SlideShare uma empresa Scribd logo

Contracepção: métodos que apoiam o planejamento reprodutivo

O documento discute métodos contraceptivos disponíveis para apoiar o planejamento reprodutivo, descrevendo características e critérios de elegibilidade de métodos de barreira, contracepção de longa duração reversível, anticoncepcionais e contracepção definitiva. O objetivo é apresentar as opções para que cada mulher possa escolher o método que melhor se adapte às suas necessidades e condição de saúde.

1 de 22
Baixar para ler offline
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
ATENÇÃO ÀS
MULHERES
CONTRACEPÇÃO: MÉTODOS QUE APOIAM O
PLANEJAMENTO REPRODUTIVO
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
CONTRACEPÇÃO: MÉTODOS QUE APOIAM O
PLANEJAMENTO REPRODUTIVO
“O melhor método para uma pessoa usar é
aquele que a deixa confortável e que
melhor se adapta ao seu modo de vida e à
sua condição de saúde.”
BRASIL, 2009
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
CONTRACEPÇÃO: MÉTODOS QUE APOIAM O
PLANEJAMENTO REPRODUTIVO
Objetivos dessa apresentação
• Expor os critérios de elegibilidade dos métodos contraceptivos a serem
considerados junto com as usuárias.
• Apresentar as principais características dos métodos contraceptivos
disponíveis, com indicação do uso correto, suas indicações e
contraindicações.
• Apontar os métodos disponibilizados pelo SUS.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
CONTRACEPÇÃO: MÉTODOS QUE APOIAM O
PLANEJAMENTO REPRODUTIVO
Escolha do método
• Sempre privilegiar o método escolhido pela mulher e considerar a escolha prioritária.
• Quando o método escolhido for contraindicado (pelas características clínicas
apresentadas pela mulher), o profissional deve discutir a questão com a mulher,
apresentando outros métodos possíveis. É preciso garantir que a mulher se
comprometa com a escolha, pois isso fará diferença no uso do método escolhido.
• Ao apresentar os métodos existentes e disponíveis nos serviços privilegie informações
sobre: as características, o modo de uso, os riscos e benefícios e a eficácia.
FEBRASGO, 2015
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
CONTRACEPÇÃO: MÉTODOS QUE APOIAM O
PLANEJAMENTO REPRODUTIVO
Critérios de elegibilidade
“São definidos pelo conjunto de características apresentadas pela candidata ao uso de um
determinado método e indicam se aquela pessoa pode ou não utilizá-lo”.
A OMS classifica estas
condições em quatro
categorias
FEBRASGO, 2015; OMS, 2015
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
CONTRACEPÇÃO: MÉTODOS QUE APOIAM O
PLANEJAMENTO REPRODUTIVO
O que compõe a contracepção?
CONTRACEPÇÃO
Métodos de Barreira
• Preservativo
masculino
• Preservativo feminino
• Diafragma
Contracepção de
Longa Duração
Reversível
• Implante subdérmico
• Diu hormonal (SIU)
• Diu de cobre
Contracepção
Definitiva
• Vasectomia
• Laqueadura
Anticoncepcionais
com hormônios
• Combinados
• Únicos (minipílula)
• Contracepção de
emergência

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Saúde da Mulher
Saúde da MulherSaúde da Mulher
Saúde da MulherNeto Pontes
 
Transformações na gestação
Transformações na gestaçãoTransformações na gestação
Transformações na gestaçãoAlinebrauna Brauna
 
Gravidez na Adolescência
Gravidez na AdolescênciaGravidez na Adolescência
Gravidez na AdolescênciaMichele Pó
 
Câncer de cólo de útero
Câncer de cólo de úteroCâncer de cólo de útero
Câncer de cólo de úteroRoberta Araujo
 
Câncer de Mama
Câncer de MamaCâncer de Mama
Câncer de MamaOncoguia
 
Planejamento familiar trabalho
Planejamento familiar trabalhoPlanejamento familiar trabalho
Planejamento familiar trabalhoVania Ribeiro
 
Gravidez Na AdolescêNcia
Gravidez Na AdolescêNciaGravidez Na AdolescêNcia
Gravidez Na AdolescêNciaMarlui Oliveira
 
