SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 67
Baixar para ler offline
Seminário especial de pesquisa
Letícia Strehl
Bibliotecária
Biblioteca Central - UFRGS
 Dilemas de avaliação da produção científica
 Indicadores das publicações científicas
 O Fator de Impacto daThomson Reuters
▪ O Qualis da CAPES nas áreas médicas
 O Índice H calculado em diversas bases de dados
 O Scimago Journal Ranking com dados da Scopus
 Critérios para analisar
 O que é produzido?
 Quanto é produzido?
 Com que qualidade é produzido?
Pesquisa de problemas predominantemente nacionais e
regionais
X
Pesquisa de problemas internacionais
Pesquisa Básica
X
PesquisaAplicada
“Em termos de comunicação científica, as duas
principais características do pesquisador são a
quantidade de informações que comunica e a
sua qualidade.“
"Como se pode estudar isto?"
Fonte: MEADOWS, A.J. A comunicação científica. Brasília: Briquet de Lemos, 1999. p. 85
Quanto? Como?
Esta é fácil:
Determina-se quantas publicações foram
escritas por um cientista em um dado
momento!
Fácil... será?
A questão deixa de ser trivial quando as
diferenças entre as áreas do conhecimento são
examinadas.
Fonte: Dados compilados do Censo 2010 do Diretório dos Grupos de Pesquisa.
http://dgp.cnpq.br/censos/sumula_estatistica/2010/producao/producao.htm
0 20,000 40,000 60,000 80,000 100,000120,000140,000
Ciências Agrárias
Ciências Biológicas
Ciências da Saúde
Ciências Exatas e daTerra
Ciências Humanas
Ciências Sociais Aplicadas
Engenharias e Ciência da
Computação
Lingüística, Letras e Artes
Produção de pesquisadores doutores segundo o tipo de produção e a
grande área no quadriênio 2007-2010
Capítulos de livros
Livros
Trabalhos completos
publicados em anais
Artigos em periódicos
internacionais
Artigos em periódicos
nacionais
 Avaliação por pares
 Ex.: consultoria ad hoc
 Indicadores de impacto
(considerando, neste caso, citação=visibilidade =
qualidade?!)
 Ex.: Fator de Impacto e Scimago Journal Ranking
Trabalhos importantes são freqüentemente
citados na literatura científica
 Existência de bases de dados que indexem:
 uma quantidade representativa de documentos;
 as referências citadas nas publicações.
Atualmente, as principais bases de dados para o
cumprimento desta finalidade são aWeb of
Science, a Scopus e o Google Acadêmico
 Tradicionalmente, as bases de dados capazes
de fornecer informações sobre o impacto dos
trabalhos centram-se basicamente no
conhecimento veiculado em periódicos
internacionais!
200
129
62
30
310
266
208
147
0
50
100
150
200
250
300
350
2010 2009 2008 2007
Web of Science
Scopus
0 20,000 40,000 60,000 80,000 100,000120,000140,000
Ciências Agrárias
Ciências Biológicas
Ciências da Saúde
Ciências Exatas e daTerra
Ciências Humanas
Ciências Sociais Aplicadas
Engenharias e Ciência da
Computação
Lingüística, Letras e Artes
Produção de pesquisadores doutores segundo o tipo de produção e a
grande área no quadriênio 2007-2010
Capítulos de livros
Livros
Trabalhos completos
publicados em anais
Artigos em periódicos
internacionais
Artigos em periódicos
nacionais
Partindo dos indicadores desenvolvidos para os
trabalhos publicados em periódicos
internacionais
 Há décadas o principal indicador de visibilidade das publicações
 Indicador criado em 1963 por Eugene Garfield e Irving Sher
 Publicado anualmente no Journal Citation Reports (JCR) pela
consolidação dos dados de citação concedidas aos periódicos
indexados no:
 ScienceCitation Index
 Social Science Citation Index
Interface de acesso:
Cobertura:
mais 10.100 títulos
SCI E SSCI NA WEB OF SCIENCE JOURNAL CITATION REPORTS
Acesso via:
 Trabalhos publicados em periódicos com alto
FI são considerados melhores do que os
publicados em periódicos com FI menores.
a comparação de fatores de impacto de periódicos de áreas de
diferentes ou, até mesmo, de subáreas diversas de uma mesma
área é impraticável
 Oncologia
 Densidade dos artigos
 Idade das citações
 Matemática
 Densidade dos artigos
 Idade das citações
2 anos
AMIN, M.; MABE, M. Impact factors: use and abuse. Perspectives in Publising, n. 1, p. 3, Oct.
Estratos
Faixas de FI por área de avaliação
Medicina I Medicina II Medicina III
A1 >3,8 >3,8 >2,96
A2 Entre 3,799 e 2,5 Entre 3,8 e 2,36 Entre 2,29 e 2, 96
B1 Entre 2,499 e 1,3 Entre 2,36 e 1,1 Entre 1,35 e 2,28
B2 Entre 1,299 e 0,001 Entre 1,1 e 0,11 Entre 0, 1 e 1,34
B3 <0,11
Fonte: Documentos de Área disponível na página da CAPES em: http://www.capes.gov.br/avaliacao/areas-paginas
Subárea da
medicina
Áreas do JCR Mediana do FI FI Agregado
Meia-Vida
Agregada
CANCEROLOGIA ONCOLOGY 2,455 4,604 5,7
CARDIOLOGIA
CARDIAC &
CARDIOVASCULAR
SYSTEMS 1,993 3,769 6,3
DERMATOLOGIA DERMATOLOGY 1,667 2,253 7,5
ENDOCRINOLOGIA
ENDOCRINOLOGY &
METABOLISM 2,796 4,072 6,6
GASTROENTEROLO
GIA
GASTROENTEROLOGY
& HEPATOLOGY 2,210 3,606 6
MEDICINA LEGAL E
DEONTOLOGIA MEDICINE, LEGAL 1,159 1,605 6,6
PNEUMOLOGIA RESPIRATORY SYSTEM 2,272 3,403 6,9
Medicina I
Medicina II
Subárea da medicina Áreas do JCR
Mediana
do FI
FI
Agregado
Meia-Vida
Agregada
ALERGOLOGIA E
IMUNOLOGIA CLÍNICA ALLERGY 1,985 3,623 6
ANATOMIA PATOLÓGICA
E PATOLOGIA CLÍNICA ANATOMY & MORPHOLOGY 1,471 1,689 8,5
DOENÇAS INFECCIOSAS E
PARASITÁRIAS INFECTIOUS DISEASES 2,594 3,79 6
HEMATOLOGIA HEMATOLOGY 2,747 5,173 6,4
NEUROLOGIA CLINICAL NEUROLOGY 1,994 3,006 7
PEDIATRIA PEDIATRICS 1,314 1,858 7,1
PSIQUIATRIA PSYCHIATRY 2,011 3,248 7,3
RADIOLOGIA MÉDICA
RADIOLOGY, NUCLEAR MEDICINE
& MEDICAL IMAGING 1,861 2,832 6,7
REUMATOLOGIA RHEUMATOLOGY 2,594 3,851 5,9
Subárea da
medicina
Áreas do JCR Mediana do FI FI Agregado
Meia-Vida
Agregada
ANESTESIOLOGIA ANESTHESIOLOGY 2,176 2,764 7,5
CIRURGIA SURGERY 1,263 2,105 7,6
GINECOLOGIA E
OBSTETRÍCIA
OBSTETRICS &
GYNECOLOGY 1,616 2,182 6,8
OFTALMOLOGIA OPHTHALMOLOGY 1,362 2,204 7,5
ORTOPEDIA ORTHOPEDICS 1,164 1,875 8,4
CIRURGIA SURGERY 1,263 2,105 7,6
Medicina III
 Dificuldades relacionadas com o levantamento de
dados de citações a trabalhos individuais

