SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13


Neste trabalho vou falar sobre as células, mostrar observações que
fiz a alguns tipos de células animais e vegetais, o modo como fiz a
observação, os materiais que utilizei e o que concluo com estas
observações.


A célula é a unidade fundamental dos seres vivos, o que quer dizer que todos
os seres vivos são constituídos por células, mas em quantidades diferentes:
existem seres vivos que são constituídos por várias células (multicelulares ou
pluricelulares) e outros só constituídos por uma célula (unicelulares). Todas as
reações do organismo dependem estritamente da atividade celular, e é
através da célula que toda a energia necessária para o funcionamento do
organismo é obtida, convertida, armazenada e aplicada.






As células dividem-se em dois grupos: procarióticas e eucarióticas. O que as
distingue é o facto de as eucarióticas serem mais complexas e por
conterem mais complementos.
As células procarióticas possuem Parede Celular, Membrana Plasmática,
Citoplasma e DNA. Todos os organismos formados por células procarióticas
pertencem ao Reino Monera e são unicelulares.
As células eucarióticas possuem Núcleo, Mitocôndrias, Organelos, Vacúolos,
Membrana Plasmática e Citoplasma. As células eucarióticas ainda são
formadas pelas células vegetais e animais. As únicas diferenças são que as
células vegetais possuem Cloroplastos, Parede celular (nem todas e iremos
ver porquê) e Vacúolos grandes e as células animais não. Os organismos
formados por elas pertencem ao Reino Protista, Funga Animalia e Plantae.









Núcleo – Controla a atividade celular.
Membrana Plasmática - estrutura que dá forma, protege, delimita e seleciona
a entrada e saída de substâncias da célula.
Citoplasma – região interior e fluida da célula na qual ocorre a maioria dos
processos metabólicos e produção de diversas substâncias.
DNA - material genético onde estão registradas instruções que controlam o
funcionamento celular. (Ácido desoxirribonucleico, em português)
Parede celular – Protege a célula.
Vacúolos – Onde se armazenam as substâncias da célula.
Mitocôndrias – Servem para produzir energia.
Cloroplastos – Servem para produzir alimento através da Fotossíntese
Microscópio óptico
 Cebola
 Alface
 Lâminas e lamelas
 Conta gotas
 Bisturi, pinça e tesoura
 Papel de filtro
 Água iodada
 Azul de metileno
 Palitos

Procedimento:
1º - Por a preparação já feita com células humanas.
2º - Observar a preparação e registar as observações efectuadas.

Ocular 5 X Objectiva 25 X
Ampliação total = 5 x 25 = 125 X
Procedimento:
1º - Com uma pinça , retirar um fragmento da película incolor das escamas da
cebola.
2º - Colocar, com um conta-gotas, uma gota de água iodada na lâmina.
3º - Com a ajuda de uma pinça, coloca sobre a lâmina a pelicula da cebola.
4º - Cobre a lâmina com a lamela.
5º - Observa a preparação ao microscópio e regista o que viste.

Ocular 5 X Objectiva 45 X
Ampliação total = 5 x 45 = 225 X
Procedimento:
1º - Coloca uma gota de azul de metileno no centro de uma lâmina.
2º -Com um palito raspa um bocadinho da tua bochecha na parte interior
da boca e coloca o que obteste sobre a gota do corante. Cobre a lâmina
com a lamela.
3º -Observa e retira o que observaste da preparação.

Ocular 10 X Objectiva 45 X
Ampliação total = 5 x 25 = 450 X
Procedimento:
1º - Com um bisturi destaca, um pequeno fragmento de epiderme de uma
folha de alface.
2º -com um conta-gotas, coloca uma gota de água sobre a lâmina.
3º - Coloca sobre a lâmina o fragmento de epiderme da alface, com uma
pinça.
4ª - Cobre a lâmina com a lamela.
5º - Observa a preparação ao microscópio e regista o que observaste.

Ocular 10 X Objectiva 45 X
Ampliação total = 5 x 25 = 450 X


Com estas observações eu conclui também o que faltava concluir na teoria
celular: Nem todas as células vegetais têm parede celular (como é o caso
das células da alface) e que as células animais ás vezes não estão sempre
juntas por não terem parede, ás vezes estão dispersas.


A célula foi descoberta em 1669, pelo cientista inglês Robert Hooke, ao
observar um pedaço de cortiça num microscópio de duas lentes. Hooke
conseguiu visualizar pequenas cavidades na cortiça, nomeando tais
cavidades de células, o que, na realidade, eram uma espécie de
“esqueleto das células”, uma vez que cortiças são formadas por células
mortas.



Existem organismos acelulares, ou seja, que não são compostos por
células, os vírus, e não compõem nenhum dos reinos citados. Os vírus são
organismos formados por um material genético envolto por uma cápsula
proteica, e necessitam de uma célula hospedeira para sobreviver e se
reproduzir, por isso, são chamados de parasitas intracelulares obrigatórios.
Muitos cientistas ainda discutem se os vírus podem ser, ou não, uma
exceção que confirma a regra da Teoria Celular.






http://www.slideshare.net/nunocorreia/teoria-celular-presentation
http://www.infoescola.com/citologia/teoria-celular/
http://www.coladaweb.com/biologia/biologia-celular/a-teoria-celular
Manual escolar Ciência & Vida 7
http://www.mundoeducacao.com.br/biologia/diferenca-entre-celulasprocariotas-eucariotas.htm

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 2 métodos de estudo da célula
Aula 2   métodos de estudo da célulaAula 2   métodos de estudo da célula
Aula 2 métodos de estudo da célulaLytelton Felix
 
Aula 02 Microscopio de Luz e Técnicas de Observação e Coloração
Aula 02   Microscopio de Luz e Técnicas de Observação e ColoraçãoAula 02   Microscopio de Luz e Técnicas de Observação e Coloração
Aula 02 Microscopio de Luz e Técnicas de Observação e ColoraçãoHamilton Nobrega
 
Bg4 qual é a estrutura básica das células
Bg4   qual é a estrutura básica das célulasBg4   qual é a estrutura básica das células
Bg4 qual é a estrutura básica das célulasNuno Correia
 
Biologia celular métodos de estudo em biologia celular parte 1
Biologia celular   métodos de estudo em biologia celular parte 1Biologia celular   métodos de estudo em biologia celular parte 1
Biologia celular métodos de estudo em biologia celular parte 1Francisco Evaldo
 
Métodos de estudos das células
Métodos de estudos das célulasMétodos de estudos das células
Métodos de estudos das célulasWilliam Dutra
 
Aula 1 a célula - memb plasm e transp mol 5 - parte 1 - 2-2015 aprender
Aula 1   a célula - memb plasm e transp mol 5 - parte 1 - 2-2015 aprenderAula 1   a célula - memb plasm e transp mol 5 - parte 1 - 2-2015 aprender
Aula 1 a célula - memb plasm e transp mol 5 - parte 1 - 2-2015 aprenderNathalia Camila
 
Relatório biologia 10ºano - membrana celular
Relatório biologia 10ºano - membrana celularRelatório biologia 10ºano - membrana celular
Relatório biologia 10ºano - membrana celularAMLDRP
 
Aula 1 conceitos em bio celular
Aula 1 conceitos em bio celularAula 1 conceitos em bio celular
Aula 1 conceitos em bio celularSaulo Muniz
 
Actividade experimental protozoarios
Actividade experimental protozoariosActividade experimental protozoarios
Actividade experimental protozoariosCarlos Moutinho
 
FT5 - Célula vegetal vs célula animal
FT5 - Célula vegetal vs célula animalFT5 - Célula vegetal vs célula animal
FT5 - Célula vegetal vs célula animalGabriela Bruno
 
Citologia
CitologiaCitologia
Citologiajoana71
 

Mais procurados (20)

MUCOSA BUCAL
MUCOSA BUCALMUCOSA BUCAL
MUCOSA BUCAL
 
1S_Roteiro pratica de célula
1S_Roteiro pratica de  célula1S_Roteiro pratica de  célula
1S_Roteiro pratica de célula
 
Doc bcm
Doc bcmDoc bcm
Doc bcm
 
A celula
A celulaA celula
A celula
 
Aula 2 métodos de estudo da célula
Aula 2   métodos de estudo da célulaAula 2   métodos de estudo da célula
Aula 2 métodos de estudo da célula
 
Aula 02 Microscopio de Luz e Técnicas de Observação e Coloração
Aula 02   Microscopio de Luz e Técnicas de Observação e ColoraçãoAula 02   Microscopio de Luz e Técnicas de Observação e Coloração
Aula 02 Microscopio de Luz e Técnicas de Observação e Coloração
 
Bg4 qual é a estrutura básica das células
Bg4   qual é a estrutura básica das célulasBg4   qual é a estrutura básica das células
Bg4 qual é a estrutura básica das células
 
