SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 16
NOS DOMÍNIOS DA
MEDIUNIDADE
FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER
PELO ESPÍRITO ANDRÉ LUIZ
CAP. 4 - ANTE O SERVIÇO
MIRNA MUNCKE – 10/10/2017
CAPÍTULO 4 - ANTE O SERVIÇO
O capítulo 4 do livro em estudo apresenta
problemas de suma importância para todos os
que nos achamos empenhados no esforço de
auto renovação com o Mestre.
Analisando aquele magistral capítulo, melhor se
consolidou velha impressão de que, em vários
casos, nem sempre o obsessor é o desencarnado,
mas sim o encarnado.
Existem inúmeros casos em que o espírito luta,
para desvencilhar-se da prisão mental que o
encarnado estabelece em torno dele,
conservando-o cativo e subjugado a pensamentos
dolorosos e enfermiços.
• Estudando a mediunidade - Martins Peralva
Pessoas
Prisões Mentais Situações
Coisas
CAPÍTULO 4 - ANTE O SERVIÇO
- São doentes a serem beneficiados – informou-nos o orientador.
Dir-se-ia que se aglomeravam, em derredor dos amigos encarnados em prece, quais mariposas
inconscientes, rodeando grande luz.
Vinham bulhentas, proferindo frases desconexas ou exclamações menos edificantes, entretanto,
logo que atingidas pelas emanações espirituais do grupo, emudeciam de pronto, qual se fossem
contidas por forças que elas próprias não conseguiam perceber.
São almas em turvação mental, que acompanham parentes, amigos
ou desafetos às reuniões públicas da Instituição , e que se desligam
deles quando os encarnados se deixam renovar pelas idéias
salvadoras, expressas na palavra dos que veiculam o ensinamento
doutrinário.
Modificado o centro mental daqueles que habitualmente vampirizam,
essas entidades vêem-se como que despejadas de casa, porquanto,
alterada a elaboração do pensamento naqueles a quem se afeiçoam,
experimentam súbitas revira voltas nas posições em que falsamente
se equilibram.
Algumas delas, rebeladas, fogem dos templos de oração como este,
detestando-lhes temporariamente os serviços e armando novas
perseguições às suas vítimas, que procuram até o reencontro;
contudo, outras, de algum modo tocadas pelas lições ouvidas,
demoram-se no local das predicações em ansiosa expectativa,
famintas de maior esclarecimento.
O QUE É TURVAÇÃO MENTAL
... parentes, amigos e
desafetos dos encarnados que lá se
encontravam, todos mantendo um padrão
vibratório inferior e em acentuado
estado de perturbação.
Encontravam-se ligados aos encarnados por
sintonia, que os vinculava magneticamente.
OBSESSÃO
O vampirismo espiritual não só acontece de desencarnado e encarnado,
como entre os próprios desencarnados.
Vampirismo Psicofisico
Entre desencarnados e encarnados, a ação mental dos obsessores produz
efeitos que, repercutem no organismo físico. Seria o vampirismo
psicofisico, de constatacao mais facil, como por ex.: acontece nas
contaminações fluídicas que levam o obsidiado a:
• dipsomania ( impulso mórbido que leva a ingerir bebidas tóxicas
sobretudo alcólicas).
• a toxicomania e tantos outros vícios que corroem o moral e as
resistências físicas.
• Os casos mais frequentes são motivados por desregramento no uso de:
alcoólicos, fumo, e pratica sexual. Os espíritos vampirizadores fazem uso
de suas vitimas como instrumento para lhes propiciar a satisfação de
seus desejos.
Livro: Perispírito - Zalmino Zimmermann
CAP. 4 - ANTE O SERVIÇO
Entidades vampirizantes, operam contra eles,
muitas vezes envolvendo-lhes os ouvintes em
fluidos entorpecentes, conduzindo esses
últimos ao sono provocado, para que se lhes
adie a renovação.
A INFLUENCICÃO DOS ESPÍRITOS SOBRE OS ENCARNADOS SE EXERCE
PELA SINTONIA
htts://www.youtube.com/watch?v=s7bORypaPw8
Ler página 17 – Estudando a Mediunidade
Questão 459 – Livro dos Espíritos
459 – Os Espíritos influem em nossos pensamentos e ações?
R. Muito mais do que imaginais. Influem a tal ponto que, muitas vezes, são eles que vos
dirigem.
Questão 460 – Livro dos Espíritos
460 – Temos pensamentos que nos são próprios e outros que nos são sugeridos?
R. Vossa alma é um Espírito que pensa. Não deixeis de considerar que vários pensamentos
vos ocorrem ao mesmo tempo sobre um mesmo assunto, e que, muitas vezes, eles são
contraditórios entre si. Pois bem! Neles há sempre um pouco de vós e um pouco de nós. É
isso que vos deixa na incerteza, pois tendes em vós duas ideais que se entrechocam.
CAP. 4 - ANTE O SERVIÇO
Mas este mesmo fenômeno se repete nas igrejas de outras confissões religiosas?
- Sim. A palavra desempenha significativo papel nas construções do espírito. Sermões e conferências de
sacerdotes e doutrinadores, em variados setores da fé, sempre que inspirados no infinito Bem, guardam o
