Gênese orgânica

1.687 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.687
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
50
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Gênese orgânica

  1. 1. Mocidade Espírita Princesa Isabel<br />Gênese Orgânica<br />
  2. 2. Terra primitiva<br />Os cientistas acreditam que o mundo tenha aproximadamente 15 bilhões de anos 15.000.000.000 ou 1,5 x 1010) de idade. <br />“Os cientistas presumem que todos os corpos do Sistema Solar se formaram na mesma época, inclusive os meteoritos. Como são corpos extraterrestres que caem na superfície da Terra, eles podem ser datados e sua idade é a mesma da formação do planeta, 4,56 bilhões de anos. Claro, na Terra também há elementos que comprovam sua idade longeva. O registro mais antigo do planeta, determinado em zircões (cristais de silicato de zircônio) contidos em rochas na Austrália, tem 4,4 bilhões .”<br />Adaptado de http://www.umavisaodomundo.com/2009/07/qual-idade-terra-como-medir.html<br />“Laboratório de matérias ignescentes, o conflito das forças telúricas e das energias físico-químicas opera as grandiosas construções do teatro a vida, no imenso cadinho onde a temperatura se eleva, por vezes, a 2.000 graus de calor, como se a matéria colocada num forno, incandescente, estivesse sendo submetida aos mais diversos ensaios, para examinar-se a sua qualidade e possibilidades na edificação da nova escola dos seres. As descargas elétricas, em proporções jamis vistas da Humanidade, desperta, estranhas comoções no grande organismo planetário, cuja formação se processa nas oficinas do Infinito.” <br />Emmanuel – A caminho da luz<br />
  3. 3. Matéria Escura<br /> ”Matéria escura é certamente um nome evocativo, uma vez que estamos falando de algo cuja natureza é desconhecida e de difícil detecção. Da mesma forma que os buracos negros, a matéria escura escapa às nossas observações diretas. Sabemos com certeza que existe somente porque vemos os seus efeitos sobre a matéria luminosa.        Assim, começamos por nos perguntar como é possível nos darmos conta da existência da matéria escura. A resposta não é unívoca, dado que são aplicadas metodologias diversas dependendo dos objetos a serem considerados. ”<br /> <br /> Revista SIENTIFIC AMERICAN - Brasil  (edição de Agosto de 2002)<br />“Ninguém consegue vê-la, senti-la, ou mesmo saber o que é. Mas sem a misteriosa substância chamada matéria escura, as galáxias se fragmentariam. Uma simulação feita em computador por John Dubinski, um astrofísico da Universidade de Toronto, representa a matéria escura como uma enorme rede de filamentos espalhada pelo espaço, mostrada em branco acima. Segundo os cálculos de Dubinski e outros astrofísicos, o universo visível – estrelas e galáxias – é uma mera farpa do que há lá fora. A matéria escura é uma partícula grande sem carga elétrica; sua única marca é sua força gravitacional. Os especialistas calculam que os experimentos dos próximos dez anos conseguirão finalmente isolar partículas da matéria escura e desvendar o maior mistério do universo. ”http://nationalgeographic.abril.com.br/reportagens/zoom/galaxia_0302_02.html <br />
  4. 4. Fluído Cósmico Universal<br />“O vazio absoluto existe em alguma parte no espaço universal?<br />– Não, nada é vazio. O que imaginais como vazio é ocupado por uma matéria que escapa aos vossos sentidos e aos vossos instrumentos.”<br />L.E. Perg.36<br />“Haveria, assim, dois elementos gerais do universo: a matéria e o Espírito?