SlideShare uma empresa Scribd logo

Arte das esculturas

1 de 14
DISCIPLINA: ARTE
 http://simonehelendrumond.blogspot.com
Colaboração: Maria Aparecida Sartori Barbosa
Esculturas em papel: do plano ao
                                                       O que o aluno poderá
volume                                                 aprender com esta aula:
                                                        Ampliar a percepção do
                                                          espaço e as noções de
                                                          interno e externo nos
                                                       objetos tridimensionais ;
                                                          Transformar formas
 Duração das atividades                                planificadas em formas com
 03 aulas                                                      relevo;
                                                        Produzir esculturas em
 Conhecimentos prévios trabalhados pelo                  papel a partir de formas
 professor com o aluno                                        quadrangulares,
 Saber fazer dobras com vinco no papel;                retangulares e triangulares,
                                                                    etc.
 Diferenciar suporte bidimensional de
 tridimensional;

 Conhecer formas geométricas e orgânicas.

                                                        DISCIPLINA: ARTE
                                             http://simonehelendrumond.blogspot.com
                                            Colaboração: Maria Aparecida Sartori Barbosa
Escola: ______________________________________________________________
 Professor (a): _________________________________________________________
 Série: ______________________________________________ Data ........./......../......
                    PLANEJAMENTO: ARTE DAS ESCULTURAS TRIDIMENSIONAIS
                           http://simonehelendrumond.blogspot.com

  CONTEÚDO                      Esculturas em papel: do plano ao volume
 OBJETIVO (S)        Compreender por meio da mediação, como é possível, ampliar a
                   percepção do espaço e as noções de interno e externo nos objetos
                   tridimensionais .
                    Compreender o processo de transformação das formas planificadas em
                   formas com relevo.
                      Diferenciar suporte bidimensional de tridimensional;
                      Conhecer formas geométricas e orgânicas
PROCEDIMENTO Conversa informal.
METODOLOGICO Apresentação do slide explicativo do contexto em estudo.
                   Produzir esculturas em papel a partir de formas quadrangulares,
                   retangulares e triangulares, etc.
                   Exposição das atividades.
  AVALIAÇÃO        Participação e produção da atividade
 OBSERVAÇÕES
Escola: ______________________________________________________________
 Professor (a): _________________________________________________________
 Série: ______________________________________________ Data ........./......../......
                   PLANEJAMENTO: ARTE DAS ESCULTURAS TRIDIMENSIONAIS
                          http://simonehelendrumond.blogspot.com

 CONTEÚDO
 OBJETIVO (S)




PROCEDIMENTO
METODOLOGICO




 AVALIAÇÃO

OBSERVAÇÕES
Desde os tempos pré-históricos, a
escultura representa importante papel em
todas as civilizações, no antigo Egito, na
Grécia e Roma antiga, na China, na Índia e
na América pré-colombiana.

 Ela desenvolveu-se no Ocidente na época
romântica.                                                No início, sua finalidade
                                                          era essencialmente
                                                          religiosa.




   A escultura profana ou com fins puramente
   estéticos, desenvolveu-se durante o
   Renascimento e expandiu-se plenamente nos
   séculos XVII e XVIII na Europa;
   Os materiais mais tradicionais para trabalhar
   a escultura são o mármore e o bronze e somam-
   se diversos metais como o cobre, o ferro, o
   alumínio.                                                 DISCIPLINA: ARTE
                                                     http://simonehelendrumond.blogspot.com
                                                    Colaboração: Maria Aparecida Sartori Barbosa
No Brasil, até o século XVIII, a
escultura tinha caráter religioso,
sobressaindo as imagens de
barro feitas por frei Agostinho
da Piedade e frei Agostinho de
Jesus.
No século XVIII - Aleijadinho
(profetas de pedra sabão, em
Congonhas do Campo – MG) e
Mestre Valentin (obras do Passeio
Público do Rio de Janeiro).




