SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 40
Quem deseje tornar-se versado numa ciência tem
que a estudar metodicamente, começando pelo
princípio e acompanhando o encadeamento e o
desenvolvimento das ideias.

Allan Kardec, Introdução ao Estudo da Doutrina
Espirita.
Parte 1
              REGRESSÃO TERAPÊUTICA ESPIRITA.
-      BASE DOUTRINÁRIA –
KARDEC (R EVISTA ESP IRITA`` 1858 À 1869      O LIVRO DOS
ESPÍRITOS, O LIVRO DOS MÉDIUNS)
-       SUPLEMENTOS – (ESTUDOS CIENTÍFICOS)
CEL. ALBERT DE ROCHAS (AS VIDAS SUCESSIVAS)
LEON DENIS (O PROBLEMA DO SER DO DESTINO E DA DOR)
ERNESTO BOZZANO (ANIMISMO OU ESPIRITISMO?, OS ENIGMAS DA
PSICOMETRIA)
HERCULANO PIRES ( PARAPSICOLOGIA, HOJE E AMANHÃ )
HERMÍNIO C. MIRANDA( ALQUIMIA DA MENTE, A MEMÓRIA E O
TEMPO, DIVERSIDADE DE CARISMAS )
LAMARTINE PALHANO JR ( VIAGENS PSÍQUICAS NO TEMPO )
ZALMINO ZIMMERMANN( PERÍSPIRITO, TEORIA DA MEDIUNIDADE )

-  SUPLEMENTOS – ( ANDRÉ LUIZ E MANOEL PHILOMENO DE
MIRANDA )


- APLICABILIDADE – DESLIGAMENTO DE ACESSOS INCONSCIENTES A
TRAUMAS DO PASSADO. OPORTUNIZAÇÃO DE DIÁLOGOS EXTRA
FÍSICOS CONSCIENTES COM SEUS GUIAS ESPIRITUAIS.
Amparos Legais (Brasil)- (http://espiritismopratico.blogspot.com.br/)

As regulamentações da hipnose no Brasil por organismos de classe
respeitados como, Conselhos Federais de Medicina, Psicologia e
Odontologia, melhor conceituam, esclarecem, fundamentam e
recomendam o uso científico das técnicas hipnoterápicas como
alternativas terapêuticas disponíveis à profissionais qualificados do
campo da saúde humana.
Não existe uma legislação específica sobre o uso da Hipnose no
Brasil.
Médicos, dentistas e psicólogos são orientados pelos próprios
Códigos de Ética sobre a utilização da Hipnose para fins
científicos, de pesquisa, tratamento e cura.
RESOLUÇÃO CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA No. 013/2000
RESOLUÇÃO CONSELHO FEDERAL DE ODONTOLOGIA No. 185/93
OS PSICANALISTAS são orientados pelas Sociedades que os formam

           Significado de Hipnose - s.f. Sono causado por meios artificiais.
                          Regressão - s.f. Volta, retrocesso.
255. QUANDO UM ESPÍRITO DIZ QUE SOFRE, DE QUE
NATUREZA É O SEU SOFRIMENTO?
“ANGÚSTIAS MORAIS, QUE O TORTURAM MAIS
DOLOROSAMENTE DO QUE TODOS OS SOFRIMENTOS
FÍSICOS.”
(O LIVRO DOS ESPÍRITOS, PERCEPÇÕES, SENSAÇÕES E SOFRIMENTOS
DOS ESPÍRITOS)


      Sendo o ser humano um Espirito encarnado e
  alega estar sofrendo, qual é a base de seu sofrimento ?
CAPÍTULO IV – Da pluralidade das existências,
                        O Livro dos Espíritos
IDÉIAS INATAS

218. Encarnado, conserva o Espírito algum vestígio das percepções
que teve e dos conhecimentos que adquiriu nas existências
anteriores?

―Guarda vaga lembrança, que lhe dá o que se chama ideias inatas.‖

Nas sub respostas ( a , b ) fala-se estritamente sobre
conhecimento, habilidades adquiridas e relação de vida anterior e
atual . de Sensação
 Significado
s.f. Impressão recebida pelo sistema nervoso central quando um dos órgãos dos sentidos
recebe um estímulo exterior (muitas vezes associada a prazer ou dor): sensação de frio.
Significado de Percepção
s.f. Apreensão da realidade ou de uma situação objetiva pelo homem.
242. Como é que os Espíritos têm conhecimento do passado? E esse
                 conhecimento lhes é ilimitado?

“O passado, quando com ele nos ocupamos, é presente. Verifica-se
então, precisamente, o que se passa contigo quando recordas qualquer
           coisa que te impressionou no curso do teu exílio.
           PERCEPÇÕES, SENSAÇÕES E SOFRIMENTOSDOS ESPÍRITOS, OLE
RECORDAÇÃO DA EXISTÊNCIA CORPÓREA
OLE - 308. O Espírito se recorda de todas as existências que precederam a que acaba de
ter?

―Todo o seu passado se lhe desdobra à vista, quais a um viajor os trechos do caminho que
percorreu. Mas, como já dissemos, não se recorda, de modo absoluto, de todos os seus
atos.

Lembra-se destes conformemente à influência que tiveram na criação do seu estado atual.


Mas nem sempre isso ocorre devido o temor do sofrimento
 e com isso ocorre a fuga frequentente observada nas
      mediúnicas donde o espirito se fixa no ódio.


            Até aqui falamos de desencarnados.
312. E a lembrança dos sofrimentos por que passaram na última existência corporal, os
Espíritos a conservam?
―Frequentemente assim acontece e essa lembrança lhes faz compreender melhor o valor da
felicidade de que podem gozar como Espíritos.‖


Evangelho Segundo o Espiritismo , Esquecimento do Passado ,item 11 temos o seguinte
esclarecimento : Ao nascer, traz o homem consigo o que adquiriu, nasce qual se fez; em
cada existência, tem um novo ponto de partida. Pouco lhe importa saber o que foi antes: se
,se vê punido, é que praticou o mal. Suas atuais tendências más indicam o que lhe resta a
corrigir em si próprio e é nisso que deve concentrar-se toda a sua atenção....

 ``Aliás, o esquecimento ocorre apenas durante a vida corpórea. Volvendo à vida
espiritual, readquire o Espírito a lembrança do passado E não é somente após a morte que o
Espírito recobra a lembrança do passado. Pode dizer-se que jamais a perde, pois que, como
a experiência o demonstra, mesmo encarnado, adormecido o corpo, ocasião em que goza
de certa liberdade, o Espírito tem consciência de seus atos anteriores; sabe por que sofre e
que sofre com justiça. A lembrança unicamente se apaga no curso da vida exterior, da vida
de relação. Mas, na falta de uma recordação exata, que lhe poderia ser penosa e prejudicá-
lo nas suas relações sociais, forças novas haure ele nesses instantes de emancipação da
alma, se os sabe aproveitar. ´´
Identificar as tais más tendências é tarefa muito difícil por si mesmo pois elas refletem um
tempo muito ,mas muito grande do qual vivenciamos situações repetitivas devido a nossa
personalidade inata ,dai quando em desespero nos tornamos vitimados por essa
personalidade.
Entorpecimento, prostração, sono físico: Esse entorpecimento ou prostração das forças
vitais podem ser espontâneas ou induzidas conforme a necessidade ,no caso de induzidos
podemos observar em reuniões mediúnicas seja para comunicações gerais como para
atividades de cura onde o médium se põe em estado alterado da consciência pela
concentração e sua objetividade, como também nas experiências com magnetizações e as
observações da parapsicologia.


A emancipação da alma se verifica às vezes no estado de vigília e produz o fenômeno
conhecido pelo nome de segunda vista ou dupla vista, que é a faculdade graças à qual
quem a possui vê, ouve e sente além dos limites dos sentidos humanos.(RESUMO TEÓRICO
DO SONAMBULISMO,DO ÊXTASE E DA DUPLA VISTA)




                Abordagem sobre Recordações de existências corpóreas em, textos diversos
                                              http://espiritismopratico.blogspot.com.br/
A PARTIR DE QUESTIONAMENTOS
SEMELHANTES A ESTES PASSAMOS A ESTUDAR DENTRO
DAS BASES KARDECIANAS, E APLICAR METODOLOGIAS DE
TRATAMENTO ONDE SE ABRAÇA O SER HUMANO DENTRO
DE SUA NECESSIDADE E DIRECIONADA CONFORME SEU
PRÓPRIO ENTENDIMENTO, ENFATIZANDO DETERMINADOS
PROBLEMAS EXISTÊNCIAIS, CARREGADOS POR
SOMATÓRIA NAS MAIS DIVERSAS ENCARNAÇÕES .
O Livro dos Espíritos:
392. Por que perde o Espírito encarnado a lembrança do seu passado?
“Não pode o homem, nem deve, saber tudo. Deus assim o quer em sua sabedoria.
Sem o véu que lhe oculta certas coisas, ficaria ofuscado, como quem, sem
transição, saísse do escuro para o claro. Esquecido de seu passado ele é mais
senhor de si.”


A resposta dada pelos espíritos é maravilhosa e a forma como se caracteriza a leitura
depende do lado em que estamos fixados , sempre lembrando que muitas vezes somos
ofuscados pelo nosso interesse. A resposta não diz ``Não pode o homem, nem
deve, saber NADA e sim ``TUDO ,`` Sem o véu que lhe oculta TODAS AS coisas e
sim ``CERTAS




         http://espiritismopratico.blogspot.com.br/p/psicoterapia-reencarnacionista-e.html
Na questão 290 de O Livro dos Médiuns CA P. X X V I Das perguntas que se podem fazer aos
Espíritos, SOBRE AS EXISTÊNCIAS PASSADAS E VINDOURAS, temos o seguinte:

   15ª Podem os Espíritos dar-nos a conhecer as nossas existências passadas?
         ―Deus algumas vezes permite que elas vos sejam
   reveladas, conforme o objetivo. Se for para vossa edificação e
  instrução, as revelações serão verdadeiras e, nesse caso, feitas
quase sempre espontaneamente e de modo inteiramente imprevisto.
Ele, porém, não o permite nunca para satisfação de vã curiosidade.‖

Eis a sapiência de Kardec, repetindo e reformulando questões para
reforçar e não deixar brechas doutrinarias. Fica claro que DEUS nos
permite algumas vezes a rememoração de certas coisas conforme o
objetivo e que seja para instrução e edificação ( evolução ), e serão
verdadeiras e feitas `` QUASE SEMPRE ´´espontaneamente ou de
modo imprevisto. Sem nunca satisfazer uma vã curiosidade.
                                               Anselmo Benites Heib
Quando se fala em revelação espontânea devemos tomar todo o
cuidado, lembremos de Paulo de Tarso ``
                                          Anselmo Benites Heib
15-a) Por que é que alguns Espíritos nunca se recusam a fazer esta espécie de
revelações?
―São Espíritos brincalhões, que se divertem à vossa custa. Em geral, deveis
considerar falsas, ou, pelo menos, suspeitas, todas as revelações desta natureza
que não tenham um fim eminentemente sério e útil. Aos Espíritos zombeteiros
apraz lisonjear o amor-próprio, por meio de pretendidas origens. Há médiuns e
crentes que aceitam como boa moeda o que lhes é dito a esse respeito e que não
veem que o estado atual de seus Espíritos em nada justifica a categoria que
pretendem ter ocupado. Vaidadezinha que serve de divertimento aos Espíritos
brincalhões, tanto quanto para os homens. Fora mais lógico e mais consentâneo
com a marcha progressiva dos seres que tais pessoas houvessem subido, em vez
de terem descido, o que, sem dúvida, lhes seria mais honroso. Para que se
pudesse dar crédito a essa espécie de revelações, necessário seria que fossem
feitas espontaneamente, por diversos médiuns estranhos uns aos outros e ao que
anteriormente já fora revelado. Então, sim, razão evidente haveria para crer-se.‖
15 - b) Assim como não podemos conhecer a nossa individualidade anterior, segue-
se que também nada podemos saber do gênero de existência que tivemos, da
posição social que ocupamos, das virtudes e dos defeitos que em nós
predominaram?
―Não, isso pode ser revelado, porque dessas revelações podeis tirar proveito para
vos melhorardes. Aliás, estudando o vosso presente, podeis vós mesmos deduzir o
vosso, passado.‖ (Veja-se: O Livro dos Espíritos, ―Esquecimento do passado‖, nº
392.)


