SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 23
Crateús/CECrateús/CE
FORMAÇÃO DASFORMAÇÃO DAS
PALAVRASPALAVRAS
Disciplina: Português
Educador: Edson Alves
ESTRUTURA DAS PALAVRASESTRUTURA DAS PALAVRAS
  
 A palavra é subdivida em partes menores,A palavra é subdivida em partes menores,
chamadas dechamadas de elementos mórficoselementos mórficos..
Exemplos:Exemplos:
 gatinho = gat + inh + ogatinho = gat + inh + o
 Infelizmente = in + feliz + menteInfelizmente = in + feliz + mente
  
 ELEMENTOS MÓRFICOSELEMENTOS MÓRFICOS
Os elementos mórficos são:Os elementos mórficos são:
  
1.1. Radical;Radical;
2.2. Vogal temática;Vogal temática;
3.3. Tema;Tema;
4.4. Desinência;Desinência;
5.5. Afixo;Afixo;
6.6. Vogais e consoantes de ligação.Vogais e consoantes de ligação.
  
RADICALRADICAL
   O significado básico da palavra estáO significado básico da palavra está
contido nesse elemento; a ele sãocontido nesse elemento; a ele são
acrescentados outros elementos.acrescentados outros elementos.
Exemplos:Exemplos:
 pedrpedra,a, pedrpedreiro,eiro, pedrpedrinha.inha.
VOGAL TEMÁTICA VERBALVOGAL TEMÁTICA VERBAL
 Tem como função preparar o radical para ser acrescidoTem como função preparar o radical para ser acrescido
pelas desinências e também indicar a conjugação a quepelas desinências e também indicar a conjugação a que
o verbo pertence.o verbo pertence.
  
 Exemplo:Exemplo: cantcantaarr,, vendvendeer,r, partpartiir.r.
  
 OBSERVAÇÃO:OBSERVAÇÃO:
  
 Nem todas as formas verbais possuem a vogal temática.Nem todas as formas verbais possuem a vogal temática.
  
 Exemplo: parto (radical + desinência)Exemplo: parto (radical + desinência)
TEMATEMA
 É o radical com a presença da vogalÉ o radical com a presença da vogal
temática.temática.
  
 Exemplo:Exemplo: chorchoroo,, cantcantaa..
DESINÊNCIASDESINÊNCIAS
 São elementos que indicam as flexões que os nomes e os verbos podemSão elementos que indicam as flexões que os nomes e os verbos podem
apresentar. São subdivididas em:apresentar. São subdivididas em:
 DESINÊNCIAS NOMINAIS;DESINÊNCIAS NOMINAIS;
 DESINÊNCIAS VERBAIS.DESINÊNCIAS VERBAIS.
  
 DESINÊNCIAS NOMINAISDESINÊNCIAS NOMINAIS – indicam o gênero e número. As desinências– indicam o gênero e número. As desinências
de gênero sãode gênero são aa ee oo; as desinências de número são o; as desinências de número são o ss para o plural e opara o plural e o
singular não tem desinência própria.singular não tem desinência própria.
  
Exemplo:Exemplo: gat +gat + oo
                   Radical desinência nominal de gêneroRadical desinência nominal de gênero
  
             Gat +Gat + oo ++ ss
 Radical d.n.g d.n.nRadical d.n.g d.n.n
  
 d.n.g » desinência nominal de gênerod.n.g » desinência nominal de gênero
 d.n.n » desinência nominal de númerod.n.n » desinência nominal de número
DESINÊNCIAS VERBAISDESINÊNCIAS VERBAIS
Indicam oIndicam o modo, número, pessoamodo, número, pessoa ee tempotempo dos verbos.dos verbos.
 Exemplo:Exemplo:
cant +cant + áá ++ vava ++ mosmos
             Radical  v.t  d.m.t  d.n.pRadical  v.t  d.m.t  d.n.p
  
 v.t » vogal temáticav.t » vogal temática
 d.m.t » desinência modo-temporald.m.t » desinência modo-temporal
 d.n.p » desinência número-pessoald.n.p » desinência número-pessoal
  
AFIXOSAFIXOS
  
 São elementos que se juntam aos radicais para formaçãoSão elementos que se juntam aos radicais para formação
de novas palavras. Os afixos podem ser:de novas palavras. Os afixos podem ser:
  
 PREFIXOSPREFIXOS – quando colocado antes do radical;– quando colocado antes do radical;
 SUFIXOSSUFIXOS – quando colocado depois do radical– quando colocado depois do radical
  
 Exemplo:Exemplo:
  
 PedrPedrada.ada.
 InInviável.viável.
 InInfelizfelizmentemente
 VOGAIS E CONSOANTES DEVOGAIS E CONSOANTES DE
LIGAÇÃOLIGAÇÃO
  
 São elementos que são inseridos entre osSão elementos que são inseridos entre os
morfemas (elementos mórficos), em geral, pormorfemas (elementos mórficos), em geral, por
motivos de eufonia, ou seja, para facilitar amotivos de eufonia, ou seja, para facilitar a
pronúncia de certas palavras.pronúncia de certas palavras.
  
 Exemplo: silvExemplo: silvíícola, paucola, paullada, cafeada, cafeiicultura.cultura.
  
PROCESSOS DE FORMAÇÃO DAS PALAVRASPROCESSOS DE FORMAÇÃO DAS PALAVRAS
  
 Inicialmente observemos alguns conceitos sobre palavrasInicialmente observemos alguns conceitos sobre palavras
primitivas e derivadas e palavras simples e compostas:primitivas e derivadas e palavras simples e compostas:
  
 PALAVRAS PRIMITIVASPALAVRAS PRIMITIVAS – palavras que não são– palavras que não são
formadas a partir de outras.formadas a partir de outras.
  
 Exemplo: pedra, casa, paz, etc.Exemplo: pedra, casa, paz, etc.
  
 PALAVRAS DERIVADASPALAVRAS DERIVADAS – palavras que são formadas– palavras que são formadas
a partir de outras já existentes.a partir de outras já existentes.
  
 Exemplo: pedrada (derivada de pedra), ferreiro (derivadaExemplo: pedrada (derivada de pedra), ferreiro (derivada
de ferro).de ferro).
  
  
PALAVRAS SIMPLES – são aquelas que
possuem apenas um radical.
 
Exemplo: cidade, casa, pedra.
 
PALAVRAS COMPOSTAS - são palavras que
apresentam dois ou mais radicais.
 
Exemplo: pé-de-moleque, pernilongo, guarda-
chuva.
 
Na língua portuguesa existem dois processos de
formação de novas palavras: derivação e
composição.
 
DERIVAÇÃODERIVAÇÃO
  
 É o processo pelo qual palavras novasÉ o processo pelo qual palavras novas
(derivadas) são formadas a partir de outras que(derivadas) são formadas a partir de outras que
já existem (primitivas). Podem ocorrer dasjá existem (primitivas). Podem ocorrer das
seguintes maneiras:seguintes maneiras:
1.1. Prefixal;Prefixal;
2.2. Sufixal;Sufixal;
3.3. Parassintética;Parassintética;
4.4. Regressiva;Regressiva;
5.5. Imprópria.Imprópria.
1.1. PREFIXALPREFIXAL – processo de derivação– processo de derivação
pelo qual é acrescido umpelo qual é acrescido um prefixoprefixo a uma um
radical.radical.
  
 Exemplo:Exemplo: desdesfazer,fazer, ininútil.útil.
 Vejamos alguns prefixos latinos eVejamos alguns prefixos latinos e
gregos mais utilizados:gregos mais utilizados:
  
2.2. SUFIXALSUFIXAL –– processo de derivação pelo qualprocesso de derivação pelo qual
é acrescido umé acrescido um sufixo (NOMINAL OUsufixo (NOMINAL OU
VERBAL)VERBAL) a um radical.a um radical.
  Exemplos:Exemplos:
 PedrPedreiroeiro
 LivrLivraria
 CivilCivilizarizar
3. PARASSINTÉTICA3. PARASSINTÉTICA –– processo de derivação pelo qual é acrescido umprocesso de derivação pelo qual é acrescido um
prefixo e sufixoprefixo e sufixo simultaneamentesimultaneamente ao radical.ao radical.
 Exemplos:Exemplos: aa ++ noit +noit + ecerecer = ANOITECER= ANOITECER
PREFIXO RADICAL SUFIXOPREFIXO RADICAL SUFIXO
perper ++ noit +noit + arar. = PERNOITAR. = PERNOITAR
  
 OBSERVAÇÃOOBSERVAÇÃO ::
  
 Existem palavras que apresentam prefixo e sufixo, mas nãoExistem palavras que apresentam prefixo e sufixo, mas não
são formadas por parassíntese. Para que ocorra asão formadas por parassíntese. Para que ocorra a
parassíntese é necessários que o prefixo e o sufixo juntem-parassíntese é necessários que o prefixo e o sufixo juntem-
se ao radical ao mesmo tempo. Para verificar tal derivaçãose ao radical ao mesmo tempo. Para verificar tal derivação
basta retirar o prefixo ou o sufixo da palavra. Se a palavrabasta retirar o prefixo ou o sufixo da palavra. Se a palavra
deixar de ter sentido, então ela foi formada por derivaçãodeixar de ter sentido, então ela foi formada por derivação
parassintética. Caso a palavra continue a ter sentido, mesmoparassintética. Caso a palavra continue a ter sentido, mesmo
com a retirada do prefixo ou do sufixo, ela terá sido formadacom a retirada do prefixo ou do sufixo, ela terá sido formada
por derivação prefixal e sufixal.por derivação prefixal e sufixal.
 4. REGRESSIVA4. REGRESSIVA - processo de derivação em que- processo de derivação em que
são formados substantivos a partir de verbos.são formados substantivos a partir de verbos.
  
 Exemplos:Exemplos:
 Ninguém justificou oNinguém justificou o atrasoatraso. (do verbo atrasar). (do verbo atrasar)
 OO debatedebate foi longo. (do verbo debater)foi longo. (do verbo debater)
  
5.IMPRÓPRIA5.IMPRÓPRIA - processo de derivação- processo de derivação
que consiste na mudança de classeque consiste na mudança de classe
gramatical da palavra sem que sua formagramatical da palavra sem que sua forma
se altere.se altere.
  