objetivo da elevação moral.
(...)Daí o valor do culto religioso respeitável, formando ambiente propício à ascensão espiritual, com
indiscutíveis vantagens, não só para os Espíritos encarnados que a ele assistem, com sinceridade e fervor,
mas também para os desencarnados, que aspiram à própria transformação. Todos os santuários, em seus
atos públicos, estão repletos de almas necessitadas que a eles comparecem, sem o veículo denso,
sequiosas de reconforto. Os expositores da boa palavra podem ser comparados a técnicos eletricistas,
desligando “tomadas mentais”, através dos princípios libertadores que distribuem na esfera do
pensamento(...)
Ler: Libertação
CAP. 4 - ANTE O SERVIÇO
(...)Entre os homens, porém, se não é fácil
cultivar a vida digna, é muito difícil habilitar-se
a criatura à morte libertadora. Comumente,
desencarna-se a alma, sem que se lhe
desagarrem os pensamentos , enovelados em
situações, pessoas e coisas da Terra.
A mente, por isso, continua encarcerada nos
interesses quase sempre inferiores do mundo,
cristalizada e enfermiça(...)
Quão raros na Terra se capacitam de que
trazemos conosco os sinais de nossos
pensamentos, de nossas atividades e de nossas
obras, e o túmulo nada mais faz que o banho
revelador das imagens que escondemos no
mundo, sob as vestes da carne! ...
Hilário ia utilizar o psicoscópio mas Aulus
informa que não é necessário basta examina-
los:
Nossos irmãos sofredores trazem consigo,
individualmente, o estigma dos erros
deliberados a que se entregaram. A doença,
com resultante de desequilíbrio moral,
sobrevive no períspirito, alimentada pelos
pensamentos que geraram, quando esse
pensamentos persistem depois da morte do
corpo físico
“ Todas as ocorrências de caráter patológico, em
principio, tem sua gênese em disfunções dos centros
vitais, e estes, em seu dinamismo, simplesmente
refletem o estado da mente.
Pensamneto equilibrado, harmonizado com o bem,
significa fluxo normal da energia vital, sob o
comando dos centros de forca, traduzindo, de
consequência, regularidade fisiológica.
Em outras palavras, mente serena, limpa e amorosa, sustentando
harmoniosamente um campo perispiritico, representa perfeita
higidez física. Ao contrario, mente doente, com as forcas
psicosomicas em regime de disfunção, significa corpo enfermo
A RENOVAÇÃO MENTAL É A RENOVAÇÃO DA VIDA
As obsessões podem cessar, entre outros, por um dos seguintes motivos:
a) Pelo esclarecimento do encarnado, que despejará de sua “casa mental” o hóspede invisível
b) Pelo esclarecimento do desencarnado, que se libertará da prisão mental que o encarnado
lhe vinha impondo.
c) Pela melhoria de ambos
Desligamento de “tomadas mentais”, através dos princípios
Frutos da Doutrinação libertadores que doutrinadores distribuem na esfera do
pensamento
Consolidação do Equilíbrio Estudo + Meditação = Renovação
Renovação + Trabalho = Libertação
Despejo Ausência de afinidade, em virtude de o encarnado modificar
os centros mentais.
Nos casos de obsessão, o esclarecimento doutrinário que é prestado nas reuniões
públicas da casa espírita pode romper o vínculo magnético que une as duas partes,
indispensável à instalação do processo. Para tanto, é necessário, porém, que o
encarnado que lá comparece esteja receptivo a esses ensinamentos, através do
desejo sincero de modificar seus hábitos mentais. Modificada a natureza de seus
pensamentos, deixa de existir aquela identidade vibratória mencionada, sendo o
desencarnado perturbador "despejado" do centro mental do obsidiado, como Áulus
se expressou.
AULUS COMENTA A IMPORTÂNCIA DAS REUNIÕES PÚBLICAS DA INSTITUIÇÃO.
QUAL A IMPORTÂNCIA DELAS E QUAL A SUA CORRELAÇÃO COM AS REUNIÕES
MEDIÚNICAS?
AULUS COMENTA A IMPORTÂNCIA DAS REUNIÕES PÚBLICAS DA
INSTITUIÇÃO. QUAL A IMPORTÂNCIA DELAS E QUAL A SUA
CORRELAÇÃO COM AS REUNIÕES MEDIÚNICAS?
Já as reuniões mediúnicas, em regra, devem ser reservadas, pois é
indispensável uma identidade de propósitos entre seus participantes. Qualquer
que se apresente desarmonizado com o restante do grupo vai gerar,
certamente, uma quebra de homogeneidade de pensamentos e propósitos,
abrindo as portas para entidades perturbadoras. Não significa que estas não
devam ser admitidas.
Elas devem, sim, ser trazidas para receberem o esclarecimento
doutrinário que poderá tirá-las daquela condição. Mas o grupo mediúnico deve
ser homogêneo para poder lidar com elas convenientemente.
Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo - CVDEE
Acompanhe nossas reuniões:
Aplicativo – Mix Ir
http://www.mixir.com (procurar grupo GECD)
Blog - GECD
http://www.espacodespertar.blogspot.com
Acompanhe nossas reuniões:

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Nos dominios da mediunidade - Cap.3
Nos dominios da mediunidade  - Cap.3Nos dominios da mediunidade  - Cap.3
Nos dominios da mediunidade - Cap.3Patricia Farias
 
Nos dominios da mediunidade - Cap5
Nos dominios da mediunidade - Cap5Nos dominios da mediunidade - Cap5
Nos dominios da mediunidade - Cap5Patricia Farias
 
Olm 100922-médiuns escreventes-especiais-formação dos médiuns
Olm 100922-médiuns escreventes-especiais-formação dos médiunsOlm 100922-médiuns escreventes-especiais-formação dos médiuns
Olm 100922-médiuns escreventes-especiais-formação dos médiunsCarlos Alberto Freire De Souza
 
Nos domínios da mediunidade aula11
Nos domínios da mediunidade aula11Nos domínios da mediunidade aula11
Nos domínios da mediunidade aula11Leonardo Pereira
 
A Ação Educativa da Casa Espírita
A Ação Educativa da Casa EspíritaA Ação Educativa da Casa Espírita
A Ação Educativa da Casa Espíritaigmateus
 
A casa espírita
A casa espírita A casa espírita
A casa espírita telmacorte
 
2.6.3 Percepções sensações e sofrimentos dos Espíritos
2.6.3   Percepções sensações e sofrimentos dos Espíritos2.6.3   Percepções sensações e sofrimentos dos Espíritos
2.6.3 Percepções sensações e sofrimentos dos EspíritosMarta Gomes
 
Concentração Aura e Irradiação
Concentração Aura e IrradiaçãoConcentração Aura e Irradiação
Concentração Aura e IrradiaçãoGraça Maciel
 
Nos dominios da mediunidade cap1
Nos dominios da mediunidade   cap1Nos dominios da mediunidade   cap1
Nos dominios da mediunidade cap1Patricia Farias
 
O centro espírita e nós!
O centro espírita e nós!O centro espírita e nós!
O centro espírita e nós!Leonardo Pereira
 
2.9.4 Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos
2.9.4   Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos2.9.4   Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos
2.9.4 Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticosMarta Gomes
 
Nos domínios da mediunidade aula7
Nos domínios da mediunidade aula7Nos domínios da mediunidade aula7
Nos domínios da mediunidade aula7Leonardo Pereira
 
Livro ação e reação cap 01 - parte 01
Livro ação e reação   cap 01 - parte 01Livro ação e reação   cap 01 - parte 01
Livro ação e reação cap 01 - parte 01Lar Irmã Zarabatana
 
Vigiando o pensamento-1,5h
Vigiando o pensamento-1,5hVigiando o pensamento-1,5h
Vigiando o pensamento-1,5hhome
 
A importância da palestra espirita
A importância da palestra espiritaA importância da palestra espirita
A importância da palestra espiritacarlos freire
 
Missionários da luz resumo de consolidação
Missionários da luz resumo de consolidaçãoMissionários da luz resumo de consolidação
Missionários da luz resumo de consolidaçãoSergio Rodriguez
 
Influência Moral do Médium e do Meio
Influência Moral do Médium e do MeioInfluência Moral do Médium e do Meio
Influência Moral do Médium e do Meioigmateus
 

Mais procurados (20)

Nos dominios da mediunidade - Cap.3
Nos dominios da mediunidade  - Cap.3Nos dominios da mediunidade  - Cap.3
Nos dominios da mediunidade - Cap.3
 
Nos dominios da mediunidade - Cap5
Nos dominios da mediunidade - Cap5Nos dominios da mediunidade - Cap5
Nos dominios da mediunidade - Cap5
 
Olm 100922-médiuns escreventes-especiais-formação dos médiuns
Olm 100922-médiuns escreventes-especiais-formação dos médiunsOlm 100922-médiuns escreventes-especiais-formação dos médiuns
Olm 100922-médiuns escreventes-especiais-formação dos médiuns
 
Nos domínios da mediunidade aula11
Nos domínios da mediunidade aula11Nos domínios da mediunidade aula11
Nos domínios da mediunidade aula11
 
A Ação Educativa da Casa Espírita
A Ação Educativa da Casa EspíritaA Ação Educativa da Casa Espírita
A Ação Educativa da Casa Espírita
 
A casa espírita
A casa espírita A casa espírita
A casa espírita
 
Obsessão e desobsessão
Obsessão e desobsessãoObsessão e desobsessão
Obsessão e desobsessão
 