 Facilidade de compreensão
 “Robustez” (pequena variação de um ano para
outro)
 Rápida disponibilidade
Fonte: GLÄNZEL, W.; MOED, H. F. Journal impact measures in bibliometric research. Scientometrics,
v. 53, n.2, p.171-193, 2002.
 Dificuldades relacionadas com o levantamento de
dados de citações a trabalhos individuais

 Facilidade de compreensão
 “Robustez” (pequena variação de um ano para
outro)
 Rápida disponibilidade
Tópico polêmico: O Fator de Impacto realmente revela
algo sobre o impacto dos artigos?
SILVA, Mauricio Rocha e. E. As certezas e incertezas do Fator de Impacto. Como o periódico Clinics se move nos
meandros das citações. In: Seminário de Avaliação do Desempenho dos Periódicos Brasileiros no JCR. São Paulo,
2011.
A Plataforma
Lattes é um
exemplo
 Divide-se o número de citações recebidas por
um dado autor pelo número de artigos que
ele publicou
 Sabidamente é um índice que não funciona, o
tamanho da amostragem dos dados não é
suficiente para eliminar possíveis distorções
Indicador de produtividade e impacto de um cientista
 Definição: h é o número de artigos publicados
por um pesquisador que obtenham um total
de citações igual ou superior a h
Fonte: HIRSCH, J.E. An index to quantify an individual's scientific research output. Proceedings of the National
Academy of Sciences of the United States of America, v. 102, n.46, p. 16569-16572, Nov. 2005.
Stephen Hawking, autor de "Uma
Breve História doTempo": seu h é
62, ou seja, ele já publicou 62
trabalhos que receberam pelo
menos 62 citações.
I H I H
+
+
Produtivos
Citados
+
-
Produtivos
Citados
-
+
Produtivos
Citados
-
-
Produtivos
Citados
Legenda:
I= Impacto
H = Índice H
Alto
Baixo
 Padrões de citação distintos verificados nas diversas
áreas
 Artigos escritos em co-autoria
 Influência do tempo de atividade do pesquisador
Usando aWeb of Science, a Scopus
e o Google Acadêmico para calcular
o Índice H
 Os artigos de um autor são ordenados de
modo decrescente por número de citações,
quando o número de artigos coincidir com o
número de citações obtem-se o índice H
 O que é:
 Versão especializada do Google para documentos
científicos
 Lançado em nov. 2004
 Como funciona:
 Robôs recompilam as informações disponíveis nos
domínios institucionais, com permissão dos
produtores, na filosofia dos Arquivos Abertos
 Não utiliza os metadados dos editores das
publicações
 Não possui ferramenta própria para sistematização de
informações das citações para cálculo dos indicadores
Torres-Salinas, D., R. Ruiz-Perez, et al. Google Scholar as a tool for research assessment. Profesional De La Informacion, v.18, n.5,
Sep-Oct, p.501-510. 2009.
FORMAS DE BUSCA
 Autores
 Periódicos
 Palavras-chave
ÍNDICES PRINCIPAIS
 Número total:
 trabalhos
 Citações
 Número médio de:
 citações por artigo
 citações por autor
 citações por ano
 trabalhos por autor
 Índice H e indicadores
relacionados
https://addons.mozilla.org/en-
US/firefox/addon/scholar-h-index-calculator/
 Cobertura extensa, mas indefinida
 Forma de coleta dos metadados acarreta
muitas inconsistências nos dados
Jacsó, P. Google Scholar's Ghost Authors. Library Journal. 2009.
Jacsó, P. Google Scholar's Ghost Authors. Library Journal. 2009.
1 em
4
7 em 3
 Autor fantasma: P Login ou seja Please Login (2.340 artigos)
 Autores perdidos
Jacsó, P. Google Scholar's Ghost Authors. Library Journal. 2009.
 Todavia, para Peter Jácso as inconsistências
do GA são tantas que inviabilizam por
completo o uso dos dados para cálculo de
índices bibliométricos
Mas, para a recuperação, o GA é uma
excelente ferramenta
SCOPUS SCIMAGO
Acesso via: Acesso livre!
http://www.scimagojr.com/
LEYDESDORFF, L. How are New Citation-Based Journal Indicators Adding to the Bibliometric Toolbox? Journal of
the American Society for Information Science and Technology, v. 60, n. 7, p. 1327-1336, July 2009.
Impacto
Produção
LEYDESDORFF, L. How are New Citation-Based Journal Indicators Adding to the Bibliometric Toolbox? Journal of
the American Society for Information Science and Technology, v. 60, n. 7, p. 1327-1336, July 2009.
Sim!
 A avaliação capaz de considerar as diferenças
existentes entre as várias (sub-)áreas
 Desenvolvimento de indicadores que valorizem os
periódicos de qualidade que tratam de problemas
regionais
leticia.strehl@ufrgs.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Qualidade, recuperação, visibilidade e acesso à informação científica: concei...
Qualidade, recuperação, visibilidade e acesso à informação científica: concei...Qualidade, recuperação, visibilidade e acesso à informação científica: concei...
Qualidade, recuperação, visibilidade e acesso à informação científica: concei...Leticia Strehl
 
Aula 7 - Índice H e Scimago Journal Rank
Aula 7 - Índice H e Scimago Journal RankAula 7 - Índice H e Scimago Journal Rank
Aula 7 - Índice H e Scimago Journal RankLeticia Strehl
 
Criterios para escolha de periodicos internacionais para publicacao
Criterios para escolha de periodicos internacionais para publicacaoCriterios para escolha de periodicos internacionais para publicacao
Criterios para escolha de periodicos internacionais para publicacaoElisabeth Dudziak
 
Indicadores da producao cientifica: fator de impacto e indice-h (2009)
Indicadores da producao cientifica: fator de impacto e indice-h (2009)Indicadores da producao cientifica: fator de impacto e indice-h (2009)
Indicadores da producao cientifica: fator de impacto e indice-h (2009)Suelybcs .
 