Vejam que a questão não é de se conhecer a INDIVIDUALIDADE ,mas buscar reconhecer o
GÊNERO de tais existenciais.




Personalidade
s.f. Individualidade consciente. Caráter pessoal e original. Pessoa conhecida em razão de
suas funções, de sua influência etc.

Gênero
Maneira de ser ou de fazer: modo de viver, de proceder.
Parte 2



    ``Ora, a força que se revela no    ``...O que já não se fez e disse contra
 fenômeno das manifestações, seja        o magnetismo! Entretanto, todos os
     qual for a sua causa, está na        raios lançados contra ele, todas as
  Natureza, da mesma forma que o          armas com que foi ferido, mesmo o
    magnetismo, e não poderá ser             ridículo, esboroaram-se ante a
  exterminada, como a força elétrica       realidade e apenas serviram para
também não o será. O que importa é       colocá-lo ainda mais em evidência. É
 que seja observada e estudada em       que o magnetismo é uma força natural
   todas as suas fases, a fim de se       e, perante as forças da Natureza, o
 deduzirem as leis que a regem. Se        homem é um pigmeu, semelhante a
for um erro, uma ilusão, o tempo fará    cachorrinhos que ladram inutilmente
 justiça; se, porém, for verdadeira, a contra tudo que os possa amedrontar .
   verdade é como o vapor: quanto
mais se o comprime, tanto maior será
      a sua força de expansão .
( REVISTA ESPÍRITA, Jornal de Estudos
 Psicológicos, ANO I JANEIRO DE 1858       ( REVISTA ESPÍRITA, Jornal de
        N 1, p. 22, Introdução )        Estudos Psicológicos, ANO I JANEIRO
                                          DE 1858 N 1, p. 21, Introdução )
Quando apareceram os primeiros fenômenos
 espíritas, algumas pessoas pensaram que       Esperamos que os partidários do
 essa descoberta – se podemos aplicar-lhe      magnetismo e do Espiritismo, mais bem
esse nome – ia desfechar um golpe fatal no     inspirados, não deem ao mundo o escândalo
               magnetismo e que                de discussões tão pouco edificantes e
 com ele ocorreria o mesmo que aconteceu       sempre fatais à propagação da verdade, seja
       com as demais invenções: a mais         qual for o lado em que ela esteja. Podemos
aperfeiçoada faz esquecer a precedente. Tal    ter nossa opinião, sustentá-la, discuti-la; mas
        erro não tardou em dissipar-se e       o meio de nos esclarecermos não é nos
 prontamente se reconheceu o parentesco        estraçalhando, procedimento sempre pouco
      dessas duas ciências. Ambas, com         digno de homens sérios e que se torna
   efeito, baseadas sobre a existência e a     ignóbil se o interesse pessoal está em jogo. (
     manifestação da alma, longe de se         REVISTA ESPÍRITA, Jornal de Estudos
combaterem, podem e devem prestar-se um        Psicológicos, ANO I JANEIRO DE 1858 N°
 mútuo apoio: completam-se e se explicam       1, p. 148, MAGNETISMO E ESPIRITISMO )
       uma pela outra.....Os adeptos do
     Espiritismo, ao contrário, são todos
  partidários do magnetismo; admitem sua
    ação e nos fenômenos sonambúlicos
      reconhecem uma manifestação da
alma...Nos primórdios de uma ciência ainda
      tão nova é muito natural que cada
 um, encarando as coisas do seu ponto de
  vista, haja formado uma ideia diferente...
O magnetismo preparou o caminho do Espiritismo, e o rápido
    progresso desta última doutrina se deve, incontestavelmente, à
       vulgarização das ideias sobre a primeira. Dos fenômenos
      magnéticos, do sonambulismo e do êxtase às manifestações
    espíritas não há mais que um passo; tal é sua conexão que, por
  assim dizer, torna-se impossível falar de um sem falar do outro. Se
 tivéssemos que ficar fora da ciência magnética, nosso quadro seria
  incompleto e poderíamos ser comparados a um professor de física
      que se abstivesse de falar da luz. Todavia, como entre nós o
magnetismo já possui órgãos especiais justamente acreditados, seria
   supérfluo insistirmos sobre um assunto que é tratado com tanta
     superioridade de talento e de experiência; a ele, pois, não nos
 referiremos senão acessoriamente, mas de maneira suficiente para
mostrar as relações íntimas entre essas duas ciências que, a bem da
                     verdade, não passam de uma.

 ( REVISTA ESPÍRITA, Jornal de Estudos Psicológicos, ANO I JANEIRO
       DE 1858 N° 1, p. 149,MAGNETISMO E ESPIRITISMO )
Do sonambulismo vem a compreensão da Emancipação da Alma


407. É necessário o sono completo para a emancipação do
Espírito?
 ―Não; basta que os sentidos entrem em torpor para que o Espírito
  recobre a sua liberdade. Para se emancipar, ele se aproveita de
 todos os instantes de trégua que o corpo lhe concede. Desde que
haja prostração das forças vitais, o Espírito se desprende, tornando-
         se tanto mais livre, quanto mais fraco for o corpo.‖




                                   C A P Í T U L O V I I I, O Livro dos Espíritos
                                    Da emancipação da alma, O sono e os
                                                      sonhos
21. Mas, ao mesmo tempo que o Espírito recobra a consciência de si
mesmo, perde a lembrança do seu passado, sem perder as
faculdades, as qualidades e as aptidões anteriormente
adquiridas, que haviam ficado temporariamente em estado de
latência e que, voltando à atividade, vão ajudá-lo a fazer mais e
melhor do que antes. Ele renasce qual se fizera pelo seu trabalho
anterior; o seu renascimento lhe é um novo ponto de partida, um
novo degrau a subir. Ainda aí a bondade do Criador se
manifesta, porquanto, adicionada aos amargores de uma nova
existência, a lembrança, muitas vezes aflitiva e humilhante, do
passado, poderia turbá-lo e lhe criar embaraços. Ele apenas se
lembra do que aprendeu, por lhe ser isso útil. Se às vezes lhe é dado
ter uma intuição dos acontecimentos passados, essa intuição é como
a lembrança de um sonho fugitivo. Ei-lo, pois, novo homem por mais
antigo que seja como Espírito. Adota novos processos, auxiliado pelas
suas aquisições precedentes.
Quando retorna à vida espiritual, seu passado se lhe desdobra diante
dos olhos e ele julga de como empregou o tempo, se bem ou mal.
 C A P Í T U L O X I, Gênese espiritual, Encarnação dos Espíritos.
Faculdade                                 Qualidade
1. Poder de efetuar.                      1. Maneira de ser boa ou má de uma
2. Capacidade.                            coisa.
3. Autoridade para decidir ou resolver.   2. Superioridade, excelência.
4. Dom natural.                           3. Aptidão, disposição feliz.
5. Virtude, propriedade.                  4. Talento, bons predicados.
6. Possibilidade.                         5. Título, categoria.
                                          6. Aquilo que caracteriza uma coisa.
                                          7. Caráter, índole.
                                          8. Casta, espécie.
                                          9. Condição social, civil, jurídica.
Aptidão                                   10. Atributo, modalidade, virtude, valor.

1. Qualidade de apto.
2. Capacidade.
3. Inclinação - Tendência, propensão.


                                             http://www.webdicionario.com/faculdades
C A P Í T U L O I, Caráter da revelação espírita, p. 45

40.O estudo das propriedades do períspirito, dos fluidos espirituais e
dos atributos fisiológicos da alma abre novos horizontes à Ciência e
dá a chave de uma multidão de fenômenos incompreendidos até
então, por falta de conhecimento da lei que os rege — fenômenos
negados pelo materialismo, por se prenderem à espiritualidade, e
qualificados como milagres ou sortilégios por outras crenças. Tais
são, entre muitos, os fenômenos da vista dupla, da visão a
distância, do sonambulismo natural e artificial, dos efeitos psíquicos
da catalepsia e da letargia, da presciência, dos pressentimentos, das
aparições, das transfigurações, da transmissão do pensamento, da
fascinação, das curas instantâneas, das obsessões e
possessões, etc.
II. EXPLICAÇÃO DE ALGUNS FENÔMENOS CONSIDERADOS SOBRENATURAIS.
VISTA ESPIRITUAL OU PSÍQUICA. DUPLA VISTA. SONAMBULISMO. SONHOS ( A Gênese )


Manifesta-se em diferentes graus, nos Espíritos encarnados, pelo
fenômeno da segunda vista, tanto no sonambulismo natural ou
magnético, quanto no estado de vigília.
Conforme o grau de poder da faculdade, diz-se que a lucidez é maior
ou menor. Com o auxílio dessa faculdade é que certas pessoas veem
o interior do organismo humano e descrevem as causas das
enfermidades.



   A Regressão Terapêutica gira totalmente em torno da
 Emancipação da Alma, sem definição precisa do seu grau
de expansibilidade fluídica. Também a progressão se opera
                   pelo mesmo sistema.
                                                          Anselmo Benites Heib
- Pioneiro do Espiritismo espanhol.

                         - Conhece a Doutrina Espírita em 1860.

                         - Previamente havia conhecido e praticado o
                         magnetismo, guiando-se pelos ensinamentos de Du Potet e
                         outros magnetizadores franceses.

                         - Em 1869 fundou a Revista de Estudos Psicológicos, da qual foi
                         seu diretor e redator durante 20 anos.

                         - Têm sido altamente reconhecidos e valorizados seus estudos e
                         práticas nos campos de hipnotismo e magnetismo. Realizou
                         experimentos com a regressão mental, apresentando uma
                         metodologia rigorosamente científica, de grande utilidade com
Jose Maria Fernandez     evidência favorável à reencarnação, antecedendo os conhecidos
Colavida - 1819 - 1888   trabalhos de Albert de Rochas, na França.
Os trabalhos científicos do Cel. de Rochas são consideráveis, tendo
se destacado nesta área. Profundo conhecedor de tudo o que havia
sido escrito sobre as ciências psíquicas em sua época, dedicou-se à
experimentação, tendo contribuído decisivamente para fazer a
classificação o magnetismo entre as ciências puramente físicas.
No campo do magnetismo e do espiritismo, estudou a
polaridade, contribuiu para a atual classificação das fases do estado
sonambúlico, observou sistematicamente os fenômenos
espíritas, pesquisou a exteriorização da sensibilidade e mostrou o
mecanismo do desdobramento físico. Por meio
de passes longitudinais, aplicados em alguns sensitivos, conseguia
provocar neles a regressão da memória.



