15 versos de presos e as quatro idéias capitais dos presos

1.303 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Turismo
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.303
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

15 versos de presos e as quatro idéias capitais dos presos

  1. 1. A Alma Encantadora das Ruas. Crônicas
  2. 2. Resumo da crônica: Versos de Presos. <ul><li>Nesta crônica podemos relatar a história de presos, que eram como qualquer outro. O que marca o local da história é um muro de pedras, onde um soldado vigiava os detentos, com uma cara que assustava, porém quem já estava lá a muito tempo não o temia mas. Os detentos se dividiam em dois, aqueles que tinham cometido crime de morte, haviam sido preso por mentiras, e os outros eram homens de sentimento amável. </li></ul><ul><li>Como qualquer outro cidadão, os presos tem a capacidade de criar versos, e era isso que eles fazem, cada um com suas inspirações. Os assuntos escolhidos pelas inicias superiores da detenção abrangem todas as modalidades do sentir. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Alguns textos são escritos de formas simbolistas, eróticas, poetas descritivos, trovadores simples, cançonetistas ocasionais, são patriotas e sofrem injustiças porque nasceram no Brasil. </li></ul><ul><li>Exemplo do um poema de Carlos F.P, como ele assinava seu nome. </li></ul><ul><li>Meus senhores, venham ouvir </li></ul><ul><li>Do meu peito uma canção </li></ul><ul><li>Tirada por um condenado </li></ul><ul><li>Na casa de detenção. </li></ul><ul><li>Há várias modinhas desse gênero, a ideia constante aparece sempre na última ou na penúltima quadra. </li></ul>
  4. 4. Resumo da Crônica As quatro ideias capitais dos presos <ul><li>Esta crônica e a continuação da citada anteriormente. Nela mostra a história de presos comentando que quando saírem da cadeia vão roubar. Só que tem um porém, poderia ser aplicado um método inglês. Este dizia que se eles forem pegos o tempo de prisão seria duplicado, mas só se o crime cometido fosse mesmo. Já se ele fosse pego pela terceira vez, seria triplicada a sua pena. </li></ul>
  5. 5. Características <ul><li>Marco inicial: 1908- “A Alma Encantadora das Ruas”, de João do Rio. </li></ul><ul><li>Autor: Modernista. </li></ul><ul><li>Idioma: Portugues. </li></ul><ul><li>Gênero: Crônica. </li></ul>
  6. 6. Características da vida do autor. <ul><li>foi jornalista, cronista, crítico, contista, tradutor e teatrólogo. Fundou jornais, revistas e a Sociedade Brasileira de Autores Teatrais. Foi membro da Academia de Ciências de Lisboa e da Academia Brasileira de Letras. A vida de João do Rio na imprensa carioca pode servir de modelo aos que se dedicam à rude profissão de escrever.Foi autor de vários livros de sucesso, entre eles A Alma Encantadora das Ruas (1908), uma coletânea de crônicas tendo como tema principal a cidade do Rio de Janeiro do seu tempo. Um crítico  literário  declarou: &quot;João do Rio foi um dos inovadores do jornalismo brasileiro, a ponto de ser difícil definir onde termina o jornalismo e começa a literatura&quot;. </li></ul>
  7. 7. Trabalho realizado por: <ul><li>Gabriella Starneck Lopes de Araujo. </li></ul><ul><li>Karen Marcela dos Santos. </li></ul>

×