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)Alinebrauna Brauna
 
Diagnóstico de Gravidez na Atenção Básica
Diagnóstico de Gravidez na Atenção BásicaDiagnóstico de Gravidez na Atenção Básica
Diagnóstico de Gravidez na Atenção Básicamarianagusmao39
 
DST / IST - Infecções Sexualmente Transmissíves
DST / IST - Infecções Sexualmente TransmissívesDST / IST - Infecções Sexualmente Transmissíves
DST / IST - Infecções Sexualmente TransmissívesPibid Biologia Cejad
 

Mais procurados (20)

Dst aids para adolescentes
Dst   aids para adolescentesDst   aids para adolescentes
Dst aids para adolescentes
 
Parto Normal
Parto NormalParto Normal
Parto Normal
 
Saúde da Mulher
Saúde da MulherSaúde da Mulher
Saúde da Mulher
 
Saude da mulher1
Saude da mulher1Saude da mulher1
Saude da mulher1
 
Grupo com gestantes
Grupo com gestantesGrupo com gestantes
Grupo com gestantes
 
Coleta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo Uterino
Coleta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo UterinoColeta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo Uterino
Coleta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo Uterino
 
Transformações na gestação
Transformações na gestaçãoTransformações na gestação
Transformações na gestação
 
Gravidez na Adolescência
Gravidez na AdolescênciaGravidez na Adolescência
Gravidez na Adolescência
 
Câncer de cólo de útero
Câncer de cólo de úteroCâncer de cólo de útero
Câncer de cólo de útero
 
Câncer de Mama
Câncer de MamaCâncer de Mama
Câncer de Mama
 
AssistêNcia Ao Parto
AssistêNcia Ao PartoAssistêNcia Ao Parto
AssistêNcia Ao Parto
 
Planejamento familiar trabalho
Planejamento familiar trabalhoPlanejamento familiar trabalho
Planejamento familiar trabalho
 
Gravidez Na AdolescêNcia
Gravidez Na AdolescêNciaGravidez Na AdolescêNcia
Gravidez Na AdolescêNcia
 
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
 
Planeamento familiar
Planeamento familiarPlaneamento familiar
Planeamento familiar
 
Saúde da mulher slides
Saúde da mulher  slidesSaúde da mulher  slides
Saúde da mulher slides
 
Planejamento familiar
Planejamento familiarPlanejamento familiar
Planejamento familiar
 
Diagnóstico de Gravidez na Atenção Básica
Diagnóstico de Gravidez na Atenção BásicaDiagnóstico de Gravidez na Atenção Básica
Diagnóstico de Gravidez na Atenção Básica
 
Aula 3 prénatal
Aula 3 prénatalAula 3 prénatal
Aula 3 prénatal
 
DST / IST - Infecções Sexualmente Transmissíves
DST / IST - Infecções Sexualmente TransmissívesDST / IST - Infecções Sexualmente Transmissíves
DST / IST - Infecções Sexualmente Transmissíves
 

Semelhante a Contracepção: métodos que apoiam o planejamento reprodutivo

Aula 1 -_planejamento_reprodutivo
Aula 1 -_planejamento_reprodutivoAula 1 -_planejamento_reprodutivo
Aula 1 -_planejamento_reprodutivoGustavo Henrique
 
Aula Planejamento Familiar
Aula Planejamento FamiliarAula Planejamento Familiar
Aula Planejamento FamiliarUnis
 
Aula Planejamento Familiar
Aula Planejamento FamiliarAula Planejamento Familiar
Aula Planejamento FamiliarUnis
 
mtodos-contraceptivos-1199534859604562-3.ppt
mtodos-contraceptivos-1199534859604562-3.pptmtodos-contraceptivos-1199534859604562-3.ppt
mtodos-contraceptivos-1199534859604562-3.pptNAYRARAFAELAVIDO
 
Programa de Orientação sobre Anticoncepção - Planejamento Familiar
Programa de Orientação sobre Anticoncepção - Planejamento FamiliarPrograma de Orientação sobre Anticoncepção - Planejamento Familiar
Programa de Orientação sobre Anticoncepção - Planejamento FamiliarProfessor Robson
 
