SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 7
Baixar para ler offline
APRENDENDO SOBRE ARTE AFROBRASILEIRA E TÉCNICAS ARTÍSTICAS
ATRAVÉS DA OBRA DE RUBEM VALENTIM
Robson Mendes de Lima
Polo Contagem
MODALIDADE DE ENSINO: Ensino fundamental anos finais
FAIXA ETÁRIA: 2 turmas de 9° ano com idades de 12 ou 13 a 14 ou 15 anos.
CARGA HORÁRIA TOTAL: 12 Horas
CARGA HORÁRIA PARCIAL: 1 Hora cada encontro.
JUSTIFICATIVA
Estudar a obra de artistas afro-brasileiros é muito importante, trata-se de
valorizar nossa cultura e identidade nacional. Assim propomos apresentar aos
alunos e alunas a obra do artista Rubem Valentim (Salvador BA 1922 - São Paulo
SP 1991) contextualizando-a na história da arte brasileira, e através dela trabalhar
aspectos plásticos, tais como a composição e a cor através da releitura das obras
utilizando e experimentando técnicas diferentes: modelagem em argila, tapeçaria e
um trabalho de artes gráficas. Durante o processo de criação é fundamental levar os
estudantes a pesquisar informações e técnicas, como também refletir sobre seu
percurso criativo, por isso será proposta a escrita de textos reflexivos sobre as
experiências vividas durante a realização das atividades, esperando contemplar a
contextualização, a produção e a reflexão.
Considera-se que as aulas de Arte devem ser momentos
privilegiados para exercitar o pensamento artístico. Assim sendo, é
preciso que essas aulas sejam diversificadas, tanto em relação às
atividades quanto em relação aos conceitos e fundamentações
teóricas e técnicas necessárias à construção de conhecimento em
Arte. (PIMENTEL, 2017, p. 310).
DESCRIÇÃO DA PROPOSTA
A proposta terá como fio condutor as obras do artista baiano Rubem Valentim.
A partir de uma pesquisa de imagens das mesmas, que pode ser feita na sala de
informática da escola, em livros da biblioteca ou mesmo no celular. O professor ou
professora fará uma primeira leitura das imagens obtidas junto com os estudantes,
essas imagens poderão ser impressas, projetadas, ou mostradas em um livro. Após
essa análise inicial os educandos farão as primeiras inferências sobre os aspectos
formais, compositivos e simbólicos das obras, nesse momento essas observações
podem ser anotadas por eles.
Será proposta uma busca de informações sobre o artista, sua biografia, e
textos com análises de seu trabalho, momento em que o professor ou professora irá
confrontar o que foi dito quando da primeira leitura das imagens e o que foi
encontrado durante a pesquisa. Após essa etapa podem ser elaboradas propostas
de atividades escritas diversas como, por exemplo, textos com lacunas a serem
preenchidos, questionário, caça-palavras, palavra cruzada e outras com o objetivo
de fixar o que foi pesquisado. Em seguida serão propostas três atividades de
releitura da obra de Rubem Valentim empregando as técnicas de: modelagem em
barro usando registro de fôrma, tapeçaria em tear de papelão e artes gráficas
usando a técnica de monotipia para criar a ilustração.
Afinal, conhecer Arte não é somente saber dizer algo sobre Arte, mas
sim deixar-se afectar por algo que é disponibilizado e que é
significativo para a vida humana, e poder disponibilizar algo que seja
artístico para que outras pessoas possam vivenciar o mesmo
processo e também contribuir socialmente. (PIMENTEL, 2017, p.
311).
Após cada etapa do trabalho e ao final será solicitado que os educandos
escrevam sobre suas experiências no processo de produção das obras através de
textos em que poderão descrever o que fizeram em cada uma das tarefas, em quais
aspectos podem melhorar e o que acharam do resultado final.
CRONOGRAMA
PRIMEIRA ETAPA: 2 encontros de 1h
1º encontro: Apresentação da proposta e pesquisa de textos e imagens. Leitura das
imagens e anotações das observações.
2º encontro: Atividades escritas para fixação das informações.
SEGUNDA ETAPA: 3 encontros de 1h
1º encontro: Apresentação da técnica da modelagem. Para isso o professor irá
demonstrar a técnica do registro de fôrma, pois o objetivo é reinterpretar algumas
obras de Valentim usando essa técnica. O educando irá receber cópias de algumas
delas e deverá selecionar algumas partes dessas obras e irá montar uma imagem
que será usada como referência para a composição.
2º encontro: Usando ferramentas apropriadas os estudantes irão compor sobre a
placa de argila estendida sobre jornais. Em seguida irá construir a cerca com as tiras
de argila em volta da placa e preparará e despejará o gesso sobre a mesma,
esperando o tempo necessário para desenformar.
3º encontro: Após desenformar, pintar com tinta látex branca para gesso misturada
com pigmentos líquidos. O estudante poderá se tiver como, fotografar as etapas do
trabalho. Faremos uma avaliação dos resultados, cada um pode escrever como
viveu a experiência, o que aprendeu e como avalia o produto final.
TERCEIRA ETAPA: 3 encontros de 1h
1º encontro: Texto e atividade sobre a técnica da tapeçaria. Construção do tear de
papelão. Demonstração de como fazer o ponto simples, como trocar de cor e como
