SlideShare uma empresa Scribd logo
Banco múltiplo privado, focado e especializado no atendimento a empresas 
Apresentação 
Institucional 
4T09
Agenda 
Perfil 
O Banco PINE 
A História do Banco PINE 
Gestão da Crise 
Estratégias para o Atual Cenário 
Posicionamento no Mercado 
Empresas 
Estrutura Organizacional 
Estratégias para o Atual Cenário 
Resultados 4T09 
Governança Corporativa e Ações 
Governança Corporativa 
Principais Comitês 
Composição da Base 
Ações 
Dividendos 
Responsabilidade Social 
Ratings 
Anexos 
2/45
Agenda 
Perfil 
O Banco PINE 
A História do Banco PINE 
Gestão da Crise 
Estratégias para o Atual Cenário 
Posicionamento no Mercado 
Empresas 
Estrutura Organizacional 
Estratégias para o Atual Cenário 
Resultados 4T09 
Governança Corporativa e Ações 
Governança Corporativa 
Principais Comitês 
Composição da Base 
Ações 
Dividendos 
Responsabilidade Social 
Ratings 
Anexos 
3/45
Perfil
Banco PINE 
O PINE é especializado no atendimento a Empresas 
Focado no atendimento a empresas com 
faturamento anual acima de R$ 150 milhões. 
Oferece aos clientes uma gama completa de 
Faturamento Anual das Empresas 
R$ 500 
Milhões a 
produtos financeiros em moeda local e estrangeira 
Ativo Total: R$ 7,0 bilhões 
R$ 1 Bilhão 
25% 
R$ 150 
Milhões a 
R$ 500 
Milhões 
Exposição total de crédito: R$ 4,8 bilhões 
Captação total: R$ 4,5 bilhões 
O i t d l i t li t á il 
> R$ 1 
18% 
Orientado ao relacionamento com clientes, ágil, Até R$ 150 
focado em serviços financeiros 
Administração qualificada e corretamente 
incentivada em todas as áreas 
Bilhão 
45% 
Milhões 
12% 
Patrimônio Líquido: R$ 825 milhões 
PINE4 negociado na BMF&Bovespa como Nível 1 de 
G C ti 
Sólida Estrutura de Crédito 
A1.br Escala Nacional 
Ba2 Longo/Curto prazo depósito 
em moeda local e estrangeira 
Governança Corporativa 
Br A- Escala Nacional 
BB- Longo/Curto prazo depósito 
em moeda local e estrangeira 
A-(bra) Escala Nacional 
Longo/Curto prazo depósito 
5/45 
31 de Dezembro de 2009 
B+ em moeda local e estrangeira
A História do Banco PINE 
Fundado em 1997, o Banco PINE revela uma trajetória de desenvolvimento contínuo 
2007 
IPO 
1997 
Fundação do 
2004 
Oportunidade 
2005 
Noberto Pinheiro torna- 
1939 
Família Pinheiro 
1975 
Noberto Pinheiro 
2009 
Fundação da 
Criação da agência 
Cayman 
Decisão de 
desalavancar a 
carteira de 
consignado 
ç 
Banco PINE 
Foco exclusivo 
em empresas 
p 
no consignado se o único acionista do 
Banco PINE 
funda seu 
primeiro banco 
torna-se um dos 
controladores do 
BMC 
ç 
PINE 
Investimentos 
g 
1939 - A família Pinheiro funda seu primeiro Banco no 
Brasil – O Banco Central do Nordeste 
1975 Noberto Pinheiro se torna um dos controladores 
Decisão estratégica de desalavancar o negócio de 
Crédito Consignado, no final de 2007 
- acionários do Banco BMC 
1997 - Noberto e Nelson Pinheiro vendem suas 
participações no BMC e fundam o Banco PINE 
EMPRESAS 
100% focados em nosso principal negócio 
Atendimento personalizado, ágil e completo a 
empresas 
C S lli di ifi ã fi ti ã d 
2005 - Noberto Pinheiro torna-se o único acionista do 
Banco PINE 
2007 – IPO e Abertura da Agência Cayman 
Cross-Selling: diversificação e sofisticação de 
produtos 
CRÉDITO CONSIGNADO 
Redução das margens 
ê 
2009 – Criação da PINE Investimentos 
Aumento da concorrência 
Excessiva regulamentação 
Necessidade de escala 
Ausência de oportunidades de cross-selling 
Excessivo alongamento dos prazos 
6/45 
Fim da tarifa de liquidação antecipada
Gestão da Crise 
Administração ágil e especializada para superar a crises 
*Exposição Total de Crédito (R$ Milhões) 
Diferenciais do Banco PINE na gestão da crise: 
Não dependência de funding de longo prazo, dada a 
desalavancagem do negócio de crédito consignado e do “projeto 
piloto” de financiamento de automóveis 
*Inclui carteira de crédito adquirida de instituições financeiras com coobrigação 
p 
Política rígida de casamento de ativos e passivos, aliada com 
gestão ágil e eficiente do caixa 
Recompra de ações próprias e do MTN 
Foco em empresas com fundamentos sólidos e relacionamento 
próximo com os clientes 
C idd d li ã d édi ã 
4.639 5.047 4.885 
4.264 3 873 3 922 4 113 
4.753 
Capacidade de avaliação de crédito, estruturação e 
acompanhamento da carteira de crédito colateralizada 
Fortes controles de riscos e com baixa exposição a risco de 
mercado (VaR de 0,09% do PL em dezembro/2009 e 0,26% em 
dezembro/2008) 
Ausência de derivativos alavancados 
3.873 3.922 4.113 
M /J /08 S t/08 D /M /J /09 S t/09 D /Vendas cruzadas de produtos de crédito e produtos financeiros 
*Caixa/Depósitos a Prazo Depósitos a Prazo + LCA (R$ Milhões) 
*Posição do caixa no último dia de cada período 
Mar/08 Jun/Set/Dez/08 Mar/09 Jun/Set/Dez/09 
2 784 
31% 
37% 33% 
40% 
51% 
45% 47% 
37% 
1.621 
1.967 1.841 
1.243 1.334 
1.756 
2.154 
2.784 
7/45 
Mar/08 Jun/08 Set/08 Dez/08 Mar/09 Jun/09 Set/09 Dez/09 Mar/08 Jun/08 Set/08 Dez/08 Mar/09 Jun/09 Set/09 Dez/09
Agenda 
Perfil 
O Banco PINE 
A História do Banco PINE 
Gestão da Crise 
Estratégias para o Atual Cenário 
Posicionamento no Mercado 
Empresas 
Estrutura Organizacional 
Estratégias para o Atual Cenário 
Resultados 4T09 
Governança Corporativa e Ações 
Governança Corporativa 
Principais Comitês 
Composição da Base 
Ações 
Dividendos 
Responsabilidade Social 
Ratings 
Anexos 
8/45
Estratégias para o 
Atual Cenário
Posicionamento de Mercado 
O Banco PINE está bem posicionado no mercado local 
Consolidação do setor financeiro entre 
grandes bancos fez com que os limites de 
crédito dos clientes fossem reduzidos 
Grandes bancos 
Bancos 
estrangeiros 
d i 
Forte penetração no segmento de 
Upper Middle (faturamento anual - % 
sobre o crédito total) 
múltiplos 
Bancos médios 
de atacado 
reduziram seu 
apetite de 
risco depois 
19% 17% 13% 12% 
da crise 
financeira 20% 18% 
Até R$ 150 milhões 
Segmento pouco atendido 
Foco em crédito para Empresas, oferecendo produtos 
sofisticados sob medida, com transparência e agilidade. 
global 
Bancos 
estrangeiros 
28% 
30% 
25% 
29% 
20% 
R$ 150 a R$ 500 milhões 
Bancos médios 
30% 35% 
37% 
45% 
22% 
R$ 500 milhões a R$ 1 
bilhão 
$ Mar-09 Jun-09 Set-09 Dez-09 
> R$ 1 bilhão 
10/45
Empresas 
Processo de aprovação de crédito ágil e prudente 
Originação de Crédito a Empresas Processo de Aprovação de Crédito (38 funcionários) 
Análise de crédito diligente e completa 
Expertise e flexibilidade na estruturação de 
operações 
Forte equipe de originação 
Foco na atração e retenção dos melhores 
executivos de conta – cultura meritocrática 
Monitoramento próximo da evolução do crédito 
Agilidade na processo de decisão das operações de 
crédito 
Gestão dos riscos da carteira de recebíveis e da 
Hierarquia horizontal 
Relacionamento próximo aos clientes e alta taxa 
de renovação entre clientes 
Cross-selling de produtos de crédito e serviços 
qualidade das garantias 
Processamento, documentação e controle 
eficientes 
Cross financeiros 
417 clientes ativos 
Ticket médio R$ 10,3 
milhões Expansão de Crédito 
Aumento de penetração com os clientes 
Prazo médio 13 meses 
p ç 
existentes 
Rápida aprovação de crédito para empréstimos 
Processamento baseado em tecnologia de ponta 
Monitoramento e mitigação de riscos 
11/45 
g ç
Estrutura Organizacional 
Estrutura desburocratizada e hierarquia flat 
Conselho de Administração 
Auditoria Interna 
Tikara Yoneya 
Auditoria Externa 
Deloitte 
Noberto Pinheiro 
Presidente 
Noberto Pinheiro Jr. 
Vice Presidente 
Maurizio Mauro 
Membro Independente 
Fernando Albino 
Membro Externo 
Mailson da Nóbrega 
Membro Independente 
Conselho Fiscal 
Ri O i l 
Sidney Veneziani 
Peter Edward Wilson 
Alcindo Itikawa 
CEO 
Noberto N. Pinheiro Jr. 
Risco Operacional 
& Compliance 
Pine Investimentos 
Rodrigo Boulos 
Controladoria e Risco 
de Mercado e Liquidez 
Susana Waldeck 
Finanças & Produtos 
Clive Botelho 
Comercial Empresas 
Miguel Genovese 
Análise e Risco de 
Crédito 
Gabriela Chiste 
Operações Empresas 
Ulisses Alcantarilla 
g g Empresas 
• Carteira de Crédito 
R$ 4.1 bi 
• 417 Clientes 
• São Paulo 
• Ribeirão Preto 
Crédito Empresas 
• Análise e concessão 
de crédito 
• Monitoramento dos 
riscos de crédito e 
análise setorial 
Tesouraria 
• Local 
• Internacional 
• Clientes 
Captação 
• Local 
Risco de Mercado e 
Liquidez 
Recursos Humanos 
Contabilidade 
Controladoria 
Operações 
Estruturadas 
Fundos de Crédito 
Assessoria Financeira 
Private Equity 
Di t ib i ã 
Processamento e 
Formalização 
Jurídico 
• São José do Rio Preto 
• Rio de Janeiro 
• Curitiba 
• Porto Alegre 
• Belo Horizonte 
• Recife 
• Internacional 
Internacional 
• Cayman 
• Trade Finance 
Pesquisa Macro 
Produtos 
Distribuição 
12/45 
Relações com Investidores
Estratégias para o Atual Cenário 
Crescimento da carteira de crédito e oportunidades de Cross-Selling 
Desafios do atual cenário: 
Otimização do capital: 
Maior alavancagem 
Taxas de juros menores e 
volatilidade reduzida 
Cross-selling: 
Maior penetração de produtos 
por cliente 
Empréstimos 
Corporativos 
Mútuo 
Câmbio/Comércio 
Exterior 
Exportação 
Repasses 
FINAME 
Automático 
Fianças 
Licitação 
Concorrência 
Tesouraria 
Moedas 
Juros 
Investimentos 
Moeda Local 
CDB/ RDB 
Pine 
Investimentos 
Underwriting e 
Sindicalização de 
Conta Garantida 
Desconto 
Compror/Vendor 
Cobrança 
Vinculada 
ACC/ACE 
Carta de Crédito 
Cobrança 
Documentária 
Pré–pagamento 
Fabricante 
Agrícola 
Outros 
EXIM 
Pré-Embarque 
Performance 
Crédito/Financeira 
Commodities 
Equities 
Assessoria Macro 
Títulos Públicos 
FIDC 
CDI 
LCA 
Fundos de Crédito 
Credito 
Private Equity 
Fundos de Crédito 
Assessoria 
Financeira 
Importação 
Carta de Crédito 
Pagam. Antecipado 
Cobrança 
Documentária 
Pré-Embarque 
Especial 
Pós-Embarque 
BNDES Automático 
FINEM 
Private Equity 
Moeda 
Estrangeira 
CD - Certificate of 
Deposit 
Câmbio Pronto 
Emp. e Invest. em 
Moeda Estrangeira 
2770 
Empréstimo 
Externo 
Demand Deposit 
Accounts 
Eurobonds 
Conta de Custódia 
Money Market 
13/45 
Investimento 
Externo 
Accounts 
Time Deposit 
Private Equity
Agenda 
Perfil 
O Banco PINE 
A História do Banco PINE 
Gestão da Crise 
Estratégias para o Atual Cenário 
Posicionamento no Mercado 
Empresas 
Estrutura Organizacional 
Estratégias para o Atual Cenário 
Resultados 4T09 
Governança Corporativa e Ações 
Governança Corporativa 
Principais Comitês 
Composição da Base 
Ações 
Dividendos 
Responsabilidade Social 
Ratings 
Anexos 
14/45
Resultados 4T09
Destaques 2009 
Durante o ano, o PINE mostrou a solidez de seus fundamentos 
Gestão eficiente do caixa e estrito casamento entre ativos e passivos: recompra de papéis 
Ajustes na estrutura de custos de forma antecipada 
Crescimento da carteira de crédito em moeda local e estrangeira 
Melhora da qualidade da carteira (NPL de 0 7% 0,7% em 31 de dezembro de 2009) 
Ausência de cessões de crédito consignado no ano e antecipação de fluxos financeiros aos cessionários 
Fortes controles e baixíssima exposição a risco de mercado (VaR médio de 0,09% do PL no 4T09) 
Aumento de receitas via Cross Selling: Produtos de Crédito, Tesouraria/Dealing Desk e PINE Investimentos 
Depósitos em seu maior nível histórico, acima de R$ 3 bilhões 
16/45
Destaques 4T09 
O Banco PINE continuou a crescer seus depósitos e sua carteira de crédito, com melhora da 
qualidade 
Carteira de Crédito Empresas (R$ Milhões) 
Δ Tri Δ Ano 
20 6% 34,1% 
Non-Performing Loans 
Δ Tri Δ Ano 
-0 6p p -0,2p.p. 
Despesa de PDD (R$ Milhares) 
(exclui adicional e reversões) 
Δ Tri Δ Ano 
4 118 
20,6% 1,3% 
0,6p.p. -65,0% -72,6% 
3.070 3.416 
4.118 
0,9% 
0,7% 
25.947 
20.298 
7.097 
Dez-08 Set-09 Dez-09 Dez-08 Set-09 Dez-09 
D4eTz-0088 S333eTTTt00-009989 D4eT44zT0T-0080999 
Depósitos Totais (R$ Milhões) Resultado Operacional (R$ Milhares) 
Inclui Letras de Δ Tri Δ Ano 
Δ Tri Δ Ano 
Crédito do 
31,6% 107,2% 
Agronegócio (LCA) 1,6% 28,6% 
1.462 
2.302 
3.029 
29.728 
37.639 38.223 
17/45 
Dez-08 Set-09 Dez-09 De4zT-0088 Se3t-T0099 Dez4-T0099
Balanço 
As operações de crédito em balanço apresentaram aumento de 18,4% no trimestre 
R$ milhões 
Dez-09 Set-09 Dez-08 
Ativo 6.984 7.200 6.176 
Títulos e valores mobiliários e instrumentos financeiros derivativos 2.761 3.578 2.788 
Operações de crédito 3.802 3.210 3.030 
(-) Provisão para operações de crédito de liquidação duvidosa (76) (105) (95) 
Operações de crédito - líquido 3.726 3.105 2.935 
Outros 497 517 453 
Passivo 6.159 6.385 5.349 
Depósitos 2.784 2.201 1.423 
Captações no mercado aberto 1.600 2.585 2.119 
Obrigações por empréstimos e repasses 815 718 819 
Outros 960 881 988 
Patrimônio líquido 825 815 827 
Passivo + Patrimônio líquido 6.984 7.200 6.176 
18/45
Resultados 
O resultado operacional cresceu 28,6% no 4T09 vs 4T08 
R$ milhares 
4T09 3T09 4T08 
Resultado bruto da intermediação financeira 132.343 50.594 63.246 
Receitas de prestação de serviços 20.590 21.678 10.888 
Despesas de pessoal e administrativas (31.494) (28.525) (36.703) 
Comissões (890) (873) (5.949) 
Despesas tributárias (6.752) (6.286) (5.921) 
Outras receitas (despesas) operacionais (75.574) 1.051 4.167 
Resultado operacional 38.223 37.639 29.728 
Resultado não-operacional (512) (1) (1.099) 
Resultado antes da tributação 37.711 37.638 28.629 
Imposto de renda e contribuição social (15.355) (9.566) (5.977) 
Participações no resultado (1.208) (6.004) (2.831) 
Lucro líquido 21.148 22.068 19.821 
ROAE Anualizado 10,7% 11,3% 9,9% 
19/45
Carteira de Crédito 
Na carteira de empresas, as operações de capital de giro apresentaram crescimento de 14,4% no 
4T09 e 22,2% em doze meses 
Mix da Carteira de Crédito 
Carteira de Crédito Total (R$ Milhões) 
Δ Ano 
26% 
15% 11% 
Consignado 
11,5% 
Δ Tri 
15,6% 
74% 
85% 89% 
Empresas 
4.264 4.113 
4.753 
Dez-08 Set-09 Dez-09 
Mix da Carteira de Empresas (R$ Milhões) 
Δ Tri 
Δ Ano 
Dez-08 Set-09 Dez-09 
511 
350 
844 
Fiança 
20,6% 
34,1% 
3.070 
3.416 
4.118 
2 244 
2.566 
85 
87 
176 
66 
32 
21 
544 
703 
276 
Trade Finance 
Repasses 2770 
Repasses 
BNDES 
20/45 
2.099 2.244 
Dez-08 Set-09 Dez-09 
Capital de Giro
Carteira de Crédito - Empresas 
O Banco PINE oferece uma completa gama de produtos de crédito. 114% do saldo da carteira de 
crédito a Empresas está coberto por garantias 
Carteira de Crédito por Produto 
Repasses BNDES 
4% 
Repasses 2770 
1% 
Trade Finance 
21% 
Atuação nos principais setores da 
economia 
Serviços 
Fiança 
12% 
Agricultura 
Energia Elétrica 
e Renovável 
7% 
Especializados 
6% 
Instituição 
Financeira 
6% Veículos e Peças 
6% 
Construção Civil Capital de Giro 
Garantias 
Alienação 
Fiduciária 
11% 5% 
Transportes e 
Logística 
4% 
Processamento 
62% 
I f E t t de Produtos 
24% 
Aplicações 
Financeiras 
7% 
Alienação 
Fiduciária 
de Imóveis 
9% 
Infra Estrutura 
13% 
de Carne 
3% 
Comércio 
Exterior 
3% 
Metalurgia 
3% 
Recebíveis 
33% 
Nota 
Promissória 
Açúcar e Álcool 
16% 
Outros 
17% 
21/45 
22% 
Consignação 
5%
Carteira de Crédito - Qualidade 
O índice de inadimplência manteve-se abaixo de 2% mesmo durante a crise, mostrando seu pico em 
junho. A cobertura da carteira de crédito D-H foi de 94,1% em dezembro 
Qualidade da Carteira de Crédito Carteira D-H Vencida/Carteira total 
1,95% 
1,28% 
A; 50,1% 
0,91% 
0,65% 
0,96% 1,00% 
0,60% 
0,90% 
0,71% 
B; 19,4% 
0,00% 
0,30% 
0,11% 
1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 Set/09 Dez/09 
Desvalorização Nasdaq WTC Eleições Crise de Liquidez Crise 
AA; 
24,7% 
C; 3,7% 
D-E; 
0,6% 
F-H; 
1,5% ç 
do Real 
q ç 
Brasileiras 
q 
do Banco Santos Financeira 
Global 
22/45
Provisionamento de Crédito 
Dada a melhora da qualidade da carteira de crédito, o Banco PINE reverteu parte da provisão 
adicional efetuada no 4T08 R$ milhares 
Despesas de PDD 
4T09 3T09 4T08 2009 2008 
Provisão contábil 7.203 (20.298) (46.547) (49.325) (97.187) 
Provisão adic ional - - 20.600 - 20.600 
Reversão (14.300) - - (17.100) - 
Total provisão 
incorrida no período 
(7.097) ( 20.298) ( 25.947) ( 66.425) (76.587) 
23/45
Carteira de Crédito - Consignado 
Redução de mais de 50% da carteira no ano, em linha com a decisão estratégica de saída do negócio 
Mix da Carteira de Consignado (R$ Milhões) 
SAÍDA DO CRÉDITO CONSIGNADO 
Redução das margens 
Aumento da concorrência 
114 
Δ Tri Δ Ano 
1.073 
-19,6% -53,7% 
Excessiva regulamentação 
Necessidade de escala 
Ausência de oportunidades de cross-selling 
Excessivo alongamento dos prazos 
959 
66 
552 
56 
Própria 
C did 
-14,1% 
-20,3% 
-50,7% 
-54,1% 
618 
497 
Em Balanço 
g p 
Fim da tarifa de liquidação antecipada 
Outros 
441 
Dez-08 Set-09 Dez-09 
Cedida 
PROCESSO DE SAÍDA PRÓXIMO DE UMA CONCLUSÃO 
24/45
Funding 
Fonte de captação diversificada 
Nível de Captação Confortável 
DPGE, em 
Ab il Regulamentação 
das Letras 
Mix da Captação (R$ Milhões) 
229 
Δ Tri 
17,6% 
Δ Ano 
21,1% 
4.527 
Leilão de 
linhas de 
d 
FGC 
linhas de 
crédito 
especiais 
Abril 2009 
(depósitos a 
prazo com 
garantia do 
FGC de 
R$20 
milhões) 
Financeiras em 
Fevereiro de 
2010 
553 
441 
663 
576 
586 
496 
275 
242 
157 142 
Obrigação por 
repasses 
Recursos, aceites e 
emissão de títulos 
Trade Finance / 
3.737 3.848 
Redução nos 
limites de 
compulsório 
trade 
finance do 
Banco 
Central 
Limite de DPGE do Banco 
PINE: R$2 1 bilhões Só 
959 Cayman 
1.462 
2.302 
3.029 
Cessão de Crédito 
Depósitos Totais 
2,1 bilhões. 22% de utilização do limite Dez-08 Set-09 Dez-09 
Oferta Pública 
2010 
Dívida Subordinada 
Coordenadores 
Captação Externa – Ofertas Privadas 
US$ 33,6 Milhões US$ 39,9 Milhões 
25/45 
US$ 125 Milhões 
US$ 35,5 Milhões US$ 20,0 Milhões US$ 57,4 Milhões
Captação versus Crédito e Caixa 
Casamento de prazos entre ativos e passivos: crédito 13 meses e captação 14 meses 
De 1 a 3 
anos 
31,6% 
Crédito + Caixa 
De 3 a 12 
meses 
29,5% 
De 3 a 5 
anos 
0,3% 
Tipo de Ativo Captação 
Bonds – Sênior e 
Até 3 meses 
(inclui 
Caixa) 
Depósitos a Prazo 
Empresas 
Empréstimos Locais 
Subordinada 
38,6% 
De 1 a 3 
anos 
28,3% 
De 3 a 5 
Captação(1) 
Empresas 
Empréstimos Externos 
Linhas Externas 
anos 
3,0% Acima de 5 
anos 
2,9% 
Sem 
Vencimento 
0 9% 
Empresas 
BNDES 
BNDES 
0,9% 
Até 3 meses 
23,9% 
De 3 a 12 
meses 
41,0% 
26/45 
(1) Não considera Patrimônio Líquido
Emissão de Dívida Subordinada 
Em fevereiro de 2010, o banco concluiu com sucesso sua emissão de dívida subordinada 
Oferta Pública 
2010 
Dívida Subordinada 
Coordenadores 
US$ 125 Milhões 
Emissor Banco PINE S.A. 
Instrumentos de dívida subordinada elegível a integrar o 
Tipo de Emissão 
Patrimônio de Referência – Nível I I 
Formato Rule 144A/Regulation S 
Rating da Emissão Ba3 (Moody’s) 
Tamanho da Emissão US$125 milhões 
Vencimento Janeiro/2017 
Remuneraç ão 
Juros remuneratórios de 8,75% ao ano, a serem pagos 
semestralmente 
Líder da Operaç ão HSBC Securities (USA) e Credit Suisse Securities (USA) 
SBC S SA C d S S SA C 
27/45 
Coordenadores da Emissão 
HSBC Securities (USA) Inc e Credit Suisse Securities (USA) LLC e 
Banco Espirito Santo de Investimentos, S.A.
Basiléia 
O Índice da Basiléia atingiu 15,6%. Incluindo a nova emissão, o índice seria de 19,6% 
Patrimônio (R$ 
Milhares) 
Basiléia % 
Tier I 824.794 15,1% 
Tier II 30.024 0,5% 
Total 854.818 15,6% 
Tier II (nova emissão) (1) 217.550 4,0% 
Basiléia (incluindo nova emissão) (1) 1.072.368 19,6% 
(1) Emissão de dívida subo rdinada realizada em fevereiro de 2010. P endente de apro vação do B anco Central como Tier II. 
28/45
Margem Financeira 
Crescimento da margem financeira no trimestre 
4T09 2009 
Margem antes de PDD 
(excluindo repo) 11,3% 7,8% 
Principais fatores que influenciaram a margem financeira no 4T09 
Crescimento da carteira de crédito em moeda local e estrangeira 
Redução do custo de captação 
Aumento das receitas da tesouraria proprietária, incluindo venda de ações da Cetip (mantendo um 
VaR equivalente a 0,09% do Patrimônio Líquido em 31 de dezembro de 2009) e 
Performance da Dealing Desk (Tesouraria para Clientes) 
29/45
Agenda 
Perfil 
O Banco PINE 
A História do Banco PINE 
Gestão da Crise 
Estratégias para o Atual Cenário 
Posicionamento no Mercado 
Empresas 
Estrutura Organizacional 
Estratégias para o Atual Cenário 
Resultados 4T09 
Governança Corporativa e Ações 
Governança Corporativa 
Principais Comitês 
Composição da Base 
Ações 
Dividendos 
Responsabilidade Social 
Ratings 
Anexos 
30/45
Governança 
Corporativa e 
Ações
Governança Corporativa 
O Banco PINE adota as melhores práticas de governança corporativa 
Dois Membros Independentes e um Membro Externo no 
Conselho de Administração 
Políticas Claras Monitoramento de 
Desempenho 
Mailson Ferreira da Nóbrega: Ministro das Finanças do 
Brasil de 1988 a 1990 
Maurizio Mauro: CEO da Booz Allen Hamilton e do Grupo 
Abril 
Fernando Albino de Oliveira: ex-diretor da CVM e sócio da 
Determinação de Alinhamento das 
ex Albino Advogados Associados 
Nível 1 de Governança Corporativa na Bovespa 
Responsabilidades Políticas Internas 
Conselho Fiscal 
Gerenciamento de 
Riscos 
Observância da 
Legislação e de 
interesses 
Tag along de 100% para todos tipos de ações, inclusive as sem 
direito de voto 
Procedimentos de arbitragem para a resolução rápida de 
processos judiciais. 
32/45
Principais Comitês 
Para o Banco PINE, a adoção das melhores práticas de governança corporativa contribui 
efetivamente para o sucesso do negócio 
Principais decisões tomadas de forma colegiada: Conselho de Administração e estrutura de comitês específicos 
Troca intensa de conhecimento e informação 
T ê i 
Transparência 
Conselho de 
Administração 
Conselho 
Fiscal 
Comitê de 