indicadores de impacto e produtividade das publicações para a avaliação da at...
indicadores de impacto e produtividade das publicações para a avaliação da at...indicadores de impacto e produtividade das publicações para a avaliação da at...
indicadores de impacto e produtividade das publicações para a avaliação da at...Leticia Strehl
 
Indicadores bibliometricos com dados do JCR E Google Scholar
Indicadores bibliometricos com dados do JCR E Google ScholarIndicadores bibliometricos com dados do JCR E Google Scholar
Indicadores bibliometricos com dados do JCR E Google ScholarLeticia Strehl
 
Medidas de visibilidade das publicações científicas
Medidas de visibilidade das publicações científicasMedidas de visibilidade das publicações científicas
Medidas de visibilidade das publicações científicasLeticia Strehl
 
O Fator de Impacto do ISI e a avaliação da produção científica : aspectos con...
O Fator de Impacto do ISI e a avaliação da produção científica : aspectos con...O Fator de Impacto do ISI e a avaliação da produção científica : aspectos con...
O Fator de Impacto do ISI e a avaliação da produção científica : aspectos con...Leticia Strehl
 
#2# wos workshop de doutoramento__27 e 28 novembro 2015
#2# wos workshop de doutoramento__27 e 28 novembro 2015#2# wos workshop de doutoramento__27 e 28 novembro 2015
#2# wos workshop de doutoramento__27 e 28 novembro 2015Carlos Lopes
 
Semana investigacao: avaliação da produção científica e visibilidade
Semana investigacao: avaliação da produção científica e visibilidadeSemana investigacao: avaliação da produção científica e visibilidade
Semana investigacao: avaliação da produção científica e visibilidadeSusana Lopes
 
Avaliação da produção científica e visibilidade
Avaliação da produção científica e visibilidadeAvaliação da produção científica e visibilidade
Avaliação da produção científica e visibilidadeSusana Lopes
 
Bibliometria na biblioteca novas competências para os bibliotecários
Bibliometria na biblioteca novas competências para os bibliotecáriosBibliometria na biblioteca novas competências para os bibliotecários
Bibliometria na biblioteca novas competências para os bibliotecáriosSusana Lopes
 
Perfis de autor: visibilidade e avaliação da produção científica individual
Perfis de autor: visibilidade e avaliação da produção científica individualPerfis de autor: visibilidade e avaliação da produção científica individual
Perfis de autor: visibilidade e avaliação da produção científica individualLeticia Strehl
 

Mais procurados (19)

Qualidade, recuperação, visibilidade e acesso à informação científica: concei...
Qualidade, recuperação, visibilidade e acesso à informação científica: concei...Qualidade, recuperação, visibilidade e acesso à informação científica: concei...
Qualidade, recuperação, visibilidade e acesso à informação científica: concei...
 
Aula 7 - Índice H e Scimago Journal Rank
Aula 7 - Índice H e Scimago Journal RankAula 7 - Índice H e Scimago Journal Rank
Aula 7 - Índice H e Scimago Journal Rank
 
Criterios para escolha de periodicos internacionais para publicacao
Criterios para escolha de periodicos internacionais para publicacaoCriterios para escolha de periodicos internacionais para publicacao
Criterios para escolha de periodicos internacionais para publicacao
 
Indicadores da producao cientifica: fator de impacto e indice-h (2009)
Indicadores da producao cientifica: fator de impacto e indice-h (2009)Indicadores da producao cientifica: fator de impacto e indice-h (2009)
Indicadores da producao cientifica: fator de impacto e indice-h (2009)
 
indicadores de impacto e produtividade das publicações para a avaliação da at...
indicadores de impacto e produtividade das publicações para a avaliação da at...indicadores de impacto e produtividade das publicações para a avaliação da at...
indicadores de impacto e produtividade das publicações para a avaliação da at...
 
Indicadores bibliometricos com dados do JCR E Google Scholar
Indicadores bibliometricos com dados do JCR E Google ScholarIndicadores bibliometricos com dados do JCR E Google Scholar
Indicadores bibliometricos com dados do JCR E Google Scholar
 
Medidas de visibilidade das publicações científicas
Medidas de visibilidade das publicações científicasMedidas de visibilidade das publicações científicas
Medidas de visibilidade das publicações científicas
 
O pesquisador e sua produção 2: indicadores de avaliação
O pesquisador e sua produção 2: indicadores de avaliaçãoO pesquisador e sua produção 2: indicadores de avaliação
O pesquisador e sua produção 2: indicadores de avaliação
 
O Fator de Impacto do ISI e a avaliação da produção científica : aspectos con...
O Fator de Impacto do ISI e a avaliação da produção científica : aspectos con...O Fator de Impacto do ISI e a avaliação da produção científica : aspectos con...
O Fator de Impacto do ISI e a avaliação da produção científica : aspectos con...
 
Recursos de apoio à investigação (UAlg)
Recursos de apoio à investigação (UAlg)Recursos de apoio à investigação (UAlg)
Recursos de apoio à investigação (UAlg)
 
#2# wos workshop de doutoramento__27 e 28 novembro 2015
#2# wos workshop de doutoramento__27 e 28 novembro 2015#2# wos workshop de doutoramento__27 e 28 novembro 2015
#2# wos workshop de doutoramento__27 e 28 novembro 2015
 
Semana investigacao: avaliação da produção científica e visibilidade
Semana investigacao: avaliação da produção científica e visibilidadeSemana investigacao: avaliação da produção científica e visibilidade
Semana investigacao: avaliação da produção científica e visibilidade
 
Apresentacao Unesp
Apresentacao UnespApresentacao Unesp
Apresentacao Unesp
 
Avaliação da produção científica e visibilidade
Avaliação da produção científica e visibilidadeAvaliação da produção científica e visibilidade
Avaliação da produção científica e visibilidade
 
Indicadores e métricas na publicação científica
Indicadores e métricas na publicação científicaIndicadores e métricas na publicação científica
Indicadores e métricas na publicação científica
 
Bibliometria na biblioteca novas competências para os bibliotecários
Bibliometria na biblioteca novas competências para os bibliotecáriosBibliometria na biblioteca novas competências para os bibliotecários
Bibliometria na biblioteca novas competências para os bibliotecários
 
Aula 2 - Curso de Comunicação e Redação Científica
Aula 2 - Curso de Comunicação e Redação Científica Aula 2 - Curso de Comunicação e Redação Científica
Aula 2 - Curso de Comunicação e Redação Científica
 
Aula 1 Curso de Comunicação e Redação Científica
Aula 1 Curso de Comunicação e Redação Científica Aula 1 Curso de Comunicação e Redação Científica
Aula 1 Curso de Comunicação e Redação Científica
 
Perfis de autor: visibilidade e avaliação da produção científica individual
Perfis de autor: visibilidade e avaliação da produção científica individualPerfis de autor: visibilidade e avaliação da produção científica individual
Perfis de autor: visibilidade e avaliação da produção científica individual
 

