ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 48

5.787 visualizações

Publicada em

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.787
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.791
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
59
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 48

  1. 2. <ul><li>«Estava Baltasar há pouco nesta sua nova vida» (linha 1) reporta-se </li></ul><ul><li>a) ao facto de ter Baltasar iniciado a sua colaboração nos trabalhos da passarola. </li></ul><ul><li>b) à actividade de Bartolomeu enquanto açougueiro (ou talhante). </li></ul><ul><li>c) ao facto de Baltasar ter chegado a Mafra. </li></ul><ul><li>d) à nova função de Baltasar como boieiro. </li></ul>
  2. 3. <ul><li>« espécie de nau da Índia com rodas» (7) é </li></ul><ul><li>a) uma hipérbole. </li></ul><ul><li>b) uma metonímia. </li></ul><ul><li>c) uma comparação. </li></ul><ul><li>d) uma metáfora. </li></ul>
  3. 4. <ul><li>«Daqueles homens que conhecemos no outro dia» (23-24) alude ao grupo de trabalhadores representativos de cada zona do país, entre que se incluíam </li></ul><ul><li>a) José Pequeno, Francisco Marques, João Anes, Manuel Milho. </li></ul><ul><li>b) José Pequeno, Olívio Grande, Manuel Mateus, Marco Militão. </li></ul><ul><li>c) Jaime Pilinha, Arnaldo Ribeiro, Ezequiel Zimbro, Acácio Morgado. </li></ul><ul><li>d) João Anes, Joaquim Rocha, Alberto Santos, António Sousa. </li></ul>
  4. 5. <ul><li>O alfabeto de trabalhadores elencado nas linhas 8-11 é </li></ul><ul><li>a) puramente ilustrativo da diversidade de gente que fora recrutada. </li></ul><ul><li>b) alusão aos intervenientes na história da rainha e do ermitão. </li></ul><ul><li>c) lista dos acidentados no percurso de Pêro PInheiro a Mafra. </li></ul><ul><li>d) uma lista de nomes de personagens que efectivamente trabalharam em Mafra. </li></ul>
  5. 6. <ul><li>A história de Brás (15-19) não será contada, porque ele era </li></ul><ul><li>a) feio. </li></ul><ul><li>b) ruivo. </li></ul><ul><li>c) zarolho e o narrador não quer que o julguem lamechas. </li></ul><ul><li>d) belo e formoso. </li></ul>
  6. 7. <ul><li>Francisco Marques atrasara-se (l. 34), porque </li></ul><ul><li>a) aproveitara para ir a casa fazer amor. </li></ul><ul><li>b) avistara a passarola e por ela ficara fascinado. </li></ul><ul><li>c) era perneta e deslocava-se com dificuldades. </li></ul><ul><li>d) fora fazer cocó num baldio. </li></ul>
  7. 8. <ul><li>A frase «e agora passemos à sala seguinte» (25) </li></ul><ul><li>a) é apenas uma metáfora para ‘passemos a outro episódio’. </li></ul><ul><li>b) alude à linguagem usada nas visitas ao Convento de Mafra. </li></ul><ul><li>c) faz menção do cerimonial praticado nas relações entre D. João V e Maria Ana. </li></ul><ul><li>d) é denotativa. </li></ul>
  8. 9. <ul><li>Este capítulo (que dá conta dos oito dias de transporte da «mãe da pedra») representa, em termos de relação do tempo da história com a importância que lhe dá a narração, </li></ul><ul><li>a) uma elipse. </li></ul><ul><li>b) uma aceleração da história. </li></ul><ul><li>c) uma prolepse. </li></ul><ul><li>d) um abrandamento da história. </li></ul>
