SlideShare uma empresa Scribd logo
Dando continuidade ao nosso ciclo de
entrevistas, entrevistámos a docente Ida-
lina Milagres, responsável pelo Baú de
Leitura e professora de Francês.
Há quanto tempo da aulas?
Comecei a lecionar em outubro de 1990.
Nunca mais parei. Já lá vão 22 anos e
alguns meses.
2-Em quantas escolas trabalhou?
Já perdi a conta. Vejamos: Francisco Franco,
Gonçalves Zarco, Torre, Pe Manuel Alvares
na Ribeira Brava, e nesta escola, quando
ainda se chamava Escola Básica e Secun-
dária do Galeão. Trabalhei aqui nesta escola
no ano em que ela foi inaugurada, em 1992.
E estou afeta ao quadro dela desde 2000.
3-Quando era pequena sempre quis ser
professora?
Na verdade, escolhi esta profissão só mais
tarde, quando entrei para a Universidade.
Antes disso eu queria ser Jornalista. Mas
como não havia esse curso aqui na Madeira,
optei por seguir um curso de Letras. E aqui
estou, um pouco por acaso. Mas não me
arrependo. Gosto muito daquilo que faço,
sobretudo de trabalhar com os mais novos.
Aprende-se muito, todos os dias.
4-Quais as disciplinas que leciona?
Atualmente , leciono a disciplina de Francês
e a componente curricular, não disciplinar,
de Formação Pessoal e Social. Mas, já lecio-
nei Técnicas de Tradução de Francês, Portu-
guês, Cultura Língua e Comunicação, Igual-
dade de Oportunidades, etc.
5-Em que áreas se formou?
Formei-me em Línguas e Literaturas Moder-
nas, na variante de Estudos Portugueses e
Franceses . Também sou Formadora de
Português para Fins Específicos, nomeada-
mente, Português para estrangeiros.
Atualmente estou a fazer mestrado em
Ciências da Educação, na especialidade de
Supervisão Pedagógica e Formação de Pro-
fessores. Hoje a formação de uma pessoa
nunca acaba. Precisamos estudar durante
toda a vida. É a formação permanente,.
6-Qual a sua opinião sobre a escola?
A escola é um lugar privilegiado para contac-
tar com o conhecimento e com a inovação. É
um local onde aqueles que já aprenderam
alguma coisas, os mais velhos, transmitem
Galeão de Notícias
Nesta edição:
Entrevista à Professo-
ra Idalina Milagres
1
Festa de Natal 2
Escola no teatro 3
Carnaval 3
Carnaval de Veneza 3
Trabalhos de Ciên-
cias Físico– Químicas
4
Ano v—2012—2013
2º Período
2ª edição
Ficha Técnica :
Coordenador Docente Bruno Men-
donça e Nélio Velosa
Colaboradores / redatores e mem-
bros do Clube-O Galeão de Notícias :
Hugo Gil, José Sousa e Érica Cardoso
do 8º2;
Idalina Milagres do Clube “ O Baú de
Leitura”; Diana Pita
Professora Idalina Milagres
aquilo que aprenderam aos mais novos . Mas,
ao mesmo tempo, os mais novos ensinam aos
mais velhos outras formas de encarar o mundo
e a dinâmica dos tempos atuais. É um local de
aprendizagem recíproca. Tanto aprende o pro-
fessor, como o aluno. É isso que faz da escola
um lugar especial.
7-Acha que é muto rígida com os alunos?
Eu não acho que seja muito rígida, se bem
que, alguns alunos dizem isso de mim. Valori-
zo muito quem trabalha e estuda, mas não
tolero a preguiça e a falta de empenho. Uma
coisa é não saber, outa coisa é não querer
saber. É tudo uma questão de perspetiva.
8-Qual a escola que mais gostou?
Gostei de todas as escolas por onde passei.
Todas elas deixaram marcas em mim. Se bem
que esta escola tenha um significado especial,
pois foi aquela em que estive mais tempo. Este
é o meu 14º ano nesta escola .
10-O que acha do ensino de agora compara-
do com o de antigamente?
Atualmente, as escola têm uma oferta formati-
va muito mais alargada do que antigamente.
Hoje em dia, há Percursos Curriculares Alter-
nativos, Cursos de Educação e Formação, Cur-
sos Profissionais, e outros que visam a integra-
ção dos diferentes alunos, conforme as suas
caraterísticas. Trata-se da escola para todos.
Há uma preocupação com dar uma oportunida-
de a todos. Antigamente, isso não acontecia.
Quem conseguia aprender de uma determina-
da maneira continuava o seu percurso escolar
e quem não conseguia ficava pelo caminho e
tinha de procurar trabalho. A escola era, por
isso, mais rígida e menos inclusiva.. Nem
todos chegavam ao fim. Hoje a escola é para
toda a vida. É para os jovens, para os pais,
para todos, ao longo da vida.
José sousa
Festa de Natal
Página 2Galeão de Notícias
O Natal é
sempre
lembrado
na nossa
escola
Missa de Natal na nossa escola
Como é apanágio do nosso estabeleci-
mento de ensino, a comemoração de
tão significante quadra, a natalícia, foi
mais uma vez celebrada com diversas
atividades. O átrio principal e todos os
espaços circundantes foram enfeitados
com os mais diversos motivos natalí-
cios, muitos deles bem originais e com
os mais diversificados materiais.
Estes enfeites estiveram, sobretudo,
“o dedo mágico” da professora Maria
José Araújo. Não foi esquecida a tradi-
cional árvore de Natal, bem como o
anjo, feito de material reciclado e das
sempre alegres,“apetitosas“e coloridos
embrulhos, a fazer lembrar aos miúdos
e graúdos os presentes que podem vir
a receber e também a oferecer. Pois,
muitos já se encontram em “posição”
de Pai Natal. Incumbência essa, que
nos dias de hoje é cada vez mais difícil
de preconizar. Todavia, o Natal não são
só prendas, é um tempo de alegria, de
convívio, de família, de partilha e
sobretudo de reflexão acerca da vida e
da nossa vivência em comunidade.
À semelhança do ano anterior, a escola
promoveu uma missa do Parto. Esta
realizou-se no ginásio, por ser um
espaço mais amplo e com uma melhor
acústica. Foram muitos os alunos,
encarregados de educação. funcioná-
rios e professores que não quiseram
perder tão importante celebração euca-
rística.
De realçar a participação de vários dis-
centes e docentes na missa e também
com a excelente participação da banda
da escola, a qual protagonizou
momentos musicais bem agradáveis e
que ajudaram em muito para que esta
celebração fosse mais alegre e viven-
ciada por todos os presentes. Um bem
haja para o sacerdote que presidiu à
missa e dizer que proferiu uma rele-
vante e explícita homilia.
Galeão de Notícias Página 3
A Escola foi ao Teatro
Ao longo dos anos, a folia do Carnaval está cada vez mais
presente no seio da nossa Escola. Assim, este ano não fugiu à
regra, e tivemos mais uma grande festa com momentos de
muita diversão.
No dia 8 de fevereiro, vários eventos tiveram lugar no nosso
estabelecimento. Durante a manhã, sob a supervisão do grupo
de Educação Física, decorreu o dia dos desportos de raquete,
mais precisamente, ténis de campo e de mesa no qual a ade-
são é sempre muito solicitada.
Paralelamente a este evento, tivemos a atuação do Clube de
Dança, sempre muito animado, na Sala Multidisciplinar.
Em seguida, assistimos ao tão aguardado desfile de foliões,
onde aparecem sempre grandes agradáveis surpresas, espe-
cialmente dos “profes” da Equipa Multidisciplinar.
Com a extrovertida apresentação dos alunos Fábio Velosa e
