SlideShare uma empresa Scribd logo
A P R E S E N T A Ç Ã O F I N A L
G R U P O 5 : C A R L O S N E V E S E S Ó N I A P O N T E S
P R O J E T O D E B I B L I O T E C A
C I Ê N C I A S E T E C N O L O G I A S D A
D O C U M E N T A Ç Ã O E I N F O R M A Ç Ã O
3 º A N O
Estudo Bibliométrico da Produção
Científica da ESEIG
1
Sumário
 Introdução
 Objectivos
 Revisão da literatura
- Bibliometria
- Cienciometria
- Infometria
- Estudos bibliometricos
- Avaliação da produção cientifica
- Indicadores bibliométricos
- Web of Science (WoS)
- Scopus
- Google Scholar Metrics
 Estudo Bibliométrico da Produção Científica da ESEIG
- Caracterização da ESEIG
- Questionário aos docentes
- Base de dados da análise bibliométrica
 Resultados
 Conclusão
 Referências bibliográficas
2
Introdução
3
Este trabalho foi realizado no âmbito da unidade curricular Projecto de
Biblioteca leccionada no 3º ano da licenciatura Ciências e tecnologias da
documentação e informação. Tem como principal objectivo realizar um
estudo bibliométrico da produção científica dos docentes da ESEIG (IPP)
na Web of Science (WoS) da Thomson Reuters e no Google Scholar
Metrics, referente ao período de 2003 a 2013.
Objetivos
4
 Geral :
- Analisar a produção científica dos docentes da ESEIG na Web of Science (WoS) e no
Google Scholar Metrics
 Especifícos:
-Realizar uma revisão da literatura sobre estudos bibliometricos
-Realizar uma revisão da literatura sobre indicadores de avaliação das publicações
científicas
- Desenvolver um questionário para inquirir os docentes sobre as suas publicações
científicas
- Recolher e listar a informação sobre as publicações de todos os docentes da ESEIG,
por Unidade Técnico-Científica
- Desenvolver uma base de dados com as publicações dos docentes de acordo com a
análise das respostas do questionário
- Verificar a existência de produção dos docentes na WoS e no Google Scholar
- Conhecer os idiomas utilizados nos artigos indexados
- Identificar a autoria dos artigos
- Descrever os tipos de documentos indexados
- Conhecer a colaboração entre países;
- Conhecer a colaboração entre instituições
- Analisar estatisticamente a produção científica referente ao período de 2003 a 2013
através de representação gráfica
- Analisar os resultados encontrados.
Revisão da Literatura
5
 Bibliometria
 Cienciometria
 Infometria
 Estudos bibliométricos
 Avaliação da produção cientifíca
 Indicadores bibliométricos
 Web of Science (WoS)
 Scopus
 Google Scholar Metrics
Bibliometria
6
“ [...] o estudo dos aspectos quantitativos da produção, disseminação
e uso da informação registrada. A bibliometria desenvolve padrões e
modelos matemáticos para medir esses processos, usando seus
resultados para elaborar previsões e apoiar tomadas de decisões”.
(Macias-Chapula, 1992)
Técnica quantitativa e estatística que permite medir índices de
produção e disseminação do conhecimento científico e acompanhar o
desenvolvimento de diversas áreas científicas e resultados de
investigação.
É uma ciência de estudos métricos da informação científica publicada
que está cada vez mais presente dentro da comunidade académica e
científica na análise e avaliação da sua produção.
Bibliometria (cont.)
7
Leis da bibliometria:
 Lei de Lotka – lei do quadrado inverso
 Relacionada com a produtividade de autores e a relação entre o numero de
autores e o numero de artigos publicados. O numero de autores que publicam n
trabalhos é inversamente proporcional a n ao quadrado;
 Lei de Bradford – Lei da dispersão
 Relacionada com a produtividade dos periódicos, permite medir a produtividade
das revistas e estabelecer o núcleo e as áreas de dispersão de um determinado
assunto. Permite fazer a estimativa do grau de relevância de revistas de
conhecimento;
 Lei de Zipf – Lei do menor esforço
 Trata e mede a frequência de ocorrência de palavras em vários textos. Mede a
frequência com que surgem as diversas palavras.
Bibliometria (cont.)
8
 1917 – 1ª aplicação da Bibliometria por Cole e Eales na
publicação de uma análise estatística da história da
disciplina de anatomia comparada;
 1926 – Lei de lotka;
 1934 – Lei de Bradford e aplicação de Paul Otlet no
tratado da documentação;
 1949 – Lei de Zipf;
 1955 – Publicação de Garfield sobre índice de citação;
 Década de 60 - Criação do termo Bibliometria por
Pritchard e uso da Bibliometria para análise da ciência
por Price.
Cienciometria e Infometria
9
“Cienciometria é o estudo dos aspectos quantitativos da ciência
enquanto uma disciplina ou actividade económica. A cienciometria é um
segmento da sociologia da ciência, sendo aplicada no desenvolvimento
de políticas científicas. Envolve estudos quantitativos das actividades
científicas, incluindo a publicação e, portanto, sobrepondo-se à
bibliometria”. (Macias-Chapula, 1998)
“Infometria é o estudo dos aspectos quantitativos da informação em
qualquer formato, e não apenas registros catalográficos ou
bibliografias, referente a qualquer grupo social, e não apenas aos
cientistas. A informetria pode incorporar, utilizar e ampliar os muitos
estudos de avaliação da informação que estão fora dos limites da
bibliometria e cienciometria”. (Macias-Chapula, 1998)
Estudos bibliométricos
10
Segundo Pritchard, bibliometria entende-se como “todos os estudos que tentam
quantificar os processos de comunicação escrita”. (PRITCHARD,1969)
Estudo bibliométrico é um estudo que tenta quantificar os processos de
comunicação escrita através de uma análise estatística complexa e diversificada.
Não são exclusivos da biblioteconomia ou da ciência da informação pois diversas
áreas do conhecimento utilizam estudos de produtividade de autores e são
utilizados em diversas áreas do conhecimento para obter indicadores de produção
científica.
A análise de citações é a área mais relevante nos estudos bibliométricos.
Estudos bibliométricos (cont.)
11
 Os estudos bibliométricos e cienciométricos têm os artigos científicos
como principais objectos de estudo na examinação da actividade
científica e na realização de inferências sobre o estado da ciência.
 Estes estudos foram-se generalizando e aproximando-se das novas
características e ferramentas tecnológicas através de publicações on-
line, gerando um forte crescimento a partir da década de 90.
Avaliação da produção científica
12
A produção científica constitui-se de maior importância no conjunto de
actividades académicas e de investigação para revelar resultados
científicos de acordo com cada avaliação realizada a publicações de
determinadas áreas do conhecimento científico.
Essa avaliação é o meio científico que contribui para investimentos e
objectivos económico-financeiros, bem como para o reconhecimento dos
investigadores na comunidade científica.
Avaliação da Produção Científica (cont.)
13
 Avaliação qualitativa
Baseia-se na percepção e avaliação dos pares que avaliam
as publicações de acordo com a arbitragem científica. É a
avaliação de produção científica antes de esta ser
autorizada a ser publicada através do factor de impacto.
 Avaliação quantitativa
Avaliação realizada através de critérios baseados em
métodos bibliométricos e cienciométricos para assim
contabilizar a actividade científica através de indicadores
de actividade científica.
Indicadores bibliométricos
14
A bibliometria e os diversos indicadores bibliométricos são
utilizados no seu conjunto para avaliar a produtividade dos autores
e realizar estudos de citações, bem como, avaliar a qualidade e
quantificar a produção de artigos e publicações científicas
Indicadores de produção científica, instrumentos para análise de
actividade científica e das suas relações com o desenvolvimento
económico-social. São considerados ferramentas de avaliação de
aspectos quantitativos que auxiliam na selecção da informação
científica.
Indicadores bibliométricos (cont.)
15
 Indicador de actividade científica
Os indicadores científicos são considerados importantes indicadores de
gestão da Ciência, tecnologia e inovação para uma análise construtiva e
estratégica de planos e acções de actividade e produção científica, que
deverão ser aplicados de forma correcta dado o conjunto de
características, limitações e funções que acarretam.
É o indicador de produção científica que consiste em contabilizar a
actividade científica desenvolvida.
 Indicador de citação
Trata-se de um indicador de contagem de citações que calcula o número
de vezes que um artigo é citado por outros artigos científicos.
Considera-se que, se um artigo for citado muitas vezes, será um artigo de
qualidade científica e de referência.
Indicadores bibliométricos (cont.)
16
 Factor de impacto
É considerado o factor mais conhecido na determinação da
qualidade e relevância das revistas científicas.
Determina a frequência com que um artigo é citado através da
divisão do número de citações de artigos publicados nos últimos
dois anos pelo número total de artigos publicados nesse mesmo
período.
𝐹𝐼 =
𝑛º 𝑡𝑜𝑡𝑎𝑙 𝑑𝑒 𝑎𝑟𝑡𝑖𝑔𝑜𝑠 𝑐𝑖𝑡𝑎𝑑𝑜𝑠 𝑛𝑜𝑠 𝑢𝑙𝑡𝑖𝑚𝑜𝑠 𝑑𝑜𝑖𝑠 𝑎𝑛𝑜𝑠
nº total de artigos publicados nos ultimos dois anos
Indicadores bibliométricos (cont.)
17
 Índice H
Indicador de produtividade e impacto de um cientista, sendo H o número
de artigos publicados por um pesquisador que tenha um total de citações
igual ou superior a H.
É, assim, o número de artigos com citações maiores ou iguais a esse
número.
Indicadores bibliométricos (cont.)
18
Indicadores bibliométricos (cont.)
19
Web of Science (WoS)
20
Algumas bases de dados têm vindo a ser um suporte para
uma melhor visibilidade da produção científica.
A Web of Science é uma ferramenta bibliométrica e base de
dados americana importante ao nível das revistas
científicas, desenvolvida na década de 90 (1997) pela ISI.
Permite a pesquisa de artigos e estabelece ligações entre
eles, tem um grande número de registos enriquecido com
referências citadas mas com pouca cobertura de conteúdos
em acesso aberto.
Web of Science (WoS) (cont.)
21
Tem incorporadas as seguintes bases de dados:
 Citation Index Proceeding
 Conference Indice Chemicus
 Citation Index
SCOPUS
22
Base de dados europeia de resumos e citações de artigos para revistas
académicas. Inclui citações de artigos, pesquisa por autor e assunto e têm
