SlideShare uma empresa Scribd logo
II Seminário de
Prevenção do Suicídio
GRUPO YVONNE PEREIRA
12/05/2018
II Parte – Estudo de casos
➢Identificar risco de suicídio
➢Proposta de construção de:
➢Frases empáticas e perguntas
possíveis
➢O que não falar
➢Encaminhamentos
Caso I
Homem, 67 anos, portado de câncer de próstata
disseminado pelo corpo
Por causa da doença ficou impotente
sexualmente
Boa posição financeira, casado e tem 3 filhos
-“Eu amo minha família, mas acho que eles serão
mais felizes sem mim. Além disso, meu trabalho está
feito e já não sou mais homem. Porque esperar?”
Frases empáticas e perguntas possíveis
 Eu entendo que você está vivendo um momento muito
difícil em sua vida...
 Você disse do trabalho que realizou, do amor que tem
pelos seus familiares, isso me leva a pensar que você é
uma pessoa muito importante para sua família...
 Permita que vocês estejam juntos o maior tempo
possível, trocando experiências, dividindo alegrias e
tristezas, assim, você não estará sozinho...
 Que você acha de dar a eles a oportunidade de lhe
oferecer ombro amigo e amado?...
 Será que eles serão mais felizes sem você?...
O que não falar
 Comentar sobre a impotência ou transmitir mensagens
de que não precisaria mais da vida sexual
 Dizer: você tem tudo para ser feliz
 Sua família te ama e vai te aceitar com todas suas
dificuldades e limitações
Avaliar risco de suicídio
 Você me falou que não quer esperar. Quais são seus
planos?
 Verificar a disponibilidade dos meios
 Se tem data
 Fez testamento ou algo semelhante?
Mensagem final
 Resgatar a força dele como alguém capaz e da força
que ele carrega em si
 Enfatizar a força da fé e da benevolência divina
 Que todos os momentos que ele ainda estiver
encarnado, serão importantes em sua existência
Encaminhamentos
 Encaminhar para reunião de orientação espiritual
 Palestra doutrinária, passes, água fluidificada,
implantação/fortalecimento do culto do evangelho no
lar
 Acompanhamento periódico, sugerimos semanal
 Verificar se está em tratamento médico e/ou
psicológico. Em caso negativo, fazer esta orientação,
enfatizando o cuidado integral: físico, psicológico e
espiritual
 Se necessário pode ligar para o CVV
Caso II
 Mulher, 22 anos, namorado suicidou-se
-“Estou sem dormir há muitas noites. Sinto uma dor e um
vazio enormes. Ele fingiu, mentiu o tempo todo
Não estou conseguindo viver com isso; dá vontade de
fazer uma besteira. Eu sempre o amei de verdade, me
pergunto, porque ele não falou comigo sobre o que
estava acontecendo? Meu amor não foi suficiente?”
Frases empática e perguntas possíveis
 Compreendo que a dor da perda de uma pessoa tão
amada é muito grande e não ter respostas para suas
perguntas nessa situação deve ser muito sofrido para
você...
 Com que exatamente você não está conseguindo
viver?...
(Objetivo: ampliar o diálogo e dar espaço para ele
falar da dor)
 Você gostaria de falar sobre momentos de vocês?...
(Objetivo:Frase âncora)
Avaliar risco de suicídio
 Você me disse que pensa em fazer uma besteira. Quais
são seus planos?
 Verificar a disponibilidade dos meios
 Se tem data
 Fez testamento ou algo semelhante?
O que não falar
Descaracterizar o amor
Reforçar a culpa
Investigar o que chama de fingimento e
mentira
Mensagem final
 Abrir novas perspectivas de entendimento da situação do
namorado. Cada um lida de uma maneira com os conflitos
e dores
 O que ela entendeu como mentira pode ser parte do
desespero dele, que não queria levar problemas para as
pessoas. Ou considerou que ninguém poderia ajudá-lo.
Estas atitudes não falam do vínculo afetivo dos dois, mas
dos problemas pessoais que ele estava vivendo
 Acenar para possibilidade de recomeço para ela
 Refletir sobre como ela lidou anteriormente com perdas em
sua vida
Encaminhamentos
 Encaminhar para reunião de orientação espiritual
 Palestra doutrinária, passes, água fluidificada
 Implantação/fortalecimento do culto do evangelho no
lar
 Fazer um acompanhamento periódico, sugerimos
semanal
 Verificar se está em tratamento médico e/ou
psicológico. Em caso negativo, fazer esta orientação,
enfatizando o cuidado integral: físico, psicológico e
espiritual
 Se necessário pode ligar para o CVV
Caso III
 Homem, 28 anos, portador de transtorno depressivo,
atualmente desempregado. Família Espírita
 “Não aguento mais! Não vejo saída para nada e ainda
sou um peso para minha família. Estou cansado, a vida
é minha, ninguém tem nada a ver com isto. Acabar
com o sofrimento será a melhor solução, pois depois
terei nova oportunidade em outra vida”
Frases empáticas e perguntas possíveis
 Que bom que você está aqui, para juntos pensarmos em
uma saída. Quando estamos cansados e com muitos
problemas, e a gente os compartilha, podemos ver
alternativas que não tínhamos visto antes...
 A depressão realmente tira nossas forças, mas é uma fase
que vai ser transitória na sua vida...
 Assim como você encontrou alternativas anteriores,
também pode encontrar agora. Se está difícil sozinho, nós
estamos aqui para lhe ajudar...
 Como você tem algum conhecimento espírita, você sabe
que o sofrimento está na alma e não no corpo físico? Tirar
sua vida não é igual a acabar com o sofrimento, isso seria
justo com você?...
Avaliar risco de suicídio
 Você me disse que quer acabar com o sofrimento pois
terá outra oportunidade. Quais são seus planos?
 Verificar a disponibilidade dos meios
 Se tem data
 Fez testamento ou algo semelhante?
O que não falar
 Falar que a depressão é falta de fé
 Que ele será punido e irá para o vale dos suicidas.
 Falar que quem tem conhecimento espírita não deveria
pensar em suicídio
 Quem é espírita não tem depressão
Mensagem final
 Dentro do seu conhecimento espírita, você sabe que temos
ajuda de benfeitores espirituais
 Você sabe que estamos sujeitos a sofrer influenciações
daqueles que não nos amam que estão no plano espiritual
 Se unirmos forças nós vamos conseguir iluminar esses
corações necessitados e lhe fortalecer
Encaminhamentos
 Encaminhar para reunião de orientação espiritual
 Palestra doutrinária, passes, água fluidificada
 Implantação/fortalecimento do culto do evangelho no lar
 Fazer um acompanhamento periódico, sugerimos
semanal
 Verificar se estar em tratamento médico e/ou
psicológico. Em caso negativo, fazer esta orientação,
enfatizando o cuidado integral: físico, psicológico e
espiritual
 Se necessário pode ligar para o CVV
Caso IV
 Mulher, 16 anos, estudante com transtorno bipolar,