Joel Santos do 12º ano, da turma de Técnico de Apoio ao Psi-
cossocial, o desfile foi decorrendo com muitas peripécias.
No final, o júri constituído pela professora Gorete Carvalho, um
Encarregado de Educação e pela aluna Cassandra, do 9º 4
definiu a seguinte classificação: nos grupos: 1º Auto da Barca
do Inferno, de Gil Vicente representado por professores da
escola e alunos do “Baú de leitura”, em 2º “As Sevilhanas”,
representadas pelos professores da Equipa Multidisciplinar e
em 3º três alunos travestidos (Filipe Camacho, do 8º1, Tatiana
Coelho e Tânia do 8º3).
Nos individuais, classificou-se em 1º lugar a aluna Letícia
Mariana, do 8º1, mascarada de palhaço de papelão, em 2º o
aluno Leonardo Parreira, do 9º 4, representando um elemento
da banda rock KIss, e finalmente em 3º Laura Silva, a gótica
do 5º2.
Em seguida, os foliões e assistentes continuaram convivendo
através da dança ao som da música típica desta época.
Foi também proporcionado um lanche com malassadas e
sumos na cantina.
Estava também previsto uma atuação de uma Escola de Sam-
ba mas, infelizmente, não aconteceu. Em tempos “ troika-
nos”!!!....
Finalmente, o já habitual jogo de futebol entre professores e
alunos encerrou as festividades, com a vitória sorrindo para os
mais “experientes”.
Bruno Mendonça
Os docentes da sala multidisciplinar
Personagens do Auto da Barca do Inferno do
Inferno
O Carnaval também se comemora na escola!
Foi com grande entusiasmo que no dia 1 de fevereiro os alunos das turmas 7º6; 8º2 e 8º4integraram uma atividade do Baú de
Leitura e assistiram à peça de teatro infanto-juvenil, que aborda a temática da consciência existencial. Nela somos levados a
refletir sobre a questão do medo, do valor
da persistência e sobre os desafios e impre-
vistos que a vida nos coloca.
Peça: As aventuras de João Sem Medo, de
José Gomes Ferreira com dramaturgia e
encenação de Duarte Rodrigues
Nesta peça do Grupo de Mímica e Teatro
Oficina Versus com “uma mensagem pecu-
liar, recheada de provocações e de elemen-
tos educativos” participam 23 atores, alguns
com necessidades especiais oriundos do
Serviço Técnico de Formação Profissional de
Deficientes
4Galeão de Notícias
Antoine Laurent Lavoisier
Nunca chegou a ser um advogado, pois optou pela
ciência Lavoisier nasceu em 26 de agosto de
1743,e faleceu em 8 de maio de 1794 aos 50
anos numa família nobre francesa. Teve uma exce-
lente educação, era católico e formou-se em direito.
Lavoisier é considerado o pai da química. Foi ele
quem descobriu que a água é uma substância com-
posta, formada por dois átomos de hidrogênio e um
de oxigênio: o H2O. Essa descoberta foi muito im-
portante para a época, pois, segundo a teoria de
Tales de Mileto , que ainda era aceita, a água era
um dos quatro elementos terrestres primordiais, a
partir da qual outros materiais eram formados.
Em 16 de Dezembro de 1771 Lavoisier casou-se
com uma jovem aristocrata, de nome Marie-Anne
Pierrette Paulze. A sua mulher tornou-se num dos
seus mais importantes colaboradores, não só devi-
do ao seu conhecimento de línguas (em particular o
inglês e o latim), mas também pela sua capacidade
de ilustradora. Marie-Anne foi responsável pela
tradução, para francês, de obras científicas escritas
em inglês e em latim, fazendo ilustrações de algu-
mas das experiências mais significativas feitas por
Lavoisier.
Ele viveu na época em que começava a Revolução
Francesa, quando o terceiro estado (camponeses,
burgueses e comerciantes) ficaria com o poder da
França.
Foi morto pela mesma, pois era muito mal visto
pela população, que pensava que, por ser de uma
família nobre, Lavoisier, também, participava do
corrupto sistema cheio de impostos sobre a socie-
dade.
Foi guilhotinado após um julgamento sumário em 8
de Maio de 1794. Joseph-Louis de Lagrange, um
importante matemático, contemporâneo de Lavoisi-
er disse: "Não bastará um século para produzir
uma cabeça igual à que se fez cair num segundo”
Pedro Barradas nº3 8º4
Carnaval de Veneza
Trabalhos de Ciências Físico-química
Recebemos da professora Isabel Branco alguns trabalhos elaborados por alguns alunos da turma 8º4 no âmbito da disciplina de
Ciências Físico– Químicas. Apresentam-nos uma pequena biografia de dois grandes vultos da Físico-química e que ajudaram a
revolucionar e compreender muitas coisas que até então não eram entendíveis para o ser humano.
O Carnaval de Veneza surgiu no seculo XVII. O
principal elemento deste tão afamado carnaval
são as máscaras . Esta festa carnavalesca de
Veneza tem a duração de 10 dias. Nas noites de
festas realizam-se bailes em salões. Os trajes que
se usam são característicos do século XVIII, e são
comuns as maschera nobile, ou seja, máscaras
nobre, caretas brancas com roupa de seda negra
e chapéu de três pontas. Desde 1979 foram sen-
do somadas outras cores aos trajes, embora as
máscaras continuem a ser brancas, prateadas e
douradas. Esta comemoração atrai milhares de
turistas de toda a parte do mundo para poderem
participar num dos carnavais mais bonitos e dife-
rentes. Érica Cardoso
Wilhelm Ostwald
Friedrich Wilhelm Ostwald nasceu em Riga que
fazia parte do Império Russo, e hoje é a capital
da Letónia, numa família alemã do Báltico e fale-
ceu em Leipzig a 3 de abril de 1932. Foi
um químico e filósofo alemão.
Considerado o pai da físico-química, recebeu
o prémio Nobel de Química de 1909, por suas
pesquisas sobre catalisadores (substâncias que
aceleram a velocidade de uma reação, mas não
se consome nelas, podendo ser recolhida no final
e ser reutilizada), os princípios fundamentais que
regem equilíbrios químicos e velocidade de rea-
ção e equilíbrio químico.
Também desenvolveu um processo de fabricação
de ácido nítrico por oxidação do amoníaco.
Estudou na Universidade de Dorpat, graduando-
se em 1875, e trabalhando como professor neste
centro até 1881. De 1881 a 1887 foi professor do
Instituto Politécnico de Riga. Em 1887 mudou-se
para a Universidade de Leipzig, para exercer a
função de professor de físico-química. Nesta últi-
ma universidade foi fundado o Instituto Ostwald,
primeiro instituto dedicado ao estudo da físico-
química, que Ostwald dirigiu até 1906.
Em 1900 descobriu o processo de preparação
do ácido nítrico a partir da oxida-
ção do amoníaco, usando como catalisador
a platina, facilitando a produção em massa
de fertilizantes e explosivos para a Alemanha
durante a I Guerra Mundial. Este processo foi
substituído pelo processo de Haber-Bosh, tornan-
do a produção de amônia mais econômica. [1]
Noutra vertente, Ostwald estava muito interessa-
do na idéia da adoção de uma língua auxiliar
internacional: no ensino do esperanto primeiro.
Mais tarde, ele se tornou interessado na reforma
do Esperanto, Ido, e doado para o movimento
linguagem do dinheiro ganho por ganhar o Prê-
mio Nobel.
Susana Carolina nº16 8º4
Wilhelm Ostwald
Antoine Laurent
Lavoisier

