3° ano - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 2 c

3.640 visualizações

Publicada em

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.640
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.006
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
151
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

3° ano - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 2 c

  1. 1. BRASIL COLÔNIA:OCUPAÇÃO DOTERRITÓRIO/MINERAÇÃO.(aula 03 – Ap.2C)
  2. 2. OCUPAÇÃO DO INTERIOR:• NORDESTE -> fator de ocupação -> GADO.– Criação exigia baixos investimentos e pouca mãode obra.– Em torno dos rios São Francisco e Parnaíba.– Ocuparam regiões da Bahia, Pernambuco, Piauí eMaranhão.• SUL -> GADO– Rebanhos trazidos pelos jesuítas.– Espalhados pelas regiões dos pampas, formaramrebanhos selvagens.
  3. 3. OCUPAÇÃO DO INTERIOR:• AMAZÔNIA -> Busca de especiarias e drogasdo sertão.– Jesuítas organizavam missões.– Resinas aromáticas; condimentos e ervasmedicinais.– Expedições militares visando preservar a região dapresença de holandeses e franceses.
  4. 4. JESUÍTAS.• Construíram missões ao longo dos territóriosdo Paraguai, Rio Grande do Sul, Paraná, MatoGrosso, Mato Grosso do Sul, Amazonas, Pará eMaranhão.• Índios aprendiam a ler, escrever, cantar,plantar e a fé cristã.• Existiram até a segunda metade do séculoXVIII quando Marquês de Pombal expulsou osJesuítas das terras portugueses.
  5. 5. AS BANDEIRAS:• Expedições entre os séculos XVI e XVIII.– Bandeiras: designa todas as expedições que tinham oobjetivo de explorar o sertão, formadas a partir dainiciativa particular.– Entrada: Limita o termo às expedições oficiais organizadaspela Coroa.– Bandeirismo de apresamento (buscavam aprisionar índios)– Bandeirismo de Prospecção (buscavam encontrar ouro epedras preciosas).• Boa parte dos bandeirantes tinha origem nos pequenoslavradores que desejavam mão-de-obra escravaindígena.• Não prevalecia a riqueza na região paulista e muitomenos o luxo.
  6. 6. AS BANDEIRAS.• CICLOS:– Ciclo do Ouro de Aluvião.• Efeitos colonizadores no litoral do Paraná (Paranaguá) e deSanta Catarina (São Francisco do Sul 1658, Nossa Senhora doDesterro 1672 e Laguna 1687).– Ciclo de caça ao índio.• Expedições visavam às missões jesuíticas cujos os índios já seencontravam aculturados.• Abriu caminho para grandes jazidas de ouro (Minas Gerais,Goiás e Mato Grosso).• Sertanismo de contrato: expedições contratadaspara combater tribos indígenas rebeladas equilombos.• Monções: expedições fluviais que transportavammercadorias para as regiões de Goiás e MatoGrosso.
  7. 7. MINERAÇÃO:• Entre os anos de 1693 a 1695 pelos bandeirantes.– Ouro de aluvião: encontrado no depósito de areia,argila e cascalho, nas margens dos rios ou em seuleito, acumulado pela erosão.• A descoberta permitiu um processo deinteriorização da colonização,– estimulando o desenvolvimento dos núcleos urbanos,principalmente na Região Sudeste.• Tributos: Intendências e Casas de Fundiçãocobravam o “quinto”, imposto real que separava20% do ouro e o remetia a Portugal.– Quantia base: 100 arrobas/ano ou seja, 1,5 toneladade ouro/ano, em casos negativos aplicava-se aDerrama.
  8. 8. • Outras áreas eram estimuladas a produziremgêneros de abastecimento para atender àsdemandas de Minas Gerais.– Produção de gado no Sul e no Nordeste.• A mineração permitiu o deslocamento docentro econômico do Nordeste açucareiropara o Centro-Sul.– Minas Gerais e Rio de Janeiro se transformaramnos principais mercados brasileiros.ORGANIZAÇÃO ECONÔMICA: OURO
  9. 9. SOCIEDADE:• SOCIEDADE URBANA, MÓVEL E PATERNALISTA.• Embora a mobilidade social fosse mais flexível doque na sociedade açucareira, raramente se davano sentido vertical.•Mineradores e grandescomerciantes.•Classe Média Urbana: pequenos comerciantes,funcionários públicos, profissionais liberais,clérigos, militares...•Escravos.
  10. 10. Na arte barroca predominam as emoções e não o racionalismo da arte renascentista.É uma época de conflitos espirituais e religiosos. O estilo barroco traduz a tentativaangustiante de conciliar forças antagônicas: bem e mal; Deus e Diabo; céu e terra; pureza epecado; alegria e tristeza; paganismo e cristianismo; espírito e matéria.Características são:* emocional sobre o racional;* efeitos decorativos e visuais* entrelaçamento entre aarquitetura e escultura;* violentos contrastes de luz esombra;* pintura com efeitos ilusionistas
  11. 11. • Foi preponderante nasregiões agroexportadoras:- Nordeste açucareiro (século XVII);- Região das minas (século XVIII);• Resistiam de várias maneiras: fugiam e formavam quilombos,revoltavam-se, assassinavam senhores e feitores, cometiamsuicídio, quebravam instrumentos e ateavam fogo nas fazendas...• Propriedade de escravos era possível para qualquer pessoa.• A escravização foi possível por meio da estrutura social africana:– Os cativos importados eram escravizados na África por africanos. Osreinos africanos capturavam inimigos, os escravizavam e vendiam paraos europeus.– Eram trocados por fumo, aguardente, tecido e algumas vezes, porarmas de fogo.ESCRAVIZAÇÃOAFRICANA
  12. 12. BRASIL COLÔNIA:Manifestações contra a metrópole;Período Joanino.(aula 04 – ap. 1C)
  13. 13. SITUAÇÃO DA COLÔNIANO SÉCULO XVII E XVIII• Desinteresse pelos problemas da colônia;• Desgaste da sua política de restrições,monopólios, cobranças e tributos.– Desde 1571: o Monopólio colonial garantia umduplo lucro, comprava mais barato e vendia maiscaro.– 1642: Conselho ultramarino tornando a pressãofiscal mais rígida.• Diante disso, as primeiras rebeliões,denominadas nativistas!!!
  14. 14. ACLAMAÇÃO DE AMADOR BUENO• 1641• Em São Paulo;• Paulistas preocupados com a possibilidade deque seus negócios com Buenos Aires fossemprejudicados pelo fim da União Ibérica.• Comerciantes aclamaram Amador Bueno (maisrico da região) rei de São Paulo.– Oferta foi recusada pelo comerciante e os paulistasjuraram fidelidade ao Rei português.
  15. 15. A Revolta de Beckman (1684)– Maranhão– Latifundiários do Maranhão revoltaram-se porque faltavamescravos e os jesuítas condenavam a escravidão indígena.– O governo português criou a Companhia de Comércio doMaranhão para controlar o comércio na região (1682).• Líderes: Manuel e Tomás Beckman, Jorge Sampaio.– os colonos se rebelaram, expulsando os jesuítas do Maranhão,abolindo o monopólio da Companhia e constituindo um novogoverno, que durou quase um ano.– A revolta é massacrada e os líderes são presos e executados.Portugal coloca fim no monopólio comercial da Companhia deComércio.
  16. 16. Guerra dos Emboabas 1707 a 1709• Local: Minas Gerais.Bandeirantes (paulistas)XEmboabas (portugueses).• Disputavam a exploração das riquezas.• Paulistas foram derrotados.• O governo português passou a exercer firme controleeconômico das minas.• Portugal criou as capitanias de São Paulo e das Minas doOuro.• Paulistas retiram-se em sua maioria e descobrem novasjazidas de ouro em Goiás e Mato Grosso.
  17. 17. A Guerra dos Mascates 1710 a 1711– Local: Pernambuco.– Atritos entre Olinda (latifundiários) e Recife(comerciantes portugueses).– Crise econômica da região (crise do açúcar).– Recife realiza empréstimos à Olinda e ganha a condiçãode vila. Este fato gerou revolta e os senhores deengenho invadem Recife.– A crise terminou com aanistia dos envolvidos e amudança da capital para Recife.
  18. 18. REVOLTA DE FILIPE DOS SANTOS 1720• Também chamada de Rebelião de Vila Rica.• Reação da população às taxas excessivas e aoanúncio de criação das Casas de Fundição.• O Movimento foi sufocado e seu líder, Filipedos Santos, esquartejado.
  19. 19. Era pombalina - Marquês dePombal• de 1750 e 1777.• reconstruiu Lisboa após o terremoto de 1755 ; crioudiversas companhias de comércio.• garantiu o controle da Amazônia ; criou o Banco Real ,organizou a arrecadação de impostos (estabeleceu aderrama).• organizou alfândegas, tribunais e outras instituições doEstado ; procurou reaquecer a lavoura açucareira donordeste .• tentou diminuir a dependência econômica de Portugal coma Inglaterra; expulsou os jesuítas de Portugal e suascolônias, confiscando seus bens (Terror Pombalino).• mudou a capital pro RJ; incentivou manufaturas na colônia.
  20. 20. MOVIMENTOS EMANCIPACIONISTAS• Inconfidência Mineira (1789).• Conjuração Baiana ou Revolta dos Alfaiates(1798).• Revolução Pernambucana (1817).
  21. 21. A Inconfidência Mineira(1789)• Mineradores, fazendeiros, padres, burocratas eintelectuais que enxergava a situação do Brasil comosinônimo do atraso.• Protestavam contra os altos impostos, a distribuição doscargos administrativos e a falta de liberdade deexpressão.• Defendiam– a quebra do pacto colonial e a liberdade econômica.– declarar a independência e a capital seria São João Del Rei.– criar uma universidade em Vila Rica;– acabar com o monopólio da exploração de diamantes;– estabelecer o serviço militar obrigatório.
