2° ano - Processos de Independência na América

53.765 visualizações

Publicada em

Prof° Daniel Bronstrup - História, Colégio Murialdo, Araranguá/SC.

4 comentários
34 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
53.765
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4.492
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1.378
Comentários
4
Gostaram
34
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

2° ano - Processos de Independência na América

  1. 1. 2° ANO ENSINO MÉDIO.PROCESSOS DE INDEPENDÊNCIA NA AMÉRICA.
  2. 2. • Entre 1607 e 1733, as Treze Colônias tiveram como base de ocupação do território a iniciativa privada.• População bastante diferenciada: – Grupos religiosos buscando liberdade de culto (os peregrinos); – Órfãos, mulheres, homens pobres...• Território com clima e geografia distintos. – As colônias de povoamento e de exploração não refletiram um projeto especifico de ocupação do território pela Inglaterra.
  3. 3. EDUCAÇÃO: UMA PREOCUPAÇÃO DOS COLONOS!• Desenvolvimento Cultural:• Principalmente pelo fato do interesse nos protestantes em ler a bíblia.• Leis regulamentavam a oferta da educação (Massachussetts, 1647).• A educação formal superava as colônias Ibéricas.• As inúmeras variações do protestantismo, também contribuíram para o desenvolvimento de um pensamento autônomo nas colônias.
  4. 4. • Norte: Liberdade econômica! – Em função do clima, dificilmente poderiam produzir produtos para o comércio exterior. – Apostou no comércio interno e na produção familiar. – Fabricação de navios e sua utilização no comércio triangular (Antilhas – África – América).• Sul: – Com clima mais quente, a produção de produtos tropicais foi favorecida.
  5. 5. • Quando a metrópole passou a tentar manter uma ação mais efetiva de controle colonial, com leis, taxas e impostos, os colonos questionaram o cerceamento de suas liberdades e a possibilidade de escravização da América pela Inglaterra. – As colônias eram uma forma de ajustar os altos custos por causa de envolvimento em conflitos com outras nações européias no fim do séc. XVII e o séc. XVIII • a Guerra dos Sete Anos (1756 – 1763) – Desenvolvimento da indústria inglesa e a necessidade de matérias-primas e mercado consumidor.
  6. 6. • As medidas impostas pela Coroa representavam a submissão a formas autoritárias de governo e eram investidas contra a liberdade.• Para os ingleses, a reação dos colonos foi exagerada, considerando que as taxações impostas às colônias se revertiam em benefícios para as mesmas.
  7. 7. • Como o Sul era ligado ao mercado externo de gêneros tropicais, as elites resistiam à separação com medo de um conflito em que escravizados e pobres entendessem que os ideais de liberdade se aplicavam a eles. – Essas diferenças se intensificaram com a Guerra Civil (1861-1865).• O movimento ganhou força com a aplicação de medidas consideradas destrutivas à colônia.
  8. 8. Principais leis impostas a Inglaterra às Treze Colônias:• Em 1764, a chamada Lei do Açúcar : – obrigava os colonos a pagar uma taxa adicional sob qualquer carregamento de açúcar que não pertencesse às colônias britânicas.• 1765 a Lei do Selo: – exigia a compra de um selo presente em todos os documentos que circulassem pelo território.• Já em 1773, a Lei do Chá: – obrigava a colônia a consumir somente o chá oriundo das embarcações britânicas.
  9. 9. MOVIMENTO SEPARATISTA:• Ações: – Boicote aos produtos ingleses; – Não cumprimento das leis metropolitanas; – Reações por meios da imprensa; – Assembleias.
  10. 10. MOVIMENTO SEPARATISTA:• Em dezembro de 1773, organizaram uma revolta contra o monopólio do chá que ficou conhecida como Boston Tea Party. – Intransigente aos protestos coloniais, a Inglaterra decidiu fechar o porto de Boston (local da revolta) e impor as chamadas Leis Intoleráveis.• No ano seguinte, reunidos no Primeiro Congresso da Filadélfia, os colonos redigiram um documento exigindo o fim das exigências metropolitanas. – Ao mesmo tempo que prestavam lealdade ao rei, os colonos protestavam contra as medidas da colônia.• No Segundo Congresso da Filadélfia, ocorrido em 4 de julho de 1776, os colonos resolveram romper definitivamente com a Inglaterra, proclamando a sua Independência.• Não reconhecendo as resoluções do Congresso da Filadélfia, a Inglaterra entrou em conflito contras as 13 colônias. – Esses confrontos marcaram a chamada Guerra de Independência das Treze colônias. Apoiados pelos franceses, inimigos históricos da Inglaterra, as Treze Colônias venceram a guerra, tendo sua independência reconhecida em 1783 pelo tratado de Paris.