     No século XX, os maiores destaques
     brasileiros foram: Victor Brecheret,
     Ceschiatti, Bruno Giorgi, Frans
     Weissmann (austríaco, naturalizado
     brasileiro) e Ligia Clark.                         DISCIPLINA: ARTE
                                             http://simonehelendrumond.blogspot.com
                                            Colaboração: Maria Aparecida Sartori Barbosa

Recomendados

Slides sobre Escultura (simples) para o 9º ano
Slides sobre Escultura (simples) para o 9º anoSlides sobre Escultura (simples) para o 9º ano
Slides sobre Escultura (simples) para o 9º anoCristina Ramos
 
Guia de aprendizagem arte
Guia de aprendizagem   arteGuia de aprendizagem   arte
Guia de aprendizagem arteLANCIATIAGO
 
O que é arte?!
O que é arte?!O que é arte?!
O que é arte?!Mary Lopes
 
Aula 13 historia da arte.
Aula 13 historia da arte.Aula 13 historia da arte.
Aula 13 historia da arte.Rafael Serra
 
Arte Indígena Brasileira
Arte Indígena BrasileiraArte Indígena Brasileira
Arte Indígena BrasileiraAndrea Dressler
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Artes Visuais
Artes VisuaisArtes Visuais
Artes Visuais
 
Desenho Modalidades 7ª SéRie
Desenho   Modalidades   7ª SéRieDesenho   Modalidades   7ª SéRie
Desenho Modalidades 7ª SéRie
 
O que é a arte
O que é a arteO que é a arte
O que é a arte
 
Mosaico
MosaicoMosaico
Mosaico
 
Textura aula 7 ano- CBG
Textura  aula 7 ano- CBGTextura  aula 7 ano- CBG
Textura aula 7 ano- CBG
 
Arte Rupestre
Arte Rupestre Arte Rupestre
Arte Rupestre
 
DEFINIÇÕES DE ARTE
DEFINIÇÕES DE ARTEDEFINIÇÕES DE ARTE
DEFINIÇÕES DE ARTE
 
Elementos visuais
Elementos visuaisElementos visuais
Elementos visuais
 
Arte indígena
Arte indígenaArte indígena
Arte indígena
 
Elementos visuais I
Elementos visuais IElementos visuais I
Elementos visuais I
 
Arte egípcia
Arte egípciaArte egípcia
Arte egípcia
 
Elementos fundamentais da linguagem visual
Elementos fundamentais da linguagem visualElementos fundamentais da linguagem visual
Elementos fundamentais da linguagem visual
 
Arte pre historia
Arte pre historiaArte pre historia
Arte pre historia
 
Texturas
TexturasTexturas
Texturas
 
Música
MúsicaMúsica
Música
 
Arte Rupestre
Arte RupestreArte Rupestre
Arte Rupestre
 
História da Arte
História da ArteHistória da Arte
História da Arte
 
Linguagem da Arte
Linguagem da ArteLinguagem da Arte
Linguagem da Arte
 
Artes visuais e seus elementos visuais
Artes visuais e seus elementos visuaisArtes visuais e seus elementos visuais
Artes visuais e seus elementos visuais
 
Teoria das cores
Teoria das coresTeoria das cores
Teoria das cores
 

Semelhante a Arte das esculturas

A ARTE E SEUS CAMINHOS: UM PANORAMA DOS PROBLEMAS RELACIONADOS AO MEIO AMBIEN...
A ARTE E SEUS CAMINHOS: UM PANORAMA DOS PROBLEMAS RELACIONADOS AO MEIO AMBIEN...A ARTE E SEUS CAMINHOS: UM PANORAMA DOS PROBLEMAS RELACIONADOS AO MEIO AMBIEN...
A ARTE E SEUS CAMINHOS: UM PANORAMA DOS PROBLEMAS RELACIONADOS AO MEIO AMBIEN...Vis-UAB
 
Portifolio História de Coisas, Artes e Ofícios
Portifolio História de Coisas, Artes e OfíciosPortifolio História de Coisas, Artes e Ofícios
Portifolio História de Coisas, Artes e OfíciosPatricia Almeida Ashley
 
ARTES VISUAIS: LEITURA DE IMAGEM E A APURAÇÃO DO OLHAR PARA O ENSINO DA ARTE
ARTES VISUAIS: LEITURA DE IMAGEM E A APURAÇÃO DO OLHAR PARA O ENSINO DA ARTEARTES VISUAIS: LEITURA DE IMAGEM E A APURAÇÃO DO OLHAR PARA O ENSINO DA ARTE
ARTES VISUAIS: LEITURA DE IMAGEM E A APURAÇÃO DO OLHAR PARA O ENSINO DA ARTEVis-UAB
 
Planejamentodeoutubroporsimonehelendrumond 100928205104-phpapp02
Planejamentodeoutubroporsimonehelendrumond 100928205104-phpapp02Planejamentodeoutubroporsimonehelendrumond 100928205104-phpapp02
Planejamentodeoutubroporsimonehelendrumond 100928205104-phpapp02Ana Vasconcelos
 
Tcc 2015 arianne de lima
Tcc 2015 arianne de limaTcc 2015 arianne de lima
Tcc 2015 arianne de limaAcervo_DAC
 
