
Bryan45Bryan45
Bryan45
 
El milagro de las margaritas
El milagro de las margaritasEl milagro de las margaritas
El milagro de las margaritas
 
Backstage pass printing
Backstage pass printingBackstage pass printing
Backstage pass printing
 
Apresentacao olhosdeaguias
Apresentacao olhosdeaguiasApresentacao olhosdeaguias
Apresentacao olhosdeaguias
 
Areniscas Stone solo fotos todas las piedras
Areniscas Stone solo fotos todas las piedrasAreniscas Stone solo fotos todas las piedras
Areniscas Stone solo fotos todas las piedras
 
United states-of-flavor-guide
United states-of-flavor-guideUnited states-of-flavor-guide
United states-of-flavor-guide
 
United states-of-flavor-guide
United states-of-flavor-guideUnited states-of-flavor-guide
United states-of-flavor-guide
 
Fgf
FgfFgf
Fgf
 
Fgf
FgfFgf
Fgf
 
Seattle Seahawks Helmet Autographed Helmet
Seattle Seahawks Helmet Autographed HelmetSeattle Seahawks Helmet Autographed Helmet
Seattle Seahawks Helmet Autographed Helmet
 
Amós y la gracia que deslumbró a víctor de la serna
Amós y la gracia que deslumbró a víctor de la sernaAmós y la gracia que deslumbró a víctor de la serna
Amós y la gracia que deslumbró a víctor de la serna
 
Festival belgorod prezentatsia_2016
Festival belgorod prezentatsia_2016Festival belgorod prezentatsia_2016
Festival belgorod prezentatsia_2016
 
Концепция интеграционной практики
Концепция интеграционной практикиКонцепция интеграционной практики
Концепция интеграционной практики
 
Presentación rock rock
Presentación rock rockPresentación rock rock
Presentación rock rock
 
newsletter.salonia
newsletter.salonianewsletter.salonia
newsletter.salonia
 

Semelhante a Controlar o sistema financeiro para evitar a débâcle econômica no brasil

AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 594 an 18 outubro_2016.ok
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 594 an  18 outubro_2016.okAGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 594 an  18 outubro_2016.ok
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 594 an 18 outubro_2016.okRoberto Rabat Chame
 
Como mudar os rumos da economia do brasil
Como mudar os rumos da economia do brasilComo mudar os rumos da economia do brasil
Como mudar os rumos da economia do brasilFernando Alcoforado
 
Governabilidade e economia ameaçadas no brasil
Governabilidade e economia ameaçadas no brasilGovernabilidade e economia ameaçadas no brasil
Governabilidade e economia ameaçadas no brasilFernando Alcoforado
 
Em defesa de um novo modelo econômico nacional desenvolvimentista para supera...
Em defesa de um novo modelo econômico nacional desenvolvimentista para supera...Em defesa de um novo modelo econômico nacional desenvolvimentista para supera...
Em defesa de um novo modelo econômico nacional desenvolvimentista para supera...Fernando Alcoforado
 
O presidente que o brasil precisa
O presidente que o brasil precisaO presidente que o brasil precisa
O presidente que o brasil precisaFernando Alcoforado
 
Urge a construção de uma nova alternativa de poder no brasil
Urge a construção de uma nova alternativa de poder no brasilUrge a construção de uma nova alternativa de poder no brasil
Urge a construção de uma nova alternativa de poder no brasilFernando Alcoforado
 
Como desenvolver a economia do brasil em novas bases
Como desenvolver a economia do brasil em novas basesComo desenvolver a economia do brasil em novas bases
Como desenvolver a economia do brasil em novas basesFernando Alcoforado
 
Como desenvolver a economia do brasil em novas bases
Como desenvolver a economia do brasil em novas basesComo desenvolver a economia do brasil em novas bases
Como desenvolver a economia do brasil em novas basesRoberto Rabat Chame
 
Os nefastos efeitos do governo neoliberal de michel temer sobre o brasil
Os nefastos efeitos do governo neoliberal de michel temer sobre o brasilOs nefastos efeitos do governo neoliberal de michel temer sobre o brasil
Os nefastos efeitos do governo neoliberal de michel temer sobre o brasilFernando Alcoforado
 
Pec 241 ameaça o desenvolvimento do brasil
Pec 241 ameaça o desenvolvimento do brasilPec 241 ameaça o desenvolvimento do brasil
Pec 241 ameaça o desenvolvimento do brasilFernando Alcoforado
 
O governo e o sistema financeiro unidos contra o progresso do brasil
O governo e o sistema financeiro unidos contra o progresso do brasilO governo e o sistema financeiro unidos contra o progresso do brasil
O governo e o sistema financeiro unidos contra o progresso do brasilFernando Alcoforado
 