dar acabamento.
2º encontro: Criação um desenho a lápis inspirado nas pinturas de Rubem Valentim.
Serão entregues cópias de alguns quadros em preto e branco, a partir deles os
educandos poderão criar o desenho ampliando detalhes dos mesmos, juntando
partes de um com partes de outro e acrescentar os detalhes que quiserem. O
desenho será colocado debaixo da urdidura onde serão marcados os seus limites na
mesma. Como é uma atividade para iniciantes na tecelagem, os estudantes
utilizarão o ponto simples para preencher as áreas de cor.
3º encontro: Produção de um texto descrevendo as etapas do trabalho e analisando
o resultado.
QUARTA ETAPA: 2 encontros de 2h
1º encontro: Nesta etapa será proposta a criação de um cartaz com o objetivo de
divulgar a exposição dos trabalhos que foram produzidos nas etapas anteriores.
Serão apresentados alguns exemplos de cartazes para análise da distribuição dos
elementos gráficos: fontes, texto, título e imagens, em seguida os estudantes farão
uma busca na internet de fontes que possam ser utilizadas no cartaz cujo design
remeta a algo relativo à cultura afro-brasileira.
2º encontro: Criação do cartaz que deverá conter uma ilustração, um pequeno texto
sobre a exposição e um título para a mesma. A proposta é que se use na ilustração
a técnica da monotipia inspirada na obra de Rubem Valentim, usando para isso tinta
guache colorida, a pintura será feita sobre um suporte que poderá ser uma placa de
fórmica ou vidro. Todos os pôsteres produzidos poderão ser utilizados na divulgação
da exposição.
Produção de um texto descrevendo as etapas do trabalho e analisando o
resultado de seu trabalho.
QUINTA ETAPA: 1 encontro de 1h
Produção de um texto sobre o que aprendeu no projeto, e como foi seu
desempenho em cada etapa do mesmo. Esse texto pode ter algumas questões para
orientar a reflexão.
SEXTA ETAPA: 1 encontro de 1h
Exposição de todos os trabalhos realizados durante o projeto.
OBJETIVO GERAL
Conhecer e contextualizar a obra do artista Rubem Valentim experimentando
técnicas de modelagem, tapeçaria e artes gráficas através da releitura de suas
obras.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
 Conhecer e contextualizar o artista Rubem Valentim e sua obra;
 Realizar releituras da obra de Rubem Valentim experimentando as
técnicas de modelagem em barro com registro de fôrma, tapeçaria no
tear de papelão e de artes gráficas na criação de um cartaz usando a
técnica da monotipia;
 Valorizar a produção cultural afro-brasileira;
 Reconhecer a influência da cultura afro-brasileira na obra de Rubem
Valentim;
 Compor imagens usando técnicas diferentes;
 Refletir sobre seu percurso criativo.
METODOLOGIA
 Pesquisa de textos e imagens;
 Atividades de fixação das informações pesquisadas
 Leitura de imagens;
 Demonstração e explicação das técnicas a serem utilizadas;
 Criação de esboços das peças a serem executadas;
 Produção dos trabalhos;
 Reflexão sobre o percurso criativo;
 Exposição dos trabalhos.
LOCAL DE REALIZAÇÃO
Escola de ensino fundamental.
INFRAESTRUTURA NECESSÁRIA
 Sala de aula com pia, mesas e cadeiras que possam ser reorganizadas
para formar superfícies maiores para o trabalho ou mesas grandes.
 Sala mais ampla para a exposição.
RECURSOS HUMANOS NECESSÁRIOS
 Professor@
 Estudantes (duas turmas de 30 alunos cada)
 Direção e coordenação no apoio à proposta:
MATERIAIS NECESSÁRIOS
 30 quilos de argila;
 10 quilos de gesso em pó;
 12 potes de sorvete para misturar o gesso;
 12 placas de fórmica ou Eucatex;
 Ferramentas de modelagem improvisadas (podem ser construídas
pelos estudantes);
 60 pedaços de papelão de 30 x 30 cm;
 2 rolos de barbante;
 Água;
 30 novelos de lã de cores variadas;
 Jornais;
 12 pedaços de cabo de vassoura de 50 cm;
 100 folhas tamanho A3;
 20 potes de guache (4 pretos, 4 brancos, 4 azuis, 4 amarelos, 4
vermelhos);
 30 pincéis.
Referências
PIMENTEL, Lucia Gouvêa. Abordagem Triangular e as narrativas de si: autobiografia e
aprendizagem em Arte. In: GEARTE, v.4, n.2, 2017. Disponível em:
https://seer.ufrgs.br/gearte/issue/view/3240/showToc Acesso em: 21 nov. 2018.
PIMENTEL, Lucia Gouvêa. Metodologias do ensino de Artes Visuais. Curso de
Especialização em Ensino de Artes Visuais (CEEAV). Belo Horizonte:
EBA/UFMG, 2009.
RUBEM Valentim. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São
Paulo: Itaú Cultural, 2018. Disponível em:
<http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa8766/rubem-valentim>. Acesso em: 23 de Nov.
2018.
SATURNINO, Joice; Artes da Fibra. In: PIMENTEL, Lucia Gouvêa. (Org.). Curso de
Especialização em Ensino de Artes Visuais. Belo Horizonte: Escola de Belas
Artes da UFMG, 2009, v. 3, p. 09-21.
WITHE, Jan V. Tipologia de texto. In: WITHE, Jan V. Edição e Design. Para
designeers, diretores de arte e editores: o guia clássico. São Paulo: JSN, 2006, P.83
– 108.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Monografia licenciatura em artes
Monografia   licenciatura em artesMonografia   licenciatura em artes
Monografia licenciatura em artesAcervo Vis
 
