SlideShare uma empresa Scribd logo
CRIATIVIDADE
Quanto vale uma nova idéia? Nada. Se capital intelectual é a nova moeda do sucesso, então
certamente podemos dizer que a criatividade e a inovação são os grandes diferenciais que separam
as empresas emergentes das outras.
A dificuldade toda da inovação começa no próprio comportamento do ser humano,
principalmente dentro do ambiente corporativo. Arno Penzias, prêmio Nobel de Física, resumiu isso
bem quando disse que as pessoas estão sempre procurando motivos para "tirar um sarro" e divertir-
se às custas dos outros. Qualquer pessoa que seja um pouco diferente é sempre um alvo fácil. A
ameaça de ser ridicularizado mantém todo mundo dentro das normas. Isso acaba criando fortes
barreiras à criatividade. As empresas gastam fortunas e muitas horas teoricamente encorajando as
pessoas a serem criativas, enquanto na realidade fazem o contrário, com pequenos gestos e
comentários.
Para o pessoal da Ford, o melhor antídoto para isso foi criar uma equipe heterogênea dentro
da empresa. Se você só contrata gente do mesmo tipo, acaba todo mundo tendo as mesmas idéias.
É a diversidade que faz com que vários ângulos e pontos de vista sejam analisados. Por exemplo,
com a minivan Windstar, um sucesso de vendas nos EUA, foi criado o que se chamou de "modo do
bebê dormindo". Acontece que a maioria das minivans é utilizada por mulheres com crianças, e as
fortes luzes do interior do carro acabavam acordando os bebês quando a mãe chegava em casa à
noite e abria a porta do carro. A iluminação no modo bebê dormindo permite que somente as luzes do
chão acendam, garantindo a tranqüilidade da criança (e, obviamente, da mãe). Isso só aconteceu
porque as mulheres foram consultadas.
Aliás, uma idéia não pode ser chamada de inovação até ser colocada em prática e
largamente utilizada pelo público. A maioria das pessoas é contra qualquer tipo de mudança. Então,
uma boa parte da inovação consiste no trabalho de convencer outras pessoas de que você tem uma
boa idéia. Por exemplo, Art Fry, inventor do Post It® da 3M, conta que, no começo, o Post It® foi um
fracasso de vendas: as pessoas não sabiam o que fazer com aquilo, e a propaganda não era
suficiente para fazê-las comprar e experimentar. A única forma de vencer essa resistência inicial foi
dando amostras grátis do produto - até que milhares de pessoas ficaram literalmente viciadas nos
pequenos bilhetinhos amarelos, e hoje ele é o sucesso que é.
Douglas Engelbart inventou o mouse em 1963, mas ele só começou a ser usado vinte anos
depois - porque as pessoas achavam que ele era complicado demais! Por isso os primeiros mouses
(da Apple) tinham apenas um botão - para que as pessoas não se confundissem. Essa é outra
armadilha que acaba limitando o desenvolvimento: coisas fáceis de usar, desenhadas apenas para
usuários iniciantes, são obviamente limitadas. A mentalidade do "tudo tem que ser inicialmente fácil"
é uma armadilha - em busca da satisfação à curto prazo, limita-se imensamente o crescimento
depois.
Falando nisso, como funciona a Internet? Seu computador? O forno de microondas? A
injeção eletrônica do seu carro? Seu relógio de pulso? Seu cérebro? A criatividade e a imaginação
são o que nos permite aproveitar as coisas sem realmente compreendê-las. Não temos que entender
tudo.
A criatividade surge quando aceitamos que não estamos seguros, quando temos consciência
absoluta disso e deixamos de tentar controlar tudo. Não importa quantos gráficos, relatórios e
pesquisas você tenha - não dá para prever o futuro. Sempre teremos surpresas. Coisas que eram
para dar certo falharão, e coisas que pareciam perdidas serão um sucesso. Muita gente fica presa na
armadilha da inovação, quando na verdade deveria estar simplesmente procurando novas idéias.
No mundo dos negócios o que mais importa são os resultados - do ponto de vista do cliente.
É ele quem manda. Muitas empresas se complicam quando confundem suas atividades com seus
objetivos. É geralmente nesses momentos que aparece um concorrente e conquista seu mercado.
Mais uma história interessante: segundo Frederick Smith, fundador da FedEx, o pessoal da sua
empresa achava que vendia o transporte de bens, mas na verdade descobriram que vendiam paz de
espírito. Quando finalmente conseguiram entender isso, perseguiram furiosamente o novo objetivo.
Deram a cada um de seus motoristas um computador de mão, ligado à Internet. Fizeram com que
fosse possível para os clientes rastrear seus pacotes 24 horas por dia. E a FedEx não pára de
crescer.
Uma boa parte da inovação é estar aberto. Você tem que estar pronto para receber o
inesperado, entendendo que muitas mudanças são positivas, e não negativas. Muitas pessoas vêm
algo diferente e já acham que isso está errado. Inovar é ter a habilidade de ver algo diferente e
enxergar sua essência, reconhecendo que o valor está justamente nessa diferença.
Se você é realmente criativo, sabe que sentir-se sozinho e inseguro faz parte da vida. Você
não pode ter tudo - não dá para ser criativo e conformista. É preciso reconhecer que o que faz de
você uma pessoa diferente, ou seja, o seu diferencial, é justamente o que o faz criativo também.
Todos têm a habilidade de fazer algo inovador. Acontece que a maioria das pessoas pensa
em inovações como algo complexo, um processo científico reservado para alguns poucos iluminados.
Mas a verdade é que todo mundo tem à sua volta as ferramentas necessárias para melhorar alguma
coisa em sua vida. Não é preciso ser extraordinário - na verdade, as melhores inovações são
geralmente as mais simples.
A CRIATIVIDADE NAS ORGANIZAÇÕES
FATORES DE ORDEM PESSOAL
Existem dois tipos de fatores pessoais que são relevantes para a expressão criativa, o
primeiro tipo, são os fatores negativos, são aqueles que inibem, bloqueiam o comportamento criativo
o segundo grupo, são os tipos positivos, que, ao contrário, dos negativos, não inibem, mas sim
estimulam nossa criatividade.
Dentre os fatores negativos, podemos citar alguns que se destacam, como por exemplo: a
falta de motivação, de habilidades ou experiência, a inflexibilidade e o despreparo social, para lidar
com outras pessoas. Outros dois itens importantes desta lista são o descompromisso e o
desinteresse pelo trabalho, que fazem com que as pessoas façam apenas o que lhes é mandado, o
que acaba afetando e limitando a visão do indivíduo para identificar o processo como um todo, o
objetivo da empresa por exemplo, metas da mesma. A insuficiência ou inexistência de conhecimentos
e/ou habilidades a pessoa insegura diminuindo sua auto-estima e prejudicando o desempenho da sua
função. Da mesma forma o preconceito, os padrões e paradigmas acaba o distanciando da
capacidade de aceitar posicionamentos divergentes, idéias novas e, até mesmo, feedback (retorno)
dificultando o seu melhor aproveitamento na obtenção dos objetivos organizacionais. A dificuldade de
interação, de convívio social, prejudica o intercâmbio de idéias e conhecimentos necessários para a
geração de comportamento e ações criativas.
A criatividade exige inovação, para tanto, é preciso que a pessoa tenha iniciativa,
independência de pensamento e ação, flexibilidade e persistência, autoconfiança, disposição ao risco,
porém como sabemos, as pessoas tem medo do novo, sentem um certo “receio” do incerto, o que
geralmente impõe barreiras a criatividade. Devemos aprender com nossos erros diante do novo, ao
invés de ficarmos estagnados enquanto os outros, que podem até mesmo ser nossos concorrentes,
passam a nossa frente. Outra característica imprescindível no indivíduo criativo é a coragem,
necessária para enfrentar a novas idéias que surgirão e colocá-las em prática.
A Organização é sempre um conjunto de processos realizados por grupos de pessoas e não
dispensa, portanto, habilidades grupais nas quais se inserem os momentos de isolamento e os de
relacionamento, ambos fundamentais à criação.
FATORES DE ORDEM SÓCIO-CULTURAL
O contexto sociocultural exerce enorme influência sobre o indivíduo. A receptividade, no
ambiente social, à apresentação do trabalho criativo é crucial ao estímulo do indivíduo ao exercício do
seu potencial, haja vista que a rejeição à apresentação pode acabar de forma irreversível a sua
coragem e disponibilidade em se expor. Este fator é agravado na exata medida do nível de
coletividade da sociedade.
FATORES DO AMBIENTE DE TRABALHO
Numa visão atual dos fatos, percebemos que as organizações, a cada dia que passa, tem
que se tornar mais e mais competitivas, mas como? É nestas horas que a criatividade entra. Em uma
empresa na qual seus funcionários são estimulados no lado da criatividade, é muito mais fácil
alcançar esta competitividade, pois a criatividade acaba sendo um diferencial a mais que sua
empresa possui em relação aos seus concorrentes.
Para que uma empresa se torne criativa, ela deve oferecer a seus funcionários apoio e
segurança no lado “criativo”, em outras palavras incentivar as pessoas e não desprezar as idéias que
forem surgindo. Um item importante para que isto aconteça, é a motivação, pois ela reúne as ações
dos indivíduos para seu potencial criativo. O desenvolvimento do espírito de equipe, o apoio na
colocação em prática de novas idéias, a fiança de inovações são componentes característicos de tais
Organizações.
A valorização, o respeito às idéias e manutenção do espaço às suas apresentações, são tidos
como reforço positivo que estimula o uso da criatividade em favor da Organização.
A implementação da cultura criativa exige pessoas capacitadas e habilitadas à preparação e
ao uso dos processos de pensamento criativo, disponibilidade de treinamento e desenvolvimento de
habilidades criativas, encorajamento, feedback, tempo adequado à realização das tarefas,
estabelecimento de metas para o alcance de produtos criativos, ausência de punições a eventuais
fracassos, reconhecimento e recompensas às idéias e produtos criativos e o fornecimento dos
recursos necessários à sua implementação, uma cultura sustentada na flexibilidade, desafio,
comunicação, prazer e sentimento de pertencer a uma nobre organização.
Por sua vez a pobreza do clima organizacional (pessoas insatisfeitas com a empresa), o
excesso de avaliação e pressão, insuficiência de recursos, competição acirrada e projeto inadequado
de gerenciamento inibem e, até mesmo, bloqueiam a criatividade.
FASES DO PROCESSO CRIATIVO
O caminho que a mente adota para gerar idéias, vem sendo estudado há tempos. O
psicólogo alemão Hermann von Helmholtz definiu vários modelos que foram expandidos pelo
psicólogo americano Graham Wallas. No modelo de Wallas, a criatividade ocorre em quatro etapas:
Preparo
Nesta etapa, sua mente coleta informações e dados que servem como alicerces ou pesquisa, onde
você esta trabalhando.
Incubação
É conhecida como a fase de descanso ou pausa, em que você armazena as informações que
reuniu e deixa de focalizá-las um pouco ou de pensar concientemente nelas. A incubação é o
momento que as pessoas sentem-se estressados, cansados e a mente parece dizer para fazer-se
uma pausa.
Iluminacão
Esta fase todos nós conhecemos, como: Eureka, UAu, como não pensei nisso antes, é o
momento máximo da inspiração. Às vezes, ocorre quando você está fazendo algo completamente
diferente do seu trabalho .A importância do relaxamento ou distração para encorajar a incubação e a
iluminação é tão reconhecida, que os especialistas em criatividade recomendam que você dê tempo
suficiente para que estes processos ocorram naturalmente. É óbvio que fica impossível dizer quanto
tempo é suficiente para você. A experiência recomenda portanto paciência.
Implementação / Verificação
É o ponto em que você dá forma para sua nova idéia, para se certificar de que ela funciona.
Neste momento o autor senta-se para escrever, para aprimorar a sua idéia .
CRIATIVIDADE NAS EMPRESAS
A chave para aumentar a criatividade em qualquer atividade é incentivar as pessoas a começarem a
agir criativamente em grupo. A seguir, algumas maneiras de estimular a criatividade, segundo Michael
Michalko, coisas fáceis que podem ser aplicadas facilmente em sua empresa ou a seu grupo:
1) Promova uma Loteria de Idéias:
Dê um cartão numerado para cada pessoa que tiver uma idéia criativa. No final do mês,
compartilhe todas as idéias com sua equipe. Faça um sorteio e dê um prêmio para quem tiver o
cartão premiado.
2) Inspire por meio de objetos:
Peça às pessoas que coloquem em suas mesas objetos que representem sua própria
interpretação pessoal do que é criatividade no trabalho. Por exemplo, uma bola de cristal para
Thomas Edison, o homem que
inventou a luz elétrica. Aos oito anos, Edison
foi matriculado na escola do reverendo
Engle, em Detroit, que não precisou de muito
tempo para conceituá-lo como um
"retardado", um "estúpido". Por causa da sua
dificuldade em aprender, Edison foi
praticamente expulso e nunca mais
freqüentou escola alguma.
representar o planejamento do futuro, pilhas ou baterias novas para simbolizar energia criadora, etc.
3) Organize a Semana das Idéias Estúpidas:
Faça com que ter idéias seja divertido. Organize uma semana das idéias Estúpidas e
promova um concurso. Coloque as idéias em algum lugar visível, e depois façam uma votação e
premiem a idéia mais estúpida apresentada. Todos vão divertir-se e, no processo, você vai descobrir
que algumas idéias não eram tão estúpidas assim.
4) Proponha cotas de idéias...
Garanta a criatividade dando a cada funcionário uma cota semanal ( por exemplo, uma idéia
por semana ). Thomas Edison usava este sistema. Sua cota pessoal era uma invenção pequena a
cada dez dias e uma grande a cada seis meses.
5) Reconheça sempre:
Por menor que possa parecer a contribuição nunca esqueça de mencionar de quem ou qual
grupo veio a sugestão. Mesmo que a sugestão não tenha sido implementada. Ao agradecer você
estará estimulando um ambiente mais criativo e descontraído. É esta energia criativa que manterá o
grupo em permanente criação. Comemore todos os resultados alcançados.
Os casos de Einstein e Edison, contudo,
não foram únicos na história. Gandhi também foi um
aluno medíocre. Sofreu muito com a tabuada e
costumava voltar para casa correndo para que seus
colegas não pudessem zombar da sua 'burrice". Tinha um raciocínio muito lento e uma memória
péssima.
Acontece, cara, que esses três "burrinhos" foram longe. Eles superaram todas as
expectativas, contrariaram todas as previsões e acabaram se tornando celebridades universais. Se
você quer saber como essas coisas podem acontecer na vida de qualquer um, inclusive na sua!!!
INTELIGÊNCIA E CRIATIVIDADE
Por ser uma "função", a inteligência pode melhorar continuamente à medida aprendemos
coisas novas, sejam estas "coisas" palavras, conceitos, procedimentos etc. Quando aprendemos uma
coisa nova agora, melhoramos nossa inteligência mais um pouquinho. É lei da natureza.
O que acontece, na realidade, é que toda vez que aprendemos alguma coisa, esta nova
informação é registrada na memória e IMEDIATAMENTE associa-se a todo o conjunto de
informações que já estão lá, guardas. Assim, quando raciocinamos sobre qualquer assunto,
estamos simplesmente fazendo comparações entre as informações que temos na memória. A
coisa funciona mais ou menos assim:
Albert Einstein é considerado um dos homens mais
inteligentes que pisaram a face da Terra, um
cientista brilhante, um orgulho para a raça humana.
Porém, nem sempre foi considerado assim. Você
sabia disso?
Na escola, quando criança, Einstein foi um
verdadeiro fracasso. Sentia grande dificuldade em
matérias como história e geografia e um dos seus
professores, inclusive, chegou mesmo a prever um
futuro sombrio para ele: "- É um debilóide! Não vai
chegar a lugar algum!"
Einstein
E
Edison
- Tudo o que aprendemos é devidamente registrado na memória;
- Quando temos que resolver determinado problema, buscamos na memória todas as
informações que temos sobre o assunto, comparamos e formulamos uma resposta. É justamente
por isso que não conseguimos pensar sobre o que não sabemos. Tente pensar num noete
prateado e veja como é difícil pra burro. Você só conseguirá pensar num noete prateado se
souber o que é noete, não é mesmo?
Acontece que a nossa memória não registra somente dados isolados, como palavras, por
exemplo; registra também procedimentos, maneiras de agir e - isto é importante - maneiras de
pensar.
Quando aprendemos usar o martelo, por exemplo, registramos na memória o
procedimento completo de dar marteladas, desde como segurar o prego até o modo de bater o
martelo. Por isso, quando temos que botar um prego na parede, "recuperamos" na memória todo
o procedimento aprendido e cumprimos a tarefa naturalmente, praticamente sem qualquer
esforço intelectual.
Ocorre, entretanto, que, de repente, o prego pode se recusar a entrar na parede, não é
mesmo? Daí então a inteligência nos oferece duas alternativas:
1) desistir da tarefa
2) procurar uma nova solução para o problema
Pois é aí, justamente aí, que o nosso cérebro abre uma portinha mágica que pode nos
levar ao maravilhoso mundo do "pensamento criativo". O "pensamento criativo" é somente uma
alternativa que a mente nos oferece para que encontremos uma solução original para um
problema teoricamente sem solução. Quando nos surge uma idéia nova, ela é resultado de dois
dados que estavam anteriormente gravados em nossa memória, porém em lugares separaddos.
Assim sendo, ser criativo é apenas uma opção intelectual. E todos podem fazer esta opção. É
simples, fácil, divertido e faz crescer, e muito, a nossa auto-estima.
O PENSAMENTO CRIATIVO
Pensar criativamente é "pensar lateralmente". É basicamente isso. Bem... talvez você esteja
em duvida, assim como eu fiquei quando ler isto, pode estar se perguntando: mas o que é pensar
lateralmente, não é mesmo? Então veja:
Segundo Edward De Bono, "raciocínio vertical” é cavar cada vez mais fundo no mesmo
buraco, enquanto raciocínio lateral é tentar de novo em outro lugar". Em termos práticos, isto quer
dizer que se não encontramos respostas satisfatórias para determinados problemas (do jeito que
estamos procurando) devemos procurá-las em outro lugar, de outra maneira, olhando sob outro
ângulo e através de outras associações. E a "chave" para pensar lateralmente é usar, simplesmente,
a expressão... "e se...?"
É isso mesmo, pensar criativamente é pensar "e se?"
- E se invés de dividir eu multiplicar?
- E se invés de pintar de verde eu pintar de vermelho?
- E se invés de ir por aqui eu for por ali?
- E se invés de deixar aqui eu puser ali?
Este é o primeiro passo do pensamento criativo, é a primeira regrinha pra tirar de nossas
cabeças, a mesmice do pensamento vertical! Acostume-se a pensar "e se?" e você vai ver como as
idéias começam a surgir. Pense "e se?" e ouse, arrisque, experimente! Sem "correr o risco de errar
você tem poucas chances de acertar!”
Veja como Sigmund Freud se referia à própria inteligência e perceba que não há grandes
exigências de ordem intelectual para que qualquer um, com ousadia e determinação, possa superar
suas limitações:
"Não sou realmente um homem de ciência, não sou um observador, não sou um
pensador. Nada sou senão um conquistador, por temperamento — um aventureiro —
com a curiosidade, a rudeza e a tenacidade que compõem essa espécie de ser."
..........
"Tenho capacidades e talentos muito restritos. Nenhum para as ciências naturais,
nenhum para a matemática, nada para as coisas quantitativas. No entanto, o pouco
que possuo, e que é de natureza bastante limitada, deve provavelmente ser de
caráter muito intenso." (Textos extraídos do livro O Pensamento Vivo de Sigmund
Freud, de Martin Claret.)
A grande dificuldade para que as pessoas pensem criativamente é o seguinte:
Desde pequenos somos acostumados a pensar verticalmente. Na escola, como em casa,
sempre nos ensinaram que devemos fazer tudo certinho, que devemos ser objetivos, práticos,
eficazes, e que a "ousadia" é um perigo que pode custar muito caro. Cientificamente, isto quer dizer
que somos educados para utilizar exclusivamente o lado esquerdo do cérebro - o lado da razão e do
raciocínio lógico. Porém, e o lado direito - o da imaginação, da intuição, da inventividade - como fica?
Atrofiado?
É exatamente esta a dificuldade. A maioria das pessoas pensa somente com o lado esquerdo
do cérebro. Poucas pessoas usam também o lado direito. Assim, quando se deparam com um
problema de difícil solução, ficam com a mente paralisada, sem alternativa, não é mesmo?