O governo e o sistema financeiro unidos contra o progresso do brasil
O governo e o sistema financeiro unidos contra o progresso do brasilO governo e o sistema financeiro unidos contra o progresso do brasil
O governo e o sistema financeiro unidos contra o progresso do brasilRoberto Rabat Chame
 
Brasil rumo à depressão em 2015
Brasil rumo à depressão em 2015Brasil rumo à depressão em 2015
Brasil rumo à depressão em 2015Fernando Alcoforado
 
REFORMA DO ESTADO E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NECESSÁRIA AO BRASIL NA ERA CONT...
REFORMA DO ESTADO E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NECESSÁRIA AO BRASIL NA ERA CONT...REFORMA DO ESTADO E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NECESSÁRIA AO BRASIL NA ERA CONT...
REFORMA DO ESTADO E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NECESSÁRIA AO BRASIL NA ERA CONT...Fernando Alcoforado
 
REFORMA DO ESTADO E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NECESSÁRIA AO BRASIL NA ERA CONT...
REFORMA DO ESTADO E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NECESSÁRIA AO BRASIL NA ERA CONT...REFORMA DO ESTADO E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NECESSÁRIA AO BRASIL NA ERA CONT...
REFORMA DO ESTADO E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NECESSÁRIA AO BRASIL NA ERA CONT...Fernando Alcoforado
 
A economia brasileira asfixiada pelo desastroso governo dilma rousseff
A economia brasileira asfixiada pelo desastroso governo dilma rousseffA economia brasileira asfixiada pelo desastroso governo dilma rousseff
A economia brasileira asfixiada pelo desastroso governo dilma rousseffFernando Alcoforado
 

Semelhante a Controlar o sistema financeiro para evitar a débâcle econômica no brasil (20)

AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 594 an 18 outubro_2016.ok
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 594 an  18 outubro_2016.okAGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 594 an  18 outubro_2016.ok
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 594 an 18 outubro_2016.ok
 
Como mudar os rumos da economia do brasil
Como mudar os rumos da economia do brasilComo mudar os rumos da economia do brasil
Como mudar os rumos da economia do brasil
 
Governabilidade e economia ameaçadas no brasil
Governabilidade e economia ameaçadas no brasilGovernabilidade e economia ameaçadas no brasil
Governabilidade e economia ameaçadas no brasil
 
O medo venceu a esperança
O medo venceu a esperançaO medo venceu a esperança
O medo venceu a esperança
 
Em defesa de um novo modelo econômico nacional desenvolvimentista para supera...
Em defesa de um novo modelo econômico nacional desenvolvimentista para supera...Em defesa de um novo modelo econômico nacional desenvolvimentista para supera...
Em defesa de um novo modelo econômico nacional desenvolvimentista para supera...
 
O presidente que o brasil precisa
O presidente que o brasil precisaO presidente que o brasil precisa
O presidente que o brasil precisa
 
O brasil tem futuro sombrio
O brasil tem futuro sombrioO brasil tem futuro sombrio
O brasil tem futuro sombrio
 
Futuro em debate- CREA BAHIA
Futuro em debate- CREA BAHIAFuturo em debate- CREA BAHIA
Futuro em debate- CREA BAHIA
 
Urge a construção de uma nova alternativa de poder no brasil
Urge a construção de uma nova alternativa de poder no brasilUrge a construção de uma nova alternativa de poder no brasil
Urge a construção de uma nova alternativa de poder no brasil
 
Como desenvolver a economia do brasil em novas bases
Como desenvolver a economia do brasil em novas basesComo desenvolver a economia do brasil em novas bases
Como desenvolver a economia do brasil em novas bases
 
Como desenvolver a economia do brasil em novas bases
Como desenvolver a economia do brasil em novas basesComo desenvolver a economia do brasil em novas bases
Como desenvolver a economia do brasil em novas bases
 
Os nefastos efeitos do governo neoliberal de michel temer sobre o brasil
Os nefastos efeitos do governo neoliberal de michel temer sobre o brasilOs nefastos efeitos do governo neoliberal de michel temer sobre o brasil
Os nefastos efeitos do governo neoliberal de michel temer sobre o brasil
 
Pec 241 ameaça o desenvolvimento do brasil
Pec 241 ameaça o desenvolvimento do brasilPec 241 ameaça o desenvolvimento do brasil
Pec 241 ameaça o desenvolvimento do brasil
 
O governo e o sistema financeiro unidos contra o progresso do brasil
O governo e o sistema financeiro unidos contra o progresso do brasilO governo e o sistema financeiro unidos contra o progresso do brasil
O governo e o sistema financeiro unidos contra o progresso do brasil
 
O governo e o sistema financeiro unidos contra o progresso do brasil
O governo e o sistema financeiro unidos contra o progresso do brasilO governo e o sistema financeiro unidos contra o progresso do brasil
O governo e o sistema financeiro unidos contra o progresso do brasil
 
