Geografia - Fontes de Energia.

1.357 visualizações

Publicada em

Geografia - Fontes de Energia.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.357
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
71
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Geografia - Fontes de Energia.

  1. 1. GEOGRAFIA FONTES DE ENERGIA.
  2. 2. FONTES DE ENERGIA  Crescente necessidade por energia.  De séculos atrás ao futuro.  Os grandes níveis de produção e consumo de energia apresentados pela sociedade atual fazer refletir a questão energética mundial.  GRÁFICOS  2010: Petróleo - 32,2% Carvão - 30,8% Gás natural - 23,7%
  3. 3. MATRIZ ENEGÉTICA MUNDIAL  Os seres humanos usam energia para realização de tarefas desde os primórdios. Pré-história: uso da força animal como fonte de energia (arava-se a terra e usava-se como meio de transporte).  Fogo: 200 mil anos atrás, primeira fonte de energia.
  4. 4. MATRIZ ENEGÉTICA MUNDIAL  Nos últimos séculos, progressos técnicos levaram ao uso de fontes energéticas.  Revolução Industrial: mudança radical no setor energético.  Já que novas máquinas e equipamentos foram implantados no sistema produtivo, a demanda por energia foi ampliada de forma significante.  Carvão foi usado como a primeira fonte de energia nesse caso.  Sua queima gerava energia através do vapor.  O vapor movimentava as máquinas industriais.
  5. 5. MATRIZ ENEGÉTICA MUNDIAL  Fim do Século XIX/ início do Século XX: a invenção do motor à explosão fez com que a principal fonte de energia fosse o petróleo e seus derivados.  Utilização em escala crescente para impulsionar máquinas industriais e meios de transporte.  Petróleo foi a fonte de energia mais importante da Segunda Revolução Industrial (que se estendeu até meados do Século XX).
  6. 6. MATRIZ ENEGÉTICA MUNDIAL  Petróleo e carvão mineral são as fontes mais utilizadas do mundo.  Porém, outras fontes de energia também são utilizadas atualmente.  Exemplo: energia nuclear, hidráulica, eólica e solar são utilizadas como meio de suprir a crescente demanda energética gerada pela expansão das atividades econômicas e aumento do consumo doméstico.  O consumo aumentou nos últimos anos.  O maior consumo per capita se concentra nos países ricos e desenvolvidos.  Elevado grau de necessidade energética é associado ao nível de industrialização.  Elevado consumo doméstico (possibilidade de melhores condições socioeconômicas).
  7. 7. MATRIZ ENEGÉTICA MUNDIAL  OCDE – Organização para a cooperação e desenvolvimento econômico.  Reúne 34 países, sendo os mais ricos e industrializados.  Representa 45% dos consumo energético mundial.  Algumas dos representantes: EUA, Rússia, Canadá e Arábia Saudita.
  8. 8. CLASSIFICAÇÃO DAS FONTES DE ENERGIA  Primárias: utilizadas e encontradas na natureza. Como lenha (usada em fogões à lenha).  Secundárias: necessitam de tratamento ou processo de transformação para a sua produção. Ao exemplo da gasolina e diesel (refinaria de petróleo).  Renováveis: capacidade de se recompor rapidamente. Tal qual a energia hidrelétrica.  Não-renováveis: incapacidade de recomposição rápida. Como, por exemplo, o combustível fóssil (petróleo, carvão mineral, gás natural, entre outros, levam milhares de anos para se recompor).  Convencionais: amplamente difundidas e utilizadas em sociedade. Exemplo: Petróleo.  Alternativas: utilizadas em menor escala. Exemplo: energia solar e eólica.
  9. 9. Petróleo
  10. 10. PETRÓLEO  Hidrocarboneto.  Origem orgânica, formação através de decomposição de microrganismos (animais e vegetais).  Acúmulo no fundo de antigos ambiente aquáticos (mares e lago).  Cobertos por camadas de sedimentos, submetidos à grande pressão e temperaturas elevadas.  Os depósitos de petróleo ficam aprisionados por rochas impermeáveis.