 Exemplo: OExemplo: O jantarjantar estava ótimoestava ótimo
  
COMPOSIÇÃOCOMPOSIÇÃO
  
 É o processo pelo qual a palavra éÉ o processo pelo qual a palavra é
formada pela junção de dois ou maisformada pela junção de dois ou mais
radicais. A composição pode ocorrerradicais. A composição pode ocorrer
de duas formas:de duas formas:
  
 POR JUSTAPOSIÇÃOPOR JUSTAPOSIÇÃO
 POR AGLUTINAÇÃO.POR AGLUTINAÇÃO.
  
 JUSTAPOSIÇÃOJUSTAPOSIÇÃO – quando não há alteração nas palavras e– quando não há alteração nas palavras e
continua a serem faladas (escritas) da mesma forma comocontinua a serem faladas (escritas) da mesma forma como
eram antes da composição.eram antes da composição.
  
Exemplo: girassol (gira + sol), pé-de-moleque (pé + de +Exemplo: girassol (gira + sol), pé-de-moleque (pé + de +
moleque)moleque)
  
 AGLUTINAÇÃOAGLUTINAÇÃO – quando há alteração em pelo menos uma– quando há alteração em pelo menos uma
das palavras seja na grafia ou na pronúncia.das palavras seja na grafia ou na pronúncia.
  
 Exemplo: planalto (plano + alto)Exemplo: planalto (plano + alto)
  
 Além da derivação e da composição existem outros tipos deAlém da derivação e da composição existem outros tipos de
formação de palavras que sãoformação de palavras que são hibridismohibridismo,, abreviação eabreviação e
onomatopéia.onomatopéia.
ABREVIAÇÃO OU REDUÇÃOABREVIAÇÃO OU REDUÇÃO
  
 É a forma reduzida apresentada por algumasÉ a forma reduzida apresentada por algumas
palavras:palavras:
   Exemplo:Exemplo: autoauto (automóvel),(automóvel), quiloquilo (quilograma),(quilograma), motomoto
(motocicleta).(motocicleta).
  
HIBRIDISMOHIBRIDISMO
   É a formação de palavras a partir da junção deÉ a formação de palavras a partir da junção de
elementos de idiomas diferentes.elementos de idiomas diferentes.
   Exemplo:Exemplo: automóvelautomóvel (auto – grego + móvel – latim),(auto – grego + móvel – latim),
burocraciaburocracia (buro – francês + cracia – grego).(buro – francês + cracia – grego).
  
ONOMATOPÉIAONOMATOPÉIA
  
 Consiste na criação de palavras através daConsiste na criação de palavras através da
tentativa de imitar vozes ou sons da natureza.tentativa de imitar vozes ou sons da natureza.
  
 Exemplos:Exemplos:
 fonfomfonfom
 cocoricócocoricó
 tique-taquetique-taque
 boom!.boom!.
  
  
ReferenciasReferencias

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Estrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavrasEstrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavras
Ayla De Sá Marques
 
Estrutura das palavras
Estrutura das palavrasEstrutura das palavras
Estrutura das palavras
colveromachado
 
Estrutura e28093-formac3a7c3a3o-das-palavras
Estrutura e28093-formac3a7c3a3o-das-palavrasEstrutura e28093-formac3a7c3a3o-das-palavras
Estrutura e28093-formac3a7c3a3o-das-palavras
Eduardo Lopes
 
Morfologia - formação das palavras
Morfologia - formação das palavrasMorfologia - formação das palavras
Morfologia - formação das palavras
ProfFernandaBraga
 
Estrut form palavras
Estrut form palavrasEstrut form palavras
Estrut form palavras
sandra
 
Estrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavrasEstrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavras
Lidia Araujo
 
Estrutura Das Palavras
Estrutura Das PalavrasEstrutura Das Palavras
Estrutura Das Palavras
guest75cb1b
 
Estrutura e formação das palavras 1 bimestre
Estrutura e formação das palavras 1 bimestreEstrutura e formação das palavras 1 bimestre
Estrutura e formação das palavras 1 bimestre
rafaelcef3
 
Estrutura Das Palavras
Estrutura Das PalavrasEstrutura Das Palavras
Estrutura Das Palavras
guest7174ad
 
Morfologia isabella e marta
Morfologia   isabella e martaMorfologia   isabella e marta
Morfologia isabella e marta
Bella Íris
 

Mais procurados (20)

Estrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavrasEstrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavras
 
Estrutura e formação de palavras
Estrutura e formação de palavrasEstrutura e formação de palavras
Estrutura e formação de palavras
 
Estrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavrasEstrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavras
 
Morfologia
MorfologiaMorfologia
Morfologia
 
Estrutura das palavras
Estrutura das palavrasEstrutura das palavras
Estrutura das palavras
 
Morfologia morfema
Morfologia   morfemaMorfologia   morfema
Morfologia morfema
 
Finalizado o estudo da estrutura e formação das palavras
Finalizado o estudo da estrutura e formação das palavrasFinalizado o estudo da estrutura e formação das palavras
Finalizado o estudo da estrutura e formação das palavras
 