Plano de aula
 Plano de aula Plano de aula
Plano de aulamabrigato
 
TÉCNICAS DE PINTURAS: USOS E POSSIBILIDADES EM AULAS DE ARTES, NO ENSINO FUND...
TÉCNICAS DE PINTURAS: USOS E POSSIBILIDADES EM AULAS DE ARTES, NO ENSINO FUND...TÉCNICAS DE PINTURAS: USOS E POSSIBILIDADES EM AULAS DE ARTES, NO ENSINO FUND...
TÉCNICAS DE PINTURAS: USOS E POSSIBILIDADES EM AULAS DE ARTES, NO ENSINO FUND...Vis-UAB
 
Webquest na aula de POSTIC
Webquest na aula de POSTICWebquest na aula de POSTIC
Webquest na aula de POSTICFlaviana Coimbra
 
Proposições e Estudos na Visualidade - Provocando Arte
Proposições e Estudos na Visualidade - Provocando ArteProposições e Estudos na Visualidade - Provocando Arte
Proposições e Estudos na Visualidade - Provocando ArteRose Silva
 
Projeto interdisciplinar artes
Projeto interdisciplinar artesProjeto interdisciplinar artes
Projeto interdisciplinar artesJúlia Gama
 
Projeto interdisciplinar artes grupo sol
Projeto interdisciplinar artes grupo solProjeto interdisciplinar artes grupo sol
Projeto interdisciplinar artes grupo solJúlia Gama
 
Proposta Fanzine Articentro Cabe Na Cabeca Edicao 00
Proposta Fanzine Articentro Cabe Na Cabeca Edicao 00Proposta Fanzine Articentro Cabe Na Cabeca Edicao 00
Proposta Fanzine Articentro Cabe Na Cabeca Edicao 00Projeto Oficina de Pintura
 

Semelhante a Arte das esculturas (20)

A ARTE E SEUS CAMINHOS: UM PANORAMA DOS PROBLEMAS RELACIONADOS AO MEIO AMBIEN...
A ARTE E SEUS CAMINHOS: UM PANORAMA DOS PROBLEMAS RELACIONADOS AO MEIO AMBIEN...A ARTE E SEUS CAMINHOS: UM PANORAMA DOS PROBLEMAS RELACIONADOS AO MEIO AMBIEN...
A ARTE E SEUS CAMINHOS: UM PANORAMA DOS PROBLEMAS RELACIONADOS AO MEIO AMBIEN...
 
Portifolio História de Coisas, Artes e Ofícios
Portifolio História de Coisas, Artes e OfíciosPortifolio História de Coisas, Artes e Ofícios
Portifolio História de Coisas, Artes e Ofícios
 
ARTES VISUAIS: LEITURA DE IMAGEM E A APURAÇÃO DO OLHAR PARA O ENSINO DA ARTE
ARTES VISUAIS: LEITURA DE IMAGEM E A APURAÇÃO DO OLHAR PARA O ENSINO DA ARTEARTES VISUAIS: LEITURA DE IMAGEM E A APURAÇÃO DO OLHAR PARA O ENSINO DA ARTE
ARTES VISUAIS: LEITURA DE IMAGEM E A APURAÇÃO DO OLHAR PARA O ENSINO DA ARTE
 
Serigrafia apresentação
Serigrafia apresentaçãoSerigrafia apresentação
Serigrafia apresentação
 
Planejamentodeoutubroporsimonehelendrumond 100928205104-phpapp02
Planejamentodeoutubroporsimonehelendrumond 100928205104-phpapp02Planejamentodeoutubroporsimonehelendrumond 100928205104-phpapp02
Planejamentodeoutubroporsimonehelendrumond 100928205104-phpapp02
 
Sequencia didatica arte
Sequencia didatica arteSequencia didatica arte
Sequencia didatica arte
 
Tarefa3 2018 2-robsonlima
Tarefa3 2018 2-robsonlimaTarefa3 2018 2-robsonlima
Tarefa3 2018 2-robsonlima
 
Tcc 2015 arianne de lima
Tcc 2015 arianne de limaTcc 2015 arianne de lima
Tcc 2015 arianne de lima
 
Giceli
GiceliGiceli
Giceli
 
cnceito de ARTE.pptx
cnceito de ARTE.pptxcnceito de ARTE.pptx
cnceito de ARTE.pptx
 
Plano de aula
 Plano de aula Plano de aula
Plano de aula
 
TÉCNICAS DE PINTURAS: USOS E POSSIBILIDADES EM AULAS DE ARTES, NO ENSINO FUND...
TÉCNICAS DE PINTURAS: USOS E POSSIBILIDADES EM AULAS DE ARTES, NO ENSINO FUND...TÉCNICAS DE PINTURAS: USOS E POSSIBILIDADES EM AULAS DE ARTES, NO ENSINO FUND...
TÉCNICAS DE PINTURAS: USOS E POSSIBILIDADES EM AULAS DE ARTES, NO ENSINO FUND...
 