                            Cel. Albert de Rochas
Albert de Rochas na sua obra “As Vidas Sucessivas”
                         sistematizou, pela primeira vez na História Moderna, o
                         uso da técnica da regressão de memória.
                         É um grande marco na História das Pesquisas
                         Psíquicas. Foi a partir dos estudos de Albert de
                         Rochas, aqui relatadas, que a reencarnação começou a
                         ser considerada lei natural, cientificamente
                         demonstráveis, em vez de crença de caráter religioso ou
                         preceitos ocultistas.
                         Pesquisou pessoalmente dezoito pessoas, no período
                         que vai de 1903 a 1910, levantando não apenas a
                         questão das vivências passadas, mas numerosos
                         aspectos complementares e subsidiários, entre eles:
Bibliografia:            pontos hipnógenos no corpo físico, projeção do corpo
Constitui-se de 89       astral, ideoplastia do períspirito, progressão de memória
publicações entre
                         ou vidas futuras, etc.
livros ( 18 )e artigos
científicos ( 71 )       As pesquisas realizadas por Albert de Rochas através
                         desta obra contribuíram de forma decisiva e
                         pioneiramente, para que as pesquisas sobre
                         reencarnação obtivessem um cunho científico, lançando
                         juntamente com a Doutrina Espírita as bases dos estudos
                         modernos sobre o trinômio corpo-mente-espírito
Observações – Albert de Rochas

1° - Que a imaginação do sujet não seria suficiente para
produzir, para criar o que considero como reconstituição de vidas
realmente vividas por ele até dez séculos atrás.
2° - Que essa eventualidade, a rigor, seria plausível se tratasse de
uma só existência descrita; porém tratam-se de várias.
3° - Nada, atualmente, no grau de conhecimentos da ciência
espiritualista e psíquica, permite atribuir à imaginação de um sujet
mergulhado no sono magnético lúcido o relato bastante detalhado de
existências que ele revê e revive integralmente.
4° - Um lado notável do fenômeno reside na repetição uniforme
exata das respostas e informações fornecidas pela Senhora J.... as
quais estão sempre, e em todos os pontos, de acordo com aquelas
dadas sobre uma mesma vida em precedentes experiências.
Vidas Sucessivas


Termo rapport para designar a relação ou ligação que se opera entre o magnetizador e o
sujei, durante o transe de regressão de memória.

Exteriorização da Sensibilidade – para designar a Emancipação Perispiritual

Motricidade – relação sobre as diversas camadas perispirituais

Segunda Parte, Experiências magnéticas, Capítulo I, O sono magnético e o corpo fluídico
1. Os estados da hipnose .
Autodidata, tendo mostrado inclinações literárias e filosóficas, aos 18 anos travou contato
com O Livro dos Espíritos e tornou-se adepto da Doutrina Espírita. Desempenhou importante
papel na sua divulgação, enfrentando as críticas do positivismo materialista, do ateísmo e a
reação do Catolicismo. Foi ainda membro atuante da Maçonaria.[1]
Em 1899 participou do II Congresso Espírita Internacional. Participou ainda do Congresso
Espírita de Bruxelas (Bélgica).
A partir de 1910 a sua visão começou a diminuir, mas isso não impediu que prosseguisse no
trabalho de defesa da existência e sobrevivência da alma. Logo depois da Primeira Guerra
Mundial, aprendeu a linguagem Braille.
Em 1925 foi aclamado presidente do Congresso Espírita Internacional (Paris), no qual foi
formada a Federação Espírita Internacional.
A sua grande produção na literatura espírita, bem como o seu caráter afável e
abnegado, valeram-lhe a alcunha de Apóstolo do Espiritismo.
Ao longo de sua vida manteve estreita ligação com a Federação Espírita Brasileira, tendo
sido aprovada por unanimidade a sua indicação para sócio distinto e Presidente honorário
da instituição (1901)
O PROBLEMA DO SER DO DESTINO E DA DOR, SEGUNDA PARTE,
"Quando o sujet não está suficientemente livre para ler em si mesmo a história do seu
passado, podemos então proceder por quadros sucessivos que lhe reproduzem à vista as suas
próprias existências. São, nesse caso, realmente visões e é por isso que nem sempre podem
ser exatas. Em certos casos, pois, os pacientes não revivem as suas vidas. Comunicamos-lhes
do Alto as informações que eles dão aos experimentadores e lhes sugerimos que sofram os
efeitos das circunstâncias que descrevem.
Podemos iniciar-vos no vosso passado sem, contudo, precisarmos as datas e os lugares. Não
esqueçais que, livres das convenções terrestres, deixa para nós de haver tempo e espaço.
Vivendo fora desses limites, cometemos facilmente erros em tudo o que lhes diz respeito.
Consideramos tudo isso como coisas mínimas e preferimos falar-vos dos vossos atos bons ou
maus e de suas consequências. Se algumas datas, se alguns nomes não se encontrarem nos
vossos arquivos, a conclusão para vós é que é tudo falso. Erro profundo do vosso julgamento.
Grandes são as dificuldades para dar-vos conhecimentos tão exatos como o exigis; mas, crede-
nos, não vos fatigueis nas vossas investigações. Não há estudo mais nobre do que este. Não
sentis que é belo difundir a luz? No entanto, infelizmente, ainda no vosso planeta há de passar
muito tempo, primeiro que as massas compreendam para que aurora se deva dirigir!"
Dentre muitos livros escritos
     iremos dar ênfase a: Enigmas
      da Psicometria e Animismo
            ou Espiritismo.




      Os assuntos de nosso interesse para entendimento do processo de Regressão
                                    Terapêutica são:
Bi locação, Desdobramento e o Animismo como condição natural da evolução do espirito.
Ernesto Bozzano (Gênova, 9 de janeiro de 1862 - 24 de junho de 1943).

       Foi um pesquisador espírita italiano, e um dos mais famosos do seu tempo.
      Dedicou-se primeiramente à filosofia científica, interessando-se sobretudo
pelas ideias do inglês Herbert Spencer (1820-1903). Em 1891 começou a se
ocupar da telepatia e do espiritismo, assuntos que interessavam àquele tempo tanto
estudiosos da Europa quanto da América[1].
      Desde então, Bozzano dedicou-se inteiramente, em completa solidão e até
sua morte, ao estudo da metapsíquica.
      Mais que experimentador foi um pesquisador, organizador e comentador
(sob este aspecto frequentemente considerado pouco crítico[2]) dos fenômenos
relativos à riquíssima literatura metapsíquica do seu tempo, na qual a relação dos
visionários, dos crédulos, dos mitômanos e dos charlatães era, por larga
margem, mais numerosa que a dos estudiosos sérios[1].
      Bozzano publicou cinquenta e duas obras que tratavam de cada área e de
cada aspecto da metapsíquica: telepatia, clarividência, psicocinese, aparição
de espiritoss, espiritismo (manifestações dos mortos).
Trocou uma densa correspondência com os maiores representantes da
metapsíquica dentre os quais cientistas de valor como os físicos ingleses William
Crookes e Oliver Lodge e o fisiologista francês Charles Richet.
455. Os fenômenos do sonambulismo natural se produzem
espontaneamente e independem de qualquer causa exterior conhecida.
Mas, em certas pessoas dotadas de especial organização, podem ser
provocados artificialmente,pela ação do agente magnético.
O estado que se designa pelo nome de sonambulismo magnético apenas
difere do sonambulismo natural em que um é provocado, enquanto o
outro é espontâneo....
O sonambulismo natural constitui fato notório, que ninguém mais se
lembra de pôr em dúvida, não obstante o aspecto maravilhoso dos
fenômenos a que dá lugar. Por que seria então mais extraordinário ou
irracional o sonambulismo magnético?

Kardec, (RESUMO TEÓRICO DO SONAMBULISMO,DO ÊXTASE E DA DUPLA
VISTA)
Relação das variedades práticas do Sonambulismo
 Natural, retro-cognição e pré-cognição.
1 - Visões sonambúlicas – Ocorrem durante o sono que nada mais é do
que um estado sonambúlico imperfeito.

2 - Dupla vista – Ocorrem no estado de vigília (acordado)

3 - Visões extáticas - em geral têm por objeto os seres e as coisas do
mundo incorpóreo. Quando as visões têm por objeto os seres do mundo
incorpóreo, poder-se-ia, aparentemente com alguma razão, qualificá-las
de alucinação, porque nada lhes pode demonstrar a exatidão.

Kardec baseia-se em obras existentes representadas conforme a seguir
nas Revistas Espiritas: ``As sensações como, deslocamento dos
sentidos, de insensibilidade total ou parcial do corpo, de exaltação da
alma...(revista Espirita 1858,apud, História de França, de Henri
Martin, volume 6, página 143)
Segundo Albert de Rochas a Letargia
        se divide em 5 estados:
1 Estado: vigília- Donde o sujet é atraído em sua atenção devido seu
interesse seja consciente ou subconsciente, entra num estado de torpor
vê ao vivo e a cores aquilo que lhe chama a atenção e retorna , durante o
processo ocorre exatamente como citado em O Livro dos Espíritos
, sempre havendo um estado de torpor dos sentidos.


2 Estado: sonambulismo. O sujet parece uma pessoa desperta gozando
de todas as suas faculdades, no entanto é bastante sugestionável e
apresenta o fenômeno da insensibilidade cutânea, que persiste em todos
os estados seguintes. A memória é normal.
3 Estado: rapport. O sujet não percebe ninguém além do magnetizador
e das pessoas que este coloca em relação com aquele, seja por um
contato ou mesmo por um simples olhar. Apresenta sensação de bem-
estar bastante pronunciada, diminuição da memória normal e da
sugestibilidade. A sensibilidade começa a exteriorizar-se em uma camada
paralela ao corpo e situada a cerca de trinta e cinco milímetros da pele
(14). O sujet vê os eflúvios exteriores dos corpos organizados e dos
cristais.

4 Estado: simpatia ao contato. A sensibilidade continua a exteriorizar-
se e pode-se constatar uma segunda camada sensível a seis ou sete
centímetros da primeira e de menor sensibilidade. O sujet experimenta as
sensações do magnetizados quando este se coloca em contato com ele. A
sensibilidade cutânea desaparece, assim como a memória dos fatos; elas
não reaparecem nos estados seguintes, mas a memória da linguagem
subsiste nesses estados, já que o sujet pode conversar com o
magnetizado.
5 Estado: simpatia à distância. O sujet percebe todas as sensações do
magnetizador, mesmo sem contato, desde que a distância não seja muito
grande. Ele não mais vê os eflúvios exteriores dos corpos, mas vê os
órgãos internos dos seres vivos. Não é mais sugestionável e perde
totalmente a memória de sua vida; não conhece mais do que duas
pessoas, o magnetizador e ele próprio, no entanto não sabe seus nomes.
José Herculano Pires – Segundo Emannuel foi o metro que melhor definiu Kardec no Brasil,
estudioso e defensor aplicado da pureza doutrinária, amante da razão e da metodologia
Cientifica, foi o criador da Sociedade Brasileira de Parapsicologia por considerar a escola de
Parapsicologia a entrada cientifica do Espiritismo no meio acadêmico, assim como o
magnetismo também se resignou em adentrar a academia cientifica com o nome errôneo de
Hipnotismo.

