O slideshow foi denunciado.
Seu SlideShare está sendo baixado. ×

Contabilidade fundamentos

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Próximos SlideShares
Fundamentos de contabilidade
Fundamentos de contabilidade
Carregando em…3
×

Confira estes a seguir

1 de 33 Anúncio

Mais Conteúdo rRelacionado

Diapositivos para si (20)

Quem viu também gostou (20)

Anúncio

Semelhante a Contabilidade fundamentos (20)

Mais de apostilacontabil (20)

Anúncio

Contabilidade fundamentos

  1. 1. FUNDAMENTOS EM CONTABILIDADE
  2. 2. A definição empresarial mais fundamental, a de sua missão, começa hoje com as respostas para as seguintes questões: “Quem são os nossos clientes? Qual é o valor que atribuem aos nossos bens e serviços? Quais são as outras ofertas concorrentes de valor que eles estão recebendo? Estamos retendo ou perdendo clientes? O que podemos fazer?” Nessa nova perspectiva, importam muitas outras considerações além dos custos. Nilton Cano Martin (art.Da Contabilidade à Controladoria: A Evolução Necessária)
  3. 3. CONTABILIDADE: conceito Processo de identificar, mensurar e comunicar informações econômicas para permitir julgamentos e decisões fundamentais para os usuários da informação Paulo Schmidt. A classificação da contabilidade dentre os ramos de conhecimento humano
  4. 4. CONTABILIDADE: •OBJETO: Patrimônio •OBJETIVOS: Produzir informações ao processo de tomada de decisões segundo seguintes características: Compreensibilidade; Tempestividade; Confiabilidade; comparabilidade.
  5. 5. PROCESSO CONTÁBIL Fonte: Pereira, Fragoso, Ribeiro Filho (2004) 1. COLETA DE DADOS; 2. REGISTRO DOS DADOS E PROCESSAMENTO; 3. PRODUÇÃO DE RELATÓRIOS FINANCEIROS; 4. COMUNICAÇÃO.
  6. 6. Contabilidade: objetivo fornecer aos administradores das empresas a informação que eles precisam para atingir seus objetivos, de modo eficaz e eficiente Nilton Cano Martin (art.Da Contabilidade à Controladoria: A Evolução Necessária)
  7. 7. usuários Investidores; Governo; Funcionários; Fornecedores; Comunidade;
  8. 8. Princípios Para atender aos seus usuários, esse tipo de contabilidade, também chamada de financeira, precisou padronizar- se ao redor de determinados princípios gerais amplamente conhecidos, que seriam as bases da preparação dos demonstrativos contábeis de qualquer empresa, de forma que qualquer investidor sempre pudesse adequadamente interpretá-los e compará-los. Nilton Cano Martin (art.Da Contabilidade à Controladoria: A Evolução Necessária)
  9. 9. Princípios de Contabilidade (Resol. CFC 750/93): 1. Entidade; 2. Continuidade; 3. Oportunidade; 4. Registro pelo valor original; 5. Atualização monetária; 6. Competência; 7. Prudência
  10. 10. Abordagens teóricas Abordagens - Questionamentos Fiscal Qual é a situação fiscal? Legal O que é exigido por lei? Há alguma regulamentação específica para este setor? Ético O que é correto? Esta é uma apresentação justa? Econômico Que efeito exercerá este procedimento contábil sobre a economia? Que efeito exercerá este procedimento contábil sobre os acionistas? O procedimento permite a divulgação completa dos fatos? Que efeito exercerá sobre outros grupos de interesse? Comportamental Por que a administração deseja fazer esta escolha? Estrutural Há alguma regra específica relativamente a esta situação? O que estão fazendo os outros que operam neste setor? Adaptado de Adriana Maria Procópio de Araújo • Alexandre Assaf NetoA CONTABILIDADE TRADICIONAL E A CONTABILIDADE BASEADA EM VALOR*