2.6.3 Percepções sensações e sofrimentos dos Espíritos
2.6.3   Percepções sensações e sofrimentos dos Espíritos2.6.3   Percepções sensações e sofrimentos dos Espíritos
2.6.3 Percepções sensações e sofrimentos dos Espíritos
 
Concentração Aura e Irradiação
Concentração Aura e IrradiaçãoConcentração Aura e Irradiação
Concentração Aura e Irradiação
 
Nos dominios da mediunidade cap1
Nos dominios da mediunidade   cap1Nos dominios da mediunidade   cap1
Nos dominios da mediunidade cap1
 
O centro espírita e nós!
O centro espírita e nós!O centro espírita e nós!
O centro espírita e nós!
 
2.9.4 Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos
2.9.4   Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos2.9.4   Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos
2.9.4 Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos
 
Perispírito
PerispíritoPerispírito
Perispírito
 
Nos domínios da mediunidade aula7
Nos domínios da mediunidade aula7Nos domínios da mediunidade aula7
Nos domínios da mediunidade aula7
 
Livro ação e reação cap 01 - parte 01
Livro ação e reação   cap 01 - parte 01Livro ação e reação   cap 01 - parte 01
Livro ação e reação cap 01 - parte 01
 
Vigiando o pensamento-1,5h
Vigiando o pensamento-1,5hVigiando o pensamento-1,5h
Vigiando o pensamento-1,5h
 
A importância da palestra espirita
A importância da palestra espiritaA importância da palestra espirita
A importância da palestra espirita
 
Missionários da luz resumo de consolidação
Missionários da luz resumo de consolidaçãoMissionários da luz resumo de consolidação
Missionários da luz resumo de consolidação
 
Mediunidade com jesus
Mediunidade com jesusMediunidade com jesus
Mediunidade com jesus
 
Influência Moral do Médium e do Meio
Influência Moral do Médium e do MeioInfluência Moral do Médium e do Meio
Influência Moral do Médium e do Meio
 

Semelhante a Nos dominios da mediunidade Cap. 4 Ante o Servico

Regressão terapêutica espirita
Regressão terapêutica espiritaRegressão terapêutica espirita
Regressão terapêutica espiritaAnselmo Heib
 
Comunicabilidade dos Espíritos
Comunicabilidade dos Espíritos Comunicabilidade dos Espíritos
Comunicabilidade dos Espíritos Leonardo Pereira
 
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XIX e XX - Predisposições...
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XIX e XX - Predisposições...Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XIX e XX - Predisposições...
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XIX e XX - Predisposições...Cynthia Castro
 
Transtornos mentais (visao espirita)
Transtornos mentais (visao espirita)Transtornos mentais (visao espirita)
Transtornos mentais (visao espirita)Fatima Carvalho
 
Uma razao para viver (richard simonetti)
Uma razao para viver (richard simonetti)Uma razao para viver (richard simonetti)
Uma razao para viver (richard simonetti)Helio Cruz
 
Vibrações compensadas lar de amor
Vibrações compensadas   lar de amorVibrações compensadas   lar de amor
Vibrações compensadas lar de amorLorena Dias
 
Esclarecedores de Reunião Mediúnica
Esclarecedores de Reunião MediúnicaEsclarecedores de Reunião Mediúnica
Esclarecedores de Reunião MediúnicaM.R.L
 
Desobsessão (psicografia chico xavier e waldo vieira espírito andré luiz)
Desobsessão  (psicografia chico xavier e waldo vieira   espírito andré luiz)Desobsessão  (psicografia chico xavier e waldo vieira   espírito andré luiz)
Desobsessão (psicografia chico xavier e waldo vieira espírito andré luiz)Bruno Bartholomei
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Leonardo Pereira
 
Divaldo franco nos bastidores da obsessão
Divaldo franco   nos bastidores  da obsessãoDivaldo franco   nos bastidores  da obsessão
Divaldo franco nos bastidores da obsessãoEWALDO DE SOUZA
 
AULA 112 EAE DM - ESTUDO DO PERISPÍRITO E DOS CENTROS DE FORÇA - 20210709v1
AULA 112 EAE DM - ESTUDO DO PERISPÍRITO E DOS CENTROS DE FORÇA - 20210709v1AULA 112 EAE DM - ESTUDO DO PERISPÍRITO E DOS CENTROS DE FORÇA - 20210709v1
AULA 112 EAE DM - ESTUDO DO PERISPÍRITO E DOS CENTROS DE FORÇA - 20210709v1Daniel de Melo
 
Inimigos desencarnados obsessao mal da humanidade
Inimigos desencarnados obsessao mal da humanidadeInimigos desencarnados obsessao mal da humanidade
Inimigos desencarnados obsessao mal da humanidadeClaudio Macedo
 
08 os corpos espirituais
08  os corpos espirituais08  os corpos espirituais
08 os corpos espirituaisAntonio SSantos
 

Semelhante a Nos dominios da mediunidade Cap. 4 Ante o Servico (20)

Desobsessao
DesobsessaoDesobsessao
Desobsessao
 
Regressão terapêutica espirita
Regressão terapêutica espiritaRegressão terapêutica espirita
Regressão terapêutica espirita
 
Comunicabilidade dos Espíritos
Comunicabilidade dos Espíritos Comunicabilidade dos Espíritos
Comunicabilidade dos Espíritos
 
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XIX e XX - Predisposições...
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XIX e XX - Predisposições...Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XIX e XX - Predisposições...
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XIX e XX - Predisposições...
 