sido incluídos conteúdos da base de dados Elsevier.
Contém mais conteúdos europeus do que a Web of Science e a cobertura
temporal é, também, pouco significativa, pois em algumas revistas só
indexa os últimos 5 anos.
Google Scholar Metrics
23
É uma base de dados em acesso aberto, da Google, que fornece métricas
de impacto de revistas científicas a partir da contagem de citações e
abrange actualmente artigos publicados entre 2007 e 2011.
Ferramenta em acesso aberto, gratuita, também com uma cobertura
temporal limitada a artigos publicados nos últimos 5 anos.
Inclui artigos apenas de sites que seguem a política de inclusão do Google,
assim como alguns outros artigos dispersos que permitem a indexação.
Estudo bibliométrico da Produção dos docentes da
ESEIG
24
 Caracterização da ESEIG
 Questionário aos docentes
 Base de dados da análise bibliométrica
Caracterização da ESEIG
25
A ESEIG – Escola Superior de Estudos Industriais e de Gestão- do
Instituto Politécnico do Porto (ESEIG-IPP), foi criada em 1990 e
integrada no Instituto Politécnico do Porto.
Funcionou essencialmente em dois pólos provisórios: em instalações
cedidas pelas autarquias de Vila do Conde e da Póvoa de Varzim e no ano
de 2001,mudou-se definitivamente para instalações, construídas de raiz,
na linha fronteiriça entre as cidades de Vila do Conde e da Póvoa de
Varzim.
Pretende formar quadros técnicos nos seguintes cursos: Ciências e
Tecnologias da Documentação e Informação, Contabilidade e
Administração, Design, Engenharia Biomédica, Engenharia e Gestão
Industrial, Engenharia Mecânica, Gestão e Administração Hoteleira e
Recursos Humanos.
Questionário aos docentes
26
Este estudo abrange um total de 109 docentes, a exercer as suas funções
na ESEIG nas áreas técnico-científicas da Matemática, Informática,
Línguas e Direito, Recursos Humanos, Hotelaria e Restauração,
Engenharia Industrial e da Produção, Design, Contabilidade e Auditoria,
Ciências da Informação, Física e electrónica, Engenharia Mecânica e
Economia e Gestão.
28 respostas foram obtidas, onde 20 docentes afirmaram ter publicações
científicas no período de 2003 a 2013com as respectivas referências e os
restantes 8 responderam negativamente, à excepção de um com
publicações anteriores a 2003.
Questionário aos docentes (cont.)
27
https://docs.google.com/a/eu.ipp.pt/forms/d/1-bph-
FjXCjBvhbEM_2fSoxMCqXZnTVyzEITdwYM4bug/viewform
Base de dados da análise bibliométrica
28
Através das repostas dos questionários obtivemos informação para
analisar a produção científica dos docentes da ESEIG por UTC- unidade
Técnico-científica.
Foi elaborada uma base de dados, em Excel, de acordo com os dois
indicadores bibliométricos utilizados
 indicador de actividade científica - com a contagem do número de
publicações produzidas pelos docentes da ESEIG
 indicador de citação - contagem do número de vezes que os artigos
publicados pelos docentes são citados por outros artigos científicos na
ISI WoS (Web of Science) e Google Scholar.
Base de dados da análise bibliométrica (cont.)
29
Os campos definidos para a elaboração da base de dados com as
publicações dos docentes foram os seguintes:
Base de dados da análise bibliométrica (cont.)
30
Base de Dados Análise Bibliometrica
ESEIG.xlsx
Resultados
31
Como resultado desta análise bibliométrica no período de 2003
a 2013, obtivemos um total de 340 publicações.
 166 conferências, 3 teses, 14 livros, 143 artigos e 14 de outro
tipo de artigos como capítulos de livros ou relatórios técnicos.
 Unidades técnico-científicas de Matemática e Informática são
as mais significativas
 Unidades técnico-científicas de Design e Física e Electrónica
são as que não contêm publicações científicas
 Total de 87 publicações indexadas na WoS
 Total de 188 publicações indexadas no Google Scholar
 Total de 142 citações na WoS
 Total de 805 citações no Google Scholar
Resultados (cont.)
32
34
98
49
5
14
10
7
2
83
48
CI
INFORM.
CGE
EB
Ling.Direito
EM
Eng.In.Prod.
Hotel.Rest.
MAT
RH
Física Electr.
Design
UnidadesTécnico-Científicas
Gráfico geral de contagem do número de publicações por unidade
Técnico-Científica
Nº de publicações
Resultados (cont.)
33
2
34
2 2
9
1
24
10
18
62
25
3
5
10
5
1
49
10
CI INFORM. CGE EB Ling.Direito EM Eng.In.Prod. Hotel.Rest. MAT Fisica Electr. Design RH
Unidades Técnico-Científicas
Gráfico de contagem do número de publicações indexadas na WoS e
Google Scholar Metrics por unidade Técnico-Científica
WoS Google Scholar
Resultados (cont.)
34
26
42
70
44
285
70
15
4
61
34
50
240
42
CI INFORM. CGE EB Ling.Direito EM Eng.In.Prod. Hotel.Rest. MAT Fisica Electr. Design RH
Unidades Técnico-Científicas
Gráfico de contagem do número de citações das publicações na WoS e
Google Scholar Metrics por unidade Técnico-Científica
WoS Google Scholar
Resultados (cont.)
35
2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013
WoS 5 5 12 12 12 16 15 5
Google Scholar 11 2 8 19 24 25 24 26 25 23
0
5
10
15
20
25
30
Representação gráfica das publicações na WoS e Google Scholar
Metrics no período de 2003 a 2013
WoS Google Scholar
Conclusão
36
Comprovamos que as Ciências Exactas (HartScience) dispõem de maior significância na
produção científica na medida em que conseguem obter uma maior produção do que as
Ciências Sociais e Humanidades, com uma maior representação no Google Scholar, devido a
esta ser uma base de dados académica em acesso aberto, ao contrário da WoS, que
apresenta-se mais restrita com pouca cobertura de conteúdos em acesso aberto.
Foi um projeto muito interessante e trabalhoso pois assim podemos verificar e ter a noção
da produção científica de determinados autores em ferramentas bibliográficas de avaliação e
revisão da actividade científica, avaliando essa mesma informação contabilizando os dados
ao nível dos artigos indexados e citados. Foram encontradas algumas dificuldades na
pesquisa de todas as publicações nas duas bases de dados e no facto de não conseguirmos
obter todas as respostas necessárias ao estudo completo. Este estuda considera-se uma
mais-valia para a instituição, pois trata-se de um estudo bibliométrico da representação da
produção científica da ESEIG em duas bases de dados muito importantes a nível científico.
Referências bibliográficas
37
 Macias-Chapula CA. O papel da informetria e da cienciometria e sua perspectiva nacional e internacional.
CiênInform. 1998;27(2):134-40.
 Araújo CA. Bibliometria: evolução histórica e questões atuais. Em Questão, Porto Alegre. 2006;12(12):11-32.
 VANTI, Nadia Aurora Peres – Da bibliometria à webmetria: uma explosão conceitual dos mecanismos
utilizados para medir o registro da informação e a difusão do conhecimento. Ci. Inf., Brasília, v. 31,maio/ago.
2002.
 BRAMBILLA, S. D. S. Produção científica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul representada na Web
ofScience: 2000-2009. 2011. Tese (Doutorado em Comunicação e Informação) - Universidade Federal do Rio
Grande do Sul. Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação, Porto Alegre, 2001. Disponível em WWW:
<URL: http://hdl.handle.net/10183/28922>.
 ALVARADO, RubénUrbizagástegui. A Bibliometria: História, Legislação e Estrutura. [Em linha].
Universitylibraries, UniversityofCalifornia, Riverside, California 92517-5900. [Consult. 21 Março 2014].
Disponível em WWW: <URL:
http://www.academia.edu/1390400/A_BIBLIOMETRIA_HISTORIA_LEGITIMACAO_E_ESTRUTURA>.
 GUEDES, Vânia; BORSCHIVER, Suzana – BIBLIMETRIA: UMA FERRAMENTA ESTATÍSTICA PARA A
GESTÃO DA INFORMAÇÃO E DO CONHECIMENTO, EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, COMUNICAÇÃO
E DE AVALIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA. [Em linha]. [Consult. 10 Abril 2014.] Disponível em
WWW: <URL:
http://www.feg.unesp.br/~fmarins/seminarios/Material%20de%20Leitura/Bibliometria/Artigo%20Bibliome
tria%20-%20Ferramenta%20estat%EDstica%20VaniaLSGuedes.pdf>
Referências bibliográficas (cont.)
38
 LUNKES, Rogerio João; FELIU, Vincente; ROSA, Fabricia - PESQUISA SOBRE O ORÇAMENTO NA ESPANHA: UM
ESTUDO BIBLIOMETRICO DAS PUBLICAÇÕES EM CONTABILIDADE. [Em linha]. Revista Universo Contabil.
[Consult. 10 Abril 2014.] Disponível em WWW: <URL:
http://proxy.furb.br/ojs/index.php/universocontabil/article/view/2174>
 CASTANHA, Renata; HILÁRIO, Carla; GRACIO, Maria - A PRODUÇÃO CIENTÍFICA DO BRASIL, DA ESPANHA E DE
PORTUGAL: análise bibliométrica na área de Matemática no período 2001-2010. [Em linha]. [Consult. 10 Abril 2014.]
Disponível em WWW: <URL: https://ocs.letras.up.pt/index.php/EDICIC/edicic2013/paper/view/186>
 TARRÉS, Maria Cristina- Análisis bibliométrico de la Revista Medicina y Cine (2005-2008) .[Em linha]. Revista
Medicina y cine. [Consult. 10 Abril 2014.] Disponível em WWW: <URL:
http://revistamedicinacine.usal.es/index.php/72-vol5/num324/278-analisis-bibliometrico-de-la-revista-medicina-y-
cine>
 Indicadores da evolução da produção científica da Universidade Federal da Bahia: um estudo bibliométrico na Web
ofScience. [Em linha]. Sistemas de bibliotecas UFBA. [Consult. 10 Abril 2014.] Disponível em WWW: <URL:
http://www.bdtd.ufba.br/Apresentacao_Indicadores%20producao%20cientifica%20%5Bfinal%5D%2014%5B1%5D.10
%20S.pdf>
 Serviços de biblioteca, informação documental e museologia-UA: O prestigio das revistas científicas: indicadores
internacionais mais usados. [Em linha].Universidade de Aveiro,2012.[Consult. 15 Maio 2014]. Disponível em WWW:
<URL: http://www.slideshare.net/bibliotecasUA/prestgio-de-revistas-cientficas-indicadores>
 COSTA, Teresa; LOPES, Sílvia; LILMÓS, Fernando; AMANTE, Maria João; LOPES, Pedro Faria: A Bibliometria e
Avaliação da Produção Científica: indicadores e ferramentas. [Em linha]. .[Consult. 15 Maio 2014]. Disponível em
WWW: <URL: www.bad.pt/publicacoes/index.php/congressosbad/article/view/.../pdf>.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Indicadores da producao cientifica: fator de impacto e indice-h (2009)
Indicadores da producao cientifica: fator de impacto e indice-h (2009)Indicadores da producao cientifica: fator de impacto e indice-h (2009)
Indicadores da producao cientifica: fator de impacto e indice-h (2009)
Suelybcs .
 