automutilação e tentativa de suicídio. Sofreu abuso
sexual na infância
 “O cortes mais profundos, não estão no pulso, mas na
alma. Não aguento mais, não tem sentido a existência.
Não me sinto pertencente a este mundo, minha família
não me entende e acha que é chilique da minha parte.
Para que viver?”
Frases empáticas e perguntas possíveis
 Que bom que você veio, estamos aqui para lhe ouvir,
compreendemos que você tem uma grande dor e juntos
vamos tentar encontrar uma forma de aliviar seu
sofrimento...
 Gostaria de lhe conhecer um pouco mais, você pode me
falar mais sobre sua vida?...
(Objetivo: ter mais elementos para o diálogo)
 Que você acha de participar de algumas atividades que
lhe trarão um pouco mais de energia e paz, como assistir
as palestra doutrinárias e receber passes após as
mesmas?...
 O que você acha de convidar sua família para
conversarmos juntos?...
Avaliar risco de suicídio
 Você me disse que não aguenta mais viver. O que está
passando pela sua cabeça?
 Verificar a disponibilidade dos meios
 Se tem data
 Fez testamento ou algo semelhante?
O que não falar
 Não perguntar detalhes do abuso
 Não recriminar a automutilação
 Não recriminar a tentativa de suicídio
 Não estimular conflitos com a família
Mensagem final
 Vamos recorrer a Jesus que disse vinde a mim todos os
que estão cansados e oprimidos, com certeza ele tem
um plano para reduzir seu sofrimento e juntos vamos
tentar entender qual é esse plano
 Estaremos junto com você nessa busca do
entendimento
 Você não está sozinha
Encaminhamentos
 Encaminhar para reunião de orientação espiritual
 Palestra doutrinária, passes, água fluidificada
 Implantação/fortalecimento do culto do evangelho no lar
 Fazer um acompanhamento periódico, sugerimos
semanal
 Verificar se estar em tratamento médico e/ou psicológico.
Em caso negativo, fazer esta orientação, enfatizando o
cuidado integral: físico/psicológico e espiritual
 Se necessário pode ligar para o CVV
 Quando mais estabilizada convidar para participar das
reuniões do grupo de jovens
Caso V
 Mulher, 65 anos, dona de casa, dois filhos adultos
 “Tenho vontade de ir embora deste mundo porque
nada deu certo na minha vida. Estou aborrecida com
tudo, com minha família, minha igreja, até com Deus.
Onde ele está que não me ajuda? Sinto que já vivi o
suficiente. Meus filhos já estão crescidos e meu marido
só pensa nele. Arrumou outra mulher e foi embora. Não
tenho mais razão para viver”
Frases empáticas e perguntas possíveis
 Às vezes quando estamos sofrendo muito, fica realmente
difícil conseguir sentir a presença de Deus em nossa vida...
 Compreendo que você está muito triste e se sentindo
sozinha, dedicou sua vida a sua família e agora se sente
sem rumo, podemos falar um pouco mais sobres eles?...
 Pelo que você me falou cuidou muito bem dos seus filhos,
estamos aqui para cuidarmos um pouco de você agora...
Avaliar risco de suicídio
 Você me disse que não tem razão para viver. Vamos
falar um pouco sobre isso?
 Verificar a disponibilidade dos meios
 Se tem data
 Fez testamento ou algo semelhante?
O que não falar
 Não perguntar detalhes da vida conjugal
 Não falar que a falta dela vai doer nos filhos
 Não falar que ela não pode ficar com raiva de Deus
 Não falar que é falta de ocupação
Mensagem final
 Você não está sozinha, estamos aqui para lhe ajudar
nessa fase difícil da sua vida
 Mesmo que você não esteja sentindo Deus também
está ao seu lado todo tempo
 Você gostaria de participar de algumas atividades que
lhe trarão um pouco mais de energia e paz e quem
sabe, lhe ajudarão a reencontrar o sentido perdido?
(Objetivo: suporte social)
Encaminhamentos
 Encaminhar para reunião de orientação espiritual
 Palestra doutrinária, passes, água fluidificada
 Implantação/fortalecimento do culto do evangelho no lar
 Fazer um acompanhamento periódico, sugerimos semanal
 Verificar se estar em tratamento médico e/ou psicológico.
Em caso negativo, fazer esta orientação, enfatizando o
cuidado integral: físico, psicológico e espiritual
 Se necessário pode ligar para o CVV
 Quando estiver melhor mais fortalecida pode ser
convidada para atividades em grupo da casa
Caso VI
 Homem, 45 anos, casado, pai de 3 filhos, problemas
financeiros
 “Não aguento mais, estou sem saída, não vejo luz no final
do túnel. Tenho um negócio em sociedade, mas deu tudo
errado, fui enganado e roubado, todas as minhas reservas
financeiras foram colocadas ali, mais que isso, minhas
esperanças de uma velhice segura. Não aguento mais.
 Não tenho como manter o padrão da minha família. O
que minha esposa ganha não é suficiente. Não vou
suportar ver minha família passando privação e aquele
enganador com o que é meu. Sinto que fui incompetente
para avaliar a situação, me sinto muito culpado, sei
não..., tem horas...Viver é difícil”
Frases empáticas e perguntas possíveis
 Compreendo que não está fácil este momento que
você está vivendo, e pode ser difícil enxergar
possibilidades de solução...
 Você ao realizar seu negócio pensou no melhor para
você e sua família...
 Isso tem me mostrado o quanto você é humano,
valoroso e capaz. Você foi competente para conseguir
todo seu patrimônio, tente lembrar o que lhe ajudou em
desafios anteriores...
Avaliar risco de suicídio:
 Você me disse que viver é difícil, como é esse difícil
para você?
 Verificar a disponibilidade dos meios
 Se tem data
 Fez testamento ou algo semelhante?
O que não falar
 Perguntar sobre valores financeiros
 A forma como foi enganado
 Dizer que ele pode trabalhar e se recuperar financeiramente
 Dizer que dinheiro não é importante na vida
 Desqualificar a dor que estar sentindo por ser uma questão
material
 Sugerir uma questão jurídica
 Que tudo vai ser como antes
Mensagem final
 Estamos aqui para juntos encontrarmos um forma de
ajudar a você sentir-se melhor, mais fortalecido
 Gostaria de lhe convidar juntamente com sua família
para participar de algumas atividades na casa, que lhe
trarão um pouco mais de paz
Encaminhamentos
 Encaminhar para reunião de orientação espiritual
 Palestra doutrinária, passes, água fluidificada
 Implantação/fortalecimento do culto do evangelho no lar
 Fazer um acompanhamento periódico, sugerimos semanal
 Verificar se estar em tratamento médico e/ou psicológico,
Em caso negativo, fazer esta orientação, enfatizando o
cuidado integral: físico, psicológico e espiritual
 Se necessário pode ligar para o CVV
2 prevencao de suicidio com efeitos

