SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 28
Baixar para ler offline
Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
Objetivos

     Oferecer condições para o
      exercício da mediunidade,
      de forma saudável e segura,
      em perfeita harmonia com a
      Codificação Espírita e com
      as      obras      espíritas
      suplementares             de
      inquestionável        valor
      doutrinário.
     Prestar auxílio moral e
            doutrinário aos Espíritos
            que sofrem ou que fazem
            sofrer.
Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
Objetivos

 Amparar    Espíritos  em
  processo de reencarnação.

 Contribuir      para       o
  desenvolvimento           da
  ciência espírita através de
  estudos          edificantes
  relacionados               à
  mediunidade, em geral, e
  ao        processo        de
  intercâmbio mediúnico em
  particular.
Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
Conceito
       Atividade privativa, na qual se
       realiza assistência aos espíritos
       necessitados (encarnados ou
       desencarnados), constituída de
       pessoas, trabalhadores de uma
       casa espírita, que tenham
       conhecimento da doutrina, que
       possuam conduta moral
       equivalente com o trabalho a
       ser realizado e que estejam
       sintonizadas num mesmo
       objetivo.
Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
Allan Kardec – LM, cap. XXIX




         Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
Allan Kardec – LM, cap. XXIX
         Reuniões Frívolas
 Composta por pessoas
  com interesses fúteis e
  pessoais.
 Participação exclusiva
  de espíritos levianos e
  brincalhões.
 Espíritos elevados não
  comparecem a
  atividades dessa
  natureza.
                Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
Allan Kardec – LM, cap. XXIX
  Reuniões Experimentais
            Tem por principal objetivo
             a produção de fenômenos
             físicos.

            Na época de Kardec, onde
             esses fenômenos eram
             mais comuns, se utilizavam
             desse tipo de reunião para
             realização de estudos
             sobre a doutrina dos
             espíritos.
         Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
Allan Kardec – LM, cap. XXIX
     Reuniões Experimentais
 Reuniões sérias, dirigidas
  por pessoas devidamente
  preparadas produziam
  fenômenos de
  materialização.

 Hoje, não é comum a
  realização de reuniões
  dessa natureza nos moldes
  de antigamente, porém
  ainda se realizam na forma
  de doação fluídica,
  irradiação mental,
  magnetização da água.
                   Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
Allan Kardec – LM, cap. XXIX
       Reuniões Instrutivas
 São reuniões sérias, que tem por objetivo principal a
  orientação dos encarnados e desencanados a
  respeito dos mais diversos assuntos nos campos da
  ciência, filosofia e moralidade.
 São dirigidas no plano espiritual por espíritos
  esclarecidos, que em algumas vezes se comunicam
  para orientar e esclarecer a respeito do trabalho a ser
  realizado.
 É necessário ter cautela a respeito de alguns
  ensinamentos transmitidos nas reuniões, mesmo que
  esses utilizem uma linguagem imponente.

                   Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
Características das
         Reuniões Sérias
 A influência moral dos participantes garantem
  ou não o caráter de seriedade de um reunião.
 Cogitam exclusivamente de coisas úteis. Nunca
  como passatempo ou diversão.
 A reunião é privativa e com número limitado de
  participantes.
 Deve haver um esforço do grupo participante da
  reunião para que a harmonia seja imperativa no
  grupo. É necessário ter a ideia do “ser coletivo”,
  “feixe” na atividade a ser realizada.

                  Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
Benefício das reuniões
     mediúnicas
      Desenvolvimento mediúnico
      Conquistar amigos espirituais,
       consolidando bases de cooperação;
      Prática da caridade desinteressada
       quando auxilia aos desencarnados;
      Cooperação com encarnados e
       desencarnados de reconforto e
       esclarecimento
      Aprendizado com as mensagens de
       elevado teor e com o exemplo dos
       Espíritos em sofrimento
      Auto educação e renovação de
       sentimentos
       Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
Benefício das reuniões
     mediúnicas
        Possibilidade de serem
         esclarecidos, reconfortados,
         estimulados a vencerem suas
         próprias imperfeições
        Auxílio no esforço de vencerem
         as telas da ignorância e do
         sofrimento
        Possibilidade de auxiliarem os
         encarnados pelo exemplo
         (negativo)
        Amparo e esclarecimentos
         (superiores)
      Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
Características dos Participantes
         das Reuniões
            Estudar muito e sempre
             trabalhar pela própria
             iluminação;
            Evangelizar-se primeiramente
             antes de realizar qualquer
             trabalho doutrinário no campo
             mediúnico;
            Ter assiduidade, pontualidade
             nas reuniões e fidelidade a
             Jesus e Kardec.
          Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
Características das
 Reuniões Sérias




     Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
Organização e funcionamento
   das reuniões mediúnicas
                 PRIVACIDADE
A reunião mediúnica deve ser privativa, tendo as
portas chaveadas para se evitar a entrada de
participantes atrasados ou de pessoas estranhas
ao trabalho.
A reunião deve ser realizada com a mesma equipe,
previamente definida. Por ser privativa, é vedada a
participação de enfermos ou pessoas interessadas
em receber benefícios durante a manifestação de
Espíritos; este não é o local nem o momento para
esse tipo de atendimento.

                 Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
Nos grupos pequenos há melhor sintonia
        vibratória e harmonia de pensamentos.
     Uma reunião mediúnica em que seja livre a
       entrada de público, invariavelmente terá
        pessoas movidas por curiosidade, sem
      nenhum preparo para tão grave atividade.
“círculos
íntimos, de
poucas
pessoas, são
mais
favoráveis”.
Livro dos Médiuns, 332
                    Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
Organização e funcionamento
   das reuniões mediúnicas
              REGULARIDADE

A reunião será sempre realizada nos dias e
   horários pré-estabelecidos, com
   periodicidade definida pela Direção da Casa
   Espírita.

Devem ser disciplinadas com relação aos
  horários de início e fim. A Equipe espiritual
  não se atrasa.

                Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
Organização e funcionamento
   das reuniões mediúnicas
  HORÁRIO - DURAÇÃO - FREQUENCIA

O tempo total de uma reunião mediúnica não
   pode ser superior a 2 horas. Deste total, 60
   minutos, no máximo, devem ser de
   manifestações mediúnicas.
O tempo restante será utilizado para as outras
   etapas da reunião.


                Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
Organização e funcionamento
   das reuniões mediúnicas
       LOCAL

 No Centro Espírita:
  ambiente mais
  estável que favorece
  o recolhimento,
  concentração e
  instalação de
  equipamentos pelos
  Espíritos.                    MOBILIÁRIO: mesa,
 SALA: se possível,            cadeiras, armário.
  arejado, amplo,
  isolado, livre de             MATERIAIS: livros para
  ruídos e de trânsito          estudo, evangelho, lápis,
  de pessoas.                   papel, gravador
                Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
Organização e funcionamento
   das reuniões mediúnicas
                    AMBIENTE

A iluminação deve ser graduada para permitir uma
    melhor concentração dos participantes.

Um vasilhame com água para fluidificação, deve
  ser mantido afastado da mesa para evitar
  incidentes.

Sobre a mesa devem constar apenas lápis, papel,
  livros e um gravador para registrar a reunião.

                 Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
Organização e funcionamento
  das reuniões mediúnicas
  PARTICIPANTES DA REUNIÃO

O número de participantes depende do
  bom senso do dirigente e, também,
  da capacidade física do ambiente,
  não excedendo a 25 pessoas.



            Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
Organização e funcionamento
   das reuniões mediúnicas
            PARTICIPANTES DA REUNIÃO

(…) “os componentes da reunião, [...] nunca
   excederão o número de quatorze”. André Luiz
    Desobsessão, cap.20 e 73.
“É prudente não exceder o limite de dez a doze
   pessoas [...].” Léon Denis. No Invisível, primeira parte, cap.9.

Diz Kardec...
“quanto maior o número dos participantes, tanto
   mais difícil serão preenchimento das condições
   exigidas.” (L.M. Cap. XXIX, item 332.)
                          Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
Organização e funcionamento
      das reuniões mediúnicas
         PARTICIPANTES DA REUNIÃO
Conheça as principais atividades da Casa              Espírita,
frequentando as palestras evangélico-doutrinárias;
Deve ter sido previamente preparado para a execução da
tarefa e seja conhecedor das finalidades da reunião mediúnica;
Realizar o Evangelho no Lar, a sós – quando a família não
aceita esta prática– , ou em companhia de familiares e afins;
Utilizar o serviço de atendimento espiritual e de passe da Casa
Espírita sempre que se sentir desarmonizado;
Organização e funcionamento
  das reuniões mediúnicas
           Harmonia e amizade entre os
            membros da equipe;
           Interesse em aprender
            servindo, sem personalismo;
           Cooperação recíproca e
            motivação permanente;
           Compromisso individual e
            coletivo com o estudo, a
            oração, a caridade e a auto
            iluminação progressiva;

         Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
Organização e funcionamento
  das reuniões mediúnicas
           Conduta moral sadia
           Conhecimento doutrinário;
           Ter equilíbrio físico e mental;
           Não participar de reunião
            mediúnica em outra Casa
            Espírita;
           Integrar-se nos diversos
            trabalhos da casa;
           Confiança;
           Disciplina;
           Pontualidade e perserverança.
         Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
Organização e funcionamento
   das reuniões mediúnicas
     RENOVAÇÃO DOS INTEGRANTES

A renovação frequente da equipe compromete
   ou pelo menos demora os resultados.

É desejável “[...] que ao menos um núcleo de
   antigos membros permaneça compacto e
   constitua invariável maioria”. Léon Denis, No Invisível,
   primeira parte, cap. 9




                            Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
Organização e funcionamento
  das reuniões mediúnicas
  ASSIDUIDADE E PONTUALIDADE

 Necessário que o participante da equipe
   mediúnica sejam assíduos e pontuais.
     No caso de falta de assiduidade e
  impontualidade de alguns participantes da
 reunião, deve ser investigada as causas que
   estão produzindo estas ocorrências, com
       lucidez e espírito de fraternidade.
             Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
28
Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)
Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)
Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)Divulgador do Espiritismo
 
Relações afetivas e o casamento na visão espírita!
Relações afetivas e o casamento na visão espírita!Relações afetivas e o casamento na visão espírita!
Relações afetivas e o casamento na visão espírita!Leonardo Pereira
 
Conhece se uma árvore pelos frutos! Palestrante Danilo Galvão - SAJ/BA
Conhece se uma árvore pelos frutos! Palestrante Danilo Galvão - SAJ/BAConhece se uma árvore pelos frutos! Palestrante Danilo Galvão - SAJ/BA
Conhece se uma árvore pelos frutos! Palestrante Danilo Galvão - SAJ/BADanilo Galvão
 
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade coem
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade   coem11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade   coem
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade coemWagner Quadros
 
De graça recebeste de graça dai
De graça recebeste de graça daiDe graça recebeste de graça dai
De graça recebeste de graça daiGraça Maciel
 
Reconhece se o cristãos pelas suas obras
Reconhece se o cristãos pelas suas obrasReconhece se o cristãos pelas suas obras
Reconhece se o cristãos pelas suas obrasIzabel Cristina Fonseca
 
O homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafioO homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafioGraça Maciel
 
Animismo e Espiritismo
Animismo e EspiritismoAnimismo e Espiritismo
Animismo e EspiritismoGraça Maciel
 
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)Marcos Antônio Alves
 
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e leiCapítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e leiEduardo Ottonelli Pithan
 
A verdadeira Pureza mãos não lavadas .
A verdadeira Pureza mãos não lavadas . A verdadeira Pureza mãos não lavadas .
A verdadeira Pureza mãos não lavadas . Vanda Machado
 
Missão do ser humano inteligente na terra
Missão do ser humano inteligente na terraMissão do ser humano inteligente na terra
Missão do ser humano inteligente na terraEduardo Ottonelli Pithan
 
Evangeliza - A Vida Futura
Evangeliza - A Vida FuturaEvangeliza - A Vida Futura
Evangeliza - A Vida FuturaAntonino Silva
 
Dialogando com Espíritos.pptx
Dialogando com Espíritos.pptxDialogando com Espíritos.pptx
Dialogando com Espíritos.pptxMarta Gomes
 
Ondas e Percepções
Ondas e PercepçõesOndas e Percepções
Ondas e Percepçõeshamletcrs
 

Mais procurados (20)

Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)
Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)
Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)
 
Aula sobre o passe espirita
Aula sobre o passe espiritaAula sobre o passe espirita
Aula sobre o passe espirita
 
Relações afetivas e o casamento na visão espírita!
Relações afetivas e o casamento na visão espírita!Relações afetivas e o casamento na visão espírita!
Relações afetivas e o casamento na visão espírita!
 