Mediunidade o que é isso apostila 033
Mediunidade o que é isso   apostila 033Mediunidade o que é isso   apostila 033
Mediunidade o que é isso apostila 033
 
Transtornos mentais (visao espirita)
Transtornos mentais (visao espirita)Transtornos mentais (visao espirita)
Transtornos mentais (visao espirita)
 
Uma razao para viver (richard simonetti)
Uma razao para viver (richard simonetti)Uma razao para viver (richard simonetti)
Uma razao para viver (richard simonetti)
 
Vibrações compensadas lar de amor
Vibrações compensadas   lar de amorVibrações compensadas   lar de amor
Vibrações compensadas lar de amor
 
Esclarecedores de Reunião Mediúnica
Esclarecedores de Reunião MediúnicaEsclarecedores de Reunião Mediúnica
Esclarecedores de Reunião Mediúnica
 
Desobsessão (psicografia chico xavier e waldo vieira espírito andré luiz)
Desobsessão  (psicografia chico xavier e waldo vieira   espírito andré luiz)Desobsessão  (psicografia chico xavier e waldo vieira   espírito andré luiz)
Desobsessão (psicografia chico xavier e waldo vieira espírito andré luiz)
 
( Espiritismo) # - estudando a mediunidade
( Espiritismo)   # - estudando a mediunidade( Espiritismo)   # - estudando a mediunidade
( Espiritismo) # - estudando a mediunidade
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 
Divaldo franco nos bastidores da obsessão
Divaldo franco   nos bastidores  da obsessãoDivaldo franco   nos bastidores  da obsessão
Divaldo franco nos bastidores da obsessão
 
AULA 112 EAE DM - ESTUDO DO PERISPÍRITO E DOS CENTROS DE FORÇA - 20210709v1
AULA 112 EAE DM - ESTUDO DO PERISPÍRITO E DOS CENTROS DE FORÇA - 20210709v1AULA 112 EAE DM - ESTUDO DO PERISPÍRITO E DOS CENTROS DE FORÇA - 20210709v1
AULA 112 EAE DM - ESTUDO DO PERISPÍRITO E DOS CENTROS DE FORÇA - 20210709v1
 
Apostila obsessão lar rubataiana -doc - 11 doc
Apostila obsessão   lar rubataiana -doc - 11 docApostila obsessão   lar rubataiana -doc - 11 doc
Apostila obsessão lar rubataiana -doc - 11 doc
 
Apostila obsessão lar rubataiana -2009 .doc - 11 doc
Apostila obsessão   lar rubataiana -2009 .doc - 11 docApostila obsessão   lar rubataiana -2009 .doc - 11 doc
Apostila obsessão lar rubataiana -2009 .doc - 11 doc
 
Inimigos desencarnados obsessao mal da humanidade
Inimigos desencarnados obsessao mal da humanidadeInimigos desencarnados obsessao mal da humanidade
Inimigos desencarnados obsessao mal da humanidade
 
Desobsessao
DesobsessaoDesobsessao
Desobsessao
 
14 essência da luz
14  essência da luz14  essência da luz
14 essência da luz
 
08 os corpos espirituais
08  os corpos espirituais08  os corpos espirituais
08 os corpos espirituais
 

Mais de Patricia Farias

evangelho_cap16_item8.pptx
evangelho_cap16_item8.pptxevangelho_cap16_item8.pptx
evangelho_cap16_item8.pptxPatricia Farias
 
evangelho_cap16_item7.pptx
evangelho_cap16_item7.pptxevangelho_cap16_item7.pptx
evangelho_cap16_item7.pptxPatricia Farias
 
evangelho_cap16_item4_parte3.pptx
evangelho_cap16_item4_parte3.pptxevangelho_cap16_item4_parte3.pptx
evangelho_cap16_item4_parte3.pptxPatricia Farias
 
evangelho_cap16_item4_parte2.pptx
evangelho_cap16_item4_parte2.pptxevangelho_cap16_item4_parte2.pptx
evangelho_cap16_item4_parte2.pptxPatricia Farias
 
evangelho_cap16_item4.pptx
evangelho_cap16_item4.pptxevangelho_cap16_item4.pptx
evangelho_cap16_item4.pptxPatricia Farias
 
evangelho_cap16_item1.pptx
evangelho_cap16_item1.pptxevangelho_cap16_item1.pptx
evangelho_cap16_item1.pptxPatricia Farias
 
evangelho_cap15_item4.pptx
evangelho_cap15_item4.pptxevangelho_cap15_item4.pptx
evangelho_cap15_item4.pptxPatricia Farias
 
evangelho_cap15_item1.pptx
evangelho_cap15_item1.pptxevangelho_cap15_item1.pptx
evangelho_cap15_item1.pptxPatricia Farias
 