É preciso, aprender a usar o lado direito do cérebro. É justamente nesse lado que se
concentram todas as nossas potencialidades criativas. É preciso explorar esse mundo de talento que
você tem na cabeça. Desenvolvendo tão-somente o seu raciocínio lógico, certamente você se tornará
uma pessoa muito inteligente, porém, talentoso e criativo você só será quando desenvolver toda sua
capacidade de "imaginar" e de "ousar".
Todos os grandes gênios que você conhece ou já ouviu falar - Chopin, Van Gogh, Matisse,
Pasteur, Sabin, Nijinski, Pascal, Camões, Dante, Picasso, Cervantes - TODOS foram useiros em
explorar o lado direito do cérebro à procura do original, do incomum, do diferente. Porque o comum e
o banal, todo mundo faz. O diferencial de hoje em dia é fazer diferente. Porém um "diferente" melhor,
um "diferente" bom a vida das pessoas, bom para o mundo, bom para a vida. E esse "diferente" só se
consegue à custa de muito estudo, muita ousadia, muita determinação. A ferramenta, você tem: o
cérebro. É só "brincar" com ele que você chega lá!
É preciso que se diga, contudo, que o pensamento criativo não surge do nada, não é obra do
acaso. Não adianta ficar de na beira da praia esperando que um pensamento genial caia do céu
porque não cai, não! Para que o espírito criativo apareça é preciso que o seu cérebro tenha
substância, ou seja, que tenha uma quantidade de informações suficientemente grande para que as
idéias possam brotar na sua mente. Depois, é só seguir o conselho do grande Thomas Edison:
"Qualquer homem pode alcançar o êxito se dirigir seus pensamentos numa direção e insistir
neles até que faça alguma coisa".
Devemos insistir até que alguma coisa aconteça!
Louis Pasteur teve um derrame cerebral aos 46 anos, ficando com todo o lado esquerdo do
corpo paralisado. Nessa época ele ainda não era um cientista famoso e ainda estudava a pebrina,
uma doença que atacava a cultura dos bichos-da-seda. Mesmo debilitado pela doença e deprimido
pela morte prematura das suas três filhas, Pasteur continuou trabalhando, pesquisando.
Como se não bastante tanta dor e tanto sofrimento, Pasteur ainda foi ridicularizado na
Academia de Medicina por suas teses sobre a esterilização dos ambientes hospitalares. Mas
continuou trabalhando, pesquisando. Até que em 1885 - quase vinte anos depois do derrame sofrido -
Louis Pasteur trata e cura, pela primeira vez na história da medicina, um garoto atacado por raiva. Ele
insistiu, ousou, não temeu o ridículo... e realizou!
Não importa quem nós somos hoje, não importa o que deixamos de fazer, não importam as
nossas derrotas, nada disso importa. O que vale, e o que realmente tem importancia, é que nós
temos dentro da caixa craniana o mais poderoso computador do mundo. E ele é todo nosso.
Saiba que Einstein, Pasteur, Gandhi, Edison, Picasso e Leonardo da Vinci tinham
"computadores" exatamente iguais ao seu. Nenhuma diferença! Nenhum neurônio a mais!
“Toda criança, ao nascer, possui um potencial
de inteligência maior do que Leonardo da Vinci
utilizou em toda a sua existência".
O psicólogo Glenn Doman, autor de "Teach Your Baby Math", afirma no seu livro: "Aprender é
o jogo mais importante e divertido da vida. Todas as crianças nascem acreditando nisso e
continuarão acreditando até que as convençamos de que aprender é uma tarefa extremamente difícil
e desagradável. Algumas crianças jamais aprendem essa lição e passam a vida acreditando que
aprender é divertido, que é um jogo que vale ser jogado. Temos um nome para essas pessoas: elas
são chamadas de "gênios".
De fato, ao nascer, a criança se dispõe, pela própria natureza do seu cérebro, a aprender
continuadamente por toda a vida. O que impede essa "aprendizagem contínua" é a ação bloqueadora
dos adultos - principalmente dos pais - que, a pretexto de educar, acabam desvirtuando a criança do
seu destino natural.
Um dos maiores obstáculos ao desenvolvimento contínuo da criança é a rejeição às suas
manifestações criativas. Raros são os pais que elogiam seus filhos, com insistência, a cada
manifestação de criatividade.
Cada vez que uma criança mostra um desenho que acabou de fazer, uma "invenção" ou uma
coisa nova que aprendeu na escola, na verdade, está com sua mente expectante pronta para receber
um elogio que há de estimulá-la ainda mais a dar continuidade a esta aprendizagem. Quando não há
o "elogio" a criança "julga" que o seu esforço em "produzir" algo criativo foi em vão, e isso diminui sua
auto-estima. Aos poucos, ela acaba "entendendo" que é uma "inútil" ou - pior ainda - que não é
amada. E isso faz um mal terrível tanto para o seu desenvolvimento intelectual quanto para o seu
equilíbrio emocional.
Para estimular a criatividade das crianças, você não precisa comprar revistas ou "jogos
educativos", nada disso. Você precisa, tão-somente, "acariciar" o intelecto e o emocional dela. Como?
Elogiando! Elogiando sempre e muito.
Se você se habituar a elogiá-la - "Que bonito! Você é muito inteligente!" - estará permitindo
que ela, por si só, desenvolva seu potencial criativo (ela vai querer fazer sempre mais e melhor para
agradá-lo, para receber mais elogios) e equilibre positivamente o seu lado emocional (ela vai se sentir
amada, e isso é fundamental para o desenvolvimento de qualquer criança).
Muitos pais, por falta de tempo ou de informação, acabam prejudicando inconscientemente o
desenvolvimento intelectual dos seus filhos. Muitos, inclusive, acham que o melhor para seus filhos é
estudarem em ótimos colégios onde terão toda a assistência intelectual que precisam, e que isso
basta. Este, contudo, é um erro gravíssimo. O que a criança pequena precisa, fundamentalmente, é
de afeto. Repare que as crianças quando aprendem algo novo na escola, correm direto para os pais
para mostrar o que aprenderam. E este momento é crucial; ele é tão importante quanto tudo aquilo
que ela aprendeu. A escola "dá" a informação, ajuda na formação, mas é a relação afetuosa pais/filho
que vai fazer com que toda essa informação seja bem processada pelo cérebro. Quando ela corre
para mostrar o que aprendeu, está simplesmente "procurando afeto", "procurando elogio". O silêncio
e a indiferença, nessas horas, faz um mal terrível e pode pôr tudo a perder.
Outro detalhe que também merece ser ressaltado, é a questão da diversão, da brincadeira. É
preciso entender que o trabalho das crianças é sua diversão; crianças aprendem através de tudo o
que fazem. Por isso, não é saudável cobrar das crianças atitudes de adultos. Crianças aprendem
brincando, e aprendem mais do que adultos.
Um criança, por exemplo, pode aprender a ler com meses de vida, você sabia disso? Se você
rotular seus brinquedos e os móveis, escrevendo o nome de cada peça, basta aguardar pois ela,
naturalmente, aprenderá a identificar cada palavra, ou seja, aprenderá a ler sem que ninguém lhe
ensine. Tudo naturalmente. E brincando.
Portanto, se você quer realmente estimular a capacidade criativa do seu filho, siga estes dois
princípios fundamentais:
1 - Elogie sempre, sempre, sempre; mostre afeto sempre, sempre, sempre;
2 - Estimule-o a brincar sempre e muito. Em cada brincadeira, com certeza, ela estará aprendendo
mais um pouco, crescendo um pouco mais. Lembre-se que ela não é adulto, não está ainda
preparada para aprender como um adulto. Ela é criança; deve aprender como criança. É a lei.
CONCLUSÃO
Como percebemos, a criatividade, não surge do nada, nem aparece em nossas mentes como
um raio, ou como uma lâmpada que se acende sobre nossas cabeças, é necessário que tenhamos
várias informações, para que nossa mente possa cruzá-las, resultando em pensamentos criativos.
O importante é não ficar muito apegado aos padrões, normas, paradigmas, temos que ter a
coragem necessária, para conseguirmos vencer eles. Por exemplo... Quem disse que as capas dos
trabalhos tem que ser em papel branco, folha A4, que a capa não pode ser escrita de trás para
frente? Bem... não sei quem foi que inventou tais regras, com certeza esta pessoa buscava a
padronização dos trabalhos, mas será que é isto que nossa sociedade, realmente precisa? De
pessoas padronizadas? Pessoas que pensem todas da mesma maneira? Acho que não...
Li recentemente em um livro (PREDIBON), uma coisa bem interessante: ele nos diz que a
criatividade é como um músculo de nosso corpo, vamos pegar o bíceps como exemplo; quem faz
musculação, ou constantes exercícios com os braços, possui os bíceps bem desenvolvidos, enquanto
uma pessoa que ficou com o braço engessado, fica com o mesmo atrofiado. A criatividade também é
assim, se nós não utilizarmos ela, ela vai ficando cada vez mais esquecida, começa a “criar teias de
aranha” no nosso “lado direito do célebro”, devemos começar o quanto antes a treinar e estimular
nossas mentes, pois só assim conseguiremos “expulsar as teias” que prendem nossa criatividade.
Não é difícil, porém também não é taum fácil, é um hábito que adquirimos com o tempo, e por que
naum começar agora??? Garanto que daqui a algum tempo, você próprio se surpreenderá com suas
melhoras no campo da criatividade!
BIBLIOGRAFIA
Consulta na INTERNET, dia 08 de setembro de 2000, no site:
http://www.robsoncunha.cjb.net/
Consulta na INTERNET, dia 10 de setembro de 2000, no site:
http://www.widebiz.com.br/gente/raul/raul_eureka.html
Consulta na INTERNET, dia 10 de setembro de 2000, no site:
http://geocities.com/Eureka/Concourse/9084/
Consulta na INTERNET, dia 10 de setembro de 2000, no site:
http://criatividade.homepage.com
PREDIBON, José. Criatividade hoje : como se pratica, aprende e ensina.
BIBLIOGRAFIA
Consulta na INTERNET, dia 08 de setembro de 2000, no site:
http://www.robsoncunha.cjb.net/
Consulta na INTERNET, dia 10 de setembro de 2000, no site:
http://www.widebiz.com.br/gente/raul/raul_eureka.html
Consulta na INTERNET, dia 10 de setembro de 2000, no site:
http://geocities.com/Eureka/Concourse/9084/
Consulta na INTERNET, dia 10 de setembro de 2000, no site:
http://criatividade.homepage.com
PREDIBON, José. Criatividade hoje : como se pratica, aprende e ensina.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Open ideo OutPost - SP
Open ideo OutPost - SPOpen ideo OutPost - SP
Open ideo OutPost - SP
Natalia Lion
 
