SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 18
A QUESTÃO ENERGÉTICA
Introdução
• Nos últimos 250 anos, houve um grande consumo de energia e
combustíveis.
• Acredita-se que, até 2030, a necessidade de combustíveis e
energia irá dobrar.
• Impasse: degradar ainda mais o meio ambiente ou diminuir a
utilização de fontes de energia, em escala global (diminui o
crescimento econômico, desemprego ...).
• Conceito: energia é a capacidade de produzir trabalho.
Classificação dos recursos energéticos
• Renováveis: energia hidráulica, carvão vegetal, álcool, energia solar
e eólica.
• Não renováveis: petróleo, carvão mineral, gás natural, energia
nuclear, xisto betuminoso.
Classificação das fontes energéticas
• Fontes convencionais: petróleo, carvão mineral, gás natural,
hidroeletricidade, energia nuclear, carvão vegetal, lenha.
• Fontes alternativas: energia eólica, energia solar, álcool, xisto
betuminoso, maremotriz, biomassa, geotérmica.
As principais fontes energéticas do
globo
Petróleo
• É um recurso natural não renovável de fundamental importância
para o mundo contemporâneo.
• Sua origem é orgânica, é encontrado em áreas sedimentares a
partir da era mesozoica com destaque para os terrenos cenozoicos.
• Áreas produtoras – Oriente Médio (destaque para a Arábia
Saudita), Rússia, EUA, México, Venezuela, Nigéria, Indonésia e
Noruega.
• Duas grandes crises do petróleo (1973/1979).
Petróleo
Motivos da crise:
• criação da OPEP (1960);
• boato de que o petróleo iria esgotar num prazo de tempo pequeno;
• atuação das sete irmãs.
• A crise do petróleo fez com que o mundo passasse a buscar novas
fontes alternativas de energia. No Brasil houve investimento no
Proálcool e na prospecção de petróleo no litoral.
• O poder de pressão da OPEP para aumentar os preços do petróleo
diminui.
Motivos:
• interesses políticos, estratégicos e econômicos fizeram com que os
países-membros da OPEP não conseguissem manter a unidade;
• países ricos e de economias emergentes tomaram medidas para
evitar a dependência excessiva do petróleo.
Desvantagens no uso do petróleo
• Derramamento acidental ou mesmo proposital
(limpeza de navios)
• Aumento do efeito estufa.
• Os subprodutos do petróleo, como
fertilizantes, inseticidas, fungicidas e
herbicidas, contaminam o meio ambiente.
• Os derivados produzidos pela indústria
petroquímica, como plásticos, fibras sintéticas,
tintas etc., não são biodegradáveis.
Reservas Mundiais de Petróleo
Produção e consumo de Petróleo
Gás Natural
• O gás natural é um combustível fóssil não renovável, ou seja, ele irá
se esgotar na natureza. O gás natural é encontrado em jazidas ou
depósitos subterrâneos, que normalmente estão associados ao
petróleo, pois essas duas substâncias passam pelo mesmo
processo de transformação (decomposição da matéria orgânica
durante milhares de anos) e se acumulam no mesmo tipo de
terreno.
• Esse combustível gasoso, apresenta grande teor energético, sendo
bastante aproveitado nas indústrias para a geração de energia
elétrica. Ele também pode ser empregado no aquecimento
ambiental e nas aplicações domésticas de residências e como
combustível em automóveis.
O carvão mineral, também conhecido como carvão de
pedra, é uma substância sólida de origem orgânica
resultante da transformação de restos vegetais
soterrados há milhões de anos;
Os principais depósitos de carvão mineral se formaram
durante a Era Paleozoica, há cerca de 350 milhões de
anos;
O carvão mineral assumiu importância mundial a partir
do século XVIII, com a Revolução Industrial e se
constituiu como uma fonte de energia básica até a
primeira metade do século XX, quando foi superado pelo
petróleo. Apesar disso, continua sendo uma das mais
importantes fontes de energia da atualidade .
CARVÃO MINERAL
Turfa: É a primeira fase. Refere-se à deposição e à
putrefação dos restos vegetais em ambientes de
várzeas ou de pântanos. Apresenta baixo teor calorífico.
Linhito: É o segundo estágio. Trata-se de material
escuro e que ainda apresenta elevado percentual de
água e baixo percentual de carbono.
Hulha: É a terceira etapa, ou carvão propriamente dito.
É sólida, tem cor negra e pode ser transformada em
coque (carvão metalúrgico).
Antracito: É o último estágio. Apresenta elevado teor
de carbono (90 a 96%), cor negra, brilho vítreo e
elevada dureza. É muito utilizado para aquecimento
doméstico.
Desvantagens no uso do carvão
• Responsável pelo aquecimento global e pela chuva ácida.
• A extração do carvão provoca sérios danos à saúde dos
trabalhadores, além de provocar erosão e empobrecimento dos
solos e contamina as águas superficiais e subterrâneas por
compostos metálicos tóxicos.
• Principais áreas produtoras: China, EUA, Índia, Austrália,
Federação Russa ...
Energia hidráulica (hidroeletricidade)
• A utilização para movimentar moinhos é antiga, já tem mais de mil
anos.
• Para a produção de energia elétrica, a primeira fase de destaque é
a 2ª metade do séc. XIX (Europa e EUA). A segunda fase de
destaque é após a Segunda Guerra Mundial, quando ganhou uma
real importância com elevado número de usinas.
• Vantagens: não provoca diretamente grande poluição e não se
esgota, se for usada de maneira correta.
• Desvantagens: provoca grande impacto socioambiental (expulsão
da população, imersão de cidades, perda de solos cultiváveis etc.).
Baseia-se na fissão do átomo.
Matéria-prima: urânio ou tório.
Países que mais consomem energia nuclear: Lituânia, França, Bélgica,
Ucrânia, Suécia etc.
Desvantagens: efeitos poluidores, inquietação popular, lixo atômico
(plutônio) e perigo de um eventual acidente.
Reatores de regeneração – vão utilizar o plutônio como matéria-prima.
Deverão se basear na fusão do átomo.
Energia nuclear
Por: Joemille

