SlideShare uma empresa Scribd logo
Proposta


FESTA JUNINA 2012
Objetivos
• Realização de ação solidária (proposta da
  Festa Junina e do dia da Família Solidária)

• Comemoração da Festa Junina

• Comemoração dos 40 anos do Grupo Positivo
  com a comunidade escolar atual e os ex-
  alunos do Colégio Positivo desde 1976
Análise e Conceito
• Para suprir o aspecto solidário da festa foram
  propostas ações dentro do evento, que irão
  colaborar com a conscientização e poderão fazer
  com que os participantes sintam-se parte dessa
  corrente de solidariedade.

• Já os 40 anos do Grupo Positivo foram lembrados
  a partir da linguagem escolhida para comunicar o
  evento, valorizando sempre o conhecimento e o
  aprendizado.
Conceito: Divertir-se aprendendo
• Tendo como base toda a história de 40 anos do Positivo, nota-se
  que a escola sempre se destacou por dar importância a valores
  como o conhecimento, o respeito e a cultura. Por isso, entendemos
  que a melhor maneira de traduzir essa mensagem fosse aliando
  saber à comemoração.

• Assim, unimos a diversão, a alegria e o ritmo da festa junina a
  informações interessantes sobre sua origem e tradição. Buscamos ir
  um pouco mais além, não apenas celebrando, mas valorizando e
  tornando melhor conhecidas as manifestações culturais do nosso
  país.

• Sabemos que uma Festa Junina pode significar bem mais do que
  “pula a fogueira Iaiá”, e queremos que o aluno Positivo, também
  neste momento, consiga enxergar além, aprender mais e
  diferenciar-se dos outros.
Conceito
Festa na Roça
• A escolha do nome foi pensada levando em consideração todo o
  universo “caipira” que povoa o imaginário popular concernente às
  comemorações juninas. Foi uma opção para transmitir a imagem de
  uma festa divertida e temática.

• A palavra “Roça” foi escolhida justamente por isso. Definida pelo
  dicionário Aurélio como “A zona rural; o campo”, passa diretamente
  a imagem de um festejo campestre, já adiantando o clima e as
  tradições comemoradas na Festa Junina. Por fim, é um termo aceito
  com simpatia e que dá um ar mais informal e divertido à festa.

• A partir disso, nomeamos também os espaços no local, a fim de
  unificar as peças e fortalecer o conceito adotado. Além disso, os
  nomes criam um tom de novidade, deixam o ambiente mais “fiel”
  ao tema e provocam uma imersão ainda maior dos convidados.
Literatura de Cordel
•   A Literatura de Cordel é um gênero literário também conhecido no Brasil como
    “folheto”, geralmente escrito em forma de rimas, acompanhado de xilogravuras e
    originário de relatos orais. Tem suas origens no século XVI, quando a impressão
    passou a se tornar popular.

•   Trazida de Portugal, onde os folhetos eram expostos pendurados em cordas, a
    literatura de cordel popularizou-se em nosso país, em especial na região nordeste.
    Os versos são citados de forma melodiosa e cadenciada, por vezes acompanhados
    de viola, o que compõe uma apresentação animada.

•   Os temas variados podem falar sobre o cotidiano, personalidades (como Lampião
    e Getúlio Vargas), grandes acontecimentos e até mesmo uma Festa Junina
    especial. Qualquer assunto pode ser abordado de maneira interessante e divertida
    no cordel.

    "A poesia de cordel é uma das manifestações mais puras do espírito inventivo, do senso de
    humor e da capacidade crítica do povo brasileiro [...]. É esta, pois, uma poesia de
    confraternização social que alcança uma grande área de sensibilidade" Carlos Drummond de
    Andrade
Por que o Cordel?
• A literatura de cordel é de inestimável importância na manutenção
  das identidades locais e das tradições literárias regionais,
  contribuindo para a perpetuação do folclore brasileiro;

• Por poder ser lida em sessões públicas e atingir um número elevado
  de exemplares distribuídos, a literatura de cordel ajuda na
  disseminação de hábitos de leitura e luta contra o analfabetismo;

• Os assuntos abordados são diversos e incluem crítica social e
  política, textos de opinião e mesmo cotidiano. Dessa forma, ajudam
  a elevar a literatura de cordel ao estandarte de obras de teor
  didático e educativo.

• Assim, mostra-se apta a ser usada como o meio de comunicação
  ideal (inusitado e criativo) para informar e celebrar a Festa Junina
  do Grupo Positivo.
O Cordel e a Festa Junina
• A escolha pela Literatura de Cordel como meio de
  veicular as informações necessárias e conquistar o
  público da festa se dá porque, assim como a Festa
  Junina, é uma tradição que começou fora de nosso
  país, mas que criou fortes laços em solo brasileiro e
  adquiriu tons, cores e sons tropicais.

• Heranças da Europa, ambas as atividades ganharam
  aqui contornos que as tornaram completamente
  brasileiras. Além disso, a diversidade cultural brasileira
  colaborou para que fossem ainda mais aprimoradas e
  obtivessem características típicas de nosso país.
O Cordel e a Festa Junina
• Tanto o cordel quanto a festa junina, são tradições
  cultivadas e enriquecidas especialmente no nordeste
  brasileiro. Foi lá que a literatura de Cordel mais se
  desenvolveu, e é lá também que são realizadas as maiores
  comemorações juninas (que chegam mesmo a durar o mês
  inteiro, atraindo turistas nacionais e até internacionais).

• Assim, percebendo o paralelo entre a Literatura de Cordel e
  as festividades Juninas, escolhemos uni-las para transmitir
  nossa mensagem de uma forma simpática e que valorizasse
  o folclore e a cultura brasileira, que já são, em sua essência,
  uma mescla de diferentes costumes e tradições, acrescidos
  de um “toque de Brasil”.
Festa Solidária: Oficinas e Brindes
• Para fortalecer o caráter solidário da festa, propõe-se
  que os materiais confeccionados nas oficinas
  continuem sendo repassados a instituições e, além
  disso, que a cada brinde ganho pelas crianças nas
  brincadeiras, um exatamente igual seja doado a uma
  criança carente.

• Assim, as crianças poderão sentir-se parte disso e
  participar efetivamente dessa corrente solidária.
  Também é importante o fato de perceberem o que será
  doado e notar que uma ação delas gerou essa doação.
Bandas sugeridas
• Areia Branca (forró, “pé-de-serra”)

• Mandaí (forró, “pé-de-serra”)

• Álvaro & Daniel

• Pedro Henrique & Octavio
Espaço VIP
• Para o espaço VIP, será utilizado, além da
  decoração do local, todo o material já
  presente nas outras áreas da festa.

• Dessa forma,       aproveita-se o local, já
  diferenciado, e    soma-se a ele elementos
  juninos da festa   a fim de tematizar todo o
  lugar e, ainda,    manter uma uniformidade
  visual.
PEÇAS
Enxoval de peças

Convite
Enxoval de peças   “Tem Festa na Roça, minha gente!

                   Ocê tá convidado pro mais
                   charmoso arraiá de todas essas
                   terras! Vem logo brincá, dançá
                   quadrilha – e o melhor arrasta-pé –,
                   participá de um montão de
                   atividades e, claro, se divertir
                   demais da conta.

                   Isso sem falar naquelas delícia de
                   dá água na boca...! Pipoquinha,
                   paçoca, bolo e tudo di bão pra
                   gente aproveitá de acordo.

                   Então, marque aí essa data! Pra mó
                   de a festa ficá completinha, a sua
                   presença é fundamental.”
Enxoval de peças

                            “Pegue logo seu vestido
                            Aquele mesmo, o florido
                            Põe a camisa xadrez
                            E um caipira você fez
                            Prepare o melhor chapéu
                            E a noiva escolha o véu!
                            Agora a hora é nossa!
                            A Festa é lá na Roça!”