  11. 11. CASOS PARA DISCUSSÃO SOBRE PRINCÍPIOS CONTÁBEIS: Os sócios da empresa VT decidem comprar um veículo, concluiu-se que seria mais vantajoso para a empresa do que continuar com os gastos contínuos de fretes durante as operações. No entanto, a compra gerou diversas divergências como: Decidiram contabilizar a aquisição do veículo como despesa do período, isto é correto?; O veículo foi comprado por R$ 39.000,00. O sócio B não concorda com o contador pelo fato do mesmo ter contabilizado pelo valor de aquisição. O sócio alega que encontrou o mesmo modelo em outra agência de veículos por R$ 43.000,00 e que deveria ser contabilizado por este valor, o que fazer? Com a inflação de 1% o contador decide atualizar o valor do veículo nos relatórios patrimoniais, o contador está correto? Durante uma visita ao cliente, um dos sócios vai ao posto de gasolina para abastecer o veículo. O total da operação foi de R$ 300,00, que deverão ser pagos na primeira semana do próximo mês. O sócio guarda o comprovante para entregar ao contador no mês de pagamento já que ele pensa que a despesa ocorre no mês de pagamento da mesma, o procedimento está correto? Após alguns anos, o veículo sofre depreciação total (desgaste). No entanto, ainda em funcionamento na empresa o contador decide fazer uma reavaliação. Um perito analisa o preço do bem no mercado e encontra dois valores, R$ 15.000 e R$ 13.990, qual valor o contador deve considerar?
  12. 12. RELATÓRIOS CONTÁBEIS BP DRE Obrigatórios Sociedade Anônima DLPA (Lei 6.404/76) (deverão ser publicados) DOAR Ltdas. BP DRE (ñ precisam ser publicados) DLPA •Demonstração do Fluxo de Caixa (DFC); Não Obrigatórios (Ñ exigidos por lei) •Demonstração do Valor Adicionado (DVA); •Orçamentos. Fonte: Marion, 2003, p.41
  13. 13. PATRIMÔNIO BENS E DIREITOS OBRIGAÇÕES ATIVO PASSIVO PATRIMÔNIO LÍQUIDO
  14. 14. Compreensão dos registros contábeis Método das partidas dobradas (Luca Pacioli, 1494); ATIVO/DESPESA lado esquerdo lado direito Débito Crédito + - PASSIVO/PL/RECEITA lado esquerdo lado direito Débito Crédito - + Variações Patrimoniais (fatos administrativos): Permutativos; Modificativos; Mistos ou compostos; Lopes (2003, p.14)
  15. 15. Exemplos práticos: Aplicação dos Conceitos de Ativo e Passivo e P.L: classificar contas em bem, direito ou Obrigação. Encontrar os valores totais do Ativo, Passivo e P.L. Contas Valores ($) Classificação Aluguéis a Pagar 500,00 Computador 2.000,00 Salários a Pagar 1.000,00 Mercadorias em estoque 5.000,00 Fornecedores 1.500,00 Mesas 1.000,00 Assinatura de periódicos paga 200,00 antecipadamente Dinheiro em caixa 700,00 Juros a Pagar 310,00 Duplicatas a Receber 1.500,00 Edifícios 50.000,00 ICMS a Recuperar 300,00
  16. 16. Definição de Ativo “O ativo compreende as aplicações de recursos representados por bens e direitos” Resolução CFC 847/99 Alceu Haruo Fuji Heider J. de Aquino Nascimento
  17. 17. Definição de Ativo “...ativos representam benefícios futuros esperados, direitos que foram adquiridos pela entidade como resultado de alguma transação corrente ou passada”... Sprouse e Moonitz - 1962 Alceu Haruo Fuji Heider J. de Aquino Nascimento
  18. 18. Definição de Passivo “o Passivo compreende as origens de recursos representados pelas obrigações para com terceiros” Resolução CFC 847/99 Alceu Haruo Fuji Heider J. de Aquino Nascimento
  19. 19. Definição de Passivo “obrigações ou compromissos de uma empresa no sentido de entregar dinheiro, bens ou serviços a uma pessoa, empresa ou organização externa em alguma data futura” Hendricksen e Breda - 1999 Alceu Haruo Fuji Heider J. de Aquino Nascimento
