Jornal escolar palavras d'encantar 11.ª edição

2.280 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.280
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
836
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Jornal escolar palavras d'encantar 11.ª edição

  1. 1. V o l u m e 1 1, E d i ç ã o 11 Jo r n a l E s c o la r — E B I d e G i n e t e s Maio de 2011 Coordenador: Prof. Max Teles Alunos: António Travassos, Mil- PALAVRAS D’ENCANTAR ton Ponte, Pedro Ferreira. NESTA EDIÇÃO: Jogos Desportivos Escolares CDEG Campeões de 2011 EBIG 1.º Lugar Corta-Mato 2011Editorial 2Jogos Desportivos 3,4,5,6Escolares 2011Visita de Estudo às 7instalações da RDPAçoresVisita de estudo 6.ºC 8,9,10, 11Palestra Delinquência 12JuvenilPalestra sobre o Mar 12Exposição sobre ocentenário da Repú- 13 CDEG Campeões deblica portuguesa Xadrez 2011Canguru Matemático 14,15 sem Fronteiras 2011SUDOKU DE PONTOS 16Curiosidades Mat 17Artigos Matemática 18,19, 20Actividades desen- 21 , 22volvidas pela Comis-são Dinamizadora daBiblioteca.La chandeleur 23 Visita de Estudo RDP Aço-Autor do Mês 23 res 7.ºA,B,C,D“ Palamento ou Bala- 24mento” Activi- CanguruCarnaval EBI/J P.ª 25 dadesJosé Cabral Lindo Matemáti- Biblio-Teatro / Reciclar 26,27, teca co semmateriais 9.ºC 28 EBIG FronteirasCDEG — Atletismo 29, 30 25 de 2011CDEG — Atletismo 31,32 AbrilCDEG — Atletismo 33,34, Exposi- Palestra 35 ção sobreCDEG — Xadrez 36,37 Centená- Delin- rio da quênciaCDEG — Xadrez 38 Repúbli- JuvenilCDEG — Ténis de 39,40 ca Portu-Mesa guesa
  2. 2. Página 2 Palavras d’Encantar V o l u m e 1 1, E d i ç ã o 11 Prof. Max Teles Escola Básica Integrada 2,3 de Ginetes ver-me-ia a dizer o seguinte: - retirem algumas Editorial letras e acrescentem um simples «r» e pronto, obteríamos a palavra exacta para o que somos A Senhora Burocracia. neste momento! Desculpem, utilizem também a expressão «de carga»! Neste mundo em convulsão e com o nos- Estas lamúrias, só encontram satisfação, so país aparentemente falido, o mundo da Edu- quando temos a certeza que uma aula correu cação segue em frente! bem, em que o aluno compreendeu minimamente Os vários ataques ao sector da Educação o que foi leccionado mas fica sem dúvida aque- ao longo destes últimos anos pasmaram tudo e le sabor a pouco fica a latejar no nosso sub- todos não os vou aqui citar um por um seria consciente sempre a mesma frase – «podia ter demasiado deprimente e soaria a uma trama Kaf- uma maior abrangência se o levasse para outros kiana, deixemos esses enredos para os políticos, campos do conhecimento, mas não tive tempo ou melhor, para os profissionais da política! Uma para me preparar adequadamente para o efeito». coisa é certa, se queremos Paz na Educação, Esta frase não acolhe unanimíssimos no seio da então deixem-nos sossegados no nosso canto e democracia ora trabalhemos todos em prol do sobretudo deixem-nos leccionar, pois foi para sistema! isso que estudámos ao longo de 17 anos de Ao evocar o tema da burocracia, deixei escolaridade (ou mais). entre linhas uma infinidade de subtemas espe- Hoje, a burocracia bate-nos constante- ro que os tenham percebido, cada um à sua mente à porta, uma senhora velha e rabugenta, maneira, é claro! Calo-me com um grito lancinan- sem sentido de humor, vestida com uma roupa- te, esperando que possa atroar até ao cabo do gem desusada, contudo, camuflada e de mãos Mundo, o Mundo da Educação. dadas com as novas tecnologias. Quando olha- O Coordenador do Clube de Jornalismo mos para «ela» encontramos uma enormidade Prof. Max Teles de siglas que começam por Plano disto, Plano daquilo, muitas vezes temos de consultar um bre- viário especialmente elaborado para o efeito para descobrir o que quer dizer aquele «P»! Ainda há pouco tempo soube que o «Imperador» da buro- cracia tinha morrido, o defunto chamado Qualis, agora dizem-me que o príncipe herdeiro é ainda pior que seu antecessor! Bom, se pretendem transformar um docente num burocrata, eu atre-
  3. 3. Página 3 Palavras d’Encantar V o l u m e 1 1, E d i ç ã o 11 EBI 2,3 de Ginetes ven- ce a fase Zonal A – 2.º Ciclo dos Jogos Des- portivos Escolares 2011 Nos dias 21 a 24 de Março, realiza- ram-se os Jogos Desportivos Escolares 2011 relativos à Fase Zonal A – 2.º Ciclo, nas instalações da Escola Básica Integra- da 2,3 de Ginetes. Esta prova contou com a presença de cinco Equipas/Escolas – EBI de Ginetes; EBI Roberto Ivens A; EBI da Ribeira Gran- de; EBI da Maia e EBS de Velas. Tendo como lema “Escolhe o desporto depende de ti.” A EBI de Ginetes venceu e convenceu. O Senhor Presidente do Conselho Executivo da EBI de Ginetes, Professor José Domingos Fonte, abriu os Jogos com um discurso bastante elucidativo das dificuldades logísticas e técnicas que um evento destes acarreta “É com alegria que recebemos, na nossa escola, tão ilustre comitiva em prol de uma actividade ímpar na educação dos nossos jovens. [ ] No entanto e apesar desta importância, foi uma ousadia da nossa parte, Conselho Executivo, propor à comunidade educativa a realização deste evento. Organizar uma actividade desta envergadura não é tarefa simples. Requer uma logística só possível pôr em prática com a cooperação de toda a escola. [ ] Apesar da incerteza de, haverá