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Suicídio palestra cefa 7 dez 12
Suicídio   palestra cefa 7 dez 12Suicídio   palestra cefa 7 dez 12
Suicídio palestra cefa 7 dez 12
balsense
 
SUICÍDIO - ORIENTAÇÕES PARA PROFISSIONAIS DE PSICOLOGIA
SUICÍDIO - ORIENTAÇÕES PARA PROFISSIONAIS DE PSICOLOGIASUICÍDIO - ORIENTAÇÕES PARA PROFISSIONAIS DE PSICOLOGIA
SUICÍDIO - ORIENTAÇÕES PARA PROFISSIONAIS DE PSICOLOGIA
Rafael Almeida
 
Suicídio: aspectos gerais e o papel da psicologia na sua compreensão e prevenção
Suicídio: aspectos gerais e o papel da psicologia na sua compreensão e prevençãoSuicídio: aspectos gerais e o papel da psicologia na sua compreensão e prevenção
Suicídio: aspectos gerais e o papel da psicologia na sua compreensão e prevenção
Washington Costa
 
Suicídio
SuicídioSuicídio
Suicídio
pastorlinaldo
 
PRIMEIROS SOCORROS EM TENTATIVAS DE SUICÍDIO, Prof, Enf: Joselene Beatriz
PRIMEIROS SOCORROS EM TENTATIVAS DE SUICÍDIO, Prof, Enf: Joselene BeatrizPRIMEIROS SOCORROS EM TENTATIVAS DE SUICÍDIO, Prof, Enf: Joselene Beatriz
PRIMEIROS SOCORROS EM TENTATIVAS DE SUICÍDIO, Prof, Enf: Joselene Beatriz
joselene beatriz
 
Slides para apresentação de seminário integrado
Slides para apresentação de seminário integradoSlides para apresentação de seminário integrado
Slides para apresentação de seminário integrado
Cristina Silva
 
Setembro amarelo
Setembro amareloSetembro amarelo
Setembro amarelo
Helio Cruz
 
Suicídio - Uma Epidemia Silenciosa
Suicídio - Uma Epidemia SilenciosaSuicídio - Uma Epidemia Silenciosa
Suicídio - Uma Epidemia Silenciosa
CEENA_SS
 
Prevenção de suicídio
Prevenção de suicídioPrevenção de suicídio
Prevenção de suicídio
Instituto de Saúde Social - ISSO
 
As várias vertentes do suicídio
As várias vertentes do suicídioAs várias vertentes do suicídio
As várias vertentes do suicídio
Francisco Rúdar da Silva
 
Prevenção ao Suicídio - Um Recurso para Conselheiros
Prevenção ao Suicídio - Um Recurso para ConselheirosPrevenção ao Suicídio - Um Recurso para Conselheiros
Prevenção ao Suicídio - Um Recurso para Conselheiros
Jeferson Espindola
 
Manual prevencao do suicidio para professores e educadores
Manual prevencao do suicidio para professores e educadoresManual prevencao do suicidio para professores e educadores
Manual prevencao do suicidio para professores e educadores
Samuel Lima
 