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Problemas ambientais urbanos
Problemas ambientais urbanosProblemas ambientais urbanos
Problemas ambientais urbanosFatima Freitas
 
Região e Regionalização do Espaço Geográfico
Região e Regionalização do Espaço GeográficoRegião e Regionalização do Espaço Geográfico
Região e Regionalização do Espaço Geográficopaulotmo
 
Fontes de energia geografia
Fontes de energia geografia Fontes de energia geografia
Fontes de energia geografia Eduardo Mendes
 
Europa sociedade
Europa   sociedadeEuropa   sociedade
Europa sociedadeProfessor
 
O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2017)
O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2017)O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2017)
O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2017)Nefer19
 
A indústria no brasil
A indústria no brasilA indústria no brasil
A indústria no brasilProfessor
 
Regionalização do espaço mundial
Regionalização do espaço mundialRegionalização do espaço mundial
Regionalização do espaço mundialLUIS ABREU
 
População Economicamente Ativa PEA e Setores economia
População Economicamente Ativa PEA e Setores economiaPopulação Economicamente Ativa PEA e Setores economia
População Economicamente Ativa PEA e Setores economiaEduardo Mendes
 
IECJ - Cap. 15 - A organização do espaço na Amazônia
IECJ - Cap. 15 - A organização do espaço na AmazôniaIECJ - Cap. 15 - A organização do espaço na Amazônia
IECJ - Cap. 15 - A organização do espaço na Amazôniaprofrodrigoribeiro
 
Fontes de energia
Fontes de energiaFontes de energia
Fontes de energiaArtur Lara
 
Dit divisão internacional do trabalho.
Dit divisão internacional do trabalho.Dit divisão internacional do trabalho.
Dit divisão internacional do trabalho.Camila Brito
 
Espaço agrário
Espaço agrárioEspaço agrário
Espaço agrárioAlmir
 

Mais procurados (20)

Problemas ambientais urbanos
Problemas ambientais urbanosProblemas ambientais urbanos
Problemas ambientais urbanos
 
População mundial
População mundialPopulação mundial
População mundial
 
Região e Regionalização do Espaço Geográfico
Região e Regionalização do Espaço GeográficoRegião e Regionalização do Espaço Geográfico
Região e Regionalização do Espaço Geográfico
 