Curso de Cienciometria. Aula 1, Os conceitos das metrias e os contextos da co...
Curso de Cienciometria. Aula 1, Os conceitos das metrias e os contextos da co...Curso de Cienciometria. Aula 1, Os conceitos das metrias e os contextos da co...
Curso de Cienciometria. Aula 1, Os conceitos das metrias e os contextos da co...
Leticia Strehl
 
Criterios para escolha de periodicos internacionais para publicacao
Criterios para escolha de periodicos internacionais para publicacaoCriterios para escolha de periodicos internacionais para publicacao
Criterios para escolha de periodicos internacionais para publicacao
Elisabeth Dudziak
 
Apresentacao Unesp
Apresentacao UnespApresentacao Unesp
Indicadores bibliometricos com dados do JCR E Google Scholar
Indicadores bibliometricos com dados do JCR E Google ScholarIndicadores bibliometricos com dados do JCR E Google Scholar
Indicadores bibliometricos com dados do JCR E Google Scholar
Leticia Strehl
 
Medidas de visibilidade das publicações científicas
Medidas de visibilidade das publicações científicasMedidas de visibilidade das publicações científicas
Medidas de visibilidade das publicações científicas
Leticia Strehl
 
Web of Science Thomson
Web of Science ThomsonWeb of Science Thomson
Web of Science Thomson
Leticia Strehl
 
Avaliação da produção científica e visibilidade
Avaliação da produção científica e visibilidadeAvaliação da produção científica e visibilidade
Avaliação da produção científica e visibilidade
Susana Lopes
 
Semana investigacao: avaliação da produção científica e visibilidade
Semana investigacao: avaliação da produção científica e visibilidadeSemana investigacao: avaliação da produção científica e visibilidade
Semana investigacao: avaliação da produção científica e visibilidade
Susana Lopes
 
Bibliometria na biblioteca novas competências para os bibliotecários
Bibliometria na biblioteca novas competências para os bibliotecáriosBibliometria na biblioteca novas competências para os bibliotecários
Bibliometria na biblioteca novas competências para os bibliotecários
Susana Lopes
 
Curso de cienciometria. Aula 2, As bases de dados e a cienciometria
Curso de cienciometria. Aula 2, As bases de dados e a cienciometriaCurso de cienciometria. Aula 2, As bases de dados e a cienciometria
Curso de cienciometria. Aula 2, As bases de dados e a cienciometria
Leticia Strehl
 
Curso de cienciometria. Aula 3, Os indicadores cienciométricos
Curso de cienciometria. Aula 3, Os indicadores cienciométricosCurso de cienciometria. Aula 3, Os indicadores cienciométricos
Curso de cienciometria. Aula 3, Os indicadores cienciométricos
Leticia Strehl
 
Volpato como escrever um artigo cient -fico - academia pernambucana
Volpato   como escrever um artigo cient -fico - academia pernambucanaVolpato   como escrever um artigo cient -fico - academia pernambucana
Volpato como escrever um artigo cient -fico - academia pernambucana
Marines Bomfim
 
Metodologia como escrever um artigo cientfico
Metodologia como escrever um artigo cientficoMetodologia como escrever um artigo cientfico
Metodologia como escrever um artigo cientfico
Professor Sérgio Duarte
 
Recursos de apoio à investigação (UAlg)
Recursos de apoio à investigação (UAlg)Recursos de apoio à investigação (UAlg)
Recursos de apoio à investigação (UAlg)
Biblioteca da Universidade do Algarve
 
Aula fontes de informação
Aula  fontes de informaçãoAula  fontes de informação
Aula fontes de informação
Sistema de Bibliotecas da UEL
 
Indicadores de produção e impacto da produção científica
Indicadores de produção e impacto da produção científicaIndicadores de produção e impacto da produção científica
Indicadores de produção e impacto da produção científica
Leticia Strehl
 
Análise bibliométrica de produção científica sobre gestão do conhecimento co...
Análise bibliométrica de produção científica sobre gestão do conhecimento  co...Análise bibliométrica de produção científica sobre gestão do conhecimento  co...
Análise bibliométrica de produção científica sobre gestão do conhecimento co...
Angelina Licório
 
indicadores de impacto e produtividade das publicações para a avaliação da at...
indicadores de impacto e produtividade das publicações para a avaliação da at...indicadores de impacto e produtividade das publicações para a avaliação da at...
indicadores de impacto e produtividade das publicações para a avaliação da at...
Leticia Strehl
 

Mais procurados (19)

Indicadores da producao cientifica: fator de impacto e indice-h (2009)
Indicadores da producao cientifica: fator de impacto e indice-h (2009)Indicadores da producao cientifica: fator de impacto e indice-h (2009)
Indicadores da producao cientifica: fator de impacto e indice-h (2009)
 
Curso de Cienciometria. Aula 1, Os conceitos das metrias e os contextos da co...
Curso de Cienciometria. Aula 1, Os conceitos das metrias e os contextos da co...Curso de Cienciometria. Aula 1, Os conceitos das metrias e os contextos da co...
Curso de Cienciometria. Aula 1, Os conceitos das metrias e os contextos da co...
 
Criterios para escolha de periodicos internacionais para publicacao
Criterios para escolha de periodicos internacionais para publicacaoCriterios para escolha de periodicos internacionais para publicacao
Criterios para escolha de periodicos internacionais para publicacao
 
Apresentacao Unesp
Apresentacao UnespApresentacao Unesp
Apresentacao Unesp
 
Indicadores bibliometricos com dados do JCR E Google Scholar
Indicadores bibliometricos com dados do JCR E Google ScholarIndicadores bibliometricos com dados do JCR E Google Scholar
Indicadores bibliometricos com dados do JCR E Google Scholar
 
Medidas de visibilidade das publicações científicas
Medidas de visibilidade das publicações científicasMedidas de visibilidade das publicações científicas
Medidas de visibilidade das publicações científicas
 
Web of Science Thomson
Web of Science ThomsonWeb of Science Thomson
Web of Science Thomson
 
Avaliação da produção científica e visibilidade
Avaliação da produção científica e visibilidadeAvaliação da produção científica e visibilidade
Avaliação da produção científica e visibilidade
 
Semana investigacao: avaliação da produção científica e visibilidade
Semana investigacao: avaliação da produção científica e visibilidadeSemana investigacao: avaliação da produção científica e visibilidade
Semana investigacao: avaliação da produção científica e visibilidade
 
Bibliometria na biblioteca novas competências para os bibliotecários
Bibliometria na biblioteca novas competências para os bibliotecáriosBibliometria na biblioteca novas competências para os bibliotecários
Bibliometria na biblioteca novas competências para os bibliotecários
 
Curso de cienciometria. Aula 2, As bases de dados e a cienciometria
Curso de cienciometria. Aula 2, As bases de dados e a cienciometriaCurso de cienciometria. Aula 2, As bases de dados e a cienciometria
Curso de cienciometria. Aula 2, As bases de dados e a cienciometria
 
Curso de cienciometria. Aula 3, Os indicadores cienciométricos
Curso de cienciometria. Aula 3, Os indicadores cienciométricosCurso de cienciometria. Aula 3, Os indicadores cienciométricos
Curso de cienciometria. Aula 3, Os indicadores cienciométricos
 
Volpato como escrever um artigo cient -fico - academia pernambucana
Volpato   como escrever um artigo cient -fico - academia pernambucanaVolpato   como escrever um artigo cient -fico - academia pernambucana
Volpato como escrever um artigo cient -fico - academia pernambucana
 
Metodologia como escrever um artigo cientfico
Metodologia como escrever um artigo cientficoMetodologia como escrever um artigo cientfico
Metodologia como escrever um artigo cientfico
 
Recursos de apoio à investigação (UAlg)
Recursos de apoio à investigação (UAlg)Recursos de apoio à investigação (UAlg)
Recursos de apoio à investigação (UAlg)
 
Aula fontes de informação
Aula  fontes de informaçãoAula  fontes de informação
Aula fontes de informação
 
Indicadores de produção e impacto da produção científica
Indicadores de produção e impacto da produção científicaIndicadores de produção e impacto da produção científica
Indicadores de produção e impacto da produção científica
 
Análise bibliométrica de produção científica sobre gestão do conhecimento co...
Análise bibliométrica de produção científica sobre gestão do conhecimento  co...Análise bibliométrica de produção científica sobre gestão do conhecimento  co...
Análise bibliométrica de produção científica sobre gestão do conhecimento co...
 
indicadores de impacto e produtividade das publicações para a avaliação da at...
indicadores de impacto e produtividade das publicações para a avaliação da at...indicadores de impacto e produtividade das publicações para a avaliação da at...
indicadores de impacto e produtividade das publicações para a avaliação da at...
 

Destaque

Citações e referências
Citações e referênciasCitações e referências
Citações e referências
Sandra Pereira
 
Como elaborar projetos
Como elaborar projetosComo elaborar projetos
Como elaborar projetos
Tania cristina
 
Oficina de revisão sistemática e bibliometria
Oficina de revisão sistemática e bibliometriaOficina de revisão sistemática e bibliometria
Oficina de revisão sistemática e bibliometria
Helio Ferenhof, Dr. Eng, MBA, PMP, ITIL .'.
 
