Boas Práticas na Gestão de REEE
Contexto Nacional e Internacional
Henrique M. R. Mendes
Agenda
Dia 1
•Introdução
•Contextualização
•O papel dos EEE
•Resíduos EEE
•Gestão dos REEEs
•Conceitos
•A Logística Revers...
22 de nov de 2013
Guiyu
Capital do lixo eletrônico
O papel dos EEE no mundo de hoje
• Presente em diversos setores. Objeto de consumo global
• Caráter inovador e tecnológico...
O mercado de eletroeletrônicos no Brasil
• O setor
3,0% do PIB brasileiro
Faturamento de R$153,8 bilhões (2014)
174,1 mil ...
O mercado de eletroeletrônicos no Brasil
• Setor variado – 1500 NCMs e Representativo
3º maior mercado eletrônico do mundo...
Mercado de eletroeletrônicos no mundo
• Mercado de US$1,024 trilhão 1%
Tablets, smartphonesTablets, smartphones, celulares...
Produção e Consumo
• Revolução Industrial – Alteração drástica no modelo de
produção
• Avanço da tecnologia = evolução ain...
Resíduos Eletroeletrônicos
• Definições (e-waste, WEEE, lixo-eletrônico, REEE)
“Todo produto que utiliza energia elétrica ...
• Diversos componentes em cada aparelho
Plástico, metais, vidro, solda, químicos, metais pesados...
• Potencial de toxicid...
Substância Aplicação no EEE Impacto Ambiental e na Saúde
Antimônio (Sb) Agente de derretimento no vidro CRT,
carcaça plást...
Gestão dos REEEs
• Situação atual – Geração de REEE no mundo
Fluxo crescente. Tendência de aumento – Ritmo 4%/ano
48 Mt
20...
Geração de REEE por região
Brasil: 1,4 Mt
7,0 kg/hab/ano
EUA: 22,1 kg/hab/ano
Gestão dos REEE
• Conceito de EPR e sua relevância
Extended Producer Responsibility
• OCDE: Redução e controle da poluição...
Características da EPR
• Transferência de responsabilidade, Inovação e ecodesign
• Objetivo: Foco no pós-consumo – estimul...
Benefícios esperados pela EPR
• Reduzir o número de aterros e incineradores;
• Redução dos encargos para os municípios;
• ...
A Logística Reversa
* Receita do frete na mesma proporção que despesa de frete!
* Estímulo a comprar mais para atingir o v...
A Logística Reversa
• Década de 1990 – UE cria diretrizes legais para LogRev
• Adesão dos países: Leis próprias – metas
• ...
Logística Reversa
Descarte
Logística Reversa
• Esquemas Oficiais de Logística Reversa
Pode se coletado por:
- Prefeituras
- Comércio
- Empresas priva...
Logística Reversa
• Coleta Particular em Países Desenvolvidos
Após a coleta, os REEE
são recondicionados /
vendidos, ou tr...
Logística Reversa
• Coleta de REEE nos países em desenvolvimento
Após a coleta,
desmontagem manual,
reciclagem informal ou...
Logística Reversa
• Nenhum sistema – Descarte comum
Aterro / incinerador
O lixo é levado direto
para aterros ou
incinerado...
Mercado Internacional de Reciclagem
• Cenário Atual
1) EEE obsoletos; 2) comum a todos países; 3) volume aumenta 4 a 5%/an...
Mercado Internacional de Reciclagem
• Papel das economias emergentes
Tendência de maior crescimento na geração de REEE
Cla...
A china recebe 90% do
mercado asiático de
reciclagem de REE
Reciclagem dos REEE
23%
metais
3,5kg Ag,
340g Au,
140g Pd
130kg Cu
1
ton
Reciclagem dos REEE
• Notebooks e tablets mantem esta proporção
• Diferente para os demais EEE
• Mercado mundial de metais...
Reciclagem dos REEE
Reciclagem dos REEE
Coleta!
A Eficiência de toda a cadeia de reciclagem depende da
eficiência de cada etapa:
Coleta
50%
Tr...
Desmontagem dos REEEs
a) Monitores e TVs - CRT
•Cuidado com componentes e substâncias perigosas
•Separam por tipo de vidro...
