SlideShare uma empresa Scribd logo

Novas técnicas organizacionais e as tecnologias aceleradas

ANGRAD
ANGRAD

Apresentação realizada pelo professor Antonio Vico Mañas, no ENANGRAD 2018, realizado pela ANGRAD na FECAP, São Paulo, de 24 a 26 de agosto.

1 de 33
Baixar para ler offline
Novas técnicas organizacionais
e as tecnologias aceleradas e a
necessidade de Administração
Prof. Dr. Antonio Vico Mañas
PROBLEMA E OBJETIVO
Importante observar que ainda estamos no início de uma nova
era de tecnologias disruptivas.
 Na próxima década, as ferramentas de aceleração terão
uma utilidade cada vez maior e os efeitos de rede em que “o
vencedor leva tudo” lançarão as organizações a alturas
jamais alcançadas.
 Durante toda essa mudança, você (ADMINISTRADOR) precisa
fazer sua empresa evoluir. Se você não criar sua própria
disrupção, alguém o fará. Ficar parado, significa a morte.
 Para convergir com esse futuro de mudanças exponenciais e
digitalização enorme, você precisa mudar a sua
organização e para isso você precisa mudar, antes, durante
e depois.
As organizações
 São construídas com base nas tecnologias da
informação que desmaterializam o que antes era de
natureza física e o transfere ao mundo digital sob
demanda.
 Passou a ser comum, esse processo de transformação
digital. Tudo, equipamentos, sistemas, lojas,
universidades, veículos...
 A Lei de Moore, com seus sessenta anos, afirma que
“relação preço/desempenho da computação dobraria
a cada dezoito meses”
Ray Kurzweil
 Como futurista,
estudou esse
fenômeno – ritmo
constante,
extraordinário, e
aparentemente
impossível, por trinta
anos e fez quatro
observações
originais: Esta Foto de Autor Desconhecido está licenciado em CC BY-NC-ND
1-
 O padrão de duplicação identificado por Gordon
Moore em circuitos integrados se aplica a qualquer
tecnologia da informação.
Kurzweil chama isso de Lei dos retornos Acelerados
(LOAR) e mostra que os padrões de duplicação na
computação podem ser observados desde 1900,
muito antes da proposição de Moore.
2-
 O propulsor que impulsiona esse fenômeno é a informação.
Uma vez que todo domínio, disciplina, tecnologia ou setor
é habilitado para informação e alimentado por fluxos de
informação, sua relação preço/desempenho começa a
dobrar aproximadamente a cada ano.

Recomendados

Social Business (Organizações em Rede + Novas Plataformas Colaborativas)
Social Business (Organizações em Rede + Novas Plataformas Colaborativas)Social Business (Organizações em Rede + Novas Plataformas Colaborativas)
Social Business (Organizações em Rede + Novas Plataformas Colaborativas)Helder Milheiro
 
Redes Sociais no ecossistema de Negocios: alem do Marketing e muito mais que ROI
Redes Sociais no ecossistema de Negocios: alem do Marketing e muito mais que ROIRedes Sociais no ecossistema de Negocios: alem do Marketing e muito mais que ROI
Redes Sociais no ecossistema de Negocios: alem do Marketing e muito mais que ROIVocimo
 
Os turbulentos próximos 10 anos da nossa história
Os turbulentos próximos 10 anos da nossa históriaOs turbulentos próximos 10 anos da nossa história
Os turbulentos próximos 10 anos da nossa históriaRodrigo Mesquita
 
Inteligência coletiva e inclusão digital
Inteligência coletiva e inclusão digitalInteligência coletiva e inclusão digital
Inteligência coletiva e inclusão digitalthiagodbr
 
O Novo Ecossistema da Informação, Comunicação e Articulação da Sociedade
O Novo Ecossistema da Informação, Comunicação e Articulação da SociedadeO Novo Ecossistema da Informação, Comunicação e Articulação da Sociedade
O Novo Ecossistema da Informação, Comunicação e Articulação da SociedadeRodrigo Mesquita
 
ExpoGestão 2020 - Thammy Marcato - Innovation Mindset
ExpoGestão 2020 - Thammy Marcato - Innovation MindsetExpoGestão 2020 - Thammy Marcato - Innovation Mindset
ExpoGestão 2020 - Thammy Marcato - Innovation MindsetExpoGestão
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

TDC2017 | São Paulo - Trilha Inovações How we figured out we had a SRE team a...
TDC2017 | São Paulo - Trilha Inovações How we figured out we had a SRE team a...TDC2017 | São Paulo - Trilha Inovações How we figured out we had a SRE team a...
TDC2017 | São Paulo - Trilha Inovações How we figured out we had a SRE team a...tdc-globalcode
 
Apresentação Tecnologia no Terceiro Setor OAB set 2013
Apresentação Tecnologia no Terceiro Setor OAB set 2013Apresentação Tecnologia no Terceiro Setor OAB set 2013
Apresentação Tecnologia no Terceiro Setor OAB set 2013Valter Cegal
 
O Uso da Inteligência Coletiva nas Empresas
O Uso da Inteligência Coletiva nas EmpresasO Uso da Inteligência Coletiva nas Empresas
O Uso da Inteligência Coletiva nas EmpresasElvis Fusco
 
