SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 84
Possível graças aos conhecimentos hormonais e celulares que
regulam a reprodução e ao progresso da biotecnologia
Contraceção
Métodos contracetivos
controlo da natalidade
São usados na prevenção voluntária da
gravidez com recurso a métodos que
evitam a ovulação/fecundação/nidação.
Métodos naturais ou de
abstinência sexual
 Implicam que a mulher aprenda a identificar o período fértil,
conhecendo as modificações fisiológicas ao longo do ciclo
menstrual.
 Estes métodos podem requerer um longo período de abstinência.
Geralmente são necessários 3 a 6 ciclos para aprender a identificar o
período fértil, sendo difíceis de utilizar quando em presença de ciclos
irregulares.
 Exigem observação cuidada das modificações fisiológicas do corpo
da mulher com registo diário dos dados: dificuldade e alteração dos
registos por medicações, infeções, etc.
 Não protegem das DST.
Métodos naturais ou de
abstinência sexual
Abstenção de relações sexuais durante o
período fértil
Como se determina o período fértil?
1º conhecer a duração do ciclo
2º determinar o dia a ovulação
Métodos naturais ou
de abstinência sexual
Temperatura
Medir no
mesmo sítio
Com o mesmo
aparelho
À mesma hora
Método Ogino-Knauss (método
do calendário)
Limita a realização do ato sexual ao ciclo menstrual feminino, durante o
qual o risco de conceção é menor. Comporta abstinência sexual durante
cerca de 10 dias em cada ciclo.
O período fértil é calculado da seguinte maneira:
- A mulher tem uma ovulação por mês, 14 dias antes da menstruação
seguinte;
- O óvulo é viável cerca de 2 dias após a ovulação e o espermatozoide
pode ser fecundante 3 a 5 dias após ejaculação.
- Considerando a duração dos ciclos menstruais anteriores (pelo menos
6 ciclos)
- calcula-se o período fértil subtraindo 10 dias ao número de dias do
ciclo mais longo e 20 dias ao número de dias do ciclo mais curto.
Durante o período fértil deverá associar método de barreira ou praticar a
abstinência.
Métodos naturais ou de
abstinência sexual
Calendário
Métodos naturais ou
de abstinência sexual
Muco cervical
Emancipação da Mulher
Sem medo da
contracepção
Revolução
Sexual
Contraceção oral hormonal na mulher
Métodos de contracepção que actuam
no sistema hormonal
 Comprimidos, bastante eficazes e
seguros
Não protegem das doenças
sexualmente transmissíveis
Tipos de pílula
Pílula combinada
Contem estrogénio e a progesterona
Impede que ocorra a ovulação.
Eficácia de 95-99%
Pílula progestativa
Contem apenas progesterona.
É indicada para mulheres que estão a
amamentar e/ou são pouco tolerantes
a estrogénio.
Eficácia de 95-99%
Funcionamento da Pílula
Inibição a ovulação
Alteração das
secreções vaginais.
Alterações do
endométrio
Ovário
Trompas de
Falópio
ÚTERO
Ovário
Pílula
Combinada
Inibe a
ovulação
Secreções
vaginais
impermeáveis
Impede a
nidação
Pílula
Progestativa
Inibe a
ovulação
 Doença cardiovascular pré-
existente
 Mulheres que têm tendência
familiar de formar coágulos
sanguíneos
 Mulheres com obesidade severa
 Alto nível de colesterol
 Tabagistas com mais de 35 anos.
Vantagens da Pílula
 Tem elevada eficácia contraceptiva;
 Não interfere com a relação sexual;
 Não altera a fertilidade após a suspensão do método.
 Contribui para a prevenção de: gravidez ectópica,
cancro do ovário e do endométrio, quistos funcionais
do ovário, doença fibroquística da mama.
Pílula Combinada
Regulariza os ciclos menstruais:
Melhora a tensão pré-menstrual
e a dismenorreia;
Reduz o acne;
Previne e controla a anemia;
Reduz as cólicas menstruais;
Pílula Progestativa
Pode ser utilizada quando os
estrogénios estão contra-
indicados;
Não modifica a quantidade
ou a qualidade do leite
materno
Desvantagens da pílula:
 Exige o empenho da mulher para a toma
diária da pílula;
 Não protege contra as DTS
 A pílula combinada pode afetar a
quantidade e a qualidade do leite materno;
 A pílula progestativa associa-se com
irregularidades do ciclo menstrual;
 Pode causar:
 náuseas
 sensibilidade nos seios
 ganho de peso
 retenção de água
 alterações no humor
 manchas na pele
 dores de cabeça
 aumento da pressão sanguínea.
No caso de
esquecimento
Durante as 12
horas seguintes
Tomar a pílula
esquecida
Após 12 horas
Continuar
embalagem.
Usar
preservativo
No inicio da
embalagem e já
ocorreram
relações sexuais
Ir ao médico
No caso de administração de outros
medicamentos em conjunto com a pílula:
 Existem medicamentos que têm algum dos
princípios activos que interferem no efeito
contraceptivo da pílula.
 Ex: Antibióticos ou similares
 No caso de vómitos e/ou diarreias
 Reduz a quantidade de pêlos e oleosidade da
pele;
 Regulariza ciclos menstruais anormais;
 Reduz cólicas menstruais;
 Protege contra alguns tipos de infecções nas
trompas de Falópio;
 Previne anemia, e trata mulheres anémicas.
A sua eficácia não é posta em causa na
ocorrência de diarreia ou vómitos;
Torna as hemorragias menstruais mais curtas,
regulares e menos dolorosas;
Métodos reversíveis;
O perigo de esquecimento de toma é
minimizado e pode entrar em contacto com
água (adesivo);
Diminui a incidência de:
Gravidez ectópica;
Cancro no endométrio;
Cancro nos ovários;
Quistos nos ovários;
Doenças inflamatórias pélvicas (DIP);
Doenças mamárias benignas;
A incidência dos efeitos secundários é baixa;
Não interferem no acto sexual;
Retorno rápido aos níveis de fertilidade anteriores
à sua utilização;
Duração e eficácia muito alta;
Não tem os efeitos secundários dos
estrogénios;
Como é colocado pela via subdérmica não
apresenta efeitos secundários no fígado
(Implanon);
Melhora e previne muitas doenças, como a
endometriose, eritropoiese ou mesmo
anemia de células falciformes.
▪ Não protegem contra infeções sexualmente
transmissíveis, pelo que deve também ser utilizado
o preservativo (ou outro);
▪ Algumas mulheres sentem efeitos secundários
– as causas destes sintomas devem ser estudadas,
uma vez que pode existir um outro método de
contraceção hormonal que seja mais adequado;
▪ O anel vaginal e, principalmente, o implante
subcutâneo têm um custo mais dispendioso que os
anticoncecionais orais.