Ciulla Clínica Psiquiátrica - Risco de Suicídio Entre Idosos
Ciulla Clínica Psiquiátrica - Risco de Suicídio Entre IdososCiulla Clínica Psiquiátrica - Risco de Suicídio Entre Idosos
Ciulla Clínica Psiquiátrica - Risco de Suicídio Entre Idosos
clinicaciulla
 
1 a dimensao
1 a dimensao1 a dimensao
1 a dimensao
ventofrio
 
Valorização da vida - Wilma Badan CG
Valorização da vida - Wilma Badan CGValorização da vida - Wilma Badan CG
Valorização da vida - Wilma Badan CG
Mima Badan
 
Setembro Amarelo
Setembro AmareloSetembro Amarelo
Setembro Amarelo
Alfredo Lopes
 
Palestra sobre suicídio original
Palestra sobre suicídio originalPalestra sobre suicídio original
Palestra sobre suicídio original
Alinebrauna Brauna
 
Prevenção ao Suicídio - Um Manual para Profissionais da Saúde em Atenção Prim...
Prevenção ao Suicídio - Um Manual para Profissionais da Saúde em Atenção Prim...Prevenção ao Suicídio - Um Manual para Profissionais da Saúde em Atenção Prim...
Prevenção ao Suicídio - Um Manual para Profissionais da Saúde em Atenção Prim...
Jeferson Espindola
 
Como prevenir o suicídio?
Como prevenir o suicídio?Como prevenir o suicídio?
Mitos e verdades - setembro amarelo
Mitos e verdades  -  setembro amareloMitos e verdades  -  setembro amarelo
Mitos e verdades - setembro amarelo
Ministério Público de Santa Catarina
 

Mais procurados (20)

Suicídio palestra cefa 7 dez 12
Suicídio   palestra cefa 7 dez 12Suicídio   palestra cefa 7 dez 12
Suicídio palestra cefa 7 dez 12
 
SUICÍDIO - ORIENTAÇÕES PARA PROFISSIONAIS DE PSICOLOGIA
SUICÍDIO - ORIENTAÇÕES PARA PROFISSIONAIS DE PSICOLOGIASUICÍDIO - ORIENTAÇÕES PARA PROFISSIONAIS DE PSICOLOGIA
SUICÍDIO - ORIENTAÇÕES PARA PROFISSIONAIS DE PSICOLOGIA
 
Suicídio: aspectos gerais e o papel da psicologia na sua compreensão e prevenção
Suicídio: aspectos gerais e o papel da psicologia na sua compreensão e prevençãoSuicídio: aspectos gerais e o papel da psicologia na sua compreensão e prevenção
Suicídio: aspectos gerais e o papel da psicologia na sua compreensão e prevenção
 
Suicídio
SuicídioSuicídio
Suicídio
 
PRIMEIROS SOCORROS EM TENTATIVAS DE SUICÍDIO, Prof, Enf: Joselene Beatriz
PRIMEIROS SOCORROS EM TENTATIVAS DE SUICÍDIO, Prof, Enf: Joselene BeatrizPRIMEIROS SOCORROS EM TENTATIVAS DE SUICÍDIO, Prof, Enf: Joselene Beatriz
PRIMEIROS SOCORROS EM TENTATIVAS DE SUICÍDIO, Prof, Enf: Joselene Beatriz
 
Slides para apresentação de seminário integrado
Slides para apresentação de seminário integradoSlides para apresentação de seminário integrado
Slides para apresentação de seminário integrado
 
Setembro amarelo
Setembro amareloSetembro amarelo
Setembro amarelo
 
Suicídio - Uma Epidemia Silenciosa
Suicídio - Uma Epidemia SilenciosaSuicídio - Uma Epidemia Silenciosa
Suicídio - Uma Epidemia Silenciosa
 
Prevenção de suicídio
Prevenção de suicídioPrevenção de suicídio
Prevenção de suicídio
 
As várias vertentes do suicídio
As várias vertentes do suicídioAs várias vertentes do suicídio
As várias vertentes do suicídio
 
Prevenção ao Suicídio - Um Recurso para Conselheiros
Prevenção ao Suicídio - Um Recurso para ConselheirosPrevenção ao Suicídio - Um Recurso para Conselheiros
Prevenção ao Suicídio - Um Recurso para Conselheiros
 
Manual prevencao do suicidio para professores e educadores
Manual prevencao do suicidio para professores e educadoresManual prevencao do suicidio para professores e educadores
Manual prevencao do suicidio para professores e educadores
 
Ciulla Clínica Psiquiátrica - Risco de Suicídio Entre Idosos
Ciulla Clínica Psiquiátrica - Risco de Suicídio Entre IdososCiulla Clínica Psiquiátrica - Risco de Suicídio Entre Idosos
Ciulla Clínica Psiquiátrica - Risco de Suicídio Entre Idosos
 
1 a dimensao
1 a dimensao1 a dimensao
1 a dimensao
 
Valorização da vida - Wilma Badan CG
Valorização da vida - Wilma Badan CGValorização da vida - Wilma Badan CG
Valorização da vida - Wilma Badan CG
 
Setembro Amarelo
Setembro AmareloSetembro Amarelo
Setembro Amarelo
 
Palestra sobre suicídio original
Palestra sobre suicídio originalPalestra sobre suicídio original
Palestra sobre suicídio original
 
Prevenção ao Suicídio - Um Manual para Profissionais da Saúde em Atenção Prim...
Prevenção ao Suicídio - Um Manual para Profissionais da Saúde em Atenção Prim...Prevenção ao Suicídio - Um Manual para Profissionais da Saúde em Atenção Prim...
Prevenção ao Suicídio - Um Manual para Profissionais da Saúde em Atenção Prim...
 
Como prevenir o suicídio?
Como prevenir o suicídio?Como prevenir o suicídio?
Como prevenir o suicídio?
 