Seminário métodos contraceptivos 8 ano
Seminário métodos contraceptivos 8 anoSeminário métodos contraceptivos 8 ano
Seminário métodos contraceptivos 8 anoNTE RJ14/SEEDUC RJ
 
Métodos Anticoncepcionais
Métodos AnticoncepcionaisMétodos Anticoncepcionais
Métodos Anticoncepcionaisfabiozb
 
AULA 4 PLANEJAMENTO REPRODUTIVO.pptx
AULA 4  PLANEJAMENTO REPRODUTIVO.pptxAULA 4  PLANEJAMENTO REPRODUTIVO.pptx
AULA 4 PLANEJAMENTO REPRODUTIVO.pptxEduardoFatdukbrGonal
 
Planeamentofamiliaremtodoscontracetivos 120612033258-phpapp02
Planeamentofamiliaremtodoscontracetivos 120612033258-phpapp02Planeamentofamiliaremtodoscontracetivos 120612033258-phpapp02
Planeamentofamiliaremtodoscontracetivos 120612033258-phpapp02Luiz Vicente Gargiulo
 
Métodos contraceptivos trabalho internato
Métodos contraceptivos   trabalho internatoMétodos contraceptivos   trabalho internato
Métodos contraceptivos trabalho internatoThiago Henrique
 
Métodos contraceptivos.ppt
Métodos contraceptivos.pptMétodos contraceptivos.ppt
Métodos contraceptivos.pptRita Paupério
 
Ciências métodos anticoncepcionais- karolayne e evellin n° 12 e 03
Ciências   métodos anticoncepcionais- karolayne e evellin n° 12 e 03Ciências   métodos anticoncepcionais- karolayne e evellin n° 12 e 03
Ciências métodos anticoncepcionais- karolayne e evellin n° 12 e 03Rodrigo Exteca
 
Métodos contracetivos hormonais.pptx
Métodos contracetivos hormonais.pptxMétodos contracetivos hormonais.pptx
Métodos contracetivos hormonais.pptxMariaRibeiro742241
 
Métodos contaceptivos
Métodos contaceptivosMétodos contaceptivos
Métodos contaceptivosURCA
 
Leonardo mendes 418 m+®todos contraceptivos leonardo 8_b
Leonardo mendes 418 m+®todos contraceptivos leonardo 8_bLeonardo mendes 418 m+®todos contraceptivos leonardo 8_b
Leonardo mendes 418 m+®todos contraceptivos leonardo 8_bAngela Boucinha
 

Semelhante a Contracepção: métodos que apoiam o planejamento reprodutivo (20)

Aula 1 -_planejamento_reprodutivo
Aula 1 -_planejamento_reprodutivoAula 1 -_planejamento_reprodutivo
Aula 1 -_planejamento_reprodutivo
 
ContracepçãO Geral
ContracepçãO   GeralContracepçãO   Geral
ContracepçãO Geral
 
Métodos 8°b
Métodos 8°bMétodos 8°b
Métodos 8°b
 
Métodos 8°b
Métodos 8°bMétodos 8°b
Métodos 8°b
 
Cap1 pdf
Cap1 pdfCap1 pdf
Cap1 pdf
 
Aula Planejamento Familiar
Aula Planejamento FamiliarAula Planejamento Familiar
Aula Planejamento Familiar
 
Aula Planejamento Familiar
Aula Planejamento FamiliarAula Planejamento Familiar
Aula Planejamento Familiar
 
mtodos-contraceptivos-1199534859604562-3.ppt
mtodos-contraceptivos-1199534859604562-3.pptmtodos-contraceptivos-1199534859604562-3.ppt
mtodos-contraceptivos-1199534859604562-3.ppt
 
Programa de Orientação sobre Anticoncepção - Planejamento Familiar
Programa de Orientação sobre Anticoncepção - Planejamento FamiliarPrograma de Orientação sobre Anticoncepção - Planejamento Familiar
Programa de Orientação sobre Anticoncepção - Planejamento Familiar
 