ou não jogos e da decisão em se avançar para a realização dos XXII Jogos Desportivos Escolares ser já do mês de Fevereiro, conse- guimos patrocínios que neste momento temos obrigação em enumerar: Hiper Continente, Hiper Solmar, Centro Comercial da Candelária, Unileite, Salsiçor, Sicosta, Pada- ria Gomes, empresa Accional, Associação de Juventude da Candelária, Palhaço Pezinho, praticantes de Kong Fu, Associação Festival da Ferraria e Juntas de Freguesia. Um obrigado à Câmara Municipal de Ponta Delgada que em cima da hora, a tempo respondeu afirmativamente às nos- sas solicitações. E claro, um reconhecimento aos Serviços de Desporto de S. Miguel sempre prontos a resolver as questões por nós colocadas.” Por sua vez, o Senhor Director dos Serviços de Des- porto de S. Miguel, Professor José Carlos Cabral, elogiou a disponibilidade da EBI de Ginetes em
  4. 4. Página 4 Palavras d’Encantar V o l u m e 1 1, E d i ç ã o 11 organizar estes jogos, dizendo que “Não existe na Ilha de S. Miguel um Presidente de Conselho Execu- tivo tão desportista como o é o Pro- fessor José Domingos Fonte”. Também deu uma palavra de incentivo a todos os atletas que participaram nestes jogos desporti- vos. As cinco equipas participa- ram nas modalidades de ginástica, atletismo, basquetebol, futebol, voleibol e patinagem. A EBI de Ginetes venceu, obtendo na sua Classificação Global Final 22 pontos, seguindo-se a EBS de Velas com 20 pontos, em terceiro lugar ficou a EBI Roberto Ivens A com 18 pontos, em quarto lugar a EBI da Maia com 16 pontos e em quinto lugar a EBI da Ribeira Grande com 14 pontos. Terminados os jogos, na sessão de encerramento, o Presidente do Conselho Execu- tivo da EBI de Ginetes disse que se sentia um pouco cansado, mas também orgulhoso de tudo que se viveu naqueles três dias intensos. Primeiramente, agradeceu aos da casa, à equipa de arbitragem, composta por alunos do PROFIJ e do 3.º Ciclo que tão bem deram conta do recado, bem como aos alunos que serviram de guias e de apoio às actividades de logística (lanches e água). Aos professores de Educação Física, ao pessoal não docente directamente implicado nos jogos, aos docentes do 2.º e 3.º Ciclos que formaram uma rui- dosa claque, ao departamento de expressões – professores de EVT, EV e de Música que criaram as ofertas e o ambiente de festa, à Professora Zélia Travassos que angariou muitos patrocínios e fez os arranjos florais e às cozinheiras da cantina que prepararam bons pra- tos, elogiados pelos forasteiros, bem como a massa sovada também ela bastante aprecia- da. Depois, agradeceu às várias entidades exteriores à Escola, nomeadamente, às Juntas de Freguesia de Mosteiros, Sete Cidades, Feteiras e Ginetes, à Associação de Juventude de Candelária, ao garantir o transporte nocturno dos atletas e à Escola Secundária Antero de Quental que autorizou a vinda de ex-alunos da EBI de Ginetes para apoiarem nas activi- dades desportivas. Finalmente, agradeceu a todos os atletas pelo desportivismo e civismo que demonstraram ao longo dos três dias dos jogos. As últimas palavras do Senhor Presidente do Conselho Executivo foram dirigidas aos Serviços de Desporto de S. Miguel agradecendo mais uma vez o (continua)
  5. 5. Página 5 Palavras d’Encantar V o l u m e 1 1, E d i ç ã o 11
  6. 6. Página 6 Palavras d’Encantar V o l u m e 1 1, E d i ç ã o 11 apoio prestado e relembrando um pedido já feito a algum tempo à DREF – a necessidade da construção de um campo de 60X40 com pista de 200m, já que os nossos atletas têm revelado o seu talento para o atletismo e para o futebol, através dos seus respectivos clu- bes desportivos que estão intimamente ligados à EBI de Ginetes. O balanço final foi positivo, tanto desportivo, como organizativo. A Escola Básica Integrada de Ginetes, mais uma vez, está de parabéns pela sua dinâmica e espírito des- portivo. Prof. Max Teles
  7. 7. Página 7 Palavras d’Encantar V o l u m e 1 1, E d i ç ã o 11 Visita de Estudo às instalações da tes. Após a recolha desses elementos, os RDP Açores alunos elaboraram um relatório sobre a Visita Nos dias 27 de de Estudo, o qual foi corrigido e classificado Fevereiro e 04 pelo professor de Português. de Março de Os alunos contactaram com uma nova 2011, as quatro realidade, pois são todos provenientes de um turmas do 7.º meio rural, com poucas oportunidades de se ano escolaridade inteirarem dos meios tecnológicos que os da EBI 2,3 de Ginetes, num total de 73 alu- rodeiam. Assim, pretendeu-se dar-lhes uma nos e três professores (Max Teles; Jorge visão mais alargada do funcionamento de Rodrigues e Liliana Silva) fizeram uma visita uma Rádio. Desta forma, cumpriu-se o objec- de estudo às instalações da RDP Açores, em tivo incial – contactarem fisicamente com o Ponta Delgada. que foi leccionado na Unidade Esta Visita de Estudo enquadra-se no pro- «Comunicação social e Interpessoal». Por grama do 7.º ano, pois no período passado outro lado, cumpriu-se também o que estava abordamos o tema da Comunicação Social. agendado no Plano Anual de Actividades da Assim, os alunos deste nível de ensino acha- EBIG. ram por bem ter uma visão mais alargada acerca dos meios de comunicação social, daí darem primazia à rádio, visitando as instala- ções da RDP Açores, os seus equipamentos tecnológicos e as tarefas dos vários técnicos da rádio – programação; edição e informa- ção. O jornalista Sidónio Bettencourt entrevis- tou, em directo, o professor organizador des- ta Visita de Estudo – Max Teles, proporcio- nando aos alunos uma visão realista da Rádio. O tema dessa entrevista foi precisa- mente os objectivos a alcançar com esta visi- ta às instalações da RDP Açores. Os alunos prepararam, na aula de Portu- guês, perguntas a fazer aos técnicos da rádio sobre o seu funcionamento nas várias verten-