Destaque

4 Desenvolvimento de coleções: seleção. 1
4 Desenvolvimento de coleções: seleção. 14 Desenvolvimento de coleções: seleção. 1
4 Desenvolvimento de coleções: seleção. 1Leticia Strehl
 
Funções e disfunções das bases de dados em levantamentos bibliométricos (atua...
Funções e disfunções das bases de dados em levantamentos bibliométricos (atua...Funções e disfunções das bases de dados em levantamentos bibliométricos (atua...
Funções e disfunções das bases de dados em levantamentos bibliométricos (atua...Leticia Strehl
 
Web of Science Thomson
Web of Science ThomsonWeb of Science Thomson
Web of Science ThomsonLeticia Strehl
 
Relação entre Algumas Características de Periódicos de Física e seus Fatores ...
Relação entre Algumas Características de Periódicos de Física e seus Fatores ...Relação entre Algumas Características de Periódicos de Física e seus Fatores ...
Relação entre Algumas Características de Periódicos de Física e seus Fatores ...Leticia Strehl
 
A corrida EUA-UE pela liderança em C&T: indicadores qualitativos e quantitativos
A corrida EUA-UE pela liderança em C&T:indicadores qualitativos e quantitativosA corrida EUA-UE pela liderança em C&T:indicadores qualitativos e quantitativos
A corrida EUA-UE pela liderança em C&T: indicadores qualitativos e quantitativosLeticia Strehl
 
Considerações preliminares sobre dados quantitativos de pesquisa
Considerações preliminares sobre dados quantitativos de pesquisaConsiderações preliminares sobre dados quantitativos de pesquisa
Considerações preliminares sobre dados quantitativos de pesquisaLeticia Strehl
 
Pesquisa Bibliografica
Pesquisa BibliograficaPesquisa Bibliografica
Pesquisa BibliograficaLeticia Strehl
 

Destaque (8)

Scopus
ScopusScopus
Scopus
 
4 Desenvolvimento de coleções: seleção. 1
4 Desenvolvimento de coleções: seleção. 14 Desenvolvimento de coleções: seleção. 1
4 Desenvolvimento de coleções: seleção. 1
 
Funções e disfunções das bases de dados em levantamentos bibliométricos (atua...
Funções e disfunções das bases de dados em levantamentos bibliométricos (atua...Funções e disfunções das bases de dados em levantamentos bibliométricos (atua...
Funções e disfunções das bases de dados em levantamentos bibliométricos (atua...
 
Web of Science Thomson
Web of Science ThomsonWeb of Science Thomson
Web of Science Thomson
 
Relação entre Algumas Características de Periódicos de Física e seus Fatores ...
Relação entre Algumas Características de Periódicos de Física e seus Fatores ...Relação entre Algumas Características de Periódicos de Física e seus Fatores ...
Relação entre Algumas Características de Periódicos de Física e seus Fatores ...
 
A corrida EUA-UE pela liderança em C&T: indicadores qualitativos e quantitativos
A corrida EUA-UE pela liderança em C&T:indicadores qualitativos e quantitativosA corrida EUA-UE pela liderança em C&T:indicadores qualitativos e quantitativos
A corrida EUA-UE pela liderança em C&T: indicadores qualitativos e quantitativos
 
Considerações preliminares sobre dados quantitativos de pesquisa
Considerações preliminares sobre dados quantitativos de pesquisaConsiderações preliminares sobre dados quantitativos de pesquisa
Considerações preliminares sobre dados quantitativos de pesquisa
 
Pesquisa Bibliografica
Pesquisa BibliograficaPesquisa Bibliografica
Pesquisa Bibliografica
 

Semelhante a Seminário sobre indicadores de pesquisa

Web of science Tutorial
Web of science TutorialWeb of science Tutorial
Web of science TutorialBalbinorosa
 
2a apresentação pb g5
2a apresentação pb g52a apresentação pb g5
2a apresentação pb g5pekenit5a1991
 
A biblioteca no apoio à investigação
A biblioteca no apoio à investigaçãoA biblioteca no apoio à investigação
A biblioteca no apoio à investigaçãoSusana Lopes
 
Aula 7 pesquisa de evidências
Aula 7   pesquisa de evidênciasAula 7   pesquisa de evidências
Aula 7 pesquisa de evidênciasRicardo Alexandre
 
Como redigir e preparar um artigo científico.pptx
Como redigir e preparar um artigo científico.pptxComo redigir e preparar um artigo científico.pptx
Como redigir e preparar um artigo científico.pptxJeffersonPereira360732
 
O Qualis CAPES e os indicadores baseados em publicações científicas: área Psi...
O Qualis CAPES e os indicadores baseados em publicações científicas: área Psi...O Qualis CAPES e os indicadores baseados em publicações científicas: área Psi...
O Qualis CAPES e os indicadores baseados em publicações científicas: área Psi...Leticia Strehl
 
Inserção da produção científica da Ficocruz nas iniciativas de promoção do ac...
Inserção da produção científica da Ficocruz nas iniciativas de promoção do ac...Inserção da produção científica da Ficocruz nas iniciativas de promoção do ac...
Inserção da produção científica da Ficocruz nas iniciativas de promoção do ac...Projeto RCAAP
 
Aula 6 - O estudo e a avaliacao da producao cientifica: criterios e indicadores
Aula 6 - O estudo e a avaliacao da producao cientifica: criterios e indicadoresAula 6 - O estudo e a avaliacao da producao cientifica: criterios e indicadores
Aula 6 - O estudo e a avaliacao da producao cientifica: criterios e indicadoresLeticia Strehl
 
4ª apresentação pb g5
4ª apresentação pb g54ª apresentação pb g5
4ª apresentação pb g5pekenit5a1991
 
Aula 7 pesquisa de evidências
Aula 7   pesquisa de evidênciasAula 7   pesquisa de evidências
Aula 7 pesquisa de evidênciasRicardo Alexandre
 
Como redigir e preparar um artigo científico.pptx
Como redigir e preparar um artigo científico.pptxComo redigir e preparar um artigo científico.pptx
Como redigir e preparar um artigo científico.pptxAnaoneleoliveiraFurt
 
4ª apresentação pb g5
4ª apresentação pb g54ª apresentação pb g5
4ª apresentação pb g5pekenit5a1991
 
06 aspectos relevantes para metanálise e revisão sistemática
06  aspectos relevantes para metanálise e revisão sistemática06  aspectos relevantes para metanálise e revisão sistemática
06 aspectos relevantes para metanálise e revisão sistemáticagisa_legal
 
1ª apresentação pb g5
1ª apresentação pb g51ª apresentação pb g5
1ª apresentação pb g5pekenit5a1991
 
Apresentação final pb g5
Apresentação final pb g5Apresentação final pb g5
Apresentação final pb g5pekenit5a1991
 