Biologia celular métodos de estudo em biologia celular parte 1
Biologia celular   métodos de estudo em biologia celular parte 1Biologia celular   métodos de estudo em biologia celular parte 1
Biologia celular métodos de estudo em biologia celular parte 1
 
4 a descoberta da célula
4 a descoberta da célula4 a descoberta da célula
4 a descoberta da célula
 
Métodos de estudos das células
Métodos de estudos das célulasMétodos de estudos das células
Métodos de estudos das células
 
Aula 1 a célula - memb plasm e transp mol 5 - parte 1 - 2-2015 aprender
Aula 1   a célula - memb plasm e transp mol 5 - parte 1 - 2-2015 aprenderAula 1   a célula - memb plasm e transp mol 5 - parte 1 - 2-2015 aprender
Aula 1 a célula - memb plasm e transp mol 5 - parte 1 - 2-2015 aprender
 
A célula pp[1]
A célula pp[1]A célula pp[1]
A célula pp[1]
 
Relatório biologia 10ºano - membrana celular
Relatório biologia 10ºano - membrana celularRelatório biologia 10ºano - membrana celular
Relatório biologia 10ºano - membrana celular
 
Apostila bce
Apostila bceApostila bce
Apostila bce
 
Aula 1 conceitos em bio celular
Aula 1 conceitos em bio celularAula 1 conceitos em bio celular
Aula 1 conceitos em bio celular
 
Plano aula 6
Plano aula 6Plano aula 6
Plano aula 6
 
Actividade experimental protozoarios
Actividade experimental protozoariosActividade experimental protozoarios
Actividade experimental protozoarios
 
FT5 - Célula vegetal vs célula animal
FT5 - Célula vegetal vs célula animalFT5 - Célula vegetal vs célula animal
FT5 - Célula vegetal vs célula animal
 
Citologia
CitologiaCitologia
Citologia
 
Uma Visão Geral da Célula
Uma Visão Geral da CélulaUma Visão Geral da Célula
Uma Visão Geral da Célula
 

Semelhante a Observações microscópicas de células vegetais e animais

aula02-microscopioetcnicasdeobservaoecolorao-160322183217.pptx
aula02-microscopioetcnicasdeobservaoecolorao-160322183217.pptxaula02-microscopioetcnicasdeobservaoecolorao-160322183217.pptx
aula02-microscopioetcnicasdeobservaoecolorao-160322183217.pptxLuisFelipeFerreirada3
 
Diversidade E Unidade De Vida Slide
Diversidade E Unidade De Vida SlideDiversidade E Unidade De Vida Slide
Diversidade E Unidade De Vida SlideTânia Reis
 
Aulão 2° ano - Ensino Médio
Aulão 2° ano - Ensino MédioAulão 2° ano - Ensino Médio
Aulão 2° ano - Ensino MédioClécio Bubela
 
Trabalho de faculdade celulas tronco
Trabalho de faculdade celulas troncoTrabalho de faculdade celulas tronco
Trabalho de faculdade celulas troncohudsonemerique
 
Teoria celular-101114160821-phpapp01
Teoria celular-101114160821-phpapp01Teoria celular-101114160821-phpapp01
Teoria celular-101114160821-phpapp01Pelo Siro
 
Resumo teoria-celular
Resumo   teoria-celularResumo   teoria-celular
Resumo teoria-celularAshe Sampaio
 
Resumo teoria-celular
Resumo   teoria-celularResumo   teoria-celular
Resumo teoria-celularPelo Siro
 
Teoria celular-
Teoria celular-Teoria celular-
Teoria celular-stique
 

Semelhante a Observações microscópicas de células vegetais e animais (20)

aula02-microscopioetcnicasdeobservaoecolorao-160322183217.pptx
aula02-microscopioetcnicasdeobservaoecolorao-160322183217.pptxaula02-microscopioetcnicasdeobservaoecolorao-160322183217.pptx
aula02-microscopioetcnicasdeobservaoecolorao-160322183217.pptx
 
Biomoleculas
BiomoleculasBiomoleculas
Biomoleculas
 
A célula
A célulaA célula
A célula
 
Biomoleculas
BiomoleculasBiomoleculas
Biomoleculas
 
Aula Introdução a Citologia.pdf
Aula Introdução a Citologia.pdfAula Introdução a Citologia.pdf
Aula Introdução a Citologia.pdf
 