Evangelho Cap13 item 5 - O Obulo da Viuva
Evangelho Cap13 item 5 - O Obulo da ViuvaEvangelho Cap13 item 5 - O Obulo da Viuva
Evangelho Cap13 item 5 - O Obulo da ViuvaPatricia Farias
 
CAPÍTULO XIII NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...
CAPÍTULO XIII   NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...CAPÍTULO XIII   NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...
CAPÍTULO XIII NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...Patricia Farias
 
CAPÍTULO XIII NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...
CAPÍTULO XIII   NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...CAPÍTULO XIII   NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...
CAPÍTULO XIII NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...Patricia Farias
 
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 9
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 9CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 9
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 9Patricia Farias
 
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 7
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 7CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 7
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 7Patricia Farias
 
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 5
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 5CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 5
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 5Patricia Farias
 

Mais de Patricia Farias (20)

evangelho_cap16_item8.pptx
evangelho_cap16_item8.pptxevangelho_cap16_item8.pptx
evangelho_cap16_item8.pptx
 
evangelho_cap16_item7.pptx
evangelho_cap16_item7.pptxevangelho_cap16_item7.pptx
evangelho_cap16_item7.pptx
 
evangelho_cap16_item4_parte3.pptx
evangelho_cap16_item4_parte3.pptxevangelho_cap16_item4_parte3.pptx
evangelho_cap16_item4_parte3.pptx
 
evangelho_cap16_item4_parte2.pptx
evangelho_cap16_item4_parte2.pptxevangelho_cap16_item4_parte2.pptx
evangelho_cap16_item4_parte2.pptx
 
evangelho_cap16_item4.pptx
evangelho_cap16_item4.pptxevangelho_cap16_item4.pptx
evangelho_cap16_item4.pptx
 
evangelho_cap16_item1.pptx
evangelho_cap16_item1.pptxevangelho_cap16_item1.pptx
evangelho_cap16_item1.pptx
 
evangelho_cap15_item4.pptx
evangelho_cap15_item4.pptxevangelho_cap15_item4.pptx
evangelho_cap15_item4.pptx
 
evangelho_cap15_item1.pptx
evangelho_cap15_item1.pptxevangelho_cap15_item1.pptx
evangelho_cap15_item1.pptx
 
Evangelho cap14 item1
Evangelho cap14 item1Evangelho cap14 item1
Evangelho cap14 item1
 
Evangelho cap14 item7
Evangelho cap14 item7Evangelho cap14 item7
Evangelho cap14 item7
 
Evangelho Cap14 item9
Evangelho Cap14 item9 Evangelho Cap14 item9
Evangelho Cap14 item9
 
Evangelho Cap13 item 5 - O Obulo da Viuva
Evangelho Cap13 item 5 - O Obulo da ViuvaEvangelho Cap13 item 5 - O Obulo da Viuva
Evangelho Cap13 item 5 - O Obulo da Viuva
 
CAPÍTULO XIII NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...
CAPÍTULO XIII   NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...CAPÍTULO XIII   NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...
CAPÍTULO XIII NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...
 
CAPÍTULO XIII NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...
CAPÍTULO XIII   NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...CAPÍTULO XIII   NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...
CAPÍTULO XIII NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...
 
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 9
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 9CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 9
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 9
 
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 7
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 7CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 7
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 7
 
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 5
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 5CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 5
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 5
 
Evangelho cap12 item1
Evangelho cap12 item1Evangelho cap12 item1
Evangelho cap12 item1
 
Evangelho cap11 item13
Evangelho cap11 item13Evangelho cap11 item13
Evangelho cap11 item13
 
Evangelho cap11 item11
Evangelho cap11 item11Evangelho cap11 item11
Evangelho cap11 item11
 

Último

Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxCulto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxManoel Candido Pires Junior
 
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2Nilson Almeida
 
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdfESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdfDaddizinhaRodrigues
 
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdfLeandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdfFrancisco Baptista
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024Fraternitas Movimento
 

Último (7)

Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxCulto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
 
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
 
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdfESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
 
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdfLeandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
 