Planejamento e relatório crítico
Planejamento e relatório críticoPlanejamento e relatório crítico
Planejamento e relatório críticoArte Tecnologia
 
Plano de aula 2: Pinturas que Contam Histórias II: Produção de Obras de arte ...
Plano de aula 2: Pinturas que Contam Histórias II: Produção de Obras de arte ...Plano de aula 2: Pinturas que Contam Histórias II: Produção de Obras de arte ...
Plano de aula 2: Pinturas que Contam Histórias II: Produção de Obras de arte ...Ana Beatriz Cargnin
 
Releitura, da obra "A Primavera" de Giuseppe Archimboldo
Releitura, da obra  "A Primavera" de Giuseppe ArchimboldoReleitura, da obra  "A Primavera" de Giuseppe Archimboldo
Releitura, da obra "A Primavera" de Giuseppe ArchimboldoSeduc MT
 
PROJETO CONSCIÊNCIA NEGRA- PETI -PÓLO VILA UNIÃO
PROJETO CONSCIÊNCIA NEGRA- PETI -PÓLO VILA UNIÃOPROJETO CONSCIÊNCIA NEGRA- PETI -PÓLO VILA UNIÃO
PROJETO CONSCIÊNCIA NEGRA- PETI -PÓLO VILA UNIÃORozeli Lima Cabral
 
APRESENTAÇÃO DO PROJETO CONSCIÊNCIA NEGRA
APRESENTAÇÃO DO PROJETO CONSCIÊNCIA NEGRAAPRESENTAÇÃO DO PROJETO CONSCIÊNCIA NEGRA
APRESENTAÇÃO DO PROJETO CONSCIÊNCIA NEGRARozeli Lima Cabral
 
REPORTAGENS_Guache Marques
REPORTAGENS_Guache MarquesREPORTAGENS_Guache Marques
REPORTAGENS_Guache Marquesguachemarques
 
