A Razão e a Fé à Luz dosA Razão e a Fé à Luz dosEvangelhosEvangelhosNa Seara do MestreVinícius
Durante muitos séculos, a Razão eFé viveram em conflito.Da mesma forma que Ciência eReligião viviam em divórcio.
Uma das grandes conquistas doespiritismo está na harmonia entrea Razão e Fé, e, conseqüentemente,o ajuste da Religião à Ci...
A verdadeira fé é aquela que encaraa razão face a face em todas asépocas da Humanidade.Kardec, estabeleceu:
O caráter da fé é o destemor, aenergia latente que encerra etransmite àqueles que a cultivam.Tal valor deriva da natureza ...
Ora, perceber é ato de raciocínio,portanto,não pode afastar-se darazão que é o instrumento do qual oEspírito se serve para...
A relação natural entre a Razão e afé é de colaboração, e não derivalidade.Deus não nos deu o sentimentopara crer e o ente...
O coração não tem por funçãocombater o cérebro; todos osórgãos agem para o mesmo fim, porisso que a vida física depende da...
O mesmo fenômeno se verifica noque respeita à vida psíquica.A fé que o sentimento aninha deveser controlada pela razão.
A razão é o instrumento queempregamos, tateando embora nastrevas da nossa ignorância, paradescobrirmos a luz.
A razão, no entanto, quanto maisutilizada, maior capacidadeaquisitiva e poder de discernimentoadquirirá.Inversamente, quan...
Submetamos ao “cadinho” da razãotodas as questões que nos afetam,especialmente as que se referemaos destinos do nosso “ser”.
A fé cega, baseada em alheiaautoridade, precisa e deve sersubstituída pela fé lúcida apoiada ealicerçada na legítima autor...
Bem aventurados os que viram ecreram – é uma sentença sábia, queencerra a apologia do raciocínio emmatéria de crença. Ensi...
Os que se louvam exclusivamenteno testemunho dos sentidos são,em geral, crentes superficiais cujafé não tem base sólida.
Paulo definiu a fé como:“ A dedução do que nãoconhecemos através do queconhecemos.”
Portanto, a fé nasce da observação.É fruto de dedução e indução,processos estes de investigações ede estudos racionais.
A fé que resulta dos sentido, e sónos sentidos se apóia, é ilusória, éuma espécie de miragem que se vaidesvanecendo à medi...
Ninguém pode crer no que nãoentende. Naquilo que não passouno crivo de nossa razão, recebendo,através dessa faculdade, a d...
Há notável diferença entre crer eaceitar. Os que crêem, reformam-see se transformam continuamente.A fé é força que supera ...
Os que aceitam permanecemestacionários e petrificados, semnenhuma alteração em seu estado econdições anteriores.
A luz do corpo são os olhos.A luz do espírito é a razão
Os olhos vêem o exterior que noscerca.A razão, mediante a inteligência, vêo interior.
A Razão e a Fé a Luz dos Evangelhos- Na Seara do Mestre
A Razão e a Fé a Luz dos Evangelhos- Na Seara do Mestre
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A Razão e a Fé a Luz dos Evangelhos- Na Seara do Mestre

389 visualizações

Publicada em

Palestra do dia 26/07/2010

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
389
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A Razão e a Fé a Luz dos Evangelhos- Na Seara do Mestre

  1. 1. A Razão e a Fé à Luz dosA Razão e a Fé à Luz dosEvangelhosEvangelhosNa Seara do MestreVinícius
  2. 2. Durante muitos séculos, a Razão eFé viveram em conflito.Da mesma forma que Ciência eReligião viviam em divórcio.
  3. 3. Uma das grandes conquistas doespiritismo está na harmonia entrea Razão e Fé, e, conseqüentemente,o ajuste da Religião à Ciência.
  4. 4. A verdadeira fé é aquela que encaraa razão face a face em todas asépocas da Humanidade.Kardec, estabeleceu:
  5. 5. O caráter da fé é o destemor, aenergia latente que encerra etransmite àqueles que a cultivam.Tal valor deriva da natureza íntimada Fé que percebe e sente a suaprópria força.
  6. 6. Ora, perceber é ato de raciocínio,portanto,não pode afastar-se darazão que é o instrumento do qual oEspírito se serve para investigar eassimilar a Verdade.
  7. 7. A relação natural entre a Razão e afé é de colaboração, e não derivalidade.Deus não nos deu o sentimentopara crer e o entendimento pararepelir a crença.
  8. 8. O coração não tem por funçãocombater o cérebro; todos osórgãos agem para o mesmo fim, porisso que a vida física depende dasinergia, isto é, da simultaneidadeou concurso de ação de todos osaparelhos orgânicos.
  9. 9. O mesmo fenômeno se verifica noque respeita à vida psíquica.A fé que o sentimento aninha deveser controlada pela razão.
  10. 10. A razão é o instrumento queempregamos, tateando embora nastrevas da nossa ignorância, paradescobrirmos a luz.
  11. 11. A razão, no entanto, quanto maisutilizada, maior capacidadeaquisitiva e poder de discernimentoadquirirá.Inversamente, quanto menosempregada, menores serão as suaspossibilidades.
  12. 12. Submetamos ao “cadinho” da razãotodas as questões que nos afetam,especialmente as que se referemaos destinos do nosso “ser”.
  13. 13. A fé cega, baseada em alheiaautoridade, precisa e deve sersubstituída pela fé lúcida apoiada ealicerçada na legítima autoridadeda razão própria de cada um.
  14. 14. Bem aventurados os que viram ecreram – é uma sentença sábia, queencerra a apologia do raciocínio emmatéria de crença. Ensina que nãoé com os olhos que se crê, mas coma razão.
  15. 15. Os que se louvam exclusivamenteno testemunho dos sentidos são,em geral, crentes superficiais cujafé não tem base sólida.
  16. 16. Paulo definiu a fé como:“ A dedução do que nãoconhecemos através do queconhecemos.”
  17. 17. Portanto, a fé nasce da observação.É fruto de dedução e indução,processos estes de investigações ede estudos racionais.
  18. 18. A fé que resulta dos sentido, e sónos sentidos se apóia, é ilusória, éuma espécie de miragem que se vaidesvanecendo à medida que ainteligência firma o seu império.
  19. 19. Ninguém pode crer no que nãoentende. Naquilo que não passouno crivo de nossa razão, recebendo,através dessa faculdade, a devidaconfirmação.
  20. 20. Há notável diferença entre crer eaceitar. Os que crêem, reformam-see se transformam continuamente.A fé é força que supera e removetodos os obstáculos, por maioresque sejam.
  21. 21. Os que aceitam permanecemestacionários e petrificados, semnenhuma alteração em seu estado econdições anteriores.
  22. 22. A luz do corpo são os olhos.A luz do espírito é a razão
  23. 23. Os olhos vêem o exterior que noscerca.A razão, mediante a inteligência, vêo interior.

×