Mitos e verdades - setembro amarelo
Mitos e verdades  -  setembro amareloMitos e verdades  -  setembro amarelo
Mitos e verdades - setembro amarelo
 

Semelhante a 2 prevencao de suicidio com efeitos

Abraçando a vida.pptx
Abraçando a vida.pptxAbraçando a vida.pptx
Abraçando a vida.pptx
Denner Macêdo
 
17. comece depressão na adolescência - 06.2013
17. comece   depressão na adolescência - 06.201317. comece   depressão na adolescência - 06.2013
17. comece depressão na adolescência - 06.2013
comece
 
5 Maneiras de ter Mais Saúde Emocional - Caminhos para Desenvolvimento Pessoal
5 Maneiras de ter Mais Saúde Emocional - Caminhos para Desenvolvimento Pessoal5 Maneiras de ter Mais Saúde Emocional - Caminhos para Desenvolvimento Pessoal
5 Maneiras de ter Mais Saúde Emocional - Caminhos para Desenvolvimento Pessoal
aluana_santos
 
Edição n. 39 do CH Noticias - Setembro/2018
Edição n. 39 do CH Noticias - Setembro/2018Edição n. 39 do CH Noticias - Setembro/2018
Edição n. 39 do CH Noticias - Setembro/2018
CH Notícias - Casa dos Humildes - Recife
 
Schiz-X: Conversando Sobre A Esquizofrenia - Vol. 5 - O convívio familiar
Schiz-X: Conversando Sobre A Esquizofrenia - Vol. 5 - O convívio familiarSchiz-X: Conversando Sobre A Esquizofrenia - Vol. 5 - O convívio familiar
Schiz-X: Conversando Sobre A Esquizofrenia - Vol. 5 - O convívio familiar
Schiz Ophrenic
 
Edição n. 20 do CH Notícias - Fevereiro / 2017
Edição n. 20 do CH Notícias - Fevereiro / 2017Edição n. 20 do CH Notícias - Fevereiro / 2017
Edição n. 20 do CH Notícias - Fevereiro / 2017
CH Notícias - Casa dos Humildes - Recife
 
Nucleovivo
NucleovivoNucleovivo
Nucleovivo
grizzdesign
 
Psicanálise e aconselhamento pastoral
Psicanálise e aconselhamento pastoralPsicanálise e aconselhamento pastoral
Psicanálise e aconselhamento pastoral
Pastora-Psicanalista Mérces Ministério Saúde Integral
 
Apoio Emocional
Apoio EmocionalApoio Emocional
Apoio Emocional
RichardLahoz3
 
Nucleovivo novo2 1
Nucleovivo novo2 1Nucleovivo novo2 1
Nucleovivo novo2 1
grizzdesign
 
Quais são os serviços oferecidos para pessoas com doenças sé
Quais são os serviços oferecidos para pessoas com doenças séQuais são os serviços oferecidos para pessoas com doenças sé
Quais são os serviços oferecidos para pessoas com doenças sé
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Psicanálise E Aconselhamento Pastoral
Psicanálise E Aconselhamento PastoralPsicanálise E Aconselhamento Pastoral
Psicanálise E Aconselhamento Pastoral
Eduardo Sales de lima
 
4o Aula Crenças Disfuncionais.pdf
4o Aula Crenças Disfuncionais.pdf4o Aula Crenças Disfuncionais.pdf
4o Aula Crenças Disfuncionais.pdf
WelmaSaldanha1
 
Boletim informativo abril2015
Boletim informativo   abril2015Boletim informativo   abril2015
Boletim informativo abril2015
fespiritacrista
 
Conheça Kayuá
Conheça KayuáConheça Kayuá
Conheça Kayuá
Kayuá
 
2017 2 ab fam 2 disciplina mfc ufop
2017   2 ab fam 2 disciplina mfc ufop2017   2 ab fam 2 disciplina mfc ufop
2017 2 ab fam 2 disciplina mfc ufop
Leonardo Savassi
 
Centro de Reabilitação Casa Nova Redenção
Centro de Reabilitação Casa Nova RedençãoCentro de Reabilitação Casa Nova Redenção
Centro de Reabilitação Casa Nova Redenção
Rafael Alves
 
Depressão
DepressãoDepressão
As 5 fases do luto.docx
As 5 fases do luto.docxAs 5 fases do luto.docx
As 5 fases do luto.docx
RoseliGeaVerissimoFe
 
APOSTILA -FILHOS GAYS(Um Plano para a cura da Família).docx
APOSTILA -FILHOS GAYS(Um Plano para a cura da Família).docxAPOSTILA -FILHOS GAYS(Um Plano para a cura da Família).docx
APOSTILA -FILHOS GAYS(Um Plano para a cura da Família).docx
ssuserc34a97
 

Semelhante a 2 prevencao de suicidio com efeitos (20)

Abraçando a vida.pptx
Abraçando a vida.pptxAbraçando a vida.pptx
Abraçando a vida.pptx
 
17. comece depressão na adolescência - 06.2013
17. comece   depressão na adolescência - 06.201317. comece   depressão na adolescência - 06.2013
17. comece depressão na adolescência - 06.2013
 
5 Maneiras de ter Mais Saúde Emocional - Caminhos para Desenvolvimento Pessoal
5 Maneiras de ter Mais Saúde Emocional - Caminhos para Desenvolvimento Pessoal5 Maneiras de ter Mais Saúde Emocional - Caminhos para Desenvolvimento Pessoal
5 Maneiras de ter Mais Saúde Emocional - Caminhos para Desenvolvimento Pessoal
 