Semelhante a Seminário sobre indicadores de pesquisa (20)

Cientometria
CientometriaCientometria
Cientometria
 
Web of science Tutorial
Web of science TutorialWeb of science Tutorial
Web of science Tutorial
 
Scielo
ScieloScielo
Scielo
 
2a apresentação pb g5
2a apresentação pb g52a apresentação pb g5
2a apresentação pb g5
 
A biblioteca no apoio à investigação
A biblioteca no apoio à investigaçãoA biblioteca no apoio à investigação
A biblioteca no apoio à investigação
 
O pesquisador e sua produção científica 1: qualidade e indexação
O pesquisador e sua produção científica 1: qualidade e indexaçãoO pesquisador e sua produção científica 1: qualidade e indexação
O pesquisador e sua produção científica 1: qualidade e indexação
 
Aula 7 pesquisa de evidências
Aula 7   pesquisa de evidênciasAula 7   pesquisa de evidências
Aula 7 pesquisa de evidências
 
Como redigir e preparar um artigo científico.pptx
Como redigir e preparar um artigo científico.pptxComo redigir e preparar um artigo científico.pptx
Como redigir e preparar um artigo científico.pptx
 
O Qualis CAPES e os indicadores baseados em publicações científicas: área Psi...
O Qualis CAPES e os indicadores baseados em publicações científicas: área Psi...O Qualis CAPES e os indicadores baseados em publicações científicas: área Psi...
O Qualis CAPES e os indicadores baseados em publicações científicas: área Psi...
 
Inserção da produção científica da Ficocruz nas iniciativas de promoção do ac...
Inserção da produção científica da Ficocruz nas iniciativas de promoção do ac...Inserção da produção científica da Ficocruz nas iniciativas de promoção do ac...
Inserção da produção científica da Ficocruz nas iniciativas de promoção do ac...
 
Aula 6 - O estudo e a avaliacao da producao cientifica: criterios e indicadores
Aula 6 - O estudo e a avaliacao da producao cientifica: criterios e indicadoresAula 6 - O estudo e a avaliacao da producao cientifica: criterios e indicadores
Aula 6 - O estudo e a avaliacao da producao cientifica: criterios e indicadores
 
4ª apresentação pb g5
4ª apresentação pb g54ª apresentação pb g5
4ª apresentação pb g5
 
Aula 7 pesquisa de evidências
Aula 7   pesquisa de evidênciasAula 7   pesquisa de evidências
Aula 7 pesquisa de evidências
 
Aula 5 - Curso de Comunicação e Redação Científica
Aula 5 - Curso de Comunicação e Redação Científica Aula 5 - Curso de Comunicação e Redação Científica
Aula 5 - Curso de Comunicação e Redação Científica
 
Direito autoral e qualidade das publicações
Direito autoral e qualidade das publicaçõesDireito autoral e qualidade das publicações
Direito autoral e qualidade das publicações
 
Como redigir e preparar um artigo científico.pptx
Como redigir e preparar um artigo científico.pptxComo redigir e preparar um artigo científico.pptx
Como redigir e preparar um artigo científico.pptx
 
4ª apresentação pb g5
4ª apresentação pb g54ª apresentação pb g5
4ª apresentação pb g5
 
06 aspectos relevantes para metanálise e revisão sistemática
06  aspectos relevantes para metanálise e revisão sistemática06  aspectos relevantes para metanálise e revisão sistemática
06 aspectos relevantes para metanálise e revisão sistemática
 
1ª apresentação pb g5
1ª apresentação pb g51ª apresentação pb g5
1ª apresentação pb g5
 
Apresentação final pb g5
Apresentação final pb g5Apresentação final pb g5
Apresentação final pb g5
 

Mais de Leticia Strehl

Do Lume ao Super 8: a contribuição das bibliotecas para a cultura e a infraes...
Do Lume ao Super 8: a contribuição das bibliotecas para a cultura e a infraes...Do Lume ao Super 8: a contribuição das bibliotecas para a cultura e a infraes...
Do Lume ao Super 8: a contribuição das bibliotecas para a cultura e a infraes...Leticia Strehl
 
A gestão do conhecimento para a construção de saberes em um mega sistema de b...
A gestão do conhecimento para a construção de saberes em um mega sistema de b...A gestão do conhecimento para a construção de saberes em um mega sistema de b...
A gestão do conhecimento para a construção de saberes em um mega sistema de b...Leticia Strehl
 
O uso de e-books em uma grande comunidade universitária: hábitos de leitura, ...
O uso de e-books em uma grande comunidade universitária: hábitos de leitura, ...O uso de e-books em uma grande comunidade universitária: hábitos de leitura, ...
O uso de e-books em uma grande comunidade universitária: hábitos de leitura, ...Leticia Strehl
 
Fólio: o futuro das bibliotecas é aberto: uma visão pessoal
Fólio: o futuro das bibliotecas é aberto: uma visão pessoalFólio: o futuro das bibliotecas é aberto: uma visão pessoal
Fólio: o futuro das bibliotecas é aberto: uma visão pessoalLeticia Strehl
 
Futuro da Publicação científica
Futuro da Publicação científicaFuturo da Publicação científica
Futuro da Publicação científicaLeticia Strehl
 
IIMPOSTURAS INTELECTUAIS : resumo das principais discussões
IIMPOSTURAS INTELECTUAIS : resumo das principais discussõesIIMPOSTURAS INTELECTUAIS : resumo das principais discussões
IIMPOSTURAS INTELECTUAIS : resumo das principais discussõesLeticia Strehl
 
TEORIA DAS MÚLTIPLAS INTELIGÊNCIAS DE HOWARD GARDNER: BREVE RESENHA E REFLEXÕ...
TEORIA DAS MÚLTIPLAS INTELIGÊNCIAS DE HOWARD GARDNER: BREVE RESENHA E REFLEXÕ...TEORIA DAS MÚLTIPLAS INTELIGÊNCIAS DE HOWARD GARDNER: BREVE RESENHA E REFLEXÕ...
TEORIA DAS MÚLTIPLAS INTELIGÊNCIAS DE HOWARD GARDNER: BREVE RESENHA E REFLEXÕ...Leticia Strehl
 
Produzir, comunicar e ser lido: bases de dados e rankings
Produzir, comunicar e ser lido:bases de dados e rankingsProduzir, comunicar e ser lido:bases de dados e rankings
Produzir, comunicar e ser lido: bases de dados e rankingsLeticia Strehl
 
Impasses da divulgação científica: publicar ou perecer
Impasses da divulgação científica: publicar ou perecerImpasses da divulgação científica: publicar ou perecer
Impasses da divulgação científica: publicar ou perecerLeticia Strehl
 
Editorias e metrias alternativas: alguns desafios da publicação de contribuiç...
Editorias e metrias alternativas: alguns desafios da publicação de contribuiç...Editorias e metrias alternativas: alguns desafios da publicação de contribuiç...
Editorias e metrias alternativas: alguns desafios da publicação de contribuiç...Leticia Strehl
 
