3° ano - Brasil Colônia - aula 1 e 2 - apostila 1 c

5.587 visualizações

Publicada em

Prof° Daniel Bronstrup, História - Colégio Murialdo, Araranguá/SC.

0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.587
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.461
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
218
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

3° ano - Brasil Colônia - aula 1 e 2 - apostila 1 c

  1. 1. HISTÓRIA DO BRASIL Brasil Colônia: Descobrimentos e administração Colonial. (Aula 01 -1C)
  2. 2. Portugal: o pioneiro!! • Posição geográfica; • Investimento no aperfeiçoamento dos navios e no desenvolvimento de instrumentos de navegação – Escola de Sagres. • Primeiro país a conhecer o governo politicamente centralizado na Europa Ocidental – Recursos vieram da Burguesia e do Rei.
  3. 3. Calicute PÉRIPLO AFRICANO 1415 – Tomada de Ceuta. 1434– Gil Eanes cruza o cabo do Bojador. 1488– Bartolomeu Dias Chega ao Cabo das Tormentas/ da Boa Esperança. 1498 – Vasco da Gama chega a Calicute.
  4. 4. A descoberta do Brasil para os Portugueses: • Após as descobertas de Vasco da Gama, D. Manuel tratou de organizar uma nova esquadra. – Para garantir especiarias. o monopólio do comércio das • 09 de março de 1500 partiu a expedição. – Dez naus. – Três caravelas. – 1200 homens. • Duas hipóteses principais: – Causal e da Intencionalidade. Documento: Carta de Pero Vaz de Caminha
  5. 5. Período 1500-1530 • Mais interessado no comércio das especiarias, Portugal deixa a colonização do Brasil em segundo. – Duas expedições exploradoras comandadas por Gaspar de Lemos e Gonçalo Coelho. – Duas expedições guarda-costa comandadas por Cristóvão Jacques entre 1516-1528. Contrabandistas franceses frequentavam o litoral em busca de Pau-brasil.
  6. 6. Início da colonização. • Lucros do comércio com as Índias entra em declínio. – Concorrência de França, Inglaterra, Holanda. países como • 1530 – primeira Expedição colonizadora chefiada por Martim Afonso de Sousa. – Fundou um forte onde hoje é o Rio de Janeiro. – No Sudeste Fundou duas vilas: São Vicente e Santo André. – Percorreu todo o litoral e enfrentou navios franceses.
  7. 7. CAPITANIAS HEREDITÁRIAS (1530-1549). • O rei dividiu a administração das terras das Colônias entre nobres portugueses. – Deveriam estar dispostos a arcar com os riscos em troca da possibilidade de usufruir das riquezas e das rendas geradas. • 15 lotes, mas só doze portugueses se habilitaram para a empreitada e tornaram-se donatários. • Os acordos do rei com os donatários estavam expressos na Carta de Doação e no Foral. • O desenvolvimento das capitanias foi desigual. – São Vicente (donatário Martim Afonso) e Pernambuco (donatário Duarte Coelho) destacaram-se. • motivos do fracasso: – a grande extensão territorial para administrar (e suas obrigações), – falta de recursos econômicos; – os constantes ataques indígenas.
  8. 8. GOVERNOS-GERAIS. • Objetivo de centralizar a administração e auxiliar os donatários. • Tomé de Sousa (1549-1553). – 1° governador-geral, trouxe mais de mil colonos e os primeiros jesuítas chefiados por Manuel de Nóbrega. • Duarte da Costa (1553-1557). – Junto dele veio José de Anchieta e outros jesuítas. • Mem de Sá (1558-1572). – Resolveu o problema da mão de obra com o início do tráfico negreiro; – Expulsou os franceses da Baía de Guanabara; – Expandiu a produção açucareira e a criação de gado; – Consolidou a presença portuguesa na colônia.
  9. 9. ORGANIZAÇÃO POLÍTICA Responsável pela Justiça em toda a colônia Cuidava da defesa da colônia. Encarregado pela cobrança dos impostos e provimentos dos cargos. Proprietários Rurais.
  10. 10. GOVERNOS-GERAIS. • Após Mem de Sá foi nomeado Luís de Vasconcelos. – Nem chegou ao Brasil, sua esquadra foi atacada por franceses. • Entre 1572 a 1578 o território da colônia foi dividido entre norte (governo de Luís de Brito) e sul (governo de Antônio Salema). • De 1578 a 1580 governou a colônia Lourenço da Veiga. • 1580 -> o Brasil passou para o domínio espanhol.