Criatividade
CriatividadeCriatividade
Criatividade
Gerisval Pessoa
 
Jogos de criatividade
Jogos de criatividadeJogos de criatividade
Jogos de criatividade
Thiago Reis
 
Seminário sobre Criatividade e Inovação
Seminário sobre Criatividade e InovaçãoSeminário sobre Criatividade e Inovação
Seminário sobre Criatividade e Inovação
Jorge Covacs
 
Criação Publicitária - Aula 01 - Criatividade
Criação Publicitária - Aula 01 - CriatividadeCriação Publicitária - Aula 01 - Criatividade
Criação Publicitária - Aula 01 - Criatividade
Thiago Ianatoni
 
Inovacao e Criatividade, por Martha Gabriel
Inovacao e Criatividade, por Martha GabrielInovacao e Criatividade, por Martha Gabriel
Inovacao e Criatividade, por Martha Gabriel
Martha Gabriel
 
Inovação & Criatividade
Inovação & CriatividadeInovação & Criatividade
Inovação & Criatividade
Augusto Pinto
 
Pós Marketing Competitivo, Criatividade e Inovação
Pós Marketing Competitivo, Criatividade e InovaçãoPós Marketing Competitivo, Criatividade e Inovação
Pós Marketing Competitivo, Criatividade e Inovação
Milton Henrique do Couto Neto
 
PPT session 3 16032013
PPT session 3 16032013PPT session 3 16032013
PPT session 3 16032013
Ministry of Education
 
Aumente suas vendas com criatividade
Aumente suas vendas com criatividadeAumente suas vendas com criatividade
Aumente suas vendas com criatividade
marcoslutherodeoliveira
 
COMO DESENVOLVER EQUIPES CRIATIVAS E INOVADORAS - Antonio Carlos Teixeira d...
COMO  DESENVOLVER EQUIPES  CRIATIVAS E INOVADORAS - Antonio Carlos Teixeira d...COMO  DESENVOLVER EQUIPES  CRIATIVAS E INOVADORAS - Antonio Carlos Teixeira d...
COMO DESENVOLVER EQUIPES CRIATIVAS E INOVADORAS - Antonio Carlos Teixeira d...
AntonioCarlos TeixeiradaSilva
 
A disciplina da inovacao
A disciplina da inovacaoA disciplina da inovacao
A disciplina da inovacao
Luca Bastos
 
Criatividade e Inovaçao
Criatividade e InovaçaoCriatividade e Inovaçao
Criatividade e Inovaçao
Jairo Siqueira
 
Criatividade e Inovação em Mídias Sociais - Prof. Esp. Pedro Cordier - MBA GE...
Criatividade e Inovação em Mídias Sociais - Prof. Esp. Pedro Cordier - MBA GE...Criatividade e Inovação em Mídias Sociais - Prof. Esp. Pedro Cordier - MBA GE...
Criatividade e Inovação em Mídias Sociais - Prof. Esp. Pedro Cordier - MBA GE...
Pedro Cordier
 
Design thinking weekend+sua jornada 14.10.14
Design thinking weekend+sua jornada 14.10.14Design thinking weekend+sua jornada 14.10.14
Design thinking weekend+sua jornada 14.10.14
Gabriel Coelho
 
Inovação: O Desenvolvimento da Ideia no Ambiente Corporativo
Inovação: O Desenvolvimento da Ideia no Ambiente CorporativoInovação: O Desenvolvimento da Ideia no Ambiente Corporativo
Inovação: O Desenvolvimento da Ideia no Ambiente Corporativo
Gilvan Nunes
 
Inovação na Prática
Inovação na PráticaInovação na Prática
Inovação na Prática
Vitor Elman
 
O que é criatividade @daniel_egger
O que é criatividade @daniel_eggerO que é criatividade @daniel_egger
O que é criatividade @daniel_egger
Daniel Egger
 
Processo Criativo
Processo CriativoProcesso Criativo
Processo Criativo
Luiz Otavio Medeiros
 
O que é a criatividade?
O que é a criatividade?O que é a criatividade?
O que é a criatividade?
Livia Kohiyama
 

Mais procurados (20)

Open ideo OutPost - SP
Open ideo OutPost - SPOpen ideo OutPost - SP
Open ideo OutPost - SP
 
Criatividade
CriatividadeCriatividade
Criatividade
 
Jogos de criatividade
Jogos de criatividadeJogos de criatividade
Jogos de criatividade
 
Seminário sobre Criatividade e Inovação
Seminário sobre Criatividade e InovaçãoSeminário sobre Criatividade e Inovação
Seminário sobre Criatividade e Inovação
 
Criação Publicitária - Aula 01 - Criatividade
Criação Publicitária - Aula 01 - CriatividadeCriação Publicitária - Aula 01 - Criatividade
Criação Publicitária - Aula 01 - Criatividade
 
Inovacao e Criatividade, por Martha Gabriel
Inovacao e Criatividade, por Martha GabrielInovacao e Criatividade, por Martha Gabriel
Inovacao e Criatividade, por Martha Gabriel
 
Inovação & Criatividade
Inovação & CriatividadeInovação & Criatividade
Inovação & Criatividade
 
Pós Marketing Competitivo, Criatividade e Inovação
Pós Marketing Competitivo, Criatividade e InovaçãoPós Marketing Competitivo, Criatividade e Inovação
Pós Marketing Competitivo, Criatividade e Inovação
 
PPT session 3 16032013
PPT session 3 16032013PPT session 3 16032013
PPT session 3 16032013
 
Aumente suas vendas com criatividade
Aumente suas vendas com criatividadeAumente suas vendas com criatividade
Aumente suas vendas com criatividade
 
COMO DESENVOLVER EQUIPES CRIATIVAS E INOVADORAS - Antonio Carlos Teixeira d...
COMO  DESENVOLVER EQUIPES  CRIATIVAS E INOVADORAS - Antonio Carlos Teixeira d...COMO  DESENVOLVER EQUIPES  CRIATIVAS E INOVADORAS - Antonio Carlos Teixeira d...
COMO DESENVOLVER EQUIPES CRIATIVAS E INOVADORAS - Antonio Carlos Teixeira d...
 
A disciplina da inovacao
A disciplina da inovacaoA disciplina da inovacao
A disciplina da inovacao
 
Criatividade e Inovaçao
Criatividade e InovaçaoCriatividade e Inovaçao
Criatividade e Inovaçao
 
Criatividade e Inovação em Mídias Sociais - Prof. Esp. Pedro Cordier - MBA GE...
Criatividade e Inovação em Mídias Sociais - Prof. Esp. Pedro Cordier - MBA GE...Criatividade e Inovação em Mídias Sociais - Prof. Esp. Pedro Cordier - MBA GE...
Criatividade e Inovação em Mídias Sociais - Prof. Esp. Pedro Cordier - MBA GE...
 