                   Cartaz
Enxoval de peças




                   Livro de cordel
Enxoval de peças




Mapa
Sinalização: Banners
Sinalização: Banners




             Banner de boas-vindas
Sinalização: Banners




Backdrop
  Barraca
ex-alunos
Sinalização: Banners
                       “Arrasta-pé
                       Ritmos
                       A música tem papel fundamental na criação
                       desse universo “caipira” das festas juninas.
                       É a responsável por manter a animação
                       sempre em alta e divertir os participantes,
                       não apenas nas danças e na quadrilha, mas
                       em geral.
                       Não existe uma música específica de cada
                       região, no entanto, no nordeste brasileiro, o
                       forró o os ritmos similares são mais
                       comumente encontrados.
                       Alguns dos instrumentos mais populares na
                       Festa Junina são o cavaquinho, a sanfona, o
                       triângulo ou ferrinhos e o reco-reco. Isso se
                       dá porque fazem parte da cultura popular e
                       folclórica brasileira, assim como o fazem em
                       Portugal (e, assim, foram trazidos para o
                       Brasil).”
Sinalização: Banners
                       “Terra do Faz-de-Conta
                       Brincadeiras
                       As brincadeiras das festas juninas são parte essencial
                       dessa comemoração. Não dá pra imaginar uma festa
                       de São João sem as divertidas “atividades”. Entre
                       elas, as mais tradicionais são:
                       Pescaria: uma pescaria em terra firme, onde os
                       peixes (de papel!) que serão fisgados estão presos na
                       areia. O pescador bem-sucedido ganha brindes.
                       Corrida do saco: consiste em uma corrida onde os
                       participantes (individuais ou em dupla) devem pular
                       dentro de um saco. Quem atingir a reta final
                       primeiro é o vencedor.
                       Corrida do Saci-Pererê: semelhante à corrida do
                       saco, porém, os participantes devem correr pulando
                       em um pé só.
                       Derrubando latas: latas são empilhadas e o
                       participante deve tentar derrubar o maior número
                       delas com uma meia, geralmente feita com meias.
                       Correio Elegante: intermediários levam bilhetes com
                       mensagens de amizade, paquera ou apenas
                       brincadeira. “
Sinalização: Banners
                       “Gostinho Caipira
                       Comes & Bebes
                       Como o mês de junho é a época da
                       colheita do milho, grande parte dos
                       doces,     bolos      e      salgados
                       relacionados às festividades, são
                       feitos a partir dele. Por exemplo,
                       são comuns a pamonha, o milho
                       cozido, a canjica, o cuzcuz, a pipoca
                       e o bolo de milho.
                       O cardápio da festa também inclui:
                       quentão, arroz doce, bolo de
                       amendoim, bolo de pinhão,
                       bombocado, biscoito de polvilho,
                       broa de fubá, cocada, pé-de-
                       moleque, quentão, vinho quente,
                       suspiro, doces e muito mais.”
Sinalização: Banners
                       “Pau-de-sebo
                       O 'pau-de-sebo' é uma brincadeira que
                       foi importada para o folclore do
                       Nordeste do Brasil, com a chegada dos
                       Portugueses. Surgido nos costumes do
                       antigo Egito, o pau-de-sebo remonta a
                       tradição de edificar obeliscos para
                       homenagear os deuses. Os postes eram
                       comumente erguidos para fazer pedidos
                       e agradecer.
                       A brincadeira consiste em tentar subir
                       em um tronco reto e liso previamente
                       coberto      de     uma     substância
                       escorregadia, para tentar apanhar um
                       prêmio que se encontra em seu topo. A
                       altura pode chegar a mais de oito
                       metros e são permitidas estratégias,
                       como o trabalho em equipe, para se
                       alcançar o prêmio.”
Sinalização: Banners
                       “Balões, Fogos e Papel
                       Os balões juninos costumavam indicar
                       o início das festas e, antigamente,
                       levavam aos céus “agradecimentos”.
                       Além disso, os fogos de artifício,
                       manejados por pessoas competentes,
                       sempre estiveram presentes nas Festas
                       Juninas       complementando        o
                       espetáculo.
                       A arte no papel – usada na decoração,
                       como as bandeirinhas, – também faz
                       parte das tradições juninas e é
                       originária da Ásia, assim como os
                       fogos e os balões de ar quente. Ambos
                       chegaram        a      Portugal,    e
                       posteriormente ao Brasil, como
                       consequência do contato entre os
                       povos, proporcionado pelas grandes
                       navegações portuguesas.”
Sinalização: Banners
                       “Fogueira
                       A fogueira simbolizava a
                       proteção, e a festa era
                       realizada em volta da
                       fogueira para agradecer
                       pelas fartas colheitas. Além
                       disso, como a festa é
                       realizada num mês frio,
                       serve para aquecer e unir as
                       pessoas em seu redor. “
Sinalização: Banners
                       “Maior São João do Mundo
                       A cidade de Campina Grande, na Paraíba,
                       ostenta com orgulho o título do “Maior São
                       João do Mundo”. A Festa Junina na cidade
                       acontece durante os 30 dias do mês de
                       junho. As atrações típicas marcam presença
                       em todas as edições: quadrilhas, tocadores
                       de sanfona, trem do forró, e ainda grandes
                       shows nacionais como: Elba Ramalho, Zezé
                       di Camargo e Luciano, e outros. Para
                       receber o público, Campina Grande possui
                       uma estrutura tão grande quanto o próprio
                       evento: o Parque do Povo, com 42 mil
                       metros quadrados e 300 barracas de
                       comidas e bebidas típicas.

                       Agora, Campina Grande do Sul também
                       recebe uma festa de São João digna da
                       grandeza de seu nome.”
Sinalização: Banners
                       “Balancê
                       Quadrilha
                       A quadrilha teve influência das danças
                       de salão populares na França, em
                       especial da “quadrille”. A dança,
                       comum nas festas juninas, mostra
                       traços da “contradança” de passos
                       marcados que fez sucesso nos salões
                       nobres da Europa. Adquirindo um
                       ritmo e animação brasileiros, a
                       quadrilha é hoje uma das grandes
                       alegrias da festa.
                       Os instrumentos musicais que
                       normalmente a acompanham são o
                       acordeão, o pandeiro, a zabumba, o
                       violão, o triângulo e o cavaquinho. A
                       música é a dos bailes de roça, o que
                       favorece o cadenciamento das
                       marcações.”
Sinalização: Banners
                       “Costumes Populares
                       O Brasil incorporou a tradição
                       das festas juninas, misturou a
                       ela seus costumes e, hoje, as
                       comemorações representam
                       parte da cultura brasileira.
                       No Nordeste é comum a
                       formação de “grupos festeiros”,
                       onde os grupos saem andando
                       e cantando pela cidade. Já no
                       Sudeste, as quermesses são
                       comemorações populares. Em
                       ambas as comemorações, há
                       muita comida típica, danças e
                       jogos     para    animar     os
                       visitantes.”
Sinalização: Placas
Sinalização: Placas
Sinalização: Placas




                      Fundo de Palco Bingo
Enxoval de peças




                   Ingresso
Enxoval de peças




                   Posidinheiro
Enxoval de peças
Enxoval de peças
Brincadeiras
Fazendinha

    Exposição dos animais: Galo galinha e pintinho, patos, marrecos coelhos, porcos,
    jegue, pônei, carneiro, bezerra. Os visitantes do evento poderão acariciar os
    animais, tirar fotos e conhecer curiosidades do manejo dos mesmos.

    O espaço da fazendinha estará delimitado com cerca de madeira, possibilitando a
    visualização dos animais. Numa área de 128m² (16m X 8m), os animais estarão
    divididos em 06 estações.

    Inclui nesta proposta:
•   Transportes dos animais acima relacionados devidamente vermifugados e
    vacinados;
•   Recolhimento de guia de transporte e exames exigidos pela secretaria de saúde;
•   Todo o suporte para os animais (alimentação, limpeza, cuidados gerais);
•   Cerca de madeira para delimitar o espaço dos animais;
•   Equipe de 06 pessoas para o atendimento, uniformizados;
Brincadeiras
• Bingo é um jogo onde bolas numeradas são colocadas dentro de um
  globo, e sorteadas uma a uma. O jogo é comum, facilmente encontrado
  em festas juninas (no Brasil) e como diversão caseira entre familiares e
  amigos.