  11. 11. BRASIL COLÔNIA: ECONOMIA AÇUCAREIRA/PRESENÇA ESTRANGEIRA. (AULA 2 – 1C)
  12. 12. ORGANIZAÇÃO ECONÔMICA: AÇÚCAR • Economia colonial montada com base na mão de obra escravizada. • O Brasil era o grande produtor mundial de açúcar nos séculos XVI e XVII. – Era um produto caro e cobiçado na Europa, com ele os portugueses tinham acesso aos metais preciosos usados nos pagamentos. • A unidade básica de produção do açúcar era o Engenho. – Plantation: sistema agrícola que tinha como característica o latifúndio, a escravização e a monocultura.
  13. 13. Outra atividades desenvolvidas no Engenho: •Pecuária, •Algodão, •Mandioca, •Fumo e aguardente.
  14. 14. Sociedade Açucareira: Rural, estratificada e Patriarcal. Senhor de Engenho e sua Família. Funcionários graduados, Clérigos, mercadores, o s lavradores e trabalhadores livres. Escravizados.
  15. 15. Invasões Francesas: • Entre 1555 e 1567 – franceses fundam na Baía de Guanabara uma colônia chamada de França Antártica. – – – – Liderados por Nicolau Durand de Villegaignon. Acomodar calvinistas franceses (huguenotes). Aliança com os tupinambás (chamados de tamoios pelos portugueses) Mem de Sá junto de Estácio de Sá (que funda a cidade do Rio de Janeiro) organizam o ataque (com o apoio dos Temiminós) contra os franceses. • No Maranhão houve a fundação da França Equinocial (1612) junto de um forte chamado São Luís. – O governo português não poupou esforços até a completa expulsão dos franceses do maranhão. • Os franceses ainda atacaram a costa do Rio de Janeiro em 1710 e 1711 (corsários saquearam a cidade).
  16. 16. DOMÍNIO holandês NO BRASIL. • Projeto da Holanda (Países Baixos) em ocupar e administrar o Nordeste Brasileiro através da Companhia Holandesa das Índias Ocidentais. • Após a União Ibérica (domínio da Espanha em Portugal entre os anos de 1580 e 1640), a Holanda resolveu enviar suas expedições militares para conquistarem a região nordeste brasileira. – O objetivo holandês era restabelecer o comércio do açúcar entre o Brasil e Holanda, proibido pela Espanha após a União Ibérica. • A primeira expedição invasora ocorreu em 1624 contra Salvador (capital do Brasil na época). – Comandados por Jacob Willekens, mais de 1500 homens conquistaram Salvador e estabeleceram um governo na capital brasileira. Os holandeses foram expulsos no ano seguinte quando chegaram reforços da Espanha. • Em 1630, houve uma segunda expedição militar holandesa, desta vez contra a cidade de Olinda (Pernambuco). – Após uma resistência luso-brasileira, os holandeses dominaram a região, estabeleceram um governo e retomaram o comércio de açúcar com a região nordestina brasileira.
  17. 17. Maurício de Nassau
  18. 18. • Principais aspectos da administração de Nassau no Nordeste do Brasil: – Estabeleceu relações amigáveis entre holandeses e senhores de engenho brasileiros; – Incentivou, através de empréstimos, a reestruturação dos engenhos de açúcar do Nordeste; – Introduziu inovações com relação à fabricação de açúcar; – Favoreceu um clima de tolerância e liberdade religiosa; – Modernizou a cidade de Recife, construindo diques, canais, palácios, pontes e jardins. – Estabeleceu e organizou os sistemas de coleta de lixo e os serviços de bombeiros em Recife. – Determinou a construção em Recife de um observatório astronômico, um Jardim Botânico, um museu natural e um Zoológico. • Nassau deixou seu cargo no ano de 1644. – Com a saída de Nassau, os portugueses perceberam que era o momento de reconquistar o nordeste brasileiro. Tiveram vitórias contra os holandeses nas batalhas de Monte das Tabocas e na de Guararapes. • Em 1654, finalmente os colonos portugueses (apoiados por militares de Portugal e Inglaterra) conseguiram expulsar definitivamente os holandeses do território brasileiro. – Após a expulsão dos holandeses do Nordeste brasileiro (Pernambuco, 1654), estes vão se estabelecer no Caribe aumentando a concorrência mundial e diminuindo o preço do produto.
  19. 19. 3ão Prof. Msc. Daniel Alves Bronstrup BLOG: profhistdaniel.blogspot.com @danielbronstrup

×