O Magnetismo Perante a Academia
Deixado à porta, o magnetismo entrou pela janela, mediante um disfarce e um outro nome.
Em vez de dizer: Sou o magnetismo, o que provavelmente não lhe teria valido uma
acolhida favorável, disse: Chamo-me hipnotismo (do grego hypnos, sono). Graças a esse
salvo-conduto conseguiu entrar após vinte anos de paciência. Mas não perdeu por
esperar, pois soube fazer-se introduzir por uma das maiores celebridades. Evitou
cuidadosamente apresentar-se com seu cortejo de passes, de sonambulismo, de visão a
distância, de êxtases, que o teriam traído.
                                                      Kardec (Revista Espirita, 1860)
Não foi diferente com o Espiritismo e segundo Herculano Pires em (Ciência Espirita´´, pag.
38). `` O mesmo acontece agora com o Espiritismo, que, sendo batizado na Universidade
de DUKE com o nome de Parapsicologia, teve entrada franca e entusiasta na URSS e no
VATICANO. Na verdade a Parapsicologia com roupa nova, linguagem grega e seguindo as
pegadas de Kardec, para atingir os seus mesmos objetivos, nada ofereceu de novo ao
mundo atual além de sua roupagem tecnológica.´´


Ainda `` Todo Espirita tem o direito e o dever de participar das pesquisas atuais e futuras
Dos fenômenos paranormais, sem que sejam apontados como parciais, pois na verdade são
Pioneiros dessas pesquisas e pisam em terreno que lhes pertence. Quando um Espirita
competente trata de parapsicologia não a deforma, pois isso seria deformar a sua própria
Doutrina. As ciências do paranormal nasceram das entranhas do espiritismo e em vão
lutaram para contradize-lo, mas acataram todos os seus princípios científicos. ´´
Os problemas implícitos na verificação de Pcg e Reg são
numerosos, pois a constatação dessa possibilidade humana de
dominar o tempo traz implicações filosóficas e religiosas. Embora
a profecia tivesse existido sempre, a verdade é que ela foi
encarada, no passado, com uma atitude teológica de aceitação
reverente do fato como uma' graça. A constatação científica do
fato modifica por completo essa situação. Não se trata mais de
uma graça, mas de uma faculdade humana, suscetível de
experimentação e controle científico. Uma faculdade normal de
que todos podem dispor, em menor ou maior grau, pois nós todos
a usamos frequentemente sem disso nos apercebermos.
(Jose Herculano Pires, Parapsicologia Ontem e hoje, Cap. V - Peg - O domínio do
tempo, pg. 30)


Curso realizado na instituição Espirita Oficina de Luz. Psicoterapia
Espírita em Regressão de Memória, base doutrinária extraída das
obras básicas e complementares.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

2.8.1 O sono e os sonhos
2.8.1   O sono e os sonhos2.8.1   O sono e os sonhos
2.8.1 O sono e os sonhosMarta Gomes
 
Espiritualismo e espiritismo
Espiritualismo e espiritismoEspiritualismo e espiritismo
Espiritualismo e espiritismoFernando Oliveira
 
Livro dos Espiritos questao 222 Evangelho cap16, 9
Livro dos Espiritos questao 222 Evangelho cap16, 9Livro dos Espiritos questao 222 Evangelho cap16, 9
Livro dos Espiritos questao 222 Evangelho cap16, 9Patricia Farias
 
Roteiro 3 provas da existência e da sobrevivência do espírito
Roteiro  3   provas da existência e da sobrevivência do espíritoRoteiro  3   provas da existência e da sobrevivência do espírito
Roteiro 3 provas da existência e da sobrevivência do espíritoBruno Cechinel Filho
 
Capitulo VIII - Emancipacao da alma
Capitulo VIII - Emancipacao da almaCapitulo VIII - Emancipacao da alma
Capitulo VIII - Emancipacao da almaMarta Gomes
 
Eclosão da mediunidade.pptx
Eclosão da mediunidade.pptxEclosão da mediunidade.pptx
Eclosão da mediunidade.pptxM.R.L
 
3ª aula da natureza das comunicações - coem
3ª aula   da natureza das comunicações - coem3ª aula   da natureza das comunicações - coem
3ª aula da natureza das comunicações - coemWagner Quadros
 
Eae 96 - evolução animica i - até animal rev 03
Eae   96 - evolução animica i - até animal rev 03Eae   96 - evolução animica i - até animal rev 03
Eae 96 - evolução animica i - até animal rev 03Norberto Scavone Augusto
 
Finalidades da reencarnação.pptx2
Finalidades da reencarnação.pptx2Finalidades da reencarnação.pptx2
Finalidades da reencarnação.pptx2sndteixeira
 
Casamento e divórcio e os filho - visão espirita
Casamento e divórcio e os filho - visão espiritaCasamento e divórcio e os filho - visão espirita
Casamento e divórcio e os filho - visão espiritaKATIA MARIA FARAH V DA SILVA
 
Sono & sonhos ; sonhos; ESDE; espiritismo
Sono & sonhos ; sonhos; ESDE; espiritismoSono & sonhos ; sonhos; ESDE; espiritismo
Sono & sonhos ; sonhos; ESDE; espiritismoDeborah Oliver
 
2.6.1 espiritos errantes
2.6.1   espiritos errantes2.6.1   espiritos errantes
2.6.1 espiritos errantesMarta Gomes
 
Terceiro Módulo - 13ª aula - Mundo espírita e mundo corporal - manifestações ...
Terceiro Módulo - 13ª aula - Mundo espírita e mundo corporal - manifestações ...Terceiro Módulo - 13ª aula - Mundo espírita e mundo corporal - manifestações ...
Terceiro Módulo - 13ª aula - Mundo espírita e mundo corporal - manifestações ...CeiClarencio
 
Fluidos e perispirito-rosana_c
Fluidos e perispirito-rosana_cFluidos e perispirito-rosana_c
Fluidos e perispirito-rosana_ccarlos freire
 
principios basicos do espiritismo
principios basicos do espiritismoprincipios basicos do espiritismo
principios basicos do espiritismocleomarjunior
 

Mais procurados (20)

2.8.1 O sono e os sonhos
2.8.1   O sono e os sonhos2.8.1   O sono e os sonhos
2.8.1 O sono e os sonhos
 
Espiritualismo e espiritismo
Espiritualismo e espiritismoEspiritualismo e espiritismo
Espiritualismo e espiritismo
 
Livro dos Espiritos questao 222 Evangelho cap16, 9
Livro dos Espiritos questao 222 Evangelho cap16, 9Livro dos Espiritos questao 222 Evangelho cap16, 9
Livro dos Espiritos questao 222 Evangelho cap16, 9
 
Roteiro 3 provas da existência e da sobrevivência do espírito
Roteiro  3   provas da existência e da sobrevivência do espíritoRoteiro  3   provas da existência e da sobrevivência do espírito
Roteiro 3 provas da existência e da sobrevivência do espírito
 
Capitulo VIII - Emancipacao da alma
Capitulo VIII - Emancipacao da almaCapitulo VIII - Emancipacao da alma
Capitulo VIII - Emancipacao da alma
 
Eclosão da mediunidade.pptx
Eclosão da mediunidade.pptxEclosão da mediunidade.pptx
Eclosão da mediunidade.pptx
 
3ª aula da natureza das comunicações - coem
3ª aula   da natureza das comunicações - coem3ª aula   da natureza das comunicações - coem
3ª aula da natureza das comunicações - coem
 
Natal palestra
Natal palestraNatal palestra
Natal palestra
 
Colônias espirituais
Colônias espirituaisColônias espirituais
Colônias espirituais
 
Eae 96 - evolução animica i - até animal rev 03
Eae   96 - evolução animica i - até animal rev 03Eae   96 - evolução animica i - até animal rev 03
Eae 96 - evolução animica i - até animal rev 03
 
Finalidades da reencarnação.pptx2
Finalidades da reencarnação.pptx2Finalidades da reencarnação.pptx2
Finalidades da reencarnação.pptx2
 
Desobsessao
DesobsessaoDesobsessao
Desobsessao
 
7 aula reencarnação
7   aula reencarnação7   aula reencarnação
7 aula reencarnação
 
Casamento e divórcio e os filho - visão espirita
Casamento e divórcio e os filho - visão espiritaCasamento e divórcio e os filho - visão espirita
Casamento e divórcio e os filho - visão espirita
 
Escala Espírita
Escala EspíritaEscala Espírita
Escala Espírita
 
Sono & sonhos ; sonhos; ESDE; espiritismo
Sono & sonhos ; sonhos; ESDE; espiritismoSono & sonhos ; sonhos; ESDE; espiritismo
Sono & sonhos ; sonhos; ESDE; espiritismo
 
2.6.1 espiritos errantes
2.6.1   espiritos errantes2.6.1   espiritos errantes
2.6.1 espiritos errantes
 
Terceiro Módulo - 13ª aula - Mundo espírita e mundo corporal - manifestações ...
Terceiro Módulo - 13ª aula - Mundo espírita e mundo corporal - manifestações ...Terceiro Módulo - 13ª aula - Mundo espírita e mundo corporal - manifestações ...
Terceiro Módulo - 13ª aula - Mundo espírita e mundo corporal - manifestações ...
 
Fluidos e perispirito-rosana_c
Fluidos e perispirito-rosana_cFluidos e perispirito-rosana_c
Fluidos e perispirito-rosana_c
 
principios basicos do espiritismo
principios basicos do espiritismoprincipios basicos do espiritismo
principios basicos do espiritismo
 

Semelhante a Regressão terapêutica espirita

( Espiritismo) # - allan kardec - quadro sinotico da nomenclatura espirita
( Espiritismo)   # - allan kardec - quadro sinotico da nomenclatura espirita( Espiritismo)   # - allan kardec - quadro sinotico da nomenclatura espirita
( Espiritismo) # - allan kardec - quadro sinotico da nomenclatura espiritaInstituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Roteiro 2 provas da rematerialização
Roteiro 2   provas da rematerializaçãoRoteiro 2   provas da rematerialização
Roteiro 2 provas da rematerializaçãoBruno Cechinel Filho
 
Inimigos desencarnados obsessao mal da humanidade
Inimigos desencarnados obsessao mal da humanidadeInimigos desencarnados obsessao mal da humanidade
Inimigos desencarnados obsessao mal da humanidadeClaudio Macedo
 
Livro dos Espíritos Q. 404 e 405 - ESE Introducao_II
Livro dos Espíritos Q. 404 e 405 - ESE Introducao_IILivro dos Espíritos Q. 404 e 405 - ESE Introducao_II
Livro dos Espíritos Q. 404 e 405 - ESE Introducao_IIPatricia Farias
 
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XIX e XX - Predisposições...
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XIX e XX - Predisposições...Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XIX e XX - Predisposições...
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XIX e XX - Predisposições...Cynthia Castro
 
Livro dos Espíritos Questao 352 ESE cap.28 item 11
Livro dos Espíritos Questao 352 ESE cap.28 item 11Livro dos Espíritos Questao 352 ESE cap.28 item 11
Livro dos Espíritos Questao 352 ESE cap.28 item 11Patricia Farias
 
Nos dominios da mediunidade Cap. 4 Ante o Servico
Nos dominios da mediunidade   Cap. 4 Ante o ServicoNos dominios da mediunidade   Cap. 4 Ante o Servico
Nos dominios da mediunidade Cap. 4 Ante o ServicoPatricia Farias
 