Risco Reprodutivo e Contracepção
Risco Reprodutivo e ContracepçãoRisco Reprodutivo e Contracepção
Risco Reprodutivo e Contracepção
 
Seminário métodos contraceptivos 8 ano
Seminário métodos contraceptivos 8 anoSeminário métodos contraceptivos 8 ano
Seminário métodos contraceptivos 8 ano
 
Métodos Anticoncepcionais
Métodos AnticoncepcionaisMétodos Anticoncepcionais
Métodos Anticoncepcionais
 
AULA 4 PLANEJAMENTO REPRODUTIVO.pptx
AULA 4  PLANEJAMENTO REPRODUTIVO.pptxAULA 4  PLANEJAMENTO REPRODUTIVO.pptx
AULA 4 PLANEJAMENTO REPRODUTIVO.pptx
 
Planeamentofamiliaremtodoscontracetivos 120612033258-phpapp02
Planeamentofamiliaremtodoscontracetivos 120612033258-phpapp02Planeamentofamiliaremtodoscontracetivos 120612033258-phpapp02
Planeamentofamiliaremtodoscontracetivos 120612033258-phpapp02
 
Métodos contraceptivos trabalho internato
Métodos contraceptivos   trabalho internatoMétodos contraceptivos   trabalho internato
Métodos contraceptivos trabalho internato
 
Métodos contraceptivos.ppt
Métodos contraceptivos.pptMétodos contraceptivos.ppt
Métodos contraceptivos.ppt
 
Ciências métodos anticoncepcionais- karolayne e evellin n° 12 e 03
Ciências   métodos anticoncepcionais- karolayne e evellin n° 12 e 03Ciências   métodos anticoncepcionais- karolayne e evellin n° 12 e 03
Ciências métodos anticoncepcionais- karolayne e evellin n° 12 e 03
 
Métodos contracetivos hormonais.pptx
Métodos contracetivos hormonais.pptxMétodos contracetivos hormonais.pptx
Métodos contracetivos hormonais.pptx
 
Métodos contaceptivos
Métodos contaceptivosMétodos contaceptivos
Métodos contaceptivos
 
Leonardo mendes 418 m+®todos contraceptivos leonardo 8_b
Leonardo mendes 418 m+®todos contraceptivos leonardo 8_bLeonardo mendes 418 m+®todos contraceptivos leonardo 8_b
Leonardo mendes 418 m+®todos contraceptivos leonardo 8_b
 

Mais de Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)

Mais de Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz) (20)

Documento 1O Passos do Cuidado Obstétrico para Redução da Morbimortalidade Ma...
Documento 1O Passos do Cuidado Obstétrico para Redução da Morbimortalidade Ma...Documento 1O Passos do Cuidado Obstétrico para Redução da Morbimortalidade Ma...
Documento 1O Passos do Cuidado Obstétrico para Redução da Morbimortalidade Ma...
 
Disbioses, Infecções Genitais e Infertilidade
Disbioses, Infecções Genitais e InfertilidadeDisbioses, Infecções Genitais e Infertilidade
Disbioses, Infecções Genitais e Infertilidade
 
Prevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em Pediatria
Prevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em PediatriaPrevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em Pediatria
Prevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em Pediatria
 
Ansiedade e Depressão no Climatério
Ansiedade e Depressão no ClimatérioAnsiedade e Depressão no Climatério
Ansiedade e Depressão no Climatério
 
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
 
Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?
Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?
Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?
 
Desospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no Brasil
Desospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no BrasilDesospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no Brasil
Desospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no Brasil
 
O Pré-natal e a Promoção do Parto Normal
O Pré-natal e a Promoção do Parto NormalO Pré-natal e a Promoção do Parto Normal
O Pré-natal e a Promoção do Parto Normal
 
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
 
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
 
Diabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadas
Diabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadasDiabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadas
Diabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadas
 
Luto Perinatal
Luto PerinatalLuto Perinatal
Luto Perinatal
 
Anafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e Manejo
Anafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e ManejoAnafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e Manejo
Anafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e Manejo
 
Diabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e Puerpério
Diabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e PuerpérioDiabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e Puerpério
Diabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e Puerpério
 
Retomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no Brasil
Retomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no BrasilRetomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no Brasil
Retomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no Brasil
 
Cuidados com a Saúde Bucal na Gestação
Cuidados com a Saúde Bucal na GestaçãoCuidados com a Saúde Bucal na Gestação
Cuidados com a Saúde Bucal na Gestação
 
Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?
Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?
Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?
 
