Regulação do Ensino Superior Instrumentos Prof. Antonio Freitas Outubro 2011
Fundamentos Legais Constituição Federal 1988 Lei n° 9394/1996 LDB Decreto n° 5.773/2006 Lei n° 10.861/2004 SINAES
Os resultados da auto-avaliação serão submetidos ao olhar externo de especialista.  CPA 1ª. Etapa Preparação 2ª. Etapa Des...
Os resultados da auto-avaliação serão submetidos ao olhar externo de especialista.  CPA 1ª. Etapa Preparação 2ª. Etapa Des...
Os resultados da auto-avaliação serão submetidos ao olhar externo de especialista.  CPA 1ª. Etapa Preparação 2ª. Etapa Des...
Os resultados da auto-avaliação serão submetidos ao olhar externo de especialista.  CPA 1ª. Etapa Preparação 2ª. Etapa Des...
Os resultados da auto-avaliação serão submetidos ao olhar externo de especialista.  CPA 1ª. Etapa Preparação 2ª. Etapa Des...
Os resultados da auto-avaliação serão submetidos ao olhar externo de especialista.  CPA 1ª. Etapa Preparação 2ª. Etapa Des...
Os resultados da auto-avaliação serão submetidos ao olhar externo de especialista.  CPA 1ª. Etapa Preparação 2ª. Etapa Des...
Estrutura
INSTRUMENTOS E REGULAÇÃO
Instrumentos e Regulação Solicitação de Recredenciamento, Reconhecimento e Renovação ao final de cada ciclo avaliativo. (P...
Avaliação Externa in loco
Avaliação Externa  in loco <ul><li>Tem como referência os padrões de qualidade para as IES: </li></ul><ul><li>  √  instrum...
Instrumentos e Regulação
Avaliação  Externa  in loco <ul><ul><li>Dimensão 1  - Organização didático-pedagógica. </li></ul></ul><ul><ul><li>Dimensão...
IES:  Recredenciamento  Avaliação  Externa  in loco Dimensões Qtde de Indicadores Pesos 1 Missão e o Plano de Desenvolvime...
Critérios de Avaliação •  Atribuição de conceito menor que 3 (três) em qualquer das Dimensões de Avaliação ensejará a cele...
Indicadores Níveis Patamar de Qualidade Avaliação 5 Máximo 100 % Pleno - Excelente Merecedora de notoriedade, distinção e ...
Dinâmica de Avaliação SINAES
Dinâmica de Avaliação - SINAES <ul><li>Avaliação  in loco  da IES     Conceito Institucional (CI) </li></ul><ul><li>Avali...
Dinâmica de Avaliação - SINAES CPC Doutores Regime Trabalho Integral/Parcial Infra- estrutura Notas Ingressantes/ Concluín...
CPC – Medidas de Qualidade para um Curso j
CPC – Conceito Preliminar do Curso   Termo de Insumo   CPC =  0,20 * NPD + 0,05 * NPM + 0,05 * NPR + 0,05 * NF + 0,05 * NO...
CPC – Conceito Preliminar do Curso Conceito utilizado para a Renovação de Reconhecimento dos Cursos de Graduação
Os resultados da auto-avaliação serão submetidos ao olhar externo de especialista.  CPA 1ª. Etapa Preparação 2ª. Etapa Des...
<ul><li>É  uma média ponderada dos conceitos dos cursos de graduação e pós-graduação da instituição.  </li></ul><ul><li>Pa...
IGC – Índice Geral de Cursos TG = Número Total de matrículas de graduação na IES. TME = Número de mestrandos, em termos de...
IGC – Índice Geral de Cursos
IDD -  Indicador de Diferença entre os Desempenhos Observado e Esperado  <ul><li>O IDD tem o propósito de trazer às instit...
IDD <ul><li>No IDD os candidatos são avaliados em relação ao desempenho médio esperado para estudantes em condições supost...
IDD Visando a eliminar a influência do nível de entrada sobre os resultados dos concluintes, é calculada a nota esperada d...