   Os números devem ser marcados em cartelas aleatórias, geralmente com
   24 números, dispostos no formato de 5 colunas por 5 linhas, para facilitar
   a localização dos mesmos, quando sorteados.Tradicionalmente, os
   vencedores são aqueles que completam primeiramente uma linha ou uma
   coluna ou aquele que fechar (ou seja, completar todos os números) a
   cartela.

   Os ganhadores devem alertar que ganharam, gritando a palavra "Bingo!".
   Assim o sorteio é parado e o chefe de mesa vem conferir a cartela.

   Equipe: 01 animador, 04 monitores e cartelas.
Brincadeiras
• Passeio de Charrete: No alto do assento de uma charrete puxada
  por um pônei, os visitantes partem para um passeio inesquecível. A
  experiência mágica do passeio de charrete possibilita aos visitantes
  a apreciação de uma paisagem única, para garantir segurança e
  conforto a atividade é acompanhada por um monitor especializado.

• Pescaria: A pescaria é uma das brincadeiras mais tradicionais de
  Festa Junina. Ela é simples e bem divertida. Peixes de papelão ou
  EVA com uma argola na boca, ficam dispostos em um recipiente de
  areia. Os participantes recebem varas de pescar. Ganha a
  brincadeira aquele que pescar a maior quantidade de peixes ou
  com maior número de pontos. Em quermesses é também comum
  dar prêmios (brindes) aos participantes que pescam os peixes.
Brincadeiras
• Corrida do saco: Também muito tradicional, consiste numa corrida onde
  os participantes devem pular dentro de um saco de estopa (saco de
  farinha, por exemplo). Quem atingir a reta final primeiro ganha a partida.
  É possível também fazer a corrida em duplas.

• Corrida do Saci-Pererê: Parecida com a corrida do saco, porém os
  participantes devem correr apenas num pé.

• Jogo do rabo do burro: Este jogo é bem divertido. Usamos um burro
  desenhado em madeira ou papelão. O participante deve, com os olhos
  vendados, colocar o rabo no burro no local certo. O participante deve ser
  girado algumas vezes para perder a referência.

• Boca do palhaço: O participante recebe três bolas, este deverá tentar
  acertar a boca do palhaço (painel posicionado) a sua frente. São 3
  chances.
Brincadeiras
• Derrubando latas: Basta colocar várias latas vazias num muro. Os
  participantes tentam derrubar as latas atirando bolas feitas com meias.
  Vence quem derrubar mais latas.

• Correio Elegante: Os organizadores da brincadeira servem como
  intermediários na entrega de bilhetes com mensagens de amor, amizade,
  paquera ou apenas brincadeira.

• Pau de sebo: Esta brincadeira está quase sempre presente em todas
  Festas Juninas. Os organizadores da festa colocam um tronco de árvore
  grande fincado no chão. Passam neste tronco algum tipo de cera ou sebo
  de boi. No topo do pau de sebo, coloca-se algum brinde de valor ou uma
  nota de dinheiro. A brincadeira fica interessante, pois a maioria dos
  participantes não consegue subir e escorregam.
Brinquedos Infláveis
•   Polvo Inflável – 5x5m – quantidade: 1
•   Guerra de Cotonetes – 4x6m – quantidade: 1
•   Guerra de Travesseiros – 3x5m – quantidade: 1
•   Chute a Gol – 5x3m – quantidade: 1
•   Pula-Pula Trem – 3x8m – quantidade: 1
•   Fazendinha – 10x15m – quantidade: 1
•   Pebolim Humano – 10x15m – quantidade: 1
•   Labirinto – 16x1,5x3m – quantidade: 1
•   Labirinto Lagarta – 12x14m – quantidade: 1
•   Escorregador (3 lugares) – 9x5x5m – quantidade: 1
•   Piscina Inflável – 400x400m – quantidade: 1
•   Castelo de Bolinhas – 300x300m – quantidade: 1
Brinquedos Infláveis
•   Carrossel Pôneis – 4x4m – quantidade: 1
•   Mini Roda Gigante – 6 gaiolas – quantidade: 1
•   Touro Mecânico – quantidade: 1
•   Escala Muro – 06m de altura – quantidade: 1
•   High Jump (4x1) – 10x10m – quantidade: 1
•   Cama Elástica – quantidade: 2

• A equipe e composta de 03 coordenadores e 35 monitores (masculino e
  feminino).Obs. Os mesmos formados em educação física, incluído com
  planejamento e hora técnica e encargos para atendimento as atividades e
  brinquedos.
Documentação Exigida
•   Deverá contratar no mínimo 100 seguranças particulares;

•   Deverá garantir estacionamento privado para 500 veículos;

•   Laudo Corpo de Bombeiros com a apresentação de projeto e ARTs, (entrar com pedido
    no mínimo com 02 semanas de antecedência);

•   SE HOUVER A ENTRADA DE MENORES: Laudo 12ª Vara Criminal (crimes contra as
    crianças e adolescentes) (entrar com pedido no mínimo com 02 semanas de
    antecedência);

•   Cópia do contrato de locação do espaço a ser utilizado para o evento;

•   Cópia do contrato de locação de serviços especializados em segurança;

•   Laudo da Policia Militar quanto a segurança externa;

•   Comprovante de recolhimento da taxa se segurança ou isenção da mesma;

•   Laudo da Setran - Secretaria de Trânsito;
Documentação Exigida
•   Cópia da apólice de seguro contra riscos de incêndio das instalações / edificações onde
    será realizado o evento;
•   Cópia da apólice de seguro por danos pessoais abrangendo todos os presentes no
    evento;
•   Licença Ambiental quanto à utilização de equipamentos sonoros expedida pela
    Secretaria Municipal do Meio Ambiente, constando o número da autorização;
•   (CPL - dar entrada n o site da PMC com a atividade de produção, organização e
    promoção de espetáculos artísticos e eventos culturais. Ligue ou passe por email o nº
    da CPL que você cadastrou.) Consulta Comercial solicitando a realização do evento,
    expedida pela Secretaria Municipal do Urbanismo.);
•   ART de montagem da estrutura do palco e instalações necessárias;
•   ART referente aos serviços de iluminação e sonorização;
•   Cópia da contratação para confecção dos ingressos;
•   Planilha referente aos preços dos ingressos;
•   Declaração manifestando a opção pelo regime de recolhimento do ISS.
Anexos
• Planilha de orçamento

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sequencia didática sistema monetario 3 ano a 2016
Sequencia didática sistema monetario  3 ano a   2016Sequencia didática sistema monetario  3 ano a   2016
Sequencia didática sistema monetario 3 ano a 2016
Prefeitura de Cianorte
 
Pei, exemplo dislexia
Pei, exemplo dislexiaPei, exemplo dislexia
Pei, exemplo dislexia
Leo Silva
 
Planejamento dança
Planejamento dançaPlanejamento dança
Planejamento dança
SimoneHelenDrumond
 
Conteúdos d arte e ed. f[isica para o 1º e 2º ano do ensino fundamental
Conteúdos d arte e ed. f[isica para o 1º e 2º ano do ensino fundamentalConteúdos d arte e ed. f[isica para o 1º e 2º ano do ensino fundamental
Conteúdos d arte e ed. f[isica para o 1º e 2º ano do ensino fundamental
josivaldopassos
 
Plano de aula
Plano de aulaPlano de aula
Plano de aula
Adriana Vieira
 
81 planejamento brincando a aprendendo com a matemática autismo e educação
81 planejamento brincando a aprendendo com a matemática autismo e educação81 planejamento brincando a aprendendo com a matemática autismo e educação
81 planejamento brincando a aprendendo com a matemática autismo e educação
SimoneHelenDrumond
 
Parecer escolar de uma aluna reprovada
Parecer escolar de uma aluna reprovadaParecer escolar de uma aluna reprovada
Parecer escolar de uma aluna reprovada
SimoneHelenDrumond
 