S t Suporte à 
Auditoria 
Comitê 
Executivo 
Comitê de 
Tesouraria 
Comitê de 
Captação Nacional, 
Internacional e 
Comitê de 
Crédito 
Comitê de 
Varejo 
Comitê de 
Compliance e 
Comitê 
PINE 
I i 
(ALCO) Produtos 
Comitê de 
Contencioso 
Risco Basiléia 
Comitê de 
Avaliação de 
Performance 
Comitê de 
Conduta Ética 
Comitê de 
Tecnologia 
Comitê de 
Recursos 
Humanos 
Investimentos 
33/45 
g
Composição da Base Acionária 
Mudança de perfil da base de acionistas 
ON PN Total % 
C ontrolador 45.443.872 17.302.322 62.746.194 73,5% 
Administradores - 844.246 844.246 1,0% 
Free Float - 19.743.826 19.743.826 23,1% 
Subtotal 45.443.872 37.890.394 83.334.266 
Tesouraria - 2.074.839 2.074.839 2,4% 
Total 45.443.872 39.965.233 85.409.105 100,0% 
Base: 28/02/10 
2007 
IPO 
78 4% 
46,1% 
48,0% 
78,4% 
38 5% 38,8% 
39,7% 39,5% 
38,6% 38,3% 38,4% 38,5% 
38 4% 38 5% 
39,5% 
42,5% 
41,3% 
40,3% 40,1% 
39,2% 
38 6% 
40,7% 40,3% 40,1% 40,1% 
39,6% 
Estrangeiros 
12,9% 
34,3% 
31,4% 
36,1% 
37,1% 
38,5% 37,8% 
Pessoa Jurídica 
8,7% 21,4% 21,6% 21,2% 21,1% 21,1% 
21,9% 21,5% 21,4% 21,5% 21,4% 
20,9% 
Pessoa Física 
34/45 
19,7% 20,6% 
, , jan-09 fev-09 mar-09 abr-09 mai-09 jun-09 jul-09 ago-09 set-09 out-09 nov-09 dez-09 jan-10
Ações 
O múltiplo de Preço/Valor Patrimonial ficou em 1,11x em 4 de março de 2010 
Preço base 100: 31/12/08 
Data final: 09/03/10 
350 
Δ 205% 
R$ 10,94 
300 
250 
Δ 85% 
69 576 
200 
150 
69.576 
R$ 3,59 
100 
50 
0 
37.550 
12/2008 
1/2009 
2/2009 
3/2009 
4/2009 
5/2009 
6/2009 
7/2009 
8/2009 
9/2009 
10/2009 
11/2009 
12/2009 
1/2010 
2/2010 
3/2010 
PINE4 IBOVESPA 
35/45
Dividendos 
Em 2009, o Banco distribuiu o total bruto de R$ 75,0 milhões, entre dividendos e juros sobre capital 
próprio 
R$ Milhões R$ 
Valor Bruto Valor Total Valor por Ação 
1T09 25,0 0,2955 
2T09 20,0 0,2391 
3T09 15,0 0,1800 
4T09 15,0 0,1800 
T Total l di ib íd distribuído em 2009 75 75,0 0 0 0,8946 
8946 
Dividendos e Juros sobre Capital Próprio Brutos Distribuídos 
R$ milhões 
57 2 
75,0 
31,1% 
57,2 
36/45 
2008 2009
Responsabilidade Social 
O Banco PINE apóia e divulga a cultura brasileira 
Social 
Casa Hope 
Instituto Alfabetização Solidária 
Cultura 
Paisagem e Olhar: retratos em aquarela da biodiversidade 
da Mata Atlântica 
Charity Day - ICAP Brasil CTVM 
Embarcações: registro histórico das embarcações típicas 
brasileiras 
Revoluções Brasileiras: 
Esporte 
Fortalecimento do Hipismo: difusão do hipismo como 
atividade saudável e acessível a diversas camadas sociais 
Crianças e Jovens que Brilham: oficinas educativas com a 
áti d tê i id l úbli t d i 
ç 
Relatos sobre bravura dos 
Antepassados brasileiros 
prática do tênis promovidas em escolas públicas estaduais M B il i l tâ d 
e municipais 
LOB do Tênis Feminino: desenvolvimento do tênis feminino 
do Brasil ao nível de competitividade mundial 
Museus Brasileiros: coletânea dos 
principais museus em todo o país 
Anita Malfatti: retrospectiva de obras 
e biografia 
Crédito Responsável 
“Listas de exclusão” no financiamento de projetos ou 
g 
Green Building 
exclusão organizações que agridam o meio ambiente, que tenham 
práticas trabalhistas ilegais ou que envolvam produtos ou 
atividades considerados nocivos à sociedade 
Sistema financiado pelo BID e coordenado pela FGV de 
37/45 
Sistema, FGV, monitoramento ambiental e relatórios internos de 
sustentabilidade para empréstimos corporativos
Ratings 
Sólida estrutura de crédito 
Global Global 
BB-B 
Moeda Estrangeira 
Longo Prazo 
Curto Prazo 
Global 
Moeda Estrangeira 
Longo Prazo 
Curto Prazo 
B+ 
B 
Ba2 
Estável 
Moeda Estrangeira 
Longo Prazo 
Perspectiva 
Estável 
BB-B 
Perspectiva 
Moeda Local 
Longo Prazo 
Curto Prazo 
Perspectiva 
Moeda Local 
Longo Prazo 
Positiva 
B+ 
Ba2 
Estável 
Moeda Local 
Longo Prazo 
Perspectiva 
B 
Estável 
brA-Curto 
Perspectiva 
Nacional 
Longo Prazo 
Curto Prazo 
Perspectiva 
Nacional 
Longo Prazo 
B 
A1.br Positiva 
Br-1 
Nacional 
Longo Prazo 
Curto Prazo 
Perspectiva Estável 
Curto Prazo 
Perspectiva 
Individual 
A-(bra) 
F2(bra) 
Positiva 
D 
Estável 
D 
Perspectiva 
Fortaleza Financeira 
10,7 Suporte 
5 A 
38/45
Agenda 
Perfil 
O Banco PINE 
A História do Banco PINE 
Gestão da Crise 
Estratégias para o Atual Cenário 
Posicionamento no Mercado 
Empresas 
Estrutura Organizacional 
Estratégias para o Atual Cenário 
Resultados 4T09 
Governança Corporativa e Ações 
Governança Corporativa 
Principais Comitês 
Composição da Base 
Ações 
Dividendos 
Responsabilidade Social 
Ratings 
Anexos 
39/45
Anexos
Cenário Macroeconômico 
Desafio do novo cenário: crescimento econômico e patamares de juros abaixo dos históricos. 
Brasil: Principais Indicadores Econômicos - Banco Pine 
INDICADORES ECONOMICOS (cenário base: 75% prob.) 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009F 2010F 11-15 (F) 
Taxa de crescimento do PIB Real (%) 2,7% 1,1% 5,7% 3,2% 4,0% 5,4% 5,1% -0,1% 5,0% 5,5% 
R$:US$ final de período (nominal) 3,54 2,91 2,67 2,34 2,14 1,79 2,40 1,75 1,75 1,58 
R$:US$ média (nominal) 2,99 3,06 2,92 2,44 2,18 1,95 1,84 2,00 1,84 1,65 
BR inflação (IPC / IPCA) 12,5% 9,3% 7,6% 5,7% 3,1% 4,5% 5,9% 4,3% 5,1% 4,5% 
BR inflação (IGP-M) 25,3% 8,7% 12,5% 1,3% 3,8% 7,7% 9,8% -1,7% 6,6% 6,5% 
BR taxa de juros (Selic, fim de período) 25,0% 16,5% 17,8% 18,00% 13,25% 11,25% 13,75% 8,75% 11,50% 10,50% 
BR taxa de juros (Selic, média) 19,5% 23,1% 16,4% 19,15% 15,06% 11,98% 12,54% 9,92% 10,08% 11,00% 
Dívida externa total (US$bn) 196,0 200,0 185,0 154,0 156,0 166,0 170,0 169,9 174,5 188,0 
Privada (US$bn) 85,0 80,0 70,0 66,0 80,0 96,0 103,0 105,6 114,0 131,1 
Pública (US$bn) 111,0 120,0 115,0 88,0 76,0 70,0 67,0 64,3 60,5 56,8 
Reservas externas (US$bn) 38,0 49,0 53,0 54,0 86,0 180,0 207,0 239,0 270,0 450,0 
Dívida externa total (% das reservas) 516% 408% 349% 285% 181% 92% 82% 68% 54% 37% 
Privada (% das reservas) 224% 163% 132% 122% 93% 53% 50% 42% 35% 26% 
Pública (% das reservas) 292% 245% 217% 163% 88% 39% 32% 26% 19% 11% 
Saldo comercial (US$bn) 13,2 24,8 33,8 44,8 46,2 40,0 25,0 25,4 15,0 15,0 
Conta corrente (US$bn) -7,6 4,2 11,7 14,0 13,6 1,5 -35,0 -24,3 -45,0 -60,0 
Conta corrente (% do PIB) -1,5% 0,8% 1,8% 1,6% 1,3% 0,1% -3,1% -2,4% -3,9% -4,7% 
Superávit primário (% do PIB) 3,5% 3,9% 4,2% 4,4% 3,9% 4,0% 4,3% 2,1% 2,0% 3,3% 
Dívida líquida do setor público/PIB 55,5% 57,2% 51,8% 51,5% 45,0% 42,7% 37,0% 43,0% 41,0% 39,0% 
Risco Brasil (pb, fim de período) 1.439 463 383 311 194 221 450 224 150 80 
41/45
Cenário Macroeconômico 
Invetimento e PIB são altamente correlacionados; Consumo pessoal é deteminado pela massa salarial 
16.0% 
15.0% 
14.0% 
19.0% 
18.5% 
18.0% 
Corporate credit (% of GDP) Gross investment (% of GDP) 
3.0% 
2.0% 
10.0% 
7.0% 
Gross investment e personal consumption GDP YoY growth 
YoY growth (% of GDP) 
13.0% 
12.0% 
11.0% 
10.0% 
17.5% 
17.0% 
16.5% 
16.0% 
1.0% 
0.0% 
-1.0% 
-2.0% 
4.0% 
1.0% 
-2.0% 
9.0% 
8.0% 
3T00 
1T01 
3T01 
1T02 
3T02 
1T03 
3T03 
1T04 
3T04 
1T05 
3T05 
1T06 
3T06 
1T07 
3T07 
1T08 
3T08 
1T09 
3T09 
15.5% 
15.0% 
Discretionary credit - corporate (quarterly average - % of GDP) 
-3.0% 
1997.I 
1997.IV 
1998.III 
1999.II 
2000.I 
2000.IV 
2001.III 
2002.II 
2003.I 
2003.IV 
2004.III 
2005.II 
2006.I 
2006.IV 
2007.III 
2008.II 
2009.I 
2009.IV 
-5.0% 
Personal consumption YoY growth (% of GDP) 
Gross investment YoY growth (% of GDP) 
17.0% 
15.0% 
Real GDP growth (YoY) Gross investment (quarterly data - 4 quarter moving average - % of GDP) 
67.0% 
65 0% 
Personal credit (% of GDP) Personal consumption (% of GDP) 
15.0% 
10.0% 
8 0% 
Personal consumption 
(YoY % change) 
Real mass of wages 
(YoY % change) 
13.0% 
11.0% 
9.0% 
7 0% 
65.0% 
63.0% 
61.0% 
59.0% 
10.0% 
5.0% 
0.0% 
-5.0% 
8.0% 
6.0% 
4.0% 
2.0% 
0 0% 
7.0% 
5.0% 
3.0% 
3T00 
1T01 
3T01 
1T02 
3T02 
1T03 
3T03 
1T04 
3T04 
1T05 
3T05 
1T06 
3T06 
1T07 
3T07 
1T08 
3T08 
1T09 
3T09 
57.0% 
55.0% 
-10.0% 
-15.0% 
2T03 
4T03 
2T04 
4T04 
2T05 
4T05 
2T06 
4T06 
2T07 
4T07 
2T08 
4T08 
2T09 
4T09 
0.0% 
-2.0% 
-4.0% 
Real 42/45 
Discretionary credit - personal (quarterly average - % of GDP) 
Personal consumption (quarterly data - 4 quarter moving average - % of GDP) 
mass of wages (quarterly average - YoY% change) 
Personal consumption (quarterly data - YoY % change) 
Source: IBGE, BC and Banco Pine Economic Reseach Department
Destaques das Demonstrações de Resultados 
R$ milhões 
Lucro Líquido Despesas de Pessoal e Administrativas (sem comissões) 
150 
133 
86 
141 151 
120 
32 
68 63 
85 
2004 2005 2006 2007 2008 2009 
43 49 
2004 2005 2006 2007 2008 2009 
Despesas de Provisão para Crédito de Liquidação Duvidosa ROAE 
35 7% 
19,8% 
35,7% 
23,0% 
26,4% 
6 6 26 
50 
97 
49 
16,3% 
19,1% 
16,4% 10,3% 
15,1% 
12,0% 12,5% 
9,9% 
43/45 
2004 2005 2006 2007 2008 2009 2004 2005 2006 2007 2008 2009 
ROAE Selic Média
Destaques do Balanço Patrimonial 
R$ milhões 
Depósitos* Ativos Totais 
800 827 825 
5.700 6.176 
6.984 
171 209 
335 
Dez/04 Dez/05 Dez/06 Dez/07 Dez/08 Dez/09 
1.386 
1.991 
3.215 
Dez/04 Dez/05 Dez/06 Dez/07 Dez/08 Dez/09 
Basiléia Patrimônio Líquido 
*Inclui LCA 
421 553 
853 
1.951 
1.462 
3.029 
18,2% 
20,7% 19,2% 18,3% 19,3% 
15,6% 
44/45 
Dez/04 Dez/05 Dez/06 Dez/07 Dez/08 Dez/09 Dez/04 Dez/05 Dez/06 Dez/07 Dez/08 Dez/09
Outros Destaques 
R$ milhões 
Mix de Captação Carteira de Crédito Total 
3.623 3.737 
4.527 4.325 4.264 
4.753 
759 
1.341 
2.085 
Dez/04 Dez/05 Dez/06 Dez/07 Dez/08 Dez/09 
782 
1.324 
2.077 
Dez/04 Dez/05 Dez/06 Dez/07 Dez/08 Dez/09 
25% 
4% 4% 5% 
17% 7% 
18% 13% 
Captação Total 
36% 5% 
2% 28% 32% 
28% 
26% 
10% 
8% 
6% 
11% 
7% 
13% 
54% 
41% 40% 
54% 
39% 
67% 
45/45 
Dez/04 Dez/05 Dez/06 Dez/07 Dez/08 Dez/09 
Depositos Cessão de Crédito 
Recursos, Aceites e Emissão de Títulos Trade Finance/Cayman 
Obrigações por Repasses
Relações com Investidores 
Clive Botelho 
Vice-Presidente de Finanças 
Nira Bessler 
Superintendente de Relações com Investidores 
Alejandra Hidalgo 
Analista de Relações com Investidores 
Fone: +55-11-3372-5553 
www.bancopine.com.br/ri 
ri@bancopine.com.br 
As afirmações contidas neste documento relacionadas a perspectivas sobre os negócios, projeções sobre resultados operacionais e financeiros e aquelas relacionadas a perspectivas de crescimento do 
PINE são meramente projeções e, como tais, são baseadas exclusivamente nas expectativas da administração sobre o futuro dos negócios. Essas expectativas dependem, substancialmente, das 
condições de mercado, do desempenho da economia brasileira e do setor (mudanças políticas e econômicas, volatilidade nas taxas de juros e câmbio, mudanças tecnológicas, inflação, desintermediação 
financeira, pressões competitivas sobre produtos e preços e mudanças na legislação tributária) e, portanto, sujeitas a mudanças sem aviso prévio. 
46/45