Conhece se uma árvore pelos frutos! Palestrante Danilo Galvão - SAJ/BA
Conhece se uma árvore pelos frutos! Palestrante Danilo Galvão - SAJ/BAConhece se uma árvore pelos frutos! Palestrante Danilo Galvão - SAJ/BA
Conhece se uma árvore pelos frutos! Palestrante Danilo Galvão - SAJ/BA
 
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade coem
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade   coem11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade   coem
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade coem
 
De graça recebeste de graça dai
De graça recebeste de graça daiDe graça recebeste de graça dai
De graça recebeste de graça dai
 
Médiuns e mediunidade!
Médiuns e mediunidade!Médiuns e mediunidade!
Médiuns e mediunidade!
 
Reconhece se o cristãos pelas suas obras
Reconhece se o cristãos pelas suas obrasReconhece se o cristãos pelas suas obras
Reconhece se o cristãos pelas suas obras
 
O homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafioO homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafio
 
Animismo e Espiritismo
Animismo e EspiritismoAnimismo e Espiritismo
Animismo e Espiritismo
 
Obsessão
ObsessãoObsessão
Obsessão
 
O Poder do Pensamento
O Poder do PensamentoO Poder do Pensamento
O Poder do Pensamento
 
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
 
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e leiCapítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
 
A verdadeira Pureza mãos não lavadas .
A verdadeira Pureza mãos não lavadas . A verdadeira Pureza mãos não lavadas .
A verdadeira Pureza mãos não lavadas .
 
Obsessão do ponto de vista espírita
Obsessão do ponto de vista espíritaObsessão do ponto de vista espírita
Obsessão do ponto de vista espírita
 
Missão do ser humano inteligente na terra
Missão do ser humano inteligente na terraMissão do ser humano inteligente na terra
Missão do ser humano inteligente na terra
 
Evangeliza - A Vida Futura
Evangeliza - A Vida FuturaEvangeliza - A Vida Futura
Evangeliza - A Vida Futura
 
Dialogando com Espíritos.pptx
Dialogando com Espíritos.pptxDialogando com Espíritos.pptx
Dialogando com Espíritos.pptx
 
Ondas e Percepções
Ondas e PercepçõesOndas e Percepções
Ondas e Percepções
 

Semelhante a Orientação Mediúnica

O centro espírita os médiuns e a prática cópia
O centro espírita os médiuns e a prática   cópiaO centro espírita os médiuns e a prática   cópia
O centro espírita os médiuns e a prática cópiaLeonardo Pereira
 
OrganizacaoFuncionamentoReuniaoMediunicao.ppt
OrganizacaoFuncionamentoReuniaoMediunicao.pptOrganizacaoFuncionamentoReuniaoMediunicao.ppt
OrganizacaoFuncionamentoReuniaoMediunicao.pptHelenBuenoSantos
 
Reunião mediunica Clodoaldo versão 2.pptx
Reunião mediunica Clodoaldo versão 2.pptxReunião mediunica Clodoaldo versão 2.pptx
Reunião mediunica Clodoaldo versão 2.pptxClodoaldoFernandes5
 
ENTRENAT 2012 - DAM
ENTRENAT 2012 - DAMENTRENAT 2012 - DAM
ENTRENAT 2012 - DAMigmateus
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Leonardo Pereira
 
Curso para doutrinadores
Curso para doutrinadoresCurso para doutrinadores
Curso para doutrinadoresAlencar Santana
 
Curso estudo pratica da mediunidade
Curso estudo pratica da mediunidadeCurso estudo pratica da mediunidade
Curso estudo pratica da mediunidadeFilipe Lima
 
Curso_de_estudo_e_pratica_da_mediunidade_FEB.ppt
Curso_de_estudo_e_pratica_da_mediunidade_FEB.pptCurso_de_estudo_e_pratica_da_mediunidade_FEB.ppt
Curso_de_estudo_e_pratica_da_mediunidade_FEB.pptStnio2
 
Reunião mediúnica - 17-10-2022.pptx
Reunião mediúnica - 17-10-2022.pptxReunião mediúnica - 17-10-2022.pptx
Reunião mediúnica - 17-10-2022.pptxssuser3ab108
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Leonardo Pereira
 
O_Centro_Espirita_e_o_estudo_da_mediunidade.ppt
O_Centro_Espirita_e_o_estudo_da_mediunidade.pptO_Centro_Espirita_e_o_estudo_da_mediunidade.ppt
O_Centro_Espirita_e_o_estudo_da_mediunidade.pptEduardoMadureira4
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Leonardo Pereira
 
Mediunidadeevolucaol10
Mediunidadeevolucaol10Mediunidadeevolucaol10
Mediunidadeevolucaol10Manoel Gamas
 
Avaliação da reunião mediúnica ( estudo sistematizado da mediunidade ( Leonar...
Avaliação da reunião mediúnica ( estudo sistematizado da mediunidade ( Leonar...Avaliação da reunião mediúnica ( estudo sistematizado da mediunidade ( Leonar...
Avaliação da reunião mediúnica ( estudo sistematizado da mediunidade ( Leonar...Leonardo Pereira
 
Qualidade na pratica mediunica (autores diversos) (1)
Qualidade na pratica mediunica (autores diversos) (1)Qualidade na pratica mediunica (autores diversos) (1)
Qualidade na pratica mediunica (autores diversos) (1)Adriano Alves de Souza
 

Semelhante a Orientação Mediúnica (20)

O centro espírita os médiuns e a prática cópia
O centro espírita os médiuns e a prática   cópiaO centro espírita os médiuns e a prática   cópia
O centro espírita os médiuns e a prática cópia
 
OrganizacaoFuncionamentoReuniaoMediunicao.ppt
OrganizacaoFuncionamentoReuniaoMediunicao.pptOrganizacaoFuncionamentoReuniaoMediunicao.ppt
OrganizacaoFuncionamentoReuniaoMediunicao.ppt
 
Reunião mediunica Clodoaldo versão 2.pptx
Reunião mediunica Clodoaldo versão 2.pptxReunião mediunica Clodoaldo versão 2.pptx
Reunião mediunica Clodoaldo versão 2.pptx
 
ENTRENAT 2012 - DAM
ENTRENAT 2012 - DAMENTRENAT 2012 - DAM
ENTRENAT 2012 - DAM
 
DOM/Feees - Reuniões mediúnicas
DOM/Feees - Reuniões mediúnicasDOM/Feees - Reuniões mediúnicas
DOM/Feees - Reuniões mediúnicas
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 
Curso para doutrinadores
Curso para doutrinadoresCurso para doutrinadores
Curso para doutrinadores
 
Curso para doutrinadores
Curso para doutrinadoresCurso para doutrinadores
Curso para doutrinadores
 
Curso estudo pratica da mediunidade
Curso estudo pratica da mediunidadeCurso estudo pratica da mediunidade
Curso estudo pratica da mediunidade
 
Curso_de_estudo_e_pratica_da_mediunidade_FEB.ppt
Curso_de_estudo_e_pratica_da_mediunidade_FEB.pptCurso_de_estudo_e_pratica_da_mediunidade_FEB.ppt
Curso_de_estudo_e_pratica_da_mediunidade_FEB.ppt
 
Reunião mediúnica - 17-10-2022.pptx
Reunião mediúnica - 17-10-2022.pptxReunião mediúnica - 17-10-2022.pptx
Reunião mediúnica - 17-10-2022.pptx
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 
Apostila módulo v mediunidade sem tabu
Apostila módulo v   mediunidade sem tabuApostila módulo v   mediunidade sem tabu
Apostila módulo v mediunidade sem tabu
 
O_Centro_Espirita_e_o_estudo_da_mediunidade.ppt
O_Centro_Espirita_e_o_estudo_da_mediunidade.pptO_Centro_Espirita_e_o_estudo_da_mediunidade.ppt
O_Centro_Espirita_e_o_estudo_da_mediunidade.ppt
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 
Evangelho no lar
Evangelho no larEvangelho no lar
Evangelho no lar
 
# Flávio boleiz jr. - mediunismo e mediunidade - [ espiritismo]
#   Flávio boleiz jr. - mediunismo e mediunidade - [ espiritismo]#   Flávio boleiz jr. - mediunismo e mediunidade - [ espiritismo]
# Flávio boleiz jr. - mediunismo e mediunidade - [ espiritismo]
 
Mediunidadeevolucaol10
Mediunidadeevolucaol10Mediunidadeevolucaol10
Mediunidadeevolucaol10
 
Avaliação da reunião mediúnica ( estudo sistematizado da mediunidade ( Leonar...
Avaliação da reunião mediúnica ( estudo sistematizado da mediunidade ( Leonar...Avaliação da reunião mediúnica ( estudo sistematizado da mediunidade ( Leonar...
Avaliação da reunião mediúnica ( estudo sistematizado da mediunidade ( Leonar...
 