Estrutura e28093-formac3a7c3a3o-das-palavras
Estrutura e28093-formac3a7c3a3o-das-palavrasEstrutura e28093-formac3a7c3a3o-das-palavras
Estrutura e28093-formac3a7c3a3o-das-palavras
 
Morfologia - formação das palavras
Morfologia - formação das palavrasMorfologia - formação das palavras
Morfologia - formação das palavras
 
Processos de formação de palavras - parte 1
Processos de formação de palavras - parte 1Processos de formação de palavras - parte 1
Processos de formação de palavras - parte 1
 
1 3 morfemas
1 3 morfemas1 3 morfemas
1 3 morfemas
 
Estrut form palavras
Estrut form palavrasEstrut form palavras
Estrut form palavras
 
Estrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavrasEstrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavras
 
Estrutura Das Palavras
Estrutura Das PalavrasEstrutura Das Palavras
Estrutura Das Palavras
 
Estrutura e formação das palavras 1 bimestre
Estrutura e formação das palavras 1 bimestreEstrutura e formação das palavras 1 bimestre
Estrutura e formação das palavras 1 bimestre
 
Processo de formação das palavras
Processo de formação das palavrasProcesso de formação das palavras
Processo de formação das palavras
 
Estrutura das Palavras
Estrutura das Palavras Estrutura das Palavras
Estrutura das Palavras
 
Estrutura Das Palavras
Estrutura Das PalavrasEstrutura Das Palavras
Estrutura Das Palavras
 
Morfologia isabella e marta
Morfologia   isabella e martaMorfologia   isabella e marta
Morfologia isabella e marta
 
Morfologia 2
Morfologia 2Morfologia 2
Morfologia 2
 

Destaque

Atividades do livro correção
Atividades do livro   correçãoAtividades do livro   correção
Atividades do livro correção
Olivaldo Ferreira
 
Aula01 textodissertativo-argumentativo-estrutura-130529182019-phpapp02
Aula01 textodissertativo-argumentativo-estrutura-130529182019-phpapp02Aula01 textodissertativo-argumentativo-estrutura-130529182019-phpapp02
Aula01 textodissertativo-argumentativo-estrutura-130529182019-phpapp02
Edson Alves
 
Cefet/Coltec Aula 6 Conjunções/Conectivos - Provas cefet
Cefet/Coltec Aula 6   Conjunções/Conectivos - Provas cefetCefet/Coltec Aula 6   Conjunções/Conectivos - Provas cefet
Cefet/Coltec Aula 6 Conjunções/Conectivos - Provas cefet
ProfFernandaBraga
 
Mecanismos de coesão textual
Mecanismos de coesão textualMecanismos de coesão textual
Mecanismos de coesão textual
Hélio Consolaro
 
Processos de formação das palavras
Processos de formação das palavrasProcessos de formação das palavras
Processos de formação das palavras
guest85fbf7c
 
O adverbio 1323196780
O adverbio 1323196780O adverbio 1323196780
O adverbio 1323196780
ameliapadrao
 

Destaque (20)

Elementos estruturais da palavra
Elementos estruturais da palavraElementos estruturais da palavra
Elementos estruturais da palavra
 
Atividades do livro correção
Atividades do livro   correçãoAtividades do livro   correção
Atividades do livro correção
 
O estudo da estrutura e formação das palavras
O estudo da estrutura e formação das palavrasO estudo da estrutura e formação das palavras
O estudo da estrutura e formação das palavras
 
Aula revisão formação de palavras
Aula revisão formação de palavrasAula revisão formação de palavras
Aula revisão formação de palavras
 
Aula01 textodissertativo-argumentativo-estrutura-130529182019-phpapp02
Aula01 textodissertativo-argumentativo-estrutura-130529182019-phpapp02Aula01 textodissertativo-argumentativo-estrutura-130529182019-phpapp02
Aula01 textodissertativo-argumentativo-estrutura-130529182019-phpapp02
 
Coesão e conexão
Coesão e conexãoCoesão e conexão
Coesão e conexão
 
COESÃO TEXTUAL
COESÃO TEXTUALCOESÃO TEXTUAL
COESÃO TEXTUAL
 
Morfologia
MorfologiaMorfologia
Morfologia
 
Concordância nominal
Concordância nominalConcordância nominal
Concordância nominal
 
Dissertação
DissertaçãoDissertação
Dissertação
 
Cefet/Coltec Aula 6 Conjunções/Conectivos - Provas cefet
Cefet/Coltec Aula 6   Conjunções/Conectivos - Provas cefetCefet/Coltec Aula 6   Conjunções/Conectivos - Provas cefet
Cefet/Coltec Aula 6 Conjunções/Conectivos - Provas cefet
 
Concordância
ConcordânciaConcordância
Concordância
 
Regência
RegênciaRegência
Regência
 
Artigo de opinião
Artigo de opiniãoArtigo de opinião
Artigo de opinião
 
Adjetivos pátrios
Adjetivos pátriosAdjetivos pátrios
Adjetivos pátrios
 
Mecanismos de coesão textual
Mecanismos de coesão textualMecanismos de coesão textual
Mecanismos de coesão textual
 