 Utilização de hormonas, como a
progesterona, individualmente ou em
associação;
 Dos métodos mais utilizados em todo o
mundo ;
 Direccionados sobretudo
para as mulheres;
 Actuam ao nível do sistema hormonal:
1. Libertação de hormonas;
2. Feedback negativo sobre o complexo
hipotálamo – hipófise;
3. Inibição na produção de gonadoestimulinas;
4. Regulação/ alteração do ciclo ovárico e
uterino;
5. Prevenção da gravidez.
E ainda…
Alterações endometriais
Alterações ao nível do muco cervical
(diminuição em quantidade, perda da
elasticidade e aumento da viscosidade)
Entrada dos espermatozóides no útero
fica mais difícil
Fecundação menos provável
Penso
adesivo
Note-se que em usuárias com peso
superior a 90kg este valor tende
a diminuir, tornando-se, assim,
aconselhável a escolha de outra
opção anticoncepcional.
Penso
adesivo
1. Necessita prescrição médica.
2. A usuária deve volta aos serviços de saúde
um mês após o início da utilização.
3. Deve voltar ao controle preventivo de saúde
uma vez por ano.
Se existirem problemas com o uso do adesivo a
usuária deve cancelar a utilização deste método
e consultar um médico.
Penso
adesivo
 Podem ser colocados:
 A área escolhida pode ser sempre a mesmo ou
não, desde que não seja colocado duas vezes
seguidas no mesmo ponto.
Penso
adesivo
 Pele:
 limpa
 seca
 sem cremes, óleos ou loções
• nunca em pele:
 vermelha
 irritada
 com cortes
Penso
adesivo
 Ao colocar:
 Especial atenção para não tocar na parte
interna do adesivo;
 Seguir as instruções do panfleto informativo;
 Deve ainda verificar o adesivo todos os dias.
Penso
adesivo
 Quando começar a aplicar?
I. Primeiro dia da menstruação;
II. Num dia específico após o início da
menstruação (com uso de outro contraceptivo).
Penso
adesivo
 O adesivo deve ser utilizado durante 7 dias (semana 1).
 No 8º dia deve retirar-se o usado e um novo adesivo
deve ser colocado (início da semana 2)
 este deve ser retirado ao 15º dia (semana 3) e outro
deve ser colocado.
 No 22º dia (semana 4) não se coloca um novo adesivo -
período menstrual.
Penso
adesivo
 Passados 7 dias reinicia-se um novo ciclo, e uma
nova aplicação do adesivo.
 Os ciclos podem ser alterados, e é possível
antecipar o período da menstruação (nunca adiar),
colocando o novo adesivo antes da data prevista.
Penso
adesivo
 Não deve ser utilizado em mulheres :
 Com coágulos sanguíneos,
 Com algum tipo de cancro,
 Com historial de ataques cardíacos,
 Que estão ou podem estar grávidas.
Penso
adesivo
 Deve ter-se em atenção a toma de
antibióticos, antiepilépticos e
anticonvulsivantes, pois reduzem o seu
efeito.
 Antes de prescrever qualquer outra
medicação o médico deve ser informado do
uso destes adesivos.
Penso
adesivo
 Em caso de acidente ou esquecimento o
adesivo deve ser reposto, ou o ciclo reiniciado, e
a mulher deve sempre ter em atenção que
nesses casos deve recorrer a outros métodos
contraceptivos.
 Se a mulher quiser interromper o tratamento pode
fazê-lo, aí a contracepção acaba e a menstruação
ocorre.
Penso
adesivo
 Em caso de sangramento durante a utilização do
adesivo o tratamento deve continuar. Se o sangramento
fora de tempo persistir por vários ciclos aí a utilização
do adesivo deve ser cancelada e a usuária deve
consultar um médico.
 Caso a fase menstrual não ocorra na semana que deve
ocorrer o adesivo deverá ser reposto no dia
programado. Se esta privação ocorrer em dois ciclos aí
o tratamento deve ser interrompido, e a possibilidade de
gestação deve ser testada.
Penso
adesivo
Anel
vaginal
Quando surgiu?
♀ Feito de plástico
♀ Transparente
♀ Flexível
Segundo a IPM, os anéis vaginais
conferem
▪ elevada eficácia;
▪ em cada 100 mulheres ocorrem cerca de 0,4 a
1,2 gravidezes por ano;
▪ A variação vai depender do correcto seguimento
das instruções de utilização do contraceptivo por
parte da mulher;
Curiosidade:
▪ Mulheres europeias apresentam uma percentagem
maior de correcta utilização do anel vaginal
comparativamente às mulheres norte-americanas.
Anel
vaginal
▪ O mesmo do da pílula anticoncepcional
combinada;
▪ O anel é colocado pela própria mulher na vagina
e deve ser mantido durante 3 semanas, parando
durante uma semana (acto de uso), período
durante o qual vai libertar as hormonas
Anel
vaginal
Etinilestradiol
(estrogénio)
Etenogestrel
(progestativo)
♀Inibição da ovulação
(supressão da secreção de
LH e FSH).
♀Aumento da viscosidade do
muco cervical (dificultando a
passagem dos
espermatozóides e, como tal,
a FECUNDAÇÃO.
Anel
vaginal
http://www2.uol.com.br/assuntodemulher/esp_vag_08.htm
Anel
vaginal
▪ Devem ser utilizados com indicação médica;
▪ Indicado para mulheres que necessitam de um
método com grande eficácia, mas que no entanto
não podem recorrer aos contraceptivos hormonais
orais ou ao DIU.
Anel
vaginal
▪ similares aos da pílula e decorrentes da acção do
estrogénio e progestagénio.
↘ náuseas;
↘ vómitos;
↘ hemorragia vaginal;
↘ corrimento vaginal;
↘ infecção;
↘ irritação;
↘ cefaleia.
Anel
vaginal
▪ Problemas de trombose venosa;
▪ Problemas cardíacos;
▪ AVC (acidente vascular cerebral);
▪ Epilepsia;
▪ Hipertensão;
▪ Diabetes Mellitus;
▪ Excesso de peso;
▪ Problemas hepáticos graves;
▪ Cancro da mama ou genital, porque são dependentes de
hormonas.
▪ Doença que afecta o sistema imunitário;
▪ Mulher que está a amamentar;
▪ Fumadoras com mais de 35 anos;
▪ Interacções medicamentosas.
Anel
vaginal
▪ Sagramento de privação equivalente à
menstruação, com uma duração de 4-5 dias;
▪ Cefaleia;
▪ Corrimento;
▪ Náuseas;
▪ O anel vaginal pode ser ocasionalmente sentido
pelas mulheres durante o ato sexual, mas, a grande
maioria dos parceiros sexuais não apresenta, às
mulheres, objeções ao uso deste último.
Aprovado pela 1.ª vez em:
Aprovado pela Food and Drug Administration
em:
Utilização por 2,5 milhões de mulheres em todo mundo.
1998
17 de Junho de 2006
Implante
subcutâneo
Copolímerodevinlacetatodeetileno;
SulfatodeBário.
Um aplicador.
Um bastonete.
Implante
subcutâneo
 Etonogestrel (68 mg) – hormona feminina
sintética idêntica à progesterona.
 Inibição de ovulação;
 Muco cervical;
 Efeitos endometriais.
Implante
subcutâneo