  22. 22. A Revolta:• Planejavam tomar o poder no suposto dia da derrama.• Principais líderes foram:– Cláudio Manuel da Costa,– Tomás Antônio Gonzaga,– Domingos de Abreu,– Joaquim Silvério dos Reis– Joaquim José da Silva Xavier (Tiradentes).• Sobre a economia pretendiam apoiar a industrializaçãoe não se pronunciavam a favor do fim da escravidão.A Inconfidência Mineira(1789)
  23. 23. O desfecho:• A noticia sobre as pretensões dos revoltosos e começouuma dura perseguição aos líderes.– A maioria pretendendo a diminuição da pena delatou omovimento.• Os líderes ficaram presos, alguns por até três anos,muitos foram perdoados, poucos foram exilados e ummorreu.– Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes.• Este movimento ficou esquecido até o final do século XIXonde foi resgatado pelo governo republicano.A Inconfidência Mineira(1789)
  24. 24. Tiradentes Esquartejado, em tela de PedroAmérico (1893).
  25. 25. Conjuração Baiana: 1798.(Revolta dos alfaiates)• Movimento de caráter popular, contava com a participação de– artesãos, comerciantes, burocratas, negros (livres e escravos),intelectuais e profissionais liberais.• Defendiam a formação de uma república democrática comliberdade de comércio e a emancipação do Brasil.– A transferência da capital para o Rio de Janeiro, em 1763 fezcom que privilégios fossem retirados de Salvador e os recursosdestinados à cidade foram reduzidos.– O aumento de impostos prejudicou sensivelmente as condiçõesde vida da população local.Cipriano Barata
  26. 26. Conjuração Baiana: 1798.(Revolta dos alfaiates)• A maioria dos líderes tinham idéias radicais e isso espantou a elite.– Abolição da Escravidão.• O médico Cipriano Barata foi um ativo propagandista do movimento,atuando principalmente entre a população mais humilde e junto aosescravos.• Líderes: todos pobres.– João de Deus Nascimento, Emanuel Faustino dos Santos (alfaiatese mulatos)– Luís Gonzaga da Virgens, Lucas Dantas Amorim Torres (soldados emulatos)• Obteve ampla participação popular.• Repressão intensa de Portugal.
  27. 27. Revolução Pernambucana (1817).• Causas:– Decadência econômica de Pernambuco.• Seca em 1816 e queda na produção do algodão e na exportação deaçúcar.– Altos impostos (destinados a Corte portuguesa no Rio deJaneiro).– Privilégio aos comerciantes portugueses.• Rebeldes tomam o poder por dois meses.– Proclamação a República de Pernambuco.– Liberdade de expressão e religiosa.– Permanência da escravidão.– Buscaram apoio de províncias vizinhas, dos EUA, Inglaterra eArgentina.• Influência da Maçonaria.• Repressão impiedosa da Coroa, instalada no Rio de Janeiro.
  28. 28. A Família Real no Brasil• A vinda ocorreu em virtude da luta entre França eInglaterra.– Como não conseguiu vencer os ingleses pelas armas,decretou o Bloqueio Continental.• O Bloqueio deixou Portugal numa situaçãodelicada, pois dependia economicamente daInglaterra.– A saída acabou sendo a transferência da Família Realpara o Brasil.
  29. 29. Cândido Portinari – Painel: A Chegada da Família Real Portuguesa à Bahia (1953).
  30. 30. Administração Joanina no Brasil:• Em 28 de Janeiro de 1808, D. João VI decretoua abertura dos portos às nações amigas.– Independência econômica do Brasil em relação aPortugal.– Grande alívio para a economia inglesa (sufocadapelo Bloqueio Continental).• 1810 -> D. João VI assinou o Tratado deAliança e Amizade, Comércio e Navegação.
  31. 31. Tratado de Aliança e Amizade,Comércio e Navegação (1810).• Plena liberdade religiosa para os ingleses aquiresidentes;• Ingleses seriam julgados por juízes ingleses;• O Governo português se comprometia em abolirgradualmente a escravidão;• Novas taxas alfandegárias:– Produtos ingleses pagariam 15% sobre os seusprodutos;– Portugueses pagariam 16%;– Demais nacionalidades 24%.
  32. 32. Administração Joanina no Brasil:• Criou:– a Imprensa Régia,– Academia Real Militar,– A Biblioteca Pública,– O Banco do Brasil,– O Jardim Botânico,– Trouxe uma Missão Artística liderada pelo pintorfrancês Debret,– Em 1815 elevou o Brasil a condição de Reino Unido.– Invadiu a Guiana Francesa e anexou a ProvínciaCisplatina.
  33. 33. Prof. Msc. Daniel Alves BronstrupBLOG: profhistdaniel.blogspot.com@danielbronstrup3ão2012

×