Fontes de energia geografia
Fontes de energia geografia Fontes de energia geografia
Fontes de energia geografia
 
Europa sociedade
Europa   sociedadeEuropa   sociedade
Europa sociedade
 
O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2017)
O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2017)O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2017)
O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2017)
 
A indústria no brasil
A indústria no brasilA indústria no brasil
A indústria no brasil
 
Brasil fontes de energia
Brasil   fontes de energiaBrasil   fontes de energia
Brasil fontes de energia
 
Regionalização do espaço mundial
Regionalização do espaço mundialRegionalização do espaço mundial
Regionalização do espaço mundial
 
População Economicamente Ativa PEA e Setores economia
População Economicamente Ativa PEA e Setores economiaPopulação Economicamente Ativa PEA e Setores economia
População Economicamente Ativa PEA e Setores economia
 
IECJ - Cap. 15 - A organização do espaço na Amazônia
IECJ - Cap. 15 - A organização do espaço na AmazôniaIECJ - Cap. 15 - A organização do espaço na Amazônia
IECJ - Cap. 15 - A organização do espaço na Amazônia
 
Continente asiático
Continente asiáticoContinente asiático
Continente asiático
 
Extrativismo e agropecuária
Extrativismo e agropecuáriaExtrativismo e agropecuária
Extrativismo e agropecuária
 
Consumo e meio ambiente 9º ano
Consumo e meio ambiente 9º anoConsumo e meio ambiente 9º ano
Consumo e meio ambiente 9º ano
 
Fontes de energia
Fontes de energiaFontes de energia
Fontes de energia
 
O Território Brasileiro
O Território BrasileiroO Território Brasileiro
O Território Brasileiro
 
O continente asiático
O continente asiáticoO continente asiático
O continente asiático
 
Fontes de energia do brasil
Fontes de energia do brasilFontes de energia do brasil
Fontes de energia do brasil
 
Dit divisão internacional do trabalho.
Dit divisão internacional do trabalho.Dit divisão internacional do trabalho.
Dit divisão internacional do trabalho.
 
Espaço agrário
Espaço agrárioEspaço agrário
Espaço agrário
 

Semelhante a As principais fontes energéticas globais

Aula1 producao de_energia_nao_renovaveis
Aula1 producao de_energia_nao_renovaveisAula1 producao de_energia_nao_renovaveis
Aula1 producao de_energia_nao_renovaveisAlano Hellery Alano
 
Recursos Não Renováveis
Recursos Não RenováveisRecursos Não Renováveis
Recursos Não RenováveisCatiabarbosa
 
Carvão mineral e gás mineral.
Carvão mineral e gás mineral.Carvão mineral e gás mineral.
Carvão mineral e gás mineral.Josenilson S'ilva
 
Modulo 10 - A Exploração dos recursos energéticos
Modulo 10 - A Exploração dos recursos energéticosModulo 10 - A Exploração dos recursos energéticos
Modulo 10 - A Exploração dos recursos energéticosClaudio Henrique Ramos Sales
 
Petróleo e Gás Natural - 10º B
Petróleo e Gás Natural - 10º BPetróleo e Gás Natural - 10º B
Petróleo e Gás Natural - 10º BFísica Química A
 
gps8_rec_naturais.ppt
gps8_rec_naturais.pptgps8_rec_naturais.ppt
gps8_rec_naturais.pptCarla357419
 
6377042 a-intervencao-do-homem-nos-subsistemas-terrestres-
6377042 a-intervencao-do-homem-nos-subsistemas-terrestres-6377042 a-intervencao-do-homem-nos-subsistemas-terrestres-
6377042 a-intervencao-do-homem-nos-subsistemas-terrestres-Rafael Duarte
 
Os Recursos Naturais
Os Recursos NaturaisOs Recursos Naturais
Os Recursos NaturaisDiogo Mateus
 
O abandono dos combustíveis fósseis 2 b
O abandono dos combustíveis fósseis 2 bO abandono dos combustíveis fósseis 2 b
O abandono dos combustíveis fósseis 2 bmaripeu
 