Livro dos Espírios Q.306 ESE26
Livro dos Espírios Q.306 ESE26Livro dos Espírios Q.306 ESE26
Livro dos Espírios Q.306 ESE26Patricia Farias
 
A alma é imortal demonstração experimental da imortalidade (gabriel delanne)
A alma é imortal   demonstração experimental da imortalidade (gabriel delanne)A alma é imortal   demonstração experimental da imortalidade (gabriel delanne)
A alma é imortal demonstração experimental da imortalidade (gabriel delanne)Ricardo Akerman
 
LIVRO DOS ESPIRITOS _ SALVADOR GENTILE.pdf
LIVRO DOS ESPIRITOS _ SALVADOR GENTILE.pdfLIVRO DOS ESPIRITOS _ SALVADOR GENTILE.pdf
LIVRO DOS ESPIRITOS _ SALVADOR GENTILE.pdfReginaldo Nobrega
 
Terceiro Módulo - 15ª aula - Mistificação - animismo
Terceiro Módulo - 15ª aula - Mistificação - animismoTerceiro Módulo - 15ª aula - Mistificação - animismo
Terceiro Módulo - 15ª aula - Mistificação - animismoCeiClarencio
 
Evangeliza - Sono e Sonhos
Evangeliza - Sono e SonhosEvangeliza - Sono e Sonhos
Evangeliza - Sono e SonhosAntonino Silva
 

Semelhante a Regressão terapêutica espirita (20)

( Espiritismo) # - allan kardec - quadro sinotico da nomenclatura espirita
( Espiritismo)   # - allan kardec - quadro sinotico da nomenclatura espirita( Espiritismo)   # - allan kardec - quadro sinotico da nomenclatura espirita
( Espiritismo) # - allan kardec - quadro sinotico da nomenclatura espirita
 
Roteiro 2 provas da rematerialização
Roteiro 2   provas da rematerializaçãoRoteiro 2   provas da rematerialização
Roteiro 2 provas da rematerialização
 
Mediunidade o que é isso apostila 041
Mediunidade o que é isso   apostila 041Mediunidade o que é isso   apostila 041
Mediunidade o que é isso apostila 041
 
Inimigos desencarnados obsessao mal da humanidade
Inimigos desencarnados obsessao mal da humanidadeInimigos desencarnados obsessao mal da humanidade
Inimigos desencarnados obsessao mal da humanidade
 
Livro dos Espíritos Q. 404 e 405 - ESE Introducao_II
Livro dos Espíritos Q. 404 e 405 - ESE Introducao_IILivro dos Espíritos Q. 404 e 405 - ESE Introducao_II
Livro dos Espíritos Q. 404 e 405 - ESE Introducao_II
 
A região do Umbral
A região do UmbralA região do Umbral
A região do Umbral
 
Mediunidade o que é isso apostila 031
Mediunidade o que é isso   apostila 031Mediunidade o que é isso   apostila 031
Mediunidade o que é isso apostila 031
 
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XIX e XX - Predisposições...
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XIX e XX - Predisposições...Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XIX e XX - Predisposições...
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XIX e XX - Predisposições...
 
DEPERTAMENTO DA CONSCIENCIA
DEPERTAMENTO DA CONSCIENCIADEPERTAMENTO DA CONSCIENCIA
DEPERTAMENTO DA CONSCIENCIA
 
Livro dos Espíritos Questao 352 ESE cap.28 item 11
Livro dos Espíritos Questao 352 ESE cap.28 item 11Livro dos Espíritos Questao 352 ESE cap.28 item 11
Livro dos Espíritos Questao 352 ESE cap.28 item 11
 
Os Mensageiros Cap.10
Os Mensageiros Cap.10Os Mensageiros Cap.10
Os Mensageiros Cap.10
 
Sonhos na visão espírita
Sonhos na visão espíritaSonhos na visão espírita
Sonhos na visão espírita
 
Nos dominios da mediunidade Cap. 4 Ante o Servico
Nos dominios da mediunidade   Cap. 4 Ante o ServicoNos dominios da mediunidade   Cap. 4 Ante o Servico
Nos dominios da mediunidade Cap. 4 Ante o Servico
 
Livro dos Espírios Q.306 ESE26
Livro dos Espírios Q.306 ESE26Livro dos Espírios Q.306 ESE26
Livro dos Espírios Q.306 ESE26
 
9 ciclo-iii-fenomenos de-emancipacao_da_alma
9 ciclo-iii-fenomenos de-emancipacao_da_alma9 ciclo-iii-fenomenos de-emancipacao_da_alma
9 ciclo-iii-fenomenos de-emancipacao_da_alma
 
A alma é imortal demonstração experimental da imortalidade (gabriel delanne)
A alma é imortal   demonstração experimental da imortalidade (gabriel delanne)A alma é imortal   demonstração experimental da imortalidade (gabriel delanne)
A alma é imortal demonstração experimental da imortalidade (gabriel delanne)
 
LIVRO DOS ESPIRITOS _ SALVADOR GENTILE.pdf
LIVRO DOS ESPIRITOS _ SALVADOR GENTILE.pdfLIVRO DOS ESPIRITOS _ SALVADOR GENTILE.pdf
LIVRO DOS ESPIRITOS _ SALVADOR GENTILE.pdf
 
081105 le–livro ii-cap.8–o sono e os sonhos-cont
081105 le–livro ii-cap.8–o sono e os sonhos-cont081105 le–livro ii-cap.8–o sono e os sonhos-cont
081105 le–livro ii-cap.8–o sono e os sonhos-cont
 
Terceiro Módulo - 15ª aula - Mistificação - animismo
Terceiro Módulo - 15ª aula - Mistificação - animismoTerceiro Módulo - 15ª aula - Mistificação - animismo
Terceiro Módulo - 15ª aula - Mistificação - animismo
 
Evangeliza - Sono e Sonhos
Evangeliza - Sono e SonhosEvangeliza - Sono e Sonhos
Evangeliza - Sono e Sonhos
 

Último

AS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdf
AS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdfAS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdf
AS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdfnatzarimdonorte
 
ARMAGEDOM! O QUE REALMENTE?.............
ARMAGEDOM! O QUE REALMENTE?.............ARMAGEDOM! O QUE REALMENTE?.............
ARMAGEDOM! O QUE REALMENTE?.............Nelson Pereira
 
O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .
O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .
O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .natzarimdonorte
 
A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).
A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).
A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).natzarimdonorte
 
Série: O Conflito - Palestra 08. Igreja Adventista do Sétimo Dia
Série: O Conflito - Palestra 08. Igreja Adventista do Sétimo DiaSérie: O Conflito - Palestra 08. Igreja Adventista do Sétimo Dia
Série: O Conflito - Palestra 08. Igreja Adventista do Sétimo DiaDenisRocha28
 
9ª aula - livro de Atos dos apóstolos Cap 18 e 19
9ª aula - livro de Atos dos apóstolos Cap 18 e 199ª aula - livro de Atos dos apóstolos Cap 18 e 19
9ª aula - livro de Atos dos apóstolos Cap 18 e 19PIB Penha
 
Taoismo (Origem e Taoismo no Brasil) - Carlos vinicius
Taoismo (Origem e Taoismo no Brasil) - Carlos viniciusTaoismo (Origem e Taoismo no Brasil) - Carlos vinicius
Taoismo (Origem e Taoismo no Brasil) - Carlos viniciusVini Master
 
Material sobre o jubileu e o seu significado
Material sobre o jubileu e o seu significadoMaterial sobre o jubileu e o seu significado
Material sobre o jubileu e o seu significadofreivalentimpesente
 
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EGÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EMicheleRosa39
 
Oração dos Fiéis Festa da Palavra Catequese
Oração dos  Fiéis Festa da Palavra CatequeseOração dos  Fiéis Festa da Palavra Catequese
Oração dos Fiéis Festa da Palavra Catequeseanamdp2004
 

Último (12)

Fluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.pptFluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
 
AS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdf
AS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdfAS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdf
AS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdf
 
ARMAGEDOM! O QUE REALMENTE?.............
ARMAGEDOM! O QUE REALMENTE?.............ARMAGEDOM! O QUE REALMENTE?.............
ARMAGEDOM! O QUE REALMENTE?.............
 
O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .
O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .
O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .
 
A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).
A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).
A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).
 
Mediunidade e Obsessão - Doutrina Espírita
Mediunidade e Obsessão - Doutrina EspíritaMediunidade e Obsessão - Doutrina Espírita
Mediunidade e Obsessão - Doutrina Espírita
 
Série: O Conflito - Palestra 08. Igreja Adventista do Sétimo Dia
Série: O Conflito - Palestra 08. Igreja Adventista do Sétimo DiaSérie: O Conflito - Palestra 08. Igreja Adventista do Sétimo Dia
Série: O Conflito - Palestra 08. Igreja Adventista do Sétimo Dia
 
9ª aula - livro de Atos dos apóstolos Cap 18 e 19
9ª aula - livro de Atos dos apóstolos Cap 18 e 199ª aula - livro de Atos dos apóstolos Cap 18 e 19
9ª aula - livro de Atos dos apóstolos Cap 18 e 19
 
Taoismo (Origem e Taoismo no Brasil) - Carlos vinicius
Taoismo (Origem e Taoismo no Brasil) - Carlos viniciusTaoismo (Origem e Taoismo no Brasil) - Carlos vinicius
Taoismo (Origem e Taoismo no Brasil) - Carlos vinicius
 
Material sobre o jubileu e o seu significado
Material sobre o jubileu e o seu significadoMaterial sobre o jubileu e o seu significado
Material sobre o jubileu e o seu significado
 
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EGÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
 
Oração dos Fiéis Festa da Palavra Catequese
Oração dos  Fiéis Festa da Palavra CatequeseOração dos  Fiéis Festa da Palavra Catequese
Oração dos Fiéis Festa da Palavra Catequese
 