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Memorial Lúcia Maia
Memorial Lúcia MaiaMemorial Lúcia Maia
Memorial Lúcia Maia
Lúcia Maia
 
Memorial 17abril2016
Memorial 17abril2016Memorial 17abril2016
Memorial 17abril2016
Luis Antonio Bittar Venturi
 
(Jornal escolar palavras d'encanta 8.ª edição
(Jornal escolar   palavras d'encanta 8.ª edição(Jornal escolar   palavras d'encanta 8.ª edição
(Jornal escolar palavras d'encanta 8.ª edição
maxteles2004
 
Gilvanete
GilvaneteGilvanete
Gilvanete
Heles Souza
 
Folhear 1 set-dez._2019
Folhear 1 set-dez._2019Folhear 1 set-dez._2019
Folhear 1 set-dez._2019
IsabelPereira2010
 
Boletim de Actividades do Agrupamento de Escolas do Alto Lumiar
Boletim de Actividades do Agrupamento de Escolas do Alto LumiarBoletim de Actividades do Agrupamento de Escolas do Alto Lumiar
Boletim de Actividades do Agrupamento de Escolas do Alto Lumiar
programateip
 
Jornal tr eixo2
Jornal tr eixo2Jornal tr eixo2
Jornal tr eixo2
BibliotecaEixo Eixo
 
Jornal nova dimensão
Jornal nova dimensãoJornal nova dimensão
Jornal nova dimensão
heliane
 
Jornal lucelia
Jornal luceliaJornal lucelia
Jornal lucelia
EMEF JOÃO DA SILVA
 
Jornal mural da eja
Jornal mural da ejaJornal mural da eja
Jornal mural da eja
jackzeus
 
Memorial profissional do josé antonio
Memorial profissional do josé antonioMemorial profissional do josé antonio
Memorial profissional do josé antonio
japquimica
 
1º edição jornal do gremio e.j.a
1º edição jornal  do gremio  e.j.a1º edição jornal  do gremio  e.j.a
1º edição jornal do gremio e.j.a
SHEILA MONTEIRO
 
DeClara 34 junho 2020
DeClara 34 junho 2020DeClara 34 junho 2020
DeClara 34 junho 2020
IsabelPereira2010
 
Memorial
MemorialMemorial
DeClara 47 ooutubro 2021
DeClara 47 ooutubro 2021DeClara 47 ooutubro 2021
DeClara 47 ooutubro 2021
IsabelPereira2010
 
Memorial profissional do josé antonio
Memorial profissional do josé antonioMemorial profissional do josé antonio
Memorial profissional do josé antonio
japquimica
 

Mais procurados (16)