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentação institucional 1T17
Apresentação institucional 1T17Apresentação institucional 1T17
Apresentação institucional 1T17Kianne Paganini
 
Apresentação Institucional 2T10
Apresentação Institucional 2T10Apresentação Institucional 2T10
Apresentação Institucional 2T10Kianne Paganini
 
Apresentação institucional 4T16
Apresentação institucional 4T16Apresentação institucional 4T16
Apresentação institucional 4T16Kianne Paganini
 
Apresentação Reunião APIMEC SP 2011
Apresentação Reunião APIMEC SP 2011Apresentação Reunião APIMEC SP 2011
Apresentação Reunião APIMEC SP 2011Kianne Paganini
 
Apresentação institucional 3T16
Apresentação institucional 3T16Apresentação institucional 3T16
Apresentação institucional 3T16Kianne Paganini
 
Apresentação institucional 3T16
Apresentação institucional 3T16Apresentação institucional 3T16
Apresentação institucional 3T16Kianne Paganini
 
Apresentação reuniao anual 2015
Apresentação reuniao anual 2015Apresentação reuniao anual 2015
Apresentação reuniao anual 2015Kianne Paganini
 
Apresentação institucional 3T16
Apresentação institucional 3T16Apresentação institucional 3T16
Apresentação institucional 3T16Kianne Paganini
 
Apresentação institucional 4T16
Apresentação institucional 4T16Apresentação institucional 4T16
Apresentação institucional 4T16Kianne Paganini
 
Apresentação Institucional 1T13
Apresentação Institucional 1T13Apresentação Institucional 1T13
Apresentação Institucional 1T13Kianne Paganini
 
Apresentação institucional 3 t15
Apresentação institucional 3 t15Apresentação institucional 3 t15
Apresentação institucional 3 t15Kianne Paganini
 
3Q09 Institutional Presentation
3Q09 Institutional Presentation3Q09 Institutional Presentation
3Q09 Institutional PresentationKianne Paganini
 
Apresentação Institucional 4T10
Apresentação Institucional 4T10Apresentação Institucional 4T10
Apresentação Institucional 4T10Kianne Paganini
 
Apresentação institucional 2014
Apresentação institucional 2014Apresentação institucional 2014
Apresentação institucional 2014Kianne Paganini
 
Apresentação institucional 2 t15
Apresentação institucional 2 t15Apresentação institucional 2 t15
Apresentação institucional 2 t15Kianne Paganini
 
Apresentacao institucional_1_t15
Apresentacao institucional_1_t15Apresentacao institucional_1_t15
Apresentacao institucional_1_t15Kianne Paganini
 
Apresentação Reunião APIMEC SP 2013
Apresentação Reunião APIMEC SP 2013Apresentação Reunião APIMEC SP 2013
Apresentação Reunião APIMEC SP 2013Kianne Paganini
 
Apresentação Reunião APIMEC RJ e BH 2011
Apresentação Reunião APIMEC RJ e BH 2011Apresentação Reunião APIMEC RJ e BH 2011
Apresentação Reunião APIMEC RJ e BH 2011Kianne Paganini
 
Banco Pine - Apresentação Institucional 3T12
Banco Pine - Apresentação Institucional 3T12Banco Pine - Apresentação Institucional 3T12
Banco Pine - Apresentação Institucional 3T12Banco Pine
 
Apresentação Institucional 1T14
Apresentação Institucional 1T14Apresentação Institucional 1T14
Apresentação Institucional 1T14Kianne Paganini
 

Mais procurados (20)

Apresentação institucional 1T17
Apresentação institucional 1T17Apresentação institucional 1T17
Apresentação institucional 1T17
 
Apresentação Institucional 2T10
Apresentação Institucional 2T10Apresentação Institucional 2T10
Apresentação Institucional 2T10
 
Apresentação institucional 4T16
Apresentação institucional 4T16Apresentação institucional 4T16
Apresentação institucional 4T16
 