<br />– (...) Mas ao elemento material é preciso acrescentar o fluido universal, que faz o papel de intermediário entre o Espírito e a matéria propriamente dita, muito grosseira para que o Espírito possa ter uma ação sobre ela. Ainda que sob certo ponto de vista se possa incluí-lo no elemento material, ele se distingue por propriedades especiais. Se o fluido universal fosse matéria, não haveria<br />razão para que o Espírito não o fosse também. Ele está colocado entre o Espírito e a matéria; é fluido, como a matéria é matéria; suscetível, por suas inumeráveis combinações com ela e sob a ação do Espírito, de poder produzir uma infinita variedade de coisas das quais conheceis apenas uma pequena parte. Esse fluido universal, primitivo, ou elementar, sendo o agente que o Espírito<br />utiliza, é o princípio sem o qual a matéria estaria em perpétuo estado de dispersão e nunca adquiriria as propriedades que a força da gravidade lhe dá.”<br />L.E. Perg.27<br />
  5. 5. Um grande passo – O coacervado<br />“Coacervado é um aglomerado de moléculas proteicas envolvidas por moléculas de água, em sua forma mais complexa. Essas moléculas foram envolvidas pela água devido ao potencial de ionização presente em alguma de suas partes. Acredita-se, portanto, que a origem dos coarcevados (e consequentemente da vida) tenha se dado no mar.<br />Segundo a Teoria de Oparin existiam coacervados formados de diversas maneiras. Os mais instáveis quebraram e se desfizeram. Outros uniram-se de outras formas e a moléculas inorgânicas, formando coacervados complexos. É possível que em algumas dessas milhares de combinações que podem ter ocorrido, alguns coacervados tenham se tornado mais estáveis.<br />Ao mesmo tempo, formou-se no oceano um "caldo quente" composto por coacervados e outros tipos de matéria orgânica, assim como substâncias inorgânicas. Isso possibilitou a sobrevivência dos coarcevados,que precisavam de energia inicialmente obtida dos raios ultravioleta e descargas elétricas e posteriormente passou a ser obtida de forma bioquímica (açúcares, matéria orgânica em geral).”<br />http://pt.wikipedia.org/wiki/Coacervado<br />
  6. 6. “De onde vieram os seres vivos da Terra?<br />– A Terra continha os germes que aguardavam o momento favorável para se desenvolverem. Os princípios orgânicos se agregaram desde que cessou a força que os mantinha separados, e eles formaram os germes de todos os seres vivos. Aqueles germes ficaram em estado latente, de inércia, como a crisálida e as sementes das plantas, até chegar o momento propício para o aparecimento de cada espécie. Então os seres de cada espécie se reuniram e se multiplicaram.”<br />L.E. Perg.44<br />“A lei que preside à formação dos minerais conduz naturalmente à formação dos corpos orgânicos. A análise química mostra que todas as substâncias vegetais e animais são compostas dos mesmos elementos que os corpos inorgânicos. Desses elementos, são o oxigênio, o hidrogênio, o azoto e o carbono os que desempenham papel principal. Os outros entram acessoriamente. Como no reino mineral, a diferença de proporções na combinação dos referidos elementos produz todas as variedades de substâncias orgânicas e suas diversas propriedades, tais como: os músculos, os ossos, o sangue, a bílis, os nervos, a matéria cerebral, a gordura, nos animais; a seiva, a madeira, as folhas, os frutos, as essências, os óleos, as resinas, etc., nos vegetais. Assim, na formação dos animais e das plantas, nenhum corpo especial entra que igualmente não se encontre no reino mineral.”<br />A Gênese – Cap. X, item 12<br />
  7. 7. A diversidade de espécies<br />
  8. 8. Filhos do mesmo Pai<br />
  9. 9. Filhos do mesmo Pai<br />Adaptado de A Gênese, editora Léon Denis<br />