Elaboração do projeto de pesquisa
Elaboração do projeto de pesquisaElaboração do projeto de pesquisa
Elaboração do projeto de pesquisa
Sandra Pereira
 
Pre projeto-slides
Pre projeto-slidesPre projeto-slides
Pre projeto-slides
Filipe Chagas
 
Slide projeto de pesquisa
Slide projeto de pesquisaSlide projeto de pesquisa
Slide projeto de pesquisa
rivanialeao
 

Destaque (6)

Citações e referências
Citações e referênciasCitações e referências
Citações e referências
 
Como elaborar projetos
Como elaborar projetosComo elaborar projetos
Como elaborar projetos
 
Oficina de revisão sistemática e bibliometria
Oficina de revisão sistemática e bibliometriaOficina de revisão sistemática e bibliometria
Oficina de revisão sistemática e bibliometria
 
Elaboração do projeto de pesquisa
Elaboração do projeto de pesquisaElaboração do projeto de pesquisa
Elaboração do projeto de pesquisa
 
Pre projeto-slides
Pre projeto-slidesPre projeto-slides
Pre projeto-slides
 
Slide projeto de pesquisa
Slide projeto de pesquisaSlide projeto de pesquisa
Slide projeto de pesquisa
 

Semelhante a Apresentação final pb g5

3ª apresentação pb g5
3ª apresentação pb g53ª apresentação pb g5
3ª apresentação pb g5
pekenit5a1991
 
#2# wos workshop de doutoramento__27 e 28 novembro 2015
#2# wos workshop de doutoramento__27 e 28 novembro 2015#2# wos workshop de doutoramento__27 e 28 novembro 2015
#2# wos workshop de doutoramento__27 e 28 novembro 2015
Carlos Lopes
 
4ª apresentação pb g5
4ª apresentação pb g54ª apresentação pb g5
4ª apresentação pb g5
pekenit5a1991
 
4ª apresentação pb g5
4ª apresentação pb g54ª apresentação pb g5
4ª apresentação pb g5
pekenit5a1991
 
Metodologia como escrever um artigo cientfico
Metodologia como escrever um artigo cientficoMetodologia como escrever um artigo cientfico
Metodologia como escrever um artigo cientfico
Professor Sérgio Duarte
 
Direito autoral e qualidade das publicações
Direito autoral e qualidade das publicaçõesDireito autoral e qualidade das publicações
Direito autoral e qualidade das publicações
Portal de Periódicos UFSC
 
Recuperação e visibilidade da produção científica: ferramentas e indicadores
Recuperação e visibilidade da produção científica: ferramentas e indicadoresRecuperação e visibilidade da produção científica: ferramentas e indicadores
Recuperação e visibilidade da produção científica: ferramentas e indicadores
Leticia Strehl
 
Análise bibliométrica
Análise bibliométricaAnálise bibliométrica
Análise bibliométrica
USP
 
Invest cit met2013_2semestre
Invest cit met2013_2semestreInvest cit met2013_2semestre
Invest cit met2013_2semestre
Bibliotecas da Universidade de Aveiro
 
Fluxo de citações inter-nacional: fontes de informação para avaliação de impa...
Fluxo de citações inter-nacional: fontes de informação para avaliação de impa...Fluxo de citações inter-nacional: fontes de informação para avaliação de impa...
Fluxo de citações inter-nacional: fontes de informação para avaliação de impa...
VI EBBC - Encontro Brasileiro de Bibliometria e Cientometria
 
Perfis de autor: visibilidade e avaliação da produção científica individual
Perfis de autor: visibilidade e avaliação da produção científica individualPerfis de autor: visibilidade e avaliação da produção científica individual
Perfis de autor: visibilidade e avaliação da produção científica individual
Leticia Strehl
 
Seleção fontes 2015
Seleção fontes 2015Seleção fontes 2015
Laboratório de Bibliometria: do Fator de Impacto até Boas Revisões Biblogr…
Laboratório de Bibliometria: do Fator de Impacto até Boas Revisões Biblogr…Laboratório de Bibliometria: do Fator de Impacto até Boas Revisões Biblogr…
Laboratório de Bibliometria: do Fator de Impacto até Boas Revisões Biblogr…
Alejandro Frery
 
ANÁLISE DOS ESTUDOS BRASILEIROS DE PRODUÇÃO CIENTÍFICA E BIBLIOMÉTRICOS: de 2...
ANÁLISE DOS ESTUDOS BRASILEIROS DE PRODUÇÃO CIENTÍFICA E BIBLIOMÉTRICOS: de 2...ANÁLISE DOS ESTUDOS BRASILEIROS DE PRODUÇÃO CIENTÍFICA E BIBLIOMÉTRICOS: de 2...
ANÁLISE DOS ESTUDOS BRASILEIROS DE PRODUÇÃO CIENTÍFICA E BIBLIOMÉTRICOS: de 2...
VI EBBC - Encontro Brasileiro de Bibliometria e Cientometria
 
ANÁLISE DOS ESTUDOS BRASILEIROS DE PRODUÇÃO CIENTÍFICA E BIBLIOMÉTRICOS: de 2...
ANÁLISE DOS ESTUDOS BRASILEIROS DE PRODUÇÃO CIENTÍFICA E BIBLIOMÉTRICOS: de 2...ANÁLISE DOS ESTUDOS BRASILEIROS DE PRODUÇÃO CIENTÍFICA E BIBLIOMÉTRICOS: de 2...
ANÁLISE DOS ESTUDOS BRASILEIROS DE PRODUÇÃO CIENTÍFICA E BIBLIOMÉTRICOS: de 2...
VI EBBC - Encontro Brasileiro de Bibliometria e Cientometria
 
A biblioteca no apoio à investigação
A biblioteca no apoio à investigaçãoA biblioteca no apoio à investigação
A biblioteca no apoio à investigação
Susana Lopes
 
Citações e métricas complementares: um estudo da sua correlação em artigos ci...
Citações e métricas complementares: um estudo da sua correlação em artigos ci...Citações e métricas complementares: um estudo da sua correlação em artigos ci...
Citações e métricas complementares: um estudo da sua correlação em artigos ci...
Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta
 
Aula 2 - Curso de Comunicação e Redação Científica
Aula 2 - Curso de Comunicação e Redação Científica Aula 2 - Curso de Comunicação e Redação Científica
Aula 2 - Curso de Comunicação e Redação Científica
BVS Rede de Informação e Conhecimento – SES/SP Centro de Documentação
 
Aula 5 - Curso de Comunicação e Redação Científica
Aula 5 - Curso de Comunicação e Redação Científica Aula 5 - Curso de Comunicação e Redação Científica
Aula 5 - Curso de Comunicação e Redação Científica
BVS Rede de Informação e Conhecimento – SES/SP Centro de Documentação
 
Scopus Web of Science 2017
Scopus Web of Science 2017Scopus Web of Science 2017
Scopus Web of Science 2017
Bibliotecas da Universidade de Aveiro
 

Semelhante a Apresentação final pb g5 (20)

3ª apresentação pb g5
3ª apresentação pb g53ª apresentação pb g5
3ª apresentação pb g5
 
#2# wos workshop de doutoramento__27 e 28 novembro 2015
#2# wos workshop de doutoramento__27 e 28 novembro 2015#2# wos workshop de doutoramento__27 e 28 novembro 2015
#2# wos workshop de doutoramento__27 e 28 novembro 2015
 
4ª apresentação pb g5
4ª apresentação pb g54ª apresentação pb g5
4ª apresentação pb g5
 
4ª apresentação pb g5
4ª apresentação pb g54ª apresentação pb g5
4ª apresentação pb g5
 
Metodologia como escrever um artigo cientfico
Metodologia como escrever um artigo cientficoMetodologia como escrever um artigo cientfico
Metodologia como escrever um artigo cientfico
 
Direito autoral e qualidade das publicações
Direito autoral e qualidade das publicaçõesDireito autoral e qualidade das publicações
Direito autoral e qualidade das publicações
 
Recuperação e visibilidade da produção científica: ferramentas e indicadores
Recuperação e visibilidade da produção científica: ferramentas e indicadoresRecuperação e visibilidade da produção científica: ferramentas e indicadores
Recuperação e visibilidade da produção científica: ferramentas e indicadores
 
Análise bibliométrica
Análise bibliométricaAnálise bibliométrica
Análise bibliométrica
 
Invest cit met2013_2semestre
Invest cit met2013_2semestreInvest cit met2013_2semestre
Invest cit met2013_2semestre
 
Fluxo de citações inter-nacional: fontes de informação para avaliação de impa...
Fluxo de citações inter-nacional: fontes de informação para avaliação de impa...Fluxo de citações inter-nacional: fontes de informação para avaliação de impa...
Fluxo de citações inter-nacional: fontes de informação para avaliação de impa...
 