  8. 8. Página 8 Palavras d’Encantar V o l u m e 1 1, E d i ç ã o 11
  9. 9. Página 9 Palavras d’Encantar V o l u m e 1 1, E d i ç ã o 11
  10. 10. Página 10 Palavras d’Encantar V o l u m e 1 1, E d i ç ã o 11
  11. 11. P á g i n a 1 8 P a l a v ra s d ’ E n c a n t a r Volume 6, Edição 6 IGREJA MATRIZ DE S. SEBASTIÃO
  12. 12. Página 12 Palavras d’Encantar V o l u m e 1 1, E d i ç ã o 11 PALESTRA SOBRE O MAR PALESTRA SOBRE DELIN- No dia 10 de Fevereiro de 2011, realizou-se QUÊNCIA JUVENIL uma palestra sobre o Mar e a sua importân- cia, A professora Maria José foi a anfitriã No dia 04 de Fevereiro de deste evento. O Senhor Engenheiro fez 2011, no anfiteatro da uma resenha das virtualidades do Mar e tam- EBIG, realizou-se uma bém recordou os perigos que a acção do palestra sobre delinquên- Homem está a provocar no seu ecossistema. cia juvenil, proferida por dois agentes da políciaO que mais cedo ou mais tarde se repercutirá de segurança pública deno bem estar da humanidade. Ponta Delgada. Nessa palestra foram abordados vários subte- Os alunos participaram e interessaram-se mas, a saber: vandalismo, pirataria, furto, tráfico, tráfi- pelos temas abordados. co de droga, bulling, violação, agressão verbal, agres- são física e homicídio. Para cada subtema houve lugar a um pequeno filme dramatizado por adolescentes. Seguidamente, os senhores agentes falaram sobre as idades em que um adolescente pode ser jul- gado ou não. Assim, dos 12 aos 16 anos os pais são responsáveis pelos actos dos filhos, pagando os estra- gos ou outros, dos 16 aos 18 anos os adolescentes podem ser julgados como qualquer adulto. Os alunos também obtiveram informações sobre problemas de ordem familiar, como por exemplo os distúrbios familiares, os divórcios tutelados, entre outros. Bem como problemas de saúde provocados por determinados comportamentos desviantes: drogas, álcool, prostituição e gravidez precoce. Por fim, foram conhecidas algumas cláusulas penais para determinados comportamentos marginais. Os alunos gostaram e participaram nesta palestra com algum interesse. Para acabar, uma palavra de apresso pelo agente palestrante que soube passar a mensa- gem com desenvoltura e rigor. Prof. Max Teles
  13. 13. Página 13 Palavras d’Encantar V o l u m e 1 1, E d i ç ã o 11 EXPOSIÇÃO SOBRE O CEN- TENÁRIO DA REPÚBLICA PORTUGUESA O grupo de História da escola EB 2,3 de Ginetes, em colaboração com o museu Carlos Machado de Ponta Delga- da, organizou uma exposição comemora- tiva do 1º centenário da Implantação da República “ Ideias e valores” e “ Figuras e factos “, realçando, nesta exposição, a participação de várias figuras ilustres aço- rianas, assim como os factos ocorridos no arquipélago dos Açores aquando da implantação da República em Portugal.
  14. 14. Página 14 Palavras d’Encantar V o l u m e 1 1, E d i ç ã o 11 Canguru Matemático sem Fronteiras 2011 Pelo quarto ano consecutivo, decorreu na nossa escola a prova do Cangu- ru Matemático sem Fronteiras, no dia 17 de Março. No entanto, este ano houve umas novidades. Foi criada uma nova catego- ria, Mini-escolar, destinada aos alunos do 4º ano de escolaridade, assim o primeiro ciclo também teve a oportunidade de participar neste evento. No primeiro ciclo a prova foi realizada nas localidades de Sete Cidades, Feteiras e Ginetes, espera-se que no próximo ano haja possibilidade da prova ser alargada a todas as escolas da unidade orgânica. A participação do 1º ciclo não foi a única novidade, nos restantes ciclos a prova deixou de ser obrigatória (como nos anos anteriores), passou a ser apenas para os alunos interessa- dos. Assim inscreveram-se na: - Categoria Mini-Escolar (4º ano de escolaridade) – 47 alunos - Categoria Escolar (5º e 6º anos de escolaridade) – 107 alunos - Categoria Benjamim (7º e 8º anos de escolaridade) – 80 alunos - Categoria Cadete (9º ano de escolaridade) – 30 alunos Ou seja no total inscreveram-se 264 alunos o que correspondeu a 1612 fotocópias. A docente Sílvia Aguiar responsável pela inscrição da escola nesta actividade, após recep- ção dos resultados de todos os alunos, irá enviar os nomes dos alunos que conseguiram as 15 melhores classificações em cada uma das categorias e as respectivas pontua- ções, bem como, o nº de participantes em cada uma das categorias. E posteriormente a Comissão do Canguru divulgará na sua página online o nome dos alunos com a melhor classificação de duas formas: - os nomes de todos os alunos que conseguirem as 10 melhores classificações em cada uma das categorias por escola; - os nomes dos alunos classificados nos primeiros lugares em cada uma das catego- rias a nível nacional e o nome da escola.
