Filosofia política e filosofia da arte Thomas Hobbes, Maquiavel

1.693 visualizações

Publicada em

Filosofia Política e Filosofia da Arte.

Publicada em: Mídias sociais
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.693
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
46
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Filosofia política e filosofia da arte Thomas Hobbes, Maquiavel

  1. 1. Maquiavel 1469-1527
  2. 2. O Príncipe Durante o período medieval, o poder político era concebido como presente divino. Os teólogos elaboraram suas teorias políticas baseados nas escrituras sagradas e no direito romano. No período do Renascimento, os clássicos gregos e latinos passaram a lastrear o pensamento político. Maquiavel, no entanto, elaborou uma teoria política totalmente inédita, fundamentada na prática e na experiência concreta.
  3. 3. "O Príncipe" sintetiza o pensamento político de Maquiavel. A obra foi escrita durante algumas semanas, em 1513, durante o exílio de Maquiavel, que tinha sido banido de Florença, acusado de conspirar contra o governo. Mas só foi publicada em 1532, cinco anos depois da morte do autor. Como tinha sido diplomata e homem de estado, Maquiavel conhecia bem os mecanismos e os instrumentos de poder. O que temos em "O Príncipe" é uma análise lúcida e cortante do poder político, visto por dentro e de perto.
  4. 4. Os fins justificam os meios Em "O Príncipe" (palavra que designa todos os governantes), a política não é vista mais através de um fundamento exterior a ela própria (como Deus, a razão ou a natureza), mas sim como uma atividade humana. O que move a política, segundo Maquiavel, é a luta pela conquista e pela manutenção do poder.
  5. 5.  A primeira leitura que se fez dos escritos de Maquiavel tomou o livro como um manual de conselhos práticos aos governantes. A premissa de que "os fins justificam os meios" (frase que não é de Maquiavel, no entanto) passou a nortear a compreensão da obra. Daí a reputação de maquiavélico dada ao governante sem escrúpulos.
  6. 6. THOMAS HOBBES “O homem é o lobo do homem”
  7. 7. Biografia  Nascimento: 5 de abril de 1588, Inglaterra.  Morte: 4 de dezembro de 1679 (91 anos), Inglaterra.  Ocupação: Preceptor, filósofo.  Escola/Tradição: Cartesianismo, Mecanicismo, Nominalismo.  Principais interesses: Política, Direito, Filosofia política, Ciência política, Teoria do conhecimento.  Autor de Leviatã (1651) e Do cidadão (1651).
  8. 8. Leviatã  Na obra Leviatã, explanou os seus pontos de vista sobre a natureza humana e sobre a necessidade de governos e sociedades.  No estado natural, enquanto que alguns homens possam ser mais fortes ou mais inteligentes do que outros, nenhum se ergue tão acima dos demais por forma a estar além do medo de que outro homem lhe possa fazer mal.
  9. 9.  Por isso, cada um de nós tem direito a tudo, e uma vez que todas as coisas são escassas, existe uma constante guerra de todos contra todos (Bellum omnia omnes).  No entanto, os homens têm um desejo, que é também em interesse próprio, de acabar com a guerra, e por isso formam sociedades entrando num contrato social.
  10. 10. Teoria Política  De acordo com Hobbes, tal sociedade necessita de uma autoridade à qual todos os membros devem render o suficiente da sua liberdade natural, por forma a que a autoridade possa assegurar a paz interna e a defesa comum.  Thomas Hobbes defendia a idéia segundo a qual os homens só podem viver em paz se concordarem em submeter-se a um poder absoluto e centralizado.
  11. 11. “O essencial da arte é exprimir: o que se exprime não interessa” (Fernando Pessoa)
  12. 12. A filosofia da arte pergunta pelo ser da arte como expressão sensível (ou seja, expressão material) de algo. Oferece a arte alguma semelhança com o conhecimento, quer da sensação, quer do pensamento? Tal como a sensação e o pensamento são a expressão de algo, também a arte o é? Encontra-se a filosofia da arte em contraste com a teoria do conhecimento, a qual se ocupa da expressão mental de algo. Todavia, em ambos os casos, ocorre tratar-se da expressão de algo. Por isso, há muito de comum entre filosofia da arte e teoria do conhecimento, sobretudo entre filosofia geral da arte e teoria geral do conhecimento, até mesmo no que se refere às dificuldades oferecidas por ambos os temas.
  13. 13.  A arte se apresenta como expressão material de algo. Isto acontece em todas as espécies de arte: A pintura é matéria que exprime algo; a estátua é matéria que exprime algo; o som é matéria que exprime algo; a linguagem é matéria que exprime algo.

×