Tecnologia para o terceiro setor Julho 2013
Tecnologia para o terceiro setor Julho 2013Tecnologia para o terceiro setor Julho 2013
Tecnologia para o terceiro setor Julho 2013Valter Cegal
 
Instrumentos úteis para doadores e Organizações da Sociedade Civil: Monitoriz...
Instrumentos úteis para doadores e Organizações da Sociedade Civil: Monitoriz...Instrumentos úteis para doadores e Organizações da Sociedade Civil: Monitoriz...
Instrumentos úteis para doadores e Organizações da Sociedade Civil: Monitoriz...Humaneasy Consulting
 
Congresso PGQP Negócios Colaborativos
Congresso PGQP  Negócios ColaborativosCongresso PGQP  Negócios Colaborativos
Congresso PGQP Negócios ColaborativosJose Claudio Terra
 
Novas Tecnologias e as mudanças no mercado
Novas Tecnologias e as mudanças no mercadoNovas Tecnologias e as mudanças no mercado
Novas Tecnologias e as mudanças no mercadorenatofrigo
 
Decifra-me ou te Devoro: Mobilidade e a Segurança da Informação
Decifra-me ou te Devoro: Mobilidade e a Segurança da InformaçãoDecifra-me ou te Devoro: Mobilidade e a Segurança da Informação
Decifra-me ou te Devoro: Mobilidade e a Segurança da InformaçãoVirtù Tecnológica
 
ESARH - construção e gestão do conhecimento
ESARH - construção e gestão do conhecimentoESARH - construção e gestão do conhecimento
ESARH - construção e gestão do conhecimentoJose Claudio Terra
 
Inteligência Coletiva
Inteligência ColetivaInteligência Coletiva
Inteligência ColetivaElvis Fusco
 
Cenario das Plataformas Corporativas de Software Social
Cenario das Plataformas Corporativas de Software SocialCenario das Plataformas Corporativas de Software Social
Cenario das Plataformas Corporativas de Software SocialVocimo
 
Vocimo.redes.sociais.corporativas.v01
Vocimo.redes.sociais.corporativas.v01Vocimo.redes.sociais.corporativas.v01
Vocimo.redes.sociais.corporativas.v01Papos na rede
 
Marco Conceitual - Social Good Brasil
Marco Conceitual - Social Good BrasilMarco Conceitual - Social Good Brasil
Marco Conceitual - Social Good BrasilSocial Good Brasil
 

Mais procurados (20)

Apostila 01 / Mídias Digitais: Panorama Histórico e Conceiitual
Apostila 01 / Mídias Digitais: Panorama Histórico e ConceiitualApostila 01 / Mídias Digitais: Panorama Histórico e Conceiitual
Apostila 01 / Mídias Digitais: Panorama Histórico e Conceiitual
 
Estudo sobre a fase mobile
Estudo sobre a fase mobile Estudo sobre a fase mobile
Estudo sobre a fase mobile
 
TDC2017 | São Paulo - Trilha Inovações How we figured out we had a SRE team a...
TDC2017 | São Paulo - Trilha Inovações How we figured out we had a SRE team a...TDC2017 | São Paulo - Trilha Inovações How we figured out we had a SRE team a...
TDC2017 | São Paulo - Trilha Inovações How we figured out we had a SRE team a...
 
Apresentação Tecnologia no Terceiro Setor OAB set 2013
Apresentação Tecnologia no Terceiro Setor OAB set 2013Apresentação Tecnologia no Terceiro Setor OAB set 2013
Apresentação Tecnologia no Terceiro Setor OAB set 2013
 
Seminario Mcmm 27nov
Seminario Mcmm 27novSeminario Mcmm 27nov
Seminario Mcmm 27nov
 
Seminario mcmm nov13
Seminario mcmm nov13Seminario mcmm nov13
Seminario mcmm nov13
 
O Uso da Inteligência Coletiva nas Empresas
O Uso da Inteligência Coletiva nas EmpresasO Uso da Inteligência Coletiva nas Empresas
O Uso da Inteligência Coletiva nas Empresas
 
Artigo redes sociais
Artigo redes sociaisArtigo redes sociais
Artigo redes sociais
 
Tecnologia para o terceiro setor Julho 2013
Tecnologia para o terceiro setor Julho 2013Tecnologia para o terceiro setor Julho 2013
Tecnologia para o terceiro setor Julho 2013
 
Instrumentos úteis para doadores e Organizações da Sociedade Civil: Monitoriz...
Instrumentos úteis para doadores e Organizações da Sociedade Civil: Monitoriz...Instrumentos úteis para doadores e Organizações da Sociedade Civil: Monitoriz...
Instrumentos úteis para doadores e Organizações da Sociedade Civil: Monitoriz...
 