  15. 15. Página 15 Palavras d’Encantar V o l u m e 1 1, E d i ç ã o 11 (Cont.) Tendo em conta o número de alunos inscritos na prova o balanço é positivo, esperemos que estes alunos cativem os colegas que não se inscreveram este ano para que no próximo ano lectivo o façam. Desde já informo que na próxima edição do jornal serão publicados as 15 melhores classificações em cada uma das categorias e as respectivas pontuações, dos alunos que realizaram a prova na nossa unidade orgânica. A docente Sílvia Aguiar aproveita para agradecer a todos os participantes e colaborado- res, sem os quais não seria possível a realização desta actividade. Continuem a fazer Matemática ! Professora responsável pela prova Sílvia Aguiar
  16. 16. Página 16 Palavras d’Encantar Volume 6, Edição 6 SUDOKU DE PONTOS Preencha cada célula com um número do 1 ao 6, de forma que não se repita nenhum algarismo em cada fila, nem em cada coluna. Se entre duas células houver um ponto preto, um dos dois algarismos deverá ser o dobro do outro. Em contrapartida, um ponto branco indica que um dos dois algarismos deve ser maior que o outro. Se não houver nenhum ponto entre dois algarismos, não pode ser aplicada nenhuma das duas condições. Prof. Sílvia Aguiar
  17. 17. Página 17 Palavras d’Encantar V o l u m e 1 1, E d i ç ã o 11 TESTE: rápido e impressionante: conta, de forma rápida, Será que as rectas verticais são quantas letras "F" existem no texto abaixo? paralelas! FINISHED FILES ARE THE RE- SULT OF YEARS OF SCIENTIF- IC STUDY COMBINED WITH THE EXPERIENCE OF YEARS Somente lê abaixo após ter contado os "F". Quantos??? 3??? Talvez 4??? Errado, são 6 (seis) - não é curioso! Volta para cima e lê mais uma vez! A explicação baseia-se no facto de o cérebro não conse- guir processar adequadamente a palavra "OF". Interessante, não é? Quem conta todos os 6 "F" na primeira vez é um "génio", 3 é normal, 4 é mais raro, 5 mais ainda, e 6 quase ninguém. Olha fixamente para o centro ILUSÕES ÓPTICAS movimenta a cabeça para a Quantos rostos encontras nesta árvore? frente e para trás... Será que as rectas horizon- tais são paralelas! (resposta: 10 rostos) Prof. João Carvalho
  18. 18. Página 18 Palavras d’Encantar V o l u m e 1 1, E d i ç ã o 11 OLIMPÍADAS PORTUGUESAS DA MATEMÁTICA Tal como referido na edição anterior do nosso jornal decorreu, no dia 10 de Novembro de 2010, a primeira eliminatória das XXIX Olimpíadas Portuguesas da Matemática, tendo participado 21 alunos nas categorias júnior e A. Apurados os resultados nacionais desta pri- meira eliminatória, dois alunos da nossa esco- la foram apurados para a segunda eliminató- ria, que decorreu na Escola Secundária Antero de Quental no dia 19 de Janeiro do corrente ano, nomeadamente o Milton Ponte da turma A do 7.º ano e o João Chaves da turma A do 9.º ano, respectivamente, na categoria júnior e na categoria A. Aos dois alunos em questão, o Grupo 500 (Matemática) enaltece as suas participações e dedicação à disciplina e felicita-os por tal sucesso. Prof. Paulo Fragata
  19. 19. Página 19 Palavras d’Encantar V o l u m e 1 1, E d i ç ã o 11 Campeonato Regional de Jogos Jogos de Matemática no de Matemática 1.º ciclo A Associação de Matemática Interactiva e Os professores de matemática dos Lúdica – AMIL realizou no dia 21 de Janeiro do cor- 2.º e 3.º ciclos têm vindo a divulgar junto de rente ano o II Campeonato Regional de Jogos Mate- algumas turmas do 1.º ciclo, sobretudo nas máticos, tendo este decorrido no Pavilhão do Mar, em dos 3.º e 4.º ano, de todas as escolas que ponta Delgada. Este campeonato envolveu alunos e integram a Escola Básica Integrada de professores de Matemática do Ensino Básico, Secun- Ginetes alguns jogos matemáticos, desta- dário e Profissional das várias escolas públicas e pri- vadas da Região. cando-se o Ouri e o Semáforo. Os alunos da Escola Básica Integrada de Ginetes, Os alunos e professores destas turmas têm que participaram neste concurso, foram selecciona- recebido a iniciativa de forma interessada e dos a partir da actividade realizada no dia 16 de empenhada, sendo que alguns demonstra- Dezembro do presente ano lectivo, como constou na ram grande interesse nos jogos apresenta- edição anterior do nosso jornal. dos. É de referir que os alunos participaram de forma Com esta iniciativa pretende-se mostrar empenhada, interessada e sobretudo revelaram um aos mais novos que a matemática também espírito de camaradagem e boa disposição. Destacou tem um vertente lúdica e divertida, não -se a participação do aluno Pedro Ferreira que obte- descurando a importância desta nos nos- ve o 3.º lugar no jogo intitulado “Rastros”. sos currículos e a necessidade de se traba- “A componente lúdica desta actividade é uma mais- lhar com empenho na mesma desde muito valia pedagógica no ensino da Matemática, pois des- cedo. cobre-se nos jogos uma outra forma de explorar a Matemática.” Prof. Paulo Fragata Prof. Paulo Fragata
  20. 20. Página 20 Palavras d’Encantar V o l u m e 1 1, E d i ç ã o 11 “5 Minutos de Cálculo Mental” Luciano Botelho, Tiago Medeiros e Tiago Viveiros, da turma C os alunos Mariana Medeiros, Melissa Oliveira, Noémia Botelho e Com a implementação do novo Currículo de Pedro Costa e, finalmente, da turma D os Matemática do 7.º ano apela-se a um desen- alunos Nélson Sá, Marco Pavão, Roberto volvimento nos nossos alunos da sua capaci- Cordeiro e Tatiana Carreiro. dade de cálculo mental. Assim, desde o iní- A fase escola decorreu no dia 8 de Abril e cio do presente ano lectivo, que as turmas teve como objectivo seleccionar, de entre os deste ano de ensino, nas várias escolas da alunos acima nomeados, os três que obtive- região, desenvolvem nas aulas de Matemáti- ram os melhores resultados para representar ca uma actividade intitulada “5 minutos de a escola na Final Açores, sendo selecciona- cálculo mental”. Tal actividade baseia-se na dos os alunos António Travassos, Marlene resolução mental de alguns cálculos envol- Medeiros e Milton Ponte, todos da turma A. vendo as várias operações matemáticas. O Grupo 500 a todos saúda e felicita. A partir desta iniciativa, a Comissão Regional Prof. Paulo Fragata responsável pela implementação do Progra- ma de Matemática do Ensino Básico ideali- zou o concurso intitulado “5 Minutos de Cál- culo Mental” com os objectivos basilares de estimular o desenvolvimento do cálculo men- tal, incentivar a vertente lúdica na aprendiza- gem da Matemática e promover o intercâm- bio entre a comunidade educativa da Região Açores. Este concurso é composto por três fases denominadas, respectivamente, fase de tur- ma, fase de escola e final Açores. A primeira fase foi desenvolvida na nossa escola entre os dias 4 e 8 de Abril e teve como objectivo seleccionar os quatro alunos de cada turma com os melhores resultados. Assim da turma A do 7.º ano foram seleccionados os alunos António Travassos, Marlene Medeiros, Milton Ponte e Pedro Ferreira, da turma B foram seleccionados os alunos Gonçalo Melo,