Brasil rumo a depressao em 2015
Brasil rumo a depressao em 2015Brasil rumo a depressao em 2015
Brasil rumo a depressao em 2015
 
Brasil rumo à depressão em 2015
Brasil rumo à depressão em 2015Brasil rumo à depressão em 2015
Brasil rumo à depressão em 2015
 
REFORMA DO ESTADO E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NECESSÁRIA AO BRASIL NA ERA CONT...
REFORMA DO ESTADO E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NECESSÁRIA AO BRASIL NA ERA CONT...REFORMA DO ESTADO E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NECESSÁRIA AO BRASIL NA ERA CONT...
REFORMA DO ESTADO E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NECESSÁRIA AO BRASIL NA ERA CONT...
 
REFORMA DO ESTADO E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NECESSÁRIA AO BRASIL NA ERA CONT...
REFORMA DO ESTADO E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NECESSÁRIA AO BRASIL NA ERA CONT...REFORMA DO ESTADO E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NECESSÁRIA AO BRASIL NA ERA CONT...
REFORMA DO ESTADO E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NECESSÁRIA AO BRASIL NA ERA CONT...
 
A economia brasileira asfixiada pelo desastroso governo dilma rousseff
A economia brasileira asfixiada pelo desastroso governo dilma rousseffA economia brasileira asfixiada pelo desastroso governo dilma rousseff
A economia brasileira asfixiada pelo desastroso governo dilma rousseff
 

Mais de Fernando Alcoforado

O INFERNO DAS CATÁSTROFES SOFRIDAS PELO POVO BRASILEIRO
O INFERNO DAS CATÁSTROFES SOFRIDAS PELO POVO BRASILEIRO   O INFERNO DAS CATÁSTROFES SOFRIDAS PELO POVO BRASILEIRO
O INFERNO DAS CATÁSTROFES SOFRIDAS PELO POVO BRASILEIRO Fernando Alcoforado
 
L'ENFER DES CATASTROPHES SUBIS PAR LE PEUPLE BRÉSILIEN
L'ENFER DES CATASTROPHES SUBIS PAR LE PEUPLE BRÉSILIENL'ENFER DES CATASTROPHES SUBIS PAR LE PEUPLE BRÉSILIEN
L'ENFER DES CATASTROPHES SUBIS PAR LE PEUPLE BRÉSILIENFernando Alcoforado
 
LE MONDE VERS UNE CATASTROPHE CLIMATIQUE?
LE MONDE VERS UNE CATASTROPHE CLIMATIQUE?LE MONDE VERS UNE CATASTROPHE CLIMATIQUE?
LE MONDE VERS UNE CATASTROPHE CLIMATIQUE?Fernando Alcoforado
 
AQUECIMENTO GLOBAL, MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL E SEUS IMPACTOS SOBRE A SAÚDE HU...
AQUECIMENTO GLOBAL, MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL E SEUS IMPACTOS SOBRE A SAÚDE HU...AQUECIMENTO GLOBAL, MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL E SEUS IMPACTOS SOBRE A SAÚDE HU...
AQUECIMENTO GLOBAL, MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL E SEUS IMPACTOS SOBRE A SAÚDE HU...Fernando Alcoforado
 
GLOBAL WARMING, GLOBAL CLIMATE CHANGE AND ITS IMPACTS ON HUMAN HEALTH
GLOBAL WARMING, GLOBAL CLIMATE CHANGE AND ITS IMPACTS ON HUMAN HEALTHGLOBAL WARMING, GLOBAL CLIMATE CHANGE AND ITS IMPACTS ON HUMAN HEALTH
GLOBAL WARMING, GLOBAL CLIMATE CHANGE AND ITS IMPACTS ON HUMAN HEALTHFernando Alcoforado
 
LE RÉCHAUFFEMENT CLIMATIQUE, LE CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL ET SES IMPACTS ...
LE RÉCHAUFFEMENT CLIMATIQUE, LE CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL ET SES IMPACTS ...LE RÉCHAUFFEMENT CLIMATIQUE, LE CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL ET SES IMPACTS ...
LE RÉCHAUFFEMENT CLIMATIQUE, LE CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL ET SES IMPACTS ...Fernando Alcoforado
 
INONDATIONS DES VILLES ET CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL
INONDATIONS DES VILLES ET CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIALINONDATIONS DES VILLES ET CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL
INONDATIONS DES VILLES ET CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIALFernando Alcoforado
 
CITY FLOODS AND GLOBAL CLIMATE CHANGE
CITY FLOODS AND GLOBAL CLIMATE CHANGECITY FLOODS AND GLOBAL CLIMATE CHANGE
CITY FLOODS AND GLOBAL CLIMATE CHANGEFernando Alcoforado
 
INUNDAÇÕES DAS CIDADES E MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL
INUNDAÇÕES DAS CIDADES E MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBALINUNDAÇÕES DAS CIDADES E MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL
INUNDAÇÕES DAS CIDADES E MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBALFernando Alcoforado
 
CIVILIZAÇÃO OU BARBÁRIE SÃO AS ESCOLHAS DO POVO BRASILEIRO NAS ELEIÇÕES DE 2022
CIVILIZAÇÃO OU BARBÁRIE SÃO AS ESCOLHAS DO POVO BRASILEIRO NAS ELEIÇÕES DE 2022 CIVILIZAÇÃO OU BARBÁRIE SÃO AS ESCOLHAS DO POVO BRASILEIRO NAS ELEIÇÕES DE 2022
CIVILIZAÇÃO OU BARBÁRIE SÃO AS ESCOLHAS DO POVO BRASILEIRO NAS ELEIÇÕES DE 2022 Fernando Alcoforado
 
CIVILISATION OU BARBARIE SONT LES CHOIX DU PEUPLE BRÉSILIEN AUX ÉLECTIONS DE ...
CIVILISATION OU BARBARIE SONT LES CHOIX DU PEUPLE BRÉSILIEN AUX ÉLECTIONS DE ...CIVILISATION OU BARBARIE SONT LES CHOIX DU PEUPLE BRÉSILIEN AUX ÉLECTIONS DE ...
CIVILISATION OU BARBARIE SONT LES CHOIX DU PEUPLE BRÉSILIEN AUX ÉLECTIONS DE ...Fernando Alcoforado
 
CIVILIZATION OR BARBARISM ARE THE CHOICES OF THE BRAZILIAN PEOPLE IN THE 2022...
CIVILIZATION OR BARBARISM ARE THE CHOICES OF THE BRAZILIAN PEOPLE IN THE 2022...CIVILIZATION OR BARBARISM ARE THE CHOICES OF THE BRAZILIAN PEOPLE IN THE 2022...
CIVILIZATION OR BARBARISM ARE THE CHOICES OF THE BRAZILIAN PEOPLE IN THE 2022...Fernando Alcoforado
 
COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...
COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...
COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...Fernando Alcoforado
 
COMMENT ÉVITER LA PRÉVISION DE STEPHEN HAWKING QUE L'HUMANITÉ N'A QUE 100 ANS...
COMMENT ÉVITER LA PRÉVISION DE STEPHEN HAWKING QUE L'HUMANITÉ N'A QUE 100 ANS...COMMENT ÉVITER LA PRÉVISION DE STEPHEN HAWKING QUE L'HUMANITÉ N'A QUE 100 ANS...
COMMENT ÉVITER LA PRÉVISION DE STEPHEN HAWKING QUE L'HUMANITÉ N'A QUE 100 ANS...Fernando Alcoforado
 
THE GREAT FRENCH REVOLUTION THAT CHANGED THE WORLD
THE GREAT FRENCH REVOLUTION THAT CHANGED THE WORLDTHE GREAT FRENCH REVOLUTION THAT CHANGED THE WORLD
THE GREAT FRENCH REVOLUTION THAT CHANGED THE WORLDFernando Alcoforado
 
LA GRANDE RÉVOLUTION FRANÇAISE QUI A CHANGÉ LE MONDE
LA GRANDE RÉVOLUTION FRANÇAISE QUI A CHANGÉ LE MONDE LA GRANDE RÉVOLUTION FRANÇAISE QUI A CHANGÉ LE MONDE
LA GRANDE RÉVOLUTION FRANÇAISE QUI A CHANGÉ LE MONDE Fernando Alcoforado
 
A GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDO
A GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDOA GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDO
A GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDOFernando Alcoforado
 
O TARIFAÇO DE ENERGIA É SINAL DE INCOMPETÊNCIA DO GOVERNO FEDERAL NO PLANEJAM...
O TARIFAÇO DE ENERGIA É SINAL DE INCOMPETÊNCIA DO GOVERNO FEDERAL NO PLANEJAM...O TARIFAÇO DE ENERGIA É SINAL DE INCOMPETÊNCIA DO GOVERNO FEDERAL NO PLANEJAM...
O TARIFAÇO DE ENERGIA É SINAL DE INCOMPETÊNCIA DO GOVERNO FEDERAL NO PLANEJAM...Fernando Alcoforado
 
LES RÉVOLUTIONS SOCIALES, LEURS FACTEURS DÉCLENCHEURS ET LE BRÉSIL ACTUEL
LES RÉVOLUTIONS SOCIALES, LEURS FACTEURS DÉCLENCHEURS ET LE BRÉSIL ACTUELLES RÉVOLUTIONS SOCIALES, LEURS FACTEURS DÉCLENCHEURS ET LE BRÉSIL ACTUEL
LES RÉVOLUTIONS SOCIALES, LEURS FACTEURS DÉCLENCHEURS ET LE BRÉSIL ACTUELFernando Alcoforado
 
SOCIAL REVOLUTIONS, THEIR TRIGGERS FACTORS AND CURRENT BRAZIL
SOCIAL REVOLUTIONS, THEIR TRIGGERS FACTORS AND CURRENT BRAZILSOCIAL REVOLUTIONS, THEIR TRIGGERS FACTORS AND CURRENT BRAZIL
SOCIAL REVOLUTIONS, THEIR TRIGGERS FACTORS AND CURRENT BRAZILFernando Alcoforado
 

Mais de Fernando Alcoforado (20)

O INFERNO DAS CATÁSTROFES SOFRIDAS PELO POVO BRASILEIRO
O INFERNO DAS CATÁSTROFES SOFRIDAS PELO POVO BRASILEIRO   O INFERNO DAS CATÁSTROFES SOFRIDAS PELO POVO BRASILEIRO
O INFERNO DAS CATÁSTROFES SOFRIDAS PELO POVO BRASILEIRO
 
L'ENFER DES CATASTROPHES SUBIS PAR LE PEUPLE BRÉSILIEN
L'ENFER DES CATASTROPHES SUBIS PAR LE PEUPLE BRÉSILIENL'ENFER DES CATASTROPHES SUBIS PAR LE PEUPLE BRÉSILIEN
L'ENFER DES CATASTROPHES SUBIS PAR LE PEUPLE BRÉSILIEN
 
LE MONDE VERS UNE CATASTROPHE CLIMATIQUE?
LE MONDE VERS UNE CATASTROPHE CLIMATIQUE?LE MONDE VERS UNE CATASTROPHE CLIMATIQUE?
LE MONDE VERS UNE CATASTROPHE CLIMATIQUE?
 
AQUECIMENTO GLOBAL, MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL E SEUS IMPACTOS SOBRE A SAÚDE HU...
AQUECIMENTO GLOBAL, MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL E SEUS IMPACTOS SOBRE A SAÚDE HU...AQUECIMENTO GLOBAL, MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL E SEUS IMPACTOS SOBRE A SAÚDE HU...
AQUECIMENTO GLOBAL, MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL E SEUS IMPACTOS SOBRE A SAÚDE HU...
 
GLOBAL WARMING, GLOBAL CLIMATE CHANGE AND ITS IMPACTS ON HUMAN HEALTH
GLOBAL WARMING, GLOBAL CLIMATE CHANGE AND ITS IMPACTS ON HUMAN HEALTHGLOBAL WARMING, GLOBAL CLIMATE CHANGE AND ITS IMPACTS ON HUMAN HEALTH
GLOBAL WARMING, GLOBAL CLIMATE CHANGE AND ITS IMPACTS ON HUMAN HEALTH
 
LE RÉCHAUFFEMENT CLIMATIQUE, LE CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL ET SES IMPACTS ...
LE RÉCHAUFFEMENT CLIMATIQUE, LE CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL ET SES IMPACTS ...LE RÉCHAUFFEMENT CLIMATIQUE, LE CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL ET SES IMPACTS ...
LE RÉCHAUFFEMENT CLIMATIQUE, LE CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL ET SES IMPACTS ...
 
INONDATIONS DES VILLES ET CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL
INONDATIONS DES VILLES ET CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIALINONDATIONS DES VILLES ET CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL
INONDATIONS DES VILLES ET CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL
 
CITY FLOODS AND GLOBAL CLIMATE CHANGE
CITY FLOODS AND GLOBAL CLIMATE CHANGECITY FLOODS AND GLOBAL CLIMATE CHANGE
CITY FLOODS AND GLOBAL CLIMATE CHANGE
 
INUNDAÇÕES DAS CIDADES E MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL
INUNDAÇÕES DAS CIDADES E MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBALINUNDAÇÕES DAS CIDADES E MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL
INUNDAÇÕES DAS CIDADES E MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL
 
CIVILIZAÇÃO OU BARBÁRIE SÃO AS ESCOLHAS DO POVO BRASILEIRO NAS ELEIÇÕES DE 2022
CIVILIZAÇÃO OU BARBÁRIE SÃO AS ESCOLHAS DO POVO BRASILEIRO NAS ELEIÇÕES DE 2022 CIVILIZAÇÃO OU BARBÁRIE SÃO AS ESCOLHAS DO POVO BRASILEIRO NAS ELEIÇÕES DE 2022
CIVILIZAÇÃO OU BARBÁRIE SÃO AS ESCOLHAS DO POVO BRASILEIRO NAS ELEIÇÕES DE 2022
 
CIVILISATION OU BARBARIE SONT LES CHOIX DU PEUPLE BRÉSILIEN AUX ÉLECTIONS DE ...
CIVILISATION OU BARBARIE SONT LES CHOIX DU PEUPLE BRÉSILIEN AUX ÉLECTIONS DE ...CIVILISATION OU BARBARIE SONT LES CHOIX DU PEUPLE BRÉSILIEN AUX ÉLECTIONS DE ...
CIVILISATION OU BARBARIE SONT LES CHOIX DU PEUPLE BRÉSILIEN AUX ÉLECTIONS DE ...
 