Recursos nao renovaveis
Recursos nao renovaveisRecursos nao renovaveis
Recursos nao renovaveisCatiabarbosa
 
Gps8 rec naturais
Gps8 rec naturaisGps8 rec naturais
Gps8 rec naturaisCarla Asc
 
9º ano (cap1) Recursos Naturais e combustíveis fósseis
9º ano (cap1) Recursos Naturais e combustíveis fósseis 9º ano (cap1) Recursos Naturais e combustíveis fósseis
9º ano (cap1) Recursos Naturais e combustíveis fósseis Alexandre Alves
 
Energias NãO RenováVeis Ana Henriques 1
Energias  NãO  RenováVeis Ana Henriques 1Energias  NãO  RenováVeis Ana Henriques 1
Energias NãO RenováVeis Ana Henriques 1guest69ca1e7
 
Os Recursos não Renováveis
Os Recursos não RenováveisOs Recursos não Renováveis
Os Recursos não RenováveisDavid Santiago
 
Caps. 11 e 12 - Indústrias e energia
Caps. 11 e 12 - Indústrias e energiaCaps. 11 e 12 - Indústrias e energia
Caps. 11 e 12 - Indústrias e energiaAcácio Netto
 

Semelhante a As principais fontes energéticas globais (20)

Aula1 producao de_energia_nao_renovaveis
Aula1 producao de_energia_nao_renovaveisAula1 producao de_energia_nao_renovaveis
Aula1 producao de_energia_nao_renovaveis
 
Recursos Não Renováveis
Recursos Não RenováveisRecursos Não Renováveis
Recursos Não Renováveis
 
Carvão mineral e gás mineral.
Carvão mineral e gás mineral.Carvão mineral e gás mineral.
Carvão mineral e gás mineral.
 
Fontes de energia
Fontes de energia Fontes de energia
Fontes de energia
 
Modulo 10 - A Exploração dos recursos energéticos
Modulo 10 - A Exploração dos recursos energéticosModulo 10 - A Exploração dos recursos energéticos
Modulo 10 - A Exploração dos recursos energéticos
 
Petróleo e Gás Natural - 10º B
Petróleo e Gás Natural - 10º BPetróleo e Gás Natural - 10º B
Petróleo e Gás Natural - 10º B
 
gps8_rec_naturais.ppt
gps8_rec_naturais.pptgps8_rec_naturais.ppt
gps8_rec_naturais.ppt
 
6377042 a-intervencao-do-homem-nos-subsistemas-terrestres-
6377042 a-intervencao-do-homem-nos-subsistemas-terrestres-6377042 a-intervencao-do-homem-nos-subsistemas-terrestres-
6377042 a-intervencao-do-homem-nos-subsistemas-terrestres-
 
Os Recursos Naturais
Os Recursos NaturaisOs Recursos Naturais
Os Recursos Naturais
 
O abandono dos combustíveis fósseis 2 b
O abandono dos combustíveis fósseis 2 bO abandono dos combustíveis fósseis 2 b
O abandono dos combustíveis fósseis 2 b
 
Recursos Energéticos
Recursos EnergéticosRecursos Energéticos
Recursos Energéticos
 
Recursos nao renovaveis
Recursos nao renovaveisRecursos nao renovaveis
Recursos nao renovaveis
 
Geografia - Fontes de Energia.
Geografia - Fontes de Energia.Geografia - Fontes de Energia.
Geografia - Fontes de Energia.
 
Gps8 rec naturais
Gps8 rec naturaisGps8 rec naturais
Gps8 rec naturais
 
9º ano (cap1) Recursos Naturais e combustíveis fósseis
9º ano (cap1) Recursos Naturais e combustíveis fósseis 9º ano (cap1) Recursos Naturais e combustíveis fósseis
9º ano (cap1) Recursos Naturais e combustíveis fósseis
 
Energias NãO RenováVeis Ana Henriques 1
Energias  NãO  RenováVeis Ana Henriques 1Energias  NãO  RenováVeis Ana Henriques 1
Energias NãO RenováVeis Ana Henriques 1
 
Os Recursos não Renováveis
Os Recursos não RenováveisOs Recursos não Renováveis
Os Recursos não Renováveis
 