Edição n. 39 do CH Noticias - Setembro/2018
Edição n. 39 do CH Noticias - Setembro/2018Edição n. 39 do CH Noticias - Setembro/2018
Edição n. 39 do CH Noticias - Setembro/2018
 
Schiz-X: Conversando Sobre A Esquizofrenia - Vol. 5 - O convívio familiar
Schiz-X: Conversando Sobre A Esquizofrenia - Vol. 5 - O convívio familiarSchiz-X: Conversando Sobre A Esquizofrenia - Vol. 5 - O convívio familiar
Schiz-X: Conversando Sobre A Esquizofrenia - Vol. 5 - O convívio familiar
 
Edição n. 20 do CH Notícias - Fevereiro / 2017
Edição n. 20 do CH Notícias - Fevereiro / 2017Edição n. 20 do CH Notícias - Fevereiro / 2017
Edição n. 20 do CH Notícias - Fevereiro / 2017
 
Nucleovivo
NucleovivoNucleovivo
Nucleovivo
 
Psicanálise e aconselhamento pastoral
Psicanálise e aconselhamento pastoralPsicanálise e aconselhamento pastoral
Psicanálise e aconselhamento pastoral
 
Apoio Emocional
Apoio EmocionalApoio Emocional
Apoio Emocional
 
Nucleovivo novo2 1
Nucleovivo novo2 1Nucleovivo novo2 1
Nucleovivo novo2 1
 
Quais são os serviços oferecidos para pessoas com doenças sé
Quais são os serviços oferecidos para pessoas com doenças séQuais são os serviços oferecidos para pessoas com doenças sé
Quais são os serviços oferecidos para pessoas com doenças sé
 
Psicanálise E Aconselhamento Pastoral
Psicanálise E Aconselhamento PastoralPsicanálise E Aconselhamento Pastoral
Psicanálise E Aconselhamento Pastoral
 
4o Aula Crenças Disfuncionais.pdf
4o Aula Crenças Disfuncionais.pdf4o Aula Crenças Disfuncionais.pdf
4o Aula Crenças Disfuncionais.pdf
 
Boletim informativo abril2015
Boletim informativo   abril2015Boletim informativo   abril2015
Boletim informativo abril2015
 
Conheça Kayuá
Conheça KayuáConheça Kayuá
Conheça Kayuá
 
2017 2 ab fam 2 disciplina mfc ufop
2017   2 ab fam 2 disciplina mfc ufop2017   2 ab fam 2 disciplina mfc ufop
2017 2 ab fam 2 disciplina mfc ufop
 
Centro de Reabilitação Casa Nova Redenção
Centro de Reabilitação Casa Nova RedençãoCentro de Reabilitação Casa Nova Redenção
Centro de Reabilitação Casa Nova Redenção
 
Depressão
DepressãoDepressão
Depressão
 
As 5 fases do luto.docx
As 5 fases do luto.docxAs 5 fases do luto.docx
As 5 fases do luto.docx
 
APOSTILA -FILHOS GAYS(Um Plano para a cura da Família).docx
APOSTILA -FILHOS GAYS(Um Plano para a cura da Família).docxAPOSTILA -FILHOS GAYS(Um Plano para a cura da Família).docx
APOSTILA -FILHOS GAYS(Um Plano para a cura da Família).docx
 

Último

A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
GABRIELADIASDUTRA1
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
JaquelineSantosBasto
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Celso Napoleon
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Elton Zanoni
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
Oziete SS
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
marcobueno2024
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
REFORMADOR PROTESTANTE
 

Último (10)