Funções e disfunções das bases de dados em levantamentos bibliométricos
Funções e disfunções das bases de dados em levantamentos bibliométricosFunções e disfunções das bases de dados em levantamentos bibliométricos
Funções e disfunções das bases de dados em levantamentos bibliométricosLeticia Strehl
 
Aula 1 - Cobertura e indexação das bases de dados
Aula 1 - Cobertura e indexação das bases de dadosAula 1 - Cobertura e indexação das bases de dados
Aula 1 - Cobertura e indexação das bases de dadosLeticia Strehl
 
Pesquisa bibliografica: Engenharia
Pesquisa bibliografica: EngenhariaPesquisa bibliografica: Engenharia
Pesquisa bibliografica: EngenhariaLeticia Strehl
 
Proposta de inovação no ensino da seleção de material bibliográfico em biblio...
Proposta de inovação no ensino da seleção de material bibliográfico em biblio...Proposta de inovação no ensino da seleção de material bibliográfico em biblio...
Proposta de inovação no ensino da seleção de material bibliográfico em biblio...Leticia Strehl
 
2 Gestão em unidades de informação: planejamento. 1
2 Gestão em unidades de informação: planejamento. 12 Gestão em unidades de informação: planejamento. 1
2 Gestão em unidades de informação: planejamento. 1Leticia Strehl
 
1 Gestão em Unidades de informação: Introdução
1 Gestão em Unidades de informação: Introdução1 Gestão em Unidades de informação: Introdução
1 Gestão em Unidades de informação: IntroduçãoLeticia Strehl
 
7 Desenvolvimento de coleções: avaliação
7 Desenvolvimento de coleções: avaliação7 Desenvolvimento de coleções: avaliação
7 Desenvolvimento de coleções: avaliaçãoLeticia Strehl
 
6 Desenvolvimento de coleções: desbastamento
6 Desenvolvimento de coleções: desbastamento6 Desenvolvimento de coleções: desbastamento
6 Desenvolvimento de coleções: desbastamentoLeticia Strehl
 
5 Desenvolvimento de coleções: aquisicao
5 Desenvolvimento de coleções: aquisicao5 Desenvolvimento de coleções: aquisicao
5 Desenvolvimento de coleções: aquisicaoLeticia Strehl
 
3 Desenvolvimento de coleções: comunidade usuária
3 Desenvolvimento de coleções: comunidade usuária3 Desenvolvimento de coleções: comunidade usuária
3 Desenvolvimento de coleções: comunidade usuáriaLeticia Strehl
 

Mais de Leticia Strehl (20)

Do Lume ao Super 8: a contribuição das bibliotecas para a cultura e a infraes...
Do Lume ao Super 8: a contribuição das bibliotecas para a cultura e a infraes...Do Lume ao Super 8: a contribuição das bibliotecas para a cultura e a infraes...
Do Lume ao Super 8: a contribuição das bibliotecas para a cultura e a infraes...
 
A gestão do conhecimento para a construção de saberes em um mega sistema de b...
A gestão do conhecimento para a construção de saberes em um mega sistema de b...A gestão do conhecimento para a construção de saberes em um mega sistema de b...
A gestão do conhecimento para a construção de saberes em um mega sistema de b...
 
O uso de e-books em uma grande comunidade universitária: hábitos de leitura, ...
O uso de e-books em uma grande comunidade universitária: hábitos de leitura, ...O uso de e-books em uma grande comunidade universitária: hábitos de leitura, ...
O uso de e-books em uma grande comunidade universitária: hábitos de leitura, ...
 
Fólio: o futuro das bibliotecas é aberto: uma visão pessoal
Fólio: o futuro das bibliotecas é aberto: uma visão pessoalFólio: o futuro das bibliotecas é aberto: uma visão pessoal
Fólio: o futuro das bibliotecas é aberto: uma visão pessoal
 
Futuro da Publicação científica
Futuro da Publicação científicaFuturo da Publicação científica
Futuro da Publicação científica
 
IIMPOSTURAS INTELECTUAIS : resumo das principais discussões
IIMPOSTURAS INTELECTUAIS : resumo das principais discussõesIIMPOSTURAS INTELECTUAIS : resumo das principais discussões
IIMPOSTURAS INTELECTUAIS : resumo das principais discussões
 
TEORIA DAS MÚLTIPLAS INTELIGÊNCIAS DE HOWARD GARDNER: BREVE RESENHA E REFLEXÕ...
TEORIA DAS MÚLTIPLAS INTELIGÊNCIAS DE HOWARD GARDNER: BREVE RESENHA E REFLEXÕ...TEORIA DAS MÚLTIPLAS INTELIGÊNCIAS DE HOWARD GARDNER: BREVE RESENHA E REFLEXÕ...
TEORIA DAS MÚLTIPLAS INTELIGÊNCIAS DE HOWARD GARDNER: BREVE RESENHA E REFLEXÕ...
 
Produzir, comunicar e ser lido: bases de dados e rankings
Produzir, comunicar e ser lido:bases de dados e rankingsProduzir, comunicar e ser lido:bases de dados e rankings
Produzir, comunicar e ser lido: bases de dados e rankings
 
Impasses da divulgação científica: publicar ou perecer
Impasses da divulgação científica: publicar ou perecerImpasses da divulgação científica: publicar ou perecer
Impasses da divulgação científica: publicar ou perecer
 
Editorias e metrias alternativas: alguns desafios da publicação de contribuiç...
Editorias e metrias alternativas: alguns desafios da publicação de contribuiç...Editorias e metrias alternativas: alguns desafios da publicação de contribuiç...
Editorias e metrias alternativas: alguns desafios da publicação de contribuiç...
 
Funções e disfunções das bases de dados em levantamentos bibliométricos
Funções e disfunções das bases de dados em levantamentos bibliométricosFunções e disfunções das bases de dados em levantamentos bibliométricos
Funções e disfunções das bases de dados em levantamentos bibliométricos
 
Aula 1 - Cobertura e indexação das bases de dados
Aula 1 - Cobertura e indexação das bases de dadosAula 1 - Cobertura e indexação das bases de dados
Aula 1 - Cobertura e indexação das bases de dados
 
Pesquisa bibliografica: Engenharia
Pesquisa bibliografica: EngenhariaPesquisa bibliografica: Engenharia
Pesquisa bibliografica: Engenharia
 
Proposta de inovação no ensino da seleção de material bibliográfico em biblio...
Proposta de inovação no ensino da seleção de material bibliográfico em biblio...Proposta de inovação no ensino da seleção de material bibliográfico em biblio...
Proposta de inovação no ensino da seleção de material bibliográfico em biblio...
 