Energia
EnergiaEnergia
Energia
 
Caps. 11 e 12 - Indústrias e energia
Caps. 11 e 12 - Indústrias e energiaCaps. 11 e 12 - Indústrias e energia
Caps. 11 e 12 - Indústrias e energia
 
fontes de energia-.pptx
fontes de energia-.pptxfontes de energia-.pptx
fontes de energia-.pptx
 

Mais de Joemille Leal

Dia Internacional da Mulher 
Dia Internacional da Mulher Dia Internacional da Mulher 
Dia Internacional da Mulher Joemille Leal
 
Walter Benedix Schönflies Benjamin
Walter Benedix Schönflies BenjaminWalter Benedix Schönflies Benjamin
Walter Benedix Schönflies BenjaminJoemille Leal
 
Currículo, Utopia e Pós-Modernidade
Currículo, Utopia e Pós-Modernidade Currículo, Utopia e Pós-Modernidade
Currículo, Utopia e Pós-Modernidade Joemille Leal
 
O Perfil do novo profissional frente as novas Tecnologias
O Perfil do novo profissional frente as novas TecnologiasO Perfil do novo profissional frente as novas Tecnologias
O Perfil do novo profissional frente as novas TecnologiasJoemille Leal
 
O Período Sensório Motor, Jean Piaget
O Período Sensório Motor, Jean Piaget O Período Sensório Motor, Jean Piaget
O Período Sensório Motor, Jean Piaget Joemille Leal
 
HISTÓRIA DAS CRIANÇAS NO BRASIL
HISTÓRIA DAS CRIANÇAS NO BRASIL  HISTÓRIA DAS CRIANÇAS NO BRASIL
HISTÓRIA DAS CRIANÇAS NO BRASIL Joemille Leal
 
Reforma do Ensino Médio - Considerações Finais
Reforma do Ensino Médio - Considerações FinaisReforma do Ensino Médio - Considerações Finais
Reforma do Ensino Médio - Considerações FinaisJoemille Leal
 
Trabalho de Roanld - MOFO
Trabalho de Roanld - MOFOTrabalho de Roanld - MOFO
Trabalho de Roanld - MOFOJoemille Leal
 

Mais de Joemille Leal (20)

Dia Internacional da Mulher 
Dia Internacional da Mulher Dia Internacional da Mulher 
Dia Internacional da Mulher 
 
Walter Benedix Schönflies Benjamin
Walter Benedix Schönflies BenjaminWalter Benedix Schönflies Benjamin
Walter Benedix Schönflies Benjamin
 
Matrizes Africanas
Matrizes AfricanasMatrizes Africanas
Matrizes Africanas
 
Handebol
HandebolHandebol
Handebol
 
Gripe
GripeGripe
Gripe
 
ENEM 2015
ENEM 2015ENEM 2015
ENEM 2015
 
ENEM 2016
ENEM 2016ENEM 2016
ENEM 2016
 
BRASIL X EUA
BRASIL X EUABRASIL X EUA
BRASIL X EUA
 
Homo Neandertal
Homo Neandertal Homo Neandertal
Homo Neandertal
 
MT ST
MT STMT ST
MT ST
 
Revolta da Chibata
Revolta da ChibataRevolta da Chibata
Revolta da Chibata
 
Skinner
SkinnerSkinner
Skinner
 
Currículo, Utopia e Pós-Modernidade
Currículo, Utopia e Pós-Modernidade Currículo, Utopia e Pós-Modernidade
Currículo, Utopia e Pós-Modernidade
 
O Perfil do novo profissional frente as novas Tecnologias
O Perfil do novo profissional frente as novas TecnologiasO Perfil do novo profissional frente as novas Tecnologias
O Perfil do novo profissional frente as novas Tecnologias
 
O Período Sensório Motor, Jean Piaget
O Período Sensório Motor, Jean Piaget O Período Sensório Motor, Jean Piaget
O Período Sensório Motor, Jean Piaget
 
HISTÓRIA DAS CRIANÇAS NO BRASIL
HISTÓRIA DAS CRIANÇAS NO BRASIL  HISTÓRIA DAS CRIANÇAS NO BRASIL
HISTÓRIA DAS CRIANÇAS NO BRASIL
 