Cohesion textual
Cohesion textualCohesion textual
Cohesion textual
 
Processos de formação das palavras
Processos de formação das palavrasProcessos de formação das palavras
Processos de formação das palavras
 
Cronicas 1208643843442340-8
Cronicas 1208643843442340-8Cronicas 1208643843442340-8
Cronicas 1208643843442340-8
 
O adverbio 1323196780
O adverbio 1323196780O adverbio 1323196780
O adverbio 1323196780
 

Semelhante a Estruturaeformaodaspalavras 110320151038-phpapp02

Processos de formação das palavras
Processos de formação das palavrasProcessos de formação das palavras
Processos de formação das palavras
guest85fbf7c
 
Processosdeformaodaspalavras 100517201716-phpapp01
Processosdeformaodaspalavras 100517201716-phpapp01Processosdeformaodaspalavras 100517201716-phpapp01
Processosdeformaodaspalavras 100517201716-phpapp01
josé ribamar
 
Derivaã§ã£o e composiã§ã£o
Derivaã§ã£o e composiã§ã£oDerivaã§ã£o e composiã§ã£o
Derivaã§ã£o e composiã§ã£o
ostrapaula
 
Aula 10
Aula 10Aula 10
Aula 10
gsbq
 
Aula 10
Aula 10Aula 10
Aula 10
gsbq
 
Estrutura das palavras
Estrutura das palavras Estrutura das palavras
Estrutura das palavras
colveromachado
 
o estudo da estrutura e formação das palavras
 o estudo da estrutura e formação das palavras o estudo da estrutura e formação das palavras
o estudo da estrutura e formação das palavras
Itacarambi
 

Semelhante a Estruturaeformaodaspalavras 110320151038-phpapp02 (20)

Processos de formação de palavras
Processos de formação de palavrasProcessos de formação de palavras
Processos de formação de palavras
 
Processos de formação das palavras
Processos de formação das palavrasProcessos de formação das palavras
Processos de formação das palavras
 
Processosdeformaodaspalavras 100517201716-phpapp01
Processosdeformaodaspalavras 100517201716-phpapp01Processosdeformaodaspalavras 100517201716-phpapp01
Processosdeformaodaspalavras 100517201716-phpapp01
 
Finalizado+o+estudo+da+estrutura+e+formação+das+palavras
Finalizado+o+estudo+da+estrutura+e+formação+das+palavrasFinalizado+o+estudo+da+estrutura+e+formação+das+palavras
Finalizado+o+estudo+da+estrutura+e+formação+das+palavras
 
ESTRUTURA E PROCESSOS DE FORMAÇÃO DAS PALAVRAS.pptx
ESTRUTURA E PROCESSOS DE FORMAÇÃO DAS PALAVRAS.pptxESTRUTURA E PROCESSOS DE FORMAÇÃO DAS PALAVRAS.pptx
ESTRUTURA E PROCESSOS DE FORMAÇÃO DAS PALAVRAS.pptx
 
375869124-Estrutura-e-Formacao-Das-Palavras.pptx
375869124-Estrutura-e-Formacao-Das-Palavras.pptx375869124-Estrutura-e-Formacao-Das-Palavras.pptx
375869124-Estrutura-e-Formacao-Das-Palavras.pptx
 
formação de palavras1
formação de palavras1formação de palavras1
formação de palavras1
 
ESTRUTURA E PROCESSOS DE FORMAÇÃO DAS PALAVRAS.pptx
ESTRUTURA E PROCESSOS DE FORMAÇÃO DAS PALAVRAS.pptxESTRUTURA E PROCESSOS DE FORMAÇÃO DAS PALAVRAS.pptx
ESTRUTURA E PROCESSOS DE FORMAÇÃO DAS PALAVRAS.pptx
 
Estrutura das palavras michelle
Estrutura das palavras michelleEstrutura das palavras michelle
Estrutura das palavras michelle
 
Estrutura das palavras michelle
Estrutura das palavras michelleEstrutura das palavras michelle
Estrutura das palavras michelle
 
ESTRUTURA E PROCESSOS DE FORMAÇÃO DAS PALAVRAS.pdf
ESTRUTURA E PROCESSOS DE FORMAÇÃO DAS PALAVRAS.pdfESTRUTURA E PROCESSOS DE FORMAÇÃO DAS PALAVRAS.pdf
ESTRUTURA E PROCESSOS DE FORMAÇÃO DAS PALAVRAS.pdf
 
Derivaã§ã£o e composiã§ã£o
Derivaã§ã£o e composiã§ã£oDerivaã§ã£o e composiã§ã£o
Derivaã§ã£o e composiã§ã£o
 
Aula 10
Aula 10Aula 10
Aula 10
 
Aula 10
Aula 10Aula 10
Aula 10
 
Estrutura das palavras
Estrutura das palavras Estrutura das palavras
Estrutura das palavras
 
4_Aula_Verbo.pptx
4_Aula_Verbo.pptx4_Aula_Verbo.pptx
4_Aula_Verbo.pptx
 
O estudo da estrutura e formação das palavras
O estudo da estrutura e formação das palavrasO estudo da estrutura e formação das palavras
O estudo da estrutura e formação das palavras
 
o estudo da estrutura e formação das palavras
 o estudo da estrutura e formação das palavras o estudo da estrutura e formação das palavras
o estudo da estrutura e formação das palavras
 
Verbo
VerboVerbo
Verbo
 
Estrutura e formação da palavra
Estrutura e formação da palavraEstrutura e formação da palavra
Estrutura e formação da palavra
 

Mais de Edson Alves (20)

Gênero editorial
Gênero editorialGênero editorial
Gênero editorial
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Concordância
ConcordânciaConcordância
Concordância
 
Uso da vírgula
Uso da vírgulaUso da vírgula
Uso da vírgula
 
Artigo de opnião
Artigo de opniãoArtigo de opnião
Artigo de opnião
 
Ortografia c ç s ss x
Ortografia c ç s ss xOrtografia c ç s ss x
Ortografia c ç s ss x
 
Orientações de redação
Orientações de redaçãoOrientações de redação
Orientações de redação
 
Aposto e vocativo
Aposto e vocativoAposto e vocativo
Aposto e vocativo
 
Figuras de sintaxe
Figuras de sintaxeFiguras de sintaxe
Figuras de sintaxe
 
Vozes verbais
Vozes verbaisVozes verbais
Vozes verbais
 
Complemento nominal
Complemento nominalComplemento nominal
Complemento nominal
 
Orações coordenadas
Orações coordenadasOrações coordenadas
Orações coordenadas
 
Av de português maio - prova 2- 8º
Av de português   maio - prova 2- 8ºAv de português   maio - prova 2- 8º
Av de português maio - prova 2- 8º
 
Av de português maio - prova 1 - 8º
Av de português   maio - prova 1 - 8ºAv de português   maio - prova 1 - 8º
Av de português maio - prova 1 - 8º
 
Av de português maio 9º ano
Av  de português maio  9º anoAv  de português maio  9º ano
Av de português maio 9º ano
 
Orações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiaisOrações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiais
 
Gênero autobiografia
Gênero autobiografiaGênero autobiografia
Gênero autobiografia
 
Orações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiaisOrações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiais
 
Predicados e predicativos
Predicados e predicativosPredicados e predicativos
Predicados e predicativos
 
Uso dos porquês.
Uso dos porquês.Uso dos porquês.
Uso dos porquês.
 

Último

4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
LindinhaSilva1
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Eró Cunha
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
profbrunogeo95
 

Último (20)

4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de língua
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
Insegurança nunca mais tem afeta pessoas
Insegurança nunca mais tem afeta pessoasInsegurança nunca mais tem afeta pessoas
Insegurança nunca mais tem afeta pessoas
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 

Estruturaeformaodaspalavras 110320151038-phpapp02

  • 2. ESTRUTURA DAS PALAVRASESTRUTURA DAS PALAVRAS     A palavra é subdivida em partes menores,A palavra é subdivida em partes menores, chamadas dechamadas de elementos mórficoselementos mórficos.. Exemplos:Exemplos:  gatinho = gat + inh + ogatinho = gat + inh + o  Infelizmente = in + feliz + menteInfelizmente = in + feliz + mente   
  • 3.  ELEMENTOS MÓRFICOSELEMENTOS MÓRFICOS Os elementos mórficos são:Os elementos mórficos são:    1.1. Radical;Radical; 2.2. Vogal temática;Vogal temática; 3.3. Tema;Tema; 4.4. Desinência;Desinência; 5.5. Afixo;Afixo; 6.6. Vogais e consoantes de ligação.Vogais e consoantes de ligação.   
  • 4. RADICALRADICAL    O significado básico da palavra estáO significado básico da palavra está contido nesse elemento; a ele sãocontido nesse elemento; a ele são acrescentados outros elementos.acrescentados outros elementos. Exemplos:Exemplos:  pedrpedra,a, pedrpedreiro,eiro, pedrpedrinha.inha.
  • 5. VOGAL TEMÁTICA VERBALVOGAL TEMÁTICA VERBAL  Tem como função preparar o radical para ser acrescidoTem como função preparar o radical para ser acrescido pelas desinências e também indicar a conjugação a quepelas desinências e também indicar a conjugação a que o verbo pertence.o verbo pertence.     Exemplo:Exemplo: cantcantaarr,, vendvendeer,r, partpartiir.r.     OBSERVAÇÃO:OBSERVAÇÃO:     Nem todas as formas verbais possuem a vogal temática.Nem todas as formas verbais possuem a vogal temática.     Exemplo: parto (radical + desinência)Exemplo: parto (radical + desinência)
  • 6. TEMATEMA  É o radical com a presença da vogalÉ o radical com a presença da vogal temática.temática.     Exemplo:Exemplo: chorchoroo,, cantcantaa..
  • 7. DESINÊNCIASDESINÊNCIAS  São elementos que indicam as flexões que os nomes e os verbos podemSão elementos que indicam as flexões que os nomes e os verbos podem apresentar. São subdivididas em:apresentar. São subdivididas em:  DESINÊNCIAS NOMINAIS;DESINÊNCIAS NOMINAIS;  DESINÊNCIAS VERBAIS.DESINÊNCIAS VERBAIS.     DESINÊNCIAS NOMINAISDESINÊNCIAS NOMINAIS – indicam o gênero e número. As desinências– indicam o gênero e número. As desinências de gênero sãode gênero são aa ee oo; as desinências de número são o; as desinências de número são o ss para o plural e opara o plural e o singular não tem desinência própria.singular não tem desinência própria.    Exemplo:Exemplo: gat +gat + oo                    Radical desinência nominal de gêneroRadical desinência nominal de gênero                 Gat +Gat + oo ++ ss  Radical d.n.g d.n.nRadical d.n.g d.n.n     d.n.g » desinência nominal de gênerod.n.g » desinência nominal de gênero  d.n.n » desinência nominal de númerod.n.n » desinência nominal de número
  • 8. DESINÊNCIAS VERBAISDESINÊNCIAS VERBAIS Indicam oIndicam o modo, número, pessoamodo, número, pessoa ee tempotempo dos verbos.dos verbos.  Exemplo:Exemplo: cant +cant + áá ++ vava ++ mosmos              Radical  v.t  d.m.t  d.n.pRadical  v.t  d.m.t  d.n.p     v.t » vogal temáticav.t » vogal temática  d.m.t » desinência modo-temporald.m.t » desinência modo-temporal  d.n.p » desinência número-pessoald.n.p » desinência número-pessoal   
  • 9. AFIXOSAFIXOS     São elementos que se juntam aos radicais para formaçãoSão elementos que se juntam aos radicais para formação de novas palavras. Os afixos podem ser:de novas palavras. Os afixos podem ser:     PREFIXOSPREFIXOS – quando colocado antes do radical;– quando colocado antes do radical;  SUFIXOSSUFIXOS – quando colocado depois do radical– quando colocado depois do radical     Exemplo:Exemplo:     PedrPedrada.ada.  InInviável.viável.  InInfelizfelizmentemente
  • 10.  VOGAIS E CONSOANTES DEVOGAIS E CONSOANTES DE LIGAÇÃOLIGAÇÃO     São elementos que são inseridos entre osSão elementos que são inseridos entre os morfemas (elementos mórficos), em geral, pormorfemas (elementos mórficos), em geral, por motivos de eufonia, ou seja, para facilitar amotivos de eufonia, ou seja, para facilitar a pronúncia de certas palavras.pronúncia de certas palavras.     Exemplo: silvExemplo: silvíícola, paucola, paullada, cafeada, cafeiicultura.cultura.
  • 11.    PROCESSOS DE FORMAÇÃO DAS PALAVRASPROCESSOS DE FORMAÇÃO DAS PALAVRAS     Inicialmente observemos alguns conceitos sobre palavrasInicialmente observemos alguns conceitos sobre palavras primitivas e derivadas e palavras simples e compostas:primitivas e derivadas e palavras simples e compostas:     PALAVRAS PRIMITIVASPALAVRAS PRIMITIVAS – palavras que não são– palavras que não são formadas a partir de outras.formadas a partir de outras.     Exemplo: pedra, casa, paz, etc.Exemplo: pedra, casa, paz, etc.     PALAVRAS DERIVADASPALAVRAS DERIVADAS – palavras que são formadas– palavras que são formadas a partir de outras já existentes.a partir de outras já existentes.     Exemplo: pedrada (derivada de pedra), ferreiro (derivadaExemplo: pedrada (derivada de pedra), ferreiro (derivada de ferro).de ferro).      
  • 12. PALAVRAS SIMPLES – são aquelas que possuem apenas um radical.   Exemplo: cidade, casa, pedra.   PALAVRAS COMPOSTAS - são palavras que apresentam dois ou mais radicais.   Exemplo: pé-de-moleque, pernilongo, guarda- chuva.   Na língua portuguesa existem dois processos de formação de novas palavras: derivação e composição.  