  9. 10. <ul><li>cfr. p. 275: </li></ul><ul><li>tempo da história vs. tempo do discurso </li></ul><ul><li>elipse = história é omitida no discurso </li></ul><ul><li>resumo = história é abreviada no discurso </li></ul><ul><li>abrandamento = discurso demora-se com certo episódio mais do que seria proporcional </li></ul><ul><li>aceleração = discurso demora-se menos com certos episódios do que a sua duração real faria esperar </li></ul>
  10. 11. <ul><li>prolepse = discurso antecipa episódio que no tempo da história é posterior </li></ul><ul><li>analepse = discurso recua até um tempo da história que á anterior à ordem que se estava a seguir </li></ul>
  11. 12. <ul><li>D. Maria Ana era </li></ul><ul><li>a) bastante fútil. </li></ul><ul><li>b) filha de Maria Bárbara. </li></ul><ul><li>c) estéril. </li></ul><ul><li>d) muito devota. </li></ul>
  12. 13. <ul><li>Os trabalhos de construção da passarola decorreram </li></ul><ul><li>a) na quinta do Duque de Aveiro. </li></ul><ul><li>b) em Mafra. </li></ul><ul><li>c) em Montejunto. </li></ul><ul><li>d) no Terreiro do Paço. </li></ul>
  13. 14. <ul><li>A atitude de Blimunda e de Baltasar relativamente a Bartolomeu é </li></ul><ul><li>a) a normal de criados para patrão. </li></ul><ul><li>b) de lealdade (percebendo-se, porém, o ascendente de quem era de classe social superior). </li></ul><ul><li>c) rivalidade. </li></ul><ul><li>d) de subserviência (motivada pela diferença social). </li></ul>
  14. 15. <ul><li>Escarlate tocava </li></ul><ul><li>a) cravo. </li></ul><ul><li>b) harpa. </li></ul><ul><li>c) oboé. </li></ul><ul><li>d) acordeão. </li></ul>
  15. 16. <ul><li>oboé < fr. haut-bois </li></ul>
  16. 17. <ul><li>A grande ocasião para Blimunda recolher vontades foi </li></ul><ul><li>a) um auto-de-fé. </li></ul><ul><li>b) um casamento. </li></ul><ul><li>c) uma epidemia. </li></ul><ul><li>d) a cerimónia de consagração do Convento. </li></ul>
  17. 18. <ul><li>Quem avisou da morte de Bartolomeu, ocorrida em Toledo, foi </li></ul><ul><li>a) Blimunda (que o soube por feitiçaria). </li></ul><ul><li>b) Sebastiana de Jesus. </li></ul><ul><li>c) Baltasar. </li></ul><ul><li>d) Scarlatti. </li></ul>
  18. 19. <ul><li>A relação de Scarlatti com Bartolomeu era de </li></ul><ul><li>a) desconfiança. </li></ul><ul><li>b) admiração mútua. </li></ul><ul><li>c) amor. </li></ul><ul><li>d) rivalidade. </li></ul>
  19. 20. <ul><li>O Alto da Vela fica em </li></ul><ul><li>a) Mafra. </li></ul><ul><li>b) Lisboa. </li></ul><ul><li>c) Toledo. </li></ul><ul><li>d) Montejunto. </li></ul>
  20. 21. <ul><li>João Francisco Sete-Sóis, pai de Baltasar, morreu </li></ul><ul><li>a) em casa, de morte natural. </li></ul><ul><li>b) por doença prolongada. </li></ul><ul><li>c) assassinado. </li></ul><ul><li>d) nas obras do convento. </li></ul>
  21. 22. <ul><li>No seu percurso, a passarola sobrevoa </li></ul><ul><li>a) Lisboa e margem sul. </li></ul><ul><li>b) Lisboa, Santarém, Montejunto. </li></ul><ul><li>c) Lisboa e Toledo. </li></ul><ul><li>d) Lisboa e Mafra. </li></ul>
  22. 23. <ul><li>Quem dissuadiu D. João V de fazer uma basílica foi </li></ul><ul><li>a) Scarlatti. </li></ul><ul><li>b) Ludovice. </li></ul><ul><li>c) Maria Ana. </li></ul><ul><li>d) Bartolomeu. </li></ul>