Apresentação Reunião APIMEC SP 2011
Apresentação Reunião APIMEC SP 2011Apresentação Reunião APIMEC SP 2011
Apresentação Reunião APIMEC SP 2011
 
Apresentação institucional 3T16
Apresentação institucional 3T16Apresentação institucional 3T16
Apresentação institucional 3T16
 
Apresentação institucional 3T16
Apresentação institucional 3T16Apresentação institucional 3T16
Apresentação institucional 3T16
 
Apresentação reuniao anual 2015
Apresentação reuniao anual 2015Apresentação reuniao anual 2015
Apresentação reuniao anual 2015
 
Apresentação institucional 3T16
Apresentação institucional 3T16Apresentação institucional 3T16
Apresentação institucional 3T16
 
Apresentação institucional 4T16
Apresentação institucional 4T16Apresentação institucional 4T16
Apresentação institucional 4T16
 
Apresentação Institucional 1T13
Apresentação Institucional 1T13Apresentação Institucional 1T13
Apresentação Institucional 1T13
 
Apresentação institucional 3 t15
Apresentação institucional 3 t15Apresentação institucional 3 t15
Apresentação institucional 3 t15
 
3Q09 Institutional Presentation
3Q09 Institutional Presentation3Q09 Institutional Presentation
3Q09 Institutional Presentation
 
Apresentação Institucional 4T10
Apresentação Institucional 4T10Apresentação Institucional 4T10
Apresentação Institucional 4T10
 
Apresentação institucional 2014
Apresentação institucional 2014Apresentação institucional 2014
Apresentação institucional 2014
 
Apresentação institucional 2 t15
Apresentação institucional 2 t15Apresentação institucional 2 t15
Apresentação institucional 2 t15
 
Apresentacao institucional_1_t15
Apresentacao institucional_1_t15Apresentacao institucional_1_t15
Apresentacao institucional_1_t15
 
Apresentação Reunião APIMEC SP 2013
Apresentação Reunião APIMEC SP 2013Apresentação Reunião APIMEC SP 2013
Apresentação Reunião APIMEC SP 2013
 
Apresentação Reunião APIMEC RJ e BH 2011
Apresentação Reunião APIMEC RJ e BH 2011Apresentação Reunião APIMEC RJ e BH 2011
Apresentação Reunião APIMEC RJ e BH 2011
 
Banco Pine - Apresentação Institucional 3T12
Banco Pine - Apresentação Institucional 3T12Banco Pine - Apresentação Institucional 3T12
Banco Pine - Apresentação Institucional 3T12
 
Apresentação Institucional 1T14
Apresentação Institucional 1T14Apresentação Institucional 1T14
Apresentação Institucional 1T14
 

Semelhante a Apresentação Institucional 4T09

Apresentação institucional 2T16
Apresentação institucional 2T16Apresentação institucional 2T16
Apresentação institucional 2T16Kianne Paganini
 
Apresentação institucional 1 t17
Apresentação institucional 1 t17Apresentação institucional 1 t17
Apresentação institucional 1 t17Kianne Paganini
 
Apresentação institucional 3T16
Apresentação institucional 3T16Apresentação institucional 3T16
Apresentação institucional 3T16Kianne Paganini
 
Apresentação institucional 2 t17
Apresentação institucional 2 t17Apresentação institucional 2 t17
Apresentação institucional 2 t17Kianne Paganini
 
Apresentação Institucional 2T09
Apresentação Institucional 2T09Apresentação Institucional 2T09
Apresentação Institucional 2T09Kianne Paganini
 
Apresentação Reunião APIMEC SP 2009
Apresentação Reunião APIMEC SP 2009Apresentação Reunião APIMEC SP 2009
Apresentação Reunião APIMEC SP 2009Kianne Paganini
 
Apresentação Reunião APIMEC RJ 2009
Apresentação Reunião APIMEC RJ 2009Apresentação Reunião APIMEC RJ 2009
Apresentação Reunião APIMEC RJ 2009Kianne Paganini
 
Apresentação institucional 4T15
Apresentação institucional 4T15Apresentação institucional 4T15
Apresentação institucional 4T15Kianne Paganini
 
Apresentação institucional 1 t16
Apresentação institucional 1 t16Apresentação institucional 1 t16
Apresentação institucional 1 t16Kianne Paganini
 
Apresentação Institucional 2T14
Apresentação Institucional 2T14Apresentação Institucional 2T14
Apresentação Institucional 2T14Kianne Paganini
 
Apresentação Institucional 3T11
Apresentação Institucional 3T11Apresentação Institucional 3T11
Apresentação Institucional 3T11Kianne Paganini
 
Apresentação Institucional 3T12
Apresentação Institucional 3T12Apresentação Institucional 3T12
Apresentação Institucional 3T12Kianne Paganini
 
Apresentação institucional 1 t16
Apresentação institucional 1 t16Apresentação institucional 1 t16
Apresentação institucional 1 t16Kianne Paganini
 
Apresentação Institucional 2T13
Apresentação Institucional 2T13Apresentação Institucional 2T13
Apresentação Institucional 2T13Kianne Paganini
 

Semelhante a Apresentação Institucional 4T09 (14)

Apresentação institucional 2T16
Apresentação institucional 2T16Apresentação institucional 2T16
Apresentação institucional 2T16
 
Apresentação institucional 1 t17
Apresentação institucional 1 t17Apresentação institucional 1 t17
Apresentação institucional 1 t17
 
Apresentação institucional 3T16
Apresentação institucional 3T16Apresentação institucional 3T16
Apresentação institucional 3T16
 
Apresentação institucional 2 t17
Apresentação institucional 2 t17Apresentação institucional 2 t17
Apresentação institucional 2 t17
 
Apresentação Institucional 2T09
Apresentação Institucional 2T09Apresentação Institucional 2T09
Apresentação Institucional 2T09
 
Apresentação Reunião APIMEC SP 2009
Apresentação Reunião APIMEC SP 2009Apresentação Reunião APIMEC SP 2009
Apresentação Reunião APIMEC SP 2009
 
Apresentação Reunião APIMEC RJ 2009
Apresentação Reunião APIMEC RJ 2009Apresentação Reunião APIMEC RJ 2009
Apresentação Reunião APIMEC RJ 2009
 
Apresentação institucional 4T15
Apresentação institucional 4T15Apresentação institucional 4T15
Apresentação institucional 4T15
 
Apresentação institucional 1 t16
Apresentação institucional 1 t16Apresentação institucional 1 t16
Apresentação institucional 1 t16
 
Apresentação Institucional 2T14
Apresentação Institucional 2T14Apresentação Institucional 2T14
Apresentação Institucional 2T14
 
Apresentação Institucional 3T11
Apresentação Institucional 3T11Apresentação Institucional 3T11
Apresentação Institucional 3T11
 
Apresentação Institucional 3T12
Apresentação Institucional 3T12Apresentação Institucional 3T12
Apresentação Institucional 3T12
 
Apresentação institucional 1 t16
Apresentação institucional 1 t16Apresentação institucional 1 t16
Apresentação institucional 1 t16
 
Apresentação Institucional 2T13
Apresentação Institucional 2T13Apresentação Institucional 2T13
Apresentação Institucional 2T13
 

Mais de Kianne Paganini

Mais de Kianne Paganini (19)

Institutional presentation 1Q17
Institutional presentation 1Q17Institutional presentation 1Q17
Institutional presentation 1Q17
 
Cc 1Q17_eng
Cc 1Q17_engCc 1Q17_eng
Cc 1Q17_eng
 
Cc 1T17_por
Cc 1T17_porCc 1T17_por
Cc 1T17_por
 
Institutional presentation 4Q16
Institutional presentation 4Q16Institutional presentation 4Q16
Institutional presentation 4Q16
 
Institutional presentation 4Q16
Institutional presentation 4Q16Institutional presentation 4Q16
Institutional presentation 4Q16
 
Cc 3 t16_por
Cc 3 t16_porCc 3 t16_por
Cc 3 t16_por
 
Institutional presentation 3Q16
Institutional presentation 3Q16Institutional presentation 3Q16
Institutional presentation 3Q16
 
Cc 3Q16_eng
Cc 3Q16_engCc 3Q16_eng
Cc 3Q16_eng
 
Institutional presentation 2Q16
Institutional presentation 2Q16Institutional presentation 2Q16
Institutional presentation 2Q16
 
Cc 2 t16_eng
Cc 2 t16_engCc 2 t16_eng
Cc 2 t16_eng
 
Cc 2 t16_por
Cc 2 t16_porCc 2 t16_por
Cc 2 t16_por
 
Institutional presentation 1_q16
Institutional presentation 1_q16Institutional presentation 1_q16
Institutional presentation 1_q16
 
Institutional presentation 1_q16
Institutional presentation 1_q16Institutional presentation 1_q16
Institutional presentation 1_q16
 
Cc 1 t16_por
Cc 1 t16_porCc 1 t16_por
Cc 1 t16_por
 
Cc 1 t16_eng
Cc 1 t16_engCc 1 t16_eng
Cc 1 t16_eng
 
Institutional presentation 4Q15
Institutional presentation 4Q15Institutional presentation 4Q15
Institutional presentation 4Q15
 
Cc 4 t15 eng
Cc 4 t15 engCc 4 t15 eng
Cc 4 t15 eng
 
Cc 4 t15 por
Cc 4 t15 porCc 4 t15 por
Cc 4 t15 por
 
Institutional presentation 3_q15
Institutional presentation 3_q15Institutional presentation 3_q15
Institutional presentation 3_q15
 

Apresentação Institucional 4T09

  • 1. Banco múltiplo privado, focado e especializado no atendimento a empresas Apresentação Institucional 4T09
  • 2. Agenda Perfil O Banco PINE A História do Banco PINE Gestão da Crise Estratégias para o Atual Cenário Posicionamento no Mercado Empresas Estrutura Organizacional Estratégias para o Atual Cenário Resultados 4T09 Governança Corporativa e Ações Governança Corporativa Principais Comitês Composição da Base Ações Dividendos Responsabilidade Social Ratings Anexos 2/45
  • 3. Agenda Perfil O Banco PINE A História do Banco PINE Gestão da Crise Estratégias para o Atual Cenário Posicionamento no Mercado Empresas Estrutura Organizacional Estratégias para o Atual Cenário Resultados 4T09 Governança Corporativa e Ações Governança Corporativa Principais Comitês Composição da Base Ações Dividendos Responsabilidade Social Ratings Anexos 3/45
  • 5. Banco PINE O PINE é especializado no atendimento a Empresas Focado no atendimento a empresas com faturamento anual acima de R$ 150 milhões. Oferece aos clientes uma gama completa de Faturamento Anual das Empresas R$ 500 Milhões a produtos financeiros em moeda local e estrangeira Ativo Total: R$ 7,0 bilhões R$ 1 Bilhão 25% R$ 150 Milhões a R$ 500 Milhões Exposição total de crédito: R$ 4,8 bilhões Captação total: R$ 4,5 bilhões O i t d l i t li t á il > R$ 1 18% Orientado ao relacionamento com clientes, ágil, Até R$ 150 focado em serviços financeiros Administração qualificada e corretamente incentivada em todas as áreas Bilhão 45% Milhões 12% Patrimônio Líquido: R$ 825 milhões PINE4 negociado na BMF&Bovespa como Nível 1 de G C ti Sólida Estrutura de Crédito A1.br Escala Nacional Ba2 Longo/Curto prazo depósito em moeda local e estrangeira Governança Corporativa Br A- Escala Nacional BB- Longo/Curto prazo depósito em moeda local e estrangeira A-(bra) Escala Nacional Longo/Curto prazo depósito 5/45 31 de Dezembro de 2009 B+ em moeda local e estrangeira
  • 6. A História do Banco PINE Fundado em 1997, o Banco PINE revela uma trajetória de desenvolvimento contínuo 2007 IPO 1997 Fundação do 2004 Oportunidade 2005 Noberto Pinheiro torna- 1939 Família Pinheiro 1975 Noberto Pinheiro 2009 Fundação da Criação da agência Cayman Decisão de desalavancar a carteira de consignado ç Banco PINE Foco exclusivo em empresas p no consignado se o único acionista do Banco PINE funda seu primeiro banco torna-se um dos controladores do BMC ç PINE Investimentos g 1939 - A família Pinheiro funda seu primeiro Banco no Brasil – O Banco Central do Nordeste 1975 Noberto Pinheiro se torna um dos controladores Decisão estratégica de desalavancar o negócio de Crédito Consignado, no final de 2007 - acionários do Banco BMC 1997 - Noberto e Nelson Pinheiro vendem suas participações no BMC e fundam o Banco PINE EMPRESAS 100% focados em nosso principal negócio Atendimento personalizado, ágil e completo a empresas C S lli di ifi ã fi ti ã d 2005 - Noberto Pinheiro torna-se o único acionista do Banco PINE 2007 – IPO e Abertura da Agência Cayman Cross-Selling: diversificação e sofisticação de produtos CRÉDITO CONSIGNADO Redução das margens ê 2009 – Criação da PINE Investimentos Aumento da concorrência Excessiva regulamentação Necessidade de escala Ausência de oportunidades de cross-selling Excessivo alongamento dos prazos 6/45 Fim da tarifa de liquidação antecipada
  • 7. Gestão da Crise Administração ágil e especializada para superar a crises *Exposição Total de Crédito (R$ Milhões) Diferenciais do Banco PINE na gestão da crise: Não dependência de funding de longo prazo, dada a desalavancagem do negócio de crédito consignado e do “projeto piloto” de financiamento de automóveis *Inclui carteira de crédito adquirida de instituições financeiras com coobrigação p Política rígida de casamento de ativos e passivos, aliada com gestão ágil e eficiente do caixa Recompra de ações próprias e do MTN Foco em empresas com fundamentos sólidos e relacionamento próximo com os clientes C idd d li ã d édi ã 4.639 5.047 4.885 4.264 3 873 3 922 4 113 4.753 Capacidade de avaliação de crédito, estruturação e acompanhamento da carteira de crédito colateralizada Fortes controles de riscos e com baixa exposição a risco de mercado (VaR de 0,09% do PL em dezembro/2009 e 0,26% em dezembro/2008) Ausência de derivativos alavancados 3.873 3.922 4.113 M /J /08 S t/08 D /M /J /09 S t/09 D /Vendas cruzadas de produtos de crédito e produtos financeiros *Caixa/Depósitos a Prazo Depósitos a Prazo + LCA (R$ Milhões) *Posição do caixa no último dia de cada período Mar/08 Jun/Set/Dez/08 Mar/09 Jun/Set/Dez/09 2 784 31% 37% 33% 40% 51% 45% 47% 37% 1.621 1.967 1.841 1.243 1.334 1.756 2.154 2.784 7/45 Mar/08 Jun/08 Set/08 Dez/08 Mar/09 Jun/09 Set/09 Dez/09 Mar/08 Jun/08 Set/08 Dez/08 Mar/09 Jun/09 Set/09 Dez/09
  • 8. Agenda Perfil O Banco PINE A História do Banco PINE Gestão da Crise Estratégias para o Atual Cenário Posicionamento no Mercado Empresas Estrutura Organizacional Estratégias para o Atual Cenário Resultados 4T09 Governança Corporativa e Ações Governança Corporativa Principais Comitês Composição da Base Ações Dividendos Responsabilidade Social Ratings Anexos 8/45
  • 9. Estratégias para o Atual Cenário
  • 10. Posicionamento de Mercado O Banco PINE está bem posicionado no mercado local Consolidação do setor financeiro entre grandes bancos fez com que os limites de crédito dos clientes fossem reduzidos Grandes bancos Bancos estrangeiros d i Forte penetração no segmento de Upper Middle (faturamento anual - % sobre o crédito total) múltiplos Bancos médios de atacado reduziram seu apetite de risco depois 19% 17% 13% 12% da crise financeira 20% 18% Até R$ 150 milhões Segmento pouco atendido Foco em crédito para Empresas, oferecendo produtos sofisticados sob medida, com transparência e agilidade. global Bancos estrangeiros 28% 30% 25% 29% 20% R$ 150 a R$ 500 milhões Bancos médios 30% 35% 37% 45% 22% R$ 500 milhões a R$ 1 bilhão $ Mar-09 Jun-09 Set-09 Dez-09 > R$ 1 bilhão 10/45
  • 11. Empresas Processo de aprovação de crédito ágil e prudente Originação de Crédito a Empresas Processo de Aprovação de Crédito (38 funcionários) Análise de crédito diligente e completa Expertise e flexibilidade na estruturação de operações Forte equipe de originação Foco na atração e retenção dos melhores executivos de conta – cultura meritocrática Monitoramento próximo da evolução do crédito Agilidade na processo de decisão das operações de crédito Gestão dos riscos da carteira de recebíveis e da Hierarquia horizontal Relacionamento próximo aos clientes e alta taxa de renovação entre clientes Cross-selling de produtos de crédito e serviços qualidade das garantias Processamento, documentação e controle eficientes Cross financeiros 417 clientes ativos Ticket médio R$ 10,3 milhões Expansão de Crédito Aumento de penetração com os clientes Prazo médio 13 meses p ç existentes Rápida aprovação de crédito para empréstimos Processamento baseado em tecnologia de ponta Monitoramento e mitigação de riscos 11/45 g ç
  • 12. Estrutura Organizacional Estrutura desburocratizada e hierarquia flat Conselho de Administração Auditoria Interna Tikara Yoneya Auditoria Externa Deloitte Noberto Pinheiro Presidente Noberto Pinheiro Jr. Vice Presidente Maurizio Mauro Membro Independente Fernando Albino Membro Externo Mailson da Nóbrega Membro Independente Conselho Fiscal Ri O i l Sidney Veneziani Peter Edward Wilson Alcindo Itikawa CEO Noberto N. Pinheiro Jr. Risco Operacional & Compliance Pine Investimentos Rodrigo Boulos Controladoria e Risco de Mercado e Liquidez Susana Waldeck Finanças & Produtos Clive Botelho Comercial Empresas Miguel Genovese Análise e Risco de Crédito Gabriela Chiste Operações Empresas Ulisses Alcantarilla g g Empresas • Carteira de Crédito R$ 4.1 bi • 417 Clientes • São Paulo • Ribeirão Preto Crédito Empresas • Análise e concessão de crédito • Monitoramento dos riscos de crédito e análise setorial Tesouraria • Local • Internacional • Clientes Captação • Local Risco de Mercado e Liquidez Recursos Humanos Contabilidade Controladoria Operações Estruturadas Fundos de Crédito Assessoria Financeira Private Equity Di t ib i ã Processamento e Formalização Jurídico • São José do Rio Preto • Rio de Janeiro • Curitiba • Porto Alegre • Belo Horizonte • Recife • Internacional Internacional • Cayman • Trade Finance Pesquisa Macro Produtos Distribuição 12/45 Relações com Investidores
  • 13. Estratégias para o Atual Cenário Crescimento da carteira de crédito e oportunidades de Cross-Selling Desafios do atual cenário: Otimização do capital: Maior alavancagem Taxas de juros menores e volatilidade reduzida Cross-selling: Maior penetração de produtos por cliente Empréstimos Corporativos Mútuo Câmbio/Comércio Exterior Exportação Repasses FINAME Automático Fianças Licitação Concorrência Tesouraria Moedas Juros Investimentos Moeda Local CDB/ RDB Pine Investimentos Underwriting e Sindicalização de Conta Garantida Desconto Compror/Vendor Cobrança Vinculada ACC/ACE Carta de Crédito Cobrança Documentária Pré–pagamento Fabricante Agrícola Outros EXIM Pré-Embarque Performance Crédito/Financeira Commodities Equities Assessoria Macro Títulos Públicos FIDC CDI LCA Fundos de Crédito Credito Private Equity Fundos de Crédito Assessoria Financeira Importação Carta de Crédito Pagam. Antecipado Cobrança Documentária Pré-Embarque Especial Pós-Embarque BNDES Automático FINEM Private Equity Moeda Estrangeira CD - Certificate of Deposit Câmbio Pronto Emp. e Invest. em Moeda Estrangeira 2770 Empréstimo Externo Demand Deposit Accounts Eurobonds Conta de Custódia Money Market 13/45 Investimento Externo Accounts Time Deposit Private Equity
  • 14. Agenda Perfil O Banco PINE A História do Banco PINE Gestão da Crise Estratégias para o Atual Cenário Posicionamento no Mercado Empresas Estrutura Organizacional Estratégias para o Atual Cenário Resultados 4T09 Governança Corporativa e Ações Governança Corporativa Principais Comitês Composição da Base Ações Dividendos Responsabilidade Social Ratings Anexos 14/45