 O índice de falhos da hormona utilizada neste método –
etonogestrel (um gestágeno) - é de 0,05%.
 Verificou-se que a taxa de gravidez acumulada até 3 anos foi
de zero, no total de 2.362 mulheres e 73.429 ciclos estudados.
99,9 %
Assim, tem uma eficácia de
Implante
subcutâneo
Consultas planeamento familiar;
É sempre colocado e retirado por um
profissional;
Consultas de 6 em 6 meses ou anuais.
Implante
subcutâneo
A utilização do Implanon é indicada especialmente às
mulheres que não podem utilizar estrogénios e, por essa ou
outra razão, os contraceptivos orais e o DIU não são
aconselhados.
O Implanon também é indicado a mulheres incapazes de
tomar os contraceptivos orais com regularidade e que
recusam outros métodos contraceptivos como o DIU ou os
métodos injectáveis assim como para fumadoras com mais
de 35 anos e portadoras de deficiências mentais.
Implante
subcutâneo
Absolutas Relativas
Implante
subcutâneo
Breve
referência
Mensais
- Duas Hormonas:
Progestageno
Estrogénio
Breve
referência
Trimestrais
- Uma Hormona:
Progestageno;
Breve
referência
 Retenção de líquidos;
 Spotting;
 Ausência de menstruação;
 Cefaleia;
 A fertilidade pode não ser imediata quando a
mulher deixa de tomar;
Breve
referência
Métodos
cirúrgicos
Laqueação de
Trompas
Vasectomia
Estes são métodos definitivos que envolvem
uma cirurgia no sistema reprodutor que irá
impedir que os gâmetas entrem nas vias
genitais.
Laqueação deTrompas
A Laqueação de trompas é feita
através de uma cirurgia, que
bloqueia as trompas de Falópio de
modo a interromper o percurso
do gâmeta feminino. Deste modo
o espermatozóide é impedido de
chegar ao óvulo.
É um método altamente eficaz,
variando a taxa de eficácia de 99
a 99,9 %.
Vantagens Desvantagens
Vantagens
 É uma contracepção segura, eficaz e definitiva.
 Não interfere com a amamentação.
 Não interfere com o acto sexual.
 Não tem efeitos colaterais ou riscos para a saúde, a longo
prazo. Pode melhorar o desejo e a resposta sexual, uma vez
que elimina o receio de uma gravidez não desejada.
 Pode ser realizada no pós-parto ou após uma IVG por
doença materna, aproveitando o mesmo período de
internamento.
 Em alguns serviços pode ser realizada com anestesia local,
em regime de ambulatório.
Desvantagens
 A mulher pode arrepender-se mais tarde,
nesse caso a reversão requer cirurgia
complexa, é cara e com pouca garantia de
eficácia;
 Riscos e efeitos colaterais da cirurgia;
 O valor dessa cirurgia é mais alto do que a
vasectomia;
 Dor/desconforto de curta duração após
procedimento;
 Sem protecção para DST’s.
Vasectomia
A vasectomia é um
procedimento cirúrgico
simples, seguro e rápido, no
qual se retira uma porção de
cada canal deferente do
Homem. Quando estes são
cortados, a passagem dos
espermatozóides produzidos
pelos testículos é bloqueada, e
assim o esperma libertado
durante a ejaculação é incapaz
de fertilizar o óvulo, prevenindo
desta forma a gravidez.
É um método altamente
eficaz, variando a taxa de
eficácia de 99 a 99,9 %. Vantagens Desvantagens
http://www.youtube.com/watch?v=77fkgF4DA9I
Vantagens
 É uma contracepção segura, eficaz e definitiva.
 Não interfere com o acto sexual.
 Não tem efeitos colaterais ou riscos para a
saúde, a longo prazo.
 Pode melhorar a satisfação sexual, uma vez que
elimina o receio de uma gravidez não desejada.
Pode ser realizada com anestesia local, em
regime de ambulatório.
 Quando comparada com a laqueação de
trompas, é mais simples de realizar e mais
barata.
Desvantagens
 Só após 15 ou 20 ejaculações é que o homem
é estéril;
 A pessoa pode arrepender-se mais tarde (a
reversão requer cirurgia especial, é cara e
frequentemente com disponibilidade
limitada);
 Não proporciona protecção para DST’s
 Dor/desconforto de curta duração após
procedimento;
Métodos contracetivos
não naturais mecânicos
 DIU-Dispositivo intrauterino / SIU
São métodos contracetivos de longa duração (até 5 anos).
 Existem vários.
 Com hormonas denomina-se SIU;
 sem hormonas e com cobre, denomina-se DIU.
 99% de eficácia
 Ao contrário da pílula, o dispositivo não requer precauções adicionais
em caso de vómitos ou diarreia.
Preservativo
Preservativo
Impede o contacto entre os órgãos sexuais e, por conseguinte, a
passagem do sémen até às trompas de Falópio, devido à presença
de uma extremidade fechada, fixada ao colo do útero.
Vantagens
 Estima-se que, por ano, 10 em 100 mulheres engravidam
utilizando este método.Tendo assim, cerca de 90% de eficácia;
 Pode ser colocado até cerca de 8 horas antes da relação sexual e
não necessita de ser retirado logo após o acto;
 Protegem das doenças sexualmente transmissíveis;
 Ausência de graves complicações;
 Não é necessária a super-visão médica;
 Não necessita de ser colocado antes nem retira logo após a
relação sexual;
 Por ser constituído por poliuretano torna-se mais resistente que o
preservativo masculino.
Desvantagens
 A fricção ou o contacto com o lubrificante pode provocar:
 Inflamações;
 Irritações;
 Alergias;
 Difícil acesso de aquisição;
 Tamanho e aspecto pouco estético;
 Difícil colocação;
 Desconforto durante a relação sexual;
 Preço elevado.
Preservativo
É um dispositivo descartável em forma de tubo feito de látex ou
poliuretano, existindo em várias cores, aromas e tamanhos.
Vantagens
 A utilização do preservativo impede o contacto dos órgãos
sexuais, impedindo assim, a passagem dos espermatozóides
para o útero e, por conseguinte, a fecundação;
 Quando colocado correctamente apresenta uma taxa de
eficácia de 90%, correspondendo a 5 gravidezes em 100, por
ano;
 Reduz a incidência de infeções sexualmente transmissíveis;
 Fácil aquisição;
 Método ideal para relações ocasionais ou imprevistas;
 A sua utilização não tem contra-indicações.
Desvantagens
 Necessita de ser colocado no momento da relação sexual e
tem de ser retirado logo após o ato;
 Em alguns indivíduos pode ocorrer:
 Manifestações alérgicas
 Irritações
 Quando mal colocado pode romper;
 A sua utilização diminui a sensibilidade dos órgãos sexuais.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Contraceção hormonal: pílula, adesivo e anel vaginal

Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivosIsabel Lopes
 
Métodos contraceptivos hormonais
Métodos contraceptivos hormonaisMétodos contraceptivos hormonais
Métodos contraceptivos hormonaiszeopas
 
Métodos contracetivos
Métodos contracetivosMétodos contracetivos
Métodos contracetivosGerson Melo
 
Contracepocasopriscila 130723153111-phpapp02
Contracepocasopriscila 130723153111-phpapp02Contracepocasopriscila 130723153111-phpapp02
Contracepocasopriscila 130723153111-phpapp02Carine Blatt
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivoswagneripo
 
Métodos Contraceptivos
Métodos ContraceptivosMétodos Contraceptivos
Métodos ContraceptivosHelena Rocha
 
Métodos Contraceptivos
Métodos ContraceptivosMétodos Contraceptivos
Métodos ContraceptivosBetania Alpoim
 
metodos contraceptivos orais
metodos contraceptivos oraismetodos contraceptivos orais
metodos contraceptivos oraisineslilin
 
Metodos contraceptivos
Metodos contraceptivosMetodos contraceptivos
Metodos contraceptivosRazvan Balaci
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivoswagneripo
 
Anticoncepcionais Orais e Histerectomia
Anticoncepcionais Orais e HisterectomiaAnticoncepcionais Orais e Histerectomia
Anticoncepcionais Orais e HisterectomiaJessica Gonçalves
 

Semelhante a Contraceção hormonal: pílula, adesivo e anel vaginal (20)

Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivos
 
Trab Higiene Contrac 97 2003
Trab Higiene Contrac   97 2003Trab Higiene Contrac   97 2003
Trab Higiene Contrac 97 2003
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivos
 