  23. 24. <ul><li>A Basílica de S. Pedro levou a que D. João V ponderasse </li></ul><ul><li>a) a construção de um convento. </li></ul><ul><li>b) a construção de basílica idêntica, tendo depois optado por aumentar o Convento de Mafra. </li></ul><ul><li>c) desistir da construção do Convento de Mafra. </li></ul><ul><li>d) a erecção de uma basílica em Lisboa, o que levou a cabo de imediato. </li></ul>
  24. 25. <ul><li>Já na fase que precedeu os preparativos da «inauguração» do Convento, as populações acorriam a ver as estátuas dos </li></ul><ul><li>a) santos, que iam em pé , sobre os carros. </li></ul><ul><li>b) santos, deitados, e dos reis. </li></ul><ul><li>c) santos. </li></ul><ul><li>d) reis, que iam deitados. </li></ul>
  25. 26. <ul><li>Ao apresentar-se a outros trabalhadores das obras de Mafra, Baltasar, sem querer, disse-lhes — o que depois disfarçou — que </li></ul><ul><li>a) conhecia Scarlatti. </li></ul><ul><li>b) já estivera perto do sol. </li></ul><ul><li>c) conhecia Bartolomeu. </li></ul><ul><li>d) Blimunda conseguia ver as pesso a s por dentro. </li></ul>
  26. 27. <ul><li>Domenico Scarlatti acompanharia </li></ul><ul><li>a) D. Maria Bárbara. </li></ul><ul><li>b) Bartolomeu. </li></ul><ul><li>c) José. </li></ul><ul><li>d) D. Maria Ana. </li></ul>
  27. 28. <ul><li>Quando se procedeu à sagração do Convento, no aniversário de D. João V, </li></ul><ul><li>a) Blimunda e Baltasar estavam entre a assistência. </li></ul><ul><li>b) Bartolomeu, Baltasar e Blimunda estavam entre a assistência. </li></ul><ul><li>c) Blimunda já estava preocupada com o desaparecimento de Baltasar. </li></ul><ul><li>d) Baltasar estava entre a assistência. </li></ul>
  28. 29. <ul><li>Já na parte final de Memorial do Convento mencionam-se os casamentos combinados (em simetria), envolvendo os infantes Mariana Vitória, Maria Bárbara, José e Fernando, negociados entre as cortes portuguesa e </li></ul><ul><li>a) espanhola. </li></ul><ul><li>b) austríaca. </li></ul><ul><li>c) monegasca. </li></ul><ul><li>d) francesa. </li></ul>
  29. 30. <ul><li>A relação do casal Baltasar e Blimunda com a família do marido é </li></ul><ul><li>a) de amizade. </li></ul><ul><li>b) fria. </li></ul><ul><li>c) inexistente. </li></ul><ul><li>d) de desconfiança. </li></ul>
  30. 31. <ul><li>Na sua última visita à passarola, Baltasar </li></ul><ul><li>a) fez, sem querer, que ela se elevasse. </li></ul><ul><li>b) resolveu desmontá-la, recolhendo-a em Mafra. </li></ul><ul><li>c) encontrou Bartolomeu. </li></ul><ul><li>d) decidiu fugir. </li></ul>
  31. 32. <ul><li>A Montejunto, onde aterrou a passarola, foram </li></ul><ul><li>a) Inês Antónia, Blimunda, Baltasar. </li></ul><ul><li>b) Blimunda e Baltasar. </li></ul><ul><li>c) Scarlatti e Bartolomeu. </li></ul><ul><li>d) Scarlatti (uma vez), Baltasar (várias vezes); Blimunda. </li></ul>
  32. 33. <ul><li>O desastre ocorrido com colega de Baltasar, esmagado sob o carro que transportava a laje de pedra, é mais dramático porque </li></ul><ul><li>a) ia casar. </li></ul><ul><li>b) era maneta das duas mãos (bimaneta, portanto). </li></ul><ul><li>c) projectara estar com a mulher. </li></ul><ul><li>d) era um anãozinho. </li></ul>
  33. 34. <ul><li>Quando, perto do final, Blimunda reencontra Baltasar, </li></ul><ul><li>a) ele sobrevoava Lisboa, na passarola. </li></ul><ul><li>b) Scarlatti tocou uma sonata. </li></ul><ul><li>c) Bartolomeu rezou. </li></ul><ul><li>d) ele estava a ser supliciado. </li></ul>
  34. 35. <ul><li>A ordem correcta (das mortes em Memorial ) é: </li></ul><ul><li>a) Bartolomeu morre antes de Baltasar e depois de Blimunda. </li></ul><ul><li>b) Baltasar morre antes de Blimunda e depois de Bartolomeu. </li></ul><ul><li>c) Scarlatti morre antes de Blimunda e de Bartolomeu. </li></ul><ul><li>d) Blimunda morre antes de Baltasar e depois de Bartolomeu. </li></ul>
  35. 36. <ul><li>O casal Blimunda-Baltasar </li></ul><ul><li>a) teve mais filhos do que D. João V-D. Maria Ana. </li></ul><ul><li>b) não teve filhos nem sobrinhos. </li></ul><ul><li>c) teve filhos, mas menos do que o casal real. </li></ul><ul><li>d) não teve filhos, mas tinha sobrinhos. </li></ul>
  36. 38. <ul><li>Leitura </li></ul><ul><li>Questionário sobre capítulo I de Memorial e resto do livro (mas, sobretudo, primeira metade). </li></ul><ul><li>Questionário sobre capítulo XIX de Memorial e resto do livro. </li></ul>
  37. 40. <ul><li>[Informalmente:] eficiência a resolver fichas de trabalho em aula. </li></ul><ul><li>[indirectamente:] primeira ficha de gramática; alguns dos trabalhos de escrita </li></ul>
  38. 41. <ul><li>Escrita (em aula) </li></ul><ul><li>Curriculum Vitae de Camões; </li></ul><ul><li>Comentário sobre Baltasar-Blimunda ( vs. casal real); </li></ul><ul><li>Estância sobre cap. XVI de Memorial ; </li></ul><ul><li>Perguntas de exame nacional sobre cortejo de Maria Bárbara; </li></ul><ul><li>Comentário sobre casais reais de Memorial e de Marie Antoinette ; </li></ul><ul><li>Contracapa para livro de Pessoa . </li></ul>
  39. 42. <ul><li>outros pequenos textos apenas para os alunos sorteados </li></ul>
  40. 43. <ul><li>Escrita (em casa) </li></ul><ul><li>Dissertação sobre Ilha dos Amores; </li></ul><ul><li>Comentário a Lusíadas , VII, 78-87; </li></ul><ul><li>Curriculum Vitae de Baltasar, Blimunda ou Bartolomeu; </li></ul><ul><li>Dissertação sobre livros, arte, ...; </li></ul><ul><li>Comentário sobre Howard Hughes e Bartolomeu; </li></ul><ul><li>Dissertação sobre espaço público/privado; </li></ul><ul><li>Comentário a texto de Pessoa (ibisfilme); </li></ul><ul><li>Reformulação do anterior (e envio). </li></ul>
  41. 44. <ul><li>[no 12.º 1.ª:] comentário sobre reflexão em Os Lusíadas (de aula que não tivemos) </li></ul>
  42. 45. <ul><li>Ouvir </li></ul><ul><li>------------------------------------------------------------- </li></ul><ul><li>Falar </li></ul><ul><li>Leitura em voz alta </li></ul><ul><li>Baltafilme </li></ul>
  43. 46. <ul><li>Gramática </li></ul><ul><li>Questionário moldado sobre um de exame (com acrescento de assuntos que estavam a ser estudados); </li></ul><ul><li>Questionário sobre aspecto, tempo, modalidade, etc. </li></ul>
  44. 47. <ul><li>TPC </li></ul><ul><li>Ir lendo Felizmente há luar! (devo querer o livro em aula); </li></ul><ul><li>Completar leitura de Memorial . </li></ul>
  45. 48. <ul><li>Não deixem de me enviar comentário a poema de Pessoa corrigido </li></ul>

×