Memorial Lúcia Maia
Memorial Lúcia MaiaMemorial Lúcia Maia
Memorial Lúcia Maia
 
Memorial 17abril2016
Memorial 17abril2016Memorial 17abril2016
Memorial 17abril2016
 
(Jornal escolar palavras d'encanta 8.ª edição
(Jornal escolar   palavras d'encanta 8.ª edição(Jornal escolar   palavras d'encanta 8.ª edição
(Jornal escolar palavras d'encanta 8.ª edição
 
Gilvanete
GilvaneteGilvanete
Gilvanete
 
Folhear 1 set-dez._2019
Folhear 1 set-dez._2019Folhear 1 set-dez._2019
Folhear 1 set-dez._2019
 
Boletim de Actividades do Agrupamento de Escolas do Alto Lumiar
Boletim de Actividades do Agrupamento de Escolas do Alto LumiarBoletim de Actividades do Agrupamento de Escolas do Alto Lumiar
Boletim de Actividades do Agrupamento de Escolas do Alto Lumiar
 
Jornal tr eixo2
Jornal tr eixo2Jornal tr eixo2
Jornal tr eixo2
 
Jornal nova dimensão
Jornal nova dimensãoJornal nova dimensão
Jornal nova dimensão
 
Jornal lucelia
Jornal luceliaJornal lucelia
Jornal lucelia
 
Jornal mural da eja
Jornal mural da ejaJornal mural da eja
Jornal mural da eja
 
Memorial profissional do josé antonio
Memorial profissional do josé antonioMemorial profissional do josé antonio
Memorial profissional do josé antonio
 
1º edição jornal do gremio e.j.a
1º edição jornal  do gremio  e.j.a1º edição jornal  do gremio  e.j.a
1º edição jornal do gremio e.j.a
 
DeClara 34 junho 2020
DeClara 34 junho 2020DeClara 34 junho 2020
DeClara 34 junho 2020
 
Memorial
MemorialMemorial
Memorial
 
DeClara 47 ooutubro 2021
DeClara 47 ooutubro 2021DeClara 47 ooutubro 2021
DeClara 47 ooutubro 2021
 
Memorial profissional do josé antonio
Memorial profissional do josé antonioMemorial profissional do josé antonio
Memorial profissional do josé antonio
 

Semelhante a Jan abr 2013

PV NOTÍCIAS - EDIÇÃO Nº11
PV NOTÍCIAS - EDIÇÃO Nº11PV NOTÍCIAS - EDIÇÃO Nº11
PV NOTÍCIAS - EDIÇÃO Nº11
Jonasblog
 
Bi janeiro 2015_blogue
Bi janeiro 2015_blogueBi janeiro 2015_blogue
Bi janeiro 2015_blogue
bibliotecasjuliomartins
 
Entrepalavras4 dezembro 2014
Entrepalavras4  dezembro 2014Entrepalavras4  dezembro 2014
Entrepalavras4 dezembro 2014
Dores Pinto
 
Jornal "O MAESTRO"
Jornal "O MAESTRO"Jornal "O MAESTRO"
Jornal "O MAESTRO"
karla cristina marano
 
Boletim informativo - janeiro
Boletim informativo - janeiroBoletim informativo - janeiro
Boletim informativo - janeiro
bibliotecasjuliomartins
 
Palavra jovem n 25 original
Palavra   jovem n 25 originalPalavra   jovem n 25 original
Palavra jovem n 25 original
Escola Figueiredo Correia
 
Boletim informativo novembro/dezembro 2015
Boletim informativo novembro/dezembro 2015Boletim informativo novembro/dezembro 2015
Boletim informativo novembro/dezembro 2015
bibliotecasjuliomartins
 
O trovador 1ª ediçao 2014 - agrupamento D.Dinis - ODIVELAS 2014
O trovador 1ª ediçao 2014 -    agrupamento D.Dinis - ODIVELAS 2014O trovador 1ª ediçao 2014 -    agrupamento D.Dinis - ODIVELAS 2014
O trovador 1ª ediçao 2014 - agrupamento D.Dinis - ODIVELAS 2014
AMG Sobrenome
 
Elisa monografia pedagogia 2011
Elisa monografia pedagogia 2011Elisa monografia pedagogia 2011
Elisa monografia pedagogia 2011
Biblioteca Campus VII
 
Boletim Informativo _ janeiro 2014
Boletim Informativo _ janeiro 2014Boletim Informativo _ janeiro 2014
Boletim Informativo _ janeiro 2014
bibliotecasjuliomartins
 
Boletim Informativo - fevereiro 2014
Boletim Informativo - fevereiro 2014Boletim Informativo - fevereiro 2014
Boletim Informativo - fevereiro 2014
bibliotecasjuliomartins
 
2 segunda edicao i (1) copy
2 segunda edicao i (1) copy2 segunda edicao i (1) copy
2 segunda edicao i (1) copy
SHEILA MONTEIRO
 
Boletim nº 3 O Dinis
Boletim nº 3 O DinisBoletim nº 3 O Dinis
Boletim nº 3 O Dinis
APEB
 
Jornal Escolar
Jornal Escolar Jornal Escolar
Jornal Escolar
Dinomar Miranda
 
Relatório final
Relatório finalRelatório final
Relatório final
oseascbatista
 
Historia trabalho do estado novo inês
Historia   trabalho do estado novo inêsHistoria   trabalho do estado novo inês
Historia trabalho do estado novo inês
Ana Cristina F
 
Jornal de olho no tania
Jornal de olho no tania    Jornal de olho no tania
Jornal de olho no tania
Jefferson Deivis Jorge
 
Jornal escolar
Jornal escolarJornal escolar
Jornal escolar
anaraulvictor
 
Memorial acadêmico
Memorial acadêmicoMemorial acadêmico
Memorial acadêmico
CNSR
 
Palavra jovem n 39 original
Palavra   jovem n 39 originalPalavra   jovem n 39 original
Palavra jovem n 39 original
Escola Figueiredo Correia
 

Semelhante a Jan abr 2013 (20)