Parecer de um bom aluno porém que precisa de limites
Parecer de um bom aluno porém  que precisa de limitesParecer de um bom aluno porém  que precisa de limites
Parecer de um bom aluno porém que precisa de limites
SimoneHelenDrumond
 
Modelo de plano de desenvolvimento individual 1
Modelo  de plano de desenvolvimento individual 1Modelo  de plano de desenvolvimento individual 1
Modelo de plano de desenvolvimento individual 1
Kelry Carvalho
 
Projeto dia das mães (simone helen drumond)
Projeto dia das mães (simone helen drumond)Projeto dia das mães (simone helen drumond)
Projeto dia das mães (simone helen drumond)
SimoneHelenDrumond
 
Rotina escolar
Rotina escolarRotina escolar
Rotina escolar
Anaí Peña
 
Ed. física 2º ano
Ed. física 2º anoEd. física 2º ano
Ed. física 2º ano
GERALDOGOMESDEBARROS
 
Interpretação de tirinhas menino maluquinho
Interpretação de tirinhas menino maluquinhoInterpretação de tirinhas menino maluquinho
Interpretação de tirinhas menino maluquinho
Rose Tavares
 
Sequência de atividades despertar da cidadania_hino nacional
Sequência de atividades despertar da cidadania_hino nacionalSequência de atividades despertar da cidadania_hino nacional
Sequência de atividades despertar da cidadania_hino nacional
Adriana Melo
 
Meu Abrigo - Análise e entendimento da letra música
Meu Abrigo - Análise e entendimento da letra música Meu Abrigo - Análise e entendimento da letra música
Meu Abrigo - Análise e entendimento da letra música
Mary Alvarenga
 
Avaliação descritiva42
Avaliação descritiva42Avaliação descritiva42
Avaliação descritiva42
SimoneHelenDrumond
 
Modelos relatorios
Modelos relatoriosModelos relatorios
Modelos relatorios
Edilania Batalha Batalha
 
Apostila gêneros textuais 4º ano
Apostila gêneros textuais  4º anoApostila gêneros textuais  4º ano
Apostila gêneros textuais 4º ano
Roseanne Funchal Olivieira
 
Produção textual
Produção textual Produção textual
Produção textual
Mary Alvarenga
 
Parecer descritivo do maternal simone helen drumond
Parecer descritivo do maternal simone helen drumondParecer descritivo do maternal simone helen drumond
Parecer descritivo do maternal simone helen drumond
SimoneHelenDrumond
 

Mais procurados (20)

Sequencia didática sistema monetario 3 ano a 2016
Sequencia didática sistema monetario  3 ano a   2016Sequencia didática sistema monetario  3 ano a   2016
Sequencia didática sistema monetario 3 ano a 2016
 
Pei, exemplo dislexia
Pei, exemplo dislexiaPei, exemplo dislexia
Pei, exemplo dislexia
 
Planejamento dança
Planejamento dançaPlanejamento dança
Planejamento dança
 
Conteúdos d arte e ed. f[isica para o 1º e 2º ano do ensino fundamental
Conteúdos d arte e ed. f[isica para o 1º e 2º ano do ensino fundamentalConteúdos d arte e ed. f[isica para o 1º e 2º ano do ensino fundamental
Conteúdos d arte e ed. f[isica para o 1º e 2º ano do ensino fundamental
 
Plano de aula
Plano de aulaPlano de aula
Plano de aula
 
81 planejamento brincando a aprendendo com a matemática autismo e educação
81 planejamento brincando a aprendendo com a matemática autismo e educação81 planejamento brincando a aprendendo com a matemática autismo e educação
81 planejamento brincando a aprendendo com a matemática autismo e educação
 
Parecer escolar de uma aluna reprovada
Parecer escolar de uma aluna reprovadaParecer escolar de uma aluna reprovada
Parecer escolar de uma aluna reprovada
 
Parecer de um bom aluno porém que precisa de limites
Parecer de um bom aluno porém  que precisa de limitesParecer de um bom aluno porém  que precisa de limites
Parecer de um bom aluno porém que precisa de limites
 
Modelo de plano de desenvolvimento individual 1
Modelo  de plano de desenvolvimento individual 1Modelo  de plano de desenvolvimento individual 1
Modelo de plano de desenvolvimento individual 1
 
Projeto dia das mães (simone helen drumond)
Projeto dia das mães (simone helen drumond)Projeto dia das mães (simone helen drumond)
Projeto dia das mães (simone helen drumond)
 
Rotina escolar
Rotina escolarRotina escolar
Rotina escolar
 
Ed. física 2º ano
Ed. física 2º anoEd. física 2º ano
Ed. física 2º ano
 
Interpretação de tirinhas menino maluquinho
Interpretação de tirinhas menino maluquinhoInterpretação de tirinhas menino maluquinho
Interpretação de tirinhas menino maluquinho
 
Sequência de atividades despertar da cidadania_hino nacional
Sequência de atividades despertar da cidadania_hino nacionalSequência de atividades despertar da cidadania_hino nacional
Sequência de atividades despertar da cidadania_hino nacional
 
Meu Abrigo - Análise e entendimento da letra música
Meu Abrigo - Análise e entendimento da letra música Meu Abrigo - Análise e entendimento da letra música
Meu Abrigo - Análise e entendimento da letra música
 
Avaliação descritiva42
Avaliação descritiva42Avaliação descritiva42
Avaliação descritiva42
 
Modelos relatorios
Modelos relatoriosModelos relatorios
Modelos relatorios
 
Apostila gêneros textuais 4º ano
Apostila gêneros textuais  4º anoApostila gêneros textuais  4º ano
Apostila gêneros textuais 4º ano
 
Produção textual
Produção textual Produção textual
Produção textual
 
Parecer descritivo do maternal simone helen drumond
Parecer descritivo do maternal simone helen drumondParecer descritivo do maternal simone helen drumond
Parecer descritivo do maternal simone helen drumond
 

Destaque

Festa junina desafios, casamento caipira
Festa junina   desafios, casamento caipiraFesta junina   desafios, casamento caipira
Festa junina desafios, casamento caipira
Roseli Aparecida Tavares
 
Projeto: Identidade e Valores através dos Contos Infantis
Projeto: Identidade e Valores através dos Contos InfantisProjeto: Identidade e Valores através dos Contos Infantis
Projeto: Identidade e Valores através dos Contos Infantis
Roberta Silva
 
Festas juninas estudo
Festas juninas estudoFestas juninas estudo
Festas juninas estudo
Jefferson Rodrigues
 
O que é literatura de cordel
O que é literatura de cordelO que é literatura de cordel
O que é literatura de cordel
Adriana Leite Campos
 
Festa junina
Festa juninaFesta junina
Festa junina
Antonio Fernandes
 
Projeto festa junina educação infantil
Projeto festa junina   educação infantilProjeto festa junina   educação infantil
Projeto festa junina educação infantil
Maria Terra
 
Projeto festa junina 2013
Projeto festa junina 2013Projeto festa junina 2013
Projeto festa junina 2013
escolaprofmariaelzasena
 
PROJETO FESTA JUNINA 2012
PROJETO FESTA JUNINA 2012PROJETO FESTA JUNINA 2012
PROJETO FESTA JUNINA 2012
Ðouglas Rocha
 
Cordel adolescente, ô xente!
Cordel adolescente, ô xente!Cordel adolescente, ô xente!
Cordel adolescente, ô xente!
Lucimeire Lima
 
Literatura de cordel
Literatura de cordelLiteratura de cordel
Literatura de cordel
Gracita Fraga
 
Cordel
CordelCordel
A Literatura de Cordel em Sala (Projeto Pibid 2013)
A Literatura de Cordel em Sala (Projeto Pibid 2013)A Literatura de Cordel em Sala (Projeto Pibid 2013)
A Literatura de Cordel em Sala (Projeto Pibid 2013)
Universidade Federal de Roraima
 

Destaque (12)