  10. 10. O Elo Perdido<br />“Examinada, porém, a questão nos seus prismas reais, vamos encontrar os primeiros antepassados do homem sofrendo os processos de aperfeiçoamento a Natureza. No período terciário a que nos reportamos, sob a orientação das esferas espirituais notavam-se algumas raças de antropóides, no Plioceno inferior. Esses antropóides, antepassados do homem terrestre, e os ascendentes dos símios que ainda existem no mundo, tiveram a sua evolução em pontos convergentes, e daí os parentescos sorológicos entre o organismo do homem moderno e o do chimpanzé da atualidade.” (...)<br />“Os séculos correram o seu velário de experiênciais penosas sobre a fronte dessas criaturas de braços alongados e de pêlos densos, até que um dia as hostes do invisível operaram uma definitiva transição no corpo perispiritual preexistente, dos homens primitivos, nas regiões siderais e em certos intervalos de suas reeencarnações.”<br />Emmanuel – A caminho da luz<br />
  11. 11. Diferenças<br />Princípio Vital<br />“Qual é a causa da animalização da matéria?<br />– Sua união com o princípio vital.”<br />L.E. Perg 62<br /> “Vimos que o Espírito e a matéria são dois elementos constituintes do universo. O princípio vital forma um terceiro? <br />– É, sem dúvida, um dos elementos necessários à constituição do universo, mas ele mesmo tem sua fonte na matéria universal modificada. É um elemento, como para vós o oxigênio e o hidrogênio que, entretanto, não são elementos primitivos, embora tudo isso proceda de um mesmo princípio.”<br />L.E. Perg 64<br />
  12. 12. Ressurreição<br />“O que acontece com a matéria e o princípio vital dos seres orgânicos quando eles morrem?<br />(...)Os órgãos estão, por assim dizer, impregnados de fluido vital que dá a todas as partes do organismo uma atividade geradora da união entre elas, e, no caso de lesões, restabelece as funções que estavam momentaneamente danificadas. Mas quando os elementos essenciais ao funcionamento<br />dos órgãos são destruídos, ou muito profundamente desarranjados, o fluido vital é incapaz de transmitir o movimento da vida, e o ser morre. (...) A quantidade de fluido vital não é precisamente a mesma para todos os seres orgânicos. Ela varia de acordo com as espécies e não é constante, seja no mesmo indivíduo ou em indivíduos da mesma espécie. Há os que são, por assim dizer, saturados desse fluido, enquanto outros possuem apenas uma quantidade suficiente; daí, para alguns a vida mais ativa, mais<br />tenaz e, de certo modo, superabundante.<br />
  13. 13. Dolly (05/07/1996-14/02/2003<br />A quantidade de fluido vital se esgota. Pode tornar-se insuficiente para a manutenção da vida se não for renovada pela absorção e assimilação das<br />substâncias que o contêm.<br />O fluido vital se transmite de um indivíduo para outro. Aquele que tem mais pode dar para quem tem menos e, em alguns casos, restabelecer a<br />vida prestes a se extinguir.”<br />L.E. Perg.70<br />
  14. 14. Clonagem<br />“O fenômeno da clonagem ocorre em a própria Natureza, como por exemplo entre os crustáceos decápodes, braquiúros, como os caranguejos e siris que, perdendo uma pata substituem-na automaticamente, partindo das células que permanecem e repetem o membro amputado.(...), confirmando a presença do modelo organizador biológico.<br />(...)<br />A clonagem do ser humano perde a possibilidade de tornar-se realidade, em razão de a vida não se repetir no campo da inteligência sem o seu agente pensante, encarregado de definir os rumos do progresso, partindo da destinação que lhe está reservada pela Vida que o apresenta simples e ignorante, para ir-se equipando de valores, à medida que se reencarna e desdobra o incomparável potencial nele jacente que aguarda a oportunidade.<br />São respeitáveis e dignas de empenho as investigações do conhecimento científico que visam o engrandecimento do ser humano e da vida em si mesma, em todas as suas apresentações no planeta terrestre como fora dele. Ca, porém, ao cientista, curvar-se ante a grandeza do Cosmo e interrogar-se até onde têm lugar os direitos que se atribui, especialmente no que diz respeito ao que pretende corrigir no conjunto ou em parte, a Lei Natural.”<br />Joanna de Ângelis – Dias Gloriosos<br />
  15. 15. Começo?<br />?<br />?<br />?<br />

×