Desmontagem dos REEEs
b) Geladeiras e Ar Condicionado
•Desmontagem manual – recuperação de partes e peças
•Remoção dos com...
Desmontagem dos REEEs
c) TICs
•Diversos equipamentos diferentes: Triagem
•Remoção de componentes potencialmente perigosos
...
c) TICs
•Trituração dos materiais menos valiosos
Reciclagem dos Materiais
a) Ferro
•Separação do tipo de sucata = Valoração
Sujeiras (cola, tinta, plástico, adesivos...)
•...
Reciclagem dos Materiais
b) Plástico
•Triagem manual – separação por tipo e cor
•Triturado – lavagem – secagem – aglutinad...
Reciclagem dos Materiais
c) Vidro
•Após a triagem inicial, o processo é industrial
•Lavado, moído em um triturado
Forno (1...
Reciclagem dos Materiais
d) Metais Preciosos e terras raras
•Siderúrgicas com o estado-da-arte em tecnologia
Controle de g...
• Hidrometalurgia
Solução ácida
Benefícios da Reciclagem
• Recuperação de recursos naturais – escassos
• Otimização da produção e uso de recursos
• Reduçã...
Bom descanso!
Boas Práticas de Gestão de Resíduos Eletroeletrônicos (parte 1)
Boas Práticas de Gestão de Resíduos Eletroeletrônicos (parte 1)
Boas Práticas de Gestão de Resíduos Eletroeletrônicos (parte 1)
Boas Práticas de Gestão de Resíduos Eletroeletrônicos (parte 1)
Boas Práticas de Gestão de Resíduos Eletroeletrônicos (parte 1)
Boas Práticas de Gestão de Resíduos Eletroeletrônicos (parte 1)
Boas Práticas de Gestão de Resíduos Eletroeletrônicos (parte 1)
Boas Práticas de Gestão de Resíduos Eletroeletrônicos (parte 1)
Boas Práticas de Gestão de Resíduos Eletroeletrônicos (parte 1)
Boas Práticas de Gestão de Resíduos Eletroeletrônicos (parte 1)
Boas Práticas de Gestão de Resíduos Eletroeletrônicos (parte 1)
Boas Práticas de Gestão de Resíduos Eletroeletrônicos (parte 1)
Boas Práticas de Gestão de Resíduos Eletroeletrônicos (parte 1)
Boas Práticas de Gestão de Resíduos Eletroeletrônicos (parte 1)
Boas Práticas de Gestão de Resíduos Eletroeletrônicos (parte 1)
Boas Práticas de Gestão de Resíduos Eletroeletrônicos (parte 1)
Boas Práticas de Gestão de Resíduos Eletroeletrônicos (parte 1)
Boas Práticas de Gestão de Resíduos Eletroeletrônicos (parte 1)
Boas Práticas de Gestão de Resíduos Eletroeletrônicos (parte 1)
Boas Práticas de Gestão de Resíduos Eletroeletrônicos (parte 1)
Boas Práticas de Gestão de Resíduos Eletroeletrônicos (parte 1)
Boas Práticas de Gestão de Resíduos Eletroeletrônicos (parte 1)
Boas Práticas de Gestão de Resíduos Eletroeletrônicos (parte 1)
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Boas Práticas de Gestão de Resíduos Eletroeletrônicos (parte 1)

388 visualizações

Publicada em

Dia 1 - Mini-Curso ministrado durante o Encontro Pernambucano de Resíduos Sólidos em 2015.