Design thinking weekend+sua jornada 14.10.14
Design thinking weekend+sua jornada 14.10.14Design thinking weekend+sua jornada 14.10.14
Design thinking weekend+sua jornada 14.10.14
 
Inovação: O Desenvolvimento da Ideia no Ambiente Corporativo
Inovação: O Desenvolvimento da Ideia no Ambiente CorporativoInovação: O Desenvolvimento da Ideia no Ambiente Corporativo
Inovação: O Desenvolvimento da Ideia no Ambiente Corporativo
 
Inovação na Prática
Inovação na PráticaInovação na Prática
Inovação na Prática
 
O que é criatividade @daniel_egger
O que é criatividade @daniel_eggerO que é criatividade @daniel_egger
O que é criatividade @daniel_egger
 
Processo Criativo
Processo CriativoProcesso Criativo
Processo Criativo
 
O que é a criatividade?
O que é a criatividade?O que é a criatividade?
O que é a criatividade?
 

Semelhante a 7trab criatividade

Aumente suas vendas com criatividade
Aumente suas vendas com criatividadeAumente suas vendas com criatividade
Aumente suas vendas com criatividade
Marcos Luthero
 
Reflexões sobre Inovação.pptx
Reflexões sobre Inovação.pptxReflexões sobre Inovação.pptx
Reflexões sobre Inovação.pptx
AntonioCandidoRodrig2
 
Criatividade
CriatividadeCriatividade
Criatividade
Ronaldobv
 
Clipping - Escola de Criatividade - O Globo
Clipping - Escola de Criatividade - O GloboClipping - Escola de Criatividade - O Globo
Clipping - Escola de Criatividade - O Globo
EscolaDeCriatividade
 
Aula 3 administrando com criatividade 2021.1
Aula 3   administrando com criatividade 2021.1Aula 3   administrando com criatividade 2021.1
Aula 3 administrando com criatividade 2021.1
Niloar Bissani
 
Devemos repensar o modo como vemos a criatividade.
Devemos repensar o modo como vemos a criatividade.Devemos repensar o modo como vemos a criatividade.
Devemos repensar o modo como vemos a criatividade.
Nuts
 
Startups
Startups Startups
Startups
Natacha Martins
 
Creative3
Creative3Creative3
Apresentação 365 Ideias
Apresentação 365 IdeiasApresentação 365 Ideias
Apresentação 365 Ideias
Adriano Valadão
 
Biz miz o1 m2_u2.1_r1_pt
Biz miz o1 m2_u2.1_r1_ptBiz miz o1 m2_u2.1_r1_pt
Biz miz o1 m2_u2.1_r1_pt
EmanuelePristera
 
Guia mentalidade-inovadora-v0 compressed
Guia mentalidade-inovadora-v0 compressedGuia mentalidade-inovadora-v0 compressed
Guia mentalidade-inovadora-v0 compressed
Antonio Costa
 
De onde vêm as boas ideias de negocio?
De onde vêm as boas ideias de negocio?De onde vêm as boas ideias de negocio?
De onde vêm as boas ideias de negocio?
Giba Canto
 
PPT session 3 16032013
PPT session 3 16032013PPT session 3 16032013
O que aprender com 8 grandes gurus da gestão
O que aprender com 8 grandes gurus da gestãoO que aprender com 8 grandes gurus da gestão
O que aprender com 8 grandes gurus da gestão
Fabio Scussolino
 
mudança de paradigmas.pptMMMMMMMMMMMMMMMMM
mudança de paradigmas.pptMMMMMMMMMMMMMMMMMmudança de paradigmas.pptMMMMMMMMMMMMMMMMM
mudança de paradigmas.pptMMMMMMMMMMMMMMMMM
izaacmendes2
 
Criatividade como diferencial profissional.ppt
Criatividade como diferencial profissional.pptCriatividade como diferencial profissional.ppt
Criatividade como diferencial profissional.ppt
EdilsondoValle1
 
10 atitudes das pessoas muito criativas
10 atitudes das pessoas muito criativas10 atitudes das pessoas muito criativas
10 atitudes das pessoas muito criativas
R Gómez
 
FGV/EAESP - Caderno de Inovacao | Vol. 13 - Março de 2014
FGV/EAESP - Caderno de Inovacao | Vol. 13 - Março de 2014FGV/EAESP - Caderno de Inovacao | Vol. 13 - Março de 2014
FGV/EAESP - Caderno de Inovacao | Vol. 13 - Março de 2014
FGV | Fundação Getulio Vargas
 
Empreendedorismo gerando valor com a inovação
Empreendedorismo gerando valor com a inovaçãoEmpreendedorismo gerando valor com a inovação
Empreendedorismo gerando valor com a inovação
Nelson Brazys
 
Criatividade
Criatividade Criatividade
Criatividade
Helena13dias
 

Semelhante a 7trab criatividade (20)

Aumente suas vendas com criatividade
Aumente suas vendas com criatividadeAumente suas vendas com criatividade
Aumente suas vendas com criatividade
 
Reflexões sobre Inovação.pptx
Reflexões sobre Inovação.pptxReflexões sobre Inovação.pptx
Reflexões sobre Inovação.pptx
 
Criatividade
CriatividadeCriatividade
Criatividade
 
Clipping - Escola de Criatividade - O Globo
Clipping - Escola de Criatividade - O GloboClipping - Escola de Criatividade - O Globo
Clipping - Escola de Criatividade - O Globo
 
Aula 3 administrando com criatividade 2021.1
Aula 3   administrando com criatividade 2021.1Aula 3   administrando com criatividade 2021.1
Aula 3 administrando com criatividade 2021.1
 
Devemos repensar o modo como vemos a criatividade.
Devemos repensar o modo como vemos a criatividade.Devemos repensar o modo como vemos a criatividade.
Devemos repensar o modo como vemos a criatividade.
 
Startups
Startups Startups
Startups
 
Creative3
Creative3Creative3
Creative3
 
Apresentação 365 Ideias
Apresentação 365 IdeiasApresentação 365 Ideias
Apresentação 365 Ideias
 
Biz miz o1 m2_u2.1_r1_pt
Biz miz o1 m2_u2.1_r1_ptBiz miz o1 m2_u2.1_r1_pt
Biz miz o1 m2_u2.1_r1_pt
 
Guia mentalidade-inovadora-v0 compressed
Guia mentalidade-inovadora-v0 compressedGuia mentalidade-inovadora-v0 compressed
Guia mentalidade-inovadora-v0 compressed
 
De onde vêm as boas ideias de negocio?
De onde vêm as boas ideias de negocio?De onde vêm as boas ideias de negocio?
De onde vêm as boas ideias de negocio?
 
PPT session 3 16032013
PPT session 3 16032013PPT session 3 16032013
PPT session 3 16032013
 
O que aprender com 8 grandes gurus da gestão
O que aprender com 8 grandes gurus da gestãoO que aprender com 8 grandes gurus da gestão
O que aprender com 8 grandes gurus da gestão
 
mudança de paradigmas.pptMMMMMMMMMMMMMMMMM
mudança de paradigmas.pptMMMMMMMMMMMMMMMMMmudança de paradigmas.pptMMMMMMMMMMMMMMMMM
mudança de paradigmas.pptMMMMMMMMMMMMMMMMM
 
Criatividade como diferencial profissional.ppt
Criatividade como diferencial profissional.pptCriatividade como diferencial profissional.ppt
Criatividade como diferencial profissional.ppt
 
10 atitudes das pessoas muito criativas
10 atitudes das pessoas muito criativas10 atitudes das pessoas muito criativas
10 atitudes das pessoas muito criativas
 
FGV/EAESP - Caderno de Inovacao | Vol. 13 - Março de 2014
FGV/EAESP - Caderno de Inovacao | Vol. 13 - Março de 2014FGV/EAESP - Caderno de Inovacao | Vol. 13 - Março de 2014
FGV/EAESP - Caderno de Inovacao | Vol. 13 - Março de 2014
 
Empreendedorismo gerando valor com a inovação
Empreendedorismo gerando valor com a inovaçãoEmpreendedorismo gerando valor com a inovação
Empreendedorismo gerando valor com a inovação
 