  • 13. DERIVAÇÃODERIVAÇÃO     É o processo pelo qual palavras novasÉ o processo pelo qual palavras novas (derivadas) são formadas a partir de outras que(derivadas) são formadas a partir de outras que já existem (primitivas). Podem ocorrer dasjá existem (primitivas). Podem ocorrer das seguintes maneiras:seguintes maneiras: 1.1. Prefixal;Prefixal; 2.2. Sufixal;Sufixal; 3.3. Parassintética;Parassintética; 4.4. Regressiva;Regressiva; 5.5. Imprópria.Imprópria.
  • 14. 1.1. PREFIXALPREFIXAL – processo de derivação– processo de derivação pelo qual é acrescido umpelo qual é acrescido um prefixoprefixo a uma um radical.radical.     Exemplo:Exemplo: desdesfazer,fazer, ininútil.útil.  Vejamos alguns prefixos latinos eVejamos alguns prefixos latinos e gregos mais utilizados:gregos mais utilizados:   
  • 15. 2.2. SUFIXALSUFIXAL –– processo de derivação pelo qualprocesso de derivação pelo qual é acrescido umé acrescido um sufixo (NOMINAL OUsufixo (NOMINAL OU VERBAL)VERBAL) a um radical.a um radical.   Exemplos:Exemplos:  PedrPedreiroeiro  LivrLivraria  CivilCivilizarizar
  • 16. 3. PARASSINTÉTICA3. PARASSINTÉTICA –– processo de derivação pelo qual é acrescido umprocesso de derivação pelo qual é acrescido um prefixo e sufixoprefixo e sufixo simultaneamentesimultaneamente ao radical.ao radical.  Exemplos:Exemplos: aa ++ noit +noit + ecerecer = ANOITECER= ANOITECER PREFIXO RADICAL SUFIXOPREFIXO RADICAL SUFIXO perper ++ noit +noit + arar. = PERNOITAR. = PERNOITAR     OBSERVAÇÃOOBSERVAÇÃO ::     Existem palavras que apresentam prefixo e sufixo, mas nãoExistem palavras que apresentam prefixo e sufixo, mas não são formadas por parassíntese. Para que ocorra asão formadas por parassíntese. Para que ocorra a parassíntese é necessários que o prefixo e o sufixo juntem-parassíntese é necessários que o prefixo e o sufixo juntem- se ao radical ao mesmo tempo. Para verificar tal derivaçãose ao radical ao mesmo tempo. Para verificar tal derivação basta retirar o prefixo ou o sufixo da palavra. Se a palavrabasta retirar o prefixo ou o sufixo da palavra. Se a palavra deixar de ter sentido, então ela foi formada por derivaçãodeixar de ter sentido, então ela foi formada por derivação parassintética. Caso a palavra continue a ter sentido, mesmoparassintética. Caso a palavra continue a ter sentido, mesmo com a retirada do prefixo ou do sufixo, ela terá sido formadacom a retirada do prefixo ou do sufixo, ela terá sido formada por derivação prefixal e sufixal.por derivação prefixal e sufixal.
  • 17.  4. REGRESSIVA4. REGRESSIVA - processo de derivação em que- processo de derivação em que são formados substantivos a partir de verbos.são formados substantivos a partir de verbos.     Exemplos:Exemplos:  Ninguém justificou oNinguém justificou o atrasoatraso. (do verbo atrasar). (do verbo atrasar)  OO debatedebate foi longo. (do verbo debater)foi longo. (do verbo debater)   
  • 18. 5.IMPRÓPRIA5.IMPRÓPRIA - processo de derivação- processo de derivação que consiste na mudança de classeque consiste na mudança de classe gramatical da palavra sem que sua formagramatical da palavra sem que sua forma se altere.se altere.     Exemplo: OExemplo: O jantarjantar estava ótimoestava ótimo   
  • 19. COMPOSIÇÃOCOMPOSIÇÃO     É o processo pelo qual a palavra éÉ o processo pelo qual a palavra é formada pela junção de dois ou maisformada pela junção de dois ou mais radicais. A composição pode ocorrerradicais. A composição pode ocorrer de duas formas:de duas formas:     POR JUSTAPOSIÇÃOPOR JUSTAPOSIÇÃO  POR AGLUTINAÇÃO.POR AGLUTINAÇÃO.   
  • 20.  JUSTAPOSIÇÃOJUSTAPOSIÇÃO – quando não há alteração nas palavras e– quando não há alteração nas palavras e continua a serem faladas (escritas) da mesma forma comocontinua a serem faladas (escritas) da mesma forma como eram antes da composição.eram antes da composição.    Exemplo: girassol (gira + sol), pé-de-moleque (pé + de +Exemplo: girassol (gira + sol), pé-de-moleque (pé + de + moleque)moleque)     AGLUTINAÇÃOAGLUTINAÇÃO – quando há alteração em pelo menos uma– quando há alteração em pelo menos uma das palavras seja na grafia ou na pronúncia.das palavras seja na grafia ou na pronúncia.     Exemplo: planalto (plano + alto)Exemplo: planalto (plano + alto)     Além da derivação e da composição existem outros tipos deAlém da derivação e da composição existem outros tipos de formação de palavras que sãoformação de palavras que são hibridismohibridismo,, abreviação eabreviação e onomatopéia.onomatopéia.
  • 21. ABREVIAÇÃO OU REDUÇÃOABREVIAÇÃO OU REDUÇÃO     É a forma reduzida apresentada por algumasÉ a forma reduzida apresentada por algumas palavras:palavras:    Exemplo:Exemplo: autoauto (automóvel),(automóvel), quiloquilo (quilograma),(quilograma), motomoto (motocicleta).(motocicleta).    HIBRIDISMOHIBRIDISMO    É a formação de palavras a partir da junção deÉ a formação de palavras a partir da junção de elementos de idiomas diferentes.elementos de idiomas diferentes.    Exemplo:Exemplo: automóvelautomóvel (auto – grego + móvel – latim),(auto – grego + móvel – latim), burocraciaburocracia (buro – francês + cracia – grego).(buro – francês + cracia – grego).
  • 22.    ONOMATOPÉIAONOMATOPÉIA     Consiste na criação de palavras através daConsiste na criação de palavras através da tentativa de imitar vozes ou sons da natureza.tentativa de imitar vozes ou sons da natureza.     Exemplos:Exemplos:  fonfomfonfom  cocoricócocoricó  tique-taquetique-taque  boom!.boom!.