Seminario_mcmm_ua_12nov_marga
Seminario_mcmm_ua_12nov_margaSeminario_mcmm_ua_12nov_marga
Seminario_mcmm_ua_12nov_marga
 
Congresso PGQP Negócios Colaborativos
Congresso PGQP  Negócios ColaborativosCongresso PGQP  Negócios Colaborativos
Congresso PGQP Negócios Colaborativos
 
Novas Tecnologias e as mudanças no mercado
Novas Tecnologias e as mudanças no mercadoNovas Tecnologias e as mudanças no mercado
Novas Tecnologias e as mudanças no mercado
 
Decifra-me ou te Devoro: Mobilidade e a Segurança da Informação
Decifra-me ou te Devoro: Mobilidade e a Segurança da InformaçãoDecifra-me ou te Devoro: Mobilidade e a Segurança da Informação
Decifra-me ou te Devoro: Mobilidade e a Segurança da Informação
 
O case IBM 2011
O case IBM 2011O case IBM 2011
O case IBM 2011
 
ESARH - construção e gestão do conhecimento
ESARH - construção e gestão do conhecimentoESARH - construção e gestão do conhecimento
ESARH - construção e gestão do conhecimento
 
Inteligência Coletiva
Inteligência ColetivaInteligência Coletiva
Inteligência Coletiva
 
Cenario das Plataformas Corporativas de Software Social
Cenario das Plataformas Corporativas de Software SocialCenario das Plataformas Corporativas de Software Social
Cenario das Plataformas Corporativas de Software Social
 
Vocimo.redes.sociais.corporativas.v01
Vocimo.redes.sociais.corporativas.v01Vocimo.redes.sociais.corporativas.v01
Vocimo.redes.sociais.corporativas.v01
 
Marco Conceitual - Social Good Brasil
Marco Conceitual - Social Good BrasilMarco Conceitual - Social Good Brasil
Marco Conceitual - Social Good Brasil
 

Semelhante a Novas técnicas organizacionais e as tecnologias aceleradas

ProIndústria 2017 - A05 - Como inserir a experiência do usuário no desenvolvi...
ProIndústria 2017 - A05 - Como inserir a experiência do usuário no desenvolvi...ProIndústria 2017 - A05 - Como inserir a experiência do usuário no desenvolvi...
ProIndústria 2017 - A05 - Como inserir a experiência do usuário no desenvolvi...CADWARE-TECHNOLOGY
 
Gestão do Conhecimento e Redes Sociais na Cultura Digital
Gestão do Conhecimento e Redes Sociais na Cultura DigitalGestão do Conhecimento e Redes Sociais na Cultura Digital
Gestão do Conhecimento e Redes Sociais na Cultura DigitalMariana Tavernari
 
Gestão do Conhecimento e Redes Sociais na cultura digital: como os mundos da ...
Gestão do Conhecimento e Redes Sociais na cultura digital: como os mundos da ...Gestão do Conhecimento e Redes Sociais na cultura digital: como os mundos da ...
Gestão do Conhecimento e Redes Sociais na cultura digital: como os mundos da ...Daniela Senador
 
Apresentação TechSoup NGO Day curitiba 2014
Apresentação TechSoup NGO Day curitiba 2014Apresentação TechSoup NGO Day curitiba 2014
Apresentação TechSoup NGO Day curitiba 2014Valter Cegal
 
FSB Trocas - Hakeamos silvio meira
FSB Trocas - Hakeamos silvio meira FSB Trocas - Hakeamos silvio meira
FSB Trocas - Hakeamos silvio meira Rizzo Miranda
 
Fsb Trocas Silvio Meira
Fsb Trocas Silvio Meira Fsb Trocas Silvio Meira
Fsb Trocas Silvio Meira Marcos Trindade
 
Fsb interna-fsbtrocas-silviomeira1-200701225351
Fsb interna-fsbtrocas-silviomeira1-200701225351Fsb interna-fsbtrocas-silviomeira1-200701225351
Fsb interna-fsbtrocas-silviomeira1-200701225351Marcella Brum
 
Redes Sociais e empresas: negócios, publicidade e tecnologia
Redes Sociais e empresas: negócios, publicidade e tecnologiaRedes Sociais e empresas: negócios, publicidade e tecnologia
Redes Sociais e empresas: negócios, publicidade e tecnologiaW. Gabriel de Oliveira
 
Qual o papel do ux na transformação digital?
Qual o papel do ux na transformação digital?Qual o papel do ux na transformação digital?
Qual o papel do ux na transformação digital?Rafael Burity
 
10 tendências que comprovam que a frase "sou de humanas" irá sumir
10 tendências que comprovam que a frase "sou de humanas" irá sumir10 tendências que comprovam que a frase "sou de humanas" irá sumir
10 tendências que comprovam que a frase "sou de humanas" irá sumirKaique Oliveira
 
I Seminário Big Data Brasil
I Seminário Big Data BrasilI Seminário Big Data Brasil
I Seminário Big Data BrasilMarcos CAVALCANTI
 
ABC Data Talks - Paper
ABC Data Talks - PaperABC Data Talks - Paper
ABC Data Talks - PaperGrupoABC
 
Relationship Capital for Innovation - May 2015 Russell presentation
Relationship Capital for Innovation - May 2015 Russell presentationRelationship Capital for Innovation - May 2015 Russell presentation
Relationship Capital for Innovation - May 2015 Russell presentationMartha Russell
 
iCustomer Comitê de Ouvidoria
iCustomer Comitê de OuvidoriaiCustomer Comitê de Ouvidoria
iCustomer Comitê de OuvidoriaBruno Alves
 