Fibrose Cística: como diagnosticar?
Fibrose Cística: como diagnosticar?Fibrose Cística: como diagnosticar?
Fibrose Cística: como diagnosticar?
 
Osteogênese Imperfeita
Osteogênese ImperfeitaOsteogênese Imperfeita
Osteogênese Imperfeita
 
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natalDiabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
 

Contracepção: métodos que apoiam o planejamento reprodutivo

  • 2. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br CONTRACEPÇÃO: MÉTODOS QUE APOIAM O PLANEJAMENTO REPRODUTIVO “O melhor método para uma pessoa usar é aquele que a deixa confortável e que melhor se adapta ao seu modo de vida e à sua condição de saúde.” BRASIL, 2009
  • 3. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br CONTRACEPÇÃO: MÉTODOS QUE APOIAM O PLANEJAMENTO REPRODUTIVO Objetivos dessa apresentação • Expor os critérios de elegibilidade dos métodos contraceptivos a serem considerados junto com as usuárias. • Apresentar as principais características dos métodos contraceptivos disponíveis, com indicação do uso correto, suas indicações e contraindicações. • Apontar os métodos disponibilizados pelo SUS.
  • 4. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br CONTRACEPÇÃO: MÉTODOS QUE APOIAM O PLANEJAMENTO REPRODUTIVO Escolha do método • Sempre privilegiar o método escolhido pela mulher e considerar a escolha prioritária. • Quando o método escolhido for contraindicado (pelas características clínicas apresentadas pela mulher), o profissional deve discutir a questão com a mulher, apresentando outros métodos possíveis. É preciso garantir que a mulher se comprometa com a escolha, pois isso fará diferença no uso do método escolhido. • Ao apresentar os métodos existentes e disponíveis nos serviços privilegie informações sobre: as características, o modo de uso, os riscos e benefícios e a eficácia. FEBRASGO, 2015
  • 5. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br CONTRACEPÇÃO: MÉTODOS QUE APOIAM O PLANEJAMENTO REPRODUTIVO Critérios de elegibilidade “São definidos pelo conjunto de características apresentadas pela candidata ao uso de um determinado método e indicam se aquela pessoa pode ou não utilizá-lo”. A OMS classifica estas condições em quatro categorias FEBRASGO, 2015; OMS, 2015
  • 6. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br CONTRACEPÇÃO: MÉTODOS QUE APOIAM O PLANEJAMENTO REPRODUTIVO O que compõe a contracepção? CONTRACEPÇÃO Métodos de Barreira • Preservativo masculino • Preservativo feminino • Diafragma Contracepção de Longa Duração Reversível • Implante subdérmico • Diu hormonal (SIU) • Diu de cobre Contracepção Definitiva • Vasectomia • Laqueadura Anticoncepcionais com hormônios • Combinados • Únicos (minipílula) • Contracepção de emergência
  • 7. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br CONTRACEPÇÃO: MÉTODOS QUE APOIAM O PLANEJAMENTO REPRODUTIVO Métodos de Barreira – Preservativo Masculino • Proteção para DST/HIV/AIDS quando usada em todas as relações sexuais, antes de qualquer contato íntimo. • Única contraindicação é a alergia ao látex - alternativas disponíveis de poliuretano. • Diferentes espessuras, texturas, dimensões e formatos, dependendo do fabricante. • A taxa de falha varia de 3 (“uso perfeito”) a 14 gestações (“uso típico”) por 100 mulheres/ano. • Falhas por “deslizamentos”ou por “rupturas.” • Podem ser lubrificados com silicone, glicerina ou gel à base de água. FEBRASGO, 2015
  • 8. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br CONTRACEPÇÃO: MÉTODOS QUE APOIAM O PLANEJAMENTO REPRODUTIVO Métodos de Barreira – Preservativo Feminino • Ele tem um formato de tubo transparente apresentando um anel em cada extremidade. • Confere uma maior proteção contra DST/HIV/AIDS, por recobrir uma área maior de contato genital, quando comparado ao preservativo masculino. • Não deve ser usado junto com o preservativo masculino, porque o atrito aumenta o risco de rompimento. • As taxas de falha variam 5 (“uso perfeito”) a 21 ( ”uso típico) gestações por 100 mulheres ano. • Falhas por ruptura, deslizamento, desvio de direção invaginação do anel externo. • Contraindicação - distopias genitais. FEBRASGO, 2015