  21. 21. Página 21 Palavras d’Encantar V o l u m e 1 1, E d i ç ã o 11 Actividades desenvolvidas pela Comissão Dinamizado- ra da Biblioteca. A Biblioteca, durante o 2º período, lem- brou épocas/dias comemorativos através de exposição de livros, decorações e informações importantes sobre os mes- mos. - Dia dos Namorados - Carnaval
  22. 22. Página 22 Palavras d’Encantar V o l u m e 1 1, E d i ç ã o 11 Actividades desenvolvi- das pela Comissão Dinamizadora da Biblioteca. A Biblioteca, durante o 2º perío- do, lembrou épocas/dias come- morativos através de exposição de livros, decorações e informa- ções importantes sobre os mes- mos. - 25 de Abril
  23. 23. Página 23 Palavras d’Encantar V o l u m e 1 1, E d i ç ã o 11 PÁGINA DO FRANCÊS PÁGINA DO PORTUGUÊS La Chandeleur Autor do Mês As turmas de Francês festejaram a A actividade autor do Mês continua Chandeleur no dia 03 de Fevereiro de 2011. a sua caminhada e já lá vão uns anos. Elaboraram crepes, na cozinha da escola, ven- Desta feita, coube às turmas dos oitavos deram-nas e comeram-nas Miam! anos a tarefa de elaborarem uns cartazes Prof.ª Cristina Pires alusivos ao Autor do Mês. Assim, Florbela Espanca foi a contemplada. Alunas a confeccionar as crepes!!! Concurso A Melhor Expressão Facial O grupo de Português promoveu uma actividade cultural e pedagógica, inse- rida no Plano Anual de actividades, para comemorar o dia do teatro, sob a forma de concurso, que consistiu na execução de uma expressão facial e imortalizada numa fotografia. A melhor fotografia (expressão facial) ainda não foi escolhida, no terceiro período serão divulgados os resultados.
  24. 24. Página 24 palavras d’Encantar V o l u m e 1 1, E d i ç ã o 11 “ Palamento ou Balamento” A Palavra «Balamento» quer dizer «obrigação de fazer balas», embora não faça par- te do dicionário. Crê-se que a origem vem da produção do açúcar e das ligações ao Brasil. “Balamento” - espetar o dedo em direcção ao adversário e... ganhar um ponto. Um gesto que se repete até à Páscoa. O primeiro a ver o outro aponta o dedo na sua direcção e “balamento”. Somam-se os pontos ao longo dos dias até à Páscoa e, quem ganhar, pode receber do outro, os ovos de Páscoa, as amêndoas, ou segundo a origem do jogo, os tor- rões, açúcar e doces. Marca-se o momento diário em que pode haver “balamento” e os jogadores esforçam -se por serem os justos vencedores. Ao longo de várias gerações, jogou-se o “balamento”. Este não é um jogo jogado por todos, mas também não está esquecido. Em São Miguel, vulgarmente conhecido por “palamento”, a tradição continua, às vezes, até pelos mais velhos. No entanto, é de referir que o jogo é típico dos arquipélagos dos Açores e Madeira. É um jogo de memória que contribui para reviver os passatempos engraçados dos pais e avós, passando de geração em geração, de lugar em lugar, até aos dias de hoje. Nesta escola, miúdos e graúdos jogam ao “Palamento”, animando a escola durante a semana antes das férias da Pás- coa. As professoras: Fátima Perestrelo e Elsa Rego
  25. 25. Página 25 Palavras d’Encantar V o l u m e 1 1, E d i ç ã o 11 Olá a todos os leitores! Desta vez, escrevemos para vos contar como festejámos o CARNAVAL na nossa escola! Com a colaboração dos Pais/ Encarregados de Educação, no Dia de Carnaval os alunos vieram para a escola fantasiados a seu gosto e toda a escola desfilou pelas ruas da fre- guesia. Pois é, como diz o ditado: “No Carnaval ninguém leva a mal”, então lá fomos nós por algu- mas ruas da nossa freguesia a enfeitar as pes- soas e as entradas das casas, com serpentinas e confetis. O nosso dia culminou com um Baile de Carnaval, o qual envolveu igualmente toda a escola. Dançámos e divertimo-nos muito! Esperamos que os leitores, também se tenham divertido! Até à próxima amigos! Educadora M.ª de Lurdes
  26. 26. Página 26 Palavras d’Encantar V o l u m e 1 1, E d i ç ã o 11 Peça de Teatro / Reciclar Materiais Nas aulas de cidadania, os alunos do 9ºC, sob a responsabilidade das docentes Rosa Martins e Lúcia Cosme, levaram a cabo uma peça de teatro no âmbito da reciclagem, tendo criado a histó- ria, os cenários e os respectivos materiais reciclados (sabonetes a partir de óleos usados). Voz: Era uma vez uma criança que aprendeu na escola como preservar o meio ambiente. Em casa ela tentava demonstrar aos pais o que fazer para ajudar o ambiente, mas sem sucesso. (Josefa prepara o jantar, entretanto chega o marido Joaquim e o filho mais velho.) Joaquim (Pai): - Ai Josefa querida, hoje trabalhei que nem um burro, acaba lá esse jantar que estou morrendo de fome! Juliano(Filho mais velho): É verdade mamã, trabalhar na terra é muito difícil, já estou arre- pendido de não ter estudado para ser Doutor. Josefa (mãe): Deixa lá meu rico filho que te preparei o teu jantar preferido. Ah e Doutor vai ser teu irmão. (De repente entra o Maurício e diz) Maurício (filho mais novo): Ah mamã, quié o jantar? Josefa (mãe): Oh meu filho, é batatas fritas com bifes, como tu gostas. Mas antes de te sentares na mesa vais colocar este óleo no quintal. Maurício (filho mais novo): Não mamã, a professora de Ciências disse na escola que devemos reutilizar o óleo usado. Josefa (mãe): Eh rapazim! Não tinha mais nada que fazer do que ligar às mariquices da tua professora. Maurício (filho mais novo): Oh, mas assim, estamos a poluir o ambiente! Joaquim (pai): Eh deixem-se lá de conversas da treta, que já me tão a chatear e vamos jan- tar. Josefa (mãe): O ambiente?! Eh home tu vais é colocar na terra e não no ambiente. Maurício (filho mais novo): Mamã, o ambiente não é só o ar, a terra também faz parte do ambiente. Joaquim(pai): Acabou essa conversa já cheira mal! É o ambiente, não é o ambiente, estou farto disso. Tu meu menino hoje vais pá cama sem jantar! Para a próxima vez que vieres com as mariquices que aprendes na escola vais trabalhar pró campo. (Maurício fica parado no meio da cozinha) Josefa: Não tas a ouvir teu pai? É pó quarto e calado.