Diversidade E Unidade De Vida Slide
Diversidade E Unidade De Vida SlideDiversidade E Unidade De Vida Slide
Diversidade E Unidade De Vida Slide
 
A célula (1)
A célula (1)A célula (1)
A célula (1)
 
A célula
A célulaA célula
A célula
 
Teoria celular
Teoria celularTeoria celular
Teoria celular
 
Célula
CélulaCélula
Célula
 
Aulão 2° ano - Ensino Médio
Aulão 2° ano - Ensino MédioAulão 2° ano - Ensino Médio
Aulão 2° ano - Ensino Médio
 
10ºano: A célula
10ºano: A célula10ºano: A célula
10ºano: A célula
 
A Célula
A CélulaA Célula
A Célula
 
Aula 01 bio molecular
Aula 01 bio molecularAula 01 bio molecular
Aula 01 bio molecular
 
Trabalho de faculdade celulas tronco
Trabalho de faculdade celulas troncoTrabalho de faculdade celulas tronco
Trabalho de faculdade celulas tronco
 
Teoria celular-101114160821-phpapp01
Teoria celular-101114160821-phpapp01Teoria celular-101114160821-phpapp01
Teoria celular-101114160821-phpapp01
 
Resumo teoria-celular
Resumo   teoria-celularResumo   teoria-celular
Resumo teoria-celular
 
Citologia
CitologiaCitologia
Citologia
 
Resumo teoria-celular
Resumo   teoria-celularResumo   teoria-celular
Resumo teoria-celular
 
Teoria celular-
Teoria celular-Teoria celular-
Teoria celular-
 

Mais de Sasuke Sakura

Mais de Sasuke Sakura (20)

Estatística
Estatística Estatística
Estatística
 
Era Paleozóica
Era PaleozóicaEra Paleozóica
Era Paleozóica
 
Facebook
Facebook Facebook
Facebook
 
Estrutura interna da Terra
Estrutura interna da TerraEstrutura interna da Terra
Estrutura interna da Terra
 
Estatística
Estatística Estatística
Estatística
 
Doping
Doping Doping
Doping
 
Cientista
CientistaCientista
Cientista
 
A vizinha
A vizinha A vizinha
A vizinha
 
A nossa estatística (2)
A nossa estatística (2)A nossa estatística (2)
A nossa estatística (2)
 
A nossa estatística
A nossa estatística  A nossa estatística
A nossa estatística
 
A célula
A célula A célula
A célula
 
Um conflito inesperado
Um conflito inesperadoUm conflito inesperado
Um conflito inesperado
 
Resultados (Vulcanismo)
Resultados (Vulcanismo)Resultados (Vulcanismo)
Resultados (Vulcanismo)
 
Resultados 3 (Vulcanismo)
Resultados 3 (Vulcanismo)Resultados 3 (Vulcanismo)
Resultados 3 (Vulcanismo)
 
Resultados 2 (Vulcanismo)
Resultados 2 (Vulcanismo)Resultados 2 (Vulcanismo)
Resultados 2 (Vulcanismo)
 
Material (Vulcanismo)
Material (Vulcanismo)Material (Vulcanismo)
Material (Vulcanismo)
 
Material 3 (Vulcanismo)
Material 3 (Vulcanismo)Material 3 (Vulcanismo)
Material 3 (Vulcanismo)
 
Material 2 (Vulcanismo)
Material 2 (Vulcanismo)Material 2 (Vulcanismo)
Material 2 (Vulcanismo)
 
Introdução (Vulcanismo)
Introdução (Vulcanismo)Introdução (Vulcanismo)
Introdução (Vulcanismo)
 
Conclusão (Vulcanismo)
Conclusão (Vulcanismo)Conclusão (Vulcanismo)
Conclusão (Vulcanismo)
 

Último

Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 anoandrealeitetorres
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfangelicass1
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOBiatrizGomes1
 

Último (20)

Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
 

Observações microscópicas de células vegetais e animais

  • 1.
  • 2.  Neste trabalho vou falar sobre as células, mostrar observações que fiz a alguns tipos de células animais e vegetais, o modo como fiz a observação, os materiais que utilizei e o que concluo com estas observações.
  • 3.  A célula é a unidade fundamental dos seres vivos, o que quer dizer que todos os seres vivos são constituídos por células, mas em quantidades diferentes: existem seres vivos que são constituídos por várias células (multicelulares ou pluricelulares) e outros só constituídos por uma célula (unicelulares). Todas as reações do organismo dependem estritamente da atividade celular, e é através da célula que toda a energia necessária para o funcionamento do organismo é obtida, convertida, armazenada e aplicada.
  • 4.    As células dividem-se em dois grupos: procarióticas e eucarióticas. O que as distingue é o facto de as eucarióticas serem mais complexas e por conterem mais complementos. As células procarióticas possuem Parede Celular, Membrana Plasmática, Citoplasma e DNA. Todos os organismos formados por células procarióticas pertencem ao Reino Monera e são unicelulares. As células eucarióticas possuem Núcleo, Mitocôndrias, Organelos, Vacúolos, Membrana Plasmática e Citoplasma. As células eucarióticas ainda são formadas pelas células vegetais e animais. As únicas diferenças são que as células vegetais possuem Cloroplastos, Parede celular (nem todas e iremos ver porquê) e Vacúolos grandes e as células animais não. Os organismos formados por elas pertencem ao Reino Protista, Funga Animalia e Plantae.
  • 5.         Núcleo – Controla a atividade celular. Membrana Plasmática - estrutura que dá forma, protege, delimita e seleciona a entrada e saída de substâncias da célula. Citoplasma – região interior e fluida da célula na qual ocorre a maioria dos processos metabólicos e produção de diversas substâncias. DNA - material genético onde estão registradas instruções que controlam o funcionamento celular. (Ácido desoxirribonucleico, em português) Parede celular – Protege a célula. Vacúolos – Onde se armazenam as substâncias da célula. Mitocôndrias – Servem para produzir energia. Cloroplastos – Servem para produzir alimento através da Fotossíntese
  • 6. Microscópio óptico  Cebola  Alface  Lâminas e lamelas  Conta gotas  Bisturi, pinça e tesoura  Papel de filtro  Água iodada  Azul de metileno  Palitos 
  • 7. Procedimento: 1º - Por a preparação já feita com células humanas. 2º - Observar a preparação e registar as observações efectuadas. Ocular 5 X Objectiva 25 X Ampliação total = 5 x 25 = 125 X
  • 8. Procedimento: 1º - Com uma pinça , retirar um fragmento da película incolor das escamas da cebola. 2º - Colocar, com um conta-gotas, uma gota de água iodada na lâmina. 3º - Com a ajuda de uma pinça, coloca sobre a lâmina a pelicula da cebola. 4º - Cobre a lâmina com a lamela. 5º - Observa a preparação ao microscópio e regista o que viste. Ocular 5 X Objectiva 45 X Ampliação total = 5 x 45 = 225 X
  • 9. Procedimento: 1º - Coloca uma gota de azul de metileno no centro de uma lâmina. 2º -Com um palito raspa um bocadinho da tua bochecha na parte interior da boca e coloca o que obteste sobre a gota do corante. Cobre a lâmina com a lamela. 3º -Observa e retira o que observaste da preparação. Ocular 10 X Objectiva 45 X Ampliação total = 5 x 25 = 450 X
  • 10. Procedimento: 1º - Com um bisturi destaca, um pequeno fragmento de epiderme de uma folha de alface. 2º -com um conta-gotas, coloca uma gota de água sobre a lâmina. 3º - Coloca sobre a lâmina o fragmento de epiderme da alface, com uma pinça. 4ª - Cobre a lâmina com a lamela. 5º - Observa a preparação ao microscópio e regista o que observaste. Ocular 10 X Objectiva 45 X Ampliação total = 5 x 25 = 450 X
  • 11.  Com estas observações eu conclui também o que faltava concluir na teoria celular: Nem todas as células vegetais têm parede celular (como é o caso das células da alface) e que as células animais ás vezes não estão sempre juntas por não terem parede, ás vezes estão dispersas.
  • 12.  A célula foi descoberta em 1669, pelo cientista inglês Robert Hooke, ao observar um pedaço de cortiça num microscópio de duas lentes. Hooke conseguiu visualizar pequenas cavidades na cortiça, nomeando tais cavidades de células, o que, na realidade, eram uma espécie de “esqueleto das células”, uma vez que cortiças são formadas por células mortas.  Existem organismos acelulares, ou seja, que não são compostos por células, os vírus, e não compõem nenhum dos reinos citados. Os vírus são organismos formados por um material genético envolto por uma cápsula proteica, e necessitam de uma célula hospedeira para sobreviver e se reproduzir, por isso, são chamados de parasitas intracelulares obrigatórios. Muitos cientistas ainda discutem se os vírus podem ser, ou não, uma exceção que confirma a regra da Teoria Celular.