OT Língua Portuguesa - escolas prioritarias

1.903 visualizações

Publicada em

Apresentação utilizada pela PCNP Tânia Nunes na Orientação Técnica de Língua Portuguesa para Professores da disciplina e Professores Coordenadores das escolas prioritárias da D.E. Leste 4, em 24/09/2012, no Núcleo Pedagógico.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.903
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
20
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

OT Língua Portuguesa - escolas prioritarias

  1. 1. Diretoria de Ensino Leste 4 José Carlos Francisco Dirigente Regional de Ensino Núcleo Pedagógico Projeto: Escolas PrioritáriasPCNP responsável: Tânia Nunes
  2. 2. Orientação Técnica Língua Portuguesa nas Escolas PrioritáriasPúblico alvo: Professores Coordenadores eProfessores de Língua Portuguesa do Ensino Fundamental-Ciclo II e Ensino Médio
  3. 3. Projeto Escolas Prioritárias
  4. 4. Projeto Escolas Prioritárias Orientações Técnicas que visam a subsidiar as 35 Diretorias de Ensino (DE) e as 781 Escolas Prioritárias a elas jurisdicionadas, bem como a atuação dos gestores e professores na implementação dos objetivos, metodologias, procedimentos e/ou práticas pedagógicas, curriculares e administrativos, direcionados à melhoria do ensino e da aprendizagem.
  5. 5. Cronograma de Trabalho Fase 1 10/09 OT : Língua Portuguesa nas Escolas Prioritárias Público alvo: PCNP de LP das Diretorias de Ensino Lestes: 1,2,3,4 , Guarulhos Norte e Norte 2 Local: Diretoria Leste 1 Pauta: Apresentação do projeto e proposta de trabalho Vivências de atividades Construção de pauta coletiva
  6. 6. Cronograma de trabalho Fase 2 Entre 10/09 e 07/10 OT :Língua Portuguesa nas Escolas Prioritárias Público Alvo : Professores Coordenadores e Professores de LP do ciclo II e EM Pauta: Apresentação do projeto e proposta de trabalho Vivência de atividades (análise das habilidades com menos de 50% de acerto no Saresp )
  7. 7. Cronograma de trabalho Fase 3 Mês de outubro Reprodução da OT :Língua Portuguesa nas Escolas Prioritárias Mediação: Professor que compareceu a OT de formação em 24/09 Público Alvo : Professores de LP do ciclo II e EM Pauta: Apresentação do projeto e proposta de trabalho Vivência de atividades (análise das habilidades com menos de 50% de acerto no Saresp ) Elaboração do Registro
  8. 8. nas Escolas Prioritárias
  9. 9. OT – Língua Portuguesa nas Escolas Prioritárias Orientações Técnicas descentralizadas, mediadas pelos professores em suas escolas, com o apoio do professor coordenador e foco no aprofundamento das habilidades com baixo desempenho no Saresp.
  10. 10. Proposta de trabalho OT : Língua Portuguesa nas Escolas Prioritárias Público alvo: Coordenadores e professores de ciclo II e EM das 27 escolas prioritárias 02 reuniões com diferentes grupos de escola Grupo 01 : Grupo 02 : Carga horária de 04 horas Local: Núcleo Pedagógico Materiais de apoio: Relatório e Matrizes de referência do Saresp e Cadernos do professor
  11. 11. ObjetivosRefletir sobre as necessidades de atuação junto às Escolas Prioritárias;Compartilhar experiências de atuação dos professores de Língua Portuguesa, frente as dificuldades dos alunos apontadas pelo Saresp;
  12. 12. ObjetivosDiscutir possibilidades de intervenções pedagógicas para que os alunos melhorem seu desempenho ;Elaborar atividades com foco no desenvolvimento das habilidades em que são notadas maiores fragilidades no processo de aprendizagem;
  13. 13. Análise dos Resultados apontados pelo Relatório do Saresp de Língua Portuguesa
  14. 14. Gráfico 19- Perfil de desempenho na prova, segundo médiaspercentuais de acerto em itens agrupados – LínguaPortuguesa 7º ano EF-Saresp 2011 - Matriz de referência do Saresp. Pg.64
  15. 15. Pg.38
  16. 16. Tema 3 – Reconstrução da TextualidadeGrupo 02 – Competências para RealizarH13 – Estabelecer relações de causa/consequência entre informações explicitasao longo de um texto
  17. 17. Tema 3 – Reconstrução da Textualidade Testemunha Tranquila O camarada chegou assim com ar suspeito, olhou pros lados e – como não parecia ter ninguém por perto – forçou a porta do apartamento e entrou. Eu estava parado olhando, pra ver no que ia dar aquilo. Na verdade eu estava vendo nitidamente toda a cena e senti que o camarada era um mau caráter.
  18. 18. E foi batata. Entrou no apartamento e olhouem volta. Penumbra total. Caminhou até otelefone e desligou com cuidado, na certa,para que o aparelho não tocasse enquantoele estivesse ali. “Isto”, pensei, “é porque elenão quer que ninguém note a sua presença:logo só pode ser ladrão ou coisa assim” . Mas não era. Se fosse ladrão estariarevistando as gavetas, mexendo em tudo,procurando coisas pra levar.