Perfis de autor: visibilidade e avaliação da produção científica individual
Perfis de autor: visibilidade e avaliação da produção científica individualPerfis de autor: visibilidade e avaliação da produção científica individual
Perfis de autor: visibilidade e avaliação da produção científica individual
 
Seleção fontes 2015
Seleção fontes 2015Seleção fontes 2015
Seleção fontes 2015
 
Laboratório de Bibliometria: do Fator de Impacto até Boas Revisões Biblogr…
Laboratório de Bibliometria: do Fator de Impacto até Boas Revisões Biblogr…Laboratório de Bibliometria: do Fator de Impacto até Boas Revisões Biblogr…
Laboratório de Bibliometria: do Fator de Impacto até Boas Revisões Biblogr…
 
ANÁLISE DOS ESTUDOS BRASILEIROS DE PRODUÇÃO CIENTÍFICA E BIBLIOMÉTRICOS: de 2...
ANÁLISE DOS ESTUDOS BRASILEIROS DE PRODUÇÃO CIENTÍFICA E BIBLIOMÉTRICOS: de 2...ANÁLISE DOS ESTUDOS BRASILEIROS DE PRODUÇÃO CIENTÍFICA E BIBLIOMÉTRICOS: de 2...
ANÁLISE DOS ESTUDOS BRASILEIROS DE PRODUÇÃO CIENTÍFICA E BIBLIOMÉTRICOS: de 2...
 
ANÁLISE DOS ESTUDOS BRASILEIROS DE PRODUÇÃO CIENTÍFICA E BIBLIOMÉTRICOS: de 2...
ANÁLISE DOS ESTUDOS BRASILEIROS DE PRODUÇÃO CIENTÍFICA E BIBLIOMÉTRICOS: de 2...ANÁLISE DOS ESTUDOS BRASILEIROS DE PRODUÇÃO CIENTÍFICA E BIBLIOMÉTRICOS: de 2...
ANÁLISE DOS ESTUDOS BRASILEIROS DE PRODUÇÃO CIENTÍFICA E BIBLIOMÉTRICOS: de 2...
 
A biblioteca no apoio à investigação
A biblioteca no apoio à investigaçãoA biblioteca no apoio à investigação
A biblioteca no apoio à investigação
 
Citações e métricas complementares: um estudo da sua correlação em artigos ci...
Citações e métricas complementares: um estudo da sua correlação em artigos ci...Citações e métricas complementares: um estudo da sua correlação em artigos ci...
Citações e métricas complementares: um estudo da sua correlação em artigos ci...
 
Aula 2 - Curso de Comunicação e Redação Científica
Aula 2 - Curso de Comunicação e Redação Científica Aula 2 - Curso de Comunicação e Redação Científica
Aula 2 - Curso de Comunicação e Redação Científica
 
Aula 5 - Curso de Comunicação e Redação Científica
Aula 5 - Curso de Comunicação e Redação Científica Aula 5 - Curso de Comunicação e Redação Científica
Aula 5 - Curso de Comunicação e Redação Científica
 
Scopus Web of Science 2017
Scopus Web of Science 2017Scopus Web of Science 2017
Scopus Web of Science 2017
 

Último

Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdfAtividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
sesiomzezao
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdfAtividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 