Nos dominios da mediunidade Cap. 4 Ante o Servico

  • 1. NOS DOMÍNIOS DA MEDIUNIDADE FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER PELO ESPÍRITO ANDRÉ LUIZ CAP. 4 - ANTE O SERVIÇO MIRNA MUNCKE – 10/10/2017
  • 2. CAPÍTULO 4 - ANTE O SERVIÇO O capítulo 4 do livro em estudo apresenta problemas de suma importância para todos os que nos achamos empenhados no esforço de auto renovação com o Mestre. Analisando aquele magistral capítulo, melhor se consolidou velha impressão de que, em vários casos, nem sempre o obsessor é o desencarnado, mas sim o encarnado. Existem inúmeros casos em que o espírito luta, para desvencilhar-se da prisão mental que o encarnado estabelece em torno dele, conservando-o cativo e subjugado a pensamentos dolorosos e enfermiços. • Estudando a mediunidade - Martins Peralva Pessoas Prisões Mentais Situações Coisas
  • 3. CAPÍTULO 4 - ANTE O SERVIÇO - São doentes a serem beneficiados – informou-nos o orientador. Dir-se-ia que se aglomeravam, em derredor dos amigos encarnados em prece, quais mariposas inconscientes, rodeando grande luz. Vinham bulhentas, proferindo frases desconexas ou exclamações menos edificantes, entretanto, logo que atingidas pelas emanações espirituais do grupo, emudeciam de pronto, qual se fossem contidas por forças que elas próprias não conseguiam perceber.
  • 4. São almas em turvação mental, que acompanham parentes, amigos ou desafetos às reuniões públicas da Instituição , e que se desligam deles quando os encarnados se deixam renovar pelas idéias salvadoras, expressas na palavra dos que veiculam o ensinamento doutrinário. Modificado o centro mental daqueles que habitualmente vampirizam, essas entidades vêem-se como que despejadas de casa, porquanto, alterada a elaboração do pensamento naqueles a quem se afeiçoam, experimentam súbitas revira voltas nas posições em que falsamente se equilibram. Algumas delas, rebeladas, fogem dos templos de oração como este, detestando-lhes temporariamente os serviços e armando novas perseguições às suas vítimas, que procuram até o reencontro; contudo, outras, de algum modo tocadas pelas lições ouvidas, demoram-se no local das predicações em ansiosa expectativa, famintas de maior esclarecimento.
  • 5. O QUE É TURVAÇÃO MENTAL ... parentes, amigos e desafetos dos encarnados que lá se encontravam, todos mantendo um padrão vibratório inferior e em acentuado estado de perturbação. Encontravam-se ligados aos encarnados por sintonia, que os vinculava magneticamente.
  • 6. OBSESSÃO O vampirismo espiritual não só acontece de desencarnado e encarnado, como entre os próprios desencarnados. Vampirismo Psicofisico Entre desencarnados e encarnados, a ação mental dos obsessores produz efeitos que, repercutem no organismo físico. Seria o vampirismo psicofisico, de constatacao mais facil, como por ex.: acontece nas contaminações fluídicas que levam o obsidiado a: • dipsomania ( impulso mórbido que leva a ingerir bebidas tóxicas sobretudo alcólicas). • a toxicomania e tantos outros vícios que corroem o moral e as resistências físicas. • Os casos mais frequentes são motivados por desregramento no uso de: alcoólicos, fumo, e pratica sexual. Os espíritos vampirizadores fazem uso de suas vitimas como instrumento para lhes propiciar a satisfação de seus desejos. Livro: Perispírito - Zalmino Zimmermann
  • 7. CAP. 4 - ANTE O SERVIÇO Entidades vampirizantes, operam contra eles, muitas vezes envolvendo-lhes os ouvintes em fluidos entorpecentes, conduzindo esses últimos ao sono provocado, para que se lhes adie a renovação.
  • 8. A INFLUENCICÃO DOS ESPÍRITOS SOBRE OS ENCARNADOS SE EXERCE PELA SINTONIA htts://www.youtube.com/watch?v=s7bORypaPw8 Ler página 17 – Estudando a Mediunidade Questão 459 – Livro dos Espíritos 459 – Os Espíritos influem em nossos pensamentos e ações? R. Muito mais do que imaginais. Influem a tal ponto que, muitas vezes, são eles que vos dirigem. Questão 460 – Livro dos Espíritos 460 – Temos pensamentos que nos são próprios e outros que nos são sugeridos? R. Vossa alma é um Espírito que pensa. Não deixeis de considerar que vários pensamentos vos ocorrem ao mesmo tempo sobre um mesmo assunto, e que, muitas vezes, eles são contraditórios entre si. Pois bem! Neles há sempre um pouco de vós e um pouco de nós. É isso que vos deixa na incerteza, pois tendes em vós duas ideais que se entrechocam.