A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
 

2 prevencao de suicidio com efeitos

  • 1. II Seminário de Prevenção do Suicídio GRUPO YVONNE PEREIRA 12/05/2018
  • 2. II Parte – Estudo de casos ➢Identificar risco de suicídio ➢Proposta de construção de: ➢Frases empáticas e perguntas possíveis ➢O que não falar ➢Encaminhamentos
  • 3. Caso I Homem, 67 anos, portado de câncer de próstata disseminado pelo corpo Por causa da doença ficou impotente sexualmente Boa posição financeira, casado e tem 3 filhos -“Eu amo minha família, mas acho que eles serão mais felizes sem mim. Além disso, meu trabalho está feito e já não sou mais homem. Porque esperar?”
  • 4. Frases empáticas e perguntas possíveis  Eu entendo que você está vivendo um momento muito difícil em sua vida...  Você disse do trabalho que realizou, do amor que tem pelos seus familiares, isso me leva a pensar que você é uma pessoa muito importante para sua família...  Permita que vocês estejam juntos o maior tempo possível, trocando experiências, dividindo alegrias e tristezas, assim, você não estará sozinho...  Que você acha de dar a eles a oportunidade de lhe oferecer ombro amigo e amado?...  Será que eles serão mais felizes sem você?...
  • 5. O que não falar  Comentar sobre a impotência ou transmitir mensagens de que não precisaria mais da vida sexual  Dizer: você tem tudo para ser feliz  Sua família te ama e vai te aceitar com todas suas dificuldades e limitações
  • 6. Avaliar risco de suicídio  Você me falou que não quer esperar. Quais são seus planos?  Verificar a disponibilidade dos meios  Se tem data  Fez testamento ou algo semelhante?
  • 7. Mensagem final  Resgatar a força dele como alguém capaz e da força que ele carrega em si  Enfatizar a força da fé e da benevolência divina  Que todos os momentos que ele ainda estiver encarnado, serão importantes em sua existência
  • 8. Encaminhamentos  Encaminhar para reunião de orientação espiritual  Palestra doutrinária, passes, água fluidificada, implantação/fortalecimento do culto do evangelho no lar  Acompanhamento periódico, sugerimos semanal  Verificar se está em tratamento médico e/ou psicológico. Em caso negativo, fazer esta orientação, enfatizando o cuidado integral: físico, psicológico e espiritual  Se necessário pode ligar para o CVV
  • 9. Caso II  Mulher, 22 anos, namorado suicidou-se -“Estou sem dormir há muitas noites. Sinto uma dor e um vazio enormes. Ele fingiu, mentiu o tempo todo Não estou conseguindo viver com isso; dá vontade de fazer uma besteira. Eu sempre o amei de verdade, me pergunto, porque ele não falou comigo sobre o que estava acontecendo? Meu amor não foi suficiente?”
  • 10. Frases empática e perguntas possíveis  Compreendo que a dor da perda de uma pessoa tão amada é muito grande e não ter respostas para suas perguntas nessa situação deve ser muito sofrido para você...  Com que exatamente você não está conseguindo viver?... (Objetivo: ampliar o diálogo e dar espaço para ele falar da dor)  Você gostaria de falar sobre momentos de vocês?... (Objetivo:Frase âncora)
  • 11. Avaliar risco de suicídio  Você me disse que pensa em fazer uma besteira. Quais são seus planos?  Verificar a disponibilidade dos meios  Se tem data  Fez testamento ou algo semelhante?
  • 12. O que não falar Descaracterizar o amor Reforçar a culpa Investigar o que chama de fingimento e mentira
  • 13. Mensagem final  Abrir novas perspectivas de entendimento da situação do namorado. Cada um lida de uma maneira com os conflitos e dores  O que ela entendeu como mentira pode ser parte do desespero dele, que não queria levar problemas para as pessoas. Ou considerou que ninguém poderia ajudá-lo. Estas atitudes não falam do vínculo afetivo dos dois, mas dos problemas pessoais que ele estava vivendo  Acenar para possibilidade de recomeço para ela  Refletir sobre como ela lidou anteriormente com perdas em sua vida
  • 14. Encaminhamentos  Encaminhar para reunião de orientação espiritual  Palestra doutrinária, passes, água fluidificada  Implantação/fortalecimento do culto do evangelho no lar  Fazer um acompanhamento periódico, sugerimos semanal  Verificar se está em tratamento médico e/ou psicológico. Em caso negativo, fazer esta orientação, enfatizando o cuidado integral: físico, psicológico e espiritual  Se necessário pode ligar para o CVV
  • 15. Caso III  Homem, 28 anos, portador de transtorno depressivo, atualmente desempregado. Família Espírita  “Não aguento mais! Não vejo saída para nada e ainda sou um peso para minha família. Estou cansado, a vida é minha, ninguém tem nada a ver com isto. Acabar com o sofrimento será a melhor solução, pois depois terei nova oportunidade em outra vida”
  • 16. Frases empáticas e perguntas possíveis  Que bom que você está aqui, para juntos pensarmos em uma saída. Quando estamos cansados e com muitos problemas, e a gente os compartilha, podemos ver alternativas que não tínhamos visto antes...  A depressão realmente tira nossas forças, mas é uma fase que vai ser transitória na sua vida...  Assim como você encontrou alternativas anteriores, também pode encontrar agora. Se está difícil sozinho, nós estamos aqui para lhe ajudar...  Como você tem algum conhecimento espírita, você sabe que o sofrimento está na alma e não no corpo físico? Tirar sua vida não é igual a acabar com o sofrimento, isso seria justo com você?...
  • 17. Avaliar risco de suicídio  Você me disse que quer acabar com o sofrimento pois terá outra oportunidade. Quais são seus planos?  Verificar a disponibilidade dos meios  Se tem data  Fez testamento ou algo semelhante?
  • 18. O que não falar  Falar que a depressão é falta de fé  Que ele será punido e irá para o vale dos suicidas.  Falar que quem tem conhecimento espírita não deveria pensar em suicídio  Quem é espírita não tem depressão
  • 19. Mensagem final  Dentro do seu conhecimento espírita, você sabe que temos ajuda de benfeitores espirituais  Você sabe que estamos sujeitos a sofrer influenciações daqueles que não nos amam que estão no plano espiritual  Se unirmos forças nós vamos conseguir iluminar esses corações necessitados e lhe fortalecer
  • 20. Encaminhamentos  Encaminhar para reunião de orientação espiritual  Palestra doutrinária, passes, água fluidificada  Implantação/fortalecimento do culto do evangelho no lar  Fazer um acompanhamento periódico, sugerimos semanal  Verificar se estar em tratamento médico e/ou psicológico. Em caso negativo, fazer esta orientação, enfatizando o cuidado integral: físico, psicológico e espiritual  Se necessário pode ligar para o CVV