Avaliação Interna  Auto-avaliação CPA
Avaliação Interna -  CPA <ul><li>Comissão Própria de Avaliação – CPA </li></ul><ul><li>O trabalho da CPA é o  ponto de par...
Exame Nacional de Desempenho de Estudantes  ENADE
<ul><li>A partir de 2008, o Conceito Enade passou a considerar em seu cômputo apenas o desempenho dos alunos concluintes. ...
<ul><li>A Nota Enade do curso  i é a média ponderada da nota padronizada dos concluintes  na Formação Geral e no Component...
<ul><li>Avaliar:   </li></ul><ul><li>o desempenho dos estudantes com relação aos conteúdos programáticos previstos nas dir...
Avaliação CAPES
Pós-graduação  stricto sensu - CAPES Fonte : Capes
Fonte : Capes Síntese da Avaliação
Corpo Docente Fonte : Capes
Corpo Discente Fonte : Capes
Produção Intelectual Fonte : Capes
Inserção Social Fonte : Capes
Pós-graduação  stricto sensu - CAPES Fonte : Capes DIFERENCIAIS DE ALTA QUALIFICAÇÃO E DESEMPENHO E DE FORTE LIDERANÇA NAC...
Conceito 6 e 7 - CAPES Fonte : Capes <ul><li>•  Publicação em periódicos internacionais A ou B : </li></ul><ul><li>√  25% ...
OBRIGADO
CPC´S - FORMULÁRIO
Medidas de Qualidade - CPC <ul><li>1.1 Prof. Doutores (PD) : </li></ul><ul><li>Corresponde à proporção de professores vinc...
<ul><li>1.2 Prof. Mestres (PM) : </li></ul><ul><li>corresponde à proporção de professores vinculados ao curso  i  cuja tit...
<ul><li>1.3 Prof. com Dedicação Integral ou Parcial (NPR): </li></ul><ul><li>Corresponde à proporção de professores vincul...
<ul><li>1.4 Infra-Estrutura (NF): </li></ul><ul><li>Corresponde à proporção de alunos do curso  i  que avaliaram positivam...
<ul><li>1.4 Infra-Estrutura (NF): </li></ul><ul><li>Pergunta:  </li></ul><ul><li>“ Aulas práticas: os equipamentos disponí...
<ul><li>1.5 Organização Didático-Pedagógica (NO): </li></ul><ul><li>“ Os planos de ensino contêm todos os seguintes aspect...
<ul><li>1.6 Nota dos Concluintes no Enade (NC): </li></ul><ul><li>A NC   é composta por:  </li></ul><ul><ul><li>75% da not...
<ul><li>1.7 Nota dos Ingressantes no Enade (NI): </li></ul><ul><li>A NI   é composta por:  </li></ul><ul><ul><li>75% da no...
<ul><li>1.8 Indicador de Diferença entre os Desempenhos Observado e Esperado (IDD): </li></ul><ul><li>IDD =  desempenho mé...
<ul><li>Fatores que determinam o desempenho médio dos estudantes concluintes de um determinado curso  i  podem ser separad...
<ul><li>Para computar a nota média do curso foram considerados os estudantes com notas maiores que zero, tanto no desempen...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

(26.10.2011) Regulação do Ensino Superior | Instrumentos - Prof. Antonio Freitas

2.333 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.333
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
382
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
55
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

(26.10.2011) Regulação do Ensino Superior | Instrumentos - Prof. Antonio Freitas

  1. 1. Regulação do Ensino Superior Instrumentos Prof. Antonio Freitas Outubro 2011
  2. 2. Fundamentos Legais Constituição Federal 1988 Lei n° 9394/1996 LDB Decreto n° 5.773/2006 Lei n° 10.861/2004 SINAES
  3. 3. Os resultados da auto-avaliação serão submetidos ao olhar externo de especialista. CPA 1ª. Etapa Preparação 2ª. Etapa Desenvolvimento 3ª. Etapa Consolidação <ul><li>1ª. Etapa </li></ul><ul><li>Constituição de CPA </li></ul><ul><li>Sensibilização </li></ul><ul><li>Elaboração do Projeto de Avaliação </li></ul><ul><li>2ª. Etapa </li></ul><ul><li>Ações </li></ul><ul><li>Levantamento de dados e informações </li></ul><ul><li>Análise das Informações. Relatórios Parciais </li></ul><ul><li>3ª. Etapa </li></ul><ul><ul><li>Relatório </li></ul></ul><ul><ul><li>Divulgação </li></ul></ul><ul><ul><li>Balanço Crítico </li></ul></ul>Constituição Federal 1988 <ul><li>A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho. </li></ul><ul><li>(Art.205) </li></ul>
  4. 4. Os resultados da auto-avaliação serão submetidos ao olhar externo de especialista. CPA 1ª. Etapa Preparação 2ª. Etapa Desenvolvimento 3ª. Etapa Consolidação <ul><li>1ª. Etapa </li></ul><ul><li>Constituição de CPA </li></ul><ul><li>Sensibilização </li></ul><ul><li>Elaboração do Projeto de Avaliação </li></ul><ul><li>2ª. Etapa </li></ul><ul><li>Ações </li></ul><ul><li>Levantamento de dados e informações </li></ul><ul><li>Análise das Informações. Relatórios Parciais </li></ul><ul><li>3ª. Etapa </li></ul><ul><ul><li>Relatório </li></ul></ul><ul><ul><li>Divulgação </li></ul></ul><ul><ul><li>Balanço Crítico </li></ul></ul>Constituição Federal 1988 <ul><li>O ensino será ministrado com base nos seguintes princípios, dentre outros: </li></ul><ul><li>igualdade de condições para o acesso e permanência na escola; </li></ul><ul><li>liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber; </li></ul><ul><li>pluralismo de idéias e de concepções pedagógicas, e coexistência de instituições públicas e privadas de ensino; </li></ul><ul><li>valorização dos profissionais da educação escolar; </li></ul><ul><li>gestão democrática do ensino público; </li></ul><ul><li>garantia de padrão de qualidade . </li></ul><ul><li>( Art. 206) </li></ul>
  5. 5. Os resultados da auto-avaliação serão submetidos ao olhar externo de especialista. CPA 1ª. Etapa Preparação 2ª. Etapa Desenvolvimento 3ª. Etapa Consolidação <ul><li>1ª. Etapa </li></ul><ul><li>Constituição de CPA </li></ul><ul><li>Sensibilização </li></ul><ul><li>Elaboração do Projeto de Avaliação </li></ul><ul><li>2ª. Etapa </li></ul><ul><li>Ações </li></ul><ul><li>Levantamento de dados e informações </li></ul><ul><li>Análise das Informações. Relatórios Parciais </li></ul><ul><li>3ª. Etapa </li></ul><ul><ul><li>Relatório </li></ul></ul><ul><ul><li>Divulgação </li></ul></ul><ul><ul><li>Balanço Crítico </li></ul></ul>Lei n° 9.394 / 1996 - LDB <ul><li>Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional: </li></ul><ul><li>Princípios e fins da educação. </li></ul><ul><li>Organização da educação nacional. </li></ul><ul><li>Níveis e modalidades da educação e ensino </li></ul><ul><li>Profissionais da educação </li></ul><ul><li>Recursos financeiros </li></ul>
  6. 6. Os resultados da auto-avaliação serão submetidos ao olhar externo de especialista. CPA 1ª. Etapa Preparação 2ª. Etapa Desenvolvimento 3ª. Etapa Consolidação <ul><li>1ª. Etapa </li></ul><ul><li>Constituição de CPA </li></ul><ul><li>Sensibilização </li></ul><ul><li>Elaboração do Projeto de Avaliação </li></ul><ul><li>2ª. Etapa </li></ul><ul><li>Ações </li></ul><ul><li>Levantamento de dados e informações </li></ul><ul><li>Análise das Informações. Relatórios Parciais </li></ul><ul><li>3ª. Etapa </li></ul><ul><ul><li>Relatório </li></ul></ul><ul><ul><li>Divulgação </li></ul></ul><ul><ul><li>Balanço Crítico </li></ul></ul>Lei n° 9.394 / 1996 - LDB <ul><li>Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional: </li></ul><ul><li>Cumprimento das normas gerais da educação nacional e do respectivo sistema de ensino; </li></ul><ul><li>Autorização de funcionamento ; </li></ul><ul><li>Avaliação de qualidade pelo poder público </li></ul><ul><li>Capacidade de auto-financiamento </li></ul>
  7. 7. Os resultados da auto-avaliação serão submetidos ao olhar externo de especialista. CPA 1ª. Etapa Preparação 2ª. Etapa Desenvolvimento 3ª. Etapa Consolidação <ul><li>1ª. Etapa </li></ul><ul><li>Constituição de CPA </li></ul><ul><li>Sensibilização </li></ul><ul><li>Elaboração do Projeto de Avaliação </li></ul><ul><li>2ª. Etapa </li></ul><ul><li>Ações </li></ul><ul><li>Levantamento de dados e informações </li></ul><ul><li>Análise das Informações. Relatórios Parciais </li></ul><ul><li>3ª. Etapa </li></ul><ul><ul><li>Relatório </li></ul></ul><ul><ul><li>Divulgação </li></ul></ul><ul><ul><li>Balanço Crítico </li></ul></ul>Decreto n° 5.773/2006 Dispõe sobre o exercício das funções de regulação , supervisão e avaliação de instituições de educação superior e cursos superiores de graduação e seqüenciais no sistema federal de ensino. (Art. 1°)
  8. 8. Os resultados da auto-avaliação serão submetidos ao olhar externo de especialista. CPA 1ª. Etapa Preparação 2ª. Etapa Desenvolvimento 3ª. Etapa Consolidação <ul><li>1ª. Etapa </li></ul><ul><li>Constituição de CPA </li></ul><ul><li>Sensibilização </li></ul><ul><li>Elaboração do Projeto de Avaliação </li></ul><ul><li>2ª. Etapa </li></ul><ul><li>Ações </li></ul><ul><li>Levantamento de dados e informações </li></ul><ul><li>Análise das Informações. Relatórios Parciais </li></ul><ul><li>3ª. Etapa </li></ul><ul><ul><li>Relatório </li></ul></ul><ul><ul><li>Divulgação </li></ul></ul><ul><ul><li>Balanço Crítico </li></ul></ul>Lei n° 10.861/2004 - SINAES <ul><ul><li>Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – SINAES. </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Melhoria da qualidade da educação superior. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Orientar a expansão da oferta da educação superior e a eficácia institucional. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Assegurar o processo nacional de avaliação das IES , cursos e estudantes . </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>( Art.1°, § 1° da Lei 10.861/2004 ) </li></ul></ul>
  9. 9. Os resultados da auto-avaliação serão submetidos ao olhar externo de especialista. CPA 1ª. Etapa Preparação 2ª. Etapa Desenvolvimento 3ª. Etapa Consolidação <ul><li>1ª. Etapa </li></ul><ul><li>Constituição de CPA </li></ul><ul><li>Sensibilização </li></ul><ul><li>Elaboração do Projeto de Avaliação </li></ul><ul><li>2ª. Etapa </li></ul><ul><li>Ações </li></ul><ul><li>Levantamento de dados e informações </li></ul><ul><li>Análise das Informações. Relatórios Parciais </li></ul><ul><li>3ª. Etapa </li></ul><ul><ul><li>Relatório </li></ul></ul><ul><ul><li>Divulgação </li></ul></ul><ul><ul><li>Balanço Crítico </li></ul></ul>Princípios do Sinaes <ul><ul><li>Responsabilidade social com a qualidade da educação superior. </li></ul></ul><ul><ul><li>Reconhecimento da diversidade do sistema. </li></ul></ul><ul><ul><li>Respeito à identidade , à missão e à história das instituições. </li></ul></ul><ul><ul><li>Globalidade – avaliação de forma orgânica/integrada. </li></ul></ul><ul><ul><li>Continuidade do processo avaliativo . </li></ul></ul>
  10. 10. Estrutura
  11. 11. INSTRUMENTOS E REGULAÇÃO
  12. 12. Instrumentos e Regulação Solicitação de Recredenciamento, Reconhecimento e Renovação ao final de cada ciclo avaliativo. (Portaria Normativa nº 23/2010)
  13. 13. Avaliação Externa in loco
  14. 14. Avaliação Externa in loco <ul><li>Tem como referência os padrões de qualidade para as IES: </li></ul><ul><li> √ instrumentos de avaliação </li></ul><ul><li> √ relatórios da CPA. </li></ul><ul><li>Realizada por Comissão de Especialistas do INEP. </li></ul>
  15. 15. Instrumentos e Regulação
  16. 16. Avaliação Externa in loco <ul><ul><li>Dimensão 1 - Organização didático-pedagógica. </li></ul></ul><ul><ul><li>Dimensão 2 - Corpo Docente. </li></ul></ul><ul><ul><li>Dimensão 3 - Infra-estrutura física. </li></ul></ul>IES : Credenciamento Cursos : Autorização – Reconhecimento e Renovação de Reconhecimento
  17. 17. IES: Recredenciamento Avaliação Externa in loco Dimensões Qtde de Indicadores Pesos 1 Missão e o Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI). 2 5 2 A política para o ensino, a pesquisa, extensão e normas de operacionalização. 7 35 3 Responsabilidade social da IES. 4 5 4 A comunicação com a sociedade. 3 5 5 Políticas pessoal, de carreiras do corpo docente e pessoal técnico administrativo. 6 20 6 Organização e gestão da IES, funcionamento dos colegiados. 4 5 7 Infra-estrutura física 5 10 8 Planejamento e avaliação – CPA 3 5 9 Política de atendimento aos discentes 4 5 10 Sustentabilidade Financeira 3 5
  18. 18. Critérios de Avaliação • Atribuição de conceito menor que 3 (três) em qualquer das Dimensões de Avaliação ensejará a celebração do TAC (IES/MEC). • Atribuição de conceito 1 (um) a, pelo menos um indicador de qualquer uma das Dimensões, implica em: - conceito 1 (um) para toda a Dimensão, e - conceito final do Relatório da Avaliação não poderá ser superior a 3 (três).
  19. 19. Indicadores Níveis Patamar de Qualidade Avaliação 5 Máximo 100 % Pleno - Excelente Merecedora de notoriedade, distinção e excelência. MUITO ALÉM do referencial mínimo de qualidade 4 Mínimo 75 % Adequado - Bom Acima da média. Merecedora de destaque, reconhecimento e importância. Não há notoriedade, nem excelência. ALÉM do referencial mínimo de qualidade 3 Mínimo 50 % Suficiente-Regular Ultrapassa o limite mínimo de aprovação. SIMILAR ao referencial mínimo de qualidade 2 Mínimo 25 % Insuficiente - Inferior Nível inferior ao limite mínimo de aprovação. Não são completamente destituídos de mérito ou qualidade. AQUÉM do referencial mínimo de qualidade 1 Menor que 25 % Precário ou não existe Situação Precária, destituídos ou quase destituídos de méritos de qualidade. MUITO AQUÉM do referencial mínimo de qualidade.
  20. 20. Dinâmica de Avaliação SINAES
  21. 21. Dinâmica de Avaliação - SINAES <ul><li>Avaliação in loco da IES  Conceito Institucional (CI) </li></ul><ul><li>Avaliação in loco do Curso  Conceito de Curso (CC) </li></ul><ul><li>CPC – Conceito Preliminar de Cursos (orienta as avaliações in loco ) </li></ul><ul><li>ENADE – Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes ; </li></ul><ul><li>IGC – Índice Geral de Cursos </li></ul>
  22. 22. Dinâmica de Avaliação - SINAES CPC Doutores Regime Trabalho Integral/Parcial Infra- estrutura Notas Ingressantes/ Concluíntes ENADE Mestres Recursos Didático Pedagógicos IDD Avaliação Externa in loco CC CI
  23. 23. CPC – Medidas de Qualidade para um Curso j
  24. 24. CPC – Conceito Preliminar do Curso   Termo de Insumo   CPC = 0,20 * NPD + 0,05 * NPM + 0,05 * NPR + 0,05 * NF + 0,05 * NO + 0,30 * IDD + 0,15 * NI + 0,15 * NC
  25. 25. CPC – Conceito Preliminar do Curso Conceito utilizado para a Renovação de Reconhecimento dos Cursos de Graduação
  26. 26. Os resultados da auto-avaliação serão submetidos ao olhar externo de especialista. CPA 1ª. Etapa Preparação 2ª. Etapa Desenvolvimento 3ª. Etapa Consolidação <ul><li>1ª. Etapa </li></ul><ul><li>Constituição de CPA </li></ul><ul><li>Sensibilização </li></ul><ul><li>Elaboração do Projeto de Avaliação </li></ul><ul><li>2ª. Etapa </li></ul><ul><li>Ações </li></ul><ul><li>Levantamento de dados e informações </li></ul><ul><li>Análise das Informações. Relatórios Parciais </li></ul><ul><li>3ª. Etapa </li></ul><ul><ul><li>Relatório </li></ul></ul><ul><ul><li>Divulgação </li></ul></ul><ul><ul><li>Balanço Crítico </li></ul></ul>Conceitos de Avaliação CPC – Conceito de Curso
  27. 27. <ul><li>É uma média ponderada dos conceitos dos cursos de graduação e pós-graduação da instituição. </li></ul><ul><li>Para ponderar os conceitos, utiliza-se a distribuição dos alunos da IES entre os diferentes níveis de ensino (graduação, mestrado e doutorado). </li></ul><ul><li>Periodicidade : Anual </li></ul><ul><li>O conceito da graduação é calculado com base nos CPC´s e o conceito da pós -graduação é calculado a partir de uma conversão dos conceitos fixados pela CAPES. </li></ul>IGC – Índice Geral de Cursos
  28. 28. IGC – Índice Geral de Cursos TG = Número Total de matrículas de graduação na IES. TME = Número de mestrandos, em termos de graduando equivalente. TDE = Número de doutorandos, em termos de graduando equivalente. M= Conceito médio do mestrado. D= Conceirto Médio do Doutorado G= Média dos Conceitos Preliminares dos Cursos
  29. 29. IGC – Índice Geral de Cursos
  30. 30. IDD - Indicador de Diferença entre os Desempenhos Observado e Esperado <ul><li>O IDD tem o propósito de trazer às instituições informações comparativas dos desempenhos de seus estudantes concluintes em relação aos resultados médios obtidos pelos concluintes das demais instituições que possuem estudantes ingressantes de perfil semelhante ao seu. </li></ul>
  31. 31. IDD <ul><li>No IDD os candidatos são avaliados em relação ao desempenho médio esperado para estudantes em condições supostamente semelhantes. </li></ul><ul><li>O índice IDD representa a diferença entre o desempenho médio dos concluintes relacionado com os resultados médios de outras IES, cujos ingressantes tenham perfil semelhante. </li></ul><ul><li>Esse indicador leva em conta o perfil dos candidatos, promovendo, assim, uma concorrência entre indivíduos supostamente nivelados quanto às condições de entrada . </li></ul>
  32. 32. IDD Visando a eliminar a influência do nível de entrada sobre os resultados dos concluintes, é calculada a nota esperada do curso, por meio de análise de regressão linear, levando-se em conta três variáveis: 1) desempenho médio dos ingressantes; 2) proporção de estudantes cujos pais têm ensino superior; 3) razão entre o número de concluintes e ingressantes.
  33. 33. Avaliação Interna Auto-avaliação CPA
  34. 34. Avaliação Interna - CPA <ul><li>Comissão Própria de Avaliação – CPA </li></ul><ul><li>O trabalho da CPA é o ponto de partida dos processos que constituem o sistema avaliativo do Ensino Superior . </li></ul><ul><li>Tem como objetivos : </li></ul><ul><li>√ melhorar a qualidade educativa e </li></ul><ul><li>√ alcançar maior relevância social . </li></ul>
  35. 35. Exame Nacional de Desempenho de Estudantes ENADE
  36. 36. <ul><li>A partir de 2008, o Conceito Enade passou a considerar em seu cômputo apenas o desempenho dos alunos concluintes. </li></ul><ul><li>O Enade é componente curricular obrigatório dos cursos de graduação, sendo inscrita no histórico escolar do estudante somente a sua situação regular. </li></ul>ENADE : Nota
  37. 37. <ul><li>A Nota Enade do curso i é a média ponderada da nota padronizada dos concluintes na Formação Geral e no Componente Específico. </li></ul><ul><li>A parte referente à Formação Geral contribui com 25% da nota final, enquanto a referente ao Componente Específico contribui com 75%. A fórmula está descrita a seguir. </li></ul>ENADE : Nota
  38. 38. <ul><li>Avaliar: </li></ul><ul><li>o desempenho dos estudantes com relação aos conteúdos programáticos previstos nas diretrizes curriculares dos cursos de graduação; </li></ul><ul><li>o desenvolvimento de competências e habilidades necessárias ao aprofundamento da formação geral e profissional; </li></ul><ul><li>nível de atualização dos estudantes com relação à realidade brasileira e mundial, integrando o Sinaes, juntamente com a avaliação institucional e a avaliação dos cursos de graduação. </li></ul>ENADE - Objetivos
  39. 39. Avaliação CAPES
  40. 40. Pós-graduação stricto sensu - CAPES Fonte : Capes
  41. 41. Fonte : Capes Síntese da Avaliação
  42. 42. Corpo Docente Fonte : Capes
  43. 43. Corpo Discente Fonte : Capes
  44. 44. Produção Intelectual Fonte : Capes
  45. 45. Inserção Social Fonte : Capes
  46. 46. Pós-graduação stricto sensu - CAPES Fonte : Capes DIFERENCIAIS DE ALTA QUALIFICAÇÃO E DESEMPENHO E DE FORTE LIDERANÇA NACIONAL DO PROGRAMA
  47. 47. Conceito 6 e 7 - CAPES Fonte : Capes <ul><li>• Publicação em periódicos internacionais A ou B : </li></ul><ul><li>√ 25% - conceito 6 </li></ul><ul><li>√ 40% - conceito 7 </li></ul><ul><li>• Docentes em pesquisa no CNPQ : </li></ul><ul><li>√ 20% - conceito 6 </li></ul><ul><li>√ 40% - conceito 7 </li></ul><ul><li>Internacionalização </li></ul>
  48. 48. OBRIGADO
  49. 49. CPC´S - FORMULÁRIO
  50. 50. Medidas de Qualidade - CPC <ul><li>1.1 Prof. Doutores (PD) : </li></ul><ul><li>Corresponde à proporção de professores vinculados ao curso i cuja titulação é maior ou igual ao doutorado ( PD ). </li></ul><ul><li>Fonte: Cadastro Docente. </li></ul>
  51. 51. <ul><li>1.2 Prof. Mestres (PM) : </li></ul><ul><li>corresponde à proporção de professores vinculados ao curso i cuja titulação é maior ou igual ao mestrado ( PM ). </li></ul><ul><li>Fonte: Cadastro Docente </li></ul>
  52. 52. <ul><li>1.3 Prof. com Dedicação Integral ou Parcial (NPR): </li></ul><ul><li>Corresponde à proporção de professores vinculados ao curso i cujo regime de dedicação seja integral ou parcial ( PR ). </li></ul>