A IMPORTÂNCIA DA LEITURA DE IMAGENS PARA O ENSINO E APRENDIZAGEM EM ARTES VIS...
A IMPORTÂNCIA DA LEITURA DE IMAGENS PARA O ENSINO E APRENDIZAGEM EM ARTES VIS...A IMPORTÂNCIA DA LEITURA DE IMAGENS PARA O ENSINO E APRENDIZAGEM EM ARTES VIS...
A IMPORTÂNCIA DA LEITURA DE IMAGENS PARA O ENSINO E APRENDIZAGEM EM ARTES VIS...Vis-UAB
 
Pop projeto oficina de pintura
Pop projeto oficina de pinturaPop projeto oficina de pintura
Pop projeto oficina de pinturaNuno Quaresma
 

Mais procurados (14)

Monografia licenciatura em artes
Monografia   licenciatura em artesMonografia   licenciatura em artes
Monografia licenciatura em artes
 
Planejamento e relatório crítico
Planejamento e relatório críticoPlanejamento e relatório crítico
Planejamento e relatório crítico
 
Tcc pintura em movimento
Tcc pintura em movimentoTcc pintura em movimento
Tcc pintura em movimento
 
Plano de aula 2: Pinturas que Contam Histórias II: Produção de Obras de arte ...
Plano de aula 2: Pinturas que Contam Histórias II: Produção de Obras de arte ...Plano de aula 2: Pinturas que Contam Histórias II: Produção de Obras de arte ...
Plano de aula 2: Pinturas que Contam Histórias II: Produção de Obras de arte ...
 
Releitura, da obra "A Primavera" de Giuseppe Archimboldo
Releitura, da obra  "A Primavera" de Giuseppe ArchimboldoReleitura, da obra  "A Primavera" de Giuseppe Archimboldo
Releitura, da obra "A Primavera" de Giuseppe Archimboldo
 
PROJETO CONSCIÊNCIA NEGRA- PETI -PÓLO VILA UNIÃO
PROJETO CONSCIÊNCIA NEGRA- PETI -PÓLO VILA UNIÃOPROJETO CONSCIÊNCIA NEGRA- PETI -PÓLO VILA UNIÃO
PROJETO CONSCIÊNCIA NEGRA- PETI -PÓLO VILA UNIÃO
 
APRESENTAÇÃO DO PROJETO CONSCIÊNCIA NEGRA
APRESENTAÇÃO DO PROJETO CONSCIÊNCIA NEGRAAPRESENTAÇÃO DO PROJETO CONSCIÊNCIA NEGRA
APRESENTAÇÃO DO PROJETO CONSCIÊNCIA NEGRA
 
REPORTAGENS_Guache Marques
REPORTAGENS_Guache MarquesREPORTAGENS_Guache Marques
REPORTAGENS_Guache Marques
 
Leitura visual
Leitura visualLeitura visual
Leitura visual
 
1 mascaras - ceramica
1   mascaras - ceramica1   mascaras - ceramica
1 mascaras - ceramica
 
A IMPORTÂNCIA DA LEITURA DE IMAGENS PARA O ENSINO E APRENDIZAGEM EM ARTES VIS...
A IMPORTÂNCIA DA LEITURA DE IMAGENS PARA O ENSINO E APRENDIZAGEM EM ARTES VIS...A IMPORTÂNCIA DA LEITURA DE IMAGENS PARA O ENSINO E APRENDIZAGEM EM ARTES VIS...
A IMPORTÂNCIA DA LEITURA DE IMAGENS PARA O ENSINO E APRENDIZAGEM EM ARTES VIS...
 
Plano 4º ano arte
Plano 4º ano artePlano 4º ano arte
Plano 4º ano arte
 
Arte3em
Arte3emArte3em
Arte3em
 
Pop projeto oficina de pintura
Pop projeto oficina de pinturaPop projeto oficina de pintura
Pop projeto oficina de pintura
 

Semelhante a Tarefa3 2018 2-robsonlima

Semelhante a Tarefa3 2018 2-robsonlima (20)

Aula de Pintura
Aula de PinturaAula de Pintura
Aula de Pintura
 
Projeto muralismo
Projeto muralismoProjeto muralismo
Projeto muralismo
 
Projeto de arte
Projeto de arteProjeto de arte
Projeto de arte
 
Sequencia didatica arte
Sequencia didatica arteSequencia didatica arte
Sequencia didatica arte
 