Apresentação final pb g5

  • 1. A P R E S E N T A Ç Ã O F I N A L G R U P O 5 : C A R L O S N E V E S E S Ó N I A P O N T E S P R O J E T O D E B I B L I O T E C A C I Ê N C I A S E T E C N O L O G I A S D A D O C U M E N T A Ç Ã O E I N F O R M A Ç Ã O 3 º A N O Estudo Bibliométrico da Produção Científica da ESEIG 1
  • 2. Sumário  Introdução  Objectivos  Revisão da literatura - Bibliometria - Cienciometria - Infometria - Estudos bibliometricos - Avaliação da produção cientifica - Indicadores bibliométricos - Web of Science (WoS) - Scopus - Google Scholar Metrics  Estudo Bibliométrico da Produção Científica da ESEIG - Caracterização da ESEIG - Questionário aos docentes - Base de dados da análise bibliométrica  Resultados  Conclusão  Referências bibliográficas 2
  • 3. Introdução 3 Este trabalho foi realizado no âmbito da unidade curricular Projecto de Biblioteca leccionada no 3º ano da licenciatura Ciências e tecnologias da documentação e informação. Tem como principal objectivo realizar um estudo bibliométrico da produção científica dos docentes da ESEIG (IPP) na Web of Science (WoS) da Thomson Reuters e no Google Scholar Metrics, referente ao período de 2003 a 2013.
  • 4. Objetivos 4  Geral : - Analisar a produção científica dos docentes da ESEIG na Web of Science (WoS) e no Google Scholar Metrics  Especifícos: -Realizar uma revisão da literatura sobre estudos bibliometricos -Realizar uma revisão da literatura sobre indicadores de avaliação das publicações científicas - Desenvolver um questionário para inquirir os docentes sobre as suas publicações científicas - Recolher e listar a informação sobre as publicações de todos os docentes da ESEIG, por Unidade Técnico-Científica - Desenvolver uma base de dados com as publicações dos docentes de acordo com a análise das respostas do questionário - Verificar a existência de produção dos docentes na WoS e no Google Scholar - Conhecer os idiomas utilizados nos artigos indexados - Identificar a autoria dos artigos - Descrever os tipos de documentos indexados - Conhecer a colaboração entre países; - Conhecer a colaboração entre instituições - Analisar estatisticamente a produção científica referente ao período de 2003 a 2013 através de representação gráfica - Analisar os resultados encontrados.
  • 5. Revisão da Literatura 5  Bibliometria  Cienciometria  Infometria  Estudos bibliométricos  Avaliação da produção cientifíca  Indicadores bibliométricos  Web of Science (WoS)  Scopus  Google Scholar Metrics
  • 6. Bibliometria 6 “ [...] o estudo dos aspectos quantitativos da produção, disseminação e uso da informação registrada. A bibliometria desenvolve padrões e modelos matemáticos para medir esses processos, usando seus resultados para elaborar previsões e apoiar tomadas de decisões”. (Macias-Chapula, 1992) Técnica quantitativa e estatística que permite medir índices de produção e disseminação do conhecimento científico e acompanhar o desenvolvimento de diversas áreas científicas e resultados de investigação. É uma ciência de estudos métricos da informação científica publicada que está cada vez mais presente dentro da comunidade académica e científica na análise e avaliação da sua produção.
  • 7. Bibliometria (cont.) 7 Leis da bibliometria:  Lei de Lotka – lei do quadrado inverso  Relacionada com a produtividade de autores e a relação entre o numero de autores e o numero de artigos publicados. O numero de autores que publicam n trabalhos é inversamente proporcional a n ao quadrado;  Lei de Bradford – Lei da dispersão  Relacionada com a produtividade dos periódicos, permite medir a produtividade das revistas e estabelecer o núcleo e as áreas de dispersão de um determinado assunto. Permite fazer a estimativa do grau de relevância de revistas de conhecimento;  Lei de Zipf – Lei do menor esforço  Trata e mede a frequência de ocorrência de palavras em vários textos. Mede a frequência com que surgem as diversas palavras.
  • 8. Bibliometria (cont.) 8  1917 – 1ª aplicação da Bibliometria por Cole e Eales na publicação de uma análise estatística da história da disciplina de anatomia comparada;  1926 – Lei de lotka;  1934 – Lei de Bradford e aplicação de Paul Otlet no tratado da documentação;  1949 – Lei de Zipf;  1955 – Publicação de Garfield sobre índice de citação;  Década de 60 - Criação do termo Bibliometria por Pritchard e uso da Bibliometria para análise da ciência por Price.
  • 9. Cienciometria e Infometria 9 “Cienciometria é o estudo dos aspectos quantitativos da ciência enquanto uma disciplina ou actividade económica. A cienciometria é um segmento da sociologia da ciência, sendo aplicada no desenvolvimento de políticas científicas. Envolve estudos quantitativos das actividades científicas, incluindo a publicação e, portanto, sobrepondo-se à bibliometria”. (Macias-Chapula, 1998) “Infometria é o estudo dos aspectos quantitativos da informação em qualquer formato, e não apenas registros catalográficos ou bibliografias, referente a qualquer grupo social, e não apenas aos cientistas. A informetria pode incorporar, utilizar e ampliar os muitos estudos de avaliação da informação que estão fora dos limites da bibliometria e cienciometria”. (Macias-Chapula, 1998)
  • 10. Estudos bibliométricos 10 Segundo Pritchard, bibliometria entende-se como “todos os estudos que tentam quantificar os processos de comunicação escrita”. (PRITCHARD,1969) Estudo bibliométrico é um estudo que tenta quantificar os processos de comunicação escrita através de uma análise estatística complexa e diversificada. Não são exclusivos da biblioteconomia ou da ciência da informação pois diversas áreas do conhecimento utilizam estudos de produtividade de autores e são utilizados em diversas áreas do conhecimento para obter indicadores de produção científica. A análise de citações é a área mais relevante nos estudos bibliométricos.
  • 11. Estudos bibliométricos (cont.) 11  Os estudos bibliométricos e cienciométricos têm os artigos científicos como principais objectos de estudo na examinação da actividade científica e na realização de inferências sobre o estado da ciência.  Estes estudos foram-se generalizando e aproximando-se das novas características e ferramentas tecnológicas através de publicações on- line, gerando um forte crescimento a partir da década de 90.
  • 12. Avaliação da produção científica 12 A produção científica constitui-se de maior importância no conjunto de actividades académicas e de investigação para revelar resultados científicos de acordo com cada avaliação realizada a publicações de determinadas áreas do conhecimento científico. Essa avaliação é o meio científico que contribui para investimentos e objectivos económico-financeiros, bem como para o reconhecimento dos investigadores na comunidade científica.
  • 13. Avaliação da Produção Científica (cont.) 13  Avaliação qualitativa Baseia-se na percepção e avaliação dos pares que avaliam as publicações de acordo com a arbitragem científica. É a avaliação de produção científica antes de esta ser autorizada a ser publicada através do factor de impacto.  Avaliação quantitativa Avaliação realizada através de critérios baseados em métodos bibliométricos e cienciométricos para assim contabilizar a actividade científica através de indicadores de actividade científica.
  • 14. Indicadores bibliométricos 14 A bibliometria e os diversos indicadores bibliométricos são utilizados no seu conjunto para avaliar a produtividade dos autores e realizar estudos de citações, bem como, avaliar a qualidade e quantificar a produção de artigos e publicações científicas Indicadores de produção científica, instrumentos para análise de actividade científica e das suas relações com o desenvolvimento económico-social. São considerados ferramentas de avaliação de aspectos quantitativos que auxiliam na selecção da informação científica.
  • 15. Indicadores bibliométricos (cont.) 15  Indicador de actividade científica Os indicadores científicos são considerados importantes indicadores de gestão da Ciência, tecnologia e inovação para uma análise construtiva e estratégica de planos e acções de actividade e produção científica, que deverão ser aplicados de forma correcta dado o conjunto de características, limitações e funções que acarretam. É o indicador de produção científica que consiste em contabilizar a actividade científica desenvolvida.  Indicador de citação Trata-se de um indicador de contagem de citações que calcula o número de vezes que um artigo é citado por outros artigos científicos. Considera-se que, se um artigo for citado muitas vezes, será um artigo de qualidade científica e de referência.
  • 16. Indicadores bibliométricos (cont.) 16  Factor de impacto É considerado o factor mais conhecido na determinação da qualidade e relevância das revistas científicas. Determina a frequência com que um artigo é citado através da divisão do número de citações de artigos publicados nos últimos dois anos pelo número total de artigos publicados nesse mesmo período. 𝐹𝐼 = 𝑛º 𝑡𝑜𝑡𝑎𝑙 𝑑𝑒 𝑎𝑟𝑡𝑖𝑔𝑜𝑠 𝑐𝑖𝑡𝑎𝑑𝑜𝑠 𝑛𝑜𝑠 𝑢𝑙𝑡𝑖𝑚𝑜𝑠 𝑑𝑜𝑖𝑠 𝑎𝑛𝑜𝑠 nº total de artigos publicados nos ultimos dois anos
  • 17. Indicadores bibliométricos (cont.) 17  Índice H Indicador de produtividade e impacto de um cientista, sendo H o número de artigos publicados por um pesquisador que tenha um total de citações igual ou superior a H. É, assim, o número de artigos com citações maiores ou iguais a esse número.
  • 20. Web of Science (WoS) 20 Algumas bases de dados têm vindo a ser um suporte para uma melhor visibilidade da produção científica. A Web of Science é uma ferramenta bibliométrica e base de dados americana importante ao nível das revistas científicas, desenvolvida na década de 90 (1997) pela ISI. Permite a pesquisa de artigos e estabelece ligações entre eles, tem um grande número de registos enriquecido com referências citadas mas com pouca cobertura de conteúdos em acesso aberto.