Festa junina desafios, casamento caipira
Festa junina   desafios, casamento caipiraFesta junina   desafios, casamento caipira
Festa junina desafios, casamento caipira
 
Projeto: Identidade e Valores através dos Contos Infantis
Projeto: Identidade e Valores através dos Contos InfantisProjeto: Identidade e Valores através dos Contos Infantis
Projeto: Identidade e Valores através dos Contos Infantis
 
Festas juninas estudo
Festas juninas estudoFestas juninas estudo
Festas juninas estudo
 
O que é literatura de cordel
O que é literatura de cordelO que é literatura de cordel
O que é literatura de cordel
 
Festa junina
Festa juninaFesta junina
Festa junina
 
Projeto festa junina educação infantil
Projeto festa junina   educação infantilProjeto festa junina   educação infantil
Projeto festa junina educação infantil
 
Projeto festa junina 2013
Projeto festa junina 2013Projeto festa junina 2013
Projeto festa junina 2013
 
PROJETO FESTA JUNINA 2012
PROJETO FESTA JUNINA 2012PROJETO FESTA JUNINA 2012
PROJETO FESTA JUNINA 2012
 
Cordel adolescente, ô xente!
Cordel adolescente, ô xente!Cordel adolescente, ô xente!
Cordel adolescente, ô xente!
 
Literatura de cordel
Literatura de cordelLiteratura de cordel
Literatura de cordel
 
Cordel
CordelCordel
Cordel
 
A Literatura de Cordel em Sala (Projeto Pibid 2013)
A Literatura de Cordel em Sala (Projeto Pibid 2013)A Literatura de Cordel em Sala (Projeto Pibid 2013)
A Literatura de Cordel em Sala (Projeto Pibid 2013)
 

Semelhante a Positivo - Festa Junina

são joão no brasil
são joão no brasil são joão no brasil
são joão no brasil
Lua Veras
 
Roteiro interdisciplinar 13-17_julho
Roteiro interdisciplinar 13-17_julhoRoteiro interdisciplinar 13-17_julho
Roteiro interdisciplinar 13-17_julho
escolacaiosergio
 
C:\fakepath\projeto festa junina
C:\fakepath\projeto festa juninaC:\fakepath\projeto festa junina
C:\fakepath\projeto festa junina
denise ibarra
 
Ausente con permiso
Ausente con permisoAusente con permiso
Ausente con permiso
Adriana Nora
 
Festa junina
Festa juninaFesta junina
Anuario digital fefol 2020
Anuario digital fefol 2020Anuario digital fefol 2020
Anuario digital fefol 2020
Leonardo Concon
 
Projeto festa junina
Projeto festa juninaProjeto festa junina
Projeto festa junina
priscilapizzatti123
 
Projeto festa junina
Projeto festa juninaProjeto festa junina
Projeto festa junina
priscilapizzatti123
 
Projetojuninosusy
ProjetojuninosusyProjetojuninosusy
Projetojuninosusy
midiasnaeducacaonte01
 
Atividade 1
Atividade 1Atividade 1
Atividade 1
Delziene Jesus
 
Apostila 1º ao 5º ano
Apostila 1º ao 5º anoApostila 1º ao 5º ano
Apostila 1º ao 5º ano
Gracie Culik
 
Tudo sobre festas junina
Tudo sobre festas juninaTudo sobre festas junina
Tudo sobre festas junina
mucamaba
 
Tudo sobre festas junina
Tudo sobre festas juninaTudo sobre festas junina
Tudo sobre festas junina
festa junina
 
Apresentação do trabalho de info (power point) cleusi e edna
Apresentação do trabalho de info (power point) cleusi e ednaApresentação do trabalho de info (power point) cleusi e edna
Apresentação do trabalho de info (power point) cleusi e edna
munchemfest
 
Projeto Festa Julina Port. Mat. e Hist.
Projeto Festa Julina Port. Mat. e Hist.Projeto Festa Julina Port. Mat. e Hist.
Projeto Festa Julina Port. Mat. e Hist.
Dorinha Matias
 
História da festa junina e tradições
História da festa junina e tradiçõesHistória da festa junina e tradições
História da festa junina e tradições
Fernanda Cardoso
 
HISTÓRIA_DA_FESTA_JUNINA_SÍMBOLOS_E_TRADIÇÕES_GRUPO_MATERIAIS_PEDAGÓGICOS.pdf
HISTÓRIA_DA_FESTA_JUNINA_SÍMBOLOS_E_TRADIÇÕES_GRUPO_MATERIAIS_PEDAGÓGICOS.pdfHISTÓRIA_DA_FESTA_JUNINA_SÍMBOLOS_E_TRADIÇÕES_GRUPO_MATERIAIS_PEDAGÓGICOS.pdf
HISTÓRIA_DA_FESTA_JUNINA_SÍMBOLOS_E_TRADIÇÕES_GRUPO_MATERIAIS_PEDAGÓGICOS.pdf
ReginaBenayon2
 
Artigo cientifico festa junina - nordestinidade no design
Artigo cientifico   festa junina - nordestinidade no designArtigo cientifico   festa junina - nordestinidade no design
Artigo cientifico festa junina - nordestinidade no design
Thyago Oliveira
 
Roteiro de estudos_autoral_13_17_julho
Roteiro de estudos_autoral_13_17_julhoRoteiro de estudos_autoral_13_17_julho
Roteiro de estudos_autoral_13_17_julho
escolacaiosergio
 
433 an-26-junho-2013.ok
433 an-26-junho-2013.ok433 an-26-junho-2013.ok
433 an-26-junho-2013.ok
Roberto Rabat Chame
 

Semelhante a Positivo - Festa Junina (20)

são joão no brasil
são joão no brasil são joão no brasil
são joão no brasil
 
Roteiro interdisciplinar 13-17_julho
Roteiro interdisciplinar 13-17_julhoRoteiro interdisciplinar 13-17_julho
Roteiro interdisciplinar 13-17_julho
 
C:\fakepath\projeto festa junina
C:\fakepath\projeto festa juninaC:\fakepath\projeto festa junina
C:\fakepath\projeto festa junina
 
Ausente con permiso
Ausente con permisoAusente con permiso
Ausente con permiso
 
Festa junina
Festa juninaFesta junina
Festa junina
 
Anuario digital fefol 2020
Anuario digital fefol 2020Anuario digital fefol 2020
Anuario digital fefol 2020
 
Projeto festa junina
Projeto festa juninaProjeto festa junina
Projeto festa junina
 
Projeto festa junina
Projeto festa juninaProjeto festa junina
Projeto festa junina
 
Projetojuninosusy
ProjetojuninosusyProjetojuninosusy
Projetojuninosusy
 
Atividade 1
Atividade 1Atividade 1
Atividade 1
 
Apostila 1º ao 5º ano
Apostila 1º ao 5º anoApostila 1º ao 5º ano
Apostila 1º ao 5º ano
 
Tudo sobre festas junina
Tudo sobre festas juninaTudo sobre festas junina
Tudo sobre festas junina
 
Tudo sobre festas junina
Tudo sobre festas juninaTudo sobre festas junina
Tudo sobre festas junina
 
Apresentação do trabalho de info (power point) cleusi e edna
Apresentação do trabalho de info (power point) cleusi e ednaApresentação do trabalho de info (power point) cleusi e edna
Apresentação do trabalho de info (power point) cleusi e edna
 
Projeto Festa Julina Port. Mat. e Hist.
Projeto Festa Julina Port. Mat. e Hist.Projeto Festa Julina Port. Mat. e Hist.
Projeto Festa Julina Port. Mat. e Hist.
 