Webquest na aula de POSTIC
Webquest na aula de POSTICWebquest na aula de POSTIC
Webquest na aula de POSTIC
 
Projeto de arte
Projeto de arteProjeto de arte
Projeto de arte
 
Proposições e Estudos na Visualidade - Provocando Arte
Proposições e Estudos na Visualidade - Provocando ArteProposições e Estudos na Visualidade - Provocando Arte
Proposições e Estudos na Visualidade - Provocando Arte
 
Graffiti e a arte do muro
Graffiti e a arte do muroGraffiti e a arte do muro
Graffiti e a arte do muro
 
Projeto interdisciplinar artes
Projeto interdisciplinar artesProjeto interdisciplinar artes
Projeto interdisciplinar artes
 
Projeto interdisciplinar artes grupo sol
Projeto interdisciplinar artes grupo solProjeto interdisciplinar artes grupo sol
Projeto interdisciplinar artes grupo sol
 
Proposta Fanzine Articentro Cabe Na Cabeca Edicao 00
Proposta Fanzine Articentro Cabe Na Cabeca Edicao 00Proposta Fanzine Articentro Cabe Na Cabeca Edicao 00
Proposta Fanzine Articentro Cabe Na Cabeca Edicao 00
 
Arte 1
Arte   1Arte   1
Arte 1
 

Mais de SimoneHelenDrumond

CARTAS LEGOS FORMANDO PALAVRAS SHDI.pdf
CARTAS LEGOS  FORMANDO PALAVRAS SHDI.pdfCARTAS LEGOS  FORMANDO PALAVRAS SHDI.pdf
CARTAS LEGOS FORMANDO PALAVRAS SHDI.pdfSimoneHelenDrumond
 
BLOCO 1 DE ATIVIDADES DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS.pdf
BLOCO 1 DE ATIVIDADES DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS.pdfBLOCO 1 DE ATIVIDADES DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS.pdf
BLOCO 1 DE ATIVIDADES DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS.pdfSimoneHelenDrumond
 
ATIVIDADES PARA CADERNO PEQUENO 1A.pdf
ATIVIDADES PARA CADERNO PEQUENO 1A.pdfATIVIDADES PARA CADERNO PEQUENO 1A.pdf
ATIVIDADES PARA CADERNO PEQUENO 1A.pdfSimoneHelenDrumond
 
ARTIGO 1 - OS USOS DOS PORTFÓLIOS SHDI NA ALFABETIZAÇÃO .pdf
ARTIGO 1 - OS USOS DOS PORTFÓLIOS SHDI NA ALFABETIZAÇÃO .pdfARTIGO 1 - OS USOS DOS PORTFÓLIOS SHDI NA ALFABETIZAÇÃO .pdf
ARTIGO 1 - OS USOS DOS PORTFÓLIOS SHDI NA ALFABETIZAÇÃO .pdfSimoneHelenDrumond
 
ARTIGO 1 - TEXTOS PONTILHADOS COM LETRA DE IMPRENSA .pdf
ARTIGO 1 - TEXTOS PONTILHADOS COM LETRA DE IMPRENSA .pdfARTIGO 1 - TEXTOS PONTILHADOS COM LETRA DE IMPRENSA .pdf
ARTIGO 1 - TEXTOS PONTILHADOS COM LETRA DE IMPRENSA .pdfSimoneHelenDrumond
 
ARTIGO 1 - ALFABETIZAÇÃO COM AFETO .pdf
ARTIGO 1 - ALFABETIZAÇÃO COM AFETO .pdfARTIGO 1 - ALFABETIZAÇÃO COM AFETO .pdf
ARTIGO 1 - ALFABETIZAÇÃO COM AFETO .pdfSimoneHelenDrumond
 
CARTAS LEGOS FORMANDO PALAVRAS SHDI.pdf
CARTAS LEGOS  FORMANDO PALAVRAS SHDI.pdfCARTAS LEGOS  FORMANDO PALAVRAS SHDI.pdf
CARTAS LEGOS FORMANDO PALAVRAS SHDI.pdfSimoneHelenDrumond
 