  • 21. Web of Science (WoS) (cont.) 21 Tem incorporadas as seguintes bases de dados:  Citation Index Proceeding  Conference Indice Chemicus  Citation Index
  • 22. SCOPUS 22 Base de dados europeia de resumos e citações de artigos para revistas académicas. Inclui citações de artigos, pesquisa por autor e assunto e têm sido incluídos conteúdos da base de dados Elsevier. Contém mais conteúdos europeus do que a Web of Science e a cobertura temporal é, também, pouco significativa, pois em algumas revistas só indexa os últimos 5 anos.
  • 23. Google Scholar Metrics 23 É uma base de dados em acesso aberto, da Google, que fornece métricas de impacto de revistas científicas a partir da contagem de citações e abrange actualmente artigos publicados entre 2007 e 2011. Ferramenta em acesso aberto, gratuita, também com uma cobertura temporal limitada a artigos publicados nos últimos 5 anos. Inclui artigos apenas de sites que seguem a política de inclusão do Google, assim como alguns outros artigos dispersos que permitem a indexação.
  • 24. Estudo bibliométrico da Produção dos docentes da ESEIG 24  Caracterização da ESEIG  Questionário aos docentes  Base de dados da análise bibliométrica
  • 25. Caracterização da ESEIG 25 A ESEIG – Escola Superior de Estudos Industriais e de Gestão- do Instituto Politécnico do Porto (ESEIG-IPP), foi criada em 1990 e integrada no Instituto Politécnico do Porto. Funcionou essencialmente em dois pólos provisórios: em instalações cedidas pelas autarquias de Vila do Conde e da Póvoa de Varzim e no ano de 2001,mudou-se definitivamente para instalações, construídas de raiz, na linha fronteiriça entre as cidades de Vila do Conde e da Póvoa de Varzim. Pretende formar quadros técnicos nos seguintes cursos: Ciências e Tecnologias da Documentação e Informação, Contabilidade e Administração, Design, Engenharia Biomédica, Engenharia e Gestão Industrial, Engenharia Mecânica, Gestão e Administração Hoteleira e Recursos Humanos.
  • 26. Questionário aos docentes 26 Este estudo abrange um total de 109 docentes, a exercer as suas funções na ESEIG nas áreas técnico-científicas da Matemática, Informática, Línguas e Direito, Recursos Humanos, Hotelaria e Restauração, Engenharia Industrial e da Produção, Design, Contabilidade e Auditoria, Ciências da Informação, Física e electrónica, Engenharia Mecânica e Economia e Gestão. 28 respostas foram obtidas, onde 20 docentes afirmaram ter publicações científicas no período de 2003 a 2013com as respectivas referências e os restantes 8 responderam negativamente, à excepção de um com publicações anteriores a 2003.
  • 27. Questionário aos docentes (cont.) 27 https://docs.google.com/a/eu.ipp.pt/forms/d/1-bph- FjXCjBvhbEM_2fSoxMCqXZnTVyzEITdwYM4bug/viewform
  • 28. Base de dados da análise bibliométrica 28 Através das repostas dos questionários obtivemos informação para analisar a produção científica dos docentes da ESEIG por UTC- unidade Técnico-científica. Foi elaborada uma base de dados, em Excel, de acordo com os dois indicadores bibliométricos utilizados  indicador de actividade científica - com a contagem do número de publicações produzidas pelos docentes da ESEIG  indicador de citação - contagem do número de vezes que os artigos publicados pelos docentes são citados por outros artigos científicos na ISI WoS (Web of Science) e Google Scholar.
  • 29. Base de dados da análise bibliométrica (cont.) 29 Os campos definidos para a elaboração da base de dados com as publicações dos docentes foram os seguintes:
  • 30. Base de dados da análise bibliométrica (cont.) 30 Base de Dados Análise Bibliometrica ESEIG.xlsx
  • 31. Resultados 31 Como resultado desta análise bibliométrica no período de 2003 a 2013, obtivemos um total de 340 publicações.  166 conferências, 3 teses, 14 livros, 143 artigos e 14 de outro tipo de artigos como capítulos de livros ou relatórios técnicos.  Unidades técnico-científicas de Matemática e Informática são as mais significativas  Unidades técnico-científicas de Design e Física e Electrónica são as que não contêm publicações científicas  Total de 87 publicações indexadas na WoS  Total de 188 publicações indexadas no Google Scholar  Total de 142 citações na WoS  Total de 805 citações no Google Scholar
  • 33. Resultados (cont.) 33 2 34 2 2 9 1 24 10 18 62 25 3 5 10 5 1 49 10 CI INFORM. CGE EB Ling.Direito EM Eng.In.Prod. Hotel.Rest. MAT Fisica Electr. Design RH Unidades Técnico-Científicas Gráfico de contagem do número de publicações indexadas na WoS e Google Scholar Metrics por unidade Técnico-Científica WoS Google Scholar
  • 34. Resultados (cont.) 34 26 42 70 44 285 70 15 4 61 34 50 240 42 CI INFORM. CGE EB Ling.Direito EM Eng.In.Prod. Hotel.Rest. MAT Fisica Electr. Design RH Unidades Técnico-Científicas Gráfico de contagem do número de citações das publicações na WoS e Google Scholar Metrics por unidade Técnico-Científica WoS Google Scholar
  • 35. Resultados (cont.) 35 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 WoS 5 5 12 12 12 16 15 5 Google Scholar 11 2 8 19 24 25 24 26 25 23 0 5 10 15 20 25 30 Representação gráfica das publicações na WoS e Google Scholar Metrics no período de 2003 a 2013 WoS Google Scholar
  • 36. Conclusão 36 Comprovamos que as Ciências Exactas (HartScience) dispõem de maior significância na produção científica na medida em que conseguem obter uma maior produção do que as Ciências Sociais e Humanidades, com uma maior representação no Google Scholar, devido a esta ser uma base de dados académica em acesso aberto, ao contrário da WoS, que apresenta-se mais restrita com pouca cobertura de conteúdos em acesso aberto. Foi um projeto muito interessante e trabalhoso pois assim podemos verificar e ter a noção da produção científica de determinados autores em ferramentas bibliográficas de avaliação e revisão da actividade científica, avaliando essa mesma informação contabilizando os dados ao nível dos artigos indexados e citados. Foram encontradas algumas dificuldades na pesquisa de todas as publicações nas duas bases de dados e no facto de não conseguirmos obter todas as respostas necessárias ao estudo completo. Este estuda considera-se uma mais-valia para a instituição, pois trata-se de um estudo bibliométrico da representação da produção científica da ESEIG em duas bases de dados muito importantes a nível científico.
  • 37. Referências bibliográficas 37  Macias-Chapula CA. O papel da informetria e da cienciometria e sua perspectiva nacional e internacional. CiênInform. 1998;27(2):134-40.  Araújo CA. Bibliometria: evolução histórica e questões atuais. Em Questão, Porto Alegre. 2006;12(12):11-32.  VANTI, Nadia Aurora Peres – Da bibliometria à webmetria: uma explosão conceitual dos mecanismos utilizados para medir o registro da informação e a difusão do conhecimento. Ci. Inf., Brasília, v. 31,maio/ago. 2002.  BRAMBILLA, S. D. S. Produção científica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul representada na Web ofScience: 2000-2009. 2011. Tese (Doutorado em Comunicação e Informação) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação, Porto Alegre, 2001. Disponível em WWW: <URL: http://hdl.handle.net/10183/28922>.  ALVARADO, RubénUrbizagástegui. A Bibliometria: História, Legislação e Estrutura. [Em linha]. Universitylibraries, UniversityofCalifornia, Riverside, California 92517-5900. [Consult. 21 Março 2014]. Disponível em WWW: <URL: http://www.academia.edu/1390400/A_BIBLIOMETRIA_HISTORIA_LEGITIMACAO_E_ESTRUTURA>.  GUEDES, Vânia; BORSCHIVER, Suzana – BIBLIMETRIA: UMA FERRAMENTA ESTATÍSTICA PARA A GESTÃO DA INFORMAÇÃO E DO CONHECIMENTO, EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, COMUNICAÇÃO E DE AVALIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA. [Em linha]. [Consult. 10 Abril 2014.] Disponível em WWW: <URL: http://www.feg.unesp.br/~fmarins/seminarios/Material%20de%20Leitura/Bibliometria/Artigo%20Bibliome tria%20-%20Ferramenta%20estat%EDstica%20VaniaLSGuedes.pdf>
  • 38. Referências bibliográficas (cont.) 38  LUNKES, Rogerio João; FELIU, Vincente; ROSA, Fabricia - PESQUISA SOBRE O ORÇAMENTO NA ESPANHA: UM ESTUDO BIBLIOMETRICO DAS PUBLICAÇÕES EM CONTABILIDADE. [Em linha]. Revista Universo Contabil. [Consult. 10 Abril 2014.] Disponível em WWW: <URL: http://proxy.furb.br/ojs/index.php/universocontabil/article/view/2174>  CASTANHA, Renata; HILÁRIO, Carla; GRACIO, Maria - A PRODUÇÃO CIENTÍFICA DO BRASIL, DA ESPANHA E DE PORTUGAL: análise bibliométrica na área de Matemática no período 2001-2010. [Em linha]. [Consult. 10 Abril 2014.] Disponível em WWW: <URL: https://ocs.letras.up.pt/index.php/EDICIC/edicic2013/paper/view/186>  TARRÉS, Maria Cristina- Análisis bibliométrico de la Revista Medicina y Cine (2005-2008) .[Em linha]. Revista Medicina y cine. [Consult. 10 Abril 2014.] Disponível em WWW: <URL: http://revistamedicinacine.usal.es/index.php/72-vol5/num324/278-analisis-bibliometrico-de-la-revista-medicina-y- cine>  Indicadores da evolução da produção científica da Universidade Federal da Bahia: um estudo bibliométrico na Web ofScience. [Em linha]. Sistemas de bibliotecas UFBA. [Consult. 10 Abril 2014.] Disponível em WWW: <URL: http://www.bdtd.ufba.br/Apresentacao_Indicadores%20producao%20cientifica%20%5Bfinal%5D%2014%5B1%5D.10 %20S.pdf>  Serviços de biblioteca, informação documental e museologia-UA: O prestigio das revistas científicas: indicadores internacionais mais usados. [Em linha].Universidade de Aveiro,2012.[Consult. 15 Maio 2014]. Disponível em WWW: <URL: http://www.slideshare.net/bibliotecasUA/prestgio-de-revistas-cientficas-indicadores>  COSTA, Teresa; LOPES, Sílvia; LILMÓS, Fernando; AMANTE, Maria João; LOPES, Pedro Faria: A Bibliometria e Avaliação da Produção Científica: indicadores e ferramentas. [Em linha]. .[Consult. 15 Maio 2014]. Disponível em WWW: <URL: www.bad.pt/publicacoes/index.php/congressosbad/article/view/.../pdf>.