Métodos contraceptivos hormonais
Métodos contraceptivos hormonaisMétodos contraceptivos hormonais
Métodos contraceptivos hormonais
 
Métodos contracetivos
Métodos contracetivosMétodos contracetivos
Métodos contracetivos
 
Contracepocasopriscila 130723153111-phpapp02
Contracepocasopriscila 130723153111-phpapp02Contracepocasopriscila 130723153111-phpapp02
Contracepocasopriscila 130723153111-phpapp02
 
Apresentaçao importante
Apresentaçao importanteApresentaçao importante
Apresentaçao importante
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivos
 
Métodos Contraceptivos
Métodos ContraceptivosMétodos Contraceptivos
Métodos Contraceptivos
 
Métodos Contracetivos
Métodos ContracetivosMétodos Contracetivos
Métodos Contracetivos
 
Métodos Contraceptivos
Métodos ContraceptivosMétodos Contraceptivos
Métodos Contraceptivos
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivos Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivos
 
Cap1 pdf
Cap1 pdfCap1 pdf
Cap1 pdf
 
Metodos contraceptivos spe
Metodos contraceptivos speMetodos contraceptivos spe
Metodos contraceptivos spe
 
metodos contraceptivos orais
metodos contraceptivos oraismetodos contraceptivos orais
metodos contraceptivos orais
 
Métodos contraceptivos (1)
Métodos contraceptivos (1)Métodos contraceptivos (1)
Métodos contraceptivos (1)
 
Metodos contraceptivos
Metodos contraceptivosMetodos contraceptivos
Metodos contraceptivos
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivos
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivos
 
Anticoncepcionais Orais e Histerectomia
Anticoncepcionais Orais e HisterectomiaAnticoncepcionais Orais e Histerectomia
Anticoncepcionais Orais e Histerectomia
 

Último

Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 anoandrealeitetorres
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 

Último (20)

Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 

Contraceção hormonal: pílula, adesivo e anel vaginal

  • 1. Possível graças aos conhecimentos hormonais e celulares que regulam a reprodução e ao progresso da biotecnologia Contraceção
  • 2. Métodos contracetivos controlo da natalidade São usados na prevenção voluntária da gravidez com recurso a métodos que evitam a ovulação/fecundação/nidação.
  • 3. Métodos naturais ou de abstinência sexual  Implicam que a mulher aprenda a identificar o período fértil, conhecendo as modificações fisiológicas ao longo do ciclo menstrual.  Estes métodos podem requerer um longo período de abstinência. Geralmente são necessários 3 a 6 ciclos para aprender a identificar o período fértil, sendo difíceis de utilizar quando em presença de ciclos irregulares.  Exigem observação cuidada das modificações fisiológicas do corpo da mulher com registo diário dos dados: dificuldade e alteração dos registos por medicações, infeções, etc.  Não protegem das DST.
  • 4. Métodos naturais ou de abstinência sexual Abstenção de relações sexuais durante o período fértil Como se determina o período fértil? 1º conhecer a duração do ciclo 2º determinar o dia a ovulação
  • 5. Métodos naturais ou de abstinência sexual Temperatura Medir no mesmo sítio Com o mesmo aparelho À mesma hora
  • 6. Método Ogino-Knauss (método do calendário) Limita a realização do ato sexual ao ciclo menstrual feminino, durante o qual o risco de conceção é menor. Comporta abstinência sexual durante cerca de 10 dias em cada ciclo. O período fértil é calculado da seguinte maneira: - A mulher tem uma ovulação por mês, 14 dias antes da menstruação seguinte; - O óvulo é viável cerca de 2 dias após a ovulação e o espermatozoide pode ser fecundante 3 a 5 dias após ejaculação. - Considerando a duração dos ciclos menstruais anteriores (pelo menos 6 ciclos) - calcula-se o período fértil subtraindo 10 dias ao número de dias do ciclo mais longo e 20 dias ao número de dias do ciclo mais curto. Durante o período fértil deverá associar método de barreira ou praticar a abstinência.
  • 7. Métodos naturais ou de abstinência sexual Calendário
  • 8. Métodos naturais ou de abstinência sexual Muco cervical
  • 9.
  • 10.
  • 11. Emancipação da Mulher Sem medo da contracepção Revolução Sexual
  • 12. Contraceção oral hormonal na mulher Métodos de contracepção que actuam no sistema hormonal  Comprimidos, bastante eficazes e seguros Não protegem das doenças sexualmente transmissíveis
  • 13. Tipos de pílula Pílula combinada Contem estrogénio e a progesterona Impede que ocorra a ovulação. Eficácia de 95-99% Pílula progestativa Contem apenas progesterona. É indicada para mulheres que estão a amamentar e/ou são pouco tolerantes a estrogénio. Eficácia de 95-99%
  • 14. Funcionamento da Pílula Inibição a ovulação Alteração das secreções vaginais. Alterações do endométrio Ovário Trompas de Falópio ÚTERO Ovário
  • 16.  Doença cardiovascular pré- existente  Mulheres que têm tendência familiar de formar coágulos sanguíneos  Mulheres com obesidade severa  Alto nível de colesterol  Tabagistas com mais de 35 anos.
  • 17. Vantagens da Pílula  Tem elevada eficácia contraceptiva;  Não interfere com a relação sexual;  Não altera a fertilidade após a suspensão do método.  Contribui para a prevenção de: gravidez ectópica, cancro do ovário e do endométrio, quistos funcionais do ovário, doença fibroquística da mama.
  • 18. Pílula Combinada Regulariza os ciclos menstruais: Melhora a tensão pré-menstrual e a dismenorreia; Reduz o acne; Previne e controla a anemia; Reduz as cólicas menstruais; Pílula Progestativa Pode ser utilizada quando os estrogénios estão contra- indicados; Não modifica a quantidade ou a qualidade do leite materno
  • 19. Desvantagens da pílula:  Exige o empenho da mulher para a toma diária da pílula;  Não protege contra as DTS  A pílula combinada pode afetar a quantidade e a qualidade do leite materno;
  • 20.  A pílula progestativa associa-se com irregularidades do ciclo menstrual;  Pode causar:  náuseas  sensibilidade nos seios  ganho de peso  retenção de água  alterações no humor  manchas na pele  dores de cabeça  aumento da pressão sanguínea.
  • 21.
  • 22. No caso de esquecimento Durante as 12 horas seguintes Tomar a pílula esquecida Após 12 horas Continuar embalagem. Usar preservativo No inicio da embalagem e já ocorreram relações sexuais Ir ao médico
  • 23. No caso de administração de outros medicamentos em conjunto com a pílula:  Existem medicamentos que têm algum dos princípios activos que interferem no efeito contraceptivo da pílula.  Ex: Antibióticos ou similares  No caso de vómitos e/ou diarreias
  • 24.
  • 25.  Reduz a quantidade de pêlos e oleosidade da pele;  Regulariza ciclos menstruais anormais;  Reduz cólicas menstruais;  Protege contra alguns tipos de infecções nas trompas de Falópio;  Previne anemia, e trata mulheres anémicas.
  • 26.
  • 27. A sua eficácia não é posta em causa na ocorrência de diarreia ou vómitos; Torna as hemorragias menstruais mais curtas, regulares e menos dolorosas; Métodos reversíveis; O perigo de esquecimento de toma é minimizado e pode entrar em contacto com água (adesivo);
  • 28. Diminui a incidência de: Gravidez ectópica; Cancro no endométrio; Cancro nos ovários; Quistos nos ovários; Doenças inflamatórias pélvicas (DIP); Doenças mamárias benignas;
  • 29. A incidência dos efeitos secundários é baixa; Não interferem no acto sexual; Retorno rápido aos níveis de fertilidade anteriores à sua utilização;
  • 30. Duração e eficácia muito alta; Não tem os efeitos secundários dos estrogénios; Como é colocado pela via subdérmica não apresenta efeitos secundários no fígado (Implanon); Melhora e previne muitas doenças, como a endometriose, eritropoiese ou mesmo anemia de células falciformes.
  • 31.
  • 32. ▪ Não protegem contra infeções sexualmente transmissíveis, pelo que deve também ser utilizado o preservativo (ou outro); ▪ Algumas mulheres sentem efeitos secundários – as causas destes sintomas devem ser estudadas, uma vez que pode existir um outro método de contraceção hormonal que seja mais adequado; ▪ O anel vaginal e, principalmente, o implante subcutâneo têm um custo mais dispendioso que os anticoncecionais orais.
  • 33.  Utilização de hormonas, como a progesterona, individualmente ou em associação;  Dos métodos mais utilizados em todo o mundo ;  Direccionados sobretudo para as mulheres;