PV NOTÍCIAS - EDIÇÃO Nº11
PV NOTÍCIAS - EDIÇÃO Nº11PV NOTÍCIAS - EDIÇÃO Nº11
PV NOTÍCIAS - EDIÇÃO Nº11
 
Bi janeiro 2015_blogue
Bi janeiro 2015_blogueBi janeiro 2015_blogue
Bi janeiro 2015_blogue
 
Entrepalavras4 dezembro 2014
Entrepalavras4  dezembro 2014Entrepalavras4  dezembro 2014
Entrepalavras4 dezembro 2014
 
Jornal "O MAESTRO"
Jornal "O MAESTRO"Jornal "O MAESTRO"
Jornal "O MAESTRO"
 
Boletim informativo - janeiro
Boletim informativo - janeiroBoletim informativo - janeiro
Boletim informativo - janeiro
 
Palavra jovem n 25 original
Palavra   jovem n 25 originalPalavra   jovem n 25 original
Palavra jovem n 25 original
 
Boletim informativo novembro/dezembro 2015
Boletim informativo novembro/dezembro 2015Boletim informativo novembro/dezembro 2015
Boletim informativo novembro/dezembro 2015
 
O trovador 1ª ediçao 2014 - agrupamento D.Dinis - ODIVELAS 2014
O trovador 1ª ediçao 2014 -    agrupamento D.Dinis - ODIVELAS 2014O trovador 1ª ediçao 2014 -    agrupamento D.Dinis - ODIVELAS 2014
O trovador 1ª ediçao 2014 - agrupamento D.Dinis - ODIVELAS 2014
 
Elisa monografia pedagogia 2011
Elisa monografia pedagogia 2011Elisa monografia pedagogia 2011
Elisa monografia pedagogia 2011
 
Boletim Informativo _ janeiro 2014
Boletim Informativo _ janeiro 2014Boletim Informativo _ janeiro 2014
Boletim Informativo _ janeiro 2014
 
Boletim Informativo - fevereiro 2014
Boletim Informativo - fevereiro 2014Boletim Informativo - fevereiro 2014
Boletim Informativo - fevereiro 2014
 
2 segunda edicao i (1) copy
2 segunda edicao i (1) copy2 segunda edicao i (1) copy
2 segunda edicao i (1) copy
 
Boletim nº 3 O Dinis
Boletim nº 3 O DinisBoletim nº 3 O Dinis
Boletim nº 3 O Dinis
 
Jornal Escolar
Jornal Escolar Jornal Escolar
Jornal Escolar
 
Relatório final
Relatório finalRelatório final
Relatório final
 
Historia trabalho do estado novo inês
Historia   trabalho do estado novo inêsHistoria   trabalho do estado novo inês
Historia trabalho do estado novo inês
 
Jornal de olho no tania
Jornal de olho no tania    Jornal de olho no tania
Jornal de olho no tania
 
Jornal escolar
Jornal escolarJornal escolar
Jornal escolar
 
Memorial acadêmico
Memorial acadêmicoMemorial acadêmico
Memorial acadêmico
 
Palavra jovem n 39 original
Palavra   jovem n 39 originalPalavra   jovem n 39 original
Palavra jovem n 39 original
 

Mais de eb23sroque

Alimentacao saudavel
Alimentacao saudavel Alimentacao saudavel
Alimentacao saudavel
eb23sroque
 
Visita de estudo empresa cervejas
Visita de estudo empresa cervejasVisita de estudo empresa cervejas
Visita de estudo empresa cervejas
eb23sroque
 
Poupança água final
Poupança água finalPoupança água final
Poupança água final
eb23sroque
 
Visita de estudo ao funchal
Visita de estudo ao funchalVisita de estudo ao funchal
Visita de estudo ao funchal
eb23sroque
 
Visita de estudo ao funchal
Visita de estudo ao funchalVisita de estudo ao funchal
Visita de estudo ao funchal
eb23sroque
 
Clube alimentação saudável
Clube alimentação saudávelClube alimentação saudável
Clube alimentação saudável
eb23sroque
 
Prevençao rodoviaria
Prevençao rodoviariaPrevençao rodoviaria
Prevençao rodoviaria
eb23sroque
 
Visita de estudo
Visita de estudoVisita de estudo
Visita de estudo
eb23sroque
 
Mês dos laticínios
Mês dos laticíniosMês dos laticínios
Mês dos laticínios
eb23sroque
 
Dia mundial da alimentação
Dia mundial da alimentaçãoDia mundial da alimentação
Dia mundial da alimentação
eb23sroque
 
Visita Fábrica Insular e Museu Baleia
Visita Fábrica Insular e Museu BaleiaVisita Fábrica Insular e Museu Baleia
Visita Fábrica Insular e Museu Baleia
eb23sroque
 
Visita de estudo à associação de paralisia cerebral
Visita de estudo à associação de paralisia cerebralVisita de estudo à associação de paralisia cerebral
Visita de estudo à associação de paralisia cerebral
eb23sroque
 
Visita de estudo "O Gato Arco Irís"
Visita de estudo "O Gato Arco Irís"Visita de estudo "O Gato Arco Irís"
Visita de estudo "O Gato Arco Irís"
eb23sroque
 
Projeto Ajuda A Ajudar
Projeto Ajuda A AjudarProjeto Ajuda A Ajudar
Projeto Ajuda A Ajudar
eb23sroque
 
Visita de estudo aos teleféricos do jardim botânico
Visita de estudo aos teleféricos do jardim botânicoVisita de estudo aos teleféricos do jardim botânico
Visita de estudo aos teleféricos do jardim botânico
eb23sroque
 
Visita de estudo ao centro de formalidade
Visita de estudo ao centro de formalidadeVisita de estudo ao centro de formalidade
Visita de estudo ao centro de formalidade
eb23sroque
 
Visita de estudo viagem funchal
Visita de estudo viagem funchalVisita de estudo viagem funchal
Visita de estudo viagem funchal
eb23sroque
 