Regressão terapêutica espirita

  • 1. Quem deseje tornar-se versado numa ciência tem que a estudar metodicamente, começando pelo princípio e acompanhando o encadeamento e o desenvolvimento das ideias. Allan Kardec, Introdução ao Estudo da Doutrina Espirita.
  • 2. Parte 1 REGRESSÃO TERAPÊUTICA ESPIRITA. - BASE DOUTRINÁRIA – KARDEC (R EVISTA ESP IRITA`` 1858 À 1869 O LIVRO DOS ESPÍRITOS, O LIVRO DOS MÉDIUNS) - SUPLEMENTOS – (ESTUDOS CIENTÍFICOS) CEL. ALBERT DE ROCHAS (AS VIDAS SUCESSIVAS) LEON DENIS (O PROBLEMA DO SER DO DESTINO E DA DOR) ERNESTO BOZZANO (ANIMISMO OU ESPIRITISMO?, OS ENIGMAS DA PSICOMETRIA) HERCULANO PIRES ( PARAPSICOLOGIA, HOJE E AMANHÃ ) HERMÍNIO C. MIRANDA( ALQUIMIA DA MENTE, A MEMÓRIA E O TEMPO, DIVERSIDADE DE CARISMAS ) LAMARTINE PALHANO JR ( VIAGENS PSÍQUICAS NO TEMPO ) ZALMINO ZIMMERMANN( PERÍSPIRITO, TEORIA DA MEDIUNIDADE ) - SUPLEMENTOS – ( ANDRÉ LUIZ E MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA ) - APLICABILIDADE – DESLIGAMENTO DE ACESSOS INCONSCIENTES A TRAUMAS DO PASSADO. OPORTUNIZAÇÃO DE DIÁLOGOS EXTRA FÍSICOS CONSCIENTES COM SEUS GUIAS ESPIRITUAIS.
  • 3. Amparos Legais (Brasil)- (http://espiritismopratico.blogspot.com.br/) As regulamentações da hipnose no Brasil por organismos de classe respeitados como, Conselhos Federais de Medicina, Psicologia e Odontologia, melhor conceituam, esclarecem, fundamentam e recomendam o uso científico das técnicas hipnoterápicas como alternativas terapêuticas disponíveis à profissionais qualificados do campo da saúde humana. Não existe uma legislação específica sobre o uso da Hipnose no Brasil. Médicos, dentistas e psicólogos são orientados pelos próprios Códigos de Ética sobre a utilização da Hipnose para fins científicos, de pesquisa, tratamento e cura. RESOLUÇÃO CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA No. 013/2000 RESOLUÇÃO CONSELHO FEDERAL DE ODONTOLOGIA No. 185/93 OS PSICANALISTAS são orientados pelas Sociedades que os formam Significado de Hipnose - s.f. Sono causado por meios artificiais. Regressão - s.f. Volta, retrocesso.
  • 4. 255. QUANDO UM ESPÍRITO DIZ QUE SOFRE, DE QUE NATUREZA É O SEU SOFRIMENTO? “ANGÚSTIAS MORAIS, QUE O TORTURAM MAIS DOLOROSAMENTE DO QUE TODOS OS SOFRIMENTOS FÍSICOS.” (O LIVRO DOS ESPÍRITOS, PERCEPÇÕES, SENSAÇÕES E SOFRIMENTOS DOS ESPÍRITOS) Sendo o ser humano um Espirito encarnado e alega estar sofrendo, qual é a base de seu sofrimento ?
  • 5. CAPÍTULO IV – Da pluralidade das existências, O Livro dos Espíritos IDÉIAS INATAS 218. Encarnado, conserva o Espírito algum vestígio das percepções que teve e dos conhecimentos que adquiriu nas existências anteriores? ―Guarda vaga lembrança, que lhe dá o que se chama ideias inatas.‖ Nas sub respostas ( a , b ) fala-se estritamente sobre conhecimento, habilidades adquiridas e relação de vida anterior e atual . de Sensação Significado s.f. Impressão recebida pelo sistema nervoso central quando um dos órgãos dos sentidos recebe um estímulo exterior (muitas vezes associada a prazer ou dor): sensação de frio. Significado de Percepção s.f. Apreensão da realidade ou de uma situação objetiva pelo homem.
  • 6. 242. Como é que os Espíritos têm conhecimento do passado? E esse conhecimento lhes é ilimitado? “O passado, quando com ele nos ocupamos, é presente. Verifica-se então, precisamente, o que se passa contigo quando recordas qualquer coisa que te impressionou no curso do teu exílio. PERCEPÇÕES, SENSAÇÕES E SOFRIMENTOSDOS ESPÍRITOS, OLE
  • 7. RECORDAÇÃO DA EXISTÊNCIA CORPÓREA OLE - 308. O Espírito se recorda de todas as existências que precederam a que acaba de ter? ―Todo o seu passado se lhe desdobra à vista, quais a um viajor os trechos do caminho que percorreu. Mas, como já dissemos, não se recorda, de modo absoluto, de todos os seus atos. Lembra-se destes conformemente à influência que tiveram na criação do seu estado atual. Mas nem sempre isso ocorre devido o temor do sofrimento e com isso ocorre a fuga frequentente observada nas mediúnicas donde o espirito se fixa no ódio. Até aqui falamos de desencarnados.
  • 8. 312. E a lembrança dos sofrimentos por que passaram na última existência corporal, os Espíritos a conservam? ―Frequentemente assim acontece e essa lembrança lhes faz compreender melhor o valor da felicidade de que podem gozar como Espíritos.‖ Evangelho Segundo o Espiritismo , Esquecimento do Passado ,item 11 temos o seguinte esclarecimento : Ao nascer, traz o homem consigo o que adquiriu, nasce qual se fez; em cada existência, tem um novo ponto de partida. Pouco lhe importa saber o que foi antes: se ,se vê punido, é que praticou o mal. Suas atuais tendências más indicam o que lhe resta a corrigir em si próprio e é nisso que deve concentrar-se toda a sua atenção.... ``Aliás, o esquecimento ocorre apenas durante a vida corpórea. Volvendo à vida espiritual, readquire o Espírito a lembrança do passado E não é somente após a morte que o Espírito recobra a lembrança do passado. Pode dizer-se que jamais a perde, pois que, como a experiência o demonstra, mesmo encarnado, adormecido o corpo, ocasião em que goza de certa liberdade, o Espírito tem consciência de seus atos anteriores; sabe por que sofre e que sofre com justiça. A lembrança unicamente se apaga no curso da vida exterior, da vida de relação. Mas, na falta de uma recordação exata, que lhe poderia ser penosa e prejudicá- lo nas suas relações sociais, forças novas haure ele nesses instantes de emancipação da alma, se os sabe aproveitar. ´´
  • 9. Identificar as tais más tendências é tarefa muito difícil por si mesmo pois elas refletem um tempo muito ,mas muito grande do qual vivenciamos situações repetitivas devido a nossa personalidade inata ,dai quando em desespero nos tornamos vitimados por essa personalidade. Entorpecimento, prostração, sono físico: Esse entorpecimento ou prostração das forças vitais podem ser espontâneas ou induzidas conforme a necessidade ,no caso de induzidos podemos observar em reuniões mediúnicas seja para comunicações gerais como para atividades de cura onde o médium se põe em estado alterado da consciência pela concentração e sua objetividade, como também nas experiências com magnetizações e as observações da parapsicologia. A emancipação da alma se verifica às vezes no estado de vigília e produz o fenômeno conhecido pelo nome de segunda vista ou dupla vista, que é a faculdade graças à qual quem a possui vê, ouve e sente além dos limites dos sentidos humanos.(RESUMO TEÓRICO DO SONAMBULISMO,DO ÊXTASE E DA DUPLA VISTA) Abordagem sobre Recordações de existências corpóreas em, textos diversos http://espiritismopratico.blogspot.com.br/
  • 10. A PARTIR DE QUESTIONAMENTOS SEMELHANTES A ESTES PASSAMOS A ESTUDAR DENTRO DAS BASES KARDECIANAS, E APLICAR METODOLOGIAS DE TRATAMENTO ONDE SE ABRAÇA O SER HUMANO DENTRO DE SUA NECESSIDADE E DIRECIONADA CONFORME SEU PRÓPRIO ENTENDIMENTO, ENFATIZANDO DETERMINADOS PROBLEMAS EXISTÊNCIAIS, CARREGADOS POR SOMATÓRIA NAS MAIS DIVERSAS ENCARNAÇÕES .
  • 11. O Livro dos Espíritos: 392. Por que perde o Espírito encarnado a lembrança do seu passado? “Não pode o homem, nem deve, saber tudo. Deus assim o quer em sua sabedoria. Sem o véu que lhe oculta certas coisas, ficaria ofuscado, como quem, sem transição, saísse do escuro para o claro. Esquecido de seu passado ele é mais senhor de si.” A resposta dada pelos espíritos é maravilhosa e a forma como se caracteriza a leitura depende do lado em que estamos fixados , sempre lembrando que muitas vezes somos ofuscados pelo nosso interesse. A resposta não diz ``Não pode o homem, nem deve, saber NADA e sim ``TUDO ,`` Sem o véu que lhe oculta TODAS AS coisas e sim ``CERTAS http://espiritismopratico.blogspot.com.br/p/psicoterapia-reencarnacionista-e.html
  • 12. Na questão 290 de O Livro dos Médiuns CA P. X X V I Das perguntas que se podem fazer aos Espíritos, SOBRE AS EXISTÊNCIAS PASSADAS E VINDOURAS, temos o seguinte: 15ª Podem os Espíritos dar-nos a conhecer as nossas existências passadas? ―Deus algumas vezes permite que elas vos sejam reveladas, conforme o objetivo. Se for para vossa edificação e instrução, as revelações serão verdadeiras e, nesse caso, feitas quase sempre espontaneamente e de modo inteiramente imprevisto. Ele, porém, não o permite nunca para satisfação de vã curiosidade.‖ Eis a sapiência de Kardec, repetindo e reformulando questões para reforçar e não deixar brechas doutrinarias. Fica claro que DEUS nos permite algumas vezes a rememoração de certas coisas conforme o objetivo e que seja para instrução e edificação ( evolução ), e serão verdadeiras e feitas `` QUASE SEMPRE ´´espontaneamente ou de modo imprevisto. Sem nunca satisfazer uma vã curiosidade. Anselmo Benites Heib
  • 13. Quando se fala em revelação espontânea devemos tomar todo o cuidado, lembremos de Paulo de Tarso `` Anselmo Benites Heib
  • 14. 15-a) Por que é que alguns Espíritos nunca se recusam a fazer esta espécie de revelações? ―São Espíritos brincalhões, que se divertem à vossa custa. Em geral, deveis considerar falsas, ou, pelo menos, suspeitas, todas as revelações desta natureza que não tenham um fim eminentemente sério e útil. Aos Espíritos zombeteiros apraz lisonjear o amor-próprio, por meio de pretendidas origens. Há médiuns e crentes que aceitam como boa moeda o que lhes é dito a esse respeito e que não veem que o estado atual de seus Espíritos em nada justifica a categoria que pretendem ter ocupado. Vaidadezinha que serve de divertimento aos Espíritos brincalhões, tanto quanto para os homens. Fora mais lógico e mais consentâneo com a marcha progressiva dos seres que tais pessoas houvessem subido, em vez de terem descido, o que, sem dúvida, lhes seria mais honroso. Para que se pudesse dar crédito a essa espécie de revelações, necessário seria que fossem feitas espontaneamente, por diversos médiuns estranhos uns aos outros e ao que anteriormente já fora revelado. Então, sim, razão evidente haveria para crer-se.‖
  • 15. 15 - b) Assim como não podemos conhecer a nossa individualidade anterior, segue- se que também nada podemos saber do gênero de existência que tivemos, da posição social que ocupamos, das virtudes e dos defeitos que em nós predominaram? ―Não, isso pode ser revelado, porque dessas revelações podeis tirar proveito para vos melhorardes. Aliás, estudando o vosso presente, podeis vós mesmos deduzir o vosso, passado.‖ (Veja-se: O Livro dos Espíritos, ―Esquecimento do passado‖, nº 392.) Vejam que a questão não é de se conhecer a INDIVIDUALIDADE ,mas buscar reconhecer o GÊNERO de tais existenciais. Personalidade s.f. Individualidade consciente. Caráter pessoal e original. Pessoa conhecida em razão de suas funções, de sua influência etc. Gênero Maneira de ser ou de fazer: modo de viver, de proceder.