  • 34.  Actuam ao nível do sistema hormonal: 1. Libertação de hormonas; 2. Feedback negativo sobre o complexo hipotálamo – hipófise; 3. Inibição na produção de gonadoestimulinas; 4. Regulação/ alteração do ciclo ovárico e uterino; 5. Prevenção da gravidez.
  • 35. E ainda… Alterações endometriais Alterações ao nível do muco cervical (diminuição em quantidade, perda da elasticidade e aumento da viscosidade) Entrada dos espermatozóides no útero fica mais difícil Fecundação menos provável Penso adesivo
  • 36. Note-se que em usuárias com peso superior a 90kg este valor tende a diminuir, tornando-se, assim, aconselhável a escolha de outra opção anticoncepcional. Penso adesivo
  • 37. 1. Necessita prescrição médica. 2. A usuária deve volta aos serviços de saúde um mês após o início da utilização. 3. Deve voltar ao controle preventivo de saúde uma vez por ano. Se existirem problemas com o uso do adesivo a usuária deve cancelar a utilização deste método e consultar um médico. Penso adesivo
  • 38.  Podem ser colocados:  A área escolhida pode ser sempre a mesmo ou não, desde que não seja colocado duas vezes seguidas no mesmo ponto. Penso adesivo
  • 39.  Pele:  limpa  seca  sem cremes, óleos ou loções • nunca em pele:  vermelha  irritada  com cortes Penso adesivo
  • 40.  Ao colocar:  Especial atenção para não tocar na parte interna do adesivo;  Seguir as instruções do panfleto informativo;  Deve ainda verificar o adesivo todos os dias. Penso adesivo
  • 41.  Quando começar a aplicar? I. Primeiro dia da menstruação; II. Num dia específico após o início da menstruação (com uso de outro contraceptivo). Penso adesivo
  • 42.  O adesivo deve ser utilizado durante 7 dias (semana 1).  No 8º dia deve retirar-se o usado e um novo adesivo deve ser colocado (início da semana 2)  este deve ser retirado ao 15º dia (semana 3) e outro deve ser colocado.  No 22º dia (semana 4) não se coloca um novo adesivo - período menstrual. Penso adesivo
  • 43.  Passados 7 dias reinicia-se um novo ciclo, e uma nova aplicação do adesivo.  Os ciclos podem ser alterados, e é possível antecipar o período da menstruação (nunca adiar), colocando o novo adesivo antes da data prevista. Penso adesivo
  • 44.  Não deve ser utilizado em mulheres :  Com coágulos sanguíneos,  Com algum tipo de cancro,  Com historial de ataques cardíacos,  Que estão ou podem estar grávidas. Penso adesivo
  • 45.  Deve ter-se em atenção a toma de antibióticos, antiepilépticos e anticonvulsivantes, pois reduzem o seu efeito.  Antes de prescrever qualquer outra medicação o médico deve ser informado do uso destes adesivos. Penso adesivo
  • 46.  Em caso de acidente ou esquecimento o adesivo deve ser reposto, ou o ciclo reiniciado, e a mulher deve sempre ter em atenção que nesses casos deve recorrer a outros métodos contraceptivos.  Se a mulher quiser interromper o tratamento pode fazê-lo, aí a contracepção acaba e a menstruação ocorre. Penso adesivo
  • 47.  Em caso de sangramento durante a utilização do adesivo o tratamento deve continuar. Se o sangramento fora de tempo persistir por vários ciclos aí a utilização do adesivo deve ser cancelada e a usuária deve consultar um médico.  Caso a fase menstrual não ocorra na semana que deve ocorrer o adesivo deverá ser reposto no dia programado. Se esta privação ocorrer em dois ciclos aí o tratamento deve ser interrompido, e a possibilidade de gestação deve ser testada. Penso adesivo
  • 48.
  • 49. Anel vaginal Quando surgiu? ♀ Feito de plástico ♀ Transparente ♀ Flexível Segundo a IPM, os anéis vaginais conferem
  • 50. ▪ elevada eficácia; ▪ em cada 100 mulheres ocorrem cerca de 0,4 a 1,2 gravidezes por ano; ▪ A variação vai depender do correcto seguimento das instruções de utilização do contraceptivo por parte da mulher; Curiosidade: ▪ Mulheres europeias apresentam uma percentagem maior de correcta utilização do anel vaginal comparativamente às mulheres norte-americanas. Anel vaginal
  • 51. ▪ O mesmo do da pílula anticoncepcional combinada; ▪ O anel é colocado pela própria mulher na vagina e deve ser mantido durante 3 semanas, parando durante uma semana (acto de uso), período durante o qual vai libertar as hormonas Anel vaginal Etinilestradiol (estrogénio) Etenogestrel (progestativo) ♀Inibição da ovulação (supressão da secreção de LH e FSH). ♀Aumento da viscosidade do muco cervical (dificultando a passagem dos espermatozóides e, como tal, a FECUNDAÇÃO.
  • 53. Anel vaginal ▪ Devem ser utilizados com indicação médica; ▪ Indicado para mulheres que necessitam de um método com grande eficácia, mas que no entanto não podem recorrer aos contraceptivos hormonais orais ou ao DIU.
  • 54. Anel vaginal ▪ similares aos da pílula e decorrentes da acção do estrogénio e progestagénio. ↘ náuseas; ↘ vómitos; ↘ hemorragia vaginal; ↘ corrimento vaginal; ↘ infecção; ↘ irritação; ↘ cefaleia.
  • 55. Anel vaginal ▪ Problemas de trombose venosa; ▪ Problemas cardíacos; ▪ AVC (acidente vascular cerebral); ▪ Epilepsia; ▪ Hipertensão; ▪ Diabetes Mellitus; ▪ Excesso de peso; ▪ Problemas hepáticos graves; ▪ Cancro da mama ou genital, porque são dependentes de hormonas. ▪ Doença que afecta o sistema imunitário; ▪ Mulher que está a amamentar; ▪ Fumadoras com mais de 35 anos; ▪ Interacções medicamentosas.
  • 56. Anel vaginal ▪ Sagramento de privação equivalente à menstruação, com uma duração de 4-5 dias; ▪ Cefaleia; ▪ Corrimento; ▪ Náuseas; ▪ O anel vaginal pode ser ocasionalmente sentido pelas mulheres durante o ato sexual, mas, a grande maioria dos parceiros sexuais não apresenta, às mulheres, objeções ao uso deste último.
  • 57.
  • 58. Aprovado pela 1.ª vez em: Aprovado pela Food and Drug Administration em: Utilização por 2,5 milhões de mulheres em todo mundo. 1998 17 de Junho de 2006 Implante subcutâneo
  • 60.  Etonogestrel (68 mg) – hormona feminina sintética idêntica à progesterona.  Inibição de ovulação;  Muco cervical;  Efeitos endometriais. Implante subcutâneo
  • 61.  O índice de falhos da hormona utilizada neste método – etonogestrel (um gestágeno) - é de 0,05%.  Verificou-se que a taxa de gravidez acumulada até 3 anos foi de zero, no total de 2.362 mulheres e 73.429 ciclos estudados. 99,9 % Assim, tem uma eficácia de Implante subcutâneo