Criatividade
Criatividade Criatividade
Criatividade
 

7trab criatividade

  • 1. CRIATIVIDADE Quanto vale uma nova idéia? Nada. Se capital intelectual é a nova moeda do sucesso, então certamente podemos dizer que a criatividade e a inovação são os grandes diferenciais que separam as empresas emergentes das outras. A dificuldade toda da inovação começa no próprio comportamento do ser humano, principalmente dentro do ambiente corporativo. Arno Penzias, prêmio Nobel de Física, resumiu isso bem quando disse que as pessoas estão sempre procurando motivos para "tirar um sarro" e divertir- se às custas dos outros. Qualquer pessoa que seja um pouco diferente é sempre um alvo fácil. A ameaça de ser ridicularizado mantém todo mundo dentro das normas. Isso acaba criando fortes barreiras à criatividade. As empresas gastam fortunas e muitas horas teoricamente encorajando as pessoas a serem criativas, enquanto na realidade fazem o contrário, com pequenos gestos e comentários. Para o pessoal da Ford, o melhor antídoto para isso foi criar uma equipe heterogênea dentro da empresa. Se você só contrata gente do mesmo tipo, acaba todo mundo tendo as mesmas idéias. É a diversidade que faz com que vários ângulos e pontos de vista sejam analisados. Por exemplo, com a minivan Windstar, um sucesso de vendas nos EUA, foi criado o que se chamou de "modo do bebê dormindo". Acontece que a maioria das minivans é utilizada por mulheres com crianças, e as fortes luzes do interior do carro acabavam acordando os bebês quando a mãe chegava em casa à noite e abria a porta do carro. A iluminação no modo bebê dormindo permite que somente as luzes do chão acendam, garantindo a tranqüilidade da criança (e, obviamente, da mãe). Isso só aconteceu porque as mulheres foram consultadas. Aliás, uma idéia não pode ser chamada de inovação até ser colocada em prática e largamente utilizada pelo público. A maioria das pessoas é contra qualquer tipo de mudança. Então, uma boa parte da inovação consiste no trabalho de convencer outras pessoas de que você tem uma boa idéia. Por exemplo, Art Fry, inventor do Post It® da 3M, conta que, no começo, o Post It® foi um fracasso de vendas: as pessoas não sabiam o que fazer com aquilo, e a propaganda não era suficiente para fazê-las comprar e experimentar. A única forma de vencer essa resistência inicial foi dando amostras grátis do produto - até que milhares de pessoas ficaram literalmente viciadas nos pequenos bilhetinhos amarelos, e hoje ele é o sucesso que é. Douglas Engelbart inventou o mouse em 1963, mas ele só começou a ser usado vinte anos depois - porque as pessoas achavam que ele era complicado demais! Por isso os primeiros mouses (da Apple) tinham apenas um botão - para que as pessoas não se confundissem. Essa é outra armadilha que acaba limitando o desenvolvimento: coisas fáceis de usar, desenhadas apenas para usuários iniciantes, são obviamente limitadas. A mentalidade do "tudo tem que ser inicialmente fácil" é uma armadilha - em busca da satisfação à curto prazo, limita-se imensamente o crescimento depois. Falando nisso, como funciona a Internet? Seu computador? O forno de microondas? A injeção eletrônica do seu carro? Seu relógio de pulso? Seu cérebro? A criatividade e a imaginação são o que nos permite aproveitar as coisas sem realmente compreendê-las. Não temos que entender tudo. A criatividade surge quando aceitamos que não estamos seguros, quando temos consciência absoluta disso e deixamos de tentar controlar tudo. Não importa quantos gráficos, relatórios e pesquisas você tenha - não dá para prever o futuro. Sempre teremos surpresas. Coisas que eram para dar certo falharão, e coisas que pareciam perdidas serão um sucesso. Muita gente fica presa na armadilha da inovação, quando na verdade deveria estar simplesmente procurando novas idéias. No mundo dos negócios o que mais importa são os resultados - do ponto de vista do cliente. É ele quem manda. Muitas empresas se complicam quando confundem suas atividades com seus objetivos. É geralmente nesses momentos que aparece um concorrente e conquista seu mercado. Mais uma história interessante: segundo Frederick Smith, fundador da FedEx, o pessoal da sua empresa achava que vendia o transporte de bens, mas na verdade descobriram que vendiam paz de espírito. Quando finalmente conseguiram entender isso, perseguiram furiosamente o novo objetivo. Deram a cada um de seus motoristas um computador de mão, ligado à Internet. Fizeram com que fosse possível para os clientes rastrear seus pacotes 24 horas por dia. E a FedEx não pára de crescer. Uma boa parte da inovação é estar aberto. Você tem que estar pronto para receber o inesperado, entendendo que muitas mudanças são positivas, e não negativas. Muitas pessoas vêm algo diferente e já acham que isso está errado. Inovar é ter a habilidade de ver algo diferente e enxergar sua essência, reconhecendo que o valor está justamente nessa diferença. Se você é realmente criativo, sabe que sentir-se sozinho e inseguro faz parte da vida. Você não pode ter tudo - não dá para ser criativo e conformista. É preciso reconhecer que o que faz de você uma pessoa diferente, ou seja, o seu diferencial, é justamente o que o faz criativo também.
  • 2. Todos têm a habilidade de fazer algo inovador. Acontece que a maioria das pessoas pensa em inovações como algo complexo, um processo científico reservado para alguns poucos iluminados. Mas a verdade é que todo mundo tem à sua volta as ferramentas necessárias para melhorar alguma coisa em sua vida. Não é preciso ser extraordinário - na verdade, as melhores inovações são geralmente as mais simples. A CRIATIVIDADE NAS ORGANIZAÇÕES FATORES DE ORDEM PESSOAL Existem dois tipos de fatores pessoais que são relevantes para a expressão criativa, o primeiro tipo, são os fatores negativos, são aqueles que inibem, bloqueiam o comportamento criativo o segundo grupo, são os tipos positivos, que, ao contrário, dos negativos, não inibem, mas sim estimulam nossa criatividade. Dentre os fatores negativos, podemos citar alguns que se destacam, como por exemplo: a falta de motivação, de habilidades ou experiência, a inflexibilidade e o despreparo social, para lidar com outras pessoas. Outros dois itens importantes desta lista são o descompromisso e o desinteresse pelo trabalho, que fazem com que as pessoas façam apenas o que lhes é mandado, o que acaba afetando e limitando a visão do indivíduo para identificar o processo como um todo, o objetivo da empresa por exemplo, metas da mesma. A insuficiência ou inexistência de conhecimentos e/ou habilidades a pessoa insegura diminuindo sua auto-estima e prejudicando o desempenho da sua função. Da mesma forma o preconceito, os padrões e paradigmas acaba o distanciando da capacidade de aceitar posicionamentos divergentes, idéias novas e, até mesmo, feedback (retorno) dificultando o seu melhor aproveitamento na obtenção dos objetivos organizacionais. A dificuldade de interação, de convívio social, prejudica o intercâmbio de idéias e conhecimentos necessários para a geração de comportamento e ações criativas. A criatividade exige inovação, para tanto, é preciso que a pessoa tenha iniciativa, independência de pensamento e ação, flexibilidade e persistência, autoconfiança, disposição ao risco, porém como sabemos, as pessoas tem medo do novo, sentem um certo “receio” do incerto, o que geralmente impõe barreiras a criatividade. Devemos aprender com nossos erros diante do novo, ao invés de ficarmos estagnados enquanto os outros, que podem até mesmo ser nossos concorrentes, passam a nossa frente. Outra característica imprescindível no indivíduo criativo é a coragem, necessária para enfrentar a novas idéias que surgirão e colocá-las em prática. A Organização é sempre um conjunto de processos realizados por grupos de pessoas e não dispensa, portanto, habilidades grupais nas quais se inserem os momentos de isolamento e os de relacionamento, ambos fundamentais à criação. FATORES DE ORDEM SÓCIO-CULTURAL O contexto sociocultural exerce enorme influência sobre o indivíduo. A receptividade, no ambiente social, à apresentação do trabalho criativo é crucial ao estímulo do indivíduo ao exercício do seu potencial, haja vista que a rejeição à apresentação pode acabar de forma irreversível a sua coragem e disponibilidade em se expor. Este fator é agravado na exata medida do nível de coletividade da sociedade. FATORES DO AMBIENTE DE TRABALHO Numa visão atual dos fatos, percebemos que as organizações, a cada dia que passa, tem que se tornar mais e mais competitivas, mas como? É nestas horas que a criatividade entra. Em uma empresa na qual seus funcionários são estimulados no lado da criatividade, é muito mais fácil alcançar esta competitividade, pois a criatividade acaba sendo um diferencial a mais que sua empresa possui em relação aos seus concorrentes. Para que uma empresa se torne criativa, ela deve oferecer a seus funcionários apoio e segurança no lado “criativo”, em outras palavras incentivar as pessoas e não desprezar as idéias que forem surgindo. Um item importante para que isto aconteça, é a motivação, pois ela reúne as ações dos indivíduos para seu potencial criativo. O desenvolvimento do espírito de equipe, o apoio na colocação em prática de novas idéias, a fiança de inovações são componentes característicos de tais Organizações. A valorização, o respeito às idéias e manutenção do espaço às suas apresentações, são tidos como reforço positivo que estimula o uso da criatividade em favor da Organização. A implementação da cultura criativa exige pessoas capacitadas e habilitadas à preparação e ao uso dos processos de pensamento criativo, disponibilidade de treinamento e desenvolvimento de