Qualidade na pratica mediunica (autores diversos) (1)
Qualidade na pratica mediunica (autores diversos) (1)Qualidade na pratica mediunica (autores diversos) (1)
Qualidade na pratica mediunica (autores diversos) (1)
 

Mais de KATIA MARIA FARAH V DA SILVA

Casamento e divórcio e os filho - visão espirita
Casamento e divórcio e os filho - visão espiritaCasamento e divórcio e os filho - visão espirita
Casamento e divórcio e os filho - visão espiritaKATIA MARIA FARAH V DA SILVA
 
A criação do universo e origem da vida no planeta terra
A criação do universo e origem da vida no planeta terraA criação do universo e origem da vida no planeta terra
A criação do universo e origem da vida no planeta terraKATIA MARIA FARAH V DA SILVA
 

Mais de KATIA MARIA FARAH V DA SILVA (20)

Ano novo
Ano novoAno novo
Ano novo
 
O cristo consolador
O cristo consoladorO cristo consolador
O cristo consolador
 
Palestra o poder da fé
Palestra   o poder da féPalestra   o poder da fé
Palestra o poder da fé
 
Palestra reforma íntima
Palestra   reforma íntimaPalestra   reforma íntima
Palestra reforma íntima
 
Reencarnação e os laços de familia
Reencarnação e os laços de familiaReencarnação e os laços de familia
Reencarnação e os laços de familia
 
Maledicência
MaledicênciaMaledicência
Maledicência
 
Casamento e divórcio e os filho - visão espirita
Casamento e divórcio e os filho - visão espiritaCasamento e divórcio e os filho - visão espirita
Casamento e divórcio e os filho - visão espirita
 
A parábola do bom samaritano
A parábola do bom samaritanoA parábola do bom samaritano
A parábola do bom samaritano
 
Livro meu avô desencarnou
Livro   meu avô desencarnouLivro   meu avô desencarnou
Livro meu avô desencarnou
 
A lição dos chuchus
A lição dos chuchusA lição dos chuchus
A lição dos chuchus
 
Livro casinhas de morar
Livro casinhas de morarLivro casinhas de morar
Livro casinhas de morar
 
Livro os dois franciscos
Livro   os dois franciscosLivro   os dois franciscos
Livro os dois franciscos
 
Livro o espírito
Livro   o espíritoLivro   o espírito
Livro o espírito
 
Livro a vida
Livro   a vidaLivro   a vida
Livro a vida
 
Coem 2013 aula mediunidade e disciplina
Coem 2013   aula mediunidade e disciplinaCoem 2013   aula mediunidade e disciplina
Coem 2013 aula mediunidade e disciplina
 
Palestra evangelização 19.09.2012
Palestra evangelização   19.09.2012Palestra evangelização   19.09.2012
Palestra evangelização 19.09.2012
 
A criação do universo e origem da vida no planeta terra
A criação do universo e origem da vida no planeta terraA criação do universo e origem da vida no planeta terra
A criação do universo e origem da vida no planeta terra
 
Elementos gerais do universo
Elementos gerais do universoElementos gerais do universo
Elementos gerais do universo
 
Vida no plano espíritual
Vida no plano espíritualVida no plano espíritual
Vida no plano espíritual
 
