SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 12
Baixar para ler offline
01ERP - GERAÇÃO
DEPOSITRÃO
www.erp-recycling.pt
RESÍDUOS DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS
E ELETRÓNICOS E PILHAS USADAS
Entidade Promotora: Parceiro: Apoios:
JMlabdesign
ÍNDICE
A ERP PORTUGAL
OS RESÍDUOS DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS E ELETRÓNICOS (REEE)
OS RESÍDUOS DE PILHAS E ACUMULADORES (RP&A)
COMUNICAÇÃO E SENSIBILIZAÇÃO
GERAÇÃO DEPOSITRÃO
Página 03
Página 04
Página 08
Página 09
Página 10
03ERP - GERAÇÃO
DEPOSITRÃO
A ERP Portugal defende, sobretudo, objetivos de
duas naturezas:
A ERP Portugal – Associação Gestora de Resíduos faz parte de uma plataforma europeia de gestão
de resíduos – ERP (European Recycling Platform).
a)
b)
A existência desta entidade resulta das Diretivas Europeias sobre os Resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos
(REEE), nomeadamente 75/442/CEE, 2002/95/CE e 2002/108/CE, transpostas para o quadro legislativo nacional pelo
Decreto-Lei 67/2014, que integra os diversos conceitos, responsabilidades e obrigações de cada um dos intervenientes
no ciclo de vida dos EEE (Equipamentos Elétricos e Eletrónicos).
A Licença da ERP Portugal para exercer a atividade de entidade gestora de REEE foi obtida a 27 de abril de 2006, através
do despacho conjunto nº 353 do Ministério do Ambiente e
Ordenamento do Território e do Ministério da Economia
e Inovação.
No dia 3 de março de 2010, a ERP Portugal alargou o
seu âmbito de atividade, recebendo a Licença para
gestão de Resíduos de Pilhas e Acumuladores portáteis
e industriais incorporáveis em equipamentos elétricos
e eletrónicos, através do despacho nº 3862/2010 do
Ministério do Ambiente e do Ordenamento do Território,
com base no Decreto-Lei nº 6/2009, de 6 de janeiro.
Fornecer um sistema de gestão de resíduos
competitivo, disponibilizando soluções versáteis aos
Utentes do sistema (empresas que transferiram a
responsabilidade de gestão dos resíduos para a ERP
Portugal) – natureza operacional;
Informar, alertar e sensibilizar os diferentes
públicos-alvo para o correto tratamento dos resíduos,
sobretudo no que respeita ao seu encaminhamento
(onde depositá-los), pois é uma responsabilidade que
a todos assiste – natureza comunicacional.
A ERP PORTUGAL - QUEM SOMOS
OS NOSSOS OBJETIVOS
04ERP - GERAÇÃO
DEPOSITRÃO
5 CATEGORIAS DOS REEE
Para percebermos o significado do conceito de “REEE”, é necessário ter em conta que, antes de se
transformarem em “resíduos”, os equipamentos desta natureza são (de acordo com o DL 230/2004):
OS RESÍDUOS DE EQUIPAMENTOS
ELÉTRICOS E ELETRÓNICOS (REEE)
05ERP - GERAÇÃO
DEPOSITRÃO
06ERP - GERAÇÃO
DEPOSITRÃO
Contentor para a recolha de pequenos REEE (categorias
operacionais “Tv e Monitores” e “Outros”) e pilhas usadas,
que podemos encontrar nas Eco-Escolas aderentes à
Geração Depositrão, bem como em lojas e Municípios.
(localização em www.erp-recycling.pt)
O encaminhamento dos REEE é bastante importante, assegurando o seu percurso, ou seja:
Tal como se pode verificar no esquema abaixo, todos nós (utilizadores de EEE) devemos encaminhar
os nossos resíduos através de três canais gratuitos:
REUTILIZAÇÃO - aproveitamento de componentes
ou equipamentos como um todo, encaminhando-os a
Organizações Não Governamentais (ONG).
CONSOLIDAÇÃO - separação de REEE passíveis de
ser reutilizados e constituição de lotes mínimos, de forma
a serem transportados para empresas recicladoras.
Posso depositar gratuitamente
os meus pequenos velhos
amigos no Depositrão
Quando compramos um novo equipamento, devemos
devolver o velho equivalente diretamente na loja ou nas
entregas ao domicílio. As lojas são obrigadas legalmente
a aceitar esta troca, na razão de um por um.
Locais licenciados, existentes em todo o país, com
capacidade para receber REEE. A lista destes pontos
encontra-se em www.erp-recycling.pt.
RECICLAGEM - transformação dos resíduos em
matérias-primas a introduzir no processo de produção.
07ERP - GERAÇÃO
DEPOSITRÃO
PRODUTOR
O que fabrica, vende e/ou revende sob marca
própriaaoutrosfornecedores,importaoucoloca
no mercado nacional EEE a título profissional.
Responsabilidades:
Registo como Produtor na entidade
competente;
Número de registo nas faturas e documentos
de transporte;
Gestão de um sistema individual de resíduos ou
transferir a responsabilidade para uma entidade
gestora (ERP Portugal);
Cumprir as obrigações de
transporte, armazenagem,
tratamento, valorização ou
eliminação de REEE;
Todos os EEE deverão ser
marcados com o símbolo da
recolha seletiva.
UTILIZADOR
O que utiliza o EEE, que virá a constituir um
REEE, podendo ser particular ou não particular,
de acordo com o volume e natureza do REEE
produzido.
Responsabilidades:
Proceder à entrega adequada dos REEE,
diretamente nos centros de receção (lista em
www.erp-recycling.pt);
Entregar, gratuitamente, aos distribuidores
aquando da aquisição de um novo equipamento
equivalente;
Colocar os REEE de pequenas dimensões no
Depositrão (lista em www.erp-recycling.pt).
DISTRIBUIDOR
O que fornece comercialmente EEE aos
utilizadores.
Responsabilidades:
Comercializar, somente, equipamentos prove-
nientes de produtos registados;
Assegurar a recolha, sem custos, dos REEE na
compra de um equipamento novo equivalente
(mesma função), mesmo em caso de entrega ao
domicílio;
Colaborar na divulgação de informação sobre
o destino adequado dos REEE.
08ERP - GERAÇÃO
DEPOSITRÃO
OS RESÍDUOS DE PILHAS E ACUMULADORES (RP&A)
Por que devemos reciclar as pilhas e baterias usadas?
Alguns destes resíduos são considerados perigosos, pois são compostos por metais pesados
tóxicos e não-biodegradáveis, tais como o cádmio, o chumbo e o mercúrio, entre outros.
O seu tratamento indevido pode conduzir à contaminação do solo, dos cursos de água, dos lençóis
freáticos, e ter efeitos adversos na flora e na fauna. Em última análise, algumas das substâncias
que compõem as baterias chegam aos seres humanos, através da cadeia alimentar.
Tendo em conta a perigosidade associada a estes resíduos, o Decreto-Lei 6/2009, de 6 de janeiro,
resume as responsabilidades de todos os intervenientes no ciclo de vida destes produtos:
produtores, distribuidores e utilizadores, entre outros.
A responsabilidade pela correta gestão
dos resíduos é de todos nós!
Papel das Escolas Geração Depositrão
Os utilizadores finais de pilhas e acumuladores devem entregar os seus resíduos nos pontos de
recolha seletiva, tais como as escolas onde existe o Depositrão, as lojas (sem implicar a compra de
novos produtos) ou as Câmaras Municipais. As escolas da Geração Depositrão desempenham esta
função, informando e sensibilizando a comunidade escolar e envolvente acerca da necessidade de
reciclar estes resíduos.
Deste modo, evitamos o risco de deposição indevida de substâncias nocivas e a poluição que poderia
resultar de um comportamento incorreto, ao mesmo tempo que aproveitamos os materiais que
provêm da reciclagem, não sendo necessário extraí-los da Natureza.
Em suma, poupamos os recursos naturais!
AERPPortugal,enquantoentidadegestoraderesíduos,asseguraqueosmesmossãoencaminhados
corretamente até seu destino final, recebendo um tratamento adequado.
Pilhas que podemos colocar no Depositrão
O Depositrão para pilhas está preparado para
receber pilhas de comandos, brinquedos, relógios
ou baterias de telemóveis e computadores portáteis,
por exemplo. Podemos recolher todas as pilhas e
acumuladores portáteis, independentemente do
seu formato, tamanho ou peso.
Este símbolo indica-nos que os
resíduos devem ter uma recolha
seletiva e não podem ser colocados
no lixo comum.
Tenha pilhas de consciência
e carregue as baterias do
Planeta!
RECOLHA
CENTROS DE CONSOLIDAÇÃO
RECICLAGEM » MATÉRIAS-PRIMAS
Depositrão - escolas e pontos de venda
Lojas de pilhas e acumuladores
Câmaras Municipais
Outros
09ERP - GERAÇÃO
DEPOSITRÃO
O projeto Geração Depositrão resulta de diversas campanhas levadas a cabo pela ERP Portugal, junto do
target escolar, desde o início de 2007. Sob a filosofia que “as crianças são excelentes influenciadores do
comportamento dos adultos de hoje e, simultaneamente, devem saber como se comportar no futuro”
(Ricardo Neto, Diretor Geral da ERP Portugal), várias são as ferramentas de comunicação criadas para
passar a mensagem. Com o objetivo de facilitar a introdução, compreensão e interpretação da mensagem,
surge uma linguagem específica, identificada pela Equipa dos REEE, liderada pelo Capitão Fluxo:
Transmitir os principais conceitos
relacionados com os REEE e os RP&A;
Compreender o fluxo destes resíduos;
Destacar a responsabilidade de
encaminhamento dos mesmos;
Introduzir o tratamento e/ou reciclagem
destes resíduos no conjunto de
preocupações dos cidadãos.
10ERP - GERAÇÃO
DEPOSITRÃO
Defende com o Capitão Fluxo o melhor para o ambiente!
O PROJETO GERAÇÃO DEPOSITRÃO SURGE
EM PARCERIA COM A ABAE (ASSOCIAÇÃO
BANDEIRA AZUL DA EUROPA), ATRAVÉS DO
PROGRAMA ECO-ESCOLAS.
Neste sentido, e porque o devido encaminhamento
dos resíduos é fundamental, as escolas
representam um papel muito importante na
informação, formação e educação
dos adultos de amanhã, excelentes e
eficazes prescritores e influenciadores
do comportamento dos adultos de hoje.Identificação das Escolas Geração Depositrão
www.erp-recycling.pt
Tratando-se de um projeto de âmbito nacional, as escolas serão alvo de competições de duas naturezas:
• Quantitativa - recolha de resíduos (REEE e pilhas usadas);
• Criativa - desenvolvimento dos enunciados sobre REEE que incluam RP&A (telemóveis, brinquedos, comandos,
entre outros), ao longo de todo o ano letivo.
MECÂNICAS E ATIVIDADES
PÚBLICO ALVO
Para além das escolas, e transformando-as em intermediárias ou canais, pretendemos chegar à população em
geral, através dos alunos que serão portadores da mensagem.
OBJETIVOS
O projeto Geração Depositrão tem como principal objetivo introduzir o tema dos REEE e RP&A no programa escolar,
não só através de desafios lançados aos alunos e professores mas, também, através da colocação de um contentor
- Depositrão - nas escolas aderentes.
Para o efeito, a escola trabalhará na informação e sensibilização dos cidadãos, motivando o comportamento da
entrega de pequenos REEE e pilhas usadas.
A ERP Portugal assegurará toda a recolha e encaminhamento dos resíduos rumo ao seu tratamento e/ou reciclagem.
11ERP - GERAÇÃO
DEPOSITRÃO
AS POLÍTICAS AMBIENTAIS DOS NOSSOS APOIOS:
Fundada em 1970, a Mário Miranda de Almeida, S.A. é uma empresa de capital nacional, com tradição no mercado
de eletrodomésticos. Detentora da marca própria Orima, dispõe de uma gama de eletrodomésticos que combinam
funcionalidade, inovação e qualidade com um design moderno a preços Competitivos.
A Orima tem como objetivo facilitar as tarefas domésticas e, simultaneamente, melhorar a qualidade de vida das famílias. Está em-
penhada em preservar o ambiente natural e em criar produtos otimizados para o consumidor sempre procurando ajudar o nosso plane-
ta. A produção, utilização e eliminação dos nossos produtos seguem sempre princípios amigos do ambiente. Uma das preocupações
subjacentes à parceria com a ERP é a consciência da importância do tratamento dos REEE e a necessidade de sensibilização da
população para essa temática, nomeadamente através das gerações mais novas.
Ao longo dos seus mais de 220 anos de história, o Grupo Jerónimo Martins tem procurado gerir de forma equilibra-
da a relação entre a necessária prosperidade económica, o contributo ativo para o desenvolvimento social e a
preservação ambiental nas regiões onde tem operações.
O Pingo Doce, enquanto companhia do Grupo Jerónimo Martins, incorpora estas preocupações e procura, ao longo
de toda a sua cadeia de valor, diminuir e controlar os impactes gerados pela sua operação no Ambiente.
Com o objetivo de potenciar a adoção de comportamentos mais responsáveis, são implementadas ações que integrem as melhores
práticas ambientais, desde a produção de matérias-primas até à recolha dos resíduos gerados.
A parceria com a ERP é mais uma das medidas do Pingo Doce para a prevenção e valorização dos resíduos gerados que se concretiza
não só ao nível da sua atividade mas também através da sensibilização dos consumidores para a correta separação dos equipamentos
elétricos e eletrónicos.
De facto, todas as lojas Pingo Doce (mais de 380) recebem estes equipamentos fora de uso, assegurando o correto encaminhamento
destes resíduos.
Em 2015, o Pingo Doce associou-se pelo terceiro ano consecutivo ao projeto Geração Depositrão da ERP, apoiando IPSS selecionadas
pelas escolas premiadas.
A LG Electronics tem como principal missão a criação de um sistema que assegura um ambiente melhor e pessoas
mais felizes.
Os princípios normativos da LG ajudam a assegurar que esta Filosofia é posta em prática no dia-a-dia do negócio.
A LG acredita que para ganhar a confiança dos principais stakeholders, enquanto entidade responsável e ética, precisa de se tornar num
organismo saudável, assumindo um papel proativo e ajudando a tornar o sistema melhor, pela via dos seus produtos e serviços.
Para alcançar este objetivo, a LG estabelece e implementa várias decisões estratégicas que vão nesse sentido. Desde a área de I&D de
produto, até à compra, produção, venda e pós-venda, a LG tem intenção de melhorar a sua execução de CSR (Corporate Social
Responsability), ao mesmo tempo que fortalece relações de consenso e parceria com os stakeholders.
Relativamente à reciclagem, em Portugal a empresa recicla, desde o ano 2011, todos os equipamentos comercializáveis em Portugal.
Desde Máquinas Lavar Roupa e Loiça, Frigoríficos, TV´s, Ar Condicionado, Telemóveis, etc.
O processo de reciclagem LG passa pela separação por tipologia a destruir, recolha pela ERP do material separado a destruir nos
armazéns LG existentes, entrega pela ERP no centro de destruição e destruição/reciclagem dos materiais.
No total, desde que a LG iniciou a parceria com a ERP, foram destruídas/recicladas 11.455 unidades com peso total de 74.191 toneladas.
A Porto Editora respeita os princípios fundamentais da nossa sociedade e assume, no seu dia a dia, uma postura
de responsabilidade social que se reflete na política de recursos humanos que exerce, no cumprimento das regras
de gestão ambiental e no envolvimento com a comunidade, apoiando inúmeras iniciativas de âmbito educativo,
cultural e social.
Qualidade editorial, inovação, dinamismo, rigor e sustentabilidade são os traços que distinguem a Porto Editora.
A nossa unidade industrial - Bloco Gráfico - dispõe de instalações modernas e funcionais e a sua atividade é desenvolvida de modo
seguro e saudável uma vez que são conhecidas e rigorosamente controladas todas as emissões de efluentes líquidos, resíduos sólidos,
emissões atmosféricas e ruído, assim como os consumos de energia, água, matérias-primas e outros materiais.
O Sistema de Gestão Ambiental implementado de acordo com a norma ISO 14001:2004, foi certificado pela APCER em janeiro de 2006 e
permitiu não só o controlo destes aspetos mas também o cumprimento da legislação ambiental, a prevenção da poluição e a melhoria
do desempenho ambiental global.
Faz parte do ADN da Worten assumir um papel ativo nas comunidades onde se insere. Nesse sentido, desenvolve,
no terreno, uma série de iniciativas, para promover um ambiente mais saudável e limpo, ao mesmo tempo que atua
em prol de um bem-estar social maior.
Apoiada na sua área de negócio – eletrodomésticos e eletrónica de consumo –, a Worten dá o exemplo no que diz respeito ao correto
tratamento dos resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos (REEE), através do projeto Equipa Worten Equipa, lançado em 2009 e
que conta com o apoio da ERP Portugal e do Banco de Bens Doados da ENTRAJUDA.
Com base nesse projeto, a Worten apela a todos os portugueses que entreguem os seus velhos equipamentos numa loja da marca e, por
cada tonelada entregue, o Equipa Worten Equipa oferece 50€, em novos equipamentos, a instituições de solidariedade de todo o país,
com vista a atenuar muitas das suas carências e, assim, proporcionar um maior conforto aos utentes dessas instituições.
Até à data, o Equipa Worten Equipa já recolheu perto de 30 mil toneladas de REEE, o que permitiu oferecer mais de 17 mil novos equipa-
mentos a um total de 1708 instituições de solidariedade portuguesas.
Equipa Worten Equipa, o nosso forte é ajudar.
Centro Empresarial Ribeira da Penha Longa
Rua D. Dinis Bordalo Pinheiro, 467B
2645-539 Alcabideche
Telefone: +(351) 21 911 96 30
Fax: +(351) 21 911 96 39
www.erp-recycling.pt / info@erp-portugal.pt
www.geracaodepositrao.abae.pt
www.facebook.com/geracaodepositrao
Entidade Promotora: Parceiro: Apoios:

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Seminário política nacional de resíduos sólidos 19-08-2010 - apresentação d...
Seminário política nacional de resíduos sólidos   19-08-2010 - apresentação d...Seminário política nacional de resíduos sólidos   19-08-2010 - apresentação d...
Seminário política nacional de resíduos sólidos 19-08-2010 - apresentação d...FecomercioSP
 
Rio Info 2010 - Negócios em Fórum - Responsabilidade Socioambiental - Luiz Bu...
Rio Info 2010 - Negócios em Fórum - Responsabilidade Socioambiental - Luiz Bu...Rio Info 2010 - Negócios em Fórum - Responsabilidade Socioambiental - Luiz Bu...
Rio Info 2010 - Negócios em Fórum - Responsabilidade Socioambiental - Luiz Bu...Rio Info
 
Resíduos sólidos: os projetos de gestão das cidades-sede, 16/04/2012 - Aprese...
Resíduos sólidos: os projetos de gestão das cidades-sede, 16/04/2012 - Aprese...Resíduos sólidos: os projetos de gestão das cidades-sede, 16/04/2012 - Aprese...
Resíduos sólidos: os projetos de gestão das cidades-sede, 16/04/2012 - Aprese...FecomercioSP
 
Exercícios de compensação de ausências
Exercícios de compensação de ausênciasExercícios de compensação de ausências
Exercícios de compensação de ausênciasGiovanna Ortiz
 
Dia 2: Atendendo as necessidades dos municípios na eliminação de resíduos de ...
Dia 2: Atendendo as necessidades dos municípios na eliminação de resíduos de ...Dia 2: Atendendo as necessidades dos municípios na eliminação de resíduos de ...
Dia 2: Atendendo as necessidades dos municípios na eliminação de resíduos de ...RWM Brasil
 
Marielene Ramos Politica Estadual De DestinaçãO De ResíDuos SóLidos
Marielene Ramos   Politica Estadual De DestinaçãO De ResíDuos SóLidosMarielene Ramos   Politica Estadual De DestinaçãO De ResíDuos SóLidos
Marielene Ramos Politica Estadual De DestinaçãO De ResíDuos SóLidosFórum de Desenvolvimento do Rio
 
Oficina 1-col-sel-solidaria
Oficina 1-col-sel-solidariaOficina 1-col-sel-solidaria
Oficina 1-col-sel-solidariaKelvin Oliveira
 
Cartilha uso racional da água - Embrapa e Nestlé
Cartilha uso racional da água  - Embrapa e Nestlé Cartilha uso racional da água  - Embrapa e Nestlé
Cartilha uso racional da água - Embrapa e Nestlé Raquel Maria Cury Rodrigues
 
Valor sul – estação de tratamento e valorização
Valor sul – estação de tratamento e valorizaçãoValor sul – estação de tratamento e valorização
Valor sul – estação de tratamento e valorizaçãoCarolina Santos
 
Serviços de Ecosistemas + Seminário + Workshop
Serviços de Ecosistemas + Seminário + WorkshopServiços de Ecosistemas + Seminário + Workshop
Serviços de Ecosistemas + Seminário + WorkshopEmpresas e Biodiversidade
 
Apresentação - FITABES - Regulamentação do Reuso
Apresentação - FITABES - Regulamentação do ReusoApresentação - FITABES - Regulamentação do Reuso
Apresentação - FITABES - Regulamentação do ReusoFernando S. Marcato
 
Resultados - Programa de Gestão de Resíduos Sólidos: Feira da Esperança APAE ...
Resultados - Programa de Gestão de Resíduos Sólidos: Feira da Esperança APAE ...Resultados - Programa de Gestão de Resíduos Sólidos: Feira da Esperança APAE ...
Resultados - Programa de Gestão de Resíduos Sólidos: Feira da Esperança APAE ...Todoos Impacto Social
 
Valorsul centro triagem do lumiar
Valorsul  centro triagem do lumiarValorsul  centro triagem do lumiar
Valorsul centro triagem do lumiarCarolina Santos
 
Legislação ambiental e a questão dos resíduos sólidos
Legislação ambiental e a questão dos resíduos sólidosLegislação ambiental e a questão dos resíduos sólidos
Legislação ambiental e a questão dos resíduos sólidosnucleosul2svma
 
Boas Práticas de Gestão de Resíduos Eletroeletrônicos (parte 1)
Boas Práticas de Gestão de Resíduos Eletroeletrônicos (parte 1)Boas Práticas de Gestão de Resíduos Eletroeletrônicos (parte 1)
Boas Práticas de Gestão de Resíduos Eletroeletrônicos (parte 1)Henrique Mendes
 

Mais procurados (20)

Seminário política nacional de resíduos sólidos 19-08-2010 - apresentação d...
Seminário política nacional de resíduos sólidos   19-08-2010 - apresentação d...Seminário política nacional de resíduos sólidos   19-08-2010 - apresentação d...
Seminário política nacional de resíduos sólidos 19-08-2010 - apresentação d...
 
Breno palma 16 00
Breno palma 16 00Breno palma 16 00
Breno palma 16 00
 
Cmma 30 09 2015
Cmma 30 09 2015Cmma 30 09 2015
Cmma 30 09 2015
 
Rio Info 2010 - Negócios em Fórum - Responsabilidade Socioambiental - Luiz Bu...
Rio Info 2010 - Negócios em Fórum - Responsabilidade Socioambiental - Luiz Bu...Rio Info 2010 - Negócios em Fórum - Responsabilidade Socioambiental - Luiz Bu...
Rio Info 2010 - Negócios em Fórum - Responsabilidade Socioambiental - Luiz Bu...
 
Resíduos sólidos: os projetos de gestão das cidades-sede, 16/04/2012 - Aprese...
Resíduos sólidos: os projetos de gestão das cidades-sede, 16/04/2012 - Aprese...Resíduos sólidos: os projetos de gestão das cidades-sede, 16/04/2012 - Aprese...
Resíduos sólidos: os projetos de gestão das cidades-sede, 16/04/2012 - Aprese...
 
Coleta seletivapeic versao_final
Coleta seletivapeic versao_finalColeta seletivapeic versao_final
Coleta seletivapeic versao_final
 
Exercícios de compensação de ausências
Exercícios de compensação de ausênciasExercícios de compensação de ausências
Exercícios de compensação de ausências
 
Dia 2: Atendendo as necessidades dos municípios na eliminação de resíduos de ...
Dia 2: Atendendo as necessidades dos municípios na eliminação de resíduos de ...Dia 2: Atendendo as necessidades dos municípios na eliminação de resíduos de ...
Dia 2: Atendendo as necessidades dos municípios na eliminação de resíduos de ...
 
Marielene Ramos Politica Estadual De DestinaçãO De ResíDuos SóLidos
Marielene Ramos   Politica Estadual De DestinaçãO De ResíDuos SóLidosMarielene Ramos   Politica Estadual De DestinaçãO De ResíDuos SóLidos
Marielene Ramos Politica Estadual De DestinaçãO De ResíDuos SóLidos
 
Oficina 1-col-sel-solidaria
Oficina 1-col-sel-solidariaOficina 1-col-sel-solidaria
Oficina 1-col-sel-solidaria
 
Cartilha uso racional da água - Embrapa e Nestlé
Cartilha uso racional da água  - Embrapa e Nestlé Cartilha uso racional da água  - Embrapa e Nestlé
Cartilha uso racional da água - Embrapa e Nestlé
 
António Frazão - SIMTEJO
António Frazão - SIMTEJOAntónio Frazão - SIMTEJO
António Frazão - SIMTEJO
 
Valor sul – estação de tratamento e valorização
Valor sul – estação de tratamento e valorizaçãoValor sul – estação de tratamento e valorização
Valor sul – estação de tratamento e valorização
 
Serviços de Ecosistemas + Seminário + Workshop
Serviços de Ecosistemas + Seminário + WorkshopServiços de Ecosistemas + Seminário + Workshop
Serviços de Ecosistemas + Seminário + Workshop
 
Apresentação - FITABES - Regulamentação do Reuso
Apresentação - FITABES - Regulamentação do ReusoApresentação - FITABES - Regulamentação do Reuso
Apresentação - FITABES - Regulamentação do Reuso
 
Apresenta..
Apresenta..Apresenta..
Apresenta..
 
Resultados - Programa de Gestão de Resíduos Sólidos: Feira da Esperança APAE ...
Resultados - Programa de Gestão de Resíduos Sólidos: Feira da Esperança APAE ...Resultados - Programa de Gestão de Resíduos Sólidos: Feira da Esperança APAE ...
Resultados - Programa de Gestão de Resíduos Sólidos: Feira da Esperança APAE ...
 
Valorsul centro triagem do lumiar
Valorsul  centro triagem do lumiarValorsul  centro triagem do lumiar
Valorsul centro triagem do lumiar
 
Legislação ambiental e a questão dos resíduos sólidos
Legislação ambiental e a questão dos resíduos sólidosLegislação ambiental e a questão dos resíduos sólidos
Legislação ambiental e a questão dos resíduos sólidos
 
Boas Práticas de Gestão de Resíduos Eletroeletrônicos (parte 1)
Boas Práticas de Gestão de Resíduos Eletroeletrônicos (parte 1)Boas Práticas de Gestão de Resíduos Eletroeletrônicos (parte 1)
Boas Práticas de Gestão de Resíduos Eletroeletrônicos (parte 1)
 

Destaque

Presentazione TESI 2011: "Percorsi di Consapevolezza per una mobilita sosteni...
Presentazione TESI 2011: "Percorsi di Consapevolezza per una mobilita sosteni...Presentazione TESI 2011: "Percorsi di Consapevolezza per una mobilita sosteni...
Presentazione TESI 2011: "Percorsi di Consapevolezza per una mobilita sosteni...Olia Design
 
Sugerencia 4b (primer ciclo)
Sugerencia 4b (primer ciclo)Sugerencia 4b (primer ciclo)
Sugerencia 4b (primer ciclo)elbaulvolador
 
Verbosquesepuedenutilizarparalaredaccindeindicadoresdelogrossegnlosnivelesdec...
Verbosquesepuedenutilizarparalaredaccindeindicadoresdelogrossegnlosnivelesdec...Verbosquesepuedenutilizarparalaredaccindeindicadoresdelogrossegnlosnivelesdec...
Verbosquesepuedenutilizarparalaredaccindeindicadoresdelogrossegnlosnivelesdec...Eddi Zavala
 
Die Thomas Sattelberger Keynote auf der #NEO15
Die Thomas Sattelberger Keynote auf der #NEO15Die Thomas Sattelberger Keynote auf der #NEO15
Die Thomas Sattelberger Keynote auf der #NEO15Gunnar Sohn
 
Red conecta joven, proyecto social web social work - Fundación Esplai
Red conecta joven, proyecto social web social work  - Fundación EsplaiRed conecta joven, proyecto social web social work  - Fundación Esplai
Red conecta joven, proyecto social web social work - Fundación EsplaiLA RUECA Asociación
 
Resume electrical engineer- for oil & gas
Resume  electrical engineer- for oil & gasResume  electrical engineer- for oil & gas
Resume electrical engineer- for oil & gasvineeth ravi
 
Kerajaan Tarumanegara
Kerajaan TarumanegaraKerajaan Tarumanegara
Kerajaan TarumanegaraCahya Jupisa
 
As áreas metropolitanas de Lisboa e Porto - Geografia 11º ano
As áreas metropolitanas de Lisboa e Porto - Geografia 11º anoAs áreas metropolitanas de Lisboa e Porto - Geografia 11º ano
As áreas metropolitanas de Lisboa e Porto - Geografia 11º ano713773
 
DMR TRANSFORMATION & PEOPLEMANAGEMENT
DMR TRANSFORMATION & PEOPLEMANAGEMENTDMR TRANSFORMATION & PEOPLEMANAGEMENT
DMR TRANSFORMATION & PEOPLEMANAGEMENTMarc Wagner
 
Mivan aluminium formwork
Mivan  aluminium formworkMivan  aluminium formwork
Mivan aluminium formworkAnup Kude
 
O mundo rural em portugal
O mundo rural em portugalO mundo rural em portugal
O mundo rural em portugalCacilda Basto
 
access Webinar zum Trainee Career Event
access Webinar zum Trainee Career Eventaccess Webinar zum Trainee Career Event
access Webinar zum Trainee Career Eventaccess KellyOCG GmbH
 
Webinar "Future leader - Führung von morgen"
Webinar "Future leader - Führung von morgen"Webinar "Future leader - Führung von morgen"
Webinar "Future leader - Führung von morgen"access KellyOCG GmbH
 

Destaque (20)

Presentazione TESI 2011: "Percorsi di Consapevolezza per una mobilita sosteni...
Presentazione TESI 2011: "Percorsi di Consapevolezza per una mobilita sosteni...Presentazione TESI 2011: "Percorsi di Consapevolezza per una mobilita sosteni...
Presentazione TESI 2011: "Percorsi di Consapevolezza per una mobilita sosteni...
 
Metaphysicalhu sciences logo 9
Metaphysicalhu  sciences  logo  9Metaphysicalhu  sciences  logo  9
Metaphysicalhu sciences logo 9
 
Untitled 1
Untitled 1Untitled 1
Untitled 1
 
Sugerencia 4b (primer ciclo)
Sugerencia 4b (primer ciclo)Sugerencia 4b (primer ciclo)
Sugerencia 4b (primer ciclo)
 
Digital & Social-2
Digital & Social-2Digital & Social-2
Digital & Social-2
 
08 12 00 opera
08 12 00 opera08 12 00 opera
08 12 00 opera
 
Verbosquesepuedenutilizarparalaredaccindeindicadoresdelogrossegnlosnivelesdec...
Verbosquesepuedenutilizarparalaredaccindeindicadoresdelogrossegnlosnivelesdec...Verbosquesepuedenutilizarparalaredaccindeindicadoresdelogrossegnlosnivelesdec...
Verbosquesepuedenutilizarparalaredaccindeindicadoresdelogrossegnlosnivelesdec...
 
Ireneo
IreneoIreneo
Ireneo
 
Die Thomas Sattelberger Keynote auf der #NEO15
Die Thomas Sattelberger Keynote auf der #NEO15Die Thomas Sattelberger Keynote auf der #NEO15
Die Thomas Sattelberger Keynote auf der #NEO15
 
Red conecta joven, proyecto social web social work - Fundación Esplai
Red conecta joven, proyecto social web social work  - Fundación EsplaiRed conecta joven, proyecto social web social work  - Fundación Esplai
Red conecta joven, proyecto social web social work - Fundación Esplai
 
Resume electrical engineer- for oil & gas
Resume  electrical engineer- for oil & gasResume  electrical engineer- for oil & gas
Resume electrical engineer- for oil & gas
 
Final Report
Final ReportFinal Report
Final Report
 
Графіка
ГрафікаГрафіка
Графіка
 
Kerajaan Tarumanegara
Kerajaan TarumanegaraKerajaan Tarumanegara
Kerajaan Tarumanegara
 
As áreas metropolitanas de Lisboa e Porto - Geografia 11º ano
As áreas metropolitanas de Lisboa e Porto - Geografia 11º anoAs áreas metropolitanas de Lisboa e Porto - Geografia 11º ano
As áreas metropolitanas de Lisboa e Porto - Geografia 11º ano
 
DMR TRANSFORMATION & PEOPLEMANAGEMENT
DMR TRANSFORMATION & PEOPLEMANAGEMENTDMR TRANSFORMATION & PEOPLEMANAGEMENT
DMR TRANSFORMATION & PEOPLEMANAGEMENT
 
Mivan aluminium formwork
Mivan  aluminium formworkMivan  aluminium formwork
Mivan aluminium formwork
 
O mundo rural em portugal
O mundo rural em portugalO mundo rural em portugal
O mundo rural em portugal
 
access Webinar zum Trainee Career Event
access Webinar zum Trainee Career Eventaccess Webinar zum Trainee Career Event
access Webinar zum Trainee Career Event
 
Webinar "Future leader - Führung von morgen"
Webinar "Future leader - Führung von morgen"Webinar "Future leader - Führung von morgen"
Webinar "Future leader - Führung von morgen"
 

Semelhante a Gerar consciência sobre resíduos eletrônicos e pilhas

Folder e r ecycle folder eletronico - E-Recycle
Folder e r ecycle folder eletronico - E-RecycleFolder e r ecycle folder eletronico - E-Recycle
Folder e r ecycle folder eletronico - E-RecycleVinicius Ferreira
 
Economia de Energia
Economia de EnergiaEconomia de Energia
Economia de EnergiaRene83
 
Valor sul amadora
Valor sul amadoraValor sul amadora
Valor sul amadoraPavel Mocan
 
17.ago topázio 15.45_343_light
17.ago topázio 15.45_343_light17.ago topázio 15.45_343_light
17.ago topázio 15.45_343_lightitgfiles
 
Evte logistica reversa equip eletroeletronicos abrelpe
Evte logistica reversa equip eletroeletronicos abrelpeEvte logistica reversa equip eletroeletronicos abrelpe
Evte logistica reversa equip eletroeletronicos abrelpefpv_transilvania
 
Resíduos Urbanos: um problema com valor acrescentado, Alcide Gonçalves e Jorg...
Resíduos Urbanos: um problema com valor acrescentado, Alcide Gonçalves e Jorg...Resíduos Urbanos: um problema com valor acrescentado, Alcide Gonçalves e Jorg...
Resíduos Urbanos: um problema com valor acrescentado, Alcide Gonçalves e Jorg...Jorge Moreira
 
Trabalho resíduos sólidos e reciclagem
Trabalho resíduos sólidos e reciclagemTrabalho resíduos sólidos e reciclagem
Trabalho resíduos sólidos e reciclagemDaniel Pereira
 
Projeto coleta seletiva
Projeto coleta seletivaProjeto coleta seletiva
Projeto coleta seletivabrainsis
 
35 slides ecologística palestra a ecologística gera receita 05 fev 2015
35 slides  ecologística   palestra  a ecologística gera receita  05 fev 201535 slides  ecologística   palestra  a ecologística gera receita  05 fev 2015
35 slides ecologística palestra a ecologística gera receita 05 fev 2015delano chaves gurgel do amaral
 
Programa ECO Recicla -
Programa ECO Recicla -  Programa ECO Recicla -
Programa ECO Recicla - Elaine Santos
 
Logística reversa corporativa june13
Logística reversa corporativa june13Logística reversa corporativa june13
Logística reversa corporativa june13Made in Forest
 
Ii workshop de reciclagem da turma 2ºoc do pief de benfica
Ii workshop de reciclagem da turma 2ºoc do pief de benficaIi workshop de reciclagem da turma 2ºoc do pief de benfica
Ii workshop de reciclagem da turma 2ºoc do pief de benficaluisccoelho
 

Semelhante a Gerar consciência sobre resíduos eletrônicos e pilhas (20)

Ponto Electrao
Ponto ElectraoPonto Electrao
Ponto Electrao
 
Folder e r ecycle folder eletronico - E-Recycle
Folder e r ecycle folder eletronico - E-RecycleFolder e r ecycle folder eletronico - E-Recycle
Folder e r ecycle folder eletronico - E-Recycle
 
ECO-Caderneta - ECO-Bairro Boavista Ambiente +
ECO-Caderneta  - ECO-Bairro Boavista Ambiente +ECO-Caderneta  - ECO-Bairro Boavista Ambiente +
ECO-Caderneta - ECO-Bairro Boavista Ambiente +
 
Rsu
RsuRsu
Rsu
 
Análise comparativa
Análise comparativaAnálise comparativa
Análise comparativa
 
Economia de Energia
Economia de EnergiaEconomia de Energia
Economia de Energia
 
Valor sul amadora
Valor sul amadoraValor sul amadora
Valor sul amadora
 
Barbara Dias - APA
Barbara Dias - APABarbara Dias - APA
Barbara Dias - APA
 
17.ago topázio 15.45_343_light
17.ago topázio 15.45_343_light17.ago topázio 15.45_343_light
17.ago topázio 15.45_343_light
 
Evte logistica reversa equip eletroeletronicos abrelpe
Evte logistica reversa equip eletroeletronicos abrelpeEvte logistica reversa equip eletroeletronicos abrelpe
Evte logistica reversa equip eletroeletronicos abrelpe
 
Resíduos Urbanos: um problema com valor acrescentado, Alcide Gonçalves e Jorg...
Resíduos Urbanos: um problema com valor acrescentado, Alcide Gonçalves e Jorg...Resíduos Urbanos: um problema com valor acrescentado, Alcide Gonçalves e Jorg...
Resíduos Urbanos: um problema com valor acrescentado, Alcide Gonçalves e Jorg...
 
Um Business Verde!
Um Business Verde!Um Business Verde!
Um Business Verde!
 
Cartilha PNRS
Cartilha PNRSCartilha PNRS
Cartilha PNRS
 
Trabalho resíduos sólidos e reciclagem
Trabalho resíduos sólidos e reciclagemTrabalho resíduos sólidos e reciclagem
Trabalho resíduos sólidos e reciclagem
 
Projeto coleta seletiva
Projeto coleta seletivaProjeto coleta seletiva
Projeto coleta seletiva
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
 
35 slides ecologística palestra a ecologística gera receita 05 fev 2015
35 slides  ecologística   palestra  a ecologística gera receita  05 fev 201535 slides  ecologística   palestra  a ecologística gera receita  05 fev 2015
35 slides ecologística palestra a ecologística gera receita 05 fev 2015
 
Programa ECO Recicla -
Programa ECO Recicla -  Programa ECO Recicla -
Programa ECO Recicla -
 
Logística reversa corporativa june13
Logística reversa corporativa june13Logística reversa corporativa june13
Logística reversa corporativa june13
 
Ii workshop de reciclagem da turma 2ºoc do pief de benfica
Ii workshop de reciclagem da turma 2ºoc do pief de benficaIi workshop de reciclagem da turma 2ºoc do pief de benfica
Ii workshop de reciclagem da turma 2ºoc do pief de benfica
 

Mais de Ilda Bicacro

unicef_convenc-a-o_dos_direitos_da_crianca.pdf
unicef_convenc-a-o_dos_direitos_da_crianca.pdfunicef_convenc-a-o_dos_direitos_da_crianca.pdf
unicef_convenc-a-o_dos_direitos_da_crianca.pdfIlda Bicacro
 
A nossa escola precisa ... Nós Propomos 2 - Maria Luz Belo.pdf
A nossa escola precisa ... Nós Propomos 2 - Maria Luz Belo.pdfA nossa escola precisa ... Nós Propomos 2 - Maria Luz Belo.pdf
A nossa escola precisa ... Nós Propomos 2 - Maria Luz Belo.pdfIlda Bicacro
 
PROJETO_Eu _pedalo_tu corres_ele conduz_nós andamos_ Não _arriscamos_2A_EB SE...
PROJETO_Eu _pedalo_tu corres_ele conduz_nós andamos_ Não _arriscamos_2A_EB SE...PROJETO_Eu _pedalo_tu corres_ele conduz_nós andamos_ Não _arriscamos_2A_EB SE...
PROJETO_Eu _pedalo_tu corres_ele conduz_nós andamos_ Não _arriscamos_2A_EB SE...Ilda Bicacro
 
EB1_Cumeada_ NP_Interculturalidade - Matilde Mateus.pptx
EB1_Cumeada_ NP_Interculturalidade - Matilde Mateus.pptxEB1_Cumeada_ NP_Interculturalidade - Matilde Mateus.pptx
EB1_Cumeada_ NP_Interculturalidade - Matilde Mateus.pptxIlda Bicacro
 
Projeto - Aprender a Viver Juntos - 3.ºSN - Sara Correia.pdf
Projeto - Aprender a Viver Juntos - 3.ºSN - Sara Correia.pdfProjeto - Aprender a Viver Juntos - 3.ºSN - Sara Correia.pdf
Projeto - Aprender a Viver Juntos - 3.ºSN - Sara Correia.pdfIlda Bicacro
 
Interculturalidade EB1 Cumeada.pptx
Interculturalidade EB1 Cumeada.pptxInterculturalidade EB1 Cumeada.pptx
Interculturalidade EB1 Cumeada.pptxIlda Bicacro
 
Direitos das crianças
Direitos das criançasDireitos das crianças
Direitos das criançasIlda Bicacro
 
ESS_Trocas e Baldrocas.pdf
ESS_Trocas e Baldrocas.pdfESS_Trocas e Baldrocas.pdf
ESS_Trocas e Baldrocas.pdfIlda Bicacro
 
Cernache do Bonjardim em (re)construcao NP 2022.pdf
Cernache do Bonjardim em (re)construcao NP 2022.pdfCernache do Bonjardim em (re)construcao NP 2022.pdf
Cernache do Bonjardim em (re)construcao NP 2022.pdfIlda Bicacro
 
Respeita a diferenca.pdf
Respeita a diferenca.pdfRespeita a diferenca.pdf
Respeita a diferenca.pdfIlda Bicacro
 
ESS_EspacosExterioresESS.pdf
ESS_EspacosExterioresESS.pdfESS_EspacosExterioresESS.pdf
ESS_EspacosExterioresESS.pdfIlda Bicacro
 
ESS_Dar vida as Ribeiras .pptx
ESS_Dar vida as Ribeiras .pptxESS_Dar vida as Ribeiras .pptx
ESS_Dar vida as Ribeiras .pptxIlda Bicacro
 
ESS_multiculturalidade.pptx
ESS_multiculturalidade.pptxESS_multiculturalidade.pptx
ESS_multiculturalidade.pptxIlda Bicacro
 
ESS_multiculturalidade.pptx
ESS_multiculturalidade.pptxESS_multiculturalidade.pptx
ESS_multiculturalidade.pptxIlda Bicacro
 
ESS_Org Transito Serta.pptx
ESS_Org Transito Serta.pptxESS_Org Transito Serta.pptx
ESS_Org Transito Serta.pptxIlda Bicacro
 
ESS_Campismo Caravanismo.pptx
ESS_Campismo Caravanismo.pptxESS_Campismo Caravanismo.pptx
ESS_Campismo Caravanismo.pptxIlda Bicacro
 
AES_ BARCOS-SUSTENTÁVEIS-DA-SERTA-5C-21-22.pdf
AES_ BARCOS-SUSTENTÁVEIS-DA-SERTA-5C-21-22.pdfAES_ BARCOS-SUSTENTÁVEIS-DA-SERTA-5C-21-22.pdf
AES_ BARCOS-SUSTENTÁVEIS-DA-SERTA-5C-21-22.pdfIlda Bicacro
 
AES_ Uso Excessivo Tecnologia.pdf
AES_ Uso Excessivo Tecnologia.pdfAES_ Uso Excessivo Tecnologia.pdf
AES_ Uso Excessivo Tecnologia.pdfIlda Bicacro
 
ESS_Mudar De...A Vida.pdf
ESS_Mudar De...A Vida.pdfESS_Mudar De...A Vida.pdf
ESS_Mudar De...A Vida.pdfIlda Bicacro
 

Mais de Ilda Bicacro (20)

unicef_convenc-a-o_dos_direitos_da_crianca.pdf
unicef_convenc-a-o_dos_direitos_da_crianca.pdfunicef_convenc-a-o_dos_direitos_da_crianca.pdf
unicef_convenc-a-o_dos_direitos_da_crianca.pdf
 
A nossa escola precisa ... Nós Propomos 2 - Maria Luz Belo.pdf
A nossa escola precisa ... Nós Propomos 2 - Maria Luz Belo.pdfA nossa escola precisa ... Nós Propomos 2 - Maria Luz Belo.pdf
A nossa escola precisa ... Nós Propomos 2 - Maria Luz Belo.pdf
 
PROJETO_Eu _pedalo_tu corres_ele conduz_nós andamos_ Não _arriscamos_2A_EB SE...
PROJETO_Eu _pedalo_tu corres_ele conduz_nós andamos_ Não _arriscamos_2A_EB SE...PROJETO_Eu _pedalo_tu corres_ele conduz_nós andamos_ Não _arriscamos_2A_EB SE...
PROJETO_Eu _pedalo_tu corres_ele conduz_nós andamos_ Não _arriscamos_2A_EB SE...
 
EB1_Cumeada_ NP_Interculturalidade - Matilde Mateus.pptx
EB1_Cumeada_ NP_Interculturalidade - Matilde Mateus.pptxEB1_Cumeada_ NP_Interculturalidade - Matilde Mateus.pptx
EB1_Cumeada_ NP_Interculturalidade - Matilde Mateus.pptx
 
Projeto - Aprender a Viver Juntos - 3.ºSN - Sara Correia.pdf
Projeto - Aprender a Viver Juntos - 3.ºSN - Sara Correia.pdfProjeto - Aprender a Viver Juntos - 3.ºSN - Sara Correia.pdf
Projeto - Aprender a Viver Juntos - 3.ºSN - Sara Correia.pdf
 
Interculturalidade EB1 Cumeada.pptx
Interculturalidade EB1 Cumeada.pptxInterculturalidade EB1 Cumeada.pptx
Interculturalidade EB1 Cumeada.pptx
 
Direitos das crianças
Direitos das criançasDireitos das crianças
Direitos das crianças
 
ESS_Trocas e Baldrocas.pdf
ESS_Trocas e Baldrocas.pdfESS_Trocas e Baldrocas.pdf
ESS_Trocas e Baldrocas.pdf
 
Cernache do Bonjardim em (re)construcao NP 2022.pdf
Cernache do Bonjardim em (re)construcao NP 2022.pdfCernache do Bonjardim em (re)construcao NP 2022.pdf
Cernache do Bonjardim em (re)construcao NP 2022.pdf
 
Respeita a diferenca.pdf
Respeita a diferenca.pdfRespeita a diferenca.pdf
Respeita a diferenca.pdf
 
Pos Sec Serta.pdf
Pos Sec Serta.pdfPos Sec Serta.pdf
Pos Sec Serta.pdf
 
ESS_EspacosExterioresESS.pdf
ESS_EspacosExterioresESS.pdfESS_EspacosExterioresESS.pdf
ESS_EspacosExterioresESS.pdf
 
ESS_Dar vida as Ribeiras .pptx
ESS_Dar vida as Ribeiras .pptxESS_Dar vida as Ribeiras .pptx
ESS_Dar vida as Ribeiras .pptx
 
ESS_multiculturalidade.pptx
ESS_multiculturalidade.pptxESS_multiculturalidade.pptx
ESS_multiculturalidade.pptx
 
ESS_multiculturalidade.pptx
ESS_multiculturalidade.pptxESS_multiculturalidade.pptx
ESS_multiculturalidade.pptx
 
ESS_Org Transito Serta.pptx
ESS_Org Transito Serta.pptxESS_Org Transito Serta.pptx
ESS_Org Transito Serta.pptx
 
ESS_Campismo Caravanismo.pptx
ESS_Campismo Caravanismo.pptxESS_Campismo Caravanismo.pptx
ESS_Campismo Caravanismo.pptx
 
AES_ BARCOS-SUSTENTÁVEIS-DA-SERTA-5C-21-22.pdf
AES_ BARCOS-SUSTENTÁVEIS-DA-SERTA-5C-21-22.pdfAES_ BARCOS-SUSTENTÁVEIS-DA-SERTA-5C-21-22.pdf
AES_ BARCOS-SUSTENTÁVEIS-DA-SERTA-5C-21-22.pdf
 
AES_ Uso Excessivo Tecnologia.pdf
AES_ Uso Excessivo Tecnologia.pdfAES_ Uso Excessivo Tecnologia.pdf
AES_ Uso Excessivo Tecnologia.pdf
 
ESS_Mudar De...A Vida.pdf
ESS_Mudar De...A Vida.pdfESS_Mudar De...A Vida.pdf
ESS_Mudar De...A Vida.pdf
 

Último

Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxThye Oliver
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...LizanSantos1
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 anoandrealeitetorres
 

Último (20)

Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
 

Gerar consciência sobre resíduos eletrônicos e pilhas

  • 1. 01ERP - GERAÇÃO DEPOSITRÃO www.erp-recycling.pt RESÍDUOS DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS E ELETRÓNICOS E PILHAS USADAS Entidade Promotora: Parceiro: Apoios:
  • 2. JMlabdesign ÍNDICE A ERP PORTUGAL OS RESÍDUOS DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS E ELETRÓNICOS (REEE) OS RESÍDUOS DE PILHAS E ACUMULADORES (RP&A) COMUNICAÇÃO E SENSIBILIZAÇÃO GERAÇÃO DEPOSITRÃO Página 03 Página 04 Página 08 Página 09 Página 10
  • 3. 03ERP - GERAÇÃO DEPOSITRÃO A ERP Portugal defende, sobretudo, objetivos de duas naturezas: A ERP Portugal – Associação Gestora de Resíduos faz parte de uma plataforma europeia de gestão de resíduos – ERP (European Recycling Platform). a) b) A existência desta entidade resulta das Diretivas Europeias sobre os Resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos (REEE), nomeadamente 75/442/CEE, 2002/95/CE e 2002/108/CE, transpostas para o quadro legislativo nacional pelo Decreto-Lei 67/2014, que integra os diversos conceitos, responsabilidades e obrigações de cada um dos intervenientes no ciclo de vida dos EEE (Equipamentos Elétricos e Eletrónicos). A Licença da ERP Portugal para exercer a atividade de entidade gestora de REEE foi obtida a 27 de abril de 2006, através do despacho conjunto nº 353 do Ministério do Ambiente e Ordenamento do Território e do Ministério da Economia e Inovação. No dia 3 de março de 2010, a ERP Portugal alargou o seu âmbito de atividade, recebendo a Licença para gestão de Resíduos de Pilhas e Acumuladores portáteis e industriais incorporáveis em equipamentos elétricos e eletrónicos, através do despacho nº 3862/2010 do Ministério do Ambiente e do Ordenamento do Território, com base no Decreto-Lei nº 6/2009, de 6 de janeiro. Fornecer um sistema de gestão de resíduos competitivo, disponibilizando soluções versáteis aos Utentes do sistema (empresas que transferiram a responsabilidade de gestão dos resíduos para a ERP Portugal) – natureza operacional; Informar, alertar e sensibilizar os diferentes públicos-alvo para o correto tratamento dos resíduos, sobretudo no que respeita ao seu encaminhamento (onde depositá-los), pois é uma responsabilidade que a todos assiste – natureza comunicacional. A ERP PORTUGAL - QUEM SOMOS OS NOSSOS OBJETIVOS
  • 4. 04ERP - GERAÇÃO DEPOSITRÃO 5 CATEGORIAS DOS REEE Para percebermos o significado do conceito de “REEE”, é necessário ter em conta que, antes de se transformarem em “resíduos”, os equipamentos desta natureza são (de acordo com o DL 230/2004): OS RESÍDUOS DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS E ELETRÓNICOS (REEE)
  • 6. 06ERP - GERAÇÃO DEPOSITRÃO Contentor para a recolha de pequenos REEE (categorias operacionais “Tv e Monitores” e “Outros”) e pilhas usadas, que podemos encontrar nas Eco-Escolas aderentes à Geração Depositrão, bem como em lojas e Municípios. (localização em www.erp-recycling.pt) O encaminhamento dos REEE é bastante importante, assegurando o seu percurso, ou seja: Tal como se pode verificar no esquema abaixo, todos nós (utilizadores de EEE) devemos encaminhar os nossos resíduos através de três canais gratuitos: REUTILIZAÇÃO - aproveitamento de componentes ou equipamentos como um todo, encaminhando-os a Organizações Não Governamentais (ONG). CONSOLIDAÇÃO - separação de REEE passíveis de ser reutilizados e constituição de lotes mínimos, de forma a serem transportados para empresas recicladoras. Posso depositar gratuitamente os meus pequenos velhos amigos no Depositrão Quando compramos um novo equipamento, devemos devolver o velho equivalente diretamente na loja ou nas entregas ao domicílio. As lojas são obrigadas legalmente a aceitar esta troca, na razão de um por um. Locais licenciados, existentes em todo o país, com capacidade para receber REEE. A lista destes pontos encontra-se em www.erp-recycling.pt. RECICLAGEM - transformação dos resíduos em matérias-primas a introduzir no processo de produção.
  • 7. 07ERP - GERAÇÃO DEPOSITRÃO PRODUTOR O que fabrica, vende e/ou revende sob marca própriaaoutrosfornecedores,importaoucoloca no mercado nacional EEE a título profissional. Responsabilidades: Registo como Produtor na entidade competente; Número de registo nas faturas e documentos de transporte; Gestão de um sistema individual de resíduos ou transferir a responsabilidade para uma entidade gestora (ERP Portugal); Cumprir as obrigações de transporte, armazenagem, tratamento, valorização ou eliminação de REEE; Todos os EEE deverão ser marcados com o símbolo da recolha seletiva. UTILIZADOR O que utiliza o EEE, que virá a constituir um REEE, podendo ser particular ou não particular, de acordo com o volume e natureza do REEE produzido. Responsabilidades: Proceder à entrega adequada dos REEE, diretamente nos centros de receção (lista em www.erp-recycling.pt); Entregar, gratuitamente, aos distribuidores aquando da aquisição de um novo equipamento equivalente; Colocar os REEE de pequenas dimensões no Depositrão (lista em www.erp-recycling.pt). DISTRIBUIDOR O que fornece comercialmente EEE aos utilizadores. Responsabilidades: Comercializar, somente, equipamentos prove- nientes de produtos registados; Assegurar a recolha, sem custos, dos REEE na compra de um equipamento novo equivalente (mesma função), mesmo em caso de entrega ao domicílio; Colaborar na divulgação de informação sobre o destino adequado dos REEE.
  • 8. 08ERP - GERAÇÃO DEPOSITRÃO OS RESÍDUOS DE PILHAS E ACUMULADORES (RP&A) Por que devemos reciclar as pilhas e baterias usadas? Alguns destes resíduos são considerados perigosos, pois são compostos por metais pesados tóxicos e não-biodegradáveis, tais como o cádmio, o chumbo e o mercúrio, entre outros. O seu tratamento indevido pode conduzir à contaminação do solo, dos cursos de água, dos lençóis freáticos, e ter efeitos adversos na flora e na fauna. Em última análise, algumas das substâncias que compõem as baterias chegam aos seres humanos, através da cadeia alimentar. Tendo em conta a perigosidade associada a estes resíduos, o Decreto-Lei 6/2009, de 6 de janeiro, resume as responsabilidades de todos os intervenientes no ciclo de vida destes produtos: produtores, distribuidores e utilizadores, entre outros. A responsabilidade pela correta gestão dos resíduos é de todos nós! Papel das Escolas Geração Depositrão Os utilizadores finais de pilhas e acumuladores devem entregar os seus resíduos nos pontos de recolha seletiva, tais como as escolas onde existe o Depositrão, as lojas (sem implicar a compra de novos produtos) ou as Câmaras Municipais. As escolas da Geração Depositrão desempenham esta função, informando e sensibilizando a comunidade escolar e envolvente acerca da necessidade de reciclar estes resíduos. Deste modo, evitamos o risco de deposição indevida de substâncias nocivas e a poluição que poderia resultar de um comportamento incorreto, ao mesmo tempo que aproveitamos os materiais que provêm da reciclagem, não sendo necessário extraí-los da Natureza. Em suma, poupamos os recursos naturais! AERPPortugal,enquantoentidadegestoraderesíduos,asseguraqueosmesmossãoencaminhados corretamente até seu destino final, recebendo um tratamento adequado. Pilhas que podemos colocar no Depositrão O Depositrão para pilhas está preparado para receber pilhas de comandos, brinquedos, relógios ou baterias de telemóveis e computadores portáteis, por exemplo. Podemos recolher todas as pilhas e acumuladores portáteis, independentemente do seu formato, tamanho ou peso. Este símbolo indica-nos que os resíduos devem ter uma recolha seletiva e não podem ser colocados no lixo comum. Tenha pilhas de consciência e carregue as baterias do Planeta! RECOLHA CENTROS DE CONSOLIDAÇÃO RECICLAGEM » MATÉRIAS-PRIMAS Depositrão - escolas e pontos de venda Lojas de pilhas e acumuladores Câmaras Municipais Outros
  • 9. 09ERP - GERAÇÃO DEPOSITRÃO O projeto Geração Depositrão resulta de diversas campanhas levadas a cabo pela ERP Portugal, junto do target escolar, desde o início de 2007. Sob a filosofia que “as crianças são excelentes influenciadores do comportamento dos adultos de hoje e, simultaneamente, devem saber como se comportar no futuro” (Ricardo Neto, Diretor Geral da ERP Portugal), várias são as ferramentas de comunicação criadas para passar a mensagem. Com o objetivo de facilitar a introdução, compreensão e interpretação da mensagem, surge uma linguagem específica, identificada pela Equipa dos REEE, liderada pelo Capitão Fluxo: Transmitir os principais conceitos relacionados com os REEE e os RP&A; Compreender o fluxo destes resíduos; Destacar a responsabilidade de encaminhamento dos mesmos; Introduzir o tratamento e/ou reciclagem destes resíduos no conjunto de preocupações dos cidadãos.
  • 10. 10ERP - GERAÇÃO DEPOSITRÃO Defende com o Capitão Fluxo o melhor para o ambiente! O PROJETO GERAÇÃO DEPOSITRÃO SURGE EM PARCERIA COM A ABAE (ASSOCIAÇÃO BANDEIRA AZUL DA EUROPA), ATRAVÉS DO PROGRAMA ECO-ESCOLAS. Neste sentido, e porque o devido encaminhamento dos resíduos é fundamental, as escolas representam um papel muito importante na informação, formação e educação dos adultos de amanhã, excelentes e eficazes prescritores e influenciadores do comportamento dos adultos de hoje.Identificação das Escolas Geração Depositrão www.erp-recycling.pt Tratando-se de um projeto de âmbito nacional, as escolas serão alvo de competições de duas naturezas: • Quantitativa - recolha de resíduos (REEE e pilhas usadas); • Criativa - desenvolvimento dos enunciados sobre REEE que incluam RP&A (telemóveis, brinquedos, comandos, entre outros), ao longo de todo o ano letivo. MECÂNICAS E ATIVIDADES PÚBLICO ALVO Para além das escolas, e transformando-as em intermediárias ou canais, pretendemos chegar à população em geral, através dos alunos que serão portadores da mensagem. OBJETIVOS O projeto Geração Depositrão tem como principal objetivo introduzir o tema dos REEE e RP&A no programa escolar, não só através de desafios lançados aos alunos e professores mas, também, através da colocação de um contentor - Depositrão - nas escolas aderentes. Para o efeito, a escola trabalhará na informação e sensibilização dos cidadãos, motivando o comportamento da entrega de pequenos REEE e pilhas usadas. A ERP Portugal assegurará toda a recolha e encaminhamento dos resíduos rumo ao seu tratamento e/ou reciclagem.
  • 11. 11ERP - GERAÇÃO DEPOSITRÃO AS POLÍTICAS AMBIENTAIS DOS NOSSOS APOIOS: Fundada em 1970, a Mário Miranda de Almeida, S.A. é uma empresa de capital nacional, com tradição no mercado de eletrodomésticos. Detentora da marca própria Orima, dispõe de uma gama de eletrodomésticos que combinam funcionalidade, inovação e qualidade com um design moderno a preços Competitivos. A Orima tem como objetivo facilitar as tarefas domésticas e, simultaneamente, melhorar a qualidade de vida das famílias. Está em- penhada em preservar o ambiente natural e em criar produtos otimizados para o consumidor sempre procurando ajudar o nosso plane- ta. A produção, utilização e eliminação dos nossos produtos seguem sempre princípios amigos do ambiente. Uma das preocupações subjacentes à parceria com a ERP é a consciência da importância do tratamento dos REEE e a necessidade de sensibilização da população para essa temática, nomeadamente através das gerações mais novas. Ao longo dos seus mais de 220 anos de história, o Grupo Jerónimo Martins tem procurado gerir de forma equilibra- da a relação entre a necessária prosperidade económica, o contributo ativo para o desenvolvimento social e a preservação ambiental nas regiões onde tem operações. O Pingo Doce, enquanto companhia do Grupo Jerónimo Martins, incorpora estas preocupações e procura, ao longo de toda a sua cadeia de valor, diminuir e controlar os impactes gerados pela sua operação no Ambiente. Com o objetivo de potenciar a adoção de comportamentos mais responsáveis, são implementadas ações que integrem as melhores práticas ambientais, desde a produção de matérias-primas até à recolha dos resíduos gerados. A parceria com a ERP é mais uma das medidas do Pingo Doce para a prevenção e valorização dos resíduos gerados que se concretiza não só ao nível da sua atividade mas também através da sensibilização dos consumidores para a correta separação dos equipamentos elétricos e eletrónicos. De facto, todas as lojas Pingo Doce (mais de 380) recebem estes equipamentos fora de uso, assegurando o correto encaminhamento destes resíduos. Em 2015, o Pingo Doce associou-se pelo terceiro ano consecutivo ao projeto Geração Depositrão da ERP, apoiando IPSS selecionadas pelas escolas premiadas. A LG Electronics tem como principal missão a criação de um sistema que assegura um ambiente melhor e pessoas mais felizes. Os princípios normativos da LG ajudam a assegurar que esta Filosofia é posta em prática no dia-a-dia do negócio. A LG acredita que para ganhar a confiança dos principais stakeholders, enquanto entidade responsável e ética, precisa de se tornar num organismo saudável, assumindo um papel proativo e ajudando a tornar o sistema melhor, pela via dos seus produtos e serviços. Para alcançar este objetivo, a LG estabelece e implementa várias decisões estratégicas que vão nesse sentido. Desde a área de I&D de produto, até à compra, produção, venda e pós-venda, a LG tem intenção de melhorar a sua execução de CSR (Corporate Social Responsability), ao mesmo tempo que fortalece relações de consenso e parceria com os stakeholders. Relativamente à reciclagem, em Portugal a empresa recicla, desde o ano 2011, todos os equipamentos comercializáveis em Portugal. Desde Máquinas Lavar Roupa e Loiça, Frigoríficos, TV´s, Ar Condicionado, Telemóveis, etc. O processo de reciclagem LG passa pela separação por tipologia a destruir, recolha pela ERP do material separado a destruir nos armazéns LG existentes, entrega pela ERP no centro de destruição e destruição/reciclagem dos materiais. No total, desde que a LG iniciou a parceria com a ERP, foram destruídas/recicladas 11.455 unidades com peso total de 74.191 toneladas. A Porto Editora respeita os princípios fundamentais da nossa sociedade e assume, no seu dia a dia, uma postura de responsabilidade social que se reflete na política de recursos humanos que exerce, no cumprimento das regras de gestão ambiental e no envolvimento com a comunidade, apoiando inúmeras iniciativas de âmbito educativo, cultural e social. Qualidade editorial, inovação, dinamismo, rigor e sustentabilidade são os traços que distinguem a Porto Editora. A nossa unidade industrial - Bloco Gráfico - dispõe de instalações modernas e funcionais e a sua atividade é desenvolvida de modo seguro e saudável uma vez que são conhecidas e rigorosamente controladas todas as emissões de efluentes líquidos, resíduos sólidos, emissões atmosféricas e ruído, assim como os consumos de energia, água, matérias-primas e outros materiais. O Sistema de Gestão Ambiental implementado de acordo com a norma ISO 14001:2004, foi certificado pela APCER em janeiro de 2006 e permitiu não só o controlo destes aspetos mas também o cumprimento da legislação ambiental, a prevenção da poluição e a melhoria do desempenho ambiental global. Faz parte do ADN da Worten assumir um papel ativo nas comunidades onde se insere. Nesse sentido, desenvolve, no terreno, uma série de iniciativas, para promover um ambiente mais saudável e limpo, ao mesmo tempo que atua em prol de um bem-estar social maior. Apoiada na sua área de negócio – eletrodomésticos e eletrónica de consumo –, a Worten dá o exemplo no que diz respeito ao correto tratamento dos resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos (REEE), através do projeto Equipa Worten Equipa, lançado em 2009 e que conta com o apoio da ERP Portugal e do Banco de Bens Doados da ENTRAJUDA. Com base nesse projeto, a Worten apela a todos os portugueses que entreguem os seus velhos equipamentos numa loja da marca e, por cada tonelada entregue, o Equipa Worten Equipa oferece 50€, em novos equipamentos, a instituições de solidariedade de todo o país, com vista a atenuar muitas das suas carências e, assim, proporcionar um maior conforto aos utentes dessas instituições. Até à data, o Equipa Worten Equipa já recolheu perto de 30 mil toneladas de REEE, o que permitiu oferecer mais de 17 mil novos equipa- mentos a um total de 1708 instituições de solidariedade portuguesas. Equipa Worten Equipa, o nosso forte é ajudar.
  • 12. Centro Empresarial Ribeira da Penha Longa Rua D. Dinis Bordalo Pinheiro, 467B 2645-539 Alcabideche Telefone: +(351) 21 911 96 30 Fax: +(351) 21 911 96 39 www.erp-recycling.pt / info@erp-portugal.pt www.geracaodepositrao.abae.pt www.facebook.com/geracaodepositrao Entidade Promotora: Parceiro: Apoios: