1 rosita edler-guairaneuropsicologia

97 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
97
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

1 rosita edler-guairaneuropsicologia

  1. 1. Deve ser algo novo, mas muitocomplicado, para entender. Essahistória de cérebro não me interessamuito, porque é difícil.Quero que me ensinem práticas que dãocerto! Pronto! Cada hora é uma novidade só para complicar nossa cabeça. Não gosto nem de pensar o sufoco que foi aprender todos aqueles nomes das formações que tem no cérebro!
  2. 2. Eu imagino que deve ser algo muito legal, mas não sei se estou animado a estudar tanto para compreender a Neurologia, mais ainda temperada de Psicologia...Nossa, deve ser um verdadeiro quebracabeças. Já começa com a referência àaprendizagem humana.Mas os outros animais tambémaprendem e também têm cérebro.Como fica então?Mas, como não quero perder o “trem dahistória”, creio que vale a pena tentaraprender sobre isso!
  3. 3. E VOCÊ, COLEGA EDUCADOR (A)CONCORDA QUE NÃOTEM NADA A PERDERSE TENTAR APRENDER ALGO sobreneuropsicologia ?
  4. 4. A neuropsicologia ou neurociência cognitiva é aciência que investiga a relação sistema nervoso, comportamento e cognição, envolvendo processos cerebrais, psicológicos e mentais.
  5. 5. Do ponto de vista Cerebral Atenção,Do ponto de vista Memória , psicológico: Organização, Desejo, Planejamento, Interesse, Inibição do Motivação, comportamento Auto-estima , positiva... Flexibilização... Do ponto de vista da mente: Pensamento, Consciência, Identidade...
  6. 6. Além de nos fornecer informações sobre ocomportamento, tendo como escopo a atividade cerebral produzida por milhões decélulas neurais, também tratadas influências do ambiente e das relações interpessoais. interpessoais
  7. 7. NÃO! TRATA-SE DE UM ATO REFLEXO !O PISCAR DOS OLHOS FAZ COM QUE A LÁGRIMA SE ESPALHEPARA LIMPAR A CÓRNEA. SIM! TRATA-SE DE UM COMPORTAMENTO APRENDIDO. ENVOLVE MUITAS OPERAÇÕES NEUROFISIOLÓGICAS, SOCIAIS e PSICOLÓGICAS.
  8. 8. APROF SSORA AP SE A UM E RE NT CONJUNT DE L T O E RASSolicitação: Organizar as letras para completar as frases Capital de um país da Europa Sinônimo de galho Sentimento de profunda afeição Presente do indicativo do verbo “armar” Quem habita ou reside E A SOL AÇÃO L VA A UM AT ST ICIT E A IVIDADE M NT COM L XA, E AL PE ENVOL NDO F VE UNÇÕE CE B S RE RAIS, PSICOLÓGICAS E M NT E AIS.
  9. 9. ONDE 10 E 10 NÃO SÃO 20 E, SESOMARMOS 50 , O TOTAL É 11? No relógio quando marca 10h e 10 minutos. Somando-se 50 minutos.... temos 11 horas!!!
  10. 10. Se a charada foiapresentadaverbalmente sãoestimuladas muitasregiões cerebrais,com destaque paraas áreas deWernicke ede Broca.
  11. 11. Se a orientação para solucionar as questões for por meio de um texto escrito, são estimuladas muitas regiões cerebrais, com destaque para o lobo occipital, têmporo-parietal e o frontal.Ouvindo Lendopalavras palavras Falando Imaginando palavras palavras Mas... lembremos que os componentes motivacionais e os emocionais estão SEMPRE presentes!!!
  12. 12. PERCEPÇÃOÉ um processo ativo que envolve procuradas informações; distinção dos aspectosessenciais de um estímulo, comparaçãodesses aspectos uns com outros; aformulação de hipóteses apropriadas e acomparação dessas hipóteses com os dadosoriginais.
  13. 13. Priorização no processamento de certas categorias de informação Sustentada Direcionar a seleção dos estímulos para um única fonte de inform a ação por longo tempo.Formas Dividida Atender, concomitantemente, a duasbásicas ou ou mais fontes de informaçãode atençãoMuir, 1996 alternada Seletiva Direcionar a seleção para um a fonte específica de informação
  14. 14. AT NÇÃO SE E IVA E LT AT NÇÃO DIVIDIDA E EE SUST NT E ADA AL E T RNADA
  15. 15. E AGORA??? No lixo, de novo!Não lembro ondecoloquei as chaves do carro ...
  16. 16. MEMÓRIA DE Curto prazo, operacional TRABALHO Possui capacidade limitada e intervalo de curto armazenamento.SEGUNDO A Serve para “gerenciar a realidade”. FUNÇÃO MEMÓRIA DE LONGA DURAÇÃO Possui capacidade de longo tempo, pois foi “fixada”. Serve para nos dar identidade e para compreendermos a realidade.
  17. 17. Declarativas Permitem narrar fatos, conhecimentos e relatar acontecimentos que estão SEGUNDO arquivados. OCONTEÚDO Procedurais Permitem reter capacidades motoras e sensoriais e traduzi-las em ações, como dirigir um carro.
  18. 18. Permite narrar eventos dosEPISÓDICA quais participamos (contar um filme...).SEMÂNTICA Permite transmitir conhecimentos que adquirimos e armazenamos.
  19. 19. EXPLÍCITA A aquisição é feita com plena intervenção da consciência (reter conhecimentos paraSEGUNDO A redigir um texto com FORMA DEAQUISIÇÃO autonomia). IMPLÍCITA A aquisição é mais ou menos automática, sendo difícil explicitar cada passo da aquisição (como aprender a língua materna ou subir e descer escadas).
  20. 20. MEMÓRIA
  21. 21. COM ESTÍMULOS QUE PERMITEM VER IMAGENS E LER/COMPREENDER PALAVRAS PORQUE AS CONHECEMOS.COM ESTÍMULOS AUDITIVOSCOMPREENSÍVEIS PORQUECONHECEMOS A LÍNGUA FALADA INIBINDO AÇÕES MOTORAS E FLEXIBILIZANDO-AS. VIEMOS POR INTERESSE; PERMANECEMOS POR MOTIVAÇÃO

×