INCLUSÃO AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LEIS QUE...
INCLUSÃO  AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LEIS QUE...INCLUSÃO  AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LEIS QUE...
INCLUSÃO AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LEIS QUE...SimoneHelenDrumond
 
ARTIGO ADAPTAÇÃO CURRICULAR.pdf
ARTIGO ADAPTAÇÃO CURRICULAR.pdfARTIGO ADAPTAÇÃO CURRICULAR.pdf
ARTIGO ADAPTAÇÃO CURRICULAR.pdfSimoneHelenDrumond
 
ARTIGO DIA MUNDIAL DO AUTISMO .pdf
ARTIGO DIA MUNDIAL DO AUTISMO .pdfARTIGO DIA MUNDIAL DO AUTISMO .pdf
ARTIGO DIA MUNDIAL DO AUTISMO .pdfSimoneHelenDrumond
 
Artigo Todos nós podemos ensinar algo novo para alguém.pdf
Artigo Todos nós podemos ensinar algo novo para alguém.pdfArtigo Todos nós podemos ensinar algo novo para alguém.pdf
Artigo Todos nós podemos ensinar algo novo para alguém.pdfSimoneHelenDrumond
 
ARTIGO Quem tem direito ao atendimento educacional especializado.pdf
ARTIGO Quem tem direito ao atendimento educacional especializado.pdfARTIGO Quem tem direito ao atendimento educacional especializado.pdf
ARTIGO Quem tem direito ao atendimento educacional especializado.pdfSimoneHelenDrumond
 
ARTIGO AUTISMO E AS VOGAIS SHDI 1.pdf
ARTIGO AUTISMO E AS VOGAIS SHDI 1.pdfARTIGO AUTISMO E AS VOGAIS SHDI 1.pdf
ARTIGO AUTISMO E AS VOGAIS SHDI 1.pdfSimoneHelenDrumond
 
Artigo A inclusão escolar de alunos .pdf
Artigo A inclusão escolar de alunos .pdfArtigo A inclusão escolar de alunos .pdf
Artigo A inclusão escolar de alunos .pdfSimoneHelenDrumond
 
ARTIGO O SOM DAS LETRAS 1A2023.pdf
ARTIGO O SOM DAS LETRAS 1A2023.pdfARTIGO O SOM DAS LETRAS 1A2023.pdf
ARTIGO O SOM DAS LETRAS 1A2023.pdfSimoneHelenDrumond
 
ARTIGO 1 AUTISMO E COMUNICAÇÃO SÍLABAS.pdf
ARTIGO 1 AUTISMO E COMUNICAÇÃO SÍLABAS.pdfARTIGO 1 AUTISMO E COMUNICAÇÃO SÍLABAS.pdf
ARTIGO 1 AUTISMO E COMUNICAÇÃO SÍLABAS.pdfSimoneHelenDrumond
 
ARTIGO INCLUSÃO_AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LE...
ARTIGO INCLUSÃO_AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LE...ARTIGO INCLUSÃO_AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LE...
ARTIGO INCLUSÃO_AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LE...SimoneHelenDrumond
 
ARTIGO 1 AUTISMO E DEPRESSÃO.pdf
ARTIGO 1 AUTISMO E DEPRESSÃO.pdfARTIGO 1 AUTISMO E DEPRESSÃO.pdf
ARTIGO 1 AUTISMO E DEPRESSÃO.pdfSimoneHelenDrumond
 

Mais de SimoneHelenDrumond (20)

CARTAS LEGOS FORMANDO PALAVRAS SHDI.pdf
CARTAS LEGOS  FORMANDO PALAVRAS SHDI.pdfCARTAS LEGOS  FORMANDO PALAVRAS SHDI.pdf
CARTAS LEGOS FORMANDO PALAVRAS SHDI.pdf
 
BLOCO 1 DE ATIVIDADES DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS.pdf
BLOCO 1 DE ATIVIDADES DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS.pdfBLOCO 1 DE ATIVIDADES DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS.pdf
BLOCO 1 DE ATIVIDADES DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS.pdf
 
ATIVIDADES PARA CADERNO PEQUENO 1A.pdf
ATIVIDADES PARA CADERNO PEQUENO 1A.pdfATIVIDADES PARA CADERNO PEQUENO 1A.pdf
ATIVIDADES PARA CADERNO PEQUENO 1A.pdf
 
ARTIGO 1 - OS USOS DOS PORTFÓLIOS SHDI NA ALFABETIZAÇÃO .pdf
ARTIGO 1 - OS USOS DOS PORTFÓLIOS SHDI NA ALFABETIZAÇÃO .pdfARTIGO 1 - OS USOS DOS PORTFÓLIOS SHDI NA ALFABETIZAÇÃO .pdf
ARTIGO 1 - OS USOS DOS PORTFÓLIOS SHDI NA ALFABETIZAÇÃO .pdf
 