  • 9. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br CONTRACEPÇÃO: MÉTODOS QUE APOIAM O PLANEJAMENTO REPRODUTIVO Métodos de Barreira – Diafragma • Consiste em um capuz macio de borracha, côncavo, com borda flexível, que cobre parte da parede vaginal anterior e o colo uterino. • Medição por profissional treinado, para determinar o tamanho adequado a cada mulher. • Usar preferencialmente com espermicida. • Reaplicar o espermicida a cada duas horas sem retirar o diafragma. • Diafragma deve permanecer por no mínimo 6 a 8 horas após a última ejaculação. • Material reutilizável, com cerca de 5 anos de durabilidade. • A taxa de gravidez é de 6 (“uso perfeito”) a 21 ( ”uso típico”) gestações em 100 mulheres ano. • Contraindicações: distopia genital, septos vaginais. • NÃO protege contra DST.*** FEBRASGO, 2015
  • 10. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br CONTRACEPÇÃO: MÉTODOS QUE APOIAM O PLANEJAMENTO REPRODUTIVO Contracepção de Longa Duração Reversível (LARC) - Implante Subdérmico • O Implanon® é um bastão único que libera a progestina etonogestrel • 3 anos de duração. • Alta eficácia. Índice de falha de 0,01/100 mulheres ano. • Mecanismo de ação: disfunção ovulatória, espessamento do muco e alterando a motilidade tubária. • A taxa de descontinuação global foi de 32,7% , sendo o sangramento irregular a principal causa. • Contraindicações: hepatopatia grave, câncer de mama, trombose recente, presença Síndrome do Anticorpo Antifosfolipídeo (SAF). FEBRASGO, 2015
  • 11. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br CONTRACEPÇÃO: MÉTODOS QUE APOIAM O PLANEJAMENTO REPRODUTIVO Contracepção de Longa Duração Reversível (LARC) – DIU Hormonal • SIU-LNG libera 20 μg de levonorgestrel por dia, 5 anos de duração. • Mecanismo de ação: muco cervical hostil e efeito antiproliferativo no endométrio. • Eficácia alta, 0,1 por 100 mulheres usando o método em 1 ano. • Diminui o risco de DST, incluindo DIP. • Pode ser inserido: nas 48 horas que sucedem o parto ou após 4 semanas; imediatamente após abortamento de 1º ou 2º trimestre (não infectado). • Contraindicações: infecção atual ou recente, hepatopatia grave, câncer de mama, malformações uterinas, trombose recente, Síndrome do Anticorpo Antifosfolipídeo (SAF). • Taxa de descontinuidade de 20%. Sangramento é o principal motivo. • Inserir até o 12º dia do ciclo. OMS, 2018
  • 12. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br CONTRACEPÇÃO: MÉTODOS QUE APOIAM O PLANEJAMENTO REPRODUTIVO Contracepção de Longa Duração Reversível (LARC) – DIU de Cobre (T380) • O DIU de cobre tem múltiplos mecanismos de ação, o principal é a prevenção da fertilização. • Eficácia: 0,6 gravidezes por 100 mulheres ano • Contraindicações: malformações uterinas, infecção recente e alergia ao Cobre ou doença de Wilson. • Principais queixas: aumento do volume de sangramento e cólica. • Duração de 10-12 anos. • Pode ser inserido no mesmos intervalos do DIU hormonal. • Atualmente, categoria 2 nos critérios de elegibilidade para nulípara e mulheres com alto risco de DST’S. • É desaconselhada a prescrição de azitromicina ou doxiciclina pré inserção . • A expulsão do DIU é mais comum no primeiro ano de uso, ocorrendo em 2% a 10% das usuárias (nuliparidade é fator de risco). OMS, 2018