  27. 27. Página 27 Palavras d’Encantar V o l u m e 1 1, E d i ç ã o 11 Joaquim (Pai): E com essas mariquices todas, já não tenho é fome. Juliano( filho mais velho): Eu também já não tenho pow um homem aqui cansado, vem-me aquele com as mariquices da escola. Até amanhã ( Saem todos da cozinha) (No outro dia Maurício chega atrasado á escola). Professora: Maurício que foi que andaste a observar desta vez para chegares atrasado? Maurício: Oh professora, hoje vim mais devagar para a escola. Professora: Então, não querias vir para a escola? Já não gostas da escola? Maurício: Gosto professora, mas por causa da escola, ontem fiquei sem jantar. Professora: Oh, mas porquê? Maurício: Oh professora, a professora está sempre a dizer se poluirmos o solo, estamos a poluir o ambiente, né? Professora: O solo, a água, o ar tudo isso faz parte do ambiente. Mauricio: Oh eu sei, mas por causa disso fiquei ontem sem jantar. Eu passo a explicar: Ontem a minha mãe fez para o jantar bifes com batatas fritas e pediu-me para colocar o óleo no quintal, fazendo uma cova. E sabendo que estava a poluir o ambiente, tentei explicar à minha mãe que não estava certo. Ela não gostou de ser contrariada mandou-me para o quarto, e ameaçou-me tirar da escola se continuasse a questionar as suas ideias. Professora: Então meninos, quem tem razão é o Maurício ou a mãe? Turma: É o Maurício. Porque se colocarmos o óleo no solo estamos realmente a poluir o ambiente. Professora: Meninos, e que tal arranjar-mos uma solução para o problema do Maurício? Turma: Até que não é má ideia! Mas o quê? Professora: Tive uma ideia Vocês lembram-se que no ano passado fizemos uma recolha de óleos usados? Turma: Sim, sim professora, foi divertido. Professora: Pois é, eu peguei nesse óleo e entreguei na Câmara Municipal de Ponta Delgada para reciclar. Esta enviou o óleo para uma fábrica do qual obtiveram glicerina. E com esta gli- cerina vamos fazer, na próxima aula, belos e cheirosos sabonetes. (aula de confecção de sabonetes) Professora: Gostaram do produto final? Turma: Sim.
  28. 28. Página 28 Palavras d’Encantar V o l u m e 1 1, E d i ç ã o 11 Professora: Então como poderíamos conven- cer a mãe do Maurício a mudar de atitude em relação ao óleo usado e mostrar tudo o que poderíamos fazer com este? Aluno: Já sei professora, podíamos chamar a mãe do Maurício à escola e mostrar todo o nosso trabalho. Professora: Maurício, dá-me a tua caderneta que vou mandar um recado à tua mãe. Maurício: Está bem professora, espero que consigamos convencer a minha mãe. (No dia seguinte a Dona Josefa deslocou-se à escola, viu os sabonetes feitos pelos alunos a partir de óleos usados, e prometeu daí em diante, nunca mais colocar o óleo no quintal, mas sim num recipiente para ser reciclado pelos trabalhadores da câmara). FIM Prof.ª Rosa Martins Alunos a confeccionar sabonetes
  29. 29. Página 29 Palavras d’Encantar Volume 6, Edição 6 FINAL — Campeões de CDEG — ATLETISMO Corta-Mato da AASM em 2.º Corta-Mato do Cam- Benjamins, Infantis, peonato AASM Iniciados e Juvenis No dia 22 de Janeiro de 2011, o Clube Desportivo Escolar de Ginetes par- ticipou no 3.º Corta-mato da AASM, pelas 16h30, em Ponta Delgada (parque urba- no) com 16 atletas e 3 equipas de Infantis M; Iniciados M e Juvenis M (de 3 elementos). Esta final correu muito bem, arrebatamos óptimos resultados. Sagramo-nos Campeões de Corta- Mato da AASM em Infantis M e Inicia- dos M por equipas e em Benjamins M, No dia 16 de Janeiro de 2011, o Clube Infantis M, Iniciados M e Juvenis M. Desportivo Escolar de Ginetes participou no 2.º Corta-mato da AASM, pelas 10h30, em Ponta Delgada (parque urbano) com 14 atletas e 3 equipas de Infantis M; Iniciados M e Juvenis M (de 3 elementos) – Obtivemos o 1.º Lugar nos 3 escalões por Equipas.
  30. 30. Página 30 Palavras d’Encantar V o l u m e 1 1, E d i ç ã o 11 CDEG — ATLETISMO Campeonato da AASM de Absolutos de Inverno O Clube Desportivo Escolar de Ginetes participou, no passado Sábado, pelas 15h00, no Campeonato da AASM de Absolutos de Inverno, na Pista das Laranjeiras, em Ponta Delgada. Obtendo 7 primeiros lugares e 6 segundos lugares. Num total de 13 atletas participantes, 9 masculinos e 4 femininos.