História da festa junina e tradições
História da festa junina e tradiçõesHistória da festa junina e tradições
História da festa junina e tradições
 
HISTÓRIA_DA_FESTA_JUNINA_SÍMBOLOS_E_TRADIÇÕES_GRUPO_MATERIAIS_PEDAGÓGICOS.pdf
HISTÓRIA_DA_FESTA_JUNINA_SÍMBOLOS_E_TRADIÇÕES_GRUPO_MATERIAIS_PEDAGÓGICOS.pdfHISTÓRIA_DA_FESTA_JUNINA_SÍMBOLOS_E_TRADIÇÕES_GRUPO_MATERIAIS_PEDAGÓGICOS.pdf
HISTÓRIA_DA_FESTA_JUNINA_SÍMBOLOS_E_TRADIÇÕES_GRUPO_MATERIAIS_PEDAGÓGICOS.pdf
 
Artigo cientifico festa junina - nordestinidade no design
Artigo cientifico   festa junina - nordestinidade no designArtigo cientifico   festa junina - nordestinidade no design
Artigo cientifico festa junina - nordestinidade no design
 
Roteiro de estudos_autoral_13_17_julho
Roteiro de estudos_autoral_13_17_julhoRoteiro de estudos_autoral_13_17_julho
Roteiro de estudos_autoral_13_17_julho
 
433 an-26-junho-2013.ok
433 an-26-junho-2013.ok433 an-26-junho-2013.ok
433 an-26-junho-2013.ok
 

Mais de scalialeticia

Boticário - Festa de fim de ano 2012
Boticário - Festa de fim de ano 2012Boticário - Festa de fim de ano 2012
Boticário - Festa de fim de ano 2012
scalialeticia
 
Positivo - Mostra de Profissões
Positivo - Mostra de ProfissõesPositivo - Mostra de Profissões
Positivo - Mostra de Profissões
scalialeticia
 
Positivo - Fórum
Positivo - FórumPositivo - Fórum
Positivo - Fórum
scalialeticia
 
Positivo (Aprende Brasil) - Gincana Cultural
Positivo (Aprende Brasil) - Gincana CulturalPositivo (Aprende Brasil) - Gincana Cultural
Positivo (Aprende Brasil) - Gincana Cultural
scalialeticia
 
Positivo - Caravana Literária
Positivo - Caravana LiteráriaPositivo - Caravana Literária
Positivo - Caravana Literária
scalialeticia
 
Country Festival
Country Festival   Country Festival
Country Festival
scalialeticia
 
Positivo - Feiras
Positivo - FeirasPositivo - Feiras
Positivo - Feiras
scalialeticia
 
Euroimport - BMW
Euroimport - BMWEuroimport - BMW
Euroimport - BMW
scalialeticia
 
Positivo - Interativo
Positivo - InterativoPositivo - Interativo
Positivo - Interativo
scalialeticia
 
Burn PDV
Burn PDVBurn PDV
Burn PDV
scalialeticia
 

Mais de scalialeticia (10)

Boticário - Festa de fim de ano 2012
Boticário - Festa de fim de ano 2012Boticário - Festa de fim de ano 2012
Boticário - Festa de fim de ano 2012
 
Positivo - Mostra de Profissões
Positivo - Mostra de ProfissõesPositivo - Mostra de Profissões
Positivo - Mostra de Profissões
 
Positivo - Fórum
Positivo - FórumPositivo - Fórum
Positivo - Fórum
 
Positivo (Aprende Brasil) - Gincana Cultural
Positivo (Aprende Brasil) - Gincana CulturalPositivo (Aprende Brasil) - Gincana Cultural
Positivo (Aprende Brasil) - Gincana Cultural
 
Positivo - Caravana Literária
Positivo - Caravana LiteráriaPositivo - Caravana Literária
Positivo - Caravana Literária
 
Country Festival
Country Festival   Country Festival
Country Festival
 
Positivo - Feiras
Positivo - FeirasPositivo - Feiras
Positivo - Feiras
 
Euroimport - BMW
Euroimport - BMWEuroimport - BMW
Euroimport - BMW
 
Positivo - Interativo
Positivo - InterativoPositivo - Interativo
Positivo - Interativo
 