Leitura imagens 1214576895(1)
Leitura imagens 1214576895(1)Leitura imagens 1214576895(1)
Leitura imagens 1214576895(1)
 
Projeto de arte
Projeto de arteProjeto de arte
Projeto de arte
 
Hec de coordenadoras
Hec de coordenadorasHec de coordenadoras
Hec de coordenadoras
 
Tf art ii_
Tf art ii_Tf art ii_
Tf art ii_
 
Minicurso matemática 9º ano
Minicurso matemática 9º anoMinicurso matemática 9º ano
Minicurso matemática 9º ano
 
Formas geométricas e artes
Formas geométricas e artesFormas geométricas e artes
Formas geométricas e artes
 
03 fisicalidade dos_textos_soniamarisrittmann_01_editado
03 fisicalidade dos_textos_soniamarisrittmann_01_editado03 fisicalidade dos_textos_soniamarisrittmann_01_editado
03 fisicalidade dos_textos_soniamarisrittmann_01_editado
 
Roteiro de exploração pedagógica 1
Roteiro de exploração pedagógica 1Roteiro de exploração pedagógica 1
Roteiro de exploração pedagógica 1
 
Atividade monet
Atividade monetAtividade monet
Atividade monet
 
Arte 1
Arte   1Arte   1
Arte 1
 
TF Artes II
TF Artes IITF Artes II
TF Artes II
 
Plano de aula romero ok
Plano de aula romero okPlano de aula romero ok
Plano de aula romero ok
 
1.arte e tecn
1.arte e tecn1.arte e tecn
1.arte e tecn
 
sequencia-didatica-explorando-linhas.pdf
sequencia-didatica-explorando-linhas.pdfsequencia-didatica-explorando-linhas.pdf
sequencia-didatica-explorando-linhas.pdf
 
Leitura de Imagens - Prof. Célia
Leitura de Imagens - Prof. CéliaLeitura de Imagens - Prof. Célia
Leitura de Imagens - Prof. Célia
 
Plano para grupo de 6 anos
Plano para grupo de 6 anosPlano para grupo de 6 anos
Plano para grupo de 6 anos
 

Último

Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º BimestreProfaCintiaDosSantos
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfRafaela Vieira
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTEJoaquim Colôa
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesGilbraz Aragão
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoJayaneSales1
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
Modernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e AméricaModernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e Américawilson778875
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsxGilbraz Aragão
 

Último (20)

Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das Religiões
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
Modernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e AméricaModernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e América
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
 

Tarefa3 2018 2-robsonlima

  • 1. APRENDENDO SOBRE ARTE AFROBRASILEIRA E TÉCNICAS ARTÍSTICAS ATRAVÉS DA OBRA DE RUBEM VALENTIM Robson Mendes de Lima Polo Contagem MODALIDADE DE ENSINO: Ensino fundamental anos finais FAIXA ETÁRIA: 2 turmas de 9° ano com idades de 12 ou 13 a 14 ou 15 anos. CARGA HORÁRIA TOTAL: 12 Horas CARGA HORÁRIA PARCIAL: 1 Hora cada encontro. JUSTIFICATIVA Estudar a obra de artistas afro-brasileiros é muito importante, trata-se de valorizar nossa cultura e identidade nacional. Assim propomos apresentar aos alunos e alunas a obra do artista Rubem Valentim (Salvador BA 1922 - São Paulo SP 1991) contextualizando-a na história da arte brasileira, e através dela trabalhar aspectos plásticos, tais como a composição e a cor através da releitura das obras utilizando e experimentando técnicas diferentes: modelagem em argila, tapeçaria e um trabalho de artes gráficas. Durante o processo de criação é fundamental levar os estudantes a pesquisar informações e técnicas, como também refletir sobre seu percurso criativo, por isso será proposta a escrita de textos reflexivos sobre as experiências vividas durante a realização das atividades, esperando contemplar a contextualização, a produção e a reflexão. Considera-se que as aulas de Arte devem ser momentos privilegiados para exercitar o pensamento artístico. Assim sendo, é preciso que essas aulas sejam diversificadas, tanto em relação às atividades quanto em relação aos conceitos e fundamentações teóricas e técnicas necessárias à construção de conhecimento em Arte. (PIMENTEL, 2017, p. 310). DESCRIÇÃO DA PROPOSTA A proposta terá como fio condutor as obras do artista baiano Rubem Valentim. A partir de uma pesquisa de imagens das mesmas, que pode ser feita na sala de informática da escola, em livros da biblioteca ou mesmo no celular. O professor ou
  • 2. professora fará uma primeira leitura das imagens obtidas junto com os estudantes, essas imagens poderão ser impressas, projetadas, ou mostradas em um livro. Após essa análise inicial os educandos farão as primeiras inferências sobre os aspectos formais, compositivos e simbólicos das obras, nesse momento essas observações podem ser anotadas por eles. Será proposta uma busca de informações sobre o artista, sua biografia, e textos com análises de seu trabalho, momento em que o professor ou professora irá confrontar o que foi dito quando da primeira leitura das imagens e o que foi encontrado durante a pesquisa. Após essa etapa podem ser elaboradas propostas de atividades escritas diversas como, por exemplo, textos com lacunas a serem preenchidos, questionário, caça-palavras, palavra cruzada e outras com o objetivo de fixar o que foi pesquisado. Em seguida serão propostas três atividades de releitura da obra de Rubem Valentim empregando as técnicas de: modelagem em barro usando registro de fôrma, tapeçaria em tear de papelão e artes gráficas usando a técnica de monotipia para criar a ilustração. Afinal, conhecer Arte não é somente saber dizer algo sobre Arte, mas sim deixar-se afectar por algo que é disponibilizado e que é significativo para a vida humana, e poder disponibilizar algo que seja artístico para que outras pessoas possam vivenciar o mesmo processo e também contribuir socialmente. (PIMENTEL, 2017, p. 311). Após cada etapa do trabalho e ao final será solicitado que os educandos escrevam sobre suas experiências no processo de produção das obras através de textos em que poderão descrever o que fizeram em cada uma das tarefas, em quais aspectos podem melhorar e o que acharam do resultado final. CRONOGRAMA PRIMEIRA ETAPA: 2 encontros de 1h 1º encontro: Apresentação da proposta e pesquisa de textos e imagens. Leitura das imagens e anotações das observações. 2º encontro: Atividades escritas para fixação das informações. SEGUNDA ETAPA: 3 encontros de 1h
  • 3. 1º encontro: Apresentação da técnica da modelagem. Para isso o professor irá demonstrar a técnica do registro de fôrma, pois o objetivo é reinterpretar algumas obras de Valentim usando essa técnica. O educando irá receber cópias de algumas delas e deverá selecionar algumas partes dessas obras e irá montar uma imagem que será usada como referência para a composição. 2º encontro: Usando ferramentas apropriadas os estudantes irão compor sobre a placa de argila estendida sobre jornais. Em seguida irá construir a cerca com as tiras de argila em volta da placa e preparará e despejará o gesso sobre a mesma, esperando o tempo necessário para desenformar. 3º encontro: Após desenformar, pintar com tinta látex branca para gesso misturada com pigmentos líquidos. O estudante poderá se tiver como, fotografar as etapas do trabalho. Faremos uma avaliação dos resultados, cada um pode escrever como viveu a experiência, o que aprendeu e como avalia o produto final. TERCEIRA ETAPA: 3 encontros de 1h 1º encontro: Texto e atividade sobre a técnica da tapeçaria. Construção do tear de papelão. Demonstração de como fazer o ponto simples, como trocar de cor e como dar acabamento. 