  31. 31. Página 31 Palavras d’Encantar V o l u m e 1 1, E d i ç ã o 11 CDEG — ATLETISMO CORTA — MATO ESCOLAR MUITOS ATLETAS DO CDEG Corrida do 63.º Aniversário No dia 26 de Janeiro de 2011, pelas do Operário 14h00, realizou-se o Corta-Mato Escolar, no Pinhal da Paz. A Escola Básica Integrada 2,3 No dia 9 de Janeiro de 2011, o Clube Des- de Ginetes levou à prova cerca de meia cente- portivo Escolar de Ginetes participou na Corrida do na de atletas, dos quais, mais de uma dezena, 63.º Aniversário do Operário, pelas 10h00, na fazem parte do Clube Desportivo Escolar. Lagoa, com 9 atletas e 2 equipas, uma de Inicia- Atletas no pódio do CDEG: dos M e outra de Juvenis M (3 elementos). Infantis M - Luís Vasconcelos Obtivemos, mais uma vez, bons resultados: três 1.º lugares individuais e dois 1.º lugares por Iniciados M - Roberto Cordeiro equipas. Iniciados F - Catarina Cordeiro Juvenis M - Artur Vasconcelos Outros atletas do CDEG: Benjamins M - André Vasconcelos e Luís Mendonça Benjamins F - Helena Machado e Catarina Martins Infantis M - João Martins Iniciados M - Laudalino Vasconcelos e Tiago Silva Iniciados M - Telma Sá Juvenis M - Marcelino Vasconcelos Juvenis F - Vânia Araújo Atletas participantes: Benjamins F - Catarina Martins Infantis M - Adelino Vasconcelos Iniciados M - Roberto Cordeiro, Laudalino Vasconcelos e Tiago Silva Iniciados F - Catarina Cordeiro Juvenis M - Artur Vasconcelos, Marcelino Vasconcelos e Renato Medeiros
  32. 32. Página 32 Palavras d’Encantar V o l u m e 1 1, E d i ç ã o 11 2º LUGAR MARIA TABAU INFANTIS F 2º LUGAR LUIS VASCONCELOS INFANTIS M 3º LUGAR CATARINA CORDEIRO INICIADOS F 3º LUGAR ROBERTO CORDEIRO INICIADOS M 2º LUGAR ARTUR VASCONCELOS JUVENIS M EQUIPA DE INICIADOS
  33. 33. Página 33 Palavras d’Encantar V o l u m e 1 1, E d i ç ã o 11 Campeonato Nacional de Campeonato Regio- Corta-Mato – Felgueiras nal de Corta-Mato Esco- No dia 20 de Fevereiro de 2011, o Clube Des- lar — Terceira portivo Escolar de Ginetes participou no Campeona- No dia 19 de Fevereiro de 2011, o to Nacional de Corta-Mato, em Felgueiras, Asso- Clube Desportivo Escolar de Ginetes partici- ciação de Atletismo do Porto, com um atleta Juve- pou no Campeonato Regional de Corta- nis, o Artur Vasconcelos. Mato Escolar, na Ilha Terceira, com um O nosso atleta portou-se bem, dentro do que é atleta Iniciado, o Roberto Cordeiro. a nossa realidade, com o tempo de 14:30:91, ficando O nosso atleta portou-se muito bem, pelo meio da tabela, entre 96 atletas participantes de obtendo o 3.º lugar do pódio, perante meia todos os ponto de Portugal. centena de atletas seus concorrentes. III Corrida da Candelária No dia 27 de Fevereiro de 2011, o Clube Desportivo Escolar de Ginetes participou na III Corrida da Candelária, pelas 10h00, na Freguesia da Candelária, com 20 atletas: Benjamins M e F; Infan- tis M; Iniciados M e F e Juvenis M e F. Obtivemos bons resultados em todos os escalões em que par- ticipamos, 7 primeiros lugares.
  34. 34. Página 34Palavras d’Encantar V o l u m e 1 1, E d i ç ã o 11 1.º Olímpico Jovem AASM O Clube Desportivo Escolar de Gine- tes, no dia 19-03-2011, participou com 11 atletas no 1.º Olímpico Jovem AASM, na pista das Laranjeiras em Ponta Delgada. Estas provas tiveram lugar para apuramento e obtenção de mínimos para o Regional Olímpico Jovem. Participamos em 19 provas, obtendo 10 primeiros lugares, 6 segundos lugares e 3 terceiros lugares. Atletas João e Raúl Iniciados 1.º e 2.º lugar no Peso (4kg)
  35. 35. Página 35 Palavras d’Encantar V o l u m e 1 1, E d i ç ã o 11 Meia Maratona Ribeira Grande / KM Jovem Ponta Delgada 21Km AASM No dia 13 de Março de 2011, o Clube Desporti- vo Escolar de Ginetes participou na meia maratona O Clube Desportivo Escolar Ribeira Grande / Ponta Delgada, pelas 10h00, entre de Ginetes participou com 6 atle- Ribeira Grande e Ponta Delgada, 21Km, com 2 atle- tas de vários escalões nos 1000m tas. O Artur Vasconcelos (Juvenil) correu no esca- para apuramento «KM Jovem lão Júnior e obteve o 1.º lugar, com o tempo de Regional», em datas diferentes: 1h28mn. Por sua vez, o Prof. Max Teles obteve o dia 26 de Fevereiro,19 e 27 de 5.º lugar no seu escalão veterano II, com o mesmo Março de 2011, na pista das tempo – 1h28mn. Laranjeiras em Ponta Delgada. Participaram cerca de uma centena de atletas As marcas obtidas serviram (alguns paraolímpicos) das várias Ilhas dos Açores e de apuramento para o Regional do Continente, masculinos e femininos. KM Jovem a realizar na Ilha Ter- ceira, nos dias 9 e 10 de Abril. Todos os nossos atletas foram apurados, já que no ranking Km Jovem AASM obtivemos 3 pri- meiros lugares e 3 segundos lugares. Atletas apurados : Infantis M Luís Vasconcelos; Iniciados M Roberto Cordeiro e Laudalino Vasconcelos; Iniciados F Catarina Cordeiro; Juvenis M Artur Vasconcelos e Juvenis F Vânia Araújo.