  • 62. Consultas planeamento familiar; É sempre colocado e retirado por um profissional; Consultas de 6 em 6 meses ou anuais. Implante subcutâneo
  • 63. A utilização do Implanon é indicada especialmente às mulheres que não podem utilizar estrogénios e, por essa ou outra razão, os contraceptivos orais e o DIU não são aconselhados. O Implanon também é indicado a mulheres incapazes de tomar os contraceptivos orais com regularidade e que recusam outros métodos contraceptivos como o DIU ou os métodos injectáveis assim como para fumadoras com mais de 35 anos e portadoras de deficiências mentais. Implante subcutâneo
  • 68.  Retenção de líquidos;  Spotting;  Ausência de menstruação;  Cefaleia;  A fertilidade pode não ser imediata quando a mulher deixa de tomar; Breve referência
  • 70. Estes são métodos definitivos que envolvem uma cirurgia no sistema reprodutor que irá impedir que os gâmetas entrem nas vias genitais.
  • 71. Laqueação deTrompas A Laqueação de trompas é feita através de uma cirurgia, que bloqueia as trompas de Falópio de modo a interromper o percurso do gâmeta feminino. Deste modo o espermatozóide é impedido de chegar ao óvulo. É um método altamente eficaz, variando a taxa de eficácia de 99 a 99,9 %. Vantagens Desvantagens
  • 72. Vantagens  É uma contracepção segura, eficaz e definitiva.  Não interfere com a amamentação.  Não interfere com o acto sexual.  Não tem efeitos colaterais ou riscos para a saúde, a longo prazo. Pode melhorar o desejo e a resposta sexual, uma vez que elimina o receio de uma gravidez não desejada.  Pode ser realizada no pós-parto ou após uma IVG por doença materna, aproveitando o mesmo período de internamento.  Em alguns serviços pode ser realizada com anestesia local, em regime de ambulatório.
  • 73. Desvantagens  A mulher pode arrepender-se mais tarde, nesse caso a reversão requer cirurgia complexa, é cara e com pouca garantia de eficácia;  Riscos e efeitos colaterais da cirurgia;  O valor dessa cirurgia é mais alto do que a vasectomia;  Dor/desconforto de curta duração após procedimento;  Sem protecção para DST’s.
  • 74. Vasectomia A vasectomia é um procedimento cirúrgico simples, seguro e rápido, no qual se retira uma porção de cada canal deferente do Homem. Quando estes são cortados, a passagem dos espermatozóides produzidos pelos testículos é bloqueada, e assim o esperma libertado durante a ejaculação é incapaz de fertilizar o óvulo, prevenindo desta forma a gravidez. É um método altamente eficaz, variando a taxa de eficácia de 99 a 99,9 %. Vantagens Desvantagens http://www.youtube.com/watch?v=77fkgF4DA9I
  • 75. Vantagens  É uma contracepção segura, eficaz e definitiva.  Não interfere com o acto sexual.  Não tem efeitos colaterais ou riscos para a saúde, a longo prazo.  Pode melhorar a satisfação sexual, uma vez que elimina o receio de uma gravidez não desejada. Pode ser realizada com anestesia local, em regime de ambulatório.  Quando comparada com a laqueação de trompas, é mais simples de realizar e mais barata.
  • 76. Desvantagens  Só após 15 ou 20 ejaculações é que o homem é estéril;  A pessoa pode arrepender-se mais tarde (a reversão requer cirurgia especial, é cara e frequentemente com disponibilidade limitada);  Não proporciona protecção para DST’s  Dor/desconforto de curta duração após procedimento;
  • 77. Métodos contracetivos não naturais mecânicos  DIU-Dispositivo intrauterino / SIU São métodos contracetivos de longa duração (até 5 anos).  Existem vários.  Com hormonas denomina-se SIU;  sem hormonas e com cobre, denomina-se DIU.  99% de eficácia  Ao contrário da pílula, o dispositivo não requer precauções adicionais em caso de vómitos ou diarreia.
  • 79. Preservativo Impede o contacto entre os órgãos sexuais e, por conseguinte, a passagem do sémen até às trompas de Falópio, devido à presença de uma extremidade fechada, fixada ao colo do útero.
  • 80. Vantagens  Estima-se que, por ano, 10 em 100 mulheres engravidam utilizando este método.Tendo assim, cerca de 90% de eficácia;  Pode ser colocado até cerca de 8 horas antes da relação sexual e não necessita de ser retirado logo após o acto;  Protegem das doenças sexualmente transmissíveis;  Ausência de graves complicações;  Não é necessária a super-visão médica;  Não necessita de ser colocado antes nem retira logo após a relação sexual;  Por ser constituído por poliuretano torna-se mais resistente que o preservativo masculino.
  • 81. Desvantagens  A fricção ou o contacto com o lubrificante pode provocar:  Inflamações;  Irritações;  Alergias;  Difícil acesso de aquisição;  Tamanho e aspecto pouco estético;  Difícil colocação;  Desconforto durante a relação sexual;  Preço elevado.
  • 82. Preservativo É um dispositivo descartável em forma de tubo feito de látex ou poliuretano, existindo em várias cores, aromas e tamanhos.
  • 83. Vantagens  A utilização do preservativo impede o contacto dos órgãos sexuais, impedindo assim, a passagem dos espermatozóides para o útero e, por conseguinte, a fecundação;  Quando colocado correctamente apresenta uma taxa de eficácia de 90%, correspondendo a 5 gravidezes em 100, por ano;  Reduz a incidência de infeções sexualmente transmissíveis;  Fácil aquisição;  Método ideal para relações ocasionais ou imprevistas;  A sua utilização não tem contra-indicações.
  • 84. Desvantagens  Necessita de ser colocado no momento da relação sexual e tem de ser retirado logo após o ato;  Em alguns indivíduos pode ocorrer:  Manifestações alérgicas  Irritações  Quando mal colocado pode romper;  A sua utilização diminui a sensibilidade dos órgãos sexuais.

Notas do Editor

  1. (DIP) é uma infecção dos órgãos reprodutores femininos, causados por acção bacteriana, com maior frequência entre as mulheres jovens que mantem constantes relações sexuais, especialmente com múltiplos parceiros.
  2. É denominado eritropoiese o processo de produção de eritrócitos (também denominados como hemácias ouglóbulos vermelhos do sangue). Em humanos adultos, a eritropoiese ocorre na medula óssea
  3. O Implanon foi aprovado para uso primeiramente na Indonésia em 1998 e, posteriormente, em mais trinta países. Apenas mais tarde, em 17 de Junho de 2006, foi aprovado nos Estados Unidos da América pela Food and Drug Administration (FDA). Posteriormente à sua aprovação e divulgação, o Implanon tem sido utilizado por mais de 2,5 milhões de mulheres em todo o mundo.