Visita de estudo viagem funchal
Visita de estudo viagem funchalVisita de estudo viagem funchal
Visita de estudo viagem funchal
eb23sroque
 
Formação modular de cuidadores de idosos
Formação modular de cuidadores de idososFormação modular de cuidadores de idosos
Formação modular de cuidadores de idosos
eb23sroque
 
Visita de estudo ao startup madeira
Visita de estudo ao startup madeiraVisita de estudo ao startup madeira
Visita de estudo ao startup madeira
eb23sroque
 

Mais de eb23sroque (20)

Alimentacao saudavel
Alimentacao saudavel Alimentacao saudavel
Alimentacao saudavel
 
Visita de estudo empresa cervejas
Visita de estudo empresa cervejasVisita de estudo empresa cervejas
Visita de estudo empresa cervejas
 
Poupança água final
Poupança água finalPoupança água final
Poupança água final
 
Visita de estudo ao funchal
Visita de estudo ao funchalVisita de estudo ao funchal
Visita de estudo ao funchal
 
Visita de estudo ao funchal
Visita de estudo ao funchalVisita de estudo ao funchal
Visita de estudo ao funchal
 
Clube alimentação saudável
Clube alimentação saudávelClube alimentação saudável
Clube alimentação saudável
 
Prevençao rodoviaria
Prevençao rodoviariaPrevençao rodoviaria
Prevençao rodoviaria
 
Visita de estudo
Visita de estudoVisita de estudo
Visita de estudo
 
Mês dos laticínios
Mês dos laticíniosMês dos laticínios
Mês dos laticínios
 
Dia mundial da alimentação
Dia mundial da alimentaçãoDia mundial da alimentação
Dia mundial da alimentação
 
Visita Fábrica Insular e Museu Baleia
Visita Fábrica Insular e Museu BaleiaVisita Fábrica Insular e Museu Baleia
Visita Fábrica Insular e Museu Baleia
 
Visita de estudo à associação de paralisia cerebral
Visita de estudo à associação de paralisia cerebralVisita de estudo à associação de paralisia cerebral
Visita de estudo à associação de paralisia cerebral
 
Visita de estudo "O Gato Arco Irís"
Visita de estudo "O Gato Arco Irís"Visita de estudo "O Gato Arco Irís"
Visita de estudo "O Gato Arco Irís"
 
Projeto Ajuda A Ajudar
Projeto Ajuda A AjudarProjeto Ajuda A Ajudar
Projeto Ajuda A Ajudar
 
Visita de estudo aos teleféricos do jardim botânico
Visita de estudo aos teleféricos do jardim botânicoVisita de estudo aos teleféricos do jardim botânico
Visita de estudo aos teleféricos do jardim botânico
 
Visita de estudo ao centro de formalidade
Visita de estudo ao centro de formalidadeVisita de estudo ao centro de formalidade
Visita de estudo ao centro de formalidade
 
Visita de estudo viagem funchal
Visita de estudo viagem funchalVisita de estudo viagem funchal
Visita de estudo viagem funchal
 
Visita de estudo viagem funchal
Visita de estudo viagem funchalVisita de estudo viagem funchal
Visita de estudo viagem funchal
 
Formação modular de cuidadores de idosos
Formação modular de cuidadores de idososFormação modular de cuidadores de idosos
Formação modular de cuidadores de idosos
 
Visita de estudo ao startup madeira
Visita de estudo ao startup madeiraVisita de estudo ao startup madeira
Visita de estudo ao startup madeira
 