  11. 11. PETRÓLEO  Também conhecido como óleo de pedra.  Coloração escura.  Encontrado em estado líquido em depósitos naturais acumulados em rochas porosas sedimentares (arenito e calcário).  Localizado em diversas profundidades.  Tanto na parte continental, quanto na parte de mares e oceanos.
  12. 12. PETRÓLEO  Século XX: primeiras indústrias petroquímicas, petróleo passou a ser muito utilizado.  Atualmente, responde por 33% da matriz mundial.  Versatilidade.  Transportado facilmente em grandes distâncias (custo relativamente baixo).  Diversidade de derivados.  Qualidade do petróleo encontrado em jazidas varia conforme suas propriedades caloríferas e qualidades físico-químicas.
  13. 13. PETRÓLEO  Classificação da qualidade do petróleo:  Petróleo leve: maior aplicação comercial, processado com maior facilidade nas refinarias (suas cadeias de carbono são pequenas – cerca de 10 átomos).  Petróleo pesado: menor uso comercial, estruturas moleculares grandes (até mais de 70 átomos), para refinar, o custo é mais alto.  A partir da refinaria, pode-se obter diversos combustíveis (gasolina, óleo, etc) e subprodutos (lubrificantes, graxas, etc). No processo de refino, o petróleo é aquecido numa torre de destilação. A temperatura diminui gradativamente ao longo da torre, assim, são gerados diferentes produtos.
  14. 14. PETRÓLEO NO MUNDO: PRODUÇÃO, CONSUMO E FLUXOS.  Recurso não renovável: tende a se esgotar com o tempo.  As estimativas mais pessimistas preveem que essa fonte se esgote dentro de 40 anos.  Porém, algumas pesquisas, aponta que há poucas chances disso acontecer, considerando que novas jazidas e novas tecnologias a respeito podem ser descobertas.  Desequilíbrio entre produtores e consumidores.
  15. 15. GEOPOLÍTICA DO PRETRÓLEO  Primeiros poços encontrados: 1859, Pensilvânia (EUA).  Desde lá, o petróleo tornou-se o principal combustível responsável pelo crescimento econômico e industrial de muitos países (primeiras décadas do Século XX).  Uma das mais importantes indústrias contemporâneas: petrolíferas.  1928: As sete maiores empresas produtoras de petróleo (de origem europeia e estadunidense) se uniram e fizeram um acordo no qual detinham o controle da maior parte do mercado petrolífero. Dividiam entre si o mercado mundial, exercendo influência sobre a exploração, transporte, refino e distribuição do “ouro negro”.  Jazidas exploradas, sobretudo, no Oriente Médio, África e América Latina.
  16. 16. AS SETE IRMÃS, NACIONALIZAÇÃO DO PETRÓLEO.  Para romper o domínio das “sete irmãs”, alguns países adotaram uma política que criou empresas estatais para atuar nas principais etapas da atividade, política de nacionalização do petróleo.  Criada a OPEP – Organização dos países exportadores de petróleo.  Membros: Arábia Saudita, Irã, Iraque, Kwait e Venezuela.
  17. 17. OS CHOQUES DO PETRÓLEO  1973 – Yom Kippur.  Os países da OPEP aproveitaram a instabilidade criada pela Guerra Yom Kippur e ameaçaram reduzir a produção e o fornecimento, de modo a aumentar o preço do produto bruto.  Em algumas semanas, o preço do barril foi de US$ 2,47 para US$ 12.  Esse episódio ficou conhecido como o primeiro choque do petróleo.
  18. 18. OS CHOQUES DO PETRÓLEO  1980 – Irã/Iraque.  Grande impacto no mercado.  Temendo a escassez do produto, países ampliaram a importação do produto para fizessem reservas de tal energia.  A alta demanda e o conflito bélico fizeram com que o preço alcançasse US$ 34.  Esse foi o segundo choque do petróleo.