Burn PDV
Burn PDVBurn PDV
Burn PDV
 

Positivo - Festa Junina

  • 2. Objetivos • Realização de ação solidária (proposta da Festa Junina e do dia da Família Solidária) • Comemoração da Festa Junina • Comemoração dos 40 anos do Grupo Positivo com a comunidade escolar atual e os ex- alunos do Colégio Positivo desde 1976
  • 3. Análise e Conceito • Para suprir o aspecto solidário da festa foram propostas ações dentro do evento, que irão colaborar com a conscientização e poderão fazer com que os participantes sintam-se parte dessa corrente de solidariedade. • Já os 40 anos do Grupo Positivo foram lembrados a partir da linguagem escolhida para comunicar o evento, valorizando sempre o conhecimento e o aprendizado.
  • 4. Conceito: Divertir-se aprendendo • Tendo como base toda a história de 40 anos do Positivo, nota-se que a escola sempre se destacou por dar importância a valores como o conhecimento, o respeito e a cultura. Por isso, entendemos que a melhor maneira de traduzir essa mensagem fosse aliando saber à comemoração. • Assim, unimos a diversão, a alegria e o ritmo da festa junina a informações interessantes sobre sua origem e tradição. Buscamos ir um pouco mais além, não apenas celebrando, mas valorizando e tornando melhor conhecidas as manifestações culturais do nosso país. • Sabemos que uma Festa Junina pode significar bem mais do que “pula a fogueira Iaiá”, e queremos que o aluno Positivo, também neste momento, consiga enxergar além, aprender mais e diferenciar-se dos outros.
  • 6. Festa na Roça • A escolha do nome foi pensada levando em consideração todo o universo “caipira” que povoa o imaginário popular concernente às comemorações juninas. Foi uma opção para transmitir a imagem de uma festa divertida e temática. • A palavra “Roça” foi escolhida justamente por isso. Definida pelo dicionário Aurélio como “A zona rural; o campo”, passa diretamente a imagem de um festejo campestre, já adiantando o clima e as tradições comemoradas na Festa Junina. Por fim, é um termo aceito com simpatia e que dá um ar mais informal e divertido à festa. • A partir disso, nomeamos também os espaços no local, a fim de unificar as peças e fortalecer o conceito adotado. Além disso, os nomes criam um tom de novidade, deixam o ambiente mais “fiel” ao tema e provocam uma imersão ainda maior dos convidados.
  • 7. Literatura de Cordel • A Literatura de Cordel é um gênero literário também conhecido no Brasil como “folheto”, geralmente escrito em forma de rimas, acompanhado de xilogravuras e originário de relatos orais. Tem suas origens no século XVI, quando a impressão passou a se tornar popular. • Trazida de Portugal, onde os folhetos eram expostos pendurados em cordas, a literatura de cordel popularizou-se em nosso país, em especial na região nordeste. Os versos são citados de forma melodiosa e cadenciada, por vezes acompanhados de viola, o que compõe uma apresentação animada. • Os temas variados podem falar sobre o cotidiano, personalidades (como Lampião e Getúlio Vargas), grandes acontecimentos e até mesmo uma Festa Junina especial. Qualquer assunto pode ser abordado de maneira interessante e divertida no cordel. "A poesia de cordel é uma das manifestações mais puras do espírito inventivo, do senso de humor e da capacidade crítica do povo brasileiro [...]. É esta, pois, uma poesia de confraternização social que alcança uma grande área de sensibilidade" Carlos Drummond de Andrade
  • 8. Por que o Cordel? • A literatura de cordel é de inestimável importância na manutenção das identidades locais e das tradições literárias regionais, contribuindo para a perpetuação do folclore brasileiro; • Por poder ser lida em sessões públicas e atingir um número elevado de exemplares distribuídos, a literatura de cordel ajuda na disseminação de hábitos de leitura e luta contra o analfabetismo; • Os assuntos abordados são diversos e incluem crítica social e política, textos de opinião e mesmo cotidiano. Dessa forma, ajudam a elevar a literatura de cordel ao estandarte de obras de teor didático e educativo. • Assim, mostra-se apta a ser usada como o meio de comunicação ideal (inusitado e criativo) para informar e celebrar a Festa Junina do Grupo Positivo.
  • 9. O Cordel e a Festa Junina • A escolha pela Literatura de Cordel como meio de veicular as informações necessárias e conquistar o público da festa se dá porque, assim como a Festa Junina, é uma tradição que começou fora de nosso país, mas que criou fortes laços em solo brasileiro e adquiriu tons, cores e sons tropicais. • Heranças da Europa, ambas as atividades ganharam aqui contornos que as tornaram completamente brasileiras. Além disso, a diversidade cultural brasileira colaborou para que fossem ainda mais aprimoradas e obtivessem características típicas de nosso país.
  • 10. O Cordel e a Festa Junina • Tanto o cordel quanto a festa junina, são tradições cultivadas e enriquecidas especialmente no nordeste brasileiro. Foi lá que a literatura de Cordel mais se desenvolveu, e é lá também que são realizadas as maiores comemorações juninas (que chegam mesmo a durar o mês inteiro, atraindo turistas nacionais e até internacionais). • Assim, percebendo o paralelo entre a Literatura de Cordel e as festividades Juninas, escolhemos uni-las para transmitir nossa mensagem de uma forma simpática e que valorizasse o folclore e a cultura brasileira, que já são, em sua essência, uma mescla de diferentes costumes e tradições, acrescidos de um “toque de Brasil”.
  • 11. Festa Solidária: Oficinas e Brindes • Para fortalecer o caráter solidário da festa, propõe-se que os materiais confeccionados nas oficinas continuem sendo repassados a instituições e, além disso, que a cada brinde ganho pelas crianças nas brincadeiras, um exatamente igual seja doado a uma criança carente. • Assim, as crianças poderão sentir-se parte disso e participar efetivamente dessa corrente solidária. Também é importante o fato de perceberem o que será doado e notar que uma ação delas gerou essa doação.
  • 12. Bandas sugeridas • Areia Branca (forró, “pé-de-serra”) • Mandaí (forró, “pé-de-serra”) • Álvaro & Daniel • Pedro Henrique & Octavio
  • 13. Espaço VIP • Para o espaço VIP, será utilizado, além da decoração do local, todo o material já presente nas outras áreas da festa. • Dessa forma, aproveita-se o local, já diferenciado, e soma-se a ele elementos juninos da festa a fim de tematizar todo o lugar e, ainda, manter uma uniformidade visual.
  • 16. Enxoval de peças “Tem Festa na Roça, minha gente! Ocê tá convidado pro mais charmoso arraiá de todas essas terras! Vem logo brincá, dançá quadrilha – e o melhor arrasta-pé –, participá de um montão de atividades e, claro, se divertir demais da conta. Isso sem falar naquelas delícia de dá água na boca...! Pipoquinha, paçoca, bolo e tudo di bão pra gente aproveitá de acordo. Então, marque aí essa data! Pra mó de a festa ficá completinha, a sua presença é fundamental.”
  • 17. Enxoval de peças “Pegue logo seu vestido Aquele mesmo, o florido Põe a camisa xadrez E um caipira você fez Prepare o melhor chapéu E a noiva escolha o véu! Agora a hora é nossa! A Festa é lá na Roça!” Cartaz
  • 18. Enxoval de peças Livro de cordel
  • 21. Sinalização: Banners Banner de boas-vindas
  • 22. Sinalização: Banners Backdrop Barraca ex-alunos
  • 23. Sinalização: Banners “Arrasta-pé Ritmos A música tem papel fundamental na criação desse universo “caipira” das festas juninas. É a responsável por manter a animação sempre em alta e divertir os participantes, não apenas nas danças e na quadrilha, mas em geral. Não existe uma música específica de cada região, no entanto, no nordeste brasileiro, o forró o os ritmos similares são mais comumente encontrados. Alguns dos instrumentos mais populares na Festa Junina são o cavaquinho, a sanfona, o triângulo ou ferrinhos e o reco-reco. Isso se dá porque fazem parte da cultura popular e folclórica brasileira, assim como o fazem em Portugal (e, assim, foram trazidos para o Brasil).”
  • 24. Sinalização: Banners “Terra do Faz-de-Conta Brincadeiras As brincadeiras das festas juninas são parte essencial dessa comemoração. Não dá pra imaginar uma festa de São João sem as divertidas “atividades”. Entre elas, as mais tradicionais são: Pescaria: uma pescaria em terra firme, onde os peixes (de papel!) que serão fisgados estão presos na areia. O pescador bem-sucedido ganha brindes. Corrida do saco: consiste em uma corrida onde os participantes (individuais ou em dupla) devem pular dentro de um saco. Quem atingir a reta final primeiro é o vencedor. Corrida do Saci-Pererê: semelhante à corrida do saco, porém, os participantes devem correr pulando em um pé só. Derrubando latas: latas são empilhadas e o participante deve tentar derrubar o maior número delas com uma meia, geralmente feita com meias. Correio Elegante: intermediários levam bilhetes com mensagens de amizade, paquera ou apenas brincadeira. “
  • 25. Sinalização: Banners “Gostinho Caipira Comes & Bebes Como o mês de junho é a época da colheita do milho, grande parte dos doces, bolos e salgados relacionados às festividades, são feitos a partir dele. Por exemplo, são comuns a pamonha, o milho cozido, a canjica, o cuzcuz, a pipoca e o bolo de milho. O cardápio da festa também inclui: quentão, arroz doce, bolo de amendoim, bolo de pinhão, bombocado, biscoito de polvilho, broa de fubá, cocada, pé-de- moleque, quentão, vinho quente, suspiro, doces e muito mais.”
  • 26. Sinalização: Banners “Pau-de-sebo O 'pau-de-sebo' é uma brincadeira que foi importada para o folclore do Nordeste do Brasil, com a chegada dos Portugueses. Surgido nos costumes do antigo Egito, o pau-de-sebo remonta a tradição de edificar obeliscos para homenagear os deuses. Os postes eram comumente erguidos para fazer pedidos e agradecer. A brincadeira consiste em tentar subir em um tronco reto e liso previamente coberto de uma substância escorregadia, para tentar apanhar um prêmio que se encontra em seu topo. A altura pode chegar a mais de oito metros e são permitidas estratégias, como o trabalho em equipe, para se alcançar o prêmio.”