Jan abr 2013

  • 1. Dando continuidade ao nosso ciclo de entrevistas, entrevistámos a docente Ida- lina Milagres, responsável pelo Baú de Leitura e professora de Francês. Há quanto tempo da aulas? Comecei a lecionar em outubro de 1990. Nunca mais parei. Já lá vão 22 anos e alguns meses. 2-Em quantas escolas trabalhou? Já perdi a conta. Vejamos: Francisco Franco, Gonçalves Zarco, Torre, Pe Manuel Alvares na Ribeira Brava, e nesta escola, quando ainda se chamava Escola Básica e Secun- dária do Galeão. Trabalhei aqui nesta escola no ano em que ela foi inaugurada, em 1992. E estou afeta ao quadro dela desde 2000. 3-Quando era pequena sempre quis ser professora? Na verdade, escolhi esta profissão só mais tarde, quando entrei para a Universidade. Antes disso eu queria ser Jornalista. Mas como não havia esse curso aqui na Madeira, optei por seguir um curso de Letras. E aqui estou, um pouco por acaso. Mas não me arrependo. Gosto muito daquilo que faço, sobretudo de trabalhar com os mais novos. Aprende-se muito, todos os dias. 4-Quais as disciplinas que leciona? Atualmente , leciono a disciplina de Francês e a componente curricular, não disciplinar, de Formação Pessoal e Social. Mas, já lecio- nei Técnicas de Tradução de Francês, Portu- guês, Cultura Língua e Comunicação, Igual- dade de Oportunidades, etc. 5-Em que áreas se formou? Formei-me em Línguas e Literaturas Moder- nas, na variante de Estudos Portugueses e Franceses . Também sou Formadora de Português para Fins Específicos, nomeada- mente, Português para estrangeiros. Atualmente estou a fazer mestrado em Ciências da Educação, na especialidade de Supervisão Pedagógica e Formação de Pro- fessores. Hoje a formação de uma pessoa nunca acaba. Precisamos estudar durante toda a vida. É a formação permanente,. 6-Qual a sua opinião sobre a escola? A escola é um lugar privilegiado para contac- tar com o conhecimento e com a inovação. É um local onde aqueles que já aprenderam alguma coisas, os mais velhos, transmitem Galeão de Notícias Nesta edição: Entrevista à Professo- ra Idalina Milagres 1 Festa de Natal 2 Escola no teatro 3 Carnaval 3 Carnaval de Veneza 3 Trabalhos de Ciên- cias Físico– Químicas 4 Ano v—2012—2013 2º Período 2ª edição Ficha Técnica : Coordenador Docente Bruno Men- donça e Nélio Velosa Colaboradores / redatores e mem- bros do Clube-O Galeão de Notícias : Hugo Gil, José Sousa e Érica Cardoso do 8º2; Idalina Milagres do Clube “ O Baú de Leitura”; Diana Pita Professora Idalina Milagres aquilo que aprenderam aos mais novos . Mas, ao mesmo tempo, os mais novos ensinam aos mais velhos outras formas de encarar o mundo e a dinâmica dos tempos atuais. É um local de aprendizagem recíproca. Tanto aprende o pro- fessor, como o aluno. É isso que faz da escola um lugar especial. 7-Acha que é muto rígida com os alunos? Eu não acho que seja muito rígida, se bem que, alguns alunos dizem isso de mim. Valori- zo muito quem trabalha e estuda, mas não tolero a preguiça e a falta de empenho. Uma coisa é não saber, outa coisa é não querer saber. É tudo uma questão de perspetiva. 8-Qual a escola que mais gostou? Gostei de todas as escolas por onde passei. Todas elas deixaram marcas em mim. Se bem que esta escola tenha um significado especial, pois foi aquela em que estive mais tempo. Este é o meu 14º ano nesta escola . 10-O que acha do ensino de agora compara- do com o de antigamente? Atualmente, as escola têm uma oferta formati- va muito mais alargada do que antigamente. Hoje em dia, há Percursos Curriculares Alter- nativos, Cursos de Educação e Formação, Cur- sos Profissionais, e outros que visam a integra- ção dos diferentes alunos, conforme as suas caraterísticas. Trata-se da escola para todos. Há uma preocupação com dar uma oportunida- de a todos. Antigamente, isso não acontecia. Quem conseguia aprender de uma determina- da maneira continuava o seu percurso escolar e quem não conseguia ficava pelo caminho e tinha de procurar trabalho. A escola era, por isso, mais rígida e menos inclusiva.. Nem todos chegavam ao fim. Hoje a escola é para toda a vida. É para os jovens, para os pais, para todos, ao longo da vida. José sousa
  • 2. Festa de Natal Página 2Galeão de Notícias O Natal é sempre lembrado na nossa escola Missa de Natal na nossa escola Como é apanágio do nosso estabeleci- mento de ensino, a comemoração de tão significante quadra, a natalícia, foi mais uma vez celebrada com diversas atividades. O átrio principal e todos os espaços circundantes foram enfeitados com os mais diversos motivos natalí- cios, muitos deles bem originais e com os mais diversificados materiais. Estes enfeites estiveram, sobretudo, “o dedo mágico” da professora Maria José Araújo. Não foi esquecida a tradi- cional árvore de Natal, bem como o anjo, feito de material reciclado e das sempre alegres,“apetitosas“e coloridos embrulhos, a fazer lembrar aos miúdos e graúdos os presentes que podem vir a receber e também a oferecer. Pois, muitos já se encontram em “posição” de Pai Natal. Incumbência essa, que nos dias de hoje é cada vez mais difícil de preconizar. Todavia, o Natal não são só prendas, é um tempo de alegria, de convívio, de família, de partilha e sobretudo de reflexão acerca da vida e da nossa vivência em comunidade. À semelhança do ano anterior, a escola promoveu uma missa do Parto. Esta realizou-se no ginásio, por ser um espaço mais amplo e com uma melhor acústica. Foram muitos os alunos, encarregados de educação. funcioná- rios e professores que não quiseram perder tão importante celebração euca- rística. De realçar a participação de vários dis- centes e docentes na missa e também com a excelente participação da banda da escola, a qual protagonizou momentos musicais bem agradáveis e que ajudaram em muito para que esta celebração fosse mais alegre e viven- ciada por todos os presentes. Um bem haja para o sacerdote que presidiu à missa e dizer que proferiu uma rele- vante e explícita homilia.