  11. 11. A Festa do Chá de Boston (em inglês: Boston Tea Party) foi uma ação de protestoexecutada pelos colonos ingleses na América contra o governo britânico, no qualdestruíram muitos caixotes de chá pertencentes à Companhia Britânica das ÍndiasOrientais atirando-os às águas do Porto de Boston. O incidente ocorreu em 16 deDezembro de 1773.
  12. 12. EUA independente: • Adotando um sistema político republicano e federalista, os Estados Unidos promulgaram sua carta constitucional em 1787.• Os ideais de liberdade e prosperidade defendidos pelos fundadores da república norte- americana não refletiam a situação dispares dos estados do Norte e do Sul. – Tais diferenças acabaram por promover um conflito interno, que ficou conhecido como Guerra de Secessão.
  13. 13. EUA independente:• Nos recém-criados Estados Unidos da América, a elite iniciava um trabalho de construção de símbolos e de uma identidade para o novo país republicano.• Para a maioria pobre da população branca, os escravizados e os indígenas, a independência não representou melhoria concreta.
  14. 14. PROCESSOS DE INDEPENDÊNCIA NA AMÉRICA ESPANHOLA.
  15. 15. CONTEXTO• Mudanças no século XVIII – Crescimento Demográfico; – Crescimento na Produção; – Crescimento do comércio internacional.• Portugal e Espanha não dominavam mais o comércio colonial, Inglaterra e França participavam ativamente deste comércio. – Junto dos produtos, vinham ideias que fomentavam a busca de emancipação política dos vice-reinos coloniais.
  16. 16. CONTEXTO EUROPEU• Política expansionista de Napoleão Bonaparte: – Debilidade do governo espanhol. – Entre 1808 e 1813, a Espanha esteve ocupada pela França, no trono estava José Bonaparte, irmão de Napoleão.• Capitalismo Industrial X Sistema Colonial: – Trabalho assalariado X trabalho escravo. – O capitalismo industrial confrontava as barreiras impostas pelo colonialismo; – Para que os donos de pudessem ampliar a venda de seus produtos para regiões distantes, era necessário a existência de mercados livres.
  17. 17. CRISE DO SISTEMA COLONIAL• Resultado de uma série de fatores decorrentes do próprio processo de colonização. – Ascensão de classes sociais no nível econômico, refletindo na política.• Um sociedade com interesses comerciais diferentes da metrópole. – Relações comerciais começam a entrar em choque com as barreiras criadas pelo exclusivo colonial.• Influência da ideias iluministas. – A independência não significou o fim do trabalho escravo ou o fim do latifúndio, mas a ascensão e a consolidação política de uma elite colonial (Criollos).
  18. 18. LUTAS PELA INDEPENDÊNCIA• Por meio de várias revoltas emancipacionistas, ocorridas entre 1810 e 1828, diversas áreas da América espanhola foram conquistando sua independência política.• México (1821) – Desde 1810, os padres Miguel Hidalgo e, posteriormente, José Morellos lideraram tropas de camponeses pobres que lutavam por mudanças sociais e pela independência política. – 1821 o general Agostinho Itúrbide (militar que combatia os rebeldes) traiu o governo espanhol e se proclamou imperador. Em 1823 foi derrubado por republicanos.
  19. 19. LUTAS PELA INDEPENDÊNCIA• Do México, a luta pela independência se espalhou pela América Central. No final desse processo, formaram-se na região as Províncias Unidas Centro-Americanas que, posteriormente, fragmentaram-se em diversos países: – Guatemala, Honduras, Costa Rica, El Salvador.
  20. 20. LUTAS PELA INDEPENDÊNCIA• AMÉRICA DO SUL: – Simón Bolivar (1778-1830): • Sonhou com uma nação forte e soberana na AméricaLatina. • Junto do venezuelano Antônio José de Sucre, liderou o movimento e organizou um exército popular. • Considerado o libertador da Venezuela, da Colômbia, do Equador, da Bolívia e do Peru (junto com San Martín). – San Martín (1778-1850): • Comandou um exército contra as forças espanholas, obtendo importantes vitórias nas regiões sul e central da América do Sul. • É considerado o libertador da Argentina, do Chile e do Peru.
  21. 21. LUTAS PELA INDEPENDÊNCIA• Haiti (1825).• Colônia francesa produtora de açúcar.• Exceção ao processo de independência pelo seu caráter de luta étnica. – Em 1791 eclodiu a revolução. – Liderança de Toussaint Louverture e Jean-Jaques Dessalines. – As lutas de independência foram lideradas pelos escravos (disputa que opôs negros e brancos).
  22. 22. LUTAS PELA INDEPENDÊNCIA • Movimentos revolucionários => Fragmentação do território em inúmeros países. • Países (in)dependentes!! – Pois agora dependiam das nações industrializadas. – O poder passou para as elites locais coloniais.
  23. 23. América Portuguesa:Processo de Independência.
  24. 24. A Família Real no Brasil• A vinda ocorreu em virtude da luta entre França e Inglaterra. – Como não conseguiu vencer os ingleses pelas armas, decretou o Bloqueio Continental (1806).• O Bloqueio deixou Portugal numa situação delicada, pois dependia economicamente da Inglaterra. – A saída acabou sendo a transferência da Família Real para o Brasil.