ARTIGO 1 - TEXTOS PONTILHADOS COM LETRA DE IMPRENSA .pdf
ARTIGO 1 - TEXTOS PONTILHADOS COM LETRA DE IMPRENSA .pdfARTIGO 1 - TEXTOS PONTILHADOS COM LETRA DE IMPRENSA .pdf
ARTIGO 1 - TEXTOS PONTILHADOS COM LETRA DE IMPRENSA .pdf
 
ARTIGO 1 - ALFABETIZAÇÃO COM AFETO .pdf
ARTIGO 1 - ALFABETIZAÇÃO COM AFETO .pdfARTIGO 1 - ALFABETIZAÇÃO COM AFETO .pdf
ARTIGO 1 - ALFABETIZAÇÃO COM AFETO .pdf
 
CARTAS LEGOS FORMANDO PALAVRAS SHDI.pdf
CARTAS LEGOS  FORMANDO PALAVRAS SHDI.pdfCARTAS LEGOS  FORMANDO PALAVRAS SHDI.pdf
CARTAS LEGOS FORMANDO PALAVRAS SHDI.pdf
 
INCLUSÃO AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LEIS QUE...
INCLUSÃO  AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LEIS QUE...INCLUSÃO  AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LEIS QUE...
INCLUSÃO AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LEIS QUE...
 
ARTIGO ADAPTAÇÃO CURRICULAR.pdf
ARTIGO ADAPTAÇÃO CURRICULAR.pdfARTIGO ADAPTAÇÃO CURRICULAR.pdf
ARTIGO ADAPTAÇÃO CURRICULAR.pdf
 
ARTIGO DIA MUNDIAL DO AUTISMO .pdf
ARTIGO DIA MUNDIAL DO AUTISMO .pdfARTIGO DIA MUNDIAL DO AUTISMO .pdf
ARTIGO DIA MUNDIAL DO AUTISMO .pdf
 
Artigo Todos nós podemos ensinar algo novo para alguém.pdf
Artigo Todos nós podemos ensinar algo novo para alguém.pdfArtigo Todos nós podemos ensinar algo novo para alguém.pdf
Artigo Todos nós podemos ensinar algo novo para alguém.pdf
 
ARTIGO Quem tem direito ao atendimento educacional especializado.pdf
ARTIGO Quem tem direito ao atendimento educacional especializado.pdfARTIGO Quem tem direito ao atendimento educacional especializado.pdf
ARTIGO Quem tem direito ao atendimento educacional especializado.pdf
 
ARTIGO TDAH.pdf
ARTIGO TDAH.pdfARTIGO TDAH.pdf
ARTIGO TDAH.pdf
 
ARTIGO AUTISMO E AS VOGAIS SHDI 1.pdf
ARTIGO AUTISMO E AS VOGAIS SHDI 1.pdfARTIGO AUTISMO E AS VOGAIS SHDI 1.pdf
ARTIGO AUTISMO E AS VOGAIS SHDI 1.pdf
 
Artigo A inclusão escolar de alunos .pdf
Artigo A inclusão escolar de alunos .pdfArtigo A inclusão escolar de alunos .pdf
Artigo A inclusão escolar de alunos .pdf
 
ARTIGO O SOM DAS LETRAS 1A2023.pdf
ARTIGO O SOM DAS LETRAS 1A2023.pdfARTIGO O SOM DAS LETRAS 1A2023.pdf
ARTIGO O SOM DAS LETRAS 1A2023.pdf
 
ARTIGO 1 TDAH .pdf
ARTIGO 1 TDAH .pdfARTIGO 1 TDAH .pdf
ARTIGO 1 TDAH .pdf
 
ARTIGO 1 AUTISMO E COMUNICAÇÃO SÍLABAS.pdf
ARTIGO 1 AUTISMO E COMUNICAÇÃO SÍLABAS.pdfARTIGO 1 AUTISMO E COMUNICAÇÃO SÍLABAS.pdf
ARTIGO 1 AUTISMO E COMUNICAÇÃO SÍLABAS.pdf
 
ARTIGO INCLUSÃO_AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LE...
ARTIGO INCLUSÃO_AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LE...ARTIGO INCLUSÃO_AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LE...
ARTIGO INCLUSÃO_AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LE...
 
ARTIGO 1 AUTISMO E DEPRESSÃO.pdf
ARTIGO 1 AUTISMO E DEPRESSÃO.pdfARTIGO 1 AUTISMO E DEPRESSÃO.pdf
ARTIGO 1 AUTISMO E DEPRESSÃO.pdf
 

Último

Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...excellenceeducaciona
 
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...azulassessoriaacadem3
 
B) RELACIONE os picos (1, 2 e 3) no cromatograma com cada uma das substâncias...
B) RELACIONE os picos (1, 2 e 3) no cromatograma com cada uma das substâncias...B) RELACIONE os picos (1, 2 e 3) no cromatograma com cada uma das substâncias...
B) RELACIONE os picos (1, 2 e 3) no cromatograma com cada uma das substâncias...Prime Assessoria
 
2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...
2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...
2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...azulassessoriaacadem3
 
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...azulassessoriaacadem3
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...excellenceeducaciona
 
A) COMENTE sobre a situação de saúde apresentado no Brasil atualmente e EXPLI...
A) COMENTE sobre a situação de saúde apresentado no Brasil atualmente e EXPLI...A) COMENTE sobre a situação de saúde apresentado no Brasil atualmente e EXPLI...
A) COMENTE sobre a situação de saúde apresentado no Brasil atualmente e EXPLI...Prime Assessoria
 
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...Prime Assessoria
 
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...excellenceeducaciona
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...excellenceeducaciona
 
Elementos da Formação Social: sociologia no ensino médio
Elementos da Formação Social: sociologia no ensino médioElementos da Formação Social: sociologia no ensino médio
Elementos da Formação Social: sociologia no ensino médioProfessor Belinaso
 
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIA
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIACONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIA
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIAHenrique Pontes
 
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;azulassessoriaacadem3
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...azulassessoriaacadem3
 
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...azulassessoriaacadem3
 
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...excellenceeducaciona
 
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...Prime Assessoria
 
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial AniversárioDeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial AniversárioIsabelPereira2010
 

Último (20)

Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
 
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
 
B) RELACIONE os picos (1, 2 e 3) no cromatograma com cada uma das substâncias...
B) RELACIONE os picos (1, 2 e 3) no cromatograma com cada uma das substâncias...B) RELACIONE os picos (1, 2 e 3) no cromatograma com cada uma das substâncias...
B) RELACIONE os picos (1, 2 e 3) no cromatograma com cada uma das substâncias...
 
2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...
2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...
2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...
 
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
 
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO _
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO         _SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO         _
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO _
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
 
A) COMENTE sobre a situação de saúde apresentado no Brasil atualmente e EXPLI...
A) COMENTE sobre a situação de saúde apresentado no Brasil atualmente e EXPLI...A) COMENTE sobre a situação de saúde apresentado no Brasil atualmente e EXPLI...
A) COMENTE sobre a situação de saúde apresentado no Brasil atualmente e EXPLI...
 
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...
 
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
 
Elementos da Formação Social: sociologia no ensino médio
Elementos da Formação Social: sociologia no ensino médioElementos da Formação Social: sociologia no ensino médio
Elementos da Formação Social: sociologia no ensino médio
 
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIA
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIACONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIA
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIA
 
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
 
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
 
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...
 
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
 
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
 
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial AniversárioDeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
 