2 Gestão em unidades de informação: planejamento. 1
2 Gestão em unidades de informação: planejamento. 12 Gestão em unidades de informação: planejamento. 1
2 Gestão em unidades de informação: planejamento. 1
 
1 Gestão em Unidades de informação: Introdução
1 Gestão em Unidades de informação: Introdução1 Gestão em Unidades de informação: Introdução
1 Gestão em Unidades de informação: Introdução
 
7 Desenvolvimento de coleções: avaliação
7 Desenvolvimento de coleções: avaliação7 Desenvolvimento de coleções: avaliação
7 Desenvolvimento de coleções: avaliação
 
6 Desenvolvimento de coleções: desbastamento
6 Desenvolvimento de coleções: desbastamento6 Desenvolvimento de coleções: desbastamento
6 Desenvolvimento de coleções: desbastamento
 
5 Desenvolvimento de coleções: aquisicao
5 Desenvolvimento de coleções: aquisicao5 Desenvolvimento de coleções: aquisicao
5 Desenvolvimento de coleções: aquisicao
 
3 Desenvolvimento de coleções: comunidade usuária
3 Desenvolvimento de coleções: comunidade usuária3 Desenvolvimento de coleções: comunidade usuária
3 Desenvolvimento de coleções: comunidade usuária
 

Último

AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxAULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxrenatacolbeich1
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxalessandraoliveira324
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptxErivaldoLima15
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024SamiraMiresVieiradeM
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptxpamelacastro71
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 

Último (20)

AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxAULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 