  • 21. Caso IV  Mulher, 16 anos, estudante com transtorno bipolar, automutilação e tentativa de suicídio. Sofreu abuso sexual na infância  “O cortes mais profundos, não estão no pulso, mas na alma. Não aguento mais, não tem sentido a existência. Não me sinto pertencente a este mundo, minha família não me entende e acha que é chilique da minha parte. Para que viver?”
  • 22. Frases empáticas e perguntas possíveis  Que bom que você veio, estamos aqui para lhe ouvir, compreendemos que você tem uma grande dor e juntos vamos tentar encontrar uma forma de aliviar seu sofrimento...  Gostaria de lhe conhecer um pouco mais, você pode me falar mais sobre sua vida?... (Objetivo: ter mais elementos para o diálogo)  Que você acha de participar de algumas atividades que lhe trarão um pouco mais de energia e paz, como assistir as palestra doutrinárias e receber passes após as mesmas?...  O que você acha de convidar sua família para conversarmos juntos?...
  • 23. Avaliar risco de suicídio  Você me disse que não aguenta mais viver. O que está passando pela sua cabeça?  Verificar a disponibilidade dos meios  Se tem data  Fez testamento ou algo semelhante?
  • 24. O que não falar  Não perguntar detalhes do abuso  Não recriminar a automutilação  Não recriminar a tentativa de suicídio  Não estimular conflitos com a família
  • 25. Mensagem final  Vamos recorrer a Jesus que disse vinde a mim todos os que estão cansados e oprimidos, com certeza ele tem um plano para reduzir seu sofrimento e juntos vamos tentar entender qual é esse plano  Estaremos junto com você nessa busca do entendimento  Você não está sozinha
  • 26. Encaminhamentos  Encaminhar para reunião de orientação espiritual  Palestra doutrinária, passes, água fluidificada  Implantação/fortalecimento do culto do evangelho no lar  Fazer um acompanhamento periódico, sugerimos semanal  Verificar se estar em tratamento médico e/ou psicológico. Em caso negativo, fazer esta orientação, enfatizando o cuidado integral: físico/psicológico e espiritual  Se necessário pode ligar para o CVV  Quando mais estabilizada convidar para participar das reuniões do grupo de jovens
  • 27. Caso V  Mulher, 65 anos, dona de casa, dois filhos adultos  “Tenho vontade de ir embora deste mundo porque nada deu certo na minha vida. Estou aborrecida com tudo, com minha família, minha igreja, até com Deus. Onde ele está que não me ajuda? Sinto que já vivi o suficiente. Meus filhos já estão crescidos e meu marido só pensa nele. Arrumou outra mulher e foi embora. Não tenho mais razão para viver”
  • 28. Frases empáticas e perguntas possíveis  Às vezes quando estamos sofrendo muito, fica realmente difícil conseguir sentir a presença de Deus em nossa vida...  Compreendo que você está muito triste e se sentindo sozinha, dedicou sua vida a sua família e agora se sente sem rumo, podemos falar um pouco mais sobres eles?...  Pelo que você me falou cuidou muito bem dos seus filhos, estamos aqui para cuidarmos um pouco de você agora...
  • 29. Avaliar risco de suicídio  Você me disse que não tem razão para viver. Vamos falar um pouco sobre isso?  Verificar a disponibilidade dos meios  Se tem data  Fez testamento ou algo semelhante?
  • 30. O que não falar  Não perguntar detalhes da vida conjugal  Não falar que a falta dela vai doer nos filhos  Não falar que ela não pode ficar com raiva de Deus  Não falar que é falta de ocupação
  • 31. Mensagem final  Você não está sozinha, estamos aqui para lhe ajudar nessa fase difícil da sua vida  Mesmo que você não esteja sentindo Deus também está ao seu lado todo tempo  Você gostaria de participar de algumas atividades que lhe trarão um pouco mais de energia e paz e quem sabe, lhe ajudarão a reencontrar o sentido perdido? (Objetivo: suporte social)
  • 32. Encaminhamentos  Encaminhar para reunião de orientação espiritual  Palestra doutrinária, passes, água fluidificada  Implantação/fortalecimento do culto do evangelho no lar  Fazer um acompanhamento periódico, sugerimos semanal  Verificar se estar em tratamento médico e/ou psicológico. Em caso negativo, fazer esta orientação, enfatizando o cuidado integral: físico, psicológico e espiritual  Se necessário pode ligar para o CVV  Quando estiver melhor mais fortalecida pode ser convidada para atividades em grupo da casa
  • 33. Caso VI  Homem, 45 anos, casado, pai de 3 filhos, problemas financeiros  “Não aguento mais, estou sem saída, não vejo luz no final do túnel. Tenho um negócio em sociedade, mas deu tudo errado, fui enganado e roubado, todas as minhas reservas financeiras foram colocadas ali, mais que isso, minhas esperanças de uma velhice segura. Não aguento mais.  Não tenho como manter o padrão da minha família. O que minha esposa ganha não é suficiente. Não vou suportar ver minha família passando privação e aquele enganador com o que é meu. Sinto que fui incompetente para avaliar a situação, me sinto muito culpado, sei não..., tem horas...Viver é difícil”
  • 34. Frases empáticas e perguntas possíveis  Compreendo que não está fácil este momento que você está vivendo, e pode ser difícil enxergar possibilidades de solução...  Você ao realizar seu negócio pensou no melhor para você e sua família...  Isso tem me mostrado o quanto você é humano, valoroso e capaz. Você foi competente para conseguir todo seu patrimônio, tente lembrar o que lhe ajudou em desafios anteriores...
  • 35. Avaliar risco de suicídio:  Você me disse que viver é difícil, como é esse difícil para você?  Verificar a disponibilidade dos meios  Se tem data  Fez testamento ou algo semelhante?
  • 36. O que não falar  Perguntar sobre valores financeiros  A forma como foi enganado  Dizer que ele pode trabalhar e se recuperar financeiramente  Dizer que dinheiro não é importante na vida  Desqualificar a dor que estar sentindo por ser uma questão material  Sugerir uma questão jurídica  Que tudo vai ser como antes
  • 37. Mensagem final  Estamos aqui para juntos encontrarmos um forma de ajudar a você sentir-se melhor, mais fortalecido  Gostaria de lhe convidar juntamente com sua família para participar de algumas atividades na casa, que lhe trarão um pouco mais de paz
  • 38. Encaminhamentos  Encaminhar para reunião de orientação espiritual  Palestra doutrinária, passes, água fluidificada  Implantação/fortalecimento do culto do evangelho no lar  Fazer um acompanhamento periódico, sugerimos semanal  Verificar se estar em tratamento médico e/ou psicológico, Em caso negativo, fazer esta orientação, enfatizando o cuidado integral: físico, psicológico e espiritual  Se necessário pode ligar para o CVV