BULLYING
BULLYING  BULLYING
BULLYING
 
Reforma do Ensino Médio - Considerações Finais
Reforma do Ensino Médio - Considerações FinaisReforma do Ensino Médio - Considerações Finais
Reforma do Ensino Médio - Considerações Finais
 
Autoestima
Autoestima Autoestima
Autoestima
 
Trabalho de Roanld - MOFO
Trabalho de Roanld - MOFOTrabalho de Roanld - MOFO
Trabalho de Roanld - MOFO
 

Último

DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesMary Alvarenga
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Susana Stoffel
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfAnaGonalves804156
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdfJorge Andrade
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniCassio Meira Jr.
 

Último (20)

DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
 

As principais fontes energéticas globais

  • 2. Introdução • Nos últimos 250 anos, houve um grande consumo de energia e combustíveis. • Acredita-se que, até 2030, a necessidade de combustíveis e energia irá dobrar. • Impasse: degradar ainda mais o meio ambiente ou diminuir a utilização de fontes de energia, em escala global (diminui o crescimento econômico, desemprego ...). • Conceito: energia é a capacidade de produzir trabalho.
  • 3. Classificação dos recursos energéticos • Renováveis: energia hidráulica, carvão vegetal, álcool, energia solar e eólica. • Não renováveis: petróleo, carvão mineral, gás natural, energia nuclear, xisto betuminoso.
  • 4. Classificação das fontes energéticas • Fontes convencionais: petróleo, carvão mineral, gás natural, hidroeletricidade, energia nuclear, carvão vegetal, lenha. • Fontes alternativas: energia eólica, energia solar, álcool, xisto betuminoso, maremotriz, biomassa, geotérmica.
  • 5. As principais fontes energéticas do globo Petróleo • É um recurso natural não renovável de fundamental importância para o mundo contemporâneo. • Sua origem é orgânica, é encontrado em áreas sedimentares a partir da era mesozoica com destaque para os terrenos cenozoicos. • Áreas produtoras – Oriente Médio (destaque para a Arábia Saudita), Rússia, EUA, México, Venezuela, Nigéria, Indonésia e Noruega. • Duas grandes crises do petróleo (1973/1979).
  • 7. Motivos da crise: • criação da OPEP (1960); • boato de que o petróleo iria esgotar num prazo de tempo pequeno; • atuação das sete irmãs. • A crise do petróleo fez com que o mundo passasse a buscar novas fontes alternativas de energia. No Brasil houve investimento no Proálcool e na prospecção de petróleo no litoral. • O poder de pressão da OPEP para aumentar os preços do petróleo diminui.
  • 8. Motivos: • interesses políticos, estratégicos e econômicos fizeram com que os países-membros da OPEP não conseguissem manter a unidade; • países ricos e de economias emergentes tomaram medidas para evitar a dependência excessiva do petróleo.
  • 9. Desvantagens no uso do petróleo • Derramamento acidental ou mesmo proposital (limpeza de navios) • Aumento do efeito estufa. • Os subprodutos do petróleo, como fertilizantes, inseticidas, fungicidas e herbicidas, contaminam o meio ambiente. • Os derivados produzidos pela indústria petroquímica, como plásticos, fibras sintéticas, tintas etc., não são biodegradáveis.
  • 10. Reservas Mundiais de Petróleo
  • 11. Produção e consumo de Petróleo
  • 12. Gás Natural • O gás natural é um combustível fóssil não renovável, ou seja, ele irá se esgotar na natureza. O gás natural é encontrado em jazidas ou depósitos subterrâneos, que normalmente estão associados ao petróleo, pois essas duas substâncias passam pelo mesmo processo de transformação (decomposição da matéria orgânica durante milhares de anos) e se acumulam no mesmo tipo de terreno. • Esse combustível gasoso, apresenta grande teor energético, sendo bastante aproveitado nas indústrias para a geração de energia elétrica. Ele também pode ser empregado no aquecimento ambiental e nas aplicações domésticas de residências e como combustível em automóveis.
  • 13. O carvão mineral, também conhecido como carvão de pedra, é uma substância sólida de origem orgânica resultante da transformação de restos vegetais soterrados há milhões de anos; Os principais depósitos de carvão mineral se formaram durante a Era Paleozoica, há cerca de 350 milhões de anos; O carvão mineral assumiu importância mundial a partir do século XVIII, com a Revolução Industrial e se constituiu como uma fonte de energia básica até a primeira metade do século XX, quando foi superado pelo petróleo. Apesar disso, continua sendo uma das mais importantes fontes de energia da atualidade . CARVÃO MINERAL
  • 14. Turfa: É a primeira fase. Refere-se à deposição e à putrefação dos restos vegetais em ambientes de várzeas ou de pântanos. Apresenta baixo teor calorífico. Linhito: É o segundo estágio. Trata-se de material escuro e que ainda apresenta elevado percentual de água e baixo percentual de carbono. Hulha: É a terceira etapa, ou carvão propriamente dito. É sólida, tem cor negra e pode ser transformada em coque (carvão metalúrgico). Antracito: É o último estágio. Apresenta elevado teor de carbono (90 a 96%), cor negra, brilho vítreo e elevada dureza. É muito utilizado para aquecimento doméstico.
  • 15. Desvantagens no uso do carvão • Responsável pelo aquecimento global e pela chuva ácida. • A extração do carvão provoca sérios danos à saúde dos trabalhadores, além de provocar erosão e empobrecimento dos solos e contamina as águas superficiais e subterrâneas por compostos metálicos tóxicos. • Principais áreas produtoras: China, EUA, Índia, Austrália, Federação Russa ...
  • 16. Energia hidráulica (hidroeletricidade) • A utilização para movimentar moinhos é antiga, já tem mais de mil anos. • Para a produção de energia elétrica, a primeira fase de destaque é a 2ª metade do séc. XIX (Europa e EUA). A segunda fase de destaque é após a Segunda Guerra Mundial, quando ganhou uma real importância com elevado número de usinas. • Vantagens: não provoca diretamente grande poluição e não se esgota, se for usada de maneira correta. • Desvantagens: provoca grande impacto socioambiental (expulsão da população, imersão de cidades, perda de solos cultiváveis etc.).
  • 17. Baseia-se na fissão do átomo. Matéria-prima: urânio ou tório. Países que mais consomem energia nuclear: Lituânia, França, Bélgica, Ucrânia, Suécia etc. Desvantagens: efeitos poluidores, inquietação popular, lixo atômico (plutônio) e perigo de um eventual acidente. Reatores de regeneração – vão utilizar o plutônio como matéria-prima. Deverão se basear na fusão do átomo. Energia nuclear

Notas do Editor

  1. Este modelo pode ser usado como arquivo de partida para fornecer atualizações para um projeto do projeto. Seções Clique com o botão direito em um slide para adicionar seções. Seções podem ajudar a organizar slides ou a facilitar a colaboração entre vários autores. Anotações Use a seção Anotações para anotações da apresentação ou para fornecer detalhes adicionais ao público. Exiba essas anotações no Modo de Exibição de Apresentação durante a sua apresentação. Considere o tamanho da fonte (importante para acessibilidade, visibilidade, gravação em vídeo e produção online) Cores coordenadas Preste atenção especial aos gráficos, tabelas e caixas de texto. Leve em consideração que os participantes irão imprimir em preto-e-branco ou escala de cinza. Execute uma impressão de teste para ter certeza de que as suas cores irão funcionar quando forem impressas em preto-e-branco puros e escala de cinza. Elementos gráficos, tabelas e gráficos Mantenha a simplicidade: se possível, use estilos e cores consistentes e não confusos. Rotule todos os gráficos e tabelas.
  2. Do que se trata o projeto? Defina a meta deste projeto É semelhante a projetos anteriores ou se trata de um novo esforço? Defina o escopo deste projeto É um projeto independente ou está relacionado a outros projetos? * Observe que este slide não é necessário para reuniões de status semanais
  3. * Se qualquer um desses essas questões causaram um atraso de cronograma ou apontaram a necessidade de discussão adicional. Detalhes no próximo slide.
  4. Duplique este slide, conforme o necessário, se houver mais de uma questão. Este slide e slides relacionados pode ser movido para o anexo ou oculto, se necessário.