Arte das esculturas

  • 2. Esculturas em papel: do plano ao O que o aluno poderá volume aprender com esta aula: Ampliar a percepção do espaço e as noções de interno e externo nos objetos tridimensionais ; Transformar formas Duração das atividades planificadas em formas com 03 aulas relevo; Produzir esculturas em Conhecimentos prévios trabalhados pelo papel a partir de formas professor com o aluno quadrangulares, Saber fazer dobras com vinco no papel; retangulares e triangulares, etc. Diferenciar suporte bidimensional de tridimensional; Conhecer formas geométricas e orgânicas. DISCIPLINA: ARTE http://simonehelendrumond.blogspot.com Colaboração: Maria Aparecida Sartori Barbosa
  • 3. Escola: ______________________________________________________________ Professor (a): _________________________________________________________ Série: ______________________________________________ Data ........./......../...... PLANEJAMENTO: ARTE DAS ESCULTURAS TRIDIMENSIONAIS http://simonehelendrumond.blogspot.com CONTEÚDO Esculturas em papel: do plano ao volume OBJETIVO (S) Compreender por meio da mediação, como é possível, ampliar a percepção do espaço e as noções de interno e externo nos objetos tridimensionais . Compreender o processo de transformação das formas planificadas em formas com relevo. Diferenciar suporte bidimensional de tridimensional; Conhecer formas geométricas e orgânicas PROCEDIMENTO Conversa informal. METODOLOGICO Apresentação do slide explicativo do contexto em estudo. Produzir esculturas em papel a partir de formas quadrangulares, retangulares e triangulares, etc. Exposição das atividades. AVALIAÇÃO Participação e produção da atividade OBSERVAÇÕES
  • 4. Escola: ______________________________________________________________ Professor (a): _________________________________________________________ Série: ______________________________________________ Data ........./......../...... PLANEJAMENTO: ARTE DAS ESCULTURAS TRIDIMENSIONAIS http://simonehelendrumond.blogspot.com CONTEÚDO OBJETIVO (S) PROCEDIMENTO METODOLOGICO AVALIAÇÃO OBSERVAÇÕES
  • 5. Desde os tempos pré-históricos, a escultura representa importante papel em todas as civilizações, no antigo Egito, na Grécia e Roma antiga, na China, na Índia e na América pré-colombiana.  Ela desenvolveu-se no Ocidente na época romântica. No início, sua finalidade era essencialmente religiosa. A escultura profana ou com fins puramente estéticos, desenvolveu-se durante o Renascimento e expandiu-se plenamente nos séculos XVII e XVIII na Europa; Os materiais mais tradicionais para trabalhar a escultura são o mármore e o bronze e somam- se diversos metais como o cobre, o ferro, o alumínio. DISCIPLINA: ARTE http://simonehelendrumond.blogspot.com Colaboração: Maria Aparecida Sartori Barbosa
  • 6. No Brasil, até o século XVIII, a escultura tinha caráter religioso, sobressaindo as imagens de barro feitas por frei Agostinho da Piedade e frei Agostinho de Jesus. No século XVIII - Aleijadinho (profetas de pedra sabão, em Congonhas do Campo – MG) e Mestre Valentin (obras do Passeio Público do Rio de Janeiro). No século XX, os maiores destaques brasileiros foram: Victor Brecheret, Ceschiatti, Bruno Giorgi, Frans Weissmann (austríaco, naturalizado brasileiro) e Ligia Clark. DISCIPLINA: ARTE http://simonehelendrumond.blogspot.com Colaboração: Maria Aparecida Sartori Barbosa
  • 7. Destaques atuais no Brasil: Caciporé Torres, Franz Krajcberg Belkiss Diniz, Frans Weissmann, Frans Krajcberg . Picasso e Georges Braque, consiste em colar papéis e outros materiais sobre uma pintura, fazendo com que se torne uma obra tridimensional. DISCIPLINA: ARTE http://simonehelendrumond.blogspot.com Colaboração: Maria Aparecida Sartori Barbosa
  • 8. INSTALAÇÃO Numa instalação, o artista junta objetos e outros materiais de forma harmoniosa, fazendo com que haja uma interatividade do espectador com a obra. Móbiles e Estábiles Móbile – Esculturas pendentes, presas por um ponto de apoio superior, que adquirem movimento com a ação do homem ou do vento. Estábile – Esculturas presas por um ponto de apoio inferior e podem ter movimentos pela ação do homem ou do vento. DISCIPLINA: ARTE http://simonehelendrumond.blogspot.com Colaboração: Maria Aparecida Sartori Barbosa
  • 9. DISCIPLINA: ARTE http://simonehelendrumond.blogspot.com Colaboração: Maria Aparecida Sartori Barbosa Obra de Frans Weissmann Terra, 400x400x200 cm, Aço Pintado, 1958/1983. Conjunto Cândido Mendes, Centro, Rio de Janeiro A Mão de Oscar Niemeyer
  • 11. ATIVIDADE Colaboração: Maria Aparecida Sartori Barbosa http://simonehelendrumond.blogspot.com PRODUÇÃO PLÁSTICA: Criar escultura do plano bidimensional para o tridimensional DISCIPLINA: ARTE 1ª etapa – criar uma obra de arte em toda folha do canson A4. 2ª etapa pintar com lápis de cor ou giz de cera.
  • 12. ESCULTURAS DE PAPEL 1º passo 3º passo 2º passo DISCIPLINA: ARTE http://simonehelendrumond.blogspot.com Colaboração: Maria Aparecida Sartori Barbosa
  • 13. 4º passo 5º passo DISCIPLINA: ARTE http://simonehelendrumond.blogspot.com Colaboração: Maria Aparecida Sartori Barbosa
  • 14. Arte final DISCIPLINA: ARTE http://simonehelendrumond.blogspot.com Colaboração: Maria Aparecida Sartori Barbosa