Esta é a primeira parte da apresentação. O dia 2 também está disponível no Slideshare

Publicada em: Meio ambiente
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
388
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Boas Práticas de Gestão de Resíduos Eletroeletrônicos (parte 1)

  1. 1. Boas Práticas na Gestão de REEE Contexto Nacional e Internacional Henrique M. R. Mendes
  2. 2. Agenda Dia 1 •Introdução •Contextualização •O papel dos EEE •Resíduos EEE •Gestão dos REEEs •Conceitos •A Logística Reversa •Reciclagem de REEE
  3. 3. 22 de nov de 2013
  4. 4. Guiyu
  5. 5. Capital do lixo eletrônico
  6. 6. O papel dos EEE no mundo de hoje • Presente em diversos setores. Objeto de consumo global • Caráter inovador e tecnológico • Economia • Base do modelo Econômico atual • Características: Tecnologia Integração social Utilidade/facilidades Status
  7. 7. O mercado de eletroeletrônicos no Brasil • O setor 3,0% do PIB brasileiro Faturamento de R$153,8 bilhões (2014) 174,1 mil trabalhadores. • Situação Atual Queda na produção (1,9% - 2013) Desindustrialização do país? (incentivos, acordo ITA, dólar) Perda de 8k+ vagas no setor Redução na produção de 16% no trimestre
  8. 8. O mercado de eletroeletrônicos no Brasil • Setor variado – 1500 NCMs e Representativo 3º maior mercado eletrônico do mundo 4º mercado de celulares, 5º em automação 3º em hardwares • Situação dos TICs é diferente do geral • Tablets 17% (2012) - 48% (2014) • Celulares 70,3 milhões (78% smartphones)
  9. 9. Mercado de eletroeletrônicos no mundo • Mercado de US$1,024 trilhão 1% Tablets, smartphonesTablets, smartphones, celulares, câmeras digitais, desktops, notebooks e TVs • Previsão de venda (2015) 1,501 bilhões smartphones 337 milhões tablets 251 milhões TVs • Protagonismo dos emergentes • China (34% - 250 mi SmartPhones | 57 mi TVs) 7 bilhões 1,7 bilhão 1,5 bilhão
  10. 10. Produção e Consumo • Revolução Industrial – Alteração drástica no modelo de produção • Avanço da tecnologia = evolução ainda mais rápida • Mudança no cenário atual: Recursos Naturais vs Recursos Humanos -> Aumentar a produtividade dos recursos • Setor EE, inexistente – hoje avança rápido e promove avanço • Novos aparelhos, novas funções, novas possibilidades Queremos avançar? A que custo? Poder de processamento? Status? Obsolescência? Necessidade produtiva? Desenvolvimento? Smart-cities, smart-grids... Qualidade dos materiais vs custo
  11. 11. Resíduos Eletroeletrônicos • Definições (e-waste, WEEE, lixo-eletrônico, REEE) “Todo produto que utiliza energia elétrica ou acumuladores, e se torna obsoleto é considerado um REEE. Seja de uso industrial, doméstico, comercial e de serviços.” • Geração de REEE – problema mundial • Características complexas Rápida geração, componentes potencialmente perigosos, novos componentes a cada novo EEE, diversos atores, tratamento inadequado. • Tipos diferentes = tratamentos diferentes Formas para o descarte, coleta, transporte, armazenamento, reciclagem...
  12. 12. • Diversos componentes em cada aparelho Plástico, metais, vidro, solda, químicos, metais pesados... • Potencial de toxicidade – Exigem tratamento adequado Composição dos REEE
  13. 13. Substância Aplicação no EEE Impacto Ambiental e na Saúde Antimônio (Sb) Agente de derretimento no vidro CRT, carcaça plástica e liga de solda em cabeamento Antimônio foi classificado como uma substância cancerígena. Arsênio (Ar) Arseneto de gálio é usado em diodos emissores de luz (LED). Tem efeitos crônicos que causam doenças de pele e câncer de pulmão e de sinalização nervosa auditivos Bário (Ba) Velas de ignição, lâmpadas fluorescentes e interiores de CRT em tubos de vácuo Provoca inchaço cerebral, fraqueza muscular, danos no coração, fígado e baço. (BFR); (PBBs); São usados para reduzir a inflamabilidade​​ em placas de circuito impresso e plásticos. Durante a combustão emitem vapores tóxicos conhecidos por causar distúrbios hormonais Cádmio (Cd) As baterias recarregáveis de NiCd, chips​​ semicondutores tintas de impressora e toners representam um risco de impactos irreversíveis sobre a saúde humana, particularmente os rins Clorofluorcarbo nos (CFCs) Unidades de refrigeração e espuma de isolamento Estas substâncias impactam a camada de ozônio, o que pode levar a uma maior incidência de câncer da pele Cromo Hexavalente Invólucro plástico, cabos, discos rígidos e como corante em pigmentos É extremamente tóxico no ambiente, causando danos ao DNA e comprometimento permanente olho Chumbo (Pb) Solda, baterias de chumbo-ácido, tubos de raios catódicos, cabos, placas de circuito impresso e lâmpadas fluorescentes Pode danificar o cérebro, sistema nervoso, rins e sistema reprodutivo e causar doenças do sangue. Resulta em efeitos, agudos e crónicos, na saúde humana Mercúrio (Hg) Baterias, bulbos de luz, monitores de tela plana, interruptores e termostatos O mercúrio pode danificar o cérebro, rins e fetos Níquel (Ni) Baterias, invólucro do computador, tubo de raios catódicos e placas de circuito impresso Pode provocar reações alérgicas, bronquite e redução da função pulmonar e câncer de pulmão
  14. 14. Gestão dos REEEs • Situação atual – Geração de REEE no mundo Fluxo crescente. Tendência de aumento – Ritmo 4%/ano 48 Mt 2017 resíduo per capita
  15. 15. Geração de REEE por região Brasil: 1,4 Mt 7,0 kg/hab/ano EUA: 22,1 kg/hab/ano
  16. 16. Gestão dos REEE • Conceito de EPR e sua relevância Extended Producer Responsibility • OCDE: Redução e controle da poluição, e redução resíduos Sucesso no 1º, no 2º nem tanto • Criação de novos conceitos para ajudar os governos Soluções de longo prazo e aumentar a eficiência dos recursos • Responsabilidade Estendida ao Produtor Uma abordagem política-ambiental em que a responsabilidade do produtor, física e/ou financeira, para com um produto, é estendida para a fase pós-consumo do ciclo de vida deste produto. OCDE Uma abordagem política-ambiental em que a responsabilidade do produtor, física e/ou financeira, para com um produto, é estendida para a fase pós-consumo do ciclo de vida deste produto. OCDE
  17. 17. Características da EPR • Transferência de responsabilidade, Inovação e ecodesign • Objetivo: Foco no pós-consumo – estimulo a eficiência • Perspectiva de ciclo de vida dos produtos • Resultado esperado: Produtos mais duráveis e recicláveis
  18. 18. Benefícios esperados pela EPR • Reduzir o número de aterros e incineradores; • Redução dos encargos para os municípios; • Promover a reciclagem e reutilização de peças e produtos; • Redução ou eliminação de substâncias e elementos químicos potencialmente perigosos; • Utilização mais eficiente dos recursos naturais; • Gestão integrada, com ênfase no ciclo de vida do produto; Mas a EPR funciona?                         Last week tonight – food waste Internalizar as Externalidades Grande desafio do Desenvolvimento Sustentável - OCDE Internalizar as Externalidades Grande desafio do Desenvolvimento Sustentável - OCDE
  19. 19. A Logística Reversa * Receita do frete na mesma proporção que despesa de frete! * Estímulo a comprar mais para atingir o valor do “Frete Grátis”...
  20. 20. A Logística Reversa • Década de 1990 – UE cria diretrizes legais para LogRev • Adesão dos países: Leis próprias – metas • EPR: Pedra angular das diretivas europeias e outras “Fluxo de bens, materiais ou equipamentos indesejados, ou em fim-de- vida útil, de volta para a empresa, através da sua cadeia logística, para reutilização, reciclagem ou eliminação”. – Business dictionary “Fluxo de bens, materiais ou equipamentos indesejados, ou em fim-de- vida útil, de volta para a empresa, através da sua cadeia logística, para reutilização, reciclagem ou eliminação”. – Business dictionary “Instrumento de desenvolvimento econômico e social, caracterizado por um conjunto de ações, procedimentos e meios, destinados a viabilizar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos ao setor empresarial, para reaproveitamento, em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos, ou outra destinação final ambientalmente adequada". – Lei 12.305/10 “Instrumento de desenvolvimento econômico e social, caracterizado por um conjunto de ações, procedimentos e meios, destinados a viabilizar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos ao setor empresarial, para reaproveitamento, em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos, ou outra destinação final ambientalmente adequada". – Lei 12.305/10
  21. 21. Logística Reversa Descarte
  22. 22. Logística Reversa • Esquemas Oficiais de Logística Reversa Pode se coletado por: - Prefeituras - Comércio - Empresas privadas 40% - EU 12% - US/Can 1% - Australia 28% - China 24% - Japão Regulados: Lâmpadas, TICs, TV, Geladeira, AC, fogões, portáteis.. Reciclagem ideal: - Remoção de tóxicos - Pré-processamento Desmontagem/ separação - Processamento final Refino de metais e metais nobres Reciclagem plástico e vidro Tratamento de baterias / outros Resíduos vão para incineração ou aterro
  23. 23. Logística Reversa • Coleta Particular em Países Desenvolvidos Após a coleta, os REEE são recondicionados / vendidos, ou triados para materiais de valor. As frações restantes vão para refinarias. Categorias de REEE geridas por coleta informal: Geladeira, AC, Fogão, Printer, TVs, TICs, portáteis 5% - Bélgica 10% - Holanda 5% - Inglaterra 5% - Alemanha Neste cenário, o REE é coletado por empresas privadas O REE pode tb ser reciclado, junto com outros recicláveis 10% - Bélgica 30% - Holanda 10% - England 20% - France
  24. 24. Logística Reversa • Coleta de REEE nos países em desenvolvimento Após a coleta, desmontagem manual, reciclagem informal ou métodos rudimentares. Pode causar grandes danos à saúde. Categorias de REEE geridas por coleta informal: Geladeira, AC, Fogão, Printer, TVs, TICs, portáteis Nigéria 360 Mt de REEE Recicladas usando técnicas atrasadas 100 Mt são importadas Grande parte dos REEEs são exportados para estes países Dioxinas – PVCs Descarte na natureza e cursos d´água. Alguma reciclagem é feita, mas sem cuidados à saúde e meio ambiente. Resultando tb em menor retorno $. A importação de REE perigoso deve atender a Basiléia Os EEE importados são revendidos ou descartados de imediato O REEE é coletado por atores isolados que compram os REEE p/ vender
  25. 25. Logística Reversa • Nenhum sistema – Descarte comum Aterro / incinerador O lixo é levado direto para aterros ou incineradores. Gera perda de potencial de reciclagem. 700 Mt –EU 1,0kg/hab – Fra 1,4kg/hab – Ger 1,2kg/hab – Sué 1,0kg/hab - Ita Toxinas O REEE tratado em incineradores gera emissões de CO2e, além de dioxinas Toxinas O REEE que termina nos aterros geram vazamento de metais pesados e químicos ao solo. Lixeiras REE pequenos Descartados, Leds, USB, celulares...
  26. 26. Mercado Internacional de Reciclagem • Cenário Atual 1) EEE obsoletos; 2) comum a todos países; 3) volume aumenta 4 a 5%/ano • Mercado Empregos: 64 milhões de pessoas 2001: US$5,7 bi – 2015: • Grande mercado informal Países em desenvolvimento • Exportação de resíduos Corte de Custo (Externalidades) 10x menos, leis fracas Baixo risco + alto retorno, transporte barato e demanda peças China 80%, Índia, Paquistão, Gana e Nigéria; $18 bilhões
  27. 27. Mercado Internacional de Reciclagem • Papel das economias emergentes Tendência de maior crescimento na geração de REEE Classe média – consumo Importação de REEE + Consumo interno 2018 – Reversão do cenário: maiores geradores • Preocupação ambiental Tecnologia para tratamento correto Expansão do mercado informal Riscos à Saúde e Meio Ambiente Baixo rendimento na recuperação de metais • Reciclagem formal Necessário profissionalismo – eficiência (outros metais) e segurança
  28. 28. A china recebe 90% do mercado asiático de reciclagem de REE
  29. 29. Reciclagem dos REEE
  30. 30. 23% metais 3,5kg Ag, 340g Au, 140g Pd 130kg Cu 1 ton
  31. 31. Reciclagem dos REEE • Notebooks e tablets mantem esta proporção • Diferente para os demais EEE • Mercado mundial de metais Smartphone, PCs e Tablets = oferta de 3% Au e Ag,13% de Pd e 15% Co. EEE são um dos principais motores para demanda e preço de metais • Importância do tratamento (poluição) 1ª - Substâncias perigosas contidas nos REEE (Pb, Hg, Cd, PBC, Ar...) 2ª - Produtos resultados de reações no tratamento (dioxinas, ácidos, ...) 3ª - Substâncias e reagentes usados no tratamento (Cianeto, Ácidos, Hg-Au) • Leis, normas e procedimentos impedem 1ª e 2ª, mas não a 3ª Conscientização, profissionalização e combate ao mercado ilegal
  32. 32. Reciclagem dos REEE
  33. 33. Reciclagem dos REEE Coleta! A Eficiência de toda a cadeia de reciclagem depende da eficiência de cada etapa: Coleta 50% Tratamento 70% Recuperação 95% Rendimento 33% Rendimento 33%
  34. 34. Desmontagem dos REEEs a) Monitores e TVs - CRT •Cuidado com componentes e substâncias perigosas •Separam por tipo de vidro (frente pode ser reciclado) •LED e LCD são diferentes dos CRT (20 a 25% de PbO) •Vidro do tubo (radiação) – tratamento •Demais partes seguem para reciclagem (placa, cobre, ferro, alumínio, plástico, fiação)
  35. 35. Desmontagem dos REEEs b) Geladeiras e Ar Condicionado •Desmontagem manual – recuperação de partes e peças •Remoção dos componentes perigosos (Fluido refrigerante e óleo do compressor) •Trituração em grandes shredders •Tratamento dos GEEs
  36. 36. Desmontagem dos REEEs c) TICs •Diversos equipamentos diferentes: Triagem •Remoção de componentes potencialmente perigosos (Baterias e cartuchos de tinta) •Desmontagem manual, separação de partes e peças •Destruição de componentes de armazenamento de dados •Placas de Circuito Impresso
  37. 37. c) TICs •Trituração dos materiais menos valiosos
  38. 38. Reciclagem dos Materiais a) Ferro •Separação do tipo de sucata = Valoração Sujeiras (cola, tinta, plástico, adesivos...) •Esteira e trituração - Prensa •Siderurgia de fundição Cobre, Zinco e outros
  39. 39. Reciclagem dos Materiais b) Plástico •Triagem manual – separação por tipo e cor •Triturado – lavagem – secagem – aglutinador - extrusão
  40. 40. Reciclagem dos Materiais c) Vidro •Após a triagem inicial, o processo é industrial •Lavado, moído em um triturado Forno (1000º C) – Menos CO2 •Vidros CRT Descontaminação Tratamento térmico (R$0,25 e R$0,56 /kg) Vidro com Pb: agregado em produtos para refração Lentes,
  41. 41. Reciclagem dos Materiais d) Metais Preciosos e terras raras •Siderúrgicas com o estado-da-arte em tecnologia Controle de gases – separação metais/metais (caro e difícil) •Volume, tecnologia, infraestrutura e €$100 mi Bélgica, Canadá, Alemanha, Japão, Suécia e EUA •Pirometalurgia – eliminação de plástico, metais menos nobres e outros materiais indesejados •Hidrometalurgia - separa os metais por reações com ácidos, gera diferentes soluções puras com os metais de interesse. •Eletro-metalurgia - usa corrente elétrica para recuperar metais. Adesão ao eletrodo.
  42. 42. • Hidrometalurgia Solução ácida
  43. 43. Benefícios da Reciclagem • Recuperação de recursos naturais – escassos • Otimização da produção e uso de recursos • Redução nas emissões de GEE • Redução do desperdício, energia, trabalho, transporte, água... • Impacto muito menor que o gerado pelas minas e extração de petróleo • Controle de substâncias poluentes Ar, terra e água – CFC, HCFC, Pb, Arsênio, Mercúrio • Novo mercado – empregos e renda • Notícias nos jornais
  44. 44. Bom descanso!

×