Comitê de Ouvidoria - Abrarec
Comitê de Ouvidoria - AbrarecComitê de Ouvidoria - Abrarec
Comitê de Ouvidoria - AbrarecBruno Alves
 
Tendências e Inovação - Comitê de Ouvidorias ABRAREC
Tendências e Inovação - Comitê de Ouvidorias ABRARECTendências e Inovação - Comitê de Ouvidorias ABRAREC
Tendências e Inovação - Comitê de Ouvidorias ABRARECiCustomer
 

Semelhante a Novas técnicas organizacionais e as tecnologias aceleradas (20)

ProIndústria 2017 - A05 - Como inserir a experiência do usuário no desenvolvi...
ProIndústria 2017 - A05 - Como inserir a experiência do usuário no desenvolvi...ProIndústria 2017 - A05 - Como inserir a experiência do usuário no desenvolvi...
ProIndústria 2017 - A05 - Como inserir a experiência do usuário no desenvolvi...
 
Gestão do Conhecimento e Redes Sociais na Cultura Digital
Gestão do Conhecimento e Redes Sociais na Cultura DigitalGestão do Conhecimento e Redes Sociais na Cultura Digital
Gestão do Conhecimento e Redes Sociais na Cultura Digital
 
Gestão do Conhecimento e Redes Sociais na cultura digital: como os mundos da ...
Gestão do Conhecimento e Redes Sociais na cultura digital: como os mundos da ...Gestão do Conhecimento e Redes Sociais na cultura digital: como os mundos da ...
Gestão do Conhecimento e Redes Sociais na cultura digital: como os mundos da ...
 
A.I Inteligência Artificial
A.I Inteligência ArtificialA.I Inteligência Artificial
A.I Inteligência Artificial
 
Dayana222
Dayana222Dayana222
Dayana222
 
Apresentação TechSoup NGO Day curitiba 2014
Apresentação TechSoup NGO Day curitiba 2014Apresentação TechSoup NGO Day curitiba 2014
Apresentação TechSoup NGO Day curitiba 2014
 
tendencias 2.pptx
tendencias 2.pptxtendencias 2.pptx
tendencias 2.pptx
 
FSB Trocas - Hakeamos silvio meira
FSB Trocas - Hakeamos silvio meira FSB Trocas - Hakeamos silvio meira
FSB Trocas - Hakeamos silvio meira
 
Fsb Trocas Silvio Meira
Fsb Trocas Silvio Meira Fsb Trocas Silvio Meira
Fsb Trocas Silvio Meira
 
Fsb interna-fsbtrocas-silviomeira1-200701225351
Fsb interna-fsbtrocas-silviomeira1-200701225351Fsb interna-fsbtrocas-silviomeira1-200701225351
Fsb interna-fsbtrocas-silviomeira1-200701225351
 
Redes Sociais e empresas: negócios, publicidade e tecnologia
Redes Sociais e empresas: negócios, publicidade e tecnologiaRedes Sociais e empresas: negócios, publicidade e tecnologia
Redes Sociais e empresas: negócios, publicidade e tecnologia
 
Qual o papel do ux na transformação digital?
Qual o papel do ux na transformação digital?Qual o papel do ux na transformação digital?
Qual o papel do ux na transformação digital?
 
10 tendências que comprovam que a frase "sou de humanas" irá sumir
10 tendências que comprovam que a frase "sou de humanas" irá sumir10 tendências que comprovam que a frase "sou de humanas" irá sumir
10 tendências que comprovam que a frase "sou de humanas" irá sumir
 
I Seminário Big Data Brasil
I Seminário Big Data BrasilI Seminário Big Data Brasil
I Seminário Big Data Brasil
 
Encontro SBGC - GESTÃO DO CONHECIMENTO E DA INFORMAÇÃO
 Encontro SBGC - GESTÃO DO CONHECIMENTO E DA INFORMAÇÃO Encontro SBGC - GESTÃO DO CONHECIMENTO E DA INFORMAÇÃO
Encontro SBGC - GESTÃO DO CONHECIMENTO E DA INFORMAÇÃO
 
ABC Data Talks - Paper
ABC Data Talks - PaperABC Data Talks - Paper
ABC Data Talks - Paper
 
Relationship Capital for Innovation - May 2015 Russell presentation
Relationship Capital for Innovation - May 2015 Russell presentationRelationship Capital for Innovation - May 2015 Russell presentation
Relationship Capital for Innovation - May 2015 Russell presentation
 
iCustomer Comitê de Ouvidoria
iCustomer Comitê de OuvidoriaiCustomer Comitê de Ouvidoria
iCustomer Comitê de Ouvidoria
 
Comitê de Ouvidoria - Abrarec
Comitê de Ouvidoria - AbrarecComitê de Ouvidoria - Abrarec
Comitê de Ouvidoria - Abrarec
 
Tendências e Inovação - Comitê de Ouvidorias ABRAREC
Tendências e Inovação - Comitê de Ouvidorias ABRARECTendências e Inovação - Comitê de Ouvidorias ABRAREC
Tendências e Inovação - Comitê de Ouvidorias ABRAREC
 

Mais de ANGRAD

Carreira e Pós-Graduação Stricto Sensu
Carreira e Pós-Graduação Stricto SensuCarreira e Pós-Graduação Stricto Sensu
Carreira e Pós-Graduação Stricto SensuANGRAD
 
ENANGRAD 2018 - ENADE
ENANGRAD 2018 - ENADEENANGRAD 2018 - ENADE
ENANGRAD 2018 - ENADEANGRAD
 
Como o poder da visão e inteligência artificial pode trazer inclusão ao ambie...
Como o poder da visão e inteligência artificial pode trazer inclusão ao ambie...Como o poder da visão e inteligência artificial pode trazer inclusão ao ambie...
Como o poder da visão e inteligência artificial pode trazer inclusão ao ambie...ANGRAD
 
Conduzindo pesquisa científica em jogos de empresas
Conduzindo pesquisa científica em jogos de empresasConduzindo pesquisa científica em jogos de empresas
Conduzindo pesquisa científica em jogos de empresasANGRAD
 
Assurance of Learning - The ECU Story
Assurance of Learning - The ECU StoryAssurance of Learning - The ECU Story
Assurance of Learning - The ECU StoryANGRAD
 
Gestão da evasão na EAD: discussão a partir de um modelo preditivo
Gestão da evasão na EAD: discussão a partir de um modelo preditivoGestão da evasão na EAD: discussão a partir de um modelo preditivo
Gestão da evasão na EAD: discussão a partir de um modelo preditivoANGRAD
 
Estado da Arte da EAD
Estado da Arte da EADEstado da Arte da EAD
Estado da Arte da EADANGRAD
 
ENANGRAD 2018 - Acreditação Internacional
ENANGRAD 2018 - Acreditação InternacionalENANGRAD 2018 - Acreditação Internacional
ENANGRAD 2018 - Acreditação InternacionalANGRAD
 
ENANGRAD 2019 - Apresentação ANAMBA
ENANGRAD 2019 - Apresentação ANAMBAENANGRAD 2019 - Apresentação ANAMBA
ENANGRAD 2019 - Apresentação ANAMBAANGRAD
 
Oficina sobre os ODS
Oficina sobre os ODSOficina sobre os ODS
Oficina sobre os ODSANGRAD
 
Case prático: filiação e credenciamento da IMED
Case prático: filiação e credenciamento da IMEDCase prático: filiação e credenciamento da IMED
Case prático: filiação e credenciamento da IMEDANGRAD
 
Case: Saint Paul Escola de Negócios
Case: Saint Paul Escola de NegóciosCase: Saint Paul Escola de Negócios
Case: Saint Paul Escola de NegóciosANGRAD
 
Método do Caso como Recurso Pedagógico: Benefícios e Utilização
Método do Caso como Recurso Pedagógico: Benefícios e UtilizaçãoMétodo do Caso como Recurso Pedagógico: Benefícios e Utilização
Método do Caso como Recurso Pedagógico: Benefícios e UtilizaçãoANGRAD
 
O Estudante como protagonista do/no Processo de Aprendizagem
O Estudante como protagonista do/no Processo de AprendizagemO Estudante como protagonista do/no Processo de Aprendizagem
O Estudante como protagonista do/no Processo de AprendizagemANGRAD
 
Sinaes – INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO NAS MODALIDADES PRES...
Sinaes – INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO NAS MODALIDADES PRES...Sinaes – INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO NAS MODALIDADES PRES...
Sinaes – INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO NAS MODALIDADES PRES...ANGRAD
 
Iniciação Científica no Curso de Administração
Iniciação Científica no Curso de AdministraçãoIniciação Científica no Curso de Administração
Iniciação Científica no Curso de AdministraçãoANGRAD
 
Aprendizagem Significativa
Aprendizagem SignificativaAprendizagem Significativa
Aprendizagem SignificativaANGRAD
 
Aprendizagem Significativa em Administração
Aprendizagem Significativa em AdministraçãoAprendizagem Significativa em Administração
Aprendizagem Significativa em AdministraçãoANGRAD
 
5 - Novas Tecnologias e Inovação no Ensino da Administração
5 - Novas Tecnologias e Inovação no Ensino da Administração5 - Novas Tecnologias e Inovação no Ensino da Administração
5 - Novas Tecnologias e Inovação no Ensino da AdministraçãoANGRAD
 
4 - Novas Tecnologias e Inovação no Ensino da Administração
4 - Novas Tecnologias e Inovação no Ensino da Administração4 - Novas Tecnologias e Inovação no Ensino da Administração
4 - Novas Tecnologias e Inovação no Ensino da AdministraçãoANGRAD
 

Mais de ANGRAD (20)

Carreira e Pós-Graduação Stricto Sensu
Carreira e Pós-Graduação Stricto SensuCarreira e Pós-Graduação Stricto Sensu
Carreira e Pós-Graduação Stricto Sensu
 
ENANGRAD 2018 - ENADE
ENANGRAD 2018 - ENADEENANGRAD 2018 - ENADE
ENANGRAD 2018 - ENADE
 
Como o poder da visão e inteligência artificial pode trazer inclusão ao ambie...
Como o poder da visão e inteligência artificial pode trazer inclusão ao ambie...Como o poder da visão e inteligência artificial pode trazer inclusão ao ambie...
Como o poder da visão e inteligência artificial pode trazer inclusão ao ambie...
 
Conduzindo pesquisa científica em jogos de empresas
Conduzindo pesquisa científica em jogos de empresasConduzindo pesquisa científica em jogos de empresas
Conduzindo pesquisa científica em jogos de empresas
 
Assurance of Learning - The ECU Story
Assurance of Learning - The ECU StoryAssurance of Learning - The ECU Story
Assurance of Learning - The ECU Story
 
Gestão da evasão na EAD: discussão a partir de um modelo preditivo
Gestão da evasão na EAD: discussão a partir de um modelo preditivoGestão da evasão na EAD: discussão a partir de um modelo preditivo
Gestão da evasão na EAD: discussão a partir de um modelo preditivo
 
Estado da Arte da EAD
Estado da Arte da EADEstado da Arte da EAD
Estado da Arte da EAD
 
ENANGRAD 2018 - Acreditação Internacional
ENANGRAD 2018 - Acreditação InternacionalENANGRAD 2018 - Acreditação Internacional
ENANGRAD 2018 - Acreditação Internacional
 
ENANGRAD 2019 - Apresentação ANAMBA
ENANGRAD 2019 - Apresentação ANAMBAENANGRAD 2019 - Apresentação ANAMBA
ENANGRAD 2019 - Apresentação ANAMBA
 
Oficina sobre os ODS
Oficina sobre os ODSOficina sobre os ODS
Oficina sobre os ODS
 
Case prático: filiação e credenciamento da IMED
Case prático: filiação e credenciamento da IMEDCase prático: filiação e credenciamento da IMED
Case prático: filiação e credenciamento da IMED
 
Case: Saint Paul Escola de Negócios
Case: Saint Paul Escola de NegóciosCase: Saint Paul Escola de Negócios
Case: Saint Paul Escola de Negócios
 
Método do Caso como Recurso Pedagógico: Benefícios e Utilização
Método do Caso como Recurso Pedagógico: Benefícios e UtilizaçãoMétodo do Caso como Recurso Pedagógico: Benefícios e Utilização
Método do Caso como Recurso Pedagógico: Benefícios e Utilização
 
O Estudante como protagonista do/no Processo de Aprendizagem
O Estudante como protagonista do/no Processo de AprendizagemO Estudante como protagonista do/no Processo de Aprendizagem
O Estudante como protagonista do/no Processo de Aprendizagem
 
Sinaes – INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO NAS MODALIDADES PRES...
Sinaes – INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO NAS MODALIDADES PRES...Sinaes – INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO NAS MODALIDADES PRES...
Sinaes – INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO NAS MODALIDADES PRES...
 
Iniciação Científica no Curso de Administração
Iniciação Científica no Curso de AdministraçãoIniciação Científica no Curso de Administração
Iniciação Científica no Curso de Administração
 
Aprendizagem Significativa
Aprendizagem SignificativaAprendizagem Significativa
Aprendizagem Significativa
 
Aprendizagem Significativa em Administração
Aprendizagem Significativa em AdministraçãoAprendizagem Significativa em Administração
Aprendizagem Significativa em Administração
 
5 - Novas Tecnologias e Inovação no Ensino da Administração
5 - Novas Tecnologias e Inovação no Ensino da Administração5 - Novas Tecnologias e Inovação no Ensino da Administração
5 - Novas Tecnologias e Inovação no Ensino da Administração
 
4 - Novas Tecnologias e Inovação no Ensino da Administração
4 - Novas Tecnologias e Inovação no Ensino da Administração4 - Novas Tecnologias e Inovação no Ensino da Administração
4 - Novas Tecnologias e Inovação no Ensino da Administração
 