  • 3. habilidades criativas, encorajamento, feedback, tempo adequado à realização das tarefas, estabelecimento de metas para o alcance de produtos criativos, ausência de punições a eventuais fracassos, reconhecimento e recompensas às idéias e produtos criativos e o fornecimento dos recursos necessários à sua implementação, uma cultura sustentada na flexibilidade, desafio, comunicação, prazer e sentimento de pertencer a uma nobre organização. Por sua vez a pobreza do clima organizacional (pessoas insatisfeitas com a empresa), o excesso de avaliação e pressão, insuficiência de recursos, competição acirrada e projeto inadequado de gerenciamento inibem e, até mesmo, bloqueiam a criatividade. FASES DO PROCESSO CRIATIVO O caminho que a mente adota para gerar idéias, vem sendo estudado há tempos. O psicólogo alemão Hermann von Helmholtz definiu vários modelos que foram expandidos pelo psicólogo americano Graham Wallas. No modelo de Wallas, a criatividade ocorre em quatro etapas: Preparo Nesta etapa, sua mente coleta informações e dados que servem como alicerces ou pesquisa, onde você esta trabalhando. Incubação É conhecida como a fase de descanso ou pausa, em que você armazena as informações que reuniu e deixa de focalizá-las um pouco ou de pensar concientemente nelas. A incubação é o momento que as pessoas sentem-se estressados, cansados e a mente parece dizer para fazer-se uma pausa. Iluminacão Esta fase todos nós conhecemos, como: Eureka, UAu, como não pensei nisso antes, é o momento máximo da inspiração. Às vezes, ocorre quando você está fazendo algo completamente diferente do seu trabalho .A importância do relaxamento ou distração para encorajar a incubação e a iluminação é tão reconhecida, que os especialistas em criatividade recomendam que você dê tempo suficiente para que estes processos ocorram naturalmente. É óbvio que fica impossível dizer quanto tempo é suficiente para você. A experiência recomenda portanto paciência. Implementação / Verificação É o ponto em que você dá forma para sua nova idéia, para se certificar de que ela funciona. Neste momento o autor senta-se para escrever, para aprimorar a sua idéia . CRIATIVIDADE NAS EMPRESAS A chave para aumentar a criatividade em qualquer atividade é incentivar as pessoas a começarem a agir criativamente em grupo. A seguir, algumas maneiras de estimular a criatividade, segundo Michael Michalko, coisas fáceis que podem ser aplicadas facilmente em sua empresa ou a seu grupo: 1) Promova uma Loteria de Idéias: Dê um cartão numerado para cada pessoa que tiver uma idéia criativa. No final do mês, compartilhe todas as idéias com sua equipe. Faça um sorteio e dê um prêmio para quem tiver o cartão premiado. 2) Inspire por meio de objetos: Peça às pessoas que coloquem em suas mesas objetos que representem sua própria interpretação pessoal do que é criatividade no trabalho. Por exemplo, uma bola de cristal para
  • 4. Thomas Edison, o homem que inventou a luz elétrica. Aos oito anos, Edison foi matriculado na escola do reverendo Engle, em Detroit, que não precisou de muito tempo para conceituá-lo como um "retardado", um "estúpido". Por causa da sua dificuldade em aprender, Edison foi praticamente expulso e nunca mais freqüentou escola alguma. representar o planejamento do futuro, pilhas ou baterias novas para simbolizar energia criadora, etc. 3) Organize a Semana das Idéias Estúpidas: Faça com que ter idéias seja divertido. Organize uma semana das idéias Estúpidas e promova um concurso. Coloque as idéias em algum lugar visível, e depois façam uma votação e premiem a idéia mais estúpida apresentada. Todos vão divertir-se e, no processo, você vai descobrir que algumas idéias não eram tão estúpidas assim. 4) Proponha cotas de idéias... Garanta a criatividade dando a cada funcionário uma cota semanal ( por exemplo, uma idéia por semana ). Thomas Edison usava este sistema. Sua cota pessoal era uma invenção pequena a cada dez dias e uma grande a cada seis meses. 5) Reconheça sempre: Por menor que possa parecer a contribuição nunca esqueça de mencionar de quem ou qual grupo veio a sugestão. Mesmo que a sugestão não tenha sido implementada. Ao agradecer você estará estimulando um ambiente mais criativo e descontraído. É esta energia criativa que manterá o grupo em permanente criação. Comemore todos os resultados alcançados. Os casos de Einstein e Edison, contudo, não foram únicos na história. Gandhi também foi um aluno medíocre. Sofreu muito com a tabuada e costumava voltar para casa correndo para que seus colegas não pudessem zombar da sua 'burrice". Tinha um raciocínio muito lento e uma memória péssima. Acontece, cara, que esses três "burrinhos" foram longe. Eles superaram todas as expectativas, contrariaram todas as previsões e acabaram se tornando celebridades universais. Se você quer saber como essas coisas podem acontecer na vida de qualquer um, inclusive na sua!!! INTELIGÊNCIA E CRIATIVIDADE Por ser uma "função", a inteligência pode melhorar continuamente à medida aprendemos coisas novas, sejam estas "coisas" palavras, conceitos, procedimentos etc. Quando aprendemos uma coisa nova agora, melhoramos nossa inteligência mais um pouquinho. É lei da natureza. O que acontece, na realidade, é que toda vez que aprendemos alguma coisa, esta nova informação é registrada na memória e IMEDIATAMENTE associa-se a todo o conjunto de informações que já estão lá, guardas. Assim, quando raciocinamos sobre qualquer assunto, estamos simplesmente fazendo comparações entre as informações que temos na memória. A coisa funciona mais ou menos assim: Albert Einstein é considerado um dos homens mais inteligentes que pisaram a face da Terra, um cientista brilhante, um orgulho para a raça humana. Porém, nem sempre foi considerado assim. Você sabia disso? Na escola, quando criança, Einstein foi um verdadeiro fracasso. Sentia grande dificuldade em matérias como história e geografia e um dos seus professores, inclusive, chegou mesmo a prever um futuro sombrio para ele: "- É um debilóide! Não vai chegar a lugar algum!" Einstein E Edison
  • 5. - Tudo o que aprendemos é devidamente registrado na memória; - Quando temos que resolver determinado problema, buscamos na memória todas as informações que temos sobre o assunto, comparamos e formulamos uma resposta. É justamente por isso que não conseguimos pensar sobre o que não sabemos. Tente pensar num noete prateado e veja como é difícil pra burro. Você só conseguirá pensar num noete prateado se souber o que é noete, não é mesmo? Acontece que a nossa memória não registra somente dados isolados, como palavras, por exemplo; registra também procedimentos, maneiras de agir e - isto é importante - maneiras de pensar. Quando aprendemos usar o martelo, por exemplo, registramos na memória o procedimento completo de dar marteladas, desde como segurar o prego até o modo de bater o martelo. Por isso, quando temos que botar um prego na parede, "recuperamos" na memória todo o procedimento aprendido e cumprimos a tarefa naturalmente, praticamente sem qualquer esforço intelectual. Ocorre, entretanto, que, de repente, o prego pode se recusar a entrar na parede, não é mesmo? Daí então a inteligência nos oferece duas alternativas: 1) desistir da tarefa 2) procurar uma nova solução para o problema Pois é aí, justamente aí, que o nosso cérebro abre uma portinha mágica que pode nos levar ao maravilhoso mundo do "pensamento criativo". O "pensamento criativo" é somente uma alternativa que a mente nos oferece para que encontremos uma solução original para um problema teoricamente sem solução. Quando nos surge uma idéia nova, ela é resultado de dois dados que estavam anteriormente gravados em nossa memória, porém em lugares separaddos. Assim sendo, ser criativo é apenas uma opção intelectual. E todos podem fazer esta opção. É simples, fácil, divertido e faz crescer, e muito, a nossa auto-estima. O PENSAMENTO CRIATIVO Pensar criativamente é "pensar lateralmente". É basicamente isso. Bem... talvez você esteja em duvida, assim como eu fiquei quando ler isto, pode estar se perguntando: mas o que é pensar lateralmente, não é mesmo? Então veja: Segundo Edward De Bono, "raciocínio vertical” é cavar cada vez mais fundo no mesmo buraco, enquanto raciocínio lateral é tentar de novo em outro lugar". Em termos práticos, isto quer dizer que se não encontramos respostas satisfatórias para determinados problemas (do jeito que estamos procurando) devemos procurá-las em outro lugar, de outra maneira, olhando sob outro ângulo e através de outras associações. E a "chave" para pensar lateralmente é usar, simplesmente, a expressão... "e se...?" É isso mesmo, pensar criativamente é pensar "e se?" - E se invés de dividir eu multiplicar? - E se invés de pintar de verde eu pintar de vermelho? - E se invés de ir por aqui eu for por ali? - E se invés de deixar aqui eu puser ali? Este é o primeiro passo do pensamento criativo, é a primeira regrinha pra tirar de nossas cabeças, a mesmice do pensamento vertical! Acostume-se a pensar "e se?" e você vai ver como as idéias começam a surgir. Pense "e se?" e ouse, arrisque, experimente! Sem "correr o risco de errar você tem poucas chances de acertar!”