Seminário sobre indicadores de pesquisa

  • 1. Seminário especial de pesquisa Letícia Strehl Bibliotecária Biblioteca Central - UFRGS
  • 2.  Dilemas de avaliação da produção científica  Indicadores das publicações científicas  O Fator de Impacto daThomson Reuters ▪ O Qualis da CAPES nas áreas médicas  O Índice H calculado em diversas bases de dados  O Scimago Journal Ranking com dados da Scopus
  • 3.  Critérios para analisar  O que é produzido?  Quanto é produzido?  Com que qualidade é produzido?
  • 4. Pesquisa de problemas predominantemente nacionais e regionais X Pesquisa de problemas internacionais Pesquisa Básica X PesquisaAplicada
  • 5. “Em termos de comunicação científica, as duas principais características do pesquisador são a quantidade de informações que comunica e a sua qualidade.“ "Como se pode estudar isto?" Fonte: MEADOWS, A.J. A comunicação científica. Brasília: Briquet de Lemos, 1999. p. 85 Quanto? Como?
  • 6. Esta é fácil: Determina-se quantas publicações foram escritas por um cientista em um dado momento! Fácil... será? A questão deixa de ser trivial quando as diferenças entre as áreas do conhecimento são examinadas.
  • 7. Fonte: Dados compilados do Censo 2010 do Diretório dos Grupos de Pesquisa. http://dgp.cnpq.br/censos/sumula_estatistica/2010/producao/producao.htm 0 20,000 40,000 60,000 80,000 100,000120,000140,000 Ciências Agrárias Ciências Biológicas Ciências da Saúde Ciências Exatas e daTerra Ciências Humanas Ciências Sociais Aplicadas Engenharias e Ciência da Computação Lingüística, Letras e Artes Produção de pesquisadores doutores segundo o tipo de produção e a grande área no quadriênio 2007-2010 Capítulos de livros Livros Trabalhos completos publicados em anais Artigos em periódicos internacionais Artigos em periódicos nacionais
  • 8.  Avaliação por pares  Ex.: consultoria ad hoc  Indicadores de impacto (considerando, neste caso, citação=visibilidade = qualidade?!)  Ex.: Fator de Impacto e Scimago Journal Ranking
  • 9. Trabalhos importantes são freqüentemente citados na literatura científica
  • 10.  Existência de bases de dados que indexem:  uma quantidade representativa de documentos;  as referências citadas nas publicações. Atualmente, as principais bases de dados para o cumprimento desta finalidade são aWeb of Science, a Scopus e o Google Acadêmico
  • 11.
  • 12.
  • 13.  Tradicionalmente, as bases de dados capazes de fornecer informações sobre o impacto dos trabalhos centram-se basicamente no conhecimento veiculado em periódicos internacionais!
  • 15. 0 20,000 40,000 60,000 80,000 100,000120,000140,000 Ciências Agrárias Ciências Biológicas Ciências da Saúde Ciências Exatas e daTerra Ciências Humanas Ciências Sociais Aplicadas Engenharias e Ciência da Computação Lingüística, Letras e Artes Produção de pesquisadores doutores segundo o tipo de produção e a grande área no quadriênio 2007-2010 Capítulos de livros Livros Trabalhos completos publicados em anais Artigos em periódicos internacionais Artigos em periódicos nacionais
  • 16. Partindo dos indicadores desenvolvidos para os trabalhos publicados em periódicos internacionais
  • 17.
  • 18.  Há décadas o principal indicador de visibilidade das publicações  Indicador criado em 1963 por Eugene Garfield e Irving Sher  Publicado anualmente no Journal Citation Reports (JCR) pela consolidação dos dados de citação concedidas aos periódicos indexados no:  ScienceCitation Index  Social Science Citation Index Interface de acesso: Cobertura: mais 10.100 títulos
  • 19. SCI E SSCI NA WEB OF SCIENCE JOURNAL CITATION REPORTS Acesso via:
  • 20.  Trabalhos publicados em periódicos com alto FI são considerados melhores do que os publicados em periódicos com FI menores.
  • 21.
  • 22. a comparação de fatores de impacto de periódicos de áreas de diferentes ou, até mesmo, de subáreas diversas de uma mesma área é impraticável
  • 23.
  • 24.  Oncologia  Densidade dos artigos  Idade das citações  Matemática  Densidade dos artigos  Idade das citações
  • 25.
  • 27. AMIN, M.; MABE, M. Impact factors: use and abuse. Perspectives in Publising, n. 1, p. 3, Oct.
  • 28.
  • 29. Estratos Faixas de FI por área de avaliação Medicina I Medicina II Medicina III A1 >3,8 >3,8 >2,96 A2 Entre 3,799 e 2,5 Entre 3,8 e 2,36 Entre 2,29 e 2, 96 B1 Entre 2,499 e 1,3 Entre 2,36 e 1,1 Entre 1,35 e 2,28 B2 Entre 1,299 e 0,001 Entre 1,1 e 0,11 Entre 0, 1 e 1,34 B3 <0,11 Fonte: Documentos de Área disponível na página da CAPES em: http://www.capes.gov.br/avaliacao/areas-paginas
  • 30. Subárea da medicina Áreas do JCR Mediana do FI FI Agregado Meia-Vida Agregada CANCEROLOGIA ONCOLOGY 2,455 4,604 5,7 CARDIOLOGIA CARDIAC & CARDIOVASCULAR SYSTEMS 1,993 3,769 6,3 DERMATOLOGIA DERMATOLOGY 1,667 2,253 7,5 ENDOCRINOLOGIA ENDOCRINOLOGY & METABOLISM 2,796 4,072 6,6 GASTROENTEROLO GIA GASTROENTEROLOGY & HEPATOLOGY 2,210 3,606 6 MEDICINA LEGAL E DEONTOLOGIA MEDICINE, LEGAL 1,159 1,605 6,6 PNEUMOLOGIA RESPIRATORY SYSTEM 2,272 3,403 6,9 Medicina I
  • 31. Medicina II Subárea da medicina Áreas do JCR Mediana do FI FI Agregado Meia-Vida Agregada ALERGOLOGIA E IMUNOLOGIA CLÍNICA ALLERGY 1,985 3,623 6 ANATOMIA PATOLÓGICA E PATOLOGIA CLÍNICA ANATOMY & MORPHOLOGY 1,471 1,689 8,5 DOENÇAS INFECCIOSAS E PARASITÁRIAS INFECTIOUS DISEASES 2,594 3,79 6 HEMATOLOGIA HEMATOLOGY 2,747 5,173 6,4 NEUROLOGIA CLINICAL NEUROLOGY 1,994 3,006 7 PEDIATRIA PEDIATRICS 1,314 1,858 7,1 PSIQUIATRIA PSYCHIATRY 2,011 3,248 7,3 RADIOLOGIA MÉDICA RADIOLOGY, NUCLEAR MEDICINE & MEDICAL IMAGING 1,861 2,832 6,7 REUMATOLOGIA RHEUMATOLOGY 2,594 3,851 5,9
  • 32. Subárea da medicina Áreas do JCR Mediana do FI FI Agregado Meia-Vida Agregada ANESTESIOLOGIA ANESTHESIOLOGY 2,176 2,764 7,5 CIRURGIA SURGERY 1,263 2,105 7,6 GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA OBSTETRICS & GYNECOLOGY 1,616 2,182 6,8 OFTALMOLOGIA OPHTHALMOLOGY 1,362 2,204 7,5 ORTOPEDIA ORTHOPEDICS 1,164 1,875 8,4 CIRURGIA SURGERY 1,263 2,105 7,6 Medicina III
  • 33.  Dificuldades relacionadas com o levantamento de dados de citações a trabalhos individuais   Facilidade de compreensão  “Robustez” (pequena variação de um ano para outro)  Rápida disponibilidade Fonte: GLÄNZEL, W.; MOED, H. F. Journal impact measures in bibliometric research. Scientometrics, v. 53, n.2, p.171-193, 2002.
  • 34.  Dificuldades relacionadas com o levantamento de dados de citações a trabalhos individuais   Facilidade de compreensão  “Robustez” (pequena variação de um ano para outro)  Rápida disponibilidade Tópico polêmico: O Fator de Impacto realmente revela algo sobre o impacto dos artigos? SILVA, Mauricio Rocha e. E. As certezas e incertezas do Fator de Impacto. Como o periódico Clinics se move nos meandros das citações. In: Seminário de Avaliação do Desempenho dos Periódicos Brasileiros no JCR. São Paulo, 2011.
  • 36.  Divide-se o número de citações recebidas por um dado autor pelo número de artigos que ele publicou  Sabidamente é um índice que não funciona, o tamanho da amostragem dos dados não é suficiente para eliminar possíveis distorções
  • 37. Indicador de produtividade e impacto de um cientista
  • 38.  Definição: h é o número de artigos publicados por um pesquisador que obtenham um total de citações igual ou superior a h Fonte: HIRSCH, J.E. An index to quantify an individual's scientific research output. Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America, v. 102, n.46, p. 16569-16572, Nov. 2005.
  • 39. Stephen Hawking, autor de "Uma Breve História doTempo": seu h é 62, ou seja, ele já publicou 62 trabalhos que receberam pelo menos 62 citações.
  • 40. I H I H + + Produtivos Citados + - Produtivos Citados - + Produtivos Citados - - Produtivos Citados Legenda: I= Impacto H = Índice H Alto Baixo
  • 41.  Padrões de citação distintos verificados nas diversas áreas  Artigos escritos em co-autoria  Influência do tempo de atividade do pesquisador
  • 42. Usando aWeb of Science, a Scopus e o Google Acadêmico para calcular o Índice H
  • 43.
  • 44.  Os artigos de um autor são ordenados de modo decrescente por número de citações, quando o número de artigos coincidir com o número de citações obtem-se o índice H
  • 45.
  • 46.
  • 47.
  • 48.
  • 49.  O que é:  Versão especializada do Google para documentos científicos  Lançado em nov. 2004  Como funciona:  Robôs recompilam as informações disponíveis nos domínios institucionais, com permissão dos produtores, na filosofia dos Arquivos Abertos  Não utiliza os metadados dos editores das publicações  Não possui ferramenta própria para sistematização de informações das citações para cálculo dos indicadores Torres-Salinas, D., R. Ruiz-Perez, et al. Google Scholar as a tool for research assessment. Profesional De La Informacion, v.18, n.5, Sep-Oct, p.501-510. 2009.
  • 50.
  • 51. FORMAS DE BUSCA  Autores  Periódicos  Palavras-chave ÍNDICES PRINCIPAIS  Número total:  trabalhos  Citações  Número médio de:  citações por artigo  citações por autor  citações por ano  trabalhos por autor  Índice H e indicadores relacionados
  • 53.  Cobertura extensa, mas indefinida  Forma de coleta dos metadados acarreta muitas inconsistências nos dados Jacsó, P. Google Scholar's Ghost Authors. Library Journal. 2009.
  • 54. Jacsó, P. Google Scholar's Ghost Authors. Library Journal. 2009.
  • 57.  Autor fantasma: P Login ou seja Please Login (2.340 artigos)  Autores perdidos
  • 58.
  • 59. Jacsó, P. Google Scholar's Ghost Authors. Library Journal. 2009.  Todavia, para Peter Jácso as inconsistências do GA são tantas que inviabilizam por completo o uso dos dados para cálculo de índices bibliométricos Mas, para a recuperação, o GA é uma excelente ferramenta
  • 60.
  • 61. SCOPUS SCIMAGO Acesso via: Acesso livre!
  • 63.
  • 64. LEYDESDORFF, L. How are New Citation-Based Journal Indicators Adding to the Bibliometric Toolbox? Journal of the American Society for Information Science and Technology, v. 60, n. 7, p. 1327-1336, July 2009. Impacto Produção
  • 65. LEYDESDORFF, L. How are New Citation-Based Journal Indicators Adding to the Bibliometric Toolbox? Journal of the American Society for Information Science and Technology, v. 60, n. 7, p. 1327-1336, July 2009. Sim!
  • 66.  A avaliação capaz de considerar as diferenças existentes entre as várias (sub-)áreas  Desenvolvimento de indicadores que valorizem os periódicos de qualidade que tratam de problemas regionais