  36. 36. Página 36 Palavras d’Encantar V o l u m e 1 1, E d i ç ã o 11 2.ª Jornada — Intermunici- pios — Ribeira Grande O recorde de participantes (109) no torneio de xadrez Intermunicípios foi batido neste sába- do (29 de Janeiro) na cidade da Ribeira Gran- de. O CDE de Ginetes esteve presente nesta 2ª Jornada com 13 jogadores que se desta- A Daniela Pereira e o Júlio Oliveira destaca- caram nas principais mesas, sendo já uma ram-se pelas três vitórias (4jogos) obtidas r ef e r ê n c i a no xa d r e z regional. nesta jornada António Travassos (5º Geral, com 6 pon- tos), Milton Ponte (5º Geral, com 6 pontos), Classificação Geral: 3º Tiago Meireles - 6,5 Pontos; Rodrigo Oliveira (5º Geral, com 6 pontos) e 5º Milton Ponte - 6 Pontos; Tiago Meireles (3º Geral, com 6,5 pontos) 5º Rodrigo Oliveira - 6 Pontos; são jogadores promissores na modalidade 5º António Travassos - 6 Pontos; 16º Daniela Pereira - 5 Pontos; e são os primeiros classificados dos res- 25º Francisco Mateus - 4,5 Pontos; pectivos 37º Renato Aguiar - 4 Pontos; escalões, 37º Lisete Tavares - 4 Pontos; 48º Ângela Pereira - 3,5 Pontos; apresen- 48º Diogo Silva - 3,5 Pontos; tando um 57º Filipa Pereira - 3 Pontos; nível de 57º Afonso Fonseca - 3 Pontos; 57º Júlio Oliveira - 3 Pontos; jogo muito 57º João Chaves - 3 Pontos; elevado. 83º Valdo David - 2 Pontos; 96º Tiago Viveiros - 1,5 Pontos.
  37. 37. Página 37 Palavras d’Encantar V o l u m e 1 1, E d i ç ã o 11 SIMULTÂNEA DE XADREZ CAMPEÕES REGIONAIS No dia 9 de Fevereiro, o Luís Soares António Travassos (Sub-14) e Tiago (AAUA, elo 2018), proporcionou aos nossos Meireles (Sub-16) consagraram-se Cam- jogadores Rodrigo Oliveira, António Travas- peões Regionais de Xadrez neste fim-de- sos, Milton Ponte e Tiago Meireles uma simul- semana, 5 e 6 de Março, na Escola Secun- tânea de xadrez e um treino nas instalações dária da Lagoa. da nossa escola. Este tipo de actividade, previsto no Plano Anual de Actividades do nosso Clube, teve por objectivo principal, diagnosticar lacu- nas e necessidades no tipo de treino a admi- nistrar nos nossos jogadores. Relativamente ao resultado dos jogos, não houve nenhuma surpresa e o Luís Soares venceu os quatro jogos, tendo o Tiago Meire- les criado algumas dificuldades ao jogador da Universidade do Açores.
  38. 38. Página 38 Palavras d’Encantar V o l u m e 1 1, E d i ç ã o 11 Este Campeonato realizado na Lagoa contou com a participação de 110 jogadores das ilhas de S. No escalão Sub-14 (21 partici- pantes) o clube esteve representado pelo Diogo Silva (10º), Renato Aguiar (13º), Daniela Pereira (9º), Ângela Perei- ra (11º), Milton Ponte (2º) e António Tra- vassos (1º). Neste escalão destacaram- se as prestações do Milton Ponte (vitória difícil com uma das candidatas, Jennifer Medeiros) e a do António Travassos, que se sagrou Campeão Regional Miguel, O CDE de Ginetes participou com 12 jogadores nos escalões de Sub-10, Sub-14 e Sub-16. Afonso Fonseca (Sub-10) participou pela primeira vez neste tipo de competição e obteve uma exce- lente classificação (4º Classificado), nos cinco depois de derrotar os dois candidatos ao título (Milton Ponte e Pedro Medeiros). No escalão Sub-16 (26 partici- pantes) o clube esteve representado pelo Adriano Pereira (17º), Lisete Tava- res (14º), Frederico Ferreira (10º), Rodri- go Oliveira (7º) que perdeu apenas com os dois primeiros classificados da geral, e Tiago Meireles que se sagrou pela segunda vez seguida Campeão Regio- nal dos Açores de Xadrez.
  39. 39. Página 39 Palavras d’Encantar V o l u m e 1 1, E d i ç ã o 11 Ténis de Mesa (Promoção) do CDEG A secção de Ténis de Mesa do CDEG tem 5 núcleos, todos eles com um técnico res- ponsável. Assim, os Professores Hugo Pessoa, Pedro Pereira e Ana Raposo são responsáveis por 4 núcleo na EB 2,3 de Ginetes e o profes- sor Ricardo Almeida pelo núcleo da EBJ/I dos Mosteiros. Esta secção movimenta cerca de 70 Os Campeões Regionais e o atletas/alunos . Rodrigo Oliveira (vencedor da Taça Luís Cabral) vão participar no primeiro trei- Até ao momento foram realizados 4 no/estágio proporcionado pela Associação encontros de Ténis de Mesa nas referidas de Xadrez e também vão participar no escolas, bem como os treinos semanais que Campeonato Nacional de Jovens em Tor- decorrem em horário próprio durante todo o res Vedras entre 10 e 14 de Abril. ano lectivo em curso.
  40. 40. Página 40 Palavras d’Encantar V o l u m e 1 1, E d i ç ã o 11 Ténis de Mesa (Promoção) do CDEG Os 5 núcleos da secção de Ténis de Mesa do CDEG realiza- ram até ao momento 4 Encon- tros. Os vários praticantes pude- ram mostrar a sua técnica à res- tante comunidade escolar. Por sua vez, a comunidade escolar tem participado, com entusiasmo, nos vários encontros.

×