  19. 19. OS CHOQUES DO PETRÓLEO  As altas do petróleo alteraram a economia mundial.  Dificultaram a recuperação econômica das nações desenvolvidas.  Maiores impactos nos países subdesenvolvidos, tipo Brasil.  Gastos elevados na importação de petróleo.  Afetaram a balança comercial: aumento de déficits.  1990 – Guerra do Golfo (1ª): Iraque invadiu o Kuwait para se apossar das suas jazidas de petróleo.  Iraque foi derrotado pela união dos EUA e Grã-Bretanha.  Atualmente, o preço do petróleo está entre US$ 50 e 60/barril.
  20. 20. Carvão Mineral
  21. 21. CARVÃO MINERAL  Encontrado em estratos rochosos sedimentares.  Originado da decomposição de restos orgânicos das antigas florestas.  Em termos geológicos, considerado um tipo de rocha com concentração de carbono resultante da decomposição e sedimentação de matéria orgânica.  Soterradas em alta pressão e ausência de oxigênio.  Se transforma, ao longo do tempo, em material rochoso.
  22. 22. CARVÃO MINERAL  Moveu as primeiras máquinas a vapor.  Primeira Revolução Industrial.  Segunda fonte energética mais utilizada no mundo.  Muito utilizado como combustível nas termelétricas.  Serve de matéria-prima para: asfalto, piche, plásticos, tintas, corantes e inseticidas.  Termelétricas: geram energia através do vapor produzido na queima do carvão.
  23. 23. CARVÃO MINERAL  Mais abundante fonte de energia (não renovável) do mundo.  Reservas atuais, talvez, durem cerca de 200 anos.  Mais de 60% das reservas está localizada nos EUA, Rússia e China.  Alto valor/poder calorífero.  Desvantagens: carvão libera grande quantidade de gases químicos poluentes ao ser queimado (EX: CO, CO2, SO3...). Tais gases contribuem para o agravamento de problemas ambientais (efeito estufa, chuva ácida, etc).
  24. 24. Gás Natural
  25. 25. GÁS NATURAL  Combustível fóssil.  Origem orgânica.  Formado por hidrocarbonetos leves, gasosos, principalmente metano.  Encontrado em rochas sedimentares porosas.  Ocorrência no subsolo, pode ou não estar associada a depósitos de petróleo.
  26. 26. GÁS NATURAL  Terceira fonte mais utilizada no mundo.  24% da matriz energética mundial.  Baixo custo.  Transporte em dutos.  Menor teor poluente.  Utilizado para consumo doméstico.  Utilizado em indústrias (geração de calor, usinas termelétricas e transportes).
  27. 27. TERMELÉTRICAS  Geram energia através da queima do petróleo, carvão mineral e gás natural.  O calor aquece uma caldeira, produzindo jatos de água com alta pressão.  Pressão do vapor faz a turbina da usina girar em velocidade, produzindo eletricidade a partir de um gerador.  Podem ser instaladas próximas aos centros de consumo.  Aumentam a poluição do ar e os problemas decorrentes.
  28. 28. Energia Nuclear
  29. 29. ENERGIA NUCLEAR OU ATÔMICA  Crise do petróleo de 1970 e 1980.  Países industrializados do Hemisfério Norte passaram a investir em pesquisas tecnológicas voltadas à construção de usinas nucleares.  Forma de produzir energia elétrica e diminuir a dependência do petróleo.  Mesmo com alto custo de produção/construção, as usinas nucleares estão muito presentes em países ricos e industrializados (EUA, Canadá, Alemanha, França, Inglaterra, etc).  Em especial, daqueles que não têm muitos outros recursos energéticos em seus devidos territórios, como por exemplo: Japão, Suíça, Bélgica e Holanda.  Mais tarde, essa tecnologia se estendeu também aos países subdesenvolvidos, como Brasil, México e África do Sul.
  30. 30. ENERGIA NUCLEAR OU ATÔMICA  Existem 200 usinas nucleares dispostas pelo mundo.  No total, são 438 reatores nucleares.  Representam cerca de 5% da produção energética mundial.  Os países que não dispõe de recursos hídricos, nem de reservas de combustíveis fósseis, muitas vezes, acabam usando esse tipo de energia.
  31. 31. POLÊMICA NA PRODUÇÃO DE ENERGIA NUCLEAR  Existem grandes desafios para a construção de usinas nucleares.  Alto custo de investimento para instalação e domínio de tecnologia.  Grandes risco sociais e ambientais.  Geração de lixo atômico.  Contaminação radioativa em caso de vazamentos.  O lixo radioativo continua emitindo radiação por muitos anos.  Necessidade de depósitos definitivos (subterrâneos e revestidos de concreto).  Preocupação com armas nucleares.  Enriquecimento de combustível nuclear que pode ser usado em bombas atômicas preocupa.
  32. 32. Hidrelétricas
  33. 33. HIDRELÉTRICAS  Energia elétrica renovável, não poluente (limpa), de baixo custo de operações.  Independe de queima de combustíveis fósseis.  Depende do potencial hidrelétrico de um curso fluvial.  Depende das condições naturais: existência de rios com desníveis acentuados ou quedas d’água.  Muito difundida no mundo, porém aproveitada apenas em países com potencial hidrelétrico.  Causam impactos ambientais e sociais.  Podem encobrir áreas que abrigam fauna e flora variadas, terras férteis e agricultáveis, causam remoção de famílias e suas propriedades.
  34. 34. Energia e Meio Ambiente
  35. 35. ENERGIA E MEIO AMBIENTE  Matriz energética do mundo atual é calcada nos combustíveis fósseis e não renováveis.  Alvo de discussão e preocupação.  A queima dos combustíveis fósseis emite poluentes atmosféricos tóxicos.  Afetam a saúde e causam impactos ambientais graves (intensificam o efeito estufa, etc).  Outros recursos energéticos também causam impactos (a exemplo de hidrelétricas).  O consumo energético mundial tende a aumentar.  Grande desafio: desenvolver fontes alternativas renováveis.  Substituição de combustíveis fósseis por fontes alternativas.
  36. 36. ENERGIA EÓLICA  Gerada a partir da força dos ventos.  Custo zero com combustíveis.  Fonte renovável.  Alto custo de construção de aero geradores.  Depende de condições naturais.  Poluição sonora e visual.  Ocupa grandes extensões de terra.
  37. 37. ENERGIA SOLAR  Radiação solar captada por grandes painéis.  Renovável e inesgotável.  Rápida construção e praticidade das estações solares.  Pouca manutenção exigida.  Elevado custo na fabricação de painéis solares.  Depende de condições naturais.  Ocupam áreas extensas.  Pode ser obtida em lugares remotos e de difícil acesso.
  38. 38. ENERGIA GEOTÉRMICA  Obtida a partir do calor proveniente dos interior da Terra.  Utilizada pequenas extensões de terra.  Baixa emissão de gases poluentes.  Ocupa pequenas áreas.  Impacto ambiental reduzido.  Poucos lugares favoráveis ao seu aproveitamento.  Preço elevado da energia devido aos altos investimentos e baixa e eficiência das usinas.
  39. 39. ENERGIA MAREMOTRIZ  Obtida pela variação diária das marés.  Fonte renovável.  Sem gases ou resíduos poluentes.  Quase gasto zero com combustível.  Tecnologia acessível.  Alto custo para instalação.  Depende de condições naturais favoráveis.  Baixo rendimento.  Alterações nos ambientes costeiros.
  40. 40. BIOGÁS  Resíduos orgânicos podem ser transformados em combustível.  Substitui o gás de cozinha (reduzindo a emissão de CO2).  Disponibilidade de matéria-prima.  Diminuir a geração de lixo orgânico.  Fonte alternativa à produtores rurais.  Risco de vazamento e contaminação do ar.  Alto custo de instalação.  Necessidade de eliminar gases tóxicos.
  41. 41. BIOMASSA  Compostos orgânicos.  Renovável.  Baixa emissão de gases de efeito estufa.  Tecnologia acessível e, relativamente, baixo custo.  Impactos ambientais.  Diminuição da área de lavouras.
  42. 42. Julia Maldonado Garcia SEGUNDO ANO – ENSINO MÉDIO. PROVA 1 – BIMESTRE II.

×