CIVILIZATION OR BARBARISM ARE THE CHOICES OF THE BRAZILIAN PEOPLE IN THE 2022...
CIVILIZATION OR BARBARISM ARE THE CHOICES OF THE BRAZILIAN PEOPLE IN THE 2022...CIVILIZATION OR BARBARISM ARE THE CHOICES OF THE BRAZILIAN PEOPLE IN THE 2022...
CIVILIZATION OR BARBARISM ARE THE CHOICES OF THE BRAZILIAN PEOPLE IN THE 2022...
 
COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...
COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...
COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...
 
COMMENT ÉVITER LA PRÉVISION DE STEPHEN HAWKING QUE L'HUMANITÉ N'A QUE 100 ANS...
COMMENT ÉVITER LA PRÉVISION DE STEPHEN HAWKING QUE L'HUMANITÉ N'A QUE 100 ANS...COMMENT ÉVITER LA PRÉVISION DE STEPHEN HAWKING QUE L'HUMANITÉ N'A QUE 100 ANS...
COMMENT ÉVITER LA PRÉVISION DE STEPHEN HAWKING QUE L'HUMANITÉ N'A QUE 100 ANS...
 
THE GREAT FRENCH REVOLUTION THAT CHANGED THE WORLD
THE GREAT FRENCH REVOLUTION THAT CHANGED THE WORLDTHE GREAT FRENCH REVOLUTION THAT CHANGED THE WORLD
THE GREAT FRENCH REVOLUTION THAT CHANGED THE WORLD
 
LA GRANDE RÉVOLUTION FRANÇAISE QUI A CHANGÉ LE MONDE
LA GRANDE RÉVOLUTION FRANÇAISE QUI A CHANGÉ LE MONDE LA GRANDE RÉVOLUTION FRANÇAISE QUI A CHANGÉ LE MONDE
LA GRANDE RÉVOLUTION FRANÇAISE QUI A CHANGÉ LE MONDE
 
A GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDO
A GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDOA GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDO
A GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDO
 
O TARIFAÇO DE ENERGIA É SINAL DE INCOMPETÊNCIA DO GOVERNO FEDERAL NO PLANEJAM...
O TARIFAÇO DE ENERGIA É SINAL DE INCOMPETÊNCIA DO GOVERNO FEDERAL NO PLANEJAM...O TARIFAÇO DE ENERGIA É SINAL DE INCOMPETÊNCIA DO GOVERNO FEDERAL NO PLANEJAM...
O TARIFAÇO DE ENERGIA É SINAL DE INCOMPETÊNCIA DO GOVERNO FEDERAL NO PLANEJAM...
 
LES RÉVOLUTIONS SOCIALES, LEURS FACTEURS DÉCLENCHEURS ET LE BRÉSIL ACTUEL
LES RÉVOLUTIONS SOCIALES, LEURS FACTEURS DÉCLENCHEURS ET LE BRÉSIL ACTUELLES RÉVOLUTIONS SOCIALES, LEURS FACTEURS DÉCLENCHEURS ET LE BRÉSIL ACTUEL
LES RÉVOLUTIONS SOCIALES, LEURS FACTEURS DÉCLENCHEURS ET LE BRÉSIL ACTUEL
 
SOCIAL REVOLUTIONS, THEIR TRIGGERS FACTORS AND CURRENT BRAZIL
SOCIAL REVOLUTIONS, THEIR TRIGGERS FACTORS AND CURRENT BRAZILSOCIAL REVOLUTIONS, THEIR TRIGGERS FACTORS AND CURRENT BRAZIL
SOCIAL REVOLUTIONS, THEIR TRIGGERS FACTORS AND CURRENT BRAZIL
 