  • 27. Sinalização: Banners “Balões, Fogos e Papel Os balões juninos costumavam indicar o início das festas e, antigamente, levavam aos céus “agradecimentos”. Além disso, os fogos de artifício, manejados por pessoas competentes, sempre estiveram presentes nas Festas Juninas complementando o espetáculo. A arte no papel – usada na decoração, como as bandeirinhas, – também faz parte das tradições juninas e é originária da Ásia, assim como os fogos e os balões de ar quente. Ambos chegaram a Portugal, e posteriormente ao Brasil, como consequência do contato entre os povos, proporcionado pelas grandes navegações portuguesas.”
  • 28. Sinalização: Banners “Fogueira A fogueira simbolizava a proteção, e a festa era realizada em volta da fogueira para agradecer pelas fartas colheitas. Além disso, como a festa é realizada num mês frio, serve para aquecer e unir as pessoas em seu redor. “
  • 29. Sinalização: Banners “Maior São João do Mundo A cidade de Campina Grande, na Paraíba, ostenta com orgulho o título do “Maior São João do Mundo”. A Festa Junina na cidade acontece durante os 30 dias do mês de junho. As atrações típicas marcam presença em todas as edições: quadrilhas, tocadores de sanfona, trem do forró, e ainda grandes shows nacionais como: Elba Ramalho, Zezé di Camargo e Luciano, e outros. Para receber o público, Campina Grande possui uma estrutura tão grande quanto o próprio evento: o Parque do Povo, com 42 mil metros quadrados e 300 barracas de comidas e bebidas típicas. Agora, Campina Grande do Sul também recebe uma festa de São João digna da grandeza de seu nome.”
  • 30. Sinalização: Banners “Balancê Quadrilha A quadrilha teve influência das danças de salão populares na França, em especial da “quadrille”. A dança, comum nas festas juninas, mostra traços da “contradança” de passos marcados que fez sucesso nos salões nobres da Europa. Adquirindo um ritmo e animação brasileiros, a quadrilha é hoje uma das grandes alegrias da festa. Os instrumentos musicais que normalmente a acompanham são o acordeão, o pandeiro, a zabumba, o violão, o triângulo e o cavaquinho. A música é a dos bailes de roça, o que favorece o cadenciamento das marcações.”
  • 31. Sinalização: Banners “Costumes Populares O Brasil incorporou a tradição das festas juninas, misturou a ela seus costumes e, hoje, as comemorações representam parte da cultura brasileira. No Nordeste é comum a formação de “grupos festeiros”, onde os grupos saem andando e cantando pela cidade. Já no Sudeste, as quermesses são comemorações populares. Em ambas as comemorações, há muita comida típica, danças e jogos para animar os visitantes.”
  • 34. Sinalização: Placas Fundo de Palco Bingo
  • 35. Enxoval de peças Ingresso
  • 36. Enxoval de peças Posidinheiro
  • 39. Brincadeiras Fazendinha Exposição dos animais: Galo galinha e pintinho, patos, marrecos coelhos, porcos, jegue, pônei, carneiro, bezerra. Os visitantes do evento poderão acariciar os animais, tirar fotos e conhecer curiosidades do manejo dos mesmos. O espaço da fazendinha estará delimitado com cerca de madeira, possibilitando a visualização dos animais. Numa área de 128m² (16m X 8m), os animais estarão divididos em 06 estações. Inclui nesta proposta: • Transportes dos animais acima relacionados devidamente vermifugados e vacinados; • Recolhimento de guia de transporte e exames exigidos pela secretaria de saúde; • Todo o suporte para os animais (alimentação, limpeza, cuidados gerais); • Cerca de madeira para delimitar o espaço dos animais; • Equipe de 06 pessoas para o atendimento, uniformizados;
  • 40. Brincadeiras • Bingo é um jogo onde bolas numeradas são colocadas dentro de um globo, e sorteadas uma a uma. O jogo é comum, facilmente encontrado em festas juninas (no Brasil) e como diversão caseira entre familiares e amigos. Os números devem ser marcados em cartelas aleatórias, geralmente com 24 números, dispostos no formato de 5 colunas por 5 linhas, para facilitar a localização dos mesmos, quando sorteados.Tradicionalmente, os vencedores são aqueles que completam primeiramente uma linha ou uma coluna ou aquele que fechar (ou seja, completar todos os números) a cartela. Os ganhadores devem alertar que ganharam, gritando a palavra "Bingo!". Assim o sorteio é parado e o chefe de mesa vem conferir a cartela. Equipe: 01 animador, 04 monitores e cartelas.
  • 41. Brincadeiras • Passeio de Charrete: No alto do assento de uma charrete puxada por um pônei, os visitantes partem para um passeio inesquecível. A experiência mágica do passeio de charrete possibilita aos visitantes a apreciação de uma paisagem única, para garantir segurança e conforto a atividade é acompanhada por um monitor especializado. • Pescaria: A pescaria é uma das brincadeiras mais tradicionais de Festa Junina. Ela é simples e bem divertida. Peixes de papelão ou EVA com uma argola na boca, ficam dispostos em um recipiente de areia. Os participantes recebem varas de pescar. Ganha a brincadeira aquele que pescar a maior quantidade de peixes ou com maior número de pontos. Em quermesses é também comum dar prêmios (brindes) aos participantes que pescam os peixes.
  • 42. Brincadeiras • Corrida do saco: Também muito tradicional, consiste numa corrida onde os participantes devem pular dentro de um saco de estopa (saco de farinha, por exemplo). Quem atingir a reta final primeiro ganha a partida. É possível também fazer a corrida em duplas. • Corrida do Saci-Pererê: Parecida com a corrida do saco, porém os participantes devem correr apenas num pé. • Jogo do rabo do burro: Este jogo é bem divertido. Usamos um burro desenhado em madeira ou papelão. O participante deve, com os olhos vendados, colocar o rabo no burro no local certo. O participante deve ser girado algumas vezes para perder a referência. • Boca do palhaço: O participante recebe três bolas, este deverá tentar acertar a boca do palhaço (painel posicionado) a sua frente. São 3 chances.
  • 43. Brincadeiras • Derrubando latas: Basta colocar várias latas vazias num muro. Os participantes tentam derrubar as latas atirando bolas feitas com meias. Vence quem derrubar mais latas. • Correio Elegante: Os organizadores da brincadeira servem como intermediários na entrega de bilhetes com mensagens de amor, amizade, paquera ou apenas brincadeira. • Pau de sebo: Esta brincadeira está quase sempre presente em todas Festas Juninas. Os organizadores da festa colocam um tronco de árvore grande fincado no chão. Passam neste tronco algum tipo de cera ou sebo de boi. No topo do pau de sebo, coloca-se algum brinde de valor ou uma nota de dinheiro. A brincadeira fica interessante, pois a maioria dos participantes não consegue subir e escorregam.
  • 44. Brinquedos Infláveis • Polvo Inflável – 5x5m – quantidade: 1 • Guerra de Cotonetes – 4x6m – quantidade: 1 • Guerra de Travesseiros – 3x5m – quantidade: 1 • Chute a Gol – 5x3m – quantidade: 1 • Pula-Pula Trem – 3x8m – quantidade: 1 • Fazendinha – 10x15m – quantidade: 1 • Pebolim Humano – 10x15m – quantidade: 1 • Labirinto – 16x1,5x3m – quantidade: 1 • Labirinto Lagarta – 12x14m – quantidade: 1 • Escorregador (3 lugares) – 9x5x5m – quantidade: 1 • Piscina Inflável – 400x400m – quantidade: 1 • Castelo de Bolinhas – 300x300m – quantidade: 1
  • 45. Brinquedos Infláveis • Carrossel Pôneis – 4x4m – quantidade: 1 • Mini Roda Gigante – 6 gaiolas – quantidade: 1 • Touro Mecânico – quantidade: 1 • Escala Muro – 06m de altura – quantidade: 1 • High Jump (4x1) – 10x10m – quantidade: 1 • Cama Elástica – quantidade: 2 • A equipe e composta de 03 coordenadores e 35 monitores (masculino e feminino).Obs. Os mesmos formados em educação física, incluído com planejamento e hora técnica e encargos para atendimento as atividades e brinquedos.
  • 46. Documentação Exigida • Deverá contratar no mínimo 100 seguranças particulares; • Deverá garantir estacionamento privado para 500 veículos; • Laudo Corpo de Bombeiros com a apresentação de projeto e ARTs, (entrar com pedido no mínimo com 02 semanas de antecedência); • SE HOUVER A ENTRADA DE MENORES: Laudo 12ª Vara Criminal (crimes contra as crianças e adolescentes) (entrar com pedido no mínimo com 02 semanas de antecedência); • Cópia do contrato de locação do espaço a ser utilizado para o evento; • Cópia do contrato de locação de serviços especializados em segurança; • Laudo da Policia Militar quanto a segurança externa; • Comprovante de recolhimento da taxa se segurança ou isenção da mesma; • Laudo da Setran - Secretaria de Trânsito;
  • 47. Documentação Exigida • Cópia da apólice de seguro contra riscos de incêndio das instalações / edificações onde será realizado o evento; • Cópia da apólice de seguro por danos pessoais abrangendo todos os presentes no evento; • Licença Ambiental quanto à utilização de equipamentos sonoros expedida pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente, constando o número da autorização; • (CPL - dar entrada n o site da PMC com a atividade de produção, organização e promoção de espetáculos artísticos e eventos culturais. Ligue ou passe por email o nº da CPL que você cadastrou.) Consulta Comercial solicitando a realização do evento, expedida pela Secretaria Municipal do Urbanismo.); • ART de montagem da estrutura do palco e instalações necessárias; • ART referente aos serviços de iluminação e sonorização; • Cópia da contratação para confecção dos ingressos; • Planilha referente aos preços dos ingressos; • Declaração manifestando a opção pelo regime de recolhimento do ISS.