2º encontro: Criação um desenho a lápis inspirado nas pinturas de Rubem Valentim. Serão entregues cópias de alguns quadros em preto e branco, a partir deles os educandos poderão criar o desenho ampliando detalhes dos mesmos, juntando partes de um com partes de outro e acrescentar os detalhes que quiserem. O desenho será colocado debaixo da urdidura onde serão marcados os seus limites na mesma. Como é uma atividade para iniciantes na tecelagem, os estudantes utilizarão o ponto simples para preencher as áreas de cor. 3º encontro: Produção de um texto descrevendo as etapas do trabalho e analisando o resultado. QUARTA ETAPA: 2 encontros de 2h 1º encontro: Nesta etapa será proposta a criação de um cartaz com o objetivo de divulgar a exposição dos trabalhos que foram produzidos nas etapas anteriores.
  • 4. Serão apresentados alguns exemplos de cartazes para análise da distribuição dos elementos gráficos: fontes, texto, título e imagens, em seguida os estudantes farão uma busca na internet de fontes que possam ser utilizadas no cartaz cujo design remeta a algo relativo à cultura afro-brasileira. 2º encontro: Criação do cartaz que deverá conter uma ilustração, um pequeno texto sobre a exposição e um título para a mesma. A proposta é que se use na ilustração a técnica da monotipia inspirada na obra de Rubem Valentim, usando para isso tinta guache colorida, a pintura será feita sobre um suporte que poderá ser uma placa de fórmica ou vidro. Todos os pôsteres produzidos poderão ser utilizados na divulgação da exposição. Produção de um texto descrevendo as etapas do trabalho e analisando o resultado de seu trabalho. QUINTA ETAPA: 1 encontro de 1h Produção de um texto sobre o que aprendeu no projeto, e como foi seu desempenho em cada etapa do mesmo. Esse texto pode ter algumas questões para orientar a reflexão. SEXTA ETAPA: 1 encontro de 1h Exposição de todos os trabalhos realizados durante o projeto. OBJETIVO GERAL Conhecer e contextualizar a obra do artista Rubem Valentim experimentando técnicas de modelagem, tapeçaria e artes gráficas através da releitura de suas obras. OBJETIVOS ESPECÍFICOS  Conhecer e contextualizar o artista Rubem Valentim e sua obra;  Realizar releituras da obra de Rubem Valentim experimentando as técnicas de modelagem em barro com registro de fôrma, tapeçaria no
  • 5. tear de papelão e de artes gráficas na criação de um cartaz usando a técnica da monotipia;  Valorizar a produção cultural afro-brasileira;  Reconhecer a influência da cultura afro-brasileira na obra de Rubem Valentim;  Compor imagens usando técnicas diferentes;  Refletir sobre seu percurso criativo. METODOLOGIA  Pesquisa de textos e imagens;  Atividades de fixação das informações pesquisadas  Leitura de imagens;  Demonstração e explicação das técnicas a serem utilizadas;  Criação de esboços das peças a serem executadas;  Produção dos trabalhos;  Reflexão sobre o percurso criativo;  Exposição dos trabalhos. LOCAL DE REALIZAÇÃO Escola de ensino fundamental. INFRAESTRUTURA NECESSÁRIA  Sala de aula com pia, mesas e cadeiras que possam ser reorganizadas para formar superfícies maiores para o trabalho ou mesas grandes.  Sala mais ampla para a exposição. RECURSOS HUMANOS NECESSÁRIOS  Professor@  Estudantes (duas turmas de 30 alunos cada)  Direção e coordenação no apoio à proposta:
  • 6. MATERIAIS NECESSÁRIOS  30 quilos de argila;  10 quilos de gesso em pó;  12 potes de sorvete para misturar o gesso;  12 placas de fórmica ou Eucatex;  Ferramentas de modelagem improvisadas (podem ser construídas pelos estudantes);  60 pedaços de papelão de 30 x 30 cm;  2 rolos de barbante;  Água;  30 novelos de lã de cores variadas;  Jornais;  12 pedaços de cabo de vassoura de 50 cm;  100 folhas tamanho A3;  20 potes de guache (4 pretos, 4 brancos, 4 azuis, 4 amarelos, 4 vermelhos);  30 pincéis. Referências PIMENTEL, Lucia Gouvêa. Abordagem Triangular e as narrativas de si: autobiografia e aprendizagem em Arte. In: GEARTE, v.4, n.2, 2017. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/gearte/issue/view/3240/showToc Acesso em: 21 nov. 2018. PIMENTEL, Lucia Gouvêa. Metodologias do ensino de Artes Visuais. Curso de Especialização em Ensino de Artes Visuais (CEEAV). Belo Horizonte: EBA/UFMG, 2009. RUBEM Valentim. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2018. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa8766/rubem-valentim>. Acesso em: 23 de Nov. 2018. SATURNINO, Joice; Artes da Fibra. In: PIMENTEL, Lucia Gouvêa. (Org.). Curso de Especialização em Ensino de Artes Visuais. Belo Horizonte: Escola de Belas Artes da UFMG, 2009, v. 3, p. 09-21.
  • 7. WITHE, Jan V. Tipologia de texto. In: WITHE, Jan V. Edição e Design. Para designeers, diretores de arte e editores: o guia clássico. São Paulo: JSN, 2006, P.83 – 108.