  • 6. Veja como Sigmund Freud se referia à própria inteligência e perceba que não há grandes exigências de ordem intelectual para que qualquer um, com ousadia e determinação, possa superar suas limitações: "Não sou realmente um homem de ciência, não sou um observador, não sou um pensador. Nada sou senão um conquistador, por temperamento — um aventureiro — com a curiosidade, a rudeza e a tenacidade que compõem essa espécie de ser." .......... "Tenho capacidades e talentos muito restritos. Nenhum para as ciências naturais, nenhum para a matemática, nada para as coisas quantitativas. No entanto, o pouco que possuo, e que é de natureza bastante limitada, deve provavelmente ser de caráter muito intenso." (Textos extraídos do livro O Pensamento Vivo de Sigmund Freud, de Martin Claret.) A grande dificuldade para que as pessoas pensem criativamente é o seguinte: Desde pequenos somos acostumados a pensar verticalmente. Na escola, como em casa, sempre nos ensinaram que devemos fazer tudo certinho, que devemos ser objetivos, práticos, eficazes, e que a "ousadia" é um perigo que pode custar muito caro. Cientificamente, isto quer dizer que somos educados para utilizar exclusivamente o lado esquerdo do cérebro - o lado da razão e do raciocínio lógico. Porém, e o lado direito - o da imaginação, da intuição, da inventividade - como fica? Atrofiado? É exatamente esta a dificuldade. A maioria das pessoas pensa somente com o lado esquerdo do cérebro. Poucas pessoas usam também o lado direito. Assim, quando se deparam com um problema de difícil solução, ficam com a mente paralisada, sem alternativa, não é mesmo? É preciso, aprender a usar o lado direito do cérebro. É justamente nesse lado que se concentram todas as nossas potencialidades criativas. É preciso explorar esse mundo de talento que você tem na cabeça. Desenvolvendo tão-somente o seu raciocínio lógico, certamente você se tornará uma pessoa muito inteligente, porém, talentoso e criativo você só será quando desenvolver toda sua capacidade de "imaginar" e de "ousar". Todos os grandes gênios que você conhece ou já ouviu falar - Chopin, Van Gogh, Matisse, Pasteur, Sabin, Nijinski, Pascal, Camões, Dante, Picasso, Cervantes - TODOS foram useiros em explorar o lado direito do cérebro à procura do original, do incomum, do diferente. Porque o comum e o banal, todo mundo faz. O diferencial de hoje em dia é fazer diferente. Porém um "diferente" melhor, um "diferente" bom a vida das pessoas, bom para o mundo, bom para a vida. E esse "diferente" só se consegue à custa de muito estudo, muita ousadia, muita determinação. A ferramenta, você tem: o cérebro. É só "brincar" com ele que você chega lá! É preciso que se diga, contudo, que o pensamento criativo não surge do nada, não é obra do acaso. Não adianta ficar de na beira da praia esperando que um pensamento genial caia do céu porque não cai, não! Para que o espírito criativo apareça é preciso que o seu cérebro tenha substância, ou seja, que tenha uma quantidade de informações suficientemente grande para que as idéias possam brotar na sua mente. Depois, é só seguir o conselho do grande Thomas Edison: "Qualquer homem pode alcançar o êxito se dirigir seus pensamentos numa direção e insistir neles até que faça alguma coisa". Devemos insistir até que alguma coisa aconteça! Louis Pasteur teve um derrame cerebral aos 46 anos, ficando com todo o lado esquerdo do corpo paralisado. Nessa época ele ainda não era um cientista famoso e ainda estudava a pebrina, uma doença que atacava a cultura dos bichos-da-seda. Mesmo debilitado pela doença e deprimido pela morte prematura das suas três filhas, Pasteur continuou trabalhando, pesquisando. Como se não bastante tanta dor e tanto sofrimento, Pasteur ainda foi ridicularizado na Academia de Medicina por suas teses sobre a esterilização dos ambientes hospitalares. Mas continuou trabalhando, pesquisando. Até que em 1885 - quase vinte anos depois do derrame sofrido - Louis Pasteur trata e cura, pela primeira vez na história da medicina, um garoto atacado por raiva. Ele insistiu, ousou, não temeu o ridículo... e realizou! Não importa quem nós somos hoje, não importa o que deixamos de fazer, não importam as nossas derrotas, nada disso importa. O que vale, e o que realmente tem importancia, é que nós temos dentro da caixa craniana o mais poderoso computador do mundo. E ele é todo nosso.
  • 7. Saiba que Einstein, Pasteur, Gandhi, Edison, Picasso e Leonardo da Vinci tinham "computadores" exatamente iguais ao seu. Nenhuma diferença! Nenhum neurônio a mais! “Toda criança, ao nascer, possui um potencial de inteligência maior do que Leonardo da Vinci utilizou em toda a sua existência". O psicólogo Glenn Doman, autor de "Teach Your Baby Math", afirma no seu livro: "Aprender é o jogo mais importante e divertido da vida. Todas as crianças nascem acreditando nisso e continuarão acreditando até que as convençamos de que aprender é uma tarefa extremamente difícil e desagradável. Algumas crianças jamais aprendem essa lição e passam a vida acreditando que aprender é divertido, que é um jogo que vale ser jogado. Temos um nome para essas pessoas: elas são chamadas de "gênios". De fato, ao nascer, a criança se dispõe, pela própria natureza do seu cérebro, a aprender continuadamente por toda a vida. O que impede essa "aprendizagem contínua" é a ação bloqueadora dos adultos - principalmente dos pais - que, a pretexto de educar, acabam desvirtuando a criança do seu destino natural. Um dos maiores obstáculos ao desenvolvimento contínuo da criança é a rejeição às suas manifestações criativas. Raros são os pais que elogiam seus filhos, com insistência, a cada manifestação de criatividade. Cada vez que uma criança mostra um desenho que acabou de fazer, uma "invenção" ou uma coisa nova que aprendeu na escola, na verdade, está com sua mente expectante pronta para receber um elogio que há de estimulá-la ainda mais a dar continuidade a esta aprendizagem. Quando não há o "elogio" a criança "julga" que o seu esforço em "produzir" algo criativo foi em vão, e isso diminui sua auto-estima. Aos poucos, ela acaba "entendendo" que é uma "inútil" ou - pior ainda - que não é amada. E isso faz um mal terrível tanto para o seu desenvolvimento intelectual quanto para o seu equilíbrio emocional. Para estimular a criatividade das crianças, você não precisa comprar revistas ou "jogos educativos", nada disso. Você precisa, tão-somente, "acariciar" o intelecto e o emocional dela. Como? Elogiando! Elogiando sempre e muito. Se você se habituar a elogiá-la - "Que bonito! Você é muito inteligente!" - estará permitindo que ela, por si só, desenvolva seu potencial criativo (ela vai querer fazer sempre mais e melhor para agradá-lo, para receber mais elogios) e equilibre positivamente o seu lado emocional (ela vai se sentir amada, e isso é fundamental para o desenvolvimento de qualquer criança). Muitos pais, por falta de tempo ou de informação, acabam prejudicando inconscientemente o desenvolvimento intelectual dos seus filhos. Muitos, inclusive, acham que o melhor para seus filhos é estudarem em ótimos colégios onde terão toda a assistência intelectual que precisam, e que isso basta. Este, contudo, é um erro gravíssimo. O que a criança pequena precisa, fundamentalmente, é de afeto. Repare que as crianças quando aprendem algo novo na escola, correm direto para os pais para mostrar o que aprenderam. E este momento é crucial; ele é tão importante quanto tudo aquilo que ela aprendeu. A escola "dá" a informação, ajuda na formação, mas é a relação afetuosa pais/filho que vai fazer com que toda essa informação seja bem processada pelo cérebro. Quando ela corre para mostrar o que aprendeu, está simplesmente "procurando afeto", "procurando elogio". O silêncio e a indiferença, nessas horas, faz um mal terrível e pode pôr tudo a perder. Outro detalhe que também merece ser ressaltado, é a questão da diversão, da brincadeira. É preciso entender que o trabalho das crianças é sua diversão; crianças aprendem através de tudo o que fazem. Por isso, não é saudável cobrar das crianças atitudes de adultos. Crianças aprendem brincando, e aprendem mais do que adultos. Um criança, por exemplo, pode aprender a ler com meses de vida, você sabia disso? Se você rotular seus brinquedos e os móveis, escrevendo o nome de cada peça, basta aguardar pois ela, naturalmente, aprenderá a identificar cada palavra, ou seja, aprenderá a ler sem que ninguém lhe ensine. Tudo naturalmente. E brincando. Portanto, se você quer realmente estimular a capacidade criativa do seu filho, siga estes dois princípios fundamentais: 1 - Elogie sempre, sempre, sempre; mostre afeto sempre, sempre, sempre; 2 - Estimule-o a brincar sempre e muito. Em cada brincadeira, com certeza, ela estará aprendendo mais um pouco, crescendo um pouco mais. Lembre-se que ela não é adulto, não está ainda preparada para aprender como um adulto. Ela é criança; deve aprender como criança. É a lei.
  • 8. CONCLUSÃO Como percebemos, a criatividade, não surge do nada, nem aparece em nossas mentes como um raio, ou como uma lâmpada que se acende sobre nossas cabeças, é necessário que tenhamos várias informações, para que nossa mente possa cruzá-las, resultando em pensamentos criativos. O importante é não ficar muito apegado aos padrões, normas, paradigmas, temos que ter a coragem necessária, para conseguirmos vencer eles. Por exemplo... Quem disse que as capas dos trabalhos tem que ser em papel branco, folha A4, que a capa não pode ser escrita de trás para frente? Bem... não sei quem foi que inventou tais regras, com certeza esta pessoa buscava a padronização dos trabalhos, mas será que é isto que nossa sociedade, realmente precisa? De pessoas padronizadas? Pessoas que pensem todas da mesma maneira? Acho que não... Li recentemente em um livro (PREDIBON), uma coisa bem interessante: ele nos diz que a criatividade é como um músculo de nosso corpo, vamos pegar o bíceps como exemplo; quem faz musculação, ou constantes exercícios com os braços, possui os bíceps bem desenvolvidos, enquanto uma pessoa que ficou com o braço engessado, fica com o mesmo atrofiado. A criatividade também é assim, se nós não utilizarmos ela, ela vai ficando cada vez mais esquecida, começa a “criar teias de aranha” no nosso “lado direito do célebro”, devemos começar o quanto antes a treinar e estimular nossas mentes, pois só assim conseguiremos “expulsar as teias” que prendem nossa criatividade. Não é difícil, porém também não é taum fácil, é um hábito que adquirimos com o tempo, e por que naum começar agora??? Garanto que daqui a algum tempo, você próprio se surpreenderá com suas melhoras no campo da criatividade!
  • 9. BIBLIOGRAFIA Consulta na INTERNET, dia 08 de setembro de 2000, no site: http://www.robsoncunha.cjb.net/ Consulta na INTERNET, dia 10 de setembro de 2000, no site: http://www.widebiz.com.br/gente/raul/raul_eureka.html Consulta na INTERNET, dia 10 de setembro de 2000, no site: http://geocities.com/Eureka/Concourse/9084/ Consulta na INTERNET, dia 10 de setembro de 2000, no site: http://criatividade.homepage.com PREDIBON, José. Criatividade hoje : como se pratica, aprende e ensina.
  • 10. BIBLIOGRAFIA Consulta na INTERNET, dia 08 de setembro de 2000, no site: http://www.robsoncunha.cjb.net/ Consulta na INTERNET, dia 10 de setembro de 2000, no site: http://www.widebiz.com.br/gente/raul/raul_eureka.html Consulta na INTERNET, dia 10 de setembro de 2000, no site: http://geocities.com/Eureka/Concourse/9084/ Consulta na INTERNET, dia 10 de setembro de 2000, no site: http://criatividade.homepage.com PREDIBON, José. Criatividade hoje : como se pratica, aprende e ensina.