5 orações e os urubus

1.221 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.221
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

5 orações e os urubus

  1. 1. A alma encantadora das ruas. “ Orações” e “Os Urubus” Alunas: Ana Clara Falcão e Ianca Santos 1° “B”
  2. 2. Os Urubus. <ul><li>Esta crônica mostra o que a ambição exacerbada do homem provoca na sociedade. João do Rio nomeia “urubus” como sendo pessoas que oferecem serviços funerários para que a família do falecido compre deles coroas para enfeitar o caixão. Estes indivíduos se situam em um ponto estratégico, ficando entre a Santa Casa, o Necrotério e o local onde se prestam serviços de enterramento. </li></ul>
  3. 3. Os Urubus. <ul><li>Os chamados urubus, se aproveitam da má situação dos outros para agir, possuem um código que os permite identificar qual será o próximo cliente. Estão sempre informados a respeito das mortes recentes, prontos para oferecer as coroas e fazendas. Esta crônica mostra o lado obscuro dos serviços funerários, criticando a maçonaria, as atitudes equivocadas em geral. O texto possui linguagem de fácil entendimento, com narrador-observador. </li></ul>
  4. 4. Orações. <ul><li>Esse capítulo começa com um menino que estava vendendo uma oração em folheto para as pessoas, os crentes, cristãos. Mas esta oração foi julgada muito mal, tanto pelas pessoas como pelos padres e membros da Igreja. Mesmo assim esse menino, magro, vendia essa oração, e pelo espanto do narrador-personagem estava sendo muito vendido. </li></ul><ul><li>Foi então que o narrador-personagem comprou um folheto, e então se lembrou de outras orações que sabia, pois ele fazia uma coleção, e para seu espanto havia muitas orações, cada uma para certo santo ou certa santa. </li></ul>
  5. 5. Orações. <ul><li>Ele se lembrou que desde que nascemos, ou estamos prestes a nascer, existe uma oração para a mãe realizar, depois que nasce também. Tem umas orações oportunistas, que elogiam o santo só para “conseguirem” o que querem. Também tem uma que enobrece os santos e faz parecer com que eles sejam quase deuses, além de elogiar a igreja. Também diz que a população pede de tudo para os santos através da oração, como proteção, mais riqueza, saúde e etc. </li></ul><ul><li>Mas o narrador também diz que a oração mais cara é a dos árabes negros muçulmanos, porque também contém nelas maldições, mas não é em português, pois essa oração traduzida não chega ao preço da original. </li></ul><ul><li>Nessa época as orações eram vendidas todas em folhetim. </li></ul><ul><li>Tem umas orações que são até para o mal, as pessoas principalmente os ladrões costumavam ter, para pedirem perdão pelo que cometeram, mas continuavam cometendo os mesmos erros. </li></ul>
  6. 6. Orações. <ul><li>Comentário: </li></ul><ul><li>O autor quis com esse capítulo fazer uma crítica não só à igreja, que tem muitos santos e orações para cada um, mas também quis fazer uma crítica à população e sociedade. Ele critica que nós muitas vezes deixamos de correr atrás de alguma coisa, e ficamos parados esperando um “milagre” surgir. Ele também critica o exagero religioso, principalmente na época retratada, aonde a igreja ficava mandando na sociedade e dizia o que devia ser feito ou o que não era permitido fazer. </li></ul>

×