  • 16. Parte 2 ``Ora, a força que se revela no ``...O que já não se fez e disse contra fenômeno das manifestações, seja o magnetismo! Entretanto, todos os qual for a sua causa, está na raios lançados contra ele, todas as Natureza, da mesma forma que o armas com que foi ferido, mesmo o magnetismo, e não poderá ser ridículo, esboroaram-se ante a exterminada, como a força elétrica realidade e apenas serviram para também não o será. O que importa é colocá-lo ainda mais em evidência. É que seja observada e estudada em que o magnetismo é uma força natural todas as suas fases, a fim de se e, perante as forças da Natureza, o deduzirem as leis que a regem. Se homem é um pigmeu, semelhante a for um erro, uma ilusão, o tempo fará cachorrinhos que ladram inutilmente justiça; se, porém, for verdadeira, a contra tudo que os possa amedrontar . verdade é como o vapor: quanto mais se o comprime, tanto maior será a sua força de expansão . ( REVISTA ESPÍRITA, Jornal de Estudos Psicológicos, ANO I JANEIRO DE 1858 ( REVISTA ESPÍRITA, Jornal de N 1, p. 22, Introdução ) Estudos Psicológicos, ANO I JANEIRO DE 1858 N 1, p. 21, Introdução )
  • 17. Quando apareceram os primeiros fenômenos espíritas, algumas pessoas pensaram que Esperamos que os partidários do essa descoberta – se podemos aplicar-lhe magnetismo e do Espiritismo, mais bem esse nome – ia desfechar um golpe fatal no inspirados, não deem ao mundo o escândalo magnetismo e que de discussões tão pouco edificantes e com ele ocorreria o mesmo que aconteceu sempre fatais à propagação da verdade, seja com as demais invenções: a mais qual for o lado em que ela esteja. Podemos aperfeiçoada faz esquecer a precedente. Tal ter nossa opinião, sustentá-la, discuti-la; mas erro não tardou em dissipar-se e o meio de nos esclarecermos não é nos prontamente se reconheceu o parentesco estraçalhando, procedimento sempre pouco dessas duas ciências. Ambas, com digno de homens sérios e que se torna efeito, baseadas sobre a existência e a ignóbil se o interesse pessoal está em jogo. ( manifestação da alma, longe de se REVISTA ESPÍRITA, Jornal de Estudos combaterem, podem e devem prestar-se um Psicológicos, ANO I JANEIRO DE 1858 N° mútuo apoio: completam-se e se explicam 1, p. 148, MAGNETISMO E ESPIRITISMO ) uma pela outra.....Os adeptos do Espiritismo, ao contrário, são todos partidários do magnetismo; admitem sua ação e nos fenômenos sonambúlicos reconhecem uma manifestação da alma...Nos primórdios de uma ciência ainda tão nova é muito natural que cada um, encarando as coisas do seu ponto de vista, haja formado uma ideia diferente...
  • 18. O magnetismo preparou o caminho do Espiritismo, e o rápido progresso desta última doutrina se deve, incontestavelmente, à vulgarização das ideias sobre a primeira. Dos fenômenos magnéticos, do sonambulismo e do êxtase às manifestações espíritas não há mais que um passo; tal é sua conexão que, por assim dizer, torna-se impossível falar de um sem falar do outro. Se tivéssemos que ficar fora da ciência magnética, nosso quadro seria incompleto e poderíamos ser comparados a um professor de física que se abstivesse de falar da luz. Todavia, como entre nós o magnetismo já possui órgãos especiais justamente acreditados, seria supérfluo insistirmos sobre um assunto que é tratado com tanta superioridade de talento e de experiência; a ele, pois, não nos referiremos senão acessoriamente, mas de maneira suficiente para mostrar as relações íntimas entre essas duas ciências que, a bem da verdade, não passam de uma. ( REVISTA ESPÍRITA, Jornal de Estudos Psicológicos, ANO I JANEIRO DE 1858 N° 1, p. 149,MAGNETISMO E ESPIRITISMO )
  • 19. Do sonambulismo vem a compreensão da Emancipação da Alma 407. É necessário o sono completo para a emancipação do Espírito? ―Não; basta que os sentidos entrem em torpor para que o Espírito recobre a sua liberdade. Para se emancipar, ele se aproveita de todos os instantes de trégua que o corpo lhe concede. Desde que haja prostração das forças vitais, o Espírito se desprende, tornando- se tanto mais livre, quanto mais fraco for o corpo.‖ C A P Í T U L O V I I I, O Livro dos Espíritos Da emancipação da alma, O sono e os sonhos
  • 20. 21. Mas, ao mesmo tempo que o Espírito recobra a consciência de si mesmo, perde a lembrança do seu passado, sem perder as faculdades, as qualidades e as aptidões anteriormente adquiridas, que haviam ficado temporariamente em estado de latência e que, voltando à atividade, vão ajudá-lo a fazer mais e melhor do que antes. Ele renasce qual se fizera pelo seu trabalho anterior; o seu renascimento lhe é um novo ponto de partida, um novo degrau a subir. Ainda aí a bondade do Criador se manifesta, porquanto, adicionada aos amargores de uma nova existência, a lembrança, muitas vezes aflitiva e humilhante, do passado, poderia turbá-lo e lhe criar embaraços. Ele apenas se lembra do que aprendeu, por lhe ser isso útil. Se às vezes lhe é dado ter uma intuição dos acontecimentos passados, essa intuição é como a lembrança de um sonho fugitivo. Ei-lo, pois, novo homem por mais antigo que seja como Espírito. Adota novos processos, auxiliado pelas suas aquisições precedentes. Quando retorna à vida espiritual, seu passado se lhe desdobra diante dos olhos e ele julga de como empregou o tempo, se bem ou mal. C A P Í T U L O X I, Gênese espiritual, Encarnação dos Espíritos.
  • 21. Faculdade Qualidade 1. Poder de efetuar. 1. Maneira de ser boa ou má de uma 2. Capacidade. coisa. 3. Autoridade para decidir ou resolver. 2. Superioridade, excelência. 4. Dom natural. 3. Aptidão, disposição feliz. 5. Virtude, propriedade. 4. Talento, bons predicados. 6. Possibilidade. 5. Título, categoria. 6. Aquilo que caracteriza uma coisa. 7. Caráter, índole. 8. Casta, espécie. 9. Condição social, civil, jurídica. Aptidão 10. Atributo, modalidade, virtude, valor. 1. Qualidade de apto. 2. Capacidade. 3. Inclinação - Tendência, propensão. http://www.webdicionario.com/faculdades
  • 22. C A P Í T U L O I, Caráter da revelação espírita, p. 45 40.O estudo das propriedades do períspirito, dos fluidos espirituais e dos atributos fisiológicos da alma abre novos horizontes à Ciência e dá a chave de uma multidão de fenômenos incompreendidos até então, por falta de conhecimento da lei que os rege — fenômenos negados pelo materialismo, por se prenderem à espiritualidade, e qualificados como milagres ou sortilégios por outras crenças. Tais são, entre muitos, os fenômenos da vista dupla, da visão a distância, do sonambulismo natural e artificial, dos efeitos psíquicos da catalepsia e da letargia, da presciência, dos pressentimentos, das aparições, das transfigurações, da transmissão do pensamento, da fascinação, das curas instantâneas, das obsessões e possessões, etc.
  • 23. II. EXPLICAÇÃO DE ALGUNS FENÔMENOS CONSIDERADOS SOBRENATURAIS. VISTA ESPIRITUAL OU PSÍQUICA. DUPLA VISTA. SONAMBULISMO. SONHOS ( A Gênese ) Manifesta-se em diferentes graus, nos Espíritos encarnados, pelo fenômeno da segunda vista, tanto no sonambulismo natural ou magnético, quanto no estado de vigília. Conforme o grau de poder da faculdade, diz-se que a lucidez é maior ou menor. Com o auxílio dessa faculdade é que certas pessoas veem o interior do organismo humano e descrevem as causas das enfermidades. A Regressão Terapêutica gira totalmente em torno da Emancipação da Alma, sem definição precisa do seu grau de expansibilidade fluídica. Também a progressão se opera pelo mesmo sistema. Anselmo Benites Heib
  • 24. - Pioneiro do Espiritismo espanhol. - Conhece a Doutrina Espírita em 1860. - Previamente havia conhecido e praticado o magnetismo, guiando-se pelos ensinamentos de Du Potet e outros magnetizadores franceses. - Em 1869 fundou a Revista de Estudos Psicológicos, da qual foi seu diretor e redator durante 20 anos. - Têm sido altamente reconhecidos e valorizados seus estudos e práticas nos campos de hipnotismo e magnetismo. Realizou experimentos com a regressão mental, apresentando uma metodologia rigorosamente científica, de grande utilidade com Jose Maria Fernandez evidência favorável à reencarnação, antecedendo os conhecidos Colavida - 1819 - 1888 trabalhos de Albert de Rochas, na França.
  • 25. Os trabalhos científicos do Cel. de Rochas são consideráveis, tendo se destacado nesta área. Profundo conhecedor de tudo o que havia sido escrito sobre as ciências psíquicas em sua época, dedicou-se à experimentação, tendo contribuído decisivamente para fazer a classificação o magnetismo entre as ciências puramente físicas. No campo do magnetismo e do espiritismo, estudou a polaridade, contribuiu para a atual classificação das fases do estado sonambúlico, observou sistematicamente os fenômenos espíritas, pesquisou a exteriorização da sensibilidade e mostrou o mecanismo do desdobramento físico. Por meio de passes longitudinais, aplicados em alguns sensitivos, conseguia provocar neles a regressão da memória. Cel. Albert de Rochas
  • 26. Albert de Rochas na sua obra “As Vidas Sucessivas” sistematizou, pela primeira vez na História Moderna, o uso da técnica da regressão de memória. É um grande marco na História das Pesquisas Psíquicas. Foi a partir dos estudos de Albert de Rochas, aqui relatadas, que a reencarnação começou a ser considerada lei natural, cientificamente demonstráveis, em vez de crença de caráter religioso ou preceitos ocultistas. Pesquisou pessoalmente dezoito pessoas, no período que vai de 1903 a 1910, levantando não apenas a questão das vivências passadas, mas numerosos aspectos complementares e subsidiários, entre eles: Bibliografia: pontos hipnógenos no corpo físico, projeção do corpo Constitui-se de 89 astral, ideoplastia do períspirito, progressão de memória publicações entre ou vidas futuras, etc. livros ( 18 )e artigos científicos ( 71 ) As pesquisas realizadas por Albert de Rochas através desta obra contribuíram de forma decisiva e pioneiramente, para que as pesquisas sobre reencarnação obtivessem um cunho científico, lançando juntamente com a Doutrina Espírita as bases dos estudos modernos sobre o trinômio corpo-mente-espírito
  • 27. Observações – Albert de Rochas 1° - Que a imaginação do sujet não seria suficiente para produzir, para criar o que considero como reconstituição de vidas realmente vividas por ele até dez séculos atrás. 2° - Que essa eventualidade, a rigor, seria plausível se tratasse de uma só existência descrita; porém tratam-se de várias. 3° - Nada, atualmente, no grau de conhecimentos da ciência espiritualista e psíquica, permite atribuir à imaginação de um sujet mergulhado no sono magnético lúcido o relato bastante detalhado de existências que ele revê e revive integralmente. 4° - Um lado notável do fenômeno reside na repetição uniforme exata das respostas e informações fornecidas pela Senhora J.... as quais estão sempre, e em todos os pontos, de acordo com aquelas dadas sobre uma mesma vida em precedentes experiências.
  • 28. Vidas Sucessivas Termo rapport para designar a relação ou ligação que se opera entre o magnetizador e o sujei, durante o transe de regressão de memória. Exteriorização da Sensibilidade – para designar a Emancipação Perispiritual Motricidade – relação sobre as diversas camadas perispirituais Segunda Parte, Experiências magnéticas, Capítulo I, O sono magnético e o corpo fluídico 1. Os estados da hipnose .
  • 29. Autodidata, tendo mostrado inclinações literárias e filosóficas, aos 18 anos travou contato com O Livro dos Espíritos e tornou-se adepto da Doutrina Espírita. Desempenhou importante papel na sua divulgação, enfrentando as críticas do positivismo materialista, do ateísmo e a reação do Catolicismo. Foi ainda membro atuante da Maçonaria.[1] Em 1899 participou do II Congresso Espírita Internacional. Participou ainda do Congresso Espírita de Bruxelas (Bélgica). A partir de 1910 a sua visão começou a diminuir, mas isso não impediu que prosseguisse no trabalho de defesa da existência e sobrevivência da alma. Logo depois da Primeira Guerra Mundial, aprendeu a linguagem Braille. Em 1925 foi aclamado presidente do Congresso Espírita Internacional (Paris), no qual foi formada a Federação Espírita Internacional. A sua grande produção na literatura espírita, bem como o seu caráter afável e abnegado, valeram-lhe a alcunha de Apóstolo do Espiritismo. Ao longo de sua vida manteve estreita ligação com a Federação Espírita Brasileira, tendo sido aprovada por unanimidade a sua indicação para sócio distinto e Presidente honorário da instituição (1901)
  • 30. O PROBLEMA DO SER DO DESTINO E DA DOR, SEGUNDA PARTE, "Quando o sujet não está suficientemente livre para ler em si mesmo a história do seu passado, podemos então proceder por quadros sucessivos que lhe reproduzem à vista as suas próprias existências. São, nesse caso, realmente visões e é por isso que nem sempre podem ser exatas. Em certos casos, pois, os pacientes não revivem as suas vidas. Comunicamos-lhes do Alto as informações que eles dão aos experimentadores e lhes sugerimos que sofram os efeitos das circunstâncias que descrevem. Podemos iniciar-vos no vosso passado sem, contudo, precisarmos as datas e os lugares. Não esqueçais que, livres das convenções terrestres, deixa para nós de haver tempo e espaço. Vivendo fora desses limites, cometemos facilmente erros em tudo o que lhes diz respeito. Consideramos tudo isso como coisas mínimas e preferimos falar-vos dos vossos atos bons ou maus e de suas consequências. Se algumas datas, se alguns nomes não se encontrarem nos vossos arquivos, a conclusão para vós é que é tudo falso. Erro profundo do vosso julgamento. Grandes são as dificuldades para dar-vos conhecimentos tão exatos como o exigis; mas, crede- nos, não vos fatigueis nas vossas investigações. Não há estudo mais nobre do que este. Não sentis que é belo difundir a luz? No entanto, infelizmente, ainda no vosso planeta há de passar muito tempo, primeiro que as massas compreendam para que aurora se deva dirigir!"
  • 31. Dentre muitos livros escritos iremos dar ênfase a: Enigmas da Psicometria e Animismo ou Espiritismo. Os assuntos de nosso interesse para entendimento do processo de Regressão Terapêutica são: Bi locação, Desdobramento e o Animismo como condição natural da evolução do espirito.
  • 32. Ernesto Bozzano (Gênova, 9 de janeiro de 1862 - 24 de junho de 1943). Foi um pesquisador espírita italiano, e um dos mais famosos do seu tempo. Dedicou-se primeiramente à filosofia científica, interessando-se sobretudo pelas ideias do inglês Herbert Spencer (1820-1903). Em 1891 começou a se ocupar da telepatia e do espiritismo, assuntos que interessavam àquele tempo tanto estudiosos da Europa quanto da América[1]. Desde então, Bozzano dedicou-se inteiramente, em completa solidão e até sua morte, ao estudo da metapsíquica. Mais que experimentador foi um pesquisador, organizador e comentador (sob este aspecto frequentemente considerado pouco crítico[2]) dos fenômenos relativos à riquíssima literatura metapsíquica do seu tempo, na qual a relação dos visionários, dos crédulos, dos mitômanos e dos charlatães era, por larga margem, mais numerosa que a dos estudiosos sérios[1]. Bozzano publicou cinquenta e duas obras que tratavam de cada área e de cada aspecto da metapsíquica: telepatia, clarividência, psicocinese, aparição de espiritoss, espiritismo (manifestações dos mortos). Trocou uma densa correspondência com os maiores representantes da metapsíquica dentre os quais cientistas de valor como os físicos ingleses William Crookes e Oliver Lodge e o fisiologista francês Charles Richet.
  • 33. 455. Os fenômenos do sonambulismo natural se produzem espontaneamente e independem de qualquer causa exterior conhecida. Mas, em certas pessoas dotadas de especial organização, podem ser provocados artificialmente,pela ação do agente magnético. O estado que se designa pelo nome de sonambulismo magnético apenas difere do sonambulismo natural em que um é provocado, enquanto o outro é espontâneo.... O sonambulismo natural constitui fato notório, que ninguém mais se lembra de pôr em dúvida, não obstante o aspecto maravilhoso dos fenômenos a que dá lugar. Por que seria então mais extraordinário ou irracional o sonambulismo magnético? Kardec, (RESUMO TEÓRICO DO SONAMBULISMO,DO ÊXTASE E DA DUPLA VISTA)
  • 34. Relação das variedades práticas do Sonambulismo Natural, retro-cognição e pré-cognição. 1 - Visões sonambúlicas – Ocorrem durante o sono que nada mais é do que um estado sonambúlico imperfeito. 2 - Dupla vista – Ocorrem no estado de vigília (acordado) 3 - Visões extáticas - em geral têm por objeto os seres e as coisas do mundo incorpóreo. Quando as visões têm por objeto os seres do mundo incorpóreo, poder-se-ia, aparentemente com alguma razão, qualificá-las de alucinação, porque nada lhes pode demonstrar a exatidão. Kardec baseia-se em obras existentes representadas conforme a seguir nas Revistas Espiritas: ``As sensações como, deslocamento dos sentidos, de insensibilidade total ou parcial do corpo, de exaltação da alma...(revista Espirita 1858,apud, História de França, de Henri Martin, volume 6, página 143)
  • 35. Segundo Albert de Rochas a Letargia se divide em 5 estados: 1 Estado: vigília- Donde o sujet é atraído em sua atenção devido seu interesse seja consciente ou subconsciente, entra num estado de torpor vê ao vivo e a cores aquilo que lhe chama a atenção e retorna , durante o processo ocorre exatamente como citado em O Livro dos Espíritos , sempre havendo um estado de torpor dos sentidos. 2 Estado: sonambulismo. O sujet parece uma pessoa desperta gozando de todas as suas faculdades, no entanto é bastante sugestionável e apresenta o fenômeno da insensibilidade cutânea, que persiste em todos os estados seguintes. A memória é normal.
  • 36. 3 Estado: rapport. O sujet não percebe ninguém além do magnetizador e das pessoas que este coloca em relação com aquele, seja por um contato ou mesmo por um simples olhar. Apresenta sensação de bem- estar bastante pronunciada, diminuição da memória normal e da sugestibilidade. A sensibilidade começa a exteriorizar-se em uma camada paralela ao corpo e situada a cerca de trinta e cinco milímetros da pele (14). O sujet vê os eflúvios exteriores dos corpos organizados e dos cristais. 4 Estado: simpatia ao contato. A sensibilidade continua a exteriorizar- se e pode-se constatar uma segunda camada sensível a seis ou sete centímetros da primeira e de menor sensibilidade. O sujet experimenta as sensações do magnetizados quando este se coloca em contato com ele. A sensibilidade cutânea desaparece, assim como a memória dos fatos; elas não reaparecem nos estados seguintes, mas a memória da linguagem subsiste nesses estados, já que o sujet pode conversar com o magnetizado.
  • 37. 5 Estado: simpatia à distância. O sujet percebe todas as sensações do magnetizador, mesmo sem contato, desde que a distância não seja muito grande. Ele não mais vê os eflúvios exteriores dos corpos, mas vê os órgãos internos dos seres vivos. Não é mais sugestionável e perde totalmente a memória de sua vida; não conhece mais do que duas pessoas, o magnetizador e ele próprio, no entanto não sabe seus nomes.
  • 38. José Herculano Pires – Segundo Emannuel foi o metro que melhor definiu Kardec no Brasil, estudioso e defensor aplicado da pureza doutrinária, amante da razão e da metodologia Cientifica, foi o criador da Sociedade Brasileira de Parapsicologia por considerar a escola de Parapsicologia a entrada cientifica do Espiritismo no meio acadêmico, assim como o magnetismo também se resignou em adentrar a academia cientifica com o nome errôneo de Hipnotismo. O Magnetismo Perante a Academia Deixado à porta, o magnetismo entrou pela janela, mediante um disfarce e um outro nome. Em vez de dizer: Sou o magnetismo, o que provavelmente não lhe teria valido uma acolhida favorável, disse: Chamo-me hipnotismo (do grego hypnos, sono). Graças a esse salvo-conduto conseguiu entrar após vinte anos de paciência. Mas não perdeu por esperar, pois soube fazer-se introduzir por uma das maiores celebridades. Evitou cuidadosamente apresentar-se com seu cortejo de passes, de sonambulismo, de visão a distância, de êxtases, que o teriam traído. Kardec (Revista Espirita, 1860)
  • 39. Não foi diferente com o Espiritismo e segundo Herculano Pires em (Ciência Espirita´´, pag. 38). `` O mesmo acontece agora com o Espiritismo, que, sendo batizado na Universidade de DUKE com o nome de Parapsicologia, teve entrada franca e entusiasta na URSS e no VATICANO. Na verdade a Parapsicologia com roupa nova, linguagem grega e seguindo as pegadas de Kardec, para atingir os seus mesmos objetivos, nada ofereceu de novo ao mundo atual além de sua roupagem tecnológica.´´ Ainda `` Todo Espirita tem o direito e o dever de participar das pesquisas atuais e futuras Dos fenômenos paranormais, sem que sejam apontados como parciais, pois na verdade são Pioneiros dessas pesquisas e pisam em terreno que lhes pertence. Quando um Espirita competente trata de parapsicologia não a deforma, pois isso seria deformar a sua própria Doutrina. As ciências do paranormal nasceram das entranhas do espiritismo e em vão lutaram para contradize-lo, mas acataram todos os seus princípios científicos. ´´
  • 40. Os problemas implícitos na verificação de Pcg e Reg são numerosos, pois a constatação dessa possibilidade humana de dominar o tempo traz implicações filosóficas e religiosas. Embora a profecia tivesse existido sempre, a verdade é que ela foi encarada, no passado, com uma atitude teológica de aceitação reverente do fato como uma' graça. A constatação científica do fato modifica por completo essa situação. Não se trata mais de uma graça, mas de uma faculdade humana, suscetível de experimentação e controle científico. Uma faculdade normal de que todos podem dispor, em menor ou maior grau, pois nós todos a usamos frequentemente sem disso nos apercebermos. (Jose Herculano Pires, Parapsicologia Ontem e hoje, Cap. V - Peg - O domínio do tempo, pg. 30) Curso realizado na instituição Espirita Oficina de Luz. Psicoterapia Espírita em Regressão de Memória, base doutrinária extraída das obras básicas e complementares.