  19. 19. O cara – ao contrario – parecia morarperfeitamente no ambiente, pois mesmo napenumbra se orientou muito bem e andoudesembaraçado até uma poltrona, ondesentou e ficou quieto:- Pior que ladrão. Esse cara deve ser umassassino e está esperando alguém chegarpara matar”, tornei eu a pensar, e me lembro(inclusive) que cheguei a suspirar aliviado pornão conhecer o homem e – portanto – serdifícil que ele estivesse esperando por mim.
  20. 20. Pensamento bobo, de resto, pois eu não tinhanada a ver com aquilo. De repente ele retesou na cadeira.Passos no corredor. Os passos, ou melhor, apessoa que dava os passos parou em frente àporta do apartamento. O detalhe era visívelpela réstia de luz, que vinha por baixo daporta.Som de chave na fechadura e a porta se abriulentamente e logo a silhueta de uma mulherse desenhou contra a luz. “Bonita ou feia?”pensei eu. Pois era uma graça meus caros.
  21. 21. Quando ela acendeu a luz da sala é que eupude ver. Era boa às pampas. Quando viu ocara na poltrona ainda tentou recuar, mas eleavançou e fechou a porta com um pontapé... eeu ali olhando. Fechou a porta, caminhou emdireção à bonitinha e pataco!... tocou-lhe aprimeira bolacha. Ela estremeceu nos alicercese pimba!... tacou outra.
  22. 22. Os caros leitores perguntarão: - E você?Assistindo àquilo sem tomar uma atitude? – Aresposta é razoável. Eu tomei uma atitude,realmente. Desliguei a televisão, a imagem dosdois desapareceu e eu fui dormir. Stanislaw Ponte Preta. Garoto Linha Dura.In: Dois amigos e um chato. São Paulo:Moderna, 1995
  23. 23.  O texto possui uma estrutura simples, porém como o desfecho do conto aparece apenas no último parágrafo, é necessário que o aluno consiga estabelecer relações de causa/ consequência entre as partes do texto, bem como relacionar uma informação dada com outra nova, pois é a partir dessas relações de sentido construídas na leitura e na compreensão da sequência textual, que o aluno será capaz de apreender o sentido global do texto.
  24. 24.  Para trabalhar as relações de causa e consequência, o professor pode se valer de textos verbais de gêneros variados, em que os alunos possam reconhecer as múltiplas relações que contribuem para dar ao texto coerência e coesão. As notícias de jornais, por exemplo, são excelentes para trabalhar essa habilidade, tendo em vista que, nesse tipo de gênero textual, pode-se encontrar a explicitação de um fato, das consequências que ele provoca e das causas que lhe deram origem.
  25. 25. Sumário Executivo – Saresp 2011 7º ano do Ensino Fundamental Proficiência em Língua PortuguesaNível de Estado Leste 4 Na escolaProficiência Monteiro LobatoBásico 175 a 208,1 225,6 204,1<225Níveis da escala: Percentual de alunos da rede estadual 48,9% de um total<175 a >275 neste nível 42,8% de um total de de 90 alunos - 433.134 alunos 7ºs anos.Nível Básico : Os alunos tem domínio mínimo dos conteúdos, competências e habilidades , previstas para a série Sumário executivo – Saresp 2011
  26. 26. Orientações Iniciais aos professores de Língua Portuguesa
  27. 27. Planejamento das aulas articuladas entresi e com o currículo É importante que os planos de aula sejam elaborados considerando as orientações do currículo e que façam parte de uma ação articulada entre os professores de LP e de outras disciplinas
  28. 28. Utilização dos recursos pedagógicos etecnológicosUm bom planejamento pode prever o uso de diferentes recursos pedagógicos (internet, jornais, revistas, livros diversos, obras de arte, filmes) em sala de aula. Para tanto, num processo de formação contínua promovida nas ATPCs, ações de articulação para troca de experiências, pode favorecer o conhecimento sobre o uso destes recursos e seu melhor aproveitamento em sala de aula.
  29. 29. Recomendações para ATPCAs reuniões devem ter pauta pré-definida, com foco na reflexão sobre as práticas docentes e fragilidades apresentadas pelos alunos no Relatório Pedagógico Saresp/2011- Língua PortuguesaO professor responsável pela formação estabelecerá com seus pares ações contextualizadas às necessidades pedagógicas
  30. 30. Recomendações para ATPCAs reuniões devem ter pauta pré-definida, com foco na reflexão sobre as práticas docentes e fragilidades apresentadas pelos alunos no Relatório Pedagógico Saresp/2011- Língua PortuguesaO professor responsável pela formação estabelecerá com seus pares ações contextualizadas às necessidades pedagógicas
  31. 31. Lembrem-se A reunião de ATPC deve ocorrer nas escolas entre o período de 25/09 a 09/10 As atas destas reuniões devem ser enviadas pelos PCs , para o e-mail: delt4npe@see.sp.gov.br A/C da PCNP Tânia, até 09/10/2012 Recomendamos que mantenham nas unidades escolares os registros das atividades realizadas, conforme o modelo padronizado a ser enviado por e-mail
  32. 32. Obrigado e bom trabalho a todos!Tânia Nunes – PCNP de Língua Portuguesa delt4npe@see.sp.gov.br Telefone: 2741-2627 ramal 21 http://leste4.nucleopedagogico.zip.net

×