Tatuagens e afins
Tatuagens e afinsTatuagens e afins
Tatuagens e afins
 

Orientação Mediúnica

  • 1. Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
  • 2. Objetivos  Oferecer condições para o exercício da mediunidade, de forma saudável e segura, em perfeita harmonia com a Codificação Espírita e com as obras espíritas suplementares de inquestionável valor doutrinário.  Prestar auxílio moral e doutrinário aos Espíritos que sofrem ou que fazem sofrer. Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
  • 3. Objetivos  Amparar Espíritos em processo de reencarnação.  Contribuir para o desenvolvimento da ciência espírita através de estudos edificantes relacionados à mediunidade, em geral, e ao processo de intercâmbio mediúnico em particular. Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
  • 4. Conceito Atividade privativa, na qual se realiza assistência aos espíritos necessitados (encarnados ou desencarnados), constituída de pessoas, trabalhadores de uma casa espírita, que tenham conhecimento da doutrina, que possuam conduta moral equivalente com o trabalho a ser realizado e que estejam sintonizadas num mesmo objetivo. Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
  • 5. Allan Kardec – LM, cap. XXIX Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
  • 6. Allan Kardec – LM, cap. XXIX Reuniões Frívolas  Composta por pessoas com interesses fúteis e pessoais.  Participação exclusiva de espíritos levianos e brincalhões.  Espíritos elevados não comparecem a atividades dessa natureza. Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
  • 7. Allan Kardec – LM, cap. XXIX Reuniões Experimentais  Tem por principal objetivo a produção de fenômenos físicos.  Na época de Kardec, onde esses fenômenos eram mais comuns, se utilizavam desse tipo de reunião para realização de estudos sobre a doutrina dos espíritos. Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
  • 8. Allan Kardec – LM, cap. XXIX Reuniões Experimentais  Reuniões sérias, dirigidas por pessoas devidamente preparadas produziam fenômenos de materialização.  Hoje, não é comum a realização de reuniões dessa natureza nos moldes de antigamente, porém ainda se realizam na forma de doação fluídica, irradiação mental, magnetização da água. Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
  • 9. Allan Kardec – LM, cap. XXIX Reuniões Instrutivas  São reuniões sérias, que tem por objetivo principal a orientação dos encarnados e desencanados a respeito dos mais diversos assuntos nos campos da ciência, filosofia e moralidade.  São dirigidas no plano espiritual por espíritos esclarecidos, que em algumas vezes se comunicam para orientar e esclarecer a respeito do trabalho a ser realizado.  É necessário ter cautela a respeito de alguns ensinamentos transmitidos nas reuniões, mesmo que esses utilizem uma linguagem imponente. Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
  • 10. Características das Reuniões Sérias  A influência moral dos participantes garantem ou não o caráter de seriedade de um reunião.  Cogitam exclusivamente de coisas úteis. Nunca como passatempo ou diversão.  A reunião é privativa e com número limitado de participantes.  Deve haver um esforço do grupo participante da reunião para que a harmonia seja imperativa no grupo. É necessário ter a ideia do “ser coletivo”, “feixe” na atividade a ser realizada. Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
  • 11. Benefício das reuniões mediúnicas  Desenvolvimento mediúnico  Conquistar amigos espirituais, consolidando bases de cooperação;  Prática da caridade desinteressada quando auxilia aos desencarnados;  Cooperação com encarnados e desencarnados de reconforto e esclarecimento  Aprendizado com as mensagens de elevado teor e com o exemplo dos Espíritos em sofrimento  Auto educação e renovação de sentimentos Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
  • 12. Benefício das reuniões mediúnicas  Possibilidade de serem esclarecidos, reconfortados, estimulados a vencerem suas próprias imperfeições  Auxílio no esforço de vencerem as telas da ignorância e do sofrimento  Possibilidade de auxiliarem os encarnados pelo exemplo (negativo)  Amparo e esclarecimentos (superiores) Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
  • 13. Características dos Participantes das Reuniões  Estudar muito e sempre trabalhar pela própria iluminação;  Evangelizar-se primeiramente antes de realizar qualquer trabalho doutrinário no campo mediúnico;  Ter assiduidade, pontualidade nas reuniões e fidelidade a Jesus e Kardec. Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
  • 14. Características das Reuniões Sérias Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
  • 15. Organização e funcionamento das reuniões mediúnicas PRIVACIDADE A reunião mediúnica deve ser privativa, tendo as portas chaveadas para se evitar a entrada de participantes atrasados ou de pessoas estranhas ao trabalho. A reunião deve ser realizada com a mesma equipe, previamente definida. Por ser privativa, é vedada a participação de enfermos ou pessoas interessadas em receber benefícios durante a manifestação de Espíritos; este não é o local nem o momento para esse tipo de atendimento. Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
