Capitulo 10

2.567 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.567
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.497
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
24
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Capitulo 10

  1. 1. Trabalho de história Ayana Hanashiro de Moraes nº02Nilza Martina Paredes da Silva nº32
  2. 2. Período tratado Inglaterra Século XVII França Século XVIII
  3. 3. René Descartes(1596-1650) Defendeu auniversalidade darazão como oúnico caminhopara oconhecimento. “Penso, logo existo”.
  4. 4. Sir Isaac Newton (1642-1727)  Criou o princípio da gravidade universal, contribuindo para reforçar o fundamento de que o universo é governado por leis físicas e não submetido a interferências de origem divina. “Eu consigo calcular o movimento de corpos celestiais, mas não a loucura das pessoas.”
  5. 5. John Locke(1632-1704) Defendia a ideia de que a mente  humana ao nascer é uma tábua rasa, não contendo nenhuma informação. O conhecimento seria adquirido através da experiência.É preciso metade do tempo para usar a outra.
  6. 6. Principais filósofos
  7. 7. Barão de Montesquieu(1689- 1755)  Em suas obras satirizava severamente as estruturas sociais europeias e ironiza os costumes vigentes durante o reinado de Luís XIV. Para ele, não cabia ao Estado realizar os planos divinos, mas garantir aos cidadãos a liberdade, por meio de uma divisão equilibrada de poderes: que era o de fazer leis, o de executar resoluções públicas e o de julgar os crimes ou as desavenças dos particulares.
  8. 8. François Marie Arouet(1694-1778) Voltaire  Defendeu uma monarquia esclarecida, isto é, um governo baseado nas ideias dos filósofos. Apesar de ferrenho crítico da Igreja, era deísta: acreditava na presença de Deus na natureza e no homem, bastando a razão para encontrá- lo. Em cartas inglesas, criticou severamente a Igreja católica e requícios feudais, como a servidão. Ele era muito sarcástico e demolidor com relação aos seus discursos.“É proibido matar e, portanto, todos os assassinos são punidos, a nãoser que o façam em larga escala e ao som das trombetas”.
  9. 9. Jean Jacques Rousseau(1712-1778)  Também criticava a ordem absolutista, entretanto, Rousseau constituía uma exceção entre os iluministas, na medida em que criticava a burguesia e a propriedade privada,esta, segundo ele, que era a raiz das infelicidades humanas. Para ele, o homem é igual em qualquer parte do mundo, e são as leis que transmitem essa livre vontade. Ele também afirmava que os seres humanos, através da educação poderiam ser aperfeiçoados (teoria do “bom selvagem”).
  10. 10. Principais economistas
  11. 11. Escola Fisiocrata Quesnay(1694-1774), Turgot(1727-1781), e Gournay(1712-1759)
  12. 12. Escola Clássica Preocupou-se em sistematizar a análise econômica com a demonstração e a elaboração de leis, fundamentando assim a economia moderna e transformando-a em ciência. Smith, assim como a maioria dos fisiocratas, condenava o mercantilismo por achar um imenso atraso à ordem econômica. Ao contrário dos fisiocratas, entretanto, considerava o trabalho, e não a terra, a fonte de toda a riqueza. Suas propostas ficariam conhecidas como liberalismo econômico, dando início ao capitalismo liberal.Adam Smith (1723-1790)
  13. 13. A Enciclopédia  Organizada pelo matemático Jean d’Alembert e pelo filósofo Denis Diderot, e constitui um resumo do pensamento iluminista e fisiocrata. As ideias contidas em suas páginas são: A valorização da razão(racionalismo) como substituto da fé; A valorização da atividade científica, apresentada como meio para se alcançar um mundo melhor; A crítica à Igreja católica, ao clero, pelo comprometimento com o Estado absoluto; O predomínio do deísmo, crença em Deus como força impulsionadora do universo; A concepção de governo como fruto de um contrato entre governantes e governados.
  14. 14. O despotismo esclarecidoDéspota= tirano.  A partir da segunda metade do século XVIII, alguns soberanos absolutistas ou seus ministros, baseados em princípios iluministas, particularmente os de Voltaire, empreenderam uma política de reformas, visando à modernização nacional. Eles eram os déspotas esclarecidos que promoviam reformas sociais e econômicas baseadas no iluminismo. Os monarcas absolutistas tentavam incorporar algumas ideias iluministas a fim de barrar o avanço do movimento iluministas, sem o prejuízo do governo. A medida que o Estado absolutista tentou se compatibilizar com o Iluminismo, cujas ideias em sua essência eram antiabsolutistas, evidenciou- se uma contradição.
  15. 15. A música da Renascença ao RomantismoGeorge Friedrich Haendel (1685-1759) Johann Sebastian Bach (1685-1750)
  16. 16. Caracterizou perfeitamente o classicismo do século XVIII. Acabando com o rígido formalismo da música barroca, prenunciou um novo estilo, o romantismo, em que se destacaria Beethoven no século seguinte.Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791)
  17. 17. Transformação moderada Transformação radical Razão Iluminismo John Locke Voltaire Montesquieu Rousseau• reforma • Superação do • Crítica à propriedade política absolutismo • Vontade geral(Coletiva>Individu Liberalismo al) político • revolução • 3 poderes • Constituição • Eleições • Liberdade de expressão

×