  • 16. Destaques 2009 Durante o ano, o PINE mostrou a solidez de seus fundamentos Gestão eficiente do caixa e estrito casamento entre ativos e passivos: recompra de papéis Ajustes na estrutura de custos de forma antecipada Crescimento da carteira de crédito em moeda local e estrangeira Melhora da qualidade da carteira (NPL de 0 7% 0,7% em 31 de dezembro de 2009) Ausência de cessões de crédito consignado no ano e antecipação de fluxos financeiros aos cessionários Fortes controles e baixíssima exposição a risco de mercado (VaR médio de 0,09% do PL no 4T09) Aumento de receitas via Cross Selling: Produtos de Crédito, Tesouraria/Dealing Desk e PINE Investimentos Depósitos em seu maior nível histórico, acima de R$ 3 bilhões 16/45
  • 17. Destaques 4T09 O Banco PINE continuou a crescer seus depósitos e sua carteira de crédito, com melhora da qualidade Carteira de Crédito Empresas (R$ Milhões) Δ Tri Δ Ano 20 6% 34,1% Non-Performing Loans Δ Tri Δ Ano -0 6p p -0,2p.p. Despesa de PDD (R$ Milhares) (exclui adicional e reversões) Δ Tri Δ Ano 4 118 20,6% 1,3% 0,6p.p. -65,0% -72,6% 3.070 3.416 4.118 0,9% 0,7% 25.947 20.298 7.097 Dez-08 Set-09 Dez-09 Dez-08 Set-09 Dez-09 D4eTz-0088 S333eTTTt00-009989 D4eT44zT0T-0080999 Depósitos Totais (R$ Milhões) Resultado Operacional (R$ Milhares) Inclui Letras de Δ Tri Δ Ano Δ Tri Δ Ano Crédito do 31,6% 107,2% Agronegócio (LCA) 1,6% 28,6% 1.462 2.302 3.029 29.728 37.639 38.223 17/45 Dez-08 Set-09 Dez-09 De4zT-0088 Se3t-T0099 Dez4-T0099
  • 18. Balanço As operações de crédito em balanço apresentaram aumento de 18,4% no trimestre R$ milhões Dez-09 Set-09 Dez-08 Ativo 6.984 7.200 6.176 Títulos e valores mobiliários e instrumentos financeiros derivativos 2.761 3.578 2.788 Operações de crédito 3.802 3.210 3.030 (-) Provisão para operações de crédito de liquidação duvidosa (76) (105) (95) Operações de crédito - líquido 3.726 3.105 2.935 Outros 497 517 453 Passivo 6.159 6.385 5.349 Depósitos 2.784 2.201 1.423 Captações no mercado aberto 1.600 2.585 2.119 Obrigações por empréstimos e repasses 815 718 819 Outros 960 881 988 Patrimônio líquido 825 815 827 Passivo + Patrimônio líquido 6.984 7.200 6.176 18/45
  • 19. Resultados O resultado operacional cresceu 28,6% no 4T09 vs 4T08 R$ milhares 4T09 3T09 4T08 Resultado bruto da intermediação financeira 132.343 50.594 63.246 Receitas de prestação de serviços 20.590 21.678 10.888 Despesas de pessoal e administrativas (31.494) (28.525) (36.703) Comissões (890) (873) (5.949) Despesas tributárias (6.752) (6.286) (5.921) Outras receitas (despesas) operacionais (75.574) 1.051 4.167 Resultado operacional 38.223 37.639 29.728 Resultado não-operacional (512) (1) (1.099) Resultado antes da tributação 37.711 37.638 28.629 Imposto de renda e contribuição social (15.355) (9.566) (5.977) Participações no resultado (1.208) (6.004) (2.831) Lucro líquido 21.148 22.068 19.821 ROAE Anualizado 10,7% 11,3% 9,9% 19/45
  • 20. Carteira de Crédito Na carteira de empresas, as operações de capital de giro apresentaram crescimento de 14,4% no 4T09 e 22,2% em doze meses Mix da Carteira de Crédito Carteira de Crédito Total (R$ Milhões) Δ Ano 26% 15% 11% Consignado 11,5% Δ Tri 15,6% 74% 85% 89% Empresas 4.264 4.113 4.753 Dez-08 Set-09 Dez-09 Mix da Carteira de Empresas (R$ Milhões) Δ Tri Δ Ano Dez-08 Set-09 Dez-09 511 350 844 Fiança 20,6% 34,1% 3.070 3.416 4.118 2 244 2.566 85 87 176 66 32 21 544 703 276 Trade Finance Repasses 2770 Repasses BNDES 20/45 2.099 2.244 Dez-08 Set-09 Dez-09 Capital de Giro
  • 21. Carteira de Crédito - Empresas O Banco PINE oferece uma completa gama de produtos de crédito. 114% do saldo da carteira de crédito a Empresas está coberto por garantias Carteira de Crédito por Produto Repasses BNDES 4% Repasses 2770 1% Trade Finance 21% Atuação nos principais setores da economia Serviços Fiança 12% Agricultura Energia Elétrica e Renovável 7% Especializados 6% Instituição Financeira 6% Veículos e Peças 6% Construção Civil Capital de Giro Garantias Alienação Fiduciária 11% 5% Transportes e Logística 4% Processamento 62% I f E t t de Produtos 24% Aplicações Financeiras 7% Alienação Fiduciária de Imóveis 9% Infra Estrutura 13% de Carne 3% Comércio Exterior 3% Metalurgia 3% Recebíveis 33% Nota Promissória Açúcar e Álcool 16% Outros 17% 21/45 22% Consignação 5%
  • 22. Carteira de Crédito - Qualidade O índice de inadimplência manteve-se abaixo de 2% mesmo durante a crise, mostrando seu pico em junho. A cobertura da carteira de crédito D-H foi de 94,1% em dezembro Qualidade da Carteira de Crédito Carteira D-H Vencida/Carteira total 1,95% 1,28% A; 50,1% 0,91% 0,65% 0,96% 1,00% 0,60% 0,90% 0,71% B; 19,4% 0,00% 0,30% 0,11% 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 Set/09 Dez/09 Desvalorização Nasdaq WTC Eleições Crise de Liquidez Crise AA; 24,7% C; 3,7% D-E; 0,6% F-H; 1,5% ç do Real q ç Brasileiras q do Banco Santos Financeira Global 22/45
  • 23. Provisionamento de Crédito Dada a melhora da qualidade da carteira de crédito, o Banco PINE reverteu parte da provisão adicional efetuada no 4T08 R$ milhares Despesas de PDD 4T09 3T09 4T08 2009 2008 Provisão contábil 7.203 (20.298) (46.547) (49.325) (97.187) Provisão adic ional - - 20.600 - 20.600 Reversão (14.300) - - (17.100) - Total provisão incorrida no período (7.097) ( 20.298) ( 25.947) ( 66.425) (76.587) 23/45
  • 24. Carteira de Crédito - Consignado Redução de mais de 50% da carteira no ano, em linha com a decisão estratégica de saída do negócio Mix da Carteira de Consignado (R$ Milhões) SAÍDA DO CRÉDITO CONSIGNADO Redução das margens Aumento da concorrência 114 Δ Tri Δ Ano 1.073 -19,6% -53,7% Excessiva regulamentação Necessidade de escala Ausência de oportunidades de cross-selling Excessivo alongamento dos prazos 959 66 552 56 Própria C did -14,1% -20,3% -50,7% -54,1% 618 497 Em Balanço g p Fim da tarifa de liquidação antecipada Outros 441 Dez-08 Set-09 Dez-09 Cedida PROCESSO DE SAÍDA PRÓXIMO DE UMA CONCLUSÃO 24/45
  • 25. Funding Fonte de captação diversificada Nível de Captação Confortável DPGE, em Ab il Regulamentação das Letras Mix da Captação (R$ Milhões) 229 Δ Tri 17,6% Δ Ano 21,1% 4.527 Leilão de linhas de d FGC linhas de crédito especiais Abril 2009 (depósitos a prazo com garantia do FGC de R$20 milhões) Financeiras em Fevereiro de 2010 553 441 663 576 586 496 275 242 157 142 Obrigação por repasses Recursos, aceites e emissão de títulos Trade Finance / 3.737 3.848 Redução nos limites de compulsório trade finance do Banco Central Limite de DPGE do Banco PINE: R$2 1 bilhões Só 959 Cayman 1.462 2.302 3.029 Cessão de Crédito Depósitos Totais 2,1 bilhões. 22% de utilização do limite Dez-08 Set-09 Dez-09 Oferta Pública 2010 Dívida Subordinada Coordenadores Captação Externa – Ofertas Privadas US$ 33,6 Milhões US$ 39,9 Milhões 25/45 US$ 125 Milhões US$ 35,5 Milhões US$ 20,0 Milhões US$ 57,4 Milhões
  • 26. Captação versus Crédito e Caixa Casamento de prazos entre ativos e passivos: crédito 13 meses e captação 14 meses De 1 a 3 anos 31,6% Crédito + Caixa De 3 a 12 meses 29,5% De 3 a 5 anos 0,3% Tipo de Ativo Captação Bonds – Sênior e Até 3 meses (inclui Caixa) Depósitos a Prazo Empresas Empréstimos Locais Subordinada 38,6% De 1 a 3 anos 28,3% De 3 a 5 Captação(1) Empresas Empréstimos Externos Linhas Externas anos 3,0% Acima de 5 anos 2,9% Sem Vencimento 0 9% Empresas BNDES BNDES 0,9% Até 3 meses 23,9% De 3 a 12 meses 41,0% 26/45 (1) Não considera Patrimônio Líquido
  • 27. Emissão de Dívida Subordinada Em fevereiro de 2010, o banco concluiu com sucesso sua emissão de dívida subordinada Oferta Pública 2010 Dívida Subordinada Coordenadores US$ 125 Milhões Emissor Banco PINE S.A. Instrumentos de dívida subordinada elegível a integrar o Tipo de Emissão Patrimônio de Referência – Nível I I Formato Rule 144A/Regulation S Rating da Emissão Ba3 (Moody’s) Tamanho da Emissão US$125 milhões Vencimento Janeiro/2017 Remuneraç ão Juros remuneratórios de 8,75% ao ano, a serem pagos semestralmente Líder da Operaç ão HSBC Securities (USA) e Credit Suisse Securities (USA) SBC S SA C d S S SA C 27/45 Coordenadores da Emissão HSBC Securities (USA) Inc e Credit Suisse Securities (USA) LLC e Banco Espirito Santo de Investimentos, S.A.
  • 28. Basiléia O Índice da Basiléia atingiu 15,6%. Incluindo a nova emissão, o índice seria de 19,6% Patrimônio (R$ Milhares) Basiléia % Tier I 824.794 15,1% Tier II 30.024 0,5% Total 854.818 15,6% Tier II (nova emissão) (1) 217.550 4,0% Basiléia (incluindo nova emissão) (1) 1.072.368 19,6% (1) Emissão de dívida subo rdinada realizada em fevereiro de 2010. P endente de apro vação do B anco Central como Tier II. 28/45
  • 29. Margem Financeira Crescimento da margem financeira no trimestre 4T09 2009 Margem antes de PDD (excluindo repo) 11,3% 7,8% Principais fatores que influenciaram a margem financeira no 4T09 Crescimento da carteira de crédito em moeda local e estrangeira Redução do custo de captação Aumento das receitas da tesouraria proprietária, incluindo venda de ações da Cetip (mantendo um VaR equivalente a 0,09% do Patrimônio Líquido em 31 de dezembro de 2009) e Performance da Dealing Desk (Tesouraria para Clientes) 29/45
  • 30. Agenda Perfil O Banco PINE A História do Banco PINE Gestão da Crise Estratégias para o Atual Cenário Posicionamento no Mercado Empresas Estrutura Organizacional Estratégias para o Atual Cenário Resultados 4T09 Governança Corporativa e Ações Governança Corporativa Principais Comitês Composição da Base Ações Dividendos Responsabilidade Social Ratings Anexos 30/45
  • 32. Governança Corporativa O Banco PINE adota as melhores práticas de governança corporativa Dois Membros Independentes e um Membro Externo no Conselho de Administração Políticas Claras Monitoramento de Desempenho Mailson Ferreira da Nóbrega: Ministro das Finanças do Brasil de 1988 a 1990 Maurizio Mauro: CEO da Booz Allen Hamilton e do Grupo Abril Fernando Albino de Oliveira: ex-diretor da CVM e sócio da Determinação de Alinhamento das ex Albino Advogados Associados Nível 1 de Governança Corporativa na Bovespa Responsabilidades Políticas Internas Conselho Fiscal Gerenciamento de Riscos Observância da Legislação e de interesses Tag along de 100% para todos tipos de ações, inclusive as sem direito de voto Procedimentos de arbitragem para a resolução rápida de processos judiciais. 32/45
  • 33. Principais Comitês Para o Banco PINE, a adoção das melhores práticas de governança corporativa contribui efetivamente para o sucesso do negócio Principais decisões tomadas de forma colegiada: Conselho de Administração e estrutura de comitês específicos Troca intensa de conhecimento e informação T ê i Transparência Conselho de Administração Conselho Fiscal Comitê de S t Suporte à Auditoria Comitê Executivo Comitê de Tesouraria Comitê de Captação Nacional, Internacional e Comitê de Crédito Comitê de Varejo Comitê de Compliance e Comitê PINE I i (ALCO) Produtos Comitê de Contencioso Risco Basiléia Comitê de Avaliação de Performance Comitê de Conduta Ética Comitê de Tecnologia Comitê de Recursos Humanos Investimentos 33/45 g
  • 34. Composição da Base Acionária Mudança de perfil da base de acionistas ON PN Total % C ontrolador 45.443.872 17.302.322 62.746.194 73,5% Administradores - 844.246 844.246 1,0% Free Float - 19.743.826 19.743.826 23,1% Subtotal 45.443.872 37.890.394 83.334.266 Tesouraria - 2.074.839 2.074.839 2,4% Total 45.443.872 39.965.233 85.409.105 100,0% Base: 28/02/10 2007 IPO 78 4% 46,1% 48,0% 78,4% 38 5% 38,8% 39,7% 39,5% 38,6% 38,3% 38,4% 38,5% 38 4% 38 5% 39,5% 42,5% 41,3% 40,3% 40,1% 39,2% 38 6% 40,7% 40,3% 40,1% 40,1% 39,6% Estrangeiros 12,9% 34,3% 31,4% 36,1% 37,1% 38,5% 37,8% Pessoa Jurídica 8,7% 21,4% 21,6% 21,2% 21,1% 21,1% 21,9% 21,5% 21,4% 21,5% 21,4% 20,9% Pessoa Física 34/45 19,7% 20,6% , , jan-09 fev-09 mar-09 abr-09 mai-09 jun-09 jul-09 ago-09 set-09 out-09 nov-09 dez-09 jan-10
  • 35. Ações O múltiplo de Preço/Valor Patrimonial ficou em 1,11x em 4 de março de 2010 Preço base 100: 31/12/08 Data final: 09/03/10 350 Δ 205% R$ 10,94 300 250 Δ 85% 69 576 200 150 69.576 R$ 3,59 100 50 0 37.550 12/2008 1/2009 2/2009 3/2009 4/2009 5/2009 6/2009 7/2009 8/2009 9/2009 10/2009 11/2009 12/2009 1/2010 2/2010 3/2010 PINE4 IBOVESPA 35/45
  • 36. Dividendos Em 2009, o Banco distribuiu o total bruto de R$ 75,0 milhões, entre dividendos e juros sobre capital próprio R$ Milhões R$ Valor Bruto Valor Total Valor por Ação 1T09 25,0 0,2955 2T09 20,0 0,2391 3T09 15,0 0,1800 4T09 15,0 0,1800 T Total l di ib íd distribuído em 2009 75 75,0 0 0 0,8946 8946 Dividendos e Juros sobre Capital Próprio Brutos Distribuídos R$ milhões 57 2 75,0 31,1% 57,2 36/45 2008 2009
  • 37. Responsabilidade Social O Banco PINE apóia e divulga a cultura brasileira Social Casa Hope Instituto Alfabetização Solidária Cultura Paisagem e Olhar: retratos em aquarela da biodiversidade da Mata Atlântica Charity Day - ICAP Brasil CTVM Embarcações: registro histórico das embarcações típicas brasileiras Revoluções Brasileiras: Esporte Fortalecimento do Hipismo: difusão do hipismo como atividade saudável e acessível a diversas camadas sociais Crianças e Jovens que Brilham: oficinas educativas com a áti d tê i id l úbli t d i ç Relatos sobre bravura dos Antepassados brasileiros prática do tênis promovidas em escolas públicas estaduais M B il i l tâ d e municipais LOB do Tênis Feminino: desenvolvimento do tênis feminino do Brasil ao nível de competitividade mundial Museus Brasileiros: coletânea dos principais museus em todo o país Anita Malfatti: retrospectiva de obras e biografia Crédito Responsável “Listas de exclusão” no financiamento de projetos ou g Green Building exclusão organizações que agridam o meio ambiente, que tenham práticas trabalhistas ilegais ou que envolvam produtos ou atividades considerados nocivos à sociedade Sistema financiado pelo BID e coordenado pela FGV de 37/45 Sistema, FGV, monitoramento ambiental e relatórios internos de sustentabilidade para empréstimos corporativos
  • 38. Ratings Sólida estrutura de crédito Global Global BB-B Moeda Estrangeira Longo Prazo Curto Prazo Global Moeda Estrangeira Longo Prazo Curto Prazo B+ B Ba2 Estável Moeda Estrangeira Longo Prazo Perspectiva Estável BB-B Perspectiva Moeda Local Longo Prazo Curto Prazo Perspectiva Moeda Local Longo Prazo Positiva B+ Ba2 Estável Moeda Local Longo Prazo Perspectiva B Estável brA-Curto Perspectiva Nacional Longo Prazo Curto Prazo Perspectiva Nacional Longo Prazo B A1.br Positiva Br-1 Nacional Longo Prazo Curto Prazo Perspectiva Estável Curto Prazo Perspectiva Individual A-(bra) F2(bra) Positiva D Estável D Perspectiva Fortaleza Financeira 10,7 Suporte 5 A 38/45
  • 39. Agenda Perfil O Banco PINE A História do Banco PINE Gestão da Crise Estratégias para o Atual Cenário Posicionamento no Mercado Empresas Estrutura Organizacional Estratégias para o Atual Cenário Resultados 4T09 Governança Corporativa e Ações Governança Corporativa Principais Comitês Composição da Base Ações Dividendos Responsabilidade Social Ratings Anexos 39/45
  • 41. Cenário Macroeconômico Desafio do novo cenário: crescimento econômico e patamares de juros abaixo dos históricos. Brasil: Principais Indicadores Econômicos - Banco Pine INDICADORES ECONOMICOS (cenário base: 75% prob.) 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009F 2010F 11-15 (F) Taxa de crescimento do PIB Real (%) 2,7% 1,1% 5,7% 3,2% 4,0% 5,4% 5,1% -0,1% 5,0% 5,5% R$:US$ final de período (nominal) 3,54 2,91 2,67 2,34 2,14 1,79 2,40 1,75 1,75 1,58 R$:US$ média (nominal) 2,99 3,06 2,92 2,44 2,18 1,95 1,84 2,00 1,84 1,65 BR inflação (IPC / IPCA) 12,5% 9,3% 7,6% 5,7% 3,1% 4,5% 5,9% 4,3% 5,1% 4,5% BR inflação (IGP-M) 25,3% 8,7% 12,5% 1,3% 3,8% 7,7% 9,8% -1,7% 6,6% 6,5% BR taxa de juros (Selic, fim de período) 25,0% 16,5% 17,8% 18,00% 13,25% 11,25% 13,75% 8,75% 11,50% 10,50% BR taxa de juros (Selic, média) 19,5% 23,1% 16,4% 19,15% 15,06% 11,98% 12,54% 9,92% 10,08% 11,00% Dívida externa total (US$bn) 196,0 200,0 185,0 154,0 156,0 166,0 170,0 169,9 174,5 188,0 Privada (US$bn) 85,0 80,0 70,0 66,0 80,0 96,0 103,0 105,6 114,0 131,1 Pública (US$bn) 111,0 120,0 115,0 88,0 76,0 70,0 67,0 64,3 60,5 56,8 Reservas externas (US$bn) 38,0 49,0 53,0 54,0 86,0 180,0 207,0 239,0 270,0 450,0 Dívida externa total (% das reservas) 516% 408% 349% 285% 181% 92% 82% 68% 54% 37% Privada (% das reservas) 224% 163% 132% 122% 93% 53% 50% 42% 35% 26% Pública (% das reservas) 292% 245% 217% 163% 88% 39% 32% 26% 19% 11% Saldo comercial (US$bn) 13,2 24,8 33,8 44,8 46,2 40,0 25,0 25,4 15,0 15,0 Conta corrente (US$bn) -7,6 4,2 11,7 14,0 13,6 1,5 -35,0 -24,3 -45,0 -60,0 Conta corrente (% do PIB) -1,5% 0,8% 1,8% 1,6% 1,3% 0,1% -3,1% -2,4% -3,9% -4,7% Superávit primário (% do PIB) 3,5% 3,9% 4,2% 4,4% 3,9% 4,0% 4,3% 2,1% 2,0% 3,3% Dívida líquida do setor público/PIB 55,5% 57,2% 51,8% 51,5% 45,0% 42,7% 37,0% 43,0% 41,0% 39,0% Risco Brasil (pb, fim de período) 1.439 463 383 311 194 221 450 224 150 80 41/45
  • 42. Cenário Macroeconômico Invetimento e PIB são altamente correlacionados; Consumo pessoal é deteminado pela massa salarial 16.0% 15.0% 14.0% 19.0% 18.5% 18.0% Corporate credit (% of GDP) Gross investment (% of GDP) 3.0% 2.0% 10.0% 7.0% Gross investment e personal consumption GDP YoY growth YoY growth (% of GDP) 13.0% 12.0% 11.0% 10.0% 17.5% 17.0% 16.5% 16.0% 1.0% 0.0% -1.0% -2.0% 4.0% 1.0% -2.0% 9.0% 8.0% 3T00 1T01 3T01 1T02 3T02 1T03 3T03 1T04 3T04 1T05 3T05 1T06 3T06 1T07 3T07 1T08 3T08 1T09 3T09 15.5% 15.0% Discretionary credit - corporate (quarterly average - % of GDP) -3.0% 1997.I 1997.IV 1998.III 1999.II 2000.I 2000.IV 2001.III 2002.II 2003.I 2003.IV 2004.III 2005.II 2006.I 2006.IV 2007.III 2008.II 2009.I 2009.IV -5.0% Personal consumption YoY growth (% of GDP) Gross investment YoY growth (% of GDP) 17.0% 15.0% Real GDP growth (YoY) Gross investment (quarterly data - 4 quarter moving average - % of GDP) 67.0% 65 0% Personal credit (% of GDP) Personal consumption (% of GDP) 15.0% 10.0% 8 0% Personal consumption (YoY % change) Real mass of wages (YoY % change) 13.0% 11.0% 9.0% 7 0% 65.0% 63.0% 61.0% 59.0% 10.0% 5.0% 0.0% -5.0% 8.0% 6.0% 4.0% 2.0% 0 0% 7.0% 5.0% 3.0% 3T00 1T01 3T01 1T02 3T02 1T03 3T03 1T04 3T04 1T05 3T05 1T06 3T06 1T07 3T07 1T08 3T08 1T09 3T09 57.0% 55.0% -10.0% -15.0% 2T03 4T03 2T04 4T04 2T05 4T05 2T06 4T06 2T07 4T07 2T08 4T08 2T09 4T09 0.0% -2.0% -4.0% Real 42/45 Discretionary credit - personal (quarterly average - % of GDP) Personal consumption (quarterly data - 4 quarter moving average - % of GDP) mass of wages (quarterly average - YoY% change) Personal consumption (quarterly data - YoY % change) Source: IBGE, BC and Banco Pine Economic Reseach Department
  • 43. Destaques das Demonstrações de Resultados R$ milhões Lucro Líquido Despesas de Pessoal e Administrativas (sem comissões) 150 133 86 141 151 120 32 68 63 85 2004 2005 2006 2007 2008 2009 43 49 2004 2005 2006 2007 2008 2009 Despesas de Provisão para Crédito de Liquidação Duvidosa ROAE 35 7% 19,8% 35,7% 23,0% 26,4% 6 6 26 50 97 49 16,3% 19,1% 16,4% 10,3% 15,1% 12,0% 12,5% 9,9% 43/45 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2004 2005 2006 2007 2008 2009 ROAE Selic Média
  • 44. Destaques do Balanço Patrimonial R$ milhões Depósitos* Ativos Totais 800 827 825 5.700 6.176 6.984 171 209 335 Dez/04 Dez/05 Dez/06 Dez/07 Dez/08 Dez/09 1.386 1.991 3.215 Dez/04 Dez/05 Dez/06 Dez/07 Dez/08 Dez/09 Basiléia Patrimônio Líquido *Inclui LCA 421 553 853 1.951 1.462 3.029 18,2% 20,7% 19,2% 18,3% 19,3% 15,6% 44/45 Dez/04 Dez/05 Dez/06 Dez/07 Dez/08 Dez/09 Dez/04 Dez/05 Dez/06 Dez/07 Dez/08 Dez/09
  • 45. Outros Destaques R$ milhões Mix de Captação Carteira de Crédito Total 3.623 3.737 4.527 4.325 4.264 4.753 759 1.341 2.085 Dez/04 Dez/05 Dez/06 Dez/07 Dez/08 Dez/09 782 1.324 2.077 Dez/04 Dez/05 Dez/06 Dez/07 Dez/08 Dez/09 25% 4% 4% 5% 17% 7% 18% 13% Captação Total 36% 5% 2% 28% 32% 28% 26% 10% 8% 6% 11% 7% 13% 54% 41% 40% 54% 39% 67% 45/45 Dez/04 Dez/05 Dez/06 Dez/07 Dez/08 Dez/09 Depositos Cessão de Crédito Recursos, Aceites e Emissão de Títulos Trade Finance/Cayman Obrigações por Repasses
  • 46. Relações com Investidores Clive Botelho Vice-Presidente de Finanças Nira Bessler Superintendente de Relações com Investidores Alejandra Hidalgo Analista de Relações com Investidores Fone: +55-11-3372-5553 www.bancopine.com.br/ri ri@bancopine.com.br As afirmações contidas neste documento relacionadas a perspectivas sobre os negócios, projeções sobre resultados operacionais e financeiros e aquelas relacionadas a perspectivas de crescimento do PINE são meramente projeções e, como tais, são baseadas exclusivamente nas expectativas da administração sobre o futuro dos negócios. Essas expectativas dependem, substancialmente, das condições de mercado, do desempenho da economia brasileira e do setor (mudanças políticas e econômicas, volatilidade nas taxas de juros e câmbio, mudanças tecnológicas, inflação, desintermediação financeira, pressões competitivas sobre produtos e preços e mudanças na legislação tributária) e, portanto, sujeitas a mudanças sem aviso prévio. 46/45