  • 13. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br CONTRACEPÇÃO: MÉTODOS QUE APOIAM O PLANEJAMENTO REPRODUTIVO Anticoncepcionais Combinados (estrógeno com progestogênio) • Pílulas orais, anel, adesivo ou injetável mensal. • Métodos mais comuns e com maior número de contraindicações. • Mecanismo de ação principal é a anovulação. • Evitar a via oral nas pacientes com náuseas associadas ao uso de contraceptivos. • Podem ser usados de forma contínua, caso a usuária prefira não sangrar. • Podem ser mantidos até 50 anos, nas mulheres sem contraindicações. Categoria 2 nos critérios de elegibilidade em mulheres com mais de 40 anos. • Contraindicações principais: HAS descompensada, mulheres tabagistas com mais de 35 anos, câncer de mama, trombofilias, enxaqueca com aura, amamentação, hepatopatia grave. • Podem ser iniciados até 5º dia do ciclo, preferencialmente no primeiro dia. FEBRASGO, 2015
  • 14. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br CONTRACEPÇÃO: MÉTODOS QUE APOIAM O PLANEJAMENTO REPRODUTIVO Anticoncepcionais somente com progestogênio • Minipílula, injetável trimestral (Implanon e DIU hormonal – apresentados nos métodos de longa duração reversível – são os outros métodos somente com progestogênio). • Mecanismo de ação espessamento do muco, atrofia endometrial e alteração da motilidade tubária. • Somente as pílulas com desogestrel 75 mcg levam a anovulação. • Injetável trimestral – utilizado a cada 13 semanas (pode ser atrasado por até 2 semanas). • Podem ser iniciados após exclusão de gestação, associar método adicional por 7 dias consecutivos. • Os injetáveis trimestrais não devem ser usados como primeira opção em adolescentes (diminuição da mineralização óssea). • O injetáveis trimestrais também devem ser evitados em pacientes com HAS e doença vascular, sendo menos segura que a minipílula para ocorrência de trombose. BRASIL, 2016
  • 15. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br CONTRACEPÇÃO: MÉTODOS QUE APOIAM O PLANEJAMENTO REPRODUTIVO Contracepção de Emergência • 7,4% de indivíduos sexualmente ativos não usam métodos contraceptivos. • No Brasil, anualmente, ocorrem 250 mil internações em hospitais do SUS para tratamento de complicações decorrentes do aborto. • Atua retardando a ovulação, espessando o muco cervical e alterando a motilidade tubária. • Diminui em 75% a gravidez esperada. • Levonorgestrel na dose de 1,5 mg em dose única ou fracionada em duas tomadas, com intervalo de 12 horas. • Pode ser usado até 5 dias após a exposição, mas deve ser administrado o mais precoce possível. • Única contraindicação é a gravidez confirmada. FEBRASGO, 2015
  • 16. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br CONTRACEPÇÃO: MÉTODOS QUE APOIAM O PLANEJAMENTO REPRODUTIVO Contracepção Definitiva • Regulamentada por meio da Lei nº 9.263/96 • Laqueadura tubária e vasectomia – métodos tradicionais. • A laqueadura tubária pode ser realizada por via abdominal (minilaparotomia), por via vaginal ou através de videolaparoscopia. • A vasectomia é um procedimento menos invasivo, mais simples e pode ser realizada ambulatorialmente, sob anestesia local. Não altera a vida sexual do homem; o desejo e a potência sexual permanecem iguais, apenas os espermatozóides não são ejaculados no líquido seminal. FEBRASGO, 2015
  • 17. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br CONTRACEPÇÃO: MÉTODOS QUE APOIAM O PLANEJAMENTO REPRODUTIVO Lei nº 9.263/96 Art. 10. Somente é permitida a esterilização voluntária nas seguintes situações: I - em homens e mulheres com capacidade civil plena e maiores de vinte e cinco anos de idade ou, pelo menos, com dois filhos vivos, desde que observado o prazo mínimo de sessenta dias entre a manifestação da vontade e o ato cirúrgico, período no qual será propiciado à pessoa interessada acesso a serviço de regulação da fecundidade, incluindo aconselhamento por equipe multidisciplinar, visando desencorajar a esterilização precoce; II - risco à vida ou à saúde da mulher ou do futuro concepto, testemunhado em relatório escrito e assinado por dois médicos. § 1º É condição para que se realize a esterilização