Novas técnicas organizacionais e as tecnologias aceleradas

  • 1. Novas técnicas organizacionais e as tecnologias aceleradas e a necessidade de Administração Prof. Dr. Antonio Vico Mañas
  • 2. PROBLEMA E OBJETIVO Importante observar que ainda estamos no início de uma nova era de tecnologias disruptivas.  Na próxima década, as ferramentas de aceleração terão uma utilidade cada vez maior e os efeitos de rede em que “o vencedor leva tudo” lançarão as organizações a alturas jamais alcançadas.  Durante toda essa mudança, você (ADMINISTRADOR) precisa fazer sua empresa evoluir. Se você não criar sua própria disrupção, alguém o fará. Ficar parado, significa a morte.  Para convergir com esse futuro de mudanças exponenciais e digitalização enorme, você precisa mudar a sua organização e para isso você precisa mudar, antes, durante e depois.
  • 3. As organizações  São construídas com base nas tecnologias da informação que desmaterializam o que antes era de natureza física e o transfere ao mundo digital sob demanda.  Passou a ser comum, esse processo de transformação digital. Tudo, equipamentos, sistemas, lojas, universidades, veículos...  A Lei de Moore, com seus sessenta anos, afirma que “relação preço/desempenho da computação dobraria a cada dezoito meses”
  • 4. Ray Kurzweil  Como futurista, estudou esse fenômeno – ritmo constante, extraordinário, e aparentemente impossível, por trinta anos e fez quatro observações originais: Esta Foto de Autor Desconhecido está licenciado em CC BY-NC-ND
  • 5. 1-  O padrão de duplicação identificado por Gordon Moore em circuitos integrados se aplica a qualquer tecnologia da informação. Kurzweil chama isso de Lei dos retornos Acelerados (LOAR) e mostra que os padrões de duplicação na computação podem ser observados desde 1900, muito antes da proposição de Moore.
  • 6. 2-  O propulsor que impulsiona esse fenômeno é a informação. Uma vez que todo domínio, disciplina, tecnologia ou setor é habilitado para informação e alimentado por fluxos de informação, sua relação preço/desempenho começa a dobrar aproximadamente a cada ano.
  • 7. 3-  Uma vez que o padrão de duplicação é iniciado, ele não para. Usam-se computadores atuais para projetar computadores mais rápidos, que por sua vez constroem computadores mais rápidos, e assim por diante.
  • 8. 4-  Atualmente, várias tecnologias-chave são habilitadas para informação e seguem a mesma trajetória. Essas tecnologias incluem a inteligência artificial (IA), robótica, biotecnologia e bioinformática, medicina, neurociência, ciência de dados, impressão 3D, nanotecnologia e até mesmo certos aspectos da energia.
  • 9. Nunca na história  Da humanidade se viu tantas tecnologias avançando nesse ritmo.  E agora que estamos habilitando tudo para informação, os efeitos da Lei de Retornos Acelerados de Kurzweil certamente serão profundos. Esta Foto de Autor Desconhecido está licenciado em CC BY-NC-ND
  • 10. Enquanto isso...  As tecnologias vão se entrelaçando (por exemplo, o uso de algoritmos de IA de aprendizado profundo para analisar exames de câncer), o ritmo da inovação acelera ainda mais,  E cada intersecção de tecnologia acrescenta mais um multiplicador para a equação. Esta Foto de Autor Desconhecido está licenciado em CC BY-NC-SA
  • 11. Tecnologias Inovadoras  Sensores e a internet das coisas;  Inteligência Artificial, ciência e análise de dados (analytics);  Realidade virtual/aumentada;  Bitcoin e cadeia de bloco (block chain);  Neurofeedback;  Conhecimento perfeito;  Mundos virtuais;  Impressão 3D;  Disrupção dos sistemas de pagamento;  Veículos autônomos.
  • 12. IMPLICAÇÕES NAS ORGANIZAÇÕES  A INFORMAÇÃO ACELERA TUDO;  A CORRIDA PARA DESMONETIZAÇÃO;  A DISRUPÇÃO É A NOVA NORMA;  CUIDADO COM O “ESPECIALISTA”;  MORTE AO PLANO QUINQUENAL;  O MENOR VENCE O MAIOR (OU TAMANHO É DOCUMENTO MAS NÃO COMO VOCÊ ESTÁ PENSANDO);  ALUGUE, NÃO POSSUA;  A CONFIANÇA VENCE O CONTROLE E O ABERTO VENCE O FECHADO;  TUDO É MENSURÁVEL E QUALQUER COISA É CONHECÍVEL;  TORNE SUA ORGANIZAÇÃO EXPONENCIAL; E QUANTO?
  • 13. OUTRAS QUESTÕES: EMPREGOS E A ECONOMIA DA ESCASSEZ À ABUNDÂNCIA Esta Foto de Autor Desconhecido está licenciado em CC BY-ND
  • 14. ORGANIZAÇÃO EXPONENCIAL É aquela cujo impacto (ou resultado) é desproporcionalmente grande – pelo menos dez vezes maior – comparado ao de seus pares, devido ao uso de novas técnicas organizacionais que alavancam as tecnologias aceleradas. Salim Ismail; Michael S. Malone; Yuri Van Geest – Singulaty University
  • 15. O administrador E as novas técnicas organizacionais e as tecnologias aceleradas. Esta Foto de Autor Desconhecido está licenciado em CC BY
  • 16. A organização e a solução para suas necessidades  Pessoas (Recursos Humanos) e Gestão de Ativos;  Comunidade e Multidão;  Engajamento da Comunidade e Multidão;  Capacitação Social e de Informação;  Dados e Algoritmos;  Autonomia e Descentralização;  Tecnologias Sociais e Empreendedorismo. 7 x 21 questões
  • 17. A organização e a solução para suas necessidades Pessoas (Recursos Humanos) e Gestão de Ativos;  Comunidade e Multidão;  Engajamento da Comunidade e Multidão;  Capacitação Social e de Informação;  Dados e Algoritmos;  Autonomia e Descentralização;  Tecnologias Sociais e Empreendedorismo.