  • 16. Nos grupos pequenos há melhor sintonia vibratória e harmonia de pensamentos. Uma reunião mediúnica em que seja livre a entrada de público, invariavelmente terá pessoas movidas por curiosidade, sem nenhum preparo para tão grave atividade. “círculos íntimos, de poucas pessoas, são mais favoráveis”. Livro dos Médiuns, 332 Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
  • 17. Organização e funcionamento das reuniões mediúnicas REGULARIDADE A reunião será sempre realizada nos dias e horários pré-estabelecidos, com periodicidade definida pela Direção da Casa Espírita. Devem ser disciplinadas com relação aos horários de início e fim. A Equipe espiritual não se atrasa. Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
  • 18. Organização e funcionamento das reuniões mediúnicas HORÁRIO - DURAÇÃO - FREQUENCIA O tempo total de uma reunião mediúnica não pode ser superior a 2 horas. Deste total, 60 minutos, no máximo, devem ser de manifestações mediúnicas. O tempo restante será utilizado para as outras etapas da reunião. Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
  • 19. Organização e funcionamento das reuniões mediúnicas LOCAL  No Centro Espírita: ambiente mais estável que favorece o recolhimento, concentração e instalação de equipamentos pelos Espíritos. MOBILIÁRIO: mesa,  SALA: se possível, cadeiras, armário. arejado, amplo, isolado, livre de MATERIAIS: livros para ruídos e de trânsito estudo, evangelho, lápis, de pessoas. papel, gravador Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
  • 20. Organização e funcionamento das reuniões mediúnicas AMBIENTE A iluminação deve ser graduada para permitir uma melhor concentração dos participantes. Um vasilhame com água para fluidificação, deve ser mantido afastado da mesa para evitar incidentes. Sobre a mesa devem constar apenas lápis, papel, livros e um gravador para registrar a reunião. Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
  • 21. Organização e funcionamento das reuniões mediúnicas PARTICIPANTES DA REUNIÃO O número de participantes depende do bom senso do dirigente e, também, da capacidade física do ambiente, não excedendo a 25 pessoas. Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
  • 22. Organização e funcionamento das reuniões mediúnicas PARTICIPANTES DA REUNIÃO (…) “os componentes da reunião, [...] nunca excederão o número de quatorze”. André Luiz Desobsessão, cap.20 e 73. “É prudente não exceder o limite de dez a doze pessoas [...].” Léon Denis. No Invisível, primeira parte, cap.9. Diz Kardec... “quanto maior o número dos participantes, tanto mais difícil serão preenchimento das condições exigidas.” (L.M. Cap. XXIX, item 332.) Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
  • 23. Organização e funcionamento das reuniões mediúnicas PARTICIPANTES DA REUNIÃO Conheça as principais atividades da Casa Espírita, frequentando as palestras evangélico-doutrinárias; Deve ter sido previamente preparado para a execução da tarefa e seja conhecedor das finalidades da reunião mediúnica; Realizar o Evangelho no Lar, a sós – quando a família não aceita esta prática– , ou em companhia de familiares e afins; Utilizar o serviço de atendimento espiritual e de passe da Casa Espírita sempre que se sentir desarmonizado;
  • 24. Organização e funcionamento das reuniões mediúnicas  Harmonia e amizade entre os membros da equipe;  Interesse em aprender servindo, sem personalismo;  Cooperação recíproca e motivação permanente;  Compromisso individual e coletivo com o estudo, a oração, a caridade e a auto iluminação progressiva; Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
  • 25. Organização e funcionamento das reuniões mediúnicas  Conduta moral sadia  Conhecimento doutrinário;  Ter equilíbrio físico e mental;  Não participar de reunião mediúnica em outra Casa Espírita;  Integrar-se nos diversos trabalhos da casa;  Confiança;  Disciplina;  Pontualidade e perserverança. Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
  • 26. Organização e funcionamento das reuniões mediúnicas RENOVAÇÃO DOS INTEGRANTES A renovação frequente da equipe compromete ou pelo menos demora os resultados. É desejável “[...] que ao menos um núcleo de antigos membros permaneça compacto e constitua invariável maioria”. Léon Denis, No Invisível, primeira parte, cap. 9 Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
  • 27. Organização e funcionamento das reuniões mediúnicas ASSIDUIDADE E PONTUALIDADE Necessário que o participante da equipe mediúnica sejam assíduos e pontuais. No caso de falta de assiduidade e impontualidade de alguns participantes da reunião, deve ser investigada as causas que estão produzindo estas ocorrências, com lucidez e espírito de fraternidade. Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees
  • 28. 28 Material desenvolvido pelo Departamento de Orientação Mediúnica (DOM) da Feees