  25. 25. Cândido Portinari – Painel: A Chegada da Família Real Portuguesa à Bahia (1953).
  26. 26. Administração Joanina no Brasil:• Em 28 de Janeiro de 1808, D. João VI decretou a abertura dos portos às nações amigas. – Independência econômica do Brasil em relação a Portugal. – Grande alívio para a economia inglesa (sufocada pelo Bloqueio Continental).• 1810 -> D. João VI assinou o Tratado de Aliança e Amizade, Comércio e Navegação.
  27. 27. Tratado de Aliança e Amizade, Comércio e Navegação (1810).• Plena liberdade religiosa para os ingleses aqui residentes;• Ingleses seriam julgados por juízes ingleses;• O Governo português se comprometia em abolir gradualmente a escravidão;• Novas taxas alfandegárias: – Produtos ingleses pagariam 15% sobre os seus produtos; – Portugueses pagariam 16%; – Demais nacionalidades 24%.
  28. 28. Administração Joanina no Brasil:• Criou: – a Imprensa Régia, – Academia Real Militar, – A Biblioteca Pública, – O Banco do Brasil, – O Jardim Botânico, – Trouxe uma Missão Artística liderada pelo pintor francês Debret (1816), • Buscava “civilizar” a colônia. – Em 1815 elevou o Brasil a condição de Reino Unido. • Buscando fortalecer a presença de Portugal no Congresso de Viena. – Invadiu a Guiana Francesa e anexou a Província Cisplatina.
  29. 29. Revolução Pernambucana (1817).• Causas: – Decadência econômica de Pernambuco. • Seca em 1816 e queda na produção do algodão e na exportação de açúcar. – Altos impostos (destinados a Corte portuguesa no Rio de Janeiro). – Privilégio aos comerciantes portugueses.• Rebeldes tomam o poder por dois meses. – Proclamação a República de Pernambuco. – Liberdade de expressão e religiosa. – Permanência da escravidão. – Buscaram apoio de províncias vizinhas, dos EUA, Inglaterra e Argentina.• Influência da Maçonaria.• Repressão impiedosa da Coroa, instalada no Rio de Janeiro.
  30. 30. 1820 -> Revolução do Porto• Burguesia influenciada pelas ideias liberais da Revolução Francesa;• Foi instalada uma monarquia constitucional baseada nas Cortes Constituintes; – Funcionavam como um parlamento. – Obrigavam D. João VI a voltar a Portugal e a jurar lealdade à Constituição recém-promulgada.• Eram claras a intenções do novo governo lusitano em recolonizar o Brasil e também a volta de D. Pedro à Europa.
  31. 31. Dia do Fico!• Formou-se em torno de D. Pedro um grupo de políticos que defendiam a manutenção do status do Brasil de Reino Unido a Portugal.• Em 09 de janeiro de 1822, D. Pedro anuncia a decisão de ficar no Brasil.
  32. 32. PANORAMA POLÍTICO• José Bonifácio de Andrade da Silva. – Principal pai ideológico da independência do Brasil. – Considerado o Patriarca da Independência.• Partido Português: – Conservador, pretendia restabelecer o monopólio português.• Partido Brasileiro – Apoiava a independência com a manutenção de D. Pedro no poder.• Partido Liberal: – Formado pelas camadas médias urbanas, defendiam a implantação de uma república democrática (ou até a possibilidade de uma monarquia constitucional).
  33. 33. A INDEPENDÊNCIA• Em Março de 1822, Sessão das Cortes de Lisboa. – Os deputados brasileiros não tinham força necessária para impedir as medidas aprovadas em relação ao Brasil• Em 3 de junho de 1822, D. Pedro recusou fidelidade à Constituição portuguesa e convocou a primeira Assembleia Constituinte brasileira.• Em 1° de Agosto, ele declarou inimigas as tropas portugueses que desembarcassem no Brasil.• Manifesto das Nações Amigas: – justificava o rompimento com as cortes de Lisboa e garantindo a independência do país, como reino irmão de Portuga
  34. 34. A INDEPENDÊNCIA• Resposta portuguesa: Anulam a convocação da Assembleia Constituinte brasileira, – Ameaçam a enviar tropas, – Exigem o retorno do príncipe Regente.• AO RECEBER TAIS EXIGÊNCIAS, EM 07 DE SETEMBRO DE 1822 PROCLAMA A INDEPENDÊNCIA DO BRASIL. – 12 de outubro -> aclamado Imperador; – 1° de dezembro -> foi coroado e recebeu o título de D. Pedro I.• O reconhecimento oficial da independência pelo governo português só veio em 1825, quando D. João VI assinou o Tratado de Paz e Aliança entre Portugal e Brasil.
  35. 35. Independência do Brasil, de François-René Moreaux (1844)
  36. 36. Grito do Ipiranga – Pedro Américo, 1888.
  37. 37. NOVO PAÍS, POUCAS MUDANÇAS• Sociedade permaneceu dividida entre latifundiários, camadas médias urbanas, homens livres pobres e escravizados.• A subordinação econômica à Inglaterra.• Exportação, com base na grande propriedade rural, monocultura e escravista, mantiveram-se como modelo econômico durante o Império.
  38. 38. HistóriaProf. Msc. Daniel Alves Bronstrup BLOG: profhistdaniel.blogspot.com @danielbronstrup

×