  53. 53. <ul><li>1.4 Infra-Estrutura (NF): </li></ul><ul><li>Corresponde à proporção de alunos do curso i que avaliaram positivamente um aspecto da infra-estrutura do curso no questionário do Enade ( F ). </li></ul><ul><li>Se nenhum aluno respondeu ao questionário socioeconômico, o curso terá a NF =0 para o cálculo do CPC. </li></ul><ul><li>Fonte: ENADE </li></ul>
  54. 54. <ul><li>1.4 Infra-Estrutura (NF): </li></ul><ul><li>Pergunta: </li></ul><ul><li>“ Aulas práticas: os equipamentos disponíveis são suficientes para todos os alunos?”. </li></ul><ul><li>Respostas consideradas : </li></ul><ul><li>( A) = Sim, em todas elas. </li></ul><ul><li>(B) = Sim, na maior parte delas. </li></ul>
  55. 55. <ul><li>1.5 Organização Didático-Pedagógica (NO): </li></ul><ul><li>“ Os planos de ensino contêm todos os seguintes aspectos: objetivos; procedimentos de ensino e avaliação; conteúdos e bibliografia da disciplina?”. </li></ul><ul><li>Resposta considerada: (A) = Sim, todos contêm. </li></ul>
  56. 56. <ul><li>1.6 Nota dos Concluintes no Enade (NC): </li></ul><ul><li>A NC é composta por: </li></ul><ul><ul><li>75% da nota dos alunos concluintes no componente específico do Enade, e </li></ul></ul><ul><ul><li>25% da nota dos mesmos alunos no componente de formação geral do Enade. </li></ul></ul><ul><li>As notas que entram no cômputo de NC são as notas padronizadas e já transformadas na escala de 0 a 5. </li></ul>
  57. 57. <ul><li>1.7 Nota dos Ingressantes no Enade (NI): </li></ul><ul><li>A NI é composta por: </li></ul><ul><ul><li>75% da nota dos alunos ingressantes no componente específico do Enade, e </li></ul></ul><ul><ul><li>25% da nota dos mesmos alunos no componente de formação geral do Enade. </li></ul></ul><ul><li>As notas que entram no cômputo de NC são as notas padronizadas e já transformadas na escala de 0 a 5. </li></ul>
  58. 58. <ul><li>1.8 Indicador de Diferença entre os Desempenhos Observado e Esperado (IDD): </li></ul><ul><li>IDD = desempenho médio obtido no Enade pelos alunos concluintes de um curso ( - ) desempenho médio que era esperado para esses mesmos alunos, </li></ul><ul><li>dadas as informações existentes sobre o perfil dos ingressantes desse curso. </li></ul>
  59. 59. <ul><li>Fatores que determinam o desempenho médio dos estudantes concluintes de um determinado curso i podem ser separados, por hipóteses: </li></ul><ul><ul><ul><li>características de ingresso destes alunos concluintes em termos de aprendizagem( cI ) ; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>determinada pela qualidade da formação oferecida pelo curso i (q) ; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>um termo de erro que capta os outros elementos que afetam o desempenho do aluno (e) </li></ul></ul></ul><ul><li>Assim, para um curso i: c = cI + q + e (3) com a </li></ul><ul><li>hipótese usual de que E[e cI , q] = 0 . </li></ul>
  60. 60. <ul><li>Para computar a nota média do curso foram considerados os estudantes com notas maiores que zero, tanto no desempenho do ingressante e do concluinte. </li></ul><ul><li>Excluiu-se das estimações cursos com menos de 10 participantes ou com taxa de participação inferior a 20% dos selecionados, seja para o caso dos ingressantes ou concluintes. </li></ul><ul><li>Quando não foi possível atribuir um IDD para um curso i , a Nota Padronizada do IDD ( NIDD ) recebeu o mesmo valor da Nota Padronizada de Concluintes ( NC ) para este curso i para o cálculo do CPC. </li></ul>

×