  • 9. CAP. 4 - ANTE O SERVIÇO Mas este mesmo fenômeno se repete nas igrejas de outras confissões religiosas? - Sim. A palavra desempenha significativo papel nas construções do espírito. Sermões e conferências de sacerdotes e doutrinadores, em variados setores da fé, sempre que inspirados no infinito Bem, guardam o objetivo da elevação moral. (...)Daí o valor do culto religioso respeitável, formando ambiente propício à ascensão espiritual, com indiscutíveis vantagens, não só para os Espíritos encarnados que a ele assistem, com sinceridade e fervor, mas também para os desencarnados, que aspiram à própria transformação. Todos os santuários, em seus atos públicos, estão repletos de almas necessitadas que a eles comparecem, sem o veículo denso, sequiosas de reconforto. Os expositores da boa palavra podem ser comparados a técnicos eletricistas, desligando “tomadas mentais”, através dos princípios libertadores que distribuem na esfera do pensamento(...) Ler: Libertação
  • 10. CAP. 4 - ANTE O SERVIÇO (...)Entre os homens, porém, se não é fácil cultivar a vida digna, é muito difícil habilitar-se a criatura à morte libertadora. Comumente, desencarna-se a alma, sem que se lhe desagarrem os pensamentos , enovelados em situações, pessoas e coisas da Terra. A mente, por isso, continua encarcerada nos interesses quase sempre inferiores do mundo, cristalizada e enfermiça(...) Quão raros na Terra se capacitam de que trazemos conosco os sinais de nossos pensamentos, de nossas atividades e de nossas obras, e o túmulo nada mais faz que o banho revelador das imagens que escondemos no mundo, sob as vestes da carne! ... Hilário ia utilizar o psicoscópio mas Aulus informa que não é necessário basta examina- los:
  • 11. Nossos irmãos sofredores trazem consigo, individualmente, o estigma dos erros deliberados a que se entregaram. A doença, com resultante de desequilíbrio moral, sobrevive no períspirito, alimentada pelos pensamentos que geraram, quando esse pensamentos persistem depois da morte do corpo físico “ Todas as ocorrências de caráter patológico, em principio, tem sua gênese em disfunções dos centros vitais, e estes, em seu dinamismo, simplesmente refletem o estado da mente. Pensamneto equilibrado, harmonizado com o bem, significa fluxo normal da energia vital, sob o comando dos centros de forca, traduzindo, de consequência, regularidade fisiológica. Em outras palavras, mente serena, limpa e amorosa, sustentando harmoniosamente um campo perispiritico, representa perfeita higidez física. Ao contrario, mente doente, com as forcas psicosomicas em regime de disfunção, significa corpo enfermo
  • 12. A RENOVAÇÃO MENTAL É A RENOVAÇÃO DA VIDA As obsessões podem cessar, entre outros, por um dos seguintes motivos: a) Pelo esclarecimento do encarnado, que despejará de sua “casa mental” o hóspede invisível b) Pelo esclarecimento do desencarnado, que se libertará da prisão mental que o encarnado lhe vinha impondo. c) Pela melhoria de ambos
  • 13. Desligamento de “tomadas mentais”, através dos princípios Frutos da Doutrinação libertadores que doutrinadores distribuem na esfera do pensamento Consolidação do Equilíbrio Estudo + Meditação = Renovação Renovação + Trabalho = Libertação Despejo Ausência de afinidade, em virtude de o encarnado modificar os centros mentais.
  • 14. Nos casos de obsessão, o esclarecimento doutrinário que é prestado nas reuniões públicas da casa espírita pode romper o vínculo magnético que une as duas partes, indispensável à instalação do processo. Para tanto, é necessário, porém, que o encarnado que lá comparece esteja receptivo a esses ensinamentos, através do desejo sincero de modificar seus hábitos mentais. Modificada a natureza de seus pensamentos, deixa de existir aquela identidade vibratória mencionada, sendo o desencarnado perturbador "despejado" do centro mental do obsidiado, como Áulus se expressou. AULUS COMENTA A IMPORTÂNCIA DAS REUNIÕES PÚBLICAS DA INSTITUIÇÃO. QUAL A IMPORTÂNCIA DELAS E QUAL A SUA CORRELAÇÃO COM AS REUNIÕES MEDIÚNICAS?
  • 15. AULUS COMENTA A IMPORTÂNCIA DAS REUNIÕES PÚBLICAS DA INSTITUIÇÃO. QUAL A IMPORTÂNCIA DELAS E QUAL A SUA CORRELAÇÃO COM AS REUNIÕES MEDIÚNICAS? Já as reuniões mediúnicas, em regra, devem ser reservadas, pois é indispensável uma identidade de propósitos entre seus participantes. Qualquer que se apresente desarmonizado com o restante do grupo vai gerar, certamente, uma quebra de homogeneidade de pensamentos e propósitos, abrindo as portas para entidades perturbadoras. Não significa que estas não devam ser admitidas. Elas devem, sim, ser trazidas para receberem o esclarecimento doutrinário que poderá tirá-las daquela condição. Mas o grupo mediúnico deve ser homogêneo para poder lidar com elas convenientemente. Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo - CVDEE
  • 16. Acompanhe nossas reuniões: Aplicativo – Mix Ir http://www.mixir.com (procurar grupo GECD) Blog - GECD http://www.espacodespertar.blogspot.com Acompanhe nossas reuniões: