Actividade Experimental nº2

6.237 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.237
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
108
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
114
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Actividade Experimental nº2

  1. 1. Professora Gabriel Bruno1 ESCOLA SECUNDÁRIA DE BOCAGE Actividade Experimental nº 2 Observação ao MOC de células de epiderme de cebola Ciências Naturais 7º Ano Nome - N.º - Turma - Objectivo: Observação ao microscópio óptico de células da epiderme interna do bolbo da cebola (Allium cepa). Introdução: O bolbo da cebola é um caule subterrâneo que apresenta túnicas carnudas e sobrepostas. Cada túnica é uma folha modificada em forma de escama, que acumula substâncias de reserva, na sua superfície côncava existe uma epiderme, ou seja uma película fina, facilmente destacável e constituída por uma só camada de células, o que facilita a observação destas, sendo por isso o nosso objecto de observação microscópica. As preparações podem ser temporárias ou definitivas. A preparação relativa à cebola é temporária, visto que, o meio de montagem é um meio líquido onde o material biológico se encontra imerso numa substância que não o altera ou danifica. A coloração é uma técnica importante em microscopia, pois permite evidenciar estruturas celulares pouco perceptíveis. Assim sendo, nesta actividade experimental utiliza-se a água iodada. Material:  Microscópio óptico  Água iodada  Lâminas e lamelas  Conta-gotas  Bisturi (ou tesoura)  Cebola  Pinça  Papel de filtro Material Biológico: Tecido da epiderme da cebola. Procedimento:  Com o bisturi corta um pedaço do bolbo de cebola.  Com a ajuda da pinça, arranca um fino fragmento da epiderme da face interna de uma folha carnuda do bolbo de cebola.  Coloca 1 ou 2 gotas de água iodada numa lâmina.  Com a ajuda da pinça coloca o fragmento da epiderme em cima da lâmina com água iodada. Deixa que ele se expanda bem de forma a não apresentar rugas.  Deixa a água iodada actuar durante cinco minutos.  Coloca a lamela, com cuidado, com a ajuda da pinça, para evitar a formação de bolhas de ar.  Leva a preparação ao microscópio e inicia a focagem com a objectiva de menor ampliação.  De seguida efectua a focagem com a objectiva de média ampliação e faz um esquema daquilo que observaste.  Compara com a figura ao lado. Ampliação: 100x epiderme da cebola
  2. 2. Professora Gabriel Bruno2 Questões: 1. Indica a função da água iodada. 2. Como se designa a estrutura que a água iodada te permitiu observar? Conclusões Na 1ºexperiência, realizada com as células do tecido não clorofilino da epiderme das túnicas da cebola pôde- se, deste logo, observar algumas estruturas celulares com a preparação com o soluto de Ringer que manteve as células vivas para observação. Foi possível depois observar o núcleo corado de vermelho, os vacúolos incolores, a parede celular e a membrana plasmática com a utilização do corante vermelho neutro. Utilizando a água iodada conseguiu-se identificar com mais clareza a parede celular, a membrana plasmática, o citoplasma e ainda se observaram alguns organelos citoplasmáticos. Observou-se assim que o corante vermelho neutro actua ao nível do núcleo corando-o de vermelho e como os vacúolos ficam incolores também permite a sua identificação. Já a água iodada actua mais ao nível dos organelos citoplasmáticos e do citoplasma. Com Soluto de lugol Ampliação 400x epiderme da cebola Ampliação 100x epiderme da cebola O vermelho neutro é um corante que, usado em baixa concentração, penetra na célula sem a matar (corante vital); assim, enquanto a célula se mantiver viva, o citoplasma e os organitos permanecem incolores, introduzindo-se o corante no vacúolo, corando-o de vermelho. Pelo contrário, o azul metileno é um corante básico que actua preferencialmente sobre o núcleo, corando-o de azul. O soluto de Lugol evidência os elementos celulares em preparações extemporâneas, cora os amiloplastos, já que é um corante que cora o amido.
  3. 3. Professora Gabriel Bruno3

×