o registro de expressa manifestação da vontade em documento escrito e firmado, após a informação a respeito dos riscos da cirurgia, possíveis efeitos colaterais, dificuldades de sua reversão e opções de contracepção reversíveis existentes. § 2º É vedada a esterilização cirúrgica em mulher durante os períodos de parto ou aborto, exceto nos casos de comprovada necessidade, por cesarianas sucessivas anteriores. § 3º Não será considerada a manifestação de vontade, na forma do § 1º, expressa durante ocorrência de alterações na capacidade de discernimento por influência de álcool, drogas, estados emocionais alterados ou incapacidade mental temporária ou permanente. § 4º A esterilização cirúrgica como método contraceptivo somente será executada através da laqueadura tubária, vasectomia ou de outro método cientificamente aceito, sendo vedada através da histerectomia e ooforectomia. § 5º Na vigência de sociedade conjugal, a esterilização depende do consentimento expresso de ambos os cônjuges. § 6º A esterilização cirúrgica em pessoas absolutamente incapazes somente poderá ocorrer mediante autorização judicial, regulamentada na forma da Lei.
  • 18. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br CONTRACEPÇÃO: MÉTODOS QUE APOIAM O PLANEJAMENTO REPRODUTIVO FEBRASGO, 2015
  • 19. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br CONTRACEPÇÃO: MÉTODOS QUE APOIAM O PLANEJAMENTO REPRODUTIVO Métodos ofertados pelo SUS: Fique atento, pois outros métodos podem ser ofertados, de acordo com a localidade. BRASIL, 2016
  • 20. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br CONTRACEPÇÃO: MÉTODOS QUE APOIAM O PLANEJAMENTO REPRODUTIVO Os serviços de saúde devem fornecer meios aos usuários e usuárias para que façam uma escolha consciente do método que melhor se adapta às suas necessidades. Lembrando que qualquer que seja a escolha, deve- se estimular o uso associado do preservativo masculino ou feminino para proteção contra DST.
  • 21. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br CONTRACEPÇÃO: MÉTODOS QUE APOIAM O PLANEJAMENTO REPRODUTIVO • Brasil. Ministério da Saúde. Protocolos da Atenção Básica : Saúde das Mulheres / Ministério da Saúde, Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa – Brasília : Ministério da Saúde, 2016. • Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Direitos sexuais, direitos reprodutivos e métodos anticoncepcionais / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. – Brasília: Ministério da Saúde, 2009. 52 p. : il. color. – (Série F. Comunicação e Educação em Saúde) (Série Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos ; caderno n. 2) • Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde sexual e saúde reprodutiva / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – 1. ed., 1. reimpr. – Brasília : Ministério da Saúde, 2013. 300 p. : il. (Cadernos de Atenção Básica, n. 26) • Finotti, Marta. Manual de anticoncepção. — São Paulo: Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO), 2015. • WHO – World Health Organization. Medical eligibility criteria for contraceptive use. 5ª ed. 2015 • Organización Mundial de la Salud, Departamento de Salud Reproductiva e Investigaciones Conexas. Recomendaciones sobre prácticas seleccionadas para el uso de anticonceptivos -Tercera edición, 2018. • ANVISA. Disponível em: <http://portal.anvisa.gov.br/rss/-/asset_publisher/Zk4q6UQCj9Pn/content/sistema-essure-volta-a-ser- liberado/219201?inheritRedirect=false> Referências Bibliográficas
  • 22. ATENÇÃO ÀS MULHERES portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br Material de 30 de julho de 2018 Disponível em: portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br Eixo: Atenção às Mulheres Aprofunde seus conhecimentos acessando artigos disponíveis na biblioteca do Portal. CONTRACEPÇÃO: MÉTODOS QUE APOIAM O PLANEJAMENTO REPRODUTIVO