  20. 20. Definição de Receita “o acréscimo de benefícios econômicos durante o período contábil na forma de entrada de ativos ou decréscimos de exigibilidades e que redunda num acréscimo do patrimônio líquido, outro que não o relacionado a ajustes de capital” Alceu Haruo Fuji Heider J. de Aquino Nascimento
  21. 21. Definição de Despesa “utilização ou consumo de bens e serviços no processo de produzir receitas” Iudícibus Alceu Haruo Fuji Heider J. de Aquino Nascimento
  22. 22. Regimes de apuração do resultado Regime de Caixa apura-se o resultado do período levando em consideração a receita efetivamente recebida no período e a despesa paga no mesmo período. Nesse critério, apura-se o resultado financeiro da empresa, ou seja, a diferença entre todos os recebimentos e os desembolsos de dinheiro. Regime de Competência, apura-se o resultado do período levando em consideração a receita ganha ou gerada no período e despesa incorrida (consumida) no mesmo período. O que prevalece nesse caso é o fato gerador, independente de pagamento ou recebimento desse fato. Nesse caso, apura-se o resultado econômico. Assaf Neto e Araujo. Introdução a contabilidade
  23. 23. FATO GERADOR: A empresa de Marketing HX Ltda apresenta as seguintes operações em agosto: 01/08 Pagamento de serviços de contabilidade ref. ao mês de Julho: R$ 500,00. 01/08 Pagamento antecipado do aluguél ref. aos meses de setembro a dezembro/06 no valor total de R$ 2.000,00 02/08 Pagamento de salários dos funcionários ref. ao mês (trabalhado) de Julho: R$ 3.000,00 03/08 A empresa presta serviços de consultoria a um Shopping. Cobrou R$ 6.000,00. Recebeu a vista R$ 4.000,00 ficando o saldo restante a receber em 30 dias. 04/08 A empresa recebe antecipadamente de uma rede de hotéis o valor total de R$ 10.000,00 ref. a serviços a serem prestados na primeira semana de setembro
  24. 24. Depreciação O conceito contábil de depreciação é o reconhecimento da diminuição de valores dos bens do ativo imobilizado, dado a condição de utilização dos mesmos. Do ponto de vista econômico, a depreciação de um bem do ativo pode ser denominada como o reconhecimento da perda da condição de gerar benefícios futuros para a entidade. Assaf Neto e Araujo. Introdução a contabilidade
  25. 25. Contabilmente usamos o termo depreciação para bens móveis, como por exemplo, máquinas, instalações, veículos etc. Usamos o termo de amortização para direitos de uso de qualquer natureza, por exemplo, a amortização do direito de uma patente. Finalmente, usamos o termo exaustão quando nos referimos à exploração de recursos naturais, por exemplo, uma exploração de jazidas, minas etc. Assaf Neto e Araujo. Introdução a contabilidade
  26. 26. Taxa de Depreciação fixadas pela Legislação do Imposto de Renda Contas Percentual de apropriação ano Edificações e Construções 04% Máquinas e Equipamentos 10% Móveis e Utensílios 10% Veículos 20% Ferramentas 20% Equipamentos de Informática 20% Assaf Neto e Araujo. Introdução a contabilidade
  27. 27. Provisão para Devedores Duvidosos – PDD A provisão para devedores duvidosos é uma conta que representa para a empresa uma margem de segurança sobre o saldo da conta clientes que é passível de inadimplência. Assaf Neto e Araujo. Introdução a contabilidade
  28. 28. ESTRUTURA DOS DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS
  29. 29. BALANÇO PATRIMONIAL CONTABILIDADE PARA NÃO CONTADORES: IUDÍCIBUS E MARION
  30. 30. DRE

×