Controlar o sistema financeiro para evitar a débâcle econômica no brasil

  • 1. 1 CONTROLAR O SISTEMA FINANCEIRO PARA EVITAR A DÉBÂCLE ECONÔMICA NO BRASIL Fernando Alcoforado* Qualquer pessoa entendida em economia sabe que em um quadro de estagnação econômica que afeta o Brasil no momento, o crescimento econômico só se realiza desde que o governo eleve seus gastos para compensar a queda do consumo e do investimento. Quem formulou este ensinamento foi o grande economista John Maynard Keynes em meados do século XX. A tese defendida pelo governo Michel Temer de que precisa primeiro reduzir o gasto do governo para depois promover o crescimento econômico é totalmente irracional sob a ótica Keynesiana. Além disso, faz chantagem com a população ao afirmar que a alternativa é o corte de gastos do governo ou o aumento de impostos. Trata-se de um fato lamentável o governo Michel Temer pretender solucionar a crise econômica do Brasil que se agrava a cada dia com a adoção do ajuste fiscal que reduz o gasto público e tende a aprofundar o processo de estagnação econômica do País. Para combater a estagnação econômica, o governo federal deveria: 1) elevar o gasto público renegociando com o sistema financeiro a redução dos encargos com o pagamento dos juros da dívida pública visando seu alongamento no tempo; 2) reduzir drasticamente as taxas de juros Selic e aquelas praticadas pelos bancos para incentivar o investimento privado; 3) incentivar a atividade produtiva para combater a inflação e, quando não for possível, promover a importação de produtos para baixar os preços internamente; e, 4) incentivar as exportações para promover o crescimento econômico instituindo o câmbio fixo em substituição ao câmbio flutuante. Todo este conjunto de medidas só terá êxito se houver, entre outras medidas, o efetivo controle pelo governo dos movimentos de capital no Brasil cuja liberalização aconteceu desde 1990 durante o governo Fernando Collor quando foi introduzido o modelo neoliberal na economia brasileira. A liberalização do fluxo de capitais na economia brasileira está no cerne da grave crise que afeta o Brasil no momento. Encarado como dogma pelos adoradores do deus-mercado, o livre fluxo de capitais compõe o tripé da política macroeconômica neoliberal adotada no Brasil – junto com os juros estratosféricos e o elevado superávit primário. Através deste mecanismo, o Brasil foi colonizado e se transformou em uma máquina de transferência de riqueza do setor produtivo para a oligarquia financeira nacional e internacional como vem acontecendo desde a década de 1990. Pode-se afirmar que a livre de circulação de capitais é o nó que une o crescimento desmesurado da dívida pública, a expansão vertiginosa das taxas de juros e a transferência da riqueza nacional com o superávit primário no Brasil. Pressionado pela brutal dívida pública que alcança R$ 4,5 trilhões, o governo brasileiro é forçado a manter os juros extremamente elevados (14,5% ao ano) para atrair novos capitais que permitam o precário funcionamento da economia. Ao mesmo tempo, ela ajuda a entender a existência do superávit primário que tem como principal objetivo assegurar o pagamento dos juros aos credores da dívida pública. Este arrocho fiscal é exigido pelos credores para dar tranquilidade ao deus-mercado e para atrair novos capitais externos. O resultado deste modelo nefasto é conhecido pelos brasileiros: a economia fica estagnada, o desemprego bate recorde, a renda despenca e o Estado tem fragilizada a
  • 2. 2 sua capacidade de investimentos na infraestrutura econômica e social. Na outra ponta, o dinheiro flui livremente para os ricos banqueiros. Esse mecanismo, tão idolatrado pelos neoliberais, ainda tem outros efeitos perversos. Faz com que o risco de abruptas crises cambiais se torne permanente, já que a qualquer momento os investidores externos podem deixar o país – e este perigo é instantâneo, on- line. Esta ameaça reforça ainda mais o poder do capital financeiro, que a usa como forma de chantagem contra o governo brasileiro. O Estado brasileiro vira refém, sendo forçado a fazer sempre mais concessões – reformas liberalizantes, autonomia do BC, etc. como veem ocorrendo no Brasil desde a década de 1990. O modelo econômico neoliberal que impera no Brasil, ancorado no superávit primário, na meta de inflação e no câmbio flutuante, restringe o raio de manobra das políticas domésticas voltadas para o desenvolvimento do País. É este mecanismo que precisa ser barrado para evitar um futuro catastrófico para o Brasil. Outro efeito pernicioso do livre fluxo de capital diz respeito ao incentivo às atividades ilícitas. Aproveitando-se da liberalização financeira, da ausência de regulamentação e controle, grande parte das atividades ilegais que degradam o planeta, como a corrupção, o tráfico de drogas, armas, e órgãos do corpo humano e o crime organizado, encontram o ambiente ideal para a sua valorização e legalização. Um fato é evidente: vivemos sob a ditadura das finanças. A fração hegemônica do capital, a oligarquia financeira, manda e desmanda no Brasil e no mundo, manipula governos, arruína as economias nacionais e legaliza operações ilícitas. A movimentação financeira é frenética, sem qualquer controle. A ditadura das finanças reina absoluta. A oligarquia financeira torna-se a fração hegemônica da burguesia. Diante do risco de ter que se submeterem à ditadura do capital financeiro, várias nações passaram a procurar caminhos alternativos. Os chamados “países em desenvolvimento” da Ásia, após o vendaval financeiro e cambial de 1997, buscaram superar sua vulnerabilidade externa. Através de diversos mecanismos, muitos países voltaram a adotar medidas para disciplinar a entrada e a saída de capitais. No geral, eles hoje obtêm maior sucesso econômico e maior estabilidade do que os que aplicam o modelo neoliberal como o Brasil. Este é o caso da China, onde as transações de capitais dependem de autorização do Estado, as operações financeiras com o exterior, de entrada ou de saída, são autorizadas pelo governo. Outro exemplo é o da Índia, onde predomina o uso de restrições de natureza quantitativa e administrativa às transações de capitais. China e Índia, que nunca abandonaram o controle sobre os capitais, são hoje sinônimos de crescimento econômico continuado. Diferentemente da China e da Índia, o Brasil é um país altamente vulnerável. Para manter o frágil funcionamento da economia, o governo brasileiro depende do ingresso anual de capitais do mercado externo ampliando sua dependência. Essa situação de dependência, uma triste marca da história nacional, chegou às raias do absurdo durante o governo FHC que escancarou a orgia financeira no Brasil. Os governos de Lula e de Dilma Rousseff mantiveram intacta esta dependência do Brasil dela acarretando taxas reais de juros extremamente elevadas que prejudicam o setor produtivo nacional, o superávit fiscal continua extremamente elevado que beneficiam os credores da dívida pública e o livre fluxo de capitais que continua a gerar alegria aos banqueiros. Esta situação é mantida, também, pelo governo Michel Temer com sua política econômica recessiva que ameaça levar o Brasil à bancarrota.
  • 3. 3 É importante observar que a entrada de capital estrangeiro acarreta inúmeros malefícios colaterais. Um deles é a valorização cambial que prejudica a competitividade dos exportadores nacionais. É exatamente esta preocupação que fez com que a China adotasse uma cautelosa gestão cambial optando pelo câmbio fixo ao invés do câmbio flutuante em vigor no Brasil. Diante dos males proporcionados pela liberalização do fluxo de capitais, torna-se uma exigência o controle de capitais que pode ser realizado com a tributação sobre a entrada de capital estrangeiro. Pode também limitar a volatilidade dos fluxos exigindo que determinada porcentagem do investimento estrangeiro fique retida em reserva por determinado número de dias junto ao Banco Central. Este tipo de controle, denominado política “lock-in”, evita a saída repentina de capital. Pode-se afirmar que o controle de capitais pode ser peça importante para uma estratégia de crescimento e desenvolvimento econômico sustentado, principalmente em economias marcadas pela instabilidade macroeconômica como a do Brasil. Tais controles selecionam os fluxos de capital, confinando os capitais especulativos a volumes administráveis e isolando a economia, em algum grau, dos choques externos. Assim, os controles de capitais atuam no sentido de reduzir a volatilidade das taxas de câmbio e de juros, ajudando a estimular as decisões de investimento na economia. *Fernando Alcoforado, 76, membro da Academia Baiana de Educação, engenheiro e doutor em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Regional pela Universidade de Barcelona, professor universitário e consultor nas áreas de planejamento estratégico, planejamento empresarial, planejamento regional e planejamento de sistemas energéticos, é autor dos livros Globalização (Editora Nobel, São Paulo, 1997), De Collor a FHC- O Brasil e a Nova (Des)ordem Mundial (Editora Nobel, São Paulo, 1998), Um Projeto para o Brasil (Editora Nobel, São Paulo, 2000), Os condicionantes do desenvolvimento do Estado da Bahia (Tese de doutorado. Universidade de Barcelona,http://www.tesisenred.net/handle/10803/1944, 2003), Globalização e Desenvolvimento (Editora Nobel, São Paulo, 2006), Bahia- Desenvolvimento do Século XVI ao Século XX e Objetivos Estratégicos na Era Contemporânea (EGBA, Salvador, 2008), The Necessary Conditions of the Economic and Social Development- The Case of the State of Bahia (VDM Verlag Dr. Müller Aktiengesellschaft & Co. KG, Saarbrücken, Germany, 2010), Aquecimento Global e Catástrofe Planetária (P&A Gráfica e Editora, Salvador, 2010), Amazônia Sustentável- Para o progresso do Brasil e combate ao aquecimento global (Viena- Editora e Gráfica, Santa Cruz do Rio Pardo, São Paulo, 2011), Os Fatores Condicionantes do Desenvolvimento Econômico e Social (Editora CRV, Curitiba, 2012), Energia no Mundo e no Brasil- Energia e Mudança Climática Catastrófica no Século XXI (Editora CRV, Curitiba, 2015) e As Grandes Revoluções Científicas, Econômicas e Sociais que Mudaram o Mundo (Editora CRV, Curitiba, 2016). Possui blog na Internet (http://fernando.alcoforado.zip.net). E-mail: falcoforado@uol.com.br.