  • 18. PESSOAS E GESTÃO DE ATIVOS 1) Até que ponto a organização utiliza colaboradores de tempo integral vs. prestadores de serviços sob demanda? 2) Até que ponto são alavancados recursos externos para executar funções de negócios? 3) Até que ponto a organização possui vs. aluga os ativos em sua organização? 3
  • 19. A organização e a solução para suas necessidades  Pessoas (Recursos Humanos) e Gestão de Ativos; Comunidade e Multidão;  Engajamento da Comunidade e Multidão;  Capacitação Social e de Informação;  Dados e Algoritmos;  Autonomia e Descentralização;  Tecnologias Sociais e Empreendedorismo.
  • 20. Comunidade e Multidão 1- Até que ponto se gerencia e interage com sua comunidade (usuários, clientes, parceiros, fãs)? 2- Como o administrador e sua organização se engaja na sua comunidade? 2
  • 21. A organização e a solução para suas necessidades  Pessoas (Recursos Humanos) e Gestão de Ativos;  Comunidade e Multidão; Engajamento da Comunidade e Multidão;  Capacitação Social e de Informação;  Dados e Algoritmos;  Autonomia e Descentralização;  Tecnologias Sociais e Empreendedorismo.
  • 22. ENGAJAMENTO DA COMUNIDADE E MULTIDÃO 1) É convertida ativamente “A MULTIDÃO” (público em geral) em membros da comunidade? 2) Até que se usa a gamificação ou os concursos de inventivo? 2
  • 23. A organização e a solução para suas necessidades  Pessoas (Recursos Humanos) e Gestão de Ativos;  Comunidade e Multidão;  Engajamento da Comunidade e Multidão; Capacitação Social e de Informação;  Dados e Algoritmos;  Autonomia e Descentralização;  Tecnologias Sociais e Empreendedorismo.
  • 24. CAPACITAÇÃO SOCIAL E DE INFORMAÇÃO 1) Até que ponto seus produtos/serviços/ processos são baseados em informação; 2) até que ponto a funcionalidade social e a colaboração são elemento central de seus produtos/serviço/processo? 2
  • 25. A organização e a solução para suas necessidades  Pessoas (Recursos Humanos) e Gestão de Ativos;  Comunidade e Multidão;  Engajamento da Comunidade e Multidão;  Capacitação Social e de Informação; Dados e Algoritmos;  Autonomia e Descentralização;  Tecnologias Sociais e Empreendedorismo.
  • 26. DADOS E ALGORITMOS 1) Até que ponto se usa algoritmos e aprendizado de máquina para tomar decisões relevantes? 2) São compartilhados ativos de dados estratégicos internamente na empresa ou os expõe externamente à sua comunidade? 3) Possui processos especializados para gerenciar o resultado das externalidades em sua organização interna? (por externalidade, referimos-nos a staff sob demanda, comunidade/multidão, algoritmos, ativos alavancados, engajamento). 4) Os processos-chave externos à sua organização principal são replicáveis e escaláveis? 8
  • 27. DADOS E ALGORITMOS 5) Quais métricas são utilizadas para monitorar sua organização e seu portfólio de inovação de produtos? (por exemplo, o Lean Startup Analytics). 6) Utilizam-se variantes (alguma)dos objetivos e resultados-chave para acompanhar o desempenho dos indivíduos/equipes? 7) Sua organização constantemente otimiza processos via experimentação, testes e ciclos de feedback curtos? (Por exemplo, a metodologia da startup enxuta). 8) Até que ponto são toleradas falhas e incentivada a tomada de riscos?
  • 28. A organização e a solução para suas necessidades  Pessoas (Recursos Humanos) e Gestão de Ativos;  Comunidade e Multidão;  Engajamento da Comunidade e Multidão;  Capacitação Social e de Informação;  Dados e Algoritmos; Autonomia e Descentralização;  Tecnologias Sociais e Empreendedorismo.
  • 29. AUTONOMIA E DESCENTRALIZAÇÃO 1) Sua organização opera com grandes estruturas hierárquicas ou equipes pequenas, auto-organizáveis e multidisciplinares? 2) Até que ponto a autoridade/tomada de decisão é descentralizada? 2
  • 30. A organização e a solução para suas necessidades  Pessoas (Recursos Humanos) e Gestão de Ativos;  Comunidade e Multidão;  Engajamento da Comunidade e Multidão;  Capacitação Social e de Informação;  Dados e Algoritmos;  Autonomia e Descentralização; Tecnologias Sociais e Empreendedorismo.
  • 31. TECNOLOGIAS SOCIAIS E EMPREENDEDORISMO 1) Usam-se ferramentas sociais avançadas para o compartilhamento de conhecimento, comunicação, coordenação e/ou colaboração (por exemplo, Google, Drive, Asana, RedBooth, Dropbox, Yammer, Chatter, Evernote)?  2) Qual é a natureza da sua missão ou propósito organizacional? 2
  • 32. Considerações Finais  Quatro níveis de convergência que se revelam para o futuro próximo:  Aceleração contínua de tecnologias específicas que pegam carona com a computação.  A convergência dessas tecnologias – a intersecção de redes, IA e impressão 3D permitirá a qualquer pessoa descrever seus pensamentos.  O número de pessoas conectadas digitalmente no planeta, em dois ou três anos saltará de 2 para 5 bilhões, essas mais três bilhões de pessoas estarão capacitadas totalmente a usar tecnologias desmaterializadas, desmonetizadas e democratizadas.  A taxa de inovação na Terra aumenta como resultado direto da concentração de pessoas nas cidades.