  • 3. Galeão de Notícias Página 3 A Escola foi ao Teatro Ao longo dos anos, a folia do Carnaval está cada vez mais presente no seio da nossa Escola. Assim, este ano não fugiu à regra, e tivemos mais uma grande festa com momentos de muita diversão. No dia 8 de fevereiro, vários eventos tiveram lugar no nosso estabelecimento. Durante a manhã, sob a supervisão do grupo de Educação Física, decorreu o dia dos desportos de raquete, mais precisamente, ténis de campo e de mesa no qual a ade- são é sempre muito solicitada. Paralelamente a este evento, tivemos a atuação do Clube de Dança, sempre muito animado, na Sala Multidisciplinar. Em seguida, assistimos ao tão aguardado desfile de foliões, onde aparecem sempre grandes agradáveis surpresas, espe- cialmente dos “profes” da Equipa Multidisciplinar. Com a extrovertida apresentação dos alunos Fábio Velosa e Joel Santos do 12º ano, da turma de Técnico de Apoio ao Psi- cossocial, o desfile foi decorrendo com muitas peripécias. No final, o júri constituído pela professora Gorete Carvalho, um Encarregado de Educação e pela aluna Cassandra, do 9º 4 definiu a seguinte classificação: nos grupos: 1º Auto da Barca do Inferno, de Gil Vicente representado por professores da escola e alunos do “Baú de leitura”, em 2º “As Sevilhanas”, representadas pelos professores da Equipa Multidisciplinar e em 3º três alunos travestidos (Filipe Camacho, do 8º1, Tatiana Coelho e Tânia do 8º3). Nos individuais, classificou-se em 1º lugar a aluna Letícia Mariana, do 8º1, mascarada de palhaço de papelão, em 2º o aluno Leonardo Parreira, do 9º 4, representando um elemento da banda rock KIss, e finalmente em 3º Laura Silva, a gótica do 5º2. Em seguida, os foliões e assistentes continuaram convivendo através da dança ao som da música típica desta época. Foi também proporcionado um lanche com malassadas e sumos na cantina. Estava também previsto uma atuação de uma Escola de Sam- ba mas, infelizmente, não aconteceu. Em tempos “ troika- nos”!!!.... Finalmente, o já habitual jogo de futebol entre professores e alunos encerrou as festividades, com a vitória sorrindo para os mais “experientes”. Bruno Mendonça Os docentes da sala multidisciplinar Personagens do Auto da Barca do Inferno do Inferno O Carnaval também se comemora na escola! Foi com grande entusiasmo que no dia 1 de fevereiro os alunos das turmas 7º6; 8º2 e 8º4integraram uma atividade do Baú de Leitura e assistiram à peça de teatro infanto-juvenil, que aborda a temática da consciência existencial. Nela somos levados a refletir sobre a questão do medo, do valor da persistência e sobre os desafios e impre- vistos que a vida nos coloca. Peça: As aventuras de João Sem Medo, de José Gomes Ferreira com dramaturgia e encenação de Duarte Rodrigues Nesta peça do Grupo de Mímica e Teatro Oficina Versus com “uma mensagem pecu- liar, recheada de provocações e de elemen- tos educativos” participam 23 atores, alguns com necessidades especiais oriundos do Serviço Técnico de Formação Profissional de Deficientes
  • 4. 4Galeão de Notícias Antoine Laurent Lavoisier Nunca chegou a ser um advogado, pois optou pela ciência Lavoisier nasceu em 26 de agosto de 1743,e faleceu em 8 de maio de 1794 aos 50 anos numa família nobre francesa. Teve uma exce- lente educação, era católico e formou-se em direito. Lavoisier é considerado o pai da química. Foi ele quem descobriu que a água é uma substância com- posta, formada por dois átomos de hidrogênio e um de oxigênio: o H2O. Essa descoberta foi muito im- portante para a época, pois, segundo a teoria de Tales de Mileto , que ainda era aceita, a água era um dos quatro elementos terrestres primordiais, a partir da qual outros materiais eram formados. Em 16 de Dezembro de 1771 Lavoisier casou-se com uma jovem aristocrata, de nome Marie-Anne Pierrette Paulze. A sua mulher tornou-se num dos seus mais importantes colaboradores, não só devi- do ao seu conhecimento de línguas (em particular o inglês e o latim), mas também pela sua capacidade de ilustradora. Marie-Anne foi responsável pela tradução, para francês, de obras científicas escritas em inglês e em latim, fazendo ilustrações de algu- mas das experiências mais significativas feitas por Lavoisier. Ele viveu na época em que começava a Revolução Francesa, quando o terceiro estado (camponeses, burgueses e comerciantes) ficaria com o poder da França. Foi morto pela mesma, pois era muito mal visto pela população, que pensava que, por ser de uma família nobre, Lavoisier, também, participava do corrupto sistema cheio de impostos sobre a socie- dade. Foi guilhotinado após um julgamento sumário em 8 de Maio de 1794. Joseph-Louis de Lagrange, um importante matemático, contemporâneo de Lavoisi- er disse: "Não bastará um século para produzir uma cabeça igual à que se fez cair num segundo” Pedro Barradas nº3 8º4 Carnaval de Veneza Trabalhos de Ciências Físico-química Recebemos da professora Isabel Branco alguns trabalhos elaborados por alguns alunos da turma 8º4 no âmbito da disciplina de Ciências Físico– Químicas. Apresentam-nos uma pequena biografia de dois grandes vultos da Físico-química e que ajudaram a revolucionar e compreender muitas coisas que até então não eram entendíveis para o ser humano. O Carnaval de Veneza surgiu no seculo XVII. O principal elemento deste tão afamado carnaval são as máscaras . Esta festa carnavalesca de Veneza tem a duração de 10 dias. Nas noites de festas realizam-se bailes em salões. Os trajes que se usam são característicos do século XVIII, e são comuns as maschera nobile, ou seja, máscaras nobre, caretas brancas com roupa de seda negra e chapéu de três pontas. Desde 1979 foram sen- do somadas outras cores aos trajes, embora as máscaras continuem a ser brancas, prateadas e douradas. Esta comemoração atrai milhares de turistas de toda a parte do mundo para poderem participar num dos carnavais mais bonitos e dife- rentes. Érica Cardoso Wilhelm Ostwald Friedrich Wilhelm Ostwald nasceu em Riga que fazia parte do Império Russo, e hoje é a capital da Letónia, numa família alemã do Báltico e fale- ceu em Leipzig a 3 de abril de 1932. Foi um químico e filósofo alemão. Considerado o pai da físico-química, recebeu o prémio Nobel de Química de 1909, por suas pesquisas sobre catalisadores (substâncias que aceleram a velocidade de uma reação, mas não se consome nelas, podendo ser recolhida no final e ser reutilizada), os princípios fundamentais que regem equilíbrios químicos e velocidade de rea- ção e equilíbrio químico. Também desenvolveu um processo de fabricação de ácido nítrico por oxidação do amoníaco. Estudou na Universidade de Dorpat, graduando- se em 1875, e trabalhando como professor neste centro até 1881. De 1881 a 1887 foi professor do Instituto Politécnico de Riga. Em 1887 mudou-se para a Universidade de Leipzig, para exercer a função de professor de físico-química. Nesta últi- ma universidade foi fundado o Instituto Ostwald, primeiro instituto dedicado ao estudo da físico- química, que Ostwald dirigiu até 1906. Em 1900 descobriu o processo de preparação do ácido nítrico a partir da oxida- ção do amoníaco, usando como catalisador a platina, facilitando a produção em massa de fertilizantes e explosivos para a Alemanha durante a I Guerra Mundial. Este processo foi substituído pelo processo de Haber-Bosh, tornan- do a produção de amônia mais econômica. [1] Noutra vertente, Ostwald estava muito interessa- do na idéia da adoção de uma língua auxiliar internacional: no ensino do esperanto primeiro. Mais tarde, ele se tornou interessado na reforma do Esperanto, Ido, e doado para o movimento linguagem do dinheiro ganho por ganhar o Prê- mio Nobel. Susana Carolina nº16 8º4 Wilhelm Ostwald Antoine Laurent Lavoisier